Projeto Político Pedagógico

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto Político Pedagógico"

Transcrição

1 FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO Projeto Político Pedagógico ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO 1

2 Projeto Gráfico e Editoração Eletrônica: Marcelo Paixão Catalogação na fonte Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio Biblioteca Emília Bustamante E74p Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (Org.) Projeto político pedagógico / Organizado pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio. Rio de Janeiro : FIOCRUZ, ISBN X 1.Currículo. 2. Projeto político-pedagógico. 3. Avaliação do currículo. 4. Pedagogia e educação. I. Título. II. Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio. CDD

3 Direção André Malhão Vice-Direção de Desenvolvimento Institucional Sergio Munck Vice-Direção de Ensino e Informação Isabel Brasil Vice-Direção de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Márcia de Oliveira Teixeira Coordenação de Cooperação Internacional Marise Ramos Coordenação de Comunicação, Divulgação e Eventos Vivi Fernandes Laboratório de Educação Profissional em Vigilância em Saúde Maurício Monken Laboratório de Formação Geral na Educação Profissional em Saúde Jairo Dias de Freitas Coordenação de Administração Mário Sérgio Z. Homem Laboratório de Educação Profissional em Atenção em Saúde Márcia Valéria G. Cardoso Laboratório de Iniciação Científica na Educação Básica Cristina Araripe Laboratório de Trabalho e Educação Profissional em Saúde Júlio César França Lima Laboratório de Educação Profissional em Gestão em Saúde Ana Lúcia Abrahão da Silva Laboratório de Educação Profissional em Informações e Registros em Saúde Marcia Fernandes Soares Laboratório de Educação Profissional em Manutenção de Equipamentos de Saúde Francisco de Paula Bueno A. Neto Laboratório de Educação Profissional em Técnicas Laboratoriais em Saúde Moacélio Verânio Silva Filho Coordenação Editorial da Revista Trabalho, Educação e Saúde Angélica Fonseca Carla Martins Isabel Brasil Coordenação da Secretaria Técnica da Rede de Escolas Técnicas do SUS(RET-SUS) Renata Reis Biblioteca Emília Bustamante Regina Cardoso Secretaria Escolar Geisa Francisco da Silva 3

4 Apresentação 7 Capítulo I - Caracterização da EPSJV 1. Do Politécnico à Escola Politécnica de Saúde: Uma Utopia em Permanente Construção 2. Da Consolidação à Inovação: a EPSJV como Centro de Referência em Educação Profissional em Saúde 3. Espaço Físico 4. Estrutura 5. Perfil docente 6. Perfil discente 7. Formas de ingresso Capítulo II - Regimento Interno e Regulamento de Ensino da EPSJV/FIOCRUZ Regimento Interno Regulamento da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Capítulo III - Fundamentos do Projeto Escolar 57 Termos de Referências A Educação Profissional Politécnica: idéias e buscas a favor da classe trabalhadora Tecnologia Educacional em Saúde

5 Sumário Atenção à Saúde Vigilância em Saúde Informações e Registros de Saúde Gestão em Saúde Manutenção de Equipamentos Técnicas Laboratoriais em Saúde Ensino Médio na Educação Profissional em Saúde A Análise de Processo de Trabalho em Saúde e a Formação Politécnica Capítulo IV - Concepções Educacionais e Propostas Curriculares da EPSJV I - Educação Profissional em Nível Técnico em Saúde II - Formação Incial ou Continuada III - Pós-Graduação Lato Sensu em Educação Profissional IV - Educação de Jovens e Adultos (EJA) Programa de Ensino Fundamental (PEF) Programa de Ensino Médio Trabalhadores da EPSJV (Encarte) 5

6 6

7 Apresentação O projeto político pedagógico (PPP) da EPSJV, que agora chega às mãos do leitor, é trabalho coletivo construído ao longo da história desta instituição. Projeto sempre inacabado, O PPP se consolida e traduz de maneira singular as concepções e a organização das atividades de ensino, pesquisa e desenvolvimento institucional da atual Direção da EPSJV. Temos como compromisso maior: a Educação Profissional em Saúde, em nível técnico e de formação inicial e continuada, voltada para uma formação ética, política e técnica. Com essa finalidade, são realizados, cursos e pesquisas, e traçadas cooperações técnicas em níveis nacional e internacional A proposta de uma formação politécnica em saúde qualificada e crítica é construída em dois eixos principais: a formação dos jovens e maduros trabalhadores do sistema de saúde e da C&T e a formação docente para a área de Educação Profissional. A preocupação com a formação de quem educa o trabalhador se traduz nesta Escola na figura do professorpesquisador - através do Programa de Aperfeiçoamento do Ensino Técnico - Paetec - e no Programa de Pós-graduação Lato Sensu em Educação Profissional A EPSJV concebe a educação como projeto de sociedade. Nesse sentido, é defensora de uma concepção politécnica que dialoga com as circunstâncias societárias atuais e, deixando explícita a sua concepção de mundo, compreende que o trabalhador se educa no conflito e na contradição, e que a aquisição, pela classe trabalhadora, dos saberes elaborados pela humanidade serve de instrumento para a luta contra a divisão social do trabalho e a dominação. Trata-se, assim, de defender que a todo trabalhador deve ser garantida a Educação Básica, como essência para um processo de formação dos profissionais de nível médio e fundamental que os possibilite tornar-se dirigentes. André Malhão Isabel Brasil Márcia Teixeira Sergio Munck 7

