Campos Safra 14/15. Programa Nutricional Produquimica Regional Goiás/DF

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Campos Safra 14/15. Programa Nutricional Produquimica Regional Goiás/DF"

Transcrição

1 Campos Safra 14/15 Programa Nutricional Produquimica /DF

2 Produquimica Germinação em canteiro Padrão Produtor Top 5 Novembro/ Top 5: Sementes Produtiva Tratamento de Sementes Sementes Produtiva Formosa/GO Parceria realizada com a SeedCorp, foi iniciado na Fazenda Cereal Citrus o campo Top 5 que objetiva que o cliente conheça os efeitos dos principais produtos da Produquímica, na forma de Programa Nutricional, desenvolvido especialmente para sementeiras, visando além do ganho de produtividade, a qualidade da semente. No dia 03/11/, foi realizado nas dependências da Fazenda Cereal Citrus o tratamento de sementes para o campo Top 5. Na ocasião estavam presente o Consultor de Desenvolvimento Técnico da Produquimica Caio Alves e o Gerente Agrícola Daniel, assim como outros funcionários da empresa. Nos tratamentos usou-se como fonte de inoculante o produto CCAB (CCAB Agro), como inseticida o Salasat (Fipronil) na dose de 10 g ha -1 e como fungicidas Cruiser 350 FS (Syngenta) na dose de 200 ml ha -1 e Maxin Advanced (Syngenta) na dose de 200 ml ha -1, além de Trichoderma na dose de 20 g ha -1. No tratamento padrão do produtor a fonte de Níquel, Cobalto e Molibdênio foi o Solutech CoMo Ni (Solutech) Co: 1%, Mo: 10% e Ni: 1% - (200 ml ha -1 ), e no tratamento PRODUQUIMICA foram utilizados os produtos NiCoMo Dry (100 g ha -1 ), e o Improver (120 ml ha -1 ), bioestimulante a base de extrato de alga Ascophyllum nodosum, dando todas condições da semente germinar e a plântula emergir mais vigorosa. A variedade utilizada na área foi a Desafio e plantio foi realizado na manhã do dia 04/11/, em uma aréa sob irrigação via Pivôt Central, ao lado da sede da fazenda. Sementes Tratadas NiCoMo Dry: ph ~7,0 Solutech CoMo Ni: ph ~ 6,0

3 ph da calda ~ 5,0 Ação Top 5 Dezembro/ Top 5: Fazenda Cereal Citrus Primeira Aplicação Sementes Produtiva Formosa/GO Preparo da Calda No dia 10/12/, aos 36 DAS (Dias Após a Semeadura) foi realizado nas dependências da Fazenda Cereal Citrus, a primeira pulverização foliar no campo implantado com o PNP (Programa Nutricional Produquimica). No preparo da calda usou-se como herbicida o Zapp Qi 620 (Syngenta), que tem como princípio ativo Glifosato com equivalente em ácido de 50% m/v na dose de 2,0 l ha -1, o óleo mineral Assist (BASF) 75,6% m/v, na dose de 100 ml ha -1 e adjuvante Solutech Redutech na dose de 50 ml ha -1. No PNP os produtos utilizados foram o Kellus INOX (400 g ha -1 ) que contém 9% de Manganês, 3% de Zinco e 1% de Cobre, com todos micronutrientes quelatizados com EDTA, garantindo total compatibilidade com os defensivos agrícolas usados, além de fornecer um balanço adequado para cultura e promover respostas fisiológicas; 0 NiCoMo Dry (100 g ha -1 ), que visa potencializar o processo de Fixação Biológica do Nitrogênio através do fornecimento dos micronutrientes que na FBN estão envolvidos, o Níquel como constituinte da enzima Urease, Cobalto que é um cofator da produção da Vitamina B12, necessárias à síntese da leghemoglobina, que transporta O2 para os nódulos e o Molibdênio, constituinte da enzima Nitrogenase; outro benefício importante que o Níquel e Cobalto traz é a redução na síntese de etileno, hormônio responsável pela senescência, com essa redução as folhas do baixeiro permanecem verdes e fotossintéticamente ativas por mais tempo; e o Concorde, fonte de aminoácidos e nutrientes, fornecendo energia pronta para as plantas, na dose de 1,5 l ha -1. Defensivos utilizados

4 Top 5 Novembro/ Top 5: Sementes Produtiva Tratamento de Sementes Sementes Produtiva Formosa/GO Parceria realizada com a SeedCorp, foi iniciado na Fazenda Grão Citrus o campo Top 5 que objetiva que o cliente conheça os efeitos dos principais produtos da Produquímica, na forma de Programa Nutricional, desenvolvido especialmente para sementeiras, visando além do ganho de produtividade, a qualidade da semente. No dia 03/11/, foi realizado nas dependências da Fazenda Grãos Citrus o tratamento de sementes para o campo Top 5. Na ocasião estavam presente o Consultor de Desenvolvimento Técnico da Produquimica Caio Alves e o Gerente Agrícola Daniel, assim como outros funcionários da empresa. Nos tratamentos usou-se como fonte de inoculante o produto CCAB (CCAB Agro), como inseticida o Salasat (Fipronil) na dose de ml ha -1 e como fungicidas Thimetoxan (Syngenta) na dose de e Maxin Advanced (Syngenta) na dose de, além de Trichoderma na dose de No tratamento padrão do produtor a fonte de Níquel, Cobalto e Molibdênio foi o Solutech CoMo Ni (Solutech) Co: 1%, Mo: 10% e Ni: 1% - (ml ha -1 ), e no tratamento PRODUQUIMICA foram utilizados os produtos NiCoMo Dry (100 g ha -1 ), e o Improver (120 ml ha -1 ), bioestimulante a base de extrato de alga Ascophyllum nodosum, dando todas condições da semente germinar e a plântula emergir mais vigorosa. A variedade utilizada na área foi a Desafio e plantio foi realizado na manhã do dia 04/11/, em uma aréa sob irrigação via Pivôt Central, ao lado da sede da fazenda. Sementes Tratadas NiCoMo Dry + Improver Nódulos

