VISÃO GERAL DO PROCESSAMENTO DE REGISTRO DE CANDIDATURAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VISÃO GERAL DO PROCESSAMENTO DE REGISTRO DE CANDIDATURAS"

Transcrição

1 VISÃO GERAL DO PROCESSAMENTO DE REGISTRO DE CANDIDATURAS Resolução TSE nº /2015 Secretaria Judiciária -TRE/CE

2 Conceito: Inscrição na Justiça Eleitoral das pessoas escolhidas em convenção partidária para concorrerem a cargos eletivos em uma eleição (Glossário Eleitoral TSE). Procedimento de registro: Rito processual no curso do qual serão aferidas pela Justiça Eleitoral as condições de elegibilidade, bem como eventuais causas de inelegibilidade dos candidatos, deferindo-se ou não o pedido de registro.

3 Fontes Legislativas: Constituição Federal Código Eleitoral ( Lei 4.737/65) Lei dos Partidos Políticos (Lei 9.096/95) Lei das Eleições (Lei 9.504/97) Lei das Inelegibilidades (LC 64/90) Resolução TSE Nº /2015

4 Timeline do Processo Eleitoral Domicílio eleitoral Filiação partidária Convenções partidárias Pedido de registro Coletivo RRCI Propaganda Eleitoral 02/10/ /04/ /07/2016 a 05/08/ /08/ h após o edital 16/08/2016 Registro dos Estatutos partidários Substituição Parcial PC 1º Turno Eleições Diplomação 02/09/ /09/ /09 02/10/ /10/ /11/ /12/2016 Vagas Remanescentes Julgamento Dos Pedidos de registro ZE's - TRE 2º Turno Eleições Prestação de Contas

5 Partidos Políticos: Qual o requisito fundamental para que um determinado partido possa concorrer nas próximas eleições? Res. TSE , Art. 3º. Poderá participar das eleições o partido político que, até 2 de outubro de 2015, tenha registrado seu estatuto no TSE e tenha, até a data da convenção, órgão de direção constituído no município, devidamente anotado no Tribunal Regional Eleitoral competente (Lei nº 9.504/1997, art. 4º; Lei nº 9.096/1995, art. 10, parágrafo único, inciso II; e Res.-TSE nº /2010, arts. 27 e 30).

6 Partidos Políticos: Os partidos são livres para celebrar qualquer tipo de coligação? Res. TSE , Art. 4º.É facultado aos partidos políticos, dentro da mesma circunscrição, celebrar coligações para eleição majoritária, proporcional, ou para ambas, podendo, neste último caso, formar-se mais de uma coligação para a eleição proporcional dentre os partidos que integram a coligação para o pleito majoritário (Lei nº 9.504/1997, art. 6º, caput). Parágrafo único. É vedado aos partidos adversários no pleito majoritário coligarem-se para o pleito proporcional..

7 Coligação Majoritária 1 2 A B C D E F Coligações Proporcionais A B C C D D E 1 A B C D G?

8 Jurisprudência TSE: AG. RG. NO RESPE N / SP ELEIÇÕES AGRAVO REGIMENTAL EM RECURSO ESPECIAL. IMPUGNAÇÃO. REGISTRO DE COLIGAÇÃO PARTIDÁRIA PROPORCIONAL. DRAP. ALEGAÇÃO DE OFENSA AO ART. 60, CAPUT, DA LEI N NÃO OCORRÊNCIA. SÚMULA 83/STJ. DESPROVIMENTO DO AGRAVO. 1. Na linha da jurisprudência desta Corte Superior: "O partido que não celebrou coligação para a eleição majoritária pode celebrar coligação proporcional com partidos que, entre si, tenham formado coligação majoritária" (AgR-REspe n P13, Rei. Ministro ARNALDO VERSIANI, publicado na sessão de ) - caso dos autos. 2. Hipótese em que a questão relacionada ao instituto da verticalização, visando excluir o Partido dos Trabalhadores (PT) dos quadros da coligação Agravada, encontrar-se-ia de qualquer forma preclusa, porque não suscitada nos autos do DRAP da coligação majoritária. 3. Agravo regimental desprovido.

9 Jurisprudência TSE: AG. RG. NO RESPE N / PB Registro. Coligação proporcional. 1. O partido que não celebrou coligação para a eleição majoritária pode celebrar coligação proporcional com partidos que, entre si, tenham formado coligação majoritária. 2. Na resposta à Consulta n , este Tribunal assentou que os partidos que compuserem coligação para a eleição majoritária só poderão formar coligações entre si para a eleição proporcional. Nessa consulta não se tratou da peculiaridade do caso em exame, em que o partido - que não formou nenhuma coligação majoritária - celebrou coligação proporcional com partidos que se coligaram para os cargos majoritários. Agravo regimental a que se nega provimento.

10 Informações importantes sobre coligações Na denominação não podem conter nome ou número de candidato nem pedido de voto para partido político Será representada perante o TRE por representante escolhido dentre os partidos integrantes, ou por até três delegados Terá funcionamento como um só partido perante a Justiça Eleitoral durante todo o período eleitoral Um partido integrante de coligação só poderá atuar isoladamente quando questionar a validade da própria coligação (da data da convenção até o fim do prazo de impugnação do registro) O órgão partidário municipal deverá estar válido na data da convenção

11 Convenções Partidárias Período: 20 de julho a 5 de agosto Destinam-se a: Art. Escolha 39, dos Res. cargos TSE em 23465/2015: que serão lançados As anotações candidatos relativas aos órgãos Formação provisórios de coligações têm validade de 120 (cento e vinte) dias. Fique atento! Quantidade de candidatos e sorteio dos números com que concorrerão Notícia TSE, : O ministro Henrique Neves comunicou, Fixação dos valores na abertura máximos da de gastos sessão por do cargo dia 18/02/16, do (Res. Plenário TSE nº do 23459/2015) Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que a Fique Corte IMPORTANTE: jamais proibiu Ata ou da restringiu Convenção (Art. que 8º, as 1º): convenções partidárias atento! sejam A ata da feitas convenção, por comissões digitada e assinada provisórias em duas das vias, legendas, será encaminhada ou pelo próprio ao Juízo Eleitoral, diretório em ou vinte pela e quatro maneira horas como após a convenção, for estabelecida para: pelo estatuto I - publicação do em partido. cartório (art. 8º da Lei nº 9.504/1997); e II - arquivamento em cartório, para integrar os autos de registro de candidatura,nos termos do parágrafo único do art. 25.

