Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA. Comissão de Residência Médica COREME

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA. Comissão de Residência Médica COREME"

Transcrição

1 Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA Comissão de Residência Médica COREME

2 Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA Instituída pelo Decreto nº , de 5 de setembro de 1977, a Residência Médica é uma modalidade de ensino de pós-graduação destinada a médicos, sob a forma de curso de especialização. Funciona em instituições de saúde, sob a orientação de profissionais médicos de elevada qualificação ética e profissional, sendo considerada o padrão ouro da especialização médica. O mesmo decreto criou a Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM). O Programa de Residência Médica, cumprido integralmente dentro de uma determinada especialidade, confere ao médico residente o Título de Especialista. A expressão Residência Médica só pode ser empregada para programas que sejam credenciados pela Comissão Nacional de Residência Médica. Coordenador Geral da Residência Médica: Dr. Samuel Aguiar Júnior Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER Informações: Fone: (11)

3 Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA Perfil Egresso: 1. Capaz de atuar de forma crítica e ética na área de Oncologia Pediátrica, desde assistir aos pacientes em todos os estágios do câncer, além de contar com vivências e formações teóricas que possibilitarão ao egresso capacidades para aprofundamentos e atuações nas áreas de pesquisa, educação e gestão.

4 Competências do Egresso: Capacidades para atuar nas seguintes áreas: Clínica Gestão Pesquisa Educação O programa de Cancerologia Pediátrica é desenvolvido de acordo com a Resolução CNRM do MEC nº 02 de 17 de maio de Objetivos gerais: Desenvolver o conhecimento e a prática na área de Oncologia Pediátrica para atuar na assistência, ensino e pesquisa ao paciente infanto-juvenil com câncer. Objetivos específicos: Epidemiologia do câncer infantil. Tumores prevalentes na infância. Aspectos gerais do câncer na infância. Genética e Biologia Molecular. Procedimentos de diagnóstico, estadiamento e seguimento. Tratamentos: Quimioterapia, noções de cirurgia e radioterapia. Diagnóstico e tratamento das complicações relacionadas à doença ou ao tratamento. Manuseio de infecção no imunodeprimido. Ensaios terapêuticos. Abordagem multidisciplinar na assistência à criança com câncer. Abordagem didático-pedagógica na área da saúde. Abordagem teórico-prática do método científico. Conceitos e princípios da Bioética na assistência oncológica. Cuidado paciente sem possibilidade de cura (tratamento paliativo).

5 Pré-requisito: Residência Médica em Pediatria (dois anos) em instituição reconhecida pela Comissão Nacional de Residência Médica CNRM/MEC. Carga horária total: horas, sendo distribuídos em 60h semanais. Duração do Programa: Dois anos. Primeiro ano do Programa de Cancerologia Pediátrica R1 O 1º ano é realizado em forma de rodízio nos seguintes setores: Unidade de Internação (Enfermaria, UTI Pediátrica, TMO autólogo) Ambulatório Emergência Atividades Práticas R1 Unidade de Internação Todos os médicos residentes do primeiro ano examinam, evoluem e prescrevem diariamente. As visitas são realizadas leito a leito, incluem os pacientes pediátricos internados nos andares, na Unidade de Terapia Intensiva e os em transplante autólogo de medula óssea. Cada R1 realiza visita na enfermaria a cada dois finais de semana e todas as atividades são realizadas sob supervisão dos preceptores do programa.

6 Ambulatório Triagem de novos pacientes. Elaboração de anamnese e exame físico Discussão e elaboração de hipóteses diagnósticas, solicitação de exames complementares e estadiamento Urgência e Emergência Durante o período diurno um dos médicos residentes do primeiro ano é responsável, conforme escala, pelo atendimento dos pacientes que chegam à Instituição em caráter de urgência e emergência. Cada paciente é avaliado sob supervisão direta e presencial do preceptor do Departamento de Oncologia Pediátrica, que institui e explica ao residente a conduta a ser estabelecida. Atividades Teóricas R1 Curso de Educação Continuada: O curso de educação continuada consta de uma primeira fase que aborda assuntos gerais referentes aos cuidados com paciente em tratamento oncológico e uma segunda fase na qual são abordadas as diferentes patologias oncológicas sob seus diferentes aspectos: aulas com discussões de artigo e discussões de casos clínicos. Reunião Cuidados Paliativos: ocorrem semanalmente e nela são discutidos os casos clínicos, ministradas aulas e realizadas discussões de artigos conforme programação. Reunião do Gepetto (Grupo de estudos pediátricos dos efeitos tardios do tratamento oncológico): ocorrem uma vez por mês e nela são discutidos casos clínicos, ministradas aulas e realizadas discussões dos artigos conforme programação. Reuniões multidisciplinares: ocorrem semanalmente, onde o caso clínico é discutido sob os aspectos clínicos, radiológicos, histológicos e é instituída conduta terapêutica baseando-se na opinião de diversos especialistas. Reunião UTI Pediátrica: realizadas uma vez por mês. São discutidos casos clínicos de forma multidisciplinar e realizadas aulas tendo como foco os cuidados de terapia intensiva.

