FESP FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DA PARAIBA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO ENOLLA MELO DE ALMEIDA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FESP FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DA PARAIBA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO ENOLLA MELO DE ALMEIDA"

Transcrição

1 FESP FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DA PARAIBA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO ENOLLA MELO DE ALMEIDA A REFORMA DO PODER JUDICIÁRIO MEDIANTE AS ALTERAÇÕES TRAZIDAS PELA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 45/2004: A JUSTIÇA DO TRABALHO E O ACIDENTE DE TRABALHO JOÃO PESSOA 2009

2 ENOLLA MELO DE ALMEIDA A REFORMA DO PODER JUDICIÁRIO MEDIANTE AS ALTERAÇÕES TRAZIDAS PELA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 45/2004: A JUSTIÇA DO TRABALHO E O ACIDENTE DE TRABALHO Monografia apresentada ao Curso de Graduação em Direito da Fesp Faculdade, como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Direito. Orientador: Adriano Dantas Mesquita Área: Direito Processual do Trabalho JOÃO PESSOA 2009

3 A447r Almeida, Enolla Mello de A reforma do poder judiciário mediante as alterações trazidas pela emenda constitucional n. 45/2004: a justiça do trabalho e o acidente de trabalho / Enolla Mello de Almeida João Pessoa, f. Orientador: Prof. Adriano Dantas Mesquita Monografia (Graduação em Direito) Faculdade de Ensino Superior da Paraíba FESP. 1. Emenda Constitucional nº 45/ Reforma do Poder Judiciário 3. Acidente de Trabalho 4. Ações de Indenização por Dano I. Título. BC/FESP CDU: 34:331 (043)

4 ENOLLA MELLO DE ALMEIDA A REFORMA DO PODER JUDICIÁRIO MEDIANTE AS ALTERAÇÕES TRAZIDAS PELA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 45/2004: A JUSTIÇA DO TRABALHO E O ACIDENTE DE TRABALHO BANCA EXAMINADORA Prof. Adriano Dantas Mesquita Orientador 1º Membro 2º Membro JOÃO PESSOA 2009

5 Dedico a Deus, que permitiu que eu existisse e que chegasse até aqui. Ao meu pai, Luis que da Glória Divina olha por mim e prossegue com todos os cuidados que aqui na terra sempre tivera, o meu muito obrigada e o meu amor eterno. A minha mãe Salomé, exemplo de santidade em minha vida, meu muito obrigada pelo amor mais verdadeiro que alguém pode ter. Ao meu amor Múcio, pelo amor incondicional, pela compreensão e pelas noites de solidão e cansaço, por compartilhar comigo dessa nossa vitória.

6 AGRADECIMENTOS A graduação além de ser um importante marco acadêmico na minha formação pedagógica, constitui-se como o fruto de um enorme empenho pessoal que me possibilitou amadurecimento e o reconhecimento de como fui ajudada por tantas pessoas na realização deste trabalho ao qual atribuo tamanha importância. Deixo registrados meus agradecimentos: Ao Professor Prof. Adriano Dantas Mesquita, orientador desta monografia, por seu apoio, compreensão e liberdade para tratar as análises e interpretações, desafiando-me para novas questões. Sua orientação segura, erudita e inteligente enriqueceu o estudo desenvolvido. Aos queridos Mestres que me iniciaram neste conhecimento, meu muito obrigada. Aos colegas de turma não só pela reciprocidade e consideração nos estudos e leituras, mas principalmente, pelos momentos agradabilíssimos pelos quais passamos. Hoje me recordo com grata lembrança e orgulho de ter construído um grupo seleto de amigos, aos quais tenho especial identidade. Enfim, agradeço portanto a todos aqueles que me ajudaram na realização da pesquisa, seja como informante, seja como leitor ou crítico do texto que estava paulatinamente sendo construído. Por último e não menos importante agradeço à minha família, por todo apoio e carinho que tiveram e tem comigo. Em especial ao meu irmão Túlio por sua bondade ao longo de minha vida. Agradeço, enfim, e em especial, ao Senhor Deus, pela vida e por tudo o que nela concede.

7 [...] a experiência mostra que todo homem que tem poder é sempre tentado a abusar dele; e, assim, irá seguindo, até que encontre limites. E quem o diria! até a própria virtude tem necessidade de limites. Para que não se possa abusar do poder, é preciso que, pela disposição das coisas, o poder contenha o poder. Tudo então estaria perdido se o mesmo homem, ou o mesmo corpo dos principais, ou dos nobres, ou o do povo, exercesse estes três poderes: o de criar as leis, o de executar as resoluções públicas e o de julgar os crimes e as querelas dos particulares. (MONTESQUIEU, Do Espírito das Leis ).

8 RESUMO A presente monografia teve por objetivo analisar a Reforma do Judiciário no âmbito da Justiça do Trabalho para apreciar e julgar ações que envolvam a reparação de danos morais decorrentes de acidente do trabalho mediante as alterações trazidas pela Emenda Constitucional nº 45, promulgada no dia 08 de dezembro de 2004 e publicada no Diário Oficial de 31 de dezembro daquele ano, segundo a concepção de autores e juristas que tratam o tema, mostrando assim, opiniões de especialistas quanto aos possíveis impactos causados na Justiça do Trabalho com as valiosas inovações sobre a dilatação da competência material e quanto à importância do estudo para apresentar medidas que possam auxiliar como instrumento de cidadania e avanço no sistema constitucional brasileiro. A pesquisa é bibliográfica, baseada principalmente na doutrina nacional. Realiza-se, também, apanhado jurisprudencial, tentando revelar os acertos e desacertos dos entendimentos que vêm predominando entre os tribunais, com ênfase no Supremo Tribunal Federal (STF) e Tribunal Superior do Trabalho (TST) sobre o assunto. Quanto à metodologia, esse estudo pode ser classificado, quanto aos fins: como estudo descritivo, exploratório e aplicado e, quanto aos meios: como uma pesquisa bibliográfica, de cunho documental. Os resultados mostram que segundo a tendência jurisprudencial do STF e do TST, e com a intenção de conciliar a doutrina, o constituinte estabeleceu a competência da Justiça do Trabalho para processar e julgar os pleitos decorrentes de indenização de dano moral ou patrimonial, desde que sejam oriundos da relação de trabalho. Antes da Emenda Constitucional nº 45/2004 havia entendimento de que as ações, objeto de indenização por danos morais propostas pelo empregado em face do empregador, decorrente de relação de emprego, ficava sob a competência da Justiça do Trabalho. Com a Emenda Constitucional nº 45/2004, passaram à competência da Justiça do Trabalho também as ações de indenizações por dano patrimonial propostas por outros trabalhadores não-empregados em conformidade com os incisos I, VI e IX do art. 114 da Constituição Federal. Apresenta-se proposta que possam auxiliar como instrumento de cidadania e avanço no sistema de Reforma do Poder Judiciário. Palavras-Chave: Emenda Constitucional nº 45/2004. Reforma do Poder Judiciário. Acidente de Trabalho. Ações de Indenização por Dano.

9 ABSTRACT This current monograph aims to analyze the competence of Work Justice in to appreciate and to judge process that involve the moral damage correcting caused by work accident under the changes inserted by 45 Constitutional Emend, assigned on December 08, 2004 published in Diário Oficial on December 31 of the same year, according concepts of authors and jurists in this issue, showing, specialist opinion about the possible impacts caused by Work Justice with valuable innovations in dilatation of the material competence and as the importance of study to present actions that can to support as citizenship and advance in Brazilian constitutional system. The research is bibliographic, based on mainly in national doctrine. It also performs jurisprudential compilation trying to reveal success and failures of the understanding that have prevailed among tribunals, with emphasis in Supremo Tribunal Federal (STF) and Tribunal Superior do Trabalho (TST) about this issue. Concerning methodology, this issue can be classified as the finalities: as descriptive, investigative and applied studies and, as the means: as bibliographic research, of documental feature. Results show that according to STF and TST jurisprudential tendency and with purpose to conciliate the doctrine, the constituent established the Work Justice ability to process and to judge litigation resulting of restitution of moral or patrimonial damage, since that become from work relationship. Before the 45/2004 Constitutional Emend, it was understood that the actions objects of restitution from moral damages proposed by employee against employer, becoming employment relationship was under Work Justice competence. With the 45/2004 Constitutional Emend, it was also delegated to Work Justice competence the actions of repairing from patrimonial damage proposed by others workers non-employed in agreement to letters I, VI and IX from Federal Constitution. It presents proposal that can help as citizenship instrument and advance in Judiciary power improvement system. Key-words: 45/2004 Constitutional Emend. Judiciary Power Improvement. Work accident. Actions of Reparation From Damage.