5 Ação TOP 5 TOP 5: Fazenda Santa Martha Primeira Aplicação Produtor: Leonardo Titoto- Bom Jesus de /GO Selecionada entre os cinco principais produtores do Estado de e Distrito Federal, foi iniciado na Fazenda Santa Martha o campo Top 5 que objetiva que o Produtor conheça os efeitos dos principais produtos da Produquímica, na forma de Programa Nutricional, posicionados corretamente, para atender as necessidades nutricionais da cultura da soja. No dia 02/12/, aos 28 DAS (Dias Após a Semeadura) foi realizado nas dependências da Fazenda Santa Martha, a primeira pulverização foliar no campo implantado com o PNP (Programa Nutricional Produquimica). A cultura encontrava-se em V4/5. No preparo da calda usou-se como herbicida o Glizmax (Dow AgroSciences), que tem como princípio ativo Glifosato com equivalente em ácido de 48% m/v na dose de 1,8 l ha -1 e o inseticida Nomolt 150 (BASF) que tem como princípio ativo Teflubenzurom 15 % m/v, na dose de 100 ml ha -1 e o adjuvante Tornado Super na dose de 20 ml ha -1. No tratamento padrão o produto utilizado foi o Mantrac Pro (Yara) que contém 27,4% de Manganês como Carbonato de Manganês. No PNP os produtos utilizados foram o Kellus INOX (500 g ha -1 ) que contém 9% de Manganês, 3% de Zinco e 1% de Cobre, com todos micronutrientes quelatizados com EDTA, garantindo total compatibilidade com os defensivos agrícolas usados, além de fornecer um balanço adequado para cultura e promover respostas fisiológicas; 0 NiCoMo Dry (150 g ha -1 ), que visa potencializar o processo de Fixação Biológica do Nitrogênio através do fornecimento dos micronutrientes que na FBN estão envolvidos, o Níquel como constituinte da enzima Urease, Cobalto que é um cofator da produção da Vitamina B12, necessárias à síntese da leghemoglobina, que transporta O2 para os nódulos e o Molibdênio, constituinte da enzima Nitrogenase. Outro benefício importante que o Níquel e Cobalto traz é a redução na síntese de etileno, hormônio responsável pela senescência; com essa redução as folhas do baixeiro permanecem verdes e fotossintéticamente ativas por mais tempo e o Concorde, fonte de aminoácidos e nutrientes, fornecendo energia pronta para as plantas, na dose de 1.0 l ha -1. Dezembro/ Defensivos Utilizados Produtos PNP

6 Top 5 Novembro/ Top 5: Faz. Piscamba Tratamento de Semente e Plantio Fazenda Piscamba Cristalina/GO Selecionada entre os cinco principais produtores do Estado de e Distrito Federal, foi iniciado na Fazenda Piscamba o campo Top 5 que objetiva que o Produtor conheça os efeitos dos principais produtos da Produquímica, na forma de Programa Nutricional, posicionados corretamente, para atender as necessidades nutricionais da cultura da soja. No dia 08/11/, foi realizado nas dependências da Fazenda Piscamba, do produtor Geraldo Figueiredo o tratamento de sementes e o plantio do campo Top 5. Na ocasião estavam presente o Consultor de Desenvolvimento Técnico da Produquimica Caio Alves, RTV Fernando Simão e o Gerente Agrícola Winder, assim como outros funcionários da empresa. Nos tratamentos usou-se como fungicida Certeza (Ihara) na dose de 150 ml ha -1. No tratamento PRODUQUIMICA, além do Certeza, usouse o inseticida Demarcor (DuPont) na dose de 75 ml ha -1. No tratamento padrão do produtor a fonte de Co e Mo foi o Bagual Seeds (Biovvigor) Co: 1%, Mo: 10%, Zn: 2%, B: 0,5% e S: 1,6% - (75 ml ha -1 ) além do enraizador Torckk (Biovvigor) na dose de 150 ml ha -1, e no tratamento PRODUQUIMICA foram utilizados os produtos NiCoMo Dry (100 g ha -1 ), que além de conter todos os benefícios já conhecidos que o Co e Mo traz, contém o Níquel, elemento essencial, constituinte da enzima Nitrogenase presente nos nódulos, que intensifica o processo de Fixação Biológica do Nitrogênio e o Improver (120 ml ha -1 ), bioestimulante a base de extrato de alga Ascophyllum nodosum, dando todas condições da semente germinar e a plântula emergir mais vigorosa. A variedade utilizada na área foi a Potência. ph NiCoMo Dry x Bagual Seeds NiCoMo Dry ph ~ 7,0 Bagual Seeds ph ~ 5-6

7 Campo Produquimica: Fazenda Peitoral 1ª Aplicação Fazenda Peitoral Rio Verde/GO Parceria realizada com a SeedCorp, foi iniciado na Fazenda Peitoral o campo que objetiva que o cliente conheça os efeitos dos principais produtos da Produquímica, na forma de Programa Nutricional (PNP), desenvolvido especialmente para sementeiras, visando além do ganho de produtividade, a qualidade da semente. No dia 27/11/, foi realizado nas dependências da Fazenda Peitoral, proprietário Marcos Dewes, a primeira aplicação foliar. Na ocasião estavam presente o Consultor de Desenvolvimento Técnico da Produquimica Caio Alves e o Gerente Agrícola Francisco, assim como outros funcionários da fazenda. A cultura encontra-se em V4/5. No PNP os produtos utilizados foram o Kellus INOX (500 g ha -1 ) que contém 9% de Manganês, 3% de Zinco e 1% de Cobre, com todos micronutrientes quelatizados com EDTA, garantindo total compatibilidade com os defensivos agrícolas usados, além de fornecer um balanço adequado para cultura e promover respostas fisiológicas; e 0 NiCoMo Dry (150 g ha -1 ), que visa potencializar o processo de Fixação Biológica do Nitrogênio através do fornecimento dos micronutrientes que na FBN estão envolvidos, o Níquel como constituinte da enzima Urease, Cobalto que é um cofator da produção da Vitamina B12, necessárias à síntese da leghemoglobina, que transporta O2 para os nódulos e o Molibdênio, constituinte da enzima Nitrogenase. Outro benefício importante que o Níquel e Cobalto traz é a redução na síntese de etileno, hormônio responsável pela senescência; com essa redução as folhas do baixeiro permanecem verdes e fotossintéticamente ativas por mais tempo.

8 Campo Produquimica: Fazenda Peitoral 2ª Aplicação Fazenda Peitoral Rio Verde/GO No dia 03/12/, foi realizado nas dependências da Fazenda Peitoral, proprietário Marcos Dewes, a segunda aplicação foliar. Na ocasião estavam presente o Consultor de Desenvolvimento Técnico da Produquimica Caio Alves e o Gerente Agrícola Francisco, assim como outros funcionários da fazenda. A cultura encontra-se em R1/2 e a aplicação ocorreu às 17 horas com ventos moderados e céu parcialmente nublado. O pulverizador utilizado tinha capacidade para realizar a aplicação em 20 hectares com u volume de aplicação de 100 l ha -1. No PNP os produtos utilizados foram o Profol Produtividade (1 Kg ha -1 ), que contém 10 % de Potássio, 12,3 % de Enxofre, 1,5% de Magnésio, 1,5% de Boro, 0,5% de Cobre, 14% de Manganês e 4,5% de Zinco, em diferentes fontes, fornecendo um balanço adequado para a cultura da soja, atendo assim sua demanda nutrucional momentânea, além de ser um produto de alta solubilidade e de fácil mistura; o Profol Sais CaB (1 Kg ha -1 ), visando aumentar o pegamento floral e consequentemente o maior número de vagens e grãos; o Improver (0,3 l ha -1 ), extrato de alga Ascophyllum nodosum, que dá condições para a planta produzir seus próprios fitohormônios de forma natural e num balanço adequado para o momento além de também ajudar no pegamento floral, e o adjuvante multifuncional Triunfo Neutrum (60 ml ha -1 ), que além de condicionar a água, reduz a possibilidade de derivas, tem efeito tensoativo melhorando a absorção dos produtos aplicados e diminuindo a formação de espuma ou quebra rapidamente da espuma formada.

