Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Feijão Ac. Felipe Augusto Stella Ac. João Vicente Bragança Boschiglia Ac. Luana Machado Simão

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Feijão Ac. Felipe Augusto Stella Ac. João Vicente Bragança Boschiglia Ac. Luana Machado Simão"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DO SOLO LSO526 Adubos e Adubações Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Feijão Ac. Felipe Augusto Stella Ac. João Vicente Bragança Boschiglia Ac. Luana Machado Simão

2 Resumo I. Introdução à cultura II. Práticas corretivas III. Adubação de semeadura e cobertura IV.Estudo de caso V. Conclusão

3 Introdução Phaseolus vulgaris América do Sul Brasil maior produtor Alimentação humana

4 Características da Cultura Planta muito sensível ao estresse hídrico e a temperatura (18-26ºC) Necessidade hídrica durante o ciclo: 400mm. Profundidade de plantio : 3 a 5 cm Plantio feito em 3 épocas: - águas - secas - inverno Plantio: Out-Nov Colheita: Jan-Fev Produtividade varia de a kg/ha

5 Aspectos econômicos REGIÃO/UF Área (mil ha) Produtividade (kg ha -1 ) Produção (mil ton) 1ª safra 2ª safra 3ª safra 1ª safra 2ª safra 3ª safra 1ª safra 2ª safra 3ª safra NORTE/NORDESTE 514,8 767,3 454,4 429,0 358,0 650,0 220,7 274,7 295,4 CENTRO-SUL 548,6 678,5 224,9 1625,0 1567,0 2565,0 891,7 1063,1 577,0 BRASIL 1063,4 1445,8 679,3 1046,0 925,0 1284,0 1112,4 1337,8 872,4 Fonte: Adaptado de Conab/IBGE (2015). 1ª safra: Agosto a dezembro 2ª safra: Janeiro a junho 3ª safra: Março a junho

6 Produtividade média: 17,5 sc ha -1 Fonte: Conab/IBGE. (2015)

7

8 Práticas Corretivas Neutralização de Al, ph e fornecimento de nutrientes Auxiliam o CALAGEM GESSAGEM FOSFATAGEM

9 Calagem Calagem por Boletim de MG (Ribeiro et al, 1999) Aplicar calcário até atingir saturação por bases V% = 70% (V1) Método da Saturação de Bases NC = (V1 V2) x CTC PRNT QC = NC x (SC/100) x (PF/20) x (100/PRNT) Considerando-se SC=100%, PF=20 cm, temos: QC = CTC x (70-V) PRNT

10 Calagem Calagem por Boletim de MG (Ribeiro et al, 1999) Método de neutralização de Al 3+ e elevação de teores de Ca 2+ e Mg 2+ NC= Y x [Al 3+ - (15. t/100)] + [2,0 - (Ca 2+ + Mg 2+ )] Onde: T = CTC efetiva cmol c dm -3 Y = Valor variável em função da capacidade tampão da acidez do solo (CTH) e que pode ser definido de acordo com a textura do solo

11 Calagem Calagem por Boletim 100/IAC (Raij et al, 1997) Aplicar calcário até atingir saturação por bases V% = 70%(V1) Método da Saturação de Bases NC = (V1 V2) x CTC PRNT

12 Calagem Calagem por Boletim Cerrado CTC > 4,0 cmol c dm -3, teor de argila > 15% e teor de Ca + Mg < 2,0 cmol c dm -3 : NC = [(2 x Al) (Ca + Mg)] x f CTC > 4,0 cmol c dm -3, teor de argila > 15% e teor de Ca + Mg > 2,0 cmol c dm -3 : NC = (2 x Al) x f f = fator de correção para qualidade do calcário (f = 100/PRNT)

13 Gessagem Gessagem por Boletim de MG (Ribeiro et al, 1999) Com base na textura do solo: Argila NG % t ha -1 0 a 15 0,0 a 0,4 15 a 35 0,4 a 0,8 35 a 60 0,8 a 1,2 60 a 100 1,2 a 1,6 NG = 0, , X 0,5 + 0, X - 0, X 1,5 QG (t ha -1 ) = NG (t ha -1 ) x EC (cm) / 20

14 Gessagem Gessagem por Boletim 100/IAC (Raij et al, 1997) Participação de Ca na CTCe < 40% e/ou m% > 20% na camada de 20 a 40 cm; N.G. (kg ha -1 ) = [cmolcal/dm 3 - (0,2 CTCe)] x 2,5 ou N.G. (kg ha -1 ) = [(0,4 x CTCe) - cmolcca/dm 3 ] x 2,5

15 Gessagem Gessagem por Boletim Cerrado m% > 20% ou teor de Ca < 0,5 cmol c dm -3 na camada de 20 a 40 cm: Textura do Solo Dosagem de gessso Cultura Anual D.G. (kg.ha -1 ) = 50 x argila (%) Arenosa 700 Média 1200 Argiloso 2200 Muito Argiloso 3200

16 Fosfatagem Elevação dos teores de P no solo; Ocupar pontos de fixação de P no solo. Classes de interpretação da disponibilidade para o fósforo de acordo com o teor de argila do solo ou do valor de fósforo remanescente (P-rem).

17

18 Minas Gerais NT1 = (calagem, adubação, sementes catadas, a plantas/ha, capinas até 30 dias após a emergência (DAE)). NT2 = (calagem, adubação, sementes fiscalizadas, a plantas/ha, controle fitossanitário, tratamento de Sementes) NT3 = (NT2, herbicidas, irrigação) NT4 = (NT3, apenas com maiores doses de adubos)

19 Minas Gerais Nível Técnológico N 1/ Plantio Disponibilidade de P 4/ Disponibilidade de K 4/ Baixa Média Boa Baixa Média Boa Dose de P 2 O Dose de K 2 O ---- N Cobertura kg/ha NT / NT / NT / NT /

20 Minas Gerais Em solos com baixos teores de magnésio e, ou, enxofre, aplicar 20 kg/ha desses nutrientes. Constatando deficiências de boro e, ou, zinco, aplicar 1 kg/ha de B e 2 a 4 kg/ha de Zn. Efetuar aplicação foliar 60 g/ha de Mo (154 g/ha de molibdato de sódio ou 111 g/ha de molibdato de amônio) entre 15 e 25 DAE.

21 São Paulo Produtiv. esperada N P resina, mg/dm³ K+ trocável, mmolc/dm³ ,7 0,8-1,5 1,6-3,0 >3,0 t/há N, kg/há P₂O₅, kg/há K₂O 1,0-1, ,5-2, ,5-3,

22 São Paulo Enxofre: 20 kg/ha para estimativa de produção de 2t/ha e 30 kg/há para produtividades acima dessa meta. Zinco: 3 kg/ha quando o teor de Zn-DTPA no solo for menor que 0,6 mg/dm³ e Boro: 1 kg/ha quando o teor de B (água quente) for inferior a 0,21 mg/dm³. Não empregar mais de 50 kg/ha de K₂O no sulco de plantio, o excedente faz-se em cobertura juntamente com o nitrogênio (25 DAE)

23 Cerrado Expectativa de rendimento N P extraível K extraível Adequado Alto Adequado Alto t ha -1 Kg/ha Kg/ha de P₂O₅ Kg/ha de K₂O

24 Cerrado Cobertura Expectativa de rendimento t/ha N kg/ha

25 Cerrado Recomenda-se aplicar, a lanço: I. 2,0 kg/ha de boro, II. 6,0 kg/ha de manganês, III. 0,4 kg/ha de molibdênio e IV. 6,0 kg/ha de zinco.