10 LISTA DE SIGLAS CAT Comunicação de Acidentes do Trabalho CC Código Civil CF Constituição Federal CLT Consolidação das Leis do Trabalho CNJ Conselho Nacional de Justiça CPC Código de Processo Civil CPC Código Processo Civil CPI Comissão Parlamentar de Inquérito EC 45/2004 Emenda Constitucional nº 45/2004 INSS Instituto Nacional de Seguro Social NTEP Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário OIT Organização Internacional o Trabalho PEC Proposta de Emenda Constitucional RAIS Relação Anual de Informações Sociais SAT Seguro de Acidente no Trabalho STF Supremo Tribunal Federal STJ Supremo Tribunal de Justiça TRT Tribunal Regional do Trabalho TST Tribunal Superior do Trabalho

11 SUMÁRIO INTRODUÇÃO CAPÍTULO I - CONTEXTUALIZAÇÃO E DELIMITAÇÃO DO TEMA IMPORTÂNCIA DO TEMA FORMULAÇÃO DO PROBLEMA CONSTRUÇÕES DAS HIPÓTESES OBJETIVOS Objetivo Geral Objetivos Específicos PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS UTILIZADOS MÉTODOS DE ABORDAGEM MÉTODOS DE PROCEDIMENTOS OU MEIO DE INVESTIGAÇÃO TÉCNICAS DE PESQUISA PLANO DE TRABALHO ESTRUTURA DO TRABALHO ORGANIZAÇÃO DO ASSUNTO CAPÍTULO II - ESTUDO DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 45/2004 E PODER NORMATIVO DA JUSTIÇA DO TRABALHO ASPECTOS CRONOLÓGICOS DA REFORM DO PODER JUDICIÁRIO REFORMA DO JUDICIÁRIO ALGUMAS REFLEXÕES ESTADO DE DIREITO FUNÇÃO JURISDICIONAL RELAÇÕES INDIVIDUAIS E COLETIVAS DO TRABALHO CAPÍTULO III - RETOMANDO OS CONCEITOS CONCEITO DE COMPETÊNCIA FONTES DAS NORMAS SOBRE COMPETÊNCIA JUSTIÇA COMPETENTE RELAÇÃO DE TRABALHO E RELAÇÃO DE EMPREGO COMPETÊNCIA MATERIAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO CAPÍTULO IV - A NORMA PROCESSUAL TRABALHISTA E O PROBLEMA DA EFICÁCIA DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 45/ APLICAÇÃO E EFICÁCIA DA NORMA JURÍDICA... 45

12 4.2 EFICÁCIA DA NORMA PROCESSUAL NO TEMPO EFICÁCIA DA NORMA PROCESSUAL NO ESPAÇO CAPÍTULO V - EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 45/2004: PRINCIPAIS NOVIDADES DECORRENTES DA RELAÇÃO DE TRABALHO AMPLIAÇÃO DA COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO ART. 114, INCISO VI DA CF Superando a Especialização pelo Vínculo Empregatício Ações de Indenização por Dano CAPÍTULO VI - ANÁLISE DOS RESULTADOS INDENIZAÇÕES DOS DANOS DECORRENTES DOS ACIDENTES DO TRABALHO ACIDENTES DO TRABALHO NO BRASIL ABRANGÊNCIA LEGAL DANO COMO PRESSUPOSTO DA INDENIZAÇÃO MEDIDAS QUE POSSAM AUXILIAR COMO INSTRUMENTO DE CIDADANIA E AVANÇO NO SISTEMA CONSTITUCIONAL BRASILEIRO CONCLUSÕES REFERÊNCIAS... 68

13 11 INTRODUÇÃO O presente estudo monográfico teve por objetivo discorrer sobre a Justiça do Trabalho, para apreciar e julgar ações que envolvam a reparação de danos morais decorrentes de acidente do trabalho após as alterações trazidas pela Emenda Constitucional nº 45, promulgada no dia 08 de dezembro de 2004 e publicada no Diário Oficial de 31 de dezembro daquele ano. A Emenda Constitucional nº 45/2004, promoveu a Reforma do Poder Judiciário, concluindo um demorado processo legislativo, no qual se pensou da extinção da Justiça do Trabalho, assemelhado pela Justiça Federal, bem como da extinção completa do Poder Normativo da Justiça do Trabalho, mas a versão aprovada representou vigor do Judiciário, com significativa ampliação de sua competência (MARTINS FILHO, 2008). A competência se expandiu para as ações originadas de genéricas relações de trabalho e não apenas de emprego, bem como para as demais matérias referidas nos nove incisos em que se desdobrou o texto do art. 114 da Constituição Federal. Nesse sentido, se há algo que exige limites nítidos e objetivos é o da esfera de ação de cada órgão do Poder Judiciário. A Justiça do Trabalho foi instituída com a precisa finalidade de dirimir dissídios individuais e coletivos entre trabalhadores e empregadores. A abordagem se respalda na concepção de autores e juristas que tratam o tema, mostrando assim, opiniões de especialistas quanto aos possíveis impactos causados na Justiça do Trabalho com as valiosas inovações no que refere a dilatação da competência material 1. Discorre-se nos itens seguintes a contextualização e limitação do tema de estudo, no que se refere ao inciso VI, que dispõe sobre as ações de indenização, por dano moral ou patrimonial, decorrentes da relação de trabalho, objeto desta pesquisa. 1 Entende-se por competência material a atribuição da Justiça do Trabalho para conhecer e julgar as lides (conflito de interesses qualificados por uma pretensão resistida deduzida em juízo) oriundas da relação de emprego.

14 12 CAPÍTULO I - CONTEXTUALIZAÇÃO E DELIMITAÇÃO DO TEMA A necessidade da Reforma do Poder Judiciário não é uma novidade deste começo de século, nem uma exclusividade do (arcaico) sistema judicial brasileiro. A Reforma do Judiciário é apresentada como solução àquela divulgada Crise da Justiça (NALINI, 1994, p.9) ou sensação de crise judicial (ZAFFARONI, 1995, p. 23), a decomposição do sistema judiciário (SALAZAR, 1975, p. 6), para dizer o mínimo, a inadequação do vigente sistema judiciário brasileiro (MOREIRA NETO, 1999, p. 58). O Poder Judiciário na história brasileira, sempre enfrentou obstáculos políticos, econômicos e ideológicos, para se consolidar como poder independente e autônomo. A Justiça, no país, constituiu-se sob o signo do interesse privado, no estágio de um Estadopatrimonial (FIGUEIREDO, 1999, p. 40), e tem tido dificuldades para livrar-se de alguns indícios incompatíveis com a República e a democracia que se pretende sejam consolidadas. O Poder Judiciário nacional tem experimentado mudanças estruturais a cada nova Constituição, o que normalmente variou conforme o momento histórico vivenciado pelo país. Mesmo em outros países, a discussão acerca da estrutura e do funcionamento do Judiciário e de sua não funcionalidade, sempre foi uma constante, especialmente nos Estados periféricos, na América Latina, particularmente. Nesse sentido, diante da omissão obsolescência do Estado-juiz, considerado no Brasil, lento, caro e ineficaz (MOREIRA NETO, 1999, p. 19), torna-se essencial repensar sua estrutura, corrigindo os desvios que o impedem de responder adequada e satisfatoriamente às mais diversas demandas sociais. Em parte, a essa necessidade responde a Reforma do Judiciário. É interessante sublinhar que o Judiciário representa a última instância oficial para que o cidadão possa fazer valer seus direitos. Fracassando, fracassam os próprios direitos fundamentais, incluindo os direitos à vida digna, à segurança, à liberdade, à propriedade e outros, considerados básicos. Assim fica nítida a vinculação entre eficiência e qualidade do Judiciário, de um lado a efetividade dos direitos fundamentais, de outro, apenas um Judiciário bem preparado é capaz de atender às inúmeras determinações constitucionais no âmbito dos direitos fundamentais, consagrando-as e realizando-as.

