REGULAMENTO DO EMISSOR DA COMPANHIA BRASILEIRA DE LIQUIDAÇÃO E CUSTÓDIA

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO DO EMISSOR DA COMPANHIA BRASILEIRA DE LIQUIDAÇÃO E CUSTÓDIA"

Transcrição

1 REGULAMENTO DO EMISSOR DA COMPANHIA BRASILEIRA DE LIQUIDAÇÃO E CUSTÓDIA

2 1 INDICE Capítulo I. Capítulo II. Capítulo III. Objeto do Regulamento...02 Serviço de Custódia Fungível...02 Ativos...02 Seção I Registro de Ativos...03 Seção II Depósitos, retiradas e conciliação dos Ativos custodiados...03 Capítulo IV. Eventos...05 Capítulo V. Agente de Custódia e Agente Especial de Custódia...06 Capítulo VI. Ativos Escriturais...06 Capítulo VII. Limite de Responsabilidades...07 Capítulo VIII. Descumprimento de Condições...08 Capítulo IX. Disposições Gerais...09

3 2 CAPÍTULO I OBJETO 1. O presente Regulamento tem por objeto disciplinar a prestação, pela COMPANHIA BRASILEIRA DE LIQUIDAÇÃO E CUSTÓDIA (CBLC), de serviço de custódia de títulos, valores mobiliários e outros instrumentos financeiros ( Ativos ), emitidos por pessoa jurídica de direito público ou privado ( Emissor ). CAPÍTULO II SERVIÇO DE CUSTÓDIA DA CBLC 2. A prestação do Serviço de Custódia pela CBLC contempla, entre outras atividades de caráter instrumental e complementar, a guarda e o tratamento dos Eventos de Custódia oriundos dos Ativos mantidos sob custódia. 2.1 O Serviço de Custódia da CBLC instrumentaliza-se, nos termos da legislação vigente, mediante a transferência da titularidade de Ativos registrados em nome de investidor original para o da CBLC, que passa a ostentar, em conseqüência, a qualidade de proprietária fiduciária dos Ativos, exclusivamente para fins de custódia, sem que disto resulte transferência plena de sua propriedade. CAPÍTULO III CONTROLE DOS ATIVOS 3. Os procedimentos de registro e controle de movimentação dos Ativos custodiados junto à CBLC observarão o disposto nas seções deste Capítulo.

4 3 SEÇÃO I REGISTRO DE ATIVOS 3.1 O Emissor que aderir ao presente Regulamento deverá manter os Ativos registrados em nome da CBLC, em caráter fiduciário, sem a emissão de certificados O Emissor deverá fornecer à CBLC todas as informações necessárias à manutenção e atualização dos Ativos custodiados nas condições e prazos previamente determinados pela CBLC A CBLC manterá os Ativos custodiados em contas individualizadas por investidor, devidamente atualizadas quanto às movimentações ocorridas e aos correspondentes Eventos de Custódia, observadas os eventuais ônus ou gravames incidentes sobre os mesmos A CBLC, nos casos permitidos em lei e previstos no seu Regulamento de Operações, poderá deixar de manter os Ativos em contas individualizadas por investidor O Emissor poderá manter os Ativos custodiados em Contas de Registro de Ativos para Distribuição Primária nos casos em que as normas vigentes permitam que a distribuição seja feita diretamente pelo Emissor A Conta de Registro de Ativos para Distribuição Primária deverá, na forma da legislação aplicável, ser utilizada exclusivamente para fins de distribuição primária de Ativos de propriedade do Emissor, não sendo permitido, em qualquer momento, a manutenção de quaisquer outros Ativos na referida conta; e A Conta de Registro de Ativos para Distribuição Primária deverá apresentar saldo zero ao final do processo de liquidação da distribuição Ao Emissor que mantiver os ativos custodiados em Conta de Registro de Ativos para Distribuição Primária aplica-se, no que couber, as disposições constantes no Regulamento de Operações da CBLC sobre Agentes de Custódia e Agentes Especiais de Custódia.

5 O Emissor deverá comunicar imediatamente, por escrito, a CBLC qualquer fato ou circunstância que impossibilite a transferência de titularidade dos Ativos de e para a propriedade fiduciária da CBLC A CBLC fornecerá ao Emissor, sempre que solicitada, informação atualizada sobre os titulares de Ativos de emissão do Emissor e suas respectivas posições Todas as informações solicitadas à CBLC pelo Emissor deverão ser feitas por representante do Emissor, devidamente autorizado para tanto. SEÇÃO II DEPÓSITOS, RETIRADAS E CONCILIAÇÃO DOS ATIVOS CUSTODIADOS 3.2 A solicitação de transferência de titularidade de Ativos de e para a propriedade fiduciária da CBLC será realizada por meio de Pedido de Transferência de Ativos ( PTA ), enviado pela CBLC ao Emissor de forma eletrônica ou em formulário impresso, cabendo ao Emissor a responsabilidade quanto ao processamento do PTA Na mesma data de processamento dos PTA, o Emissor deverá informar à CBLC: (i) a relação dos PTA aceitos ou rejeitados; (ii) os motivos, no caso dos PTA não aceitos, que impossibilitaram a transferência de titularidade dos Ativos de e para a propriedade fiduciária da CBLC Para o controle e conciliação dos Ativos registrados na propriedade fiduciária da CBLC, o Emissor deverá, sempre que houver qualquer alteração do saldo da posição registrada, emitir e encaminhar à CBLC, por meio eletrônico ou impresso, demonstrativo contendo: (i) o saldo inicial;

6 5 (ii) (iii) todos os lançamentos a crédito e a débito; e o saldo final após todos os processamentos realizados O Emissor deverá emitir e encaminhar à CBLC demonstrativo que contenha as posições dos Ativos registrados em nome da CBLC, na qualidade de proprietária fiduciária: (i) ao final de cada mês; e (ii) sempre que solicitado pela CBLC.

