Cardiologia CADERNO DO PROGRAMA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cardiologia CADERNO DO PROGRAMA"

Transcrição

1 RESIDÊNCIA MÉDICA Cardiologia CADERNO DO PROGRAMA

2 Reprodução autorizada pelo autor somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino, não sendo autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar a autoria.

3 RESIDÊNCIA RESIDÊNCIA MÉDICA Cardiologia CADERNO DO PROGRAMA

4 CARDIOLOGIA 1. Introdução A Residência Médica em Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês é reconhecida pelo Ministério da Educação e tem duração de dois anos. Os estágios têm como objetivo a capacitação no atendimento ao paciente nos diversos cenários da cardiologia ambulatorial e hospitalar, além da análise e interpretação de exames complementares. Incluem os vários serviços do Centro de Cardiologia, como a UTI Cardiológica, Unidade Avançada de Insuficiência Cardíaca, Unidade Crítica Cardiológica, Hemodinâmica, Setor de Métodos Gráficos e Ecocardiografia. O atendimento ao pacientes ambulatoriais é realizado em dois serviços da prefeitura de São Paulo administrados pelo Instituto de Responsabilidade Social do Hospital Sírio-Libanês: o AMA Especialidades Santa Cecília, onde é realizado o ambulatório de adultos, e o Hospital Municipal Infantil Menino Jesus, onde trabalham com cardiopatias congênitas e pediátricas. Os residentes também realizam estágios no Pronto-Socorro, UTI Cirúrgica e na Unidade de Valvopatias do InCor, onde também podem se aperfeiçoar em outros estágios optativos. São estimulados e recebem apoio do IEP (Instituto de Ensino e Pesquisa - HSL) para a publicação de trabalhos científicos em congressos e revistas. As atividades didáticas ocorrem de segunda a sexta-feira, no formato de aulas ministradas por convidados renomados na cardiologia e pelos próprios residentes, discussão de artigos científicos, apresentação de consensos e diretrizes; além de discussão dos casos com tutores, preceptores e coordenadores de cada estágio. Desta forma, os residentes são preparados para a atuação como cardiologistas e manejo de pacientes com patologias coronarianas, valvares, congênitas, arritmias, clínicas e cirúrgicas, urgências e emergências; sempre com uma visão crítica e atualizada, visando a excelência e o pioneirismo Informações gerais Duração do programa: 2 anos Número de vagas anuais: 6 Pré-requisitos: 2 anos de Residência Médica em Clínica Médica Prova: 1ª Fase Prova teórica de múltipla escolha 2ª Fase Prova prática 3ª Fase Entrevista Bolsa: Inclusa HORÁRIOS As atividades diárias se iniciam às 7h e se encerram às 19h, na maioria dos estágios. Os plantões são realizados na Unidade de Terapia Intensiva Cardiológica (UTIc), das 19h às 7h, de 2ª a 6ª feira. Aos finais de semana, os plantões serão das 7h às 19h e das 19h às 7h. Há folga pós-plantão de 2ª a 6ª feira, a partir do término da passagem de plantão pela manhã. Escala anual é liberada na primeira semana de residência.

5 RESIDÊNCIA 2016 FÉRIAS Os residentes têm direito a férias de 1 mês, predeterminadas por escala lançada na primeira semana de Março. Trocas serão permitidas após avaliação de requisição por escrito por parte da preceptoria e da coordenadoria da residência médica. CARGA HORÁRIA Semanal: 60h (atividades teóricas e práticas) Anual: 2.880h (atividades teóricas e práticas) 3. Descrição do programa de residência médica em Cardiologia ATIVIDADES ASSISTENCIAIS 1 ano: 6 Unidade Crítica Cardiológica (UCC) Supervisão: Dra. Roberta Saretta Período: 2 meses não consecutivos Estágio realizado em unidade de internação de cardiologia geral, onde os residentes participam no atendimento de rotina do serviço, sob orientação dos médicos assistentes. Participam de discussões acadêmicas com tutores e preceptores da especialidade. Pronto-Socorro InCor Supervisão: Dr. Alexandre de Matos Soeiro Período: 2 meses não consecutivos Plantões: Não há plantão Durante o estágio no pronto-socorro do InCor, os residentes participam da rotina do serviço, sendo responsáveis pelos pacientes internados na unidade de emergência, sob supervisão dos plantonistas e assistentes do serviço. A discussão dos casos é no modelo acadêmico e respeita as condutas ditadas pelos médicos assistentes. Participam de procedimentos em conjunto com a equipe da unidade. Assitência Médica Ambulatorial de Especialidades (AMAE Santa Cecília) SUS Supervisão: Dr. Murilo Capreti e preceptores Período: 2 meses consecutivos Plantões: Finais de semana

6 CARDIOLOGIA Durante o estágio da AMA-E, os residentes realizam atendimentos ambulatoriais aos pacientes cardiológicos da unidade, em nível de complexidade secundária. Há métodos diagnósticos complementares na própria unidade, como Holter, MAPA, ergometria e ecocardiografia. As discussões acadêmicas são realizadas pelos cardiologistas da AMAE e pelos preceptores da residência médica. Métodos Gráficos em Cardiologia Supervisão: Dr. William Azem Chalela, Dr. Fábio Sândoli de Brito e Dr. Décio Mion No estágio de Métodos Gráficos, os residentes participam dos serviços de ergometria, cintilografia miocárdica, MAPA (monitorização ambulatorial da Pressão arterial), Holter e Tilt-Test. Na ergometria e cintilografia, são realizados exames em conjunto com os médicos do serviço. As atividades de MAPA são realizadas sob supervisão do Dr. Décio Mion, do serviço de MAPA do Hospital das clínicas da FMUSP. As atividades de Holter são realizadas na central de laudos de Holter do Hospital Sírio-Libanês (HSL), sob supervisão do Dr. Fabio Sândoli de Brito. Já as atividades no Tilt-test são realizadas no laboratório de Tilt-test do HSL. Todos os serviços citados acima possuem programação teórica específica da área, individualizada para o residente. 7 Ambulatório de Cardiologia Pediátrica (Hospital Menino Jesus HMJ) Supervisão: Dra. Rosangela Fitaroni Durante estágio no HMJ, os residentes participam dos atendimentos ambulatoriais e das atividades de enfermaria na área da cardiologia pediátrica. As discussões acadêmicas são realizadas pelos cardiologistas pediátricos do serviço. Valvopatias InCor Plantões: Não há plantão Estágio realizado na unidade de Valvopatias do InCor, onde os residentes participam da rotina do serviço, sendo responsáveis pelo atendimento aos pacientes ambulatoriais, sob supervisão dos assistentes do serviço. A discussão dos casos é no modelo acadêmico e respeita as condutas ditadas pelos médicos assistentes. Participam das reuniões teóricas às quartas-feiras pela manhã, e também há programação teórica específica da aérea durante o estágio, após atividades assistenciais.