15 13 Não por outro motivo, a Emenda Constitucional nº 45/2004 promoveu alteração substancial no que se refere aos direitos fundamentais consagrados na Constituição de Em três aspectos se projetaram essas modificações, quais sejam: a) na preocupação constante com a celeridade da prestação jurisdicional, ao determinar que a todos, no âmbito do judicial e administrativo, sejam assegurados a razoável duração do processo e os meios que garantam a celeridade de sua tramitação, bem como medidas de diversas ordens, direcionadas à aceleração do tempo e de solução das demandas; b) na preocupação com a efetividade do combate ao desrespeito dos direitos fundamentais; c) na ampliação dos direitos constitucionais fundamentais, uma vez que os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos que venham a ser aprovados poderão assumir status de emenda constitucional. Além do respeito aos seus direitos, o cidadão necessita que o Poder Público atue conforme o interesse público, as determinações legais e as prescrições constitucionais. Necessita saber que o Poder Público respeita a moralidade e a impessoalidade no âmbito das relações jurídicas que trava com os particulares, buscando a máxima eficiência. Nesse segundo plano, das relações entre cidadão e Estado, a reforma do Judiciário constitui apenas uma parcela da necessária reforma do Estado, mais ampla e já realizada, parcialmente no Brasil. Consta-se que a preocupação com o aprimoramento do Judiciário representa a valorização do homem como cidadão diante do Estado (MOREIRA NETO, 1999, p.19). O Judiciário é redesenhado em seu funcionamento não como objetivo final, mas porque a jurisdição desempenha o relevante papel de conferir a cada pessoa a segurança do respeito e manutenção de seus direitos, de seus mais preciosos bens, da própria vida digna. Segundo Carneiro conforme o art. 114 da Constituição Federal, em sua redação originária, era de competência da Justiça do Trabalho: [...] conciliar e julgar os dissídios individuais e coletivos entre trabalhadores e empregadores, abrangidos os entes de direito público e externo e da administração pública direta e indireta dos Municípios, Distrito Federal, dos Estados e da União (art.114), e, na forma da lei, outras controvérsias decorrentes da relação de trabalho, bem como os litígios que tenham origem no cumprimento de suas próprias sentenças, inclusive coletivas. (CARNEIRO, 2007, p. 236)

16 14 Portanto, basicamente a competência para o julgamento dos dissídios entre empregados e empregadores, decorrentes das relações de trabalho, sob habitualidade e subordinação. Já por força da Emenda Constitucional nº 45/2004, foi ampliada a competência da Justiça laboral, com previsão analítica das causas a ela submetidas, nos seguintes termos: Art. 114 Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar: I as ações oriundas da relação de trabalho, abrangidos os entes de direito público externo e da administração pública direta e indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios; II as ações que envolvam exercício do direito de greve; III as ações sobre representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e trabalhadores, e entre sindicatos e empregadores; IV os mandados de segurança, habeas corpus e habeas data, quando o ato questionado envolver matéria sujeita à sua jurisdição; V os conflitos de competência entre órgãos com jurisdição trabalhista, ressalvado o disposto no art. 102, I, o; VI as ações de indenização por dano moral ou patrimonial, decorrentes da relação de trabalho; VII as ações relativas às penalidades administrativas impostas aos empregadores pelos órgãos de fiscalização das relações de trabalho; VIII a execução, de ofício, das contribuições sociais previstas no art. 195, I, a, e II, e seus acréscimos legais, decorrentes das sentenças que proferir; IX outras controvérsias decorrentes da relação de trabalho, na forma da lei. Nesse sentido, as inovações na Justiça do Trabalho foram as seguintes, como coloca Martins Filho (2008, p. 46): a) Ampliação da Competência (CF, art. 114) para abranger, além de expressamente o dano moral e patrimonial, o habeas corpus e as multas administrativas impostas pela fiscalização do trabalho, todas as relações de trabalho, tanto as assalariadas e subordinadas (próprias do empregado) quanto as de autônomos, avulsos, eventuais, cooperados, voluntários, empreiteiros, aprendizes, temporários e rurais, excluindo-se apenas as relações de consumo e as relações estatutárias. b) Redução do Poder Normativo (CF, art. 114, 2º e 3º) transformando o dissídio coletivo em verdadeiro exercício de juízo arbitral, dada a necessidade de mútuo acordo para a submissão do conflito ao Judiciário Laboral, a par de prestigiar o Ministério Público, transformando-o em dominus litis exclusivo do dissídio de greve, para defesa do interesse público em greve nos serviços essenciais, o que resguarda a defesa da sociedade em situações de impasse entre patrões e empregados. c) Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CF, art. 111-A, 2º, II) criado para a supervisão administrativa e financeira dos Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs), como órgão centralizador do sistema. d) Escola Nacional da Magistratura Trabalhista (CF, art. 111-A, 2º, I) instituída para seleção, treinamento e aperfeiçoamento de juízes da Justiça do Trabalho.

17 15 e) Tribunal Superior do Trabalho (CF, art. 111-A) ampliação do número de seus ministros, recompondo seu quadro de 27, que fora reduzido com a extinção da representação classista (Emenda Constitucional nº 24/1999). f) Tribunais Regionais do Trabalho (CF, art. 115, 2º) desnecessidade da existência de um TRT por Estado da Federação, possibilitando a criação de câmaras regionais, com redução de despesas de uma estrutura administrativa mais volumosa. A Reforma não deixa de ter muitos pontos positivos, mas mostra-se insuficiente para resolver o problema do volume documental de litígios que chegam diariamente ao Judiciário, razão pela qual deve ser completada pela reforma processual, de caráter infraconstitucional, a ser levada a cabo por comissão mista especial do Congresso Nacional, conforme determina a Emenda Constitucional nº 45/2004 no artigo 7º. A título de delimitação do tema da monografia, como apresentado o inciso I do art 114 da Constituição Federal e sua abrangência, e, por esse comando, se é certo que à Justiça do Trabalho ficaram atribuídas as ações oriundas da relação de trabalho, encontram-se incluídas, como componente desse âmbito, as ações de indenização decorrentes da relação de trabalho. Essa conclusão é uma decorrência lógica, que só poderia ser desfeita pela existência de norma dispondo em sentido contrário. Contudo, pelo inciso VI do mesmo artigo, objeto deste estudo, as ações de indenização, por dano moral ou patrimonial, decorrentes da relação de trabalho passam a integrar, expressamente e de forma incontestável, o rol de competências estritas da Justiça do Trabalho. A Reforma, neste ponto, apenas reitera a orientação jurisprudencial do Superior Tribunal Federal (STF). Essa inclinação fixou-se quando o caso base fosse decorrente de relação de emprego, quer dizer, na hipótese em que o dano decorresse desta relação. Não assim, contudo, nas hipóteses em que o dano decorresse de acidente ou doença do trabalho, caso em que a competência era fixada, contra a Justiça do Trabalho, na Justiça comum estadual ou federal (TAVARES, 2005). Consoante o entendimento do STF, assim, na situação de dano decorrente de acidente ou doença do trabalho, previamente à Emenda Constitucional nº 45/2004, a competência não seria da Justiça do Trabalho. Somente nos demais casos de danos. Contudo, ainda nos casos que se fixavam fora da alçada da Justiça Trabalhista era necessário separar duas situações bastante distintas, embora ambas apoiadas em ação por infortúnio do trabalho: a) a ação dirigida ao benefício acidentário, a cargo do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS); b)

18 16 ação dirigida à responsabilização subjetiva do empregador, com base no art. 7º, XXVIII, da Constituição Brasileira. O art. 109, inciso I, da CF, cuja redação permaneceu inalterada após a Emenda Constitucional nº 45/2004, e que tem servido de fundamento para a construção das conclusões restritivas quanto à competência da Justiça do Trabalho, fixando a competência da Justiça Estadual (e excluindo a Federal) para as ações por danos decorrentes de infortúnio do trabalho, deveria ter, doravante, sua interpretação alterada, já que a previsão é, além de expressa, bastante ampla e refere-se a uma Justiça Especializada (e não a uma Justiça Comum). Será um dos raros casos de mutação constitucional informal decorrente de um reflexo de uma mutação formal (art. 114, VI, da CF), cuja nova redação força os perfis da interpretação de redação que não se alterou (TAVARES, 2005). Assim, a indenização, ao dano poder ser: a) moral, ou; b) patrimonial. As causas podem ser as mais variáveis, como, exemplificativamente: a) acidentárias; b) por doença profissional; c) por injúria, calúnia ou difamação do empregador e; d) por violação do direito fundamental à privacidade e à intimidade. A Constituição passa a exigir apenas a presença de dano decorrente da relação de trabalho (TAVARES, 2005). Logo, as ações de indenização por acidente de trabalho passam à Justiça Trabalhista, superando-se a jurisprudência mencionada. Acrescenta-se que essas ações indenizatórias tanto poderão ser propostas, na Justiça do Trabalho, por empregados, como por trabalhadores sem vínculo empregatício. Portanto, o alargamento da competência nessa matéria opera-se em duas dimensões contemplam as ações de indenização baseadas em danos decorrentes das relações de emprego, e das relações de trabalho. Nesse sentido a referida Emenda recebeu a denominação de Reforma do Judiciário, porque seu conteúdo se volta para questões direta ou indiretamente relacionadas com o andamento da Justiça (preocupação sempre presente no Estado Constitucional de Direito). Por esse motivo, pode-se afirmar que a Reforma tem reflexos em todos os setores do Direito, interessando àqueles que lidam com a prestação jurisdicional e aos que se dedicam sobre o tema do Poder Judiciário. A Reforma do Judiciário promoveu alterações impactantes, cujo conhecimento é imprescindível para a adequada realização dessa atividade jurídica.