8 8

9 Capítulo I Caracterização da EPSJV 9

10 10

11 História, Atualidade e Perspectivas A Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV) é a UnidadeTécnico- Científica da Fundação Oswaldo Cruz responsável pela coordenação e execução das atividades de ensino, pesquisa e cooperação técnica na área de Educação Profissional em níveis de Formação Inicial e Continuada e Técnico em Saúde. Em duas décadas de existência, a EPSJV tem buscado construir e legitimar a finalidade para a qual foi criada: apoiar a educação profissional em saúde implementada nos estados e municípios do país. Sua atuação é exercida, sobretudo através da: Coordenação e implementação de programas de ensino em áreas estratégicas para a saúde pública e a C&T em saúde; Elaboração de projetos de política, regulamentação, currículos,cursos, metodologias e tecnologias educacionais; Produção e divulgação de conhecimento na área de trabalho,educação e saúde. 1.Do Politécnico à Escola Politécnica de Saúde: Uma Utopia em Permanente Construção A criação da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV) data de agosto de 1985,inicialmente como Politécnico de Saúde Joaquim Venâncio (PSJV). Naquele momento, considerava-se que a estruturação de uma Unidade destinada à formação de profissionais de nível médio, especialmente nas áreas de produção tecnológica, pesquisa biológica e serviços de saúde pública, catalisaria o enorme potencial de formação e de difusão científica da FIOCRUZ. Três modalidades de cursos foram inicialmente esboçadas: a) cursos voltados ao pessoal já absorvido pela rede de saúde, oferecidos mediante convênios com instituições do setor, que ofereceriam qualificações nas referidas áreas; b) cursos oferecidos segundo demanda dos próprios serviços de saúde,face a necessidades específicas; c) cursos regulamentados pelo sistema formal de ensino, como habilitações técnicas de segundo grau, de acordo com a Lei no 5.692/72, vigente à época. O Politécnico da Saúde iniciou suas atividades em duas frentes principais de trabalho. Uma delas,desenvolvida no âmbito estrito da instituição, como foi o caso dos cursos de Manutenção de Equipamentos Básicos de Laboratório; de Agente de Saúde em Alcoolismo; de Auxiliar de Creche; e o Projeto Fazendo e Aprendendo. A outra frente constituiu-se de ações conveniadas com várias instituições, tanto nacionais quanto internacionais. Neste caso citam-se o Curso de Formação de Agentes de Saúde Pública, junto com a Secretaria Estadual de Saúde e Higiene (SESH/RJ) e UNICEF; o Curso de Registros Médicos e Estatística de Saúde com a Secretaria Nacional de Programas Especiais de Saúde e Organização Pan-Americana de Saúde (SNPES/MS/OPAS); o Programa de Vocação Científica, com o Colégio de Aplicação da UniversidadeEstadual do Rio de Janeiro (UERJ); o Curso Supletivo de 1o grau, com o Centro de Capacitação da Fundação Centro Educacional 11

12 de Niterói (CECAP/CEN); e o Projeto Educar, com a Fundação Educar/Ministério da Educação e Cultura (MEC). Somaram-se a essas ações, aquelas destinadas ao atendimento de demandas internas da FIOCRUZ. Todas essas atividades contribuíram para a consolidação do Politécnico como unidade da FIOCRUZ. Em coerência com sua importância institucional, tomou corpo na Unidade, o movimento de estruturação da Escola Politécnica, mediante a construção de um novo projeto pedagógico que ampliasse suas práticas na perspectiva da formação integral de trabalhadores. A criação de um espaço de discussão sobre Educação no interior do Politécnico foi fundamental para o desenvolvimento deste projeto. O debate sobre a formação profissional integral, síntese entre cultura e técnica, alicerçada numa sólida Educação Básica e dela indissociável, culminou na realização, em 1987, do Seminário Choque Teórico, cujas reflexões foram fundamentais para a consolidação dos princípios que estruturam o projeto ético-político e pedagógico desta Escola. Este afirmou a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio como um espaço de criação,questionamentos, crítica e produção intelectual e material, comprometido com o fortalecimento do Sistema Único de Saúde e com o desenvolvimento científico e tecnológico em Saúde, tendo o trabalho como princípio educativo. 2. Da Consolidação à Inovação: a EPSJV como Centro de Referência em Educação Profissional em Saúde Na década de 90, a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio consolida-se como Unidade Técnico-Científica da FIOCRUZ, com a missão de promover a Educação Profissional (então sob a égide do decreto 2208/97) de Nível Básico e Técnico em Saúde, no âmbito nacional, prioritariamente para trabalhadores de Nível Médio do Sistema Único de Saúde (SUS), realizando atividades de ensino, pesquisa e cooperação técnico-científica. Sua atuação no ensino tem-se ampliado para além da oferta de cursos, compreendendo também a produção de currículos, a formulação e disseminação de modelos educacionais e a coordenação em nível nacional de programas de ensino em áreas estratégicas para a Saúde Pública. Além disto, como sua história indica, a Unidade vem se destacando pela elaboração e publicação de conhecimento na área de trabalho, educação e saúde. Um exemplo marcante desta iniciativa é a produção da revista Trabalho, Educação e Saúde, que aborda as relações entre esses três campos, com textos que estimulam a reflexão crítica sobre a atuação e formação dos profissionais de Nível Médio em Saúde. Vários são os exemplos que confirmam a possibilidade da EPSJV consolidar seu papel de referência nacional na área de Educação Profissional em Saúde no Brasil, a saber: é a Secretaria Técnica da Rede de Escolas Técnicas do SUS (RET-SUS); coordena o Programa de Formação de Agentes Locais em Vigilância em Saúde (PROFORMAR) em todo território nacional; é Centro Colaborador da Organização Mundial da Saúde na área de Formação Técnica de Recursos Humanos em Saúde; coordena a Capacitação Técnica de multiplicadores em Registros de Saúde para a implantação do Cartão Nacional de Saúde (Cartão SUS); elabora a Cartilha de Eventos Adversos em Imunização; e obteve financiamento pelo PROEP/MEC para a construção predial de sua nova sede, inaugurada em 2004, pelo Presidente da República. 12

