Profª : ANA BRAZ EVOLUÇÃO DA SAÚDE MENTAL NO BRASIL. NOÇÕES de POLÍTICA de SAÚDE MENTAL no BRASIL. NÚCLEOS de APOIO à SAÚDE da FAMÍLIA e MENTAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Profª : ANA BRAZ EVOLUÇÃO DA SAÚDE MENTAL NO BRASIL. NOÇÕES de POLÍTICA de SAÚDE MENTAL no BRASIL. NÚCLEOS de APOIO à SAÚDE da FAMÍLIA e MENTAL"

Transcrição

1 Profª : ANA BRAZ EVOLUÇÃO DA SAÚDE MENTAL NO BRASIL NOÇÕES de POLÍTICA de SAÚDE MENTAL no BRASIL NÚCLEOS de APOIO à SAÚDE da FAMÍLIA e MENTAL REFORMA PSIQUIÁTRICA

2 Reforma Psiquiátrica Brasileira Em 1978, no Rio de Janeiro, a partir de denúncias desencadeadas por jovens médicos psiquiatras, é constituído o MTSM (Movimento dos trabalhadores de Saúde Mental). O MTSM é o primeiro e mais importante ato de renovação no campo da Saúde Mental. O movimento da Reforma Psiquiátrica é muito lento, afinal são 200 anos de história da psiquiatria a ser mudado.

3 Assistência Psiquiátrica Macro-hospitais : com características asilares e manicomiais, um misto de loucos, um misto de indigentes. Em 1977 ocorreram internações em psiquiatria no país, Nessa época já se falavam em: ambulatórios, pensão protegida, hospitaldia...

4 Desativação Progressiva dos Hospitais - Triagem mais eficaz IMPLICA: - Diminuição do número de internações novas - Diminuição das reinternações - Diminuição do tempo de internação

5 REFORMA PSIQUIÁTRICA Mudança do atendimento público em Saúde Mental, objetivo: garantir o acesso da população aos serviços e o respeito a seus direitos e liberdade Significa mudança do modelo de tratamento: do isolamento ao convívio na família e na comunidade

6 HOSPITAL PSIQUIÁTRICO Função mais Custodial que assistencial, mais iatrogênica que terapêutica Iatrogênico: induzido pelo médico; referese aos efeitos das palavras, atitudes, atos ou tratamento de um médico sobre o paciente.

7 Algumas alianças foram firmadas: - Movimento da luta antimanicomial - Projeto de Lei de Paulo Delgado (1989) - Atuação de familiares e usuários

8 O que é Desinstitucionalização? Um modelo de desconstrução lenta e gradual de todos os preceitos do H.P. e de construção, fora do mesmo, de novos serviços que tivessem um lógica inversa à da exclusão, do internamento, da opressão, própria dos H.P s. (Rotelli,1989)

9 O que é Desospitalização? É a saída do paciente do hospital, sem muito trabalho Desinstitucionalização Trabalho terapêutico, restabelecimento dos direitos civis

10 Três aspectos são necessários para que isso ocorra: construção de nova política de saúde mental paciente sujeito e não objeto construção de estruturas externas, substitutivas

11 POLÍTICA DE SAÚDE MENTAL Setembro de 1989 surgiu o Projeto de Lei do Deputado Paulo Delgado (tornando-se o centro da reforma psiquiátrica). Anos 90, o Ministério da Saúde adotou a portaria 189/01 que ampliava e diversificava a tabela SUS possibilitando financiamento para: - NAPS - CAPS - HD - UNIDADES PSIQUIÁTRICAS em hospitais gerais

12 Política de Saúde Mental A portaria 224/92, deu início a um processo de fechamento dos serviços hospitalares precários e qualificava os existentes. Franco Basaglia (1978) Lei 180 que propõe o fim do manicômio e a substituição por outros meios.

13 Unidades de Atendimento ao Doente Mental 1. H.P. a atuação da enfermagem tem sido a prestação de cuidados de higiene e conforto, de controle de sinais vitais, o auxílio em procedimentos, a participação em atividades recreativas e a administração de medicações.

14

15 2. Ambulatório de Saúde Mental Serviço especializado, oferece consultas psiquiátricas objetivando: - diagnóstico e possibilidade de tratamento - prevenção de internações hospitalares - acompanhamento pós alta Ambulatório é composto por uma equipe interdisciplinar: enfermeiros, assistente social, terapeuta ocupacional, psicólogo. Papel do enfermeiro: auxilio em crises, consultas de enfermagem e orientação

16

17 3. Pronto Socorro Responsável pelos primeiros cuidados em urgências psiquiátricas, geralmente por meio de psicofarmacoterapia. Enfermagem tem um papel fundamental na comunicação, na contenção física, na observação e administração de medicamentos.

18

19 4. Alternativas de Tratamento HOSPITAL-DIA : o paciente permanece nos dias úteis, retornando para seus lares à noite ( não perdem o vínculo familiar), equipe multiprofissional. LARES ABRIGADOS: supervisão médico social. OFICINAS ABRIGADAS: proposta onde se empregam trabalhadores deficientes, enfermos ou doentes estabilizados, com uma remuneração.

20

21 Serviços Residenciais Terapêuticos (SRT) Residências destinadas a pessoas com história de longo período de internação em H.P. (doentes crônicos) e que perderam o vínculo familiar. Oito pessoas por residência localizadas no espaço urbano

22

23 Portaria n.º 336/GM Em 19 de fevereiro de 2002 CAPS (Centro de Atenção Psicossocial): são centros de apoio individual e familiar, com atendimentos individuais, grupos terapêuticos, atendimento familiar. Familiares podem aprender uma outra forma de lidar com doente mental, visualizando suas potencialidades e suas dificuldades.

24 Caps Centro/Norte

25 Os CAPS devem contar com espaço próprio e adequadamente preparado para atender à sua demanda específica Deverão contar, no mínimo: consultórios salas para atividades grupais espaço de convivência oficinas refeitório área externa para oficinas, recreação e esportes

26 QUEM PODE SER ATENDIDO NOS CAPS? Pessoas apresentam intenso sofrimento psíquico, que lhes impossibilita de viver e realizar seus projetos de vida. Pessoas com Transtornos Mentais severos e/ou persistentes, ou seja, pessoas com grave comprometimento psíquico Transtornos relacionados às Substâncias Psicoativas (álcool e outras drogas)

27 Os usuários dos CAPS podem: ter tido uma longa história de internações psiquiátricas podem nunca ter sido internados podem já ter sido atendidos em outros serviços de saúde (ambulatório, hospital-dia, consultórios etc.)

