Breve introdução. Attilio Grecchi

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Breve introdução. Attilio Grecchi"

Transcrição

1 1

2 Breve introdução Por ocasião da montagem de uma de minhas exposições fotográficas, fiz a seguinte afirmação: O ato de fotografar é, antes de tudo, um exercício de aprender a ver. É um aprendizado que não termina no click. Na verdade, não termina nunca. Ainda que se olhe para a mesma coisa, ela se apresenta cada vez de uma maneira diferente. Já se vão quarenta anos de experiência com fotografia e ainda afirmo que estou aprendendo. Os exemplos aqui reunidos não irão resolver todas as eventuais dificuldades na realização de fotos. Mas é um bom passo para auxiliar na obtenção de resultados. Espero também que promova a curiosidade, a dúvida, o diálogo, para que possamos adicionar novas informações que contemple as necessidades. Attilio Grecchi 2

3 Sumário A importância da luz...4 Organização do espaço para fotografar...4 O uso da luz natural e fluorescente...4 Usando o flash...5 A câmera na função manual...6 Exemplos de fotos e esquemas de organização...7 Fazendo uso do flash da própria câmera...9 A questão da resolução

4 A importância da luz Fotografar é o ato de registrar com uma máquina fotográfica, uma situação, um momento, um objeto, uma pessoa. Aperta-se o botão disparador e "click" está consumado o registro. parede/mesa. Vale todo tipo de improviso para se atingir o objetivo. O set fotográfico não precisa ser bonito mas o resultado da foto sim. Nem sempre temos a sorte de que esse registro represente aquilo que enxergamos na realidade. Mas alguns pequenos cuidados, antes do click, podem melhorar muito o resultado de nossas fotos. O significado da palavra fotografia (escrita com luz) é também a essência da imagem. A luz é a condição sem a qual não é possível a existência da imagem. Escrever bem com a luz vai fazer a diferença entre uma boa e uma não tão boa foto. Não é necessário um estúdio, nem uma máquina sofisticada para se obter uma boa foto. O mais importante é o controle da luz, conforme veremos nos exemplos a seguir. Se a luz é a essência, a qualidade dela determina a qualidade de uma boa imagem, ou seja, uma boa luz gera uma boa imagem. Organização do espaço para fotografar O enquadramento do que pretendemos mostrar também é importante. Devemos buscar o equilíbrio dos objetos que fazem parte da foto. Eliminar o que não interessa mostrando um fundo limpo, numa imagem que concentre o olhar do observador no que queremos que ele veja. A ilustração sugere como organizar o espaço apropriado para se fotografar um objeto, apresentando um fundo limpo. O papel pode ser aquele usado em flip chart. Prenda o papel na parede com fita adesiva e apoie uma parte sobre a mesa, deixando uma curva na junção O uso da luz natural e fluorescente O flash da câmera, quando apontado diretamente para o assunto, vai produzir uma forte luz com sombra, contraste e brilhos acentuados. A luz ideal é a do dia, na sombra que se apresenta difusa e com bom contraste. Pode-se fotografar também no sol, mas, é preciso proteger o objeto da incidência direta da luz usando, por exemplo, um tecido branco, como uma tenda. Se não for possível, procure uma sala mais clara. As câmeras digitais possuem auto ajuste para os diferentes tipos de luz e a lâmpada fluorescente pode se tornar uma opção. 4

5 A maior inconveniência dessa iluminação é o fato de vir sempre de cima para baixo, por estar invariavelmente presa ao teto. Se fotografarmos um cubo sob essa luz, a face frontal e as faces laterais terão pouca luz e a superior muita. Uma calha extra com lâmpadas do mesmo tipo, preferencialmente luz do dia, pode se transformar em iluminador auxiliar, corrigindo a falta da luz na horizontal. Equilibrar as luzes é a receita certa para um bom resultado. Melhor com duas calhas e papel vegetal colocado na frente das lâmpadas para proporcionar uma luz difusa. Câmeras fotográficas que possuem o flash separado como acessório, são mais adaptáveis às condições de trabalho. Como já vimos anteriormente, a luz direta produzida pelo flash, não é boa, portanto é importante atenuar e dar difusão usando papel vegetal. Mesmo assim, caso a predominância de luz seja do flash, é possível observar um pouco de sombra, que pode ser minimizada por um pouco de luz provinda de uma janela. Usando o flash Na impossibilidade das alternativas anteriores, vamos ao uso do flash da câmera. Como encontrar o equilíbrio dessas luzes com uma câmera simples? Se ela for do tipo totalmente automática, há muito pouco o que fazer. Em geral, ainda que automática, possui funções de preset que possibilitam o ajuste, função slow, que sincroniza o flash em velocidades de captação mais lentas. Este preset é normalmente mostrado nos manuais como exemplo de foto noturna, onde aparece o fundo com luzes do ambiente e no primeiro plano uma pessoa iluminada pelo flash. Neste preset a câmera busca o equilíbrio das duas luzes podendo assim ficar a contento. 5

6 A Câmera na função manual As câmeras que possuem a função manual podem ser ajustadas da seguinte forma: Selecione a função manual e ajuste o diafragma para uma abertura mediana. Ajuste a velocidade de exposição até que zere o valor na escala EV. Ligue o flash e faça a foto. Alguns pequenos ajustes poderão ser feitos tendo como premissa que a velocidade vá interferir no acerto da luz do ambiente, e o diafragma no acerto da luz do flash. Abaixo o visor da câmera com as informações técnicas. O resultado da foto feita com a pequena câmera amadora de cinco megapixels foi muito bom, tendo em vista que apenas alguns cuidados com a luz foram tomados. Porém, é possível melhorar ainda mais essa foto com adição da luz do dia, ou um segundo flash com fotocélula para sincronismo com o da câmera. Os flashes separados costumam ter a cabeça móvel jogando a luz para frente ou para cima em ângulos ajustáveis do zero a noventa graus. Isso permite rebater a luz ajudando consideravelmente na obtenção de bons resultados. Na foto, observe que, o flash não está direcionado para o objeto e o papel vegetal envolve a frente, dispersando a luz. 6