7 6 CAPÍTULO IV EVENTOS DE CUSTÓDIA 4.1 O Emissor deverá fornecer à CBLC, em tempo hábil, todas as informações referentes aos Eventos de Custódia atribuídos aos Ativos de sua emissão custodiados na CBLC, para permitir o repasse dos mesmos aos respectivos titulares Evento de Custódia para os efeitos deste Regulamento são obrigações do Emissor relativas ao resgate do principal e dos acessórios dos Ativos por ele emitidos e custodiados no Serviço de Custódia; 4.2 Sempre que o Evento de Custódia envolver pagamento em dinheiro, o Emissor deverá comunicar o fato à CBLC com a antecedência mínima de 5 (cinco) dias úteis antes da data do referido pagamento. 4.3 O Emissor deverá repassar à CBLC todos os recursos financeiros ou ativos correspondentes aos Eventos de Custódia atribuídos aos Ativos de sua emissão custodiados na CBLC, nas quantidades, tipos e prazos, previamente informados, nos termos dos itens supra. 4.4 O Emissor que desejar realizar o repasse de recursos financeiros diretamente aos proprietários dos Ativos, disto deverá informar previamente à CBLC, indicando para quem os recursos estarão sendo repassados, bem como os respectivos valores. 4.5 A CBLC encaminhará ao Emissor, em tempo hábil e conforme a legislação vigente, os dados cadastrais dos titulares de Ativos que deverão receber os recursos financeiros, para que o Emissor, quando for o caso, tome as providências necessárias quanto aos aspectos tributários inerentes. 4.6 Sem prejuízo do disposto no item anterior, o Emissor deverá responsabilizar-se pela verificação do regime tributário aplicável aos investidores titulares dos Ativos de sua emissão, informando-o à CBLC.

8 7 4.7 Na hipótese de Eventos de Custódia que compreendam transferência de recursos financeiros, o Emissor deverá disponibilizá-los na forma e prazo estabelecido pela CBLC. 4.8 Na hipótese de Eventos de Custódia que compreendam atribuição de ativos, o Emissor deverá enviar à CBLC, na data do correspondente crédito a seu favor o demonstrativo de que trata o subitem O Emissor deverá acatar os pedidos formulados pela CBLC para o exercício de direitos atribuídos aos Ativos, bem como reconhecer e aceitar os instrumentos de cessão de direitos por ela emitidos Na hipótese de distribuição de Eventos de Custódia em Ativos não elegíveis para depósito junto ao Serviço de Custódia da CBLC, ou com características diferentes dos Ativos originais custodiados a CBLC estabelecerá o tratamento a ser dado a esses ativos. CAPÍTULO V AGENTE DE CUSTÓDIA E AGENTE ESPECIAL DE CUSTÓDIA 5. O Agente de Custódia e o Agente Especial de Custódia são os responsáveis, perante a CBLC, pela manutenção e movimentação das contas de custódia e pelos dados cadastrais próprios e dos investidores sob sua responsabilidade. CAPÍTULO VI ATIVOS ESCRITURAIS 6. O Emissor que contratar uma instituição autorizada para a prestação do serviço de ativos escriturais, será responsável perante à CBLC por

9 8 qualquer irregularidade ou inadimplemento cometido pela instituição contratada, caso esta não desempenhe as atividades conforme o previsto no presente Regulamento. 6.1 O Emissor deverá informar à CBLC a contratação da instituição autorizada à prestação do serviço de ativos escriturais. 6.2 A CBLC fornecerá à instituição autorizada para a prestação do serviço de ativos escriturais, sempre que solicitada, informação atualizada dos titulares dos Ativos de emissão do Emissor Todas as informações solicitadas à CBLC pela instituição autorizada à prestação do serviço de ativos escriturais deverão ser feitas por representante da instituição, devidamente autorizado para tanto. CAPÍTULO VII ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADES DA CBLC 7. A CBLC não será responsável, direta ou indiretamente: 7.1 pelas informações prestadas pelo Emissor dos Ativos custodiados, ou por erros ou omissões cometidos em virtude de informações falsas, falhas, incompletas, omissas, incorretas ou imprecisas fornecidas pelo Emissor; 7.2 por qualquer uso indevido que o Emissor faça das informações que lhe forem fornecidas, nos termos deste Regulamento; 7.3 em caso de violação e/ou não observância, pelo Emissor, de quaisquer disposições previstas neste Regulamento, hipótese em que a CBLC ficará isenta de quaisquer custos, gastos, despesas ou ônus resultantes da transgressão, inclusive quanto a condenações por perdas e danos decorrentes do evento causador, decorrentes de qualquer ação ou demanda promovida por terceiro, não lhe incumbindo, em

10 9 conseqüência, adotar qualquer iniciativa processual estranha à defesa de seus próprios interesses; 7.4 por quaisquer ocorrências a que se sujeitem os Ativos custodiados, em conseqüência de caso fortuito ou de força maior, em conformidade com o disposto no Código Civil Brasileiro; 7.5 pelo pagamento de quaisquer valores relativos a Eventos de Custódia, nos casos em que o Emissor dos Ativos decidir efetuar o pagamento de recursos financeiros relativos aos referidos Eventos de Custódia diretamente ao titular dos Ativos; 7.6 pelo cumprimento das obrigações originárias do Emissor de resgatar o principal e os acessórios dos Ativos de sua emissão custodiados no Serviço de Custódia da CBLC. CAPÍTULO VIII DESCUMPRIMENTO DE CONDIÇÕES 8. Nas hipóteses de: (i) descumprimento de qualquer condição estipulada no presente Regulamento, que inviabilize, no todo ou em parte, a regular consecução do serviço prestado pela CBLC; (ii) de decretação de falência ou de dissolução do Emissor; (iii) de mudança de endereço do Emissor; ou (iv) de qualquer outro ato que inviabilize a prestação dos serviços objeto do presente Regulamento, 8.1 Os saldos de Ativos depositados em custódia, devidamente atualizados, serão retirados da custódia da CBLC e imediatamente transferidos para os nomes dos investidores no livro de registro do Emissor.

11 Caso não seja possível à CBLC proceder à transferência de que trata o item 8, a CBLC poderá: (i) proceder ao bloqueio dos saldos dos Ativos em custódia, impedindo que qualquer movimentação seja realizada; (ii) depositar os referidos Ativos em um sistema especial para controle dos mesmos; ou (iii) adotar, a seu exclusivo critério, qualquer outro procedimento especial. 8.3 A CBLC comunicará o procedimento adotado aos Agentes de Custódia e Agentes Especiais de Custódia que possuírem Ativos cujo Emissor esteja em uma das condições previstas no item 8. CAPÍTULO IX DISPOSIÇÕES GERAIS 9.1 O Emissor deverá informar à CBLC quaisquer alterações em seu cadastro. 9.2 A CBLC divulgará comunicado contendo os valores das taxas e dos custos devidos pelo Emissor, inerentes à execução de serviços constantes do presente Regulamento, que se obriga a pagá-los na forma e prazo estabelecidos. 9.3 Na forma da legislação pertinente, a CBLC guardará sigilo com relação aos atos realizados de acordo com o presente Regulamento, divulgando-os tão-somente quando: (i) expressamente autorizada pelo Emissor ou pelo titular dos ativos; (ii) houver determinação legal; ou

12 11 (iv) houver solicitações da Comissão de Valores Mobiliários, do Banco Central do Brasil, ou de outros órgãos que tenham poder para tanto. 9.4 A faculdade prevista no item somente poderá ser utilizada para os ativos autorizados pelo Conselho de Administração.