19 IMPORTÂNCIA DO TEMA Conforme o próprio tema da monografia está a revelar, a intenção não foi empreender um estudo aprofundado e exaustivo a respeito da Reforma do Poder Judiciário realizada pela Emenda Constitucional nº 45/2004, senão, dentre os tópicos da Reforma, abordar os relativos à Justiça do Trabalho (art. 114 da CF), que promoveram mudanças significativas e profundas na distribuição de competência, com especial destaque para aqueles que se referem à indenização por dano moral ou patrimonial (inciso VI do art. 114 da Constituição Federal). A ampliação da competência da Justiça do Trabalho, que passa a julgar todas as causas pertinentes ao trabalho e não apenas ao emprego, parece salutar. A especialização quase sempre significa acerto e rapidez nas decisões, melhorando os serviços jurisdicionais e ampliando também o acesso à Justiça. Também houve a previsão de diversas outras competências atribuídas à Justiça do Trabalho, que agilizaram muitos feitos. A previsão ampla do art. 114, I, da Constituição, já confere à Justiça do Trabalho competência para julgar ações de indenização procedidas da relação de trabalho. O pedido de indenização de dano decorrentes da relação de trabalho envolve, ação oriunda da relação de trabalho. A regra do inciso VI tem, sem embargo, dupla importância. Em primeiro lugar, explicita a competência trabalhista para a ação de indenização por dano moral, o que já havia sido reconhecido pela jurisprudência trabalhista e mesmo do STF. Em segundo lugar, torna mais clara a competência que também já existia no direito anterior, conquanto fosse por vezes colocada em dúvida da Justiça do Trabalho para julgamento do pedido de reparação civil do dano decorrente de acidente do trabalho ou doença profissional. Apenas a ação acidentária ajuizada em face da autarquia federal é que, por força da regra especial do art. 109, I, da Constituição, continua a ser competência da Justiça Comum Estadual ou da Justiça Federal. Ressalte-se, apenas, que a ampliação da competência imposta pela regra do inciso I do art. 114 da Constituição faz com que à Justiça do Trabalho caiba o exame das ações de indenização, em caso de acidente de trabalho, de doença profissional ou outros, não apenas quando ajuizadas por empregados, como, ainda, quando propostas por outros trabalhadores, nos termos do que foi exposto linhas acima. Segundo Macedo (2005), de todas as Emendas apostas à Constituição de 1988, de revisão ou ordinárias, a Emenda Constitucional nº 45/2004, foi a que mais expectativas gerou durante o seu processo de elaboração, principalmente pelo fato de que nela se cogitava

20 18 de uma reforma profunda das mais cristalizadas bases de sustentação da estrutura e do funcionamento do Poder Judiciário brasileiro. De fato, desde o início, postulados fundamentais do Judiciário como a sua independência, ameaçada pela perspectiva de instauração de sistema de controle externo e o livre convencimento judicial, acusado de responsável pela falta de agilidade e de segurança de suas decisões. Na versão final, todavia, nem o Conselho Nacional da Justiça (CNJ) significou um verdadeiro e próprio controle externo da atividade jurisdicional, nem as súmulas vinculantes e impeditivas de recurso chegaram a suprimir, na prática, o princípio do livre convencimento. Não obstante isso, se os resultados acabaram sendo insignificantes quanto à reforma dos princípios da jurisdição como poder do Estado, foram significativos à Justiça do Trabalho, à qual imprimiram caráter efetivamente nacional e estrutura competencial coerente com a sua finalidade, aproximado-a de suas similares do direito comparado. De fato, pela primeira vez na história da Justiça do Trabalho concretiza-se uma reforma que estabelece um marco constitucional efetivo para a sua redefinição como órgão da jurisdição e do Poder Judiciário e para a conceituação de suas sentenças como atos verdadeiramente jurisdicionais. Com alterações aparentemente simples, toda a linguagem da Justiça do Trabalho foi revolucionada, de modo a suprimir a heterogeneidade e a improvisação e instituir, coerentemente a uniformidade e a harmonia. Segundo Macedo (2005) é o coroamento de um processo, iniciado com a sua inclusão no Poder Judiciário, no texto constitucional de 1946, que sofreu resistências muitas vezes insuperáveis para a manutenção do formato da antiga jurisdição não-judicial. Desde Locke e Montesquieu a justiça, já então praticamente convertida em monopólio do Estado, passou a ser sistematizada como função autônoma que deveria ser destacada, quer do Poder Executivo quer do Poder Legislativo, por razões irrespondíveis de ordem prática do sistema político: do Legislativo deveria distanciar-se porque, se o Juiz também fosse legislador, teria o poder de mudar as leis, arbitrariamente no momento de aplicá-las; do executivo deveria estar separada porque, se assim não fosse, o executivo poderia aplicar as leis segundo os seus interesses, rompendo com o postulado da legalidade e fragilizando o conceito liberal de lei, como expressão da vontade geral. Esse postulado, todavia, até a Emenda Constitucional nº 45/2004 não havia sido inteiramente adotado pela Justiça do Trabalho (MACEDO, 2005).

O empregado caminhando na empresa, cai e se machuca vai pedir uma indenização na justiça do trabalho. (empregado x empregador);

O empregado caminhando na empresa, cai e se machuca vai pedir uma indenização na justiça do trabalho. (empregado x empregador); Turma e Ano: Flex B (2014) Matéria / Aula: Processo do Trabalho / Aula 04 Professor: Leandro Antunes Conteúdo: Procedimento Sumário, Procedimento Sumaríssimo. A competência para julgar acidente de trabalho:

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DA CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.542, DE 2006 VOTO EM SEPARADO DEPUTADO REGIS DE OLIVEIRA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DA CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.542, DE 2006 VOTO EM SEPARADO DEPUTADO REGIS DE OLIVEIRA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DA CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.542, DE 2006 Regulamenta o inciso IX do art. 114 da Constituição Federal, para dispor sobre competências da Justiça do Trabalho referentes

Leia mais

DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1

DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1 DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1 Sobre a atuação dos Juízes e Poderes Judiciários Iberoamericanos relativamente à informação, à participação pública e ao acesso à justiça em matéria de meio ambiente

Leia mais

Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012)

Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012) Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012) O Ensino de Direitos Humanos da Universidade Federal do

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL João e José são pessoas com deficiência física, tendo concluído curso de nível superior. Diante da abertura de vagas para preenchimento de cargos vinculados ao Ministério

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL O Estado KWY editou norma determinando a gratuidade dos estacionamentos privados vinculados a estabelecimentos comerciais, como supermercados, hipermercados, shopping

Leia mais

Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011

Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011 Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011 Dispõe sobre o Plano Nacional de Capacitação Judicial de magistrados e servidores do Poder Judiciário (Publicada no DJ-e nº

Leia mais

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM?