7 RESIDÊNCIA 2016 Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista Supervisão: Dr. Pedro Alves Lemos Neto Durante estágio na Hemodinâmica, os residentes participam da rotina do serviço, acompanhando os procedimentos eletivos e de urgência / emergência, executados pelos médicos assistentes. Além do conhecimento em coronariografia e angioplastia com os profissionais mais renomados da área, têm contato e aprendizado nas tecnologias mais avançadas da área, como FFR, IVUS, OCT e TAVI. As discussões dos casos são de responsabilidade dos médicos da Hemodinâmica, dos preceptores e tutores da residência. Opcional Supervisão: Médico responsável pelo serviço escolhido Plantões: Não há plantão Os residentes devem informar a preceptoria com antecedência onde desejam realizar estágio opcional, e participar das atividades conforme orientação do serviço. 2º Ano: 8 Assistência Médica Ambulatorial de Especialidades (AMAE) SUS Supervisão: Preceptores Período: Ao longo de todo o ano Plantões: Finais de semana Os residentes têm oportunidade de acompanhamento ambulatorial dos pacientes ao longo de todo ano, reservando um período da semana para atendimento dos próprios pacientes no AMAE Santa Cecília, sob supervisão dos preceptores. Unidade de Terapia Intensiva Cardiológica (UTIC) Supervisão: Dra. Ludhmila Abrahão Hajjar Período: 2 meses No estágio da UTIc, os residentes participam na rotina diária de evolução e cuidado ao paciente crítico em cardiologia, realizando procedimentos sob supervisão dos plantonistas da unidade. As discussões acadêmicas são feitas durante a visita multidisciplinar com a equipe, coordenada pela supervisora do serviço, e também pelos tutores da especialidade. UTI Pós-operatória do InCor (REC) Supervisão: Dra. Ludhmila Abrahão Hajjar e Dra. Filomena Regina Barbosa Gomes Galas Período: 2 meses não consecutivos Plantões: Não há plantão

8 CARDIOLOGIA No estágio da UTI cirúrgica do InCor, os residentes participam na rotina de cuidados aos pacientes em pós-operatório de cirurgias cardíacas. Realizam procedimentos sob supervisão dos médicos assistentes da unidade, participam da discussão acadêmica em visita multidisciplinar coordenada pelas supervisoras da unidade, e têm contato e aprendizado com dispositivos de assistência ventricular e pacientes transplantados cardíacos. Unidade Avançada de Insuficiência Cardíaca (UAIC) Supervisão: Dra. Ludhmila Hajjar e Dra. Sílvia Ayub Ferreira Período: 2 meses Estágio realizado em unidade de terapia intensiva específica de casos de insuficiência cardíaca avançada, onde os residentes participam na rotina de cuidados aos pacientes com cardiopatia avançada, em uso de dispositivos de assistência ventricular, avaliação e pós-operatório de transplante cardíaco. Realizam procedimentos sob supervisão dos médicos assistentes da unidade e participam das discussões acadêmicas em visita multidisciplinar coordenada pelas supervisoras da unidade, e também com tutores da especialidade. Participam, também, das atividades ambulatoriais e discussão de casos de pacientes do Projeto Coração Novo, destinado à avaliação de pacientes pré e pós-transplante cardíaco. Unidade Crítica Cardiológica (UCC) Supervisão: Dra. Roberta Saretta 9 Estágio realizado em unidade de internação de cardiologia geral, onde os residentes participam no atendimento de rotina do serviço, sob orientação dos médicos assistentes. Participam de discussões acadêmicas com tutores e preceptores da especialidade. Métodos de imagem Ecocardiografia/Tomografia e RNM Supervisão: Dr. José L. Andrade, Dr. José Parga Filho e Dr. Luiz Francisco Ávila Nesse estágio, os residentes participam da realização e avaliação de exames de imagem muito utilizados na cardiologia contemporânea, tendo contato e aprendizado em tecnologia de ponta. As discussões ficam a cargo dos renomados profissionais de cada serviço, e também dos preceptores e tutores da especialidade. Opcional Supervisão: Médico responsável pelo serviço escolhido Plantões: Não há plantão Os residentes devem informar a preceptoria com antecedência onde desejam realizar estágio opcional, e participar das atividades conforme orientação do serviço.

9 RESIDÊNCIA 2016 ATIVIDADES DE ENSINO: VÁLIDO PARA OS 2 ANOS 2ª feira Seminários sobre temas em Cardiologia 3ª Feira Aulas do Programa Teórico da Residência Médica 4ª Feira Discussão de artigos científicos 5ª Feira Reunião do Projeto Coração Novo/Reunião da Educação Continuada do Centro de Cardiologia 6ª Feira Discussão das diretrizes e questões da prova de título da Sociedade Brasileira de Cardiologia Obs.: As atividades de ensino estão sujeitas a mudanças no cronograma conforme haja necessidade e são devidamente comunicadas aos residentes, preceptores e coordenadores do programa. PROGRAMA TEÓRICO DA RESIDÊNCIA Dez módulos didaticamente divididos, com aulas semanais, que abrangem os principais temas da cardiologia: Módulo 1 Coronariopatia aguda 10 Módulo 2 Cardiologia na emergência Módulo 3 Terapêutica em cardiologia Módulo 4 Cardiologia ambulatorial Módulo 5 Valvopatias Módulo 6 Insuficiência cardíaca Módulo 7 Coronariopatia crônica Módulo 8 Arritmias Módulo 9 Miocardiopatias Módulo 10 Hemodinâmica As aulas são palestradas por especialistas convidados, e realizadas no Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP/HSL) às terças-feiras. CURSOS COMPLEMENTARES Curso de Suporte Avançado à Vida em Cardiologia (ACLS) Curso de Antimicrobianos Curso de Aperfeiçoamento em Saúde Baseada em Evidências

