LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE Estabelece normas para as eleições.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE Estabelece normas para as eleições."

Transcrição

1 LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE Estabelece normas para as eleições.

2 O grande mérito desta lei é o de, a princípio, tornar permanentes as regras para todas as eleições,pois, até sua edição, o que se tinha era uma norma diferente estabelecendo regras diferentes a cada pleito, atendendo, obviamente, aos interesses de quem ora ocupava o poder. Dissemos a princípio porque esta lei vem sofrendo alterações ao longo do tempo. Contudo, não devemos entender estas modificações como a imposição de fórmulas eleitorais novas, e sim o aperfeiçoamento daquelas originalmente elaboradas.

3 Art 1º, Lei 9.504/97 - As eleições para Presidente e Vice-Presidente da República, Governador e Vice-Governador de Estado e do Distrito Federal, Prefeito e Vice-Prefeito, Senador, Deputado Federal, Deputado Estadual, Deputado Distrital e Vereador dar-se-ão, em todo o País, no primeiro domingo de outubro do ano respectivo.

4 Art. 1º, parágrafo único, Lei 9.504/97 - Serão realizadas simultaneamente as eleições: I - para Presidente e Vice-Presidente da República, Governador e Vice-Governador de Estado e do Distrito Federal, Senador, Deputado Federal, Deputado Estadual e Deputado Distrital; II - para Prefeito, Vice-Prefeito e Vereador

5 Este dispositivo estabelece a realização de dois tipos de eleições: 1) As eleições gerais para Presidente e Vice- Presidente da República, Governador e Vice- Governador de Estado e do Distrito Federal, Senador, Deputado Federal, Deputado Estadual e Deputado Distrital; e 2) as eleições municipais para Prefeito, Vice- Prefeito e Vereador.

6 Art. 2º, Lei 9.504/97 - Será considerado eleito o candidato a Presidente ou a Governador que obtiver a maioria absoluta de votos, não computados os em branco e os nulos. 1º - Se nenhum candidato alcançar maioria absoluta na primeira votação, far-se-á nova eleição no último domingo de outubro, concorrendo os dois candidatos mais votados, e considerando-se eleito o que obtiver a maioria dos votos válidos.

7 Tem-se aqui a adoção do sistema majoritário de maioria absoluta e, consequentemente, a possibilidade de haver 2 turno ; Também informa a não contabilização dos votos brancos e nulos como votos válidos ;

8 Qual a diferença entre voto em branco e voto nulo? Tecnicamente, o voto em branco é a ausência de manifestação de vontade por parte do eleitor,seja por não entender como apto nenhum dos candidatos apresentados, seja como forma de protesto por descontentamento com a classe política em geral, seja por outro motivo qualquer. Já o voto nulo pode ser fruto de um erro (digitação de número inexistente e sua confirmação, por exemplo), ou também uma forma de protesto ou não adesão a nenhuma das candidaturas apresentadas.

9 Qual a diferença entre voto em branco e voto nulo? Na prática, porém, não há diferença alguma, pois ambos são considerados votos inválidos e, portanto, não serão contabilizados para efeito de apuração do mais votado.

10 É preciso que, durante as campanhas eleitorais, os eleitores sejam alertados quanto a impropriedade do uso do voto em branco ou nulo como forma de protesto seja por que razão for. A maioria dos cidadãos tem a idéia de que se metade mais um dos votos apurados forem inválidos, a respectiva eleição será anulada e,mais ainda, em uma nova eleição feita em substituição à anulada, aqueles que se apresentaram como candidatos no pleito cancelado não poderiam se candidatar novamente. Estas conclusões são todas incorretas.

11 Primeiro, de acordo com o TSE não se vislumbra a anulação de uma eleição pelo fato de metade mais um dos votos apurados serem inválidos. A eleição será aceita e os poucos votos válidos (ainda que menos da metade do total) é que determinaram o vencedor. Segundo, participação em uma eleição anulada pela razão acima exposta não é causa de inelegibilidade,pois isto não está previsto em nenhuma norma eleitoral ou em resolução do TSE.

12 Logo,ainda que fosse possível a anulação do pleito, na nova votação teríamos os mesmos candidatos da eleição anulada. Conclui-se,portanto, que o voto em branco ou nulo não se configuram como uma boa forma de protesto, mas apenas servem para diminuir o total de votos válidos e,assim, reduzir o universo de pessoas que efetivamente escolherá aqueles ocuparão os cargos eletivos.

13 Art. 2º, 2º, Lei 9.504/97 - Se, antes de realizado o segundo turno, ocorrer morte, desistência ou impedimento legal de candidato, convocar-se-á, dentre os remanescentes, o de maior votação.

14 Perceba que a lei não fala em convocação do terceiro colocado, e sim daquele de maior votação dentre os remanescentes. Isto quer dizer que se o um dos dois mais votados morrer, desistir ou sofrer impedimento legal, e o terceiro colocado, por exemplo, recusar a convocação, deverá então a justiça eleitoral convocar o quarto colocado. Se este também recusar-se, convocar-se-á o quinto, e assim por diante.

15 Pelo texto acima é possível depreender que a convocação aqui tratada não tem o mesmo sentido de convocação dado, por exemplo, na prestação do serviço militar. Enquanto esta tem caráter obrigatório, a modalidade de convocação para a disputa de segundo turno de uma eleição tem a forma de uma opção, ou seja, cabe ao candidato convocado decidir se aceita ou não participar do pleito.

16 Quanto às hipóteses em que haverá convocação, temos: a)morte: fato natural com repercussão no mundo jurídico ; b)desistência: fato estritamente jurídico, já que decorre da declaração formal de desistência do candidato perante a justiça eleitoral. Entende-se que se configura com a mera entrega da declaração ao órgão competente desta justiça, visto que não cabe ao mesmo aprová-la ou não ; c)impedimento legal: são os casos de declaração de inelegibilidade em decorrência, por exemplo, de impugnação do pedido de registro de candidatura, investigação judicial eleitoral, expulsão do candidato do partido político ao qual estava registrado etc.

