EXPRESS ENTRY O PROCESSO DE IMIGRAÇÃO CANADENSE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXPRESS ENTRY O PROCESSO DE IMIGRAÇÃO CANADENSE"

Transcrição

1 1

2 EXPRESS ENTRY O SISTEMA DE IMIGRAÇÃO CANADENSE 1ª EDIÇÃO 2015 IMMI CANADA CONCEPÇÃO DO PROJETO E COORDENAÇÃO GERAL TRADUÇÃO E COLABORAÇÃO DE TEXTOS CAPA E DIAGRAMAÇÃO CELINA HUI DEBORAH CALAZANS FELIPE REINICKE 2

3 ÍNDICE INTRODUÇÃO COMO FUNCIONA SISTEMA DE PONTUAÇÃO IDADE NÍVEL DE ESCOLARIDADE PROFICIÊNCIA NO IDIOMA EXPERIÊNCIA DE TRABALHO NO CANADÁ A MAIOR PONTUAÇÃO SISTEMA DE PONTUAÇÃO PARTE I CARACTERÍSTICAS E HABILIDADES PRINCIPAIS/ESSENCIAIS PARTE II FATORES PARA O ACOMPANHAMENTO DO CÔNJUGE OU PARCEIRO(A) EM UNIÃO ESTÁVEL PARTE III HABILIDADES A SEREM TRANSFERIDA A COMPROVAÇÃO FINANCEIRA FONTES

4 INTRODUÇÃO Em vigor desde 01 de Janeiro de 2015, o sistema gerencia as submissões dos processos de imigração para os programas Federal Skilled Worker Class, Federal Skilled Trades Class e Canadian Experience Class, cujas aplicações ainda recebidas antes da data acima mencionada estão sendo processadas de acordo com as leis antigas pelo governo canadense. O Express Entry surgiu como um facilitador para a nomeação de candidatos pelos programas provinciais. 4

5 COMO FUNCIONA? A novidade é o cadastramento de um perfil online para o candidato que tem como objetivo trabalhar e morar no Canadá aplicando para um dos programas mencionados anteriormente. Nele constarão seus dados pessoais, como nome completo e idade; experiência profissional, relacionando os NOCs dos cargos já ocupados; escolaridade, comprovada por instituição credenciada pelo governo do Canadá se a graduação foi no exterior; nível de fluência em inglês ou francês; intenção de imigrar é sozinho ou com família, mencionando número de dependentes; comprovação de fundos; se possui experiência profissional canadense, se tem parentes morando no país etc. Este cadastro iniciará a expressão de interesse do estrangeiro de imigrar para o Canadá e terá validade de um ano. Se selecionado por empresa, governo ou província, o candidato receberá um convite para aplicar ao processo de imigração e receber a residência permanente. Este convite ficará válido por 60 dias. A partir da confirmação de interesse do estrangeiro frente ao convite, o Ministé- 5

6 rio de cidadania e imigração promete um tempo de processamento de até 6 meses. Estrangeiros cadastrados com ofertas de emprego válida e convites de províncias, terão prioridade no processamento pelo Express Entry. Na eventualidade de não ser convidado ao programa de imigração no prazo de um ano da data de registro da expressão de interesse, o perfil será descontinuado e o candidato deverá submeter a documentação novamente. A escolha pela empresa não significa obrigatoriedade do aceite pelo futuro empregado. Caso não exista acordo ou compatibilidade dos termos e condições de trabalho, o candidato pode recusar a oferta e voltará a ter o tempo restante de validade do perfil online para aguardar nova proposta. Essa recusa, porém deve ser feita em até 60 dias do recebimento do convite ao processo imigratório, caso contrário o perfil perderá o tempo restante de disponibilidade do currículo no sistema Express Entry. A validação de profissões regulamentadas, regrada de acordo com as respectivas províncias do país, faz parte dos documentos cadastrados no perfil e ficará ao critério do empregador a seleção do imigrante sem esta capacitação. SISTEMA DE PONTUAÇÃO Com base nas informações prestadas no seu perfil, o sistema fará sua colocação em um ranking de candidatos à imigração se utilizando a uma pontuação que pode chegar até 1200 pontos, variando conforme os critérios acima. A colocação do interessado poderá determinar se ele será, ou não, convidado à aplicar para o processo de imigração. Divididos em: 1) Características e Habilidades Principais/Essenciais (Idade, Nível de Educa ção e Proficiência no Idioma) 500 pontos para solteiros e 460 para casados ou com União Estável ; 6

