LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO"

Transcrição

1 Página: 1 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO 01- Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) Este caderno com o enunciado das 40 (quarenta) questões objetivas divididas nas seguintes sessões: LÍNGUA CONHECIMENTOS MATEMÁTICA PORTUGUESA ESPECÍFICOS Questões Pontos Questões Pontos Questões Pontos 1 a 10 2,0 11 a 20 2,0 21 a 40 2,5 b) Uma (1) Folha de Respostas, destinada às respostas das questões objetivas formuladas nas provas, a ser entregue ao fiscal no final. 02- Verifique se este material está em ordem e se o seu nome e número de inscrição conferem com os que aparecem na confirmação de inscrição. Caso contrário, notifique IMEDIATAMENTE o fiscal. 03- Após a conferência, o candidato deverá assinar no espaço próprio da Folha de Respostas, preferivelmente à caneta esferográfica de tinta na cor preta ou azul. 04- Tenha muito cuidado com a Folha de Respostas para não a DOBRAR, AMASSAR ou MANCHAR. A folha somente poderá ser substituída caso esteja danificada em suas margens superior ou inferior BARRA DE RECONHECIMENTO PARA LEITURA ÓTICA. 05- Na prova, as questões objetivas são identificadas pelo número que se situa acima do enunciado 06- Na folha de respostas, as mesmas estão identificadas pelo mesmo número e as alternativas estão identificadas acima da questão de cada bloco de respostas. 07- Para cada uma das questões objetivas são apresentadas 5 alternativas classificadas com as letras (A), (B), (C), (D) e (E); só uma responde adequadamente ao quesito proposto. Você só deve assinalar UMA RESPOSTA. A marcação de nenhuma ou de mais de uma alternativa anula a questão, MESMO QUE UMA DAS RESPOSTAS SEJA A CORRETA. 08- Na Folha de Respostas, a marcação das letras correspondentes às respostas certas deve ser feita cobrindo TODO O ESPAÇO compreendido pelo retângulo pertinente à alternativa, usando caneta esferográfica de tinta preta ou azul, de forma contínua e densa. A LEITORA ÓTICA é sensível a marcas escuras, portanto, preencha os campos de marcação completamente, procurando deixar menos espaços em branco possível dentro do retângulo, sem invadir os limites dos retângulos ao lado. 09 SERÁ ELIMINADO do Concurso o candidato que: a) Se utilizar, durante a realização das provas, de máquinas, relógios e/ou aparelhos de calcular, bem como rádios gravadores, fones de ouvido, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espécie; b) Se ausentar da sala em que se realizam as provas levando consigo o Caderno de Questões e a Folha de Respostas. 10- Reserve os 30 (trinta) minutos finais para marcar sua Folha de Respostas. Os rascunhos e as marcações assinaladas no Caderno de Questões NÃO SERÃO LEVADOS EM CONTA. 11- Quando terminar, entregue ao fiscal o Caderno de Questões e a Folha de Respostas, e ASSINE A LISTA DE PRESENÇA. 12- O TEMPO DE DURAÇÃO DA PROVA PARA TODOS OS CARGOS É DE 4 (QUATRO) HORAS.

2 Página: 2

3 Página: 3 TEXTO 1 NASCER NO CAIRO, SER FÊMEA DE CUPIM Rubem Braga Conhece o vocábulo escardinchar? Qual o feminino de cupim? Qual o antônimo de póstumo? Como se chama o natural do Cairo? O leitor que responder "não sei" a todas estas perguntas não passará provavelmente em nenhuma prova de Português de nenhum concurso oficial. Aliás, se isso pode servir de algum consolo à sua ignorância, receberá um abraço de felicitações deste modesto cronista, seu semelhante e seu irmão. Porque a verdade é que eu também não sei. Você dirá, meu caro professor de Português, que eu não deveria confessar isso; que é uma vergonha para mim, que vivo de escrever, não conhecer o meu instrumento de trabalho, que é a língua. Concordo. Confesso que escrevo de palpite, como outras pessoas tocam piano de ouvido. De vez em quando um leitor culto se irrita comigo e me manda um recorte de crônica anotado, apontando erros de Português. Um deles chegou a me passar um telegrama, felicitando-me porque não encontrara, na minha crônica daquele dia, um só erro de Português; acrescentava que eu produzira uma "página de bom vernáculo, exemplar". Tive vontade de responder: "Mera coincidência" mas não o fiz para não entristecer o homem. Espero que uma velhice tranqüila - no hospital ou na cadeia, com seus longos ócios me permita um dia estudar com toda calma a nossa língua, e me penitenciar dos abusos que tenho praticado contra a sua pulcritude. (Sabem qual o superlativo de pulcro? Isto eu sei por acaso: pulquérrimo! Mas não é desanimador saber uma coisa dessas? Que me aconteceria se eu dissesse a uma bela dama: a senhora é pulquérrima? Eu poderia me queixar se o seu marido me descesse a mão?). Alguém já me escreveu também que eu sou um escoteiro ao contrário. "Cada dia você parece que tem de praticar a sua má ação contra a língua". Mas acho que isso é exagero. Como também é exagero saber o que quer dizer escardinchar. Já estou mais perto dos cinqüenta que dos quarenta; vivo de meu trabalho quase sempre honrado, gozo de boa saúde e estou até gordo demais, pensando em meter um regime no organismo e nunca soube o que fosse escardinchar. Espero que nunca, na minha vida, tenha escardinchado ninguém; se o fiz, mereço desculpas, pois nunca tive essa intenção. Vários problemas e algumas mulheres já me tiraram o sono, mas não o feminino de cupim. Morrerei sem saber isso. E o pior é que não quero saber; nego-me terminantemente a saber, e, se o senhor é um desses cavalheiros que sabem qual é o feminino de cupim, tenha a bondade de não me cumprimentar. Por que exigir essas coisas dos candidatos aos nossos cargos públicos? Por que fazer do estudo da língua portuguesa uma série de alçapões e adivinhas, como essas histórias que uma pessoa conta para "pegar" as outras? O habitante do Cairo pode ser cairense, cairei, caireta, cairota ou cairiri e a única utilidade de saber qual a palavra certa será para decifrar um problema de palavras cruzadas. Vocês não acham que nossos funcionários públicos já gastam uma parte excessiva do expediente matando palavras cruzadas da "Última Hora" ou lendo o horóscopo e as histórias em quadrinhos de "O Globo"? No fundo o que esse tipo de gramático deseja é tornar a língua portuguesa odiosa; não alguma coisa através da qual as pessoas se entendam, mas um instrumento de suplício e de opressão que ele, gramático, aplica sobre nós, os ignaros. Mas a mim é que não me escardincham assim, sem mais nem menos: não sou fêmea de cupim nem antônimo do póstumo nenhum; e sou cachoeirense, de Cachoeiro, honradamente de Cachoeiro de Itapemirim! Rio, novembro, 1951 In: BRAGA, Rubem. Ai de Ti, Copacabana, 14 ª ed., Rio de Janeiro: Record, 1996.