17 Art. 2º, 3º, Lei 9.504/97 - Se, na hipótese dos parágrafos anteriores, remanescer em segundo lugar mais de um candidato com a mesma votação, qualificar-se-á o mais idoso. Tem-se aqui o critério de desempate determinado pela lei.

18 Art. 2º, 4º, Lei 9.504/97 - A eleição do Presidente importará a do candidato a Vice- Presidente com ele registrado, o mesmo se aplicando à eleição de Governador. Aqui, a simultaneidade da eleição do titular do cargo e de seu respectivo vice. Alguns autores denominam esta regra de princípio da unicidade das chapas. Importante observar, neste aspecto, que apesar de a chapa ser uma e indivisível,uma eventual inelegibilidade pode atingir apenas um dos integrantes.

19 Quer dizer, se a inelegibilidade for de ordem pessoal, somente o componente por ela atingido é que deverá ser retirado da disputa. Por exemplo, se no curso do processo eleitoral o candidato a Presidente sofrer condenação transitada em julgado em uma impugnação do pedido de registro de candidatura, apenas este deverá ser substituído. O postulante à vice-presidência permanecerá o mesmo.

20 Art. 3º, Lei 9.504/97 - Será considerado eleito Prefeito o candidato que obtiver a maioria dos votos, não computados os em branco e os nulos. 1º - A eleição do Prefeito importará a do candidato a Vice-Prefeito com ele registrado. 2º - Nos Municípios com mais de duzentos mil eleitores, aplicar-se-ão as regras estabelecidas nos 1º a 3º do artigo anterior.

21 Art. 5º, Lei 9.504/97 - Nas eleições proporcionais, contam-se como válidos apenas os votos dados a candidatos regularmente inscritos e às legendas partidárias. Eleições proporcionais: deputado federal, deputado estadual, deputado distrital e vereadores.

22 Nas eleições majoritárias, contam-se como válidos apenas os votos dados a candidatos regularmente inscritos. Eleições majoritárias: Presidente da República, governador, prefeito e senador.

23 Art 4º, Lei 9.504/97 - Poderá participar das eleições o partido que, até um ano antes do pleito, tenha registrado seu estatuto no Tribunal Superior Eleitoral, conforme o disposto em lei, e tenha, até a data da convenção, órgão de direção constituído na circunscrição, de acordo com o respectivo estatuto.

24 O primeiro cuidado que se deve tomar quando da análise deste artigo é não confundir participação com registro de candidatos. As regras aqui impostas são exigidas para que o partido possa participar do pleito e,segundo Marcos Ramayana, a participação destas agremiações no processo eleitoral se dá, dentre outras formas,pela: a) Propositura de ações ; b) Fiscalização da propaganda política eleitoral ; c) Exercício do direito de resposta ; d) Produção e veiculação de propaganda eleitoral ; e) Participação em coligações, ainda que sem candidatos próprios ; f) Registro de candidatos.

25 Das Coligações Art. 6º, Lei 9.504/97 - É facultado aos partidos políticos, dentro da mesma circunscrição, celebrar coligações para eleição majoritária, proporcional, ou para ambas, podendo, neste último caso, formar-se mais de uma coligação para a eleição proporcional dentre os partidos que integram a coligação para o pleito majoritário.

26 A coligação partidária consiste em uma relação de colaboração estabelecida entre dois ou mais partidos políticos com o objetivo de apresentar candidato ou candidatos em comum às eleições e, em razão disso, compartilhar recursos e o horário eleitoral gratuito no rádio e na TV.

27 Art. 6º, 1º, Lei 9.504/97 - A coligação terá denominação própria, que poderá ser a junção de todas as siglas dos partidos que a integram, sendo a ela atribuídas as prerrogativas e obrigações de partido político no que se refere ao processo eleitoral, e devendo funcionar como um só partido no relacionamento com a Justiça Eleitoral e no trato dos interesses interpartidários. Art. 35, 4º, Res /09 - As coligações sempre serão tratadas como um único partido político.

28 Art. 6º, 4 o, O partido político coligado somente possui legitimidade para atuar de forma isolada no processo eleitoral quando questionar a validade da própria coligação, durante o período compreendido entre a data da convenção e o termo final do prazo para a impugnação do registro de candidatos.

29 Art. 6º, 1º - A, Lei 9.504/97 - A denominação da coligação não poderá coincidir, incluir ou fazer referência a nome ou número de candidato, nem conter pedido de voto para partido político.

30 Art. 6º, 5º, Lei 9.504/97 - A responsabilidade pelo pagamento de multas decorrentes de propaganda eleitoral é solidária entre os candidatos e os respectivos partidos, não alcançando outros partidos mesmo quando integrantes de uma mesma coligação. (Incluído pela Lei nº , de 2013)

CURSO DE DIREITO DIREITO ELEITORAL. Prof. Gilberto Kenji Futada SISTEMAS ELEITORAIS

CURSO DE DIREITO DIREITO ELEITORAL. Prof. Gilberto Kenji Futada SISTEMAS ELEITORAIS CURSO DE DIREITO Prof. A CF/88 prevê dois sistemas para a escolha dos representantes que, em nome do titular da soberania, o povo, exercerão o poder: Sistema Majoritário a) Presidência da República b)

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS)

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS) COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS) SUBSTITUTIVO À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o 14,

Leia mais

Direitos Eleitoral - Parte 1

Direitos Eleitoral - Parte 1 Direitos Eleitoral - Parte 1 Com base no Código Eleitoral- Lei 4737/65, Lei n. 9.096/95, Lei 13165/2015, entre outras fontes do direito eleitoral e em questões de provas anteriores do Qconcursos.com. 1.