Campeão da Região Sudeste. (Produtor) (Consultor) (Estudo de caso) (Relator)

Campeão da Região Sudeste. (Produtor) (Consultor) (Estudo de caso) (Relator) Campeão da Região Sudeste (Produtor) (Consultor) (Estudo de caso) (Relator) Produtor: Ivaldo Lemes da Costa Consultor: Cleber Longhin Cultura: SOJA Propriedade Agrícola: Sítio Matarazzo Município: Itapetininga/SP

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS EM FERTILIZANTES. Uréia revestida com boro e cobre

NOVAS TECNOLOGIAS EM FERTILIZANTES. Uréia revestida com boro e cobre Universidade Federal do Paraná Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo NOVAS TECNOLOGIAS EM FERTILIZANTES Prof. Milton F. Moraes UFPR - Campus Palotina Programa de Pós-Graduação Ciência do Solo Curitiba-PR,

Leia mais

Inovações em nutrição via sementes

Inovações em nutrição via sementes II Encontro Nacional da Soja: Rio Verde, 11 de setembro de 2015 Inovações em nutrição via sementes Eng. Agro, M.Sc. Ithamar Prada Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento DESAFIO DA AGRICULTURA - POTENCIAL

Leia mais

Adubação de Plantas Ornamentais. Professora Juliana Ferrari

Adubação de Plantas Ornamentais. Professora Juliana Ferrari Adubação de Plantas Ornamentais Professora Juliana Ferrari Indícios que a planta pode precisar de nutrientes O crescimento se torna lento; Adubação É o método de corrigir as deficiências de nutrientes

Leia mais

4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira. Fazenda Quizenga

4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira. Fazenda Quizenga 4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira Fazenda Quizenga Sistematização da área Conservam a cobertura vegetal do solo É essencial para correcções de áreas íngremes Conservar

Leia mais

Novidades tecnológicas apresentada no Dia do Produtor no 48 Congresso Brasileiro de Olericultura Maringá (PR) 27 de julho a 01 de agosto de 2008

Novidades tecnológicas apresentada no Dia do Produtor no 48 Congresso Brasileiro de Olericultura Maringá (PR) 27 de julho a 01 de agosto de 2008 MICROQUÍMICA Novidades tecnológicas apresentada no Dia do Produtor no 48 Congresso Brasileiro de Olericultura Maringá (PR) 27 de julho a 01 de agosto de 2008 O que é ACADIAN? Derivado da Ascophyllum nodosum:

Leia mais

Produtor: Edson Agnes Relator/consultor: Eng Agr M.Sc. Maurício Sanches. Revisores Eng. Agr. Henry Sako Prof. Dr. Antonio Luiz Fancelli

Produtor: Edson Agnes Relator/consultor: Eng Agr M.Sc. Maurício Sanches. Revisores Eng. Agr. Henry Sako Prof. Dr. Antonio Luiz Fancelli Produtor: Edson Agnes Relator/consultor: Eng Agr M.Sc. Maurício Sanches Revisores Eng. Agr. Henry Sako Prof. Dr. Antonio Luiz Fancelli Produtividade (/ha) 141,79 108,35 100,63 108,71 110,55 117,33 120,07

Leia mais

EXPERIMENTO MELANCIA TOP GUN COM AGROSTEMIN HORTICULTURA - URUANA GOIÁS

EXPERIMENTO MELANCIA TOP GUN COM AGROSTEMIN HORTICULTURA - URUANA GOIÁS EXPERIMENTO MELANCIA TOP GUN COM AGROSTEMIN HORTICULTURA - URUANA GOIÁS 2012 - AGRADECIMENTOS Especiais agradecimentos pelo apoio e pela colaboração na implementação e condução do presente experimento

Leia mais

MATERIAL TÉCNICO aminoácidos + micronutrientes CANA-PLANTA

MATERIAL TÉCNICO aminoácidos + micronutrientes CANA-PLANTA MATERIAL TÉCNICO aminoácidos + micronutrientes CANA-PLANTA TRATAMENTO EM CANA-PLANTA objetivos oferecer produtos que estimulem a emissão de raízes iniciais do tolete; aumentar a velocidade de brotação

Leia mais

Fitofortificante INFORME TÉCNICO

Fitofortificante INFORME TÉCNICO Fitofortificante INFORME TÉCNICO GREETNAL WIZ GREETNAL WIZ Extracto de algas GREETNAL WIZ é um extracto puro de algas (Ascophyllum nodosum) procedentes das costas do Atlântico Norte. GREETNAL WIZ proporciona

Leia mais

13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA

13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA 13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA FOLIAR APLICADOS NA SOJA EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo neste trabalho foi testar e avaliar o programa de nutrição foliar recomendado pela empresa Helena

Leia mais

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA 18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA APLICAÇÃO DE MACRONUTRIENTES EM PÓS- EMERGÊNCIA DA CULTURA O objetivo neste trabalho foi avaliar a aplicação de macronutrientes de diversas fontes e épocas de aplicação

Leia mais

Insumos Agropecuários: Fertilizantes. Cadeias Produtivas Agrícolas

Insumos Agropecuários: Fertilizantes. Cadeias Produtivas Agrícolas Insumos Agropecuários: Fertilizantes Cadeias Produtivas Agrícolas Insumos Agropecuários Segundo dados da Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários, o mercado distribuidor

Leia mais

MANEJO DA ADUBAÇÃO. Prof. Dr. Danilo Eduardo Rozane.

MANEJO DA ADUBAÇÃO. Prof. Dr. Danilo Eduardo Rozane. CURSO DE FORMAÇÃO DE RESPONSÁVEIS TÉCNICOS E AUDITORES EM PI MÓDULO GOIABA CATI - CAMPINAS 07 a 11 de novembro de 2011 MANEJO DA ADUBAÇÃO Prof. Dr. Danilo Eduardo Rozane danilorozane@registro.unesp.br

Leia mais

MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO

MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO O laudo (Figura 1) indica os valores determinados no laboratório para cada camada do perfil do solo, servindo de parâmetros para direcionamento de métodos corretivos. Figura

Leia mais

ABSORÇÃO FOLIAR. Prof. Josinaldo Lopes Araujo. Plantas cultivadas dividem-se em: Folhas Caule Raízes

ABSORÇÃO FOLIAR. Prof. Josinaldo Lopes Araujo. Plantas cultivadas dividem-se em: Folhas Caule Raízes ABSORÇÃO FOLIAR Prof. Josinaldo Lopes Araujo 1 INTRODUÇÃO Plantas cultivadas dividem-se em: Folhas Caule Raízes Cada parte tem uma função definida As folhas absorvem água e nutrientes Porque essa capacidade?

Leia mais

Técnicas de Experimentação Agrícola

Técnicas de Experimentação Agrícola ProSavana Programa Especial de Capacitação e Treinamento Técnicas de Experimentação Agrícola Embrapa Arroz e Feijão Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos Universidade Federal de Goiás Nampula,

Leia mais

FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra.

FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra. FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra. Requisitos para o cultivo de algodoeiro GlyTol LibertyLink, além de boas práticas de manejo integrado de plantas daninhas. Cap 1: Descrição do Produto

Leia mais

Requisitos de Clima e Solo da espécie

Requisitos de Clima e Solo da espécie Requisitos de Clima e Solo da espécie Clima O amendoim forrageiro apresenta ampla faixa de adaptação, desenvolvendo-se bem desde o nível do mar até aproximadamente 1.800 m de altitude, em áreas com precipitação

Leia mais

FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS NO AGRONEGÓCIO

FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS NO AGRONEGÓCIO FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS NO AGRONEGÓCIO 1. NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS Prof. Valdemar Faquin 2. DIAGNOSE DO ESTADO NUTRICIONAL DAS PLANTAS Prof. Valdemar Faquin 3. ABSORÇÃO FOLIAR E PRINCÍPIOS

Leia mais

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015 EFEITO DO PENERGETIC P e K NA CULTURA DO ALGODÃO Fabiano Andrei Bender da Cruz. Pesquisador/Consultor Fundação Bahia, Engo. Agro. Dr. CREA 1406202312/MG. Aline Fabris. Estagiária, Acadêmica do Curso de

Leia mais

Nutrição bacteriana: macronutrientes; micronutrientes; fatores de crescimento; necessidades nutricionais;

Nutrição bacteriana: macronutrientes; micronutrientes; fatores de crescimento; necessidades nutricionais; Nutrição bacteriana: macronutrientes; micronutrientes; fatores de crescimento; necessidades nutricionais; Classificação dos microrganismos quanto à nutrição, crescimento e metabolismo microbiano. Nutrientes

Leia mais

Biofábricas: o potencial de uso de microrganismos em agricultura

Biofábricas: o potencial de uso de microrganismos em agricultura Biofábricas: o potencial de uso de microrganismos em agricultura Eng. Agr. Solon C. de Araujo Consultor da ANPII Apresentado no V Simpósio Brasileiro de Microbiologia Aplicada. UFRGS, setembro 2011 Biofábricas

Leia mais

TÍTULO: BIOESTIMULANTES APLICADOS VIA FOLIAR EM CAFEEIROS COFFEA ARABICA EM PRODUÇÃO EM MINAS GERAIS

TÍTULO: BIOESTIMULANTES APLICADOS VIA FOLIAR EM CAFEEIROS COFFEA ARABICA EM PRODUÇÃO EM MINAS GERAIS TÍTULO: BIOESTIMULANTES APLICADOS VIA FOLIAR EM CAFEEIROS COFFEA ARABICA EM PRODUÇÃO EM MINAS GERAIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: CIÊNCIAS AGRÁRIAS INSTITUIÇÃO: CENTRO

Leia mais

Influência da Safrinha na Eficiência de Produção do Milho no Brasil

Influência da Safrinha na Eficiência de Produção do Milho no Brasil XXX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO SALVADOR 5 DE AGOSTO DE 2014 Influência da Safrinha na Eficiência de Produção do Milho no Brasil Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico, Campinas (IAC) Influência

Leia mais

Bases para Uso Mais Eficiente de Nutrientes pelos Citros

Bases para Uso Mais Eficiente de Nutrientes pelos Citros 38⁰ Semana de Citricultura Centro de Citricultura Sylvio Moreira Bases para Uso Mais Eficiente de Nutrientes pelos Citros Fernando Zambrosi Cordeirópolis - SP 07 de Junho 2016 Instituto Agronômico Centro

Leia mais

Custo de Produção de Café para a Região Sul e Oeste de Minas Gerais na safra colhida em 2008

Custo de Produção de Café para a Região Sul e Oeste de Minas Gerais na safra colhida em 2008 de Produção de Café para a Região Sul e Oeste de Minas Gerais na safra colhida em 2008 1 Critérios adotados: - Planilha de elaborada por técnicos e pesquisadores do antigo IBC e hoje MAPA, encontra-se

Leia mais

Vários produtos têm sido colocados no Mercado

Vários produtos têm sido colocados no Mercado Luís Américo Paseto Vários produtos têm sido colocados no Mercado Para uso desde o plantio da semente Na formação de mudas (1º par de folhas) Em pulverização na folhagem do cafeeiro Aplicados ao solo em

Leia mais

Nutrição e Fisiologia de Plantas

Nutrição e Fisiologia de Plantas Soluções De Sangosse Nutrição e Fisiologia de Plantas GRUPO O Grupo De Sangosse iniciou suas atividades na França, em 1926. Oferecemos tecnologias integradas para agricultura com atuação em mais de 80

Leia mais

Legislação que Regula a Pesquisa com Fertilizantes, Corretivos, Inoculantes, Biofertilizantes, Remineralizadores e Substratos para Plantas.

Legislação que Regula a Pesquisa com Fertilizantes, Corretivos, Inoculantes, Biofertilizantes, Remineralizadores e Substratos para Plantas. 2ª REUNIÃO TÉCNICA NACIONAL SOBRE PESQUISA COM AGROTÓXICOS Legislação que Regula a Pesquisa com Fertilizantes, Corretivos, Inoculantes, Biofertilizantes, Remineralizadores e Substratos para Plantas. Curitiba

Leia mais

AVALIAÇÃO DA APLICAÇÃO TARDIA DE COBALTO, NA ABSCISÃO DE FLORES E COMPONENTES DE PRODUTIVIDADE DO FEIJOEIRO COMUM (Vigna unguiculata).

AVALIAÇÃO DA APLICAÇÃO TARDIA DE COBALTO, NA ABSCISÃO DE FLORES E COMPONENTES DE PRODUTIVIDADE DO FEIJOEIRO COMUM (Vigna unguiculata). AVALIAÇÃO DA APLICAÇÃO TARDIA DE COBALTO, NA ABSCISÃO DE FLORES E COMPONENTES DE PRODUTIVIDADE DO FEIJOEIRO COMUM (Vigna unguiculata). Rezanio Martins Carvalho (bolsista do PIBIC/CNPq), Fabiano André Petter

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DOS NUTRIENTES NO METABOLISMO VEGETAL. Enga Agra Clélia Maria Mardegan

PARTICIPAÇÃO DOS NUTRIENTES NO METABOLISMO VEGETAL. Enga Agra Clélia Maria Mardegan PARTICIPAÇÃO DOS NUTRIENTES NO METABOLISMO VEGETAL Enga Agra Clélia Maria Mardegan COMO FAZER PARA AUMENTAR NOSSA PRODUTIVIDADE? Nitrogênio Funções - faz parte da composição das proteínas (estrutural);

Leia mais

LCB 311 -Fisiologia Vegetal CLASSIFICAÇÃO DOS VEGETAIS COM DE ACORDO COM A DISPONIBILIDADE ÁGUA

LCB 311 -Fisiologia Vegetal CLASSIFICAÇÃO DOS VEGETAIS COM DE ACORDO COM A DISPONIBILIDADE ÁGUA LCB 311 -Fisiologia Vegetal CLASSIFICAÇÃO DOS VEGETAIS COM DE ACORDO COM A DISPONIBILIDADE ÁGUA Hidrófitas: vivem locais com muita disponibilidade de água Mesófitas: vivem em locais com disponibilidade

Leia mais

REUNIÃO DE VENDAS 2012 REGIONAL GOIÁS

REUNIÃO DE VENDAS 2012 REGIONAL GOIÁS REUNIÃO DE VENDAS 2012 REGIONAL GOIÁS TRATAMENTO DE SEMENTES SPRINT ALGA + FOSFIMOL X CONCORRENTE BIOLCHIM AGRICHEM OBJETIVO: ZÉ LUIZ SCOPEL (tratamento completo) Avaliação de resultados da diferença