26

27 Recomendação de correção e adubação para a cultura do feijão Análise de solo (estado do MT) ========> BOLETEIM DO CERRADO Produtividade esperada: 2,5 ton/ha Amostras ph CaCl2 M.O. P Resina K Ca Mg H+Al Al SB CTC Sat.bases Sat.Al S-SO4 g/dm³ mg/dm³ mmolc/dm³ V% m% mg dm³ , , , , Cu Fe Zn Mn B Amostras DTPA (água quente) mg/dm³ ,2 16 0,3 1,9 0, ,9 12 0,4 1,4 0,30

28 Calagem Recomendação- Boletim do cerrado -Não há recomendação de calcário para esta área pois o V% esta dentro do valor desejado Gessagem -Não há necessidade de gesso pois tanto na saturação por alumínio quanto o teor de cálcio estão dentro dos níveis ideais Amostras Ca Mg H+Al Al CTC Sat.bases Sat.Al mmolc/dm³ V% m%

29 Recomendação- Boletim do cerrado Fosfatagem Conforme a análise de solo os teores de fósforo estão abaixo de 7 mg/dm 3, por isso recomenda-se elevar os teores a 20 mg/dm 3 para isso é necessário 60 kg P 2 O 5 ha -1. Considerando uma eficiência de 40% deve ser feita a uma aplicação de 150 kg P 2 O 5 ha -1.

30 Recomendação- Boletim do cerrado Adubação de Plantio Plantio N P 2 O 5 K 2 O kg ha Levando em consideração a análise de solo observa-se que tanto o Boro quanto o Zinco estão em deficiência no solo.

31 Adubação de plantio de nitrogênio,potássio e fósforo (*3) t= /0,21 = 285,7 kg de Sulf. de amônio 150/0,44 = 341 kg de ST 180/0,6 = 300 kg de KCl 32,4 kg de enchimento 1t do formulado kg de KCl X kg de K₂O X = 333,33 kg do formulado SOMA = KG

32 Adubação de B e Zn e Formulado 333,33 kg d0 formulado % 2 kg/ha de B Y Y = 0,6% de B 333,33 kg do formulado % 6 kg de Zn Z W = 1,8% de Zn Assim temos a formulação final: ,6% de B + 1,8% de Zn

33 Recomendação- Boletim do cerrado Adubação de cobertura N Cobertura K 2 O kg ha kg de KCl ,6 kg de K₂O Y kg de K₂O Y = 67 kg/ha de KCl 1 kg de Uréia ,45 kg de N X kg de N X = 89 kg/ha de Uréia

34 Conclusão

35 Referências Bbibliográficas Referências Bibliográficas FANCELLI, A. L.; Feijão Tópicos de Nutrição e Adubação. Departamento de Produção Vegetal. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Universidade de São Paulo. Piracicaba, MALAVOLTA, E. Manual de calagem e adubação das principais culturas. São Paulo, Ceres, p. MIYASAKA, S.; GALLO, J.R.; SILVA, J.G. Histórico de estudos de adubação verde, leguminosas viáveis e suas características. In: ADUBAÇÃO VERDE NO BRASIL, Campinas, Fundação Cargill, p NETO, D. D.; Produção de feijão. Agropecuária, RIBEIRO, A. C.; GUIMARÃES, P. T. G.; ALVAREZ, V. H. Recomendações Para o Uso de Corretivos e Fertilizantes em Minas Gerais. Viçosa: CFSEMG, ROSOLEM, C. A.; MARUBAYASHI, O. M.; Arquivo do agrônomo nº7. Seja o doutor do seu feijoeiro. Potafos. Dezembro, SOUZA, D. M. G.; LOBATO, E. (Ed.) Cerrado: correção do solo e adubação. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados, p.

36 OBRIGADO.!

Recomendação de correção e adubação para a cultura do milho

Recomendação de correção e adubação para a cultura do milho UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DO SOLO LSO 526 ADUBOS E ADUBAÇÃO Recomendação de correção e adubação para a cultura do milho Ac. Francisco

Leia mais

Piracicaba SP / 09 de Junho de 2016

Piracicaba SP / 09 de Junho de 2016 Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Ciência do Solo LSO 526 Adubos e Adubação 1 Attilio Kandrotas Bercht nºusp 8019586 Érica Tiemi Okamura n USP 7656001

Leia mais

A CULTURA DO MILHO: CORREÇÃO, ADUBAÇÃO E ESTUDO DE CASO

A CULTURA DO MILHO: CORREÇÃO, ADUBAÇÃO E ESTUDO DE CASO Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Ciência do Solo A CULTURA DO MILHO: CORREÇÃO, ADUBAÇÃO E ESTUDO DE CASO Angelo Spatti Canassa Felippe Hoffmann Silva

Leia mais

A cultura da soja. Recomendação de correção e adubação

A cultura da soja. Recomendação de correção e adubação Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz LSO 526 - Adubos e Adubação A cultura da soja Recomendação de correção e adubação Piracicaba, Junho 2017 Eduardo de Castro Mattos

Leia mais

Recomendação de adubação e correção de solo para cultura da Cana-de-açúcar

Recomendação de adubação e correção de solo para cultura da Cana-de-açúcar Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Ciências do Solo LSO 526 Adubos e Adubação Recomendação de adubação e correção de solo para cultura da Cana-de-açúcar

Leia mais

Adubação de plantio para Eucalyptus sp.

Adubação de plantio para Eucalyptus sp. LSO0526 - Adubos e Adubação Adubação de plantio para Eucalyptus sp. Manoel Augusto Luiz Almeida 16 de junho de 2016 Eucalyptus sp. Aproximadamente 600 espécies; Grande variação genótipica; 5,37 milhões

Leia mais

Feijão. 9.3 Calagem e Adubação

Feijão. 9.3 Calagem e Adubação Feijão 9.3 Calagem e Adubação Fonte: Fageria et al. (1996). 1996 CORREÇÃO DO SOLO -CALAGEM -GESSAGEM -SILICATAGEM CALAGEM -Aumento da eficiência dos adubos -Produtividade -Rentabilidade Agropecuária. Lopes

Leia mais

Continente asiático maior produtor (80%) Arroz sequeiro perdendo área para milho e soja

Continente asiático maior produtor (80%) Arroz sequeiro perdendo área para milho e soja Alimento de importância mundial Continente asiático maior produtor (80%) Brasil 9º país produtor RS - 70% da produção nacional Arroz sequeiro perdendo área para milho e soja CONAB Nitrogênio é bastante