Leia mais

REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016

REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016 REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016 Dr. Felipe Ferreira Lima Diretor do Instituto Egídio Ferreira Lima 1. Introdução: O debate sobre a Reforma Política no Brasil 2. Registro de Candidatura

Leia mais

DAS ELEIÇÕES. SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE)

DAS ELEIÇÕES. SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE) SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE) - Conjunto de normas que rege e organiza as eleições. - Processo eleitoral: do alistamento até a diplomação. Eleições: I. Princípio Majoritário Para os

Leia mais

ELEIÇÕES 2016 COM ÊNFASE NA MINIRREFORMA ELEITORAL

ELEIÇÕES 2016 COM ÊNFASE NA MINIRREFORMA ELEITORAL ELEIÇÕES 2016 COM ÊNFASE NA MINIRREFORMA ELEITORAL Em outubro (02/10) os brasileiros voltam às urnas, dessa vez para votar em Prefeitos e Vereadores. Esta será a primeira eleição depois da minirreforma

Leia mais

REGISTRO DE CANDIDATURA. Eduardo Rangel

REGISTRO DE CANDIDATURA. Eduardo Rangel REGISTRO DE CANDIDATURA Eduardo Rangel 1 Conceito: É a fase inicial do chamado microprocesso eleitoral na qual um partido político ou coligação requer, junto a Justiça Eleitoral, a inscrição de seus candidatos

Leia mais

PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO DIVISÃO DE FUNÇÕES ESTATAIS ORGANIZAÇÃO DOS PODERES ESTUDO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES

PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO DIVISÃO DE FUNÇÕES ESTATAIS ORGANIZAÇÃO DOS PODERES ESTUDO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES ORGANIZAÇÃO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES ART. 2.º,, DA CF/88: São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo,, o Executivo e o Judiciário rio. FUNÇÕES LEGISLATIVA EXECUTIVA

Leia mais

SUBSTITUTIVO ADOTADO

SUBSTITUTIVO ADOTADO Comissão Especial destinada a proferir parecer à Proposta de Emenda à Constituição nº 282-A, de 2016, do Senado Federal, que "altera a Constituição Federal para vedar as coligações nas eleições proporcionais,

Leia mais

Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe:

Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe: Sistemas Eleitorais Voto e Eleições A expressão "sistema eleitoral" designa o modo, os instrumentos e os mecanismos empregados nos países de organização política democrática para constituir seus Poderes

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL OFÍCIO- Nº 005/2012 COMISSÃO ELEITORAL/UFAC Ao Senhor Eduardo Henrique de Almeida Aguiar Procurador da República Av. Epaminondas Jacome, nº 3017, Centro NC

Leia mais

GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016

GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016 GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016 Modelos de EDITAL DE CONVOCAÇÃO CÉDULA DE VOTAÇÃO ATA DA CONVENÇÃO PALAVRA DO PRESIDENTE Prezados filiados do PSD Pará, O PSD está cada vez mais forte e unido em todo

Leia mais

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS 1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS DIREITOS POLÍTICOS e REGIME DEMOCRÁTICO O REGIME DEMOCRÁTICO como princípio:

Leia mais

REFORMA POLÍTICA PEC 282/16 O texto enviado pelo Senado à Câmara dos Deputados estabelecia cláusula de barreira para o funcionamento parlamentar de

REFORMA POLÍTICA PEC 282/16 O texto enviado pelo Senado à Câmara dos Deputados estabelecia cláusula de barreira para o funcionamento parlamentar de REFORMA POLÍTICA PEC 282/16 O texto enviado pelo Senado à Câmara dos Deputados estabelecia cláusula de barreira para o funcionamento parlamentar de partidos, aplicável a partir das eleições de 2022 (aqueles

Leia mais

2012/ Ao presidente do partido e ao juiz eleitoral

2012/ Ao presidente do partido e ao juiz eleitoral 2012/2014 2016 20/07 a 05/08 Data das Convenções Partidárias 10/06 a 30/06 (Art. 8º da Lei nº. 9.504/97 e 93, 2º da Lei 4.737/65) Prazo de filiação partidária Comunicação de desfiliação partidária Janela

Leia mais

CAPÍTULO II DAS NORMAS PARA A ESCOLHA DE CANDIDATOS E FORMAÇÃO DE COLIGAÇÕES EM NÍVEL MUNICIPAL

CAPÍTULO II DAS NORMAS PARA A ESCOLHA DE CANDIDATOS E FORMAÇÃO DE COLIGAÇÕES EM NÍVEL MUNICIPAL Resolução CEN-PSDB n 003/2016 A COMISSÃO EXECUTIVA NACIONAL do PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA - PSDB, no uso da competência que lhe confere o art. 65 c/c o art. 61 do Estatuto, e na forma do que

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o, DE 2017

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o, DE 2017 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o, DE 2017 (Do Sr. JOÃO DERLY e outros) Altera os art. 14 e 77, e cria o art. 17-A, todos da Constituição Federal, para permitir a apresentação de candidaturas a cargo

Leia mais

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA Victor Barau 1- O Conceito da palavra Democracia Democracia demos = povo, e kratos = autoridade Origem Conceito Moderno: Revoluções Francesa e Americana.

Leia mais

(Do Senhor Marcus Pestana)

(Do Senhor Marcus Pestana) PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Senhor Marcus Pestana) Dispõe sobre o sistema eleitoral para as eleições proporcionais, alterando a Lei nº 4.737, de 15 de julho de 1965 (Código Eleitoral), a Lei nº 9.096,

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação 2007/1 ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES Disciplina: DIREITO ELEITORAL E PARTIDÁRIO Curso: DIREITO Código CR PER Co-Requisito Pré-Requisito

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Barbara Rosa Direito Constitucional Direitos Políticos O QUE SÃO OS DIREITOS POLÍTICOS? É o conjunto de direitos que possibilitam as diversas formas de exercício da soberania popular. Fonte: 2.bp.blogspot.com

Leia mais

INFORME ESPECIAL ASSESSORIA PARLAMENTAR Nº 01

INFORME ESPECIAL ASSESSORIA PARLAMENTAR Nº 01 INFORME ESPECIAL ASSESSORIA PARLAMENTAR Nº 01 Elaborado em 09 de julho de 2013 REFORMA POLÍTICA DEPUTADOS DESCARTAM REFORMA POLÍTICA VÁLIDA PARA 2014 O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, afirmou

Leia mais

NOVAS REGRAS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016

NOVAS REGRAS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016 NOVAS REGRAS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016 ALEXANDRE LUIS MENDONÇA ROLLO Mestre e Doutor em Direito das Relações Sociais Advogado Especialista em Direito Eleitoral Conselheiro Estadual da OAB/SP a.rollo@uol.com.br

