Educação alimentar e analise dos hábitos em relação à alimentação em estudantes do ensino fundamental 2 no município de Itapuranga Goiás

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Educação alimentar e analise dos hábitos em relação à alimentação em estudantes do ensino fundamental 2 no município de Itapuranga Goiás"

Transcrição

1 Educação alimentar e analise dos hábitos em relação à alimentação em estudantes do ensino fundamental 2 no município de Itapuranga Goiás Sara Marques da Silva¹(IC)*, Lorena Dutra¹(IC), Ester Dias Ruas¹(IC), Camila Soares¹(IC), Liliane de Sousa Silva 1 (PQ), Carla Rosane Mendanha da Cunha 1 (PQ). 1.Ciências Biológicas Universidade Estadual De Goiás Campus Itapuranga. Avenida Rio Araguaia Esq. C/ Rio Paranaíba Setor Milton Camilo de Faria. Resumo: Transtornos alimentares compõem um conjunto de doenças que comprometem principalmente adolescentes e adultos jovens causando alterações biológicas, psicológicas e sociais. A presente atividade foi realizada em duas etapas sendo a primeira com oficinas sobre educação alimentar e transtornos alimentares e a segunda aplicando um questionário com 42 questões objetivas sobre perfil alimentar. Nas palestras diversas duvidas foram esclarecidas sobre: perigo dos laxantes e indução do vômito pós-alimentação e pirâmide alimentar. Setenta e cinco alunos participaram da pesquisa, 52% (n=39) do gênero feminino, 53% (n=47) disseram que fazem de três a quatro refeições por dia, 53%(n=47) relataram que há momentos em que só conseguem pensar em comida, apenas 23%(n=17) se importam com o valor nutricional do alimento, 63% (n=47) relataram que o pensamento de ficar gordo apavora. 33% (n=25) disseram que se sentem culpados quando se alimentam mais que o de costume. 32% (n=24) disseram que a ansiedade aumenta o apetite, 11% (n=8) evitam comer mesmo com fome. Conclui ser necessário colocar o professor e aluno como agente ativo no processo de saúde e doença sensibilizando sobre medidas de prevenção primária no ambiente escolar, incentivando a reflexão e a crítica sobre temas cotidianos, como alimentação saudável, obesidade, anorexia, bulimia e desnutrição. Palavras-chave: Transtorno alimentar. Educação e saúde. Alimentação saudável. Introdução Educação alimentar e nutricional, é uma das principiais estratégias para a promoção da alimentação adequada e saudável. A alimentação saudável possui um significado maior do que apenas garantir as necessidades alimentares e nutricionais do corpo. O ato de comer está relacionado a valores sociais, culturais, afetivos e sensoriais e, na maioria das vezes, é um momento de prazer e confraternização com nossos amigos e familiares. (BERTIN et al., 2008; BARBOSA et al., 2005). Uma alimentação inadequada pode desencadear diversos prejuízos ao organismo e a saúde humana, dentre eles, o surgimento de transtornos alimentares, que são doenças que afetam particularmente adolescentes e adultos jovens do sexo feminino, levando a marcantes problemas biológicos, psicológicos e sociais (TOSATTI, 2012). Alguns destes transtornos mais comuns biológicos destacam-se a obesidade e desnutrição, já os psicológicos, bulimia, desnutrição e bullying. Nesta

2 perspectiva, a escola é um espaço privilegiado para a construção, a quebra dos mitos e a consolidação das práticas alimentares saudáveis em adolescentes, pois é um ambiente no qual atividades voltadas à educação alimentar e nutricional podem apresentar grande repercussão. A presente ação extensionista visa sensibilizar sobre a temática educação nutricional e transtorno alimentar através de aplicação de oficinas sobre a temática e aplicação de um questionário para avaliar o perfil nutricional dos estudantes de ensino fundamental 2 no município de Itapuranga-Go. Material e Métodos Essas atividades do projeto de extensão foram realizadas durante os meses de Abril, Junho e Novembro do ano de 2015 com os alunos matriculados no ensino fundamental fase dois (6 a 9 ano) do Colégio Estadual José Pereira de Faria, da cidade de Itapuranga-Goiás Foram incluídos na atividade extensionista todos os alunos matriculados no ensino fundamental fase dois, do Colégio Estadual José Pereira de Faria, entre 11 e 17 anos. Estiveram excluídos os alunos menores de 11 e maiores de 17 anos, e os que estiveram ausentes no dia da pesquisa. O primeiro momento dessa atividade extensionista, foi baseado na aplicação de palestras educativas e oficinas lúdico pedagógicas objetivando conscientizá-los quanto a hábitos alimentares e os transtornos a saúde gerada pela relação com o alimento. No segundo momento foi aplicado os questionários aos alunos, mas antes foi entregue o termo de consentimento livre e esclarecido para o gestor da escola assinar, autorizando os alunos a participarem do estudo. Os dados foram armazenados em banco de dados utilizando-se o programa Microsoft Excel 2010 a partir das informações contidas nos formulários. Os dados obtidos foram utilizados de maneira confidencial, obedecendo aos preceitos do Código de Ética Médica para a utilização científica de dados de pacientes e respeitada os princípios enunciados na Declaração de Helsinque III (2000) emendada em Edimburgo, Escócia; e, na Resolução nº. 196/96 do Conselho Nacional de Saúde (BRASIL, 1996).

3 Resultados e Discussão Durante as palestras educativas observamos duvidas relacionadas à importância nutricional dos alimentos, a doenças como bulimia, anorexia e obesidade bem como a cobrança relacionada aos padrões de beleza. A maioria dos adolescentes demonstrou importar mais com a imagem e dessa forma com a alimentação do que com o beneficio a curto e longo prazo de uma alimentação saudável. Figura 1: Oficina sobre educação e transtorno alimentar Dos 87 alunos matriculados no ensino fundamental 2, 75 participaram da pesquisa, 52% (n=39) são do gênero feminino, 53% (n=47) disseram que faz de 3 a 4 refeições durante o dia, 53%(n=47) relataram que há momentos em que só consegue pensar em comida e apenas 23%(n=17) disseram que o valor nutricional é importante para a escolha. Ao ser questionado sobre se o pensamento de tornar-se gordo (a) o (a) apavorava, 63% (n=47) dos (as) estudantes responderam que sim. E 33% (n=25) disseram que se sentem culpado por comer. Em relação a quando se sentem ansiosos (as) tendem a comer muito, 32% (n=24) disseram que sim, a