28 CAPSi: CAPS para infância e adolescência, para atendimento diário a crianças e adolescentes com transtornos mentais. CAPSad: CAPS para usuários de álcool e drogas, para atendimento diário à população com transtornos decorrentes do uso e dependência de substâncias psicoativas Esse CAPS possui leitos de repouso com a finalidade exclusiva de tratamento de desintoxicação

29 CAPS I, CAPS II e CAPS III, definidos por ordem crescente de porte/complexidade e abrangência populacional, conforme Portaria

30 REDE DE SAÚDE MENTAL Os CAPS podem ser classificados : Tipo I Não exige ter médico psiquiátrico, basta ser generalista capacitado Tipo II Precisa de médico psiquiátrico Tipo III Funciona 24 h e faz internações de até 72 h - CAPSad álcool e drogas - CAPSi Infanto-juvenil

31 DIRETRIZES DA POLÍTICA SAÚDE MENTAL Desinstitucionalização Reorientação do modelo assistencial Modelo descentralizado e de base comunitária Redução gradual dos leitos psiquiátricos (PT 251/02) Ampliação da rede extra-hospitalar (PT 336/02) - CRIAÇÃO DOS CAPS- CENTRO DE APOIO PSICOSOCIAL.

32 PROGRAMA DE VOLTA PARA CASA Tem por objetivo garantir a assistência, o acompanhamento e a integração social, fora da unidade hospitalar, de pessoas acometidas de Transtornos Mentais, com história de longa internação psiquiátrica.

33 Programa o auxílio reabilitação, no valor de R$ 370,00, pago ao próprio beneficiário durante um ano, podendo ser renovado...

34 Pode ser beneficiária do Programa qualquer pessoa com Transtorno Mental que tenha passado 2 ou + anos internada, ininterruptamente, em instituições psiquiátricas também aquela que mora em residência terapêutica tenha vivido em hospitais de custódia e tratamento psiquiátrico (manicômio judiciários)

35 O GOVERNO BRASILEIRO TEM COMO OBJETIVOS: - reduzir de forma pactuada e programada os leitos psiquiátricos de baixa qualidade - qualificar, expandir e fortalecer a rede extra-hospitalar (CAPS), Serviços Residenciais Terapêuticos (SRTs) e Unidades Psiquiátricas em Hospitais Gerais (UPHG) - incluir as ações da saúde mental na atenção básica

36 - incluir as ações da saúde mental na atenção básica - implementar uma política de atenção integral voltada a usuários de álcool e outras drogas - implantar o programa "De Volta Para Casa" - manter um programa permanente de formação de recursos humanos para reforma psiquiátrica - promover direitos de usuários e familiares incentivando a participação no cuidado

37 - garantir tratamento digno e de qualidade ao louco infrator (superar o modelo de assistência centrado no Manicômio Judiciário) - avaliar continuamente todos os hospitais psiquiátricos por meio do Programa Nacional de Avaliação dos Serviços Hospitalares - PNASH/ Psiquiatria.

POLÍTICA DE SAÚDE MENTAL BRASILEIRA. Rosa UFPI-DSS

POLÍTICA DE SAÚDE MENTAL BRASILEIRA. Rosa UFPI-DSS POLÍTICA DE SAÚDE MENTAL BRASILEIRA Profª Drª Lucia Cristina dos Santos Rosa UFPI-DSS MODELO HOSPITALOCENTRICO NA ASSISTENCIA PSIQUIÁTRICA BRASILEIRA MARCO: Hospício Pedro II 1852 Rio de Janeiro; CONCEPÇÃO:

Leia mais

Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/Aids em saúde mental, no Brasil

Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/Aids em saúde mental, no Brasil Ministério da saúde Secretaria de Atenção à saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas Coordenação de Saúde Mental Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/Aids em saúde mental,

Leia mais

RAPS. Saúde Mental 26/08/2016. Prof.: Beto Cruz PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*)

RAPS. Saúde Mental 26/08/2016. Prof.: Beto Cruz PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) Saúde Mental Prof.: Beto Cruz betocais2@gmail.com PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades

Leia mais

Financiamento. Consultório na Rua PORTARIA Nº 123, DE 25 DE JANEIRO DE Sem portaria convivência e cultura. Estabelece, no âmbito Especializada/

Financiamento. Consultório na Rua PORTARIA Nº 123, DE 25 DE JANEIRO DE Sem portaria convivência e cultura. Estabelece, no âmbito Especializada/ Rede De (RAPS) Componentes da RAPS Pontos da RAPS Nº da Portaria de Financiamento Caracterização da portaria Atenção Básica Unidade Básica de PORTARIA 2488/11 Institui a Política Saúde Nacional de Atenção

Leia mais

A Rede de Atenção aos Usuários de Álcool e outras Drogas

A Rede de Atenção aos Usuários de Álcool e outras Drogas Unidade 3 - A Rede de Atenção aos Usuários de Álcool e outras Drogas 29 A Rede de Atenção aos Usuários de Álcool e outras Drogas Marluce Miguel de Siqueira; Bruno Pereira da Silva Fala Professor: Caro

Leia mais

##ATO Portaria nº 251/GM, Em 31 de janeiro de 2002.