7 Neste caso, por termos duas fontes de luz intensa e branca, não é necessário que se faça a medição da luz ambiente, pois só a luz dos flashes é suficiente para atingir a intensidade necessária. Exemplos de fotos e esquemas de organização de forma improvisada, como fica claro na imagem. O primeiro flash estava junto à máquina fotográfica. Como foi visto anteriormente, o que vale é o resultado e para chegar lá às vezes é preciso improvisar. Fechar as laterais à esquerda e à direita do objeto com placas de isopor em ângulo, de modo a refletir a luz para o objeto, produz excelentes fotos. O canto da parede também pode ajudar na qualidade das fotos. Na foto seguinte as paredes suportaram papel branco de fundo e lateral. O papel vegetal ficou sobre o objeto para difundir a luz do segundo flash acima deste, que por sua vez foi fixado 7

8 Pequenos objetos, pequenos estúdios, um cantinho da mesa serve para a montagem de um set, tudo fica mais apertado e mais próximo. Um tripé é recomendável para evitar tremer no momento do click. Neste caso, uma luminária fluorescente de mesa será mais útil e apropriada do que a grande calha. próximas. Em geral o ícone que simboliza essa função é o de uma flor. Em algumas câmeras a função macro é selecionada no menu. A luz existente na parte interna da carcaça do micro motor, foi conseguida com a luminária de mesa. A luz de baixo, que eliminou sombra deixando o objeto flutuar, é da pequena mesa de visualização de slides. O restante da luz é proveniente do flash da câmera e do rebatedor aluminizado, posto angulado para refletir a luz do flash para o objeto. A folha de alumínio de uso na culinária doméstica também serve nessa ocasião. Pode parecer que seja um pouco complicado, mas, como a foto digital não tem o custo do filme e o resultado pode ser visto em seguida, vale a pena buscar a qualidade. Quando o objeto for pequeno, é preciso colocar a câmera na função macro para o ajuste de foco nas distâncias mais A fotografia de objetos é sempre um desafio. Mostrar a textura ou o brilho da superfície ou a transparência, exigem procedimentos diferentes. Isso torna a fotografia instigante e o bom resultado nos dá muito prazer. 8

9 Fazendo uso do flash da própria câmera Não havendo possibilidade de uso de flashes extra corpo da câmera fotográfica, ainda podemos melhorar um pouquinho a luz do flash incorporado. Podemos prender o papel vegetal conforme as fotos mostram, tomando o cuidado de não obstruir nenhum sensor, o que poderia impedir alguma leitura feita pela câmera. Nessa situação é importante contar com outras fontes de luz, como já foi mencionado nos exemplos anteriores, especialmente a luz do dia. Na ilustração abaixo, vemos uma janela à esquerda e um rebatedor à direita. Um bom rebatedor pode ser uma placa de isopor com um dos lados revestido com alumínio laminado. A primeira foto, (do pãozinho) foi feita conforme mostra a ilustração, é visível a luz da janela na lateral direita do objeto e o reflexo do rebatedor sobre a superfície do aço inox da mesa e a luz frontal do flash. Observe, na ilustração, que o flash está apontado para o rebatedor, mas ilumina o objeto por causa do papel vegetal que esparrama a luz. 9

10 Se faltar luz em cima do objeto, use um rebatedor como na foto do micro motor. Considerando que o ângulo formado pela mesa e a parede é de 90º, um rebatedor colocado acima do objeto a 45º irá refletir a luz do flash na superfície superior do objeto. A foto do set montado para fotografar o micro motor, mostra o rebatedor de alumínio fazendo exatamente esse papel. Quando criança é comum brincarmos com espelhos, jogando a luz do sol em qualquer lugar sombreado, não deixa de ser a mesma coisa o uso do rebatedor. A diferença é que com o sol enxerga-se para onde a luz está sendo dirigida. Com a luz do flash é impossível enxergar numa fração de tempo tão curta. Na dúvida o espelho pode ajudar. Colocando-o tão paralelo quanto possível à superfície que se deseja iluminar, e olhando do ponto de vista da câmera, deve-se enxergar no espelho a imagem do rebatedor. Ainda poderá não estar angulado corretamente, mas, estamos no caminho correto. Todas as fotos usadas nas ilustrações deste manual, foram feitas da forma como estamos orientando. Quase todas têm apenas duas fontes de luz. 10

11 A questão da resolução A quantidade de megapixels (ou MP) das câmeras acabou se tornando a referência na qualidade das imagens para muita gente. Mas a afirmação de que quanto mais significa tanto melhor pode não ser verdadeira. Um telefone celular com 8 MP não tem imagem de qualidade superior à câmera fotográfica de 6 MP. Nem uma câmera amadora de 16 MP tem imagem melhor do que uma profissional de 12 MP. O que faz a diferença? O tamanho do sensor, a quantidade de Bits usados no processamento da informação, o formato do arquivo (JPG, TIF, RAW), o componente óptico, enfim, é uma somatória de quesitos que não pode ser resumido apenas em MP. O sensor, por exemplo, do celular não é maior que a cabeça de um pequeno prego, o da máquina fotográfica amadora é menor que a unha do dedinho, o da câmera profissional é do tamanho de uma moeda de um real. Podemos afirmar que 12 MP será melhor que 10 MP se os equipamentos estiverem no mesmo nível técnico. Entre duas câmeras amadoras de características semelhantes, será melhor, no quesito qualidade de imagem, a que tiver maior quantidade de MP. O que é megapixel? Pixel é a menor unidade de informação que compõe a imagem e megapixel é o conjunto de um milhão dessas unidades. Se a câmera é de 16 MP a imagem da foto terá pixels no lado maior, por pixels no lado menor, que multiplicados resultam de pixels. Essa mesma foto tem a dimensão de 176,39 por 112,89 centímetros com 72 DPI (dots per inch - pontos por polegada) ou 42,33 por 27,09 centímetros com 300 DPI. imagem para a impressora jato de tinta, aí passa a ser DPI e as cores básicas são ciano, magenta, amarelo e o preto (CMYK). A foto aberta em um programa de tratamento de imagem em geral mostra sua resolução em 72 DPI. Mudar os parâmetros, DPI e tamanho da imagem, é fácil. Porém, deve-se observar a manutenção da proporção. Ao aumentar a resolução perdemos no tamanho e vise versa, o software faz automaticamente esse acerto quando programado. Para finalizar é bom ter como procedimento os seguintes ajustes: Fotos para gráficas - no tamanho igual ao impresso final ou maior, resolução 300 DPI, arquivo TIF, ambiente de cor CMYK. Fotos para laboratório fotográfico - no tamanho padrão dos papéis fotográficos, resolução 300 DPI, arquivo JPG, ambiente de cor RGB. Fotos para internet/ - tamanho de 20cm máximo 30 cm, 72 DPI, arquivo JPG, ambiente de cor RGB. Agora temos mais um termo, o DPI. Resumindo de forma simples para facilitar o entendimento, o Pixel está para a tecnologia digital, assim como o DPI está para a tecnologia de impressão. Enquanto a imagem estiver no meio digital a linguagem é pixel e as cores básicas são o vermelho, o verde e o azul (RGB). Quando mandamos essa mesma 11