12 Legitimidade para requerer o registro 1. Pedido coletivo (Até ás 19:00 do dia 15 de agosto): Presidente de partido político isolado ou delegado autorizado Representante da Coligação, presidentes dos partidos coligados ou delegados autorizados, maioria dos membros do órgãos de direção municipais 2. Pedido individual: (Até 48h após a publicação do edital de pedido coletivo): Candidato escolhido em convenção, de forma individual (RRCI)

13 Sistema CandEx CAND Módulo Externo Módulo externo do Sistema de Candidaturas, destinado aos partidos políticos e candidatos, que tem como objetivo gerar em mídia (CD/DVD/Pendrive), os dados dos partidos, coligações e candidatos pelos próprios interessados. Arquivos CandEX Utilização obrigatória por partidos/coligações e candidatos Estará disponível na página da Internet do TSE/TRE. O Cartório Eleitoral é responsável pela instrução e suporte do CANDex

14 Condições de Elegibilidade, Inelegibilidades e Condições de Registrabilidade I- Condições de elegibilidade: Constituição Federal, art. 14, 3º. Res , art. 11: 2º A idade mínima constitucionalmente estabelecida como condição de elegibilidade é verificada tendo por referência a data II- Inelegibilidades: posse, salvo quando Constituição fixada Federal, em dezoito art. anos, hipótese em que será aferida no dia 15 de agosto de , 4º a 7º. LC 64/90, art. 1º (Lei nº 9.504/1997, art. 11, 2º, alterado pela Lei nº /2015). III- Condições de Registrabilidade: Requisitos para o registro previstos em resolução do TSE (Ex. Res , art. 27, III, e 10) Fique atento!

15 Documentos necessários para requerer o registro 1. DRAP (Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários): Deve ser digitado e impresso no Candex Assinado pela pessoas autorizadas a representar o partido ou coligação (Art. 23 da Res. TSE /2015) Acompanhado da cópia da ata da convenção, digitada, assinada e acompanhada da lista de presença dos convencionais com as respectivas assinaturas (Art. 25 da Res. TSE /2015) Atentar para preenchimento correto de todos os dados, endereço, número de fax e endereço eletrônico O valor máximo de gastos, que antes constava do DRAP, está previsto na Res. TSE /2015

16 Documentos necessários para requerer o registro 2. RRC (Requerimento de Registro de Candidatura): Deve ser digitado e impresso no Candex e assinado pelo candidato ou por procurador com poderes específicos (Art. 26, caput e parágrafo único, Res ) Atentar para preenchimento correto de todos dos dados (pessoais e da candidatura), endereço, telefones, número de fax e endereço eletrônico

17 Documentos necessários para requerer o registro 2.1 Documentos que acompanham o RRC: Declaração de bens preenchida no CANDEX com os valores atualizados e assinada pelo candidato (ou por procurador) Fotografia deverá ser digitalizada e anexada no CANDEX (161 x 225 pixels) Comprovante de escolaridade na ausência pode ser suprido por certidão de próprio punho ou por outros meios, desde que individual e reservadamente.

18 Documentos necessários para requerer o registro 2.1 Documentos que acompanham o RRC (Cont.): Prova de desincompatibilização exigida para os ocupantes de determinados cargos públicos ou privados com vínculos com a administração pública (Pesquisa disponível em Cópia de documento oficial de identificação Ex: RG, Identidade Funcional, Carteira de Habilitação com foto, Carteira de Trabalho ou Passaporte Propostas dos candidatos a Prefeito uma via impressa e outra digitalizada e anexada ao CANDEX

19 Documentos necessários para requerer o registro 2.1 Documentos que acompanham o RRC (Cont.): IMPORTANTE: a filiação partidária, o domicílio eleitoral e a quitação eleitoral serão aferidos com base nas informações constantes dos bancos de dados da Justiça Eleitoral Quitação eleitoral: Art. 27, 3º, I, Res. TSE : Serão considerados quites aqueles que até a data da formalização do pedido de registro tenham comprovado o pagamento ou o cumprimento regular do parcelamento da dívida. (Art. 11, 8º, Lei 9.504/97) Jurisprudência TSE: RESPE /CE, RESPE /AM

20 Documentos necessários para requerer o registro Quitação eleitoral: Jurisprudência TSE REspe - nº /AM - Acórdão de 26/08/2014 Relator: Min. HENRIQUE NEVES DA SILVA EMENTA: ELEIÇÕES REGISTRO DE CANDIDATURA. DEPUTADO ESTADUAL. CONDIÇÃO DE ELEGIBILIDADE. QUITAÇÃO ELEITORAL. MULTA. PAGAMENTO. 1. O Tribunal Superior Eleitoral, ao editar a Res.-TSE nº para as eleições de 2014, considerou que as modificações no estado de fato e de direito verificadas perante as instâncias ordinárias devem ser analisadas, inclusive para efeito do afastamento do óbice decorrente da ausência de quitação eleitoral proveniente de multa não paga. 2. Ao decidir o registro de candidatura, o Juiz ou Tribunal devem atender às circunstâncias constantes dos autos, considerando os fatos supervenientes que alteram, constituem ou extinguem direitos (LC nº 64/90, art. 7º, parágrafo único, c.c. o art. 462 do CPC). 3. O pagamento da multa decorrente do não comparecimento às urnas realizado pelo candidato antes do julgamento do registro de candidatura afasta a ausência de quitação eleitoral. 4. Recurso provido para deferir o registro da candidatura.

21 Filiação partidária: O que mudou? Art. 12, caput, Res : O candidato deverá estar com a filiação deferida pelo partido até 2 de abril de 2016, podendo o estatuto partidário estabelecer prazo superior (Art. 9º da Lei 9.504/97, Art. 20 da Lei 9.096/95) Janelas partidárias : EC nº 91/2016, de : É facultado ao detentor de mandato eletivo desligar-se do partido pelo qual foi eleito nos trinta dias seguintes à promulgação desta Emenda Constitucional, sem prejuízo do mandato, não sendo essa desfiliação considerada para fins de distribuição dos recursos do Fundo Partidário e de acesso gratuito ao tempo de rádio e televisão. Art. 22-A, III, Lei 9.096/95: Período de 30 dias que antecede o prazo de filiação exigido em lei para concorrer à eleição (2 de março a 2 de abril) para detentores de cargos eletivos proporcionais.

22 Documentos necessários para requerer o registro Certidões que acompanham o RRC: Certidão criminal fornecida pela Justiça Federal de 1ª Instância obtida em Certidão criminal fornecida Justiça Federal de 2ª Instância obtida em Certidão criminal da Justiça Comum Estadual de 1ª Instância para a comarca de Fortaleza pode ser obtida em Certidão criminal fornecida pela Justiça Comum Estadual de 2ª Instância - diretamente no Tribunal de Justiça-CE

23 Documentos necessários para requerer o registro Certidões que acompanham o RRC: Certidão do órgão competente para candidatos que possuem foro por prerrogativa de função: Senador e Deputado Federal STF Governador STJ Vice-governador - TJ e TRF Prefeito TJ e TRF Deputado Estadual, Juiz de Direito e Membro do Ministério Público Estadual TJ OBS.1: Vice-prefeito e Vereador não possuem foro por prerrogativa da função. OBS.2: Em determinados casos, a certidão de foro especial é a mesma certidão de 2º grau da Justiça Comum Estadual ou Federal.