4 ansiedade aumenta o apetite. Foi questionado se ao sentir fome, evitam se alimentar, nesse quesito 11% (n=8) relataram ter esta atitude às vezes, 2% (n=3) frequentemente. Através da análise dos questionários podemos observar o perfil da alimentação dos alunos, concluindo que os mesmos ao consumir um alimento preferem o sabor do alimento ao valor nutricional, isso contribui para uma má alimentação que futuramente poderá causar prejuízo à saúde. A respeito da autoimagem 20% (n=15) afirmam que estão preocupados em ser magros, 11% (n=8) se sentem culpados logo após se alimentarem, 8% (n=6) evitam comer quando estão com fome, 11% (n=8) às vezes sentem vontade de vomitar após a alimentação, esses dados são significantes e podem indicar possíveis casos de transtorno alimentar, justificando a intervenção com esses temas através de atividades extensionistas nas escolas. Em relação à análise estatística antropométrica, participaram 75% (n=60) dos alunos, sendo que 25%(n=15) recusaram participar. Verificou-se baixo peso em 20%(n=12), 61,6%(n=37) apresentou peso adequado, e 18,4%(n=11) sobrepeso. Foi observada então uma porcentagem significativa de alunos, principalmente do sexo masculino abaixo do peso. O que está em desacordo com os autores Secchi et al.,(2009) e Gonsalves et al.,(2013) o qual justifica o fato com as seguintes hipóteses: escola pública com alunos de baixa renda o que pode significar baixo acesso a uma alimentação balanceada. Outro fato importante é que a atividade econômica principal da região está relaciona a agricultura familiar no qual grande parte dos alunos pode estar inseridos, e nesse caso é uma atividade de grande consumo energético que associado ao baixo acesso ao alimento pode corroborar para o baixo peso. Considerações Finais Através da análise dos questionários podemos observar o perfil da alimentação dos alunos, concluindo que os mesmos ao consumir um alimento preferem o sabor do alimento ao valor nutricional afirmando também que estão preocupados em ser magros e parte relatam se sentirem culpados logo após se alimentarem e que sentem vontade de vomitar após a alimentação, esses dados são

5 significantes e podem indicar possíveis casos de transtorno alimentar, justificando a intervenção com esses temas através de atividades extensionistas nas escolas. Agradecimentos A equipe executora deste trabalho agradece a Pro-reitoria de Extensão da Universidade Estadual de Goiás (PrE-UEG) e ao Colégio Estadual José Pereira de Faria pela parceria. Referências BARBOSA,R.M.S.et al. Consumo alimentar de crianças com base na pirâmide alimentar brasileira infantil. Revista de Nutrição, v.5, p Campinas BERTIN,R.L. et al. Estado nutricional e consumo alimentar de adolescentes da rede pública de ensino da cidade de São Mateus, Paraná, Brasil. Revista brasileira de saúde e maternidade infantil, v.8, p Recife TOSATTI. A, M. Transtornos alimentares na adolescência. Nutrociência Disponível em: < Acesso em: 19 Agosto 2016.

A autoestima e sua influência no espaço escolar: relato de experiência

A autoestima e sua influência no espaço escolar: relato de experiência A autoestima e sua influência no espaço escolar: relato de experiência Lorena Dutra Silva¹* (IC), Sara Marques da Silva¹ (IC), Camila Soares Dos Santos¹ (IC), Ester Dias Ruas¹ (IC), Liliane de Sousa Silva¹

Leia mais

Bulimia Nervosa Anorexia: -Anorexia Nervosa -Anorexia Alcoólica. Obesidade Bibliografia Conclusão

Bulimia Nervosa Anorexia: -Anorexia Nervosa -Anorexia Alcoólica. Obesidade Bibliografia Conclusão Bulimia Nervosa Anorexia: -Anorexia Nervosa -Anorexia Alcoólica Obesidade Bibliografia Conclusão A Bulimia nervosa é um transtorno alimentar causado pela ingestão de grandes quantidades de alimentos, seguidos

Leia mais

TESTE DE INVESTIGAÇÃO BULÍMICA DE EDIMBURGO

TESTE DE INVESTIGAÇÃO BULÍMICA DE EDIMBURGO TESTE DE INVESTIGAÇÃO BULÍMICA DE EDIMBURGO 1. Qual é a sua altura? 2. Qual é o seu peso atual? 3. Qual é o peso máximo que você já apresentou? 4. Qual é o peso mínimo que você já apresentou? 5. Qual é,

Leia mais

Os escolares das Escolas Municipais de Ensino Fundamental

Os escolares das Escolas Municipais de Ensino Fundamental 16 Estado nutricional das crianças de 7 a 10 anos de idade do Município de Vinhedo (SP) em 2005 e 2008, segundo os critérios da Organização Mundial da Saúde (2007) Estela Marina Alves Boccaletto Doutoranda

Leia mais

QUAL O IMC DOS ALUNOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO NO IFTM CAMPUS UBERLÂNDIA?

QUAL O IMC DOS ALUNOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO NO IFTM CAMPUS UBERLÂNDIA? QUAL O IMC DOS ALUNOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO NO IFTM CAMPUS UBERLÂNDIA? Bianca Silva Santos 1 ; Henrique Flausino de Souza 2 ; Maria Eduarda Guedes Coutinho 3 ; Maria Julia Rocha Ferreira

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESPERDÍCIO, QUALIDADE DO CARDÁPIO E PESQUISA DE SATISFAÇÃO DE CLIENTES EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

AVALIAÇÃO DO DESPERDÍCIO, QUALIDADE DO CARDÁPIO E PESQUISA DE SATISFAÇÃO DE CLIENTES EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO AVALIAÇÃO DO DESPERDÍCIO, QUALIDADE DO CARDÁPIO E PESQUISA DE SATISFAÇÃO DE CLIENTES EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NA CIDADE DE SETE LAGOAS MG Anna Luiza Fernandes de SOUZA 1 Juliana Costa LIBOREDO

Leia mais

Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016.

Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016. Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016. Cristiane Aparecida Rosa 1, Tissiane Narai de Oliveira Ferreira 1, Nayane Aparecida Araújo Dias 2, Renata de

Leia mais

GABINETE de ATendimento Para a Saúde -Sexualidade

GABINETE de ATendimento Para a Saúde -Sexualidade GABINETE de ATendimento Para a Saúde -Sexualidade SOLIDARIEDADE SAÚDE PESS AMBIENTE SEXUALIDADE Com este programa pretendemos que a nossa escola continue a ser UMA ESCOLA PROMOTORA DE SAÚDE O que é UMA

Leia mais

ANÁLISE SENSORIAL DE STROGONOFF VEGETARIANO ENTRE OS COMENSAIS DE UM RESTAURANTE UNIVERSITARIO DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR

ANÁLISE SENSORIAL DE STROGONOFF VEGETARIANO ENTRE OS COMENSAIS DE UM RESTAURANTE UNIVERSITARIO DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR ANÁLISE SENSORIAL DE STROGONOFF VEGETARIANO ENTRE OS COMENSAIS DE UM RESTAURANTE UNIVERSITARIO DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR Área Temática: Nutrição Renata Leia Demario Vieira (Coordenador da Ação de Extensão)