10 CARDIOLOGIA TUTORIA Além da programação teórica e assistencial, durante os estágios realizados nas unidades de internação e de terapia intensiva do Hospital Sírio-Libanês, os residentes têm atividades com tutores: médicos cardiologistas com experiência em cardiologia clínica, insuficiência cardíaca e doença arterial coronariana aguda e crônica, especificamente designados para acompanhar o aprendizado dos residentes. Essas atividades são voltadas para complementar discussão acadêmica de casos selecionados em cada unidade. 4. Método de avaliação DO RESIDENTE Avaliação teórica: trimestral, com questões discursivas e de múltipla escolha Provas Teóricas (PT). Avaliação de desempenho: em cada estágio, pelos respectivos supervisores de unidade, em formulário específico com dez quesitos avaliações do corpo clínico (ACC). Avaliação da Coordenadoria: de desempenho global, pelos preceptores e coordenadores do programa, anual, subjetiva (ACO). DO ESTÁGIO 11 Os residentes recebem um formulário para avaliação ao final de cada estágio realizado. Essa formulário passa por análise e discussão entre preceptores e coordenadoria.

11 Lato Sensu Stricto Sensu Cursos Estágio Reunião Científica Localização Endereço Rua Prof. Daher Cutait, 69 Bela Vista São Paulo (SP) CEP Telefone Acesse iep.hospitalsiriolibanes.org.br e saiba mais sobre o IEP

Residência Médica para terceiro ano no Seção Médica de Eletrofisiologia e Arritmias Cardíacas.

Residência Médica para terceiro ano no Seção Médica de Eletrofisiologia e Arritmias Cardíacas. Residência Médica para terceiro ano no Seção Médica de Eletrofisiologia e Arritmias Cardíacas. Introdução A seção médica de Eletrofisiologia Clínica e Arritmias Cardíacas vêm se dedicando nos últimos anos

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA - RIO

Leia mais

Comissão de Cultura e Extensão Universitária CCEx Av. Dr. Arnaldo, 455 1º andar sala 1301 Fone: (11) 3061-7454/8462

Comissão de Cultura e Extensão Universitária CCEx Av. Dr. Arnaldo, 455 1º andar sala 1301 Fone: (11) 3061-7454/8462 Comissão de Cultura e Extensão Universitária CCEx Av. Dr. Arnaldo, 455 1º andar sala 1301 Fone: (11) 3061-7454/8462 Formulário de PROGRAMA DE COMPLEMENTAÇÃO ESPECIALIZADA Nome do Programa ESTÁGIO DE COMPLEMENTAÇÃO

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM CARDIOLOGIA PARA MÉDICOS Unidade Dias

Leia mais

Neurologia Clínica. caderno do Programa

Neurologia Clínica. caderno do Programa RESIDÊNCIA Médica Neurologia Clínica caderno do Programa Reprodução autorizada pelo autor somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino, não sendo autorizada sua reprodução para quaisquer

Leia mais

PROGRAMAÇÃO RESIDENCIA

PROGRAMAÇÃO RESIDENCIA PROGRAMAÇÃO RESIDENCIA 2017 Medicina Intensiva UTI R1, R2, R3 Residência em Medicina Intensiva Introdução: A Residência em Medicina Intensiva foi criada nesta instituição (Hospital São Francisco) em 1985.

Leia mais

PROGRAMA DE ESTÁGIO HOSPITALAR PRONTO SOCORRO PSM

PROGRAMA DE ESTÁGIO HOSPITALAR PRONTO SOCORRO PSM PROGRAMA DE ESTÁGIO HOSPITALAR PRONTO SOCORRO PSM Disciplina de Emergências Clínicas Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo MANUAL DOS RESIDENTES Prof. Dr. Irineu Tadeu

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA EM TERAPIA

Leia mais

Política de Avaliação Fisioterapêutica dos Pacientes e Continuidade do Cuidado NORMA Nº 001

Política de Avaliação Fisioterapêutica dos Pacientes e Continuidade do Cuidado NORMA Nº 001 1- Objetivo Página: 1/10 Estabelecer plano de cuidado e prestar atendimento fisioterapêutico às necessidades imediatas e continuadas do paciente interno e externo. 2- Definições 2.1 Plano de cuidado: visa

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA Pedido de Credenciamento de Programa Nome Completo da Instituição Complexo Hospitalar Universitário Professor Edgar Santos Endereço Completo Rua Augusto Viana S/N CEP Município UF DDD/Telefones 40110-160

Leia mais

2. Nome do(s) supervisor(es): PROFA. DRA. SONIA REGINA PASIAN. Psicóloga MARIA PAULA FOSS

2. Nome do(s) supervisor(es): PROFA. DRA. SONIA REGINA PASIAN. Psicóloga MARIA PAULA FOSS UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE RIBEIRÃO PRETO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO CENTRO DE PESQUISA E PSICOLOGIA APLICADA ESTÁGIO: AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA

Leia mais

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde O Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES foi implantado em 29 de dezembro de 2000, através da Portaria SAS n.º 511. O CNES abrange a todos os estabelecimentos

Leia mais

Treinamento em Clínica Médica do Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia e Outras Especialidades (IBEPEGE)

Treinamento em Clínica Médica do Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia e Outras Especialidades (IBEPEGE) Treinamento em Clínica Médica 2015 do Pesquisas de Gastroenterologia (IBEPEGE) Reconhecido pela Sociedade Brasileira de Clínica Médica São Paulo - 2015/2017 Coordenador: Dr. Norton Wagner Ferracini O IBEPEGE

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO ENFERMAGEM EM TERAPIA INTENSIVA Unidade Dias