Leia mais

... 5º São inelegíveis para os mesmos cargos, no período imediatamente subsequente, o Presidente da República, os Governadores de Estado e do

... 5º São inelegíveis para os mesmos cargos, no período imediatamente subsequente, o Presidente da República, os Governadores de Estado e do Reforma as instituições político-eleitorais, alterando os arts. 14, 17, 57 e 61 da Constituição Federal, e cria regras temporárias para vigorar no período de transição para o novo modelo, acrescentando

Leia mais

Catalogação na Publicação (CIP)

Catalogação na Publicação (CIP) GUIA AOS ELEITORES Catalogação na Publicação (CIP) P221 Pará. Ministério Público. Guia aos eleitores: Perguntas e respostas sobre as eleições municipais de 2016 / Elaboração e Organização de José Edvaldo

Leia mais

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2016

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2016 ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2016 MODELOS de ATAS, OFÍCIOS e REQUERIMENTOS OFÍCIO PARA REGíSTRO DE CHAPA DE DE 2016. llustrlsslmo Senhor (nome do Presidente do Partido) Presidente Municipal do PR de,pr. Senho1r

Leia mais

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS 01 Vereador: Papel Constitucional e Sistema de Eleição Juiz JAILSOM LEANDRO DE SOUSA 02 Quem é o vereador? O Vereador é o Membro do Poder Legislativo Municipal. 03 Qual é o papel do Vereador? O papel do

Leia mais

O PT de Floriano, presidido pelo Celso Vieira (imagem), definiu os prazos para tomar as decisões sobre as Eleições Municipais de 2016.

O PT de Floriano, presidido pelo Celso Vieira (imagem), definiu os prazos para tomar as decisões sobre as Eleições Municipais de 2016. O PT de Floriano, presidido pelo Celso Vieira (imagem), definiu os prazos para tomar as decisões sobre as Eleições Municipais de 2016. Num comunicado enviado ao piauinoticias o presidente Celso informou

Leia mais

VOTO NULO NÃO ANULA ELEIÇÃO

VOTO NULO NÃO ANULA ELEIÇÃO VOTO NULO NÃO ANULA ELEIÇÃO Em tempos de eleições sempre surgem dúvidas e boatos quanto à possibilidade de sua nulidade e a promoção de novas eleições se constatado na totalização dos votos, a contabilização

Leia mais

Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO QUESTÕES CESPE COMENTADAS... 17

Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO QUESTÕES CESPE COMENTADAS... 17 Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO QUESTÕES CESPE COMENTADAS... 17 Guia de leitura... 19 Direcionamento do estudo: O que é necessário priorizar no estudo das provas do CESPE... 25 Raio-x da incidência das

Leia mais

ELEIÇÕES 2016 O QUE VOCÊ PRECISAR SABER

ELEIÇÕES 2016 O QUE VOCÊ PRECISAR SABER ADVOCACIA & CONSULTORIA EVILSON BRAZ Rua Rodrigues de Aquino, n.º 267, 9º Andar/Sala 903 Edf. Asplan, Centro, João Pessoa/PB - (083) 98761-0375/99989-6277/3021-8444 E-mail: evilsonbraz@ig.com.br / Site:

Leia mais

Myrian Massarollo Presidente

Myrian Massarollo Presidente Cálculos eleitorais No Brasil adotamos o sistema político denominado Democracia Representativa. Nele os eleitores concedem um mandato eletivo, ou seja, através do voto, a alguns cidadãos que se candidataram

Leia mais

REGIMENTO ELEITORAL/BIÊNIO

REGIMENTO ELEITORAL/BIÊNIO UNIVERSIDADEESTADUALDOSUDOESTEDABAHIA-UESB RecredenciadapeloDecretoEstadualnº9,996de02/05/2006 Colegiado do Curso de Filosofia REGIMENTO ELEITORAL/BIÊNIO 2016-2018 CAPÍTULO I DAS CANDIDATURAS Art. 1º -

Leia mais

DIREITO ELEITORAL

DIREITO ELEITORAL DIREITO ELEITORAL 01. A nomeação dos membros das Juntas Eleitorais e a designação das respectivas sedes compete ao a) Corregedor Regional Eleitoral e ao Juiz Eleitoral, respectivamente. b) Juiz Eleitoral

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA REGULAMENTO DA ELEIÇÃO PARA CARGOS DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL Em atendimento

Leia mais

ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DOS MORADORES DA VILA BASEVI ELEIÇÕES PARA O BIÊNIO 2015/2017 NORMA ELEITORAL

ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DOS MORADORES DA VILA BASEVI ELEIÇÕES PARA O BIÊNIO 2015/2017 NORMA ELEITORAL ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DOS MORADORES DA VILA BASEVI ELEIÇÕES PARA O BIÊNIO 2015/2017 NORMA ELEITORAL A Comissão Eleitoral, composta pelos Associados José Rinaldo Queiroz Falcão, Fábio Costa Vieira e Magno

Leia mais

LOURIVAL SEREJO DIREITO ELEITORAL ATUALIZADO. Lei nº /2015 Código de Processo Civil Jurisprudência eleitoral

LOURIVAL SEREJO DIREITO ELEITORAL ATUALIZADO. Lei nº /2015 Código de Processo Civil Jurisprudência eleitoral LOURIVAL SEREJO DIREITO ELEITORAL ATUALIZADO Lei nº 13.165/2015 Código de Processo Civil Jurisprudência eleitoral Belo Horizonte 2016 3 Sumário INTRODUÇÃO... 15 I DIREITO ELEITORAL... 17 1 O Direito Eleitoral

Leia mais

Comissão Executiva Nacional Resolução CEN Nº 001 de 2017

Comissão Executiva Nacional Resolução CEN Nº 001 de 2017 Comissão Executiva Nacional Resolução CEN Nº 001 de 2017 Neste 13 de julho de 2017, a Comissão Executiva Nacional da Negritude Socialista Brasileiro- PSB, decide aprovar o Regimento Interno do Processo

Leia mais

CIDADANIA Direitos políticos e sufrágio

CIDADANIA Direitos políticos e sufrágio CIDADANIA Direitos políticos e sufrágio Introdução Direitos políticos são os direitos do cidadão que permitem sua participação e influência nas atividades de governo. Para Pimenta Bueno, citado por Silva

Leia mais

Ofício nº 1028 (SF) Brasília, em 27 de setembro de 2017.