7 Curso de Cancerologia Curso teórico ministrado às quintas-feiras com presença obrigatória a todos os residentes. Duração 1h. Segundo ano do Programa de Cancerologia Pediátrica R2 O 2º ano é realizado em forma de rodízio nos seguintes setores: Unidade de Internação Ambulatório Estágio opcional (Cuidados paliativos) Radioterapia Patologia Cirurgia Pediátrica Atividades Práticas R2 Unidade Internação Todos os médicos residentes do segundo ano examinam, evoluem e prescrevem diariamente a cada 02 (dois) meses. As visitas são realizadas de leito a leito, incluem os pacientes pediátricos internados nos andares, na Unidade de Terapia Intensiva e os em transplante autólogo de medula óssea. Cada R2 realiza visita na enfermaria um final de semana por mês. Ambulatório No ambulatório os médicos residentes do segundo ano atendem pacientes em tratamento quimioterápicos, os pacientes em seguimentos após término de quimioterapia, os pacientes do grupo GEPETTO e os em cuidados paliativos, sempre sob supervisão do preceptor do Departamento de Oncologia Pediátrica. Estágio Opcional No Núcleo de Cuidados paliativos, realizado durante um mês, o médico residente recebe treinamento teórico e prático, sob supervisão direta do preceptor do departamento.

8 Estágios obrigatórios: Departamento de Radioterapia: Realizado durante um mês, o médico residente recebe treinamento teórico e prático, sob supervisão direta do preceptor do departamento. Departamento de Patologia: Realizado durante dois meses, o médico residente recebe treinamento teórico e prático, sob supervisão direta do preceptor do departamento. Cirurgia Pediátrica: Realizado durante um mês, o médico residente recebe treinamento teórico e prático, sob supervisão direta do preceptor do departamento. Unidade Internação: Todos os médicos residentes do segundo ano examinam, evoluem e prescrevem diariamente. As visitas são realizadas de leito a leito, incluem os pacientes pediátricos internados nos andares, na Unidade de Terapia Intensiva e os em transplante autólogo de medula óssea. Cada R2 realiza visita na enfermaria um final de semana por mês. Urgência e Emergência: Durante o período diurno, um dos médicos residentes do segundo ano é responsável, conforme escala, pelo atendimento dos pacientes que chegam à Instituição em caráter de urgência e emergência. Cada paciente é avaliado sob supervisão direta e presencial do medito titular (preceptor) do Departamento de Oncologia Pediátrica, que institui e explica ao residente a conduta a ser estabelecida. Atividades Teóricas R2 Curso de Educação Continuada: conta com uma primeira fase que aborda assuntos gerais referentes aos cuidados com o paciente em tratamento oncológico e uma segunda fase na qual são abordadas as diferentes patologias oncológicas sob diferentes aspectos: aulas com discussões de artigo e discussões de casos clínicos. Reunião Cuidados Paliativos: o ocorrem semanalmente e nela são discutidos casos clínicos, ministradas aulas e discutidos artigos conforme programação. Reunião do Gepetto (Grupo de estudos pediátricos dos efeitos tardios do tratamento oncológico): ocorrem uma vez ao mês e nela são

9 discutidos casos clínicos, ministradas aulas e discutidos artigos conforme programação. Reuniões multidisciplinares: reuniões que ocorrem semanalmente, em que os casos são discutidos sob os aspectos clínicos, radiológicos, histológicos e é instituída conduta terapêutica baseando-se na opinião de diversos especialistas. Reunião UTI Pediátrica: realizadas uma vez ao mês. Os casos clínicos são discutidos de forma multidisciplinar e realizadas aulas tendo como foco os cuidados de terapia intensiva. Cancerologia Básica Trata-se de um curso teórico ministrado às quintas-feiras, com presença obrigatória para todos os residentes. Duração de 1h. Metodologia de avaliação do Médico Residente: Comportamental Proatividade, relacionamento interpessoal com equipe, profissionais de diversas áreas, assiduidade, interesse e organização. Prático Análise da apresentação de casos clínicos em visitas médicas (diariamente), nas atividades desenvolvidas durante o estágio nas Unidades de Internação, Unidade de Terapia Intensiva, atendimento ambulatorial e atendimento de emergência (diariamente). Teórico Prova escrita e oral a cada dois meses. Avaliação da apresentação de artigos, apresentação de aulas e apresentação de casos clínicos em seminários. (três vezes por semana). Certificado: O certificado será concedido aos médicos residentes que tiverem cumprido os requisitos de frequência e aproveitamento (Media: 7,0). Os programas de Residência Médica do A.C.Camargo Cancer Center são reconhecidos pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM).