Anexo III ao Ofício Circular 016/2010-DP REGULAMENTO DO EMISSOR DE BDR NÍVEL I NÃO PATROCINADO CAPÍTULO I OBJETO

Anexo III ao Ofício Circular 016/2010-DP REGULAMENTO DO EMISSOR DE BDR NÍVEL I NÃO PATROCINADO CAPÍTULO I OBJETO Anexo III ao Ofício Circular 016/2010-DP O Conselho de Administração da BM&FBOVESPA S.A Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 30, alíneas a, b e c do

Leia mais

CAPÍTULO I - DAS RESPONSABILIDADES NA LIQUIDAÇÃO

CAPÍTULO I - DAS RESPONSABILIDADES NA LIQUIDAÇÃO TÍTULO VI - DA CADEIA DE RESPONSABILIDADES CAPÍTULO I - DAS RESPONSABILIDADES NA LIQUIDAÇÃO 129. A responsabilidade da CBLC, na qualidade de Contraparte Central garantidora, limita-se à obrigação da entrega,

Leia mais

Manual de Normas Cotas de Fundo de Investimento

Manual de Normas Cotas de Fundo de Investimento Versão: 27/07/2015 Documento Público 2/12 MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DA CONTRATAÇÃO DE ADMINISTRADOR DE CUSTÓDIA E DE DIGITADOR POR ADMINISTRADOR

Leia mais

Manual de Normas Letra Financeira

Manual de Normas Letra Financeira Versão: 27/07/2015 Documento Público 2 / 10 MANUAL DE NORMAS LETRA FINANCEIRA SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DOS PARTICIPANTES 4 Seção I Do Registrador de 4 Seção II Das atribuições do Emissor

Leia mais

Manual de Normas CRI de Distribuição Pública e CRA de Distribuição Pública

Manual de Normas CRI de Distribuição Pública e CRA de Distribuição Pública CRI de Distribuição Pública e Versão: 27/07/2015 Documento Público 2 / 16 MANUAL DE NORMAS CRI DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA E CRA DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 4 CAPÍTULO II DOS PARTICIPANTES

Leia mais

Manual de Normas. Gestão de Garantias. Versão: 02/06/2014 Documento Público

Manual de Normas. Gestão de Garantias. Versão: 02/06/2014 Documento Público Versão: 02/06/2014 Documento Público 2 / 14 MANUAL DE NORMAS GESTÃO DE GARANTIAS SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 4 CAPÍTULO II DA UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DE GESTÃO DE GARANTIAS 4 CAPÍTULO III DO FUNCIONAMENTO

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DE CÉDULA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO CCI

MANUAL DE NORMAS DE CÉDULA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO CCI MANUAL DE NORMAS DE CÉDULA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO CCI VERSÃO 25/03/2019 1 MANUAL DE NORMAS CÉDULA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO CCI SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 4 CAPÍTULO II DAS DEFINIÇÕES 4 CAPÍTULO III DA

Leia mais

d) observar o Regulamento do Emissor de BDR Nível I Não Patrocinado; e

d) observar o Regulamento do Emissor de BDR Nível I Não Patrocinado; e Anexo I ao Oficio Circular 016/2010-DP O Conselho de Administração da BM&FBOVESPA S.A Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 30, alíneas a, b e c do Estatuto

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DE LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO LCA E DE CERTIFICADO DE DIREITO CREDITÓRIO DO AGRONEGÓCIO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA CDCA DE

MANUAL DE NORMAS DE LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO LCA E DE CERTIFICADO DE DIREITO CREDITÓRIO DO AGRONEGÓCIO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA CDCA DE MANUAL DE NORMAS DE LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO LCA E DE CERTIFICADO DE DIREITO CREDITÓRIO DO AGRONEGÓCIO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA CDCA DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA VERSÃO 20/08/2018 1 MANUAL DE NORMAS LETRA

Leia mais

TÍTULO II - DAS DEFINIÇÕES

TÍTULO II - DAS DEFINIÇÕES TÍTULO II - DAS DEFINIÇÕES 3. Os termos utilizados no presente Regulamento, em sua forma plural ou singular e observado o disposto nos títulos que lhes são próprios, têm a seguinte definição: 3.1 Aceitação

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA PRESTAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO INVESTIDOR

PROCEDIMENTOS PARA PRESTAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO INVESTIDOR PROCEDIMENTOS PARA PRESTAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO INVESTIDOR Servimo-nos do presente para informar os procedimentos para a prestação de informações ao investidor que possua valores mobiliários fora de depósito

Leia mais

MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA

MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA VERSÃO: 16/03/2012 2/10 MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO

Leia mais

2ª Edição este documento cancela, substitui e altera o emitido em 30 de abril de 2015.

2ª Edição este documento cancela, substitui e altera o emitido em 30 de abril de 2015. 1. INTRODUÇÃO: O objetivo deste manual é orientar os profissionais da BRL TRUST DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIPARIOS S.A. ( BRL ) quanto aos seus procedimentos de distribuição de valores mobiliários,

Leia mais

Manual de Normas. Instrumento Elegível para Compor Patrimônio de Referência. Versão: 28/04/2014 Documento Público

Manual de Normas. Instrumento Elegível para Compor Patrimônio de Referência. Versão: 28/04/2014 Documento Público Versão: 28/04/2014 Documento Público MANUAL DE NORMAS INSTRUMENTO ELEGÍVEL PARA COMPOR PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA ÍNDICE 2/9 CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DOS PARTICIPANTES 4 Seção I Do Registrador

Leia mais

MANUAL DE NORMAS LAM LETRA DE ARRENDAMENTO MERCANTIL

MANUAL DE NORMAS LAM LETRA DE ARRENDAMENTO MERCANTIL MANUAL DE NORMAS LETRA DE ARRENDAMENTO MERCANTIL VERSÃO: 01/4/2009 2/8 MANUAL DE NORMAS LETRA DE ARRENDAMENTO MERCANTIL ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO

Leia mais

Manual de Normas Letra de Crédito do Agronegócio LCA e de Certificado de Direito Creditório do Agronegócio CDCA

Manual de Normas Letra de Crédito do Agronegócio LCA e de Certificado de Direito Creditório do Agronegócio CDCA Manual de Normas Agronegócio LCA e Direito Creditório do Versão: 24/07/2017 Documento Público MANUAL DE NORMAS LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO LCA E DE CERTIFICADO DE DIREITO CREDITÓRIO DO AGRONEGÓCIO

Leia mais

Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Banco Liquidante SELIC

Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Banco Liquidante SELIC Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Banco Liquidante SELIC CONTA CORRENTE (uso exclusivo do banco) Razão Social do Titular

Leia mais

MANUAL DE NORMAS LCA, CDCA E CRA

MANUAL DE NORMAS LCA, CDCA E CRA MANUAL DE NORMAS LCA, CDCA E CRA VERSÃO: 01/7/2008 2 / 10 MANUAL DE NORMAS LCA - LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO, CDCA CERTIFICADO DE DIREITOS CREDITÓRIOS DO AGRONEGÓCIO E CRA - CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS

Leia mais

Manual de Normas CCB, CCCB, CCE E NCE

Manual de Normas CCB, CCCB, CCE E NCE CCB, CCCB, CCE E NCE Versão: 21/08/2015 Documento Público 2 / 11 MANUAL DE NORMAS CCB, CCCB, CCE E NCE SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO... 3 CAPÍTULO II DOS PARTICIPANTES... 3 Seção I Do Registrador de CCB,

Leia mais

Resumo do Contrato de Utilização American Express Membership Cards Linha Crédito IMPORTANTE: LEIA ESTE SUMÁRIO COM ATENÇÃO

Resumo do Contrato de Utilização American Express Membership Cards Linha Crédito IMPORTANTE: LEIA ESTE SUMÁRIO COM ATENÇÃO Resumo do Contrato de Utilização American Express Membership Cards Linha Crédito IMPORTANTE: LEIA ESTE SUMÁRIO COM ATENÇÃO Este Sumário apresenta as principais informações que o Associado deve ter conhecimento

Leia mais

Custódia de Ativos Visão de Guarda, Segregação e Conciliação

Custódia de Ativos Visão de Guarda, Segregação e Conciliação de Ativos Visão de Guarda, Segregação e Conciliação Expositor: Alex Souza REGULAÇÃO E AUTORREGULAÇÃO ICVM nº 89/1988 que dispõe sobre a autorização para prestação de serviços de ações escriturais, de custódia

Leia mais

REGULAMENTO DA LETRA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO - LCI DE EMISSÃO DO BANCO DO ESTADO DE SERGIPE S.A.

REGULAMENTO DA LETRA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO - LCI DE EMISSÃO DO BANCO DO ESTADO DE SERGIPE S.A. REGULAMENTO DA LETRA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO - LCI DE EMISSÃO DO BANCO DO ESTADO DE SERGIPE S.A. O Banco do Estado de Sergipe S/A, sociedade anônima de economia mista, com sede na Rua Olímpio de Souza Campos

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO DE INVESTIMENTO AUDIOVISUAL

MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO DE INVESTIMENTO AUDIOVISUAL MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO DE INVESTIMENTO AUDIOVISUAL VERSÃO: 01/7/2008 2 / 12 MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO DE INVESTIMENTO AUDIOVISUAL ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DE CDA, WA E CPR

MANUAL DE NORMAS DE CDA, WA E CPR MANUAL DE NORMAS DE CDA, WA E CPR VERSÃO 25/03/2019 MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO DE DEPÓSITO AGROPECUÁRIO CDA WARRANT AGROPECUÁRIO WA E CÉDULA DE PRODUTO RURAL CPR SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 4 CAPÍTULO

Leia mais

ANEXO III DA PORTARIA-PRESIDENTE Nº 663/2016, ATUALIZADO PELA PORTARIA-PRESIDENTE Nº 572/ CRONOGRAMA DE ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO FINANCEIRO.

ANEXO III DA PORTARIA-PRESIDENTE Nº 663/2016, ATUALIZADO PELA PORTARIA-PRESIDENTE Nº 572/ CRONOGRAMA DE ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO FINANCEIRO. ANEXO III DA PORTARIA-PRESIDENTE Nº 663/2016, ATUALIZADO PELA PORTARIA-PRESIDENTE Nº 572/2017 - CRONOGRAMA DE ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO FINANCEIRO. ITEM ÁREA / ATIVIDADE ENVOLVIDA PRAZO LIMITE ATUAL 1

Leia mais

O F Í C I O C I R C U L A R. Participantes dos Mercados da B3 Segmentos BM&FBOVESPA e Cetip UTVM

O F Í C I O C I R C U L A R. Participantes dos Mercados da B3 Segmentos BM&FBOVESPA e Cetip UTVM 10 de novembro de 2017 016/2017-DO O F Í C I O C I R C U L A R Participantes dos Mercados da B3 Segmentos BM&FBOVESPA e Cetip UTVM Ref.: Movimentação de Valores Mobiliários de Mesma Titularidade na Central

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DE DEBÊNTURE DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA E DE NOTA COMERCIAL DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA

MANUAL DE NORMAS DE DEBÊNTURE DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA E DE NOTA COMERCIAL DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA MANUAL DE NORMAS DE DEBÊNTURE DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA E DE NOTA COMERCIAL DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA VERSÃO 21/11/2018 1 MANUAL DE NORMAS DEBÊNTURE DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA E NOTA COMERCIAL DE DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII EDIFÍCIO ALMIRANTE BARROSO CNPJ/MF N.º /

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII EDIFÍCIO ALMIRANTE BARROSO CNPJ/MF N.º / FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII EDIFÍCIO ALMIRANTE BARROSO CNPJ/MF N.º 05.562.312/0001-02 ATA DE ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DE COTISTAS REALIZADA EM 31 DE OUTUBRO DE 2017 1. DATA,

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 542, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013

INSTRUÇÃO CVM Nº 542, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 Dispõe sobre a prestação de serviços de custódia de valores mobiliários. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que o Colegiado, em reunião realizada em 4 de dezembro de 2013,

