Campeão da Região Sudeste. (Produtor) (Consultor) (Estudo de caso) (Relator)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Campeão da Região Sudeste. (Produtor) (Consultor) (Estudo de caso) (Relator)"

Transcrição

1 Campeão da Região Sudeste (Produtor) (Consultor) (Estudo de caso) (Relator)

2 Produtor: Ivaldo Lemes da Costa Consultor: Cleber Longhin Cultura: SOJA Propriedade Agrícola: Sítio Matarazzo Município: Itapetininga/SP Localização Latitude: 23º35'30" Longitude: 48º03'11" W Altitude média: 656 m

3 Época de semeadura: 3 de Novembro de 2010 Esquema de Semeadura: Semeadura Cruzada Sistema de Produção: Semeadura Convencional (reforma do sistema de P.D. - Compactação) Genótipo (cultivar): Syn 3358 RR Espaçamento entre Linhas: 45 cm (semeadura cruzada) Número de sementes/m: 15 sementes/m População de plantas estimada: pl./ha Adubação de Semeadura: Fórmula: Quantidade: 630 kg/ha (315 kg/ha/linha) Micronutrientes: Boro (0,2%) e Zinco (0,5%) Adubação de Cobertura: Não realizada

4 Tratamento de sementes: Inseticida + Fungicida + Inoculante Herbicidas: Dessecante Inseticidas: Fisiológicos e de Contato (5 vezes) (preocupação com a alternância de ingredientes ativos e modos de ação) Fungicidas: Triazól + Estrobilurinas (3 vezes) (primeira aplicação antes do fechamento completo do dossel) Fertilizantes Foliares: Macronutrientes, micronutrientes e aminoácidos (4 vezes) (ênfase para Manganês, Cálcio e Boro)

5 Área colhida: 5,6 ha População Final: pl./ha Umidade: 14% Impurezas: 1% kg/ha (5.937,5 kg/ha) 99 sc/ha (98,96 sc/ha)

6 (apontados pelo Produtor e Consultor) (*) (*) (*)

7 (*) (*) O uso de Redutores de Crescimento ou de Biorreguladores poderia ter contribuído para o incremento do potencial produtivo. (*) (*) A redução de 10 a 15% da população utilizada, segundo o produtor e o consultor, com certeza, aumentaria a produção obtida, bem como poderia ter facilitado o controle da lagarta falsa-medideira. (*) (*) A descompactação do solo foi de grande valia para a manifestação do potencial produtivo da soja, pois favoreceu o aprofundamento das raízes e o aumento da nodulação, em comparação ao ano anterior.

8 (apontados pelo Produtor e Consultor) Soja semeada em Novembro de 2011 (Gleba do Concurso) (Gleba do Concurso) Consequência: Estiolamento de plantas Menor taxa de ramificação Redução da taxa fotossintética

9 (apontados pelo relator) Uso de Variedade de Soja de Elevado Potencial Produtivo; Hábito de Crescimento indeterminado e plena adaptada à Região e Época de semeadura; Elevada População de Plantas aliado à adequada distribuição de plantas; (população de plantas superior a 400 mil plantas/ha em arranjo espacial fundamentado em semeadura cruzada) Comprometimento com a qualidade da semeadura; Preocupação com a compactação do solo e Uso de Nitrogênio na semeadura (sem interferência na nodulação)

10 Principais características: Grupo de maturação 5,8 Hábito de Crescimento Indeterminado Ciclo Precoce Tolerância a Alta população (350 mil pl./ha) (função da região, época e manejo) Satisfatória resistência ao acamamento Porte baixo Médio a alto potencial de ramificação

11 (apontados pelo relator) Uso de Variedade de Soja de Elevado Potencial Produtivo; Hábito de Crescimento indeterminado e plena adaptada à Região e Época de semeadura; Elevada População de Plantas aliado à adequada distribuição de plantas; (população de plantas superior a 400 mil plantas/ha em arranjo espacial fundamentado em semeadura cruzada) Comprometimento com a qualidade da semeadura; Preocupação com a compactação do solo e Uso de Nitrogênio na semeadura (sem interferência na nodulação)

12 A população e a distribuição espacial de plantas determina o número de nós e de vagens por área, definindo o potencial de produção da lavoura Principais componentes da produção de leguminosas Ganhos de Produtividade 1 o lugar: N o de vagens/m 2 2 o lugar: N o de grãos/vagens 3 o lugar: Peso de grãos Compilação de vários pesquisadores

13 Fancelli (2011) Quando mais rápido for atingido o IAF crítico, maior será o aproveitamento efetivo da energia radiante. Alguns arranjos espaciais de plantas favorecem tal desiderato

14 (apontados pelo relator) Uso de Variedade de Soja de Elevado Potencial Produtivo; Hábito de Crescimento indeterminado e plena adaptada à Região e Época de semeadura; Elevada População de Plantas aliado à adequada distribuição de plantas; (população de plantas superior a 400 mil plantas/ha em arranjo espacial fundamentado em semeadura cruzada) Comprometimento com a qualidade da semeadura; Preocupação com a compactação do solo e Uso de Nitrogênio na semeadura. (sem interferência na nodulação)

15 Uniformidade de Emergência é sinônimo de Produtividade Fundamento básico: Minimiza relações de competição entre plantas e otimiza o aproveitamento dos fatores de produção

16 (apontados pelo relator) Uso de Variedade de Soja de Elevado Potencial Produtivo; Hábito de Crescimento indeterminado e plena adaptada à Região e Época de semeadura; Elevada População de Plantas aliado à adequada distribuição de plantas; (população de plantas superior a 400 mil plantas/ha em arranjo espacial fundamentado em semeadura cruzada) Comprometimento com a qualidade da semeadura; Preocupação com a compactação do solo e Uso de Nitrogênio na semeadura (sem interferência na nodulação)

17 Fancelli (2011) Restringe o uso de água, a absorção de nutrientes e a fixação biológica de nitrogênio, além de favorecer a ocorrência de patógenos e de insetos-praga.