10 Corpo Docente/ Preceptores: Coordenadora do Programa de Residência Médica em Cancerologia Clínica Diretora Departamento de Oncologia Pediátrica Dra. Cecília Maria Lima da Costa Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Pará (1993), Mestrado em Oncologia A.C.Camargo Cancer Center (2002) e Doutorado em Oncologia pelo A.C.Camargo (2008). Atualmente faz parte do corpo clínico da Instituição, sendo Diretora do Departamento de Pediatria. Dra. Luciana Mariano Palanch Piotto Dra. Maíra de Souza Miyahara Dr. Neviçolino Pereira de Carvalho Filho Dra. Viviane Sonaglio Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA

11 Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA Rua Professor Antônio Prudente, 211 Liberdade São Paulo/SP CEP (11)

Programa de Residência Multiprofissional em Oncologia PSICOLOGIA. Comissão de Residência Multiprofissional - COREMU

Programa de Residência Multiprofissional em Oncologia PSICOLOGIA. Comissão de Residência Multiprofissional - COREMU Programa de Residência Comissão de Residência - COREMU Programa de Residência As Residências Multiprofissionais na área de saúde, criadas a partir da promulgação da Lei n 11.129 de 2005, são orientadas

Leia mais

ONCOLOGIA ORTOPÉDICA

ONCOLOGIA ORTOPÉDICA Programa de Capacitação Profissional ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes

Leia mais

Programa de Aperfeiçoamento ONCOLOGIA ORTOPÉDICA. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Aperfeiçoamento ONCOLOGIA ORTOPÉDICA. Comissão de Residência Médica COREME Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes com câncer, formar profissionais especialistas e disseminar

Leia mais

Programa de Residência Médica MEDICINA INTENSIVA. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Residência Médica MEDICINA INTENSIVA. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Comissão de COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes com câncer, formar profissionais especialistas e disseminar

Leia mais

Programa de Residência Médica TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA-R3. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Residência Médica TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA-R3. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA-R3 Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes

Leia mais

Programa de Aperfeiçoamento CIRURGIA TORÁCICA EM ONCOLOGIA. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Aperfeiçoamento CIRURGIA TORÁCICA EM ONCOLOGIA. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes com câncer, formar profissionais especialistas

Leia mais

Programa de Aperfeiçoamento UROLOGIA EM ONCOLOGIA. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Aperfeiçoamento UROLOGIA EM ONCOLOGIA. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes com câncer, formar profissionais especialistas

Leia mais

Programa de Aperfeiçoamento MASTOLOGIA. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Aperfeiçoamento MASTOLOGIA. Comissão de Residência Médica COREME Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes com câncer, formar profissionais especialistas e disseminar

Leia mais

Programa de Residência Médica CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Residência Médica CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes

Leia mais

Programa de Residência Médica ENDOSCOPIA. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Residência Médica ENDOSCOPIA. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica ENDOSCOPIA Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes com câncer, formar

Leia mais

Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA CLÍNICA. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA CLÍNICA. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA CLÍNICA Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes com

Leia mais

Programa de Residência Médica CITOPATOLOGIA R4. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Residência Médica CITOPATOLOGIA R4. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica CITOPATOLOGIA R4 Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes com câncer,

Leia mais

Programa de Residência Médica RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM-R4. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Residência Médica RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM-R4. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM-R4 Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM-NÍVEL 4 (R4) Instituída pelo

Leia mais

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA Código: ENF- 218 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo:

Leia mais

Programa de Aperfeiçoamento CIRURGIA DE BASE DO CRÂNIO. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Aperfeiçoamento CIRURGIA DE BASE DO CRÂNIO. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes com câncer, formar profissionais especialistas

Leia mais

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA Código: ENF- 218 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo:

Leia mais

Programa de Aperfeiçoamento IMAGEM EM MAMA. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Aperfeiçoamento IMAGEM EM MAMA. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Aperfeiçoamento IMAGEM EM MAMA Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes com câncer,

Leia mais

Programa de Residência Médica PATOLOGIA. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Residência Médica PATOLOGIA. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica PATOLOGIA Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes com câncer, formar

Leia mais

Nome do Programa Programa de Complementação Especializada em Cardiologia Pediátrica. Titulação Professor Titular Disciplina de Cardiologia - FMUSP

Nome do Programa Programa de Complementação Especializada em Cardiologia Pediátrica. Titulação Professor Titular Disciplina de Cardiologia - FMUSP COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA CCEX Av. Dr. Arnaldo, 455 1º andar sala 1301 FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE COMPLEMENTAÇÃO ESPECIALIZADA Nome do Programa Programa de Complementação Especializada

Leia mais

DISCIPLINA DE UROLOGIA

DISCIPLINA DE UROLOGIA DISCIPLINA DE UROLOGIA CURSO DE GRADUAÇÃO Internato 5º ANO - 2015 1 OBJETIVOS Formação do aluno com atuação na prática médica supervisionada na área do conhecimento da Urologia paraa a formação integral

Leia mais

Programa de Residência Médica RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM-R4. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Residência Médica RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM-R4. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM-R4 Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada

Leia mais

Pró-Diretoria de Extensão, Aperfeiçoamento e Especialização Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu

Pró-Diretoria de Extensão, Aperfeiçoamento e Especialização Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu 1. Curso de Especialização: Dermatologia 2. Objetivo do Curso: Desenvolver conteúdo prático e teórico para a formação de especialistas em Dermatologia 3. Ementa das disciplinas: Alergia e imunologia, metodologia

Leia mais

MODELO RESIDÊNCIA MÉDICA

MODELO RESIDÊNCIA MÉDICA CURSO DE POS-GRADUACAO EM ECOCARDIOGRAFIA MODELO RESIDÊNCIA MÉDICA Coordenação Geral: A coordenação geral dos cursos de ecocardiografia será realizada pela Chefia Técnico Administrativa do Serviço de Ecocardiografia

