Tutorial de Viga: Ansys - Beam3

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tutorial de Viga: Ansys - Beam3"

Transcrição

1 Tutorial de Viga: Ansys - Beam3 Primeiramente vamos iniciar o tutorial apresentando uma visão geral do software Ansys, ao abri-lo (click em Ansys11 e Ansys) a seguinte tela é mostrada: Nesse curso focaremos em três partes do software, pré-processamento (preprocessor), solução (solution) é pós-processamento (prostproc). No preprocessor são realizadas a etapa de modelagem, que consiste em definir as características do modelo, como, tipo de material, tipo de elemento finito (relacionado a modelos 1D, 2D, 3D, placa, casca...), geometria, malha de elementos finitos e carregamentos. No solution é escolhido o tipo de solucionador que pode ser linear ou não-linear (ambos os casos estão relacionados ao problema que se deseja solucionar) para problemas estático, harmônico, transiente, flambagem... Após a realização dessas duas atividades anteriores, os resultados são visualizados no prostproc.

2 O preprocessor é dividido nas seguintes opções: Para facilitar, vamos seguir exatamente a sequência sugerida pelo software. Primeiro, vamos definir o tipo de elemento finito, para isso é necessário definir como iremos interpretar matematicamente o problema real. Um modelo de viga pode ser interpretado como elemento de viga, sólido 2D e 3D. No entanto, cada elemento finito tem determinadas características e limitações, que estão relacionadas com os graus de liberdade, como, por exemplo, mecanicamente o elemento de viga pode ter até 6 graus de liberdade por nó, já os elementos sólidos 2D e 3D têm 2 e 3 graus de liberdade por nó, respectivamente. A aplicação de cada tipo de elemento depende do que deseja-se analisar na estrutura e o nível de detalhe. Para uma análise numa estrutura de viga cuja principal objetivo é verificar as tensões mecânicas e deslocamentos, sem focar em pontos de concentração de tensão gerados por furos ou cantos vivos, é melhor utilizar elementos do tipo BEAM, caso contrário, seria necessário analisar cada componente com outro tipo de elemento. Portanto, vamos aqui tratar de 2 tipos de elemento de viga, o BEAM3 e o BEAM188. A principal diferença entre eles está na formulação, o BEAM3 utiliza a teoria de Euler-Bernoulli (L >> 5H, L é o comprimento da viga e o H é a altura da secção transversal) e o BEAM188 a de Timoshenko. Esta diferença será discutida

3 em sala de aula. Para iniciarmos o nosso tutorial é necessário definir uma estrutura, ou seja, dimensões e materiais, veja na tabela abaixo a comparação entre os dois tipos de elemento: Adotando a altura H e a base B da secção transversal iguais a 0.5m e 0.1m, respectivamente, sendo o comprimento L total da viga igual a 100m. O material utilizado será aço com módulo de elasticidade E e coeficiente de Poisson iguais a 2.100GPa e 0.3, respectivamente. Veja o arquivo ansys.m que resolve a equação da figura acima. Seguindo, para a escolha do tipo de elemento, segue-se os passos abaixo: 1- click em Element type

4 2 - Add 3 - Add 4 - Click em OK, e é possível alterar algumas características do elemento clicando em options, senão o software adota as configurações padrão. O próximo passo é definir a real constant, seguindo os passos: 1 - click em real constants

5 2 - click em add 3 - click em add 4 - click em ok 5 - entre com os valores da área (AREA), momento de inércia (IZZ) e da altura (HEIGHT) da secção transversal em relação ao eixo Z, sendo o eixo X normal a secção transversal. O material é definido pelos passos abaixo:

6 1 - click em material props 2 - click em material models 3 - click em structural, linear, elastic, isotropic 4 - Digite os valores para o módulo de elasticidade E (ou EX) e para o coeficiente de Poisson v (ou PRXY)

7 A geometria é criada em Modeling, como trata-se de um modelo simples, é necessário apenas criar dois pontos e uni-los por uma reta, então: 1 - click em modeling 2 - click em create

8 3 - keypoints 4- click em In Active CS e entre com o número do ponto e as coordenadas, nesse caso, 1(0,0,0) e 2(100,0,0) 5 -No menu lateral, volte para create e click em lines 6 - click em Straight Line, esse comando consiste em unir por uma linha dois pontos, informando ao software quais são os dois pontos, o que pode ser realizado

9 digitando 1,2 como mostrado na figura abaixo ou clicando no ponto 1 e 2 com o mouse. Finalize clicando em OK. A malha de elementos finitos é criado em meshing, sendo necessário especificar o número total de elementos finitos e em alguns modelos definir qual o elemento e material que está vinculado a aquela linha. Já que elementos do tipo BEAM são gerados nas linhas. 1 - click em meshing 2 - click em Size Cntrls e depois em manualsize e line, depois pedirá a linha na qual deseja-se gerar a malha, como só temos uma linha, podemos clicar em pick all

10 3 - Na tela abaixo digite o número de divisões que corresponderá a quantidade de elementos finitos nessa linha, em nosso caso, do modelo. 4 - Após a realização desses passos, volte na barra lateral em meshing, click em mesh, lines, e em pick all. Dessa forma, a malha de elementos finitos é criada.