4 Página: 4 Questão 01 Língua Portuguesa Um traço característico da crônica lida é: A) temática atual B) prosa poética C) estrofação regular D) método dialético E) exposição imparcial Questão 02 De acordo com o texto, o estudo da Língua Portuguesa, assim como a sua abordagem em concursos públicos deve: A) pautar-se em casos de exceção B) enfatizar o caráter prescritivo C) conter alçapões e adivinhas D) oprimir os ignaros E) priorizar o aspecto comunicativo Questão 03 Os vocábulos pulquérrima e escardinchado assumem, respectivamente, no quinto e no sétimo parágrafos sentido: A) denotativo B) poético C) pejorativo D) hiperbólico E) referencial Questão 04 O narrador do texto estabelece interlocução com o(s) leitor(es) e com o(s) professor(es) de Português. Só NÃO constitui marca gramatical ou lingüística dessa interlocução: A) o vocativo B) o pronome de tratamento você C) o pronome de tratamento senhor/senhora D) a identificação com o leitor E) a frase interrogativa Questão 05 As palavras cairense, cairei, caireta, cairota, cairiri são formadas por: A) prefixação B) composição C) sufixação D) aglutinação E) redução Questão 06 Mas a mim é que não me escardincham assim, sem mais nem menos: não sou fêmea de cupim nem antônimo do póstumo nenhum; e sou cachoeirense, de Cachoeiro, honradamente de Cachoeiro de Itapemirim! (linhas 37-38) No trecho acima destacado, é possível, sem alterar o significado, substituir os dois-pontos pela seguinte conjunção: A) porém B) porque C) portanto D) conquanto E) enquanto Questão 07 Mas a mim é que não me escardincham (...) (linha 37) Há entre os vocábulos grifados uma relação: A) pleonástica B) irônica C) metafórica D) antitética E) eufemistica

5 Página: 5 Questão 08...mas um instrumento de suplício e de opressão que ele, gramático, aplica sobre nós, os ignaros. (linha 35) Os termos grifados no fragmento acima exercem a função de: A) vocativo B) objeto indireto C) adjunto adverbial D) aposto E) predicativo Questão 09 De acordo com a leitura do texto, assinale a alternativa em que a relação entre exemplo e explicação para o uso de aspas está ERRADA: A) "não sei" (linha 3) transcrição do discurso alheio B) "página de bom vernáculo, exemplar" (linha 12) transcrição do discurso do narrador C) "Mera coincidência" (linha 13) mudança de enunciador no diálogo D) "pegar" (linha 29) deslocamento de sentido E) "Última Hora" (linha 32) indicação de nome de periódico Questão 10 O vocábulo do texto cuja acentuação gráfica se justifica segundo a mesma regra observada na palavra póstumo é: A) também B) saúde C) vocês D) língua E) ignorância

6 Página: 6 Questão 11 Matemática Qual é o valor de A para que se tenha a igualdade (ME) 2 = AME, sabendo-se que cada letra corresponde a um único dígito? A) 1 B) 2 C) 5 D) 6 E) 9 Questão 12 A temperatura num certo bairro de Itaboraí acusou, num determinado dia, as seguintes variações registradas ao longo das horas dadas a seguir: Questão 13 A maquete das casas com piscina de um condomínio foi construída mantendo-se rigorosamente todas as proporções em relação ao tamanho real, na escala 1 para 50 (1:50). Na maquete, as piscinas têm a forma de um paralelepípedo com 10 cm de largura, 16 cm de comprimento e 2 cm de profundidade. A capacidade real dessa piscina em litros será de: A) B) C) D) E) Questão 14 De 2:00 horas às 5:00 horas: baixou 2,8º C; De 5:00 horas às 8:00 horas: aumentou 3,2º C; De 8:00 horas às 11:00 horas: aumentou 4,1º C; De 11:00 horas às 14:00 horas: baixou 1,6º C; De 14:00 horas às 17:00 horas: aumentou 2,7º C; De 17:00 horas às 20:00 horas: baixou 3,4º C. Sabendo-se que a temperatura desse bairro era 24,8º C às 2:00 horas, a temperatura, em ºC, registrada às 20:00 horas desse dia foi de: A) 28,6º C B) 27º C C) 26º C D) 23,6º C E) 22,6º C Girando-se o ponteiro da roleta da figura acima, a probabilidade de que ele pare num setor circular que tenha um número que seja simultaneamente múltiplo de 3 e múltiplo de 5 é: A) 25% B) 50% C) 75% D) 80% E) 90%

7 Página: 7 Questão 15 Uma professora possui sob sua responsabilidade certa quantidade de livros, inferior a cento e vinte exemplares. Caso reparta esses livros igualmente entre nove alunos não haverá sobra. Também não sobrarão livros se reparti-los entre doze alunos. Mas, se repartir entre dez alunos, sobrarão oito livros. O número total de livros que a professora possui é: A) 36 B) 54 C) 72 D) 48 E) 108 Questão 16 Um brinquedo eletrônico para fazer desenhos tem a forma de um carrinho. Acionado por controle remoto, quando programado, obedece a dois tipos de comando: Andar para frente, em linha reta, a distância indicada. Girar em torno de um eixo vertical, para a direita ou para esquerda, quantos graus forem indicados. Os programas A e B descritos abaixo foram elaborados para esse carrinho: PROGRAMA A Andar três metros Girar cento e vinte graus para esquerda Andar três metros Girar cento e vinte graus para esquerda Andar três metros Parar PROGRAMA B Andar dez centímetros Girar noventa graus para esquerda Andar oito centímetros Girar noventa graus para esquerda Andar dez centímetros Girar noventa graus para esquerda Andar oito centímetros Parar As figuras desenhadas pelos programas A e B são respectivamente: A) triângulo equilátero e retângulo B) triângulo isósceles e losango C) retângulo e losango D) quadrado e triângulo retângulo E) retângulo e quadrado Questão 17 Recorte gráficos de jornais e revistas. Cole-os no caderno e procure interpretá-los escrevendo sobre que assunto tratam, o que eles relacionam com o que, que conclusões podem ser tiradas deles etc. Nesse enunciado extraído de DANTE, Luiz Roberto. Tudo é Matemática. 5ª a 6ª série página 23. Ática, 2006, são levadas em conta a leitura e a interpretação de dados,que nos Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Fundamental são consideradas como: A) estatística B) tratamento da informação C) média aritmética D) gráfico E) números e operações Questão 18 Uma pessoa adquiriu uma geladeira por R$ 1200,00, deu 2/5 deste valor de entrada e o restante deverá ser pago em seis prestações iguais. Cada uma dessas prestações representa do total uma fração equivalente a: A) 1/10 B) 1/5 C) 3/20 D) 1/4 E) 3/10

