REGIMENTO INTERNO DO RESIDENCIAL VISTA BELA SETOR HABITACIONAL VICENTE PIRES DE TAGUATINGA DF

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGIMENTO INTERNO DO RESIDENCIAL VISTA BELA SETOR HABITACIONAL VICENTE PIRES DE TAGUATINGA DF"

Transcrição

1 REGIMENTO INTERNO DO RESIDENCIAL VISTA BELA SETOR HABITACIONAL VICENTE PIRES DE TAGUATINGA DF I. DO OBJETIVO Art. 1º - O objetivo de formulação deste REGIMENTO INTERNO DA CHÁCARA 207 (DO RESIDENCIAL VISTA BELA, SITO À RUA 08 NÚMERO 207) DO SETOR HABITACIONAL VICENTE PIRES DE TAGUATINGA DF é normatizar a utilização da área comum pelos proprietários, estabelecendo, para todos os efeitos legais, que o uso, os direitos e obrigações relativas às frações ideais adquiridas fiquem reguladas pelo presente REGIMENTO INTERNO, cujos princípios e normas expressas serão aceitas e cumpridas pelos atuais e futuros proprietários de frações ideais, sejam condôminos, inquilinos ou empregados, de acordo com as disposições contidas no Estatuto. 1º - O presente REGIMENTO INTERNO será registrado no Cartório de 3º Ofício de Notas, Registro de Títulos e Documentos de Taguatinga, passando a fazer parte integrante do ESTATUTO SOCIAL DA PREFEITURA COMUNTÁRIA DA CHÁCARA 207 DA COLÔNIA AGRICOLA (DO RESIDENCIAL VISTA BELA SITO À RUA 08 NÚMERO 207 SETOR HABITACIONAL) VICENTE PIRES DE TAGUATINGA DF. Art. 2º - O cumprimento rigoroso das regras deste REGIMENTO INTERNO possibilitará uma convivência harmônica, equilibrada e confortável para todos os moradores. II. DA DIVISÃO DA CHÁCARA (DO RESIDENCIAL VISTA BELA) Art. 3º - A Chácara 207 (O Residencial Vista Bela) é dividido(a) em 02(duas) partes, a saber: a) A primeira compreende às áreas de propriedade coletiva e de uso comum dos moradores e se destinam às vias de acesso e guarita para portaria do portão do acesso à Chácara (ao Residencial Vista Bela), atendendo ao interesse sócio-econômico da comunidade, em consonância com a legislação vigente; 1

2 b) A segunda parte, composta de 32 lotes de propriedade privada, destinados ao uso residencial ou comercial, sendo constituídos conforme abaixo: Unidade 01 constituída pelas unidades 01 A e 01 B ; Unidade 02 constituída pela unidade 02; Unidade 03 constituída pela unidade 03; Unidade 04 constituída pela unidade 04; Unidade 05 constituída pelas unidades 05 A e 05 B ; Unidade 06 constituída pelas unidades 06 A e 06 B ; Unidade 07 constituída pelas unidades 07 A e 07 B ; Unidade 08 constituída pela unidade 08; Unidade 09 constituída pela unidade 09; Unidade 10 constituída pela unidade 10; Unidade 11 constituída pelas unidades 11 A e 11 B ; Unidade 12 constituída pela unidade 12; Unidade 13 constituída pela unidade 13; Unidade 14 constituída pela unidade 14; Unidade 15 constituída pela unidade 15; Unidade 16 constituída pela unidade 16; Unidade 17 constituída pela unidade 17; Unidade 18 constituída pela unidade 18; Unidade 19 constituída pela unidade 19; Unidade 20 constituída pela unidade 20; Unidade 21 constituída pela unidade 21; Unidade 22 constituída pela unidade 22; Unidade 23 constituída pelas unidades 23 A e 23 B ; Unidade 24 constituída pela unidade 24; Unidade 25 constituída pela unidade 25; Unidade 26 constituída pela unidade 26; Unidade 27 constituída pelas unidades 27 A e 27 B ; 2

3 Unidade 28 constituída pela unidade 28; Unidade 29 constituída pela unidade 29; Unidade 30 constituída pelas unidades 30 A e 30 B ; Unidade 31 constituída pela unidade 31; Unidade 32 constituída pelas unidades 32 A e 32 B ; 1º - Constitui-se patrimônio comum da Chácara 207 (do Residencial Vista Bela): I. Toda a área do mapa topográfico da CH. 207 (do Residencial Vista Bela) que não seja considerada propriedade privada; II. II. III. III. 01(um) portão de ferro na entrada, (01 rede de iluminação contendo 09(nove) postes padrão CEB com luminárias, 01(um) transformador de 45,01 Kva), (um) poço artesiano com 79 metros de profundidade com bomba submersa, situado do lado direito da via central, após o portão de entrada, e seu respectivo quadro de comando e acessórios, situado também na via central ao lado do poço artesiano, 01(uma) caixa d água com capacidade para 20 (vinte) mil litros, 01(uma) rede de distribuição de água (caixa para as unidades privativas) contendo 300 (trezentos) metros de extensão, e tudo mais, desde que construído pela Prefeitura Comunitária ou por ela adquirido a qualquer título; 01 (uma) Guarita contendo área interna de 21,25m 2, composta por um (01) banheiro; 01 (um) conjunto de circuito fechado de televisão CFTV, composto por uma unidade DVR standalone com 16 entradas TCP/IP 480 FPS e disco rígido de 1,5 Tb INTELBRAS, 14 (quatorze) câmeras infravermelha e 02 (duas) mini câmeras, todas instaladas e inteligadas ao DVR por cabeamento aéreo;, fonte estabilizadora de 10 (dez) amperes e 01 (um) Nobreak SMS 700 V.A com saída para bateria externa e cabo; 01 (um) portão veícular e 01 (um) portão de pedestres; 01 (um) motor industrial DZI Rossi para abertura do portão veicular; 01 (uma) rede de iluminação contendo 09 (nove) postes padrão CEB com luminárias, e tudo mais, desde que construído pela Prefeitura Comunitária ou por ela adquirido a qualquer título; Tudo mais que, por sua própria natureza, for de uso comum da prefeitura e dos moradores, de acordo com as disposições da lei n.º 4.591/64, e demais ligações pertinentes e subseqüentes. Tudo mais que, por sua própria natureza, for de uso comum da prefeitura e dos moradores, de acordo com as disposições da lei n.º 4.591/64, que dispõe sôbre o condomínio em edificações e as incorporações imobiliárias, lei /2002 Lei de introdução ao Código Civil Brasileiro, e demais ligações pertinentes e subseqüentes. 3

4 2º - As partes privadas: I. As frações ideais de propriedade dos moradores, descritas pela numeração correspondente, de conformidade com o respectivo título de aquisição e de acordo com o mapa topográfico; II. Encanamentos da água, luz e esgoto até os pontos de interseção com as linhas, encanamentos e tubulações troncos da Chácara 207 (do Residencial Vista Bela). Art. 4º - Para fins de localização e endereço dos PROPRIETÁRIOS, bem como ECT, CEB, CAESB, e para outras finalidades, fica convencionado o seguinte: Art. 4º - Para fins de localização e endereço dos PROPRIETÁRIOS, bem como Correios, CEB, CAESB, e para outras finalidades, fica convencionado o seguinte: CHÁCARA 207 SETOR HABITACIONAL VICENTE PIRES TAGUATINGA-DF CEP RESIDENCIAL VISTA BELA - RUA 08 - NÚMERO 207 SETOR HABITACIONAL VICENTE PIRES TAGUATINGA-DF CEP Art. 5º. De acordo com o ESTATUTO SOCIAL, a Prefeitura será administrada por um Diretoria Executiva, composta por um Prefeito, um Vice-Prefeito, um Secretário geral e um Tesoureiro, todos proprietários da fração ideal, eleitos pelos moradores para um mandato de 1(um) ano, podendo ser reeleitos por mais 01 (um) mandato apenas. Art. 5º. De acordo com o ESTATUTO SOCIAL, a Prefeitura será administrada por um Diretoria Executiva, composta por um Presidente, um Vice-presidente, um Secretário geral e um Tesoureiro, todos proprietários da fração ideal, eleitos pelos moradores para um mandato de 2(dois) anos, podendo ser reeleitos por mais um mandato apenas. Art. 6º - A direção da Chácara 207 (do Residencial Vista Bela) será exercida: a) pela Assembléia Geral; b) pela Diretoria Executiva; c) pelo Conselho Fiscal. 4