Leia mais

MANUAL DE NEGOCIAÇÃO E INTERMEDIAÇÃO DE OPERAÇÕES

MANUAL DE NEGOCIAÇÃO E INTERMEDIAÇÃO DE OPERAÇÕES 1. OBJETIVO MANUAL DE NEGOCIAÇÃO E INTERMEDIAÇÃO DE OPERAÇÕES O objetivo deste manual é servir de referência para demonstrar o funcionamento operacional dos serviços da Orla DTVM, relativo à sua mesa de

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DISTRIBUIÇÃO

MANUAL DE NORMAS DISTRIBUIÇÃO MANUAL DE NORMAS DISTRIBUIÇÃO VERSÃO: 28/02/2011 2/7 MANUAL DE NORMAS DE DISTRIBUIÇÃO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO DOS PARTICIPANTES 5 CAPÍTULO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DA BM&FBOVESPA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DA BM&FBOVESPA MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DA Fevereiro Julho 2017 (2421/027/2017) ESTE DOCUMENTO AINDA NÃO FOI APROVADO PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL E PELA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento da Utilização do Cartão Passagem Bradesco ( CPB ), pessoa jurídica nas Bandeiras Visa e MasterCard

SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento da Utilização do Cartão Passagem Bradesco ( CPB ), pessoa jurídica nas Bandeiras Visa e MasterCard SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento da Utilização do Cartão Passagem Bradesco ( CPB ), pessoa jurídica nas Bandeiras Visa e MasterCard SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento da Utilização do Cartão

Leia mais

REGULAMENTO DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DA BM&FBOVESPA

REGULAMENTO DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DA BM&FBOVESPA REGULAMENTO DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DA BM&FBOVESPA Dezembro 2015 Índice ÍNDICE REGISTRO DE VERSÕES... 4 TÍTULO I: INTRODUÇÃO... 5 CAPÍTULO ÚNICO: OBJETO... 5... 6 CAPÍTULO I: A CÂMARA DE

Leia mais

RESUMO DO REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DO CARTÃO PASSAGEM BRADESCO - CPB

RESUMO DO REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DO CARTÃO PASSAGEM BRADESCO - CPB SUMÁRIO EXECUTIVO RESUMO DO REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DO CARTÃO PASSAGEM BRADESCO - CPB Este Sumário apresenta um resumo das principais informações que a Empresa o Representante e Agência de Viagens devem

Leia mais

Manual de Normas Contrato Mercantil

Manual de Normas Contrato Mercantil Versão: 23/11/2015 Documento Público 2 / 8 MANUAL DE NORMAS CONTRATO MERCANTIL SÚMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DISPONIBILIZADAS PELA CETIP 4 CAPÍTULO III DOS PARTICIPANTES 4

Leia mais

AS COTAS A OFERTA DE COTAS

AS COTAS A OFERTA DE COTAS AS COTAS A OFERTA DE COTAS Não haverá, no lançamento do Fundo, Lotes Mínimos de Cotas a serem emitidos ou ofertados diretamente ao mercado de varejo. Após a concessão do registro de funcionamento do Fundo,

Leia mais

REGULAMENTO DO SERVIÇO DA CENTRAL BANPARÁ

REGULAMENTO DO SERVIÇO DA CENTRAL BANPARÁ REGULAMENTO DO SERVIÇO DA CENTRAL BANPARÁ Pelo presente REGULAMENTO, o BANCO DO ESTADO DO PARÁ S.A. institui as normas e condições de uso do serviço CENTRAL BANPARÁ para clientes Pessoa Física e Jurídica,

Leia mais

O F Í C I O C I R C U L A R. Participantes dos Mercados da B3 Segmento BM&FBOVESPA

O F Í C I O C I R C U L A R. Participantes dos Mercados da B3 Segmento BM&FBOVESPA 28 de dezembro de 2018 O F Í C I O C I R C U L A R Participantes dos Mercados da B3 Segmento BM&FBOVESPA Ref.: Política de Tarifação da Central Depositária. Informamos que, a partir de 01/01/2019, entrará

Leia mais

Procedimento de Portabilidade

Procedimento de Portabilidade Procedimento de Portabilidade FOLHA DE CONTROLE Informações Gerais Título Número de Referência Número da Versão Status Aprovador Procedimento de Portabilidade PRO_CPL_001 V2 Novo Diretoria Data da Aprovação

Leia mais

Manual de Normas Debênture de Distribuição Pública e Nota Comercial de Distribuição Pública

Manual de Normas Debênture de Distribuição Pública e Nota Comercial de Distribuição Pública Manual de Normas e Nota Versão: 28/05/2018 Documento Público e de Nota 2 / 21 MANUAL DE NORMAS DE DEBÊNTURE DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA E DE NOTA COMERCIAL DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO

Leia mais

Regulamento da Letra de Crédito Imobiliário - LCI Emitida pelo Banco do Brasil S.A.

Regulamento da Letra de Crédito Imobiliário - LCI Emitida pelo Banco do Brasil S.A. Regulamento da Letra de Crédito Imobiliário - LCI Emitida pelo Banco do Brasil S.A. O BANCO DO BRASIL S.A., sociedade de economia mista, com sede em Brasília, Distrito Federal, SAUN - Quadra 5 - Lote B

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Conselho de Política e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente SEMACE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Conselho de Política e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente SEMACE ANEXO ÚNICO DO DECRETO N. 28.397, DE 21/09/2006 TERMO N. 09/2011 PREÂMBULO Termo de Participação, via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por dispensa de licitação, nos termos

Leia mais

MANUAL DE NORMAS OBRIGAÇÃO

MANUAL DE NORMAS OBRIGAÇÃO MANUAL DE NORMAS OBRIGAÇÃO VERSÃO: 28/02/2011 2 / 14 MANUAL DE NORMAS OBRIGAÇÃO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO DAS ATIVIDADES DISPONIBILIZADAS

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DA BM&FBOVESPA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DA BM&FBOVESPA MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DA Fevereiro 2017 (24/02/2017) ESTE DOCUMENTO AINDA NÃO FOI APROVADO PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL E PELA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS E ESTÁ

Leia mais

O F Í C I O C I R C U L A R. Ref.: Disponibilização de Emissão de Letra Imobiliária Garantida (LIG).