12 CRÉDITOS Conteúdo, Fotografias e ilustrações Attilio Grecchi SENAI SP

Diretoria de Tecnologia

Diretoria de Tecnologia Diretoria de Tecnologia Gerência de Inovação e de Tecnologia Manual básico para produção de fotografias Sumário 1 A Importância da luz... 4 2 Organização do espaço para fotografar... 4 3 O uso da luz natural

Leia mais

Primeiras Informações

Primeiras Informações Primeiras Informações Para que um trabalho escolar fique com melhor qualidade é importante registrálo, não apenas para ser apresentado aos pais, mas principalmente como arquivo. Guardar o registro de trabalhos

Leia mais

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão 1 Diferenças entre o CCD e o Filme: O filme como já vimos, é uma película de poliéster, coberta em um dos lados por uma gelatina de origem animal com partículas

Leia mais

Tutorial de animação quadro a quadro

Tutorial de animação quadro a quadro Tutorial de animação quadro a quadro quadro a quadro é uma técnica que consiste em utilizar imagens ou fotografias diferentes de um mesmo objeto para simular o seu movimento. Nesse caso, trata-se de relatar

Leia mais

A LINGUAGEM DA LUZ Fotografia

A LINGUAGEM DA LUZ Fotografia ILUMINAÇÃO A LINGUAGEM DA LUZ Fotografia a luz vem de várias fontes; tem muitas qualidades; características que afetam todo o processo. A LINGUAGEM DA LUZ Fotografia Medíocre X Fotografia Grandiosa Depende

Leia mais

CÂMERAS. fotográficas

CÂMERAS. fotográficas CÂMERAS fotográficas Quanto ao suporte: Digital Analógico Como classificar e diferenciar os tipos de Câmeras? Quanto a automação: Automáticas Semi-automáticas Auto e manual Quanto ao visor: Visor direto

Leia mais

Fotografia digital. Aspectos técnicos

Fotografia digital. Aspectos técnicos Fotografia digital Aspectos técnicos Captura CCD (Charge Coupled Device) CMOS (Complementary Metal OxideSemiconductor) Conversão de luz em cargas elétricas Equilíbrio entre abertura do diafragma e velocidade

Leia mais

Tratamento fotográfico básico

Tratamento fotográfico básico Tratamento fotográfico básico Vamos começar com um trato na luz e na cor na imagem. Algumas imagens, por sub-exposição, principalmente, precisam ter alterados, alguns parâmetros. Nível: O primeiro deles

Leia mais

Técnicas de fotografia e tratamento de imagem FTZOO (BIOB40) Lucas Menezes Silva

Técnicas de fotografia e tratamento de imagem FTZOO (BIOB40) Lucas Menezes Silva Técnicas de fotografia e tratamento de imagem FTZOO (BIOB40) Lucas Menezes Silva Técnicas de fotografia Objetivos Conhecer a fotografia Reconhecer tipos de câmeras Aprender técnicas Conhecer assessórios

Leia mais

Manual de utilização do programa

Manual de utilização do programa PCIToGCode Manual de utilização do programa PCIToGCode O PCITOGCODE é um aplicativo desenvolvido para converter imagem de uma placa de circuito impresso em um arquivo de códigos G. Com o arquivo de códigos

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM LIBREOFFICE IMPRESS

CAPACITAÇÃO EM LIBREOFFICE IMPRESS CAPACITAÇÃO EM LIBREOFFICE IMPRESS Nelson Luiz Cesário FCAV/UNESP Câmpus de Jaboticabal O que é o Impress? O Impress é o aplicativo de criação e edição de apresentações da família LibreOffice. Você pode

Leia mais

10 simples passos que irão mudar a forma como você tira fotos

10 simples passos que irão mudar a forma como você tira fotos VERSÃO FOTOGRAFIA 10 simples passos que irão mudar a forma como você tira fotos Existem várias formas de alterar o resultado final de uma foto, seja através do ISO, da velocidade do obturador, da abertura

Leia mais

1- Fonte Primária 2- Fonte Secundária. 3- Fonte Puntiforme 4- Fonte Extensa

1- Fonte Primária 2- Fonte Secundária. 3- Fonte Puntiforme 4- Fonte Extensa Setor 3210 ÓPTICA GEOMÉTRICA Prof. Calil A Óptica estuda a energia denominada luz. 1- Quando nos preocupamos em estudar os defeitos da visão e como curá-los, estamos estudando a Óptica Fisiológica. Estudar

Leia mais

energia que vai longe

energia que vai longe Como melhorar seus Clicks energia que vai longe CLICK 2014 Introdução A fotografia é uma das principais ferramentas de comunicação da atualidade. Com o avanço tecnológico das câmeras fotográficas e celulares,

Leia mais

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica A natureza da imagem fotográfica PRODUÇÃO GRÁFICA 2 Imagem digital - 1 Antes do desenvolvimento das câmeras digitais, tínhamos a fotografia convencional, registrada em papel ou filme, através de um processo

Leia mais

Manipulação Digital de Imagens Recursos Básicos de Tratamento

Manipulação Digital de Imagens Recursos Básicos de Tratamento Manipulação Digital de Imagens Recursos Básicos de Tratamento 1 Antes de mais nada, é extremamente necessário lembrar que para tratar uma imagem é necessário que o monitor de seu computador esteja calibrado

Leia mais

Partes da Câmara. Vantagens. Características mais Importantes. Especificações. Versão Portuguesa. Versão Portuguesa WWW.SWEEX.COM.