11 O último passo da modelagem está em definir as restrições e carregamentos do modelo, primeiro vamos definir as restrições, como trata-se de uma viga engastada livre, vamos engastar no primeiro ponto e deixar o segundo ponto livre. Carregamentos e restrições podem ser aplicados na geometria ou diretamente nos nós dos elementos finitos, como mostrado a seguir: 1 - No menu lateral click em Loads, define loads, apply, structural, displacement, e on keypoints e a seguinte janela abrirá

12 2 - digite 1, ou click no keypoint click nos graus de liberdade que deseja fixar, como é um engaste, marque todos ou all dof e click em ok 4 - o próximo passo é colocar o carregamento, no primeiro modelo vamos apenas colocar uma força concentrada na extremidade livre e no segundo acrescentaremos um carregamento distribuído. Portanto, considerem primeiro somente o carregamento pontual, e no próximo modelo considerem o distribuído. Para uma força pontual, siga em Loads, define loads, apply, structural, force/moment, e on keypoints e a seguinte janela abrirá

13 5 - selecione o keypoint 2, clicando ou digitando 6 - selecione a direção da força e entre com o valor da intensidade (valor negativo indica que será em -y) e click em OK. 7 - Para carregamento distribuído, click em Loads, define loads, apply, structural, pressure, e on beams, e selecione os elementos nos quais a força

14 distribuída está agindo. No nosso modelo click em pick all e coloque um valor (a definição de pressão é sempre normal e no sentido da estrutura, mas depende da normal da linha), como mostrado no exemplo abaixo 8 - O resultado deve ser: O próximo passo é resolver o problema, o padrão é análise estática linear, então click em solution, solve e corrent ls, como mostrado abaixo:

15 Finalize clicando em OK. A visualização dos resultados é feita em postproc. A visualização dos deslocamentos é feita diretamente usando o comando, general postproc, plot results, contour plot e nodal solu A seguinte tela abrirá

16 E escolha a direção que deseja visualizar a resposta, por exemplo em Y 1 NODAL SOLUTION STEP=1 SUB =1 TIME=1 UY (AVG) RSYS=0 DMX = SMN = APR :57:34 Y MX Z X MN E E-03 0 A visualização das tensões mecânicas é feita criando uma tabela através dos seguintes comando

17 1. Click em element table 2. Click em define table e depois em add 3. A tela abaixo abrirá, e digite um nome para a tabela e preencha como mostrado abaixo. Lembrando que é necessário criar duas tabelas, pois está fornecerá os valores das tensões para os nós da direita de cada elemento finito, para obter os valores dos nós da esquerda, coloque 3 ao invés de 1 e altere o nome da tabela.

18 4. É possível listar e visualizar os valores que estão na tabela SX, clicando em list elem table e plot elem table selecionando a tabela SX, como mostrado nas figuras abaixo

19 1 ELEMENT SOLUTION STEP=1 SUB =1 TIME=1 SX1 (NOAVG) DMX = SMN =4800 SMX = APR :38:16 Y ZMX X MN ELEMENT SOLUTION STEP=1 SUB =1 TIME=1 SX3 (NOAVG) DMX = SMN =.657E-06 SMX = APR :38:57 Y ZMX X MN.657E

Análise De Uma Viga Solicitada Estaticamente. Método dos Elementos Finitos Introdução ao ANSYS

Análise De Uma Viga Solicitada Estaticamente. Método dos Elementos Finitos Introdução ao ANSYS Análise De Uma Viga Solicitada Estaticamente Método dos Elementos Finitos Introdução ao ANSYS Luís Mesquita 02 de Maio de 2002 O objectivo deste documento, é o de analisar uma viga solicitada, com o carregamento

Leia mais

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 ANÁLISE DE UMA LAJE CONSIDERANDO TRÊS TIPOS DE APOIO: ENGASTADA, SIMPLESMENTE APOIADA E COM VIGA DE BORDO INTRODUÇÃO Entre os muitos

Leia mais

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 VIGA ANÁLISE MODAL, HARMÔNICA E TRANSIENTE INTRODUÇÃO Este tutorial serve como um breve guia para a utilização do software ANSYS

Leia mais

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 VASOS DE PRESSÃO INTRODUÇÃO Vasos de pressão são reservatórios que contém fluídos (líquidos ou gases) que em geral estão armazenados

Leia mais

Guia Informativo para utilizadores do LPAC. Âmbito: Ferramenta CAE Ansys. Análise linear elástica de estruturas reticuladas

Guia Informativo para utilizadores do LPAC. Âmbito: Ferramenta CAE Ansys. Análise linear elástica de estruturas reticuladas Escola Superior de Tecnologia e de Gestão Instituto Politécnico de Bragança Guia Informativo para utilizadores do LPAC Âmbito: Ferramenta CAE Ansys Análise linear elástica de estruturas reticuladas Elaborado

Leia mais

Vasos de pressão. Figura 1 Exemplos de vasos de pressão (fotos retiradas da internet)

Vasos de pressão. Figura 1 Exemplos de vasos de pressão (fotos retiradas da internet) Vasos de pressão Vasos de pressão são reservatórios que contém fluídos (líquidos ou gases) que em geral estão armazenados no seu interior. Eles devem ser projetados para resistir com segurança a pressões

Leia mais

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 ESTUDO DE UMA PONTE ROLANTE EM TRELIÇA ESPACIAL ENVOLVENDO MÚLTIPAS CONDIÇÕES DE CARREGAMENTO INTRODUÇÃO O exemplo apresentado

Leia mais

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 RESERVATÓRIOS CILINDRICOS E SILOS METÁLICOS INTRODUÇÃO Reservatórios cilíndricos são estruturas normalmente utilizadas para o armazenamento

Leia mais

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 LAJES COM CARREGAMENTOS ESPECIAIS INTRODUÇÃO O objetivo deste exemplo é a verificação do comportamento estrutural de lajes com

Leia mais

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 LAJES COM GEOMETRIAS ESPECIAIS INTRODUÇÃO O objetivo deste exemplo é a verificação do comportamento estrutural de lajes com geometrias

Leia mais

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 ESTADO PLANO DE TENSÃO CONCENTRAÇÃO DE TENSÕES AO REDOR DE ORIFÍCIOS PARTE 1 INTRODUÇÃO Quanto um corpo elástico que está submetido