13 A Escola Politécnica coordena e executa projetos de ensino e pesquisa nas áreas de Educação Profissional em Nível de Formação Inicial e Continuada e Técnico de Nível Médio em: Gestão, Atenção, Vigilância, Informação, Laboratório e Manutenção de Equipamentos de Saúde. Os cursos são formulados com bases curriculares teórico-metodológicas atuais, consistentes e abrangentes, tendo como referência o processo de trabalho e as necessidades próprias da formação de profissionais para os serviços e a produção em Ciência e Tecnologia em Saúde. O ensino é compreendido tanto na dimensão técnica especializada quanto na dimensão ético-política, fazendo com que as potencialidades dos profissionais formados nas salas de aula da EPSJV se somem aos esforços sociais da FIOCRUZ para a melhoria da qualidade de vida da população. Merecem destaque os Cursos de Especialização Técnica desenvolvidos nesta instuição. Estes cursos estão articulados com as habilitações técnicas aqui desenvolvidas. Como estratégia de sustentação da qualidade e da abrangência da Educação Profissional realizada pela EPSJV, a produção e a difusão de conhecimentos gerais das diversas áreas das Ciências se associama os conhecimentos específicos que estruturam a formação técnica. Com base neste princípio, algumas habilitações técnicas, principalmente aquelas voltadas para jovens em idade escolar, são cursadas de forma integrada e concomitante com o Ensino Médio. Outras, ainda que dirigidas aos trabalhadores dos serviços de Saúde, partem da formação básica já desenvolvida pelos estudantes em etapas anteriores de escolarização e/ ou dos conhecimentos por eles construídos em suas experiências de vida e de trabalho, tendo como importante apoio a estrutura de Educação Básica da Escola. A EPSJV em parceira com a Diretoria de Recursos Humanos (Direh)/Fiocruz e a Secretaria Estadual de Educação do Estado do Rio de Janeiro desenvolve a Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Programa de Ensino Fundamental (PEF) e no Programa de Ensino Médio (PEM). O PEF é voltado para os trabalhadores da Fiocruz que não concluíram o Ensino Médio. O PEM é ministrado para os trabalhaodres da Fiocruz que não tenham concluído o Ensino Médio. Atualmente, este Programa tem sido ampliado para a comunidade local da área de Manguinhos, onde está inserida geograficamente, no rio de Janeiro, a Fiocruz. O conjunto de Cursos em Nível de Formação Inicial e Continuada destina-se à qualificação, requalificação, atualização, desenvolvimento, aperfeiçoamento e especialização profissional de trabalhadores dos Sistemas de Saúde e de Ciência e Tecnologia, permitindo-lhes condições para o exercício de novas atividades, a ampliação de suas potencialidades, bem como o conhecimento e a divulgação de questões contemporâneas de caráter técnico-científico e sócio-cultural em determinada área do conhecimento e/ou profissional relacionada à Saúde. O Curso de Pós-graduação Lato-Sensu em Educação Profissional, regido pela Resolução CES/CNE número 01, de 03 de abril de 2001, e pelo Regimento de Ensino da FIOCRUZ para esta modalidade, destina-se a professores graduados que atuam na Educação Profissional em Saúde e demais portadores de diploma de nível superior de graduação, interessados em aprofundar conhecimentos neste campo, tendo como objetivos a construção de bases teórico-científicas e a reflexão necessária para uma prática docente autônoma, consciente e comprometida com o ensino de qualidade e com a construção da democracia e da cidadania. 13

14 Pelo Programa de Vocação Científica (PROVOC), a EPSJV possibilita aos estudantes matriculados em escolas de Ensino Médio conveniadas, a vivência em ambientes de pesquisa e do cotidiano do trabalho de pesquisadores da FIOCRUZ, proporcionando-lhes, desse modo, a experiência de aprender Ciência fazendo Ciência Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico: Bases Teórico-Empíricas do Ensino A pesquisa na EPSJV se consolidou em estreita relação com a atividade de ensino, exercitando-se no diálogo crítico com os campos da saúde pública e da educação, com ênfase na educação profissional. A investigação científica se estrutura a partir dos seguintes eixos temáticos: educação profissional; processo de trabalho em saúde; tecnologias educacionais; educação científica; e práticas pedagógicas em educação e saúde. O desenvolvimento da atividade de pesquisa na EPSJV tem contribuído de forma significativa para a sistematização de experiências exitosas no campo da formação em saúde no âmbito nacional. Destaca-se também o desenvolvimento de propostas pedagógicas inovadoras em diferentes áreas da saúde e de materiais didáticos, baseados na pesquisa com diferentes formas de linguagem e suportes. Destacam-se como objetivos das atividades de pesquisa e de desenvolvimento tecnológico realizadas pela EPSJV: O desenvolvimento de pesquisas em torno dos conteúdos técnico-científicos no âmbito da formação profissional oferecida pela Escola, assim como, sobre os processos didático-pedagógicos utilizados; A produção de conhecimento que considere a educação profissional em saúde, tanto nos seus aspectos político-pedagógicos, quanto na sua relação com as demandas sociais; O desenvolvimento de propostas curriculares para a formação (profissionalizante) de trabalhadores de nível médio em saúde; A formulação de propostas de capacitação docente; e Análise da produção e utilização de materiais didáticos, sob a forma textual ou multimídia (software, site e vídeo). A EPSJV tem investido na disseminação de informações e conhecimentos científicos, visando, sobretudo, as Escolas e Centros Formadores da saúde, articulados à RET-SUS. A instalação de uma Estação de Trabalho da Rede de Observatório de Técnicos em Saúde foi a primeira iniciativa para a construção de uma capacidade interna de sistematização e disseminação de informações relevantes relativas aos trabalhadores de nível médio e ao mercado de trabalho em saúde. A Estação está capacitando-se para realizar investigações em grandes bases de dados, localizadas em sistemas ligados aos ministérios da Saúde, do Trabalho e da Educação, além da constituição de bases próprias. No campo da disseminação de conhecimentos científicos, merece destaque a organização do periódico científico Trabalho, Educação e Saúde, que articula as três áreas de conhecimento. A terceira, e mais recente, iniciativa é a organização de uma Biblioteca Virtual inteiramente dedicada à disseminação de conhecimentos relativos à área de Educação Profissional em saúde. 14

15 O Paetec O Programa de Aperfeiçoamento do Ensino Técnico (Paetec) é um modelo de fomento ao desenvolvimento da pesquisa científica entre docentes da educação profissional em saúde e constitui parte da política de incentivo às atividades de pesquisa e desenvolvimento tecnológico da Escola, cujo principal desafio é a sua descentralização para as demais escolas do SUS.O Paetec concede bolsas de professor-pesquisador visitante nos regimes de 20 ou 40h semanais através de convênio com a Fundação Carlos Chagas de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj). O Programa apóia a realização de projetos individuais com a duração mínima de 12 meses e máxima de 24 meses, que possuam alto grau de articulação com as atividades de ensino da EPSJV. Destina-se à fixação de profissionais que possuam mestrado e experiência no desenvolvimento de programas de formação de trabalhadores em saúde, na produção de materiais didático-pedagógicos, sob a forma textual ou multimídia, e na pesquisa científica nos campos temáticos da educação, do trabalho e da saúde. O Provoc Programa de Vocação Científica (Provoc) é uma iniciativa da Escola Politécnica na área de Educação para a Ciência. Criado em 1986, o programa conta com a parceria das unidades da Fiocruz e tem como objetivo promover a Iniciação Científica de alunos de Nível Médio de ensino nas diferentes áreas de pesquisa em saúde Biomédica, Saúde Pública, História e Filosofia da Ciência. O Provoc é compreendido por duas etapas: Iniciação e Avançada. Na Iniciação, os alunos participam de diferentes atividades de pesquisa científica. Ao final, com duração de 12 meses e carga horária mínima de quatro horas semanais, os estudantes elaboram um relatório sobre as atividades e experiências vivenciadas. Ainda na Iniciação, acontece a Jornada de Iniciação Científica, encontro em que os estudantes apresentam os resultados das atividades que desenvolveram. Após a conclusão da primeira fase, os estudantes interessados podem se candidatar à etapa Avançada do PROVOC, desdobramento prático do processo de aprendizagem dos procedimentos científicos em que elaboram um plano de pesquisa. Ao final dos 18 meses, os alunos apresentam relatórios escritos e discutem seus resultados em outra Jornada de Vocação Científica, desta vez, de nível avançado São parceiras do PROVOC as Secretarias de Educação e Meio Ambiente do Município de Guapimirim e o Centro de Estudos e Ações Solidárias da Maré e 11 escolas públicas e três privadas: Colégio de Aplicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro Colégio Pedro II Unidades: Centro, Engenho Novo, Humaitá, São Cristóvão e Tijuca. 15