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE Diretoria de Pesquisas Coordenação de População e Indicadores Sociais Gerência de Estudos e Pesquisas Sociais Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE Data 26/08/2016 Introdução Adolescência Transição

Leia mais

Projeto Cintura Fina E.E.E.I. Ministro Costa Manso Sala 15 / 2ª. Sessão

Projeto Cintura Fina E.E.E.I. Ministro Costa Manso Sala 15 / 2ª. Sessão Projeto Cintura Fina E.E.E.I. Ministro Costa Manso Sala 15 / 2ª. Sessão Professor(es) Apresentador(es): Edylene A. Cardoso Boccoli Priscila M. de Maio Lacerda Realização: Foco Nosso foco, na disciplina,

Leia mais

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

Desnutrição na Adolescência

Desnutrição na Adolescência Desnutrição na Adolescência Adolescência CRIANÇA Desnutrição Anorexia/Bulimia Obesidade / Diabetes ADULTO Dietas não convencionais e restritivas Deficiência de ferro Cálcio, vitamina A, zinco, Vitamina

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 TEIXEIRA, Giselle 2 ; BOSI, Greice 2 ; FONTOURA, Ethiene 2 ; MUSSOI, Thiago 2 ; BLASI,

Leia mais

TÍTULO: INCIDÊNCIA DE TRANSTORNOS ALIMENTARES EM ADOLESCENTES DE UMA ESCOLA ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE JOSÉ BONIFÁCIO

TÍTULO: INCIDÊNCIA DE TRANSTORNOS ALIMENTARES EM ADOLESCENTES DE UMA ESCOLA ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE JOSÉ BONIFÁCIO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: INCIDÊNCIA DE TRANSTORNOS ALIMENTARES EM ADOLESCENTES DE UMA ESCOLA ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

O ensino de anatomia humana no 8º ano do Ensino Fundamental associado a aulas práticas mediado por ações extensionistas.

O ensino de anatomia humana no 8º ano do Ensino Fundamental associado a aulas práticas mediado por ações extensionistas. O ensino de anatomia humana no 8º ano do Ensino Fundamental associado a aulas práticas mediado por ações extensionistas. Angélica Silva Ribeiro (IC); Ana Paula Gomes Cardoso (IC); Jaqueline Maria Pacífico

Leia mais

Campanha de sensibilização do pnase

Campanha de sensibilização do pnase São Tomé, 28 de Fevereiro de 2017. Campanha de sensibilização do pnase Em alusão a 1 de Março, Dia Africano da Alimentação Escolar, o Ministério da Educação Cultura de São Tomé e Príncipe dá início à campanha

Leia mais

Obesidade Infantil. Nutrição & Atenção à Saúde. Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti.

Obesidade Infantil. Nutrição & Atenção à Saúde. Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti. Obesidade Infantil Nutrição & Atenção à Saúde Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti. A Obesidade Infantil O Problema da Obesidade Infantil É uma doença

Leia mais

COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ESCOLARES DA REDE DE ENSINO PÚBLICA E PRIVADA EM UMA CIDADE DA REGIÃO NORTE RESUMO

COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ESCOLARES DA REDE DE ENSINO PÚBLICA E PRIVADA EM UMA CIDADE DA REGIÃO NORTE RESUMO COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ESCOLARES DA REDE DE ENSINO PÚBLICA E PRIVADA EM UMA CIDADE DA REGIÃO NORTE PEDROSA, Olakson Pinto. Professor do Curso de Educação Física da ULBRA * NETO, Wilson Nonato Rabelo. Graduado

Leia mais

REDUÇÃO & REEDUCAÇÃO PROGRAMA DE EMAGRECIMENTO

REDUÇÃO & REEDUCAÇÃO PROGRAMA DE EMAGRECIMENTO Go Mag R do o Os Efeitos negativos da Obesidade na sua saúde e na sua vida: Menor expectativa de vida Baixa autoestima Mobilidade limitada Problemas nas articulações Ataque cardíaco Pressão alta 2R QUE

Leia mais

SAÚDE MENTAL E EDUCAÇÃO: CONSTRUINDO DIÁLOGOS CHRISTIANE MARIA RIBEIRO DE OLIVEIRA IRLA PAULA ANDRADE AMARAL ISADORA EDUARDA BARROS BRAZ DE CARVALHO

SAÚDE MENTAL E EDUCAÇÃO: CONSTRUINDO DIÁLOGOS CHRISTIANE MARIA RIBEIRO DE OLIVEIRA IRLA PAULA ANDRADE AMARAL ISADORA EDUARDA BARROS BRAZ DE CARVALHO SAÚDE MENTAL E EDUCAÇÃO: CONSTRUINDO DIÁLOGOS CHRISTIANE MARIA RIBEIRO DE OLIVEIRA IRLA PAULA ANDRADE AMARAL ISADORA EDUARDA BARROS BRAZ DE CARVALHO Saúde CONTEXTUALIZANDO... Diante da gravidade do avanço

Leia mais

IDADE GESTACIONAL, ESTADO NUTRICIONAL E GANHO DE PESO DURANTE A GESTAÇÃO DE PARTURIENTES DO HOSPITAL SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PELOTAS RS

IDADE GESTACIONAL, ESTADO NUTRICIONAL E GANHO DE PESO DURANTE A GESTAÇÃO DE PARTURIENTES DO HOSPITAL SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PELOTAS RS IDADE GESTACIONAL, ESTADO NUTRICIONAL E GANHO DE PESO DURANTE A GESTAÇÃO DE PARTURIENTES DO HOSPITAL SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PELOTAS RS Autor(es): LEIVAS, Vanessa Isquierdo; GONÇALVES, Juliana Macedo;

Leia mais

Marque a opção do tipo de trabalho que está inscrevendo: ( x ) Resumo ( ) Relato de Caso

Marque a opção do tipo de trabalho que está inscrevendo: ( x ) Resumo ( ) Relato de Caso Marque a opção do tipo de trabalho que está inscrevendo: ( x ) Resumo ( ) Relato de Caso Projeto Horta escolar e a gastronomia em uma escola Municipal de Montauri-RS. AUTOR PRINCIPAL: Ana Rita Toffoli

Leia mais

PERFIL ANTROPOMÉTRICO DOS USUÁRIOS DE CENTROS DE CONVIVÊNCIA PARA IDOSOS NO MUNICÍPIO DE NATAL- RN

PERFIL ANTROPOMÉTRICO DOS USUÁRIOS DE CENTROS DE CONVIVÊNCIA PARA IDOSOS NO MUNICÍPIO DE NATAL- RN PERFIL ANTROPOMÉTRICO DOS USUÁRIOS DE CENTROS DE CONVIVÊNCIA PARA IDOSOS NO MUNICÍPIO DE NATAL- RN Ana Paula Araujo de Souza 1 ; Luciana Karla Miranda Lins 2 1 Secretaria Municipal do Trabalho e Assistência