18 (apontados pelo relator) Uso de Variedade de Soja de Elevado Potencial Produtivo; Hábito de Crescimento indeterminado e plena adaptada à Região e Época de semeadura; Elevada População de Plantas aliado à adequada distribuição de plantas; (população de plantas superior a 400 mil plantas/ha em arranjo espacial fundamentado em semeadura cruzada) Comprometimento com a qualidade da semeadura; Preocupação com a compactação do solo e Uso de Nitrogênio na semeadura (sem interferência na nodulação)

19 Efeito do fornecimento de nitrogênio (fonte e quantidade) na semeadura de soja Cândido Mota, SP Importante: Ano seco (18 dias de veranico durante o enchimento de grãos) Não dispensar a Inoculação nem o uso de Co e Mo Fancelli & Baldo (2004) Nodulação da soja semeada com até 20 kg/ha de Nitrogênio (Cândido Mota,SP)

20 Necessidade da Soja para a produção de kg/ha de grãos = 380 a 420 kg/ha de N V5/V6 Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN) V5/V6 Inestimável contribuição da EMBRAPA ao Brasil

21 (sem prejuízo à nodulação e o FBN) Estímulo fisiológico Finalidade Seguro contra estresse hídrico no final do ciclo Favorecimento do arranque da planta Acelera a Produção de Raízes Sattelmacher et al (1995) e Fancelli et al. (2005) Favorece a Absorção de Fósforo Johnston (1993) e Malavolta (1997) Estimula a Síntese de Citocinina (Marschner (1987 ) e Teiz & Zeiger (2004)

22 Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Produção Vegetal Fone: (19) ramal 25

APRESENTAÇÃO DO CASE DA REGIÃO

APRESENTAÇÃO DO CASE DA REGIÃO APRESENTAÇÃO DO CASE DA REGIÃO SUL Leandro Sartoreli Ricci Mamborê - PR 2010/2011 Produtividade: 6.027 kg/ha (100,5 sc/ha) - Variedade SYN 3358 (Variedade com folhas lanceoladas e alta resistência ao acamamento)

Leia mais

Qualidade das Sementes e os Seus Efeitos sobre a Produtividade

Qualidade das Sementes e os Seus Efeitos sobre a Produtividade Qualidade das Sementes e os Seus Efeitos sobre a Produtividade José de Barros França Neto Embrapa Soja XXI Reunião Nacional de Pesquisa de Girassol IX Simpósio Nacional Sobre a Cultura do Girassol 28/10/2015

Leia mais

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA 18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA APLICAÇÃO DE MACRONUTRIENTES EM PÓS- EMERGÊNCIA DA CULTURA O objetivo neste trabalho foi avaliar a aplicação de macronutrientes de diversas fontes e épocas de aplicação

Leia mais

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE 16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE EM RELAÇÃO AO FORMULADO PADRÃO O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho do fertilizante Farture (00-12-12) em diferentes dosagens em relação ao

Leia mais

Nutrição de Plantas: Técnicas para aumento da produtividade da Soja. Eng. Agr. Dr. Douglas Gitti Pesquisador de Manejo e Fertilidade do Solo

Nutrição de Plantas: Técnicas para aumento da produtividade da Soja. Eng. Agr. Dr. Douglas Gitti Pesquisador de Manejo e Fertilidade do Solo Nutrição de Plantas: Técnicas para aumento da produtividade da Soja Eng. Agr. Dr. Douglas Gitti Pesquisador de Manejo e Fertilidade do Solo Roteiro 1- Ativos Biológicos na Soja: Azospirillum 2- Sais e

Leia mais

Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil. Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC

Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil. Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC Agenda 1. Histórico Soja marca Pioneer 2. Pesquisa Soja Brasil 3. Qualidade das Sementes DuPont Pioneer 4. Cultivares

Leia mais

Campeão de Produtividade de Soja Região Sudeste. ANTONIO LUIZ FANCELLI Fundador do CESB e Docente da ESALQ/USP SAFRA 2011/2112

Campeão de Produtividade de Soja Região Sudeste. ANTONIO LUIZ FANCELLI Fundador do CESB e Docente da ESALQ/USP SAFRA 2011/2112 Campeão de Produtividade de Soja Região Sudeste ANTONIO LUIZ FANCELLI Fundador do CESB e Docente da ESALQ/USP SAFRA 2011/2112 Dados do Participante (Campeão) PRODUTOR: FREDERIK JAKOBUS WOLTERS CONSULTOR

Leia mais

Sintomas de deficiência de alguns nutrientes na cultura do milho

Sintomas de deficiência de alguns nutrientes na cultura do milho Sintomas de deficiência de alguns nutrientes na cultura do milho Prof. Luiz Duarte Silva Júnior Os nutrientes são elementos importantes no desenvolvimento das plantas para que elas possam completar o ciclo

Leia mais

Adubação do Milho Safrinha. Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico (IAC), Campinas

Adubação do Milho Safrinha. Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico (IAC), Campinas Adubação do Milho Safrinha Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico (IAC), Campinas Produtividade, kg/ha Área (milhões ha) AUMENTO DA ÁREA E PRODUTIVIDADE 8000,0 7000,0 6000,0 Total MT 7.012 5000,0

Leia mais

AGRICULTURA I Téc. Agroecologia

AGRICULTURA I Téc. Agroecologia AGRICULTURA I Téc. Agroecologia CULTURA DO MILHO IFSC CÂMPUS LAGES FENOLOGIA DO MILHO Etapas de desenvolvimento: 1.Germinação e emergência: Semeadura até o efetivo aparecimento da plântula, Duração pode

Leia mais

A Importância da Utilização de Sementes de Alto Vigor e os Seus Efeitos Sobre a Produtividade da Soja

A Importância da Utilização de Sementes de Alto Vigor e os Seus Efeitos Sobre a Produtividade da Soja A Importância da Utilização de Sementes de Alto Vigor e os Seus Efeitos Sobre a Produtividade da Soja José de Barros França Neto Embrapa Soja 67º SIMPAS 24/11/2015 Sinop, MT Base para o sucesso da lavoura!!!

Leia mais

IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE

IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE A IRGA 424 apresenta como diferencial o alto potencial produtivo, responde muito bem ao manejo e às altas adubações. Origem: cruzamento IRGA 370-42-1-1F-B5/BR IRGA 410//IRGA

Leia mais

PRODUTIVIDADE DE SOJA EM RESPOSTA AO ARRANJO ESPACIAL DE PLANTAS E À ADUBAÇÃO NITROGENADA ASSOCIADA A FERTILIZAÇÃO FOLIAR

PRODUTIVIDADE DE SOJA EM RESPOSTA AO ARRANJO ESPACIAL DE PLANTAS E À ADUBAÇÃO NITROGENADA ASSOCIADA A FERTILIZAÇÃO FOLIAR 28 Resumos da XXXIII Reunião de Pesquisa de Soja da Região Central do Brasil - Londrina, PR, agosto de 203 5 PRODUTIVIDADE DE SOJA EM RESPOSTA AO ARRANJO ESPACIAL DE PLANTAS E À ADUBAÇÃO NITROGENADA ASSOCIADA

Leia mais

13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA

13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA 13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA FOLIAR APLICADOS NA SOJA EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo neste trabalho foi testar e avaliar o programa de nutrição foliar recomendado pela empresa Helena

Leia mais

Adubação do milho safrinha: Nitrogênio e Fósforo.