8 Página: 8 Questão 19 Um quadrado tem 4 cm de lado, enquanto um outro quadrado tem 8 cm de lado. Um terceiro quadrado tem área cinco vezes maior que a soma das áreas daqueles dois quadrados. O lado desse terceiro quadrado mede: A) 12 B) 16 C) 20 D) 24 E) 18 Questão 20 Numa fazenda há galinhas e coelhos num total de 24 animais e 76 pés (patas). O número de coelhos existentes nessa fazenda é: A) 10 B) 14 C) 13 D) 16 E) 12

9 Página: 9 Conhecimentos Específicos Questão 21 A Lei nº. 9394/96, que estabelece as Diretrizes e Bases de Educação Nacional, relaciona, no artigo 13, as incumbências dos professores. De acordo com a legislação, a alternativa que indica corretamente as ações docentes previstas é: A) participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino e informar os pais e responsáveis sobre a freqüência e rendimento dos alunos B) zelar pela aprendizagem dos alunos e assegurar o cumprimento dos dias letivos e horas-aula estabelecidos C) estabelecer estratégias de recuperação para os alunos de menor rendimento e elaborar e executar a proposta pedagógica da Escola D) colaborar com as atividades de articulação da escola com as famílias e a comunidade e elaborar e cumprir planos de trabalho, segundo a proposta pedagógica do estabelecimento de ensino E) ministrar os dias letivos e horas-aulas estabelecidos e participar integralmente dos períodos dedicados ao planejamento pedagógico, técnico-administrativo e financeiro do estabelecimento de ensino Questão 22 Os Parâmetros Curriculares Nacionais propõem uma mudança de enfoque em relação aos conteúdos escolares: ao invés de um ensino em que o conteúdo seja visto como um fim em si mesmo, um ensino que considere esse conteúdo como um meio para o desenvolvimento de capacidades que permitam aos alunos produzirem e usufruírem dos bens culturas, sociais, e econômicos. Assim, é correto afirmar que os conteúdos curriculares, de acordo com os PCN, devem ser: A) a finalidade precípua do ensino B) o suporte de todo desenvolvimento cognitivo dos alunos C) a base para a formação do homem participante, crítico e autônomo D) os componentes das disciplinas básicas para uma boa formação dos alunos E) o objeto maior do planejamento curricular Questão 23 A concepção de avaliação dos Parâmetros Curriculares Nacionais vai além da visão tradicional, que focaliza o controle externo do aluno mediante notas ou conceitos, para ser compreendida como parte integrante e intrínseca ao processo educacional. (PCN) Pode-se afirmar que a avaliação contemplada nos PCN deve ser compreendida como um fator de: A) orientação para o aluno na busca de melhores notas ou conceitos B) intervenção do professor com o objetivo de recuperar os alunos com dificuldades de aprendizagem C) ajuste entre o que foi ensinado e as notas ou conceitos obtidos, após o uso de instrumentos avaliativos D) mudança da terminologia de notas para conceito E) reflexão contínua do professor sobre sua prática educativa Questão 24 Quando entro em uma sala de aula devo estar sendo um ser aberto à indagações, à curiosidade, às perguntas dos alunos, a suas inibições; u m ser crítico e inquiridor, inquieto em face da tarefa que tenho a de ensinar e não a de transferir conhecimento. (Paulo Freire) Os professores que se identificam com o autor, no texto apresentado, concebem o processo ensinoaprendizagem como: A) transmissão do conhecimento do professor que ensina para um aluno que aprende B) relação recíproca na qual se destacam o papel dirigente do professor e a atividade dos alunos C) mediação entre os conceitos universais e a capacidade cognitiva dos alunos D) assimilação ativa de conhecimentos e de operações mentais tanto do professor quanto do aluno E) difusão e domínio dos conhecimentos sistematizados e a organização dos mesmos

10 Página: 10 Questão 25 Para Libâneo, a educação corresponde (...) a toda modalidade de influências e inter-relações que convergem para formação de traços de personalidade social e do caráter, implicando uma concepção de mundo, ideais, valores, modos de agir, que se traduzem em convicções ideológicas, morais, políticas, princípios de ação frente a situações reais e desafios da vida prática. Desse conceito, pode-se inferir que educação é: A) um produto das ações pedagógicas conforme os propósitos das leis e regulamentos vigentes B) uma instituição social que se ordena no sistema escolar de um país, em um determinado momento histórico C) um processo de transformações sucessivas tanto no sentido histórico quanto no do desenvolvimento da personalidade D) o objeto de estudo da Pedagogia que coloca a ação educativa como tema de pesquisas e de experimentações científicas E) uma preocupação governamental em países economicamente desenvolvidos e em desenvolvimento Questão 26 D) análise da realidade, realização interativa, projeção das finalidades, identificação das formas de mediação e avaliação E) análise da realidade, identificação das formas de mediação, projeção das finalidades, realização interativa e avaliação Questão 27 Considere as funções abaixo: I Explicitar princípios, diretrizes e procedimentos do trabalho docente. II Assegurar a racionalização, organização e coordenação do trabalho docente. III Facilitar a preparação das aulas: selecionar o material didático em tempo hábil. IV Assegurar a unidade e coerência do trabalho docente. A alternativa que indica corretamente a função ou funções a serem consideradas no planejamento escolar é: A) apenas a I B) I e IV C) II, III e IV D) I, II, III e IV E) II e III Um projeto de ensino-aprendizagem será tanto melhor quanto mais estiver articulado à realidade dos educandos, à essência significativa da área de saber, aos outros educadores (trabalho interdisciplinar) e à realidade social mais geral. (Celso Vasconcellos) Um plano de ensino com a qualidade prescrita pelo autor passa necessária e ordenadamente, pelas seguintes etapas: A) análise da realidade, avaliação, identificação das formas de mediação, realização interativa e projeção de finalidades B) análise da realidade, projeção de finalidades, identificação das formas de mediação, realização interativa e avaliação C) análise da realidade, projeção de finalidades, avaliação, identificação das formas de mediação e realização interativa

