Aula 2: O que é um vírus?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula 2: O que é um vírus?"

Transcrição

1 Aula 2: O que é um vírus? Fabrício S. Campos Equipe de Virologia UFRGS & IPVDF Site: 1

2 Vivemos em uma nuvem de vírus 2

3 Infectam todas as formas de vida 3

4 Nós comemos e respiramos vírus 4

5 Nós carreamos genomas virais como parte do nosso próprio genoma 5

6 Cada uma de nossas células está infectada por vírus Retrovírus endógenos: elementos virais derivados de retrovírus Traços de infecções virais ocorridas a milhares de anos integrados no genoma humano Dewannieux et al.,

7 Todos os vírus causam danos? Temperatura 55 o C Não colonizada Colonizada Vírus da tolerância termal da Curvularia Curvularia Thermal Tolerance Virus Curvularia protuberata 7

8 Tulip breaking virus (TBV) Pétalas anormais Quebras de cor Não forma pigmento em partes da flor 8

9 O quão infectados estamos? HSV 1, HSV 2, VZV, EBV, HCMV, HHV 6, HHV 7, HHV 8 Permanecem no organismo por toda a vida 9

10 Objetivo da aula Apresentar a denominação, a classificação, os tipos de genomas e um pouco do que se conhece sobre a estrutura e a replicação viral 10

11 Escopo da aula Uma breve introdução a classificação e a estrutura viral Etapas da replicação viral Tipos de genoma 11

12 Definição Classificação Estrutura Replicação Viral Tipos de genoma 12

13 Definição Classificação Estrutura Replicação Viral Tipos de genoma 13

14 O que é um vírus? Muito pequenos, infecciosos Parasita intracelular obrigatório Partículas químicas que não podem se reproduzir sozinhas Necessitam de um hospedeiro celular 14

15 Os vírus são muito pequenos Átomo de carbono HIV-1 TMV Fago Ribossomos E. coli Poliovírus X Miosina Actina X 15

16 Os vírus gigantes Mimivírus, mamavírus Megavírus, pandoravírus Infectam amebas Genomas de 1,2 a 2,8 Mb Sputnik: virófago Alterando o conceito sobre vírus!!! Raoult et al., 2004; La Scola et al., 2008; Philippe et al.,

17 Descoberto vírus gigante congelado há mais de 30 mil anos na Sibéria Pithovirus sibericum Fonte: PNAS: Legendre, M. & Bartolia, J. et al.,

18 Pithovirus sibericum 30 metros de profundidade solo congelado da tundra ártica, Chukotka na Sibéria, Rússia Temperatura média anual -13,4 o C Datação por radiocarbono (carbono 14) 30 mil anos (mamutes e neandertais) 18

19 Pithovirus sibericum Vírus com grande nucleocitoplasmatico Vírus DNA, 610 Kb 467 proteínas diferentes 1,5 µm (microscópio óptico) Hospedeiro: Acanthamoeba 19

20 Definição Classificação Estrutura Replicação Viral Tipos de genoma 20

21 Classificação dos vírus Natureza e sequencia de ácido nucleio Simetria ou forma do capsídeo Presença ou ausência de envelope Dimensão do virion ou capsídeo 21

22 Classificação dos vírus ICTV: Comitê Internacional de Taxonomia de Vírus + de vírus isolados de bactérias, plantas, animais e alocados em 7 ordens, 96 famílias, 420 gêneros e 2618 espécies No oceano há cerca de vírus 22

23 23

24 Vírus influenciam a dinâmica das populações de plâncton Os fito plâncton tem um papel importante no ciclo de carbono Vírus infectam organismos marinhos, entre eles os fito plâncton Esta infecção resulta em lise celular e liberação de novas partículas Controlando a população, principalmente em aumentos sazonais ( spring blooms ) Rhodes et al.,

25 Biomassa dos vírus > dos elefantes > 25

26 Definição Classificação Estrutura Replicação Viral Tipos de genoma 26

27 Estrutura de um vírus Ácido nucleico: DNA ou RNA Capsídeo: do latim capsa significa caixa Nucleocapsideo: ác nucleio + capsídeo Matrix: proteína que preenche o espaço entre o capsideo e o envelope Envelope: membrana viral Derivado da membrana do hospedeiro 27

28 Estrutura de um vírus Virion: partícula viral infecciosa 28

29 Os capsídeos são metaestáveis Devem proteger o genoma (estável) E liberá-lo rapidamente durante a infecção viral (instável) 29

30 Simetria do nucleocapsídeo Icosaédrica, cúbica ou helicoidal Adenovírus DNA, ñ envelopado Influenza RNA, envelopado Vírus da Raiva RNA, envelopado 30

31 Entendendo os vírus Vírus dependem de seus hospedeiros para sobreviver Se são muito bem sucedidos e matam seus hospedeiros, eles podem ser eliminados Se eles forem muito passivos e a defesa do hospedeiro impedir o seu crescimento, eles podem ser eliminados 31

32 Definição Classificação Estrutura Replicação Viral Tipos de genoma 32

33 Replicação Replicação em biologia Síntese de moléculas de ácidos nucléicos X Em virologia Todo o processo de multiplicação viral 33

34 Vírus replicam num ambiente hostil Qual o objetivo da replicação? Produzir progênie viral viável Consequências Nenhuma (maioria dos vírus) Doença (Hepatites virais) Morte do hospedeiro (HIV) 34

35 Infecção produtiva Alguns conceitos Produção de progênie viral viável Infecção abortiva Ciclo replicativo interrompido Susceptibilidade (receptor) Capacidade das células de serem infectadas Permissividade (enzimas) Ocorrência de multiplicação viral 35

36 Aplicação prática Tabela 1 - Consequências da infecção de espécies de ruminantes com BoHV-1. Veados e renas: células são apenas suscetíveis Não permitem a replicação viral: não permissivas Fonte: J. Thiry et al., Receptores: conferem a características aos vírus de serem espécie-específicos 36

37 Mais conceitos Espectro de hospedeiro Conjunto de espécies animais ou de diferentes células Tropismo Predileção por células ou tecidos Presença de receptores Ex.: H5N1 se liga aos receptores de ác siálicogalactose 37

38 Ácido siálico: receptor influenza Memb celular Ligação α-2,3 (aves) Humanos: ligação α-2,6 Suínos: possuem ambas as ligações 38

39 Etapas da replicação 1. Adsorção 2. Penetração 3. Desnudamento 4. Expressão gênica 5. Replicação do genoma 6. Montagem 7. Liberação 39

40 Fases de infecção vírus lítico 40

41 Vírus lítico 41

42 Vírus lítico 42

43 1. Adsorção Ligação específica das partículas víricas na superfície das células hospedeiras Proteínas de superfície dos vírions (VAPs) Vírus nú: proteínas do capsídeo Vírus envelopados: glicoproteínas Receptores celulares Proteínas (glicoproteínas) Carboidratos 43