24 Documentos necessários para requerer o registro Mais sobre certidões: Se as certidões criminais forem positivas, o RRC deve vir acompanhado das respectivas certidões de objeto e pé de cada um dos processos Todas as certidões devem vir em uma via impressa e outra digitalizada e anexada ao CANDEX As certidões eleitorais (Filiação partidária, domicílio eleitoral, quitação eleitoral e inexistência de crimes eleitorais) estão dispensadas de ser apresentadas, pois serão obtidas diretamente do Cadastro Eleitoral. Para candidato militar federal é preciso apresentar certidão do Superior Tribunal Militar disponível em

25 Quantitativo de Candidatos Cada Partido ou Coligação pode requerer candidatos até 150% do nº de vagas a preencher para a Câmara dos Vereadores, (art. 20, da Res. TSE nº /15). Nos municípios de até 100 mil eleitores, cada Coligação poderá registrar até 200% do número de vagas Distribuição por Sexo No mínimo 30% e no máximo 70% para cada sexo (art. 20, 2º) O percentual terá como base o número de candidatos efetivamente requeridos (art. 20, 5º) A observância dos percentuais de sexo é condição para o deferimento do DRAP (art. 20, 6º)

26 Edital de Candidaturas Protocolizados e autuados os pedidos de registro de candidaturas, a Justiça eleitoral providenciará, a publicação do edital sobre o pedido de registro para ciência dos interessados (art. 34, Res ). A publicação de edital se dará, preferencialmente, no Diário da Justiça Eletrônico ou no Cartório Eleitoral (Res , art. 34, II). A partir da publicação, passam a correr os seguintes prazos: a) 48h para os candidatos escolhidos em convenção apresentarem o RRCI (art. 34, 2º, I). b) 5 dias para os interessados (Candidatos, Partidos Políticos, Coligações e o Ministério Público Eleitoral) impugnarem o registro (art. 34, 2º, II), ou para apresentação de notícia de inelegibilidade.

27 Edital de Candidaturas 18 de agosto: Último dia para a Justiça Eleitoral enviar à publicação edital dos pedidos coletivos de registro 20 de agosto: Último dia, observado o prazo de 48h da publicação do edital coletivo, para os candidatos escolhidos em convenção solicitarem o RRCI 22 de agosto: Último dia para a Justiça Eleitoral enviar à publicação edital dos pedidos individuais de registro

28 Informação do Candidato (extraída do CAND) Art.36, Res : Encerrado o prazo de impugnação ou, se for o caso, o de contestação, o Cartório Eleitoral informará, para apreciação do Juiz Eleitoral: O Cartório deverá verificar e informar: No DRAP: I - Comprovação da situação jurídica do partido/coligação II - Legitimidade do subscritor do pedido III - Informação sobre o valor máximo de gastos IV - Percentual de candidatos por sexo No RRC: I - Regularidade do preenchimento do RRC II Condições de elegibilidade III - Regularidade da documentação do candidato

29 Substituição de Candidatos - Principais aspectos É facultado ao partido político ou à coligação substituir candidato que tiver seu registro indeferido, inclusive por inelegibilidade, cancelado ou cassado, ou, ainda, que renunciar ou falecer após o termo final do prazo do registro (Lei nº 9.504/1997, art. 13, caput; Lei Complementar nº 64/1990, art. 17; e Código Eleitoral, art. 101, 1º, art. 67, Res ). Prazo para requerer a substituição - Eleições Majoritárias e Proporcionais (NOVO!): - Até 10 dias contados do fato ou da notificação da decisão que deu origem à substituição. - Até 20 dias antes do pleito (12 de setembro) Exceção: falecimento - Após a geração das tabelas p/ UE: o substituto concorre com o nome, o número e a fotografia do substituído - Deve-se observar o percentual mínimo e máximo por sexo

30 Renúncia O ato de renúncia, datado e assinado, deverá ser expresso em documento com firma reconhecida por tabelião ou por duas testemunhas, e o prazo para substituição será contado da publicação da decisão que a homologar. (art. 67, 7º, Res ) O pedido de renúncia deve ser apresentado sempre ao juízo originário, cabendo-lhe comunicar o referido ato à instância em que o processo se encontra (art. 67, 9º, Res )

31 Fluxograma do Processo de Registro de Candidaturas

32 Julgamento Aspectos principais Após o parecer, os autos vão conclusos ao Juiz para julgamento, que terá 3 dias para proferir sentença, com ou sem impugnação. O registro de candidato inelegível ou que não atenda às condições de elegibilidade será indeferido, ainda que não tenha havido impugnação. (art. 45, Res ) A impugnação, a notícia de inelegibilidade, o registro de candidato e as questões relativas à homonímia serão julgados em uma só decisão. (art. 46, Res ) O julgamento do processo principal (DRAP) precederá ao dos processos individuais, devendo o resultado daquele ser certificado nos autos destes. (art. 47, ). O indeferimento do DRAP implicará no indeferimento dos candidatos a ele vinculados (parágrafo único).

33 Julgamento Aspectos principais Enquanto não transitada em julgado a decisão que indeferiu o DRAP o juiz deverá prosseguir com a análise, diligências e julgamento dos RRC's. (art. 48, Res ) Os processos de candidatos a Prefeito e vice deverão ser julgados conjuntamente e o registro da chapa majoritária somente será deferido se ambos os candidatos forem considerados aptos, não podendo este ser deferido sob condição (art. 49, Res ). O trânsito em julgado dos RRC's somente ocorrerá com o trânsito do DRAP (art. 58, Res )

34 Julgamento Aspectos principais Protocolada a petição de recurso eleitoral, passará a correr o prazo de 3 dias para apresentação de contrarrazões, notificado o recorrido em Secretaria (art. 54, Res ) - Mural Eletrônico Todos os pedidos de registro de candidatos, inclusive os impugnados, e os respectivos recursos, devem estar julgados pelas instâncias ordinárias e as respectivas decisões publicadas até o dia 12 de setembro de (art. 57, Res ) NOVO: Art. 16-B, Lei 9.504/97. O disposto no art. 16-A quanto ao direito de participar da campanha eleitoral, inclusive utilizar o horário eleitoral gratuito, aplica-se igualmente ao candidato cujo pedido de registro tenha sido protocolado no prazo legal e ainda não tenha sido apreciado pela Justiça Eleitoral.

35 Boas práticas Recebimento dos registros Dia D : 15/08/2016

36

37 Obrigado! Orleanes Cavalcanti Secretaria Judiciária - TRE/CE Felipe Morais Coordenadoria de Processamento - TRE/CE

REGISTRO DE CANDIDATURA. Eduardo Rangel

REGISTRO DE CANDIDATURA. Eduardo Rangel REGISTRO DE CANDIDATURA Eduardo Rangel 1 Conceito: É a fase inicial do chamado microprocesso eleitoral na qual um partido político ou coligação requer, junto a Justiça Eleitoral, a inscrição de seus candidatos

Leia mais

Resolução Nº , de 15/12/2015 Dispõe sobre a escolha e registro dos candidatos para as eleições 2016.