Leia mais

TÍTULO: BULIMIA: DESENVOLVIMENTO DA BULIMIA NA ADOLESCÊNCIA INFLUENCIADO POR FATORES SOCIAIS

TÍTULO: BULIMIA: DESENVOLVIMENTO DA BULIMIA NA ADOLESCÊNCIA INFLUENCIADO POR FATORES SOCIAIS 16 TÍTULO: BULIMIA: DESENVOLVIMENTO DA BULIMIA NA ADOLESCÊNCIA INFLUENCIADO POR FATORES SOCIAIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

Pacto de Milão. Desafio para as Autarquias. Lucinda Fonseca

Pacto de Milão. Desafio para as Autarquias. Lucinda Fonseca Pacto de Milão Desafio para as Autarquias Lucinda Fonseca Caracterização CARACTERIZAÇÃO PACTO DE MILÃO /03 Freguesias: 26 Área: 302,33 km 2 População residente: 56 264 Densidade populacional: 185,9 hab/

Leia mais

EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRIÇÃO EM UMA PERSPECTIVA INOVADORA

EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRIÇÃO EM UMA PERSPECTIVA INOVADORA EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRIÇÃO EM UMA PERSPECTIVA INOVADORA Cryslânia da Costa Farias 1; Elisabete Januário de Alencar 2 ; Raissa Alcantara Soares 3 ; Juliana Moura Nascimento 4.. 1 Universidade Estadual

Leia mais

PROGRAMAÇÃO. Av. Eduardo Ribeiro UEA/UTAM. Rede de Supermercados DB, Carrefour. Auditório do Colégio Dom Bosco - Centro

PROGRAMAÇÃO. Av. Eduardo Ribeiro UEA/UTAM. Rede de Supermercados DB, Carrefour. Auditório do Colégio Dom Bosco - Centro GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS PREFEITURA MUNICIPAL DE MANAUS CONSELHO ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL AMAZONAS SEMANA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO 16 a 22 de outubro de 05 TEMA: A INICIATIVA DE

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL RESUMO

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL RESUMO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Ana Paula Scherer de Brum* Patrícia Wolf** Paula Masiero*** RESUMO Para termos um corpo e uma mente sadia, devemos ter uma alimentação saudável, com propriedades que ajudam no desenvolvimento

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA CLÍNICA ESCOLA DE FISIOTERAPIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA CLÍNICA ESCOLA DE FISIOTERAPIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA CLÍNICA ESCOLA DE FISIOTERAPIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS COSTA, Yago da 1 ; ALVES, Beatriz Rodrigues 2 ; FELIX, Jefferson Ferreira 3 ; PACHECO, Lílian Fernanda

Leia mais

Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin

Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin NUTRIÇÃO??? A nutrição é a ciência que estuda a composição dos alimentos e as necessidades nutricionais do indivíduo,

Leia mais

LEVANTAMENTO DE DADOS SOBRE O USO DE CIGARROS POR ALUNOS DO ENSINO MÉDIO DE UMA ESCOLA PÚBLICA EM SOBRAL-CE

LEVANTAMENTO DE DADOS SOBRE O USO DE CIGARROS POR ALUNOS DO ENSINO MÉDIO DE UMA ESCOLA PÚBLICA EM SOBRAL-CE LEVANTAMENTO DE DADOS SOBRE O USO DE CIGARROS POR ALUNOS DO ENSINO MÉDIO DE UMA ESCOLA PÚBLICA EM SOBRAL-CE Gláucia Monte Carvalho¹; Maria do Livramento Oliveira Nascimento; Dougliane Gomes de Souza; Larisse

Leia mais

De onde partimos. Alimentação compreendida como um Direito Humano

De onde partimos. Alimentação compreendida como um Direito Humano UFF Inês RR Castro Thais SN Souza Sheila Rotenberg Emília S. Caniné Luciana A Maldonado Suzete Marcolan Jorginete de Jesus Damião Ana Maria F Azevedo Silvia A Gugelmin Ana Beatriz V. Pinheiro UFF A culinária

Leia mais

AVALIAÇÃO IMC E DE CONSUMO DE ALIMENTOS FONTE DE PROTEÍNA, VITAMINA C E MAGNÉSIO POR ESCOLARES

AVALIAÇÃO IMC E DE CONSUMO DE ALIMENTOS FONTE DE PROTEÍNA, VITAMINA C E MAGNÉSIO POR ESCOLARES AVALIAÇÃO IMC E DE CONSUMO DE ALIMENTOS FONTE DE PROTEÍNA, VITAMINA C E MAGNÉSIO POR ESCOLARES RODRIGUES, Fernanda Nunes (UNITRI) nanda-nutricao@hotmail.com ARAÚJO, Ana Cristina Tomaz (UNITRI) anacrisnutricao@yahoo.com.br

Leia mais

-PNAN - Portaria Estatuto da criança e do adolescente -PCNs

-PNAN - Portaria Estatuto da criança e do adolescente -PCNs -PNAN - Portaria 1.010 - Estatuto da criança e do adolescente -PCNs Alimentação Escolar Aline Guimarães Nutricionista - CECANE UnB PNAN Política Nacional de Alimentação e Nutrição Alimentação escolar PNAN

Leia mais

Municípios e Comunidades. Saudáveis. Promovendo a qualidade de vida através da Estratégia de Municípios e Comunidades. Saudáveis

Municípios e Comunidades. Saudáveis. Promovendo a qualidade de vida através da Estratégia de Municípios e Comunidades. Saudáveis Organização Pan Americana da Saúde Oficina Regional da Organização Mundial da Saúde Municípios e Comunidades Saudáveis Guia dos prefeitos e outras autoridades locais Promovendo a qualidade de vida através

Leia mais

PERSONAL DIET, INTERVENÇÃO NUTRICIONAL EM ÂMBITO DOMICILIAR: RELATO DE CASOS

PERSONAL DIET, INTERVENÇÃO NUTRICIONAL EM ÂMBITO DOMICILIAR: RELATO DE CASOS ISBN 978-85-61091-05-7 VI EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 PERSONAL DIET, INTERVENÇÃO NUTRICIONAL EM ÂMBITO DOMICILIAR: RELATO DE CASOS Denise Bertin

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PLANO DE ENSINO Unidade Universitária: CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso: EDUCAÇÃO FISICA Núcleo Temático: Disciplina:

Leia mais

BULLYING E CYBRBULLYING: UMA DISCUSSÃO NECESSÁRIA NAS ESCOLAS. Eixo Temático: Temas Transversais