11 Página: 11 Questão 28 Nos PCN (p.52), lê-se: A abordagem construtivista integra, num único esquema explicativo, questões relativas ao desenvolvimento individual e `a pertinência cultural, à construção de conhecimentos e à interação social. Os três postulados que fundamentam a abordagem construtivista do conhecimento são: A) 1- a existência do mundo exterior independe do observador 2- a realidade não é construída pelo sujeito cognoscente 3- o conhecimento é a representação da realidade dada B) 1- a existência do mundo exterior depende do observador 2- a realidade é construída pelo sujeito cognoscente 3- o conhecimento é uma representação da realidade construída C) 1- a existência do mundo exterior independe do observador 2- a realidade é construída pelo sujeito cognoscente 3- o conhecimento é uma descrição da realidade dada D) 1- a existência do mundo exterior não afeta o observador 2- a realidade é construída pelo conhecimento 3- o conhecimento é uma ligação com o mundo exterior A) redentora B) transformadora C) conservadora D) reprodutora E) técnica Questão 30 Exigir que um aluno que ainda não atingiu o estágio das operações concretas resolva problemas matemáticos que requerem esse nível de desenvolvimento, provavelmente vai fazer com que ele, ao invés de tentar compreendê-los, busque, no terreno das adivinhações, as formas de resolvêlas. É de fundamental importância que o professor conheça as etapas do desenvolvimento cognitivo do aluno para adequar o ensino a cada uma delas. O teórico que muito contribuiu para esse conhecimento foi Piaget, que estabeleceu a seguinte seqüência de etapas do desenvolvimento: A) sensório-motor, pré-operacional, operações formais e operações concretas B) pré-operacional, operações concretas, operações formais e sensório-motor C) pré-operacional, sensório-motor, operações concretas e operações formais D) sensório-motor, operações formais, operações concretas e pré-operacional E) sensório-motor, pré-operacional,operações concretas e operações formais E) 1- a existência do mundo exterior afeta o observador 2- a realidade não é construída pelo conhecimento 3- o conhecimento é uma construção das realidade Questão 29 Professores que, com uma visão crítica da sociedade e das possibilidades e limitações da educação, fazem de sua prática cotidiana uma luta para a construção de um sociedade democrática identificam a Educação com a função:

12 Página: 12 Questão 31 O único bom ensino é o que se adianta ao desenvolvimento. Esta frase de Vygotsky sintetiza suas idéias sobre a zona proximal de desenvolvimento. O professor, ao pôr em prática no cotidiano escolar a teoria de Vygotsky, terá com preocupação inicial: A) reduzir sua ação à observação da turma e de cada aluno em particular B) fornecer exemplos concretos dos assuntos que estão sendo tratados na aula C) conhecer o nível de conhecimento cognitivo dos alunos, ou seja, suas descobertas, opiniões e suas idéias D) estabelecer uma disciplina rígida a fim de que todos tenham tempo e espaço para as manifestações E) buscar conhecimentos produzidos nos diferentes campos do saber relacionados ao desenvolvimento infantil Questão 32 Para isso, a escolha e organização dos métodos de ensino, deve corresponder à necessária unidade assim representada: A) método conteúdos - disciplina B) método teoria apresentação da matéria C) método objetivos conteúdos D) método tarefas provas E) método conteúdos programas Questão 33 O Estatuto da Criança e do Adolescente prevê, no art.54, que,entre outros, é dever do Estado assegurar à criança e ao adolescente: I. Ensino fundamental, obrigatório e gratuito, inclusive para os que não tiveram acesso na idade própria. II. Progressiva extensão da obrigatoriedade e gratuidade ao ensino médio. III. Atendimento no ensino fundamental, através de programas suplementares de material didáticoescolar, transporte,alimentação e assistência à saúde. Com relação às afirmativas acima está (ão) correta (s): A) I, II e III B) I e II apenas C) II e III apenas D) II apenas E) III apenas (HARPER,B. et al. Cuidado, Escola! São Paulo : Brasiliense, 1984,p.61) A figura mostra uma prática bastante utilizada na escola tradicional: o professor transmite conhecimentos a um aluno que os recebe sem questionamentos. Hoje, para dirigir e estimular o processo de ensino, o professor, que vê no aluno um sujeito de sua aprendizagem, se utiliza de meios, os mais variados possíveis, para organizar as atividades de modo a desencadear uma assimilação consciente dos conhecimentos e o desenvolvimento das capacidades cognoscitivas e operativas do aluno.

13 Página: 13 Questão 34 A Escola é o lugar do entrecruzamento do projeto coletivo e político da sociedade com os projetos pessoais e existenciais dos educadores. É ela que viabiliza a possibilidade de as ações pedagógicas dos educadores tornarem-se educacionais, na medida em que as impregna das finalidades políticas da cidadania que interessa aos educandos. (SEVERINO, Antônio J. in Terezinha Rios) O instrumento de que a escola dispõe para discutir e explicitar de forma clara os valores pessoais e políticos é o: A) Planejamento do Sistema de Educação B) Planejamento Curricular C) Projeto Político Pedagógico D) Projeto das Secretarias de Educação E) Planejamento de Unidades de Experiências Questão 35 Não [se deve pensar] apenas sobre os conteúdos pragmáticos que vêm sendo expostos ou discutidos pelos professores das diferentes disciplinas mas, ao mesmo tempo, a maneira mais aberta (...) ou fechada (...) com que este ou aquele professor ensina. Ligando-se a história em quadrinhos de Afo ao texto de Paulo Freire, conclui-se que ambos apontam na direção de uma atitude do professor que pode ser adjetivada como: A) dialógica B) autoritária C) submissa D) indiferente E) permissiva Questão 36 Considerando: 1 - P = professor; A= aluno e C = conhecimento; 2 - Setas como indicadores das relações que se estabelecem no processo ensino-aprendizagem. Assinale a representação gráfica dessas relações em uma perspectiva construtivista do conhecimento: De Paulo Freire, em Pedagogia da Autonomia :

14 Página: 14 Questão 37 Alunos e professores têm sido vistos de maneiras diferentes, ao longo dos tempos, nas diversas tendências pedagógicas. Assinale a alternativa que apresenta a interpretação correta de cada um dos itens no processo ensino-aprendizagem pelas tendências Crítico-social dos Conteúdos e Renovada Progressivista: Tendência crítico social dos conteúdos Tendência renovada progressivista aluno professor aluno professor sujeito mediador centro do processo organizador das aprendizagens agente decisório especialista ouvinte orientador sujeito auxiliar memorizador questionador espectador pesquisador autônomo técnico ouvinte animador de aprendizagem Questão 38 sujeito mediador Toda práxis educacional busca a consecução de determinados objetivos de maneira intencional e sistemática. Há dois níveis de objetivos: os gerais e específicos. Ao planejar o Projeto Salvem o Planeta, um professor registrou os seguintes objetivos I Desenvolver a consciência ecológica. II Identificar as causas do aquecimento global. Questão 39 Quando os professores exercem sua atividade docente sem clareza da filosofia de educação que os inspira, perdem a consciência dos valores e finalidades subjacentes às suas ações. Dessa forma, permanecem no senso comum que se manifesta em uma: A) visão ingênua da educação como redentora da sociedade B) atitude de criticidade de sociedade e de escola C) concepção de educação como reprodutora das desigualdades sociais D) percepção dos condicionantes extra-escolares E) percepção da escola como espaço de luta para a mudança social Questão 40 Os estudos sobre a psicogênese da escrita de Emília Ferreiro e Ana Teberosky foram uma contribuição fundamental para que muitos professores percebessem que, diversas vezes, erros são construções das crianças no processo evolutivo do conhecimento do sistema alfabético de escrita. Assim, passou-se a entender que, quando uma criança, no início do processo, escreve cavlo para representar cavalo, significa que ela: A) não consegue distinguir os sons das letras B) percebe que falta uma letra na palavra C) faz corresponder cada letra a uma sílaba D) relaciona a pauta sonora da palavra à representação escrita E) está no período alfabético da escrita Pode-se afirmar que: A) I é um objetivo específico e II é um objetivo geral B) II é um objetivo específico que leva à consecução de I C) II nada tem a ver com I D) I e II são objetivos gerais E) I e II são objetivos específicos