Resolução Nº , de 15/12/2015 Dispõe sobre a escolha e registro dos candidatos para as eleições 2016. 1 Resolução Nº 23.455, de 15/12/2015 Dispõe sobre a escolha e registro dos candidatos para as eleições 2016. Elaborada já considerando as modificações trazidas pela Lei nº 13.165 de 29/09/2015 (Reforma

Leia mais

Registro de Candidaturas

Registro de Candidaturas Registro de Candidaturas Registro de Candidaturas Legislação: - Código Eleitoral - Lei n. 4.737, de 15/7/1965; - Lei Complementar n. 64, de 18/5/1990; - Lei n. 9.504, de 30/9/1997; - Resolução TSE n. 23.450/2015,

Leia mais

DOMICÍLIO ELEITORAL (art. 11, 2º, Res. TSE nº /15) FILIAÇÃO PARTIDÁRIA (art. 11, 2º, Res. TSE nº /15)

DOMICÍLIO ELEITORAL (art. 11, 2º, Res. TSE nº /15) FILIAÇÃO PARTIDÁRIA (art. 11, 2º, Res. TSE nº /15) Qualquer cidadão pode pretender investidura em cargo eletivo, respeitadas as condições constitucionais e legais de elegibilidade e de incompatibilidade, desde que não incida em quaisquer das causas de

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL 137ª Zona Eleitoral/PE

MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL 137ª Zona Eleitoral/PE RECOMENDAÇÃO Nº 01/2016 PJE/137ªZE O Ministério Público Eleitoral, no exercício de suas atribuições constitucionais e legais conferidas pelos artigos 127, caput, e 129, IX, da Constituição Federal e nos

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS ELEIÇÃO MUNICIPAL 2016

ORIENTAÇÕES GERAIS ELEIÇÃO MUNICIPAL 2016 ORIENTAÇÕES GERAIS ELEIÇÃO MUNICIPAL 2016 Tópico 01: Providências que antecedem a realização das convenções municipais Partido em âmbito municipal: a) constituição de órgão de direção municipal e anotação

Leia mais

ACÓRDÃO PUBLICADO EM SESSÃO NOS TERMOS DO ART. 57 3º DA RESOLUÇÃO TSE PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO DISTRITO FEDERAL

ACÓRDÃO PUBLICADO EM SESSÃO NOS TERMOS DO ART. 57 3º DA RESOLUÇÃO TSE PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO DISTRITO FEDERAL ACÓRDÃO PUBLICADO EM SESSÃO NOS TERMOS DO ART. 57 3º DA RESOLUÇÃO 23.405 TSE PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO DISTRITO FEDERAL ACÓRDÃO Nº 6013 Classe : 38 REGISTRO DE CANDIDATURA Num. Processo

Leia mais

PSDB - ELEIÇÕES 2016

PSDB - ELEIÇÕES 2016 Resolução CEE-PSDB/SC n 284/2016 A DO PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA PSDB, DIRETÓRIO DE SANTA CATARINA, no uso das competências que lhe confere o Estatuto Partidário, com o objetivo de orientar

Leia mais

REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016

REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016 REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016 Dr. Felipe Ferreira Lima Diretor do Instituto Egídio Ferreira Lima 1. Introdução: O debate sobre a Reforma Política no Brasil 2. Registro de Candidatura

Leia mais

GUIA DO CANDIDATO Informações para registro de candidaturas

GUIA DO CANDIDATO Informações para registro de candidaturas ÍNDICE Eleições municipais... 3 Cargos em disputa... 3 Requisitos para participação dos partidos políticos... 3 Requisitos para participação dos candidatos... 3 Condições de elegibilidade... 4 Convenções

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL Promotoria de Justiça da 1ª Zona Eleitoral/MS. RECOMENDAÇÃO Nº 03/2016 PJE/1ª Zona Eleitoral

MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL Promotoria de Justiça da 1ª Zona Eleitoral/MS. RECOMENDAÇÃO Nº 03/2016 PJE/1ª Zona Eleitoral RECOMENDAÇÃO Nº 03/2016 PJE/1ª Zona Eleitoral O MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL, no exercício de suas atribuições constitucionais e legais, na esfera eleitoral, conferidas pelos artigos 127, caput, e 129,

Leia mais

GUIA DO CANDIDATO Informações para Registro de Candidaturas.

GUIA DO CANDIDATO Informações para Registro de Candidaturas. APRESENTAÇÃO Neste ano de 2012, teremos Eleições em todos os municípios do nosso país. As regras para escolha e registro de candidatos estão contidas na Lei nº 9.504/97 e também na Resolução nº 23.373/2011/TSE,

Leia mais

SÚMULAS DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SÚMULA Nº 01

SÚMULAS DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SÚMULA Nº 01 SÚMULAS DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SÚMULA Nº 01 Proposta a ação para desconstituir a decisão que rejeitou as contas, anteriormente à impugnação, fica suspensa a inelegibilidade (Lei Complementar nº

Leia mais

Catalogação na Publicação (CIP)

Catalogação na Publicação (CIP) GUIA AOS ELEITORES Catalogação na Publicação (CIP) P221 Pará. Ministério Público. Guia aos eleitores: Perguntas e respostas sobre as eleições municipais de 2016 / Elaboração e Organização de José Edvaldo

Leia mais

Dispõe sobre a escolha e registro de candidatos nas eleições de 2016

Dispõe sobre a escolha e registro de candidatos nas eleições de 2016 Dispõe sobre a escolha e registro de candidatos nas eleições de 2016 Possuir domicílio eleitoral na respectiva circunscrição; Estar com sua filiação deferida, até o dia 02 de abril de 2016, em qualquer

Leia mais

GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016

GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016 GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016 Modelos de EDITAL DE CONVOCAÇÃO CÉDULA DE VOTAÇÃO ATA DA CONVENÇÃO PALAVRA DO PRESIDENTE Prezados filiados do PSD Pará, O PSD está cada vez mais forte e unido em todo

Leia mais

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/2010 - DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL Art. 1º - Este Regulamento fixa normas para eleição da Diretoria Executiva e Conselho Fiscal da, de

Leia mais

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS 1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS DIREITOS POLÍTICOS e REGIME DEMOCRÁTICO O REGIME DEMOCRÁTICO como princípio:

Leia mais

Ano 2015, Número 242 Brasília, quarta-feira, 23 de dezembro de 2015 Página 7

Ano 2015, Número 242 Brasília, quarta-feira, 23 de dezembro de 2015 Página 7 Ano 2015, Número 242 Brasília, quarta-feira, 23 de dezembro de 2015 Página 7 Preparação e Receptor de arquivos. Art. 6º Alterar a redação do item 10 do dia 2 de outubro domingo, nos seguintes termos: 10.

Leia mais

LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE Estabelece normas para as eleições.

LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE Estabelece normas para as eleições. LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997. Estabelece normas para as eleições. O grande mérito desta lei é o de, a princípio, tornar permanentes as regras para todas as eleições,pois, até sua edição, o que

Leia mais

2012/ Ao presidente do partido e ao juiz eleitoral

2012/ Ao presidente do partido e ao juiz eleitoral 2012/2014 2016 20/07 a 05/08 Data das Convenções Partidárias 10/06 a 30/06 (Art. 8º da Lei nº. 9.504/97 e 93, 2º da Lei 4.737/65) Prazo de filiação partidária Comunicação de desfiliação partidária Janela

Leia mais

Provimento Nº 172/2016

Provimento Nº 172/2016 Provimento Nº 172/2016 Altera o art. 5º do Provimento n. 91/2000, o inciso "g" do art. 2º e o 3º do art. 3º do Provimento n. 94/2000, o parágrafo único do art. 2º, o caput do art. 3º e o 5º do art. 4º

Leia mais

MANUAL DE CONVENÇÕES E DE REGISTRO DE CANDIDATOS

MANUAL DE CONVENÇÕES E DE REGISTRO DE CANDIDATOS TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO ESTADO DE SÃO PAULO MANUAL DE CONVENÇÕES E DE REGISTRO DE CANDIDATOS Secretaria Judiciária Coordenadoria da Gestão de Documentação O presente manual tem por objetivo orientar

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016 ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016 1. PRAZOS ELEITORAIS PARA OS PARTIDOS: 1.1 ESCOLHA DOS CANDIDATOS: 20.07.2016 a 05.08.2016 (Lei nº 9.504/1997, art. 8º, caput); 1.2 REGISTRO DE CANDIDATURA:

Leia mais

I. DOCUMENTOS INDIVIDUAIS A SEREM ENTREGUES PELOS INTEGRANTES DA CHAPA

I. DOCUMENTOS INDIVIDUAIS A SEREM ENTREGUES PELOS INTEGRANTES DA CHAPA INSCRIÇÃO DE CHAPAS A Resolução CFN 564/2015 determina os procedimentos necessários para efetivar o registro de chapas. Com o intuito de facilitar a interpretação dos dispositivos legais pertinentes, a

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DA ELEIÇÃO EXTRAORDINÁRIA PARA A DIRETORIA DE PLANEJAMENTO DIPLA

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DA ELEIÇÃO EXTRAORDINÁRIA PARA A DIRETORIA DE PLANEJAMENTO DIPLA EDITAL DE CONVOCAÇÃO DA ELEIÇÃO EXTRAORDINÁRIA PARA A DIRETORIA DE PLANEJAMENTO DIPLA DO PROCESSO ELEITORAL Art. 1º No período de 26/08/2016 a 15/09/2016 será realizado processo de consulta aos participantes

Leia mais

EDITAL DE ELEIÇÃO 001/2016

EDITAL DE ELEIÇÃO 001/2016 EDITAL DE ELEIÇÃO 001/2016 Convoca Eleição para a Presidência do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Santa Maria da Vitória, Bahia. A Presidente do CAPREVAS Instituto de Previdência

Leia mais

Prof. Renato Ribeiro de Almeida

Prof. Renato Ribeiro de Almeida AULA 1: LEI DA FICHA LIMPA, INELEGIBILIDADES E AÇÃO DE IMPUGNAÇÃO AO REGISTRO DE CANDIDATURA Prof. Renato Ribeiro de Almeida Professor de Direito Constitucional e Direito Eleitoral da Universidade Anhembi

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA REGULAMENTO DA ELEIÇÃO PARA CARGOS DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL Em atendimento

Leia mais

JUSTIÇA ELEITORAL. MANUAL DO MÓDULO EXTERNO DO SISTEMA DE CANDIDATURAS - CANDex ELEIÇÕES 2012

JUSTIÇA ELEITORAL. MANUAL DO MÓDULO EXTERNO DO SISTEMA DE CANDIDATURAS - CANDex ELEIÇÕES 2012 JUSTIÇA ELEITORAL MANUAL DO MÓDULO EXTERNO DO SISTEMA DE CANDIDATURAS - CANDex ELEIÇÕES 2012 GT-CAND TSE Material disponível em http://www.tse.jus.br - 1 - 1. INSTALAÇÃO DO CANDEX... 4 1.1. ONDE OBTER...

Leia mais

JUSTIÇA ELEITORAL. MANUAL DO MÓDULO EXTERNO DO SISTEMA DE CANDIDATURAS - CANDex ELEIÇÕES 2010

JUSTIÇA ELEITORAL. MANUAL DO MÓDULO EXTERNO DO SISTEMA DE CANDIDATURAS - CANDex ELEIÇÕES 2010 JUSTIÇA ELEITORAL MANUAL DO MÓDULO EXTERNO DO SISTEMA DE CANDIDATURAS - CANDex ELEIÇÕES 2010 Abril 2010 GESCAPE TSE Material disponível em http://www.tse.jus.br 1 SUMARIO 1. INSTALAÇÃO DO CANDEX... 3 1.1.

Leia mais

PROCESSO LICITATÓRIO N /2012 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2012

PROCESSO LICITATÓRIO N /2012 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2012 PROCESSO LICITATÓRIO N 120.362/2012 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2012 O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Santa Catarina CREA/SC, entidade fiscalizadora do exercício profissional dotada

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL. Ano PARA CONSELHO DELIBERATIVO CAPÍTULO I DA FINALIDADE

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL. Ano PARA CONSELHO DELIBERATIVO CAPÍTULO I DA FINALIDADE REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL Ano PARA CONSELHO DELIBERATIVO CAPÍTULO I DA FINALIDADE Artigo 1º - Em observância ao que determina o Estatuto Social da ONG Moradia e Cidadania, o Conselho Deliberativo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Centro de Ciências Naturais e Humanas Av. dos Estados, 5001 Bairro Bangu Santo André - SP CEP 09210-580 Fone: (11) 4996.7960 secretariaccnh@ufabc.edu.br

Leia mais

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL PROCESSO: RE 71-78.2016.6.21.0056 PROCEDÊNCIA: TABAÍ RECORRENTE: AIRTON LOPES DE SOUZA RECORRIDA: JUSTIÇA ELEITORAL -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Goias

Tribunal Regional Eleitoral de Goias FLS. THE-GO GBJ-2 Tribunal Regional Eleitoral de Goias REGISTRO DE CANDIDATURA N. 37362220106090000 - CLASSE 38 - PROTOCOLO N. 279592010 - GOIANIA. RELATOR: JUIZ MARCO ANTONIO CALDAS REQUERENTE: COLIGACAO

Leia mais

Eleições municipais Reforma eleitoral Principais mudanças Dr. JOSÉ ANTONIO ROSA

Eleições municipais Reforma eleitoral Principais mudanças Dr. JOSÉ ANTONIO ROSA Eleições municipais 2016 Reforma eleitoral Principais mudanças Dr. JOSÉ ANTONIO ROSA OBJETIVOS DA REFORMA A reforma eleitoral Lei. N.º 13.165/2015, alterou substancialmente a Lei 9.504/97- Lei Eleitoral,

Leia mais

PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE )

PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE ) PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE 18.04.2016) Altera a Portaria nº 02, de 22 de fevereiro de 2013 e dá outras providências. O SECRETÁRIO DE RELAÇÕES DO TRABALHO, no uso das atribuições que

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARARAS. Secretaria Municipal de Administração Coordenadoria de Compras Telefone: REPUBLICADO

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARARAS. Secretaria Municipal de Administração Coordenadoria de Compras Telefone: REPUBLICADO REPUBLICADO EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2010 PREÂMBULO Interessado: Secretaria Municipal de Comunicação Social e Institucional. Referência: Chamamento nº. 001/2010. Objeto resumido: Inscrição de

Leia mais

UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO- BRASILEIRA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO- BRASILEIRA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO- BRASILEIRA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE EDITAL N o 01/2016 - CONSULTA A COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA PARA ESCOLHA DO COORDENADOR DO CURSO DE ENFERMAGEM