O F Í C I O C I R C U L A R. Ref.: Disponibilização de Emissão de Letra Imobiliária Garantida (LIG). 16 de outubro de 2018 053/2018-PRE O F Í C I O C I R C U L A R Participantes dos Mercados da B3 Segmento Cetip UTVM Ref.: Disponibilização de Emissão de Letra Imobiliária Garantida (LIG). A B3 informa

Leia mais

REGULAMENTO DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DA BM&FBOVESPA

REGULAMENTO DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DA BM&FBOVESPA REGULAMENTO DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DA BM&FBOVESPA Fevereiro 2017 (14/02/2017) ESTE DOCUMENTO AINDA NÃO FOI APROVADO PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL E PELA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS E ESTÁ SUJEITO A

Leia mais

Procedimento de Portabilidade

Procedimento de Portabilidade Procedimento de Portabilidade FOLHA DE CONTROLE Informações Gerais Título Número de Referência Número da Versão Status Aprovador Procedimento de Portabilidade PRO_CPL_001 V1 Novo Diretoria Data da Aprovação

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE

MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE VERSÃO: 01/7/2008 2/10 MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO

Leia mais

REGRAS E PROCEDIMENTOS ADOTADOS PARA ATENDIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM Nº 531, DE 06 DE FEVEREIRO DE 2013

REGRAS E PROCEDIMENTOS ADOTADOS PARA ATENDIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM Nº 531, DE 06 DE FEVEREIRO DE 2013 REGRAS E PROCEDIMENTOS ADOTADOS PARA ATENDIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM Nº 531, DE 06 DE FEVEREIRO DE 2013 A BRL TRUST DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A., sociedade com sede na Cidade de São

Leia mais

DPGE - COM ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA DE RECEBÍVEIS CCB - PJ

DPGE - COM ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA DE RECEBÍVEIS CCB - PJ DPGE - COM ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA DE RECEBÍVEIS CCB - PJ I. PROCEDIMENTOS / PROCESSO OPERACIONAL 1) Adesão da IF Associada para a modalidade de DPGE Com Garantia A Instituição Financeira - IF interessada

Leia mais

Manual de Normas. Cédula de Produto Rural. Versão: 24/07/2017 Documento Público

Manual de Normas. Cédula de Produto Rural. Versão: 24/07/2017 Documento Público Versão: 24/07/2017 Documento Público 2 / 11 MANUAL DE NORMAS CÉDULA DE PRODUTO RURAL SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DOS PARTICIPANTES 3 Seção I Do Registrador de CPR 4 Subseção I Das naturezas

Leia mais

REGULAMENTO DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DA BM&FBOVESPA (CÂMARA BM&FBOVESPA)

REGULAMENTO DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DA BM&FBOVESPA (CÂMARA BM&FBOVESPA) REGULAMENTO DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DA BM&FBOVESPA (CÂMARA BM&FBOVESPA) Agosto 2017 Registro de versões ÍNDICE REGISTRO DE VERSÕES... 5 TÍTULO I: INTRODUÇÃO... 6 CAPÍTULO ÚNICO: OBJETO...

Leia mais

Manual de Normas de CIA de Distribuição Pública

Manual de Normas de CIA de Distribuição Pública de Versão: 05/05/2016 Documento Público 2 / 7 MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO DE INVESTIMENTO AUDIOVISUAL DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA CAPÍTULO I DO OBJETIVO Artigo 1 O presente é instituído pela Cetip S.A. Mercados

Leia mais

MANUAL DE NORMAS NOTA COMERCIAL

MANUAL DE NORMAS NOTA COMERCIAL MANUAL DE NORMAS NOTA COMERCIAL VERSÃO: 28/02/2011 2 / 14 MANUAL DE NORMAS NOTA COMERCIAL ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO DAS ATIVIDADES DISPONIBILIZADAS

Leia mais

Quadro comparativo Resolução nº 4.373/14 x Resolução nº 2.689/00 e Regulamento Anexo V à Resolução nº 1.289/87

Quadro comparativo Resolução nº 4.373/14 x Resolução nº 2.689/00 e Regulamento Anexo V à Resolução nº 1.289/87 Quadro comparativo Resolução nº 4.373/14 x Resolução nº 2.689/00 e Regulamento Anexo V à Resolução nº 1.289/87 Resolução nº 2.689/00 Regulamento Anexo I à Resolução nº 4.373/14 Art. 1º Estabelecer que

Leia mais

Quadro comparativo Resolução nº 4.373/14 x Resolução nº 2.689/00 e Regulamento Anexo V à Resolução nº 1.289/87

Quadro comparativo Resolução nº 4.373/14 x Resolução nº 2.689/00 e Regulamento Anexo V à Resolução nº 1.289/87 Quadro comparativo Resolução nº 4.373/14 x Resolução nº 2.689/00 e Regulamento Anexo V à Resolução nº 1.289/87 Resolução nº 2.689/00 Regulamento Anexo I à Resolução nº 4.373/14 Art. 1º Estabelecer que

Leia mais

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos - ICVM 558

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos - ICVM 558 Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos - ICVM 558 Última alteração: Março 2017 A administração de carteiras de valores mobiliários é o exercício profissional de atividades relacionadas, direta

Leia mais

Mod / Versão Jun/2011. Sumário Executivo do Regulamento de Utilização do Cartão American Express Business

Mod / Versão Jun/2011. Sumário Executivo do Regulamento de Utilização do Cartão American Express Business Mod. 5175.20382 / 10.2011 - Versão Jun/2011 Sumário Executivo do Regulamento de Utilização do Cartão American Express Business 09900_REGULAMENT_BUSINESS_F.indd 1-2 IMPORTANTE: LEIA ESTE SUMÁRIO COM ATENÇÃO

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CÉDULA DE PRODUTO RURAL

MANUAL DE NORMAS CÉDULA DE PRODUTO RURAL MANUAL DE NORMAS CÉDULA DE PRODUTO RURAL VERSÃO: 09/11/2010 2 / 12 MINUTA MANUAL DE NORMAS CÉDULA DE PRODUTO RURAL ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO

CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CARDIF CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ Nº. : 11.467.788/0001-67 PRODUTO: PR_PU_POPULAR2_S100_1S_CS752 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº:

Leia mais

Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação

Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação CONTA CORRENTE (uso exclusivo do banco) Razão Social do Titular Endereço CNPJ

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA O prazo para entrega será de até 10 (Dez) dias úteis, a partir da assinatura do contrato;

TERMO DE REFERÊNCIA O prazo para entrega será de até 10 (Dez) dias úteis, a partir da assinatura do contrato; Aquisição licenças de software Prezi Business, para criação e armazenamento de apresentações, tanto offline quanto nas nuvens. Compatível com uma grande variedade de dispositivos, entre desktops, tablets