ANÁLISE DO TEXTO NASCER NO CAIRO, SER FÊMEA DE CUPIM DE RUBEM BRAGA

ANÁLISE DO TEXTO NASCER NO CAIRO, SER FÊMEA DE CUPIM DE RUBEM BRAGA ANÁLISE DO TEXTO NASCER NO CAIRO, SER FÊMEA DE CUPIM DE RUBEM BRAGA Caroline Soares Nogueira Cardoso Franciele Aparecida Gonçalves de Oliveira Vanessa Varasquim (Gdas CLCA UENP/CJ) Marilúcia dos Santos

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa 8 o ano 2 o bimestre PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa Escola: Nome: Turma: n o : Novartis perde processo sobre patente do Glivec na Índia A Suprema Corte da Índia rejeitou o apelo da Novartis AG pela

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO Texto:Ângela Maria Ribeiro Holanda ribeiroholanda@gmail.com ribeiroholanda@hotmail.com A educação é projeto, e, mais do que isto,

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES. Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva

CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES. Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva 1 Conteúdo: Concepções Pedagógicas Conceitos de Educação; Pedagogia; Abordagens Pedagógicas: psicomotora, construtivista,

Leia mais

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias dezembro/2006 página 1 FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Bernardete Gatti: o país enfrenta uma grande crise na formação de seus professores em especial, de alfabetizadores.

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 05/2014

PROCESSO SELETIVO EDITAL 05/2014 PROCESSO SELETIVO EDITAL 05/2014 CARGO E UNIDADES: Professor de Educação Infantil e Fundamental (MACAÍBA) Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova:

Leia mais

Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA

Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA Resumo: O presente trabalho apresenta uma análise, que se originou a

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Alfabetização de Crianças O Professor Alfabetizador é o profissional responsável por planejar e implementar ações pedagógicas que propiciem,

Leia mais

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Metodologia Científica 60 horas História da Educação 60 horas Sociologia da Educação I 60 horas Filosofia

Leia mais

Teste de Habilidade Específica - THE

Teste de Habilidade Específica - THE LEIA COM ATENÇÃO 1. Só abra este caderno após ler todas as instruções e quando for autorizado pelos fiscais da sala. 2. Preencha os dados pessoais. 3. Autorizado o inicio da prova, verifique se este caderno

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Rene Baltazar Introdução Serão abordados, neste trabalho, significados e características de Professor Pesquisador e as conseqüências,

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE 10 EDITAL N o 02/2011 (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das

Leia mais

RASCUNHO Nº DE INSCRIÇÃO. PROVA ESCRITA OBJETIVA CARGO: PROFESSOR CLASSE SL (MATEMÁTICA) DATA: 20/01/2013 HORÁRIO: 9h às 12h (horário do Piauí)

RASCUNHO Nº DE INSCRIÇÃO. PROVA ESCRITA OBJETIVA CARGO: PROFESSOR CLASSE SL (MATEMÁTICA) DATA: 20/01/2013 HORÁRIO: 9h às 12h (horário do Piauí) NÚCLEO DE CONCURSOS E PROMOÇÃO DE EVENTOS NUCEPE PROCESSO SELETIVO SEDUC/PI - 2012 FOLHA DE ANOTAÇÃO DO GABARITO - ATENÇÃO: Esta parte somente deverá ser destacada pelo fiscal da sala, após o término da

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ARQUIVOLOGIA) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ARQUIVOLOGIA) 2 a FASE 18 BNDES EDITAL N o N 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL

AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL Sheila Valéria Pereira da Silva (UFPB Campus-IV) sheilavaleria88@yahoo.com.br

Leia mais

PROVA SIMULADA SOBRE A LEI DE DIRETRIZES E BÁSICAS DA EDUCAÇÃO NACIONAL LDBEN

PROVA SIMULADA SOBRE A LEI DE DIRETRIZES E BÁSICAS DA EDUCAÇÃO NACIONAL LDBEN PROVA SIMULADA SOBRE A LEI DE DIRETRIZES E BÁSICAS DA EDUCAÇÃO NACIONAL LDBEN 1. A Lei de Diretrizes e Bases, Lei nº. 9394/96, em seu artigo 3º enfatiza os princípios norteadores do ensino no Brasil. Analise-os:

Leia mais

O que é o projeto político-pedagógico (PPP)

O que é o projeto político-pedagógico (PPP) O que é o projeto político-pedagógico (PPP) 1 Introdução O PPP define a identidade da escola e indica caminhos para ensinar com qualidade. Saiba como elaborar esse documento. sobre ele: Toda escola tem

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

Professor MaPP Educação Infantil Conhecimentos Pedagógicos

Professor MaPP Educação Infantil Conhecimentos Pedagógicos Professor MaPP Educação Infantil Conhecimentos Pedagógicos 11) Analisando a relação entre desenvolvimento e aprendizagem na perspectiva de Vygotsky, é correto afirmar que: a) Desenvolvimento e aprendizagem

Leia mais

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Introdução A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional afirma que cabe aos estabelecimentos de ensino definir

Leia mais

******************************************************************************** LEI Nº 7508/2007, de 31 de dezembro de 2007

******************************************************************************** LEI Nº 7508/2007, de 31 de dezembro de 2007 ******************************************************************************** LEI Nº 7508/2007, de 31 de dezembro de 2007 ********************************************************************************

Leia mais

48 Os professores optaram por estudar a urbanização, partindo dos espaços conhecidos pelos alunos no entorno da escola. Buscavam, nesse projeto, refletir sobre as características das moradias existentes,