##ATO Portaria nº 251/GM, Em 31 de janeiro de 2002. 1 de 5 15/5/2009 15:24 ##ATO Portaria nº 251/GM, Em 31 de janeiro de 2002. Estabelece diretrizes e normas para a assistência hospitalar em psiquiatria, reclassifica os hospitais psiquiátricos, define e

Leia mais

Fundamentos Históricos de Atenção Psicossocial e Processos Históricos de Loucura

Fundamentos Históricos de Atenção Psicossocial e Processos Históricos de Loucura Fundamentos Históricos de Atenção Psicossocial e Processos Históricos de Loucura Prof. Msc. Warllon Barcellos Mestre em Políticas Sociais Prof. Universidade do Estado de Minas Gerais O conceito de loucura

Leia mais

COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009

COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009 COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009 Robsmeire Calvo Melo Zurita 1 ; Alessandra Massi Puziol Alves 2 Neide Barboza Lopes 3 INTRODUÇÃO: No Brasil ainda

Leia mais

CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE: relatório de estágio curricular

CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE: relatório de estágio curricular 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM Raissa Ribeiro Saraiva de Carvalho CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE: relatório de estágio curricular

Leia mais

PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições,

PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 3.088/GM/MS, de 23 de dezembro de 2011, que institui a Rede de Atenção Psicossocial

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA 7ª Região. Assunto: Perspectivas para a Política de Saúde Mental do RS

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA 7ª Região. Assunto: Perspectivas para a Política de Saúde Mental do RS Ofício nº. 0068/2015 Porto Alegre, 20 de janeiro de 2015. Assunto: Perspectivas para a Política de Saúde Mental do RS Excelentíssimo Sr. Secretário Estadual da Saúde do Estado do Rio Grande do Sul, João

Leia mais

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde O Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES foi implantado em 29 de dezembro de 2000, através da Portaria SAS n.º 511. O CNES abrange a todos os estabelecimentos

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 465, DE 28 DE MAIO DE 2012.

LEI COMPLEMENTAR Nº 465, DE 28 DE MAIO DE 2012. LEI COMPLEMENTAR Nº 465, DE 28 DE MAIO DE 2012. Autores: Deputado Romoaldo Júnior e Deputado Sebastião Rezende Dispõe sobre a criação da Lei estadual de Atenção Integral à Saúde Mental e dá outras providências.

Leia mais

Educação Permanente na RAPS: a Experiência do Percursos Formativos

Educação Permanente na RAPS: a Experiência do Percursos Formativos Educação Permanente na RAPS: a Experiência do Percursos Formativos Coordenação Geral de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas/DAPES/SAS/MS Outubro - 2015 Breve Histórico da RAPS e a necessidade de qualificação

Leia mais

Criança é o princípio sem fim e seu fim é o fim de todos nós

Criança é o princípio sem fim e seu fim é o fim de todos nós Criança é o princípio sem fim e seu fim é o fim de todos nós PROPOSTA DE REDE DE ATENDIMENTO EM SAÚDE MENTAL PARA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE POA COMISSÃO DE SAÚDE MENTAL JUNHO

Leia mais

SAÚDE MENTAL PROJETO DO PROGRAMA DE ATENÇÃO À CRIANÇA E ADOLESCENTE DEPENDENTE QUÍMICO

SAÚDE MENTAL PROJETO DO PROGRAMA DE ATENÇÃO À CRIANÇA E ADOLESCENTE DEPENDENTE QUÍMICO SAÚDE MENTAL PROJETO DO PROGRAMA DE ATENÇÃO À CRIANÇA E ADOLESCENTE DEPENDENTE QUÍMICO 1 - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: ACFFD - ASSOCIAÇÃO CULTURAL E FILANTROPICA FAMÍLIA DE DEUS ESCRITÓRIO: RUA CAJAZEIRAS,

Leia mais

Relatório 06. Dia 13/10/2016

Relatório 06. Dia 13/10/2016 Relatório 06 Dia 13/10/2016 ` Hoje acordamos as 6:30hs e após o café fiquei sabendo que fui uma das sorteadas para ir a uma visita extra a Fundação Gregório F. Baremblitt, uma clínica de saúde mental que

Leia mais

CUIDADO DE ENFERMAGEM EM SAÚDE MENTAL E PSIQUIATRIA. AULA 02: Reforma Psiquiátrica, reabilitação psicossocial e políticas de saúde mental

CUIDADO DE ENFERMAGEM EM SAÚDE MENTAL E PSIQUIATRIA. AULA 02: Reforma Psiquiátrica, reabilitação psicossocial e políticas de saúde mental CUIDADO DE ENFERMAGEM EM SAÚDE MENTAL E PSIQUIATRIA AULA 02: Reforma Psiquiátrica, reabilitação psicossocial e políticas de saúde mental PROFESSOR LEILSON LIRA 2015.2 O que veremos hoje? Discussão do Filme;

Leia mais

REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (RAPS) ORIENTAÇÕES DO COSEMS/SP SOBRE A IMPLANTAÇÃO DE RESIDÊNCIAS TERAPÊUTICAS NO ESTADO DE SÃO PAULO

REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (RAPS) ORIENTAÇÕES DO COSEMS/SP SOBRE A IMPLANTAÇÃO DE RESIDÊNCIAS TERAPÊUTICAS NO ESTADO DE SÃO PAULO REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (RAPS) ORIENTAÇÕES DO COSEMS/SP SOBRE A IMPLANTAÇÃO DE RESIDÊNCIAS TERAPÊUTICAS NO ESTADO DE SÃO PAULO A IMPLANTAÇÃO DA RAPS NO ESTADO DE SÃO PAULO Introdução Questão importante

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE 2012

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 O Secretário de Atenção à Saúde, no

Leia mais

SERVIÇO SUBSTITUTIVO NA CONSOLIDAÇÃO DA REFORMA PSIQUIÁTRICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE UM CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

SERVIÇO SUBSTITUTIVO NA CONSOLIDAÇÃO DA REFORMA PSIQUIÁTRICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE UM CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL SERVIÇO SUBSTITUTIVO NA CONSOLIDAÇÃO DA REFORMA PSIQUIÁTRICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE UM CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL Cristyan Silva da Silva 1, Lucirlei Hartmann Ferrazza 2, Simara da Silva Rodrigues

Leia mais

PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS.

PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS. DE DEPENDENTES QUÍMICOS CENPRE AO CRACK E OUTRAS DROGAS. O Centro Regional de Estudos, Prevenção e Recuperação de Dependentes Químicos - CENPRE é um programa permanente de extensão da FURG, tem como missão

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO Ofício CAM n. 081/2011 Assunto: Processo 1536/2011 1ª Vara Criminal de Diadema Ref.: Solicitação de Estudo Social A/C Dr. Leandro de Castro Gomes Defensor Público São Bernardo do Campo, 20 de dezembro

Leia mais

A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas. Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013

A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas. Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013 A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013 Situação Atual - Portaria 336/2002 - CAPS - Portaria 245/2005 incentivo implantação

Leia mais

REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL SUS Sistema Único de Saúde Princípios: Universalidade Equidade Integralidade Diretrizes: Descentralização Resolubilidade Regionalização e Hierarquização Participação dos Cidadãos

Leia mais

CENTRO DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO AO TOXICÔMANOS. Coordenador: Renato Carlos Vieira. Endereço: Rua Álvaro Sarlo, 160. Bairro: Ilha de Santa Maria

CENTRO DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO AO TOXICÔMANOS. Coordenador: Renato Carlos Vieira. Endereço: Rua Álvaro Sarlo, 160. Bairro: Ilha de Santa Maria CENTRO DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO AO TOXICÔMANOS Coordenador: Renato Carlos Vieira Endereço: Rua Álvaro Sarlo, 160 Bairro: Ilha de Santa Maria CEP: 29051-100 Horários de atendimento: 7 às 19h (Atendimento

Leia mais

PORTARIA Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012

PORTARIA Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 PORTARIA Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 A Secretária de Atenção à Saúde - Substituta, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 3.088/GM/MS, de 23 de dezembro de 2011, que institui a Rede

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA/SAS Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA/SAS Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA/SAS Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 A Secretária de Atenção à Saúde - Substituta, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 3.088/GM/MS,

Leia mais

Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar

Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar ANA ADALGISA DE OLIVEIRA BORGES GESTORA DE ATENÇÃO DOMICILIAR - SERVIÇOS PRÓPRIOS UNIMEB-BH Introdução Definição Conceito de

Leia mais

ALTERAÇÃO NAS TABELAS DE HABILITAÇÃO E SERVIÇO/CLASSIFICAÇÃO DO SCNES Diário Oficial da União Nº 178 Seção 1, quinta-feira, 13 de setembro de 2012

ALTERAÇÃO NAS TABELAS DE HABILITAÇÃO E SERVIÇO/CLASSIFICAÇÃO DO SCNES Diário Oficial da União Nº 178 Seção 1, quinta-feira, 13 de setembro de 2012 Circular 365/2012 São Paulo, 14 de setembro de 2012. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) ALTERAÇÃO NAS TABELAS DE HABILITAÇÃO E SERVIÇO/CLASSIFICAÇÃO DO SCNES Diário Oficial da União Nº 178 Seção 1, quinta-feira,

Leia mais

O ENSINO DO CUIDADO DE ENFERMAGEM EM SAÚDE MENTAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO DISTRITO FEDERAL

O ENSINO DO CUIDADO DE ENFERMAGEM EM SAÚDE MENTAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO DISTRITO FEDERAL O ENSINO DO CUIDADO DE ENFERMAGEM EM SAÚDE MENTAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO DISTRITO FEDERAL Acadêmica :Amanda da Silva Alves Orientador: Alexsandro Barreto Almeida Águas Claras - DF 2016 Alexsandro Barreto

Leia mais

Porém, o tempo e a experiência demonstraram que a internação em hospitais psiquiátricos não é adequada para grande parte dessas pessoas porque:

Porém, o tempo e a experiência demonstraram que a internação em hospitais psiquiátricos não é adequada para grande parte dessas pessoas porque: Módulo 6 :: CAPÍTULO 3: A rede de saúde na assistência a usuários de álcool e outras drogas: papel das UBS, CAPSad, hospitais gerais e hospitais psiquiátricos Marcelo Santos Cruz e Salette Maria Barros

Leia mais

HISTÓRIA DA LOUCURA A PSIQUIATRIA NO BRASIL

HISTÓRIA DA LOUCURA A PSIQUIATRIA NO BRASIL HISTÓRIA DA LOUCURA Na antiguidade grega, antes do século V A.C., o homem ainda não conhece a si mesmo, a loucura definia-se como "sem razão" e insensatez então, essas distorções ou aberrações dessa "natureza"

Leia mais

Módulo1:: CAPÍTULO 5: A rede de atenção a usuários de álcool e outras drogas na saúde pública do Brasil Pedro Gabriel Delgado e Francisco Cordeiro

Módulo1:: CAPÍTULO 5: A rede de atenção a usuários de álcool e outras drogas na saúde pública do Brasil Pedro Gabriel Delgado e Francisco Cordeiro Módulo1:: CAPÍTULO 5: A rede de atenção a usuários de álcool e outras drogas na saúde pública do Brasil Pedro Gabriel Delgado e Francisco Cordeiro Este capítulo pretende abordar alguns aspectos da política

Leia mais

POLÍTICA DE SAÚDE MENTAL

POLÍTICA DE SAÚDE MENTAL POLÍTICA DE SAÚDE MENTAL Coordenação Geral de Saúde Mental Departamento de Ações Programáticas Estratégicas - DAPE Secretaria de Atenção à Saúde Ministério da Saúde Reunião da Tripartite 17/03/2005 Situação

Leia mais

CAMINHOS PARA A INTEGRALIDADE DO CUIDADO: SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO BÁSICA

CAMINHOS PARA A INTEGRALIDADE DO CUIDADO: SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO BÁSICA CAMINHOS PARA A INTEGRALIDADE DO CUIDADO: SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO BÁSICA Brasília, Janeiro de 2014 Finalidades do CAMINHOS DO CUIDADO - Quebrar a logica do especialismo no cuidado em saúde mental; - Qualificar

Leia mais

Recursos Próprios 2013

Recursos Próprios 2013 Recursos Próprios 2013 " Serviços Próprios de Atendimento Pré-Hospitalar (SOS) e Assistência Domiciliar ( Home- Care): reconhecendo a importância destas modalidades assistenciais para o cliente e para

Leia mais

Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica Integrada

Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica Integrada Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica Integrada Internamento Hospitalar Francisco Sampaio Braga, 15 de outubro de 2016 Sampaio, F. (2016). Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica Integrada: Internamento

Leia mais

Documento que marca as reformas na atenção à saúde mental nas Américas.