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? A Justiça Militar Estadual por força de expressa vedação contida no art. 125, 4º, da CF/88, não tem competência

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE

DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE Atualizado em 12/11/2015 CLASSIFICAÇÕES E SISTEMAS DE CONTROLE CLASSIFICAÇÕES DO CONTROLE Quanto ao posicionamento do órgão controlador: Externo: exercido por um ente que

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO 2 - RESPOSTAS

ESTUDO DIRIGIDO 2 - RESPOSTAS ESTUDO DIRIGIDO 2 - RESPOSTAS 1. Competência Material da Justiça do Trabalho 1.1. Qual a competência material da Justiça do Trabalho? RESPOSTA: A competência material da Justiça do Trabalho é estabelecida

Leia mais

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA Índice 1. Competência...3 1.1. Critérios Objetivos... 3 1.1.1. Critérios Subjetivos... 4 1.1.2. Competência Territorial... 4 2. Dos Processos...4

Leia mais

LEGITIMIDADE ATIVA das ASSOCIAÇÕES de SERVIDORES:

LEGITIMIDADE ATIVA das ASSOCIAÇÕES de SERVIDORES: LEGITIMIDADE ATIVA das ASSOCIAÇÕES de SERVIDORES: Representação ou Substituição?? ROGERIO FAVRETO XXV Convenção Nacional da ANFIP Maceió/AL, 24 de maio de 2015 ABORDAGEM Previsão constitucional Debate

Leia mais

IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO TRIBUNAL DO JURI NA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL

IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO TRIBUNAL DO JURI NA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO TRIBUNAL DO JURI NA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL Jonas Guedes 1 Resumo: O tema abordado no presente artigo versará sobre a impossibilidade jurídica do Tribunal do Júri na Justiça

Leia mais

A mediação e a conciliação e o seu impacto nos dissídios coletivos

A mediação e a conciliação e o seu impacto nos dissídios coletivos 1 A mediação e a conciliação e o seu impacto nos dissídios coletivos Renato Rua de Almeida, advogado trabalhista em São Paulo, ex-advogado dos Sindicatos dos Metalúrgicos, Bancários e Comerciários, todos

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO CTASP

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO CTASP COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO CTASP PROJETO DE LEI Nº 7920, DE 2014. (Do Supremo Tribunal Federal) Altera dispositivo da Lei nº 11.416, de 15 de dezembro de 2006, Plano de Carreira

Leia mais

O Controle Interno no Âmbito do Poder Executivo

O Controle Interno no Âmbito do Poder Executivo O Controle Interno no Âmbito do Poder Executivo Contextualização Sumário - O Controle na Administração Pública - O Controle Externo - O Controle Interno O Controle Interno do Poder Executivo do Estado

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010.

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

SEMINÁRIO - O PODER JUDICIÁRIO E O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL ENUNCIADOS APROVADOS

SEMINÁRIO - O PODER JUDICIÁRIO E O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL ENUNCIADOS APROVADOS 1) Entende-se por fundamento referido no art. 10 do CPC/2015 o substrato fático que orienta o pedido, e não o enquadramento jurídico atribuído pelas partes. 2) Não ofende a regra do contraditório do art.

Leia mais

R E L A T Ó R I O. A Senhora Ministra Ellen Gracie: 1. Eis o teor da decisão embargada:

R E L A T Ó R I O. A Senhora Ministra Ellen Gracie: 1. Eis o teor da decisão embargada: EMB.DECL.NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 571.572-8 BAHIA RELATORA EMBARGANTE(S) ADVOGADO(A/S) EMBARGADO(A/S) ADVOGADO(A/S) : MIN. ELLEN GRACIE : TELEMAR NORTE LESTE S/A : BÁRBARA GONDIM DA ROCHA E OUTRO(A/S)

Leia mais

GUIA DE ESTUDOS INSS NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO FÁBIO RAMOS BARBOSA

GUIA DE ESTUDOS INSS NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO FÁBIO RAMOS BARBOSA DIREITO ADMINISTRATIVO Estado, governo e administração pública: conceitos, elementos, poderes e organização; natureza, fins e princípios. Direito Administrativo: conceito, fontes e princípios. Organização

Leia mais

ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 16ª REGIÃO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO QUALIFICAR

ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 16ª REGIÃO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO QUALIFICAR PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO QUALIFICAR CALENDÁRIO DE CURSOS EXERCÍCIO 2011 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2011-2015 PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO QUALIFICAR Escopo Capacitar magistrados e servidores em gestão

Leia mais

DIVISÃO ESPACIAL DO PODER

DIVISÃO ESPACIAL DO PODER DIVISÃO ESPACIAL DO PODER FORMA DE ESTADO: UNITÁRIO 1. Puro: Absoluta centralização do exercício do Poder; 2. Descentralização administrativa: Concentra a tomada de decisões, mas avança na execução de

Leia mais

QUEBRA DO SIGILO BANCÁRIO PELO BANCO CENTRAL

QUEBRA DO SIGILO BANCÁRIO PELO BANCO CENTRAL QUEBRA DO SIGILO BANCÁRIO PELO BANCO CENTRAL Kiyoshi Harada * O debate em torno da quebra do sigilo bancário voltou à baila após a manifestação do Procurador-Geral do Banco Central no sentido de que as

Leia mais

Bruno Cavalcanti Marcelo Magalhães Peixoto Sérgio Augusto Zampol Pavani

Bruno Cavalcanti Marcelo Magalhães Peixoto Sérgio Augusto Zampol Pavani DIREITO DO TRABALHO EMPRESARIAL Coordenadores Bruno Cavalcanti Marcelo Magalhães Peixoto Francisco das C. Lima Filho William de Almeida Brito Júnior Mário Paiva Gilberto de Castro Moreira Junior Marcelo

Leia mais

FATO GERADOR DO ICMS NA IMPORTAÇÃO RE 540.829-SP - 11/09/2014

FATO GERADOR DO ICMS NA IMPORTAÇÃO RE 540.829-SP - 11/09/2014 FATO GERADOR DO ICMS NA IMPORTAÇÃO RE 540.829-SP - 11/09/2014 ASPECTOS HISTÓRICOS Em passado remoto, o Estado de São Paulo tentou instituir a cobrança do ICMS na importação de mercadorias e o fez por decreto.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010 INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010 Estabelece normas de organização e de apresentação dos relatórios de gestão e das peças complementares que constituirão os processos de contas

Leia mais

1ª FASE - EXTENSIVO NOTURNO Disciplina: Direito Processual Civil Prof.: Fábio Menna Data: 08/09/2008

1ª FASE - EXTENSIVO NOTURNO Disciplina: Direito Processual Civil Prof.: Fábio Menna Data: 08/09/2008 TEMAS TRATADOS EM SALA 1. Jurisdição e Competência Ação Estado para que exerça atividade jurisdicional. Art. 1º, CPC. Pode ser contenciosa (há conflito de interesses, e o Estado atua na solução deste conflito)

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Com fundamento na recente Lei n. 1.234, do Estado Y, que exclui as entidades de direito privado da Administração Pública do dever de licitar, o banco X (empresa pública

Leia mais

PANORAMA DOS RECURSOS JUNTO À PREVIDÊNCIA SOCIAL. Salvador Marciano Pinto Presidente do CRPS

PANORAMA DOS RECURSOS JUNTO À PREVIDÊNCIA SOCIAL. Salvador Marciano Pinto Presidente do CRPS PANORAMA DOS RECURSOS JUNTO À PREVIDÊNCIA SOCIAL Salvador Marciano Pinto Presidente do CRPS O CRPS é um órgão integrante da estrutura do MPS, subordinado diretamente ao Ministro de Estado da Previdência

Leia mais

Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4

Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4 Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4 Banca: SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO/RJ Edital SMA Nº 84/2010 (data da publicação: 27/09/2010) Carga horária (aulas presenciais): 126 horas

Leia mais

JURISDIÇÃO E COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO

JURISDIÇÃO E COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO JURISDIÇÃO E COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO PROCESSO DO TRABALHO Élisson Miessa e Henrique Correia - No processo do trabalho, O VALOR DA CAUSA NÃO É CRITÉRIO PARA DELIMITAÇÃO DA COMPETÊNCIA, MAS SERVE

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara INSTRUÇÃO NORMATIVA SJU SISTEMA JURÍDICO N.º 001/2011 Versão: 001/2011 Aprovação em: 28/11/2011 Ato de aprovação: Decreto nº. 2995/2011. Unidade Responsável: Sistema Jurídico I - FINALIDADE: Representar

Leia mais

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados:

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados: PARECERES JURÍDICOS Partindo das diversas obras escritas pelo Prof.Dr. AURY LOPES JR., passamos a oferecer um produto diferenciado para os colegas Advogados de todo o Brasil: a elaboração de Pareceres

Leia mais

Unidade II. A afirmação pode ser comprovada da leitura do dispositivo transcrito:

Unidade II. A afirmação pode ser comprovada da leitura do dispositivo transcrito: Unidade II 4 IMUNIDADES TRIBUTÁRIAS A Constituição Federal proíbe a instituição de impostos sobre certas pessoas ou situações. Baleeiro (1976, p. 87) ensina que imunidades tributárias são: vedações absolutas