Ofício nº 1028 (SF) Brasília, em 27 de setembro de 2017. Ofício nº 1028 (SF) Brasília, em 27 de setembro de 2017. A Sua Excelência o Senhor Deputado Giacobo Primeiro-Secretário da Câmara dos Deputados Assunto: Projeto de Lei do Senado à revisão. Senhor Primeiro-Secretário,

Leia mais

REGULAMENTO DOS ENCONTROS SETORIAIS DO PT RIBEIRAO PRETO

REGULAMENTO DOS ENCONTROS SETORIAIS DO PT RIBEIRAO PRETO 2016 REGULAMENTO DOS ENCONTROS SETORIAIS DO PT RIBEIRAO PRETO Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores 07/3/2016 1 Art. 1º - Os setoriais municipais que tiverem mais de um ano de funcionamento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 de 55 4/2/2016 15:46 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997. Texto compilado Mensagem de veto (Vide Decreto nº 7.791, de 2012) Estabelece

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 145, DE 2011

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 145, DE 2011 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 145, DE 2011 Altera a Lei n 4.737, de 15 de julho de 1965, (Código Eleitoral), e a Lei n 9.504, de 30 de setembro de 1997, para instituir o sistema eleitoral

Leia mais

Todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta constituição.

Todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta constituição. O Parágrafo Único do Artigo 1º da nossa Constituição (1988) diz: Todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta constituição. 2012 é ano de o

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 77-A, DE 2003

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 77-A, DE 2003 COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 77-A, DE 2003 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o 77, DE 2014 Suprime o 5º do art. 14 e dá nova redação ao 1º do

Leia mais

Comentários à Prova de Direito Eleitoral para Assistente de Promotoria I provas em

Comentários à Prova de Direito Eleitoral para Assistente de Promotoria I provas em à Prova de Direito Eleitoral para Assistente de Promotoria I provas em 21.06.2015 No que se refere à propaganda partidária ou eleitoral, no período eleitoral, é correto afirmar que a) a realização de comícios

Leia mais

Comentários à Prova de AJAJ TRE - PE CESPE provas em 19/3/2017

Comentários à Prova de AJAJ TRE - PE CESPE provas em 19/3/2017 --- à Prova à Prova de AJAJ TRE - PE CESPE provas em 19/3/2017 Segue, abaixo, comentário das questões de Direito Eleitoral aplicadas no concurso para o cargo de Analista Judiciário Área Administrativa.

Leia mais

Jaime Barreiros Neto REFORMA ELEITORAL. Comentários à Lei , de 29 de setembro de 2015

Jaime Barreiros Neto REFORMA ELEITORAL. Comentários à Lei , de 29 de setembro de 2015 Jaime Barreiros Neto REFORMA ELEITORAL Comentários à Lei 13.165, de 29 de setembro de 2015 Barreiros Neto-Reforma Eleitoral-1ed.indb 3 30/05/2016 09:16:57 Capítulo 2 A LEI 13.165/2015 E AS REGRAS RELATIVAS

Leia mais

sumário Capítulo 2 Conceito e regras gerais De interpretação...5

sumário Capítulo 2 Conceito e regras gerais De interpretação...5 sumário Capítulo 1 O DIreito eleitoral no brasil...1 Capítulo 2 Conceito e regras gerais De interpretação...5 2.1. Conceito... 5 2.2. Poder normativo... 5 2.3. Interpretação da legislação eleitoral...

Leia mais

DIREITOS POLITICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS

DIREITOS POLITICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS CONCEITO: O direito democrático de participação do povo no governo, por seus representantes, acabou exigindo a formação de um conjunto de normas legais permanentes, que recebe a denominação de direitos

Leia mais

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1 DIREITOS POLÍTICOS Prof. Fábio Ramos prof.fabioramos@hotmail.com Conjunto de normas que disciplinam as formas de exercício da soberania popular. Princípio da Soberania Popular: Art. 1º, par. único: Todo

Leia mais

LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997.

LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997. LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997. Estabelece normas para as eleições. O VICE PRESIDENTE DA REPÚBLICA no exercício do cargo de PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

Reforma Política aprovada vai tornar eleições mais democráticas e baratas

Reforma Política aprovada vai tornar eleições mais democráticas e baratas Reforma Política aprovada vai tornar eleições mais democráticas e baratas A pós 11 meses de intenso debate, o Congresso Nacional aprovou nesta semana uma Reforma Política que promove mudanças significativas

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO SINDUSCON-ES SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

REGULAMENTO ELEITORAL DO SINDUSCON-ES SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO REGULAMENTO ELEITORAL DO SINDUSCON-ES SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Artigo 1º - Este Regulamento Eleitoral é parte integrante

Leia mais

Sumário. Coleção Sinopses para Concursos Guia de leitura da Coleção... 19

Sumário. Coleção Sinopses para Concursos Guia de leitura da Coleção... 19 Sumário Coleção Sinopses para Concursos... 17 Guia de leitura da Coleção... 19 CAPÍTULO I DIREITO ELEITORAL: NOÇÕES INTRODUTÓRIAS... 21 1. Conceito, objeto e objetivos do Direito Eleitoral... 21 2. A democracia

Leia mais

Justiça Eleitoral. Eleição Suplementar de Itatinga - 1º Turno Resultado da totalização ITATINGA

Justiça Eleitoral. Eleição Suplementar de Itatinga - 1º Turno Resultado da totalização ITATINGA Justiça Eleitoral - 1º Turno Resultado da totalização ITATINGA 2 de julho de 217 18:1:58 Gerenciamento 217 Página 2 de 6 2/7/217 18:1:58 Relatório do Resultado da Totalização Resumo Geral do de ITATINGA