Leia mais

1. Linguagens e Códigos; 2. Raciocínio Lógico e Matemática; 3. Leitura e Interpretação de Textos; 4. Atualidades.

1. Linguagens e Códigos; 2. Raciocínio Lógico e Matemática; 3. Leitura e Interpretação de Textos; 4. Atualidades. ANEXO I - PROGRAMA DAS PROVAS DE CONHECIMENTOS GERAIS E DE REDAÇÃO Prova (Todos os Cursos) Trabalhando em consonância com as diretrizes curriculares nacionais, o UNIFEMM entende que as avaliações do processo

Leia mais

Ajudante Auxiliar de Serviços Gerais Operador de Bombas. Nível Fundamental Incompleto. Águas e Esgoto. 22.01.2012 - Tarde

Ajudante Auxiliar de Serviços Gerais Operador de Bombas. Nível Fundamental Incompleto. Águas e Esgoto. 22.01.2012 - Tarde Ajudante Auxiliar de Serviços Gerais Operador de Bombas Nível Fundamental Incompleto Águas e Esgoto 22.01.2012 - Tarde LÍNGUA PORTUGUESA AJUDANTE / AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS / OPERADOR DE BOMBAS 22.01

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO CONSELHO DE CLASSE O Conselho de Classe é um órgão colegiado, de cunho decisório, presente no interior da organização escolar, responsável pelo processo de avaliação do desempenho pedagógico do aluno.

Leia mais

Centro Educacional Pró-Hope

Centro Educacional Pró-Hope Centro Educacional Pró-Hope A escola da Casa Hope As pessoas que são atendidas pela Instituição sofrem com a carência financeira, a doença e o afastamento da rede familiar e social de apoio. Tudo isso

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA

EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA Q U E S T Õ E S E R E F L E X Õ E S Suraya Cristina Dar ido Mestrado em Educação Física, na Escola de Educação Física da Universidade de São Paulo, SP, 1987 1991 Doutorado em

Leia mais

12 Teoria de Vigotsky - Conteúdo

12 Teoria de Vigotsky - Conteúdo Introdução Funções psicológicas superiores Pilares da teoria de Vigotsky Mediação Desenvolvimento e aprendizagem Processo de internalização Níveis de desenvolvimento Esquema da aprendizagem na teoria de

Leia mais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA Seção I Das Disposições Gerais Art. 22. A educação básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurar-lhe

Leia mais

PLANO DE ENSINO E ESTRATÉGIAS

PLANO DE ENSINO E ESTRATÉGIAS PLANO DE ENSINO E ESTRATÉGIAS Profª. Msc. Clara Maria Furtado claramaria@terra.com.br clara@unifebe.edu.br PLANEJAMENTO Representa uma organização de ações em direção a objetivos bem definidos, dos recursos

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY.

O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY. O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY. Silvana da Silva Nogueira (FECLESC/UECE) Priscila Cavalcante Silva (FECLESC/UECE) Resumo O processo de aquisição

Leia mais

difusão de idéias Atenção ao olhar crítico dos professores

difusão de idéias Atenção ao olhar crítico dos professores Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias outubro/2008 página 1 Atenção ao olhar crítico dos professores Maria Malta Campos: Há uma enorme demanda reprimida por creches nas periferias das grandes cidades,

Leia mais

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia 1. Componentes curriculares O currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia engloba as seguintes dimensões. 1.1. Conteúdos de natureza teórica Estes conteúdos

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

A DESCODIFICAÇÃO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA

A DESCODIFICAÇÃO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA A DESCODIFICAÇÃO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA Henrique Innecco Longo e-mail: hlongo@civil.ee.ufrj.br Universidade Federal do Rio de Janeiro, Departamento de Mecânica Aplicada e Estruturas Escola de Engenharia,

Leia mais

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares C M E CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NATAL/RN RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CME Estabelece normas sobre a Estrutura, Funcionamento e Organização do trabalho pedagógico da Educação de Jovens e Adultos nas unidades

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE 14 BNDES EDITAL N o N 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

1» A revolução educacional e a educação em valores 11

1» A revolução educacional e a educação em valores 11 Sumário Introdução 9 1» A revolução educacional e a educação em valores 11 Introdução 12 As causas da revolução educacional 12 O triplo desafio pedagógico 14 Da transmissão à educação 15 O que pretende

Leia mais

PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA 2 o DIA MANHÃ GRUPO 2 Novembro / 2011 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este

Leia mais

V Seminário de Metodologia de Ensino de Educação Física da FEUSP- 2014. Relato de Experiência INSERINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO COPA DO MUNDO.

V Seminário de Metodologia de Ensino de Educação Física da FEUSP- 2014. Relato de Experiência INSERINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO COPA DO MUNDO. V Seminário de Metodologia de Ensino de Educação Física da FEUSP- 2014 Relato de Experiência INSERINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO COPA DO MUNDO. RESUMO Adriana Vieira de Lima Colégio Marista Arquidiocesano

Leia mais

2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Para que a Educação Infantil no município de Piraquara cumpra as orientações desta Proposta Curricular a avaliação do aprendizado e do desenvolvimento da criança, como

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ ESTADO DO PARANÁ

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ ESTADO DO PARANÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ ESTADO DO PARANÁ A N E X O I E D I T A L D E C O N C U R S O P Ú B L I C O Nº 01/2015 D O S R E Q U I S I T O S E A T R I B U I Ç Õ E S D O S C A R G O S RETIFICAÇÃO

Leia mais

AVALIE ENSINO MÉDIO 2013 Questionário do Estudante

AVALIE ENSINO MÉDIO 2013 Questionário do Estudante AVALIE ENSINO MÉDIO 2013 Questionário do Estudante Caro Estudante, O Projeto Avalie pretende conhecer melhor o perfil do estudante do Ensino Médio da Bahia, por isso a sua participação representa a garantia

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

PLANO 24 horas (Etapa V)

PLANO 24 horas (Etapa V) PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO MEC / FNDE GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO - PROEX NÚCLEO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Leia mais

Anexo II CARGOS DE DCA

Anexo II CARGOS DE DCA Anexo II CARGOS DE DCA CARGO: COORDENADOR DO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO DE EDUCAÇÃO INFANTIL COORDENADOR DO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO DE ENSINO FUNDAMENTAL Coordenar atividades específicas de área, participando

Leia mais

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia Anais do I Seminário Internacional de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia A CONTRIBUIÇÃO DA DIDÁTICA CRÍTICA NA INTERLIGAÇÃO DE SABERES AMBIENTAIS NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Leia mais

Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA

Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA Em ação! PARTE 1: (5 minutos) Procure alguém que você não conhece ou que conhece

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Orientações para a elaboração do projeto escolar

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Orientações para a elaboração do projeto escolar MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MÉDIA E TECNOLÓGICA Coordenação-Geral de Ensino Médio Orientações para a elaboração do projeto escolar Questões norteadoras: Quais as etapas necessárias à