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE RADIOTERAPIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA RADIO-ONCOLOGIA

SOCIEDADE BRASILEIRA DE RADIOTERAPIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA RADIO-ONCOLOGIA SOCIEDADE BRASILEIRA DE RADIOTERAPIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA RADIO-ONCOLOGIA 2016 SOCIEDADE BRASILEIRA DE RADIOTERAPIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA RADIO-ONCOLOGIA - 2016 Comissão Executiva Coordenação

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA Pedido de Credenciamento de Programa Nome Completo da Instituição Complexo Hospital Universitário Professor Edgard Santos (HUPES) e Centro Pediátrico Professor Hosannah

Leia mais

Coordenador Geral dos Programas de Residência Médica. Coordenadora da COREME. Coordenador do Programa de Pediatria

Coordenador Geral dos Programas de Residência Médica. Coordenadora da COREME. Coordenador do Programa de Pediatria PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM PEDIATRIA Coordenador Geral dos Programas de Residência Médica Dr. Arnaldo Prata Barbosa Coordenadora da COREME Dra. Vanessa Soares Lanziotti Coordenador do Programa de

Leia mais

Programa de Aperfeiçoamento RADIOLOGIA INTERVENCIONISTA PERCUTÂNEA. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Aperfeiçoamento RADIOLOGIA INTERVENCIONISTA PERCUTÂNEA. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Aperfeiçoamento RADIOLOGIA INTERVENCIONISTA PERCUTÂNEA Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada

Leia mais

PROGRAMA DE ESTÁGIO HOSPITALAR ENFERMARIA RETAGUARDA PRONTO SOCORRO PS5º

PROGRAMA DE ESTÁGIO HOSPITALAR ENFERMARIA RETAGUARDA PRONTO SOCORRO PS5º PROGRAMA DE ESTÁGIO HOSPITALAR ENFERMARIA RETAGUARDA PRONTO SOCORRO PS5º Disciplina de Emergências Clínicas Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo MANUAL DOS RESIDENTES

Leia mais

DISCIPLINA DE UROLOGIA

DISCIPLINA DE UROLOGIA DISCIPLINA DE UROLOGIA CURSO DE GRADUAÇÃO Internato 5º ANO - 2013 1 OBJETIVOS Formação do aluno com atuação na prática médica supervisionada na área do conhecimento da Urologia para a formação integral

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO

MINISTÉRIO DA SAÚDE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO Analista em C&T Júnior Área: Comunicação Social Jornalismo 332 0 Cadastro de Reserva Analista em C&T Júnior Área: Comunicação Social Relações Públicas 56 0 Cadastro de Reserva Analista em C&T Júnior Área:

Leia mais

Programa de Residência Multiprofissional em Oncologia ENFERMAGEM. Comissão de Residência Multiprofissional - COREMU

Programa de Residência Multiprofissional em Oncologia ENFERMAGEM. Comissão de Residência Multiprofissional - COREMU Programa de Residência Multiprofissional em Oncologia ENFERMAGEM Comissão de Residência Multiprofissional - COREMU A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência

Leia mais

PESQUISADORES RESPONSÁVEIS

PESQUISADORES RESPONSÁVEIS PESQUISADORES RESPONSÁVEIS Professora Doutora Regina Vieira Cavalcante da Silva - Professora Adjunto do Departamento de Pediatria - Hospital de Clínicas - Universidade Federal do Paraná (reginavcs@uol.com.br)

Leia mais

Nome do Programa Programa de Complementação Especializada em Arritmologia Clínica

Nome do Programa Programa de Complementação Especializada em Arritmologia Clínica COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA CCEX Av. Dr. Arnaldo, 455 1º andar sala 1301 FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE COMPLEMENTAÇÃO ESPECIALIZADA Nome do Programa Programa de Complementação Especializada

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CURSO DE MESTRADO DISCIPLINAS

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CURSO DE MESTRADO DISCIPLINAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CURSO DE MESTRADO DISCIPLINAS BIOESTATÍSTICA Ementa: conceitos básicos; descrição e apresentação de dados; representação gráfica; análise descritiva; introdução

Leia mais

Anexo C. Cursos de Especialização/ Estágios em Cardiologia Normas para Credenciamento pela Sociedade Brasileira de Cardiologia

Anexo C. Cursos de Especialização/ Estágios em Cardiologia Normas para Credenciamento pela Sociedade Brasileira de Cardiologia Anexo C Cursos de Especialização/ Estágios em Cardiologia Normas para Credenciamento pela Sociedade Brasileira de Cardiologia O Curso de Especialização/ Estágios em Cardiologia constitui modalidade do

Leia mais

Colégio de Oncologia Médica

Colégio de Oncologia Médica Colégio de Oncologia Médica Critérios de avaliação de idoneidade formativa em Oncologia Médica A avaliação da idoneidade para a formação pós-graduada no internato médico de Oncologia Médica é um pilar

Leia mais

CEP Município UF DDD/Telefones Salvador Bahia (71)