5 Art. 7º - Para efeitos de votações e decisões, a Assembléia Geral compor-se-á de um representante ou promitente comprador das frações ideais, desde que em pleno gozo de seus direitos conferidos pelo Estatuto Social e pela Legislação Vigente. 1º - Não terão direito a voto a ser considerado nas Assembléias Gerais ou para a formação de quórum qualificado o proprietário ou representante de frações que estiverem em atraso no pagamento de suas atribuições ou de multas que lhes tenham sido impostas pela Prefeitura, assim como os proprietários que solicitaram a isenção da taxa de condomínio para sua unidade e tiveram o benefício atendido pela administração. 2º - Os representantes de frações ideais, quando não puderem comparecer, poderão se fazer representar por procuração reconhecida em cartório. 3º - As procurações previstas no parágrafo anterior ficarão arquivadas em poder da Prefeitura, fazendo-se sua menção na ATA lavrada. 4º - Não será permitido aos membros da Administração da Prefeitura Diretoria Executiva e Conselho Fiscal representar-se por procuração, nos termos do parágrafo 2º deste Artigo. 5º - Nas Assembléias Gerais, serão discutidos apenas assuntos em pauta contidos em edital de convocação. Art. 8º - Nas convocações das Assembléias Gerais serão observadas as seguintes disposições: a) as convocações indicarão, em resumo, a ordem do dia, a data, a hora e o local da Assembléia, além da assinatura de quem as fizer. b) as convocações das Assembléias Gerais Ordinárias (uma vez por ano), serão acompanhadas de cópias de relatório anual de prestação de contas de receitas e despesas ocorridas durante o exercício findante, com parecer do Conselho Fiscal. Único Os mandatos de administração Diretoria e Conselho Fiscal coincidirão, anualmente, com os exercícios administrativos e financeiros da Prefeitura, assim considerados os períodos compreendidos entre 08 de dezembro de cada ano. Único Os mandatos de administração Diretoria e Conselho Fiscal coincidirão, anualmente, com os exercícios administrativos e financeiros da Prefeitura. Art. 9º - As Assembléias Gerais Extraordinárias serão convocadas quando houver assunto relevante a discutir e votar ou para apreciar recursos da Prefeitura. Art. 10º - Ao representante de fração ideal é vedado votar priorizando seu interesse exclusivo em detrimento do interesse coletivo. 5

6 Art As deliberações das Assembléias Gerais, tomadas em cada caso pelo quorum que este REGIMENTO INTERNO, ESTATUTO SOCIAL e LEI determinam, serão obrigatórias para todos os representantes de fração ideal, independente de seu comparecimento ou voto. III. DA DIRETORIA EXECUTIVA E SUAS ATRIBUIÇÕES Art A Administração direta da Prefeitura caberá a uma Diretoria executiva, obrigatoriamente composta de representantes de fração ideal, eleitos com mandato de 01(um) ano, podendo ser reeleitos por mais 01 (um) mandato apenas. Art A Administração direta da Prefeitura caberá a uma Diretoria executiva, obrigatoriamente composta de representantes de fração ideal, eleitos com mandato de 02(dois) anos, podendo ser reeleitos. Art Competirá à Diretoria, com base em decisão da maioria de seus membros: a) superintender a Administração Geral da Prefeitura e zelar pela sua conservação, higiene, disciplina, sossego, segurança e bom nome; b) cumprir e fazer cumprir a presente REGIMENTO INTERNO, ESTATUTO e demais regulamentos em vigor e as deliberações das Assembléias Gerais; c) admitir, punir ou demitir empregados contratados pela Prefeitura e fixar-lhes as atribuições, tarefas e obrigações, além da respectiva remuneração, observando as deliberações das Assembléias Gerais; d) convocar as Assembléias Gerais; e) prestar, a qualquer tempo, não superior a 05 anos, informação sobre os atos de sua administração; f) ao fim de cada exercício, redigir relatórios de sua gestão, fazer o balanço de suas contas e elaborar a proposta orçamentária para o exercício seguinte, que serão apresentados à Assembléia Ordinária; g) cobrar, inclusive em juízo, as contas que couberem em rateio aos proprietários e/ou seus representantes legais, nas despesas normais e extraordinárias da Prefeitura, aprovadas neste REGIMENTO INTERNO; h) impor e cobrar, inclusive em juízo, multas por infração das disposições legais, deste Regimento; i) assinar contratos de conservação de máquinas, instalações e outros necessários, que serão obrigatoriamente objeto de concorrência; j) comunicar à Assembléia Geral as citações que por ventura receber, informar quais as providências tomadas e seu andamento; 6

7 k) procurar por meios persuasivos dirimir divergências entre moradores; l) entregar a seus sucessores, em devida ordem, livros, documentos e pertences da Prefeitura, que se encontram em seu poder ou pelos quais seja responsável; m) assinar cheques, contratos, duplicatas, promissórias, autorizações de serviços, documentação de empregados, termos de compromisso e tudo mais que se faça necessário ao bom desempenho de suas funções. Art A Diretoria Executiva não será responsável pelas obrigações contraídas em nome da Prefeitura, desde que tenha agido no exercício de suas atividades e atribuições; responderá, porém, pelo excesso de representação e pelos prejuízos a que der por dolo ou omissão. Art Dos atos da Diretoria Executiva, caberá aos moradores recurso, em primeira instância, para o Conselho Fiscal e, em segunda e última instância, para a Assembléia Geral. IV. DOS DIREITOS DOS MORADORES Art. 16º - São direitos dos moradores: a) usar, gozar e dispor da respectiva área privada, de acordo com a sua disposição residencial, desde que não prejudiquem a segurança e a solidez nem causem dano ou incômodo aos demais moradores e não infrinjam as normas legais e as disposições deste Regimento Interno em vigor; b) usar e gozar das partes comuns da Chácara 207(do Residencial Vista Bela), desde que não impeçam ou perturbem idêntico uso ou gozo dos demais moradores, com restrições da alínea anterior; c) examinar, em qualquer tempo, os livros e arquivos da administração e pedir esclarecimentos a qualquer membro da Diretoria Executiva, no horário de funcionamento da Prefeitura; d) utilizar os serviços da portaria, desde que não perturbem a sua ordem nem DESVIEM os empregados para serviços particulares durante o horário de trabalho dos mesmos; e) comparecer às Assembléias Gerais e, quando em dia com suas obrigações e contribuições, nelas discutir, votar e ser votado, obedecidas as regras do Estatuto e deste Regimento. f) apresentar sugestões e reclamações que julguem necessárias, inscrevendo-as em livro próprio à disposição na portaria; g) exigir tratamento respeitoso do zelador e empregados da Prefeitura, encaminhando ao Prefeito Comunitário (Presidente), por escrito, eventuais pedidos de aplicação das pertinentes penas disciplinares, quando for o caso. 7

8 h) usufruir das benfeitorias comuns e de outras supervenientes; i) propor mudanças no presente Regimento Interno e no Estatuto, observadas as condições para isso estabelecidas. V. DOS DEVERES DOS MORADORES Art. 17º - São deveres dos moradores: a) cooperar, de forma efetiva, para a harmônica e perfeita convivência comunitária; b) providenciar o conserto, reparo ou substituição de qualquer peça, aparelho ou objeto de uso comum que tenha sido danificado pelo morador, seu parente, visitante e/ou empregado; c) tratar com respeito e dignidade o zelador e demais empregados e exigir deles o mesmo tratamento; d) manter a Prefeitura sempre informada do endereço atualizado quando, o morador não residir em sua unidade autônoma; e) fazer constar, como parte integrante de locação, sublocação, cessão ou alienação, exemplar da Escritura do Estatuto da Prefeitura, bem como deste Regimento Interno; f) manter os portões principal e de pedestre permanentemente fechados, após sua utilização; g) contribuir para as despesas comuns da prefeitura, na proporção aprovada em Assembléia, efetuando os pagamentos nos prazos estabelecidos; h) contribuir para o custeio de obras, seguros coletivos contra riscos diversos, inclusive das partes comuns, de responsabilidade contra terceiros, de acidentes de trabalho e outras despesas extraordinárias autorizadas pela assembléia Geral, na forma e proporção que for estabelecida; i) permitir o ingresso, em sua propriedade, do Prefeito (Presidente) ou prepostos seus, quando isto se torne indispensável à inspeção ou realização de trabalhos relativos à segurança geral da Prefeitura ou indispensável à realização de serviços ou reparos em tubulações ou instalações da própria unidade autônoma ou das vizinhanças; j) comunicar, imediatamente, ao Prefeito (Presidente) a ocorrência de moléstia contagiosa em pessoas residentes em sua propriedade, bem como em animais nela contidos; k) informar, por escrito, ao Prefeito (Presidente) qualquer irregularidade que observe no Chácara 207(no Residencial Vista Bela); 8