Adubação do milho safrinha: Nitrogênio e Fósforo. Adubação do milho safrinha: Nitrogênio e Fósforo. Eng. Agr. Dr. Douglas de Castilho Gitti Pesquisador Manejo e Fertilidade do Solo (67) 9681-7293 douglas@fundacaoms.org.br Roteiro da Palestra 1. Ambientes

Leia mais

Produtor: Elton Zanella Consultor: Marcos Adriano Storch Relator: Eng. Agr. MSC Leandro Zancanaro

Produtor: Elton Zanella Consultor: Marcos Adriano Storch Relator: Eng. Agr. MSC Leandro Zancanaro Produtor: Elton Zanella Consultor: Marcos Adriano Storch Relator: Eng. Agr. MSC Leandro Zancanaro Revisores Eng. Agr. Henry Sako Prof. Dr. Antonio Luiz Fancelli Produtor: Elton Zanella Consultor: Marcos

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016 1 EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016 CONSÓRCIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA: COMPREENDENDO OS RISCOS DO ESTRESSE HÍDRICO NA

Leia mais

CULTIVARES DE SOJA (2005/06) Unidades Demonstrativas

CULTIVARES DE SOJA (2005/06) Unidades Demonstrativas CULTIVARES DE SOJA (2005/06) Unidades Demonstrativas Cultivares da Embrapa Soja: Embrapa 48 Grupo de Maturação: Precoce/Semiprecoce; *Semeadura: a partir de 25/10 até 10/12; Substituiu a cv. BR-16; *Alto

Leia mais

Campos Safra 14/15. Programa Nutricional Produquimica Regional Goiás/DF

Campos Safra 14/15. Programa Nutricional Produquimica Regional Goiás/DF Campos Safra 14/15 Programa Nutricional Produquimica /DF Produquimica Germinação em canteiro Padrão Produtor Top 5 Novembro/ Top 5: Sementes Produtiva Tratamento de Sementes Sementes Produtiva Formosa/GO

Leia mais

Dinâmica e manejo de doenças. Carlos A. Forcelini

Dinâmica e manejo de doenças. Carlos A. Forcelini Dinâmica e manejo de doenças Carlos A. Forcelini Campo Experimental UPF (28º10 S, 52º20 W, 687m) 6 km Manejo de doenças e rendimento de grãos Com manejo Sem manejo 2009 58 27 2010 56 33 2011 61 45 Fatores

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS EM FERTILIZANTES. Uréia revestida com boro e cobre

NOVAS TECNOLOGIAS EM FERTILIZANTES. Uréia revestida com boro e cobre Universidade Federal do Paraná Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo NOVAS TECNOLOGIAS EM FERTILIZANTES Prof. Milton F. Moraes UFPR - Campus Palotina Programa de Pós-Graduação Ciência do Solo Curitiba-PR,

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE SOJA - SAFRA 2015/2016 MATO GROSSO - Janeiro/2015

CUSTO DE PRODUÇÃO DE SOJA - SAFRA 2015/2016 MATO GROSSO - Janeiro/2015 MATO GROSSO - Janeiro/2015 R$ 0,00 R$ 0,00 Nordeste Médio-Norte Oeste Centro-Sul Sudeste Mato Grosso 1.448.440 3.365.849 1.710.450 668.615 1.914.651 9.108.005 DESPESAS COM INSUMOS R$ 1.513,57 R$ 1.611,79

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE SOJA - SAFRA 2015/2016 MATO GROSSO - Novembro/2014

CUSTO DE PRODUÇÃO DE SOJA - SAFRA 2015/2016 MATO GROSSO - Novembro/2014 MATO GROSSO - Novembro/2014 R$ 0,00 R$ 0,00 Nordeste Médio-Norte Oeste Centro-Sul Sudeste Mato Grosso 1.448.440 3.365.849 1.710.450 668.615 1.914.651 9.108.005 DESPESAS COM INSUMOS R$ 1.437,49 R$ 1.612,95

Leia mais

Produtor: Edson Agnes Relator/consultor: Eng Agr M.Sc. Maurício Sanches. Revisores Eng. Agr. Henry Sako Prof. Dr. Antonio Luiz Fancelli

Produtor: Edson Agnes Relator/consultor: Eng Agr M.Sc. Maurício Sanches. Revisores Eng. Agr. Henry Sako Prof. Dr. Antonio Luiz Fancelli Produtor: Edson Agnes Relator/consultor: Eng Agr M.Sc. Maurício Sanches Revisores Eng. Agr. Henry Sako Prof. Dr. Antonio Luiz Fancelli Produtividade (/ha) 141,79 108,35 100,63 108,71 110,55 117,33 120,07

Leia mais

com spider na soja a safrinha é segura

com spider na soja a safrinha é segura com spider na soja a safrinha é segura Quem comprova é a Dow AgroSciences O poder dos 4S COM SPIDER NA SOJA A SAFRINHA É SEGURA O Time da Dow AgroSciences desenvolveu perguntas e respostas sobre Spider

Leia mais

AULA FINAL / PARTE 1. Gil Miguel de Sousa Câmara Professor Associado

AULA FINAL / PARTE 1. Gil Miguel de Sousa Câmara Professor Associado AULA FINAL / PARTE 1 Gil Miguel de Sousa Câmara Professor Associado 4.1 ÉPOCAS DE SEMEADURA PARA SOJA NO BRASIL Denominações Das Épocas 1. Normal Meses e Respectivas Quinzenas SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. Avaliação do comportamento de CULTIVARES DE SOJA semeadas em 2 épocas na região Parecis de Mato Grosso.