Leia mais

FISIOTERAPIA NAS DISFUNÇÕES CARDIOVASCULARES

FISIOTERAPIA NAS DISFUNÇÕES CARDIOVASCULARES FISIOTERAPIA NAS DISFUNÇÕES CARDIOVASCULARES 6º período 40 h/semestre 2 h/a semana 2ª feira 20h20 às 22h EMENTA A disciplina constitui-se em introduzir, fundamentar e desenvolver conhecimentos fisiopatológicos,

Leia mais

DISCIPLINA DE UROLOGIA

DISCIPLINA DE UROLOGIA DISCIPLINA DE UROLOGIA CURSO DE GRADUAÇÃO Internato 5º ANO - 2013 1 OBJETIVOS Formação do aluno com atuação na prática médica supervisionada na área do conhecimento da Urologia para a formação integral

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL/UAB SELEÇÃO DE TUTORES EDITAL AEE/UFSM 01/2009

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL/UAB SELEÇÃO DE TUTORES EDITAL AEE/UFSM 01/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL/UAB SELEÇÃO DE TUTORES EDITAL AEE/UFSM 01/2009 A UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (UFSM), em parceria com o Programa Universidade

Leia mais

Dermatologia CADERNO DO PROGRAMA

Dermatologia CADERNO DO PROGRAMA RESIDÊNCIA MÉDICA Dermatologia CADERNO DO PROGRAMA Reprodução autorizada pelo autor somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino, não sendo autorizada sua reprodução para quaisquer fins

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM DOR Unidade Dias e Horários Período

Leia mais

LOCAL DE ATIVIDADE R1-Érika

LOCAL DE ATIVIDADE R1-Érika UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE PATOLOGIA TROPICAL E SAÚDE PÚBLICA DEPARTAMENTO DE MEDICINA TROPICAL E DERMATOLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM INFECTOLOGIA DO HC/UFG 1º ANO / 2016 R -

Leia mais

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A É ofertado no 7º semestre, compreende uma carga horária de 120 horas, totalizando 8 créditos, conforme as normas específicas para a realização do referido

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM TERAPIA OCUPACIONAL APLICADA À NEUROLOGIA

Leia mais

28 a 30/11/2013 PROGRAMA PRELIMINAR: 14:00 às 15:30 Mesa p/pacientes: Quem vê cara, não vê coração. A importância do check up cardiovascular.

28 a 30/11/2013 PROGRAMA PRELIMINAR: 14:00 às 15:30 Mesa p/pacientes: Quem vê cara, não vê coração. A importância do check up cardiovascular. Quinta-feira, 28/11/13 (Programação conjunta para todas as especialidades) 28 a 30/11/2013 PROGRAMA PRELIMINAR: 14:00 às 15:30 Mesa p/pacientes: Quem vê cara, não vê coração. A importância do check up

Leia mais

ANEXO I. Cargo. 1 CGS - Asa Norte Enfermagem Enfermeiro Clínica Médica Diurno 4. 2 CGS - Asa Norte Enfermagem Enfermeiro Cirurgia Diurno 4

ANEXO I. Cargo. 1 CGS - Asa Norte Enfermagem Enfermeiro Clínica Médica Diurno 4. 2 CGS - Asa Norte Enfermagem Enfermeiro Cirurgia Diurno 4 GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE - FEPECS ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE ESCS ANEXO I QUADRO DE VAGAS - Processo Seletivo

Leia mais

URI Câmpus de Frederico Westphalen Curso de Nutrição Período I 2017

URI Câmpus de Frederico Westphalen Curso de Nutrição Período I 2017 Citologia, Histologia e Embriologia Gera Química Orgânica I - Q Rosangela Ferigollo Binotto Sandro Rogério Giacomelli Doutora http://lattes.cnpq.br/9116384900915590 A disciplina será desenvolvida sob a

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. t SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTADO DA ARTE EM GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA

Leia mais

CFM informa sobre os direitos dos pacientes no SUS.

CFM informa sobre os direitos dos pacientes no SUS. CFM informa sobre os direitos dos pacientes no SUS. O Sistema Único de Saúde (SUS) é a forma como o Governo deve prestar saúde pública e gratuita a todo o cidadão. A ideia é ter um sistema público de

Leia mais

O PAP destina se a complementar a formação de recém graduados na área de saúde, exceto médicos, mediante treinamento em serviço. Seus objetivos são:

O PAP destina se a complementar a formação de recém graduados na área de saúde, exceto médicos, mediante treinamento em serviço. Seus objetivos são: O que é O Programa de Aprimoramento Profissional (PAP) é um Programa de Bolsas do Governo do Estado de São Paulo, instituído em 11 de setembro de 1979, pelo Decreto estadual nº 13.919, para profissionais

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Fisioterapia em Angiologia Código: Fisio 228 Pré-Requisito: ------- Período Letivo:

Leia mais

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO Gênero e diversidade na escola: sexualidade, violência, olhares sobre práticas contemporâneas. Modalidade a Distância

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO Gênero e diversidade na escola: sexualidade, violência, olhares sobre práticas contemporâneas. Modalidade a Distância Ministério da Educação Rede Nacional de Formação Continuada de Professores na Educação Básica Secretaria de Educação Básica Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

TERMO TÉCNICO PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA

TERMO TÉCNICO PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA TERMO TÉCNICO PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA CONTRATAÇÃO DE PESSOA JURÍDICA ESPECIALIZADA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS EM CLINICA MÉDICA E MEDICINA INTESIVA ADULTO PROCEDIMENTO DE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS

Leia mais

Prova de Título de Especialista em Fisioterapia Respiratória

Prova de Título de Especialista em Fisioterapia Respiratória Prova de Título de Especialista em Fisioterapia Respiratória 1. Anatomia e fisiologia do sistema cardiorrespiratório Egan. 1 ed. São Paulo: Manole, 2000. (Seção 3, caps.7 e 8) WEST, J.B. Fisiologia respiratória