BULLYING E CYBRBULLYING: UMA DISCUSSÃO NECESSÁRIA NAS ESCOLAS. Eixo Temático: Temas Transversais ISSN 2359-1277 BULLYING E CYBRBULLYING: UMA DISCUSSÃO NECESSÁRIA NAS ESCOLAS Lueni Alves Porto, lueniporto2@gmail.com; Keila Pinna Valensuela (Orientadora), keilapinna@hotmail.com; Universidade Estadual

Leia mais

Transtornos Alimentares na Gestação

Transtornos Alimentares na Gestação Transtornos Alimentares na Gestação Comportamentos Alimentares Inadequados Durante a Gestação: prevalência e fatores associados em amostra de serviços públicos de saúde no sul do Brasil. Nutr. Rafael Marques

Leia mais

Profa. Dra. Najla Veloso Consultora Internacional da FAO para fortalecimento de Programas de Alimentação Escolar Sustentáveis na ALC

Profa. Dra. Najla Veloso Consultora Internacional da FAO para fortalecimento de Programas de Alimentação Escolar Sustentáveis na ALC Profa. Dra. Najla Veloso Consultora Internacional da FAO para fortalecimento de Programas de Alimentação Escolar Sustentáveis na ALC Governo Governo Pacto Internacional de Direitos Econômicos, Sociais

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Obstetrícia. Educação em saúde. Consulta de enfermagem.

PALAVRAS-CHAVE Obstetrícia. Educação em saúde. Consulta de enfermagem. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

O comportamento alimentar e as rejeições e aversões alimentares de estudantes adolescentes de escolas públicas e privadas de Teresina-PI.

O comportamento alimentar e as rejeições e aversões alimentares de estudantes adolescentes de escolas públicas e privadas de Teresina-PI. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENADORIA GERAL DE PESQUISA Iniciação Científica Voluntária - ICV Campus Universitário Ministro Petrônio

Leia mais

Campus de Botucatu PLANO DE ENSINO MODALIDADE: ( X ) OBRIGATÓRIA ( ) OPTATIVA DOCENTE RESPONSÁVEL : NORKA BEATRIZ BARRUETO GONZALEZ

Campus de Botucatu PLANO DE ENSINO MODALIDADE: ( X ) OBRIGATÓRIA ( ) OPTATIVA DOCENTE RESPONSÁVEL : NORKA BEATRIZ BARRUETO GONZALEZ PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO CURSO: NUTRIÇÃO MODALIDADE: DISCIPLINA: DIETÉTICA ( X ) OBRIGATÓRIA ( ) OPTATIVA DEPARTAMENTO: EDUCAÇÃO DOCENTE RESPONSÁVEL : NORKA BEATRIZ BARRUETO GONZALEZ Semestre Letivo:

Leia mais

Cartilha de Alimentação Infantil para profissionais de saúde e educação

Cartilha de Alimentação Infantil para profissionais de saúde e educação Cartilha de Alimentação Infantil para profissionais de saúde e educação Cristiane Aparecida Azevedo de Assis Machado Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba Coordenação de Vigilância Nutricional II FÓRUM

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE ALIMENTOS PROCESSADOS E ULTRAPROCESSADOS POR ESCOLARES DO IFAL CAMPUS MURICI

AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE ALIMENTOS PROCESSADOS E ULTRAPROCESSADOS POR ESCOLARES DO IFAL CAMPUS MURICI AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE ALIMENTOS PROCESSADOS E ULTRAPROCESSADOS POR ESCOLARES DO IFAL CAMPUS MURICI João Victor Laurindo dos Santos (1); Clara Andrezza Crisóstomo Bezerra Costa (1); Ingrid Sofia Vieira

Leia mais

HÁBITOS ALIMENTARES: INQUÉRITO ALIMENTAR DE ACADÊMICOS DE NUTRIÇÃO DA REGIÃO DO CARIRI

HÁBITOS ALIMENTARES: INQUÉRITO ALIMENTAR DE ACADÊMICOS DE NUTRIÇÃO DA REGIÃO DO CARIRI HÁBITOS ALIMENTARES: INQUÉRITO ALIMENTAR DE ACADÊMICOS DE NUTRIÇÃO DA REGIÃO DO CARIRI Ana Kelly Morais dos Santos kellymoraissantos@hotmail.com Anna Karllota Gomes Estevam annakarllota@hotmail.com Jaqueline

Leia mais

Alimentação Saudável nas Escolas Elaborado por Keyla Preuss

Alimentação Saudável nas Escolas Elaborado por Keyla Preuss Alimentação Saudável nas Escolas Elaborado por Keyla Preuss Como utilizar este check list? Em cada tabela é abordado um tema diferente com uma lista de declarações. Assinale para respostas positivas e

Leia mais

PERFIL DO ÍNDICE DE MASSA CORPORAL DOS ESCOLARES INGRESSOS NO INSTITUTO FEDERAL DO TOCANTINS Campus Paraíso do Tocantins

PERFIL DO ÍNDICE DE MASSA CORPORAL DOS ESCOLARES INGRESSOS NO INSTITUTO FEDERAL DO TOCANTINS Campus Paraíso do Tocantins PERFIL DO ÍNDICE DE MASSA CORPORAL DOS ESCOLARES INGRESSOS NO INSTITUTO FEDERAL DO TOCANTINS Campus Paraíso do Tocantins Gabriela de Medeiros Cabral 1, Avelino Pereira Neto 2 1 Professora do Ensino Básico,

Leia mais

ALIMENTAÇÃO E SAÚDE 1 - A RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO E SAÚDE

ALIMENTAÇÃO E SAÚDE 1 - A RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO E SAÚDE Alimentação e Saúde ALIMENTAÇÃO E SAÚDE 1 - A RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO E SAÚDE Todo ser vivo precisa se alimentar para viver. A semente, ao ser plantada, precisa ser adubada e molhada todos os dias

Leia mais

O estirão Nos meninos, ocorre entre 14 e 16 anos. Nas meninas entre 11 e 12 anos. É a fase que mais se cresce.