Leia mais

6 CALAGEM E ADUBAÇÃO

6 CALAGEM E ADUBAÇÃO CULTURA DO MILHO 6 CALAGEM E ADUBAÇÃO 6.1 - CALAGEM -Neutralização do Al; -Buscando atingir 70% da saturação de bases corrige a camada de incorporação; -Correção mais profunda incorporação mais profunda

Leia mais

Cultura da Soja Recomendação de Correção e Adubação

Cultura da Soja Recomendação de Correção e Adubação Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Ciência dos Solos LSO 0526 Adubos e Adubação Cultura da Soja Recomendação de Correção e Adubação Lucas Papadópoli

Leia mais

Recomendação de calagem e adubação

Recomendação de calagem e adubação Recomendação de calagem e adubação Na agricultura, a recomendação de calagem e adubação para as culturas é geralmente efetuada com base nas doses de corretivos e fertilizantes que assegurem entre 80% e

Leia mais

A Cultura da Cana-de-Açúcar

A Cultura da Cana-de-Açúcar A Cultura da Cana-de-Açúcar Saul Carvalho 11. Adubação Nutrição de plantas Noções gerais Fornecimento de nutrientes essenciais ao desenvolvimento completo das plantas Macronutrientes Primários: N, P, K

Leia mais

Rafael de Souza Nunes, Embrapa Cerrados Djalma Martinhão G. de Sousa, Embrapa Cerrados Maria da Conceição S. Carvalho, Embrapa Arroz e Feijão

Rafael de Souza Nunes, Embrapa Cerrados Djalma Martinhão G. de Sousa, Embrapa Cerrados Maria da Conceição S. Carvalho, Embrapa Arroz e Feijão Rafael de Souza Nunes, Embrapa Cerrados Djalma Martinhão G. de Sousa, Embrapa Cerrados Maria da Conceição S. Carvalho, Embrapa Arroz e Feijão Palestra realizada no dia 28 de setembro de 2017 no 12 CONAFE

Leia mais

Sistema Embrapa de Produção Agroindustrial de Sorgo Sacarino para Bioetanol Sistema BRS1G Tecnologia Qualidade Embrapa

Sistema Embrapa de Produção Agroindustrial de Sorgo Sacarino para Bioetanol Sistema BRS1G Tecnologia Qualidade Embrapa 42 A recomendação de corte de colmos pelos equipamentos de colheita é de 20 cm, considerando que os campos de produção situam-se um pouco distante das moendas, ocorrendo fermentação dos colmos e perda

Leia mais

Unidade IX. José Ribamar Silva

Unidade IX. José Ribamar Silva Unidade IX PROFESSOR: Dr. José José Ribamar Silva 1. ANÁLISE DA AMOSTRA 01. Tabela 1. Resultados Analíticos. H 2 O 2 ph Cátions Trocáveis KCl Al Al 3+ Ca Ca 2+ Mg Mg 2+ K + Al+H C 4,6 4,0 -------------------

Leia mais

Nutrição e Adubação Cana-de-açúcar. Fabiana Fernandes Doutoranda UNESP Ilha Solteira 2016

Nutrição e Adubação Cana-de-açúcar. Fabiana Fernandes Doutoranda UNESP Ilha Solteira 2016 Nutrição e Adubação Cana-de-açúcar Fabiana Fernandes Doutoranda UNESP Ilha Solteira 2016 Introdução PLANTA SOLO FERTILIZANTES ADUBAÇÃO (kg/ha) = (PLANTA - SOLO) x f Introdução O que aplicar? Fontes e Nutrientes

Leia mais

Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Tomate

Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Tomate UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DO SOLO LSO526 Adubos e Adubações Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Tomate Bruno Santos de

Leia mais

DA NECESSIDADE DE CALCÁRIO (NC) Dr. José Ribamar Silva

DA NECESSIDADE DE CALCÁRIO (NC) Dr. José Ribamar Silva MÉTODOS DE DETERMINAÇÃO DA NECESSIDADE DE CALCÁRIO (NC) Dr. José Ribamar Silva MÉTODOS DE DETERMINAÇÃO DA NECESSIDADE DE CALCÁRIO (NC) NECESSIDADE DE CALAGEM (NC). Conceito NC Quantidade corretivo para

Leia mais

CÁLCULOS DE FECHAMENTO DE FORMULAÇÕES E RECOMENDAÇÃO DE ADUBAÇÃO

CÁLCULOS DE FECHAMENTO DE FORMULAÇÕES E RECOMENDAÇÃO DE ADUBAÇÃO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DO SOLO LSO 526 Adubos e Adubação CÁLCULOS DE FECHAMENTO DE FORMULAÇÕES E RECOMENDAÇÃO DE ADUBAÇÃO Prof.

Leia mais

6.3 CALAGEM E ADUBAÇÃO

6.3 CALAGEM E ADUBAÇÃO 6.3 CALAGEM E ADUBAÇÃO 6.3.1 - CALAGEM Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina A quantidade de corretivo de acidez a ser usada varia conforme o Índice SMP determinado na análise do solo e a dose

Leia mais

Calagem e gessagem na cultura dos citros. Prof. Dr. José Eduardo Creste Presidente Prudente - SP

Calagem e gessagem na cultura dos citros. Prof. Dr. José Eduardo Creste Presidente Prudente - SP Calagem e gessagem na cultura dos citros. Prof. Dr. José Eduardo Creste Presidente Prudente - SP Produtividade: Pomar A:70 ton/ha Pomar B:10 ton/ha 52 fatores influenciam a produção vegetal: 07 deles são

Leia mais

INOVACOES EM METOLOGIAS DE FERTILIZACAO DE CAFE. Bernardo van Raij Instituto Agronômico Campinas, SP - Brasil

INOVACOES EM METOLOGIAS DE FERTILIZACAO DE CAFE. Bernardo van Raij Instituto Agronômico Campinas, SP - Brasil INOVACOES EM METOLOGIAS DE FERTILIZACAO DE CAFE Bernardo van Raij Instituto Agronômico Campinas, SP - Brasil RAMACAFÉ 2001 Objetivo Discutir a adubação do café em uma nova abordagem, para identificar pontos

Leia mais

CULTURA DA SOJA: NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO. Disciplina: Culturas de Plantas Oleaginosas Curso: Agronomia Responsável: Fernando Celoto

CULTURA DA SOJA: NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO. Disciplina: Culturas de Plantas Oleaginosas Curso: Agronomia Responsável: Fernando Celoto CULTURA DA SOJA: NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO Disciplina: Culturas de Plantas Oleaginosas Curso: Agronomia Responsável: Fernando Celoto P fonte de energia; K parede celular; Ca comunicação da chegada de inóculo

Leia mais

Quando e Como Aplicar Micronutrientes em Cana de Açúcar para Aumento de Produtividade. Marcelo Boschiero

Quando e Como Aplicar Micronutrientes em Cana de Açúcar para Aumento de Produtividade. Marcelo Boschiero Quando e Como Aplicar Micronutrientes em Cana de Açúcar para Aumento de Produtividade Marcelo Boschiero Processo Produtivo Agrícola Tecnologia Plantas Daninhas Pragas / Doenças Manejo físico do solo Manejo