16 Instituto Metodista Bennet Centro Educacional Anísio Teixeira Colégio São Vicente de Paulo Escola Estadual André Maurois Colégio Técnico da Universidade Federal de Minas Gerais Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Pernambuco Escola Estadual Luiz Viana Filho (BA) O Projeto Ciência e Cidadania Projeto de iniciação científica desenvolvido com alunos de Ensino Médio, do Curso de Educação Profissional de Nível Técnico em Saúde, busca através de uma concepção de educação pela pesquisa novas estratégias de exercício da cidadania na sociedade contemporânea.criado em 2001 como componente da parte diversificada do currículo do Ensino Médio, tem como objetivo possibilitar aos estudantes adolescentes a vivência da investigação científica como atitude cotidiana a ser construída entre alunos e educadores/ orientadores durante as três séries do curso. O Projeto Ciência e Cidadania, incorporando o Projeto 4 a série, também de iniciação científica, e ampliando-o para as três séries, revela o papel do Departamento de Formação Profissional em C&T em Saúde na gestão de um projeto político-pedagógico que permita não apenas o imbricamento entre teoria e prática, ensino e pesquisa. É acima de tudo, um convite à reflexão, à sitematização e ao resgate do prazer do saber, da curiosidade, da descoberta e da reinvenção permanente nas relações com o conhecimento. Pesquisa aqui é entendida como questionamento reconstrutivo onde o aluno deixa de ser objeto e passa a ser sujeito da história e parceiro no trabalho. O desenvolvimento de projetos e programas de iniciação à pesquisa discente têm se colocado como de fundamental importância para a consolidação de modelos pedagógicos de democratização da ciência realmente comprometidos com a formação de futuros profissionais de nível médio em saúde com uma sólida formação geral e visão crítica para que possam apropriar-se dos conhecimentos e interferir em seus processos de educação e trabalho. O Projeto Ciência e Cidadania tem sua culminância no desenvolvimento de projetos de pesquisa e sua apresentação em vários formatos, como monografias, ensaios fotográficos, sites, vídeos e outros produtos que evidenciam a reflexão sobre os temas investigados em que se busca articular conhecimentos e práticas da educação básica e da educação profissional. Projetos Cooperativos de Desenvolvimento Tecnológico (PDTSP) A EPSJV concorreu e foi contemplada com projetos de investigação e de desenvolvimento tecnológico. 16

17 2.2. Publicações: Difusão de Conhecimentos e Apoio Didático em Educação Profissional em Saúde Além do projeto da revista técnico-científica Trabalho, Educação e Saúde, lançada em 2003, a EPSJV produz livros-texto para a Formação de Nível Médio em Saúde, que compõem a coleção Trabalho e Formação em Saúde, produzida pela EPSJV, inicialmente, mediante convênio com o Programa de Apoio ao Livro Texto(PALTEX/OPAS), publicada pela Editora Fiocruz. Esta coleção é composta por livros de referência para as disciplinas dos cursos de Nível Médio em Saúde, visando à formação crítica e qualificada dos profissionais que trabalham na área. Somam-se a estas produções, o material didático do Proformar e a Cartilha de Eventos Adversos em Imunização (ainda em fase de cópia já editorada) Revista Trabalho, Educação e Saúde A EPSJV edita a revista semestral Trabalho, Educação e Saúde. O periódico tem como finalidade analisar questões relevantes nos campos da Educação e da Saúde, relacionando essas práticas sociais com o mundo do trabalho, sobretudo em suas formas contemporâneas. Trata-se de um projeto, ao mesmo tempo científico e político, de divulgação de conhecimento e pensamento crítico, a ser construído ao longo do tempo e dos números que forem publicados. Através de debates, ensaios, artigos, entrevistas, relatos de experiências e resenhas, o periódico aborda temas como formação e qualificação profissional, financiamento da educação e mercado de trabalho em saúde. A divulgação de conhecimento científico que contribua para a formação e a qualificação profissional em saúde garante a importância da revista. Nesse sentido, destaca-se a escassez de divulgação de conhecimento que tenha como nicho a reflexão crítica sobre o trabalho em saúde desenvolvido por profissionais dos níveis médio e fundamental. Assim, a revista justifica-se pela necessidade de se produzir e divulgar conhecimento sobre a formação profissional nestes níveis de ensino. O periódico pode contribuir para fortalecer determinadas temáticas específicas e negligenciadas, além de problematizar teorias e discursos hoje dominantes no cenário acadêmico. Trabalho, Educação e Saúde é um projeto que faz parte da consolidação da EPSJV como instituição que apóia, nacionalmente, o campo da Educação Profissional em Saúde. Trabalho, portanto, que segue e fortalece a tradição da Fundação Oswaldo Cruz em seu constante compromisso com as políticas de Saúde Pública no Brasil. Tendo esse horizonte como meta, pretende-se publicar, na revista, trabalhos avaliados, de reconhecido valor teórico, dando espaço para a articulação das abordagens e dos diálogos críticos, necessários para consolidar uma esfera pública de fato democrática. 17

18 Série Trabalho e Formação em Saúde A Série Trabalho e Formação em Saúde, organizada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, com o apoio da Organização Pan-Americana da Saúde. Trata-se de um projeto de livros-texto voltado sobretudo para a formação crítica e qualificada dos profissionais de nível médio que trabalham na área da Saúde Pública; concepção oposta à naturalização instituída do trabalhador de nível médio como o que executa, sem precisar refletir suas ações. Por formação crítica entende-se, aqui, a capacidade de pensar a própria prática, indo além da mera execução mecânica de tarefas. Por esta via, os autores destes livros compartilham o mesmo projeto, utópico, que busca instituir o novo e que se traduz em vontade política e competência técnica. Produção de Material Didático do Proformar O conteúdo do curso está organizado em sete livros-texto, que se articulam com outros materiais: Guia do Aluno, um Caderno de Atividades do Trabalho de Campo, um Guia do Tutor e quatro vídeos. Estes materiais estimulam alunos e tutores a construir e reconstruir os conhecimentos necessários ao agente de vigilância em saúde no que diz respeito a sua competência técnica e sua identidade como agente das práticas locais do Sistema Único de Saúde. Também orientam as atividades de ensino nos diferentes momentos de aprendizagem e abrem espaço para um diálogo crítico com as diversas propostas para o campo da vigilância em saúde. Os vídeos Os vídeos são apresentados e discutidos nos momentos presenciais do curso, antes das quatro unidades de aprendizagem. Cada um corresponde a uma etapa do trabalho de campo que tem como referência os conteúdos teóricos de uma unidade de aprendizagem. 18