CEP Município UF DDD/Telefones Salvador Bahia (71) Nome Completo da Instituição Complexo Hospital Universitário Professor Edgard Santos (HUPES) e Centro Pediátrico Professor Hosannah de Oliveira (CPPHO) Endereço Completo Rua Augusto Viana s/n, Canela CEP

Leia mais

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO 1. ATIVIDADES MÍNIMAS A REALIZAR 1.1. ASSISTÊNCIA HOSPITALAR Produção. 1.1.1. Realizar, no mínimo, 90% da meta estabelecida no Plano de Metas de 1.1.2. O indicador de aferição

Leia mais

REQUISITOS MÍNIMOS DOS PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE R1 e R2

REQUISITOS MÍNIMOS DOS PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE R1 e R2 REQUISITOS MÍNIMOS DOS PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE R1 e R2 1 Introdução Nomenclatura: Medicina de Família e Comunidade (MFC) Duração do PRM: 2 anos Definição: O médico

Leia mais

Residência Médica para terceiro ano no Seção Médica de Eletrofisiologia e Arritmias Cardíacas.

Residência Médica para terceiro ano no Seção Médica de Eletrofisiologia e Arritmias Cardíacas. Residência Médica para terceiro ano no Seção Médica de Eletrofisiologia e Arritmias Cardíacas. Introdução A seção médica de Eletrofisiologia Clínica e Arritmias Cardíacas vêm se dedicando nos últimos anos

Leia mais

EDITAL PARA PROGRAMA DE RECICLAGEM NOS SERVIÇOS CREDENCIADOS DA SBD-RESP

EDITAL PARA PROGRAMA DE RECICLAGEM NOS SERVIÇOS CREDENCIADOS DA SBD-RESP EDITAL PARA PROGRAMA DE RECICLAGEM NOS SERVIÇOS CREDENCIADOS DA SBD-RESP A SOCIEDADE BRASILEIRA DERMATOLOGIA REGIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO - SBD- RESP, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 51.541.795/0001-86,

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 455/2012

RESOLUÇÃO N.º 455/2012 MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 455/2012 EMENTA: Estabelece o Currículo do Curso de Graduação em, Grau: Bacharelado, sediado no Pólo Universitário de Rio

Leia mais

Enfermagem em Emergência e UTI (JEQUIÉ)

Enfermagem em Emergência e UTI (JEQUIÉ) Enfermagem em Emergência e UTI (JEQUIÉ) Apresentação Inscrições abertas Objetivos Geral Habilitar o profissional de Enfermagem para o Atendimento e Desenvolvimento de ações de específicas em Emergência

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA HOSPITALAR - BH Unidade Dias

Leia mais

Programa de Residência Medicina Intensiva Hospital Paulistano

Programa de Residência Medicina Intensiva Hospital Paulistano Programa de Residência Medicina Intensiva Hospital Paulistano Programa de Residência de Medicina Intensiva Coordenadores da Residência de Medicina Intensiva; Estágios programados 2016 2018; Programa didático;

Leia mais

Resolução UNESP 75, de dezembro de 2004 alterada pela Resolução UNESP 63/06

Resolução UNESP 75, de dezembro de 2004 alterada pela Resolução UNESP 63/06 Resolução UNESP 75, de dezembro de 2004 alterada pela Resolução UNESP 63/06 1ª Série Anatomia Humana 432 Anatomia Radiológica 36 Bioestatística I 30 Bioestatística II 36 Biofísica 108 Biologia Celular

Leia mais

ESCOLA DE TRANSPLANTES DA SOCIEDADE BENEFICENTE DE SENHORAS HOSPITAL SÍRIO-LIBANÊS

ESCOLA DE TRANSPLANTES DA SOCIEDADE BENEFICENTE DE SENHORAS HOSPITAL SÍRIO-LIBANÊS E D I T A L ESCOLA DE TRANSPLANTES DA SOCIEDADE BENEFICENTE DE SENHORAS HOSPITAL SÍRIO-LIBANÊS Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM TRANSPLANTE

Leia mais

PRECEPTOR DA RESIDÊNCIA MÉDICA. CFM Câmara Técnica de Pediatria

PRECEPTOR DA RESIDÊNCIA MÉDICA. CFM Câmara Técnica de Pediatria PRECEPTOR DA RESIDÊNCIA MÉDICA CFM Câmara Técnica de Pediatria Definição Na educação médica a figura de um profissional experiente, que auxilia na formação, é uma constante. No decorrer dos tempos, até

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM CARDIOLOGIA PARA MÉDICOS - BH Unidade

Leia mais

Programa de Residência Médica RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Residência Médica RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM TERAPIA OCUPACIONAL APLICADA À NEUROLOGIA

Leia mais

A N E X O III A T R I B U I Ç Õ E S

A N E X O III A T R I B U I Ç Õ E S A N E X O III A T R I B U I Ç Õ E S MÉDICO CIRURGIÃO VASCULAR Realizar procedimentos diagnósticos e terapêuticos, inclusive em Hemodinâmica; Prescrever e ministrar tratamento para as diversas afecções

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE CIRURGIA GRADUAÇÃO DISCIPLINA DE TRANSPLANTES PROGRAMA. CRÉDITOS: 02 (dois)