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 3.124, DE 1997

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 3.124, DE 1997 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 3.124, DE 1997 Dispõe sobre a regulamentação da profissão de Psicopedagogo, cria o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Psicopedagogia

Leia mais

MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR

MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR : MIN. GILMAR MENDES REQUERENTE(S) : PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA REQUERIDO(A/S) : UNIÃO ADVOGADO(A/S) : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO REQUERIDO(A/S) :

Leia mais

O NOVO DIVÓRCIO À LUZ DA PROBLEMÁTICA PROCESSUAL

O NOVO DIVÓRCIO À LUZ DA PROBLEMÁTICA PROCESSUAL O NOVO DIVÓRCIO À LUZ DA PROBLEMÁTICA PROCESSUAL Vinícius Paulo Mesquita 1) Notas Introdutórias Com a promulgação da E.C. 66/10, a chamada PEC do Divórcio, a doutrina pátria passou a sustentar em sua grande

Leia mais

Escrito por Administrator Ter, 13 de Setembro de 2011 13:23 - Última atualização Ter, 13 de Setembro de 2011 16:22

Escrito por Administrator Ter, 13 de Setembro de 2011 13:23 - Última atualização Ter, 13 de Setembro de 2011 16:22 Proteção Internacional de Direitos Humanos Coordenação: Profa. Dra. Cristina Figueiredo Terezo Resumo O pioneiro projeto de extensão visa capacitar os discentes para acionar a jurisdição do Sistema Interamericano

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal AÇÃO CÍVEL ORIGINÁRIA 2.475 RIO GRANDE DO SUL RELATOR AUTOR(A/S)(ES) PROC.(A/S)(ES) RÉU(É)(S) PROC.(A/S)(ES) : MIN. ROBERTO BARROSO :MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL :PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA :MINISTÉRIO

Leia mais

A legitimidade da CNseg

A legitimidade da CNseg 18 A legitimidade da CNseg Para provocar o controle abstrato de constitucionalidade pelo Supremo Tribunal Federal FELIPE MONNERAT 19 A Constituição Federal de 1988 prevê mecanismos de controle da compatibilidade

Leia mais

Controle de Constitucionalidade de normas pré-constitucionais

Controle de Constitucionalidade de normas pré-constitucionais Controle de Constitucionalidade de normas pré-constitucionais O Supremo Tribunal Federal possui o poder de decidir sobre a constitucionalidade das normas jurídicas que foram aprovadas antes da entrada

Leia mais

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PARA DEBATE COLABORATIVO. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PARA DEBATE COLABORATIVO. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PARA DEBATE COLABORATIVO Estabelece o Marco Civil da Internet no Brasil. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Esta Lei estabelece direitos

Leia mais

DESTAQUE DOS PONTOS MAIS RELEVANTES DA REFORMA DO JUDICIÁRIO PEC Nº 358, DE 2005

DESTAQUE DOS PONTOS MAIS RELEVANTES DA REFORMA DO JUDICIÁRIO PEC Nº 358, DE 2005 DESTAQUE DOS PONTOS MAIS RELEVANTES DA REFORMA DO JUDICIÁRIO PEC Nº 358, DE 2005 REGINA MARIA GROBA BANDEIRA Consultora Legislativa da Área I Direito Constitucional, Eleitoral, Municipal, Direito Administrativo,

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR NOVO CPC: PERSPECTIVAS PARA A JUSTIÇA BRASILEIRA DO SÉCULO XXI

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR NOVO CPC: PERSPECTIVAS PARA A JUSTIÇA BRASILEIRA DO SÉCULO XXI » Pedro Henrique Meira Figueiredo NOVO CPC: PERSPECTIVAS PARA A JUSTIÇA BRASILEIRA DO SÉCULO XXI O ano de 2010 marcou a comunidade jurídica com a divulgação dos tão esperados anteprojetos do novo Código

Leia mais

Planejamento e Gestão para Cumprimento da Meta 02. *Cristiane Pederzolli Rentzsch*

Planejamento e Gestão para Cumprimento da Meta 02. *Cristiane Pederzolli Rentzsch* Planejamento e Gestão para Cumprimento da Meta 02 *Cristiane Pederzolli Rentzsch* I - Introdução II - A Meta 02 III - Experiência da 17ª Vara da SJDF IV - Conclusão V - Agradecimentos I. Introdução O Conselho

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 4.302-C, DE 1998

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 4.302-C, DE 1998 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 4.302-C, DE 1998 SUBSTITUTIVO DO SENADO FEDERAL AO PROJETO DE LEI Nº 4.302-B, DE 1998, que altera dispositivos da Lei nº 6.019, de 3

Leia mais

Os Embargos Arbitrais e a Revitalização da Sentença Arbitral

Os Embargos Arbitrais e a Revitalização da Sentença Arbitral Os Embargos Arbitrais e a Revitalização da Sentença Arbitral Prevê a Lei de Arbitragem (Lei n. 9.307/96) período de tempo no qual, após a sentença arbitral proferida, ainda será possível ao árbitro ou

Leia mais

37. Garantias do preso (Art. 104 GG)

37. Garantias do preso (Art. 104 GG) 37. Garantias do preso (Art. 104 GG) GRUNDGESETZ Art. 104 (Garantias do preso) 1 (1) A liberdade da pessoa só pode ser cerceada com base em uma lei formal e tão somente com a observância das formas nela

Leia mais

II - VOTO DO RELATOR. Não foram apresentadas emendas no prazo regimental. É o relatório. As proposições alteram dispositivos relacionados ao

II - VOTO DO RELATOR. Não foram apresentadas emendas no prazo regimental. É o relatório. As proposições alteram dispositivos relacionados ao COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 7.549, DE 2014 (Apensado: PL nº 565, de 2015) Acrescenta 10 ao art. 477 e altera a redação do inciso II da alínea a do art. 652

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS

DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS Atualizado em 03/11/2015 4. Competência Material Ratione Materiae: Divide-se em competência da Justiça Estadual, Federal, Eleitoral e Militar (não falamos da Justiça

Leia mais

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de RECURSO ORDINÁRIO, provenientes da CURITIBA - PR, em que é Recorrente V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de 13ª VARA DO TRABALHO DE SINEEPRES SINDICATO DOS EMPREGADOS EM EMPRESAS DE PRESTAÇÃO

Leia mais

O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO. Adriana Calvo

O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO. Adriana Calvo O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO Adriana Calvo Professora de Direito do Trabalho do Curso Preparatório para carreiras públicas

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso.

AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso. AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso. Por que se diz instrumento: a razão pela qual o recurso se chama agravo de

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES PROJETO DE LEI Estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o Esta Lei estabelece princípios,

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO I. NOÇÕES PRELIMINARES

DIREITO ADMINISTRATIVO I. NOÇÕES PRELIMINARES DIREITO ADMINISTRATIVO I. NOÇÕES PRELIMINARES 1. DIREITO: é o conjunto de normas de conduta coativa impostas pelo Estado, se traduz em princípios de conduta social, tendentes a realizar Justiça, assegurando

Leia mais

Autarquia. Administração Indireta. Figura sujeita a polemicas doutrinárias e de jurisprudência. Ausente na estrutura do Executivo Federal

Autarquia. Administração Indireta. Figura sujeita a polemicas doutrinárias e de jurisprudência. Ausente na estrutura do Executivo Federal Administração Direta Fundação Publica Direito Público Consórcio Público Direito Público Fundação Publica Direito Privado Empresa Pública Consórcio Público Direito Privado Sociedade Economia Mista Subsidiária

Leia mais

CASSEL&RUZZARIN A D V O G A D O S

CASSEL&RUZZARIN A D V O G A D O S CASSEL&RUZZARIN A D V O G A D O S Introdução Cassel & Ruzzarin Advogados elaborou um estudo que aborda o desvio de função no serviço público em linguagem simples, na forma de perguntas e respostas, para

Leia mais

Júlio M. de Oliveira Mestre e doutor PUC/SP

Júlio M. de Oliveira Mestre e doutor PUC/SP PLR: pressupostos para caracterização conforme jurisprudência do CARF e a tributação dos planos de stock option Júlio M. de Oliveira Mestre e doutor PUC/SP A TRIBUTAÇÃO DOS PLANOS DE STOCK OPTION Hipótese

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO N.º 13, DE 02 DE OUTUBRO DE 2006. (Alterada pela Res. 111/2014) Regulamenta o art. 8º da Lei Complementar 75/93 e o art. 26 da Lei n.º 8.625/93, disciplinando, no âmbito do Ministério Público,

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB PADRÃO DE RESPOSTAS PEÇA PROFISSIONAL : Fábio é universitário, domiciliado no Estado K e pretende ingressar no ensino superior através de nota obtida pelo Exame Nacional, organizado pelo Ministério da

Leia mais

Devidamente intimados, os réus compareceram à audiência e apresentaram respostas.