19 Os vídeos também introduzem os principais conceitos a serem desenvolvidos na unidade e apresentam as diferentes etapas do trabalho de campo. Através do uso de imagens é possível reconstituir situações vividas no trabalho, em casa e na comunidade - ponto de partida para se discutir os mais variados temas. Os vídeos também sensibilizam os trabalhadores para uma participação ativa na construção da qualidade da atenção à saúde. Livros-texto São usados no curso sete livros-texto, que correspondem às unidades de aprendizagem e seus módulos. Cada um apresenta conteúdos afins, organizados em um módulo, sobre questões da saúde coletiva, e que estão relacionadas ao processo de trabalho do agente de vigilância em saúde. Os livros dão suporte teórico aos alunos e suporte didático-pedagógico aos tutores. Com uma linguagem simples e auto-explicativa, com glossário de palavras-chave, exemplos e figuras, apresentam conteúdos de fácil apreensão, mas que possuem, ao mesmo tempo, a densidade necessária para a construção do conhecimento. Cartilha de Eventos Adversos Pós-vacinação A Cartilha de Eventos Adversos Pós-Vacinação é um material didático voltado para informar os trabalhadores de nível médio que atuam em Salas de Vacina sobre o que pode acontecer aos clientes após a aplicação de imunobiológicos. Elaborado pelo Núcleo de Saúde Coletiva (NSC), o projeto surgiu de uma demanda da Coordenação do Programa Nacional de Imunização (CoPNI/Funasa). Fonte de consulta em Salas de Vacina, material de leitura individual e de apoio à formação e atualização, a publicação pretende estimular a observação e o registro dos eventos, para o constante aprimoramento das vacinas. A Cartilha é distribuída em Salas de Vacina de todo o país, escolas da RET-SUS, Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde e Centros de Referência em Imunobiológicos Especiais Livro Temas de Ensino Médio Trata-se de livro constituído sobre temas de interesse a professores e alunos do Ensino 19

20 Médio, organizado (já em fase de editoração) e publicado pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio /Fiocruz. Livro Trabalhadores Técnicos em Saúde: Formação Profissional e Mercado de Trabalho Trata-se de livro organizado pela Estação de Trabalho Observatório dos Técnicos em Saúde/EPSJV, e apresenta estudos sobre dados relativos ao levantamento da Educação Profissional no Brasil Cooperação Técnico-Científica: Ensino e Pesquisas para além dos limites institucionais A EPSJV desenvolve atividades de consultoria e assessoria para programas de Saúde governamentais, em nível municipal, estadual e federal, destinados a centros formadores, organizações não governamentais com atuação nas áreas de Saúde e Educação e associações comunitárias que possuam ou estejam organizando atividades de Assistência em Saúde. Essas ações se baseiam na promoção e sustentação de iniciativas de Educação Profissional em Saúde, subsídio à formulação de políticas governamentais relacionadas às áreas de atuação da EPSJV. O incremento das atividades de consultoria na EPSJV está relacionado à atual conjuntura do setor Saúde, sobretudo no âmbito do governo federal. Nos últimos cinco anos, houve um aumento da demanda de Formação para o Nível Médio. Este crescimento se expressa na forma de projetos nacionais, coordenados pelo Ministério da Saúde, visando à formação profissional em diversos campos da Saúde. Como exemplos, destacamos projetos na área das Vigilâncias em Saúde (ambiental, epidemiológica e sanitária) e programas no campo da enfermagem, como o Projeto de Profissionalização de Trabalhadores da Área de Enfermagem (PROFAE), além de diversas ações de capacitação, ligadas àsáreas de Registros e Informações em Saúde (Cartão SUS), Saúde da Família, Saúde Bucal e DST-AIDS. Destacam-se, ainda, entre as atividades (já relatadas) de cooperação de caráter nacional: elaboração da Série Trabalho e Formação 20

Contribuições da Coordenação de Pós-Graduação

Contribuições da Coordenação de Pós-Graduação Contribuições da Coordenação de Pós-Graduação 3.6. Desafios relacionados à concepção e a qualificação da Política de Educação Profissional em Saúde para o SUS As políticas públicas de Educação Profissional

Leia mais

Plano Estratégico de Cooperação em Saúde da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa PECS / CPLP REDE DE ESCOLAS TÉCNICAS DA SAÚDE DA CPLP

Plano Estratégico de Cooperação em Saúde da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa PECS / CPLP REDE DE ESCOLAS TÉCNICAS DA SAÚDE DA CPLP Plano Estratégico de Cooperação em Saúde da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa PECS / CPLP REDE DE ESCOLAS TÉCNICAS DA SAÚDE DA CPLP Regulamento do Curso de Especialização lato sensu em Educação

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 18/6/2009, Seção 1, Pág. 16.

PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 18/6/2009, Seção 1, Pág. 16. PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 18/6/2009, Seção 1, Pág. 16. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Ministério da Saúde/Fundação Oswaldo Cruz

Leia mais

A Educação a Distância como Estratégia de Implementação de Política Pública: a experiência da EAD-ENSP/Fiocruz

A Educação a Distância como Estratégia de Implementação de Política Pública: a experiência da EAD-ENSP/Fiocruz Fundação Oswaldo Cruz 2º Encontro de Educação a Distância para a Rd Rede de Escolas de Governo A Educação a Distância como Estratégia de Implementação de Política Pública: a experiência da EAD-ENSP/Fiocruz

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA INTRODUÇÃO O Estágio Curricular foi criado pela Lei 6.494, de 7 de dezembro de 1977 e regulamentado pelo Decreto 87.497, de 18 de agosto

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

X Encontro Nacional de Escolas de Governo

X Encontro Nacional de Escolas de Governo X Encontro Nacional de Escolas de Governo Painel Cursos de pós-graduação nas escolas de governo A experiência da Enap na oferta de cursos de pós-graduação lato sensu Carmen Izabel Gatto e Maria Stela Reis

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA.