Leia mais

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 ESTUDO DE UM BLOCO DE FUNDAÇÃO PARCIALMENTE CARREGADO INTRODUÇÃO O objetivo deste exemplo é a verificação do comportamento estrutural

Leia mais

Simulando com o Autodesk Inventor e Autodesk Simulation

Simulando com o Autodesk Inventor e Autodesk Simulation Simulando com o Autodesk Inventor e Autodesk Simulation Vanderson Zangerolamo MAPData Tecnologia Inf. e Com. Ltda. Será apresentado como as soluções Autodesk para simulação podem ajudar a realizar seus

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Engenharia Mecânica

Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Engenharia Mecânica Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Engenharia Mecânica Analise de Tensões em Perfil Soldado Comparação de Resultados em Elementos Finitos Aluno: Rafael Salgado Telles Vorcaro Registro:

Leia mais

Sistema topograph 98. Tutorial Módulo Fundiário

Sistema topograph 98. Tutorial Módulo Fundiário Sistema topograph 98 Tutorial Módulo Fundiário Preparando o desenho para o Módulo Fundiário _ 1. Na área de trabalho do Windows, procure o ícone do topograph e dê um duplo clique sobre ele para carregar

Leia mais

SOLID EDGE ST3 TUTORIAL 2 CRIANDO UM DESENHO NO AMBIENTE DRAFT

SOLID EDGE ST3 TUTORIAL 2 CRIANDO UM DESENHO NO AMBIENTE DRAFT SOLID EDGE ST3 TUTORIAL 2 CRIANDO UM DESENHO NO AMBIENTE DRAFT Esse tutorial traz passo a passo instruções para criação de um desenho no ambiente Draft. Na criação dos desenhos você aprenderá as técnicas

Leia mais

VIGA BI-METÁLICA SUBMETIDA A UMA VARIAÇÃO DE TEMPERATURA USANDO O ABAQUS 6.12 STUDENT EDITION

VIGA BI-METÁLICA SUBMETIDA A UMA VARIAÇÃO DE TEMPERATURA USANDO O ABAQUS 6.12 STUDENT EDITION VIGA BI-METÁLICA SUBMETIDA A UMA VARIAÇÃO DE TEMPERATURA USANDO O ABAQUS 6.12 STUDENT EDITION 1. INTRODUÇÃO 1.1. DESCRIÇÃO DO PROBLEMA: Muitas vezes o problema que desejamos solucionar é altamente nãoliner,

Leia mais

Escola de Engenharia de São Carlos EESC Universidade de São Paulo USP Departamento de Engenharia de Materiais, Aeronáutica e Automobilística

Escola de Engenharia de São Carlos EESC Universidade de São Paulo USP Departamento de Engenharia de Materiais, Aeronáutica e Automobilística Escola de Engenharia de São Carlos EESC Universidade de São Paulo USP Departamento de Engenharia de Materiais, Aeronáutica e Automobilística Tutorial 3a: Revestimento com reforço. Prof. Dr. Volnei Tita

Leia mais

Análise de estruturas 3D com o programa SAP2000 V11.0.4

Análise de estruturas 3D com o programa SAP2000 V11.0.4 Análise de estruturas 3D com o programa SAP2000 V11.0.4 Hugo Rodrigues 2008 1. Introdução Este documento tem por finalidade auxiliar a modelação tridimensional de estruturas de betão armado utilizando

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Engenharia. Departamento de Engenharia de Estruturas DISCIPLINA. Profa. Jacqueline Maria Flor

Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Engenharia. Departamento de Engenharia de Estruturas DISCIPLINA. Profa. Jacqueline Maria Flor Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia Departamento de Engenharia de Estruturas CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA EES 023 - ANÁLISE ESTRUTURAL I APOSTILA DO PROGRAMA

Leia mais

Oficina Ensinando Geometria com Auxílio do Software GEOGEBRA. Professor Responsável: Ivan José Coser Tutora: Rafaela Seabra Cardoso Leal

Oficina Ensinando Geometria com Auxílio do Software GEOGEBRA. Professor Responsável: Ivan José Coser Tutora: Rafaela Seabra Cardoso Leal Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Apucarana Projeto Novos Talentos Edital CAPES 55/12 Oficina Ensinando Geometria com Auxílio do Software GEOGEBRA Professor Responsável: Ivan José Coser

Leia mais

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 ESTUDO DO COMPORTAMENTO DE UM PÓRTICO PLANO COM DIFERENTES VINCULAÇÕES VIGA-PILAR INTRODUÇÃO O primeiro exemplo que vamos apresentar

Leia mais

Energia conservada em uma mola. Introdução. Materiais Necessários

Energia conservada em uma mola. Introdução. Materiais Necessários Intro 01 Introdução A energia é algo intangível e, portanto, as medidas de energia envolvem, necessariamente, processos de medidas indiretas. Em outras palavras, para medir energia, medimos outras grandezas

Leia mais

ESTUDO DE UMA PONTE ROLANTE EM TRELIÇA ESPACIAL ENVOLVENDO MÚLTIPLAS CONDIÇOES DE CARREGAMENTO USANDO O ABAQUS 6.