Leia mais

INSTITUTO MATOGROSSENSE DE ECONOMIA AGROPECUÁRIA IMEA CUSTO DE PRODUÇÃO EFETIVO DA SOJA SAFRA 09/10

INSTITUTO MATOGROSSENSE DE ECONOMIA AGROPECUÁRIA IMEA CUSTO DE PRODUÇÃO EFETIVO DA SOJA SAFRA 09/10 INSTITUTO MATOGROSSENSE DE ECONOMIA AGROPECUÁRIA IMEA CUSTO DE PRODUÇÃO EFETIVO DA SOJA SAFRA 09/10 Visando balizar de forma mais precisa todos os estudos que envolvem o custo de produção, e diante das

Leia mais

Nutrição do cafeeiro e uso de Sódio S na agricultura. de Oliveira Silva Guilherme Maluf Breno Geraldo Rabelo Leblon Urbano Guimarães

Nutrição do cafeeiro e uso de Sódio S na agricultura. de Oliveira Silva Guilherme Maluf Breno Geraldo Rabelo Leblon Urbano Guimarães Nutrição do cafeeiro e uso de Sódio S na agricultura Júlio César C de Oliveira Silva Guilherme Maluf Breno Geraldo Rabelo Leblon Urbano Guimarães Sumário 1. História do café no Brasil 2. Conceitos e legislação

Leia mais

Case do Campeão Nacional 14/ sc/ha, Alison Hildemberg. Relatores: Leandro Zancanaro / Heny Sako

Case do Campeão Nacional 14/ sc/ha, Alison Hildemberg. Relatores: Leandro Zancanaro / Heny Sako Case do Campeão Nacional 14/15 141 sc/ha, Alison Hildemberg Relatores: Leandro Zancanaro / Heny Sako Dados do Participante PRODUTOR: Alisson Alceu Hilgemberg CONSULTOR TÉCNICO: Alisson Alceu Hilgemberg

Leia mais

ESSENCIALIDADE DE MACRONUTRIENTES EM MILHO CULTIVADO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA

ESSENCIALIDADE DE MACRONUTRIENTES EM MILHO CULTIVADO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA ESSENCIALIDADE DE MACRONUTRIENTES EM MILHO CULTIVADO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA Danilo Pavan 1 ; Luciano Ansolin 1 ; Ivan José Rambo 1 ; Leandro Hahn 2 ; Neuri Antonio Feldmann 3 ; Fabiana Raquel Mühl 4 ; Anderson

Leia mais

IFRN CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

IFRN CICLOS BIOGEOQUÍMICOS IFRN CICLOS BIOGEOQUÍMICOS Prof. Hanniel Freitas Ciclos biogeoquímicos Elementos químicos tendem a circular na biosfera. Ciclagem de nutrientes - movimento desses elementos e compostos inorgânicos essenciais

Leia mais

CURSO SOBRE PRODUÇÃO DE MORANGO Cultivo em Semi-Hidroponia. Eng.-Agr. Luciano Ilha Eng.-Agr. Cristina Gadea EMATER/RS-ASCAR

CURSO SOBRE PRODUÇÃO DE MORANGO Cultivo em Semi-Hidroponia. Eng.-Agr. Luciano Ilha Eng.-Agr. Cristina Gadea EMATER/RS-ASCAR CURSO SOBRE PRODUÇÃO DE MORANGO Cultivo em Semi-Hidroponia Eng.-Agr. Luciano Ilha Eng.-Agr. Cristina Gadea EMATER/RS-ASCAR VI Seminário Brasileiro sobre Pequenas Frutas Vacaria/RS - 2011 Cultivo em semi-hidroponia:

Leia mais

08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA

08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA 08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA COM TECNOLOGIA INTACTA RR2 PRO EM DUAS ÉPOCAS DE SEMEADURA O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial produtivo de cultivares de soja disponíveis comercialmente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA TRANSFORMAÇÕES DA MATÉRIA E QUANTIDADES LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA NATUREZA. Uruguaiana, maio de 2016.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA TRANSFORMAÇÕES DA MATÉRIA E QUANTIDADES LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA NATUREZA. Uruguaiana, maio de 2016. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA TRANSFORMAÇÕES DA MATÉRIA E QUANTIDADES LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA NATUREZA CICLOS BIOGEOQUÍMICOS Uruguaiana, maio de 2016. 1 Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo

Leia mais

12/08/ MANGANÊS. Na natureza pode ocorrer em até sete valências. Nutrição Mineral de Plantas Manganês, Molibdênio, Zinco e Níquel.

12/08/ MANGANÊS. Na natureza pode ocorrer em até sete valências. Nutrição Mineral de Plantas Manganês, Molibdênio, Zinco e Níquel. 1 MANGANÊS Nutrição Mineral de Plantas Manganês, Molibdênio, Zinco e Níquel Josinaldo Lopes Araujo 2013.1 Na natureza pode ocorrer em até sete valências. No solo: Mn 2+, Mn 3+ (Mn 2 O 3. nh 2 O) e Mn 4+

Leia mais

Sementes de. A Linha de Sementes de Soja Dow AgroSciences avança sem parar. Com um portifólio adaptado para as principais regiões do país e variedades

Sementes de. A Linha de Sementes de Soja Dow AgroSciences avança sem parar. Com um portifólio adaptado para as principais regiões do país e variedades Sementes de SOJA A Linha de Sementes de Soja Dow AgroSciences avança sem parar. Com um portifólio adaptado para as principais regiões do país e variedades de alto potencial produtivo, os produtores têm

Leia mais

Nutrientes. Do que as plantas precisam? Out, 2012 002/ Ano 02. Nutrientes

Nutrientes. Do que as plantas precisam? Out, 2012 002/ Ano 02. Nutrientes Nutrientes Do que as plantas precisam? Introdução Para se desenvolver perfeitamente a planta necessita de luz, água, temperatura adequada e de elementos minerais. O solo não é essencial a vida dos vegetais,

Leia mais

Fertilidade do Solo e Nutrição do Castanheiro

Fertilidade do Solo e Nutrição do Castanheiro Fertilidade do Solo e Nutrição do Castanheiro Fertilidade do Solo e Nutrição do Castanheiro Margarida Arrobas & Manuel Ângelo Rodrigues Centro de Investigação de Montanha Escola Superior Agrária de Bragança

Leia mais

Departamento do Agronegócio Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade

Departamento do Agronegócio Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade O Mundo atravessa um período de aumento expressivo do consumo de alimentos, impulsionado pela melhora da renda das famílias dos

Leia mais

Seleção de Pontas de Pulverização

Seleção de Pontas de Pulverização JORNADAS DE ACTUALIZACIÓN EN TECNOLOGÍAS DE APLICACIÓN EN CULTIVOS EXTENSIVOS Seleção de Pontas de Pulverização Otavio J. G. Abi Saab Prof. Mecanização Agrícola Universidade Estadual de Londrina Estado

Leia mais

MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO ADUBAÇÃO

MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO ADUBAÇÃO UNIPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos GRANDES CULTURAS I MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO ADUBAÇÃO Profª Fernanda Basso Manejo e Conservação do Solo Sistema de manejo conjunto de operações que contribuem