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CDA E WA

MANUAL DE NORMAS CDA E WA MANUAL DE NORMAS CDA E WA VERSÃO: 01/7/2008 2 / 11 MANUAL DE NORMAS CDA CERTIFICADO DE DEPÓSITO AGROPECUÁRIO E WA WARRANT AGROPECUÁRIO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES

Leia mais

ADITIVO AO CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO E SUBCUSTÓDIA ( Tesouro Direto )

ADITIVO AO CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO E SUBCUSTÓDIA ( Tesouro Direto ) ADITIVO AO CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO E SUBCUSTÓDIA ( Tesouro Direto ) As operações de títulos do Tesouro Nacional realizadas por intermédio do site https://seguro.câmara.com.br/tesourodireto reger-se-ão

Leia mais

MANUAL. Cartão de Pagamento do Governo Estadual e Municipal

MANUAL. Cartão de Pagamento do Governo Estadual e Municipal 1 MANUAL Cartão de Pagamento do Governo Estadual e Municipal ÍNDICE Introdução Cartão de Pagamento do Governo Estadual e Municipal Público-alvo Descrição Formalização Anuidade Finalidade Atributos Limites

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.752, DE 27 DE MARÇO DE 2015

CIRCULAR Nº 3.752, DE 27 DE MARÇO DE 2015 CIRCULAR Nº 3.752, DE 27 DE MARÇO DE 2015 Regulamenta a Resolução nº 4.373, de 29 de setembro de 2014, com o objetivo de uniformizar, simplificar procedimentos e conferir maior clareza às disposições sobre

Leia mais

RESOLUÇÃO nº. 02/2011, de 31 de janeiro de /2010 e dá outras providencias.

RESOLUÇÃO nº. 02/2011, de 31 de janeiro de /2010 e dá outras providencias. RESOLUÇÃO nº. 02/2011, de 31 de janeiro de 2011. Dispõe sobre o regulamento do RDC, revoga a Res. COOPUS 03/2010 e dá outras providencias. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO da Cooperativa de Economia e Crédito

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA FIDELIDADE PROTENSE

REGULAMENTO PROGRAMA FIDELIDADE PROTENSE REGULAMENTO PROGRAMA FIDELIDADE PROTENSE PROTENSE SOLUÇÕES EMPRESARIAIS LTDA, pessoa jurídica de direito privado, devidamente inscrita no CNPJ/MF sob o nº 13.036.592/0001-43, com sede na Rua Santa Cruz,

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAETÊ

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAETÊ DECRETO Nº. 063/2018, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2018. Dispõe sobre os procedimentos para o encerramento do exercício financeiro de 2018, no âmbito da Administração Pública Municipal e dá outras providências.

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CUSTODIA DE VALORES MOBILIÁRIOS PARA INVESTIDORES

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CUSTODIA DE VALORES MOBILIÁRIOS PARA INVESTIDORES Pelo presente Instrumento, o CLIENTE ora CONTRATANTE, devidamente qualificado na Ficha Cadastral e mediante assinatura de Termo de Adesão adere a este CONTRATO DE CUSTÓDIA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CUSTÓDIA

Leia mais

4. Os interessados poderão encaminhar sugestões e comentários até 2 de maio de 2017, por meio:

4. Os interessados poderão encaminhar sugestões e comentários até 2 de maio de 2017, por meio: EDITAL DE CONSULTA PÚBLICA 51/2017, DE 9 DE MARÇO DE 2017 Divulga minuta de resolução que dispõe sobre o registro e o depósito centralizado de títulos e valores mobiliários e de direitos creditórios em

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº I - constituir um ou mais representantes no País; II - preencher formulário, cujo modelo constitui o Anexo a esta Resolução;

RESOLUÇÃO Nº I - constituir um ou mais representantes no País; II - preencher formulário, cujo modelo constitui o Anexo a esta Resolução; RESOLUÇÃO Nº 2689 Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e de capitais. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964, torna

Leia mais

Sumário Executivo do Regulamento de Utilização do American Express Conta EBTA Enhanced Business Travel Account

Sumário Executivo do Regulamento de Utilização do American Express Conta EBTA Enhanced Business Travel Account Sumário Executivo do Regulamento de Utilização do American Express Conta EBTA Enhanced Business Travel Account IMPORTANTE: LEIA ESTE SUMÁRIO COM ATENÇÃO Este Sumário apresenta um resumo das principais

Leia mais

Normativo SARB 002/2008

Normativo SARB 002/2008 Normativo SARB 002/2008 O Sistema de Autorregulação Bancária da Federação Brasileira de Bancos FEBRABAN institui o NORMATIVO DE CONTA CORRENTE e estabelece diretrizes e procedimentos a serem adotados pelas

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 015/2018. CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS CAPÍTULO II DAS RECEITAS E DESPESAS DO FUNDO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

PROJETO DE LEI Nº 015/2018. CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS CAPÍTULO II DAS RECEITAS E DESPESAS DO FUNDO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 015/2018. Dispõe sobre a instituição do Fundo Municipal de Educação - FME e dá outras providencias. CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º. Fica instituido o Fundo Municipal de Educação de

Leia mais

Conglomerado Financeiro. Regras e Procedimentos

Conglomerado Financeiro. Regras e Procedimentos Conglomerado Financeiro Regras e Procedimentos Fev.2017 REGRAS E PROCEDIMENTOS PARA A CONTRATAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS PARA OS FUNDOS DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS ( FUNDOS ) As instituições

Leia mais

DIRETRIZ ANBIMA DE INVESTIMENTOS NO EXTERIOR Nº [ ] CAPÍTULO I OBJETIVO E ABRANGÊNCIA CAPÍTULO II REGRAS GERAIS

DIRETRIZ ANBIMA DE INVESTIMENTOS NO EXTERIOR Nº [ ] CAPÍTULO I OBJETIVO E ABRANGÊNCIA CAPÍTULO II REGRAS GERAIS DIRETRIZ ANBIMA DE INVESTIMENTOS NO EXTERIOR Nº [ ] CAPÍTULO I OBJETIVO E ABRANGÊNCIA Art. 1º. Esta diretriz tem por objetivo estabelecer regras e procedimentos para o Fundo de Investimento que aplicar

Leia mais

MGI - MINAS GERAIS PARTICIPAÇÕES S.A. 3ª Emissão de Debêntures. Série Única

MGI - MINAS GERAIS PARTICIPAÇÕES S.A. 3ª Emissão de Debêntures. Série Única MGI - MINAS GERAIS PARTICIPAÇÕES S.A. 3ª Emissão de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE

Leia mais

Regulamento do Bradesco Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce. Capítulo I - Do Fundo

Regulamento do Bradesco Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce. Capítulo I - Do Fundo Regulamento do Bradesco Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce Capítulo I - Do Fundo Artigo 1 o ) O Bradesco Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce, doravante denominado Fundo,

Leia mais

REGULAMENTO DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DA BM&FBOVESPA

REGULAMENTO DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DA BM&FBOVESPA REGULAMENTO DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DA BM&FBOVESPA Dezembro de 2013 Índice ÍNDICE REGISTRO DE VERSÕES... 4 TÍTULO I: INTRODUÇÃO... 5 CAPÍTULO ÚNICO: OBJETO... 5 TÍTULO II: DEPÓSITO CENTRALIZADO DE ATIVOS...