ESTUDO DE UMA PONTE ROLANTE EM TRELIÇA ESPACIAL ENVOLVENDO MÚLTIPLAS CONDIÇOES DE CARREGAMENTO USANDO O ABAQUS 6. ESTUDO DE UMA PONTE ROLANTE EM TRELIÇA ESPACIAL ENVOLVENDO MÚLTIPLAS CONDIÇOES DE CARREGAMENTO USANDO O ABAQUS 6.12 STUDENT EDITION 1. INTRODUÇÃO O exemplo apresentado a seguir visa o estudo de uma ponte

Leia mais

CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS

CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS Relembrando... Gabinete Ligando o computador São três passos básicos O ambiente Windows O Windows é um tipo de software chamado sistema operacional

Leia mais

Usando o simulador MIPS

Usando o simulador MIPS Usando o simulador MIPS O objetivo desta aula prática será a utilização do simulador MipsIt para executar programas escritos em linguagem de máquina do MIPS. 1 Criando um projeto Cada programa a ser executado

Leia mais

Sistema topograph 98. Tutorial Módulo Projetos

Sistema topograph 98. Tutorial Módulo Projetos Sistema topograph 98 Tutorial Módulo Projetos Como abrir um projeto existente _ 1. Na área de trabalho do Windows, procure o ícone do topograph e dê um duplo clique sobre ele para carregar o programa.

Leia mais

Guia de instalação. 3. Acesse o menu novamente vá em SISTEMA, CANAL GESTÃO e DIGITAL CHANNELS

Guia de instalação. 3. Acesse o menu novamente vá em SISTEMA, CANAL GESTÃO e DIGITAL CHANNELS Guia de instalação 1. Instalação da câmera: Passo 1 - Coloque a câmera no lugar desejado e insira uma ponta do cabo de rede RJ-45 no respectivo adaptador POE, que vem acompanhando em seu kit easycam, e

Leia mais

Tutorial para utilização do COSMOSXpress - SW2007

Tutorial para utilização do COSMOSXpress - SW2007 Tutorial para utilização do COSMOSXpress - SW2007 O COSMOSXpress é parte integrante da plataforma paramétrica para projetos SolidWorks CAD 3D. É uma poderosa ferramenta que permite proceder a uma análise

Leia mais

Sistema Click Principais Comandos

Sistema Click Principais Comandos Sistema Click Principais Comandos Sumário Sumário... 1 1. Principais Funções:... 2 2. Inserção de Registro (F6):... 3 3. Pesquisar Registro (F7):... 4 3.1 Pesquisa por letras:... 5 3.2 Pesquisa por números:...

Leia mais

Guia para a digitalização no software TerraSync.

Guia para a digitalização no software TerraSync. Guia para a digitalização no software TerraSync. 1) Para iniciar um processo de digitalização de feições no software TerraSync deve-se criar um arquivo de dados primeiramente: 2) Digitar um nome para o

Leia mais

Consultas a banco de dados no ArcView

Consultas a banco de dados no ArcView UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE CARTOGRAFIA Laboratório de Geoprocessamento Grazielle Anjos Carvalho Belo Horizonte, 2007 A consulta ao banco de dados no Arcview

Leia mais

Curso Autodesk Inventor CADesign Parte 1

Curso Autodesk Inventor CADesign Parte 1 Autodesk Inventor 5 - Tutorial de Modelamento 3D Pág. 1/24 Curso Autodesk Inventor CADesign Parte 1 Cristiano Nogueira Silva* Começamos nesta edição da revista apresentando um curso de Autodesk Inventor

Leia mais

Malha de terra para Subestação de Alta-Tensão utilizando o software TecAt Plus 5 (Grounding grid design using TecAt Plus 5)

Malha de terra para Subestação de Alta-Tensão utilizando o software TecAt Plus 5 (Grounding grid design using TecAt Plus 5) Malha de terra para Subestação de Alta-Tensão utilizando o software TecAt Plus 5 (Grounding grid design using TecAt Plus 5) st 1 ed. July 12, 2011 2011 Officina de Mydia Editora Ltda., Brazil www.mydia.com

Leia mais

Análise estrutural de um pórtico 2-D de concreto armado

Análise estrutural de um pórtico 2-D de concreto armado Análise estrutural de um pórtico 2-D de concreto armado Nestor Guevara PROMEC Análise estrutural de linhas de transmissão (pode contemplar análise modal e dinâmica) basicamente ver como se comporta a estrutura

Leia mais

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox.

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. - Construção do Banco de Dados: Para podermos inserir algo em um banco precisaremos de um Banco de Dados, para isto iremos montar um utilizando o Programa Database

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PSPICE. Usaremos o PSPICE para simular o circuito mostrado na Figura 1. Figura 1. Exemplo No. 1

INTRODUÇÃO AO PSPICE. Usaremos o PSPICE para simular o circuito mostrado na Figura 1. Figura 1. Exemplo No. 1 INTRODUÇÃO AO PSPICE 1. O QUE É O PSPICE? O programa PSPICE (ORCAD) é um simulador digital de circuitos eletrônicos, que emula os comportamentos de um circuito real. Deste modo ele permite fazer todos

Leia mais

2. A FERRAMENTA SOLVER (EXCEL)

2. A FERRAMENTA SOLVER (EXCEL) Faculdade de Engenharia Eng. Celso Daniel Engenharia de Produção 2. A FERRAMENTA SOLVER (EXCEL) Diversas ferramentas para solução de problemas de otimização, comerciais ou acadêmicos, sejam eles lineares

Leia mais

Tratamento de Dados Utilizando o SciDAVis Tutorial Parte 1 Como construir um gráfico e fazer um ajuste linear

Tratamento de Dados Utilizando o SciDAVis Tutorial Parte 1 Como construir um gráfico e fazer um ajuste linear LABORATÓRIO DE FÍSICA EXPERIMENTAL 1 DEPARTAMENTO DE FÍSICA - DAFIS UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ - UTFPR Tratamento de Dados Utilizando o SciDAVis Tutorial Parte 1 Como construir um gráfico

Leia mais

Serviço Seguro de Mensagens Instantâneas

Serviço Seguro de Mensagens Instantâneas COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GERÊNCIA DE CONTROLE E INFORMAÇÕES Serviço Seguro de Mensagens Instantâneas Jabber & Exodus Jabber é um protocolo aberto, baseado em XML para troca de mensagens instantâneas.