RELATÓRIO TÉCNICO. Avaliação do comportamento de CULTIVARES DE SOJA semeadas em 2 épocas na região Parecis de Mato Grosso. RELATÓRIO TÉCNICO Avaliação do comportamento de CULTIVARES DE SOJA semeadas em 2 épocas na região Parecis de Mato Grosso. Executora: P.A. Av. Nilo Torres, n 913 W, Parque Leblon, Tangará da Serra-MT CEP:

Leia mais

Requisitos de Clima e Solo da espécie

Requisitos de Clima e Solo da espécie Requisitos de Clima e Solo da espécie Clima O amendoim forrageiro apresenta ampla faixa de adaptação, desenvolvendo-se bem desde o nível do mar até aproximadamente 1.800 m de altitude, em áreas com precipitação

Leia mais

Manejo da lavoura para altas produtividades com base na agricultura de precisão. Telmo Amado

Manejo da lavoura para altas produtividades com base na agricultura de precisão. Telmo Amado Manejo da lavoura para altas produtividades com base na agricultura de precisão Telmo Amado Situação atual. Eficiência de Uso < 50% N e K, e < 30% de P Eficiência do uso da água Potencial genético subutilizado

Leia mais

ABSORÇÃO FOLIAR. Prof. Josinaldo Lopes Araujo. Plantas cultivadas dividem-se em: Folhas Caule Raízes

ABSORÇÃO FOLIAR. Prof. Josinaldo Lopes Araujo. Plantas cultivadas dividem-se em: Folhas Caule Raízes ABSORÇÃO FOLIAR Prof. Josinaldo Lopes Araujo 1 INTRODUÇÃO Plantas cultivadas dividem-se em: Folhas Caule Raízes Cada parte tem uma função definida As folhas absorvem água e nutrientes Porque essa capacidade?

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE MILHO - SAFRA 2015/2016 MATO GROSSO - Janeiro/2015

CUSTO DE PRODUÇÃO DE MILHO - SAFRA 2015/2016 MATO GROSSO - Janeiro/2015 MATO GROSSO - Janeiro/2015 R$ 0,00 R$ 0,00 Nordeste Médio-Norte Oeste Centro-Sul Sudeste Mato Grosso 333.627 1.548.845 530.231 201.169 664.932 3.278.803 DESPESAS COM INSUMOS R$ 1.241,80 R$ 1.148,62 R$

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE MILHO - SAFRA 2016/2017 MATO GROSSO - Março/2016

CUSTO DE PRODUÇÃO DE MILHO - SAFRA 2016/2017 MATO GROSSO - Março/2016 MATO GROSSO - Março/2016 R$ 0,00 R$ 0,00 Nordeste Médio-Norte Oeste Centro-Sul Sudeste Mato Grosso 357.536 1.585.024 583.054 209.446 750.982 3.486.042 DESPESAS COM INSUMOS R$ 1.397,93 R$ 1.282,86 R$ 1.292,30

Leia mais

SOJA Efeito da aplicação de Gliman e Agrumax MZ na cultura da soja no município de Jataí-GO Jorge Lucas Nunes de Mendonça; Bruno Gherardi

SOJA Efeito da aplicação de Gliman e Agrumax MZ na cultura da soja no município de Jataí-GO Jorge Lucas Nunes de Mendonça; Bruno Gherardi Concimi Speciali SOJA Efeito da aplicação de Gliman e Agrumax MZ na cultura da soja no município de Jataí-GO Efeito do uso de Gliman e Agrumax MZ, associado ao Hydrofert 8-16-41 na cultura da soja no município

Leia mais

GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL,

GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL, GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL, 2008-2012 Maximiliano Miura (1), Alfredo Tsunechiro (2), Célia Regina Roncato Penteado Tavares Ferreira (1) Introdução

Leia mais

Sementes de. A Linha de Sementes de Soja Dow AgroSciences avança sem parar. Com um portifólio adaptado para as principais regiões do país e variedades

Sementes de. A Linha de Sementes de Soja Dow AgroSciences avança sem parar. Com um portifólio adaptado para as principais regiões do país e variedades Sementes de SOJA A Linha de Sementes de Soja Dow AgroSciences avança sem parar. Com um portifólio adaptado para as principais regiões do país e variedades de alto potencial produtivo, os produtores têm

Leia mais

Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade. Dr. Eros Francisco IPNI Brasil

Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade. Dr. Eros Francisco IPNI Brasil Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade Dr. Eros Francisco IPNI Brasil IPNI missão O International Plant Nutrition Institute (IPNI) é uma organização nova, sem fins lucrativos,

Leia mais

Influência da Safrinha na Eficiência de Produção do Milho no Brasil

Influência da Safrinha na Eficiência de Produção do Milho no Brasil XXX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO SALVADOR 5 DE AGOSTO DE 2014 Influência da Safrinha na Eficiência de Produção do Milho no Brasil Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico, Campinas (IAC) Influência

Leia mais

CULTIVARES DE SOJA LICENCIADAS SAFRA SUL 2013/2014. niderasementes.com.br

CULTIVARES DE SOJA LICENCIADAS SAFRA SUL 2013/2014. niderasementes.com.br CULTIVARES DE SOJA LICENCIADAS SAFRA SUL 3/4 niderasementes.com.br Parceria que rende mais. NS4823 A mais precoce do mercado. Resistência ao acamamento. Ótima arquitetura de plantas. Marrom Ereta, porte

Leia mais

LEVANTAMENTO DO USO DE TECNOLOGIAS EM LAVOURAS DE TRIGO TECNICAMENTE ASSISTIDAS NO PARANÁ. Claudia De Mori

LEVANTAMENTO DO USO DE TECNOLOGIAS EM LAVOURAS DE TRIGO TECNICAMENTE ASSISTIDAS NO PARANÁ. Claudia De Mori LEVANTAMENTO DO USO DE TECNOLOGIAS EM LAVOURAS DE TRIGO TECNICAMENTE ASSISTIDAS NO PARANÁ Claudia De Mori HISTÓRICO com a colaboração de profissionais de cooperativas e de empresas de assistência técnica,

Leia mais

08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA

08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA 08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA COM TECNOLOGIA INTACTA RR2 PRO EM DUAS ÉPOCAS DE SEMEADURA O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial produtivo de cultivares de soja disponíveis comercialmente

Leia mais

Milho safrinha se consagra e caracteriza um sistema peculiar de produção

Milho safrinha se consagra e caracteriza um sistema peculiar de produção m a n e j o d a c u lt u r a Evolução Milho safrinha se consagra e caracteriza um sistema peculiar de produção FREEIMAGES / ANDREAS KRAPPWEIS Aildson Pereira Duarte * Brasil cultiva, atualmente, cerca