Leia mais

3ª Emissão de Debêntures RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2017

3ª Emissão de Debêntures RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2017 Magazine Luiza S.A. 3ª Emissão de Debêntures RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2017 1. PARTES EMISSORA Magazine Luiza S.A. CNPJ 47.960.950/0001-21 COORDENADOR LÍDER BB Banco De Investimento

Leia mais

Sumário Executivo Resumo do Regulamento de Utilização dos Cartões Emitidos pelo Banco CBSS S.A

Sumário Executivo Resumo do Regulamento de Utilização dos Cartões Emitidos pelo Banco CBSS S.A Sumário Executivo Resumo do Regulamento de Utilização dos Cartões Emitidos pelo Banco CBSS S.A A seguir você encontrará um resumo das principais condições a respeito da utilização do seu Cartão de Crédito,

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CCR CÉDULA DE CRÉDITO RURAL

MANUAL DE NORMAS CCR CÉDULA DE CRÉDITO RURAL MANUAL DE NORMAS CCR CÉDULA DE CRÉDITO RURAL VERSÃO: 01/7/2008 2 / 12 MANUAL DE NORMAS CCR CÉDULA DE CRÉDITO RURAL ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DEBÊNTURE

MANUAL DE NORMAS DEBÊNTURE MANUAL DE NORMAS DEBÊNTURE VERSÃO: 01/7/2008 2 / 18 MANUAL DE NORMAS DEBÊNTURE ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 4 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 4 CAPÍTULO TERCEIRO DAS ATIVIDADES DISPONIBILIZADAS

Leia mais

ALGARVE GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA.

ALGARVE GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA. ALGARVE GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS (SERVIÇOS DE CUSTÓDIA PARA AS CARTEIRAS ADMINISTRADAS SOB GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO) JUNHO/2017 1. OBJETO Com relação à administração

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 543, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013

INSTRUÇÃO CVM Nº 543, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 Dispõe sobre a prestação de serviços de escrituração de valores mobiliários e de emissão de certificados de valores mobiliários. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA USO Nº 126/2017

TERMO DE REFERÊNCIA USO Nº 126/2017 Contratação de empresa especializada em reparo e conserto de Televisão LG 42" Modelo 42LX530H-SB. 1. DA JUSTIFICATIVA O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Rondônia SEBRAE/RO, visando garantir

Leia mais

Kimonos Torah Programa de fidelidade

Kimonos Torah Programa de fidelidade REGULAMENTO DO PROGRAMA FAXIA PRETA KIMONOS TORAH VERSÃO_4 JUN/2016 I DO PROGRAMA FAIXA PRETA - KIMONOS TORAH 1.1. O objetivo do PROGRAMA FAIXA PRETA - KIMONOS TORAH ( PROGRAMA ) é conceder benefícios

Leia mais

4ª Emissão de Debêntures RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2017

4ª Emissão de Debêntures RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2017 Iguatemi Empresa de Shopping Centers S.A. 4ª Emissão de Debêntures RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2017 1. PARTES EMISSORA Iguatemi Empresa de Shopping Centers S.A. CNPJ 51.218.147/0001-93

Leia mais

Tesouro Direto Contrato

Tesouro Direto Contrato I. Corretora CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TESOURO DIRETO GUIDE INVESTIMENTOS S.A CORRETORA DE VALORES, instituição com sede na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Rua Boa Vista, n.º 356 7º

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS APLICÁVEIS AO CARTÃO SANTANDER REWARD

CONDIÇÕES GERAIS APLICÁVEIS AO CARTÃO SANTANDER REWARD CONDIÇÕES GERAIS APLICÁVEIS AO CARTÃO SANTANDER REWARD Este instrumento é parte integrante do Contrato de Prestação de Serviços de Emissão, Utilização e Administração de Cartões Santander. O presente instrumento

Leia mais

LINK CERTIFICAÇÃO DIGITAL POLÍTICA DE GARANTIA Edição: 21/12/2018 Versão: 2.1. Política de Garantia

LINK CERTIFICAÇÃO DIGITAL POLÍTICA DE GARANTIA Edição: 21/12/2018 Versão: 2.1. Política de Garantia Política de Garantia Versão 2.1 Dezembro 2018 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. CONDIÇÕES GERAIS... 4 3. O CLIENTE... 4 4. APLICAÇÃO DA GARANTIA... 4 4.1 COMPROMETIMENTO DOS DISPOSITIVOS CRIPTOGRÁFICOS E/OU

Leia mais

CAP ALUGUEL PRODUTO: TRAD-PU 03 (12MESES) PROCESSO: /

CAP ALUGUEL PRODUTO: TRAD-PU 03 (12MESES) PROCESSO: / CAP ALUGUEL PRODUTO: TRAD-PU 03 (12MESES) PROCESSO: 15414.900283/2013-20 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: INVEST CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 93.202.448/0001-79 NOME DO PRODUTO: INVESTCAP

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS PU 36/36 MP

CONDIÇÕES GERAIS PU 36/36 MP I INFORMAÇÕES INICIAIS CONDIÇÕES GERAIS PU 36/36 MP SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 PLANO PU 36/36 MP - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.901055/2016-10

Leia mais

AES TIETÊ ENERGIA S.A. 8ª Emissão de Debêntures. 8ª Série. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2018 Data Base 31/12/2018

AES TIETÊ ENERGIA S.A. 8ª Emissão de Debêntures. 8ª Série. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2018 Data Base 31/12/2018 AES TIETÊ ENERGIA S.A. 8ª Emissão de Debêntures 8ª Série Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2018 Data Base 31/12/2018 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE AES TIETÊ

Leia mais