Leia mais

Inscrições na secretaria da Radiologia - 2 º andar Com Sra Ivanete

Inscrições na secretaria da Radiologia - 2 º andar Com Sra Ivanete IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO PAULO Rua Dr Cesário Mota Jr, 112 Vila Buarque São Paulo Fone: (11) 2176.7000 R.5802/7343 ECOCARDIOGRAFIA PERÍODO INTEGRAL Inscrições na secretaria da Radiologia

Leia mais

CURSO DE HABILIDADES FISIOTERAPÊUTICAS EM TERAPIA INTENSIVA

CURSO DE HABILIDADES FISIOTERAPÊUTICAS EM TERAPIA INTENSIVA CURSO DE HABILIDADES FISIOTERAPÊUTICAS EM TERAPIA INTENSIVA 1. OBJETIVOS Oferecer formação específica em Fisioterapia Cardiorrespiratória e Terapia Intensiva Desenvolver habilidades, capacitar para avaliação

Leia mais

1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE

1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE Título 1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE Classificação 2.SUPERVISÃO EM ENFERMAGEM E OS MODELOS ORGANIZACIONAIS:

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Fisioterapia em Neonatologia Código: Fisio 223 Pré-requisito: Desenvolvimento Humano

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA HOSPITALAR Unidade Dias e

Leia mais

Salas de Apoio Didático do Hospital Universitário de Santa Maria

Salas de Apoio Didático do Hospital Universitário de Santa Maria Salas de Apoio Didático do Hospital Universitário de Santa Maria Descrição da estrutura física do HUSM utilizada para apoio ao ensino (salas de aula com sua capacidade e equipamentos disponíveis) ANDAR

Leia mais

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Modalidade a Distância

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Modalidade a Distância Ministério da Educação Rede Nacional de Formação Continuada de Professores na Educação Básica Secretaria de Educação Básica Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

PROCESSO SELETIVO N. 02/2015

PROCESSO SELETIVO N. 02/2015 PROCESSO SELETIVO N. 02/2015 A Universidade Iguaçu (UNIG) divulga processo seletivo para preceptores e professores assistentes para o curso de graduação, campus I - Nova Iguaçu. 1. DAS VAGAS E DOS REQUISITOS

Leia mais

Resolução nº 004/2015

Resolução nº 004/2015 Resolução nº 004/2015 Dispõe sobre estágio de prática docente para os alunos do Mestrado em Direito e Instituições do Sistema de Justiça. Art. 1º O Estágio de Prática Docente (EPD) tem por objetivo aperfeiçoar

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 10 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM PREVENÇÃO E CONTROLE

Leia mais

Nº / ANO DA PROPOSTA: /2015 DADOS DO CONCEDENTE OBJETO:

Nº / ANO DA PROPOSTA: /2015 DADOS DO CONCEDENTE OBJETO: MINISTERIO DA SAUDE PORTAL DOS CONVÊNIOS SICONV - SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIOS Nº / ANO DA PROPOSTA: 043034/2015 OBJETO: DADOS DO CONCEDENTE AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTO E MATERIAL PERMANENTE PARA UNIDADE

Leia mais

EDUCAÇÃO TERAPÊUTICA UMA PROPOSTA DE TRATAMENTO De 21 a 24/1/2008

EDUCAÇÃO TERAPÊUTICA UMA PROPOSTA DE TRATAMENTO De 21 a 24/1/2008 Curso de aperfeiçoamento ORIENTAÇÃO À QUEIXA ESCOLAR de março a novembro de 2008, às segundas-feiras das 15h às 17h e às quintas-feiras das 13h15 às 17h15h OBJETIVOS Contribuir para o aperfeiçoamento de

Leia mais

Nº / ANO DA PROPOSTA: /2010 DADOS DO CONCEDENTE OBJETO:

Nº / ANO DA PROPOSTA: /2010 DADOS DO CONCEDENTE OBJETO: MINISTERIO DA SAUDE PORTAL DOS CONVÊNIOS SICONV - SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIOS Nº / ANO DA PROPOSTA: 059695/2010 OBJETO: DADOS DO CONCEDENTE Aquisição de marcapasso externo temporário, central de monitorização,

Leia mais

REQUISITOS MÍNIMOS DO PROGRAMA BÁSICO DO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM - RDDI

REQUISITOS MÍNIMOS DO PROGRAMA BÁSICO DO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM - RDDI REQUISITOS MÍNIMOS DO PROGRAMA BÁSICO DO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM - RDDI 1. Objetivo O campo do Diagnóstico por Imagem envolve, atualmente, uma variedade de técnicas

Leia mais

A N E X O III A T R I B U I Ç Õ E S

A N E X O III A T R I B U I Ç Õ E S A N E X O III A T R I B U I Ç Õ E S MÉDICO CIRURGIÃO VASCULAR Realizar procedimentos diagnósticos e terapêuticos, inclusive em Hemodinâmica; Prescrever e ministrar tratamento para as diversas afecções

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I DA FINALIDADE E DO OBJETIVO DA PRÁTICA DE DOCÊNCIA Art. 1º A Prática de Docência constitui

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 4 4 6 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 10 Cronograma de Aulas Pág.11 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM DOR BH Unidade Dias e

Leia mais

Licenciada em Medicina y Cirurgía pela Universidade de Santiago de Compostela (USC)

Licenciada em Medicina y Cirurgía pela Universidade de Santiago de Compostela (USC) Pilar Barral, Dr.ª Formação Académica Licenciada em Medicina y Cirurgía pela Universidade de Santiago de Compostela (USC) Formação Especializada 2010: Médico especialista em Medicina Interna. Experiência

Leia mais

1973:Certificado Escola de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas Curso 1ª Semana de Atualização em cardiologia-23/11/1973

1973:Certificado Escola de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas Curso 1ª Semana de Atualização em cardiologia-23/11/1973 1973:Certificado Escola de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas Curso 1ª Semana de Atualização em cardiologia-23/11/1973 1973:Certificado de Frequência Centro de Estudos do Hospital da Lagoa INPS23/11/1973