Leia mais

Manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho

Manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho Manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho Atualmente, pode-se dizer que um dos aspectos mais importantes no manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho refere-se à época de aplicação e

Leia mais

AVALIAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO LONGITUDINAL DE PLANTAS DE MILHO EM DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO

AVALIAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO LONGITUDINAL DE PLANTAS DE MILHO EM DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO AVALIAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO LONGITUDINAL DE PLANTAS DE MILHO EM DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO Morais Carneiro dos Reis (1) ; Gustavo Ferreira de Sousa (1) ; Maila Adriely Silva (1) ; Júlia Camargos da Costa

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. ENSAIO DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA (Glycine Max) NA REGIÃO DO VALE DO ARAGUAIA, SAFRA 2014/2015, EM QUERÊNCIA - MT

RELATÓRIO TÉCNICO. ENSAIO DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA (Glycine Max) NA REGIÃO DO VALE DO ARAGUAIA, SAFRA 2014/2015, EM QUERÊNCIA - MT RELATÓRIO TÉCNICO ENSAIO DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA (Glycine Max) NA REGIÃO DO VALE DO ARAGUAIA, SAFRA 2014/2015, EM QUERÊNCIA - MT Executora: RURAL TÉCNICA EXPERIMENTOS AGRONÔMICOS LTDA Av. Norte,

Leia mais

7 Consórcio. Dino Magalhães Soares Tomás de Aquino Portes

7 Consórcio. Dino Magalhães Soares Tomás de Aquino Portes 7 Consórcio Dino Magalhães Soares Tomás de Aquino Portes 153 Desde quando o consórcio é utilizado no Brasil? O cultivo em consórcio é empregado, na prática, no Brasil, há muito tempo, mas, só a partir

Leia mais

RESULTADOS NA PRODUTIVIDADE

RESULTADOS NA PRODUTIVIDADE RESULTADOS NA PRODUTIVIDADE R e s u l t a d o s d e c a m p o A Agroplanta Fertilizantes sempre acreditou que qualidade é um processo, que vai desde a escolha da matériaprima até equipamentos de alta tecnologia,

Leia mais

Espaçamento alternado e controle de crescimento do feijoeiro com aplicação do fungicida propiconazol

Espaçamento alternado e controle de crescimento do feijoeiro com aplicação do fungicida propiconazol Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 9., 2012, Belo Horizonte Espaçamento alternado e controle de crescimento do feijoeiro com aplicação do fungicida propiconazol Júnio Oliveira Ferreira (1),

Leia mais

Base de dados. Assessoría Agrícola. Produtores do grupo de. Área Total de Soja: has.

Base de dados. Assessoría Agrícola. Produtores do grupo de. Área Total de Soja: has. Eng. Agr. Tilio Lucas 30 de Junho 2015 Base de dados Produtores do grupo de Assessoría Agrícola Área Total de Soja: 7514.93 has. Produtividade do Grupo Grupo Agrícola Área total (ha) Produtividade Sc/ha

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOSTE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENERGIA NA AGRICULTURA - PPGEA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOSTE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENERGIA NA AGRICULTURA - PPGEA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOSTE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENERGIA NA AGRICULTURA - PPGEA CORNELIO PRIMIERI Eng. Agrônomo/Professor/Pesquisador FAG Faculdade Assis Gurgacz

Leia mais

1O que é. A adubação verde é uma prática agrícola utilizada há

1O que é. A adubação verde é uma prática agrícola utilizada há Milton Parron Padovan Rogério Ferreira da Silva Adubação Verde - Opções para Outono/Inverno, Primavera/Verão e Espécies Perenes 1O que é. A adubação verde é uma prática agrícola utilizada há milhares de

Leia mais

DIAGNOSE FOLIAR EM MILHO E SORGO

DIAGNOSE FOLIAR EM MILHO E SORGO I Simpósio Paulista Sobre Nutrição de Plantas Jaboticabal - SP, 15 a 17 de Abril de 2008 DIAGNOSE FOLIAR EM MILHO E SORGO ANTÔNIO MARCOS COELHO ESTRATÉGIAS DE MANEJO PARA ALTA PRODUTIVIDADE João Lorenti

Leia mais

Universidade Federal do Paraná. Programa de Pós-Graduação Ciência do Solo. Prof. Milton F. Moraes. UFPR - Campus Palotina CRESCIMENTO POPULACIONAL

Universidade Federal do Paraná. Programa de Pós-Graduação Ciência do Solo. Prof. Milton F. Moraes. UFPR - Campus Palotina CRESCIMENTO POPULACIONAL Universidade Federal do Paraná Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo PRODUÇÃO AGRÍCOLA FERTILIZANTES & Prof. Milton F. Moraes UFPR - Campus Palotina Programa de Pós-Graduação Ciência do Solo Curitiba-PR,

Leia mais

RESULTADOS DE 2009 CULTIVARES DE TRIGO INDICADAS PARA O PARANÁ E SÃO PAULO. Fevereiro, 2010

RESULTADOS DE 2009 CULTIVARES DE TRIGO INDICADAS PARA O PARANÁ E SÃO PAULO. Fevereiro, 2010 DESEMPENHO DE CULTIVARES DE TRIGO INDICADAS PARA O PARANÁ E SÃO PAULO Fevereiro, 2010 RESULTADOS DE 2009 Rendimento e características agronômicas das cultivares, indicadas pelo zoneamento agrícola, em

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE DE DISPONIBILIZAÇÃO DE POTÁSSIO E FÓSFORO EM SOLOS DE CERRADO COM A UTILIZAÇÃO DO PENERGETIC 4 SAFRAS

ESTUDO DA VIABILIDADE DE DISPONIBILIZAÇÃO DE POTÁSSIO E FÓSFORO EM SOLOS DE CERRADO COM A UTILIZAÇÃO DO PENERGETIC 4 SAFRAS ESTUDO DA VIABILIDADE DE DISPONIBILIZAÇÃO DE POTÁSSIO E FÓSFORO EM SOLOS DE CERRADO COM A UTILIZAÇÃO DO PENERGETIC 4 SAFRAS ANDRÉ L.T. FERNANDES DR. ENGENHARIA DE ÁGUA E SOLO, PROF. UNIUBE E FACULDADES

Leia mais

Tecnologias conjunto de procedimentos adotados no uso e aplicação de inoculantes.