Leia mais

EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE

EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE Stella Maris Pissaia 1 Giseli Dionize Bobato 2 RESUMO: Neste resumo apresentamos uma descrição compreensiva das experiências vivenciadas a partir do contato teórico durante

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS LEI Nº 1059, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009. Dispõe sobre a Organização do Sistema Municipal de Ensino do Município de Pinhais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE PINHAIS,, aprovou e eu, PREFEITO

Leia mais

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA RESUMO Os educadores têm se utilizado de uma metodologia Linear, que traz uma característica conteudista; É possível notar que o Lúdico não se limita

Leia mais

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PORTUGUESA DE LÍNGUA. Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) MARÇO

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PORTUGUESA DE LÍNGUA. Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) MARÇO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA MARÇO 2013 Expectativas de Aprendizagem de Língua Portuguesa dos anos iniciais do Ensino Fundamental 1º ao 5º ano Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º

Leia mais

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia Anais do I Seminário Internacional de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UMA NECESSÁRIA RELAÇÃO PARA A CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA. Dayane

Leia mais

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem da Criança de 0 a 5 anos Docente do Curso Gilza Maria Zauhy Garms Total da Carga

Leia mais

ORIENTADOR EDUCACIONAL

ORIENTADOR EDUCACIONAL ORIENTADOR EDUCACIONAL 01. A discussão sobre a Organização do Trabalho na Escola permitiu que fosse determinada uma das atribuições inerentes à Orientação Educacional que é: (A) organizar as turmas homogêneas,

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO Secretaria de Estado da Educação Estado do Paraná Núcleo Regional de Educação de União da Vitória COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio Rua Presidente Kennedy, 200 Fone: (42) 3552

Leia mais

Metodologia e Prática de Ensino de Ciências Sociais

Metodologia e Prática de Ensino de Ciências Sociais Metodologia e Prática de Ensino de Ciências Sociais Metodologia I nvestigativa Escolha de uma situação inicial: Adequado ao plano de trabalho geral; Caráter produtivo (questionamentos); Recursos (materiais/

Leia mais

EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1

EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1 EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1 Claudemir Monteiro Lima Secretária de Educação do Estado de São Paulo claudemirmonteiro@terra.com.br João

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Diretoria de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e Tecnologias para a Educação Básica Coordenação Geral de Materiais Didáticos PARA NÃO ESQUECER:

Leia mais

CURSO: LICENCIATURA DA MATEMÁTICA DISCIPLINA: PRÁTICA DE ENSINO 4

CURSO: LICENCIATURA DA MATEMÁTICA DISCIPLINA: PRÁTICA DE ENSINO 4 CAMPUS CARAGUATUBA CURSO: LICENCIATURA DA MATEMÁTICA DISCIPLINA: PRÁTICA DE ENSINO 4 PROFESSOR: ANDRESSA MATTOS SALGADO-SAMPAIO ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS PARA A PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO

Leia mais

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS Daniel Silveira 1 Resumo: O objetivo desse trabalho é apresentar alguns aspectos considerados fundamentais para a formação docente, ou

Leia mais

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I GESTÃO DA QUALIDADE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I GESTÃO DA QUALIDADE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 7 EDITAL N o 04/2013 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 8 (oito) questões discursivas, sem

Leia mais

Resenha de livro. Por Camila Munerato 1 Camila Rodrigues dos Santos 2 Eunice Pereira Cardoso 3

Resenha de livro. Por Camila Munerato 1 Camila Rodrigues dos Santos 2 Eunice Pereira Cardoso 3 Resenha de livro Por Camila Munerato 1 Camila Rodrigues dos Santos 2 Eunice Pereira Cardoso 3 A presente resenha do livro de Moretto, (2007) em sua 2 edição tem o intuito de mostrar que a avaliação é um

Leia mais

ANEXO III. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado na Modalidade Educação de Jovens e Adultos. Capítulo I Da admissão

ANEXO III. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado na Modalidade Educação de Jovens e Adultos. Capítulo I Da admissão ANEXO III ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNANBUCANO Resolução nº 031/2010 De 30 de setembro de 2010 Regulamentação da Educação Profissional Técnica

Leia mais

e-mail: simoneperes2@yahoo.com.br 1 CONCEPÇÕES DE CURRÍCULO e-mail: simoneperes2@yahoo.com.br 2 CONVERSANDO SOBRE CURRÍCULO Diferentes concepções Conteúdos e competências Sobre aprendizagens Projetos alternativos

Leia mais

LEI N.º 4.013 de 17 de dezembro de 2010.

LEI N.º 4.013 de 17 de dezembro de 2010. LEI N.º 4.013 de 17 de dezembro de 2010. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUGUAIANA: Cria Cargos de Professor para os Níveis da Educação Infantil e do Ensino Fundamental, de provimento efetivo, no Quadro de Pessoal

Leia mais

A EPISTEMOLOGIA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

A EPISTEMOLOGIA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL A EPISTEMOLOGIA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL Nilson Duarte Rocha 1 Lúcio Jorge Hammes 2 Resumo Este artigo apresenta a epistemológica para a efetivação de uma educação ambiental transformadora do sujeito-aluno

Leia mais

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA Conceito: PROJETO: -Proposta -Plano; Intento -Empreendimento -Plano Geral de Construção -Redação provisória de lei; Estatuto Referência:Minidicionário - Soares Amora

Leia mais

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001 ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA: EDUCAÇÃO FÍSICA (Portaria de Reconhecimento nº 428 de 28 de julho de 2014) E PEDAGOGIA (Portaria de Reconhecimento nº 286 de 21 de dezembro de 2012) ORIENTAÇÕES

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Médio Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Área de conhecimento: CIENCIAS DA NATUREZA, MATEMATICA E SUAS TECNOLOGIAS Componente Curricular:

Leia mais

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA Conceito: PROJETO: -Proposta -Plano; Intento -Empreendimento -Plano Geral de Construção -Redação provisória de lei; Estatuto Referência:Minidicionário - Soares Amora

Leia mais

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 É comum hoje entre os educadores o desejo de, através da ação docente, contribuir para a construção

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Alfabetização Carga Horária Semestral: 80 horas Semestre do Curso: 5º 1 - Ementa (sumário, resumo) História

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DOS CAMPOS EDITAL DE RETIFICAÇÃO- II

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DOS CAMPOS EDITAL DE RETIFICAÇÃO- II PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DOS CAMPOS EDITAL DE RETIFICAÇÃO- II O Prefeito do Município de São Gonçalo dos Campos, Estado da Bahia, no uso de suas atribuições legais, retifica o Edital 001/2014