Leia mais

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS 01 Vereador: Papel Constitucional e Sistema de Eleição Juiz JAILSOM LEANDRO DE SOUSA 02 Quem é o vereador? O Vereador é o Membro do Poder Legislativo Municipal. 03 Qual é o papel do Vereador? O papel do

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS ELEIÇÕES CASSI 2014

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS ELEIÇÕES CASSI 2014 EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS ELEIÇÕES CASSI 2014 Artigo 1º No período de 09.04.2014 a 22.04.2014 será realizado processo de consulta ao Corpo Social da CASSI para eleição de representantes dos associados em

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MATO GROSSO

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MATO GROSSO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MATO GROSSO PROVIMENTO Nº 12/2012 Expede instruções sobre a atualização da situação dos eleitores portadores de necessidades especiais no Cadastro Nacional de Eleitores e

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016 O CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO do município de Areal, no âmbito de ação e conforme preceitua sua Lei de Criação

Leia mais

REGIMENTO ELEITORAL DO SAERGS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA E CONSELHO FISCAL

REGIMENTO ELEITORAL DO SAERGS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA E CONSELHO FISCAL REGIMENTO ELEITORAL DO SAERGS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA E CONSELHO FISCAL I DA ELEIÇÃO Art. 1º - A eleição da Diretoria e do Conselho Fiscal do Sindicato dos Arquitetos no Estado do Rio Grande do Sul SAERGS

Leia mais

Comissão Permanente de Licitação EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO CPL/CMP Nº 01/2011

Comissão Permanente de Licitação EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO CPL/CMP Nº 01/2011 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO CPL/CMP Nº 01/2011 Assunto: Inscrição de profissionais formados em comunicação, publicidade ou marketing com o intuito de constituir subcomissão técnica para as contratações

Leia mais

COORDENADORIA ESTADUAL DOS CONSELHOS COMUNITÁRIOS DE SEGURANÇA PORTARIA CONSEG N.º 01/2014

COORDENADORIA ESTADUAL DOS CONSELHOS COMUNITÁRIOS DE SEGURANÇA PORTARIA CONSEG N.º 01/2014 COORDENADORIA ESTADUAL DOS CONSELHOS COMUNITÁRIOS DE SEGURANÇA PORTARIA CONSEG N.º 01/2014 Define as Normas e Procedimentos que regerão o calendário e o processo eleitoral dos Conselhos Comunitários de

Leia mais

EDITAL DE MATRÍCULA Nº 01/2016

EDITAL DE MATRÍCULA Nº 01/2016 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO DIRETORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃ DE ENSINO SECRETARIA

Leia mais

EDITAL Nº 001/2014 COMISSÃO ELEITORAL DO DIRETÓRIO LIVRE DO DIREITO CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO 2014

EDITAL Nº 001/2014 COMISSÃO ELEITORAL DO DIRETÓRIO LIVRE DO DIREITO CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO 2014 EDITAL Nº 001/2014 COMISSÃO ELEITORAL DO DIRETÓRIO LIVRE DO DIREITO CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO 2014 A Comissão Eleitoral Discente do Curso de Direito da UFSM, composta nos termos do art. 45 e do Estatuto

Leia mais

RECURSO ORDINÁRIO. Recurso Ordinário

RECURSO ORDINÁRIO. Recurso Ordinário RECURSO ORDINÁRIO Conceito: Os recursos ordinários são os recursos cabíveis para impugnar decisões havidas nos casos previstos no art. 1.027 do CPC. Apesar de serem julgados pelo Supremo Tribunal Federal

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ACÓRDÃO. REGISTRO DE CANDIDATURA n CLASSE N 38 SÃO PAULO SÃO PAULO

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ACÓRDÃO. REGISTRO DE CANDIDATURA n CLASSE N 38 SÃO PAULO SÃO PAULO PUBLICADO EM SESSÃO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ACÓRDÃO REGISTRO DE CANDIDATURA n 3761-22.2014.6.26.0000 CLASSE N 38 SÃO PAULO SÃO PAULO Eleições de 5 de outubro de 2014 REQUERENTE(S): LUIZ

Leia mais

EDITAL Nº 01/2016-GDG-CPPD PROCESSO ELEITORAL DA COMISSÃO PERMANENTE DE PESSOAL DOCENTE (CPPD) DO INSTITUTO FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS CEDRO.

EDITAL Nº 01/2016-GDG-CPPD PROCESSO ELEITORAL DA COMISSÃO PERMANENTE DE PESSOAL DOCENTE (CPPD) DO INSTITUTO FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS CEDRO. EDITAL Nº 01/2016-GDG-CPPD PROCESSO ELEITORAL DA COMISSÃO PERMANENTE DE PESSOAL DOCENTE (CPPD) DO INSTITUTO FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS CEDRO. A presidência da Junta Eleitoral no uso das atribuições concedidas

Leia mais

EDITAL COMPLETO PROCESSO SELETIVO PROGRAMA MULHERES MIL

EDITAL COMPLETO PROCESSO SELETIVO PROGRAMA MULHERES MIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS VITÓRIA Avenida Vitória, 1729 Jucutuquara 29040-780 Vitória ES 27 3331-2110 EDITAL COMPLETO PROCESSO SELETIVO 30 2013 PROGRAMA MULHERES

Leia mais

Passo a Passo CANDex. Secretaria Judiciária e Gestão da Informação Coordenadoria de Registros Processuais Secretaria de Tecnologia da Informação

Passo a Passo CANDex. Secretaria Judiciária e Gestão da Informação Coordenadoria de Registros Processuais Secretaria de Tecnologia da Informação Passo a Passo CANDex Secretaria Judiciária e Gestão da Informação Coordenadoria de Registros Processuais Secretaria de Tecnologia da Informação Sistema CandEx CAND Módulo Externo Módulo externo do Sistema

Leia mais

JUSTIFICATIVA ELEITORAL PARA OS ELEITORES RESIDENTES NO EXTERIOR ELEIÇÃO /2010

JUSTIFICATIVA ELEITORAL PARA OS ELEITORES RESIDENTES NO EXTERIOR ELEIÇÃO /2010 JUSTIFICATIVA ELEITORAL PARA OS ELEITORES RESIDENTES NO EXTERIOR ELEIÇÃO /2010 A Eleição de 2010 acontecerá nos dias: 3 de outubro de 2010 1º turno 31 de outubro de 2010 2º turno, SE HOUVER PARA QUEM AINDA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO

PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO Processo: 159-30.2016.6.09.0031 Candidato a Prefeito: GILDA ALVES DE OLIVEIRA NAVES Processo: 160-15.2016.6.09.0031 (Apenso) Candidato a Vice-Prefeito: ALBA STEFÂNIA SILVA Requerente: Coligação Unidos

Leia mais

Governo do Estado da Paraíba Secretaria de Estado do Turismo e do Desenvolvimento Econômico da Paraíba Programa de Artesanato da Paraíba

Governo do Estado da Paraíba Secretaria de Estado do Turismo e do Desenvolvimento Econômico da Paraíba Programa de Artesanato da Paraíba Governo do Estado da Paraíba Secretaria de Estado do Turismo e do Desenvolvimento Econômico da Paraíba Programa de Artesanato da Paraíba EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO 02/2016. CADASTRAR EXPOSITORES PARA

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MINAS GERAIS

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MINAS GERAIS TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MINAS GERAIS Recurso Eleitoral 157-42.2012.6.13.0014 Procedência: 14ª Zona de Andrelândia (Município de Bom Jardim de Minas) Recorrente: Ministério Público Eleitoral Recorrido:

Leia mais

PORTARIA Nº 077/2013-GS/SEMUT NATAL(RN), 25 DE NOVEMBRO DE 2013.