Leia mais

CONHEÇA AS NOVAS REGRAS DAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS

CONHEÇA AS NOVAS REGRAS DAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS CONHEÇA AS NOVAS REGRAS DAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2016 DE Novas regras das Eleições Municipais de 2016 Conheça as novas regras das Eleições Municipais de 2016 A Lei nº 13.165/2015, conhecida como Reforma

Leia mais

Comissão da reforma política aprova distritão e fundo de R$ 3,6 bilhões para campanhas

Comissão da reforma política aprova distritão e fundo de R$ 3,6 bilhões para campanhas Comissão da reforma política aprova distritão e fundo de R$ 3,6 bilhões para campanhas Modelo foi aprovado após votação do texto-base da reforma. Distritão divide estados e municípios em distritos e põe

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 25, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 25, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 25, DE 2015 Altera a Lei nº 4.737, de 15 de julho de 1965, (Código Eleitoral) e a Lei nº 9.504, de 30 de setembro de 1997, para instituir o sistema eleitoral majoritário nas

Leia mais

19/08/17. Atualidades. Projeto de Reforma Política. Prof. Grega

19/08/17. Atualidades. Projeto de Reforma Política. Prof. Grega Atualidades Projeto de Reforma Política A Comissão Especial da Câmara dos Deputados concluiu nesta terça-feira (15/08/2017) a votação das emendas da parte da reforma política que necessita de alterações

Leia mais

Adendo Direito Eleitoral

Adendo Direito Eleitoral Weslei Machado A1-AT432 21/12/2010 Adendo Direito Eleitoral 2011 2011 Vestcon Editora Ltda. Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº 9.610, de 19/2/1998. Proibida a

Leia mais

CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO DE DIRETÓRIO ACADÊMICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL DO IFRS-SERTÃO PARA O PERÍODO

CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO DE DIRETÓRIO ACADÊMICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL DO IFRS-SERTÃO PARA O PERÍODO CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO DE DIRETÓRIO ACADÊMICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL DO IFRS-SERTÃO PARA O PERÍODO 2015-2016 A COORDENAÇÃO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL TORNA PÚBLICO

Leia mais

Simulado Final DIREITO ELEITORAL TRE-SÃO PAULO

Simulado Final DIREITO ELEITORAL TRE-SÃO PAULO 1 Prof. Bruno Oliveira www.facebook.com/concursoseleitorais contato@eleitoralcombruno.com.br WhatsApp: (34) 99216-1829 Site: www.eleitoralcombruno.com.br Preparei com muito carinho esse Simulado de Direito

Leia mais

Artigo 3º - É habilitado à votação toda (o) psicóloga (o) eleita (o) delegada(o) do XI Congresso da FENAPSI.

Artigo 3º - É habilitado à votação toda (o) psicóloga (o) eleita (o) delegada(o) do XI Congresso da FENAPSI. Regimento Eleitoral FENAPSI - 2017 Capítulo I Disposições preliminares Seção I - Eleições Artigo lº - Os membros da Diretoria e Conselho Fiscal serão eleitos trienalmente no Congresso da Federação e de

Leia mais

Principais alterações promovidas pela Lei aprovada no Congresso Nacional e que espera a sanção da Presidencia da República.

Principais alterações promovidas pela Lei aprovada no Congresso Nacional e que espera a sanção da Presidencia da República. Principais alterações promovidas pela Lei aprovada no Congresso Nacional e que espera a sanção da Presidencia da República. Observação: como podemos perceber as mudanças propostas são justamente pra não

Leia mais

ATA DE REFORMA DO REGULAMENTO ELEITORAL DO SINDICATO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CNPJ: /

ATA DE REFORMA DO REGULAMENTO ELEITORAL DO SINDICATO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CNPJ: / ATA DE REFORMA DO REGULAMENTO ELEITORAL DO SINDICATO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CNPJ: 03.188.858/0001-10 Aos vinte e nove dias do mês de janeiro do ano de dois mil e quinze, conforme

Leia mais

O Tribunal Superior Eleitoral, usando das atribuições que lhe confere o artigo 23, inciso IX, do Código Eleitoral, resolve:

O Tribunal Superior Eleitoral, usando das atribuições que lhe confere o artigo 23, inciso IX, do Código Eleitoral, resolve: RESOLUÇÃO Nº 22.995 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 20.154 CLASSE 26ª BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Carlos Ayres Britto. Interessado: Tribunal Superior Eleitoral. Dispõe sobre os modelos das

Leia mais

COMISSÃO ELEITORAL PLEITO ARTIGOS 81 AO 99 DO ESTATUTO DO SINTAF PARTE DO INTEGRANTE DO REGIMENTO ELEITORAL CAPÍTULO VI DAS ELEIÇÕES SINDICAIS

COMISSÃO ELEITORAL PLEITO ARTIGOS 81 AO 99 DO ESTATUTO DO SINTAF PARTE DO INTEGRANTE DO REGIMENTO ELEITORAL CAPÍTULO VI DAS ELEIÇÕES SINDICAIS CAPÍTULO VI DAS ELEIÇÕES SINDICAIS ANEXO A SEÇÃO VII DA VOTAÇÃO Art. 81. Cada mesa coletora terá 1(um) presidente, 2 (dois) mesários e 1 (um) suplente designados pelo presidente da Comissão Eleitoral em

Leia mais

Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO

Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO Dias 25,26,27 e 28 de agosto de 2011. Capítulo I - Das Disposições Gerais Art. 1º - A

Leia mais

Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi

Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi I Direitos políticos, 1 1 Compreensão dos direitos políticos, 1 1.1 Política, 1 1.2 Direito político, direito constitucional e ciência política, 3

Leia mais

S u m á r i o. Capítulo 1 O Direito Eleitoral no Brasil Capítulo 2 Conceito e Regras Gerais de Interpretação... 5

S u m á r i o. Capítulo 1 O Direito Eleitoral no Brasil Capítulo 2 Conceito e Regras Gerais de Interpretação... 5 S u m á r i o Capítulo 1 O Direito Eleitoral no Brasil... 1 Capítulo 2 Conceito e Regras Gerais de Interpretação... 5 2.1. Conceito... 5 2.2. Poder Normativo... 5 2.3. Interpretação da Legislação Eleitoral...