Leia mais

NÍVEL FUNDAMENTAL Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE

NÍVEL FUNDAMENTAL Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ESTADO DO PARÁ MUNICÍPIO DE CURUÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE CURUÁ - CONCURSO PÚBLICO - Edital N.º 001/2009 REALIZAÇÃO DA PROVA OBJETIVA: 23 de Agosto de 2009 NÍVEL FUNDAMENTAL Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE

Leia mais

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS 1 FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS MAURICIO SEBASTIÃO DE BARROS 1 RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar as atuais

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MUNICIPAL PROJETO DE INCENTIVO A LEITURA BIBLIOTECA ITINERANTE

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MUNICIPAL PROJETO DE INCENTIVO A LEITURA BIBLIOTECA ITINERANTE SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MUNICIPAL PROJETO DE INCENTIVO A LEITURA BIBLIOTECA ITINERANTE 1. APRESENTAÇÃO Este Projeto de Incentivo a Leitura "Minha Escola Lê", será desenvolvido nas unidades escolares que

Leia mais

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS Dificuldades de Palestra EF e EM Todas Conscientizar sobre as dificuldades de aprendizagem aprendizagem que podem ser manifestadas pelos alunos numa sala de aula e sugerir ações de encaminhamento, conforme

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. OBJETO DE AVALIAÇÃO

1. INTRODUÇÃO 2. OBJETO DE AVALIAÇÃO INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 6-A/2015 de 5 de março Disciplina: INGLÊS Código: 06 Tipo de Prova: ESCRITA E ORAL (Língua Estrangeira I, Nível

Leia mais

A Educação Inclusiva, realidade ou utopia?

A Educação Inclusiva, realidade ou utopia? A Educação Inclusiva, realidade ou utopia? Gloria Contenças Marques de Arruda (Escola Municipal Luiz de Lemos) Baseado em informações dos conteúdos estudados, Michels (2006) diz que "[...] as reformas

Leia mais

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml Projeto de formação de professores em Matemática Um projeto exclusivo

Leia mais

Primeiro Segmento equivalente à alfabetização e às quatro primeiras séries do Ensino Fundamental (1ª à 4ª série).

Primeiro Segmento equivalente à alfabetização e às quatro primeiras séries do Ensino Fundamental (1ª à 4ª série). INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A EJA 1- Você se matriculou em um CURSO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA). Esse curso tem a equivalência do Ensino Fundamental. As pessoas que estudam na EJA procuram um curso

Leia mais

ASSISTENTE EM ADMINISTRAÇÃO

ASSISTENTE EM ADMINISTRAÇÃO 3 CEFET LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com o enunciado das 40 (quarenta) questões objetivas, sem repetição ou

Leia mais

GESTÃO DA SALA DE AULA: NOVOS CONTEXTOS, NOVAS DIFICULDADES, GRANDES DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Profa. Aureli Martins Sartori de Toledo Setembro/2012

GESTÃO DA SALA DE AULA: NOVOS CONTEXTOS, NOVAS DIFICULDADES, GRANDES DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Profa. Aureli Martins Sartori de Toledo Setembro/2012 GESTÃO DA SALA DE AULA: NOVOS CONTEXTOS, NOVAS DIFICULDADES, GRANDES DESAFIOS E POSSIBILIDADES Profa. Aureli Martins Sartori de Toledo Setembro/2012 A palestra em algumas palavras... Provocações... reflexões...leitura

Leia mais

Enquete para Pais ou Responsáveis

Enquete para Pais ou Responsáveis MEXT Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia do Japão Avaliação Nacional do Desempenho Escolar e Condições do Aprendizado em 2013 Pesquisa detalhada Enquete para Pais ou Responsáveis

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE: O PAPEL DA EQUIPE PEDAGÓGICA E A INTERLOCUÇÃO COM O PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DOCENTE: O PAPEL DA EQUIPE PEDAGÓGICA E A INTERLOCUÇÃO COM O PROFESSOR PLANO DE TRABALHO DOCENTE: O PAPEL DA EQUIPE PEDAGÓGICA E A INTERLOCUÇÃO COM O PROFESSOR P L A N E J A M E N T O Projeto PolíticoPedagógico Proposta Pedagógica curricular Plano de Trabalho Docente Plano

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COLÉGIO PEDRO II DIRETORIA-GERAL SECRETARIA DE ENSINO EXAME DE SELEÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CANDIDATOS PROVA DE MATEMÁTICA 2009

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COLÉGIO PEDRO II DIRETORIA-GERAL SECRETARIA DE ENSINO EXAME DE SELEÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CANDIDATOS PROVA DE MATEMÁTICA 2009 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COLÉGIO PEDRO II DIRETORIA-GERAL SECRETARIA DE ENSINO EXAME DE SELEÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CANDIDATOS À MATRÍCULA NA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO REGULAR DIURNO PROVA DE MATEMÁTICA 2009

Leia mais

O uso de Objetos de Aprendizagem como recurso de apoio às dificuldades na alfabetização

O uso de Objetos de Aprendizagem como recurso de apoio às dificuldades na alfabetização O uso de Objetos de Aprendizagem como recurso de apoio às dificuldades na alfabetização Juliana Ferreira Universidade Estadual Paulista UNESP- Araraquara E-mail: juliana.ferreiraae@gmail.com Silvio Henrique

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Médio Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Área de conhecimento: Ciências da Natureza e suas Tecnologias. Componente Curricular: BIOLOGIA Série:

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 2013

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 2013 NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 2013 Jaciara-MT 2013 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO FORMATO Os trabalhos acadêmicos devem ser em conformidade com os apontamentos a seguir. Papel branco, Formato A4 (21

Leia mais

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias novembro/2011 página 1 CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Elba Siqueira de Sá Barretto: Os cursos de Pedagogia costumam ser muito genéricos e falta-lhes um

Leia mais

ABCEducatio entrevista Sílvio Bock

ABCEducatio entrevista Sílvio Bock ABCEducatio entrevista Sílvio Bock Escolher uma profissão é fazer um projeto de futuro A entrada do segundo semestre sempre é marcada por uma grande preocupação para todos os alunos que estão terminando

Leia mais

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER

Leia mais

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior.

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Josimar de Aparecido Vieira Nas últimas décadas, a educação superior brasileira teve um expressivo

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL ALVES, Ana Paula PUCPR SAHEB, Daniele PUCPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: não contou com financiamento Resumo

Leia mais

No final desse período, o discurso por uma sociedade moderna leva a elite a simpatizar com os movimentos da escola nova.

No final desse período, o discurso por uma sociedade moderna leva a elite a simpatizar com os movimentos da escola nova. 12. As concepções de educação infantil Conforme OLIVEIRA, a educação infantil no Brasil, historicamente, foi semelhante a outros países. No Séc. XIX tiveram iniciativas isoladas de proteção à infância

Leia mais