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE CIRURGIA GRADUAÇÃO DISCIPLINA DE TRANSPLANTES PROGRAMA. CRÉDITOS: 02 (dois) UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE CIRURGIA GRADUAÇÃO DISCIPLINA DE TRANSPLANTES PROGRAMA 1 o. SEMESTRE 2014 CRÉDITOS: 02 (dois) COORDENADOR: Prof. AGNALDO SOARES

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA PRIMEIRO SEMESTRE INTRODUÇÃO À PRÁTICA MÉDICA I 45 ANATOMIA SISTÊMICA APLICADA I 90 BIOFÍSICA E FISIOLOGIA I 90 SOCIOLOGIA CULTURA E ÉTICA 45 BIOLOGIA CELULAR, TECIDUAL

Leia mais

Ref.: Extensão do prazo de carência do FIES para Médicos Residentes

Ref.: Extensão do prazo de carência do FIES para Médicos Residentes Porto Alegre, 09 de agosto de 2013 Ref.: Extensão do prazo de carência do FIES para Médicos Residentes À AMERERS e seus associados. Trata-se de breve parecer acerca da possibilidade de extensão do prazo

Leia mais

Neurologia Clínica. caderno do Programa

Neurologia Clínica. caderno do Programa RESIDÊNCIA Médica Neurologia Clínica caderno do Programa Reprodução autorizada pelo autor somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino, não sendo autorizada sua reprodução para quaisquer

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA EM TERAPIA

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM MEDICINA VETERINÁRIA UNIFIL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM MEDICINA VETERINÁRIA UNIFIL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM MEDICINA VETERINÁRIA UNIFIL Capítulo I DAS GENERALIDADES Artigo 1º. O Programa de Residência em Medicina Veterinária (PRMV) é um programa intensivo de treinamento

Leia mais

Cardiologia CADERNO DO PROGRAMA

Cardiologia CADERNO DO PROGRAMA RESIDÊNCIA MÉDICA Cardiologia CADERNO DO PROGRAMA Reprodução autorizada pelo autor somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino, não sendo autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE MEDICINA DA BAHIA Fundada em 18 de Fevereiro de 1808

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE MEDICINA DA BAHIA Fundada em 18 de Fevereiro de 1808 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE MEDICINA DA BAHIA Fundada em 18 de Fevereiro de 1808 Plano Individual de Trabalho (PIT) 1 e Relatório Individual de Trabalho (RIT) 2 1) DADOS GERAIS 1. Nome

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM OBSTÉTRICA E GINECOLÓGICA Unidade

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA Pedido de Credenciamento de Programa Nome Completo da Instituição COMPLEXO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PROFESSOR EDGARD SANTOS (C-HUPES ) * *Inclui o Hospital Prof. Edgard Santos / Centro Pediátrico Professor

Leia mais

ANEXO I. Cargo. 1 CGS - Asa Norte Enfermagem Enfermeiro Clínica Médica Diurno 4. 2 CGS - Asa Norte Enfermagem Enfermeiro Cirurgia Diurno 4

ANEXO I. Cargo. 1 CGS - Asa Norte Enfermagem Enfermeiro Clínica Médica Diurno 4. 2 CGS - Asa Norte Enfermagem Enfermeiro Cirurgia Diurno 4 GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE - FEPECS ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE ESCS ANEXO I QUADRO DE VAGAS - Processo Seletivo

Leia mais

Normatização do cadastro de formação profissional e educação continuada em gerontologia

Normatização do cadastro de formação profissional e educação continuada em gerontologia Normatização do cadastro de formação profissional e educação continuada em gerontologia O cadastro de Formação profissional e Educação continuada em Gerontologia da Sociedade Brasileira de Geriatria e

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM TERAPIA INTENSIVA ADULTO Unidade Dias

Leia mais

Salas de Apoio Didático do Hospital Universitário de Santa Maria

Salas de Apoio Didático do Hospital Universitário de Santa Maria Salas de Apoio Didático do Hospital Universitário de Santa Maria Descrição da estrutura física do HUSM utilizada para apoio ao ensino (salas de aula com sua capacidade e equipamentos disponíveis) ANDAR

Leia mais

LOCAL DE ATIVIDADE R1-Érika

LOCAL DE ATIVIDADE R1-Érika UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE PATOLOGIA TROPICAL E SAÚDE PÚBLICA DEPARTAMENTO DE MEDICINA TROPICAL E DERMATOLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM INFECTOLOGIA DO HC/UFG 1º ANO / 2016 R -

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PROCESSO SELETIVO ESPECIALIZAÇÃO MÉDICA PARA CANDIDATOS ESTRANGEIROS EDITAL Nº 003/2017

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PROCESSO SELETIVO ESPECIALIZAÇÃO MÉDICA PARA CANDIDATOS ESTRANGEIROS EDITAL Nº 003/2017 EDITAL DE CONVOCAÇÃO PROCESSO SELETIVO ESPECIALIZAÇÃO MÉDICA PARA CANDIDATOS ESTRANGEIROS EDITAL Nº 003/2017 A SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE BELO HORIZONTE, pessoa jurídica de direito privado, representado

Leia mais

Material desenvolvido com conteúdo fornecido pelas unidades acadêmicas responsáveis pelas disciplinas.