Leia mais

Manual Prático de Direito Eleitoral

Manual Prático de Direito Eleitoral Autor Walber de Moura Agra Manual Prático de Direito Eleitoral Área Específica Direito Eleitoral. Áreas Afins Direito Público - Direito Constitucional - Direito Eleitoral. O objetivo deste Manual Prático

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01/2017

EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01/2017 1 EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01/2017 O Diretor Clínico do Hospital das Clínicas Samuel Libânio - HCSL faz saber aos membros do Corpo Clínico desta Instituição que estão abertas as inscrições para as eleições

Leia mais

SISTEMA ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS COORDENADORES REGIONAIS E ESTADUAL DO COLÉGIO DE ENTIDADES DE CLASSE REGISTRADAS NO CREA-RS

SISTEMA ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS COORDENADORES REGIONAIS E ESTADUAL DO COLÉGIO DE ENTIDADES DE CLASSE REGISTRADAS NO CREA-RS SISTEMA ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS COORDENADORES REGIONAIS E ESTADUAL DO COLÉGIO DE ENTIDADES DE CLASSE REGISTRADAS NO CREA-RS CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS Art. 1º Este Regulamento Eleitoral estabelece normas

Leia mais

Resolução Nº , de 15/12/2015 Dispõe sobre a escolha e registro dos candidatos para as eleições 2016.

Resolução Nº , de 15/12/2015 Dispõe sobre a escolha e registro dos candidatos para as eleições 2016. 1 Resolução Nº 23.455, de 15/12/2015 Dispõe sobre a escolha e registro dos candidatos para as eleições 2016. Elaborada já considerando as modificações trazidas pela Lei nº 13.165 de 29/09/2015 (Reforma

Leia mais

DIAP Quadro comparativo: PEC do GT da reforma política no Congresso Qua, 13 de Novembro de :43

DIAP Quadro comparativo: PEC do GT da reforma política no Congresso Qua, 13 de Novembro de :43 Departamento Intersindical de Assessoria Parlametar organiza uma tabela comparativa a partir da PEC aprovada pelo Grupo de Trabalho sobre Reforma Política na Camâra dos Deputados. O Grupo de Trabalho sobre

Leia mais

Direitos políticos. Introdução. Previsão normativa. Exercício da soberania popular

Direitos políticos. Introdução. Previsão normativa. Exercício da soberania popular Direitos políticos Introdução É senso comum dizer que o voto é um ato de exercício da cidadania, pois é por meio dele que elegemos nossos representantes. Mas você conhece quais são as regras para se eleger

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 462, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 462, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 462, DE 2015 Altera a Lei nº 9.504, de 30 de setembro de 1997, para modificar a disciplina da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais. ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos)

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais. ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos) CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos) 1. O povo exerce o poder político através do sufrágio universal,

Leia mais

Regras - Eleições 2013

Regras - Eleições 2013 Regras - Eleições 2013 Diretoria Executiva e Conselho Fiscal 1 - Composição 1.a A Diretoria Executiva será composta de 09 (nove) membros eleitos sendo 6 (seis) membros efetivos e 3 (três) suplentes. I

Leia mais

LIBERDADE IGUALDADE FRATERNIDADE Grande Oriente do Brasil SUPERIOR TRIBUNAL ELEITORAL

LIBERDADE IGUALDADE FRATERNIDADE Grande Oriente do Brasil SUPERIOR TRIBUNAL ELEITORAL ELEIÇÕES PARA GRÃO-MESTRE GERAL E GRÃO-MESTRE GERAL ADJUNTO 17 DE MARÇO DE 2018 CÓDIGO ELEITORAL MAÇÔNICO RESUMO DOS DISPOSITIVOS LEGAIS PERTINENTES À ELEIÇÃO PARA OS CARGOS DE GRÃO-MESTRE GERAL E GRÃO-MESTRE

Leia mais

NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NATOS

NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NATOS CONCEITO Nacionalidade é o vínculo jurídico-político que liga um indivíduo a um certo e determinado Estado POVO ESPÉCIES Nacionalidade primária/originária: Nacionalidade secundária/adquirida: A) Ius soli:

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE COMPOSIÇÃO E ELEIÇÕES DE CHAPAS DO DIRETÓRIO ACADÊMICO (DA) E DA ATLÉTICA DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE COMPOSIÇÃO E ELEIÇÕES DE CHAPAS DO DIRETÓRIO ACADÊMICO (DA) E DA ATLÉTICA DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Centro Universitário de Anápolis Coordenação pedagógica de Engenharia Civil EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE COMPOSIÇÃO E ELEIÇÕES DE CHAPAS DO DIRETÓRIO ACADÊMICO (DA) E DA ATLÉTICA DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA COLEGIADO DE FÍSICA CAMPUS DE ITAPETINGA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA COLEGIADO DE FÍSICA CAMPUS DE ITAPETINGA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA COLEGIADO DE FÍSICA CAMPUS DE ITAPETINGA ELEIÇÃO PARA COORDENADOR (A) E VICE-COORDENADOR (A) REGIME ELEITORAL BIÊNIO 2015-2017 UESB ITAPETINGA AGOSTO 2015 A Comissão

Leia mais

REGISTRO DE CANDIDATO

REGISTRO DE CANDIDATO LEGISLAÇÃO APLICÁVEL - Constituição Federal - Código Eleitoral (Lei n. 4737/65) - Lei n. 9.504/97 (Lei das Eleições) - Lei Complementar n. 64/90 (Lei das Inelegibilidades) DISPOSIÇÕES GERAIS REGISTRO DE

Leia mais

Simulados de Direito Eleitoral. Simulado 01

Simulados de Direito Eleitoral. Simulado 01 Simulados de Direito Eleitoral O Curso de Simulados de Direito Eleitoral para o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro é formado por 3 Simulados, sendo que cada um contém 15 questões inéditas comentadas

Leia mais

COMISSÃO ELEITORAL EDITAL 03/2016, DE 8 DE SETEMBRO DE 2016

COMISSÃO ELEITORAL EDITAL 03/2016, DE 8 DE SETEMBRO DE 2016 COMISSÃO ELEITORAL EDITAL 03/2016, DE 8 DE SETEMBRO DE 2016 ELEIÇÕES DO CENTRO ACDÊMICO DO CURSO DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS DOM BOSCO. A COMISSÃO ELEITORAL SUBJUGADA