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. Profa. Elizabeth Rodrigues Felix 1 I- INTRODUÇÃO Com dezoito anos de existência, o

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

Fundação Oswaldo Cruz. Ministério da Saúde

Fundação Oswaldo Cruz. Ministério da Saúde Fundação Oswaldo Cruz Ministério da Saúde Missão A Fundação Oswaldo Cruz é um centro polivalente e multidisciplinar na área da saúde, que exerce um papel social de grande relevância para o país. Realiza

Leia mais

Área de Ciências Humanas

Área de Ciências Humanas Área de Ciências Humanas Ciências Sociais Unidade: Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia (FCHF) www.fchf.ufg.br Em Ciências Sociais estudam-se as relações sociais entre indivíduos, grupos e instituições,

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO As ações de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas constituem um processo educativo

Leia mais

Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras Fundada em 19 de dezembro de 1978

Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras Fundada em 19 de dezembro de 1978 GT HUE s e SEMINÁRIO Realizado no período de 12 a 14 de abril de 2010 PROPOSTA PRELIMINAR DE HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS E DE ENSINO E CENTROS HOSPITALARES DE SAÚDE ESCOLA (HUE S) CAPÍTULO I Artigo 1º. Este

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL No-10, DE 11 DE JULHO DE 2013

PORTARIA INTERMINISTERIAL No-10, DE 11 DE JULHO DE 2013 PORTARIA INTERMINISTERIAL No-10, DE 11 DE JULHO DE 2013 Regulamenta o Decreto nº 7.385, de 8 de dezembro de 2010, que instituiu o Sistema Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UNA-SUS). Os MINISTROS

Leia mais

O Papel do Pedagogo na Escola Pública CADEP

O Papel do Pedagogo na Escola Pública CADEP O Papel do Pedagogo na Escola Pública CADEP O Papel do Pedagogo na Escola Pública 1 A construção histórica do Curso de Pedagogia 2 Contexto atual do Curso de Pedagogia 3 O trabalho do Pedagogo prática

Leia mais

Laboratório de Educação Profissional em Vigilância em Saúde

Laboratório de Educação Profissional em Vigilância em Saúde Laboratório de Educação Profissional em Vigilância em Saúde A formação profissional dos trabalhadores em Vigilância Epidemiológica: contribuições de uma abordagem politécnica de educação Mauro de Lima

Leia mais

III conferir, de acordo com o regime didático-científico do Programa, os graus de Doutor e Mestre Acadêmico;

III conferir, de acordo com o regime didático-científico do Programa, os graus de Doutor e Mestre Acadêmico; 1 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS-GRADUADOS EM SERVIÇO SOCIAL 1. Objetivos do Programa Artigo 1º - São objetivos do Programa: I formar pessoal nível de Mestrado Acadêmico, Doutorado e Pós-Doutorado,

Leia mais

REFERENCIA INSTITUCIONAL:

REFERENCIA INSTITUCIONAL: TITULO: Programa de Integração Docente Assistencial entre a Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP e a Secretaria Municipal de Saúde de Diadema - PIDA-DIADEMA EIXO: Extensão, Docência e Investigação

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE - MT 2011 Apresentação Articulado com o novo Plano de Desenvolvimento Institucional (2011-2015)

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão. Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus

RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão. Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus 2013-2016 0 1 Sumário Apresentação... 2 Análise Situacional... 2 Programas Estruturantes...

Leia mais

MEDICINA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA (SÍNTESE)

MEDICINA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA (SÍNTESE) PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE (SÍNTESE) Ao longo de mais de cinco décadas, a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) estruturou um ambiente acadêmico intelectualmente rico

Leia mais

Aracaju: em foco o modelo Saúde Todo Dia. A Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva em debate

Aracaju: em foco o modelo Saúde Todo Dia. A Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva em debate Aracaju: em foco o modelo Saúde Todo Dia. A Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva em debate ALEXANDRE DE SOUZA RAMOS 1 Saúde como direito de cidadania e um sistema de saúde (o SUS) de cunho marcadamente

Leia mais

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus APRESENTAÇÃO Ao se propor a sistematização de uma política pública voltada para os museus brasileiros, a preocupação inicial do Ministério

Leia mais

Música nas escolas: uma análise do Projeto de Resolução das Diretrizes Nacionais para a operacionalização do ensino de Música na Educação Básica

Música nas escolas: uma análise do Projeto de Resolução das Diretrizes Nacionais para a operacionalização do ensino de Música na Educação Básica Música nas escolas: uma análise do Projeto de Resolução das Diretrizes Nacionais para a operacionalização do ensino de Música na Educação Básica Luis Ricardo Silva Queiroz Presidente da ABEM presidencia@abemeducacaomusical.com.br

Leia mais

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, madalena@univates.br Daniela Cristina Schossler,

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico Ingressantes em 2007 Dados: Sigla: Licenciatura em Educação Física Área: Biológicas

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA Coordenadora do Curso: Prof a Maria Cláudia Alves Guimarães IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. Denominação

Leia mais

CURSO EXCLUSIVO IBECO

CURSO EXCLUSIVO IBECO PÓS-GRADUAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR EM ESTÉTICA CURSO EXCLUSIVO IBECO Destinado aos docentes que atuam ou que pretendem atuar no ensino superior e profissionalizante da área estética, o curso

Leia mais

Prof.ª Dr.ª do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Prof.ª Dr.ª do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TICs) NO CONTEXTO DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL (UAB) E O CURSO DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA (EAD) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (UFSM) AVINIO, Carina

Leia mais

ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICAP Educação a Distância

ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICAP Educação a Distância Fundação Oswaldo Cruz ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICAP Educação a Distância Lucia Dupret Coordenação Geral Programa de Educação a Distância Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca Fundação Oswaldo

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. 1 CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. (*) (**) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 010/2006

RESOLUÇÃO Nº 010/2006 Confere com o original RESOLUÇÃO Nº 010/2006 CRIA o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu de Educação Ambiental, em nível de Especialização. O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS e PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa GESTÃO EDUCACIONAL INTEGRADA: Oferecendo 04 Habilitações: supervisão de ensino, orientação educacional, inspeção de ensino e administração escolar. JUSTIFICATIVA O Curso de Especialização em Gestão Educacional

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO INTERDISCIPLINAR EM PATRIMÔNIO, DIREITOS CULTURAIS E CIDADANIA

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO INTERDISCIPLINAR EM PATRIMÔNIO, DIREITOS CULTURAIS E CIDADANIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO NÚCLEO INTERDISCIPLINAR DE ESTUDOS E PESQUISAS EM DIREITOS HUMANOS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO INTERDISCIPLINAR