Partes da Câmara. Vantagens. Características mais Importantes. Especificações. Versão Portuguesa. Versão Portuguesa WWW.SWEEX.COM. Partes da Câmara JB000120 Sweex 3.2 Megapixel digital camera Frente Flash Visor de imagem Vantagens Câmara multi-funcional 5 em 1: Câmara digital com a possibilidade de efectuar gravações vídeo e áudio,

Leia mais

Aprender a fotografar não é difícil quando temos um material de apoio e muita vontade de pesquisar e treinar. Este é somente um ponto de partida!

Aprender a fotografar não é difícil quando temos um material de apoio e muita vontade de pesquisar e treinar. Este é somente um ponto de partida! Introdução e índice Eu sou a Claudia Regina (www.claudiaregina.com) e resolvi criar este pequeno Manual Básico de Fotografia para ajudar quem procura por bom conteúdo para iniciantes, em português. Aprender

Leia mais

Fotos necessárias para a confecção da estatueta. Rosto

Fotos necessárias para a confecção da estatueta. Rosto Fotos necessárias para a confecção da estatueta Todo o trabalho é referenciado em fotos, ou seja, não nos responsabilizamos por material fotográfico que confecção, para isto criamos este guia, para atender

Leia mais

Cópia. Copiadora e Impressora WorkCentre C2424

Cópia. Copiadora e Impressora WorkCentre C2424 Cópia Este capítulo inclui: Cópia básica na página 3-2 Ajustando as opções de cópia na página 3-4 Configuração básica na página 3-5 Ajustes de imagem na página 3-9 Ajustes de posicionamento de imagem na

Leia mais

Fotografia Digital. Aula 1

Fotografia Digital. Aula 1 Fotografia Digital Aula 1 FOTOGRAFIA DIGITAL Tema da aula: A Fotografia 2 A FOTOGRAFIA A palavra Fotografia vem do grego φως [fós] ("luz"), e γραφις [grafis] ("estilo", "pincel") ou γραφη grafê, e significa

Leia mais

Manual de instalação e configuração da Magic Key

Manual de instalação e configuração da Magic Key Manual de instalação e configuração da Magic Key Índice 1. Instalação física dos componentes... 1 1.1. Instalação da câmara... 1 1.2. Instalação dos infravermelhos... 2 1.3. Posicionamento do utilizador...

Leia mais

Mídia Impressa X Mídia Eletrônica

Mídia Impressa X Mídia Eletrônica Diferenças entre Mídia Impressa e Eletrônica Resolução Web >> 72dpi Impressão >> 300dpi Padrão de cores Web >> RGB Impressão >> CMYK Tipos de Arquivos Web >> GIF / JPEG Impressão >> TIF / EPS Tamanho dos

Leia mais

VCA Treinamento em Algoritmo

VCA Treinamento em Algoritmo Conteúdo VCA Treinamento em Algoritmo VCA Treinamento em Algoritmo Conteúdo Algoritmos Rastreador (tracker) Monitoramento Objeto Abandonado/Removido Pessoas Calibração Classificação Linha de contagem Auto

Leia mais

Fotos Analógicas (Processo químico) e Digitais (Processo eletrônico)

Fotos Analógicas (Processo químico) e Digitais (Processo eletrônico) CÂMERA FOTOGRÁFICA Foto analógica Foto digital Fotos Analógicas (Processo químico) e Digitais (Processo eletrônico) O DIAFRAGMA OBJETO DIAFRAGMA EM IRIS OBJETO IRIS RETINA ABERTURA PUPILA LENTE CRISTANILO

Leia mais

Tutorial de fotonovela

Tutorial de fotonovela Tutorial de fotonovela Registrar um experimento em fotonovela é um pouco diferente de fazer um relato fotográfico do trabalho. Elaboramos, aqui, algumas dicas técnicas para preparar, fotografar e montar

Leia mais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais Esse artigo sobre Formatos de Arquivos Digitais é parte da Tese de Doutoramento do autor apresentada para a obtenção do titulo de Doutor em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da USP. Thales Trigo

Leia mais

Acessórios Para os flashes que farão a iluminação principal, temos algumas opções de acessórios que você pode usar:

Acessórios Para os flashes que farão a iluminação principal, temos algumas opções de acessórios que você pode usar: Iluminação e Montagem de Estúdio Na hora de escolher a melhor opção para montar o seu estúdio, surgem as dúvidas. Por onde devo começar? Qual a melhor configuração para o meu estúdio? Que tipo de luz eu

Leia mais

Vivaldo Armelin Júnior

Vivaldo Armelin Júnior Foto & Viagem I FotoMBoé 2014 Vivaldo Armelin Júnior Foto & Viagem I FotoMBoé 3 Em viagens mais longas é recomendado levar um notebook para transferir as fotos armazenadas no cartão de memória. Um bom

Leia mais

8 c o i s a s FOTOGRAFAR. Ana Flor www.anaflor.fot.br

8 c o i s a s FOTOGRAFAR. Ana Flor www.anaflor.fot.br 8 c o i s a s que vocêê precisa saber para FOTOGRAFAR Ana Flor www.anaflor.fot.br Introdução Esta apostila não pretende ser um manual de como ser um ótimo fotógrafo ou como usar sua câmera. Aqui você encontrará

Leia mais

ATENÇÃO: * Arquivos com tamanho superior a 500 KB NÃO SERÃO ACEITOS * SOMENTE serão aceitos documentos do formato: PDF

ATENÇÃO: * Arquivos com tamanho superior a 500 KB NÃO SERÃO ACEITOS * SOMENTE serão aceitos documentos do formato: PDF TUTORIAL DE DIGITALIZAÇÃO DIRIGIDO AO USO DO PROCESSO ELETRÔNICO Adaptado do tutorial elaborado pelo colega MAICON FALCÃO, operador de computador da subseção judiciária de Rio Grande. Introdução Este tutorial

Leia mais

Sumário. 1. Instalando a Chave de Proteção 3. 2. Novas características da versão 1.3.8 3. 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4