O estirão Nos meninos, ocorre entre 14 e 16 anos. Nas meninas entre 11 e 12 anos. É a fase que mais se cresce. A sexualidade no ser humano atravessa um longo desenvolvimento e tem início na adolescência. Cada pessoa tem seu desenvolvimento. No menino a puberdade se inicia com a primeira ejaculação ou polução e

Leia mais

NÚCLEO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO ADOLESCENTE NASAD

NÚCLEO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO ADOLESCENTE NASAD O Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei n.º 8.069/90 (BRASIL, 1990), circunscreve a adolescência como o período de vida que vai dos 12 aos 18 anos de idade e a Organização Mundial da Saúde (OMS) delimita

Leia mais

Alimentação, saúde e qualidade de vida de escolares quilombolas

Alimentação, saúde e qualidade de vida de escolares quilombolas Alimentação, saúde e qualidade de vida de escolares quilombolas Profª Dra Estelamaris T Monego Faculdade de Nutrição UFG CECANE UFG/Centro-Oeste emonego@fanut.ufg.br Programa Nacional de Alimentação Escolar

Leia mais

Frutas, Legumes e Verduras

Frutas, Legumes e Verduras Frutas, Legumes e Verduras Revisão da PNAN 26 seminários estaduais + 1 nacional (2010) Parceria com CIAN/CNS PNAN pactuada e aprovada na Reunião Ordinária da CIT 27 de outubro de 2011 Portaria nº 2.715,

Leia mais

Instrução Normativa nº 03/ PPGEN

Instrução Normativa nº 03/ PPGEN Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró- Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Humanas, Sociais e da Natureza-PPGEN. Campus

Leia mais

MÍDIA KIT

MÍDIA KIT MÍDIA KIT 2016 www.pequenogourmet.com.br O É UM PORTAL VOLTADO PARA A EDUCAÇÃO ALIMENTAR DAS CRIANÇAS E O BEM-ESTAR DE TODA A FAMÍLIA. RECEITAS, NOTÍCIAS E DICAS PARA TORNAR ESTE PROCESSO MAIS SIMPLES

Leia mais

NUTRIÇÃO, OBESIDADE E A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA RESUMO

NUTRIÇÃO, OBESIDADE E A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA RESUMO NUTRIÇÃO, OBESIDADE E A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA Ana Paula Scherer de Brum* Mauro Souza** Sabrina Roberta Wagner*** RESUMO A alimentação adequada é imprescindível em qualquer idade, no

Leia mais

Um Consumidor exigente: a resposta Agros Biológico SEMINÁRIO A AGRICULTURA BIOLÓGICA PARA O CIDADÃO

Um Consumidor exigente: a resposta Agros Biológico SEMINÁRIO A AGRICULTURA BIOLÓGICA PARA O CIDADÃO Um Consumidor exigente: a resposta Agros Biológico SEMINÁRIO A AGRICULTURA BIOLÓGICA PARA O CIDADÃO 11 de Abril de 2007 UM CONSUMIDOR EXIGENTE A procura da saúde e bem-estar pela alimentação EXOTISMO DESCOBERTA

Leia mais

Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas. Acadêmicas de Nutrição da Faculdades Integradas de Três Lagoas RESUMO

Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas. Acadêmicas de Nutrição da Faculdades Integradas de Três Lagoas RESUMO 1 AVALIAÇÃO SENSORIAL DE IOGURTE BATIDO COM A FRUTA DE GOIABA VERMELHA IN NATURA (Psidium guajava), COM O SUCO ARTIFICIAL DE GOIABA E A POLPA DA FRUTA DE GOIABA CAMILA ANDRÉA FAVARO DE FREITAS 1 CAROLINE

Leia mais

Nutrição na Adolescência. Profa. Msc. Milena Maia

Nutrição na Adolescência. Profa. Msc. Milena Maia Nutrição na Adolescência Profa. Msc. Milena Maia ADOLESCÊNCIA Segundo a OMS é o período da vida que se inicia aos 10 anos de idade e prolonga-se até os 19 anos, caracterizado por intensas modificações

Leia mais

A principal causa da obesidade infantil advêm de uma alimentação pouco saudável e. vida ao ar livre, ou seja com um estilo de vida menos saudável.

A principal causa da obesidade infantil advêm de uma alimentação pouco saudável e. vida ao ar livre, ou seja com um estilo de vida menos saudável. 5 ao Dia 2008 Enquadramento Mudança de hábitos alimentares das crianças A televisão, os jogos de computador e a internet têm mudado os hábitos das crianças e jovens, tornando-as mais inactivas, com menos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO MESTRANDA: LANA ROSA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO MESTRANDA: LANA ROSA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO MESTRANDA: LANA ROSA LANCHES SAUDÁVEIS NA MERENDA ESCOLAR INTRODUÇÃO Os aspectos que

Leia mais

REEDUCAÇÃO ALIMENTAR NAS ESCOLAS URBANAS DO MUNICÍPIO DE LAGES, SC. Cristiane Pellizzaro Batalha, Mestre, CAV UDESC,

REEDUCAÇÃO ALIMENTAR NAS ESCOLAS URBANAS DO MUNICÍPIO DE LAGES, SC. Cristiane Pellizzaro Batalha, Mestre, CAV UDESC, REEDUCAÇÃO ALIMENTAR NAS ESCOLAS URBANAS DO MUNICÍPIO DE LAGES, SC Cristiane Pellizzaro Batalha, Mestre, CAV UDESC, a2cpb@cav.udesc.br Daiane de Souza Bueno, acadêmica de Agronomia, CAV UDESC, dayah_bueno@hotmail.com

Leia mais

PROMOÇÃO DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA EM INDIVÍDUOS HIPERTENSOS E DIABÉTICOS: UMA INICIATIVA DO PET- SAÚDE

PROMOÇÃO DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA EM INDIVÍDUOS HIPERTENSOS E DIABÉTICOS: UMA INICIATIVA DO PET- SAÚDE 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE)

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) ENTENDENDO O CARDÁPIO Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) O que é um cardápio? CARDÁPIO DO PNAE É a relação das preparações de alimentos a serem oferecidas em uma refeição.

Leia mais

Campus de Botucatu PLANO DE ENSINO MODALIDADE: ( X ) OBRIGATÓRIA ( ) OPTATIVA DOCENTE RESPONSÁVEL : NORKA BEATRIZ BARRUETO GONZALEZ

Campus de Botucatu PLANO DE ENSINO MODALIDADE: ( X ) OBRIGATÓRIA ( ) OPTATIVA DOCENTE RESPONSÁVEL : NORKA BEATRIZ BARRUETO GONZALEZ PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO CURSO: NUTRIÇÃO MODALIDADE: DISCIPLINA: DIETÉTICA ( X ) OBRIGATÓRIA ( ) OPTATIVA DEPARTAMENTO: EDUCAÇÃO DOCENTE RESPONSÁVEL : NORKA BEATRIZ BARRUETO GONZALEZ Semestre Letivo:

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN

A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN Victor Henrique dos Santos Silva 1 ; Adriana Moura de Lima 2 Resumo: Perante a abordagem da

Leia mais

PREVALÊNCIA DO TRANSTORNO DE COMPULSÃO ALIMENTAR PERIÓDICA EM UNIVERSITÁRIAS

PREVALÊNCIA DO TRANSTORNO DE COMPULSÃO ALIMENTAR PERIÓDICA EM UNIVERSITÁRIAS 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 PREVALÊNCIA DO TRANSTORNO DE COMPULSÃO ALIMENTAR PERIÓDICA EM UNIVERSITÁRIAS Maria Alice Nunes de Campos Monteiro 1 ; Gersislei Antonia Salado 2 ; Talma