Leia mais

Construção de Perfil do Solo

Construção de Perfil do Solo Gargalos Tecnológicos para Produção Agrícola Construção de Perfil do Solo Eduardo Fávero Caires Universidade Estadual de Ponta Grossa Solos com Fertilidade Baixa ou Muito Baixa Acidez Excessiva Teor tóxico

Leia mais

Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017. Campeão SUDESTE. Produtor: José Renato Nunes Consultor: Samir Rafael Fogaça Gonçalves

Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017. Campeão SUDESTE. Produtor: José Renato Nunes Consultor: Samir Rafael Fogaça Gonçalves Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017 Campeão SUDESTE Produtor: José Renato Nunes Consultor: Samir Rafael Fogaça Gonçalves Fazenda Marcolino 108,25 sc/ha Fazenda Marcolino (Capão Bonito SP)

Leia mais

MANEJO DO SOLO PARA O CULTIVO DE HORTALIÇAS

MANEJO DO SOLO PARA O CULTIVO DE HORTALIÇAS MANEJO DO SOLO PARA O CULTIVO DE HORTALIÇAS Vinícius Macedo Msc. em Agroecologia SOLO Ao longo da história da humanidade, o homem sempre conviveu com o solo. No começo, ele apenas colhia os produtos da

Leia mais

5. INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DAS ANÁLISES DE SOLOS

5. INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DAS ANÁLISES DE SOLOS 5. INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DAS ANÁLISES DE SOLOS Victor Hugo Alvarez V. 1 Roberto Ferreira de Novais 2 Nairam Félix de Barros 3 Reinaldo Bertola Cantarutti 4 Alfredo Scheid Lopes 5 Os critérios a

Leia mais

Construção da fertilidade do solo no ambiente Cerrado. Carlos Alberto Silva (UFLA) Paulo T. G. Guimarães (EPAMIG)

Construção da fertilidade do solo no ambiente Cerrado. Carlos Alberto Silva (UFLA) Paulo T. G. Guimarães (EPAMIG) Construção da fertilidade do solo no ambiente Cerrado Carlos Alberto Silva (UFLA) Paulo T. G. Guimarães (EPAMIG) Parte I Solo fértil? Solos do Brasil sob condições naturais: grau de fetilidade Solo ph

Leia mais

Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade. Dr. Eros Francisco IPNI Brasil

Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade. Dr. Eros Francisco IPNI Brasil Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade Dr. Eros Francisco IPNI Brasil IPNI missão O International Plant Nutrition Institute (IPNI) é uma organização nova, sem fins lucrativos,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO

AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO 1. INTRODUÇÃO M = nutriente transportado NUTRIENTE FORMAS NUTRIENTE FORMAS Nitrogênio NO - + 3 e NH 4 Boro H 3 BO 3 Fósforo - H 2 PO 4 Cloro Cl - Potássio K + Cobre Cu

Leia mais

Fertilidade de solo. Interpretação. Adubação e avaliação do estado nutricional.

Fertilidade de solo. Interpretação. Adubação e avaliação do estado nutricional. "Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina" Cora Coralina Fertilidade de solo. Interpretação. Adubação e avaliação do estado nutricional. USP/Esalq Piracicaba/SP outubro - 2017 Prof.

Leia mais

Café. Amostragem do solo. Calagem. Gessagem. Produtividade esperada. Espaçamento (m)

Café. Amostragem do solo. Calagem. Gessagem. Produtividade esperada. Espaçamento (m) Café Produtividade esperada Sistema Stand (plantas/ha) Espaçamento (m) Produtividade Média (Sc/ha) Tradicional Até 2.500 3,5 a 4,0 x 1,0 a 2,0 20 a 30 Semi-Adensado 2.500 a 5.000 2,5 a 4,0 x 0,5 a 1,0

Leia mais

BPUFs NA CULTURA DO MILHO NO PÓLO DE PARAGOMINAS PARÁ. BAZÍLIO WESZ CARLOTO ENG. AGRONÔMO DIRETOR - PRESIDENTE COOPERNORTE

BPUFs NA CULTURA DO MILHO NO PÓLO DE PARAGOMINAS PARÁ. BAZÍLIO WESZ CARLOTO ENG. AGRONÔMO DIRETOR - PRESIDENTE COOPERNORTE BPUFs NA CULTURA DO MILHO NO PÓLO DE PARAGOMINAS PARÁ. BAZÍLIO WESZ CARLOTO ENG. AGRONÔMO DIRETOR - PRESIDENTE COOPERNORTE CALENDÁRIO AGRÍCOLA DE MILHO MICROREGIÃO DE PARAGOMINAS PA EMBRAPA FORMULÁRIO

Leia mais

Condicionadores de solo - Uso eficiente do gesso agrícola

Condicionadores de solo - Uso eficiente do gesso agrícola UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DO SOLO LSO-526 Adubos e Adubação Condicionadores de solo - Uso eficiente do gesso agrícola Prof. Dr. Paulo

Leia mais

ACIDEZ, CALAGEM E GESSAGEM

ACIDEZ, CALAGEM E GESSAGEM Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Campus de Dracena Curso de Zootecnia ACIDEZ, CALAGEM E GESSAGEM Disciplina: Fertilidade do solo e fertilizantes Prof. Dr. Reges Heinrichs Dracena

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DE INSUMOS NO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA-MILHO SAFRINHA

OTIMIZAÇÃO DE INSUMOS NO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA-MILHO SAFRINHA OTIMIZAÇÃO DE INSUMOS NO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA-MILHO SAFRINHA Aildson P. Duarte Heitor Cantarella IAC-APTA IAC INSTITUTO AGRONÔMICO Recomendação de adubação para soja e milho-safrinha Análise do solo

Leia mais

MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO: Amostragem, interpretação, recomendação de calagem e adubação.

MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO: Amostragem, interpretação, recomendação de calagem e adubação. MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO: Amostragem, interpretação, recomendação de calagem e adubação. A produção agrícola depende de uma série de fatores bióticos e abióticos. Dentre os fatores mais importantes

Leia mais

Recomendação de correção e adubação para citros

Recomendação de correção e adubação para citros Universidade de São Paulo Escola Superior De Agricultura Luiz De Queiroz Departamento de ciências do solo LSO-526 Adubos e Adubação Recomendação de correção e adubação para citros Grupo Turma 5ª feira

Leia mais

EFEITO DE FONTES E DOSE DE NITROGÊNIO APLICADOS NO MILHO SAFRINHA NA PRODUTIVIDADE DO MILHO SAFRINHA E NA SOJA SUBSEQUENTE 1

EFEITO DE FONTES E DOSE DE NITROGÊNIO APLICADOS NO MILHO SAFRINHA NA PRODUTIVIDADE DO MILHO SAFRINHA E NA SOJA SUBSEQUENTE 1 PARA PESQUISA E DIFUSÃO DE TECNOLOGIAS AGROPECUÁRIAS ESTRADA DA USINA VELHA KM 2 - CAIXA POSTAL 105 TEL/FAX(067)454-2631 MARACAJU/MS - CEP 79150-000 http://www.sidronet.com.br/fundacaoms E-mail: fundacao@sidronet.com.br