Sumário. 1. Instalando a Chave de Proteção 3. 2. Novas características da versão 1.3.8 3. 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4 1 Sumário 1. Instalando a Chave de Proteção 3 2. Novas características da versão 1.3.8 3 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4 4. Executando o PhotoFacil Álbum 9 3.1. Verificação da Chave 9 3.1.1. Erro 0001-7

Leia mais

FOTOMETRIA E EXPOSIÇÃO

FOTOMETRIA E EXPOSIÇÃO GRAPHOS LABORATÓRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM JORNALISMO GRÁFICO FOTOMETRIA E EXPOSIÇÃO FOTOGRAFIA BÁSICA: EQUIPAMENTOS Controles básicos da câmera OBTURADOR Tempo de exposição velocidade de disparo AFETA

Leia mais

Uruaçu - 2009. Professoras Formadoras do NTE Uruaçu

Uruaçu - 2009. Professoras Formadoras do NTE Uruaçu Professoras Formadoras do NTE Uruaçu Uruaçu - 2009 Núcleo de Tecnologia Educacional de Uruaçu Rua Maranhão Quadra 02 Lote 01 Bairro JK Uruaçu Goiás Telefone: (62)3357-4237 - Fax : 3357-4217 E-mail nteuruacu@hotmail.com

Leia mais

Como enviar fotos de câmeras digitais

Como enviar fotos de câmeras digitais Como enviar fotos de câmeras digitais Se as fotos que você deseja enviar para o Geo-Obras foram capturadas com uma câmera digital, será necessário copiá-las para o computador. A maioria dos modelos utiliza

Leia mais

GUIA PADRONIZAÇÃO DE IMAGENS NO INDICADOR CRM

GUIA PADRONIZAÇÃO DE IMAGENS NO INDICADOR CRM GUIA PADRONIZAÇÃO DE IMAGENS NO INDICADOR CRM ÍNDICE ITEM Página 1. Objetivo... 3 2. Padrões de Proporção... 3 3. Qualidade das Imagens... 6 4. Fotos Panorâmicas... 7 5. Youtube... 8 Página 2 de 9 1. Objetivo

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES 2ª SÉRIE

LISTA DE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES 2ª SÉRIE LISTA DE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES FÍSICA - A - 2012 ALUNO: TURMA: CARTEIRA: MATRÍCULA: DATA: / / Unidade 01 - Introdução à Óptica Geométrica Unidade 02 - Reflexão da Luz REFAZER OS EXERCÍCIOS DO LIVRO:

Leia mais

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br R O B Ó T I C A Sensor Smart Ultrassom Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13 Sensor Smart Ultrassom 1. Introdução Os sensores de ultrassom ou ultrassônicos são sensores que detectam

Leia mais

Construindo a câmara escura

Construindo a câmara escura Construindo a câmara escura Shizue Introdução Captar e registrar imagens tornou-se possível com a câmara escura de orifício. Essa câmara nada mais é do que uma lata, preta por dentro para não refletir

Leia mais

Como gerar arquivos.plt

Como gerar arquivos.plt Como gerar arquivos.plt O formato PLT destina se a uso em plotters. É como se você tivesse um plotter conectado diretamente ao seu computador. No momento que manda imprimir, o AutoCAD (ou qualquer outro

Leia mais

Fotografia: conceitos e técnicas

Fotografia: conceitos e técnicas ca leo Carlos Leonardo S Mendes wwwcaleocombr caleo Carlos Leonardo dos S Mendes Fotografia: conceitos e técnicas Exposição Setembro de 2008 Versão 10 Nota: os textos ou fotos contidos neste material não

Leia mais

stacking focus a técnica de empilhamento de foco Nesta matéria, dividida em duas edições da revista Photos

stacking focus a técnica de empilhamento de foco Nesta matéria, dividida em duas edições da revista Photos stacking focus a técnica de empilhamento de foco Um outro modo de ver o mundo através da macrofotografia texto e fotos Tacio Philip Nesta matéria, dividida em duas edições da revista Photos & Imagens,

Leia mais

UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA.

UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA. UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA. Imagem digital é a representação de uma imagem bidimensional usando números binários codificados de modo a permitir seu armazenamento, transferência, impressão ou reprodução,

Leia mais

Iluminação Fotográfica

Iluminação Fotográfica 1 Iluminação Fotográfica Primeiramente, deveríamos lembrar da necessidade da luz para a realização de uma fotografia. Sem a luz, não há fotografia, expressão que significa gravar com a luz. Logo, a principal

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DA PRENSA TÉRMICA SUBLIMÁTICA 8X1

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DA PRENSA TÉRMICA SUBLIMÁTICA 8X1 MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DA PRENSA TÉRMICA SUBLIMÁTICA 8X1 1. Identificação dos elementos da prensa 8X1: JTSD72 Antes de ligar a prensa e iniciar seu trabalho é indispensável verificar se a

Leia mais

Imagem digital 2. Resolução x dimensão da imagem

Imagem digital 2. Resolução x dimensão da imagem Uma imagem bitmapeada é formada por um conjunto de pixels. gerados no momento da digitalização da imagem (através do scanner ou câmera digital). PRODUÇÃO GRÁFICA 2 Imagem digital 2 Resolução x dimensão

Leia mais

O OBTURADOR 1. FUNCIONAMENTO:

O OBTURADOR 1. FUNCIONAMENTO: Esse anexo é um complemento do material didático exclusivo do Curso de Fotografia Digital - A fotografia sob uma nova óptica e função, com Célio Ricardo, constituindo uma parte que completa o total de

Leia mais

Ao se falar sobre fotografia cinematográfica estão envolvidos diversos elementos que devem ser levados em consideração:

Ao se falar sobre fotografia cinematográfica estão envolvidos diversos elementos que devem ser levados em consideração: 1 OBJETIVAS E COMPOSIÇÃO Ao se falar sobre fotografia cinematográfica estão envolvidos diversos elementos que devem ser levados em consideração: 1 - AS LENTES: As objetivas são comumente chamadas de lentes,