Devidamente intimados, os réus compareceram à audiência e apresentaram respostas. 20ª VARA DO TRABALHO DE BRASÍLIA DF Proc. No. 01920-51.2009.5.10.0020 SENTENÇA I- RELATÓRIO: Vistos etc. SINDICATO DOS DESPACHANTES ADUANEIROS DOS ESTADOS DOS PARANÁ E SANTA CATARINA impetrou ajuizou ação

Leia mais

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Legitimidade ativa (Pessoas relacionadas no art. 103 da

Leia mais

E O IUS POSTULANDI NA JUSTIÇA DO TRABALHO, AINDA EXISTE???

E O IUS POSTULANDI NA JUSTIÇA DO TRABALHO, AINDA EXISTE??? E O IUS POSTULANDI NA JUSTIÇA DO TRABALHO, AINDA EXISTE??? Esta é uma antiga discussão que, até a presente data, perdura em hostes trabalhistas. Existe o ius postulandi na Justiça do Trabalho? A Carta

Leia mais

A CONCILIAÇÃO: DEVER ÉTICO DO ADVOGADO

A CONCILIAÇÃO: DEVER ÉTICO DO ADVOGADO A CONCILIAÇÃO: DEVER ÉTICO DO ADVOGADO EM BUSCA DA PAZ E DA JUSTIÇA Maria Avelina Imbiriba Hesketh 1 1. Introdução A prestação jurisdicional efetiva é uma questão de Justiça Social. Antes de entrar no

Leia mais

Sumário NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 15 NOTA PRÉVIA... 19 PREFÁCIO... 21 APRESENTAÇÃO... 23

Sumário NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 15 NOTA PRÉVIA... 19 PREFÁCIO... 21 APRESENTAÇÃO... 23 Sumário NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 15 NOTA PRÉVIA... 19 PREFÁCIO... 21 APRESENTAÇÃO... 23 CAPÍTULO I... 25 1. Novos riscos, novos danos... 25 2. O Estado como responsável por danos indenizáveis... 26 3.

Leia mais

A RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR NOS ACIDENTES DO TRABALHO: APLICAÇÃO DA TEORIA DA PERDA DE UMA CHANCE

A RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR NOS ACIDENTES DO TRABALHO: APLICAÇÃO DA TEORIA DA PERDA DE UMA CHANCE A RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR NOS ACIDENTES DO TRABALHO: APLICAÇÃO DA TEORIA DA PERDA DE UMA CHANCE CHAMORRO, N. A. A. Resumo: O estudo baseia-se na responsabilidade civil do empregador pela perda

Leia mais

CONTROLE INTERNO NAS ENTIDADES PÚBLICAS

CONTROLE INTERNO NAS ENTIDADES PÚBLICAS CONTROLE INTERNO NAS ENTIDADES PÚBLICAS Resumo: o presente artigo trata de estudo do controle interno nas entidades públicas no Brasil, de maneira expositiva. Tem por objetivo contribuir para o Seminário

Leia mais

PL 5196/2013. Acrescer Capítulo VIII ao Título Ido Código de Defesa do Consumidor: Das Medidas Corretivas

PL 5196/2013. Acrescer Capítulo VIII ao Título Ido Código de Defesa do Consumidor: Das Medidas Corretivas PL 5196/2013 Acrescer Capítulo VIII ao Título Ido Código de Defesa do Consumidor: Das Medidas Corretivas Medidas Corretivas: natureza jurídica. [redação original do PL] Art. 60-A. Sem prejuízo da sanções

Leia mais

UNIDADE: FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS

UNIDADE: FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS ÍNDICE Código Disciplina Página DIR 02-07411 Direito Constitucional I 2 DIR 02-07417 Direito Constitucional II 3 DIR 02-00609 Direito Constitucional III 4 DIR 02-00759 Direito

Leia mais

CAPÍTULO I DAS LINHAS GERAIS DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ).

CAPÍTULO I DAS LINHAS GERAIS DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ). UNISAL Centro Universitário Salesiano de São Paulo Campus Liceu Salesiano - Unidade Campinas Curso de Direito ESTRUTURA DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ). INTRODUÇÃO. O funcionamento de um núcleo de

Leia mais

COMPETÊNCIA DOS JUIZADOS ESPECIAIS DA FAZENDA PÚBLICA

COMPETÊNCIA DOS JUIZADOS ESPECIAIS DA FAZENDA PÚBLICA COMPETÊNCIA DOS JUIZADOS ESPECIAIS DA FAZENDA PÚBLICA Fabiano Samartin Fernandes * BREVE HISTÓRICO Os Juizados Especiais foram criados pela Lei n. 9.099, de 26 de setembro de 1995, inspirados diretamente

Leia mais

Indo além da competência prevista no inciso I do art. 114 da CF, com redação dada

Indo além da competência prevista no inciso I do art. 114 da CF, com redação dada AÇÕES INDENIZATÓRIAS E OUTRAS CONTROVÉRSIAS DECORRENTES DA RELAÇÃO DE TRABALHO (INCISOS VI E IX DO ARTIGO 114 DA CF)* Edilton M eireles** SUMÁRIO: Introdução; Ações indenizatórias; Ações de acidente de

Leia mais

O NOVO CPC E OS PRECEDENTES EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA

O NOVO CPC E OS PRECEDENTES EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA O NOVO CPC E OS PRECEDENTES EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA Fernando Facury Scaff Professor de Direito Financeiro da USP. Doutor e Livre Docente pela mesma Universidade. Sócio de Silveira, Athias, Soriano de Melo,

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS DO EMPREGADO A LUZ DAS NORMAS DO REGIMENTO GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS

CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS DO EMPREGADO A LUZ DAS NORMAS DO REGIMENTO GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS DO EMPREGADO A LUZ DAS NORMAS DO REGIMENTO GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS Ricardo Benevenuti Santolini 1 Resumo: A norma jurídica possui como princípio basilar regulamentar a conduta

Leia mais

GUARDA MUNICIPAL E SEGURANÇA PÚBLICA

GUARDA MUNICIPAL E SEGURANÇA PÚBLICA GUARDA MUNICIPAL E SEGURANÇA PÚBLICA Aristides Medeiros ADVOGADO Consoante estabelecido no art. 144, caput, da Constituição Federal, os órgãos incumbidos da segurança pública, isto é, da segurança geral,

Leia mais

PROPOSTAS DE ENUNCIADOS SOBRE PERÍCIAS JUDICIAIS EM ACIDENTE DO TRABALHO E DOENÇAS OCUPACIONAIS

PROPOSTAS DE ENUNCIADOS SOBRE PERÍCIAS JUDICIAIS EM ACIDENTE DO TRABALHO E DOENÇAS OCUPACIONAIS PROPOSTAS DE ENUNCIADOS SOBRE PERÍCIAS JUDICIAIS EM ACIDENTE DO TRABALHO E DOENÇAS OCUPACIONAIS 1. PRINCÍPIO DA PARTICIPAÇÃO DO MAGISTRADO. ATUAÇÃO COLABORATIVA. Tendo em vista os termos do artigo 225

Leia mais

D OBJETIVOS E IMPORTÂNCIA DA DISCIPLINA PARA A FORMAÇÃO DO EGRESSO

D OBJETIVOS E IMPORTÂNCIA DA DISCIPLINA PARA A FORMAÇÃO DO EGRESSO 27/07/2015 Página 1 de 5 PLANO DE ENSINO - CURSO SEMESTRAL Disciplina DIREITO ADMINISTRATIVO III Curso Graduação Período 8º período Eixo de Formação Eixo de Formação Profissional Turmas A, B e D Código

Leia mais

A PRISÃO DO DIREITO PENAL. Aurélio Wander Bastos

A PRISÃO DO DIREITO PENAL. Aurélio Wander Bastos A PRISÃO DO DIREITO PENAL Aurélio Wander Bastos O moderno Direito Penal Brasileiro tem evoluído em três grandes linhas teóricas: a do Direito Penal Comum, que trata principalmente da criminalidade comum;