PORTARIA Nº 077/2013-GS/SEMUT NATAL(RN), 25 DE NOVEMBRO DE 2013. Publicado no DOM Nº 2655 de 27/11/2013 PORTARIA Nº 077/2013-GS/SEMUT NATAL(RN), 25 DE NOVEMBRO DE 2013. Disciplina o procedimento de indeferimento de opção e de exclusão de ofício ao Regime Especial Unificado

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE ARATIBA. Rua Luis Loeser, 287 Centro Fone: (54) CNPJ

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE ARATIBA. Rua Luis Loeser, 287 Centro Fone: (54) CNPJ Edital nº004/2016 ABRE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE ENFERMEIRA (O) PARA ATUAÇÃO JUNTO A SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA PSF O Município de Aratiba, Estado

Leia mais

REGISTRO DE CANDIDATO

REGISTRO DE CANDIDATO LEGISLAÇÃO APLICÁVEL - Constituição Federal - Código Eleitoral (Lei n. 4737/65) - Lei n. 9.504/97 (Lei das Eleições) - Lei Complementar n. 64/90 (Lei das Inelegibilidades) DISPOSIÇÕES GERAIS REGISTRO DE

Leia mais

Inst nº 129 (38867-44.2009.6.00.0000)/DF. 20 1º Na ausência dos representantes dos partidos políticos e coligações, a Comissão de Votação Paralela providenciará o preenchimento das cédulas por terceiros,

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA Resolução nº 1.780, de 26 de maio de 2007. Aprova o calendário e o modelo de cédula para as eleições - 2007 do Sistema COFECON/CORECONs. O CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA, no uso das atribuições legais e

Leia mais

EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014

EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014 EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014 O Diretor da Faculdade de Tecnologia de São Roque no uso de suas atribuições legais torna público que estão abertas as inscrições para participação

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL Art. 1º. O presente edital tem como finalidade gerir as eleições para a gestão 2016/2017 do Grêmio Estudantil do IFTM

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Centro de Matemática, Computação e Cognição Divisão Acadêmica Avenida dos Estados, 5001 Bairro Santa Terezinha Santo André CEP 09210-580 Fone:

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº XX.XXX. INSTRUÇÃO Nº XXX - CLASSE XXª - DISTRITO FEDERAL (Brasília).

RESOLUÇÃO Nº XX.XXX. INSTRUÇÃO Nº XXX - CLASSE XXª - DISTRITO FEDERAL (Brasília). RESOLUÇÃO Nº XX.XXX INSTRUÇÃO Nº XXX - CLASSE XXª - DISTRITO FEDERAL (Brasília). Relator: Ministro Arnaldo Versiani. Dispõe sobre o voto em trânsito na eleição presidencial de 2010. O Tribunal Superior

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DA IES

IDENTIFICAÇÃO DA IES EDITAL Nº 01/2011 IDENTIFICAÇÃO DA IES A União das Escolas Superiores Campomaiorenses NOVAUNESC, pessoa jurídica de direito privado, registrada no Cartório do 2º tabelionato de notas e Registro de Imóveis

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL OFÍCIO- Nº 005/2012 COMISSÃO ELEITORAL/UFAC Ao Senhor Eduardo Henrique de Almeida Aguiar Procurador da República Av. Epaminondas Jacome, nº 3017, Centro NC

Leia mais

EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 01/2016 DE 01 DE JUNHO DE REMANEJAMENTO ENTRE FATEC s

EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 01/2016 DE 01 DE JUNHO DE REMANEJAMENTO ENTRE FATEC s EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 01/2016 DE 01 DE JUNHO DE 2016. REMANEJAMENTO ENTRE FATEC s O Diretor da, no uso de suas atribuições legais, faz saber que serão abertas as inscrições para participação

Leia mais

RESOLUÇÃO N CONSULTA. DEPUTADO FEDERAL. Consulta de que se conhece e, no mérito, a que se responde positivamente.

RESOLUÇÃO N CONSULTA. DEPUTADO FEDERAL. Consulta de que se conhece e, no mérito, a que se responde positivamente. TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO N 22.844 CONSULTA N 1.592 - CLASSE 10 a - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Ari Pargendler. Consulente: Joaquim Beltrão Siqueira, deputado federal. CONSULTA.

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01/2017

EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01/2017 1 EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01/2017 O Diretor Clínico do Hospital das Clínicas Samuel Libânio - HCSL faz saber aos membros do Corpo Clínico desta Instituição que estão abertas as inscrições para as eleições

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO DE JUIZ SUBSTITUTO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO DE JUIZ SUBSTITUTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO DE JUIZ SUBSTITUTO EDITAL Nº 16/2016 DE RETIFICAÇÃO O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE, tendo

Leia mais

EDITAL. PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS PARA 2017 Do 2º ao 9º ano do Ensino Fundamental e 1ª e 2ª série do Ensino Médio

EDITAL. PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS PARA 2017 Do 2º ao 9º ano do Ensino Fundamental e 1ª e 2ª série do Ensino Médio EDITAL PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS PARA 2017 Do 2º ao 9º ano do Ensino Fundamental e 1ª e 2ª série do Ensino Médio O Diretor Geral do Colégio Santo Inácio, no uso de suas atribuições regimentais

Leia mais

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1 DIREITOS POLÍTICOS Prof. Fábio Ramos prof.fabioramos@hotmail.com Conjunto de normas que disciplinam as formas de exercício da soberania popular. Princípio da Soberania Popular: Art. 1º, par. único: Todo

Leia mais

EDITAL Nº 04/2015 MATRÍCULA 2015 CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO EM AGROPECUÁRIA, ZOOTECNIA E ALIMENTOS

EDITAL Nº 04/2015 MATRÍCULA 2015 CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO EM AGROPECUÁRIA, ZOOTECNIA E ALIMENTOS 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 013, DE 05 DE SETEMBRO DE 2016

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 013, DE 05 DE SETEMBRO DE 2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 013, DE 05 DE SETEMBRO DE 2016 Dispõe sobre o Regulamento do processo de consulta à comunidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO EDITAL COMPLETO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO VAGAS REMANESCENTES DO PS OFERTA DE VAGAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO EDITAL COMPLETO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO VAGAS REMANESCENTES DO PS OFERTA DE VAGAS EDITAL COMPLETO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO 16 2016 VAGAS REMANESCENTES DO PS 10 2016 OFERTA DE VAGAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM LICENCIATURA EM MATEMÁTICA E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Campus do Ifes ofertante

Leia mais

A propaganda eleitoral no rádio e na televisão restringe-se ao horário gratuito definido na Lei 9.504/97, vedada a veiculação de propaganda paga.