Leia mais

PROGRAMA TRAINEE PARA ENFERMEIROS

PROGRAMA TRAINEE PARA ENFERMEIROS PROGRAMA TRAINEE PARA ENFERMEIROS Experiência Inovadora em Hospital de Médio Porte UNIMED NOROESTE / RS Unimed Noroeste / RS Sociedade Cooperativa de Serviços Médicos Ltda. Ijuí, Rio Grande do Sul Autores:

Leia mais

Orientações para Construção do Projeto Político Pedagógico. Lílian Lessa Andrade Lino

Orientações para Construção do Projeto Político Pedagógico. Lílian Lessa Andrade Lino Orientações para Construção do Projeto Político Pedagógico Lílian Lessa Andrade Lino Objetivos Discutir os objetivos do Projeto Político Pedagógico do Curso (PPC) baseado nas Diretrizes Curriculares do

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GESTÃO E MARKETING INSTITUTO BRASILEIRO DE SAÚDE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GESTÃO E MARKETING INSTITUTO BRASILEIRO DE SAÚDE INSTITUTO BRASILEIRO DE GESTÃO E MARKETING INSTITUTO BRASILEIRO DE SAÚDE PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO EM LABORATÓRIOS DO CAMPUS CAMPUS 2 SAÚDE e CAMPUS 1- GASTRONOMIA EDITALn 02/2016 O Instituto Brasileiro

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI E D I T A L DE ABERTURA CPD Nº 082 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR SUBSTITUTO, DE 17

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS Comissão de Graduação do Curso de Ciências Biológicas COMGRAD/BIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS Comissão de Graduação do Curso de Ciências Biológicas COMGRAD/BIO DECISÃO 03/2015 - Altera: Decisão n o 03/2013 ESTÁGIO SUPERVISIONADO A, reunida em 18 de novembro de 2015, no uso de suas atribuições, DECIDE Regulamentar a atividade de Ensino de Estágio Supervisionado,

Leia mais

1975: Proferiu a Palestra: Cardiopatia Isquêmica: Seleção dos Pacientes para Tratamento Clínico e Cirúrgico Centro de Estudos do PRONTOCOR

1975: Proferiu a Palestra: Cardiopatia Isquêmica: Seleção dos Pacientes para Tratamento Clínico e Cirúrgico Centro de Estudos do PRONTOCOR 1975: Proferiu a Palestra: Cardiopatia Isquêmica: Seleção dos Pacientes para Tratamento Clínico e Cirúrgico Centro de Estudos do PRONTOCOR 1975: História Natural da Arterioesclerose Coronária E Suas Implicações

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA Pedido de Credenciamento de Programa Nome Completo da Instituição COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA Complexo Hospital Universitário Professor Edgard Santos (HUPES) e Centro Pediátrico Professor Hosannah

Leia mais

Clínica Médica CADERNO DO PROGRAMA

Clínica Médica CADERNO DO PROGRAMA RESIDÊNCIA MÉDICA Clínica Médica CADERNO DO PROGRAMA Reprodução autorizada pelo autor somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino, não sendo autorizada sua reprodução para quaisquer fins

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA EDITAL N. 17, DE 25 DE JULHO DE 2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA EDITAL N. 17, DE 25 DE JULHO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO ACADÊMICO - COPA/PROGRAD EDITAL N. 17, DE 25 DE JULHO DE 2014 INSCRIÇÃO À SELEÇÃO DE TUTORES

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Simone Röhrig de Sousa. Relatório Estágio Curricular III- Serviço Hospitalar

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Simone Röhrig de Sousa. Relatório Estágio Curricular III- Serviço Hospitalar 1 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Enfermagem Simone Röhrig de Sousa Relatório Estágio Curricular III- Serviço Hospitalar Hospital Dia Hospital de Clinica de Porto Alegre Porto Alegre

Leia mais

A implantação do Modelo de Atenção às Condições Crônicas para organização da Rede Hiperdia Minas.

A implantação do Modelo de Atenção às Condições Crônicas para organização da Rede Hiperdia Minas. A implantação do Modelo de Atenção às Condições Crônicas para organização da Rede Hiperdia Minas. Palestrante: Flávia Gomes de Carvalho Coordenadora de Hipertensão e Diabetes do Estado de Minas Gerais

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ONCOLOGIA - RIO Unidade Dias e Horários

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA Pedido de Credenciamento de Programa Nome Completo da Instituição Complexo Hospital Universitário Professor Edgard Santos (HUPES) e Centro Pediátrico Professor Hosannah

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO NAS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS

Leia mais

RETIRADA DE INTRODUTOR VASCULAR FEMURAL

RETIRADA DE INTRODUTOR VASCULAR FEMURAL 1 de 7 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial RN, JM 1 Objetivo: A realização da retirada do introdutor femoral realizada pelo

Leia mais

19/11/2015 (quinta-feira)

19/11/2015 (quinta-feira) 19/11/2015 (quinta-feira) 08:00-08:30 Abertura do Encontro 08:30-09:00 Aplicação da Telemedicina no Escore de Derivação de Cardiopatias Fetais 09:00-09:30 Cavidades Cardíacas Assimétricas na Vida Fetal

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA Unidade

Leia mais

Lesões de Tronco de Coronária Esquerda

Lesões de Tronco de Coronária Esquerda Lesões de Tronco de Coronária Esquerda Enfª Luanna Vivian Vieira Melo Coordenadora do Centro Especializado em Cardiologia Intervencionista de Campinas Centro Médico de Campinas SP NÃO HÁ CONFLITOS DE INTERESSE

Leia mais

Avaliação das Boas Práticas na Atenção ao Parto e Nascimento em Maternidades do SUS

Avaliação das Boas Práticas na Atenção ao Parto e Nascimento em Maternidades do SUS CHAMADA PARA SELEÇÃO DE BOLSISTAS Apoio à Gestão do Projeto Fiotec seleciona avaliadores para atuarem no Projeto Avaliação das boas práticas na atenção ao parto e nascimento em maternidades do SUS, em

Leia mais

Retificação Nº 001 Carga Horária

Retificação Nº 001 Carga Horária MINISTÉRIO DA SAÚDE HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO S.A. HOSPITAL CRISTO REDENTOR S.A. HOSPITAL FÊMINA S.A. PROCESSO SELETIVO PÚBLICO EMERGENCIAL Retificação Nº 001 Carga Horária O Grupo Hospitalar