9 l) guardar decoro e respeito no uso das áreas comuns, tanto quanto das respectivas unidades autônomas, não usando nem permitindo que sejam usadas para fins diversos daqueles a que se destinam; m) não usar, alugar ou ceder as respectivas áreas privadas para instalação de qualquer atividade ou depósito de qualquer objeto capaz de causar danos aos moradores ou à Chácara 207(ao Residencial Vista Bela) e vizinhos; n) não usar as respectivas unidades autônomas nem alugá-las ou cedê-las para atividades ilegais, ruidosas ou a pessoas de maus costumes ou de comportamento anti-social; o) em caso de reunião festiva, o morador ou proprietário deverá comunicar à Prefeitura Comunitária da Chácara 207 (à administração do Residencial Vista Bela); p) manter, no caso de ausência de construção, a área da respectiva unidade autônoma murada; q) não manter ou armazenar, nas respectivas unidades autônomas ou nas áreas comuns, combustível e qualquer espécie de material inflamável, explosivo, volátil, tóxico, ácido, corrosivo, fétido, poeirento e imantado, que coloque em risco a vida e os bens de outrem, nem instalações, instrumentos, aparelhos ou quaisquer objetos que ameacem a segurança do Chácara 207 (do Residencial Vista Bela) ou causem dano ou incômodo aos Condôminos, excetuando-se gás para uso doméstico, devidamente acondicionado; r) não exibir armas de fogo, não praticar esportes que envolvam tiro, não soltar balão e queimar fogos de artifício ou fazer promoção pirotécnica nas áreas comuns e na unidades autônomas; s) não fracionar a respectiva unidade autônoma para o fim de aliená-la a mais de uma pessoa separadamente; t) cumprir a Lei, este Regimento Interno, o Estatuto e as decisões soberanas da Assembléia Geral; u) pagar as multas; v) construir, consensualmente, com os vizinhos laterais, no tocante ao modelo, o muro, divididas as despesas entre as partes. w) não desenvolver, nas vias internas da Chácara 207(do Residencial Vista Bela), velocidade superior a 20(vinte) km/h ou à velocidade assinalada nos respectivos locais; x) não permanecer em estado de embriaguez ou utilizar-se de alucinógenos nas áreas comuns; y) não estender as redes elétrica e hidráulica para a área externa do Chácara 207 (do Residencial Vista Bela) nem promover a utilização dessas redes de forma ilegal; 9

10 z) os proprietários de lotes em construção deverão apresentar junto à Prefeitura Comunitária, identificação completa dos trabalhadores de sua obra, com cópias autenticadas em cartório, contendo RG, CPF, comprovante de residência, quando solicitado; aa) responder, o proprietário, pela construção ocorrida em sua propriedade e pelos seus trabalhadores, além de orientá-los no sentido de manterem decoro, nas instalações da Chácara 207 (do Residencial Vista Bela), evitando andar sem camisa, obedecendo limites de velocidade, mantendo-se em seu alojamento no caso de estarem alojados na obra, exceto quando for solicitada a sua presença fora dele. bb) manter todo e qualquer lixo ser acondicionado em sacos plásticos bem amarrados e colocados no contêiner localizado à frente da Chácara 207 (do Residencial Vista Bela), para facilitar o seu recolhimento pelo SLU. cc) O proprietário deverá manter seu lote limpo, capinado e livre de quaisquer objetos que sirvam de abrigo e/ou moradia para roedores, répteis ou insetos. Art No caso de ausência prolongada de todas as pessoas moradoras na unidade autônoma, como em: viagens, férias etc, é aconselhável que sejam fechadas todas as torneiras de água e desligada a chave geral de luz, gás e, se possível, informar à Prefeitura Comunitária o endereço e telefone para contatos em caso de emergência. Art Todo vazamento de água, seja no encanamento, nas válvulas de descarga ou nas torneiras, deve ser reparado imediatamente, a fim de não provocar acréscimo de consumo. Art Cada proprietário deve diligenciar para manter seu carro sem vazamento de óleo, contribuindo para a limpeza e higiene das partes comuns. Art A circulação de veículos pela via interna (rua) deve obedecer rigorosamente à sinalização existente, evitando circular na contramão. Art A construção de calçadas limita-se somente à área de cada unidade privativa, não podendo, em nenhuma hipótese, impedir a circulação dos demais moradores, seguindo rigorosamente o padrão aprovado em Assembléia Geral Extraordinária 01(um) metro do muro frontal. Art A construção de calçadas e fachadas, inclusive das unidades multifamiliares, devem observar as normas e padrões adotados e aprovados em Assembléia Geral. As calçadas limitam-se somente à área de cada unidade privativa, não podendo, em nenhuma hipótese, impedir a circulação dos demais moradores, seguindo rigorosamente o padrão de 01(um) metro do muro frontal. VI. DAS PROIBIÇÕES: Art São proibições: 10

11 a) obstruir ou permitir que sejam obstruídas as vias internas, de acesso ou as partes comuns, ainda que temporariamente, com móveis, trailers, entulhos de obras, lixo, volumes, materiais, veículos danificados, ônibus, caminhões, veículos de grande porte, equipamentos inservíveis, animais mortos, o mesmo valendo para lotes vazios, particulares sem expressa autorização do proprietário; b) utilizar os empregados da Prefeitura para serviços particulares, exceto quando estes se encontrarem fora dos respectivos horários de trabalhos; c) atirar, para áreas comuns ou de serviços, fragmentos de lixo, papéis, pontas de cigarros ou quaisquer detritos ou outros objetos; d) desviar para áreas comuns ou terrenos vizinhos o esgoto doméstico ou parte dele; e) depositar, nos terrenos vazios, materiais de qualquer espécie, retirados das construções, salvo pelo tempo necessário para sua remoção; f) fazer qualquer instalação ou gambiarras que importem em sobrecarga para a rede elétrica coletiva; g) instalar antenas de rádios amadores que não estiverem de acordo com as determinações do DENTEL (da ANATEL), assim como vistoriadas por comissão indicada pelo Prefeito Comunitário (Presidente); h) pichar as áreas e muros internos ou externos da Chácara 207(do Residencial Vista Bela); i) alterar, quebrar ou modificar quaisquer redes de comum utilização da Chácara 207(do Residencial Vista Bela), sem prévia autorização do mesmo; j) a partir de 22h, é expressamente proibido o volume alto dos equipamentos de som, instrumentos musicais e campainhas sonoras; k) é expressamente proibida a instalação de antenas destinadas a aparelhos celulares; l) é expressamente proibida a carga e descarga de materiais com fins comerciais pelas vias de acesso interno da Chácara 207 (do Residencial Vista Bela); m) queimar lixo ou similares ou qualquer tipo de materiais inflamáveis. Art Não será permitida a permanência de animais domésticos, cães de todos os portes etc, soltos na rua, nas áreas verdes e partes comuns. Quando conduzidos pelos seus proprietários ou substitutos, deverão estar com coleiras e guias; para os cães de grande porte, usar enforcadeiras para evitar acidentes com os demais moradores. Ficam os proprietários obrigados a apresentar os atestados de vacinação do animal, dentro das normas de saúde pública, e responsáveis por quaisquer danos causados a terceiros e/ou à Chácara 207 (do Residencial Vista Bela), que porventura venham a acontecer. 11

12 Art As reparações das instalações internas de água, eletricidade e esgotos de cada proprietário serão feitas até às linhas-tronco, por conta do respectivo proprietário ou promitente comprador. Único Quando os reparos atingirem as áreas comuns, só poderão ser feitos com prévio consentimento, por escrito, da Diretoria Executiva, que os autorizará, desde que sua forma de execução não afete ou cause dano a segurança da Chácara 207(do Residencial Vista Bela). Art Se o responsável não mandar executar os reparos necessários, a Diretoria Executiva poderá recorrer aos meios judiciais para imediato reparo dos danos causados e consertos das partes atingidas. Art Se o responsável não mandar executar os reparos necessários, a Diretoria Executiva poderá realizá-lo imputando ao responsável o valor do reparo a título de taxa de reparo, podendo também recorrer aos meios judiciais para imediato reparo dos danos causados e consertos das partes atingidas. Art A Chácara 207(O Residencial Vista Bela) é destinada única e exclusivamente a fins residenciais, de modo que será vedada a utilização, quer das partes comuns, quer das partes privadas, para quaisquer outras finalidades. 1º. - Os lotes de 01 a 06 e os lotes ímpares ladeados com áreas verdes poderão desenvolver atividades comerciais desde que previamente autorizadas por assembléia geral. 2º. - Os lotes 05 e 06, além do previsto no parágrafo anterior, deverão observar o limite de 04 (quatro) metros do portão principal que dá acesso à rua da Chácara 207(do Residencial Vista Bela), para a abertura de comércio, ficando vedado o comércio de bebidas, restaurantes e similares. 3º. Ficam obrigados ainda os proprietário dos lotes citados no 1º a construção de um muro que separe a residência do devido comércio, evitando assim o acesso de pessoas estranhas dentro da Chácara 207 (do Residencial Vista Bela), como também a circulação de veículos na via interna para entregar ou recolher mercadorias dos referidos comércios ou o uso da via interna como estacionamento ou local de parada temporário de seus estabelecimentos. 4º. - Os demais lotes só poderão ter comércio que não implique a entrada de pessoas estranhas dentro da Chácara 207 (no Residencial Vista Bela) e com prévia autorização da Assembléia Geral. VII. DAS OBRIGAÇÕES Art É obrigação inalienável, de cada um, cumprir as regras de interesse comum aqui estabelecidas. 12