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Prefeitura do Município de Taboão da Serra Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia Departamento de Educação PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA (PSE) O Programa Saúde na Escola Política intersetorial dos Ministérios

Leia mais

Nota Técnica nº 004 /2013 CGPAE/DIRAE/FNDE. Brasília, 11 de julho de Assunto: Inclusão de pescado na alimentação escolar

Nota Técnica nº 004 /2013 CGPAE/DIRAE/FNDE. Brasília, 11 de julho de Assunto: Inclusão de pescado na alimentação escolar Nota Técnica nº 004 /2013 CGPAE/DIRAE/FNDE Assunto: Inclusão de pescado na alimentação escolar Brasília, 11 de julho de 2013. A Coordenação de Segurança Alimentar e Nutricional COSAN, no cumprimento de

Leia mais

NUTRIÇÃO. Problemas nutricionais associados à pobreza: Desnutrição /Hipovitaminose / Bócio

NUTRIÇÃO. Problemas nutricionais associados à pobreza: Desnutrição /Hipovitaminose / Bócio NUTRIÇÃO NUTRIÇÃO Problemas nutricionais associados à pobreza: Desnutrição /Hipovitaminose / Bócio Problemas nutricionais associados à hábitos alimentares inadequados: Dislipdemias / Anemia / Obesidade

Leia mais

ANEXO 3 CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE

ANEXO 3 CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE ANEXO 3 PROGRAMA CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE 1. Conhecimentos sobre o SUS - Legislação da Saúde: Constituição Federal de 1988 (Título VIII - capítulo II - Seção II); Lei 8.080/90 e Lei 8.142/90; Norma

Leia mais

AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO POR ÁREA TEMÁTICA INSTITUCIONAL E POR UNA

AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO POR ÁREA TEMÁTICA INSTITUCIONAL E POR UNA UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO EDITAL INTERNO CONJUNTO Nº 01/016 AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO POR E POR A Comissão de Avaliação dos projetos de

Leia mais

Nutricionista em escolas da rede privada: perspectivas de atuação. Nutricionista Joseane Mancio CRN2 4510

Nutricionista em escolas da rede privada: perspectivas de atuação. Nutricionista Joseane Mancio CRN2 4510 Nutricionista em escolas da rede privada: perspectivas de atuação Nutricionista Joseane Mancio CRN2 4510 Onde podemos atuar??? Atribuições Resolução CFN CFN 380/2005 Alimentação Escolar Compete ao Nutricionista,

Leia mais

Ações extensionistas no ensino da Anatomia humana para escolares do município de Itapuranga-GO.

Ações extensionistas no ensino da Anatomia humana para escolares do município de Itapuranga-GO. Ações extensionistas no ensino da Anatomia humana para escolares do município de Itapuranga-GO. Milena Gomes da Silveira (IC); Angélica Silva Ribeiro (IC); Ana Paula Gomes Cardoso (IC); Sara Marques da

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos Projeto Clube de Nutrição julho de 2013 1. Enquadramento A Obesidade é provavelmente o maior problema, relacionado com a saúde, que a sociedade moderna apresenta.

Leia mais

COMPORTAMENTO DE RISCO PARA TRANSTORNOS ALIMENTARES EM UNIVERSITÁRIAS

COMPORTAMENTO DE RISCO PARA TRANSTORNOS ALIMENTARES EM UNIVERSITÁRIAS Resumo COMPORTAMENTO DE RISCO PARA TRANSTORNOS ALIMENTARES EM UNIVERSITÁRIAS UMEBARA, L.M.; VIROTE, W. Os transtornos alimentares tiveram aumento na incidência nos últimos anos, principalmente entre a

Leia mais

Dia Mundial da Alimentação. 16 de outubro de 2013

Dia Mundial da Alimentação. 16 de outubro de 2013 Dia Mundial da Alimentação 16 de outubro de 2013 Sistemas Alimentares Saudáveis Modelo de Intervenção da Associação Portuguesa de Dietistas Associação Portuguesa de Dietistas Dia Mundial da Alimentação

Leia mais

Colégio F3: FOOD, FARMING & FORESTRY. FF 15 junho 2016

Colégio F3: FOOD, FARMING & FORESTRY. FF 15 junho 2016 Colégio F3: FOOD, FARMING & FORESTRY FF 15 junho 2016 A Saúde e o Bem-Estar nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável QUAIS AS TEMÁTICAS PRIORITÁRIAS, NA PERSPETIVA DOS PARTICIPANTES NO EVENTO? O papel

Leia mais

INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB

INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB Lindemberg Medeiros de Araújo Evi Clayton de Lima Brasil TRANSIÇÃO NUTRICIONAL: CAUSAS, SIGNIFICADOS, EFEITOS

Leia mais

Prevalência da Obesidade em Crianças e Adolescentes em Escola da Rede Municipal de Taubaté

Prevalência da Obesidade em Crianças e Adolescentes em Escola da Rede Municipal de Taubaté Prevalência da Obesidade em Crianças e Adolescentes em Escola da Rede Municipal de Taubaté Elaine Cristina de Ávila Cunha Souza 1, Aline Llanos de Oliveira 2, Francisco Santos Pinto Filho 3, Ana de Lourdes

Leia mais

AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DO MONITORAMENTO E DO CUIDADO DA CRIANÇA COM EXCESSO DE PESO

AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DO MONITORAMENTO E DO CUIDADO DA CRIANÇA COM EXCESSO DE PESO AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DO MONITORAMENTO E DO CUIDADO DA CRIANÇA COM EXCESSO DE PESO Excesso de peso infantil no Brasil A prevalência de excesso de peso triplicou no Brasil nos últimos 20 anos (IBGE,

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-PNAE

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-PNAE PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-PNAE PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR - PNAE 10 ELEMENTOS CHAVE Objetivo Apresentar o componente nutricional inserido na alimentação escolar Metodologia

Leia mais

Roda de discussão Alimentação Saudável: O que isso tem a ver com Sustentabilidade?