Leia mais

CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2017 MANUAL DO CANDIDATO

CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2017 MANUAL DO CANDIDATO CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2017 MANUAL DO CANDIDATO A Instituição Fundado em 2004, ampliado e em modernização desde 2012 com equipamentos de última geração, o Hospital Santa Helena atende 24 horas com

Leia mais

Programa de Formação Continuada para Docentes

Programa de Formação Continuada para Docentes Programa de Formação Continuada para Docentes Objetivos do programa Consolidar a identidade didático-pedagógica da instituição realizando reflexões com seus docentes sobre as diretrizes educacionais da

Leia mais

Serviço Público Federal Universidade Federal da Bahia Escola de Nutrição

Serviço Público Federal Universidade Federal da Bahia Escola de Nutrição Serviço Público Federal Universidade Federal da Bahia Escola de Nutrição Endereço: R. Basílio da Gama, S/N - Canela - Salvador / Bahia CEP 40.110.907 Telefone: (071) 3283-7700 /7701 e-mail: enufba@ufba.br

Leia mais

IDIRETORI Despacho D-23/ Âmbito de aplicação

IDIRETORI Despacho D-23/ Âmbito de aplicação U LISBOA / -- IDIRETORI Despacho D-23/2015 Por decisão do Conselho Científico da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de, na sua reunião de 1 de julho de 2015, deliberou, por unanimidade, alterar

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO:Biomedicina D e N, Enfermagem, Fisioterapia, Medicina, Psicologia SÉRIE: SEMESTRE LETIVO DO ANO: ( ) 1º SEMESTRE

CURSO DE GRADUAÇÃO:Biomedicina D e N, Enfermagem, Fisioterapia, Medicina, Psicologia SÉRIE: SEMESTRE LETIVO DO ANO: ( ) 1º SEMESTRE CURSO DE GRADUAÇÃO:Biomedicina D e N, Enfermagem, Fisioterapia, Medicina, Psicologia SÉRIE: SEMESTRE LETIVO DO ANO: ( ) 1º SEMESTRE ( X ) 2º SEMESTRE ( ) 1º e 2ª SEMESTRES PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA

Leia mais

JORNAL DA RADIOLOGIA PERNAMBUCANA FEVEREIRO 2015

JORNAL DA RADIOLOGIA PERNAMBUCANA FEVEREIRO 2015 FEVEREIRO 2015 19ª edição - 1ª edição digital NOVA GESTÃO XVIII JORNADA PERNAMBUCANA DE RADIOLOGIA XXV CURSO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DA MAMA CURSO DE EDUCAÇÃO CONTINUADA RADIOPIZZA CLUBE DA IMAGEM Responsáveis:

Leia mais

CHAMADA PARA SELEÇÃO DE BOLSISTAS Apoio à Gestão do Projeto

CHAMADA PARA SELEÇÃO DE BOLSISTAS Apoio à Gestão do Projeto CHAMADA PARA SELEÇÃO DE BOLSISTAS Apoio à Gestão do Projeto 3.11.2016 Fiotec seleciona para atuar no Projeto Avaliação das boas práticas na atenção ao parto e nascimento em maternidades do SUS. O processo

Leia mais

EDITAL PROEC nº 456 / 2016 PROCESSO DE SELEÇÃO DE SUPERVISORES MÉDICOS PARA O PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA (PROVAB)

EDITAL PROEC nº 456 / 2016 PROCESSO DE SELEÇÃO DE SUPERVISORES MÉDICOS PARA O PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA (PROVAB) EDITAL PROEC nº 456 / 2016 PROCESSO DE SELEÇÃO DE SUPERVISORES MÉDICOS PARA O PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA (PROVAB) A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), por meio da

Leia mais

CRONOGRAMA TEÓRICO DATA HORÁRIO PROFESSORES TITULAÇÃO C/H RECEPÇÃO 25/04/ :00h Assistente adm. ABERTURA 25/04/ :30h Diretoria e coord.

CRONOGRAMA TEÓRICO DATA HORÁRIO PROFESSORES TITULAÇÃO C/H RECEPÇÃO 25/04/ :00h Assistente adm. ABERTURA 25/04/ :30h Diretoria e coord. CRONOGRAMA TEÓRICO DATA HORÁRIO PROFESSORES TITULAÇÃO C/H RECEPÇÃO 25/04/2014 19:00h Assistente adm. ABERTURA 25/04/2014 19:30h Diretoria e coord. 6h PALESTRA INTELIGÊNCIA MOTIVACIONAL 25/04/2014 20:00h

Leia mais

Porto Alegre, 01 de março de Prezados Diretores,

Porto Alegre, 01 de março de Prezados Diretores, Porto Alegre, 01 de março de 2016 Prezados Diretores, Ao cumprimentá-los, a ABRAMEDE Associação Brasileira de Medicina de Emergência CNPJ 10.327.378/0001-58 aproveita a oportunidade para formalizar a solicitação

Leia mais

PROGRAMA DO CURSO DE CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM MEDICINA DO SONO

PROGRAMA DO CURSO DE CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM MEDICINA DO SONO PROGRAMA DO CURSO DE CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM MEDICINA DO SONO - 2013 Professora responsável: Sonia Maria Togeiro Prova e entrevista: 21 de Janeiro de 2013 às 10 horas Inicio: 04 de Fevereiro de 2013

Leia mais

Sugestão de Roteiro para Apresentação de Memoriais em Concursos de Livre-Docência e Professor Titular Faculdade de Medicina da USP

Sugestão de Roteiro para Apresentação de Memoriais em Concursos de Livre-Docência e Professor Titular Faculdade de Medicina da USP Sugestão de Roteiro para Apresentação de Memoriais em Concursos de Livre-Docência e Professor Titular Faculdade de Medicina da USP Identificação Resumo do Memorial Apresentação sob forma de tabelas demonstrando

Leia mais

CASA DE SAÚDE SÃO LUCAS RELATÓRIO DAS ATIVIDADES REALIZADAS PELA EQUIPE DO NÚCLEO HOSPITALAR DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA JANEIRO A DEZEMBRO DE 2014