13 VIII. DO ORÇAMENTO DA PREFEITURA E DAS CONTRIBUIÇÕES Art Constituirão despesas comuns da Prefeitura as que se referem : a) conservação, manutenção, limpeza, reparação e reconstrução das partes comuns; b) residência, na Chácara 207(no Residencial Vista Bela), de empregados; c) prêmios de seguro da Chácara 207(do Residencial Vista Bela) e de empregados; d) impostos, taxas, emolumentos e quaisquer outros encargos que recaiam sobre as partes comuns da Chácara 207(do Residencial Vista Bela); e) despesas com empregados, caso os contratemos, inclusive encargos sociais; f) consumo de luz e força para as bombas hidráulicas e quaisquer outros aparelhos elétricos, bem como iluminação das áreas comuns; f) consumo de água, energia e quaisquer outros aparelhos elétricos, bem como iluminação das áreas comuns; g) taxas de água, lixo, esgoto e outras que surgirem; h) remuneração da administração ou prestadora de serviços que houver. Único Além das enumeradas no caput deste artigo, serão também consideradas despesas comuns dos moradores quaisquer outras imprevistas que os atinjam, desde que aprovadas pela Diretoria Executiva e Conselho Fiscal. Art Competirá à Assembléia Geral Ordinária fixar o orçamento das despesas comuns e caberá aos moradores concorrer para o respectivo custeio de quotas condominiais mensais. Art As despesas extraordinárias serão rateadas entre os moradores na forma e condições estabelecidas pela Assembléia Geral que as aprovar, obedecidos, quanto ao seu pagamento, os mesmos critérios fixados no artigo anterior, e na ata de fundação. Art Eventual déficit verificado no exercício será rateado entre os moradores na forma que for estabelecida pela Assembléia Geral. Art Ficará a cargo de cada morador as despesas a que causar. Único O disposto neste artigo é extensivo aos prejuízos causados às partes comuns da Chácara 207 (do Residencial Vista Bela) pela omissão dos moradores na execução de trabalhos ou reparos em sua propriedade bem como durante as mudanças. IX. DAS PENALIDADES 13

14 Art Ocorrendo atrasos, de qualquer propriedade e/ou morador, nos pagamentos de suas obrigações este e/ou seu representante legal pagará multa de 10% (dez por cento), mais juros de 1% (um por cento) ao mês, mora e correção monetária. Art Ocorrendo atrasos, de qualquer propriedade e/ou morador, nos pagamentos de suas obrigações este e/ou seu representante legal pagará multa de 2% (dois por cento), mais juros de 1% (um por cento) ao mês, mora e correção monetária. Parágrafo Primeiro - Ocorridos 30 (trinta) dias após o primeiro vencimento a Prefeitura, após aviso prévio, promoverá contra o faltoso ou seu representante legal a competente ação judicial, para cobrar o valor de seu débito, acrescido de multas, juros, mora e correção monetária, além das custas judiciais e honorários advocatícios, este no valor de 20% sobre o montante da causa. Parágrafo Segundo O aviso prévio poderá ser por meio de correspondência, correspondência eletrônica ou publicação em jornal de grande circulação quando não encontrado o proprietário ou seu representante legal. Parágrafo Terceiro - O disposto neste artigo é extensivo a qualquer tipo de taxas extras ou similares que por ocasião de Assembléias forem julgadas pertinentes. Art. 35. O morador, proprietário ou seu representante legal que incidir em qualquer grau os artigos abaixo e suas alíneas, pagará multa, conforme abaixo: a) Incidir o Art. 17, alíneas m, n, p, x, y, aa, bb, Art. 19, Art. 20, Art. 21, Art. 23, alínea a, c, e, Art. 24 e Art. 25 pagará multa de 50% (cinqüenta por cento) sobre a taxa de condomínio; b) Incidir o Art. 17, alíneas r e Art. 23, alíneas g, j pagará multa de 75% (setenta e cinco por cento) sobre a taxa de condomínio; c) Incidir o Art. 17, alíneas b, q, s, w, cc e Art. 23, alínea b, d, f, h, i, k, l, m e Art. 27, parágrafos 1º, 2º, 3º e 4º pagará multa de 100% (cem por cento) sobre a taxa de condomínio; d) A reincidencia em período inferior a 06 (seis) meses acarretará o pagamento dobrado da multa para qualquer tipo de infração. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art Nos casos de doação, alienação, locação ou cedência a qualquer título do direito de uso de sua propriedade a terceiros, o proprietário deverá fazer constar do respectivo instrumento a obrigação, pelo adquirente, locatário ou titular, do direito de uso, de observar e cumprir fielmente os dispositivos desse Regimento Interno e Estatuto vigentes. Art O presente Regimento Interno, que sujeita todo proprietário de fração ideal aos mesmos direitos e obrigações, só poderá ser modificado com pelo menos 2/3 (dois terços) dos representantes de fração ideal. 14

15 Art A Prefeitura não será responsável por quaisquer roubos ou acidentes na Chácara 207(do Residencial Vista Bela), devendo seus moradores conservar bem fechadas as portas das respectivas propriedades, assim como zelar pela segurança em toda extensão do seu lote residencial. Art A Prefeitura não será responsável por incêndios, mortes, acidentes ou furtos que ocorrerem na Chácara 207(no Residencial Vista Bela), salvo se a culpabilidade for comprovada pela justiça. Art Ficam vedadas as construções com mais de 3 (três) pavimentos; Art Os casos omissos neste Regimento Interno, serão resolvidos pela Assembléia Geral, junto com o Conselho Fiscal que aplicará, no que couber, a Lei 4.591/64, e demais legislações pertinentes. Art. 42º - Haverá revisão do presente Regimento Interno após um ano de sua aprovação. Art. 43º - Revogam-se aos disposições em contrário. E, por estarem os moradores e proprietários justos e acordados, com todos os artigos retromencionados, assinam o presente Regimento Interno, para que produza seus efeitos legais. Taguatinga-DF, 01 de novembro de ROGÉRIO WILSON LELIS CAIXETA PRESIDENTE GILBERTO NEO DANTAS SECRETÁRIO 15

REGIMENTO INTERNO DA CHÁCARA 207 DO SETOR HABITACIONAL VICENTE PIRES DE TAGUATINGA DF

REGIMENTO INTERNO DA CHÁCARA 207 DO SETOR HABITACIONAL VICENTE PIRES DE TAGUATINGA DF REGIMENTO INTERNO DA CHÁCARA 207 DO SETOR HABITACIONAL VICENTE PIRES DE TAGUATINGA DF I. DO OBJETIVO Art. 1º - O objetivo de formulação deste REGIMENTO INTERNO DA CHÁCARA 207 DO SETOR HABITACIONAL VICENTE

Leia mais

Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum dos condôminos.

Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum dos condôminos. Lei do Condomínio 10.406/2002 CAPÍTULO VII Do Condomínio Edilício Seção I Disposições Gerais Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS ANEXO À RESOLUÇÃO Nº 490, DE 24 DE JANEIRO DE 2008 REGULAMENTO DE CONSELHO DE USUÁRIOS DO STFC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Este Regulamento estabelece as regras básicas para implantação,

Leia mais

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local.

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local. MANUAL DO CONDÔMINO REGULAMENTO INTERNO Cada prédio possui as suas próprias necessidades e, por isso, tanto a convenção como o regulamento interno devem ser redigidos especialmente para a edificação em

Leia mais

29) CONTRATO DE LOCAÇÃO DE QUARTO POR TEMPORADA. Pelo presente instrumento particular de um lado,...,

29) CONTRATO DE LOCAÇÃO DE QUARTO POR TEMPORADA. Pelo presente instrumento particular de um lado,..., 29) CONTRATO DE LOCAÇÃO DE QUARTO POR TEMPORADA Pelo presente instrumento particular de um lado,..., brasileira, solteira, professora universitária, inscrita no CPF sob o n...., residente e domiciliada

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI

ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI Reconhecida pela SEC/SC - Portarias 0390/86 e 0424/92 ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E PROFESSORES DA ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI-ETEVI-FURB-BLUMENAU-SC CAPÍTULO I

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO

REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO Art. 1º - O TERRA PARK CLUB RESIDENCE é um loteamento dividido em partes de propriedade privativa,

Leia mais

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61 O Regulamento Interno da ULIVING BELA VISTA, localizado na cidade de SÃO PAULO CAPITAL, à Rua Barata Ribeiro nº 61 estabelece as regras de convivência e as relações entre os usuários do empreendimento.