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA CASA DE OSWALDO CRUZ

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA CASA DE OSWALDO CRUZ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA CASA DE OSWALDO CRUZ CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PRESERVAÇÃO E GESTÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL DAS CIÊNCIAS E DA SAÚDE CHAMADA PÙBLICA ÁREAS: PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO

Leia mais

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares C M E CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NATAL/RN RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CME Estabelece normas sobre a Estrutura, Funcionamento e Organização do trabalho pedagógico da Educação de Jovens e Adultos nas unidades

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

Catálogo do Curso de Especialização em Educação Ambiental com Ênfase em Espaços Educadores Sustentáveis

Catálogo do Curso de Especialização em Educação Ambiental com Ênfase em Espaços Educadores Sustentáveis Catálogo do Curso de Especialização em Educação Ambiental com Ênfase em Espaços Educadores Sustentáveis 1. Dados Gerais 1. Área Temática: Educação Ambiental 2. Nome do curso: Educação Ambiental com Ênfase

Leia mais

Nossa inserção na Graduação se dá por meio da Unidade Curricular Educação e Comunicação na Prática Médica.

Nossa inserção na Graduação se dá por meio da Unidade Curricular Educação e Comunicação na Prática Médica. Ao longo desses 15 anos o CEDESS congrega atividades de ensino, pesquisa e extensão, nos níveis de graduação e pós-graduação lato e stricto sensu e tem por objeto de estudo o binômio Educação e Saúde.

Leia mais

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Termo de Referência Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico No âmbito do Programa Pernambuco Trabalho e Empreendedorismo da Mulher conveniado

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME)

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) Palmas 2010 1. Apresentação O Núcleo de Apoio Didático e Metodológico NADIME é o órgão da Faculdade Católica do Tocantins responsável pela efetivação da

Leia mais

Formação de Técnicos em Higiene Dental (THD) e de Auxiliares de Consultório Dentário (ACD):

Formação de Técnicos em Higiene Dental (THD) e de Auxiliares de Consultório Dentário (ACD): Formação Técnica Saúde Bucal Formação de Técnicos em Higiene Dental (THD) e de Auxiliares de Consultório Dentário (ACD): O DEGES/SGTES utilizou como dispositivo para desencadear o processo de formação

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011)

RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011) RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011) Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO DE LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL O ensino da língua espanhola no contexto da escola pública INTRODUÇÃO Este plano procura articular-se de forma integrada com o plano de trabalho institucional, que

Leia mais

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE Conselho Universitário - CONSUNI

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE Conselho Universitário - CONSUNI REGULAMENTO DA CLÍNICA ESCOLA E SERVIÇOS DE PSICOLOGIA - CESP Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 11/15 de 08/04/15. CAPÍTULO I DO OBJETIVO DO REGULAMENTO Art. 1º A Clínica Escola de Psicologia é o ambiente

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.755, DE 29 DE JANEIRO DE 2009. Institui a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica,

Leia mais

RESUMO DO PROJETO DO CURSO DE PEDAGOGIA LICENCIATURA

RESUMO DO PROJETO DO CURSO DE PEDAGOGIA LICENCIATURA RESUMO DO PROJETO DO CURSO DE PEDAGOGIA LICENCIATURA MARILDE QUEIROZ GUEDES Diretora do Departamento ANA JOVINA O. VIEIRA DE CARVALHO Coordenadora de Colegiado RODRIGO KORTZ DE MENEZES Secretário do Colegiado

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade MANUAL DE ESTÁGIO Curso de PEDAGOGIA S U M Á R I O 1. Apresentação... 03 2. Proposta de Estágio... 03 3. Aspectos legais... 04 4. Objetivo Geral... 04 5. Campo de Estágio... 05 6. Modalidades de Estágio...

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR NA MODALIDADE PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR NA MODALIDADE PRODUTO TÍTULO DO PROJETO: Consolidação da capacidade institucional com vistas a melhoria dos processos de monitoramento e avaliação dos programas de fomento voltados para a Educação Básica e para o Ensino Superior.

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE NÚCLEOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

IMPLANTAÇÃO DE NÚCLEOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Ministério da Saúde Fundação Oswaldo Cruz Escola Nacional de Saúde Pública Escola de Governo em Saúde Programa de Educação à Distância IMPLANTAÇÃO DE NÚCLEOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Equipe da Coordenação

Leia mais

A EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE E A EDUCAÇÃO POPULAR: UMA REVISÃO DA LITERATURA

A EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE E A EDUCAÇÃO POPULAR: UMA REVISÃO DA LITERATURA A EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE E A EDUCAÇÃO POPULAR: UMA REVISÃO DA LITERATURA Érica Fernanda Nascimento de Souza 1 Renilda Rosa Dias 2 RESUMO O estudo objetivou evidenciar a importância da Educação Popular

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL EIXO: ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E INOVAÇÃO Objetivos Específicos

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO Secretaria de Estado da Educação Estado do Paraná Núcleo Regional de Educação de União da Vitória COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio Rua Presidente Kennedy, 200 Fone: (42) 3552

Leia mais

A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular

A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular Direitos e Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

Pós graduação EAD Área de Educação

Pós graduação EAD Área de Educação Pós graduação EAD Área de Educação Investimento: a partir de R$ 109,00 mensais. Tempo de realização da pós graduação: 15 meses Investimento: R$109,00 (acesso ao portal na internet e livros em PDF). Ou

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.622, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2005. Vide Lei n o 9.394, de 1996 Regulamenta o art. 80 da Lei n o 9.394, de 20 de dezembro

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CENTRO DE ENSINO ATENAS MARANHENSE FACULDADE ATENAS MARANHESE DIRETORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO E DE DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO - NADEP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL SÃO

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

CONSELHO UNIVERSITÁRIO P R O P O S T A D E P A R E C E R CONSELHO UNIVERSITÁRIO PROCESS0 Nº: 007/2014 ASSUNTO: Proposta de texto Construção de Políticas e Práticas de Educação a Distância a ser incluído no Plano de Desenvolvimento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.622, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2005. Vide Lei n o 9.394, de 1996 Regulamenta o art. 80 da Lei n o 9.394, de 20 de dezembro

Leia mais

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO TÍTULO I - APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 1 TÍTULO II - DOS OBJETIVOS...

Leia mais

AUTORES: Edinamar Aparecida Santos da SILVA; Vânia C. MARCELO; Newillames Gonçalves NERY; Jacqueline Rodrigues de LIMA; Maria Goretti QUEIRÓZ.