44 1. Adsorção 44

45 1. Adsorção Vírus que utilizam receptores específicos Rinovírus, poliovírus, FMDV Vírus que utilizam receptores alternativos Herpesvírus, togavírus (rubéola) Vantagem evolutiva?!? Receptores virais Ác siálico (Influenza), CD4 (HIV) 45

46 1. Adsorção Co-receptores: auxiliam na interação HIV: o complexo gp120 gp41 vai se ligar ao receptor CD4 E os receptores de citocinas vão atuar como co-receptores celulares (CXCR4, CCR5) 46

47 Co-receptores (HIV: CXCR4, CCR5) 47

48 Passagem do vírus pela membrana plasmática 2. Penetração A) Fusão com a memb. plasmática B) Fusão após endocitose mediada por clatrina C) Fusão após endocitose mediada por caveolina D-E) Penetração após endocitose mediada por lipídios 48

49 2. Penetração 49

50 3. Desnudamento Série de eventos que ocorre após a penetração Exposição do genoma para transcrição / tradução Estar acessível as enzimas Vírus DNA: penetração do genoma nos poros nucleares 50

51 Vírus RNA Vírus DNA 51

52 Definição Classificação Estrutura Replicação Viral Tipos de genoma 52

53 4. Expressão gênica Os genomas virais de DNA ou RNA são estruturalmente diversos linear circular segmentado Fita única de polaridade (+) Fita única de polaridade (-) Fita dupla Fita dupla parcial 53

54 4. Expressão gênica Classificação de Baltimore (1975) Vírus de DNA fs Vírus de DNA fd (±) Transcrição Síntese da outra fita Intermediário de DNA fd Transcrição reversa Pode ser usado diretamente mrna (sentido +) Transcrição fita (-) Transcrição fita (-) Retrovírus RNA fs (+) Vírus RNA fs (+) Vírus RNA fs (-) Vírus de RNA fd (±) Fonte: Madigan,

55 Qual informação é codificada em um genoma viral? Produtos de genes e sinais de regulação para: A replicação do genoma viral Montagem e empacotamento do genoma Regulação do ciclo de replicação Modulação de defesas do hospedeiro Disseminação para outras células e hospedeiros 55

56 Qual informação NÃO é codificada em um genoma viral? Não possuem genes que codificam a síntese completa de proteína dependem da maquinaria celular Não possuem genes que codificam proteínas envolvidas na produção de energia ou na síntese de membrana Não possuem genes que codificam centrômeros ou telômeros encontrados nos cromossomos 56

57 5.1. Replicação vírus DNA Replicação no núcleo Exceção: poxvírus (replicam no citoplasma) DNA fita dupla: dsdna (Classe I) maioria DNA fita simples: ssdna (Classe II) DNA parcialmente dupla: pdsdna (Classe VII) 57

58 Genomas dsdna: DNA fita dupla Traduzido Transcrito Transcrito Replicado Genoma copiado pela DNA polimerase do hospedeiro ou pela DNA polimerase viral Genes iniciais: codificam proteínas não estruturais Genes tardios: codificam proteínas estruturais Ex.: Poliomavírus, papilomavírus, adenovírus, herpesvírus 58

59 Genomas ssdna: DNA fita simples Traduzido Transcrito Replicado Replicado NÃO codificam a DNA polimerase Toda replicação é realizada pela polimerase do hospedeiro Tb codificam proteínas estruturais e ñ estruturais Ex.: Circovírus (TT vírus), parvovírus (Parvivírus B19) 59

60 Genomas pdsdna fita parcialmente dupla Traduzido Transcrito Replicado Transcrito Replicado Replicado Replicação parte núcleo e parte no citoplasma Expressão gênica: inicial, intermediaria e tardia Quebra do dogma da biologia: DNA => RNA => Proteínas Ex.: Vírus da Hepatite B Transcriptase reversa X 60

61 5.2. Replicação vírus RNA Replicação no citoplasma RNA fita simples Maioria * Ortomixovírus: no núcleo As células não possuem a RNA polimerase dependente de RNA viral Enzima é codificada pelo genoma viral Vai sintetizar o genoma de RNA e o mrna viral mrna será lido pelos ribossomos da célula 61

62 Vírus RNA Vírus RNA (+): genoma infeccioso Vírus RNA (+) = mrna Vírus RNA (-): não infeccioso RNA fita simples (+): ssrna (+) (Classe IV) RNA fita simples (-): ssrna (-) (Classe V) RNA fita dupla: dsrna (Classe III) RNA fita simples (+) com DNA intermediário: ssrna-rt (+) (Classe VI) 62

63 Genomas ssrna (+): RNA fita simples (+) Traduzido Replicado Replicado Genoma com ORF única e longa Origina uma poliproteína (clivada por proteases celulares e virais) RNA polimerase viral: replicação do genoma num intermediário de RNA (-) Ex.: Coronavírus (SARS); Flavivírus (febre amarela, dengue, BDVD, hepatite C); Picornavírus (febre aftosa, rinovírus, enterovírus); Togavírus (rubéola, Encefalite equina) 63

64 Genomas ssrna (-): RNA fita simples (-) Replicado Traduzido Replicado Replicado Trazem a replicase viral (RNA polimerase) mrna sem CAP e cauda de poli A (ir no núcleo) Proteínas estruturais e não estruturais Ex: Ortomixovírus (influenzavírus); Paramixovírus (parainfluenza, sarampo, hrsv, pneumo e metapneumovpirus); Rhabidovírus (vírus da raiva) 64

65 Genomas dsrna (+/-): RNA fita dupla (+/-) Replicado Traduzido Replicado Muitos vírus com dsrna são segmentados Carregam a polimerase viral / produção de mrna Transcrição primária: proteínas não estruturais Transcrição secundária: proteínas estruturais Ex.: Reoviridae: 10 a 12 segmentos (Rotavírus) 65

66 Genomas ssrna (+) com DNA intermediário Replicado Replicado Transcrito Traduzido Transcriptase reversa provírus Replicação no citoplasma e núcleo Carregam: RT, integrase, protease Única família: Retroviridae Ex.: HIV e HTLV (vírus T-linfotrófico humano) 66

67 Definição Classificação Estrutura Tipos de genoma Replicação Viral 67

68 6. Montagem Ocorre no final do ciclo replicativo O vírus adquiri a capacidade infectiva, ou seja, ocorre a maturação Nos vírus envelopados ocorre a aquisição do envelope 68

69 7. Liberação (vírus nú) Vírus nú já sai pronto do citoplasma (RNA) ou núcleo (DNA) Liberados quando ocorre a destruição das células infectadas 69