Documento que marca as reformas na atenção à saúde mental nas Américas. CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas LEVANTAMENTO DOS MARCOS TEÓRICOS E LEGAIS DO CAPS CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL 1. Marco Teórico NORMATIVAS

Leia mais

OFICINA TERAPÊUTICA: UM ESPAÇO DE (RE) INVENTAR O COTIDIANO. RESUMO

OFICINA TERAPÊUTICA: UM ESPAÇO DE (RE) INVENTAR O COTIDIANO. RESUMO OFICINA TERAPÊUTICA: UM ESPAÇO DE (RE) INVENTAR O COTIDIANO ELY, Gabriela Zenatti 1 ; LARA, Michele Pivetta de 2 ; TERRA, Marlene Gomes 3 ; MARTINS, Luciane Regio 4 ; VASCONCELOS, Raíssa Ottes 5 ; FREITAS,

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA DESCRIMINALIZAÇÃO DO USO E POSSE DA MACONHA PARA CONSUMO PRÓPRIO

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA DESCRIMINALIZAÇÃO DO USO E POSSE DA MACONHA PARA CONSUMO PRÓPRIO CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA DESCRIMINALIZAÇÃO DO USO E POSSE DA MACONHA PARA CONSUMO PRÓPRIO Salomão Rodrigues Filho Médico psiquiatra Conselheiro por Goiás do CFM DIMENSÃO

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 3.731, DE 2012 (Do Sr. Walter Tosta)

PROJETO DE LEI N.º 3.731, DE 2012 (Do Sr. Walter Tosta) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 3.731, DE 2012 (Do Sr. Walter Tosta) Altera a Lei nº 10.708, de 31 de julho de 2003, que institui o auxílioreabilitação psicossocial para pacientes acometidos de

Leia mais

VIVÊNCIA DE UM GRUPO DE SENTIMENTOS NO CAPS PRADO VEPPO- SM-RS.

VIVÊNCIA DE UM GRUPO DE SENTIMENTOS NO CAPS PRADO VEPPO- SM-RS. VIVÊNCIA DE UM GRUPO DE SENTIMENTOS NO CAPS PRADO VEPPO- SM-RS. Niara Cabral Iserhard 1 Annie Jeanninne Bisso Lacchini 2 Na década de 80, o movimento brasileiro pela reforma psiquiátrica teve uma iniciativa

Leia mais

QUADRO DE VAGAS 2017/2 ESTÁGIO CURRICULAR PSICOLOGIA

QUADRO DE VAGAS 2017/2 ESTÁGIO CURRICULAR PSICOLOGIA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SAÚDE HOSPITAL PSIQUIÁTRICO SÃO PEDRO DIREÇÃO DE ENSINO E PESQUISA QUADRO DE VAGAS 2017/2 ESTÁGIO CURRICULAR PSICOLOGIA LOCAL VAGAS MODALIDADE DE ESTÁGIO Data

Leia mais

EXPERIÊNCIA DA FISIOTERAPIA NO ÂMBITO DA SAÚDE MENTAL NA ESPECIFICIDADE DE UM CAPS AD NO RIO GRANDE DO SUL

EXPERIÊNCIA DA FISIOTERAPIA NO ÂMBITO DA SAÚDE MENTAL NA ESPECIFICIDADE DE UM CAPS AD NO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS ICB ESPECIALIZAÇÃO EM ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR EM DEPENDÊNCIA QUÍMICA - CENPRE EXPERIÊNCIA DA FISIOTERAPIA NO ÂMBITO DA SAÚDE

Leia mais

1. Introdução. 1 Esta Enfermaria, chamada de 'Longa', em 2004, possuía 14 pacientes com transtornos mentais

1. Introdução. 1 Esta Enfermaria, chamada de 'Longa', em 2004, possuía 14 pacientes com transtornos mentais 1. Introdução Abordar o tema da Reabilitação Psicossocial e Saúde Mental, buscando, especificamente, analisar como vem se realizando o processo de Reabilitação Psicossocial Assistida dos moradores do Serviço

Leia mais

Saúde Mental passo a passo: como organizar a rede de saúde mental no seu município?

Saúde Mental passo a passo: como organizar a rede de saúde mental no seu município? Saúde Mental passo a passo: como organizar a rede de saúde mental no seu município? 1) Como deve ser a rede de saúde mental no seu município? A rede de saúde mental pode ser constituída por vários dispositivos

Leia mais

Política Nacional sobre drogas. Leon Garcia- Diretor de Articulação e Projetos

Política Nacional sobre drogas. Leon Garcia- Diretor de Articulação e Projetos Política Nacional sobre drogas Leon Garcia- Diretor de Articulação e Projetos A arma mais importante que nós temos- os que temos uma perspectiva democrática para a vida social para tratar do tema das drogas

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR

POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR NOTA TÉCNICA 02 2006 POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR 1 Brasília, 10 de fevereiro de 2006. I. Introdução: NOTA TÉCNICA 02 2006 O Ministério da Saúde está propondo a implantação da Política Nacional

Leia mais

Curso de Enfermagem em Saúde Mental

Curso de Enfermagem em Saúde Mental Curso de Enfermagem em Saúde Mental MÓDULO IV Atenção: O material deste módulo está disponível apenas como parâmetro de estudos para este Programa de Educação Continuada, é proibida qualquer forma de comercialização

Leia mais

Chamada nº 16/2016. Processo Seletivo Simplificado para profissionais de nível superior do Centro de Atenção Psicossocial II (CAPS II).

Chamada nº 16/2016. Processo Seletivo Simplificado para profissionais de nível superior do Centro de Atenção Psicossocial II (CAPS II). Chamada nº 16/2016 Processo Seletivo Simplificado para profissionais de nível superior do Centro de Atenção Psicossocial II (CAPS II). A FIOTEC, em observância, ao Contrato de Gestão firmado com a Prefeitura

Leia mais

A REFORMA PSIQUIÁTRICA NO BRASIL: REFLEXÕES ACERCA DE SUAS DIMENSÕES E DOS DESAFIOS NA ATUAL CONJUNTURA

A REFORMA PSIQUIÁTRICA NO BRASIL: REFLEXÕES ACERCA DE SUAS DIMENSÕES E DOS DESAFIOS NA ATUAL CONJUNTURA A REFORMA PSIQUIÁTRICA NO BRASIL: REFLEXÕES ACERCA DE SUAS DIMENSÕES E DOS DESAFIOS NA ATUAL CONJUNTURA Anastácia Mariana da Costa Melo 1 Introdução O processo social conhecido como Reforma Psiquiátrica

Leia mais

CFM informa sobre os direitos dos pacientes no SUS.