Leia mais

Condomínio Via Bella Residence Service. Atribuições 1. CONSELHO FISCAL 2. SÍNDICO

Condomínio Via Bella Residence Service. Atribuições 1. CONSELHO FISCAL 2. SÍNDICO Atribuições 1. CONSELHO FISCAL Pode - Auditar e fiscalizar as contas do condomínio. - Alertar o síndico sobre eventuais irregularidades. - Dar pareceres, aprovando ou reprovando as contas do síndico. Esses

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES Art. 1º A Associação dos Moradores e Adquirentes do Condomínio Alto da Boa Vista é uma sociedade

Leia mais

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração CEMIG TRADING S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 29-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 12-08-2002, sob o nº 3130001701-0, e pelas Assembléias

Leia mais

ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO

ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO 1. Função do Síndico O síndico é aquele eleito pelos condôminos, por um período de até dois anos, para administrar e representar o condomínio, seja judicialmente

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E/OU PROPRIETÁRIOS DO BOSQUE DOS ESQUILOS - GLEBA B ESTATUTO SOCIAL. Da Denominação, Sede, Prazo e Patrimônio

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E/OU PROPRIETÁRIOS DO BOSQUE DOS ESQUILOS - GLEBA B ESTATUTO SOCIAL. Da Denominação, Sede, Prazo e Patrimônio ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E/OU PROPRIETÁRIOS DO BOSQUE DOS ESQUILOS - GLEBA B ESTATUTO SOCIAL Da Denominação, Sede, Prazo e Patrimônio ARTIGO 1º - Sob denominação ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E/OU PROPRIETÁRIOS

Leia mais

ESCLARECIMENTO: O modelo de CARTA a seguir é uma SUGESTÃO, cuja aplicabilidade deverá ser avaliada pelo Internauta.

ESCLARECIMENTO: O modelo de CARTA a seguir é uma SUGESTÃO, cuja aplicabilidade deverá ser avaliada pelo Internauta. ESCLARECIMENTO: O modelo de CARTA a seguir é uma SUGESTÃO, cuja aplicabilidade deverá ser avaliada pelo Internauta. CARTA PROTOCOLADA - NOTIFICAÇÃO DE CONDÔMINOS REPRESENTADOS CT. Nº. 000/20XX Cidade,

Leia mais

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A.

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 25-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 01-08-2002,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE Estrada do Coco, Km 31 Barra do Jacuípe CEP 42.833-000 Camaçari/Bahia CNPJ 03.380.253/0001-26 Telefones : (071) 3678-1690 e 3678-2356 E-mail : vjacuipe@oi.com.br

Leia mais

CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA. PROMITENTES VENDEDORES:

CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA. PROMITENTES VENDEDORES: <identificação dos vendedores, nome endereço cpf cgc etc> CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA PROMITENTES VENDEDORES: PROMITENTES COMPRADORES:

Leia mais

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS CIRCULAR Nº 003/2015 Curitiba, 05/06/2015. ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS A Síndica do Condomínio Le Jardin Residencial, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1.º - O Conselho Fiscal do Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor- FAPS, criado

Leia mais

GESTÃO CONTÁBIL PARA CONDOMÍNIOS. FACILITADOR: José Martins Castelo Neto Contador CRC/CE nº. 19.235 Mestrando em Controladoria - UFC

GESTÃO CONTÁBIL PARA CONDOMÍNIOS. FACILITADOR: José Martins Castelo Neto Contador CRC/CE nº. 19.235 Mestrando em Controladoria - UFC CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO CEARÁ CRC-CE CE GESTÃO CONTÁBIL PARA CONDOMÍNIOS FACILITADOR: José Martins Castelo Neto Contador CRC/CE nº. 19.235 Mestrando em Controladoria - UFC FORTALEZA-CE

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO Art. 1º - O presente Regimento tem por finalidade estabelecer normas para o funcionamento do Conselho Deliberativo da Associação Atlética Banco do Brasil São

Leia mais

ESCRITURA DE CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL PAVLAK

ESCRITURA DE CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL PAVLAK ESCRITURA DE CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL PAVLAK CONVENÇÃO, que entre si ajustam, os abaixo assinados, proprietários das unidades autônomas do Condomínio Residencial Pavlak, sito na Avenida

Leia mais

EVENTO. Centro de Educação Tecnológica

EVENTO. Centro de Educação Tecnológica EVENTO Centro de Educação Tecnológica Nossa Atuação Palestra: Os Direitos e os Deveres dos Locatários dentro da Sociedade Condominial Professor: Dr. Rudnei Maciel Conteúdo 1) Diferenças conceituais entre

Leia mais

DICAS PARA CONDÔMINOS

DICAS PARA CONDÔMINOS DICAS PARA CONDÔMINOS Área Privativa: É a unidade de cada proprietário incluindo a vaga de garagem. Áreas Comuns: São utilizadas por todos os moradores, como playground, jardins, elevadores, corredores,

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DAS SEDES DE LAZER DA AMPB

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DAS SEDES DE LAZER DA AMPB Art. 1º. O presente regulamento visa disciplinar o uso do Clube de Areia Dourada, assim como eventuais unidades de lazer a serem construídas ou adquiridas pela Associação dos Magistrados da Paraíba. DOS

Leia mais

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PESQUISADORES EM ARTES PLÁSTICAS. Regimento Interno da ANPAP

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PESQUISADORES EM ARTES PLÁSTICAS. Regimento Interno da ANPAP ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PESQUISADORES EM ARTES PLÁSTICAS Regimento Interno da ANPAP Aprovado na Assembleia Geral Extraordinária realizada no dia 19 de outubro de 2013, durante o XXII Encontro Nacional

Leia mais

Estatuto da Associação de Pais e Professores do

Estatuto da Associação de Pais e Professores do CNPJ: 82.898.404/0001-09 Estatuto da Associação de Pais e Professores do CENTRO EDUCACIONAL MENINO JESUS Fundada em 1973, Florianópolis/SC C A P Í T U L O I Da Associação e seus fins Art. 1º. - A Associação

Leia mais

1 Introdução. antes de mudar

1 Introdução. antes de mudar Introdução 1 Introdução antes de mudar Recebendo as chaves do imóvel, o proprietário deverá providenciar junto as concessionárias, as ligações de alguns serviços indispensáveis ao funcionamento de sua

Leia mais

LEI Nº 382/2010 DE 05 DE JULHO DE 2010

LEI Nº 382/2010 DE 05 DE JULHO DE 2010 LEI Nº 382/2010 DE 05 DE JULHO DE 2010 Disposição sobre a consignação em folha de pagamento O MUNICÍPIO DE BOA ESPERANÇA faz saber que a CÂMARA MUNICIPAL DE BOA ESPERANÇA decreta e eu sanciono a seguinte

Leia mais

CLUBE DE SEGUROS DE PESSOAS E BENEFÍCIOS DO ESTADO DO PARANÁ CVG/PR ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEUS FINS, SEDE E DURAÇÃO

CLUBE DE SEGUROS DE PESSOAS E BENEFÍCIOS DO ESTADO DO PARANÁ CVG/PR ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEUS FINS, SEDE E DURAÇÃO CLUBE DE SEGUROS DE PESSOAS E BENEFÍCIOS DO ESTADO DO PARANÁ CVG/PR ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEUS FINS, SEDE E DURAÇÃO ARTIGO 1º O Clube de Seguros de Pessoas e Benefícios do Estado

Leia mais

ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO ENSEADA DO ARAUÁ.

ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO ENSEADA DO ARAUÁ. ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO ENSEADA DO ARAUÁ. Escritura particular de alteração do Estatuto da Associação dos Moradores e Proprietários do Loteamento

Leia mais

ESTATUTO ELEITORAL INTERNO

ESTATUTO ELEITORAL INTERNO ESTATUTO ELEITORAL INTERNO Disciplina e regulamenta o processo eleitoral interno do Condomínio Parque Saint Germain para composição de sua administração composta pelo síndico e demais conselheiros e dá

Leia mais

CONDOMÍNIO EDIFÍCIO AHEAD

CONDOMÍNIO EDIFÍCIO AHEAD REGULAMENTO INTERNO Todos os condôminos, locatários e usuários do CONDOMÍNIO EDIFÍCIO AHEAD, ficam obrigados a cumprir e respeitar por si, a qualquer título, os termos e condições do presente: 1 - Horário

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MARIA MADALENA Rua Beija-flor, 103 Bombas Bombinhas/SC.