CASA DE SAÚDE SÃO LUCAS RELATÓRIO DAS ATIVIDADES REALIZADAS PELA EQUIPE DO NÚCLEO HOSPITALAR DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA JANEIRO A DEZEMBRO DE 2014 CASA DE SAÚDE SÃO LUCAS RELATÓRIO DAS ATIVIDADES REALIZADAS PELA EQUIPE DO NÚCLEO HOSPITALAR DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA JANEIRO A DEZEMBRO DE 24 NATAL / RN DEZEMBRO / 24 CASA DE SAÚDE SÃO LUCAS Diretores

Leia mais

REQUISITOS MÍNIMOS DO PROGRAMA BÁSICO DO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO E FORMAÇÃO EM RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM

REQUISITOS MÍNIMOS DO PROGRAMA BÁSICO DO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO E FORMAÇÃO EM RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM 1. Objetivo REQUISITOS MÍNIMOS DO PROGRAMA BÁSICO DO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO E FORMAÇÃO EM RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM O campo do Diagnóstico por Imagem envolve, atualmente, uma variedade de técnicas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE MEDICINA CLÍNICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE MEDICINA CLÍNICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE MEDICINA CLÍNICA CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 56, de 16 de junho

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA HOSPITALAR

Leia mais

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA Código: ENF- 218 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo:

Leia mais

Contratação e Acompanhamento de Estagiários na UNIFEI

Contratação e Acompanhamento de Estagiários na UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Contratação e Acompanhamento de Estagiários na UNIFEI NORMA APROVADA PELO CEPEAD EM SUA 10ª REUNIÃO ORDINÁRIA 64ª RESOLUÇÃO, DE 29/04/2015. PROCESSO Nº 23088.002843/2014-37

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec:Paulino Botelho Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: TÉCNICO EM ENFERMAGEM Qualificação:TÉCNICO

Leia mais

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 001/2016 PARA SELEÇÃO DE SUPERVISORES MÉDICOS PARA O PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA (PROVAB) COORDENADO PELO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDIOVISUAL ESCOLA DE CINEMA DARCY RIBEIRO

INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDIOVISUAL ESCOLA DE CINEMA DARCY RIBEIRO INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDIOVISUAL ESCOLA DE CINEMA DARCY RIBEIRO EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA PROCESSO SELETIVO OFICINA DE CAPACITAÇÃO EM REALIZAÇÃO E PRODUÇÃO AUDIOVISUAL A Escola de Cinema Darcy Ribeiro

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LEOPOLDO FUNDAÇÃO HOSPITAL CENTENÁRIO CONCURSO PÚBLICO 01/2012

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LEOPOLDO FUNDAÇÃO HOSPITAL CENTENÁRIO CONCURSO PÚBLICO 01/2012 PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LEOPOLDO FUNDAÇÃO HOSPITAL CENTENÁRIO CONCURSO PÚBLICO 01/2012 Edital de Abertura 01/2012 V2 CONCURSO PÚBLICO 01/2012 FUNDAÇÃO HOSPITAL CENTENÁRIO EDITAL DE ABERTURA N.º 01/2012

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDIOVISUAL ESCOLA DE CINEMA DARCY RIBEIRO

INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDIOVISUAL ESCOLA DE CINEMA DARCY RIBEIRO INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDIOVISUAL ESCOLA DE CINEMA DARCY RIBEIRO EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA PROCESSO SELETIVO CURSO CINEASTAS DO FUTURO A Escola de Cinema Darcy Ribeiro (ECDR) torna pública a abertura

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CONGREGAÇÃO DE SANTA CATARINA HOSPITAL REGINA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM

ASSOCIAÇÃO CONGREGAÇÃO DE SANTA CATARINA HOSPITAL REGINA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM ASSOCIAÇÃO CONGREGAÇÃO DE SANTA CATARINA HOSPITAL REGINA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM 1. INTRODUÇÃO A Comissão de Ensino do Curso de Aperfeiçoamento

Leia mais

HOSPITAL UNIMED NOVA FRIBURGO-RJ

HOSPITAL UNIMED NOVA FRIBURGO-RJ HOSPITAL UNIMED NOVA FRIBURGO-RJ Programa de Educação Continuada e Qualificação em Enfermagem NOVA FRIBURGO - RJ Responsável: Enfermeira Cássia Nunes CONSIDERAÇÕES O Hospital Unimed Nova Friburgo encontra

Leia mais

CEP Município UF DDD/Telefones Salvador Bahia (71)

CEP Município UF DDD/Telefones Salvador Bahia (71) Nome Completo da Instituição Complexo Hospital Universitário Professor Edgard Santos (HUPES) e Centro Pediátrico Professor Hosannah de Oliveira (CPPHO) Endereço Completo Rua Augusto Viana s/n, Canela CEP

Leia mais

PROGRAMA DE ESTÍMULO AO ENSINO DE GRADUAÇÃO (MONITORIA) EDITAL 01/2015. I. Da Caracterização do Programa de Estímulo ao Ensino de Graduação- Monitoria

PROGRAMA DE ESTÍMULO AO ENSINO DE GRADUAÇÃO (MONITORIA) EDITAL 01/2015. I. Da Caracterização do Programa de Estímulo ao Ensino de Graduação- Monitoria PROGRAMA DE ESTÍMULO AO ENSINO DE GRADUAÇÃO (MONITORIA) EDITAL 01/2015 DISPÕE SOBRE O EDITAL 01/2015 DO PROGRAMA DE ESTÍMULO AO ENSINO DA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO QUE VISA A OFERECER A ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO

Leia mais

Plano de Saúde Amil Empresarial ou PME

Plano de Saúde Amil Empresarial ou PME AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS Tabelas 02 a 29 vidas Amil Saúde 400, 500, 700 para 02 a 29 vidas AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS QUEM PODE SER DEPENDENTE = DEPENDENTES LEGAIS ATÉ O TERCEIRO GRAU DE PARENTESCO LIMITADOS

Leia mais

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA Código: ENF- 218 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo:

Leia mais