Leia mais

O que é a cor? Como converter as cores para CMYK

O que é a cor? Como converter as cores para CMYK Introdução A Cartilha de Fechamento de Arquivos a seguir foi preparada pela equipe de criação da gráfica Cores, com o intuito de ajudar seus clientes a criarem artes o mais precisa possível, evitando assim

Leia mais

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas Microsoft Power Point 2003 No Microsoft PowerPoint 2003, você cria sua apresentação usando apenas um arquivo, ele contém tudo o que você precisa uma estrutura para sua apresentação, os slides, o material

Leia mais

Dicas de uso - Render Up

Dicas de uso - Render Up Dicas de uso - Render Up (versão 3.6.7 ou superior) Desenvolvido por: Promob Software Solutions Rua dos Cinamomos - 517 - Cinquentenário CEP 95012-140 - Caxias do Sul - RS Brasil Fone/Fax: 54 3209 9200

Leia mais

Oficina de fotografia e tratamento de imagem. Facilitadora: Camila Silva Aula: 01

Oficina de fotografia e tratamento de imagem. Facilitadora: Camila Silva Aula: 01 Oficina de fotografia e tratamento de imagem Facilitadora: Camila Silva Aula: 01 Histórico da Fotografia A fotografia surgiu do desejo do homem retratar o mundo a sua volta. Desde os primórdios, com a

Leia mais

Uma nova maneira de interagir com a Gráfica Art3! A mais nova tecnologia em aprovação de arquivos via WEB.

Uma nova maneira de interagir com a Gráfica Art3! A mais nova tecnologia em aprovação de arquivos via WEB. Uma nova maneira de interagir com a Gráfica Art3! A mais nova tecnologia em aprovação de arquivos via WEB. O Portal Art3 é um sistema que permite uma grande flexibilidade na entrega e aprovação de seus

Leia mais

Acostumado a buscar sempre

Acostumado a buscar sempre Técnica&Prática Casamento Iluminação criativa em fotos de casamento Luz de vídeo, de lanterna, natural ou flash. Saiba como é possível usar de tudo um pouco para fazer fotos sociais Vinícius Matos Por

Leia mais

Guia de qualidade de cores

Guia de qualidade de cores Página 1 de 5 Guia de qualidade de cores O Guia de qualidade de cores ajuda você a entender como as operações disponíveis na impressora podem ser usadas para ajustar e personalizar a saída colorida. Menu

Leia mais

Técnica de Iluminação por Fernando Bagnola www.fotografia-dg.com

Técnica de Iluminação por Fernando Bagnola www.fotografia-dg.com FOTOS NOTURNAS COM FLASH PORTÁTIL SINCRONIZADO COM A LUZ DISPONÍVEL (com explicação do tratamento da imagem) A imagem a seguir é o resultado final que eu queria! Parte 1: A Técnica Fotográfica A Construção

Leia mais

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos.

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos. Óptica Os fenômenos ópticos que observamos através do nosso aparelho de visão (Olho Humano) são todos devidos às propriedades da luz. Para estudarmos a óptica, ou seja, os efeitos sofridos pela luz, utilizaremos

Leia mais

OBJETIVO Verificar as leis da Reflexão Verificar qualitativamente e quantitativamente a lei de Snell. Observar a dispersão da luz em um prisma.

OBJETIVO Verificar as leis da Reflexão Verificar qualitativamente e quantitativamente a lei de Snell. Observar a dispersão da luz em um prisma. UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA CURSO DE FÍSICA LABORATÓRIO ÓPTICA REFLEXÃO E REFRAÇÃO OBJETIVO Verificar as leis da Reflexão Verificar qualitativamente e quantitativamente a lei de Snell. Observar a

Leia mais

FÍSICA ÓPTICA GEOMÉTRICA FÍSICA 1

FÍSICA ÓPTICA GEOMÉTRICA FÍSICA 1 2014_Física_2 ano FÍSICA Prof. Bruno ÓPTICA GEOMÉTRICA FÍSICA 1 1. (Uftm 2012) Uma câmara escura de orifício reproduz uma imagem de 10 cm de altura de uma árvore observada. Se reduzirmos em 15 m a distância

Leia mais

Introdução à Fotografia Digital

Introdução à Fotografia Digital Introdução à Fotografia Digital Aula 1 Fundamentos, Câmeras, Obje3vas Disponível em www.ecoclics.com/wp- content/pdf/aula_ifd_1.pdf Roteiro da Aula Apresentações Programação do curso Câmeras Objetivas

Leia mais

Como Efetuar o Corte de Contorno pelo Corel Draw Corte de Contorno de Imagens vetorizadas pelo Corel Draw

Como Efetuar o Corte de Contorno pelo Corel Draw Corte de Contorno de Imagens vetorizadas pelo Corel Draw Como Efetuar o Corte de Contorno pelo Corel Draw Corte de Contorno de Imagens vetorizadas pelo Corel Draw É necessario utilizar as versões 11, 12 ou 13 para efetuar o corte de contorno Para começar, instale

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. Índice

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. Índice Índice Capítulo 10 Inserindo figuras e objetos... 2 Configurando AutoFormas... 2 Criando Caixas de Texto... 3 Inserindo Linhas e Setas... 3 Utilizando WordArt... 4 Inserindo Figuras... 5 Configurando figuras...

Leia mais

GUIA PARA FOTOGRAFIA DE PRODUTOS DE LOJA VIRTUAL

GUIA PARA FOTOGRAFIA DE PRODUTOS DE LOJA VIRTUAL GUIA PARA FOTOGRAFIA DE PRODUTOS DE LOJA VIRTUAL Versão 1.1 GUIA PARA FOTOGRAFIA DE PRODUTOS DE LOJA VIRTUAL É comum ouvir que em uma loja virtual não se vende produtos, e sim fotos, por isso é tão importante

Leia mais

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Departamento de Eletrônica e Computação - DELC Introdução à Informática Prof. Cesar Tadeu Pozzer Julho de 2006 Imagens Uma imagem é representada por uma matriz

Leia mais

NÚCLEO DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO: WINDOWS MOVIE MAKER TUTORIAL

NÚCLEO DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO: WINDOWS MOVIE MAKER TUTORIAL NÚCLEO DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO: WINDOWS MOVIE MAKER TUTORIAL O que é o Windows Movie Maker? É um programa que permite criar nossos próprios filmes com som, músicas, transição e efeito de vídeo.