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MARIA MADALENA Rua Beija-flor, 103 Bombas Bombinhas/SC. ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO CONDOMÍNIO CAPÍTULO I Do nome, da Sede, Duração e Objetivo. Art. 1º A Associação de Moradores do Condomínio Residencial Maria Madalena, é uma associação sem fins

Leia mais

Quadro Comparativo das Alterações Propostas ao Estatuto da CAIXA DE ASSISTÊNCIA E PREVIDÊNCIA FÁBIO DE ARAUJO MOTTA - CASFAM.

Quadro Comparativo das Alterações Propostas ao Estatuto da CAIXA DE ASSISTÊNCIA E PREVIDÊNCIA FÁBIO DE ARAUJO MOTTA - CASFAM. Quadro Comparativo das Alterações Propostas ao Estatuto da CAIXA DE ASSISTÊNCIA E PREVIDÊNCIA FÁBIO DE ARAUJO MOTTA - CASFAM 1 Estatuto CASFAM CAPITULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E OBJETO CAPITULO I

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PERMISSIONÁRIOS DA VILA MILITAR DO BACACHERI - (APVMB) ÍNDICE. CAPÍTULO I Da Denominação, Sede e Finalidade...

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PERMISSIONÁRIOS DA VILA MILITAR DO BACACHERI - (APVMB) ÍNDICE. CAPÍTULO I Da Denominação, Sede e Finalidade... ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PERMISSIONÁRIOS DA VILA MILITAR DO BACACHERI - (APVMB) ÍNDICE CAPÍTULO I Da Denominação, Sede e Finalidade...02 CAPÍTULO II Dos Sócios...02 CAPÍTULO III Dos Direitos, Deveres

Leia mais

PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013

PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013 EMENTA: Dispõe sobre o acesso,

Leia mais

Associação dos Participantes da CBS Nossa união é nossa força. Regimento Interno. apcbs@oi.com.br www.apcbs.com.br

Associação dos Participantes da CBS Nossa união é nossa força. Regimento Interno. apcbs@oi.com.br www.apcbs.com.br Associação dos Participantes da CBS Nossa união é nossa força. Regimento Interno apcbs@oi.com.br www.apcbs.com.br ÍNDICE SEÇÃO I - DOS SÓCIOS 1 SEÇÃO II - DA ASSEMBLÉIA GERAL 1 SEÇÃO III - DO CONSELHO

Leia mais

MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO

MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art.1 o - A (o) também designada (o) pela sigla, (se usar sigla), fundada (o) em de de é uma associação, sem

Leia mais

EDITAL DE LEILÃO 001/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM JESUS GO.

EDITAL DE LEILÃO 001/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM JESUS GO. EDITAL DE LEILÃO 001/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM JESUS GO. O MUNICÍPIO DE BOM JESUS, Estado de Goiás, pessoa jurídica de direito público interno, com sede administrativa situada na Praça Sebastião

Leia mais

PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA ARESMUM- ASSOCIAÇÃO RECREATIVA E ESPORTIVA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MAMBORÊ PARANÁ CAPÍTULO I

PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA ARESMUM- ASSOCIAÇÃO RECREATIVA E ESPORTIVA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MAMBORÊ PARANÁ CAPÍTULO I PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA ARESMUM- ASSOCIAÇÃO RECREATIVA E ESPORTIVA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MAMBORÊ PARANÁ CAPÍTULO I DA FUNDAÇÃO, DENOMINAÇÃO E FINALIDADES Artigo 1º - A Associação Recreativa

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA MARINA PORTO BÚZIOS - "AMMAR" CAPÍTULO II

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA MARINA PORTO BÚZIOS - AMMAR CAPÍTULO II ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA MARINA PORTO BÚZIOS - "AMMAR" CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃQ, SEDE, OBJETIVOS E DURAÇÃO Art.1 - Sob a denominação de AMMAR - Associação dos Moradores da Marina Porto

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE COMODATO PARA EXPLORAÇÃO DO BAR DA PISCINA

MINUTA DE CONTRATO DE COMODATO PARA EXPLORAÇÃO DO BAR DA PISCINA MINUTA DE CONTRATO DE COMODATO PARA EXPLORAÇÃO DO BAR DA PISCINA DAS PARTES Pelo presente instrumento particular de contrato, que tem de um lado , brasileiro, residente à ,

Leia mais

CONDOMÍNIO EDIFÍCIO ATLÂNTICO SUL

CONDOMÍNIO EDIFÍCIO ATLÂNTICO SUL CONVENÇÃO CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, FINALIDADE E CONSTITUIÇÃO Art. 1º - O EDIFÍCIO ATLÂNTICO SUL, situado a Avenida Doutor Arthur Costa Filho, nº 735, Centro, na cidade de Caraguatatuba, Estado de São

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO:

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: Denominação Artigo 1º - Corrêa Ribeiro S/A Comércio e Indústria é uma sociedade

Leia mais

TEXTO INTEGRAL DA INSTRUÇÃO CVM 40, DE 07 DE NOVEMBRO DE 1984, COM ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM 45/85, 54/86, 224/94 E 441/06

TEXTO INTEGRAL DA INSTRUÇÃO CVM 40, DE 07 DE NOVEMBRO DE 1984, COM ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM 45/85, 54/86, 224/94 E 441/06 TEXTO INTEGRAL DA INSTRUÇÃO CVM N o 40, DE 07 DE NOVEMBRO DE 1984, COM ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM N os 45/85, 54/86, 224/94 E 441/06. Dispõe sobre a Constituição de funcionamento de Clubes

Leia mais

SEÇÃO SINDICAL DOS DOCENTES DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA REGIMENTO. Título I Da finalidade, sede e duração

SEÇÃO SINDICAL DOS DOCENTES DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA REGIMENTO. Título I Da finalidade, sede e duração SEÇÃO SINDICAL DOS DOCENTES DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA REGIMENTO Título I Da finalidade, sede e duração Art. 1º. A Seção Sindical dos Docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa, fundada

Leia mais

Condomínios & Associações: principais diferenças

Condomínios & Associações: principais diferenças Condomínios & Associações: principais diferenças Por Mariangela Iamondi Machado CNPJ Despersonalizado Condomínio Associação de Proprietários em Loteamentos CNPJ idêntico a de empresas Não pode adquirir

Leia mais

LEI Nº 4.876 DISPÕE SOBRE A LIMPEZA DE FAIXA DE DOMÍNIO E DE TERRENOS URBANOS BALDIOS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

LEI Nº 4.876 DISPÕE SOBRE A LIMPEZA DE FAIXA DE DOMÍNIO E DE TERRENOS URBANOS BALDIOS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. 1 LEI Nº 4.876 DISPÕE SOBRE A LIMPEZA DE FAIXA DE DOMÍNIO E DE TERRENOS URBANOS BALDIOS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Povo do Município de Varginha, Estado de Minas Gerais, por seus representantes na Câmara

Leia mais

Índice. Noções gerais sobre a organização de condóminos 3. Assembleia de condomínios / inquilinos 5. O Administrador 7. Regulamento do Condomínio 9

Índice. Noções gerais sobre a organização de condóminos 3. Assembleia de condomínios / inquilinos 5. O Administrador 7. Regulamento do Condomínio 9 GUIA DE CONDOMÍNIO Índice Noções gerais sobre a organização de condóminos 3 Assembleia de condomínios / inquilinos 5 O Administrador 7 Regulamento do Condomínio 9 2 Noções gerais sobre a organização de

Leia mais

Quais despesas são do inquilino?