Material desenvolvido com conteúdo fornecido pelas unidades acadêmicas responsáveis pelas disciplinas. 1 2 Material desenvolvido com conteúdo fornecido pelas unidades acadêmicas responsáveis pelas disciplinas. Organização Projeto Visual COMEP Paulo Roberto Bueno Pereira Michela Peanho Harumi Toda Watzel

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ACONSELHAMENTO GENÉTICO EM PREDISPOSIÇÃO

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO ENFERMAGEM EM TERAPIA INTENSIVA Unidade Dias

Leia mais

Radioterapia CADERNO DO PROGRAMA

Radioterapia CADERNO DO PROGRAMA RESIDÊNCIA MÉDICA Radioterapia CADERNO DO PROGRAMA Reprodução autorizada pelo autor somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino, não sendo autorizada sua reprodução para quaisquer fins

Leia mais

Curso - PICC. Local Lorena - SP. Curso de Habilitação no uso do Cateter Venoso Central de Inserção Periférica (em RN, Criança e Adulto)

Curso - PICC. Local Lorena - SP. Curso de Habilitação no uso do Cateter Venoso Central de Inserção Periférica (em RN, Criança e Adulto) Curso - PICC Local Lorena - SP Curso de Habilitação no uso do Cateter Venoso Central de Inserção Periférica (em RN, Criança e Adulto) INSIGHT Educação e Conhecimento Informações Gerais Carga Horária: 20

Leia mais

EDITAL TÍTULO DE ESPECIALISTA EM CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA 2016

EDITAL TÍTULO DE ESPECIALISTA EM CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA 2016 EDITAL A Sociedade Brasileira de Cancerologia (SBC), sociedade de especialidade médica filiada a Associação Médica Brasileira, sendo seu Departamento de Cancerologia, obedecendo à resolução CFM N.º 2116/2015,

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA Pedido de Credenciamento de Programa Nome Completo da Instituição COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA Complexo Hospital Universitário Professor Edgard Santos (HUPES) e Centro Pediátrico Professor Hosannah

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO PARA O TRABALHO NA ENFERMAGEM Ampliando Conhecimentos

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO PARA O TRABALHO NA ENFERMAGEM Ampliando Conhecimentos PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO PARA O TRABALHO NA ENFERMAGEM Ampliando Conhecimentos Autores Ananda Hoffmann Sandra da Silva Kinalski Silvia Furian El Ammar Ijuí, Rio Grande do Sul Objetivos Qualificar Técnicos

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR 2014/2 Aprovada pela Resolução nº 15 CONSEPE, de 18 de junho de 2014.

ESTRUTURA CURRICULAR 2014/2 Aprovada pela Resolução nº 15 CONSEPE, de 18 de junho de 2014. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE MEDICINA DO MUCURI FAMMUC CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA ESTRUTURA CURRICULAR 2014/2 Aprovada pela Resolução

Leia mais

metas do plano de trabalho

metas do plano de trabalho Associação das Pioneiras Sociais Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação Acompanhamento das metas do plano de trabalho 2016 Acompanhamento das metas do plano de trabalho 2016 1º semestre 2016 Conforme

Leia mais

HOSPITAL HELIÓPOLIS SP. Serviço de Cabeça e Pescoço- Hospital Heliópolis [SCPH2]

HOSPITAL HELIÓPOLIS SP. Serviço de Cabeça e Pescoço- Hospital Heliópolis [SCPH2] HOSPITAL HELIÓPOLIS SP Estágio de 2 anos dedicados para Otorrinos na sub especialidade de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Serviço de Cabeça e Pescoço- Hospital Heliópolis [SCPH2] Prólogo Todos os candidatos

Leia mais

EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014/MINISTÉRIO DA SAÚDE, DE 21 DE JULHO DE 2014.

EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014/MINISTÉRIO DA SAÚDE, DE 21 DE JULHO DE 2014. EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014/MINISTÉRIO DA SAÚDE, DE 21 DE JULHO DE 2014. A União e o Ministério da Saúde, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista as Portarias do Ministério do Planejamento,

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA Nome Completo da Instituição HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PROF. EDGARD SANTOS Endereço Completo RUA AUGUSTO VIANA S/N - CANELA CEP Município UF DDD/Telefones 40.110-060 SALVADOR BA (71) 32838013 Fax E-mail Nº

Leia mais

PERFIL DE FORMAÇÃO - INTEGRALIZAÇÃO MATRIZ CURRICULAR

PERFIL DE FORMAÇÃO - INTEGRALIZAÇÃO MATRIZ CURRICULAR PERFIL DE FORMAÇÃO - INTEGRALIZAÇÃO Período 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º CH/total Carga horária/semestre 582 659 597 615 630 532 596 545 -- -- -- -- 4756 h Estágio Supervisionado em Regime de