Leia mais

Colheita e armazenamento

Colheita e armazenamento 1 de 5 10/16/aaaa 11:19 Culturas A Cultura do Arroz Irrigado Nome Cultura do arroz irrigado Produto Informação Tecnológica Data Maio -2000 Preço - Linha Culturas Informações resumidas Resenha sobre a cultura

Leia mais

MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO (MOS) Fertilidade do Solo Prof. Josinaldo

MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO (MOS) Fertilidade do Solo Prof. Josinaldo MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO (MOS) Fertilidade do Solo Prof. Josinaldo 1 ASPECTOS GERAIS - MOS todos os compostos orgânicos do solo - Influência os atributos do solo - Teor no solo amplamente variável (0,5

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOSTE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENERGIA NA AGRICULTURA - PPGEA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOSTE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENERGIA NA AGRICULTURA - PPGEA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOSTE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENERGIA NA AGRICULTURA - PPGEA CORNELIO PRIMIERI Eng. Agrônomo/Professor/Pesquisador FAG Faculdade Assis Gurgacz

Leia mais

TOP 10 RAZÕES PARA BEBER GEL DE ALOE VERA

TOP 10 RAZÕES PARA BEBER GEL DE ALOE VERA TOP 10 RAZÕES PARA BEBER GEL DE ALOE VERA Gel de Aloe Vera Imagine cortar uma folha de babosa e consumir o gel diretamente da planta. Um produto certificado pela Forever Living, o Aloe Vera Gel está tão

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE SOJA - SAFRA 2015/2016 MATO GROSSO - Janeiro/2015

CUSTO DE PRODUÇÃO DE SOJA - SAFRA 2015/2016 MATO GROSSO - Janeiro/2015 MATO GROSSO - Janeiro/2015 R$ 0,00 R$ 0,00 Nordeste Médio-Norte Oeste Centro-Sul Sudeste Mato Grosso 1.448.440 3.365.849 1.710.450 668.615 1.914.651 9.108.005 DESPESAS COM INSUMOS R$ 1.513,57 R$ 1.611,79

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE SOJA - SAFRA 2015/2016 MATO GROSSO - Novembro/2014

CUSTO DE PRODUÇÃO DE SOJA - SAFRA 2015/2016 MATO GROSSO - Novembro/2014 MATO GROSSO - Novembro/2014 R$ 0,00 R$ 0,00 Nordeste Médio-Norte Oeste Centro-Sul Sudeste Mato Grosso 1.448.440 3.365.849 1.710.450 668.615 1.914.651 9.108.005 DESPESAS COM INSUMOS R$ 1.437,49 R$ 1.612,95

Leia mais

Ciclos biogeoquímicos

Ciclos biogeoquímicos Ciclos biogeoquímicos Conceitos Os elementos químicos essenciais à vida são aproximadamente 40. São incorporados nos seres na forma de compostos orgânicos. - ciclos sedimentares: quando o elemento circula

Leia mais

Nossos Produtos. Fazem Você. Ganhar

Nossos Produtos. Fazem Você. Ganhar Nossos Produtos + Fazem Você Ganhar Quer aumentar a produtividade da sua Lavoura? É uma tecnologia desenvolvida pela Fertilizantes Heringer, que incorpora substâncias orgânicas complexas com micronutrientes

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO FERTILIZANTE FOLIAR I9 NO CRESCIMENTO E PRODUTIVIDADE DO CAFEEIRO. Santinato & Santinato Cafés Ltda Eng. Agro. Msc.

UTILIZAÇÃO DO FERTILIZANTE FOLIAR I9 NO CRESCIMENTO E PRODUTIVIDADE DO CAFEEIRO. Santinato & Santinato Cafés Ltda Eng. Agro. Msc. UTILIZAÇÃO DO FERTILIZANTE FOLIAR I9 NO CRESCIMENTO E PRODUTIVIDADE DO CAFEEIRO Santinato & Santinato Cafés Ltda Eng. Agro. Msc. Felipe Santinato Premissa: A aplicação de fertilizantes foliares pode suprir

Leia mais

PRODUTIVIDADE E RETORNO ECONÔMICO DO MILHO EM FUNÇÃO DO TRATAMENTO DE SEMENTES COM ACETATO DE ZINCO AMONIACAL

PRODUTIVIDADE E RETORNO ECONÔMICO DO MILHO EM FUNÇÃO DO TRATAMENTO DE SEMENTES COM ACETATO DE ZINCO AMONIACAL PRODUTIVIDADE E RETORNO ECONÔMICO DO MILHO EM FUNÇÃO DO TRATAMENTO DE SEMENTES COM ACETATO DE ZINCO AMONIACAL Tatiane Krein 2, Tadeu.Takeyoshi Inoue 1, Beatriz Kraemer 3, André Hipolito Xavier 4, Lucas

Leia mais

NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS. Prof. Dr. Osmar Souza dos Santos UFSM

NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS. Prof. Dr. Osmar Souza dos Santos UFSM NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS Prof. Dr. Osmar Souza dos Santos UFSM FUNDAMENTOS DA NUTRIÇÃO DE PLANTAS Nutrientes Macronutrientes: C, H, O, N, P, K, Ca, Mg, S. Micronutrientes: Fe, Mn, Zn, Cu, B, Mo, Cl.

Leia mais

Tecnologias conjunto de procedimentos adotados no uso e aplicação de inoculantes.

Tecnologias conjunto de procedimentos adotados no uso e aplicação de inoculantes. PROTOCOLO OFICIAL PARA AVALIAÇÃO DA VIABILIDADE E EFICIÊNCIA AGRONÔMICA DE CEPAS, INOCULANTES E TECNOLOGIAS RELACIONADOS AO PROCESSO DE FIXAÇÃO BIOLÓGICA DO NITROGÊNIO EM LEGUMINOSAS. 1. DEFINIÇÕES Para

Leia mais

TECNOLOGIA DE PROCESSAMENTO

TECNOLOGIA DE PROCESSAMENTO Juntamente com a Fiagril e o Summit Agricultural Group, a F&S Agri Solutions foi criada para produzir etanol de milho e coprodutos na cidade de Lucas do Rio Verde, MT. A Fiagril e o Summit Agricultural

Leia mais

RELATÓRIO FINAL. AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA

RELATÓRIO FINAL. AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA RELATÓRIO FINAL AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA Empresa solicitante: FOLLY FERTIL Técnicos responsáveis: Fabio Kempim Pittelkow¹ Rodrigo

Leia mais

Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil. Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC

Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil. Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC Agenda 1. Histórico Soja marca Pioneer 2. Pesquisa Soja Brasil 3. Qualidade das Sementes DuPont Pioneer 4. Cultivares

Leia mais

IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE

IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE A IRGA 424 apresenta como diferencial o alto potencial produtivo, responde muito bem ao manejo e às altas adubações. Origem: cruzamento IRGA 370-42-1-1F-B5/BR IRGA 410//IRGA

Leia mais

PROCESSOS QUÍMICOS INDUSTRIAIS I

PROCESSOS QUÍMICOS INDUSTRIAIS I PROCESSOS QUÍMICOS INDUSTRIAIS I Fertilizantes ou adubos são compostos químicos que visam suprir as deficiências em substâncias vitais à sobrevivência dos vegetais. São aplicados na agricultura com o intuito