AUTORES: Edinamar Aparecida Santos da SILVA; Vânia C. MARCELO; Newillames Gonçalves NERY; Jacqueline Rodrigues de LIMA; Maria Goretti QUEIRÓZ. TÍTULO: MESTRADO PROFISSIONAL E A ESTRUTURAÇÃO DA EDUCAÇÃO PERMANENTE EM UMA UNIDADE DE ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE DA FAMÍLIA DE GOIÂNIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA AUTORES: Edinamar Aparecida Santos da SILVA;

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL INTRODUÇÃO O estágio curricular obrigatório é aquele definido

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Ao Ministério da Saúde Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde Departamento de Gestão da Educação na Saúde E-mail: deges@saude.gov.br - prosaude@saude.gov.br CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002

Leia mais

OFICINAS DE REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR REFLEXÕES SOBRE O ENSINO MÉDIO INTEGRADO A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A AÇÃO DOCENTE

OFICINAS DE REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR REFLEXÕES SOBRE O ENSINO MÉDIO INTEGRADO A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A AÇÃO DOCENTE OFICINAS DE REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR REFLEXÕES SOBRE O ENSINO MÉDIO INTEGRADO A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A AÇÃO DOCENTE NASCIMENTO, Elaine Cristina Universidade Tecnológica Federal do Paraná AMORIM, Mário

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

Lei 17505-11 de Janeiro de 2013. Publicado no Diário Oficial nº. 8875 de 11 de Janeiro de 2013

Lei 17505-11 de Janeiro de 2013. Publicado no Diário Oficial nº. 8875 de 11 de Janeiro de 2013 Lei 17505-11 de Janeiro de 2013 Publicado no Diário Oficial nº. 8875 de 11 de Janeiro de 2013 Súmula: Institui a Política Estadual de Educação Ambiental e o Sistema de Educação Ambiental e adota outras

Leia mais

Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. - Assistente Técnico Local -

Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. - Assistente Técnico Local - Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher - Assistente Técnico Local - No âmbito do Programa Pará - Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial de Políticas para

Leia mais

ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO

ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO Andrelisa Goulart de Mello Universidade Federal de Santa Maria andrelaizes@gmail.com Ticiane

Leia mais

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais

MANUAL PROPPG BOLSAS E AUXÍLIOS À PESQUISA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG

MANUAL PROPPG BOLSAS E AUXÍLIOS À PESQUISA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG MANUAL PROPPG BOLSAS E AUXÍLIOS À PESQUISA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 O MANUAL DE APOIO À PESQUISA DA UEMG... 4 3 OS PROGRAMAS... 4 3.1 Programas Financiados

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA Ementário Relações Interpessoais e Ética Profissional Concepções sobre o Processo Inter-relacional no Trabalho; Competência Interpessoal; Qualidade de Vida no

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO GT CAPOEIRA E EDUCAÇÃO

CONTRIBUIÇÕES DO GT CAPOEIRA E EDUCAÇÃO CONTRIBUIÇÕES DO GT CAPOEIRA E EDUCAÇÃO Este documento apresenta os resultados dos debates desenvolvidos pelo Grupo de Trabalho Capoeira e Educação, do 1º Encontro Regional do Programa Nacional de Salvaguarda

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher TERMO DE REFERENCIA Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Supervisão Geral No âmbito do Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial

Leia mais

LEI Nº 1528/2004. A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1528/2004. A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1528/2004 "INSTITUI O SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO DO MUNICÍPIO DE ARAUCÁRIA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS". A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono

Leia mais

Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012)

Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012) Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012) O Ensino de Direitos Humanos da Universidade Federal do

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.622, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2005. Vide Lei n o 9.394, de 1996 Texto compilado Regulamenta o art. 80 da Lei n o 9.394, de

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE TUTORES PARA OS CURSOS DA EAD/ENSP/FIOCRUZ OFERTADOS NO SISTEMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL (UAB/SEED/MEC)

EDITAL PARA SELEÇÃO DE TUTORES PARA OS CURSOS DA EAD/ENSP/FIOCRUZ OFERTADOS NO SISTEMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL (UAB/SEED/MEC) 1 EDITAL PARA SELEÇÃO DE TUTORES PARA OS CURSOS DA EAD/ENSP/FIOCRUZ OFERTADOS NO SISTEMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL (UAB/SEED/MEC) A Educação a Distância da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS. Faculdade Presidente Antônio Carlos De Governador Valadares. Núcleo De Investigação Cientifica e Extensão

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS. Faculdade Presidente Antônio Carlos De Governador Valadares. Núcleo De Investigação Cientifica e Extensão REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E EXTENSÃO NICE Governador Valadares 2011 FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS Faculdade Presidente Antônio Carlos De Governador Valadares Núcleo De Investigação

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 Institui as diretrizes gerais de promoção da saúde do servidor público federal, que visam orientar os órgãos e entidades do Sistema de Pessoal Civil da Administração

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL 1.1. Perfil Comum: Farmacêutico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva.

Leia mais

ESTÁGIO DOCENTE DICIONÁRIO

ESTÁGIO DOCENTE DICIONÁRIO ESTÁGIO DOCENTE Ato educativo supervisionado realizado no contexto do trabalho docente que objetiva a formação de educandos que estejam regularmente frequentando cursos e/ou programas de formação de professores

Leia mais

EDUCAÇÃO EM SERVIÇO, EDUCAÇÃO CONTINUADA, EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE: SINÔNIMOS OU DIFERENTES CONCEPÇÕES?

EDUCAÇÃO EM SERVIÇO, EDUCAÇÃO CONTINUADA, EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE: SINÔNIMOS OU DIFERENTES CONCEPÇÕES? EDUCAÇÃO EM SERVIÇO, EDUCAÇÃO CONTINUADA, EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE: SINÔNIMOS OU DIFERENTES CONCEPÇÕES? Beatriz Francisco Farah E-mail:biafarah@nates.ufjf.br A questão da educação para profissionais

Leia mais

Plano Nacional de Educação

Plano Nacional de Educação A c o n s t r u ç ã o d e m o c r á t i c a d a p o l í t i c a e d u c a c i o n a l Plano Nacional de Educação Sistema Nacional de Educação A c o n s t r u ç ã o d e m o c r á t i c a d a p o l í t i

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. O Presidente

Leia mais

Formação de Formadores

Formação de Formadores REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: Formação de Formadores São Paulo 2012 1 Sumário Título I Da Constituição do Programa... 03 Capítulo I Dos Fins e Objetivos... 03 Capítulo II

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais