DISMORFIA MUSCULAR E A SUA INFLUÊNCIA SOBRE A ALIMENTAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DISMORFIA MUSCULAR E A SUA INFLUÊNCIA SOBRE A ALIMENTAÇÃO"

Transcrição

1 DISMORFIA MUSCULAR E A SUA INFLUÊNCIA SOBRE A ALIMENTAÇÃO Janyelle Gomes Lino 8, Lívia Fernanda Ferreira de Freitas 1, Ana Karllota Estevam Luna 1, Ana Kelly Morais Santos 1, Átila Augusto Sobral Barbosa Oliveira 1, Amanda de Andrade Marques 9. Correspondência para: Palavras-chave: Transtorno. Mudanças de hábitos. Alimentação. 1 INTRODUÇÃO Os estudos sobre imagem corporal, durante muito tempo, foram realizados com mulheres, onde a insatisfação com a aparência esteve diversas vezes associada a quadros de anorexia e bulimia nervosa, no entanto, percebe-se nasúltimas décadas que os homens tornaram-se cada vez mais preocupados com a aparência.os casos de transtorno dismórfico corporal têm sido cada vez mais relatados na literatura, caracterizado por uma preocupaçãoexagerada com possíveis imperfeiçõesna aparência física que por vezes é inexistente(ferraz, 2009). Existe uma íntima relação entre a busca pelo corpo musculoso e a ausência de limites para atingir tal objetivo, levando pessoas à procura de um corpo exageradamente hipertrofiado. Indivíduos que praticam o treinamento de força exaustivamente em busca do bem-estar, e principalmente com o objetivo de corpos progressivamente musculosos, estão propensos ao diagnóstico de dismorfia muscular (AZEVEDO; FERREIRA; SILVA, 2012). Esse transtorno é considerado de procedência obsessivo compulsiva pela obsessão por musculatura e pela compulsão aos exercícios físicos, principalmente 8 Discentes da Faculdade de Juazeiro do Norte (FJN) 9 Docente da Faculdade de Juazeiro do Norte (FJN)

2 Treinamento de Força e a constante distorção da imagem corporal, associadoao uso de recursos ergogênicos. Esse transtorno também provoca uma importante mudança nos hábitos dos indivíduos em relação à alimentação, ocorrendo uma mudança radical na dieta, que passa a serhiperprotéica e hipolipídica, além do uso de diversos suplementos alimentares (AZEVEDO; FERREIRA; SILVA, 2011). Diante disso, o presente estudo tem como objetivo relacionar o transtorno dismórfico corporal em praticantes de atividade física e a influênciasobre a alimentação. 2 MATERIAIS E MÉTODOS Trata-se de um estudo de revisão bibliográfica construído mediante publicações de artigos em periódicos referentes à temática dismorfia muscular. Foi realizada uma revisão de artigos com estudos nacionais (15 artigos) e internacionais (3 artigos) dos anos de 2005 a Os descritores usados para a busca dos artigos foram: dismorfia muscular, vigorexia, treinamento de força, mudanças de hábitos alimentares associados adismorfia muscular, uso de suplementos alimentas em praticantes de atividade física. Nas bases de dados: ScientificElectronic Library Online (Scielo), Biblioteca Virtual em Saúde (Bireme), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS). 2 RESULTADOS E DISCUSSÃO Os transtornos psiquiátricos relacionados à distorção da autoimagem corporal, como os transtornos alimentares ou o transtorno dismórfico corporal costumam ser marcados por elevado grau de sofrimento físico e psíquico, associado a perdas sociais e ocupacionais significativas. Além disso, também produzem comportamentos que acarretam prejuízos para a saúde física do paciente de modo que esses indivíduos necessitam ser acompanhados frequentemente por equipes multidisciplinares de profissionais de saúde (SARDINHA; OLIVEIRA; ARAÚJO, 2008).

3 As imposições da mídia por um padrão de beleza masculino que destaca corpos fortes e musculosos podem contribuir para essa busca compulsiva pelo aumento da musculatura e distorções na imagem corporal em atletas e não atletas (IRIART,et al 2009 apud JUNIOR; OLIVEIRA; PIERUCC, 2014). Muitas pessoas que buscam o corpo esteticamente perfeito testam qualquer dieta ou regime dietético, na esperança de atingir um novo nível de bem-star e desempenho físico. Praticantes de musculação, muitas vezes, colocam a saúde em risco para adquirir um corpo desejado, exagerando nos exercícios físicos que podem causar danos irreparáveis (MENON; SANTOS, 2012). Há uma importante relação entre a nutrição e a atividade física porque a capacidade de rendimento do organismo melhora através de uma alimentação adequada, com a ingestão equilibrada de todos os nutrientes. E a busca por um corpo hipermusculoso tem levado as pessoas a utilizarem de forma abusiva substâncias que possam potencializar em um curto espaço de tempo os seus desejos. Dentre essas substâncias, o suplemento tem destaque primordial (SOUZA; CENI, 2014). A dieta inadequada associada ao consumo exacerbado de suplementos proteicos, sem a orientação e supervisão de um profissional qualificado, pode ocasionar vários transtornos metabólicos aos indivíduos com dismorfia muscular, afetando especialmente os rins, a taxa de glicemia e os níveis de colesterol, além de não colaborar efetivamente com as modificações na composição corporal (SCHMITZ; CAMPAGNOLO, 2013). Com a finalidade de alcançar seus objetivos, pessoas que possuem dismorfia muscular adotam um estilo de vida que gira em torno de programas de exercícios físicos, práticas de dietas hiperproteicas, hiperglicídicas, hipolipídicas e o uso indiscriminado de suplementos proteicos, além do consumo de esteroides anabolizantes(schmitz; CAMPAGNOLO, 2013). Suplementos nutricionais são produtos desenvolvidos pela indústria de alimentos. Estas substâncias são adicionadas à dieta para complementar a alimentação diária de uma pessoa saudável, quando sua ingestão a partir desta é insuficiente (HALLAK, et al, 2007 apud JOHANN; BERLEZE, 2010).

4 No que se refere à atuação, os suplementos dietéticos não promovem aumento de desempenho. O resultado positivo na performance seria uma consequência da capacidade do suplemento em atender a demanda nutricional decorrente do exercício.o mesmo efeito pode ser obtido se o indivíduo adotar um comportamento alimentar adequado ao seu esforço, em termos de quantidade e variedade (BACURAU, 2007 apud JOHANN; BERLEZE, 2010). 4 CONCLUSÕES Observou-se que há prevalência elevadas de dismorfia muscular nos estudos encontrados, e que os praticantes são influenciados por diversos fatores,dentre eles a mídia, pela sociedade, de um padrão corporal considerado o ideal ao qual associam o sucesso e a felicidade. Sabe-se que a presença destes transtornos pode desencadear sérias complicações na saúde dos esportistas. A busca pelo corpo perfeito e pela força faz com que mais e mais jovens procurem substâncias e "medicamentos" para serem aceitos por uma sociedade em que o narcisismo se mostra altamente presente e atuante. Bem como associação entre dismorfia muscular e utilização de recursos ergogênicos e alteração de dietas. O presente estudo pode contribuir para um conhecimento maior a respeito desse transtorno, em que se faz necessário a conscientização em relação aos danos causados a saúde em decorrência do uso indiscriminado da pratica de exercício físico e dietas inadequadas, para evitar possíveis distúrbios. REFERÊNCIAS AZEVEDO, Andréa Maria Pires; FERREIRA, Alan de Carvalho Dias;SILVA,Priscilla Pinto Costa da; et al. Dismorfia muscular: características alimentares e da suplementação nutricional, Disponível em: <http://www4.uninove.br/ojs/index.php/saude/article/viewfile/2560/1905 >. Acesso em: 05set

5 AZEVEDO, Andréa Maria Pires; FERREIRA, Alan de Carvalho Dias; SILVA, Priscilla Pinto Costa da; et al. Dismorfia muscular: A busca pelo corpo hipermusculoso,2012. Disponível em: <http://www.scielo.oces.mctes.pt/scielo.php?pid=s x &script=sci_arttext>. Acesso em: 05 set FERRAZ, Adriana. Dismorfia muscular em usuários de esteroides Anabólico-androgênicos Trabalho de conclusão de curso (graduação em medicina)- Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível em:<http://www.bibliomed.ccs.ufsc.br/sp0174.pdf>. Acesso em: 15 Set JOHANN, Joice; BERLEZE,KallyJanaína. Estado nutricional e perfil antropométrico de frequentadores de academias de ginástica, usuários ou não de suplementos de cinco municípios do interior do rio grande do sul.revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo, v. 4, n. 21, Jun Disponível em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/180>. Acesso em: 15 set JUNIOR, Sidnei Jorge Fonseca; OLIVEIRA, Aldair José de; PIERUCCI, Anna Paola Trindade.Dismorfia muscular em homens não atletas praticantes de treinamento resistido: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo, v. 8, n. 43, Jan/Fev Disponível em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/viewfile/420/400>: Acesso em: 25 set MENON, Daiane; SANTOS, Jacqueline Shaurich.Consumo de proteína por praticantes de musculação que objetivam hipertrofia muscular.revista Brasileira de Medicina do Esporte, Caxias do Sul,v. 18, n. 1, Jan/Fev Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbme/v18n1/01.pdf>. Acesso em: 28 ago SARDINHA, Aline; OLIVEIRA, Aldair José de; ARAUJO, Claudio Gil Soares de. Dismorfia muscular: análise comparativa entre um critério antropométrico e um instrumentopsicológico. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 14, n 4,Jul/Ago.

6 2008.Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=s >. Acesso em: 28 ago SOUZA, Rafaela;CENI, Giovana Cristina.Uso de suplementos alimentares e autopercepção corporal de praticantes de musculação em academias de palmeira das missões-rs.revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo, v. 8, n. 43, Jan/Fev Disponível em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/415>. Acesso em: 28 ago SCHMITZ,Jeison Fernando; CAMPAGNOLO, Paula Dal Bó. Características de Dismorfia Muscular em Praticantes de Musculação: Associação com o Consumo Alimentar. BrazilianJournalof Sports Nutrition,vol. 2, n. 2, março, Disponível em: <http://www.abne.org.br/revista/vol2/artigo%201%20- %20Caracter%C3%ADsiticas%20de%20disformia%20muscular%20(1).pdf>. Acesso em: 01 set

A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN

A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN Victor Henrique dos Santos Silva 1 ; Adriana Moura de Lima 2 Resumo: Perante a abordagem da

Leia mais

TÍTULO: AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS BÁSICOS SOBRE NUTRIÇÃO E O USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS POR PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO

TÍTULO: AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS BÁSICOS SOBRE NUTRIÇÃO E O USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS POR PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS BÁSICOS SOBRE NUTRIÇÃO E O USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS POR PRATICANTES

Leia mais

CONSULTORIA ESPORTIVA

CONSULTORIA ESPORTIVA CONSULTORIA ESPORTIVA O que é a 4FitClub Consultoria Esportiva Trata-se de um programa de exercícios físicos, reeducação alimentar e orientação psicológica destinado a homens e mulheres que buscam um estilo

Leia mais

Bulimia Nervosa Anorexia: -Anorexia Nervosa -Anorexia Alcoólica. Obesidade Bibliografia Conclusão

Bulimia Nervosa Anorexia: -Anorexia Nervosa -Anorexia Alcoólica. Obesidade Bibliografia Conclusão Bulimia Nervosa Anorexia: -Anorexia Nervosa -Anorexia Alcoólica Obesidade Bibliografia Conclusão A Bulimia nervosa é um transtorno alimentar causado pela ingestão de grandes quantidades de alimentos, seguidos

Leia mais

SUPLEMENTOS ALIMENTARES x CONSUMO

SUPLEMENTOS ALIMENTARES x CONSUMO Graduado em Nutrição UnB (2001) Especialista em Nutrição Esportiva Univ. Gama Filho (2007) Sócio-proprietário da Clínica 449 Ponto de Estágio Curricular UnB desde 2011 Praticante de Corrida de Rua e Triatlo

Leia mais

Desnutrição na Adolescência

Desnutrição na Adolescência Desnutrição na Adolescência Adolescência CRIANÇA Desnutrição Anorexia/Bulimia Obesidade / Diabetes ADULTO Dietas não convencionais e restritivas Deficiência de ferro Cálcio, vitamina A, zinco, Vitamina

Leia mais

INSATISFAÇÃO CORPORAL E COMPORTAMENTO ALIMENTAR EM PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA

INSATISFAÇÃO CORPORAL E COMPORTAMENTO ALIMENTAR EM PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 INSATISFAÇÃO CORPORAL E COMPORTAMENTO ALIMENTAR EM PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA Juciane Tonon Chinarelli 1 ; Renata Cristina Casale Veronezzi 2 ; Angela

Leia mais

COMPORTAMENTO DE RISCO PARA TRANSTORNOS ALIMENTARES EM UNIVERSITÁRIAS

COMPORTAMENTO DE RISCO PARA TRANSTORNOS ALIMENTARES EM UNIVERSITÁRIAS Resumo COMPORTAMENTO DE RISCO PARA TRANSTORNOS ALIMENTARES EM UNIVERSITÁRIAS UMEBARA, L.M.; VIROTE, W. Os transtornos alimentares tiveram aumento na incidência nos últimos anos, principalmente entre a

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA. Reconhecer que as atividades físicas regulares trazem benefícios à saúde. Habilidades afins - Interdisciplinaridad

EDUCAÇÃO FÍSICA. Reconhecer que as atividades físicas regulares trazem benefícios à saúde. Habilidades afins - Interdisciplinaridad Reconhecer que as atividades físicas regulares trazem benefícios à saúde. Interdisciplinaridad Ciências: Identificar os componentes do sistema esquelético e muscular; e Conhecer o impacto do tabagismo

Leia mais

CONSUMO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES POR PRATICANTES DE EXERCÍCIOS RESISTIDOS EM JOAÇABA, SC

CONSUMO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES POR PRATICANTES DE EXERCÍCIOS RESISTIDOS EM JOAÇABA, SC CONSUMO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES POR PRATICANTES DE EXERCÍCIOS RESISTIDOS EM JOAÇABA, SC Resumo Narciso Vasconcellos Pagnoncelli * Leoberto Ricardo Grigollo ** Michelli Dalapria Grigollo *** As novas

Leia mais

ASPECTOS SOCIAIS DA VIGOREXIA

ASPECTOS SOCIAIS DA VIGOREXIA ASPECTOS SOCIAIS DA VIGOREXIA Introdução ISABEL CRISTINA VASCONCELOS DE OLIVEIRA ISIS SIMÕES LEÃO PROF. DR. JOÃO CARLOS ALCHIERI Universidade Federal do Rio Grande do Norte Natal/RN/Brasil oliveiraicv@gmail.com

Leia mais

MODELO FORMATIVO. DATA DE INíCIO / FIM / HORARIO Manhã - 9:00 às 13:00 Tarde - 14:00 às 17:00

MODELO FORMATIVO. DATA DE INíCIO / FIM / HORARIO Manhã - 9:00 às 13:00 Tarde - 14:00 às 17:00 NUTRIçãO E SUPLEMENTAçãO NO DESPORTO (OUT 2015) PORTO A nutrição é um dos fatores com maior peso na saúde e, aliada à atividade física, contribui para a manutenção de um peso e composição corporal adequados,

Leia mais

IMAGEM CORPORAL E COMPORTAMENTOS DE RISCO PARA TRANSTORNOS ALIMENTARES EM PRATICANTES DE EXERCÍCIOS E ATLETAS: EVIDENCIAS CIENTÍFICAS*

IMAGEM CORPORAL E COMPORTAMENTOS DE RISCO PARA TRANSTORNOS ALIMENTARES EM PRATICANTES DE EXERCÍCIOS E ATLETAS: EVIDENCIAS CIENTÍFICAS* IMAGEM CORPORAL E COMPORTAMENTOS DE RISCO PARA TRANSTORNOS ALIMENTARES EM PRATICANTES DE EXERCÍCIOS E ATLETAS: EVIDENCIAS CIENTÍFICAS* SÁMAR EL ASSAL, DANIELA CANUTO FERNANDES Resumo: a presente revisão

Leia mais

Nutrição para a beleza dos cabelos através dos alimentos

Nutrição para a beleza dos cabelos através dos alimentos Beleza não põe mesa, Ou seja, aparência não é tudo. Mas é na mesa que a beleza começa. Ciência da nutrição visa Melhor aparência física e a saúde do paciente; Trata ou ameniza o envelhecimento cutâneo;

Leia mais

MODELO FORMATIVO. DATA DE INíCIO / FIM / HORARIO Manhã - 9:00 às 13:00 Tarde - 14:00 às 17:00

MODELO FORMATIVO. DATA DE INíCIO / FIM / HORARIO Manhã - 9:00 às 13:00 Tarde - 14:00 às 17:00 NUTRIçãO E SUPLEMENTAçãO NO DESPORTO (SET 2016) LISBOA A nutrição é um dos fatores com maior peso na saúde e, aliada à atividade física, contribui para a manutenção de um peso e composição corporal adequados,

Leia mais

COMO CHEGAR De metro: estação Saldanha (linha amarela ou vermelha), ou estação S. Sebastião (linha Azul ou vermelha)

COMO CHEGAR De metro: estação Saldanha (linha amarela ou vermelha), ou estação S. Sebastião (linha Azul ou vermelha) NUTRIçãO E SUPLEMENTAçãO NO DESPORTO (MAR 2016) LISBOA A nutrição é um dos fatores com maior peso na saúde e, aliada à atividade física, contribui para a manutenção de um peso e composição corporal adequados,

Leia mais

Dieta refere-se aos hábitos alimentares individuais. Cada pessoa tem uma dieta específica. Cada cultura costuma caracterizar-se por dietas

Dieta refere-se aos hábitos alimentares individuais. Cada pessoa tem uma dieta específica. Cada cultura costuma caracterizar-se por dietas Dieta Dieta refere-se aos hábitos alimentares individuais. Cada pessoa tem uma dieta específica. Cada cultura costuma caracterizar-se por dietas particulares. Contudo, popularmente, o emprego da palavra

Leia mais

REDUÇÃO & REEDUCAÇÃO PROGRAMA DE EMAGRECIMENTO

REDUÇÃO & REEDUCAÇÃO PROGRAMA DE EMAGRECIMENTO Go Mag R do o Os Efeitos negativos da Obesidade na sua saúde e na sua vida: Menor expectativa de vida Baixa autoestima Mobilidade limitada Problemas nas articulações Ataque cardíaco Pressão alta 2R QUE

Leia mais

AUTO-PERCEPÇÃO DO PESO E DA IMAGEM CORPORAL EM ESTUDANTES DE EDUCAÇÃO FÍSICA

AUTO-PERCEPÇÃO DO PESO E DA IMAGEM CORPORAL EM ESTUDANTES DE EDUCAÇÃO FÍSICA AUTO-PERCEPÇÃO DO PESO E DA IMAGEM CORPORAL EM ESTUDANTES DE EDUCAÇÃO FÍSICA FERREIRA, R M C 1, CASELATO DE SOUSA, V M 2 1Graduanda em Nutrição da Faculdade de Ciências da Saúde Universidade do Vale do

Leia mais

Verificação do uso de suplementos alimentares, produtos para emagrecer e dietas por praticantes de atividade física em uma academia de Teresina-PI.

Verificação do uso de suplementos alimentares, produtos para emagrecer e dietas por praticantes de atividade física em uma academia de Teresina-PI. Verificação do uso de suplementos alimentares, produtos para emagrecer e dietas por praticantes de atividade física em uma academia de Teresina-PI. J. C. Passos 1, G.G.S. Cardoso 2, B.E.P. Cardoso 3, A.C.A.S,

Leia mais

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica 470 CONSUMO DE ERGOGÊNICOS NUTRICIONAIS POR PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO DE DIVERSAS ACADEMIAS DE GINÁSTICA DE RESENDE-RJ Renata Kelly da Silva 1, Daniel Alves Ferreira Junior 2, Alden dos Santos Neves 3

Leia mais

Nutrição Aplicada à Educação Física. Cálculo da Dieta e Recomendações dietéticas. Ismael F. Freitas Júnior Malena Ricci

Nutrição Aplicada à Educação Física. Cálculo da Dieta e Recomendações dietéticas. Ismael F. Freitas Júnior Malena Ricci Nutrição Aplicada à Educação Física Cálculo da Dieta e Recomendações dietéticas Ismael F. Freitas Júnior Malena Ricci ARROZ 100 gramas CÁLCULO DE DIETA CH 25,1 PT 2,0 Lip 1,2 Consumo 300 gramas 100 gr

Leia mais

OMELETE DE CLARAS. Uma opção proteica metabolizada para seu póstreino. Informações Técnicas. SINÔNIMOS: Albumina

OMELETE DE CLARAS. Uma opção proteica metabolizada para seu póstreino. Informações Técnicas. SINÔNIMOS: Albumina Informações Técnicas OMELETE DE CLARAS Uma opção proteica metabolizada para seu póstreino SINÔNIMOS: Albumina O omelete trata-se de uma opção proteica com 22g de proteína na porção. Uma excelente alternativa

Leia mais

MÓDULO 4 COMPORTAMENTOS ADITIVOS

MÓDULO 4 COMPORTAMENTOS ADITIVOS Agrupamento de Escolas de Mértola Ano Letivo 2012-2013 Curso profissional de Técnico de Apoio Psicossocial 11º B Disciplina: Psicopatologia Geral MÓDULO 4 COMPORTAMENTOS ADITIVOS O consumo de drogas remonta

Leia mais

ALMEIDA, Vanilda de Fátima Oliveira 1.

ALMEIDA, Vanilda de Fátima Oliveira 1. TCC em Re-vista 2012 71 ALMEIDA, Vanilda de Fátima Oliveira 1. Avaliação do comportamento alimentar e do estado nutricional em pacientes com transtornos alimentares que frequentam o grupo de orientação

Leia mais

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica 130 AVALIAÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS NUTRICIONAIS E OUTROS RECURSOS ERGOGÊNICOS POR PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO EM ACADEMIAS DE UM BAIRRO DE FLORIANÓPOLIS-SC Marielly Wagner 1 RESUMO Objetivo: verificar o

Leia mais

TÍTULO: ESTEROIDES ANABÓLICOS ANDROGÊNICOS: MECANISMO DE AÇÃO E EFEITOS COLATERAIS

TÍTULO: ESTEROIDES ANABÓLICOS ANDROGÊNICOS: MECANISMO DE AÇÃO E EFEITOS COLATERAIS 16 TÍTULO: ESTEROIDES ANABÓLICOS ANDROGÊNICOS: MECANISMO DE AÇÃO E EFEITOS COLATERAIS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FARMÁCIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES

Leia mais

SOPA PROTEICA DE ERVILHAS

SOPA PROTEICA DE ERVILHAS Informações Técnicas SOPA PROTEICA DE ERVILHAS Uma opção proteica metabolizada para seu póstreino SINÔNIMOS: Proteína de ervilha A sopa de ervilha trata-se de uma opção proteica com 22g de proteína na

Leia mais

Por definição, suplementos nutricionais são alimentos que servem para complementar com calorias e ou nutrientes a dieta diária de uma pessoa

Por definição, suplementos nutricionais são alimentos que servem para complementar com calorias e ou nutrientes a dieta diária de uma pessoa Por definição, suplementos nutricionais são alimentos que servem para complementar com calorias e ou nutrientes a dieta diária de uma pessoa saudável, nos casos em que sua ingestão, a partir da alimentação,

Leia mais

Prática Clínica Nutrição Esportiva

Prática Clínica Nutrição Esportiva Estratégias nutricionais para perda, manutenção e ganho de peso Profa. Raquel Simões Prática Clínica Nutrição Esportiva Manutenção do peso Saúde Desempenho esportivo Perda de peso (mais comum) Estética

Leia mais

INSATISFAÇÃO CORPORAL E COMPORTAMENTO ALIMENTAR EM FREQUENTADORES DE ACADEMIA

INSATISFAÇÃO CORPORAL E COMPORTAMENTO ALIMENTAR EM FREQUENTADORES DE ACADEMIA INSATISFAÇÃO CORPORAL E COMPORTAMENTO ALIMENTAR EM FREQUENTADORES DE ACADEMIA Juciane Tonon Chinarelli Nutricionista graduada pelo curso de Nutrição do Centro Universitário de Maringá Cesumar; E-mail:

Leia mais

AVALIAÇÃO BIOQUÍMICA NO IDOSO

AVALIAÇÃO BIOQUÍMICA NO IDOSO C E N T R O U N I V E R S I T Á R I O C AT Ó L I C O S A L E S I A N O A U X I L I U M C U R S O D E N U T R I Ç Ã O - T U R M A 6 º T E R M O D I S C I P L I N A : N U T R I Ç Ã O E M G E R I AT R I A

Leia mais

APRESENTAÇÕES DE PÔSTERES 22 de outubro de 2015 (quinta-feira) SALA 2 BIBLIOTECA CENTRAL

APRESENTAÇÕES DE PÔSTERES 22 de outubro de 2015 (quinta-feira) SALA 2 BIBLIOTECA CENTRAL - DANIEL CRISTINO COSTA JUNIOR 1. 8h A ESPECIFICIDADE NO FUTSAL: - EDUARDO DAVID DA SILVA ESTUDO COMPARATIVO DE - DANIEL TRÊS MÉTODOS DISTINTOS DE 3854 CRISTINO COSTA - ANDERSON RAMOS DE SOUZA MENSURAÇÃO

Leia mais

Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin

Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin NUTRIÇÃO??? A nutrição é a ciência que estuda a composição dos alimentos e as necessidades nutricionais do indivíduo,

Leia mais

I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA

I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA Avaliação, diagnóstico e acompanhamento do paciente no pré e pós operatório REALIZAÇÃO APOIO JUSTIFICATIVA É crescente

Leia mais

TÍTULO: INCIDÊNCIA DE TRANSTORNOS ALIMENTARES EM ADOLESCENTES DE UMA ESCOLA ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE JOSÉ BONIFÁCIO

TÍTULO: INCIDÊNCIA DE TRANSTORNOS ALIMENTARES EM ADOLESCENTES DE UMA ESCOLA ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE JOSÉ BONIFÁCIO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: INCIDÊNCIA DE TRANSTORNOS ALIMENTARES EM ADOLESCENTES DE UMA ESCOLA ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

17. NUTRIÇÃO ALIMENTAR

17. NUTRIÇÃO ALIMENTAR 17. NUTRIÇÃO ALIMENTAR 1 Nutrição Esportiva 17.1 CONSUMO PROTEICO DE PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO ATENDIDOS NO AMBULATÓRIO DE NUTRIÇÃO DA UNESC Trespach, S.S.¹; Silva, C.M.¹; Honorato, M.O.¹; Leffa, P.S.¹;

Leia mais

HÁBITOS ALIMENTARES: INQUÉRITO ALIMENTAR DE ACADÊMICOS DE NUTRIÇÃO DA REGIÃO DO CARIRI

HÁBITOS ALIMENTARES: INQUÉRITO ALIMENTAR DE ACADÊMICOS DE NUTRIÇÃO DA REGIÃO DO CARIRI HÁBITOS ALIMENTARES: INQUÉRITO ALIMENTAR DE ACADÊMICOS DE NUTRIÇÃO DA REGIÃO DO CARIRI Ana Kelly Morais dos Santos kellymoraissantos@hotmail.com Anna Karllota Gomes Estevam annakarllota@hotmail.com Jaqueline

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA EM NUTROLOGIA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

RESIDÊNCIA MÉDICA EM NUTROLOGIA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO RESIDÊNCIA MÉDICA EM NUTROLOGIA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO O programa tem duração de dois anos. É necessário como pré-requisito médicos que tenham um ano de treinamento de Residência em Clínica Médica ou Clínica

Leia mais

Avaliação nutricional do paciente

Avaliação nutricional do paciente Avaliação nutricional do paciente Muito gordo ou muito magro? O que fazer com esta informação? Avaliação nutricional do paciente 1) Anamnese (inquérito alimentar) 2) Exame físico 3) Exames laboratoriais

Leia mais

PROBLEMAS NUTRICIONAIS EM CÃES E GATOS OBESIDADE VISÃO GERAL

PROBLEMAS NUTRICIONAIS EM CÃES E GATOS OBESIDADE VISÃO GERAL PROBLEMAS NUTRICIONAIS EM CÃES E GATOS OBESIDADE VISÃO GERAL Prof. Roberto de Andrade Bordin DMV, M.Sc. Setor de Nutrição e Metabolismo Animal Medicina Veterinária Universidade Anhembi Morumbi São Paulo,

Leia mais

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica 390 MODELO EXPERIMENTAL DE QUESTIONÁRIO PARA IDENTIFICAÇÃO DE POSSÍVEIS INDIVÍDUOS QUE APRESENTAM INDÍCIOS DE VIGOREXIA Jetro Bezerra Rodrigues 1, Francisco Acácio de Araújo 1, Edson Ferreira Alencar 1

Leia mais

PSICOLOGIA DA AUTOIMAGEM

PSICOLOGIA DA AUTOIMAGEM PSICOLOGIA DA AUTOIMAGEM A Ecole Supérieure de Relooking está localizada em Paris, berço mundial das artes, da cultura, cidade que abraça estilos diversos. A Ecole carrega a autenticidade e a paixão pelas

Leia mais

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica 35 AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE SUPLEMENTOS NUTRICIONAIS POR PRATICANTES DE EXERCICIO FISICO EM ACADEMIA NA ZONA SUL DO RIO DE JANEIRO Karen Sussmann 1 RESUMO Introdução: A maciça busca pela aparência e estética

Leia mais

COMPORTAMENTO ALIMENTAR NO PRÉ E PÓS-TREINO DE PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO RESUMO

COMPORTAMENTO ALIMENTAR NO PRÉ E PÓS-TREINO DE PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO RESUMO COMPORTAMENTO ALIMENTAR NO PRÉ E PÓS-TREINO DE PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO Catiane de Sousa Martins 1 Anna Lúcia Vieira Bianchessi² RESUMO As refeições antes e após o treino são importantes para evitar um

Leia mais

INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB

INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB Lindemberg Medeiros de Araújo Evi Clayton de Lima Brasil TRANSIÇÃO NUTRICIONAL: CAUSAS, SIGNIFICADOS, EFEITOS

Leia mais

O Instituto de Medicina do Esporte Sistema de Saúde Mãe de Deus

O Instituto de Medicina do Esporte Sistema de Saúde Mãe de Deus CORPA O Instituto de Medicina do Esporte Sistema de Saúde Mãe de Deus Promover a melhora da performance e o cuidado da saúde dos esportistas e atletas de rendimento do Rio Grande do Sul, através de soluções

Leia mais

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica 140 PERFIL ALIMENTAR E ANTROPOMÉTRICO DE PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO NA CIDADE DE BRASÍLIA Denise Cibele de Castro Ramos 1, Francisco Navarro 1,2 RESUMO O objetivo de alcançar o corpo esteticamente perfeito

Leia mais

Estudo do consumo de leites e derivados por idosas praticantes de atividade física em uma academia no município de São Paulo

Estudo do consumo de leites e derivados por idosas praticantes de atividade física em uma academia no município de São Paulo Estudo do consumo de leites e derivados por idosas praticantes de atividade física em uma academia no município de São Paulo * Acadêmicas do Curso de Nutrição do Centro Universitário São Camilo, São Paulo,

Leia mais

UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA SOBRE O TRANSTORNO DA COMPULSÃO ALIMENTAR PERIÓDICA (TCAP) 1

UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA SOBRE O TRANSTORNO DA COMPULSÃO ALIMENTAR PERIÓDICA (TCAP) 1 UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA SOBRE O TRANSTORNO DA COMPULSÃO ALIMENTAR PERIÓDICA (TCAP) 1 Tainá Melissa Heinkel 2, Bruna Leticia Endl Bilibio 3, Pâmela Fantinel Ferreira 4. 1 Estudo realizado no Curso de

Leia mais

EMÍLIA LUDMILA GONÇALVES BEZERRA

EMÍLIA LUDMILA GONÇALVES BEZERRA EMÍLIA LUDMILA GONÇALVES BEZERRA DISMORFIA MUSCULAR: Uma revisão bibliográfica BELO HORIZONTE UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FISIOTERAPIA E TERAPIA EDUCACIONAL 2010 EMÍLIA

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA 7 ANO

EDUCAÇÃO FÍSICA 7 ANO EDUCAÇÃO FÍSICA 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES

Leia mais

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica 230 AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DE FONTES ALIMENTARES E USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS EM FREQUENTADORES DA ACADEMIA DE GINÁSTICA FITNESS CLUB EM GUARULHOS Ileni Ribeiro de Santana Felix 1 RESUMO Objetivo:

Leia mais

NUTRIÇÃO. Problemas nutricionais associados à pobreza: Desnutrição /Hipovitaminose / Bócio

NUTRIÇÃO. Problemas nutricionais associados à pobreza: Desnutrição /Hipovitaminose / Bócio NUTRIÇÃO NUTRIÇÃO Problemas nutricionais associados à pobreza: Desnutrição /Hipovitaminose / Bócio Problemas nutricionais associados à hábitos alimentares inadequados: Dislipdemias / Anemia / Obesidade

Leia mais

Necessidades de Energia. Leylliane Leal

Necessidades de Energia. Leylliane Leal Necessidades de Energia Leylliane Leal Necessidade de energia É o nível de ingestão de energia a partir do alimento que irá equilibrar o gasto de energia quando o indivíduo possui um tamanho e composição

Leia mais

CONSUMO DE ALIMENTOS CONGELADOS POR INDIVÍDUOS FREQUENTADORES DE SUPERMERCADOS

CONSUMO DE ALIMENTOS CONGELADOS POR INDIVÍDUOS FREQUENTADORES DE SUPERMERCADOS CONSUMO DE ALIMENTOS CONGELADOS POR INDIVÍDUOS FREQUENTADORES DE SUPERMERCADOS PAZ, E. S. 1 ; VITOR, C. T. S. 2 ; FERNANDES, J. 3 ; MARTINEZ, M. 4 ; PALOMINO, M. 5 1 Acadêmica de Nutrição-Universidade

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA ENTENDENDO a doença metabólica A doença metabólica, também chamada de síndrome metabólica ou ainda de plurimetabólica, em geral faz parte de um conjunto de

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL PESSOAL

PERFIL NUTRICIONAL PESSOAL PERFIL NUTRICIONAL PESSOAL Nº de Empresário Nome completo: Data: Telefone: e-mail: Data de nascimento: Idade: Sexo: Feminino Consome algum suplemento nutricional? Se sim, quantos? Sim Masculino Não Por

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DA DIETA DO ADOLESCENTE D I S C I P L I N A : N U T R I Ç Ã O E D I E T É T I C A II P R O F : S H E Y L A N E A N D R A D E

CARACTERÍSTICAS DA DIETA DO ADOLESCENTE D I S C I P L I N A : N U T R I Ç Ã O E D I E T É T I C A II P R O F : S H E Y L A N E A N D R A D E CARACTERÍSTICAS DA DIETA DO ADOLESCENTE D I S C I P L I N A : N U T R I Ç Ã O E D I E T É T I C A II P R O F : S H E Y L A N E A N D R A D E ADOLESCÊNCIA OMS: 10 a 19 anos Estatuto da criança e do adolescente:

Leia mais

Nutrição na Adolescência. Profa. Msc. Milena Maia

Nutrição na Adolescência. Profa. Msc. Milena Maia Nutrição na Adolescência Profa. Msc. Milena Maia ADOLESCÊNCIA Segundo a OMS é o período da vida que se inicia aos 10 anos de idade e prolonga-se até os 19 anos, caracterizado por intensas modificações

Leia mais

A saúde dos adolescentes em Portugal: respostas e desafios

A saúde dos adolescentes em Portugal: respostas e desafios A saúde dos adolescentes em Portugal: respostas e desafios Andreia Jorge Silva Direção de Serviços de Prevenção da Doença e Promoção da Saúde 1 PNS/ELS - Obesidade Saúde dos Adolescentes PNS/Saúde dos

Leia mais

SORGO - UMA BOA ALTERNATIVA PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE ALIMENTAÇÃO

SORGO - UMA BOA ALTERNATIVA PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE ALIMENTAÇÃO Data: Junho/2001 SORGO - UMA BOA ALTERNATIVA PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE ALIMENTAÇÃO Estamos iniciando a colheita de uma safra de Sorgo, que segundo estimativas deve girar ao redor de 1,350 a 1,500 milhões

Leia mais

ASPECTOS COGNITIVOS SUPERIORES: UMA ESTREITA RELAÇÃO COM O ALIMENTO

ASPECTOS COGNITIVOS SUPERIORES: UMA ESTREITA RELAÇÃO COM O ALIMENTO ASPECTOS COGNITIVOS SUPERIORES: UMA ESTREITA RELAÇÃO COM O ALIMENTO Sandra Regina de Almeida 1 ; Dayane Soncin 1 ; Luciana Bria Lopes; Sandra Cristina Catelan-Mainardes 2. RESUMO: Emoção é um impulso neural

Leia mais

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE)

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) ENTENDENDO O CARDÁPIO Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) O que é um cardápio? CARDÁPIO DO PNAE É a relação das preparações de alimentos a serem oferecidas em uma refeição.

Leia mais

CONSUMO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES EM ACADEMIAS DE MONTES CLAROS/MG

CONSUMO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES EM ACADEMIAS DE MONTES CLAROS/MG CONSUMO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES EM ACADEMIAS DE MONTES CLAROS/MG BORGES, Nágylla Rodrigues¹; SILVA, Váflia Salleth Figueiredo 1 ; RODRIGUES, Vinícius Dias 2 ¹Graduada em Nutrição pela Faculdade de Saúde

Leia mais

NOSSOS BENEFÍCIOS NUTRILINE ASSISTÊNCIA NUTRICIONAL

NOSSOS BENEFÍCIOS NUTRILINE ASSISTÊNCIA NUTRICIONAL NOSSOS BENEFÍCIOS NUTRILINE ASSISTÊNCIA NUTRICIONAL 1. DESCRIÇÃO DO PRODUTO NUTRILINE NOSSOS BENEFÍCIOS NUTRILINE ASSISTÊNCIA NUTRICIONAL O Nutriline disponibiliza aos seus usuários informações sobre alimentação

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Dra. Helena Maia Nutricionista

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Dra. Helena Maia Nutricionista ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Dra. Helena Maia Nutricionista OBJECTIVOS Obesidade: Riscos, prevalências e tipos Nutrição / Nutrientes Roda dos Alimentos Alimentação Mediterrânica IMC Conclusão RISCOS RELACIONADOS

Leia mais

Avaliação da adequação dos rótulos dos suplementos para substituição parcial de refeições de atletas

Avaliação da adequação dos rótulos dos suplementos para substituição parcial de refeições de atletas Universidade de Brasília Faculdade de Ciências da Saúde Departamento de Nutrição Avaliação da adequação dos rótulos dos suplementos para substituição parcial de refeições de atletas Rayssa Fachette Monteiro

Leia mais

NUTRIÇÃO E SUAS DEFINIÇÕES

NUTRIÇÃO E SUAS DEFINIÇÕES FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA Departamento de Educação Física NUTRIÇÃO E SUAS DEFINIÇÕES Disciplina Nutrição aplicada à Educação Física e ao Esporte Prof. Dr. Ismael Forte Freitas Júnior HISTÓRICO

Leia mais

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica 31 AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS BÁSICOS SOBRE NUTRIÇÃO DE EDUCADORES FÍSICOS E PRATICANTES ATIVOS DE GANHO DE MASSA MUSCULAR COM TREINAMENTO DE FORÇA EM ACADEMIAS DO MUNICÍPIO DE BELFORD ROXO-RJ Érica Soares

Leia mais

Crescimento, Desenvolvimento e Aprendizagem Motora. Profº Gil Oliveira

Crescimento, Desenvolvimento e Aprendizagem Motora. Profº Gil Oliveira Crescimento, Desenvolvimento e Aprendizagem Motora CONTEXTUALIZAÇÃO E TERMOS Comportamento Motor Comportamento Motor Para Go Tani: Estuda processos neuropsicológicos de organização motora em termos de

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2009

PROJETO DE LEI N o, DE 2009 PROJETO DE LEI N o, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção) Acrescenta dispositivos a Lei nº 11.343/2006, no que toca a esteróides androgênicos ou peptídeos anabólicos, na forma desta lei. O Congresso Nacional

Leia mais

AULA: 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana.

AULA: 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana. : 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana. Conteúdo: Doenças relacionadas ao sedentarismo Diabetes. Doenças relacionadas ao sedentarismo Hipertensão arterial e dislipidemias. Habilidades:

Leia mais

Principais sintomas: - Poliúria (urinar muitas vezes ao dia e em grandes quantidades); - Polidipsia (sede exagerada); - Polifagia (comer muito);

Principais sintomas: - Poliúria (urinar muitas vezes ao dia e em grandes quantidades); - Polidipsia (sede exagerada); - Polifagia (comer muito); O diabetes mellitus é uma doença crônica que se caracteriza por uma elevada taxa de glicose (açúcar) no sangue. Essa elevação ocorre, na maioria das vezes, por uma deficiência do organismo em produzir

Leia mais

FELIPE RAVELLI USO DE ESTEROIDES ANABOLIZANTES ANDROGÊNICOS: ESTUDO SOBRE A VIGOREXIA E A INSATISFAÇÃO CORPORAL

FELIPE RAVELLI USO DE ESTEROIDES ANABOLIZANTES ANDROGÊNICOS: ESTUDO SOBRE A VIGOREXIA E A INSATISFAÇÃO CORPORAL UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS - RIO CLARO EDUCAÇÃO FÍSICA FELIPE RAVELLI USO DE ESTEROIDES ANABOLIZANTES ANDROGÊNICOS: ESTUDO SOBRE A VIGOREXIA E A INSATISFAÇÃO

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA O CARGO EFETIVO DE PROFESSOR DA CARREIRA DE MAGISTÉRIO PROVA ESCRITA. Áreadeconcurso:

CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA O CARGO EFETIVO DE PROFESSOR DA CARREIRA DE MAGISTÉRIO PROVA ESCRITA. Áreadeconcurso: P grad Pró-reitona de Graduação UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA O CARGO EFETIVO DE PROFESSOR DA CARREIRA DE MAGISTÉRIO SUPERIOR EDITAL Nº

Leia mais

Conceituar e discutir os benefícios e os prejuízos da utilização de transgênicos na

Conceituar e discutir os benefícios e os prejuízos da utilização de transgênicos na Transgênicos Objetivo da Aula agricultura. Conceituar e discutir os benefícios e os prejuízos da utilização de transgênicos na Organismos transgênicos ou Organismos Geneticamente Modificados (OGM) são

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO.

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO. 1 CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO Obesidade Anna Carla Takano Daniele Sita Jéssica Pereira de Mello

Leia mais

TÍTULO: HIPERTRIGLICERIDEMIA PÓS-PRANDIAL EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 E O RISCO CARDIOVASCULAR

TÍTULO: HIPERTRIGLICERIDEMIA PÓS-PRANDIAL EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 E O RISCO CARDIOVASCULAR TÍTULO: HIPERTRIGLICERIDEMIA PÓS-PRANDIAL EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 E O RISCO CARDIOVASCULAR CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FARMÁCIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica 58 UTILIZAÇÃO DE RECURSOS ERGOGÊNICOS NUTRICIONAIS E/OU FARMACOLÓGICOS EM UMA ACADEMIA DA CIDADE DE BARRA DO PIRAÍ, RJ Luana Palmeira Pereira 1 RESUMO O hábito de praticar exercício físico aliado a utilização

Leia mais

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica 20 USO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES E AUTOPERCEPÇÃO CORPORAL DE PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO EM ACADEMIAS DE PALMEIRA DAS MISSÕES-RS Rafaela Souza 1 Giovana Cristina Ceni 2 RESUMO O objetivo desse trabalho

Leia mais

Qualidade de vida com Esporte na Unisul

Qualidade de vida com Esporte na Unisul Qualidade de vida com Esporte na Unisul A percepção do indivíduo sobre a sua posição na vida, no contexto da cultura e dos sistemas de valores nos quais ele vive, e em relação a seus objetivos, expectativas,

Leia mais

Compulsão na Moda: uma análise comparativa entre compulsão alimentar e a compulsão por produtos de moda

Compulsão na Moda: uma análise comparativa entre compulsão alimentar e a compulsão por produtos de moda Compulsão na Moda: uma análise comparativa entre compulsão alimentar e a compulsão por produtos de moda Anna Beatriz Kariya 1, Rosimeiri Naomi Nagamatsu 2 1 Acadêmica do CST em Design de Moda da Universidade

Leia mais

Izabela Alves Gomes Nutricionista UERJ Mestranda em Alimentos e Nutrição - UNIRIO

Izabela Alves Gomes Nutricionista UERJ Mestranda em Alimentos e Nutrição - UNIRIO Izabela Alves Gomes izabela.nut@gmail.com Nutricionista UERJ Mestranda em Alimentos e Nutrição - UNIRIO Rio de Janeiro - 2016 É considerado vegetariano todo aquele que exclui de sua alimentação todos os

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 11 SISTEMA ENDÓCRINO

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 11 SISTEMA ENDÓCRINO BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 11 SISTEMA ENDÓCRINO Como pode cair no enem Os mecanismos de autorregulação que levam à homeostase, para garantir um equilíbrio dinâmico, implicam retroalimentação (feedback),

Leia mais

CONHECIMENTOS BÁSICOS PARA A NUTRIÇÃO DE CÃES E GATOS

CONHECIMENTOS BÁSICOS PARA A NUTRIÇÃO DE CÃES E GATOS CONHECIMENTOS BÁSICOS PARA A NUTRIÇÃO DE CÃES E GATOS Prof. Roberto de Andrade Bordin DMV, M.Sc. Setor de Nutrição e Metabolismo Animal Medicina Veterinária Universidade Anhembi Morumbi São Paulo, Brasil.

Leia mais

01/09 - Palestra com os campeões do Strongman e a importância do Profissional de Educação Física A palestra ocorreu no dia 01 de setembro e teve como

01/09 - Palestra com os campeões do Strongman e a importância do Profissional de Educação Física A palestra ocorreu no dia 01 de setembro e teve como EXPO EDUCAÇÃO FÍSICA RELATO DE EXPERIÊNCIA Autores: Bruno Santos Novoa Adriana de Abreu Domingues Delgado Instituição: E.E. Otaviano Soares de Albuquerque - Pedro de Toledo- SP Introdução: A cidade de

Leia mais

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica 93 CONSUMO DE SUPLEMENTOS POR PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA EM ACADEMIAS DE GINÁSTICA DA CIDADE DE SETE LAGOAS-MG Cíntia Monteiro Bastos Fayer Maximiano 1 Lana Claudinez Santos 1 RESUMO Introdução: O

Leia mais

PREVALÊNCIA DO TRANSTORNO DE COMPULSÃO ALIMENTAR PERIÓDICA EM UNIVERSITÁRIAS

PREVALÊNCIA DO TRANSTORNO DE COMPULSÃO ALIMENTAR PERIÓDICA EM UNIVERSITÁRIAS 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 PREVALÊNCIA DO TRANSTORNO DE COMPULSÃO ALIMENTAR PERIÓDICA EM UNIVERSITÁRIAS Maria Alice Nunes de Campos Monteiro 1 ; Gersislei Antonia Salado 2 ; Talma

Leia mais

TCC em Re-vista GOMES, Adrielly Rodrigues; MORAIS, Jussara de Ávila; TONETTI, Talita Carolina.

TCC em Re-vista GOMES, Adrielly Rodrigues; MORAIS, Jussara de Ávila; TONETTI, Talita Carolina. Nutrição TCC em Re-vista 2010 99 GOMES, Adrielly Rodrigues; MORAIS, Jussara de Ávila; TONETTI, Talita Carolina. Qualidade nutricional de dietas vegetarianas. 2010. 16 f. Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

PREVALÊNCIA DE DISMORFIA MUSCULAR EM ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS

PREVALÊNCIA DE DISMORFIA MUSCULAR EM ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS PREVALÊNCIA DE DISMORFIA MUSCULAR EM ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS Gusmão SPT 1, Genaro PS 2, Soar C 3 Universidade do Vale do Paraíba/Faculdade de Ciências da Saúde. Av. Shishima Hifumi, 2911 12244-000, São

Leia mais

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica 385 PERCEPÇÃO NUTRICIONAL DE PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO EM UMA ACADEMIA Priscila Scoppel 1 Daiana Argenta Kümpel 2 RESUMO A prática de atividade física principalmente em academias vem se intensificando

Leia mais

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Nutrição Esportiva ISSN versão eletrônica 163 AVALIAÇÃO DO PERFIL DE PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA DE UMA ACADEMIA DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM RELAÇÃO AO USO DE SUPLEMENTOS Ariana do Nascimento 1,2, Camila Pedrina João 1,2 RESUMO Mesmo havendo

Leia mais

Perfil socioeconômico e nutricional das crianças inscritas no programa de suplementação alimentar do Centro Municipal de Saúde Manoel José Ferreira

Perfil socioeconômico e nutricional das crianças inscritas no programa de suplementação alimentar do Centro Municipal de Saúde Manoel José Ferreira Perfil socioeconômico e nutricional das crianças inscritas no programa de suplementação alimentar do Centro Municipal de Saúde Manoel José Ferreira Juliana Mayo Helena Recht Pombo 1 Sandra M. M. Rodrigues

Leia mais

TÍTULO: PREVALÊNCIA DE LESÕES EM CORREDORES DOS 10 KM TRIBUNA FM-UNILUS

TÍTULO: PREVALÊNCIA DE LESÕES EM CORREDORES DOS 10 KM TRIBUNA FM-UNILUS TÍTULO: PREVALÊNCIA DE LESÕES EM CORREDORES DOS 10 KM TRIBUNA FM-UNILUS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA AUTOR(ES):

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO

EDUCAÇÃO FÍSICA FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO EDUCAÇÃO FÍSICA 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia: Corpo, Movimento e Linguagem na Era da Informação 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES

Leia mais

Catálogo Virtual CHROMIUM PICOLINATO. Televendas: (21) Site:

Catálogo Virtual CHROMIUM PICOLINATO. Televendas: (21) Site: CHROMIUM PICOLINATO Maça e Banana Ref.: KA341 COLLAGEN HIDROLYSATE COLLAGEN HIDROLYSATE Sabores: Uva Laranja com Acerola. Maça e Banana Ref.: KA341 EVOLUTION WHEY NO2 COLLAGEN Whey Protein é derivado do

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA FLEXIBILIDADE NO TAEKWONDO

A IMPORTÂNCIA DA FLEXIBILIDADE NO TAEKWONDO A IMPORTÂNCIA DA FLEXIBILIDADE NO TAEKWONDO Claudiomar Antonio Vieira 1 Everton Paulo Roman 2 RESUMO O presente estudo teve o objetivo de realizar uma contextualização teórica em relação a importância

Leia mais

MERENDA ESCOLAR: UMA ANÁLISE SOBRE MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS

MERENDA ESCOLAR: UMA ANÁLISE SOBRE MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS MERENDA ESCOLAR: UMA ANÁLISE SOBRE MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS Adrine Fernanda Pascoal Ayna Carolina Duarte Baia Priscila dos Santos Dantas Laudicéia Soares Urbano INTRODUÇÃO A escola pública no Brasil, além

Leia mais

REGULAMENTO LABORATÓRIO DE AVALIAÇÃO NUTRICIONAL FACULDADES ESEFAP

REGULAMENTO LABORATÓRIO DE AVALIAÇÃO NUTRICIONAL FACULDADES ESEFAP REGULAMENTO LABORATÓRIO DE AVALIAÇÃO NUTRICIONAL FACULDADES ESEFAP Tupã, SP 2016 REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE AVALIAÇÃO NUTRICIONAL Define as normas internas de utilização do Laboratório de Avaliação

Leia mais