Quais despesas são do inquilino? Quais despesas são do inquilino? Veja o que a Lei do Inquilinato diz O inquilino paga todas as despesas ordinárias do condomínio, ou seja, de manutenção. Não são de responsabilidade do inquilino as despesas

Leia mais

CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS

CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS Público alvo: síndicos, condôminos, administradores de condomínio, gerentes de condomínio, advogados e quaisquer pessoas

Leia mais

Contrato de Locação de Imóvel e Mobília por Temporada

Contrato de Locação de Imóvel e Mobília por Temporada Contrato de Locação de Imóvel e Mobília por Temporada LOCATÁRIO: Profissão: RG: CPF: Residente e domiciliado: LOCADOR: VILA DOS MANACÁS ATIVIDADES IMOBILIARIAS, empresa estabelecida nesta cidade de Ubatuba/SP,

Leia mais

"DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. NIRE nº 35.300.172.507 CNPJ/MF nº 61.486.650/0001-83 Companhia Aberta

DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. NIRE nº 35.300.172.507 CNPJ/MF nº 61.486.650/0001-83 Companhia Aberta "DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. NIRE nº 35.300.172.507 CNPJ/MF nº 61.486.650/0001-83 Companhia Aberta REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA ESTATUTÁRIO Este Regimento Interno dispõe sobre os procedimentos

Leia mais

LEI N. 2.174, DE 08 DE OUTUBRO DE 2013

LEI N. 2.174, DE 08 DE OUTUBRO DE 2013 LEI N. 2.174, DE 08 DE OUTUBRO DE 2013 Poder Legislativo Regulamenta área para estacionamento exclusivo de veículos pesados no Município de Lucas do Rio Verde - MT. O Prefeito do Município de Lucas do

Leia mais

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o 5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS AVENÇAS PARTES CONTRATANTES COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o n.... e no RG sob o n...., residente

Leia mais

Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial

Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial Ao alugar um imóvel é necessário documentar a negociação por meio de um contrato, de preferência, escrito. O inquilino deve ler atentamente todas

Leia mais

Sistema CONFERE Conselho Federal dos Representantes Comerciais. CORE-MT Conselho Regional dos Representantes Comerciais no Estado de Mato Grosso

Sistema CONFERE Conselho Federal dos Representantes Comerciais. CORE-MT Conselho Regional dos Representantes Comerciais no Estado de Mato Grosso Sistema CONFERE Conselho Federal dos Representantes Comerciais CORE-MT Conselho Regional dos Representantes Comerciais no Estado de Mato Grosso EDITAL DE LICITAÇÃO N 002/2011 MODALIDADE: CONCORRENCIA PÚBLICA

Leia mais

ESTATUTO CAPÍTULO I. DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO CAPÍTULO II DAS FINANÇAS

ESTATUTO CAPÍTULO I. DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO CAPÍTULO II DAS FINANÇAS ESTATUTO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO Art. 1 o. Sob a denominação APA de Jaboticabal - Associação Protetora dos Animais de Jaboticabal - fica fundada nesta cidade, onde terá sua sede,

Leia mais

FEDERAÇÃO CAPIXABA DE PEBOLIM

FEDERAÇÃO CAPIXABA DE PEBOLIM ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO CAPIXABA DE PEBOLIM CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINS, DURAÇÃO E FÓRUM. Art. 1º A Associação Capixaba de Pebolim também chamada em sua forma abreviada de ACP, sediada à rua Prefeito

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM FLORENÇA AMOJAF REGULAMENTO INTERNO

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM FLORENÇA AMOJAF REGULAMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM FLORENÇA AMOJAF REGULAMENTO INTERNO Os proprietários de imóveis da Célula Residencial do Jardim Florença, nesta cidade de Limeira (SP), abaixo assinados, aprovam o presente

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO HOSPITAL MATERNO INFANTIL PRESIDENTE VARGAS. Capítulo I Da denominação e sede

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO HOSPITAL MATERNO INFANTIL PRESIDENTE VARGAS. Capítulo I Da denominação e sede REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO HOSPITAL MATERNO INFANTIL PRESIDENTE VARGAS Capítulo I Da denominação e sede Art. 1º A Associação dos Amigos do Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas,

Leia mais

OSMAR DE LIMA MAGALHÃES Secretário do Governo Municipal

OSMAR DE LIMA MAGALHÃES Secretário do Governo Municipal 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 4483, DE 08 DE OUTUBRO DE 2013. Aprova o Regimento Interno da Comissão de Avaliação Imobiliária de Goiânia e dá outras providências. O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO GRAVATAÍ TAEKWONDO CLUBE CAPÍTULO I

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO GRAVATAÍ TAEKWONDO CLUBE CAPÍTULO I CAPÍTULO I SEÇÃO I Denominação e Características Art. 1 ASSOCIAÇÃO GRAVATAÍ TAEKWONDO CLUBE, neste estatuto denominado GTC, é uma sociedade civil, fundada em 25 de Agosto de 2013, com personalidade distinta

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA ACADÊMICA DE ESPORTES E SAÚDE - LIES Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A Liga Acadêmica de Esportes e Saúde é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob

Leia mais

ESTATUTO FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

ESTATUTO FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT ESTATUTO FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT ESTATUTO FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT ÍNDICE CAPÍTULO I - Da Denominação, Sede e Foro... 4 CAPÍTULO II - Dos Objetivos... 4 CAPÍTULO III - Do

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPITULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO

REGIMENTO INTERNO CAPITULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO REGIMENTO INTERNO CAPITULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO 1. O presente Regimento tem por objetivo regulamentar as questões internas de funcionamento dos órgãos de direção, dos grupos de trabalho, assim

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS DA CEG 1.º PARTES a) CEG: COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE

Leia mais

ESTATUTO DO CAMPESTRE CLUBE GILDA BARBOSA CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINS

ESTATUTO DO CAMPESTRE CLUBE GILDA BARBOSA CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINS ESTATUTO DO CAMPESTRE CLUBE GILDA BARBOSA CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINS Artigo 1º - A Entidade constitui-se de uma associação civil, sem fins lucrativos, com duração por tempo indeterminado

Leia mais

Regimento Interno de Atuação do Conselho Fiscal da Fundação das Escolas Unidas do Planalto Catarinense Fundação UNIPLAC

Regimento Interno de Atuação do Conselho Fiscal da Fundação das Escolas Unidas do Planalto Catarinense Fundação UNIPLAC 1 Regimento Interno de Atuação do Conselho Fiscal da Fundação das Escolas Unidas do Planalto Catarinense Fundação UNIPLAC Capítulo I Da Natureza, Finalidade e Composição Art. 1 - O Conselho Fiscal é o

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 Artigo 1º. - A FUNDAÇÃO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM AGRONOMIA, MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - FUNEP, além das disposições constantes de seu Estatuto

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 034/CUn/2008, de 16 de dezembro de 2008

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 034/CUn/2008, de 16 de dezembro de 2008 RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 034/CUn/2008, de 16 de dezembro de 2008 EMENTA: DISPÕE SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇO VOLUNTÁRIO NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. O PRESIDENTE DO

Leia mais

RESIDENCIAL VILLAGGIO FREI SALVADOR. Flores da Cunha RS CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO

RESIDENCIAL VILLAGGIO FREI SALVADOR. Flores da Cunha RS CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO RESIDENCIAL VILLAGGIO FREI SALVADOR Flores da Cunha RS CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO PREÂMBULO: Conforme fundamento na Lei 4,591, de 16 de dezembro de 1964, Decreto número 55.815, de março de 1965 e Lei Federal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ GABINETE DA PREFEITA

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ GABINETE DA PREFEITA PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ GABINETE DA PREFEITA LEI Nº 2.255/2007 Dá nova redação a Lei nº 1.453/200 que cria o Conselho de Alimentação Escolar e dá outras providências. A PREFEITA MUNICIPAL DE MOSSORÓ,

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PIRANGUÇUENSE DE ARTESANATO

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PIRANGUÇUENSE DE ARTESANATO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PIRANGUÇUENSE DE ARTESANATO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º A Associação Piranguçuense de Artesanato, doravante denominada APA, fundada em 04 de outubro de 2008, é

Leia mais

ASSOCIAÇÃO SUIÇO-VALESANA DO BRASIL

ASSOCIAÇÃO SUIÇO-VALESANA DO BRASIL ASSOCIAÇÃO SUIÇO-VALESANA DO BRASIL ESTATUTOS SOCIAIS CAPÍTULO I DA ASSOCIAÇÃO, SEUS FINS E PATRIMÔNIO Art.1º A ASSOCIAÇÃO SUIÇO-VALESANA DO BRASIL, fundada em 07 (sete) de junho do ano de mil novecentos

Leia mais

DO CONSELHO MUNICIPAL DE DIREITOS DO IDOSO. Art. 2º. Compete ao Conselho Municipal de Direitos do Idoso:

DO CONSELHO MUNICIPAL DE DIREITOS DO IDOSO. Art. 2º. Compete ao Conselho Municipal de Direitos do Idoso: PROJETO DE LEI Nº 2.093/09, de 30 de junho de 2.009 Dispõe sobre criação do Conselho Municipal de Direitos do Idoso e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE GOIATUBA, Estado de Goiás, faz saber

Leia mais

REGIMENTO INTERNO LOTEAMENTO NOVA PALHOÇA

REGIMENTO INTERNO LOTEAMENTO NOVA PALHOÇA REGIMENTO INTERNO LOTEAMENTO NOVA PALHOÇA Art. 1. O presente Regimento Interno é instituído com o objetivo de estabelecer normas, diretrizes e condicionantes atinentes à conservação e ordem interna do

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA Capítulo I Da Finalidade Artigo 1 - O presente Regulamento de Empréstimo Pessoal, doravante denominado Regulamento, tem por finalidade definir normas

Leia mais

PORTARIA Nº 1145/1999. O Desembargador Lúcio Urbano, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS, no uso de suas atribuições legais e,

PORTARIA Nº 1145/1999. O Desembargador Lúcio Urbano, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS, no uso de suas atribuições legais e, Publicação: 22/09/99 PORTARIA Nº 1145/1999 Dispõe sobre aquisição, controles e formas de desfazimento de bens móveis permanentes no âmbito da Secretaria do Tribunal de Justiça e Comarcas do Estado de Minas

Leia mais

ESTATUTO DO GRÊMIO DA ESCOLA NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

ESTATUTO DO GRÊMIO DA ESCOLA NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Fins e Duração Artigo 1 O Grêmio Estudantil é o Grêmio geral da Escola Nossa Senhora das Graças, fundado no dia 07 de abril de 1992, com sede no estabelecimento e de duração

Leia mais

O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, Faço saber que a Câmara Legislativa do Distrito Federal decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, Faço saber que a Câmara Legislativa do Distrito Federal decreta e eu sanciono a seguinte Lei: PROJETO LEI COMPLEMENTAR Nº (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Dispõe sobre loteamento fechado e alienação de lotes ou parcelas de terras públicas no território do Distrito Federal e dá outras providências.