Leia mais

PONTO DOS CONCURSOS CURSO DE DIREITO ELEITORAL TRE/AP 4º Simulado de Direito Eleitoral p/ TRE-AMAPÁ! PROFESSOR: RICARDO GOMES AVISOS:

PONTO DOS CONCURSOS CURSO DE DIREITO ELEITORAL TRE/AP 4º Simulado de Direito Eleitoral p/ TRE-AMAPÁ! PROFESSOR: RICARDO GOMES AVISOS: AVISOS: Estamos ministrando os seguintes CURSOS: DIREITO ELEITORAL P/ O TSE - ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA JUDICIÁRIA (TEORIA E EXERCÍCIOS) DIREITO ELEITORAL P/ O TSE - ANALISTA E TÉCNICO ÁREA ADMINISTRATIVA

Leia mais

1º SIMULADO DE DIREITO ELEITORAL P/ TRE/RS E TRE/AC FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC)

1º SIMULADO DE DIREITO ELEITORAL P/ TRE/RS E TRE/AC FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC) Prezados(as) Alunos(as)! Visando ajudar a todos os concurseiros nesta corrida em prol da aprovação nestes 2 concursos de Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) vigentes, TRE/RS e TRE/AC, disponibilizo abaixo

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB COLEGIADO DOS CURSOS DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CCCB CAMPUS DE JEQUIÉ

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB COLEGIADO DOS CURSOS DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CCCB CAMPUS DE JEQUIÉ UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB COLEGIADO DOS CURSOS DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CCCB CAMPUS DE JEQUIÉ ELEIÇÃO PARA COORDENADOR (A) E VICE-COORDENADOR (A) REGIME ELEITORAL BIÊNIO 2017-2019 UESB

Leia mais

PRODUÇÃO INTELECTUAL Denilson Mariano de Brito. REVISORA Marisa Batista Alvarenga Webler. CAPA/EDITORAÇÃO/DIAGRAMAÇÃO: Adriano Ferreira de Mendonça

PRODUÇÃO INTELECTUAL Denilson Mariano de Brito. REVISORA Marisa Batista Alvarenga Webler. CAPA/EDITORAÇÃO/DIAGRAMAÇÃO: Adriano Ferreira de Mendonça 2015 Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins Qualquer parte desta publicação pode ser reproduzida, desde que citada a fonte. Disponível também em: http//www.tre-to.jus.br ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL 2016 IAB RS

REGULAMENTO ELEITORAL 2016 IAB RS A Comissão Eleitoral constituída nos termos do Art. 80 do Estatuto do IAB RS, vem, através deste Regulamento Eleitoral Eleições 2016, editado nos termos do parágrafo único do Artigo 80 do Estatuto do IAB

Leia mais

Periscope ao-vivo Direito Eleitoral com Bruno Oliveira. Resolução das Questões de Direito Eleitoral do Concurso TRE/SP 2012

Periscope ao-vivo Direito Eleitoral com Bruno Oliveira. Resolução das Questões de Direito Eleitoral do Concurso TRE/SP 2012 Periscope ao-vivo Direito Eleitoral com Bruno Oliveira Resolução das Questões de Direito Eleitoral do Concurso TRE/SP 2012 QUESTÃO 01 (LC 64/90 - Ações Eleitorais) Um partido político pretende pedir a

Leia mais

Justiça Eleitoral. Eleições º Turno. Resultado da totalização CEARÁ

Justiça Eleitoral. Eleições º Turno. Resultado da totalização CEARÁ Justiça Eleitoral - Resultado da totalização CEARÁ 31 de janeiro de 2011 Página 1 de 1 Relatório do Resultado da Totalização Resumo Geral do Estado de CEARÁ 23:07: No dia 31 de janeiro de 2011, a Secretaria

Leia mais

EDITAL DE ELEIÇÃO 001/2016

EDITAL DE ELEIÇÃO 001/2016 EDITAL DE ELEIÇÃO 001/2016 Convoca Eleição para a Presidência do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Santa Maria da Vitória, Bahia. A Presidente do CAPREVAS Instituto de Previdência

Leia mais

Eleições 2010: calendário eleitoral, com prazos de desincompatibilização

Eleições 2010: calendário eleitoral, com prazos de desincompatibilização Eleições 2010: calendário eleitoral, com prazos de desincompatibilização Dirigentes sindicais e servidores que pretendem disputar as eleições de 2010 devem ficar atentos às datas e prazos de desincompatibilização.

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITOS POLÍTICOS E SISTEMAS ELEITORAIS (ARTS 14 AO 17)

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITOS POLÍTICOS E SISTEMAS ELEITORAIS (ARTS 14 AO 17) DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITOS POLÍTICOS E SISTEMAS ELEITORAIS (ARTS 14 AO 17) Atualizado em 02/12/2015 DIREITOS POLÍTICOS E SISTEMAS ELEITORAIS (ARTIGOS 14 a 17) GENERALIDADES Os direitos políticos estão

Leia mais

CÓDIGO ELEITORAL CAPÍTULO I. Disposições iniciais CAPÍTULO II. Do Procedimento Eleitoral nas Cooperativas Singulares com Voto Delegado.

CÓDIGO ELEITORAL CAPÍTULO I. Disposições iniciais CAPÍTULO II. Do Procedimento Eleitoral nas Cooperativas Singulares com Voto Delegado. CÓDIGO ELEITORAL CAPÍTULO I Disposições iniciais Art. 1º Este Código Eleitoral estabelece as regras sistêmicas do processo de eleição para o Conselho de Administração e para o Conselho Fiscal das cooperativas

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2017

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2017 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2017 As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do 3º do art. 60 da Constituição Federal, promulgam a seguinte emenda ao texto constitucional:

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I Art. 1º O Partido Socialista Brasileiro PSB, com sede e foro na Capital da República Federativa do Brasil, jurisdição em todo território nacional e duração por tempo indeterminado,

Leia mais