Roda de discussão Alimentação Saudável: O que isso tem a ver com Sustentabilidade? Roda de discussão Alimentação Saudável: O que isso tem a ver com Sustentabilidade? Gabriela Rodrigues Bratkowski Nutricionista - Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE UFRGS) Porto

Leia mais

XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS. Janaína V. dos S. Motta

XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS. Janaína V. dos S. Motta XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS Janaína V. dos S. Motta EPIDEMIOLOGIA NUTRICIONAL Relatório Mundial de Saúde 1) Água contaminada e falta de saneamento; 2) Uso de combustíveis

Leia mais

Curso Técnico de Nível Médio em. Alimentação Escolar

Curso Técnico de Nível Médio em. Alimentação Escolar Curso Técnico de Nível Médio em APRESENTAÇÃO O Projeto Pedagógico do Curso Técnico de Nível Médio em Secretaria, na modalidade a distância, com momentos presenciais, pertencente ao eixo tecnológico Apoio

Leia mais

Hábitos Alimentares Saudáveis

Hábitos Alimentares Saudáveis ESCOLA PROMOTORA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: EXPERIÊNCIAS E PRÁTICAS Msc. Patrícia Martins Fernandez Colaboradora técnica do Projeto A Escola Promovendo Colaboradora técnica do Projeto A Escola Promovendo

Leia mais

TÍTULO: AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS BÁSICOS SOBRE NUTRIÇÃO E O USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS POR PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO

TÍTULO: AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS BÁSICOS SOBRE NUTRIÇÃO E O USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS POR PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS BÁSICOS SOBRE NUTRIÇÃO E O USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS POR PRATICANTES

Leia mais

Brasília, 19 de janeiro de Introdução

Brasília, 19 de janeiro de Introdução Chamada Pública nº 01 /2012 CET-UnB/FNDE Brasília, 19 de janeiro de 2012. Chamada Pública para seleção de municípios para participar do projeto Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia - Formação de

Leia mais

ANÁLISE DA ACEITABILIDADE DE UM HAMBÚRGUER À BASE DE SOJA POR ALUNOS DE UM COLÉGIO TÉCNICO AGRÍCOLA

ANÁLISE DA ACEITABILIDADE DE UM HAMBÚRGUER À BASE DE SOJA POR ALUNOS DE UM COLÉGIO TÉCNICO AGRÍCOLA ANÁLISE DA ACEITABILIDADE DE UM HAMBÚRGUER À BASE DE SOJA POR ALUNOS DE UM COLÉGIO TÉCNICO AGRÍCOLA Mariana Abe Vicente 1, Daniela Marques Eckert 1, Juliana Echer Garçoa 1 (1- acadêmicas do curso de Nutrição

Leia mais

ESCOLA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Curso de Nutrição RESUMO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO CURSO DE NUTRIÇÃO NA EXTENSÃO

ESCOLA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Curso de Nutrição RESUMO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO CURSO DE NUTRIÇÃO NA EXTENSÃO ESCOLA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Curso de Nutrição RESUMO DE S DESENVOLVIDAS PELO CURSO DE NUTRIÇÃO NA EXTENSÃO IDENTIFICAÇÃO Diretor Geral Marcelo José Frutuoso Medeiros Reitor Antonio Geraldo Harb Diretor

Leia mais

VII JORNADAS PEDAGÓGICAS O PROFESSOR FAZ A DIFERENÇA NO DESEMPENHO ESCOLAR

VII JORNADAS PEDAGÓGICAS O PROFESSOR FAZ A DIFERENÇA NO DESEMPENHO ESCOLAR VII JORNADAS PEDAGÓGICAS O PROFESSOR FAZ A DIFERENÇA NO DESEMPENHO ESCOLAR Dias 30 de abril, 14 e 21 de maio de 2016 O aperfeiçoamento profissional dos professores não é um acontecimento, é um processo.

Leia mais

Estratégias e Ações do Governo Federal para a Prevenção e Controle da Obesidade

Estratégias e Ações do Governo Federal para a Prevenção e Controle da Obesidade Estratégias e Ações do Governo Federal para a Prevenção e Controle da Obesidade Encontro com as referências estaduais de Alimentação e Nutrição 16 e 17/06/2015 - Brasília/DF Ministério do Desenvolvimento

Leia mais

IMPORTÂNCIA DOS PAIS NA LUTA CONTRA A OBESIDADE INFANTIL

IMPORTÂNCIA DOS PAIS NA LUTA CONTRA A OBESIDADE INFANTIL IMPORTÂNCIA DOS PAIS NA LUTA CONTRA A OBESIDADE INFANTIL Matheus da Nobrega Santos 1 Vanessa Aparecida André Oliveira 2 Mariana Veloso Moreira 3 Valdirene da Silva Elias Esper 4 RESUMO O presente trabalho

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO (ID) [ ] ( ) Questionário [ ] ( ) Entrevistador (bolsista)

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA PREVALÊNCIA DA OBESIDADE INFANTIL NO ENSINO FUNDAMENTAL DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE CORNÉLIO PROCÓPIO

DIAGNÓSTICO DA PREVALÊNCIA DA OBESIDADE INFANTIL NO ENSINO FUNDAMENTAL DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE CORNÉLIO PROCÓPIO DIAGNÓSTICO DA PREVALÊNCIA DA OBESIDADE INFANTIL NO ENSINO FUNDAMENTAL DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE CORNÉLIO PROCÓPIO Eduardo Silva Pinheiro Neves (PIBIC-Jr/Fundação Araucária), Paulo César Paulino (Orientador),

Leia mais

Universidade do Algarve Faculdade das Ciências e Tecnologias Redes de Telecomunicações 2005/2006. Relatório não técnico. Dieta para adultos

Universidade do Algarve Faculdade das Ciências e Tecnologias Redes de Telecomunicações 2005/2006. Relatório não técnico. Dieta para adultos Universidade do Algarve Faculdade das Ciências e Tecnologias Redes de Telecomunicações 2005/2006 Relatório não técnico Dieta para adultos Docente: Profª Drª Ana Isabel Leiria Discentes: Laurinda Fernandes

Leia mais

CONSUMO DE LEITE POR INDIVÍDUOS ADULTOS E IDOSOS DE UM MUNICÍPIO DA REGIÃO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 1

CONSUMO DE LEITE POR INDIVÍDUOS ADULTOS E IDOSOS DE UM MUNICÍPIO DA REGIÃO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 1 CONSUMO DE LEITE POR INDIVÍDUOS ADULTOS E IDOSOS DE UM MUNICÍPIO DA REGIÃO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 1 Débora Adriana Knoll Wagner 2, Maria Cristina Roppa Garcia 3, Franciéli Aline Conte

Leia mais

Teresa Maria de Serpa Pinto Freitas do Amaral

Teresa Maria de Serpa Pinto Freitas do Amaral Teresa Maria de Serpa Pinto Freitas do Amaral Prof. Auxiliar (exclusividade) Formação Pré-Graduada Licenciatura em Ciências da Nutrição pela Universidade do Porto (1989). Formação Pós-Graduada Doutoramento

Leia mais

Dra Hedi Martha Soeder Muraro

Dra Hedi Martha Soeder Muraro Dra Hedi Martha Soeder Muraro hemuraro@sms.curitiba.pr.gov.br Missão da SMS Planejar e executar a política de saúde para o Município de Curitiba, responsabilizando-se pela gestão e regulação dos serviços

Leia mais