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA SERRA DOS ÓRGÃOS. Curso de Matemática

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA SERRA DOS ÓRGÃOS. Curso de Matemática Introdução ao GeoGebra software livre 0 CENTRO UNIVERSITÁRIO DA SERRA DOS ÓRGÃOS Curso de Matemática Primeiros Passos Com o Software Livre GeoGebra Março de 2010 Prof. Ilydio Pereira de Sá Introdução ao

Leia mais

Prefeitura Municipal de Sete Lagoas Secretaria de Planejamento Orçamento e Tecnologia Subsecretaria de Tecnologia da Informação

Prefeitura Municipal de Sete Lagoas Secretaria de Planejamento Orçamento e Tecnologia Subsecretaria de Tecnologia da Informação Tutorial para abertura de chamado Este sistema foi personalizado, instalado e configurado pela equipe da. O objetivo desta implantação é informatizar os registros de atendimento de suporte técnico para

Leia mais

16 - SCARTA. 1. Abrir o SCARTA clicando no ícone que se encontra na área de trabalho (Fig.1). Fig.1- Ícone do SCARTA

16 - SCARTA. 1. Abrir o SCARTA clicando no ícone que se encontra na área de trabalho (Fig.1). Fig.1- Ícone do SCARTA 16 - SCARTA Módulo do SPRING que permite editar uma carta e gerar arquivo para impressão, permitindo a apresentação na forma de um documento cartográfico. 1. Abrir o SCARTA clicando no ícone que se encontra

Leia mais

Manual PAINT.NET de imagens

Manual PAINT.NET de imagens Manual PAINT.NET de imagens 1. Instalação 1.1 - Para instalar o programa paint.net, o primeiro passo é baixá-lo do endereço a seguir e salvá-lo em seu computador. http://ww2.prefeitura.sp.gov.br/paint_net/paint.net.3.36.exe

Leia mais

Como gerar arquivos.plt

Como gerar arquivos.plt Como gerar arquivos.plt O formato PLT destina se a uso em plotters. É como se você tivesse um plotter conectado diretamente ao seu computador. No momento que manda imprimir, o AutoCAD (ou qualquer outro

Leia mais

A equação da posição em função do tempo t do MRUV - movimento retilíneo uniformemente variado é:

A equação da posição em função do tempo t do MRUV - movimento retilíneo uniformemente variado é: Modellus Atividade 3 Queda livre. Do alto de duas torres, uma na Terra e outra na Lua, deixaram-se cair duas pedras, sem velocidade inicial. Considerando que cada uma das pedras leva 3,0s atingir o solo

Leia mais

CURSO BÁSICO DE CRIAÇÃO DE SITES MÓDULO 2 AULA 1

CURSO BÁSICO DE CRIAÇÃO DE SITES MÓDULO 2 AULA 1 Agora você vai aprender como criar um site de comércio eletrônico para que sua mãe possa vender os produtos para as amigas dela usando seu site. Vamos arregaçar as mangas e começar a trabalhar. Lembra

Leia mais

Tutorial do Sistema GeoOffice. Todos os direitos reservados (1999-2002)

Tutorial do Sistema GeoOffice. Todos os direitos reservados (1999-2002) Tutorial do Sistema GeoOffice Todos os direitos reservados (1999-2002) Sistema GeoOffice Sistema Topográfico Solution Softwares Tutorial Passo a Passo Conteúdo I Tabela de Conteúdos Foreword 0 Parte I

Leia mais

ATENÇÃO. Leitura Indispensável

ATENÇÃO. Leitura Indispensável ATENÇÃO Leitura Indispensável O Guia Rápido do Asure ID 2009 foi criado com base na versão Exchange, ou seja, a versão mais completa da linha Asure ID 2009, portanto, os usuários de outras versões ao utilizarem

Leia mais

Passo- a- passo SKILLSPECTOR Software gratuito para análise cinemática Procedimentos para configuração, digitalização e calibragem

Passo- a- passo SKILLSPECTOR Software gratuito para análise cinemática Procedimentos para configuração, digitalização e calibragem Passo- a- passo SKILLSPECTOR Software gratuito para análise cinemática Procedimentos para configuração, digitalização e calibragem Prof. Dr. Ricardo Martins de Souza O passo- a- passo a seguir tem como

Leia mais

Tutorial Ouvidoria. Acesso, Utilização, Visualização das Manifestações e Resposta ao Manifestante

Tutorial Ouvidoria. Acesso, Utilização, Visualização das Manifestações e Resposta ao Manifestante Tutorial Ouvidoria Acesso, Utilização, Visualização das Manifestações e Resposta ao Manifestante Como acessar a Ouvidoria? 1. Primeiramente acesse o site de sua instituição, como exemplo vamos utilizar

Leia mais

Tutorial Baseado em video do Sr. Rafael Streda.

Tutorial Baseado em video do Sr. Rafael Streda. Tutorial Baseado em video do Sr. Rafael Streda. Tipos de Conexões Veremos nestes exemplos os Tipos de Conexões entre obejtos existentes no Active3D, o objetivo é mostrar de uma forma bem prática a aplicação

Leia mais

Importante!! A forma e o número de segmentos de cada seção influirá diretamente nesta função.