CFM informa sobre os direitos dos pacientes no SUS. CFM informa sobre os direitos dos pacientes no SUS. O Sistema Único de Saúde (SUS) é a forma como o Governo deve prestar saúde pública e gratuita a todo o cidadão. A ideia é ter um sistema público de

Leia mais

HISTÓRIA DO SRT DE CAXIAS DO SUL: CRIAÇÃO E AMPLIAÇÃO

HISTÓRIA DO SRT DE CAXIAS DO SUL: CRIAÇÃO E AMPLIAÇÃO HISTÓRIA DO SRT DE CAXIAS DO SUL: CRIAÇÃO E AMPLIAÇÃO Sonia Rossetti 1 Tatiana Minoia Almada 2 INTRODUÇÃO Por um longo período no município de Caxias do Sul os únicos recursos para atendimento das pessoas

Leia mais

Saúde M ent en al t --Álco Ál o co l o le Dro Dr g o as

Saúde M ent en al t --Álco Ál o co l o le Dro Dr g o as Saúde Mental-Álcool e Drogas Atenção Básica O nosso modelo tem como proposta a superação da lógica hospitalocêntrica, pressupondo a implantação de serviços substitutivos ao hospital psiquiátrico, quer

Leia mais

RELATÓRIO FINAL 4ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE MENTAL DE JUIZ DE FORA

RELATÓRIO FINAL 4ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE MENTAL DE JUIZ DE FORA RELATÓRIO FINAL 4ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE MENTAL DE JUIZ DE FORA SAÚDE MENTAL, DIREITO E COMPROMISSO DE TODOS: CONSOLIDAR AVANÇOS E ENFRENTAR DESAFIOS 08 À 10/04/2010 Local: Seminário Arquidiocesano

Leia mais

ENFERMAGEM EM SAÚDE MENTAL: REFLEXOS DA FORMAÇÃO E DO PROCESSO HISTÓRICO NA ASSISTÊNCIA

ENFERMAGEM EM SAÚDE MENTAL: REFLEXOS DA FORMAÇÃO E DO PROCESSO HISTÓRICO NA ASSISTÊNCIA ENFERMAGEM EM SAÚDE MENTAL: REFLEXOS DA FORMAÇÃO E DO PROCESSO HISTÓRICO NA ASSISTÊNCIA Alan Cristian Rodrigues Jorge¹ Ana Claudia Soares de Lima² Romaldo Bomfim Medina Junior 3 Suzinara Beatriz Soares

Leia mais

Fiscalização dos Abrigos e Casas de Acolhida da PCR

Fiscalização dos Abrigos e Casas de Acolhida da PCR Fiscalização dos Abrigos e Casas de Acolhida da PCR PERFIL: O espaço Andaluz acolhe em caráter temporário mães adolescentes com filhos ou filhas com trajetória de rua. As usuárias as escolas da rede pública,

Leia mais

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO 1. ATIVIDADES MÍNIMAS A REALIZAR 1.1. ASSISTÊNCIA HOSPITALAR Produção. 1.1.1. Realizar, no mínimo, 90% da meta estabelecida no Plano de Metas de 1.1.2. O indicador de aferição

Leia mais

Por determinação deste Conselho fomos ao estabelecimento acima citado verificar suas condições de funcionamento.

Por determinação deste Conselho fomos ao estabelecimento acima citado verificar suas condições de funcionamento. Relatório de Fiscalização CASE CARUARU Rua Presidente Castelo Branco, s/nº - Cidade Alta Caruaru Diretor técnico: não tem Telefone: (81) 3719 9433 Por determinação deste Conselho fomos ao estabelecimento

Leia mais

A DESOSPITALIZAÇÃO E A INSERÇÃO SOCIAL DA PESSOA COM TRANSTORNO MENTAL E O PAPEL DO SERVIÇO SOCIAL NO HOSPITAL PSIQUIÁTRICO

A DESOSPITALIZAÇÃO E A INSERÇÃO SOCIAL DA PESSOA COM TRANSTORNO MENTAL E O PAPEL DO SERVIÇO SOCIAL NO HOSPITAL PSIQUIÁTRICO A DESOSPITALIZAÇÃO E A INSERÇÃO SOCIAL DA PESSOA COM TRANSTORNO MENTAL E O PAPEL DO SERVIÇO SOCIAL NO HOSPITAL PSIQUIÁTRICO Melo, Vanda Adelina 1, Liberato, Elizabeth Moraes n UNIVAP /Ciências da Saúde,

Leia mais

PSICOLOGIA E DIREITOS HUMANOS: Formação, Atuação e Compromisso Social

PSICOLOGIA E DIREITOS HUMANOS: Formação, Atuação e Compromisso Social ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO NO ATENDIMENTO DE CASOS DE TRANSTORNO MENTAL E/OU USO PROBLEMÁTICO DE ÁLCOOL E DROGAS Matheus Vieira Margente (graduando em Psicologia

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DAS ATIVIDADES NA REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL DE USUÁRIOS COM TRANSTORNOS MENTAIS DO CAPS I DE LINS SP RESUMO

A CONTRIBUIÇÃO DAS ATIVIDADES NA REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL DE USUÁRIOS COM TRANSTORNOS MENTAIS DO CAPS I DE LINS SP RESUMO A CONTRIBUIÇÃO DAS ATIVIDADES NA REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL DE USUÁRIOS COM TRANSTORNOS MENTAIS DO CAPS I DE LINS SP RESUMO A criação dos centros de atenção psicossocial (CAPS) com dispositivos substitutivos

Leia mais

Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social.

Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social. Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social. 01 SOBRE Qualidade com parcerias de sucesso. A Mitra é uma cooperativa de trabalho que oferece serviços e soluções para sua área de Recursos

Leia mais

LEI Nº 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001

LEI Nº 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001 LEI Nº 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001 Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço

Leia mais

NOTA TÉCNICA Institui a Equipe de Desinstitucionalização como integrante

NOTA TÉCNICA Institui a Equipe de Desinstitucionalização como integrante NOTA TÉCNICA 32 2013 Institui a Equipe de Desinstitucionalização como integrante do Componente Estratégias de Desinstitucionalização da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), no âmbito do SUS e define incentivo

Leia mais

I. Informações BásicaS

I. Informações BásicaS I. Informações BásicaS item Órgão municipal de saúde Plano Municipal Conselho Municipal Conselho Gestor de Unidade(s) de Saúde Fundo Municipal Cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) Disque-Saúde Ouvidoria

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL - 2014

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL - 2014 SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL - 2014 A MODELAGEM DA REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL 1. A análise de situação de saúde 2. A escolha do modelo de 3. A definição do