A propaganda eleitoral no rádio e na televisão restringe-se ao horário gratuito definido na Lei 9.504/97, vedada a veiculação de propaganda paga. A propaganda eleitoral no rádio e na televisão restringe-se ao horário gratuito definido na Lei 9.504/97, vedada a veiculação de propaganda paga. Ocorrerá a veiculação apenas nos Municípios em que houver

Leia mais

Eleições 2015 SINTSAMA-RJ. 1) Regimento eleitoral. 2) Ficha de inscrição e qualificação do candidato. 3) Declartação do candidato

Eleições 2015 SINTSAMA-RJ. 1) Regimento eleitoral. 2) Ficha de inscrição e qualificação do candidato. 3) Declartação do candidato Eleições 2015 SINTSAMA-RJ 1) Regimento eleitoral 2) Ficha de inscrição e qualificação do candidato 3) Declartação do candidato REGIMENTO ELEITORAL DAS ELEIÇÕES DO SINTSAMA-RJ PARA O QUADRIÊNIO 2015/2019

Leia mais

TEMAS STF DIREITO ELEITORAL

TEMAS STF DIREITO ELEITORAL 61 RE-568596 Elegibilidade de ex-cônjuge de ocupante de cargo político quando a dissolução da sociedade conjugal se dá durante o exercício do mandato. TEMAS STF DIREITO ELEITORAL EMENTA: CONSTITUCIONAL.

Leia mais

ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015

ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 Dispõe sobre a criação de Acervos Técnicos de Pessoas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS DA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS DA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS EDITAL PNAP Nº01/2015 DA DIRETORIA DA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS A DIRETORA DA FACULDADE

Leia mais

Carta de Serviços aos Cidadãos. Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul

Carta de Serviços aos Cidadãos. Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul Carta de Serviços aos Cidadãos Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul Missão Garantir a legitimidade do processo eleitoral. Visão Consolidar a credibilidade da Justiça Eleitoral, especialmente

Leia mais

Resolução nº 03, de 2 de setembro de REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES

Resolução nº 03, de 2 de setembro de REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES Resolução nº 03, de 2 de setembro de 2010. REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES Dispõe sobre o processo eleitoral de votação para Presidente, Vice Presidente e Colégio de Sócios da gestão 2010/2012, de 30 de setembro

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº , DE 11 DE FEVEREIRO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº , DE 11 DE FEVEREIRO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 23.207, DE 11 DE FEVEREIRO DE 2010 INSTRUÇÃO Nº 13-44.2010.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Arnaldo Versiani. Interessado: Tribunal Superior Eleitoral. Dispõe

Leia mais

Índice Assunto Página Legislação Eleitoral Requisitos do Partido / Convenções Partidárias Coligações Abertura de Conta Bancária

Índice Assunto Página Legislação Eleitoral Requisitos do Partido / Convenções Partidárias Coligações Abertura de Conta Bancária Índice Assunto Página Legislação Eleitoral 3 Requisitos do Partido / Convenções Partidárias 3 Coligações 4 Abertura de Conta Bancária 6 Quantidade de Candidatos 6 Vagas Remanescentes / Preenchimento de

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LEME SECRETARIA DA CULTURA E TURISMO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LEME SECRETARIA DA CULTURA E TURISMO REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL QUE IRÃO COMPOR O CONSELHO MUNICIPAL DE POLITICA CULTURAL. 1. DAS INSCRIÇÕES 1.1. Poderá se inscrever para participar do processo eleitoral,

Leia mais

2- DO CONSELHO SUPERIOR DA FAPEAL E SEUS CONSELHEIROS

2- DO CONSELHO SUPERIOR DA FAPEAL E SEUS CONSELHEIROS EDITAL FAPEAL no. 05/2015 - Eleição de lista tríplice para preenchimento de vaga de membro do Conselho Superior da FAPEAL. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas FAPEAL, por intermédio do

Leia mais

EDITAL Nº 06/2016 Diretoria Geral

EDITAL Nº 06/2016 Diretoria Geral SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS CABEDELO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE OPERADOR DE BENEFICIAMENTO

Leia mais

Resolução Nº /2010, DE DE DE 2010.

Resolução Nº /2010, DE DE DE 2010. Resolução Nº /2010, DE DE DE 2010. Regulamenta os processos de efetivação, renovação, trancamento, cancelamento da matrícula e reingresso, para alunos dos cursos técnicos de nível médio e cursos superiores,

Leia mais

EDITAL Nº 01/2015 DIRETORIA CAMPUS I

EDITAL Nº 01/2015 DIRETORIA CAMPUS I ESTADO DE ALAGOAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS UNEAL COMISSÃO ELEITORAL ELEIÇÃO DE GERENTE DE NÚCLEO E VICE-GERENTE DE NÚCLEO DO CURSO DE GRADUAÇÃO Rua Governador Luiz Cavalcanti S/N CEP 57312-270

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO, DESTINADO À CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR Nº 2016/1.2

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO, DESTINADO À CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR Nº 2016/1.2 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO, DESTINADO À CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR Nº 2016/1.2 O Grupo Kroton de São Luís torna público, para conhecimento dos interessados, os procedimentos e normas que regulamentam a

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010.

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. EMENTA: Regulamenta a concessão e o pagamento de auxílio funeral no

Leia mais

Processo Seletivo

Processo Seletivo Processo Seletivo 2010.1 Inscrições As inscrições para o Processo Seletivo 2010.1 da FAESF poderão ser feitas no período de 01 de Outubro a 20 de Novembro de 2009, pelo endereço eletrônico www.faesfpi.com.br

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) ELEITORAL RELATOR(A) EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) ELEITORAL RELATOR(A) EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) ELEITORAL RELATOR(A) EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL Recurso Eleitoral n.º 157-09.2016.6.21.0037 Procedência: RIO GRANDE-RS (37ª ZONA ELEITORAL

Leia mais

FERNANDO BORGES - A.P.D.N. LTDA - Administradora Judicial

FERNANDO BORGES - A.P.D.N. LTDA - Administradora Judicial RECUPERAÇÃO JUDICIAL 6ª VARA CÍVEL DO FORO DA COMARCA DE BAURU SP PROCESSO Nº 1026709-17.2015.8.26.0071 LUMARCO PARTICIPAÇÕES LTDA. TILIFORM INDÚSTRIA GRÁFICA LTDA. TILIFORM EMBALAGENS FLEXÍVEIS LTDA.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O presente Regulamento tem por objetivo definir as normas que

Leia mais

ATA DE REFORMA DO REGULAMENTO ELEITORAL DO SINDICATO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CNPJ: /

ATA DE REFORMA DO REGULAMENTO ELEITORAL DO SINDICATO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CNPJ: / ATA DE REFORMA DO REGULAMENTO ELEITORAL DO SINDICATO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CNPJ: 03.188.858/0001-10 Aos vinte e nove dias do mês de janeiro do ano de dois mil e quinze, conforme

Leia mais

EDITAL E REGIMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DAS ELEIÇÕES

EDITAL E REGIMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DAS ELEIÇÕES UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CAMPUS BINACIONAL OIAPOQUE CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM EDITAL Nº 01/2016 CCEN/UNIFAP EDITAL E REGIMENTO ELEITORAL A Comissão Eleitoral, constituída na reunião de colegiado

Leia mais