Leia mais

Espaçamento alternado e controle de crescimento do feijoeiro com aplicação do fungicida propiconazol

Espaçamento alternado e controle de crescimento do feijoeiro com aplicação do fungicida propiconazol Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 9., 2012, Belo Horizonte Espaçamento alternado e controle de crescimento do feijoeiro com aplicação do fungicida propiconazol Júnio Oliveira Ferreira (1),

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM CASTRO-PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM CASTRO-PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM CASTRO-PR Foi realizado no dia 09 de julho de 2012 em Castro (PR), o painel de custos de produção de grãos. A pesquisa faz parte do Projeto Campo Futuro da Confederação da

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR Foi realizado no dia 10 de julho de 2012 em Guarapuava (PR), o painel de custos de produção de grãos. A pesquisa faz parte do Projeto Campo Futuro da Confederação

Leia mais

Biomassa de Banana Verde Polpa - BBVP

Biomassa de Banana Verde Polpa - BBVP Biomassa de Banana Verde Polpa - BBVP INFORMAÇÕES NUTRICIONAIS Porção de 100g (1/2 copo) Quantidade por porção g %VD(*) Valor Energético (kcal) 91 4,55 Carboidratos 21,4 7,13 Proteínas 2,1 2,80 Gorduras

Leia mais

Definição de elemento essencial

Definição de elemento essencial UNIDADE IV NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS ELEMENTOS ESSENCIAIS 4. ELEMENTOS ESSENCIAIS 4.1. DEFINIÇÃO E CLASSIFICAÇÃO 4.2. TÉCNICAS UTILIZADAS NO ESTUDO DA NUTRIÇÃO MINERAL 4.3. RELAÇÃO SINTOMA x FUNÇÃO 4.4.

Leia mais

A Energia que vem do campo Linha de Produtos

A Energia que vem do campo Linha de Produtos A Energia que vem do campo Linha de Produtos CASTELHANO Santa Cecília 10 anos Visão Estar entre os três maiores produtores de biodiesel no Brasil Missão Participar do desenvolvimento sustentável do planeta

Leia mais

MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO, EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS E ADUBAÇÃO DO MILHO

MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO, EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS E ADUBAÇÃO DO MILHO IV CURSO SOBRE PRODUÇÃO INTEGRADA EM SISTEMAS DE INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - BOAS PRÁTICAS PARA O MILHO Goiânia 15 a 17 de Abril de 2009 MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO, EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS E ADUBAÇÃO

Leia mais

Nutrição Mineral de Plantas 61/T

Nutrição Mineral de Plantas 61/T Nutrição Mineral de Plantas 61/T FERRO CAMPO: deficiência rara ABSORÇÃO: Fe 2+, quelatizado TRANSPORTE: quelato REDISTRIBUIÇÃO: pouco móvel FUNÇÕES Grupo prostético de enzimas Citocromos (cloroplastos,

Leia mais

O controle do crescimento e do desenvolvimento de um vegetal depende de alguns fatores:

O controle do crescimento e do desenvolvimento de um vegetal depende de alguns fatores: O controle do crescimento e do desenvolvimento de um vegetal depende de alguns fatores: Disponibilidade de luz Disponibilidade de água Nutrientes minerais Temperatura Um outro fator que regula o crescimento

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO. Determinação da Demanda Química de Oxigênio pelo método colorimétrico com refluxo fechado

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO. Determinação da Demanda Química de Oxigênio pelo método colorimétrico com refluxo fechado ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 9 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO BASF S.A. Laboratorio Central de Controle de Qualidade

Leia mais

Manutenção de Campo / FERTILIZAÇÃO Daniel Tapia. Realização: Federação Paulista de Golfe

Manutenção de Campo / FERTILIZAÇÃO Daniel Tapia. Realização: Federação Paulista de Golfe Manutenção de Campo / FERTILIZAÇÃO Daniel Tapia Realização: Federação Paulista de Golfe Manutenção de Campo / FERTILIDADE A planta absorve os nutrientes pelas raízes e pelas folhas. A absorção pelas raízes

Leia mais

Catálogo Virtual CHROMIUM PICOLINATO. Televendas: (21) Site:

Catálogo Virtual CHROMIUM PICOLINATO. Televendas: (21) Site: CHROMIUM PICOLINATO Maça e Banana Ref.: KA341 COLLAGEN HIDROLYSATE COLLAGEN HIDROLYSATE Sabores: Uva Laranja com Acerola. Maça e Banana Ref.: KA341 EVOLUTION WHEY NO2 COLLAGEN Whey Protein é derivado do

Leia mais

Milho. Instruções agrícolas para as principais culturas econômicas. Zea mays L.

Milho. Instruções agrícolas para as principais culturas econômicas. Zea mays L. Zea mays L. Gramínea anual da família Poaceae, originária do México, anual, com 1,5 a 3,0 m de altura no florescimento, cultivada no verão e na segunda safra (milho safrinha). O consumo dos grãos pode

Leia mais

Efeito do uso de MAP revestido com polímeros de liberação gradual em parâmetros vegetativos do milho.

Efeito do uso de MAP revestido com polímeros de liberação gradual em parâmetros vegetativos do milho. Efeito do uso de MAP revestido com polímeros de liberação gradual em parâmetros vegetativos do milho. Wender S. Rezende 1,5, Flavia B. Agostinho 1,6, Érico A.S. Borges 1,7, Francis E. da Silva 2,8, Adriane

Leia mais

Campeão de Produtividade de Soja Região Sudeste. ANTONIO LUIZ FANCELLI Fundador do CESB e Docente da ESALQ/USP SAFRA 2011/2112

Campeão de Produtividade de Soja Região Sudeste. ANTONIO LUIZ FANCELLI Fundador do CESB e Docente da ESALQ/USP SAFRA 2011/2112 Campeão de Produtividade de Soja Região Sudeste ANTONIO LUIZ FANCELLI Fundador do CESB e Docente da ESALQ/USP SAFRA 2011/2112 Dados do Participante (Campeão) PRODUTOR: FREDERIK JAKOBUS WOLTERS CONSULTOR

Leia mais

II ENCONTRO DE IRRIGANTES POR ASPERSÃO DO RS

II ENCONTRO DE IRRIGANTES POR ASPERSÃO DO RS II ENCONTRO DE IRRIGANTES POR ASPERSÃO DO RS 02 de OUTUBRO DE 2014 CRUZ ALTA RIO GRANDE DO SUL O INÍCIO DA IRRIGAÇÃO 5.000 anos atrás, Egito Antigo; Construção de diques, represas e canais para melhor

Leia mais

Uni-ANHANGUERA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE GOIÁS CURSO DE AGRONOMIA MANEJO ADEQUADO DE MACRO E MICRONUTRIENTES NA CULTURA DA SOJA EM SOLOS DO CERRADO

Uni-ANHANGUERA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE GOIÁS CURSO DE AGRONOMIA MANEJO ADEQUADO DE MACRO E MICRONUTRIENTES NA CULTURA DA SOJA EM SOLOS DO CERRADO Uni-ANHANGUERA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE GOIÁS CURSO DE AGRONOMIA MANEJO ADEQUADO DE MACRO E MICRONUTRIENTES NA CULTURA DA SOJA EM SOLOS DO CERRADO MAGNO BARBOSA DE SOUSA GOIÂNIA Dezembro/2014 MAGNO BARBOSA