Importante!! A forma e o número de segmentos de cada seção influirá diretamente nesta função. Capítulo 4- Funções complementares de modelagem - I 1 Loft Este comando interpola seções. Como em todas as opções da modelagem, inicialmente desenhe os contornos. Acesse o loft e em seguida selecione as

Leia mais

Cadastrando uma oportunidade no Ibmec Carreiras

Cadastrando uma oportunidade no Ibmec Carreiras Cadastrando uma oportunidade no Ibmec Carreiras Uma vaga cadastrada no Ibmec Carreiras é divulgada para todos os alunos da instituição, possibilitando que as empresas encontrem rapidamente o profissional

Leia mais

Introdução ao Projeto de Aeronaves. Aula 36 Dimensionamento Estrutural por Análise Numérica

Introdução ao Projeto de Aeronaves. Aula 36 Dimensionamento Estrutural por Análise Numérica Introdução ao Projeto de Aeronaves Aula 36 Dimensionamento Estrutural por Análise Numérica Tópicos Abordados Método dos Elementos Finitos. Softwares para Análise Numérica. Método do Elementos Finitos No

Leia mais

Manual do Plone (novo portal do IFCE)

Manual do Plone (novo portal do IFCE) Manual do Plone (novo portal do IFCE) Dezembro/2015 Índice Como criar submenus... 3 Como criar banner rotativo... 4 Como remover um banner... 5 Como criar uma notícia... 6 Como inserir imagem na notícia...

Leia mais

Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64)

Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64) Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64) Manual do Usuário Índice O que é Token?... 03 Instalação do Token... 04 Verificação do Certificado... 07 Troca de Senhas... 10 O que é Token? É um dispositivo

Leia mais

AULA_04 - Modelagem features básicas sólidos de revolução (protusões e cortes)

AULA_04 - Modelagem features básicas sólidos de revolução (protusões e cortes) AULA_04 - Modelagem features básicas sólidos de revolução (protusões e cortes) Observação: Os passos 1 a 5 podem ser iguais aos abordados na AULA_03 Modelagem features básicas sólidos extrudados (protusões

Leia mais

COMO ACESSAR O SISTEMA?

COMO ACESSAR O SISTEMA? COMO ACESSAR O SISTEMA? 1º Passo Vai ao ícone do programa que está na área de trabalho. Veja a figura abaixo com o ícone do programa: 2º Passo - Clique 2 vezes sobre o ícone. 3º Passo Após os dois clique

Leia mais

Manual: Ftool Para Iniciantes

Manual: Ftool Para Iniciantes Autor: Profº Lucas Vissotto Manual: Ftool Para Iniciantes 1. De forma a facilitar a execução da estrutura, recomenda-se selecionar as opções grid e snap no pé direito do programa. Ver Figura 1. Na mesma

Leia mais

Banner Flutuante. Dreamweaver

Banner Flutuante. Dreamweaver Banner Flutuante Dreamweaver Começamos com um arquivo em branco no Dreamweaver MX. Para que o banner apareça sobre a página, precisamos inserir uma camada a mais no arquivo HTML. Selecione o menu Inserir

Leia mais

PROJETO SALA DE AULA

PROJETO SALA DE AULA PROJETO SALA DE AULA 1. Identificação: Título: APRENDENDO FUNÇÕES BRINCANDO Série: 1º série do Ensino Fundamental Softwares Necessários: Cabri-Géomètre, Jogos de Funções e Graphmatica Tempo previsto: Seis

Leia mais

Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64)

Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64) Página1 Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64) Manual do Usuário Página2 Índice O que é Token?... 03 Instalação do Token... 04 Verificação do Certificado... 07 Troca de Senhas...10 Página3

Leia mais

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 CHAMINÉ COM VARIAÇÃO DE TEMPERATURA INTERNA E EXTERNA A) INTRODUÇÃO: INTRODUÇÃO O Método dos Elementos Finitos aplicado à solução

Leia mais

Treinamento Sistema Condominium Módulo III

Treinamento Sistema Condominium Módulo III Financeiro (Lançamentos Despesas e Saldos) Nesse módulo iremos apresentar os principais recursos da área contábil do sistema. Contábil> Lançamentos Nessa tela é possível lançar as despesas dos condomínios,

Leia mais

Configuração Do Firebird no Ide NetBeans

Configuração Do Firebird no Ide NetBeans Configuração Do Firebird no Ide NetBeans Inicialmente devemos fazer o download do Netbeans 5.5 localizado no site da Sun (www.sun.com). Em seguida baixar o driver JayBird, localizado no site do firebird

Leia mais

Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ

Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ 1 1. Introdução Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ O ImageJ é um software livre (freeware) que pode ser obtido gratuitamente no site http://rsb.info.nih.gov/ij/. Esse software é

Leia mais

Cobrança Bancária. Contas / Manutenção.

Cobrança Bancária. Contas / Manutenção. Cobrança Bancária Este tutorial objetiva auxiliar os usuários na configuração do sistema para que a emissão de cobrança bancária dos títulos a receber seja feita. Os processos a seguir consistem na geração

Leia mais

Treinamento Módulo Contas a Pagar

Treinamento Módulo Contas a Pagar Contas a Pagar Todas as telas de cadastro também são telas de consultas futuras, portanto sempre que alterar alguma informação clique em Gravar ou pressione F2. Teclas de atalho: Tecla F2 Gravar Tecla

Leia mais

Cap.6 FORÇAS INTERNAS, 2D E 3D

Cap.6 FORÇAS INTERNAS, 2D E 3D Sistemas musculo esqueléticos. Força interna no músculo deltóide. Exemplo de levantamento de peso. O levantamento de pesos envolve a rotação de um segmento anatómico do corpo humano, o braço. Como este

Leia mais

TUTORIAL GOOGLE DRIVE

TUTORIAL GOOGLE DRIVE TUTORIAL GOOGLE DRIVE Armazenar e compartilhar arquivos ou pastas no google drive. Para compartilhar e armazenar arquivos no google drive é necessário ter uma conta google ou conta no gmail. Após criar

Leia mais

Instalação e Operação dos Aplicativos Serie 5000/6000

Instalação e Operação dos Aplicativos Serie 5000/6000 Instalação e Operação dos Aplicativos Serie 5000/6000 Requisitos mínimos de Hardware: Pentium 3 de 500 mhz ou Celeron de 700 mhz ou superior 128 MB de RAM 100 MB livres no disco rígido Requisitos de Software:

Leia mais

Questão - 01. Essência do Excel 2003...

Questão - 01. Essência do Excel 2003... Valdir Questão - 01 Como deve proceder o usuário do Microsoft para que sejam atualizados os cálculos das funções ou fórmulas utilizadas nas planilhas? a) Pressionar a tecla F9 no teclado b) Pressionar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CURSO DIDÁTICO SOBRE O SIMULADOR DE CIRCUITOS ELÉTRICOS E ELETRÔNICOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CURSO DIDÁTICO SOBRE O SIMULADOR DE CIRCUITOS ELÉTRICOS E ELETRÔNICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - DEE CURSO DIDÁTICO SOBRE O SIMULADOR DE CIRCUITOS ELÉTRICOS E ELETRÔNICOS Prof. Fortaleza, Agosto de 2003 ORCAD

Leia mais

Disciplinas: Mecânica dos Materiais 2 6º Período E Dinâmica e Projeto de Máquinas 2-10º Período

Disciplinas: Mecânica dos Materiais 2 6º Período E Dinâmica e Projeto de Máquinas 2-10º Período UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO POLITÉCNICO Graduação em Engenharia Mecânica Disciplinas: Mecânica dos Materiais 2 6º Período E Dinâmica e Projeto de Máquinas 2-10º Período Professor:

Leia mais

Autodesk Inventor 7. Tutorial de Modelamento 3D Básico. Modelamento de uma Polia. Autor: Cristiano Nogueira Silva

Autodesk Inventor 7. Tutorial de Modelamento 3D Básico. Modelamento de uma Polia. Autor: Cristiano Nogueira Silva Autodesk Inventor 7 Tutorial de Modelamento 3D Básico Modelamento de uma Polia Autor: Cristiano Nogueira Silva Reprodução e divulgação totalmente permitidas pelo autor. Apenas pedimos que sejam mantidas

Leia mais

STK (Start Kit DARUMA) Driver Genérico Somente Texto para a impressora DR700 ETHERNET

STK (Start Kit DARUMA) Driver Genérico Somente Texto para a impressora DR700 ETHERNET STK (Start Kit DARUMA) Driver Genérico Somente Texto para a impressora DR700 ETHERNET Neste STK mostraremos como instalar e configurar o driver Genérico Somente Texto com a impressora DR700 Ethernet, no

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Compartilhamento de Arquivos no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução...

Leia mais

COMPARAÇÃO DE CÁLCULOS ANALÍTICOS COM ELEMENTOS FINITOS DE VIGAS COMPOSTAS

COMPARAÇÃO DE CÁLCULOS ANALÍTICOS COM ELEMENTOS FINITOS DE VIGAS COMPOSTAS COMPARAÇÃO DE CÁLCULOS ANALÍTICOS COM ELEMENTOS FINITOS DE VIGAS COMPOSTAS Benedito Rabelo de Moura Junior 1, Denis da Silva Ponzo 2, Júlio César Moraes 3, Leandro Aparecido dos Santos 4, Vagner Luiz Silva

Leia mais

Perguntas mais Frequentes sobre Escalas no AutoCAD e suas Respostas

Perguntas mais Frequentes sobre Escalas no AutoCAD e suas Respostas Perguntas mais Frequentes sobre Escalas no AutoCAD e suas Respostas Cleber Reis Professor de AutoCAD 2D e 3D AC5904-V Compreender as escalas no AutoCAD pode parecer uma tarefa difícil, mas não é. Qual

Leia mais

Tutorial Administrativo (Backoffice)

Tutorial Administrativo (Backoffice) Manual - Software ENTRANDO NO SISTEMA BACKOFFICE Para entrar no sitema Backoffice, digite no seu navegador de internet o seguinte endereço: http://pesquisa.webbyapp.com/ Entre com o login e senha. Caso

Leia mais

Tutorial GSControl CLP DUO CellControl GPRS. Suporte Técnico Rev: A

Tutorial GSControl CLP DUO CellControl GPRS. Suporte Técnico Rev: A Tutorial GSControl CLP DUO CellControl GPRS Suporte Técnico Rev: A Considerações Gerais Tutorial de Produtos Considerações Gerais Este documento descreve a utilização do CLP Duo e do CellControl GPRS e

Leia mais

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova.

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova. 3.5 Páginas: Ao clicar em Páginas, são exibidas todas as páginas criadas para o Blog. No nosso exemplo já existirá uma página com o Título Página de Exemplo, criada quando o WorPress foi instalado. Ao

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA OFICINA Nº8

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA OFICINA Nº8 SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA OFICINA Nº8 Desenvolver juntamente aos professores, alunos, equipe diretiva e demais participantes atividades que auxiliem no uso do aplicativo KlogoTurtle e KPresenter assim os

Leia mais

Conhecendo o Proteus

Conhecendo o Proteus Conhecendo o Proteus Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br Em uma série de 3 artigos, veremos como usar o Proteus. Introdução Iremos neste momento iniciar nosso estudo no Proteus usando para isso as

Leia mais

ÍNDICE... 3 INTRODUÇÃO... 4. A série... 4

ÍNDICE... 3 INTRODUÇÃO... 4. A série... 4 EXCEL 2007 e 2010 2 ÍNDICE ÍNDICE... 3 INTRODUÇÃO... 4 A série... 4 01 LISTA COM VALIDAÇÃO... 5 02 FUNÇÕES FINANCEIRAS... 7 03 FUNÇÃO DE BANCO DE DADOS... 12 04 RÓTULOS... 15 05 TABELA DINÂMICA... 18 06

Leia mais

Wordpress - Designtec. Manual básico de gerenciamento Práticas de Geografia

Wordpress - Designtec. Manual básico de gerenciamento Práticas de Geografia Wordpress - Designtec Manual básico de gerenciamento Práticas de Geografia 1 Índice Acessando o painel administrativo... 3 Gerenciamento de edições... 3 Gerenciamento de artigos... 3 Publicando mídias...