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL

LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL 1 (Unirio) Durante a final da Copa do Mundo, um cinegrafista, desejando alguns efeitos especiais,

Leia mais

TUTORIAL COMO CRIAR E EDITAR UM VÍDEO NO WINDOWS MOVIE MAKER*

TUTORIAL COMO CRIAR E EDITAR UM VÍDEO NO WINDOWS MOVIE MAKER* TUTORIAL COMO CRIAR E EDITAR UM VÍDEO NO WINDOWS MOVIE MAKER* * Microsoft Windows MovieMakeré um programa da Microsoft Corporation. A versão utilizada é a 5.1 que já vem instalada no Microsoft Windows

Leia mais

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART Continuação 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART a) Vá para o primeiro slide da apresentação salva no item 31. b) Na guia PÁGINA INICIAL, clique no botão LAYOUT e selecione (clique) na opção TÍTULO

Leia mais

Composição fotográfica

Composição fotográfica 3. Uso de diagonais 4. Regra dos terços 5. O Ponto Dourado Composição fotográfica 15 dicas para ter imagens com harmonia e proporção. Este tutorial vai ajudá-lo a usar melhor uma câmera fotográfica, compacta

Leia mais

DE RELÓGIOS. Guia de Melhores Práticas. Como Fotografar Relógios Como um Profissional EDIÇÃO Nº 06 GRÁTIS FOTOGRAFIA

DE RELÓGIOS. Guia de Melhores Práticas. Como Fotografar Relógios Como um Profissional EDIÇÃO Nº 06 GRÁTIS FOTOGRAFIA EDIÇÃO Nº 06 GRÁTIS FOTOGRAFIA DE RELÓGIOS SOLUÇÕES PARA IMAGENS DE PRODUTO QUE CONQUISTARAM OS LÍDERES DO COMÉRCIO ELETRÔNICO Guia de Melhores Práticas Como Fotografar Relógios Como um Profissional Precisa

Leia mais

DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA - 1

DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA - 1 DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA - 1 Mauricio Baggio ÍRIS / DIAFRAGMA Dispositivo que permite o controle da quantidade de luz que atinge o filme ou o sensor no interior da câmera. Este controle é realizado definindo-se

Leia mais

MÓDULO 9. A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais:

MÓDULO 9. A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais: A COR DE UM CORPO MÓDULO 9 A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais: luz branca vermelho alaranjado amarelo verde azul anil violeta A cor que um corpo iluminado

Leia mais

DICAS DE FOTOGRAFIAS Material retirado do curso da National Geographic e de diversos materiais disponibilizados na Internet

DICAS DE FOTOGRAFIAS Material retirado do curso da National Geographic e de diversos materiais disponibilizados na Internet DICAS DE FOTOGRAFIAS Material retirado do curso da National Geographic e de diversos materiais disponibilizados na Internet 1 Usar a regra dos 2 3 da imagem. 2 - Lembre-se que o flash tem um alcance limitado,

Leia mais

aprenda a fotografar em 7 lições CLAUDIA REGINA dicasdefotografia.com.br

aprenda a fotografar em 7 lições CLAUDIA REGINA dicasdefotografia.com.br aprenda a fotografar em 7 lições CLAUDIA REGINA dicasdefotografia.com.br Prefácio à publicação de 2013 Publiquei este manual pela primeira vez em março de 2009, quando o blog Dicas de Fotografia estava

Leia mais

Bem- Vindo ao manual de instruções do ECO Editor de COnteúdo.

Bem- Vindo ao manual de instruções do ECO Editor de COnteúdo. Manual de Instruções ECO Editor de Conteúdo Bem- Vindo ao manual de instruções do ECO Editor de COnteúdo. O ECO é um sistema amigável e intui?vo, mas abaixo você pode?rar eventuais dúvidas e aproveitar

Leia mais

CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN

CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN Com o Corel você vai trabalhar com um dos aplicativos mais usados no campo do design e da auto-edição, já que permite operar com dois tipos de gráficos (vetoriais

Leia mais

Programação do Curso

Programação do Curso Programação do Curso Introdução à Fotografia Digital Aula 2 Equipamentos acessórios; Composição Disponível em www.ecoclics.com/wp- content/pdf/aula_ifd_2.pdf Roteiro da Aula Acessórios Ø Tripés Ø Filtros

Leia mais

Desenhador de Escadas

Desenhador de Escadas Desenhador de Escadas Designsoft Desenhador de Escadas-1 Desenhador de Escadas-2 Desenhador de Escadas O Desenhador de Escadas facilita o desenho e a localização de escadas personalizadas no seu projeto.

Leia mais

Apostila 2 Capítulo 8. Página 305. Reflexões. Gnomo

Apostila 2 Capítulo 8. Página 305. Reflexões. Gnomo Apostila 2 Capítulo 8 Página 305 Reflexões Fenômenos Ópticos Reflexão Refração Absorção Tipos de Reflexão Reflexão Especular Reflexão Difusa Na reflexão especular os raios de luz que entram paralelos são

Leia mais

Distância focal DISTÂNCIA FOCAL

Distância focal DISTÂNCIA FOCAL Distância focal DISTÂNCIA FOCAL: Unidade de medida relativa à distância existente entre o centro óptico de uma lente e o plano de foco. A distância focal determina a relação de grandeza de um motivo e

Leia mais

Comprovação dos índices de refração

Comprovação dos índices de refração Comprovação dos índices de refração 1 recipiente de vidro; 1 bastão de vidro, e Glicerina. 1. Encha até a metade o recipiente com glicerina, depois basta afundar o bastão de vidro na glicerina e pronto!