Leia mais

RECOMENDAÇÃO DE CALAGEM PARA OS ESTADOS DO RS E SC

RECOMENDAÇÃO DE CALAGEM PARA OS ESTADOS DO RS E SC RECOMENDAÇÃO DE CALAGEM PARA OS ESTADOS DO RS E SC Critérios Recomendação de Calagem Recomendação para as culturas - Culturas de Grãos - Forrageiras - Hortaliças - Tubérculos e Raízes - Frutíferas - Essencias

Leia mais

Tecnologia americana gerando resultado no agronegócio brasileiro

Tecnologia americana gerando resultado no agronegócio brasileiro Tecnologia americana gerando resultado no agronegócio brasileiro Empresas Análises Meio Ambiente 2013 2013 software de gestão da informação 2005 Consultoria SULVET 1996/2002 2002 Construção da fertilidade

Leia mais

EQUILÍBRIO QUÍMICO DO SOLO EM PROFUNDIDADE. Eng. Agr. Dr. Nelson Harger Coordenador Estadual/Emater

EQUILÍBRIO QUÍMICO DO SOLO EM PROFUNDIDADE. Eng. Agr. Dr. Nelson Harger Coordenador Estadual/Emater EQUILÍBRIO QUÍMICO DO SOLO EM PROFUNDIDADE Eng. Agr. Dr. Nelson Harger Coordenador Estadual/Emater Abordagem Aspectos qualitativos no SPDP; Perdas no sistema (nutrientes); Variabilidade horizontal e vertical;

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Química e Fertilidade do Solo Código da Disciplina: AGR 257 Curso: Agronomia Semestre de oferta da disciplina: 4 P Faculdade responsável: Agronomia Programa em vigência

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA CALAGEM PARA OS SOLOS DO CERRADO

IMPORTÂNCIA DA CALAGEM PARA OS SOLOS DO CERRADO IMPORTÂNCIA DA CALAGEM PARA OS SOLOS DO CERRADO Palestra apresenta no I Seminário alusivo ao Dia Nacional do Calcário, no dia 23 de maio de 2013, no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

Nutrição, Adubação e Calagem

Nutrição, Adubação e Calagem Nutrição, Adubação e Calagem Importância da nutrição mineral Embora o eucalipto tenha rápido crescimento, este é muito variável. Os principais fatores que interferem no crescimento estão relacionados com

Leia mais

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE 16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE EM RELAÇÃO AO FORMULADO PADRÃO O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho do fertilizante Farture (00-12-12) em diferentes dosagens em relação ao

Leia mais

Recomendação de P em solos com fertilidade construída

Recomendação de P em solos com fertilidade construída III Workshop de Fertilizantes Recomendação de P em solos com fertilidade construída Dr. Eros Francisco IPNI Brasil IPNI O International Plant Nutrition Institute (IPNI) é uma organização nova, sem fins

Leia mais

17 EFEITO DA APLICAÇÃO DE MICRONUTRIENTES NA

17 EFEITO DA APLICAÇÃO DE MICRONUTRIENTES NA 17 EFEITO DA APLICAÇÃO DE MICRONUTRIENTES NA PRODUTIVIDADE DA SOJA O objetivo deste experimento foi avaliar a resposta do programa nutricional via foliar recomendado pela microquímica na cultura da soja

Leia mais

OBJETIVO SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DA ADUBAÇÃO NPKS MINERAL (QUÍMICA) POR ORGÂNICA COM E. GALINHA MAIS PALHA DE CAFÉ

OBJETIVO SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DA ADUBAÇÃO NPKS MINERAL (QUÍMICA) POR ORGÂNICA COM E. GALINHA MAIS PALHA DE CAFÉ ADUBAÇÃO ORGÂNICA NA FORMAÇÃO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO EM SOLO CERRADO LATOSSOLO VERMELHO DISTROFERICO COM DOSES CRESCENTES DE ESTERCO DE GALINHA POEDEIRA MAIS PALHA DE CAFÉ ASSOCIADAS Á ADUBAÇÃO MINERAL

Leia mais

APLICAÇÃO DE ALTA DOSE DE CALCÁRIO CALCÍTICO E DOLOMÍTICO EM SUPERFÍCIE

APLICAÇÃO DE ALTA DOSE DE CALCÁRIO CALCÍTICO E DOLOMÍTICO EM SUPERFÍCIE 2 APLICAÇÃO DE ALTA DOSE DE CALCÁRIO CALCÍTICO E DOLOMÍTICO EM SUPERFÍCIE Anderson Lange (1) e Marlus Eduardo Chapla (2) 1. Introdução No Brasil, a necessidade de calagem tem sido estimada por vários métodos,

Leia mais

13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA

13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA 13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA FOLIAR APLICADOS NA SOJA EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo neste trabalho foi testar e avaliar o programa de nutrição foliar recomendado pela empresa Helena

Leia mais

CARACTERÍSTICAS FITOTÉCNICAS DO FEIJOEIRO (Phaseolus vulgaris L.) EM FUNÇÃO DE DOSES DE GESSO E FORMAS DE APLICAÇÃO DE GESSO E CALCÁRIO

CARACTERÍSTICAS FITOTÉCNICAS DO FEIJOEIRO (Phaseolus vulgaris L.) EM FUNÇÃO DE DOSES DE GESSO E FORMAS DE APLICAÇÃO DE GESSO E CALCÁRIO 5ª Jornada Científica e Tecnológica e 2º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 06 a 09 de novembro de 2013, Inconfidentes/MG CARACTERÍSTICAS FITOTÉCNICAS DO FEIJOEIRO (Phaseolus vulgaris L.) EM FUNÇÃO

Leia mais

CALAGEM E ADUBAÇÃO da SERINGUEIRA. ONDINO C. BATAGLIA

CALAGEM E ADUBAÇÃO da SERINGUEIRA. ONDINO C. BATAGLIA CALAGEM E ADUBAÇÃO da SERINGUEIRA ONDINO C. BATAGLIA ondino@conplant.com.br VAMOS COMEÇAR BEM? CONHEÇA O SEU SOLO Qualidade física é indispensável Perfil adequado, sem limitações para o desenvolvimento

Leia mais

MICRONUTRIENTES ANIÔNICOS

MICRONUTRIENTES ANIÔNICOS MICRONUTRIENTES ANIÔNICOS Prof. Volnei Pauletti Departamento de Solos e Engenharia Agrícola vpauletti@ufpr.br BORO Micronutrientes aniônicos Boro Micronutrientes aniônicos NO SOLO Disponibilidade: ligada

Leia mais

MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO, EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS E ADUBAÇÃO DO SORGO GRANÍFERO CULTIVADO NA SAFRINHA. Antônio Marcos Coelho

MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO, EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS E ADUBAÇÃO DO SORGO GRANÍFERO CULTIVADO NA SAFRINHA. Antônio Marcos Coelho MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO, EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS E ADUBAÇÃO DO SORGO GRANÍFERO CULTIVADO NA SAFRINHA. Antônio Marcos Coelho Pesquisadores da Embrapa Milho e Sorgo Cx. Postal 151, Sete Lagoas MG.