Leia mais

INE 7001 - Procedimentos de Análise Bidimensional de variáveis QUANTITATIVAS utilizando o Microsoft Excel. Professor Marcelo Menezes Reis

INE 7001 - Procedimentos de Análise Bidimensional de variáveis QUANTITATIVAS utilizando o Microsoft Excel. Professor Marcelo Menezes Reis INE 7001 - Procedimentos de Análise Bidimensional de variáveis QUANTITATIVAS utilizando o Microsoft Excel. Professor Marcelo Menezes Reis O objetivo deste texto é apresentar os principais procedimentos

Leia mais

GERENCIADOR DE CONTEÚDO

GERENCIADOR DE CONTEÚDO 1/1313 MANUAL DO USUÁRIO GERENCIADOR DE CONTEÚDO CRISTAL 2/13 ÍNDICE 1. OBJETIVO......3 2. OPERAÇÃO DOS MÓDULOS......3 2.1 GERENCIADOR DE CONTEÚDO......3 2.2 ADMINISTRAÇÃO......4 Perfil de Acesso:... 4

Leia mais

DHCP no Windows Server

DHCP no Windows Server no Windows Server João Medeiros (joao.fatern@gmail.com) 1 / 23 Visão Geral Visão Geral Configuração da rede do Servidor servidor servidor servidor servidor Configurando a rede do servidor Adicionando e

Leia mais

CRIANDO UM BANCO DE DADOS

CRIANDO UM BANCO DE DADOS CRIANDO UM BANCO DE DADOS Bem, antes de iniciarmos propriamente no delphi, devemos aprender a usar sua ferramentas, sendo uma das mais importantes o Database Desktop, pois é com esta que construímos nossos

Leia mais

SISTEMA DUPLICATA. A) Preenchendo dados da duplicata

SISTEMA DUPLICATA. A) Preenchendo dados da duplicata SISTEMA DUPLICATA MANUAL DO USUARIO Inicialmente quero dizer, que sinto extremamente honrado, em poder participar, com meu aplicativo na sua empresa. Espero sinceramente, que esse programa possa ser realmente

Leia mais

MANUAL ZEDIT 32 Índice:

MANUAL ZEDIT 32 Índice: MANUAL ZEDIT 32 Índice: Configuração Painel -------------------------------------------------------------------- 02 à 04 Criar Novo modelo Painel -------------------------------------------------------------

Leia mais

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 2 Pedreiros da Informação Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL

Leia mais

Autor: Eduardo Popovici Tutorial: Criando uma folha de Fichário / Caderno Software: Photoshop CS3 Ext. Ferramentas Utilizadas:

Autor: Eduardo Popovici Tutorial: Criando uma folha de Fichário / Caderno Software: Photoshop CS3 Ext. Ferramentas Utilizadas: Autor: Eduardo Popovici Tutorial: Criando uma folha de Fichário / Caderno Software: Photoshop CS3 Ext. Ferramentas Utilizadas: Criando arquivo novo Seleções Cor uniforme Lata de Tinta Criando camadas Janela

Leia mais

MANUAL DO PROGRAMA CSPSNet

MANUAL DO PROGRAMA CSPSNet MANUAL DO PROGRAMA CSPSNet Qualquer dúvida entre em contato: (33)32795093 01 USUÁRIO/CSPSNet O sistema CSPSNet está configurado para funcionar corretamente nos seguintes browsers: Internet Explorer 8.0,

Leia mais

AULA 6: SERVIDOR DNS EM WINDOWS SERVER

AULA 6: SERVIDOR DNS EM WINDOWS SERVER AULA 6: SERVIDOR DNS EM WINDOWS SERVER Objetivo: Instalar e detalhar o funcionamento de um Servidor de DNS (Domain Name System) no sistema operacional Microsoft Windows 2003 Server. Ferramentas: - ISO

Leia mais

Exportar vídeo no Adobe Premiere com o Codec H.264/AAC

Exportar vídeo no Adobe Premiere com o Codec H.264/AAC Exportar vídeo no Adobe Premiere com o Codec H.264/AAC Este tutorial tem como objetivo explicar ao nosso cliente de Streaming de Vídeo Ondemand ou AutoVJ, como exportar através do Adobe Premiere seu vídeo

Leia mais

Informática no Ensino de Matemática Prof. José Carlos de Souza Junior

Informática no Ensino de Matemática Prof. José Carlos de Souza Junior Informática no Ensino de Matemática Prof. José Carlos de Souza Junior http://www.unifal-mg.edu.br/matematica/?q=disc jc Aula 05 - Desvendando o GeoGebra PARTE 04 - COMO APAGAR OBJETOS. Ao iniciar o GeoGebra,

Leia mais

Capítulo 7. Sequenciamento das Tarefas

Capítulo 7. Sequenciamento das Tarefas Capítulo 7 Sequenciamento das Tarefas 125 5.1 RELACIONAMENTO ENTRE TAREFAS Para que o cronograma do projeto seja executado corretamente e as mudanças inseridas seja calculadas de forma correta é importante

Leia mais