Leia mais

ACÇÃO de FORMAÇÃO em FERTILIDADE e SANIDADE do CASTANHEIRO. António Pedro Tavares Guerra ARBOREA, 13 de Fevereiro 2013

ACÇÃO de FORMAÇÃO em FERTILIDADE e SANIDADE do CASTANHEIRO. António Pedro Tavares Guerra ARBOREA, 13 de Fevereiro 2013 ACÇÃO de FORMAÇÃO em FERTILIDADE e SANIDADE do CASTANHEIRO António Pedro Tavares Guerra ARBOREA, 13 de Fevereiro 2013 SUMÁRIO SOLO NUTRIENTES PLANTA SOLO SOLO MATÉRIA ORGÂNICA ph do SOLO MATÉRIA ORGÂNICA

Leia mais

GADO DE LEITE. Tecnologias, suplementos, e Fator P.

GADO DE LEITE. Tecnologias, suplementos, e Fator P. Tecnologias, suplementos, e Fator P. NUTRINDO OS CICLOS DA VIDA Se tivéssemos que escolher uma palavra para definir o que há de fundamental a todas as espécies vivas sobre aterra, qual seria? Abrigo, afeto,

Leia mais

Levantamento de Custos de Produção de Castro PR

Levantamento de Custos de Produção de Castro PR Levantamento de Custos de Produção de Castro PR Os produtores de Castro se reuniram no dia 27/06, para realizar o levantamento de custos de produção de grãos para o projeto Campo Futuro, uma iniciativa

Leia mais

Suplementação Mineral para Bovinos de Corte: Maurício Bueno NERU 27/04/2011

Suplementação Mineral para Bovinos de Corte: Maurício Bueno NERU 27/04/2011 Suplementação Mineral para Bovinos de Corte: Maurício Bueno NERU 27/04/2011 1-) IMPORTÂNCIA DA MINERALIZAÇÃO DE BOVINOS Peso corporal de um bovino: minerais = 4% Importante função no metabolismo (conjunto

Leia mais

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2014/2015 levantamento divulgado em Março/2015.

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2014/2015 levantamento divulgado em Março/2015. Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2014/2015 levantamento divulgado em Março/2015. Núcleo 1 Matrinchã, Jussara e região (Artur Pagnoncelli).

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016 1 EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016 CONSÓRCIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA: COMPREENDENDO OS RISCOS DO ESTRESSE HÍDRICO NA

Leia mais

O presente estudo foi instalado no município de Alfenas-MG, a 900 m de altitude. Rodolfo Carvalho Cesar de San Juan 1

O presente estudo foi instalado no município de Alfenas-MG, a 900 m de altitude. Rodolfo Carvalho Cesar de San Juan 1 ESTUDO DO EFEITO DO INSETICIDA CROPSTAR SOBRE PLANTAS DE MILHO CONVENCIONAL E Bt YIELDGARD E HERCULEX SUBMETIDAS À ALTA PRESSÃO DE ATAQUE DE Spodoptera frugiperda Rodolfo Carvalho Cesar de San Juan 1 1.

Leia mais

MANEJO DE PRAGAS DO MILHO Bt

MANEJO DE PRAGAS DO MILHO Bt MANEJO DE PRAGAS DO MILHO Bt Rodolfo Bianco Eng. Agr. Dr. / Entomologia Ocorrência e manejo de pragas do milho: Situação Percevejo Barriga Verde Antes (± 5 anos) População de até 3 4 por metro TS Suficiente

Leia mais

GAMA 1xDIA. Maio 2016

GAMA 1xDIA. Maio 2016 GAMA 1xDIA Maio 2016 GAMA 1xDIA MULTI Fórmula tudo-em-um. Contém nutrientes que contribuem para a redução do cansaço e da fadiga. Contém 40 nutrientes essenciais. Sem glúten. Adequado para vegetarianos.

Leia mais

A bioquímica celular é o ramo da biologia que estuda a composição e as propriedades químicas dos seres vivos.

A bioquímica celular é o ramo da biologia que estuda a composição e as propriedades químicas dos seres vivos. 1) Introdução A bioquímica celular é o ramo da biologia que estuda a composição e as propriedades químicas dos seres vivos. 2) Elementos químicos da matéria viva Existem 96 elementos químicos que ocorrem

Leia mais

Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade. Dr. Eros Francisco IPNI Brasil

Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade. Dr. Eros Francisco IPNI Brasil Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade Dr. Eros Francisco IPNI Brasil IPNI missão O International Plant Nutrition Institute (IPNI) é uma organização nova, sem fins lucrativos,

Leia mais

FISIOLOGIA VEGETAL FOTOSSÍNTESE MINERAL OTOSSÍNTESE, RESPIRAÇÃO HÍDRICAS E NUTRIÇÃO

FISIOLOGIA VEGETAL FOTOSSÍNTESE MINERAL OTOSSÍNTESE, RESPIRAÇÃO HÍDRICAS E NUTRIÇÃO Fisiologia Vegetal: Fotossíntese, respiração, relações hídricas e nutrição mineral 1 FISIOLOGIA VEGETAL FOTOSSÍNTESE OTOSSÍNTESE, RESPIRAÇÃO ESPIRAÇÃO, RELAÇÕES HÍDRICAS E NUTRIÇÃO MINERAL Fisiologia Vegetal:

Leia mais

Claudinei Kurtz Eng Agr MSc Epagri EE Ituporanga Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas. Governo do Estado

Claudinei Kurtz Eng Agr MSc Epagri EE Ituporanga Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas. Governo do Estado NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DA CULTURA DA CEBOLA Claudinei Kurtz Eng Agr MSc Epagri EE Ituporanga Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas Governo do Estado AMOSTRAGEM DO SOLO Solo da camada 0-20cm 1ha = 2000

Leia mais

Cultura da Alface. EEEP PROFESSOR SEBASTIÃO VASCONCELOS SOBRINHO Compromisso com o Sucesso de Nossos Jovens

Cultura da Alface. EEEP PROFESSOR SEBASTIÃO VASCONCELOS SOBRINHO Compromisso com o Sucesso de Nossos Jovens EEEP PROFESSOR SEBASTIÃO VASCONCELOS SOBRINHO Compromisso com o Sucesso de Nossos Jovens Cultura da Alface Professor: Aparecido Porto Disciplina: Olericultura Equipe: Antônio Francyel 05 Marcelo Araújo

Leia mais

Potássio, Cálcio e Magnésio

Potássio, Cálcio e Magnésio Nutrição Mineral de Plantas Potássio, Cálcio e Magnésio Josinaldo Lopes Araujo 1. POTÁSSIO 1.1 Aspectos gerais Segundo nutriente mais consumido como fertilizantes no Brasil. A sua principal fonte no solo

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA DA SOJA. Material e Métodos. Sementes (Brasil, 2009.

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA DA SOJA. Material e Métodos. Sementes (Brasil, 2009. 1 02 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA Objetivo Este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito do vigor de sementes de soja na produtividade BOLETIM Material

Leia mais