Leia mais

Oficinas de tratamento. Redes sociais. Centros de Atenção Psicossocial Álcool e drogas

Oficinas de tratamento. Redes sociais. Centros de Atenção Psicossocial Álcool e drogas Oficinas de tratamento Redes sociais Centros de Atenção Psicossocial Álcool e drogas Irma Rossa Médica Residência em Medicina Interna- HNSC Médica Clínica- CAPS ad HNSC Mestre em Clínica Médica- UFRGS

Leia mais

RESUMO DOS 120 ANOS DA EEAP ANÁLISE DA ASSISTÊNCIA NA ATENÇÃO BÁSICA ÀS CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM TRANSTORNOS PSÍQUICOS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

RESUMO DOS 120 ANOS DA EEAP ANÁLISE DA ASSISTÊNCIA NA ATENÇÃO BÁSICA ÀS CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM TRANSTORNOS PSÍQUICOS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA RESUMO DOS 120 ANOS DA EEAP ANÁLISE DA ASSISTÊNCIA NA ATENÇÃO BÁSICA ÀS CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM TRANSTORNOS PSÍQUICOS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Larissa Cotrofe Santoro 1, Raphael Costa Pinto 2, Isabel

Leia mais

Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica.

Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica. Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica. Enf. Ana Paula de Mattos Coelho Hemodinâmica - Hospital TotalCor E-mail: acoelho@totalcor.com.br Joint Commission Acreditação do atendimento hospitalar;

Leia mais

NOTA TÉCNICA 41 /2012. Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

NOTA TÉCNICA 41 /2012. Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). NOTA TÉCNICA 41 /2012 Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). INTRODUÇÃO As doenças crônicas não transmissíveis constituem o problema

Leia mais

OF. 068/17/ABP/SEC Brasília, 25 de abril de 2017.

OF. 068/17/ABP/SEC Brasília, 25 de abril de 2017. OF. 068/17/ABP/SEC Brasília, 25 de abril de 2017. Ao Exmo. Sr. Osmar Terra Ministro do Desenvolvimento Social Ao Exmo. Sr. Ricardo Barros Ministro da Saúde Aos Exmos. Srs. Governadores A todos os Gestores

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR III REDE HOSPITALAR HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE: Unidade de Adição Álvaro Alvim MELINA ADRIANA FRIEDRICH

Leia mais

RESPONSABILI- DADE CONCEITO. Centralizado. Centralizado

RESPONSABILI- DADE CONCEITO. Centralizado. Centralizado PORTARIA Nº 857, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 3.088/GM/MS, de 23 de dezembro de 2011, que institui a Rede de Atenção Psicossocial

Leia mais

3.4DESCRIÇÃO DAS TECNOLOGIAS A SEREM AVALIADAS Recomendações Referências... 10

3.4DESCRIÇÃO DAS TECNOLOGIAS A SEREM AVALIADAS Recomendações Referências... 10 NOTA TÉCNICA 26/2014 Dr JOSÉ CARLOS DE MATOS Juiz de Direito Comarca de João Monlevade - MG Data: 10/02/2014 Medicamento Material Procedimento Cobertura X TEMA: INTERNAÇÕES PSIQUIATRICAS Sumário 1. Resumo

Leia mais

Levantamento de Indicadores sobre os Hospitais Psiquiátricos de Sorocaba e Salto de Pirapora. FLAMAS (Fórum da Luta Antimanicomial de Sorocaba)

Levantamento de Indicadores sobre os Hospitais Psiquiátricos de Sorocaba e Salto de Pirapora. FLAMAS (Fórum da Luta Antimanicomial de Sorocaba) Levantamento de Indicadores sobre os Hospitais Psiquiátricos de Sorocaba e Salto de Pirapora FLAMAS (Fórum da Luta Antimanicomial de Sorocaba) Prof Dr Marcos R. V. Garcia (UFSCAR-Sorocaba) Prof Leandro

Leia mais

Marcos S. Lapa Médico Geriatra II SIMPÓSIO GESEN. Londrina, 15 de setembro 2012

Marcos S. Lapa Médico Geriatra II SIMPÓSIO GESEN. Londrina, 15 de setembro 2012 Marcos S. Lapa Médico Geriatra II SIMPÓSIO GESEN Londrina, 15 de setembro 2012 TRÊS MODALIDADE 1. CONSULTA DOMICILIAR: paciente prefere ser atendido no domicílio, não necessariamente apresenta alguma limitação

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Aplicação das medidas de segurança ao doente mental como forma de ressocialização no sistema penal brasileiro Lílian Pereira Miranda O presente estudo tem como objeto o modelo de

Leia mais

Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/AIDS na Saúde Mental no Brasil

Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/AIDS na Saúde Mental no Brasil Seminário PRISSMA-PESSOAS Rio de Janeiro, RJ 13 e 14 de março de 2008 Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/AIDS na Mental no Brasil Cristina de A. Possas Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento

Leia mais

Atendimento Pré-hospitalar ao Paciente com Agravo Mental. Enf. Adriana Monteiro

Atendimento Pré-hospitalar ao Paciente com Agravo Mental. Enf. Adriana Monteiro Atendimento Pré-hospitalar ao Paciente com Agravo Mental Enf. Adriana Monteiro Quando me falam de psiquiatria, eu imagino... A psiquiatria no Brasil 1543: Primeiras Santas Casas; 1841: Os primeiros Hospitais;

Leia mais

Diário Oficial Imprensa Nacional

Diário Oficial Imprensa Nacional Diário Oficial Imprensa Nacional REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL BRASÍLIA - DF.Nº 178 DOU 13/09/12 seção 1 p.147 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE PORTARIA Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012

Leia mais

Política de Tratamento do Álcool e outras Drogas no Sistema Publico de Saude

Política de Tratamento do Álcool e outras Drogas no Sistema Publico de Saude THIRTY-EIGHTH REGULAR SESSION OF CICAD CICAD - OAS Política de Tratamento do Álcool e outras Drogas no Sistema Publico de Saude DENISE DONEDA MINISTERIO DA SAUDE BRASIL REALIDADE COMPLEXA PRODUÇÃO / COMÉRCIO

Leia mais

O PSICÓLOGO NAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE MENTAL, NO MUNICÍPIO DE SANTOS-SP.