Tecnologias conjunto de procedimentos adotados no uso e aplicação de inoculantes. PROTOCOLO OFICIAL PARA AVALIAÇÃO DA VIABILIDADE E EFICIÊNCIA AGRONÔMICA DE CEPAS, INOCULANTES E TECNOLOGIAS RELACIONADOS AO PROCESSO DE FIXAÇÃO BIOLÓGICA DO NITROGÊNIO EM LEGUMINOSAS. 1. DEFINIÇÕES Para

Leia mais

Aumente o rendimento da soja

Aumente o rendimento da soja Aumente o rendimento da soja Para mais informações contacte: O seu agente de extensão ou Departamento de Formação Documentação e Difusão do IIAM/CZC Contacto: +25123692 Chimoio, Moçambique. 1 Preparação

Leia mais

CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS DE CULTIVARES DE ARROZ IRRIGADO E DE SEQUEIRO RECOMENDADAS PARA O MATO GROSSO DO SUL

CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS DE CULTIVARES DE ARROZ IRRIGADO E DE SEQUEIRO RECOMENDADAS PARA O MATO GROSSO DO SUL Nº. 7, set./94, p.1-5 CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS DE CULTIVARES DE ARROZ IRRIGADO E DE SEQUEIRO RECOMENDADAS PARA O MATO GROSSO DO SUL João Carlos Heckler¹ Carlos Ricardo Fietz² Reinaldo Bazoni³ 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DAS CULTIVARES DE ARROZ IRRIGADO INDICADAS PARA SEMEIO NA SAFRA 2009/10 EM RORAIMA

CARACTERÍSTICAS DAS CULTIVARES DE ARROZ IRRIGADO INDICADAS PARA SEMEIO NA SAFRA 2009/10 EM RORAIMA CARACTERÍSTICAS DAS CULTIVARES DE ARROZ IRRIGADO INDICADAS PARA SEMEIO NA SAFRA 2009/10 EM RORAIMA Antonio Carlos Centeno Cordeiro Eng. Agr. Dr. Pesquisador da Embrapa Roraima Em Roraima, o agronegócio

Leia mais

4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira. Fazenda Quizenga

4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira. Fazenda Quizenga 4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira Fazenda Quizenga Sistematização da área Conservam a cobertura vegetal do solo É essencial para correcções de áreas íngremes Conservar

Leia mais

Dispêndios com Inseticidas, Fungicidas e Herbicidas na Cultura do Milho no Brasil,

Dispêndios com Inseticidas, Fungicidas e Herbicidas na Cultura do Milho no Brasil, Dispêndios com Inseticidas, Fungicidas e Herbicidas na Cultura do Milho no Brasil, 2000-20009 Alfredo Tsunechiro, Célia R. R. P. T. Ferreira e Maximiliano Miura Instituto de Economia Agrícola (IEA) Caixa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Centro de Ciências Rurais. Núcleo de Pesquisas em Práticas Culturais e Ecofisiologia

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Centro de Ciências Rurais. Núcleo de Pesquisas em Práticas Culturais e Ecofisiologia UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Centro de Ciências Rurais Núcleo de Pesquisas em Práticas Culturais e Ecofisiologia População de plantas para maximização de rendimentos em soja Lucio Zabot Santa Maria,

Leia mais

ADUBOS FLUÍDOS (líquidos)

ADUBOS FLUÍDOS (líquidos) Universidade Federal do Paraná Departamento de Solos e Engenharia Agrícola Volnei Pauletti ADUBOS FLUÍDOS (líquidos) Conceitos Uso Vantagens Matérias primas Fabricação 1 Adubos líquidos ou fluídos: CONCEITOS

Leia mais

Agentes causadores. Mecanização agrícola. Compactação sob as rodas dos veículos distribuição de pressão no solo.

Agentes causadores. Mecanização agrícola. Compactação sob as rodas dos veículos distribuição de pressão no solo. Agentes causadores Mecanização agrícola Compactação sob as rodas dos veículos distribuição de pressão no solo. Peso do veículo que determinará o total da força exercida Tamanho da área de contato entre

Leia mais

Fisiologia. Agostinho Dirceu Didonet Milene Alves de Figueiredo Carvalho

Fisiologia. Agostinho Dirceu Didonet Milene Alves de Figueiredo Carvalho 3 Fisiologia Agostinho Dirceu Didonet Milene Alves de Figueiredo Carvalho 31 Qual é a diferença entre potencial de rendimento e rendimento potencial? O potencial de rendimento é a capacidade máxima de

Leia mais

CULTIVARES DE SOJA I N D I C A D A S P A R A

CULTIVARES DE SOJA I N D I C A D A S P A R A D E S E M P E N H O D E CULTIVARES DE SOJA I N D I C A D A S P A R A O R I O G R A N D E D O S U L Julho, 2013 RESULTADOS DE 2012 2013 Rendimento e características agronômicas das cultivares, indicadas

Leia mais

Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09

Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09 Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09 Alberto Francisco Boldt; Engenheiro agrônomo, pesquisador do Instituto Mato-Grossense do Algodão IMAmt; Caixa Postal: 149, CEP 78.850-000;

Leia mais

Características e Desempenho Produtivo de Cultivares de Arroz de Terras Altas Recomendadas para Roraima

Características e Desempenho Produtivo de Cultivares de Arroz de Terras Altas Recomendadas para Roraima Características e Desempenho Produtivo de Cultivares de Arroz de Terras Altas Recomendadas para Roraima Antonio Carlos Centeno Cordeiro. Eng. Agr. Dr. Pesquisador da Embrapa Roraima Em Roraima, o cultivo

Leia mais

6 Práticas Culturais

6 Práticas Culturais CULTURA DO ARROZ 6 Práticas Culturais A produção de arroz no Brasil é feita em dois grandes sistemas: - Terras altas - Várzeas Incluindo diversas modalidades de cultivo. Cultivo irrigado com irrigação

Leia mais

Estimativa do Custo de Produção de Soja, Safra 2004/05, para Mato Grosso do Sul e Mato Grosso

Estimativa do Custo de Produção de Soja, Safra 2004/05, para Mato Grosso do Sul e Mato Grosso 90 ISSN 1679-0472 Setembro, 2004 Dourados, MS Fotos: Silvio Ferreira Estimativa do Custo de Produção de Soja, Safra 2004/05, para Mato Grosso do Sul e Mato Grosso 1 Geraldo Augusto de Melo Filho 2 Alceu