70 7. Liberação (vírus envelopado) Envelope é derivado da membrana plasmática (bi-camada fosfolipídica) Genoma viral não codifica lipídios Envelope é formado durante o brotamento do nucleocapsídeo através da membrana 70

71 7. Liberação (vírus envelopado) Envelope adquirido das membranas celulares internas 71

72 Vídeo exemplificando a replicação do HIV 72

73 Mensagens principais Os vírus são parasitas intracelulares obrigatórios Maioria não causa dano a célula São muito pequenos (não visíveis ao microscópico óptico) Estrutura: ácido nucleico, capsídeo e envelope 73

74 Mensagens principais São espécie-específicos afinidade pelo receptor celular Etapas da replicação: 1) adsorção, 2) penetração, 3) replicação, 4) montagem e 5) liberação Vírion = partícula viral infecciosa 74

75 Mensagens principais Vírus DNA: maioria fita dupla / replicação no núcleo Vírus RNA: maioria fita simples / replicação no citoplasma mrna: molécula comum a todos os tipos de vírus 75

76 Mensagens principais Envelope: adquirido da membrana plasmática Vírus de RNA polaridade positiva: genoma infeccioso Transciptase reversa: RNA polimerase viral dependente de RNA viral Provírus: retrovírus integrado no genoma 76

77 Sugestões de leitura 77

78 Sugestões de leitura Livros: Virologia Veterinária: Virologia Geral e Doenças Víricas. Flores, E. F. (org.). 2a ed. Santa Maria: UFSM, Principles of Virology. Flint, S.J.; Enquist, L.W.; Racaniello, V.R. 3rd ed. ASM Press, Artigos: Legendre, M. and Bartolia, J. et al. Thirty-thousand-year-old distant relative of giant icosahedral DNA viruses with a pandoravirus morphology. PNAS, March 3: 1-6, Thiry, J.; Keuser, V.; Muylkens, B.; Meurens, F.; Gogev, S.; Vanderplasschen, A.; Thiry, E. Ruminant alphaherpesviruses related to bovine herpesvirus 1. Vet. Res. 37: , Blog: Virology blog ( 78

Aula 1: O que é um vírus?

Aula 1: O que é um vírus? Aula 1: O que é um vírus? Fabrício S. Campos camposvet@gmail.com Equipe de Virologia UFRGS & IPVDF Site: www.ufrgs.br/labvir 1 A árvore da vida Onde estão vírus? Por que eles não fazem parte da árvore

Leia mais

VÍRUS Definição e estrutura viral

VÍRUS Definição e estrutura viral VÍRUS Definição e estrutura viral A na Cláudia Franco LabVir/ICBS Virologia x outras ciências Bacteriologia, micologia, parasitologia, imunologia Virologia: visualizamos o efeito do vírus na célula Todos

Leia mais

Introdução. Multiplicação dos vírus. Conseqüências. Parasitas intracelulares obrigatórios. Replicação? Produzir progênie viável

Introdução. Multiplicação dos vírus. Conseqüências. Parasitas intracelulares obrigatórios. Replicação? Produzir progênie viável Universidade Federal do Rio Grande do Sul Programa de Pós-graduação em Microbiologia Agrícola e do Ambiente Disciplina de Virologia Básica - Biomedicina P P G M A A REPLICAÇÃO VIRAL FABRÍCIO SOUZA CAMPOS*

Leia mais

MULTIPLICAÇÃO VIRAL MULTIPLICATION 1 MULTIPLICAÇÃO

MULTIPLICAÇÃO VIRAL MULTIPLICATION 1 MULTIPLICAÇÃO VIRAL MULTIPLICATION 1 Esquema geral de multiplicação de vírus 2 VIRAL 1- ADSORÇÃO 2- PENETRAÇÃO 3- EXPRESSÃO GÊNICA (TRANSCRIÇÃO E TRADUÇÃO DE PROTEÍNAS) 4- REPLICAÇÃO DO GENOMA 5- MONTAGEM / MATURAÇÃO

Leia mais

REPLICAÇÃO, PATOGENIA CONTROLE VIRAL

REPLICAÇÃO, PATOGENIA CONTROLE VIRAL Microbiologia Geral REPLICAÇÃO, PATOGENIA CONTROLE VIRAL Fernanda Villar Corrêa CARACTERÍSTICAS VIRAIS - Genoma DNA ou RNA - Na célula hospedeira o genoma viral direciona a síntese dos componentes necessários

Leia mais

MULTIPLICAÇÃO VIRAL Danielly Cantarelli

MULTIPLICAÇÃO VIRAL Danielly Cantarelli MULTIPLICAÇÃO VIRAL Danielly Cantarelli 1 Os vírus não possuem enzimas para a produção de energia nem para a síntese protéica Para que um vírus se multiplique, ele deve invadir uma célula hospedeira e

Leia mais

Característica gerais dos vírus e Replicação viral

Característica gerais dos vírus e Replicação viral Característica gerais dos vírus e Replicação viral O que são os vírus? São agentes infecciosos acelulares; São replicados por uma célula hospedeira (não possuem metabolismo, são parasitas moleculares);

Leia mais

Vírus Características Gerais

Vírus Características Gerais Vírus Características Gerais Características Gerais Do latim veneno Agentes diminutos visíveis por microscopia eletrônica 10 a 100 vezes menores que bactérias 20-30 nm Estruturalmente muito simples Apenas

Leia mais

Características Gerais dos Vírus

Características Gerais dos Vírus Características Gerais dos Vírus Vírus Agentes causadores de infecções no homem, outros animais, vegetais e bactérias. São desprovidos de organelas e sem metabolismo próprio. Parasitas intracelulares obrigatórios.

Leia mais

Estrutura e replicação viral

Estrutura e replicação viral Estrutura e replicação viral Fabrício S. Campos camposvet@gmail.com Equipe de Virologia do ICBS / UFRGS Agosto de 2015 Fonte: http://www.google.com/imghp 1 Fonte: http://www.google.com/imghp 2 Infectam

Leia mais

Vírus: Características gerais

Vírus: Características gerais São muito frequentes nos jornais notícias sobre poliomielite, sarampo, febre amarela, dengue, raiva, AIDS, entre outras doenças. Mas as doenças citadas apresentam uma característica em comum: são causadas

Leia mais

Replicação viral. Princípios gerais

Replicação viral. Princípios gerais Replicação viral Princípios gerais Vírus replicam através da montagem de componentes pré-formados Adaptado de D. E. White and F. J. Fenner. Medical Virology, Fourth Edition. Academic Press, 1994 Esquema

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS ESTRUTURA

CARACTERÍSTICAS GERAIS ESTRUTURA VÍRUS DEFINIÇÃO São agentes infecciosos não-celulares, cujo genoma pode ser DNA ou RNA. Replicam-se somente em células vivas, utilizando toda a maquinaria de biossíntese e de produção de energia da célula

Leia mais

Replicação dos Vírus. Células 26/04/2012. Ciclo celular. Vírus: não apresentam estrutura celular. ausência de metabolismo

Replicação dos Vírus. Células 26/04/2012. Ciclo celular. Vírus: não apresentam estrutura celular. ausência de metabolismo Replicação dos Vírus Profª Maria Luzia da Rosa e Silva Vírus: não apresentam estrutura celular ausência de metabolismo Entretanto, a produção de novas partículas (Replicação) Requer síntese de macromoléculas

Leia mais

Home page virologia. www6.ufrgs.br/labvir. Laboratório: ICBS- sala 208. (aulas, métodos, artigos, referências, material didático)

Home page virologia. www6.ufrgs.br/labvir. Laboratório: ICBS- sala 208. (aulas, métodos, artigos, referências, material didático) Home page virologia www6.ufrgs.br/labvir Laboratório: ICBS- sala 208 (aulas, métodos, artigos, referências, material didático) Visite nossa página e conheça nossa equipe! Prof. Paulo Michel Roehe Vivemos

Leia mais

Replicação viral. Fases da replicação viral: 1. Adsorção. 6. Liberação. 2. Penetração. 5. Maturação. 3. Desnudamento. 4.

Replicação viral. Fases da replicação viral: 1. Adsorção. 6. Liberação. 2. Penetração. 5. Maturação. 3. Desnudamento. 4. Replicação viral Fases da replicação viral: 1. Adsorção 6. Liberação 2. Penetração 5. Maturação 3. Desnudamento 4. Replicação http://encarta.msn.com/ 1. Adsorção União do vírus ao receptor celular Receptores:

Leia mais

Curso de Nivelamento de Biologia

Curso de Nivelamento de Biologia Curso de Nivelamento de Biologia Vírus Aula 2-2017 Profª. Priscila Brustin Especialista Biotecnologia e Meio Ambiente DEFINIÇÃO: VÍRUS Vírus (do latim virus, "veneno" ou "toxina"). Parasitas intracelulares

Leia mais

PROPRIEDADES GERAIS DOS VIRUS. Charlotte Marianna Hársi

PROPRIEDADES GERAIS DOS VIRUS. Charlotte Marianna Hársi PROPRIEDADES GERAIS DOS VIRUS Charlotte Marianna Hársi ICB-USP 2009 H1N1 poliomielite Vírus? HIV meningite Dengue resfriados Influenza ebola gastrenterite Febre amarela hepatite sarampo herpes catapora

Leia mais

Propriedades gerais dos vírus

Propriedades gerais dos vírus Propriedades gerais dos vírus Os vírus estão por todo o lugar Infectam todas as formas de vida. Nós comemos e respiramos bilhões de vírus todos os dias. Carregamos material genético viral em nosso genoma.

Leia mais

Estrutura típica de um vírus?

Estrutura típica de um vírus? Estrutura típica de um vírus? Quais são as principais características dos vírus?. São organismos acelulares;. For a da célula são denominados de VÍRION. São parasitas intracelulares obrigatórios;. Não

Leia mais

Introdução a Virologia. Definição - O que é vírus? Composição e estrutura Genoma e Replicação

Introdução a Virologia. Definição - O que é vírus? Composição e estrutura Genoma e Replicação Introdução a Virologia Definição - O que é vírus? Composição e estrutura Genoma e Replicação O que é vírus? Agentes infecciosos ultramicroscópicos Não são células São partículas filtráveis Só apresentam

Leia mais

Morfologia e Replicação dos vírus

Morfologia e Replicação dos vírus Universidade Federal Fluminense Departamento de Microbiologia e Parasitologia Morfologia e Replicação dos vírus Tatiana Xavier de Castro Calendário virologia 2016 Aula prática: uso obrigatório do jaleco

Leia mais

Introdução ao estudo dos Vírus

Introdução ao estudo dos Vírus Universidade Federal Fluminense Departamento de Microbiologia e Parasitologia Disciplina: Virologia III Curso: Medicina Veterinária Introdução ao estudo dos Vírus Profa. Rita de Cássia Nasser Cubel Garcia

Leia mais

VÍRU R S U Colégio Mauá

VÍRU R S U Colégio Mauá Colégio Mauá VÍRUS O QUE É UM VÍRUS??? Vírus vem do latim = Veneno; São os únicos organismos acelulares, com organização apenas molecular, sendo formados por uma cápsula de proteínas (capsídeo) envolvendo

Leia mais

Características Gerais, Classificação e Estrutura das Partículas Virais

Características Gerais, Classificação e Estrutura das Partículas Virais Características Gerais, Classificação e Estrutura das Partículas Virais Profª Maria Luzia da Rosa e Silva OMS: cerca de 70% das doenças infecciosas do mundo são de etiologia viral DENGUE HEPATITE C CATAPORA

Leia mais

Morfologia Viral e Replicação viral. Tatiana Castro Departamento de Microbiologia e Parasitologia- UFF

Morfologia Viral e Replicação viral. Tatiana Castro Departamento de Microbiologia e Parasitologia- UFF Morfologia Viral e Replicação viral Tatiana Castro Departamento de Microbiologia e Parasitologia- UFF Material Didático: - Flores, E.F. Virologia Veterinária. Virologia Geral e Doenças Víricas 2a Ed. UFSM,

Leia mais

Processos de interação vírus célula. e replicação viral

Processos de interação vírus célula. e replicação viral Processos de interação vírus célula e replicação viral Adsorção: ligação do receptor celular e antirreceptor viral. Exemplo poliovírus: 1 Adsorção: ligação do receptor celular e antirreceptor viral. Hepatite

Leia mais

Processos de Replicação Viral. Vírus com genoma a RNA

Processos de Replicação Viral. Vírus com genoma a RNA Processos de Replicação Viral Vírus com genoma a RNA Capítulos 74, 75, 88 e 92 Principles of Virology- Flint et all, 4 th Edition ( archives, NCBI) https://archive.org/details/ Principles_of_Virology_4th_Edition_2_Vol_set_by_S._Jane_Flint_Ly

Leia mais

Vírus. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA

Vírus. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Vírus Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Virologia Virologia. Ramo da Biologia que estuda os vírus e suas propriedades. Vírus é totalmente inerte fora da sua célula hospedeira; Dependem totalmente da

Leia mais

VÍRUS: A ESTRUTURA DO HIV E SEU CICLO DE VIDA

VÍRUS: A ESTRUTURA DO HIV E SEU CICLO DE VIDA VÍRUS: A ESTRUTURA DO HIV E SEU CICLO DE VIDA O vírus HIV possui duas moléculas de RNA envoltas por cápsulas proteicas (capsídeo), formando o nucleocapsídeo. Além do material genético, possui algumas enzimas,

Leia mais

Os mais simples microrganismos ou as mais complexas entidades moleculares??

