Nutrição de Plantas: Técnicas para aumento da produtividade da Soja. Eng. Agr. Dr. Douglas Gitti Pesquisador de Manejo e Fertilidade do Solo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nutrição de Plantas: Técnicas para aumento da produtividade da Soja. Eng. Agr. Dr. Douglas Gitti Pesquisador de Manejo e Fertilidade do Solo"

Transcrição

1 Nutrição de Plantas: Técnicas para aumento da produtividade da Soja Eng. Agr. Dr. Douglas Gitti Pesquisador de Manejo e Fertilidade do Solo

2 Roteiro 1- Ativos Biológicos na Soja: Azospirillum 2- Sais e Aminoácidos: Cobalto e Molibdênio 3- Nodulação e Molibdênio: FBN 4- Magnésio: Doses e Épocas de aplicação 5- Adubos + Micronutrientes (B, Zn e Mn) + Subst. Orgânicas + Enxofre 6- Enxofre no Sistema de Produção: Doses e Modos de aplicação Considerações

3 1. Ativos biológicos: Azospirillum na Soja 2 safras Tabela 1. Descrição dos tratamentos avaliados na cultura da soja. Fundação MS, Maracaju, Naviraí, MS, 2014/15 e 2015/16. N Tratamentos Doses 1 Testemunha (não inoculado) - 2 Inoculação com Bradyrhizobium (Master Fix) 100 ml/ha 3 Inoculação com Bradyrhizobium + Azospirillum (Master Fix Gramíneas) 100 ml/ha ml/ha 4 Nitrogênio mineral em cobertura (estádio R1 da soja) 200 kg/ha de N Azospirillum na Soja - Coinoculação

4 - Massa parte aérea - Sistema radicular Contagem de nódulos Gitti, D.C Azospirillum na Soja - Coinoculação

5 Número de nódulos por planta Massa de nódulos por planta ,4 ab 34,0 Não inoculado 77,2 ab 29,6 100 ml/ha (Brady) 88,4 a 36,4 100 ml/ha (Brady) ml/ha (Azo) 46,8 c 31,3 200 kg/ha de N 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 0,0 0,38 bc Não inoculado 0,48 ab 0,35 0, ml/ha (Brady) 0,57 a 0,39 0,24 c 0, ml/ha 200 kg/ha de N (Brady) ml/ha (Azo) Massa de raizes (g) Massa de planta (g) 0,6 0,5 0,4 0,38 0,48 0,35 0,35 0,57 0,39 0, ,88 10,53 11,82 13,04 11,30 11,36 11,62 11,43 0,3 0,24 6 0,2 4 0,1 2 0 Não inoculado 100 ml/ha (Brady) 100 ml/ha (Brady) ml/ha (Azo) 200 kg/ha de N 0 Não inoculado 100 ml/ha (Brady) 100 ml/ha (Brady) ml/ha (Azo) 200 kg/ha de N Azospirillum na Soja - Coinoculação

6 Produtividade (sc/ha) 1. Ativos biológicos: Azosp. Maracaju safras 2014/15 e 2015/16 Soja - Maracaju 2014/ /16 Média 52,3 sc/ha 61,3 sc/ha Teste F 5,32 * (p<0,05) 7,32 ** (p<0,01) CV (%) 6,8 7, ,4 b 47,8 b 51,1 ab 60,0 ab 53,8 ab 63,1 ab 56,3 a 67,9 a Não inoculado 100 ml/ha (Brady) 100 ml/ha (Brady) ml/ha (Azo) 200 kg/ha de N Gráfico 1. Produtividade da soja em função da inoculação com Azospirillum no TS. Fundação MS, Maracaju, MS, 2015 e Azospirillum na Soja - Coinoculação

7 Produtividade (sc/ha) 1. Ativos Biológicos: Azospirillum Naviraí safra 2015/16 Soja - Naviraí 2015/ ,8 59,5 60,9 61,1 Média 59,7 sc/ha Teste F 1,72 ns CV (%) 3, Não inoculado 100 ml/ha (Brady) 100 ml/ha (Brady) ml/ha (Azo) 200 kg/ha de N Gráfico 2. Produtividade da soja em função da inoculação com Azospirillum no TS. Fundação MS, Naviraí, MS, Sugestão: - Coinoculação na soja Azospirillum na Soja - Coinoculação

8 Sugestão: - Como ativar a biologia do solo? Rotação de Culturas!!! 8

9 2. Cobalto e Molibdênio: Sais e Aminoácidos Tabela 5. Descrição dos tratamentos avaliados na cultura da soja. Fundação MS, Maracaju, Naviraí, MS, 2015 e N Tratamentos - Naviraí e Maracaja safras 2014/15 e 2015/16 PRODUTOS MODOS DE APLICAÇÃO 1 Testemunha - 2 Sais (Co-Mo) Semente 3 Sais (Co-Mo) Foliar 4 Sais (Co-Mo) + Aminoácidos Semente 5 Sais (Co-Mo) + Aminoácidos Foliar Cobalto e Molibdênio na cultura da soja

10 2. Cobalto e Molibdênio: Sais e Aminoácidos Co-Mo ( g/ha) - Teprosyn CoMo: Dose 100 ml/ha (22,5 g/l + 225g/L) - safra 2014/15 - Extra CoMo: Dose 150 ml/ha (15,4 g/l + 151,2 g/l) - safra 2015/16 Co-Mo + Aminoácidos - Glutamin CoMo: Dose 150 ml/ha (13,7 g/l g/l + 1,0% Extrato de alga + 2% Ac. Glutâmico) safras 2014/15 e 2015/16 Cobalto e Molibdênio na cultura da soja

11 2. Cobalto e Molibdênio: Naviraí safra 2014/15 Tabela 6. Interação entre composição e modos de aplicação de Co-Mo na produtividade da cultura da soja. Fundação MS, Naviraí, Safra 2014/15. COMPOSIÇÃO MODO DE APLICAÇÃO Semente Foliar Médias Sais 68,3 a 67,2 67,7 Sais + Aminoácidos 64,5 b B 67,7 A 66,1 Médias 66,4 67,4 Teste F Composição (C) 1,56 ns Modos de aplicação (MP) 0,65 ns C * MP 2,49 DMS (5%) - CV (%) 6,29 ns (P<0,11) Cobalto e Molibdênio na cultura da soja

12 2. Cobalto e Molibdênio: Maracaju safra 2014/15 Tabela 7. Composição e modos de aplicação de Co-Mo na produtividade da cultura da soja. Fundação MS, Maracaju, Safra 2014/15. COMPOSIÇÕES MODOS DE APLICAÇÃO Semente Foliar Médias Sais 65,1 63,3 64,2 Sais + Aminoácidos 63,0 65,3 64,2 Médias 64,1 64,3 Teste F Composição (C) 0,01 ns Modos de aplicação (MP) 0,03 ns C * MP 1,97 DMS (5%) - CV (%) 7,18 ns (P<0,16) Cobalto e Molibdênio na cultura da soja

13 2. Cobalto e Molibdênio: Naviraí safra 2015/16 Tabela 8. Composição e modos de aplicação de Co-Mo na produtividade da cultura da soja. Fundação MS, Naviraí, Safra 2015/16. COMPOSIÇÃO MODO DE APLICAÇÃO Semente Foliar Médias Sais 57,9 58,3 58,1 b Sais + Aminoácidos 60,6 60,3 60,4 a Médias 59,2 59,3 Teste F Composição (C) Modos de aplicação (MP) 0,01 ns C * MP 0,14 ns DMS (5%) - CV (%) 6,29 6,46 * (P<0,05) Cobalto e Molibdênio na cultura da soja

14 2. Cobalto e Molibdênio: Maracaju safra 2015/16 Tabela 9. Composição e modos de aplicação de Co-Mo na produtividade da cultura da soja. Fundação MS, Maracaju, Safra 2015/16. COMPOSIÇÕES MODOS DE APLICAÇÃO Semente Foliar Médias Sais 60,9 58,0 59,5 Sais + Aminoácidos 63,0 61,9 62,4 Médias 61,9 60,0 Teste F Composição (C) 2,54 Modos de aplicação (MP) 1,14 ns C * MP 0,23 ns DMS (5%) - CV (%) 6,83 Sugestão: - Sais CoMo + AA (Foliar V4) ns (p<0,13) Cobalto e Molibdênio na cultura da soja

15 3. Nodulação e Molibdênio foliar Tabela 10. Descrição dos tratamentos avaliados na cultura da soja. Fundação MS, Maracaju, MS, N Maracaju - Safra 2015/16 Tratamentos Épocas de aplicação 1 CoMo (10:1) - 2 g + 20 g Tratamento de sementes 2 Testemunha g V g R g R5 6 6,7 + 6,7 + 6,7 g V4 + R1 + R5 Amix Mo 5,6% Mo (Dose: 300 ml/ha) Nodulação e Molibdênio na cultura da soja

16 Produtividade (sc/ha) 3. Nodulação e Molibdênio foliar Soja - Maracaju 2015/ ,8 b 58,1 ab 58,8 ab 59,3 ab 57,0 ab 61,7a Média 58,0 sc/ha 50 Teste F 3,00 * (p<0,05) 40 CV (%) 5,61 30 Amix Mo 5,6% Mo (Dose: 300 ml/ha) Co-Mo (TS) Testemunha V4 R1 R5 V4 + R1 + R5 Gráfico 8. Produtividade da soja em função de épocas de aplicação foliar de molibdênio. Fundação MS, Maracaju, MS, Nodulação e Molibdênio na cultura da soja

17 3. Nodulação e Molibdênio foliar: Picos Sugestão: - Molibdênio (V4+R1+R5) Nodulação e Molibdênio na cultura da soja

18 4. Magnésio Tabela 11. Descrição dos tratamentos avaliados na cultura da soja. Fundação MS, Bonito, MS, Nº Bonito - Safra 2015/16 Produtos Doses (Aplicação em V4) 1 Testemunha - 2 Wuxal Mn + NiCoMo + Mg 83 g/ha + (1, g/ha) g/ha 3 Kellus INOX + NiCoMo + Mg 90 g/ha + (1, g/ha) g/ha 4 NiCoMo + Mg (1, g/ha) g/ha 5 Mg 213 g/ha Wuxal Mn: 6,0% Mn (Dose: 1L/ha) Kellus Inox: 9,0% Mn (Dose: 1 kg/ha) NiCoMo: 1,2% Co, 26% Mo (Dose: 100 g/ha) Stoller Mg: 8% Mg (Dose: 2 L/ha)

19 Produtividade (sc/ha) 4. Magnésio Soja - Bonito 2015/16 Média Teste F 67,7 sc/ha 0,21 ns CV (%) 1,83 Wuxal Mn: 6,0% Mn (Dose: 1L/ha) Kellus Inox: 9,0% Mn (Dose: 1 kg/ha) NiCoMo: 1,2% Co, 26% Mo (Dose: 100 g/ha) Stoller Mg: 8% Mg (Dose: 2 L/ha) ,7 68,0 67,8 67,8 67,9 Testemunha Wuxal Mn + Nicomo + Mg Kellus INOX + Nicomo + Mg Nicomo + Mg Mg Gráfico 9. Produtividade da soja em função da aplicação foliar de fertilizantes foliares. Fundação MS, Bonito, MS, 2016.

20 4. Magnésio - Épocas de aplicação (V4, R1, R5) Tabela 12. Descrição dos tratamentos avaliados na cultura da soja. Fundação MS, Maracaju, Bonito, MS, Nº Bonito - Safra 2015/16 Doses (g/ha) Épocas de aplicação g V g R g R5 5 41,2 + 41,2 + 41,2 g V4 + R1 + R5 Amix Mg: 6,1% Mg (Dose: 1,5 L/ha)

21 4. Magnésio - Épocas de aplicação (V4, R1, R5) Soja - Maracaju 2015/16 Média 59,0 sc/ha Teste F 2,26 * (p<0,10) CV (%) 3,16 Amix Mg: 6,1% Mg (Dose: 1,5 L/ha) Soja - Bonito 2015/16 Média 70,0 sc/ha Teste F 2,27 * (p<0,10) CV (%) 3,43 Amix Mg: 6,1% Mg (Dose: 1,5 L/ha) ,7 a 69,7 ab 69,7 ab 69,9 ab 68,3 b 60,8 a 59,6 ab 58,6 ab 57,5 b 58,5 ab Testemunha V4 R1 R5 V4 + R1 + R5 Maracaju Bonito Gráfico 10. Produtividade da soja em função de épocas de aplicação foliar de magnésio. Fundação MS, Bonito, Maracaju, MS, Sugestão: - Mg foliar (não conclusivo)

22 5. Adubos + Micronutrientes: Naviraí Safra 2015/16 Gráfico 13. Produtividade da soja em função da adubação com matéria prima e formulados com micronutrientes no sulco. Fundação MS, Naviraí, MS, Adubos Doses N P K Ca S B Mn Zn Prod. kg/ha g/ha sc/ha , , Sel ,8 17,8 60,0 100,0 200,0 59, Som ,0 11,6 86,7 144,5 289,0 60,3 Teste F 2,18 ns DMS (5%) Expectativa de 50 sc/ha 60 sc/ha - CV (%) 4,68 produtividade Extração Exportação Extração Exportação Boro (g/ha) Mn (g/ha) Zn (g/ha)

23 Produtividade (sc/ha) 5. Adubos + Subs. Orgânicas + Micro: Maracaju safra 2014/15 Soja - Maracaju 2014/15 Teste F Doses (D) 2,38 * (p<0,05) CV (%) 3,9 Média Prod. 66,6 sc/ha Dosagem dos Tratamentos: 120 kg/ha ( ) Dosagem Cloreto de Potássio: 140 kg/ha ( ) ,2 68,5 y = 64, ,8854x - 0,0538x 2 R² = 0,67 * 67,5 67, kg de substâncias orgânicas por tonelada do fertilizante** 68,7 Gráfico 11. Produtividade da soja em função da adubação com fertilizante em mistura com substâncias orgânicas e micronutrientes no sulco. Fundação MS, Maracaju, MS, 2016.

24 5. Adubos + Enxofre: Maracaju 4 safras Tabela 16. Interação entre presença de S na matéria prima fosfatada e modos de aplicação na produtividade da cultura da soja. Fundação MS, Maracaju, Safras 2012/13, 2013/14, 2014/15 e 2015/16. (Solo argiloso: 45% e com teor alto de fósforo no solo (Mehlich-1): > 12 mg/dm 3 ). FONTES (1) MODOS DE APLICAÇÃO (1) Incorporado Superfície Médias S9 61,6 B 65,4 Aa MAP 62,7 63,5 b - Médias - - Teste F FONTES (F) 0,61 ns APLICAÇÃO (A) 16,93 ** F * A 7,19 * DMS (5%) - CV (%) 1,80 (1) Médias de produtividade das safras 2012/13, 2013/14, 2014/15 e 2015/ S9 COM ENXOFRE (18 kg/ha de S) MAP SEM ENXOFRE

25 5. Adubos + Enxofre: Maracaju 4 safras Tabela 17. Resultados da presença de S no formulado e modos de aplicação na produtividade da cultura da soja. Fundação MS, Maracaju, Safras 2012/13, 2013/14, 2014/15 e 2015/16. (Solo argiloso: 45% e com teor alto de fósforo no solo (Mehlich-1): > 12 mg/dm 3 ). FONTES (1) MODOS DE APLICAÇÃO (1) Incorporado Superfície Médias S9 62,1 64,2 63, ,6 63,8 63,7 Médias 62,8 64,0 Teste F FONTES (F) 0,30 ns APLICAÇÃO (A) 1,21 ns F * A 0,72 ns DMS (5%) - CV (%) 3,32 (1) Médias de produtividade das safras 2012/13, 2013/14, 2014/15 e 2015/ S NITROGENIO: 5,180% NITROGENIO: 5,005% FOSFORO: 25,018 % FOSFORO: 25,030% POTASSIO: 25,025% POTASSIO: 25,044% CALCIO: 1,554 % CALCIO: 3,324% ENXOFRE: 5,423% ENXOFRE: 1,943% (19,8 kg/ha de S) (7 kg/ha de S)

26 6. Enxofre no Sistema de Produção Tabela 18. Descrição dos tratamentos avaliados na cultura da soja. Fundação MS, Maracaju, MS, N Produto Épocas de aplicação Doses de S (kg/ha) Doses p.c. (L/ha) * 1 Controle NHT Super S Sulco de semeadura 5 6,25 3 NHT Super S Sulco de semeadura 10 12,50 4 NHT Super S Pré-semeadura 10 12,50 5 NHT Super S Pré-semeadura 20 25,00 6 NHT Super S Pré-semeadura 30 37,50 BIOSOJA NHT Super S: S - 55% (800 g/l)

27 Gitti, D.C

28 6. Enxofre no Sistema de Produção Gráfico 19. Produtividade da soja em função de doses e modos de aplicação de enxofre. Fundação MS, Naviraí, MS, N Tratamentos Modos de aplicação Doses de S (kg/ha) BIOSOJA NHT Super S: S - 55% (800 g/l) Massa de 100 grãos (g) Produtividade (sc/ha) 1 Controle ,58 60,53 ab 2 NHT Super S Sulco de semeadura 5 12,44 62,97 a 3 NHT Super S Sulco de semeadura 10 12,31 59,26 b 4 NHT Super S Pré-semeadura 10 12,29 62,13 ab 5 NHT Super S Pré-semeadura 20 12,51 60,45 ab 6 NHT Super S Pré-semeadura 30 12,40 59,90 ab Teste F 0,35 ns 3,51 * DMS (5%) - - Sugestão: CV (%) 2,85 2,51 Média 12,41 60,72 - S no sulco (pv): 5 kg/ha. - S em adubos: 7 a 18 kg/ha.

29 PODE TRABALHAR NA SAFRA TAMBÉM (terceira caixa): - Aplicação de Micronutrientes; - Aplicação de Subs. Orgânicas - Aplicação de Enxofre - Aplicação de Inoculantes; - Aplicação de Polímeros; - Etc... Gitti, D.C

30 Considerações Sugestão: - Coinoculação na soja Sugestão: - Mg foliar (não conclusivo) Sugestão: - Como ativar a biologia do solo? Rotação de Culturas!!! Sugestão: - Sais CoMo + AA (Foliar V4) Sugestão: - Molibdênio (V4+R1+R5) Sugestão (Solo c/ P elevado): - P a lanço na soja e obrigatoriamente no sulco do milho em sucessão. Sugestão: - S no sulco (pv): 5 kg/ha. - S em adubos: 7 a 18 kg/ha. Gitti, D.C

31 OBRIGADO!!! Eng. Agr. Dr. Douglas Gitti (67)

Adubação do milho safrinha: Nitrogênio e Fósforo.

Adubação do milho safrinha: Nitrogênio e Fósforo. Adubação do milho safrinha: Nitrogênio e Fósforo. Eng. Agr. Dr. Douglas de Castilho Gitti Pesquisador Manejo e Fertilidade do Solo (67) 9681-7293 douglas@fundacaoms.org.br Roteiro da Palestra 1. Ambientes

Leia mais

JAN/2017. Haroldo Rix Engenheiro Agrônomo Gerente Nacional. Juliana Baldin Engenheira Agrônoma Sinop MT (65)

JAN/2017. Haroldo Rix Engenheiro Agrônomo Gerente Nacional. Juliana Baldin Engenheira Agrônoma Sinop MT (65) JAN/2017 Haroldo Rix Engenheiro Agrônomo Gerente Nacional Juliana Baldin Engenheira Agrônoma Sinop MT (65) 9 9697-5040 NUTRIÇÃO FOLIAR - aspectos 1. NUTRICIONAL: aplicação do nutriente aplicado para atender

Leia mais

CÁLCULOS DE FECHAMENTO DE FORMULAÇÕES E RECOMENDAÇÃO DE ADUBAÇÃO

CÁLCULOS DE FECHAMENTO DE FORMULAÇÕES E RECOMENDAÇÃO DE ADUBAÇÃO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DO SOLO LSO 526 Adubos e Adubação CÁLCULOS DE FECHAMENTO DE FORMULAÇÕES E RECOMENDAÇÃO DE ADUBAÇÃO Prof.

Leia mais

6 CALAGEM E ADUBAÇÃO

6 CALAGEM E ADUBAÇÃO CULTURA DO MILHO 6 CALAGEM E ADUBAÇÃO 6.1 - CALAGEM -Neutralização do Al; -Buscando atingir 70% da saturação de bases corrige a camada de incorporação; -Correção mais profunda incorporação mais profunda

Leia mais

Adubação do Milho Safrinha. Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico (IAC), Campinas

Adubação do Milho Safrinha. Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico (IAC), Campinas Adubação do Milho Safrinha Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico (IAC), Campinas Produtividade, kg/ha Área (milhões ha) AUMENTO DA ÁREA E PRODUTIVIDADE 8000,0 7000,0 6000,0 Total MT 7.012 5000,0

Leia mais

Adubação do Milho Safrinha

Adubação do Milho Safrinha 01 Adubação do Milho Safrinha Introdução A adubação do sistema de produção soja e milho safrinha em áreas que apresentam elevados teores de nutrientes no solo pode ser realizada considerando a reposição

Leia mais

EFEITO DE FONTES E DOSE DE NITROGÊNIO APLICADOS NO MILHO SAFRINHA NA PRODUTIVIDADE DO MILHO SAFRINHA E NA SOJA SUBSEQUENTE 1

EFEITO DE FONTES E DOSE DE NITROGÊNIO APLICADOS NO MILHO SAFRINHA NA PRODUTIVIDADE DO MILHO SAFRINHA E NA SOJA SUBSEQUENTE 1 PARA PESQUISA E DIFUSÃO DE TECNOLOGIAS AGROPECUÁRIAS ESTRADA DA USINA VELHA KM 2 - CAIXA POSTAL 105 TEL/FAX(067)454-2631 MARACAJU/MS - CEP 79150-000 http://www.sidronet.com.br/fundacaoms E-mail: fundacao@sidronet.com.br

Leia mais

Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade. Dr. Eros Francisco IPNI Brasil

Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade. Dr. Eros Francisco IPNI Brasil Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade Dr. Eros Francisco IPNI Brasil IPNI missão O International Plant Nutrition Institute (IPNI) é uma organização nova, sem fins lucrativos,

Leia mais

BPUFs na Cultura da Soja. Adilson de Oliveira Junior Embrapa Soja

BPUFs na Cultura da Soja. Adilson de Oliveira Junior Embrapa Soja BPUFs na Cultura da Soja Adilson de Oliveira Junior Embrapa Soja Soja / Fertilidade do Solo e NMP Correção da Acidez do Solo Adubação (N, P, K, Micro) Balanço da Adubação Considerações Finais Altas Produtividades

Leia mais

Cultura da Soja Recomendação de Correção e Adubação

Cultura da Soja Recomendação de Correção e Adubação Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Ciência dos Solos LSO 0526 Adubos e Adubação Cultura da Soja Recomendação de Correção e Adubação Lucas Papadópoli

Leia mais

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE 16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE EM RELAÇÃO AO FORMULADO PADRÃO O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho do fertilizante Farture (00-12-12) em diferentes dosagens em relação ao

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS EM FERTILIZANTES. Uréia revestida com boro e cobre

NOVAS TECNOLOGIAS EM FERTILIZANTES. Uréia revestida com boro e cobre Universidade Federal do Paraná Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo NOVAS TECNOLOGIAS EM FERTILIZANTES Prof. Milton F. Moraes UFPR - Campus Palotina Programa de Pós-Graduação Ciência do Solo Curitiba-PR,

Leia mais

4.1 - Introdução. Fontes. Nitrogênio: requerido em grande quantidade pelas plantas. Nitrogênio do solo. Fertilizantes

4.1 - Introdução. Fontes. Nitrogênio: requerido em grande quantidade pelas plantas. Nitrogênio do solo. Fertilizantes 4 Fixação do Nitrogênio 1 4.1 - Introdução Nitrogênio: requerido em grande quantidade pelas plantas Nitrogênio do solo Fertilizantes Fontes FBN Nitrogênio: abundante na natureza (Fonte: Hungria et al.,

Leia mais

Rafael de Souza Nunes, Embrapa Cerrados Djalma Martinhão G. de Sousa, Embrapa Cerrados Maria da Conceição S. Carvalho, Embrapa Arroz e Feijão

Rafael de Souza Nunes, Embrapa Cerrados Djalma Martinhão G. de Sousa, Embrapa Cerrados Maria da Conceição S. Carvalho, Embrapa Arroz e Feijão Rafael de Souza Nunes, Embrapa Cerrados Djalma Martinhão G. de Sousa, Embrapa Cerrados Maria da Conceição S. Carvalho, Embrapa Arroz e Feijão Palestra realizada no dia 28 de setembro de 2017 no 12 CONAFE

Leia mais

BPUFs NA CULTURA DO MILHO NO PÓLO DE PARAGOMINAS PARÁ. BAZÍLIO WESZ CARLOTO ENG. AGRONÔMO DIRETOR - PRESIDENTE COOPERNORTE

BPUFs NA CULTURA DO MILHO NO PÓLO DE PARAGOMINAS PARÁ. BAZÍLIO WESZ CARLOTO ENG. AGRONÔMO DIRETOR - PRESIDENTE COOPERNORTE BPUFs NA CULTURA DO MILHO NO PÓLO DE PARAGOMINAS PARÁ. BAZÍLIO WESZ CARLOTO ENG. AGRONÔMO DIRETOR - PRESIDENTE COOPERNORTE CALENDÁRIO AGRÍCOLA DE MILHO MICROREGIÃO DE PARAGOMINAS PA EMBRAPA FORMULÁRIO

Leia mais

DIAGNOSE FOLIAR EM MILHO E SORGO

DIAGNOSE FOLIAR EM MILHO E SORGO I Simpósio Paulista Sobre Nutrição de Plantas Jaboticabal - SP, 15 a 17 de Abril de 2008 DIAGNOSE FOLIAR EM MILHO E SORGO ANTÔNIO MARCOS COELHO ESTRATÉGIAS DE MANEJO PARA ALTA PRODUTIVIDADE João Lorenti

Leia mais

Quando e Como Aplicar Micronutrientes em Cana de Açúcar para Aumento de Produtividade. Marcelo Boschiero

Quando e Como Aplicar Micronutrientes em Cana de Açúcar para Aumento de Produtividade. Marcelo Boschiero Quando e Como Aplicar Micronutrientes em Cana de Açúcar para Aumento de Produtividade Marcelo Boschiero Processo Produtivo Agrícola Tecnologia Plantas Daninhas Pragas / Doenças Manejo físico do solo Manejo

Leia mais

EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA

EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA BONFADA, Élcio B. 1 ; FIORIN, Jackson E. 2 ; SILVA, Alieze N. da 3 ; WYZYKOWSKI, Tiago 4 Palavras-chave: Nutrição de Plantas.

Leia mais

6.3 CALAGEM E ADUBAÇÃO

6.3 CALAGEM E ADUBAÇÃO 6.3 CALAGEM E ADUBAÇÃO 6.3.1 - CALAGEM Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina A quantidade de corretivo de acidez a ser usada varia conforme o Índice SMP determinado na análise do solo e a dose

Leia mais

13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA

13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA 13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA FOLIAR APLICADOS NA SOJA EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo neste trabalho foi testar e avaliar o programa de nutrição foliar recomendado pela empresa Helena

Leia mais

AVANÇOS EM MICRONUTRIENTES NA NUTRIÇÃO DE PLANTAS

AVANÇOS EM MICRONUTRIENTES NA NUTRIÇÃO DE PLANTAS Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) Programa de Pós-Graduação em Agricultura Tropical UFMT - Cuiabá Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo UFPR - Curitiba AVANÇOS EM MICRONUTRIENTES NA NUTRIÇÃO

Leia mais

Doses e épocas de aplicação do nitrogênio no milho safrinha.

Doses e épocas de aplicação do nitrogênio no milho safrinha. Doses e épocas de aplicação do nitrogênio no milho safrinha. Douglas de Castilho Gitti (1) ; Andre Faleiros Lourenção (2) ; José Fernando Jurca Grigolli (3) ; Alex Marcel Melotto (4) ; Renato Roscoe (5).

Leia mais

EQUILÍBRIO QUÍMICO DO SOLO EM PROFUNDIDADE. Eng. Agr. Dr. Nelson Harger Coordenador Estadual/Emater

EQUILÍBRIO QUÍMICO DO SOLO EM PROFUNDIDADE. Eng. Agr. Dr. Nelson Harger Coordenador Estadual/Emater EQUILÍBRIO QUÍMICO DO SOLO EM PROFUNDIDADE Eng. Agr. Dr. Nelson Harger Coordenador Estadual/Emater Abordagem Aspectos qualitativos no SPDP; Perdas no sistema (nutrientes); Variabilidade horizontal e vertical;

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15 1 15 EFEITO DA APLICAÇÃO FOSFATADA VIA FOLIAR NA CULTURA DA SOJA Objetivo Avaliar o comportamento da cultura da soja mediante adubação complementar de fósforo via aplicação foliar através do produto Free

Leia mais

Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017. Campeão SUDESTE. Produtor: José Renato Nunes Consultor: Samir Rafael Fogaça Gonçalves

Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017. Campeão SUDESTE. Produtor: José Renato Nunes Consultor: Samir Rafael Fogaça Gonçalves Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017 Campeão SUDESTE Produtor: José Renato Nunes Consultor: Samir Rafael Fogaça Gonçalves Fazenda Marcolino 108,25 sc/ha Fazenda Marcolino (Capão Bonito SP)

Leia mais

AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO

AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO 1. INTRODUÇÃO M = nutriente transportado NUTRIENTE FORMAS NUTRIENTE FORMAS Nitrogênio NO - + 3 e NH 4 Boro H 3 BO 3 Fósforo - H 2 PO 4 Cloro Cl - Potássio K + Cobre Cu

Leia mais

Continente asiático maior produtor (80%) Arroz sequeiro perdendo área para milho e soja

Continente asiático maior produtor (80%) Arroz sequeiro perdendo área para milho e soja Alimento de importância mundial Continente asiático maior produtor (80%) Brasil 9º país produtor RS - 70% da produção nacional Arroz sequeiro perdendo área para milho e soja CONAB Nitrogênio é bastante

Leia mais

MANEJO DE NUTRIENTES NO ALGODOEIRO Solos de Goiás

MANEJO DE NUTRIENTES NO ALGODOEIRO Solos de Goiás MANEJO DE NUTRIENTES NO ALGODOEIRO Solos de Goiás Ana Luiza Dias Coelho Borin Engenheira agrônoma, D.Sc. em Ciência do Solo Pesquisadora da Embrapa Algodão Adubação de sistemas intensivos de produção Conceitos

Leia mais

Feijão. 9.3 Calagem e Adubação

Feijão. 9.3 Calagem e Adubação Feijão 9.3 Calagem e Adubação Fonte: Fageria et al. (1996). 1996 CORREÇÃO DO SOLO -CALAGEM -GESSAGEM -SILICATAGEM CALAGEM -Aumento da eficiência dos adubos -Produtividade -Rentabilidade Agropecuária. Lopes

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DE INSUMOS NO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA-MILHO SAFRINHA

OTIMIZAÇÃO DE INSUMOS NO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA-MILHO SAFRINHA OTIMIZAÇÃO DE INSUMOS NO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA-MILHO SAFRINHA Aildson P. Duarte Heitor Cantarella IAC-APTA IAC INSTITUTO AGRONÔMICO Recomendação de adubação para soja e milho-safrinha Análise do solo

Leia mais

Boas Práticas para Uso Eficiente de Fertilizantes na Cultura do Milho. Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico, Campinas (IAC)

Boas Práticas para Uso Eficiente de Fertilizantes na Cultura do Milho. Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico, Campinas (IAC) Boas Práticas para Uso Eficiente de Fertilizantes na Cultura do Milho Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico, Campinas (IAC) Sucessão Soja e Milho Safrinha em Sistema Plantio Direto Antecipar a semeadura

Leia mais

CULTURA DA SOJA: NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO. Disciplina: Culturas de Plantas Oleaginosas Curso: Agronomia Responsável: Fernando Celoto

CULTURA DA SOJA: NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO. Disciplina: Culturas de Plantas Oleaginosas Curso: Agronomia Responsável: Fernando Celoto CULTURA DA SOJA: NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO Disciplina: Culturas de Plantas Oleaginosas Curso: Agronomia Responsável: Fernando Celoto P fonte de energia; K parede celular; Ca comunicação da chegada de inóculo

Leia mais

ADUBOS FLUIDOS E ADUBAÇÃO FOLIAR

ADUBOS FLUIDOS E ADUBAÇÃO FOLIAR UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DO SOLO LSO 526 Adubos e Adubação ADUBOS FLUIDOS E ADUBAÇÃO FOLIAR Prof. Dr. Rafael Otto Piracicaba, SP

Leia mais

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA 18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA APLICAÇÃO DE MACRONUTRIENTES EM PÓS- EMERGÊNCIA DA CULTURA O objetivo neste trabalho foi avaliar a aplicação de macronutrientes de diversas fontes e épocas de aplicação

Leia mais

ADUBOS FLUÍDOS (líquidos)

ADUBOS FLUÍDOS (líquidos) Universidade Federal do Paraná Departamento de Solos e Engenharia Agrícola Volnei Pauletti ADUBOS FLUÍDOS (líquidos) Conceitos Uso Vantagens Matérias primas Fabricação 1 Adubos líquidos ou fluídos: CONCEITOS

Leia mais

Sistema Embrapa de Produção Agroindustrial de Sorgo Sacarino para Bioetanol Sistema BRS1G Tecnologia Qualidade Embrapa

Sistema Embrapa de Produção Agroindustrial de Sorgo Sacarino para Bioetanol Sistema BRS1G Tecnologia Qualidade Embrapa 42 A recomendação de corte de colmos pelos equipamentos de colheita é de 20 cm, considerando que os campos de produção situam-se um pouco distante das moendas, ocorrendo fermentação dos colmos e perda

Leia mais

Manejo da cultura para máxima produtividade e menor custo no feijoeiro

Manejo da cultura para máxima produtividade e menor custo no feijoeiro Manejo da cultura para máxima produtividade e menor custo no feijoeiro Orivaldo Arf Rogério Peres Soratto Anderson Teruo Takasu Daiene Camila Dias Chaves Corsini Gustavo Antônio Xavier Gerlach José Roberto

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Campus Experimental de Dracena Curso de Zootecnia Disciplina: Fertilidade do solo e fertilizantes

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Campus Experimental de Dracena Curso de Zootecnia Disciplina: Fertilidade do solo e fertilizantes UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Campus Experimental de Dracena Curso de Zootecnia Disciplina: Fertilidade do solo e fertilizantes FERTILIZANTES E CORRETIVOS: CONCEITOS BÁSICOS E CLASSIFICAÇÃO Prof. Dr.

Leia mais

O Uso de Micronutrientes nas culturas de Soja e Milho no Brasil

O Uso de Micronutrientes nas culturas de Soja e Milho no Brasil O Uso de Micronutrientes nas culturas de Soja e Milho no Brasil José Francisco da Cunha Eng. Agrônomo Tec-fertil / Agroprecisa, Vinhedo SP, Brasil cunha@agroprecisa.com.br Jornada Técnica: Micronutrientes

Leia mais

NUTRIÇÃO FOLIAR (FATOS E REALIDADES) Prof. Dr. Tadeu T. Inoue Solos e Nutrição de Plantas Universidade Estadual de Maringá Departamento de Agronomia

NUTRIÇÃO FOLIAR (FATOS E REALIDADES) Prof. Dr. Tadeu T. Inoue Solos e Nutrição de Plantas Universidade Estadual de Maringá Departamento de Agronomia NUTRIÇÃO FOLIAR (FATOS E REALIDADES) Prof. Dr. Tadeu T. Inoue Solos e Nutrição de Plantas Universidade Estadual de Maringá Departamento de Agronomia FATOS 80.000 70.000 60.000 ÁREA CULTIVADA (milhões/ha)

Leia mais

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015 EFEITO DO PENERGETIC P e K NA CULTURA DO ALGODÃO Fabiano Andrei Bender da Cruz. Pesquisador/Consultor Fundação Bahia, Engo. Agro. Dr. CREA 1406202312/MG. Aline Fabris. Estagiária, Acadêmica do Curso de

Leia mais

Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Feijão Ac. Felipe Augusto Stella Ac. João Vicente Bragança Boschiglia Ac. Luana Machado Simão

Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Feijão Ac. Felipe Augusto Stella Ac. João Vicente Bragança Boschiglia Ac. Luana Machado Simão UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DO SOLO LSO526 Adubos e Adubações Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Feijão Ac. Felipe Augusto

Leia mais

A cultura da soja. Recomendação de correção e adubação

A cultura da soja. Recomendação de correção e adubação Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz LSO 526 - Adubos e Adubação A cultura da soja Recomendação de correção e adubação Piracicaba, Junho 2017 Eduardo de Castro Mattos

Leia mais

DIAGNOSE FOLIAR EM ARROZ. N. K. Fageria EMBRAPA Arroz e Feijão, Caixa Postal 179, Santo Antônio de Goiás

DIAGNOSE FOLIAR EM ARROZ. N. K. Fageria EMBRAPA Arroz e Feijão, Caixa Postal 179, Santo Antônio de Goiás DIAGNOSE FOLIAR EM ARROZ N. K. Fageria EMBRAPA Arroz e Feijão, Caixa Postal 179, Santo Antônio de Goiás Tabela 1. Área, produção e produtividade do arroz no Brasil. Safra 2006/2007. Região Área (10 6

Leia mais

FONTES DE MICRONUTRIENTES

FONTES DE MICRONUTRIENTES FONTES DE MICRONUTRIENTES Inorgânicas (Minerais) Orgânicas - Ácidos - Sais - Óxidos - Oxi-Sulfatos - Silicatos (F.T.E.) - Cloretos - Quelatos - Esteres B PRINCIPAIS FONTES DE MICRONUTRIENTES UTILIZADAS

Leia mais

Recomendação de P em solos com fertilidade construída

Recomendação de P em solos com fertilidade construída III Workshop de Fertilizantes Recomendação de P em solos com fertilidade construída Dr. Eros Francisco IPNI Brasil IPNI O International Plant Nutrition Institute (IPNI) é uma organização nova, sem fins

Leia mais

Recomendação de calagem e adubação

Recomendação de calagem e adubação Recomendação de calagem e adubação Na agricultura, a recomendação de calagem e adubação para as culturas é geralmente efetuada com base nas doses de corretivos e fertilizantes que assegurem entre 80% e

Leia mais

A Cultura da Cana-de-Açúcar

A Cultura da Cana-de-Açúcar A Cultura da Cana-de-Açúcar Saul Carvalho 11. Adubação Nutrição de plantas Noções gerais Fornecimento de nutrientes essenciais ao desenvolvimento completo das plantas Macronutrientes Primários: N, P, K

Leia mais

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO Manejo de Agroecosistemas Sustentaveis Monferrer 431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO José C. Cruz 1 ; Israel A. Pereira Filho 1 ;

Leia mais

Estratégias de manejo do solo e fertilidade

Estratégias de manejo do solo e fertilidade Estratégias de manejo do solo e fertilidade Rotação de culturas; Utilização de adubaçao verde; Consorciação entre espécies; Plantio direto; Cobertura morta e viva; Mineralização do solo; Inserção de espécies

Leia mais

A CULTURA DO MILHO: CORREÇÃO, ADUBAÇÃO E ESTUDO DE CASO

A CULTURA DO MILHO: CORREÇÃO, ADUBAÇÃO E ESTUDO DE CASO Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Ciência do Solo A CULTURA DO MILHO: CORREÇÃO, ADUBAÇÃO E ESTUDO DE CASO Angelo Spatti Canassa Felippe Hoffmann Silva

Leia mais

ADUBAÇÃO NPK DO ALGODOEIRO ADENSADO DE SAFRINHA NO CERRADO DE GOIÁS *1 INTRODUÇÃO

ADUBAÇÃO NPK DO ALGODOEIRO ADENSADO DE SAFRINHA NO CERRADO DE GOIÁS *1 INTRODUÇÃO Página 1495 ADUBAÇÃO NPK DO ALGODOEIRO ADENSADO DE SAFRINHA NO CERRADO DE GOIÁS *1 Maria da Conceição Santana Carvalho 1 ; Alexandre Cunha de Barcellos Ferreira 2 ; Ana Luiza Borin 2 1 Embrapa Arroz e

Leia mais

CURSO DE AGRONOMIA FERTILIDADE DO SOLO

CURSO DE AGRONOMIA FERTILIDADE DO SOLO CURSO DE AGRONOMIA FERTILIDADE DO SOLO Prof. Leandro Souza da Silva Prof. Carlos Alberto Ceretta Prof. Danilo R. dos Santos Aula 1 Bases conceituais à fertilidade do solo Fertilidade do solo Solo -Sistema

Leia mais

17 EFEITO DA APLICAÇÃO DE MICRONUTRIENTES NA

17 EFEITO DA APLICAÇÃO DE MICRONUTRIENTES NA 17 EFEITO DA APLICAÇÃO DE MICRONUTRIENTES NA PRODUTIVIDADE DA SOJA O objetivo deste experimento foi avaliar a resposta do programa nutricional via foliar recomendado pela microquímica na cultura da soja

Leia mais

Adubação de Sistema Integrado

Adubação de Sistema Integrado Adubação de Sistema Integrado Tangará, 22 de novembro de 216 Equipe PMA Leandro Zancanaro Adubação de Sistema e Implicações Práticas dos Sistemas de Produção de Grãos no MT Tangará, 22 de novembro de 216

Leia mais

Eficiência Agronômica de Compostos de Aminoácidos Aplicados nas Sementes e em Pulverização Foliar na Cultura do Milho 1. Antônio M.

Eficiência Agronômica de Compostos de Aminoácidos Aplicados nas Sementes e em Pulverização Foliar na Cultura do Milho 1. Antônio M. Eficiência Agronômica de Compostos de Aminoácidos Aplicados nas Sementes e em Pulverização Foliar na Cultura do Milho 1 Antônio M. Coelho 2 1 Parcialmente financiado pela Sul Óxidos Industria e Comércio

Leia mais

Nutrição, Adubação e Calagem

Nutrição, Adubação e Calagem Nutrição, Adubação e Calagem Importância da nutrição mineral Embora o eucalipto tenha rápido crescimento, este é muito variável. Os principais fatores que interferem no crescimento estão relacionados com

Leia mais

Fertilidade do Solo, Adubação e Nutrição da Cultura do Milho Safrinha

Fertilidade do Solo, Adubação e Nutrição da Cultura do Milho Safrinha Fertilidade do Solo, Adubação e Nutrição da Cultura do Milho Safrinha Dirceu Luiz Broch Sidnei Kuster Ranno.. Características edafoclimáticas e a correção de solo O Estado do Mato Grosso do Sul (MS) apresenta

Leia mais

MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO NO CERRADO

MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO NO CERRADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE RONDONÓPOLIS INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E TECNOLÓGICAS MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO NO CERRADO Edicarlos Damacena

Leia mais

PRODUTIVIDADE DE SOJA EM RESPOSTA AO ARRANJO ESPACIAL DE PLANTAS E À ADUBAÇÃO NITROGENADA ASSOCIADA A FERTILIZAÇÃO FOLIAR

PRODUTIVIDADE DE SOJA EM RESPOSTA AO ARRANJO ESPACIAL DE PLANTAS E À ADUBAÇÃO NITROGENADA ASSOCIADA A FERTILIZAÇÃO FOLIAR 28 Resumos da XXXIII Reunião de Pesquisa de Soja da Região Central do Brasil - Londrina, PR, agosto de 203 5 PRODUTIVIDADE DE SOJA EM RESPOSTA AO ARRANJO ESPACIAL DE PLANTAS E À ADUBAÇÃO NITROGENADA ASSOCIADA

Leia mais

Adubação de Plantas Ornamentais. Professora Juliana Ferrari

Adubação de Plantas Ornamentais. Professora Juliana Ferrari Adubação de Plantas Ornamentais Professora Juliana Ferrari Indícios que a planta pode precisar de nutrientes O crescimento se torna lento; Adubação É o método de corrigir as deficiências de nutrientes

Leia mais

Adubação de plantio para Eucalyptus sp.

Adubação de plantio para Eucalyptus sp. LSO0526 - Adubos e Adubação Adubação de plantio para Eucalyptus sp. Manoel Augusto Luiz Almeida 16 de junho de 2016 Eucalyptus sp. Aproximadamente 600 espécies; Grande variação genótipica; 5,37 milhões

Leia mais

Campos Safra 14/15. Programa Nutricional Produquimica Regional Goiás/DF

Campos Safra 14/15. Programa Nutricional Produquimica Regional Goiás/DF Campos Safra 14/15 Programa Nutricional Produquimica /DF Produquimica Germinação em canteiro Padrão Produtor Top 5 Novembro/ Top 5: Sementes Produtiva Tratamento de Sementes Sementes Produtiva Formosa/GO

Leia mais

Inoculação e Coinoculação na Cultura da Soja

Inoculação e Coinoculação na Cultura da Soja 01 Inoculação e Coinoculação na Cultura da Soja 1 Douglas de Castilho Gitti A associação simbiótica entre as raízes da soja e as bactérias do gênero Bradyrhizobium contribui com todo o nitrogênio que a

Leia mais

PP = 788,5 mm. Aplicação em R3 Aplicação em R5.1. Aplicação em Vn

PP = 788,5 mm. Aplicação em R3 Aplicação em R5.1. Aplicação em Vn Fabiano Andrei Bender da Cruz. Pesquisador/Consultor Fundação Bahia, Eng o. Agr o. Dr. CREA 40620232/MG. Aline Fabris. Estagiária, Acadêmica do Curso de Agronomia, convênio FAAHF/Fundação Bahia. Edimilson

Leia mais

Insumos Agropecuários: Fertilizantes. Cadeias Produtivas Agrícolas

Insumos Agropecuários: Fertilizantes. Cadeias Produtivas Agrícolas Insumos Agropecuários: Fertilizantes Cadeias Produtivas Agrícolas Insumos Agropecuários Segundo dados da Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários, o mercado distribuidor

Leia mais

Efeito do uso de MAP revestido com polímeros de liberação gradual em parâmetros vegetativos do milho.

Efeito do uso de MAP revestido com polímeros de liberação gradual em parâmetros vegetativos do milho. Efeito do uso de MAP revestido com polímeros de liberação gradual em parâmetros vegetativos do milho. Wender S. Rezende 1,5, Flavia B. Agostinho 1,6, Érico A.S. Borges 1,7, Francis E. da Silva 2,8, Adriane

Leia mais

O POTÁSSIO NO SOLO CLASSIFICAÇÃO DO POTÁSSIO TOTAL DO SOLO: 1. Tisdale & Nelson (1975): Critério de disponibilidade no nutriente no solo:

O POTÁSSIO NO SOLO CLASSIFICAÇÃO DO POTÁSSIO TOTAL DO SOLO: 1. Tisdale & Nelson (1975): Critério de disponibilidade no nutriente no solo: INTRODUÇÃO POTÁSSIO: Segundo elemento mais exigido pelas culturas; Aumento da quantidade utilizada, originada pela agricultura intensiva e tecnificada; Solos brasileiros não possuem teores adequados de

Leia mais

MICRONUTRIENTES ANIÔNICOS

MICRONUTRIENTES ANIÔNICOS MICRONUTRIENTES ANIÔNICOS Prof. Volnei Pauletti Departamento de Solos e Engenharia Agrícola vpauletti@ufpr.br BORO Micronutrientes aniônicos Boro Micronutrientes aniônicos NO SOLO Disponibilidade: ligada

Leia mais

Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017. Campeão CENTRO-OESTE. Produtor: Elton Zanella Consultor: Marcos Adriano Storch

Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017. Campeão CENTRO-OESTE. Produtor: Elton Zanella Consultor: Marcos Adriano Storch Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017 Campeão CENTRO-OESTE Produtor: Elton Zanella Consultor: Marcos Adriano Storch GRUPO ZANELLA Fazenda Zanella II (Campos de Júlio - MT) Participa do desafio

Leia mais

NUTRIÇÃO DE PLANTAS. Engª Agrª Clélia Maria Mardegan.... O homem vale o quanto sabe

NUTRIÇÃO DE PLANTAS. Engª Agrª Clélia Maria Mardegan.... O homem vale o quanto sabe NUTRIÇÃO DE PLANTAS Engª Agrª Clélia Maria Mardegan... O homem vale o quanto sabe 1 Bimestre: AVALIAÇÃO 1ª Prova escrita individual (0 10) Elaboração e entrega de trabalho escrito em grupo (0-10) texto

Leia mais

Efeito do uso de MAP revestido com polímeros de liberação gradual em teores de nitrogênio e fósforo foliares na cultura do milho.

Efeito do uso de MAP revestido com polímeros de liberação gradual em teores de nitrogênio e fósforo foliares na cultura do milho. Efeito do uso de MAP revestido com polímeros de liberação gradual em teores de nitrogênio e fósforo foliares na cultura do milho. É. A. S 1. Borges, F. B. Agostinho 1, W. S. Rezende 1, 2 F. E. Santos,

Leia mais

Manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho

Manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho Manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho Atualmente, pode-se dizer que um dos aspectos mais importantes no manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho refere-se à época de aplicação e

Leia mais

Balanço do Potássio em Solo do Cerrado no Sistema Plantio Direto Termos para indexação Introdução

Balanço do Potássio em Solo do Cerrado no Sistema Plantio Direto Termos para indexação Introdução Balanço do Potássio em Solo do Cerrado no Sistema Plantio Direto Daiene Bittencourt Mendes Santos 1, Djalma Martinhão Gomes de Sousa 2, Wenceslau J. Goedert 1 ( 1 Universidade de Brasília, Campus Universitário

Leia mais

Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017. Campeão CENTRO-OESTE. Produtor: Elton Zanella Consultor: Marcos Adriano Storch

Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017. Campeão CENTRO-OESTE. Produtor: Elton Zanella Consultor: Marcos Adriano Storch Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017 Campeão CENTRO-OESTE Produtor: Elton Zanella Consultor: Marcos Adriano Storch GRUPO ZANELLA Fazenda Zanella II (Campos de Júlio - MT) Participa do desafio

Leia mais

Fertilidade de Solos

Fertilidade de Solos Cultivo do Milho Economia da Produção Zoneamento Agrícola Clima e Solo Ecofisiologia Manejo de Solos Fertilidade de Solos Cultivares Plantio Irrigação Plantas daninhas Doenças Pragas Colheita e póscolheita

Leia mais

Produtor: Rui Gaio Consultor: Eng. Agr. Ivair Gomes Relator: Biólogo Sergio Abud. Revisores Eng. Agr. Henry Sako Prof. Dr. Antonio Luiz Fancelli

Produtor: Rui Gaio Consultor: Eng. Agr. Ivair Gomes Relator: Biólogo Sergio Abud. Revisores Eng. Agr. Henry Sako Prof. Dr. Antonio Luiz Fancelli Produtor: Rui Gaio Consultor: Eng. Agr. Ivair Gomes Relator: Biólogo Sergio Abud Revisores Eng. Agr. Henry Sako Prof. Dr. Antonio Luiz Fancelli Produtividade (sc/ha) 83,42 43 100,63 108,71 102,78 51 56

Leia mais

Adubar a planta ou o sistema? Dr. Eros Francisco Diretor Adjunto IPNI Brasil

Adubar a planta ou o sistema? Dr. Eros Francisco Diretor Adjunto IPNI Brasil Adubar a planta ou o sistema? Dr. Eros Francisco Diretor Adjunto IPNI Brasil Bonito/MS 13 Agosto, 2014 IPNI O International Plant Nutrition Institute (IPNI) é uma organização nova, sem fins lucrativos,

Leia mais

38º Congresso Brasileiro de Pesquisas Cafeeiras DOSES DE ADUBAÇÃO NITROGENADA E POTÁSSICA NA PRODUTIVIDADE DE CAFEEIROS NAS MATAS DE MINAS

38º Congresso Brasileiro de Pesquisas Cafeeiras DOSES DE ADUBAÇÃO NITROGENADA E POTÁSSICA NA PRODUTIVIDADE DE CAFEEIROS NAS MATAS DE MINAS 38º Congresso Brasileiro de Pesquisas Cafeeiras DOSES DE ADUBAÇÃO NITROGENADA E POTÁSSICA NA PRODUTIVIDADE DE CAFEEIROS NAS MATAS DE MINAS Gustavo N. G. P. Rosa, Eng. Agr. M. Sc. Fitotecnia Sup. Téc. CEPEC

Leia mais

Campeão da Região Sudeste. (Produtor) (Consultor) (Estudo de caso) (Relator)

Campeão da Região Sudeste. (Produtor) (Consultor) (Estudo de caso) (Relator) Campeão da Região Sudeste (Produtor) (Consultor) (Estudo de caso) (Relator) Produtor: Ivaldo Lemes da Costa Consultor: Cleber Longhin Cultura: SOJA Propriedade Agrícola: Sítio Matarazzo Município: Itapetininga/SP

Leia mais

Adubação da Cultura da Soja no Paraná e Goiás

Adubação da Cultura da Soja no Paraná e Goiás Tema 2 Manejo da adubação com ênfase na aplicação a lanço Adubação da Cultura da Soja no Paraná e Goiás Adilson de Oliveira Junior César de Castro Fábio Álvares de Oliveira Vinícius Benites Pesquisadores

Leia mais

CONTEÚDO DO MICRONUTRIENTE MOLIBDÊNIO NA SEMENTE DE FEIJÃO E PRODUTIVIDADE DAS PLANTAS-FILHAS

CONTEÚDO DO MICRONUTRIENTE MOLIBDÊNIO NA SEMENTE DE FEIJÃO E PRODUTIVIDADE DAS PLANTAS-FILHAS 74 CONTEÚDO DO MICRONUTRIENTE MOLIBDÊNIO NA SEMENTE DE FEIJÃO E PRODUTIVIDADE DAS PLANTAS-FILHAS Gilmar Silvério da Rocha (1), Rogério Faria Vieira (2), Luiz Tarcísio Salgado (2), Alexandre Cunha de Barcellos

Leia mais

Marco Antonio Nogueira 1 Mariangela Hungria 2

Marco Antonio Nogueira 1 Mariangela Hungria 2 40 40ª Reunião de Pesquisa de Soja da Região Sul - Atas e Resumos Resumos Boas Práticas de Inoculação em Soja Marco Antonio Nogueira 1 Mariangela Hungria 2 A soja (Glycine max L. Merill) é uma cultura

Leia mais

qualidade dos alimentos

qualidade dos alimentos UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - USP LABORATÓRIO DE GENÉTICA BIOQUÍMICA DE PLANTAS - ESALQ LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS - CENA Contribuição da nutrição adequada para qualidade dos alimentos ANTONIO

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE MICRONUTRIENTES

UTILIZAÇÃO DE MICRONUTRIENTES VI CURSO DE FERTILIDADE DO SOLO E PLANTIO DIRETO UTILIZAÇÃO DE ICRONUTRIENTES Carlos Alberto Bissani Clesio Gianello UFRGS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Departamento de Solos Faculdade de Agronomia

Leia mais

ABSORÇÃO FOLIAR. Prof. Josinaldo Lopes Araujo. Plantas cultivadas dividem-se em: Folhas Caule Raízes

ABSORÇÃO FOLIAR. Prof. Josinaldo Lopes Araujo. Plantas cultivadas dividem-se em: Folhas Caule Raízes ABSORÇÃO FOLIAR Prof. Josinaldo Lopes Araujo 1 INTRODUÇÃO Plantas cultivadas dividem-se em: Folhas Caule Raízes Cada parte tem uma função definida As folhas absorvem água e nutrientes Porque essa capacidade?

Leia mais

III Workshop Fertilizantes

III Workshop Fertilizantes III Workshop Fertilizantes Yoorin Fertilizantes Robson Murate Depto. Agronômico GRUPO CURIMBABA 01 Fundação: 1961 Sede: Poços de Caldas - MG Mercado de fertilizantes: 2011 PORTFÓLIO YOORIN FERTILIZANTES

Leia mais

Adubação de Lavouras Podadas. Alysson Vilela Fagundes Eng. Agr.Fundação Procafé

Adubação de Lavouras Podadas. Alysson Vilela Fagundes Eng. Agr.Fundação Procafé Adubação de Lavouras Podadas Alysson Vilela Fagundes Eng. Agr.Fundação Procafé Aspectos relevantes e indispensáveis 1. Tipos de Podas Critérios básicos para o sucesso das podas 2. Adubação do cafeeiro

Leia mais

Manejo do Nitrogênio como percussor de melhoria nas produtividades de Milho

Manejo do Nitrogênio como percussor de melhoria nas produtividades de Milho Manejo do Nitrogênio como percussor de melhoria nas produtividades de Milho Elevadas produtividades de grãos de milho são possíveis a partir do conhecimento da fisiologia, fenologia e manejo da cultura.

Leia mais

Adubação dos Sistemas de Produção de Grãos e Fibras

Adubação dos Sistemas de Produção de Grãos e Fibras P R O M O Ç Ã O E R E A L I Z A Ç Ã O O R G A N I Z A Ç Ã O Adubação dos Sistemas de Produção de Grãos e Fibras Eros Francisco IPNI Brasil Diretor Adjunto IPNI missão ü O International Plant Nutrition

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE ADUBOS NK DE LENTA OU PROGRAMADA LIBERAÇÃO, PROTEGIDOS, ORGANOMINERAIS E ORGÂNICOS ASPECTOS GERAIS ROBERTO SANTINATO

UTILIZAÇÃO DE ADUBOS NK DE LENTA OU PROGRAMADA LIBERAÇÃO, PROTEGIDOS, ORGANOMINERAIS E ORGÂNICOS ASPECTOS GERAIS ROBERTO SANTINATO UTILIZAÇÃO DE ADUBOS NK DE LENTA OU PROGRAMADA LIBERAÇÃO, PROTEGIDOS, ORGANOMINERAIS E ORGÂNICOS ASPECTOS GERAIS ROBERTO SANTINATO ADUBAÇÃO TRADICIONAL NK Fundamentada = Adubos solúveis NITROGÊNIO POTÁSSIO

Leia mais

Relatório de pesquisa de utilização de basalto na agricultura biodinâmica em parceria com o Grupo Siqueira.

Relatório de pesquisa de utilização de basalto na agricultura biodinâmica em parceria com o Grupo Siqueira. Relatório de pesquisa de utilização de basalto na agricultura biodinâmica em parceria com o Grupo Siqueira. Efeito de basalto e preparados biodinâmicos na produtividade de aveia preta e milho em cultivo

Leia mais

OBJETIVO SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DA ADUBAÇÃO NPKS MINERAL (QUÍMICA) POR ORGÂNICA COM E. GALINHA MAIS PALHA DE CAFÉ

OBJETIVO SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DA ADUBAÇÃO NPKS MINERAL (QUÍMICA) POR ORGÂNICA COM E. GALINHA MAIS PALHA DE CAFÉ ADUBAÇÃO ORGÂNICA NA FORMAÇÃO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO EM SOLO CERRADO LATOSSOLO VERMELHO DISTROFERICO COM DOSES CRESCENTES DE ESTERCO DE GALINHA POEDEIRA MAIS PALHA DE CAFÉ ASSOCIADAS Á ADUBAÇÃO MINERAL

Leia mais

Piracicaba SP / 09 de Junho de 2016

Piracicaba SP / 09 de Junho de 2016 Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Ciência do Solo LSO 526 Adubos e Adubação 1 Attilio Kandrotas Bercht nºusp 8019586 Érica Tiemi Okamura n USP 7656001

Leia mais

Escarificação mecânica e biológica do solo

Escarificação mecânica e biológica do solo Escarificação mecânica e biológica do solo Eng. Agr. M.Sc. Douglas de Castilho Gitti Pesquisador de Manejo e Fertilidade do Solo Textura do solo 1 Estrutura do solo Estrutura do solo Observe o esporo do

Leia mais

PROGRAMAS DE FERTILIZAÇÃO NOS 1 OS ANOS FILIPE COSTA. Workshop Fertilização nos primeiros anos Abril de 2014

PROGRAMAS DE FERTILIZAÇÃO NOS 1 OS ANOS FILIPE COSTA. Workshop Fertilização nos primeiros anos Abril de 2014 PROGRAMAS DE FERTILIZAÇÃO NOS 1 OS ANOS FILIPE COSTA APRESENTAÇÃO Pequena introdução teórica Apresentação do meu testemunho de fertilização NUTRIÇÃO EM FRUTICULTURA Fertilização das Culturas Arbóreas distingue-se

Leia mais

SEMENTES PRÉ INOCULADAS ABRA E PLANTE. CSM PARANA Agosto, 2016

SEMENTES PRÉ INOCULADAS ABRA E PLANTE. CSM PARANA Agosto, 2016 SEMENTES PRÉ INOCULADAS ABRA E PLANTE CSM PARANA Agosto, 2016 Opções de inoculação Porque inocular? Porque reinocular? CTS200/SYS LL Tecnologia LCO Resultados de ensaios ABRE E PLANTE OPÇÕES DE INOCULAÇÃO

Leia mais

AULA FINAL / PARTE 1. Gil Miguel de Sousa Câmara Professor Associado

AULA FINAL / PARTE 1. Gil Miguel de Sousa Câmara Professor Associado AULA FINAL / PARTE 1 Gil Miguel de Sousa Câmara Professor Associado 4.1 ÉPOCAS DE SEMEADURA PARA SOJA NO BRASIL Denominações Das Épocas 1. Normal Meses e Respectivas Quinzenas SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR

Leia mais

5. INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DAS ANÁLISES DE SOLOS

5. INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DAS ANÁLISES DE SOLOS 5. INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DAS ANÁLISES DE SOLOS Victor Hugo Alvarez V. 1 Roberto Ferreira de Novais 2 Nairam Félix de Barros 3 Reinaldo Bertola Cantarutti 4 Alfredo Scheid Lopes 5 Os critérios a

Leia mais

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015 MANEJO NUTRICIONAL E FISIOLÓGICO NA CULTURA DO ALGODÃO

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015 MANEJO NUTRICIONAL E FISIOLÓGICO NA CULTURA DO ALGODÃO FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS MANEJO NUTRICIONAL E FISIOLÓGICO NA CULTURA DO ALGODÃO Dr. Fabiano A. Bender da Cruz Eng. Agro. Consultor/Pesquisador FBA Edimilson Marques Lima Ass. Pesquisa,

Leia mais