O PSICÓLOGO NAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE MENTAL, NO MUNICÍPIO DE SANTOS-SP. O PSICÓLOGO NAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE MENTAL, NO MUNICÍPIO DE SANTOS-SP. Priscila Larangeira Carvalho Professora dos Cursos de: Administração; Educação Física, Enfermagem, Direito, Fisioterapia e

Leia mais

Alexandre de Araújo Pereira

Alexandre de Araújo Pereira SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA / SAÚDE DA FAMÍLIA: CO-RESPONSABILIDADE NO TERRITÓRIO III MOSTRA NACIONAL DE III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA BRASÍLIA 08/2008 Alexandre de Araújo Pereira

Leia mais

INTERFACE CAPS E PSF UMA EXPERIÊNCIA DE

INTERFACE CAPS E PSF UMA EXPERIÊNCIA DE INTERFACE CAPS E PSF UMA EXPERIÊNCIA DE RESPEITO E SUCESSO EXPERIÊNCIA DE ARACAJU 2002 Ampliação do PSF cobertura de 70% da população; Implantação do Acolhimento; Na Saúde Mental a implantação de equipes

Leia mais

Ciclo de Debates SUS: Políticas Sociais e de Assistência à Saúde do Idoso

Ciclo de Debates SUS: Políticas Sociais e de Assistência à Saúde do Idoso Senado Federal Ciclo de Debates SUS: Políticas Sociais e de Assistência à Saúde do Idoso Brasília, 26 de maio de 2009 Professora Dra Maria Alice Toledo Professora adjunta de Geriatria e Psiquiatria da

Leia mais

PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições,

PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, PORTARIA Nº 854, DE 22 DE AGOSTO DE 2012 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 3.088/GM/MS, de 23 de dezembro de 2011, que institui a Rede de Atenção Psicossocial

Leia mais

3 Centro Regional de Especialidades (Ambulatório de Especialidades):

3 Centro Regional de Especialidades (Ambulatório de Especialidades): ESTUDOS REGIONAIS 1 INTRODUÇÃO A "Organização Mundial de Saúde" (OMS) define a saúde como "um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades". O

Leia mais

NASF e PAIF/CRAS: a contribuição de cada serviço para a garantia dos direitos. Débora Martini

NASF e PAIF/CRAS: a contribuição de cada serviço para a garantia dos direitos. Débora Martini NASF e PAIF/CRAS: a contribuição de cada serviço para a garantia dos direitos Débora Martini Saúde Direito de todos Núcleo de Apoio a Saúde da Família - NASF Atenção Primária à Saúde Centros de Saúde Assistência

Leia mais

Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva

Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva - 2009 Programa de Reabilitação Pulmonar Rosângela H. Araújo Santos Divisão Cooperados Total: 838 0,04% Gerência Executiva da Assistência e Promoção à Saúde

Leia mais

ANEXO 3 CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE

ANEXO 3 CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE ANEXO 3 PROGRAMA CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE 1. Conhecimentos sobre o SUS - Legislação da Saúde: Constituição Federal de 1988 (Título VIII - capítulo II - Seção II); Lei 8.080/90 e Lei 8.142/90; Norma

Leia mais

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS - PESSOAS COM DOENÇA DO FORO MENTAL OU PSIQUIÁTRICO

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS - PESSOAS COM DOENÇA DO FORO MENTAL OU PSIQUIÁTRICO Manual de GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS - PESSOAS COM DOENÇA DO FORO MENTAL OU PSIQUIÁTRICO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/7 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Apoios

Leia mais

INSTRUMENTAL PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO

INSTRUMENTAL PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO I Identificação ASSOCIAÇÃO DE REABILITAÇÃO INFANTIL LIMEIRENSE ARIL INSTRUMENTAL PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO Entidade Executora: Associação de Reabilitação Infantil Limeirense - ARIL Endereço: Rua Dr.

Leia mais

GHC Empresa Cidadã. Aumento da Licença Paternidade como Estratégia para o Desenvolvimento Integral na Primeira Infância

GHC Empresa Cidadã. Aumento da Licença Paternidade como Estratégia para o Desenvolvimento Integral na Primeira Infância GHC Empresa Cidadã Aumento da Licença Paternidade como Estratégia para o Desenvolvimento Integral na Primeira Infância IV Seminário Internacional do Marco Legal da Primeira Infância Brasília julho 2016

Leia mais

Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras no SUS. Brasília, 29 de maio de 2014

Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras no SUS. Brasília, 29 de maio de 2014 Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras no SUS Brasília, 29 de maio de 2014 Doenças raras OMS: afeta até 65 pessoas/100 mil indivíduos (1,3:2.000). Acometem de 6% a 8% da população.

Leia mais

SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO BÁSICA O VÍNCULO E O DIÁLOGO NECESSÁRIOS ÍNDICE

SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO BÁSICA O VÍNCULO E O DIÁLOGO NECESSÁRIOS ÍNDICE MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS / DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO GERAL DE SAÚDE MENTAL COORDENAÇÃO DE GESTÃO DA ATENÇÃO BÁSICA

Leia mais

Rede de atenção no SUS e no SUAS e suas inter-relações

Rede de atenção no SUS e no SUAS e suas inter-relações Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Rede de atenção no SUS e no SUAS e suas inter-relações Políticas públicas em álcool e outras drogas: a importância da transversalidade das redes de saúde e assistência

Leia mais

RESIDÊNCIA TERAPÊUTICA: UM NOVO MODELO DE INCLUSÃO NO ÂMBITO DA SAÚDE MENTAL

RESIDÊNCIA TERAPÊUTICA: UM NOVO MODELO DE INCLUSÃO NO ÂMBITO DA SAÚDE MENTAL 1 RESIDÊNCIA TERAPÊUTICA: UM NOVO MODELO DE INCLUSÃO NO ÂMBITO DA SAÚDE MENTAL Kelly Rodrigues Gales 1 Alicia Santolini Tonon 2 RESUMO: O presente trabalho tem por objetivo expor um novo modelo de assistência

Leia mais

ESTÁGIO: PSICOLOGIA HOSPITALAR: INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA EM UMA UNIDADE DE TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA

ESTÁGIO: PSICOLOGIA HOSPITALAR: INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA EM UMA UNIDADE DE TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE RIBEIRÃO PRETO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CENTRO DE PESQUISA E PSICOLOGIA APLICADA ESTÁGIO: PSICOLOGIA HOSPITALAR: INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA

Leia mais