Leia mais

Comunicado Técnico 43

Comunicado Técnico 43 Comunicado Técnico 43 ISSN 1679-0162 Dezembro, 2002 Sete Lagoas, MG CULTIVO DO MILHO Interpretação de resultados de análise de solo Francisco Morel Freire 1 Gilson Villaça Exel Pitta 2 Vera Maria Carvalho

Leia mais

Adubação Foliar da Cultura do Milho Utilizando Produtos Multinutrientes. Antônio M. Coelho 1/ e Amélio C. Filho 2/

Adubação Foliar da Cultura do Milho Utilizando Produtos Multinutrientes. Antônio M. Coelho 1/ e Amélio C. Filho 2/ Adubação Foliar da Cultura do Milho Utilizando Produtos Multinutrientes Antônio M. Coelho 1/ e Amélio C. Filho 2/ 1/ Pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo, Sete Lagoas, MG; CP 151, Email: amcoelho@cnpms.embrapa.br

Leia mais

Condicionadores de solo - Uso eficiente do gesso agrícola

Condicionadores de solo - Uso eficiente do gesso agrícola UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DO SOLO LSO-526 Adubos e Adubação Condicionadores de solo - Uso eficiente do gesso agrícola Prof. Dr. Paulo

Leia mais

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA 18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA APLICAÇÃO DE MACRONUTRIENTES EM PÓS- EMERGÊNCIA DA CULTURA O objetivo neste trabalho foi avaliar a aplicação de macronutrientes de diversas fontes e épocas de aplicação

Leia mais

CALAGEM SUPERFICIAL E GESSAGEM EM PLANTIO DIRETO

CALAGEM SUPERFICIAL E GESSAGEM EM PLANTIO DIRETO SISTEMAS INTEGRADOS DE MANEJO NA PRODUÇÃO AGRÍCOLA SUSTENTÁVEL CALAGEM SUPERFICIAL E GESSAGEM EM PLANTIO DIRETO SINOP MATO GROSSO 23 a 25 de Novembro de 2015 Eduardo Fávero Caires Universidade Estadual

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15 1 15 EFEITO DA APLICAÇÃO FOSFATADA VIA FOLIAR NA CULTURA DA SOJA Objetivo Avaliar o comportamento da cultura da soja mediante adubação complementar de fósforo via aplicação foliar através do produto Free

Leia mais

A Importância da amostragem e análise do solo

A Importância da amostragem e análise do solo INFORMATIVO DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO ANO 4 NÚMERO 11 dezembro 2015 A Importância da amostragem e análise do solo 1. Introdução A análise de solo é uma das ferramentas mais importantes da agricultura

Leia mais

ISSN Dezembro, Guia Prático para a Adubação da Laranjeira com Base em Análises de Solo e Folha

ISSN Dezembro, Guia Prático para a Adubação da Laranjeira com Base em Análises de Solo e Folha ISSN 1678-1953 Dezembro, 2015 205 Guia Prático para a Adubação da Laranjeira com Base em Análises de Solo e Folha ISSN 1678-1953 Dezembro, 2015 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Tabuleiros

Leia mais

ANÁLISE DO SOLO. Determinações, cálculos e interpretação

ANÁLISE DO SOLO. Determinações, cálculos e interpretação ANÁLISE DO SOLO Determinações, cálculos e interpretação INTRODUÇÃO Esta cartilha tem por objetivo levar informações sobre interpretação de análises de solos para fins de recomendação de calagem e adubação.

Leia mais

A Importância da amostragem e análise do solo

A Importância da amostragem e análise do solo INFORMATIVO DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO ANO 4 NÚMERO 11 dezembro 2015 A Importância da amostragem e análise do solo 1. Introdução A análise de solo é uma das ferramentas mais importantes da agricultura

Leia mais

Adubação de Sistema Integrado

Adubação de Sistema Integrado Adubação de Sistema Integrado Tangará, 22 de novembro de 216 Equipe PMA Leandro Zancanaro Adubação de Sistema e Implicações Práticas dos Sistemas de Produção de Grãos no MT Tangará, 22 de novembro de 216

Leia mais

ALTAS DOSES DE GESSO (IRRIGAÇÃO BRANCA) NA FORMAÇÃO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO

ALTAS DOSES DE GESSO (IRRIGAÇÃO BRANCA) NA FORMAÇÃO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO 38º Congresso Brasileiro de Pesquisas Cafeeiras ALTAS DOSES DE GESSO (IRRIGAÇÃO BRANCA) NA FORMAÇÃO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO Alysson Vilela Fagundes - Eng. Agr. Fundação Procafé Antônio Wander R. Garcia

Leia mais

ADUBAÇÃO NPK DO ALGODOEIRO ADENSADO DE SAFRINHA NO CERRADO DE GOIÁS *1 INTRODUÇÃO

ADUBAÇÃO NPK DO ALGODOEIRO ADENSADO DE SAFRINHA NO CERRADO DE GOIÁS *1 INTRODUÇÃO Página 1495 ADUBAÇÃO NPK DO ALGODOEIRO ADENSADO DE SAFRINHA NO CERRADO DE GOIÁS *1 Maria da Conceição Santana Carvalho 1 ; Alexandre Cunha de Barcellos Ferreira 2 ; Ana Luiza Borin 2 1 Embrapa Arroz e

Leia mais

ADUBAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO: RESULTADOS DE PESQUISA EM GOIÁS E BAHIA 1

ADUBAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO: RESULTADOS DE PESQUISA EM GOIÁS E BAHIA 1 ADUBAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO: RESULTADOS DE PESQUISA EM GOIÁS E BAHIA 1 Gilvan Barbosa Ferreira 2 Maria Conceição Santana de Carvalho 3 RESUMO A correção do solo e a adubação mineral feitas racionalmente

Leia mais

Produtor: Rui Gaio Consultor: Eng. Agr. Ivair Gomes Relator: Biólogo Sergio Abud. Revisores Eng. Agr. Henry Sako Prof. Dr. Antonio Luiz Fancelli

Produtor: Rui Gaio Consultor: Eng. Agr. Ivair Gomes Relator: Biólogo Sergio Abud. Revisores Eng. Agr. Henry Sako Prof. Dr. Antonio Luiz Fancelli Produtor: Rui Gaio Consultor: Eng. Agr. Ivair Gomes Relator: Biólogo Sergio Abud Revisores Eng. Agr. Henry Sako Prof. Dr. Antonio Luiz Fancelli Produtividade (sc/ha) 83,42 43 100,63 108,71 102,78 51 56

Leia mais

INTERESSE PELA UTILIZAÇÃO DE MICRONUTRIENTES

INTERESSE PELA UTILIZAÇÃO DE MICRONUTRIENTES INTERESSE PELA UTILIZAÇÃO DE MICRONUTRIENTES Solos dos cerrados são originalmente deficientes em micronutrientes; O aumento da produtividade com > remoção de micronutrientes; A incorporação inadequada

Leia mais

Calcário e gesso: os corretivos essenciais ao Plantio Direto

Calcário e gesso: os corretivos essenciais ao Plantio Direto Correção do solo Calcário e gesso: os corretivos essenciais ao Plantio Direto Godofredo César Vitti e Júlio César Priori* Rodrigo Estevam Munhoz de Almeida Aplicação de calcário em área de cana de açúcar,

Leia mais

PRODUTIVIDADE DE FEIJÃO E ACIDEZ DO SOLO AFETADAS PELA APLICAÇÃO E REAPLICAÇÃO DE RESÍDUO DE RECICLAGEM DE PAPEL EM SOLO ÁCIDO INTRODUÇÃO

PRODUTIVIDADE DE FEIJÃO E ACIDEZ DO SOLO AFETADAS PELA APLICAÇÃO E REAPLICAÇÃO DE RESÍDUO DE RECICLAGEM DE PAPEL EM SOLO ÁCIDO INTRODUÇÃO 1 PRODUTIVIDADE DE FEIJÃO E ACIDEZ DO SOLO AFETADAS PELA APLICAÇÃO E REAPLICAÇÃO DE RESÍDUO DE RECICLAGEM DE PAPEL EM SOLO ÁCIDO Alvadi Antonio Balbinot Junior 1, Milton da Veiga 2, José Alfredo da Fonseca

Leia mais

ADUBAÇÃO DA NOGUEIRA-MACADÂMIA. Marcos José Perdoná Eng. Agr., Dr., PqC do Polo Regional Centro Oeste/APTA

ADUBAÇÃO DA NOGUEIRA-MACADÂMIA. Marcos José Perdoná Eng. Agr., Dr., PqC do Polo Regional Centro Oeste/APTA ADUBAÇÃO DA NOGUEIRA-MACADÂMIA Marcos José Perdoná Eng. Agr., Dr., PqC do Polo Regional Centro Oeste/APTA marcosperdona@apta.sp.gov.br Juliana Cristina Sodário Cruz Eng. Agr., Dr., PqC do Polo Regional

Leia mais

NUTRIÇÃO EQUILIBRADA DO CAFEEIRO. ROBERTO SANTINATO 40º CBPC Serra Negra - SP

NUTRIÇÃO EQUILIBRADA DO CAFEEIRO. ROBERTO SANTINATO 40º CBPC Serra Negra - SP NUTRIÇÃO EQUILIBRADA DO CAFEEIRO ROBERTO SANTINATO 40º CBPC Serra Negra - SP Nutrição equilibrada em cafezais Equilíbrio Desequilíbrio Importância e respostas da correção do solo no equilíbrio nutricional

Leia mais

Fertilidade de solo. Interpretação da análise química. Avaliação do estado nutricional.

Fertilidade de solo. Interpretação da análise química. Avaliação do estado nutricional. "Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina" Cora Coralina Fertilidade de solo. Interpretação da análise química. Avaliação do estado nutricional. USP/Esalq Piracicaba/SP agosto - 2017

Leia mais

BPUFs na Cultura da Soja. Adilson de Oliveira Junior Embrapa Soja

BPUFs na Cultura da Soja. Adilson de Oliveira Junior Embrapa Soja BPUFs na Cultura da Soja Adilson de Oliveira Junior Embrapa Soja Soja / Fertilidade do Solo e NMP Correção da Acidez do Solo Adubação (N, P, K, Micro) Balanço da Adubação Considerações Finais Altas Produtividades

Leia mais

V Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí V Jornada Científica 19 a 24 de novembro de 2012

V Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí V Jornada Científica 19 a 24 de novembro de 2012 Produtividade e proteína bruta do feijão guandu (Cajanus cajan cv. Mandarin) sob diferentes adubações e períodos de corte cultivado em um latossolo vermelho distrófico Arnon Henrique Campos ANÉSIO¹; Antônio

Leia mais

Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017. Campeão BRASIL (Sul) Produtor: Marcos Seitz Consultor: Alexandre Seitz

Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017. Campeão BRASIL (Sul) Produtor: Marcos Seitz Consultor: Alexandre Seitz Desafio Nacional de Máxima Produtividade 2016/2017 Campeão BRASIL (Sul) Produtor: Marcos Seitz Consultor: Alexandre Seitz Agropecuária Seitz Agropecuária Seitz (Guarapuava PR) 1) Primeira e segunda geração

Leia mais

Manejo Químico e Atributos de Fertilidade de Solos Arenosos. Equipe Fundação MT / PMA Leandro Zancanaro

Manejo Químico e Atributos de Fertilidade de Solos Arenosos. Equipe Fundação MT / PMA Leandro Zancanaro Manejo Químico e Atributos de Fertilidade de Solos Arenosos Equipe Fundação MT / PMA Leandro Zancanaro Maringá - PR, 23 de maio de 2017 Manejo Químico e Atributos de Fertilidade de Solos Arenosos Manejo?

Leia mais

Calagem, adubação de base, de plantio e de cobertura

Calagem, adubação de base, de plantio e de cobertura Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos Engenharia Florestal Tratos e Métodos Silviculturais Calagem, adubação de base, de plantio e de cobertura Eng. Ftal. Dr. Prof. Eleandro José

Leia mais

INDICADORES QUÍMICOS DE QUALIDADE DO SOLO

INDICADORES QUÍMICOS DE QUALIDADE DO SOLO INDICADORES QUÍMICOS DE QUALIDADE DO SOLO Eduardo Fávero Caires Professor Associado - Fertilidade do Solo Reunião Paranaense de Ciência do Solo UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA III REUNIÃO PARANAENSE

Leia mais

EFEITO DE ADUBAÇÃO NITROGENADA EM MILHO SAFRINHA CULTIVADO EM ESPAÇAMENTO REDUZIDO, EM DOURADOS, MS

EFEITO DE ADUBAÇÃO NITROGENADA EM MILHO SAFRINHA CULTIVADO EM ESPAÇAMENTO REDUZIDO, EM DOURADOS, MS EFEITO DE ADUBAÇÃO NITROGENADA EM MILHO SAFRINHA CULTIVADO EM ESPAÇAMENTO REDUZIDO, EM DOURADOS, MS Carlos Hissao Kurihara (1), Bruno Patrício Tsujigushi (2) Introdução A adubação da cultura do milho safrinha

Leia mais

ANÁLISE FOLIAR E AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DAS PLANTAS

ANÁLISE FOLIAR E AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DAS PLANTAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SOLO ANÁLISE FOLIAR E AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DAS PLANTAS Milton Ferreira de Moraes Técnico Agrícola, Eng. Agrônomo, M.Sc.

Leia mais

Adubar a planta ou o sistema? Dr. Eros Francisco Diretor Adjunto IPNI Brasil

Adubar a planta ou o sistema? Dr. Eros Francisco Diretor Adjunto IPNI Brasil Adubar a planta ou o sistema? Dr. Eros Francisco Diretor Adjunto IPNI Brasil Bonito/MS 13 Agosto, 2014 IPNI O International Plant Nutrition Institute (IPNI) é uma organização nova, sem fins lucrativos,

Leia mais

ADUBOS FLUÍDOS (líquidos)

ADUBOS FLUÍDOS (líquidos) Universidade Federal do Paraná Departamento de Solos e Engenharia Agrícola Volnei Pauletti ADUBOS FLUÍDOS (líquidos) Conceitos Uso Vantagens Matérias primas Fabricação 1 Adubos líquidos ou fluídos: CONCEITOS

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CASE DA REGIÃO

APRESENTAÇÃO DO CASE DA REGIÃO APRESENTAÇÃO DO CASE DA REGIÃO SUL Leandro Sartoreli Ricci Mamborê - PR 2010/2011 Produtividade: 6.027 kg/ha (100,5 sc/ha) - Variedade SYN 3358 (Variedade com folhas lanceoladas e alta resistência ao acamamento)

Leia mais

Correção do Solo. Prof. Dr. Godofredo Cesar Vitti Ac. José Luís Vieira (Zé Lelé)

Correção do Solo. Prof. Dr. Godofredo Cesar Vitti Ac. José Luís Vieira (Zé Lelé) Correção do Solo Prof. Dr. Godofredo Cesar Vitti Ac. José Luís Vieira (Zé Lelé) Goiânia - GO 20 de Setembro de 2016 Fatores de Produtividade Pragas Doenças Plantas invasoras Genótipo Clima Solo Produtor

Leia mais

Manejo da Adubação do Milho Safrinha

Manejo da Adubação do Milho Safrinha 01 Manejo da Adubação do Milho Safrinha Introdução Manejar adequadamente as adubações envolve um complexo processo de tomada de decisão, onde estão envolvidas as características do solo e da planta, o

Leia mais

ACIDEZ DO SOLO CORREÇÃO DO SOLO. ph DO SOLO CORREÇÃO DO SOLO. ph DO SOLO. ph DO SOLO ACIDEZ ATIVA ACIDEZ TROCÁVEL ACIDEZ NÃO TROCÁVEL ACIDEZ POTENCIAL

ACIDEZ DO SOLO CORREÇÃO DO SOLO. ph DO SOLO CORREÇÃO DO SOLO. ph DO SOLO. ph DO SOLO ACIDEZ ATIVA ACIDEZ TROCÁVEL ACIDEZ NÃO TROCÁVEL ACIDEZ POTENCIAL CORREÇÃO DO SOLO 1 2 CORREÇÃO DO SOLO O QUE VAMOS CORRIGIR? POTENCIAL HIDROGENIÔNICO ACIDEZ DO SOLO = =0,0001 ph 1 =log 0,0001 =log 1 10 =log10 =4,0 3 4 TIPOS DE ACIDEZDO SOLO ACIDEZ ATIVA ACIDEZ TROCÁVEL

Leia mais

Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente

Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 9., 2, Belo Horizonte 1 Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente Carlos Henrique

Leia mais

Adubação da Cultura da Soja no Paraná e Goiás

Adubação da Cultura da Soja no Paraná e Goiás Tema 2 Manejo da adubação com ênfase na aplicação a lanço Adubação da Cultura da Soja no Paraná e Goiás Adilson de Oliveira Junior César de Castro Fábio Álvares de Oliveira Vinícius Benites Pesquisadores

Leia mais

Comunicado. Recomendações para Correção da Acidez do Solo para Cana-de-Açúcar no Cerrado. Correção da Acidez Superficial

Comunicado. Recomendações para Correção da Acidez do Solo para Cana-de-Açúcar no Cerrado. Correção da Acidez Superficial Comunicado 177 TécnicoISSN 1517-1469 ISSN online 2176-5073 Planaltina, DF Agosto, 2015 Foto: Djalma Martinhão Gomes de Sousa Sem gesso Com gesso Recomendações para Correção da Acidez do Solo para Cana-de-Açúcar

Leia mais

EFEITO DO GESSO AGRÍCOLA NA FERTILIDADE DO SOLO, NUTRIÇÃO E PRODUTIVIDADE DO CAFEEIRO.

EFEITO DO GESSO AGRÍCOLA NA FERTILIDADE DO SOLO, NUTRIÇÃO E PRODUTIVIDADE DO CAFEEIRO. EFEITO DO GESSO AGRÍCOLA NA FERTILIDADE DO SOLO, NUTRIÇÃO E PRODUTIVIDADE DO CAFEEIRO. Luiz Adolfo MARTINS¹; Guilherme M. SCALCO 2 ; Dulcimara C. NANNETTI 3 ; Joyce C. COSTA 4, Maria de Lourdes Lima BRAGION

Leia mais

DIAGNÓSTICO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DOS ATRIBUTOS QUÍMICOS DOS SOLOS DA REGIÃO DO MÉDIO ALTO URUGUAI - RS 1

DIAGNÓSTICO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DOS ATRIBUTOS QUÍMICOS DOS SOLOS DA REGIÃO DO MÉDIO ALTO URUGUAI - RS 1 DIAGNÓSTICO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DOS ATRIBUTOS QUÍMICOS DOS SOLOS DA REGIÃO DO MÉDIO ALTO URUGUAI - RS 1 FABBRIS, Cristiano 2 ; CHERUBIN, Maurício Roberto 2 ; WEIRICH, Sidinei Wolnei 2 ; MORAES, Moacir

Leia mais

Igor Rodrigues Queiroz. Bacharel em Agronomia pela Faculdade Dr. Francisco Maeda (FAFRAM) Anice Garcia

Igor Rodrigues Queiroz. Bacharel em Agronomia pela Faculdade Dr. Francisco Maeda (FAFRAM) Anice Garcia 40 Congresso Brasileiro de Pesquisas Cafeeiras CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS DE UM LATOSSOLO VERMELHO SOB CULTIVO DE CANA-DE-AÇÚCAR (SACCHARUM OFFICINARUM L.), CAFÉ (COFFEA ARÁBICA L.) E SOB MATA NATIVA. ESTUDO

Leia mais

PP = 788,5 mm. Aplicação em R3 Aplicação em R5.1. Aplicação em Vn

PP = 788,5 mm. Aplicação em R3 Aplicação em R5.1. Aplicação em Vn Fabiano Andrei Bender da Cruz. Pesquisador/Consultor Fundação Bahia, Eng o. Agr o. Dr. CREA 40620232/MG. Aline Fabris. Estagiária, Acadêmica do Curso de Agronomia, convênio FAAHF/Fundação Bahia. Edimilson

Leia mais

Interpretação de análise de solo. Fertilização e avaliação do estado nutricional

Interpretação de análise de solo. Fertilização e avaliação do estado nutricional "Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina" Cora Coralina Interpretação de análise de solo. Fertilização e avaliação do estado nutricional USP/Esalq Piracicaba/SP agosto - 2016 Prof.

Leia mais

2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES. Usina da Pedra Agosto de 2017

2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES. Usina da Pedra Agosto de 2017 2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES Usina da Pedra Agosto de 2017 Apresentação Abertura Sérgio Luiz Selegato Acompanhamento de Mercado Sérgio Luiz Selegato Moagem e Término da Safra Hebert Trawitzki Potencial de

Leia mais