Leia mais

MATERIAL TÉCNICO aminoácidos + micronutrientes CANA-PLANTA

MATERIAL TÉCNICO aminoácidos + micronutrientes CANA-PLANTA MATERIAL TÉCNICO aminoácidos + micronutrientes CANA-PLANTA TRATAMENTO EM CANA-PLANTA objetivos oferecer produtos que estimulem a emissão de raízes iniciais do tolete; aumentar a velocidade de brotação

Leia mais

Apresentação Case Campeão de Produtividade da Região Norte/Nordeste e Nacional Plínio Itamar de Souza (Ph.D.), Pesquisador de Soja Membro do CESB e

Apresentação Case Campeão de Produtividade da Região Norte/Nordeste e Nacional Plínio Itamar de Souza (Ph.D.), Pesquisador de Soja Membro do CESB e Apresentação Case Campeão de Produtividade da Região Norte/Nordeste e Nacional Plínio Itamar de Souza (Ph.D.), Pesquisador de Soja Membro do CESB e Consultor da ABRASEM Safra 2011/2012 Dados do Participante

Leia mais

Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Trigo 2012

Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Trigo 2012 09 Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Trigo 01 Introdução A falta de uma política de incentivo à triticultura nacional, a altura da importância que o produto tem para o Brasil e que

Leia mais

AS RELAÇÕES ENTRE MACRONUTRIENTES E MICRONUTRIENTES E A FERTILIDADE DO SOLO Pedro Lopes Ferlini Salles Orientadora: Marisa Falco Fonseca Garcia

AS RELAÇÕES ENTRE MACRONUTRIENTES E MICRONUTRIENTES E A FERTILIDADE DO SOLO Pedro Lopes Ferlini Salles Orientadora: Marisa Falco Fonseca Garcia AS RELAÇÕES ENTRE MACRONUTRIENTES E MICRONUTRIENTES E A FERTILIDADE DO SOLO Pedro Lopes Ferlini Salles Orientadora: Marisa Falco Fonseca Garcia Coorientador: Flávio Ferlini Salles RELEVÂNCIA O solo é importante

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE AVEIA BRANCA (Avena sativa) NA REGIÃO SUL DE MATO GROSSO DO SUL, SAFRAS 1997 E 1998

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE AVEIA BRANCA (Avena sativa) NA REGIÃO SUL DE MATO GROSSO DO SUL, SAFRAS 1997 E 1998 ISSN 0104-5164 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Emrapa Agropecuária Oeste Ministério da Agricultura e do Aastecimento BR 163, km 253,6 - Trecho Dourados-Caarapó km 5 Caixa Postal 661 79804-970

Leia mais

Parcerias que semeiam crescimento.

Parcerias que semeiam crescimento. Parcerias que semeiam crescimento. Catálogo 6 Soja SEMEANDO O FUTURO DESDE 1856 KWS Catálogo de Soja 6 1 A KWS Sementes vem acompanhando a evolução do mercado e a cada safra traz mais novidades para seus

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO E DA UTILIZAÇÃO DE NUTRIENTES PELO AMENDOIM

AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO E DA UTILIZAÇÃO DE NUTRIENTES PELO AMENDOIM AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO E DA UTILIZAÇÃO DE NUTRIENTES PELO AMENDOIM C.T. FEITOSA Seção de Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas - IAC - C.P. 28, CEP: 13001-970 - Campinas,SP. S.S.S. NOGUEIRA Seção

Leia mais

DOSES DE SILICATO DE CÁLCIO NA PRODUTIVIDADE E NAS CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS DA SOJA

DOSES DE SILICATO DE CÁLCIO NA PRODUTIVIDADE E NAS CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS DA SOJA 6ª Jornada Científica e Tecnológica e 3º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 04 e 05 de novembro de 2014, Pouso Alegre/MG DOSES DE SILICATO DE CÁLCIO NA PRODUTIVIDADE E NAS CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS

Leia mais

OFCINA 08 - SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE GRÃOS SOB IRRIGAÇÃO

OFCINA 08 - SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE GRÃOS SOB IRRIGAÇÃO XXII CONGRESSO NACIONAL DE IRRIGAÇÃO E DRENAGEM Cascavel - PR, 04 a 09 de Novembro de 2012 OFCINA 08 - SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE GRÃOS SOB IRRIGAÇÃO ANTÔNIO M. COELHO Engº Agrº PhD Pesquisador de Embrapa

Leia mais

Adubação de Lavouras Podadas. Alysson Vilela Fagundes Eng. Agr.Fundação Procafé

Adubação de Lavouras Podadas. Alysson Vilela Fagundes Eng. Agr.Fundação Procafé Adubação de Lavouras Podadas Alysson Vilela Fagundes Eng. Agr.Fundação Procafé Aspectos relevantes e indispensáveis 1. Tipos de Podas Critérios básicos para o sucesso das podas 2. Adubação do cafeeiro

Leia mais

CULTIVARES DE SOJA. BAHIA Safra 2011/12. Soja. Transferência de Tecnologia

CULTIVARES DE SOJA. BAHIA Safra 2011/12. Soja. Transferência de Tecnologia Soja Rod. Carlos João Strass, s/n, acesso Orlando Amaral Distrito de Warta, CP 231, CEP 86001-970, Londrina, PR Fone (43) 3371 6000 Fax (43) 3371 6100 www.cnpso.embrapa.br sac@cnpso.embrapa.br Transferência

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA DA SOJA. Material e Métodos. Sementes (Brasil, 2009.

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA DA SOJA. Material e Métodos. Sementes (Brasil, 2009. 1 02 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA Objetivo Este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito do vigor de sementes de soja na produtividade BOLETIM Material

Leia mais

Milho. Instruções agrícolas para as principais culturas econômicas. Zea mays L.