Leia mais

Fellow em Cirurgia Bariátrica e Metabólica

Fellow em Cirurgia Bariátrica e Metabólica VOCÊ ESTÁ EM: HOME / NOTÍCIAS / VÍDEOS Fellow em Cirurgia Bariátrica e Metabólica Por Dr.Marchesini Publicado dia 18/07/2014 às 04h48 Programa de Especialização e Pesquisa em Cirurgia Bariátrica e Metabólica

Leia mais

EDITAL PIBIC 2015/2016

EDITAL PIBIC 2015/2016 INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR MÚLTIPLO Credenciado pela Portaria n 2.535 de 19/08/04 - MEC CNPJ 05.379.062/0001-70 Avenida Boa Vista nº700 - Bairro: São Francisco CEP: 65631-350 Timon/MA Fone: 99 3212-2185

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 6 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 10 Cronograma de Aulas Pág.11 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM TERAPIA INTENSIVA ADULTO

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM Curso de Enfermagem

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM Curso de Enfermagem MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENFERMAGEM GRADE 5 Currículo Pleno aprovado pelo Conselho de Curso para o ano de 2012 Cód. Disc. DISCIPLINAS 1º SEMESTRE CRÉD. CH TOTAL TEÓRICA PRÁTICA 6501-1 Anatomia I *

Leia mais

PROGRAMA DE ESTÁGIO HOSPITALAR PRONTO SOCORRO PSM

PROGRAMA DE ESTÁGIO HOSPITALAR PRONTO SOCORRO PSM PROGRAMA DE ESTÁGIO HOSPITALAR PRONTO SOCORRO PSM Disciplina de Emergências Clínicas Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo MANUAL DOS RESIDENTES Prof. Dr. Irineu Tadeu

Leia mais

ITPAC - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA. FAHESA

ITPAC - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA. FAHESA ITPAC - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA. FAHESA Faculdade de Ciências Humanas, Econômicas e de Saúde de Araguaína Av. Filadélfia,568 - Setor Oeste - Araguaína - TO Fone: (63) 3411

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA DA ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA / UNIFESP

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA DA ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA / UNIFESP 1 REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA DA ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA / UNIFESP COMISSÃO DE PRECEPTORIA DO DEPARTAMENTO DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA 2015 2 SUMÁRIO

Leia mais

Regulamento do Curso Pós-Graduado de Especialização em Endodontia

Regulamento do Curso Pós-Graduado de Especialização em Endodontia Regulamento do Curso Pós-Graduado de Especialização em Endodontia Artigo 1.º Âmbito de aplicação O presente regulamento aplica-se ao Curso Pós-Graduado de Especialização em Endodontia, curso não conferente

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 10 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM PEDIÁTRICA

Leia mais

Treinamento em Clínica Médica do Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia e Outras Especialidades (IBEPEGE)

Treinamento em Clínica Médica do Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia e Outras Especialidades (IBEPEGE) Treinamento em Clínica Médica 2015 do Pesquisas de Gastroenterologia (IBEPEGE) Reconhecido pela Sociedade Brasileira de Clínica Médica São Paulo - 2015/2017 Coordenador: Dr. Norton Wagner Ferracini O IBEPEGE

Leia mais

UFV Catálogo de Graduação MEDICINA. COORDENADORA Ângela Aparecida Barra

UFV Catálogo de Graduação MEDICINA. COORDENADORA Ângela Aparecida Barra UFV Catálogo de Graduação 2013 121 MEDICINA COORDENADORA Ângela Aparecida Barra angela.barra@ufv.br 122 Currículos dos Cursos UFV Médico ATUAÇÃO O Projeto Pedagógico do Curso de Medicina da UFV prevê a

Leia mais

Grade FTC Salvador MEDICINA. 1º semestre CH. Disciplina 1 NEOC I - Sessão Tutoral 100. Disciplina 2 NEOC I - Morfofisiologia Anatomia 40

Grade FTC Salvador MEDICINA. 1º semestre CH. Disciplina 1 NEOC I - Sessão Tutoral 100. Disciplina 2 NEOC I - Morfofisiologia Anatomia 40 Grade 2016.1 1º semestre CH Disciplina 1 NEOC I - Sessão Tutoral 100 Disciplina 2 NEOC I - Morfofisiologia Anatomia 40 Disciplina 3 NEOC I - Morfofisiologia Fisiologia 60 Disciplina 4 NEOC I - Morfofisiologia

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM DOR Unidade Dias e Horários Período

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA - RIO

Leia mais

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Nossa história Cenário Cenário Nossa história Setores Previsão segundo o Plano de Trabalho Quando

Leia mais

Perfil epidemiológico do CTI e estrutura de atendimento

Perfil epidemiológico do CTI e estrutura de atendimento Perfil epidemiológico do CTI e estrutura de atendimento O Serviço de Terapia Intensiva Adulto, possui 10 leitos que incluem 2 leitos de isolamento distribuídos em uma área aproximada de 130m2. Encontra-se

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES: CURRÍCULO

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES: CURRÍCULO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE - FACIBIS CURSO DE PSICOLOGIA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES: CURRÍCULO 2009.2 COORDENAÇÃO DO CURSO DE PSICOLOGIA BELO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE CIRURGIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE CIRURGIA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE CIRURGIA CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 56, de 16 de junho de 2016,

Leia mais