Leia mais

ESTATUTO. CAPÍTULO I Da Associação,sede, foro e suas finalidades pág. 02. CAPÍTULO II Dos Sócios,suas categorias, direitos e deveres

ESTATUTO. CAPÍTULO I Da Associação,sede, foro e suas finalidades pág. 02. CAPÍTULO II Dos Sócios,suas categorias, direitos e deveres ESTATUTO CAPÍTULO I Da Associação,sede, foro e suas finalidades pág. 02 CAPÍTULO II Dos Sócios,suas categorias, direitos e deveres pág.03 CAPÍTULO III Dos órgãos da Associação e sua administração pág.06

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA GERIATRIA E GERONTOLOGIA - LIG Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A LIGA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob a supervisão

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO TRIUNFO DE DEUS. CAPÍTULO I Da Denominação, Natureza Jurídica, Sede e Regime a que se submete.

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO TRIUNFO DE DEUS. CAPÍTULO I Da Denominação, Natureza Jurídica, Sede e Regime a que se submete. ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO TRIUNFO DE DEUS CAPÍTULO I Da Denominação, Natureza Jurídica, Sede e Regime a que se submete. Artigo 1º - A ASSOCIAÇÃO TRIUNFO DE DEUS, doravante, neste estatuto, denominada pelo

Leia mais

Estatutos da Associação Cecília e João (ACJ)

Estatutos da Associação Cecília e João (ACJ) Estatutos da Associação Cecília e João (ACJ) Capítulo I Da Associação Art. 1º - A Associação Cecília e João (ACJ), entidade de personalidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com sede em

Leia mais

MODELO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE SOCIAL DO FUNDEB NO MUNICÍPIO DE DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA DO CONSELHO

MODELO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE SOCIAL DO FUNDEB NO MUNICÍPIO DE DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA DO CONSELHO MODELO O conteúdo desse Modelo de Regimento Interno representa a contribuição do MEC, colocada à disposição dos Governos Municipais, a título de apoio técnico, previsto no art. 30, I, da Lei nº 11.494,

Leia mais

a) BLOCO A : MINUTA DE CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO Os apartamentos do Bloco A conterão: 2 dormitórios cada, sendo um suíte, W.C.

a) BLOCO A : MINUTA DE CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO Os apartamentos do Bloco A conterão: 2 dormitórios cada, sendo um suíte, W.C. a) BLOCO A : MINUTA DE CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO Os apartamentos do Bloco A conterão: 2 dormitórios cada, sendo um suíte, W.C. social, área de serviço, cozinha, sala de estar e varanda. CAPÍTULO I DO EMPREENDIMENTO

Leia mais

CAPÍTULO VI - Do Condomínio Geral Seção I - Do Condomínio Voluntário Subseção I - Dos Direitos e Deveres dos Condôminos

CAPÍTULO VI - Do Condomínio Geral Seção I - Do Condomínio Voluntário Subseção I - Dos Direitos e Deveres dos Condôminos CAPÍTULO VI - Do Condomínio Geral Seção I - Do Condomínio Voluntário Subseção I - Dos Direitos e Deveres dos Condôminos Art. 1.314. Cada condômino pode usar da coisa conforme sua destinação, sobre ela

Leia mais

b - O sócio Institucional terá anuidade correspondente a dez vezes a dos sócios efetivos e colaboradores.

b - O sócio Institucional terá anuidade correspondente a dez vezes a dos sócios efetivos e colaboradores. Regimento Interno da Sociedade dos Zoológicos do Brasil - SZB Da Sociedade Artigo 1º - A sociedade dos Zoológicos do Brasil SZB, fundada em 23 de setembro de 1977, funciona conforme o disposto nos seus

Leia mais

ASSEITE-MT Associação das Empresas de Informática e Telecomunicações de Mato Grosso

ASSEITE-MT Associação das Empresas de Informática e Telecomunicações de Mato Grosso ESTATUTO SOCIAL DA ASSEITE-MT Data de Fundação: 12 de agosto de 1985. ÍNDICE GERAL Capítulo I - Identidade Social... 03 Capítulo II Objetivos... 03 Capítulo III Associados... 04 Capítulo IV Rendas... 07

Leia mais

Estatuto Social da Associação Braileira de Redistribuição de Excedentes

Estatuto Social da Associação Braileira de Redistribuição de Excedentes Estatuto Social da Associação Braileira de Redistribuição de Excedentes I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETIVOS e DURAÇÃO Art. 1º. A Associação Brasileira de Redistribuição de Excedente, também designada pela sigla

Leia mais

ESTATUTO da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PATCHWORK e QUILT ABPQ. Capítulo I. DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS, SEDE E DURAÇÃO

ESTATUTO da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PATCHWORK e QUILT ABPQ. Capítulo I. DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS, SEDE E DURAÇÃO ESTATUTO da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PATCHWORK e QUILT ABPQ Capítulo I. DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS, SEDE E DURAÇÃO Art. 1º A Associação Brasileira de Patchwork e Quilt, doravante designada ABPQ, é uma sociedade

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO VILLAGIO I DA DENOMINAÇÃO

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO VILLAGIO I DA DENOMINAÇÃO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO VILLAGIO I DA DENOMINAÇÃO Art. 1º - A Associação dos Moradores e Proprietários do Loteamento VILLAGIO I, com o nome de fantasia ASSOCIAÇÃO

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ARTE FOTOGRÁFICA CAPÍTULO I. Da Associação e seus fins

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ARTE FOTOGRÁFICA CAPÍTULO I. Da Associação e seus fins ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ARTE FOTOGRÁFICA CAPÍTULO I Da Associação e seus fins Art. 1º - A Associação Brasileira de Arte Fotográfica, ABAF, fundada em 9 de fevereiro de 1951, no Rio de Janeiro

Leia mais

CONTRATO PARTICULAR DE LOCAÇÃO DE BENS MÓVEIS EM IMÓVEL COMERCIAL Nº:

CONTRATO PARTICULAR DE LOCAÇÃO DE BENS MÓVEIS EM IMÓVEL COMERCIAL Nº: CONTRATO PARTICULAR DE LOCAÇÃO DE BENS MÓVEIS EM IMÓVEL COMERCIAL Nº: LOCADOR: Salão de Beleza ou (Estética), situado na Rua, Bairro, CEP, Cidade, Estado, inscrito no CNPJ sob o número, Alvará Municipal

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº126, DE 18 DE ABRIL DE 2008

LEI COMPLEMENTAR Nº126, DE 18 DE ABRIL DE 2008 LEI COMPLEMENTAR Nº126, DE 18 DE ABRIL DE 2008 Acrescenta dispositivos à Lei nº 1041, 11 de julho de 1979, que regula o loteamento de terrenos urbanos no Município de Dourados, e dá outras providências

Leia mais

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento CAPÍTULO V Da Garagem e Estacionamento Art 37. Cada unidade autônoma tem direito a uma vaga de estacionamento, perfazendo um total de 967 (novecentos e sessenta e sete) vagas, distribuídas de acordo com

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO CONTROLE INTERNO DO PODER LEGISLATIVO DE POCONÉ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Presidente da Câmara Municipal de Poconé,

Leia mais

MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS Sede: Belo Horizonte Minas Gerais E S T A T U T O

MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS Sede: Belo Horizonte Minas Gerais E S T A T U T O MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS Sede: Belo Horizonte Minas Gerais CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Prazo E S T A T U T O Art. 1º - A Mercantil do Brasil

Leia mais