Milho. Instruções agrícolas para as principais culturas econômicas. Zea mays L. Zea mays L. Gramínea anual da família Poaceae, originária do México, anual, com 1,5 a 3,0 m de altura no florescimento, cultivada no verão e na segunda safra (milho safrinha). O consumo dos grãos pode

Leia mais

GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 1

GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 1 GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 1 CREDENZ é a Bayer inteira voltada para o seu negócio. Credenz é a marca de sementes da Bayer que já nasceu trazendo toda a credibilidade que a marca Bayer tem, e

Leia mais

LINHA CO N DIC IO NAD O R D E S O LO E

LINHA CO N DIC IO NAD O R D E S O LO E LINHA CO N DIC IO NAD O R D E S O LO E F E RT I L I ZAN TE S O R GAN O M I N E R AI S LINHA ORGAMAX Os produtos da linha ORGAMAX são classificados em dois grupos de fertilizantes: condicionadores de solos

Leia mais

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015 EFEITO DO PENERGETIC P e K NA CULTURA DO ALGODÃO Fabiano Andrei Bender da Cruz. Pesquisador/Consultor Fundação Bahia, Engo. Agro. Dr. CREA 1406202312/MG. Aline Fabris. Estagiária, Acadêmica do Curso de

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM CASTRO-PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM CASTRO-PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM CASTRO-PR Foi realizado no dia 09 de julho de 2012 em Castro (PR), o painel de custos de produção de grãos. A pesquisa faz parte do Projeto Campo Futuro da Confederação da

Leia mais

6.4 CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS

6.4 CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS 6.4 CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS Prejuízos: -Competição por água; -Competição por luz; -Competição por nutrientes; -Hospedeiros de pragas e doenças; -Interferência na operação de colheita. Período de competição:

Leia mais

DominiSolo. Empresa. A importância dos aminoácidos na agricultura. Matérias-primas DominiSolo para os fabricantes de fertilizantes

DominiSolo. Empresa. A importância dos aminoácidos na agricultura. Matérias-primas DominiSolo para os fabricantes de fertilizantes DominiSolo Empresa A DominiSolo é uma empresa dedicada à pesquisa, industrialização e comercialização de inovações no mercado de fertilizantes. Está localizada no norte do Estado do Paraná, no município

Leia mais

Soja: Lavoura mais produtiva e 06 Tolerante à Seca

Soja: Lavoura mais produtiva e 06 Tolerante à Seca Soja: Lavoura mais produtiva e 06 à Seca 1 1 Carlos Pitol 2 2 Carlos Pitol Dirceu Dirceu Luiz Broch Luiz Broch 6.1. Introdução A soja é reconhecida como uma cultura muito tolerante à seca, em comparação

Leia mais

PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1. Priscila Maria Silva Francisco

PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1. Priscila Maria Silva Francisco Página 1075 PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1 Jefferson Luis Anselmo 1 ; Denis Santiago da Costa; Thiago Zago Leonel; Fábio da Silva

Leia mais

Departamento do Agronegócio Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade

Departamento do Agronegócio Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade O Mundo atravessa um período de aumento expressivo do consumo de alimentos, impulsionado pela melhora da renda das famílias dos

Leia mais

TÉCNICA CULTURAL PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES

TÉCNICA CULTURAL PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES 1 TÉCNICA CULTURAL PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES 1. Introdução Silvio Moure Cicero Instalação de campos de produção de sementes requer planejamento muito criterioso: diferentes espécies requerem técnicas especiais;

Leia mais

Resposta a Inoculação de Estirpes de Azospirillum brasilense na Cultura do Milho na Região Oeste do Paraná

Resposta a Inoculação de Estirpes de Azospirillum brasilense na Cultura do Milho na Região Oeste do Paraná XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 1 Resposta a Inoculação de Estirpes de Azospirillum brasilense na Cultura do Milho na Região Oeste do Paraná Artur

Leia mais

Rendimento de arroz RS Fonte:Irga % % % %

Rendimento de arroz RS Fonte:Irga % % % % 1, 1, 1,,,,,, 9 93 9 9 9 97 9 99 1 3 7 3,,, 1, 1,,, Produtividade t/ha Produtividade t/ha Adubação do arroz irrigado como fator de produtividade X ENTEC Eng o. Agr o. Rodrigo Schoenfeld kg/ha 9 3 +7 3%

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR Foi realizado no dia 10 de julho de 2012 em Guarapuava (PR), o painel de custos de produção de grãos. A pesquisa faz parte do Projeto Campo Futuro da Confederação

Leia mais

Uma das maneiras de reduzir os efeitos da

Uma das maneiras de reduzir os efeitos da Uma das maneiras de reduzir os efeitos da baixa disponibilidade de forragem sobre o desempenho dos animais é conservar a forragem de uma estação de crescimento para períodos de escassez de alimentos. A

Leia mais

NODULAÇÃO E CRESCIMENTO DE PLANTAS DE SOJA COM USO DE INOCULANTE ASSOCIADO A APLICAÇÃO DE NITROGÊNIO, INSETICIDA E FUNGICIDA NA SEMENTE

NODULAÇÃO E CRESCIMENTO DE PLANTAS DE SOJA COM USO DE INOCULANTE ASSOCIADO A APLICAÇÃO DE NITROGÊNIO, INSETICIDA E FUNGICIDA NA SEMENTE NODULAÇÃO E CRESCIMENTO DE PLANTAS DE SOJA COM USO DE INOCULANTE ASSOCIADO A APLICAÇÃO DE NITROGÊNIO, INSETICIDA E FUNGICIDA NA SEMENTE Joel Hennecka 1, Gelson Kunst 1, Danilo Pavan 1, Rogério Klein 1,

Leia mais

Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente

Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 9., 2, Belo Horizonte 1 Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente Carlos Henrique

Leia mais

PRODUTIVIDADE E RETORNO ECONÔMICO DO MILHO EM FUNÇÃO DO TRATAMENTO DE SEMENTES COM ACETATO DE ZINCO AMONIACAL

PRODUTIVIDADE E RETORNO ECONÔMICO DO MILHO EM FUNÇÃO DO TRATAMENTO DE SEMENTES COM ACETATO DE ZINCO AMONIACAL PRODUTIVIDADE E RETORNO ECONÔMICO DO MILHO EM FUNÇÃO DO TRATAMENTO DE SEMENTES COM ACETATO DE ZINCO AMONIACAL Tatiane Krein 2, Tadeu.Takeyoshi Inoue 1, Beatriz Kraemer 3, André Hipolito Xavier 4, Lucas

Leia mais

Biofábricas: o potencial de uso de microrganismos em agricultura

Biofábricas: o potencial de uso de microrganismos em agricultura Biofábricas: o potencial de uso de microrganismos em agricultura Eng. Agr. Solon C. de Araujo Consultor da ANPII Apresentado no V Simpósio Brasileiro de Microbiologia Aplicada. UFRGS, setembro 2011 Biofábricas

Leia mais