Os mais simples microrganismos ou as mais complexas entidades moleculares?? Os mais simples microrganismos ou as mais complexas entidades moleculares?? Prof a Cleonice Miguez Dias da Silva Modificado por: Moisés Myra Araújo www. bioloja.com Direitos autorais reservados. Para uso

Leia mais

Apostila Morfologia e Replicação Viral

Apostila Morfologia e Replicação Viral UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA PROJETO DE MONITORIA NA DISCIPLINA DE VIROLOGIA III Apostila Morfologia e Replicação Viral Monitora: Haiany Martins Orientadora:

Leia mais

Apresentação do RELATÓRIO. FONTE Arial ou Times New Roman, Tamanho da fonte: 12. ESPAÇAMENTO Espaço entre as linhas: 1,5 (um e meio).

Apresentação do RELATÓRIO. FONTE Arial ou Times New Roman, Tamanho da fonte: 12. ESPAÇAMENTO Espaço entre as linhas: 1,5 (um e meio). Apresentação do RELATÓRIO FONTE Arial ou Times New Roman, Tamanho da fonte: 12 ESPAÇAMENTO Espaço entre as linhas: 1,5 (um e meio). MARGEM a) para o anverso (frente) margens superior e esquerda com 3,0cm

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS

CARACTERÍSTICAS GERAIS VÍRUS DEFINIÇÃO DE VÍRUS Entidades infecciosas não celulares cujo genoma pode ser DNA ou RNA. Replicamse somente em células vivas, utilizando toda a maquinaria de biossíntese e de produção de energia da

Leia mais

Prof Silvia Cavalcanti

Prof Silvia Cavalcanti Prof Silvia Cavalcanti O primeiro relato de uma infecção viral: hieróglifo de Memphis (3700 AC) com sinais típicos de poliomielite paralítica O Faraó Ramses V, que morreu em 1196 AC, parece ter contraído

Leia mais

Morfologia Viral e Replicação viral. Tatiana Castro Departamento de Microbiologia e Parasitologia- UFF

Morfologia Viral e Replicação viral. Tatiana Castro Departamento de Microbiologia e Parasitologia- UFF Morfologia Viral e Replicação viral Tatiana Castro Departamento de Microbiologia e Parasitologia- UFF http://www. prograd.uff.br/virologia - Aula prática: Jaleco, calça comprida e sapato fechado - Lista

Leia mais

Classificação viral segundo Baltimore. DNA dupla fita DNA simples fita DNA dupla fita DNA dupla fita RNA fita+ RNA fita + mrna RNA fita +

Classificação viral segundo Baltimore. DNA dupla fita DNA simples fita DNA dupla fita DNA dupla fita RNA fita+ RNA fita + mrna RNA fita + Processos de Replicação Viral Vírus com genoma a RNA Classificação viral segundo Baltimore. DNA dupla fita DNA dupla fita RNA fita+ RNA fita + DNA dupla fita mrna DNA simples fita DNA dupla fita RNA fita

Leia mais

Patogenia Viral II. Rafael B. Varella Prof. Virologia UFF

Patogenia Viral II. Rafael B. Varella Prof. Virologia UFF Patogenia Viral II Rafael B. Varella Prof. Virologia UFF Patogenia: interação de fatores do vírus e do hospedeiro, com consequente produção de doença Patogenia das viroses Processo de desenvolvimento de

Leia mais

15/08/2014. Evidências de doenças virais nas civilizações egípcias e grecoromanas

15/08/2014. Evidências de doenças virais nas civilizações egípcias e grecoromanas Evidências de doenças virais nas civilizações egípcias e grecoromanas Obra Ilíada : pesonalidade raivosa de Heitor Faraó Ramsés V: Sequelas de varíola na face Cidadão do povo com sequelas poliomielite

Leia mais

Vírus - Caracterização Geral

Vírus - Caracterização Geral Noções de Vírus By Profª. Cynthia Vírus - Caracterização Geral Vírus = veneno ou fluído venenoso (Latim) Acelulares/ Partículas Infecciosas Composição química de nucleoproteínas (DNA ou RNA+Proteínas)

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Instituto Federal de Alagoas - Campus Piranhas ENGENHARIA AGRONÔMICA Vírus Prof.(a) Juliana Moraes Piranhas 2018 A natureza do vírus MADIGAN ET AL. (2016) e TORTORA et al. (2010)

Leia mais

VÍRUS: ENTIDADE BIOLÓGICA DEPENDENTE DE CÉLULAS. Profa. Dra Priscila Elisa Silveira

VÍRUS: ENTIDADE BIOLÓGICA DEPENDENTE DE CÉLULAS. Profa. Dra Priscila Elisa Silveira VÍRUS: ENTIDADE BIOLÓGICA DEPENDENTE DE CÉLULAS Profa. Dra Priscila Elisa Silveira Situação problema 2 Imagine que em uma escola infantil, na sala de crianças de 5 anos, Carlinhos aparece com lesões nos

Leia mais

Vírus. Microbiologia FFI Profa. Nelma 24/11/2017

Vírus. Microbiologia FFI Profa. Nelma 24/11/2017 Vírus Microbiologia FFI 7600082 Profa. Nelma 24/11/2017 Vírus Definição Elementos genéticos incapazes de replicaremse independentemente de uma célula viva. Têm forma extracelular (forma infecciosa madura)

Leia mais

MULTIPLICAÇÃO OU REPLICAÇÃO VIRAL Dentre as características essenciais dos vírus, se destaca a propriedade de somente serem aptos a se multiplicar no

MULTIPLICAÇÃO OU REPLICAÇÃO VIRAL Dentre as características essenciais dos vírus, se destaca a propriedade de somente serem aptos a se multiplicar no MULTIPLICAÇÃO OU REPLICAÇÃO VIRAL Dentre as características essenciais dos vírus, se destaca a propriedade de somente serem aptos a se multiplicar no interior de células vivas (parasitas intracelulares

Leia mais

especiais, que através do sistema do encaixe ou ajuste induzido unem-se ao

especiais, que através do sistema do encaixe ou ajuste induzido unem-se ao VÍRUS: CARACTERÍSTICAS GERAIS A palavra vírus significa veneno, e é o nome dado à pequenas estruturas infecciosas dotadas de uma capa e material genético. Essas estruturas são mais pequenas do que as menores

Leia mais

Divisão Celular e Vírus

Divisão Celular e Vírus Divisão Celular e Vírus DNA na Intérfase DNA menos condensado (forma de cromatina) Eucromatina: DNA desespiralizado ATIVO! Heterocromatina: Carioteca DNA espiralizado INATIVO! heterocromatina eucromatina

Leia mais

Conclusão? Onde classificá-los? Ensino Médio - 3 ano Professor: Marco Aurélio dos Santos

Conclusão? Onde classificá-los? Ensino Médio - 3 ano Professor: Marco Aurélio dos Santos Ensino Médio - 3 ano Professor: Marco Aurélio dos Santos TEORIA CELULAR teoria celular é um dos conhecimentos fundamentais da biologia. Todos os seres vivos são compostos por células (Matthias Jakob Schleiden

Leia mais

Biologia. Unicelulares e Multicelulares / Vírus. Professor Enrico Blota.

Biologia. Unicelulares e Multicelulares / Vírus. Professor Enrico Blota. Biologia Unicelulares e Multicelulares / Vírus Professor Enrico Blota www.acasadoconcurseiro.com.br Biologia ATÓTROFOS, HETERÓTROFOS, UNICELULARES, MULTICELULARES E VÍRUS Os seres vivos podem ser classificados

Leia mais

Vírus. Microbiologia FFI Profa. Nelma 06/11/2018

Vírus. Microbiologia FFI Profa. Nelma 06/11/2018 Vírus Microbiologia FFI 7600082 Profa. Nelma 06/11/2018 Objetivos de aprendizagem 1. Caracterizar o vírion quanto à sua estrutura. 2. Explicar os modos de ação dos fármacos anti-virais. 3. Descrever, em

Leia mais

Processos de interação vírus célula. Mutiplicação e replicação vírus DNA

Processos de interação vírus célula. Mutiplicação e replicação vírus DNA Processos de interação vírus célula Mutiplicação e replicação vírus DNA Capítulos 73 e 89 Trabulsi e Althertum, 2015 Capítulos 4, 5 e 9 do Flint et al, 2015 1 Adsorção: ligação do receptor celular e antirreceptor

Leia mais

1ª Aula Teórico-Práticas Doenças Infeciosas Ano letivo 2016/2017

1ª Aula Teórico-Práticas Doenças Infeciosas Ano letivo 2016/2017 1ª Aula Teórico-Práticas Doenças Infeciosas Ano letivo 2016/2017 Módulo I Mecanismos de patogenicidade dos agentes de infeção Mecanismos de patogenicidade dos vírus Bibliografia: Murray, 7th, cap 45 15

Leia mais

Divisão Celular e Vírus

Divisão Celular e Vírus Divisão Celular e Vírus DNA na Intérfase DNA menos condensado (forma de cromatina) Eucromatina: DNA desespiralizado ATIVO! Heterocromatina: Carioteca DNA espiralizado INATIVO! heterocromatina eucromatina

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina BIO270 Virologia Geral e Molecular

Programa Analítico de Disciplina BIO270 Virologia Geral e Molecular Catálogo de Graduação 016 da UFV 0 Programa Analítico de Disciplina BIO70 Virologia Geral e Molecular Departamento de Biologia Geral - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Número de créditos: 6 Teóricas

Leia mais

Bem vindos a disciplina de MAD I

Bem vindos a disciplina de MAD I Bem vindos a disciplina de MAD I Disciplina: MAD I Orientador didático: Prof. Claudia Vitral Virologia Profa. Claudia Bacteriologia Profa. Renata Avaliações: 1a VA 4 abr 2a VA 9 mai 3a VA 13 jun 4a VA

Leia mais

Início no final do século XIX; Agentes infecciosos capazes de passar por filtros que retinham bactérias; Evolução técnico-científica; Nem todos

Início no final do século XIX; Agentes infecciosos capazes de passar por filtros que retinham bactérias; Evolução técnico-científica; Nem todos Início no final do século XIX; Agentes infecciosos capazes de passar por filtros que retinham bactérias; Evolução técnico-científica; Nem todos agentes filtráveis podiam ser classificados como vírus; Vírus:

Leia mais

Estrutura, genoma e estratégia geral da replicação I

Estrutura, genoma e estratégia geral da replicação I Estrutura, genoma e estratégia geral da replicação I Profa Dra Mônica Santos de Freitas 19.10.2011 1 Estrutura Viral Variação do tamanho e forma dos vírus Acidianus bottle virus Mimivírus 2 Estruturas

Leia mais

Vírus Veneno Termo utilizado devido aos problemas que estes agentes podem causar. Histórico. Histórico Adolf Mayer, Holanda: Primeiro relato

Vírus Veneno Termo utilizado devido aos problemas que estes agentes podem causar. Histórico. Histórico Adolf Mayer, Holanda: Primeiro relato UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DISCIPLINA: MICROBIOLOGIA AMBIENTAL PROFESSORA: Adriana Silva Lima CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS VÍRUS Vírus Veneno Termo utilizado devido

Leia mais

Resposta imune a vírus. Regis Mariano de Andrade/Cleonice Alves de Melo Bento Médico Infectologista (FIOCRUZ)/Professora de Imunologia(UNIRIO)

Resposta imune a vírus. Regis Mariano de Andrade/Cleonice Alves de Melo Bento Médico Infectologista (FIOCRUZ)/Professora de Imunologia(UNIRIO) Resposta imune a vírus Regis Mariano de Andrade/Cleonice Alves de Melo Bento Médico Infectologista (FIOCRUZ)/Professora de Imunologia(UNIRIO) Conceitos básicos sobre vírus Tamanho: 30 300nm Estrutura:

Leia mais

Família Herpesviridae

Família Herpesviridae Herpesvírus Humanos Família Herpesviridae Vírus ubíquos Altamente espécie-específicos Causam Latência: Capacidade de manter conteúdo genético dentro da célula hospedeira, sem replicar ou causar doença.

Leia mais

GENOMAS. Prof. Dr. Marcelo Ricardo Vicari

GENOMAS. Prof. Dr. Marcelo Ricardo Vicari GENOMAS Prof. Dr. Marcelo Ricardo Vicari Genoma Viral DNA ou RNA DNA RNA dsdna ssdna dsrna ssrna ssrna (+) ssrna (- ) Prof. Dr. Marcelo Ricardo Vicari Replicação viral Dependente de organelas e enzimas

Leia mais

Para estudarmos a reprodução viral vamos analisar a reprodução do bacteriófago, parasito intracelular de bactérias. Bacteriófago

Para estudarmos a reprodução viral vamos analisar a reprodução do bacteriófago, parasito intracelular de bactérias. Bacteriófago 6) Reprodução Viral o Os vírus só se reproduzem no interior de uma célula hospedeira. o O ácido nucléico dos vírus possui somente uma pequena parte dos genes necessários para a síntese de novos vírus.

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS VÍRUS 1

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS VÍRUS 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS VÍRUS 1 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DOS VÍRUS São agentes infecciosos com características diferenciadas; Não são visualizados ao Microscópio de Luz; Não são isolados in vitro

Leia mais

Vírus: Vírus de eucariotos e de procariotos: aspectos gerais

Vírus: Vírus de eucariotos e de procariotos: aspectos gerais Vírus: Vírus de eucariotos e de procariotos: aspectos gerais Profa.Dra.DoloresU. Mehnert Laboratório de Vírus Entéricos Humanos e Animais Vírus Seriam só causadores de Doenças? Características gerais dos

Leia mais

BMM 160 Microbiologia Básica para Farmácia Prof. Armando Ventura Apostila de Virologia. Histórico

BMM 160 Microbiologia Básica para Farmácia Prof. Armando Ventura Apostila de Virologia. Histórico BMM 160 Microbiologia Básica para Farmácia Prof. Armando Ventura Apostila de Virologia Histórico Os vírus são virtualmente capazes de infectar todos os organismos vivos, e tiveram um grande impacto na

Leia mais

VÍRUS 21/10/2011. Características. Prof. Paulo Henrique Grazziotti Microbiologia do Solo. 2. Características Gerais Seres vivos ou não? 1.

VÍRUS 21/10/2011. Características. Prof. Paulo Henrique Grazziotti Microbiologia do Solo. 2. Características Gerais Seres vivos ou não? 1. VÍRUS Prof. Paulo Henrique Grazziotti Microbiologia do Solo 1. História 1886 Adolf Mayer (Químico holandês) o mosaico do tabaco era transmissível entre plantas 1892 Dmitri Iwanowski (Bacteriologista) o

Leia mais

Vírus. Biologia IV Profa. Dra. Ilana L. B. C. Camargo

Vírus. Biologia IV Profa. Dra. Ilana L. B. C. Camargo Vírus Biologia IV Profa. Dra. Ilana L. B. C. Camargo Vírus Um pouco de história 1886, químico holandês Adolf Mayer: demonstrou que a doença do mosaico do tabaco (DMT) era transmissível de uma planta doente

Leia mais

DOGMA CENTRAL DA BIOLOGIA MOLECULAR

DOGMA CENTRAL DA BIOLOGIA MOLECULAR Transcrição do DNA DOGMA CENTRAL DA BIOLOGIA MOLECULAR Replicação DNA Transcrição RNA Tradução PROTEÍNA Transcrição Processo pelo qual o DNA é copiado numa molécula de RNA (mrna, rrna e trna). Todos os

Leia mais

Vírus. Microbiologia - Vírus Prof. Márcia G. Perdoncini

Vírus. Microbiologia - Vírus Prof. Márcia G. Perdoncini Vírus Microbiologia - Vírus 1) Características gerais dos vírus Vírus (latim: veneno) São agentes infectantes de células vivas, causadores de doenças em animais e plantas, e capazes de atacar outros organismos

Leia mais

Propriedades gerais dos vírus

Propriedades gerais dos vírus Propriedades gerais dos vírus Há quanto tempo os vírus existem entre nós? Referências históricas Conceito de microrganismos Leeuwenhoek (1632 1723) Pasteur (1822 1895) Koch (1843-1910) Anton van Leeuwenhoek

Leia mais

O QUE SÃO VÍRUS? São elementos genéticos dependentes de uma célula hospedeira para se replicar.

O QUE SÃO VÍRUS? São elementos genéticos dependentes de uma célula hospedeira para se replicar. VÍRUS HISTÓRICO Em 1884, Chamberland, trabalhando no laboratório de Pasteur, descobriu que ao passar um líquido contendo bactéria através de um filtro de porcelana, as bactérias ficavam completamente retidas

Leia mais

VÍRUS DIFERENTES DE TODOS OS ORGANISMOS

VÍRUS DIFERENTES DE TODOS OS ORGANISMOS Biologia Vírus Vírus Menores entidades biológicas conhecidas 15 a 300 nanometros (nm) (1,5.10 5 a 30. 10 4 mm) Não apresentam organização celular (acelulares) Parasitas intracelulares obrigatórios Não

Leia mais

Respostas celulares às infecções virais

Respostas celulares às infecções virais Respostas celulares às infecções virais Tipos de genomas virais A classificação dos vírus é baseada nos tipos de genomas virais Vírus que infectam animais Ciclo de replicação (Influenza) Ciclo de replicação

Leia mais

BIOLOGIA. Identidade dos Seres Vivos Vírus e Bactérias. Prof. Daniele Duó

BIOLOGIA. Identidade dos Seres Vivos Vírus e Bactérias. Prof. Daniele Duó BIOLOGIA Identidade dos Seres Vivos Vírus e Bactérias Prof. Daniele Duó Vírus - São seres simples, formados basicamente por uma capsula proteica (capsídeo) envolvendo o material genético. - Capsídeo +

Leia mais

Transcrição: Síntese de RNA Tradução: Síntese Proteica

Transcrição: Síntese de RNA Tradução: Síntese Proteica Transcrição: Síntese de RNA Tradução: Síntese Proteica A estrutura química da molécula de RNA apresenta pequenas diferenças em relação ao DNA. http://www.nature.com/scitable/learning-path/theelaboration-of-the-central-dogma-701886#url

Leia mais

Biologia. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor:

Biologia. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Biologia Questão 1 (Fuvest 2002) Os vírus A. ( ) possuem genes para os três tipos de RNA (ribossômico, mensageiro e transportador), pois utilizam apenas aminoácidos

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia Biologia Molecular. Prof. Odir Dellagostin

Universidade Federal de Pelotas Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia Biologia Molecular. Prof. Odir Dellagostin Universidade Federal de Pelotas Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia Biologia Molecular Prof. Odir Dellagostin Whittaker 1969 5 reinos divididos principalmente pelas características morfológicas

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Microbiologia

Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Microbiologia Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Microbiologia Introdução. Propriedades gerais dos vírus. Classificação dos vírus. Diagnóstico laboratorial das viroses. Esta aula contém 5 páginas 23/03/2007

Leia mais

DNA, cromossomos e organização dos genes do genoma

DNA, cromossomos e organização dos genes do genoma DNA, cromossomos e organização dos genes do genoma Profa. Dra. Aline Maria da Silva Instituto de Química- USP Bibliografia: Genes VII - Benjamin Lewin Lenhinger Principles of Biochemistry (3a. Ed.) Genoma

Leia mais

Gleica Maria Josino de Macena. Tamires Corrêa Gaspar

Gleica Maria Josino de Macena. Tamires Corrêa Gaspar Gleica Maria Josino de Macena gleica_macena@hotmail.com Estudante do 3º ano de Medicina pela Universidade Anhembi Morumbi Tamires Corrêa Gaspar tami-gaspar@hotmail.com Estudante do 3º ano de Medicina pela

Leia mais

Estrutura do virion. Informações genética Infectividade. Genoma DNA/ RNA. Nucleocapsídeo. Proteção do RNA/DNA Adsorção Determinantes antigênicos

Estrutura do virion. Informações genética Infectividade. Genoma DNA/ RNA. Nucleocapsídeo. Proteção do RNA/DNA Adsorção Determinantes antigênicos Estrutura do virion Nucleocapsídeo Genoma DNA/ RNA Capsídeo Capa de proteínas Informações genética Infectividade Proteção do RNA/DNA Adsorção Determinantes antigênicos Envelope (alguns) Lipídios Glicoproteínas:

Leia mais

Anabolismo Nuclear e Divisão Celular

Anabolismo Nuclear e Divisão Celular 1. (UFRN) Uma proteína X codificada pelo gene Xp é sintetizada nos ribossomos, a partir de um RNAm. Para que a síntese aconteça, é necessário que ocorram, no núcleo e no citoplasma, respectivamente, as

Leia mais

Vírus Veneno Termo utilizado devido aos problemas que estes agentes podem causar. Histórico. Características Gerais dos Vírus.

Vírus Veneno Termo utilizado devido aos problemas que estes agentes podem causar. Histórico. Características Gerais dos Vírus. Disciplina: Microbiologia Geral Características Gerais dos Vírus Vírus Veneno Termo utilizado devido aos problemas que estes agentes podem causar Histórico 1886- Adolf Mayer, Holanda: Primeiro relato de

Leia mais

Programa de Retomada de Conteúdo - 1º ano 3º bimestre BIOLOGIA

Programa de Retomada de Conteúdo - 1º ano 3º bimestre BIOLOGIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular. Rua Cantagalo 313, 325, 337 e 339 Tatuapé Fones: 2293-9393 e 2293-9166 Diretoria de Ensino Região LESTE 5 Programa de Retomada de Conteúdo

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS VÍRUS 1

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS VÍRUS 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS VÍRUS 1 MARCOS INICIAIS DA VIROLOGIA Veneno 1886 Adolf Mayer = Vírus do Mosaico da Tabaco (TMD): era transmissível de uma planta doente para uma saudável; não era isolado in

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE PARASITOLOGIA, MICROBIOLOGIA E IMUNOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE PARASITOLOGIA, MICROBIOLOGIA E IMUNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE PARASITOLOGIA, MICROBIOLOGIA E IMUNOLOGIA Genética Bacteriana Disciplina: Biologia de Microrganismos Professora: Alessandra Machado Genética Bacteriana

Leia mais

15/10/2009 GENÉTICA BACTERIANA. Disciplina: Microbiologia Geral Curso: Nutrição Prof. Renata Fernandes Rabello. Informação genética essencial.

15/10/2009 GENÉTICA BACTERIANA. Disciplina: Microbiologia Geral Curso: Nutrição Prof. Renata Fernandes Rabello. Informação genética essencial. GENÉTICA BACTERIANA GENOMA BACTERIANO Cromossoma (nucleóide) Informação genética essencial. Ácido desoxirribonucléico (DNA). Disciplina: Microbiologia Geral Curso: Nutrição Prof. Renata Fernandes Rabello

Leia mais

REGULAÇÃO DO MATERIAL GENÉTICO

REGULAÇÃO DO MATERIAL GENÉTICO REGULAÇÃO DO MATERIAL GENÉTICO Prof. Ana Rita Rainho Controlo da actividade celular Se todas as células de um organismo possuem a mesma informação genética, qual o mecanismo que permite às células diferenciar-se?

Leia mais

Bactérias Vírus Fungos Protozoários O QUE SÃO

Bactérias Vírus Fungos Protozoários O QUE SÃO Bactérias Vírus Fungos Protozoários RESUMO DOS PRINCIPAIS MICRORGANISMOS, O QUE SÃO MEIOS DE PROLIFERAÇÃO... Diferença entre as células Bactérias São seres muito simples, unicelulares e com célula procariótica

Leia mais

Transferência da informação genética

Transferência da informação genética Transferência da informação genética Ana Beatriz Santoro santoro@bioqmed.ufrj.br Replicação do DNA Características universais do mecanismo de replicação -Semi-conservativo -Bidirecional -Semi-descontínua

Leia mais

Prof. Msc. Cleysyvan Macedo

Prof. Msc. Cleysyvan Macedo Prof. Msc. Cleysyvan Macedo PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DOS VÍRUS: Não possui estruturas celulares (membrana plasmática, citoplasma, etc.). São formado basicamente por uma cápsula protéica denominada capsômero

Leia mais

A partícula viral infectante, chamada vírion, consiste de um ácido nucléico e de uma capa protéica externa (capsídeo). O conjunto do genoma mais o

A partícula viral infectante, chamada vírion, consiste de um ácido nucléico e de uma capa protéica externa (capsídeo). O conjunto do genoma mais o 1 A partícula viral infectante, chamada vírion, consiste de um ácido nucléico e de uma capa protéica externa (capsídeo). O conjunto do genoma mais o capsídeo de um vírion é denominado de nucleocapsídeo.

Leia mais

Qual é a estrutura típica de um vírus?

Qual é a estrutura típica de um vírus? Vírus Qual é a estrutura típica de um vírus? CICLOS REPRODUTIVOS Em relação a reprodução dos vírus, podemos dizer que eles podem realizar um ciclo lítico ou um ciclo lisogênico. Qual é a principal

Leia mais

EPIDEMIOLOGIA DAS INFECÇÕES VIRAIS. 1 Epidemiologia

EPIDEMIOLOGIA DAS INFECÇÕES VIRAIS. 1 Epidemiologia EPIDEMIOLOGIA DAS INFECÇÕES VIRAIS 1 Epidemiologia Epidemiologia Bibliografia: Virologia Veterinária, E. Flores (ed), UFSM, 2007 2 Epidemiologia Vírus e o meio (ambiente) externo a maioria dos vírus torna-se

Leia mais

Morfologia Viral e Replicação viral. Tatiana Castro Departamento de Microbiologia e Parasitologia- UFF

Morfologia Viral e Replicação viral. Tatiana Castro Departamento de Microbiologia e Parasitologia- UFF Morfologia Viral e Replicação viral Tatiana Castro Departamento de Microbiologia e Parasitologia- UFF http://virologia.sites.uff.br/ - Aula prática: Jaleco, calça comprida e sapato fechado - Lista de Presença

Leia mais