Leia mais

Linhas de Orientação de Media. GS1 Portugal. Sync PT Linhas de Orientação de Media 1

Linhas de Orientação de Media. GS1 Portugal. Sync PT Linhas de Orientação de Media 1 Linhas de Orientação de Media GS1 Portugal 1 Índice Introdução... 3 Especificações Gerais de Imagens... 4 Propriedades da imagem... 5 Cor e Qualidade... 5 Clipping Paths... 5 Fundo... 6 Borda... 6 Formato

Leia mais

AULA: BrOffice Impress terceira parte. Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de:

AULA: BrOffice Impress terceira parte. Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de: AULA: BrOffice Impress terceira parte Objetivo Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de: Conhecer a integração dos softwares do BrOffice; Aprender a trabalhar no slide mestre; Utilizar interação entre

Leia mais

Publisher. Publisher. versão 2012.2

Publisher. Publisher. versão 2012.2 versão 2012.2 Publisher Publisher Para diagramar, vamos utilizar o Publisher, do pacote de programas Microsoft Office. As instruções valem para as versões 2003, 2007 e 2010 do pacote. Vamos aprender através

Leia mais

Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line)

Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line) Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line) Criamos, desenvolvemos e aperfeiçoamos ferramentas que tragam a nossos parceiros e clientes grandes oportunidades

Leia mais

Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531

Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531 Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531 Também conhecido por digitalizador Scanner é um periférico de entrada Leitura de textos e imagens

Leia mais

APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice Aula 1 - Área de trabalho e personalizando o sistema... 3 A área de trabalho... 3 Partes da área de trabalho.... 4 O Menu Iniciar:...

Leia mais

Publisher. Publisher. versão 2012.2

Publisher. Publisher. versão 2012.2 versão 2012.2 Publisher Publisher Para diagramar, vamos utilizar o Publisher, do pacote de programas Microsoft Office. As instruções valem para as versões 2003, 2007 e 2010 do pacote. Vamos aprender através

Leia mais

Dia 21 (sábado de manhã, das 10 às 13h00) Saida para exterior Aula práctica de Fotografia num local a escolher)

Dia 21 (sábado de manhã, das 10 às 13h00) Saida para exterior Aula práctica de Fotografia num local a escolher) Local: Évora Hotel Av. Tulio Espanca, Apartado 93 Évora Tel: 266 403 315 Inscrições e Informações: Contactar Pedro Vilhena Site: Pedro Vilhena Fotografia Tm: 96 807 61 81 email: pedrovilhena.fotografo@gmail.com

Leia mais

Exercício 1: Ajustes rápidos em retrato

Exercício 1: Ajustes rápidos em retrato UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ - UNOCHAPECÓ CURSO SUPERIOR BACHARELADO EM DESIGN DE MODA ILUSTRAÇÃO I PROFESSORA GISELE DOS SANTOS Exercício 1: Ajustes rápidos em retrato Figura 01: Foto

Leia mais

Conceito Técnico de Fotografia

Conceito Técnico de Fotografia Fotografia Digital Conceito Técnico de Fotografia Fotografar é, por princípio, registrar a luz refletida pelo assunto (entende-se por assunto o que está sendo fotografado). Na câmara digital, como na convencional,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA-PRP Instituto de Física Gleb Wataghin IFGW

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA-PRP Instituto de Física Gleb Wataghin IFGW UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA-PRP Instituto de Física Gleb Wataghin IFGW Montagem e Alinhamento de Sistemas de Imagens Tridimensionais João Guilherme Silva Ribeiro Bolsista

Leia mais

404 CAMCORDER CAMCORDER E CÂMARA FOTOGRÁFICA

404 CAMCORDER CAMCORDER E CÂMARA FOTOGRÁFICA POrtuguês Portuguese 404 CAMCORDER CAMCORDER E CÂMARA FOTOGRÁFICA Suplemento do Manual do Utilizador do ARCHOS 404 Versão 1.1 Visite o site www.archos.com/manuals para transferir a versão mais recente

Leia mais

Configurando Color Sttings - no CS3 Shift + Ctrl + K

Configurando Color Sttings - no CS3 Shift + Ctrl + K GCR Photoshop CS3 Cores Digitais Primeiramente, vamos entender como é possível substituir o CMY por preto apenas nas áreas cinzas e escuras sem influenciar nas outras cores da foto. Quando um scanner captura

Leia mais

Computação Gráfica II Prof. Miguel Pelizan

Computação Gráfica II Prof. Miguel Pelizan Computação Gráfica II Prof. Miguel Pelizan Tutorial 6 Solid Works No SolidWorks peça para abrir uma nova montagem. Peça para cancelar o início da montagem. Clique na seta abaixo do ícone Inserir componentes

Leia mais

Apresentação...03. Especificações...05. Serviços...08. Dicas Importantes...13

Apresentação...03. Especificações...05. Serviços...08. Dicas Importantes...13 S Apresentação...03 Especificações...05 Serviços...08 Dicas Importantes...13 02 Manual de Serviços Gráficos - DIO ES A O Departamento de Imprensa Oficial do Espírito Santo (DIO/ES) é responsável pela impressão

Leia mais

1- Tela inicial do AUTOCAD 2013

1- Tela inicial do AUTOCAD 2013 1- Tela inicial do AUTOCAD 2013 2- Clique em NOVO 3- Para mudar a cor do fundo digite OP (de options): Se quiser veja o vídeo ilustrativo desse procedimento: http://www.youtube.com/watch?v=g7kig_yhpx4

Leia mais

MONTAGEM E CONFIGURAÇÃO DE UMA PISTA/PISO DE LEDS

MONTAGEM E CONFIGURAÇÃO DE UMA PISTA/PISO DE LEDS MONTAGEM E CONFIGURAÇÃO DE UMA PISTA/PISO DE LEDS CONDIÇÕES GERAIS Utilize o texto e vídeo abaixo como referencia se você deseja montar uma pista de LEDs, LEMBRANDO QUE É APENAS UMA SUGESTÃO, VOCÊ PODE

Leia mais

Sistema Modelix-G (Modelix-Grafix)

Sistema Modelix-G (Modelix-Grafix) Sistema Modelix-G (Modelix-Grafix) 1) Introdução 1 2) Utilizando o Sistema Modelix-G impresso (paper) 1 3) Utilizando o Sistema Modelix-G com software 4 4) Divulgando seus projetos e idéias 7 1) Introdução

Leia mais

Banner Flutuante. Dreamweaver

Banner Flutuante. Dreamweaver Banner Flutuante Dreamweaver Começamos com um arquivo em branco no Dreamweaver MX. Para que o banner apareça sobre a página, precisamos inserir uma camada a mais no arquivo HTML. Selecione o menu Inserir

Leia mais