Leia mais

ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política

ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política Carlos Roberto Pegoretti Júnior 1 RESUMO: Os entes políticos, por vezes, encontram-se no pólo passivo de demandas judiciais referentes à entrega

Leia mais

Honorários advocatícios

Honorários advocatícios Honorários advocatícios Os honorários advocatícios são balizados pelo Código de Processo Civil brasileiro (Lei de n. 5.869/73) em seu artigo 20, que assim dispõe: Art. 20. A sentença condenará o vencido

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Nº 5301 -PGR-RG MANDADO DE SEGURANÇA Nº 30.585 IMPETRANTE : ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS AMB : ASSOCIAÇÃO DOS JUÍZES FEDERAIS DO BRASIL AJUFE : ASSOCIAÇÃO DOS JUÍZES FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECLAMAÇÃO Nº 14.696 - RJ (2013/0339925-1) RELATORA : MINISTRA MARIA ISABEL GALLOTTI RECLAMANTE : BANCO BRADESCO FINANCIAMENTOS S/A ADVOGADO : JOSÉ ANTÔNIO MARTINS E OUTRO(S) RECLAMADO : TERCEIRA TURMA

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU DISCIPLINA DE MONOGRAFIA JURÍDICA

FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU DISCIPLINA DE MONOGRAFIA JURÍDICA FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU DISCIPLINA DE MONOGRAFIA JURÍDICA Texto de Apoio Instrucional Nº. 1 PROJETO DE PESQUISA NA ÁREA JURÍDICA: UM ROTEIRO BÁSICO Bauru 2009 FIB MJ O Projeto de Pesquisa: Orientações

Leia mais

Direito Previdenciário e Seguridade Social. Prof. Dante Alighiere Pereira da Silva CARGA HORÁRIA

Direito Previdenciário e Seguridade Social. Prof. Dante Alighiere Pereira da Silva CARGA HORÁRIA CURSO DISCIPLINA DOCENTE PERÍODO CARGA HORÁRIA EMENTA OBJETIVOS DIREITO Direito Previdenciário e Seguridade Social Prof. Dante Alighiere Pereira da Silva 9 P 80 h Introdução ao Estudo do Direito Previdenciário.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Acórdão 10a Turma PODER JUDICIÁRIO FEDERAL CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA. DECADÊNCIA. PRESCRIÇÃO. PRAZO INICIAL. O processo do trabalho guarda perfeita simetria ao processo administrativo tributário posto

Leia mais

Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros

Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros Os direitos fundamentais previstos na Constituição brasileira de 1988 são igualmente garantidos aos brasileiros e aos

Leia mais

SUMÁRIO AGRADECIMENTOS... 17. INTRODUÇÃO... 21 A importância da Lei na sociedade contemporânea... 21

SUMÁRIO AGRADECIMENTOS... 17. INTRODUÇÃO... 21 A importância da Lei na sociedade contemporânea... 21 STF00094362 SUMÁRIO NOTA DO AUTOR... 15 AGRADECIMENTOS... 17 LISTA DE ABREVIATURAS UTILIZADAS... 19 INTRODUÇÃO... 21 A importância da Lei na sociedade contemporânea... 21 CAPÍTULO 1 FUNDAMENTOS TEÓRICOS

Leia mais

CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA TEXTO X

CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA TEXTO X CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA CICLO 2012 TEXTO X A Previdência Social do Servidor Público Valéria Porto Ciclos de Debates - Direito e Gestão Pública A Previdência Social do Servidor Público

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR INTERPRETAÇÃO, INTEGRAÇÃO E APLICAÇÃO DO DIREITO DO TRABALHO.

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR INTERPRETAÇÃO, INTEGRAÇÃO E APLICAÇÃO DO DIREITO DO TRABALHO. CURSO INTENSIVO I DE TRABALHO Disciplina: Direito do Trabalho Prof. Otavio Calvet Data: 01.04.10 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Tema INTERPRETAÇÃO, INTEGRAÇÃO E APLICAÇÃO DO DIREITO DO TRABALHO. Atualizado

Leia mais

A RAZOABILIDADE ENQUANTO ELEMENTO CONSTITUTIVO DA HERMENÊUTICA JURÍDICA

A RAZOABILIDADE ENQUANTO ELEMENTO CONSTITUTIVO DA HERMENÊUTICA JURÍDICA A RAZOABILIDADE ENQUANTO ELEMENTO CONSTITUTIVO DA HERMENÊUTICA JURÍDICA D OLIVEIRA, Marcele Camargo 1 ; D OLIVEIRA, Mariane Camargo 2 ; CAMARGO, Maria Aparecida Santana 3 Palavras-Chave: Interpretação.

Leia mais

A Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012 e as competências florestais dos entes públicos Roberta Rubim del Giudice ÍNDICE

A Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012 e as competências florestais dos entes públicos Roberta Rubim del Giudice ÍNDICE Estrada Dona Castorina, 124 Jardim Botânico Rio de Janeiro RJ CEP: 22460-320 Tel.: 21 35964006 A Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012 e as competências florestais dos entes públicos Roberta Rubim del Giudice

Leia mais

UMA CRÍTICA À TEORIA DAS CONDIÇÕES DA AÇÃO: A possibilidade jurídica do pedido como questão de mérito

UMA CRÍTICA À TEORIA DAS CONDIÇÕES DA AÇÃO: A possibilidade jurídica do pedido como questão de mérito 563 UMA CRÍTICA À TEORIA DAS CONDIÇÕES DA AÇÃO: A possibilidade jurídica do pedido como questão de mérito Rafael Arouca Rosa (UNESP) Introdução Dentre as mudanças propostas no anteprojeto do novo Código

Leia mais

OS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL E A RESPONSABILIDADE DOS CONSELHEIROS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL

OS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL E A RESPONSABILIDADE DOS CONSELHEIROS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL OS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL E A RESPONSABILIDADE DOS CONSELHEIROS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL O Regime Próprio de Previdência Social RPPS, de caráter contributivo, é o regime assegurado

Leia mais

CONHEÇA A VERDADE SOBRE A EC 50

CONHEÇA A VERDADE SOBRE A EC 50 CONHEÇA A VERDADE SOBRE A Porque os interesses de Goiás e do povo goiano estão acima de interesses pessoais e corporativistas. O que é a /2014? É uma Emenda Constitucional, que disciplina a representação

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA PROCESSO SELETIVO PARA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO CONSTITUCIONAL DO TRABALHO

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA PROCESSO SELETIVO PARA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO CONSTITUCIONAL DO TRABALHO PRESIDÊNCIA EDITAL Nº 1, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2016 PROCESSO SELETIVO PARA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO CONSTITUCIONAL DO TRABALHO O PRESIDENTE DO torna pública a realização de processo seletivo

Leia mais

Novas Atitudes. Novos. Estado Gestor

Novas Atitudes. Novos. Estado Gestor Novas Atitudes Paradigmas 1 Procedimentos Estado G t Gestor Instrumentos 2 Sociedade Estado Necessidades Expectativas P i id d Prioridades Recebe a Recebe a pauta Deve se Deve se empenhar para atender

Leia mais

Excelentíssimo Dr. Roberto Monteiro Gurgel Santos, DD. Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público:

Excelentíssimo Dr. Roberto Monteiro Gurgel Santos, DD. Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público: Excelentíssimo Dr. Roberto Monteiro Gurgel Santos, DD. Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público: Venho à presença de Vossa Excelência, nos termos do Regimento Interno deste Conselho, apresentar

Leia mais

CONFEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONDSEF

CONFEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONDSEF Nota Técnica AJN/CONDSEF n. 07/2011 CONDSEF. Possibilidade de conversão de tempo de serviço prestado em condições especiais em tempo de serviço comum após o advento da Medida Provisória n. 1.663, posteriormente

Leia mais

ENTIDADES PARAESTATAIS

ENTIDADES PARAESTATAIS ENTIDADES PARAESTATAIS I) CONCEITO Embora não empregada na atual Constituição Federal, entidade paraestatal é expressão que se encontra não só na doutrina e na jurisprudência, como também em leis ordinárias

Leia mais

Instrutor: Marlon L. Souto Maior Auditor-Fiscal de Contas

Instrutor: Marlon L. Souto Maior Auditor-Fiscal de Contas TREINAMENTO AOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DE RORAIMA Módulo: Processos e Técnicas Legislativas Noções Básicas de Direito Administrativo e Administração Pública Instrutor: Marlon L. Souto Maior Auditor-Fiscal

Leia mais