7 2) Cônjuge ou Companheiro (União Estável) que o acompanha 40 pontos no máximo; 3) Fatores transferibilidade habilidade 100 pontos no máximo; e 4) Os elementos relativos a uma nomeação provincial ou uma oferta de tra balho 600 pontos no máximo. A contagem de pontos é sutilmente diferente para os interessados que imigrarão sozinhos e aqueles que irão acompanhados de esposo (a) ou parceiro (a) de união estável, mas a soma é justa na influência do total de pontos obtidos. O novo sistema demonstra uma das tendências que o Governo Federal do Canadá há impulsionado nos últimos anos: Que as pessoas com experiência canadense ou com oferta de trabalho, terão oportunidades maiores. Esses detalhes ficarão no sistema Express Entry à disposição de empresas elegíveis à seleção de imigrantes para o mercado de trabalho canadense, bem como do governo do país e programas provinciais, que contam com autonomia para escolher candidatos de acordo com a demanda do mercado local. Outros parâmetros podem ser priorizados conforme a necessidade de contratação da ocupação principal destacada no seu perfil por empresas ou províncias, que selecionarão de acordo com a lista National Occupational Classification (NOC) para Skill Type 0 Management Occupations, Níveís de Habilidade A ou B e as profissões que exigem semi-qualificação (skilled trades). Saiba mais sobre como criar o seu perfil neste link. IDADE O fator idade demonstra outro ponto determinante desta nova etapa da imigração do Canadá. Os candidatos com idade entre 20 e 29 anos receberão maior pontuação pela idade (110 para solteiros e 100 para casados ou com União Estável). Enquanto isso, qualquer pessoa maior de 45 anos não receberá pontos nesta categoria. O que faz esse novo sistema ser um pouco inferior aos parâmetros dos programas para trabalhadores qualificados que estão em vigor atualmente. 7

8 NÍVEL DE ESCOLARIDADE A respeito do nível de escolaridade, o sistema recompensará um máximo de 150 pontos aos que tenham Diploma/Certificado Universitário canadense ou reconhecidos pelas autoridades canadenses. PROFICIÊNCIA NO IDIOMA A comprovação da proficiência em um dos idiomas oficiais e a equivalência de estudos continuam sendo obrigatórias e deverão ser apresentadas no momento do cadastramento do perfil. Sabendo do tempo de processamento desde a criação do perfil até a finalização da emissão do visto de residente permanente, o governo canadense irá considerar o resultado de proficiência será válido por 2 (dois) anos a partir da data de sua emissão, enquanto o relatório da equivalência de diploma valerá por 5 (cinco) anos. Para este fator, uma vez que o candidato coloque o idioma oficial do Canadá como o principal, ele poderá obter até 136 pontos para solteiros e 128 para casados ou com União Estável. Se a pessoa tem um bom conhecimento do segundo idioma oficial do Canadá, podrá somar um máximo de 24 pontos para solteiros e 22 para casados ou com União Estável. EXPERIÊNCIA DE TRABALHO NO CANADÁ Dentro desta categoria, o candidato poderá obter o máximo de 80 pontos quando o aplicante está solteiro e 70 para aqueles que são casados ou em União Estável, se tenham trabalhado mais de cinco anos no Canadá. A MAIOR PONTUAÇÃO A maior quantidade de pontos estará reservada aos que tenham uma nomeação provincial ou uma oferta de trabalho certificada, o qual somará 600 pontos ao perfil e estará na lista de prioridades do sistema. A iniciativa do Ministério de cidadania e imigração do Canadá tem por objetivo reduzir a taxa de desemprego de imigrantes que chegam ao país e tem dificuldade de inserção no mercado de trabalho. 8

9 O SISTEMA DE PONTUAÇÃO PARTE I CARACTERÍSTICAS E HABILIDADES PRINCIPAIS/ESSENCIAIS (IDADE, NÍVEL DE EDUDAÇÃO E PROFICIÊNCIA NO IDIOMA) Como divulgado, o Express Entry é baseado em um sistema de pontuação, dividido em: 1) Características e Habilidades Principais/Essenciais (Idade, Nível de Edudação e Proficiência no Idioma) 500 pontos para solteiros e 460 para casados ou com União Estável ; 2) Cônjuge ou Companheiro (União Estável) que o acompanha 40 pontos no máximo; 3) Fatores transferibilidade habilidade (Habilidades a serem transferidas) 100 pontos no máximo; e 4) Os elementos relativos a uma nomeação provincial ou uma oferta de trabalho 600 pontos no máximo. 9

10 Vale ressaltar que o Sistema de Pontuação é sempre dividido em: Aplicantes que NÃO possuem cônjuge ou parceiro em União Estável e Aplicantes que SIM possuem cônjuge ou parceiro em União Estável. Esta parte do E-Book se dedica à categoria: Características e Habilidades Principais/Essenciais. CARACTERÍSTICAS E HABILIDADES PRINCIPAIS/ESSENCIAIS As principais Características e Habilidades Principais/Essenciais são as seguintes: 1. idade; 2. nível de educação; 3. proficiência na língua oficial; e 4. experiência de trabalho canadense. 1. IDADE (1) Os pontos que serão atribuídos ao fator idade são os seguintes: (a) Para um estrangeiro que não tem cônjuge ou da companheiro (União Estável) como acompanhante: (i) 0 pontos, se o estrangeiro possui 17 anos de idade ou menos, (ii) 99 pontos, se o estrangeiro possui 18 anos de idade, (iii) 105 pontos, se o estrangeiro possui 19 anos de idade, (iv) 110 pontos, se o estrangeiro possui 20 a 29 anos de idade, (v) 105 pontos, se o estrangeiro possui 30 anos de idade, (vi) 99 pontos, se o estrangeiro possui 31 anos de idade, (vii) 94 pontos, se o estrangeiro possui 32 anos de idade, (viii) 88 pontos, se o estrangeiro possui 33 anos de idade, (ix) 83 pontos, se o estrangeiro possui 34 anos de idade, (x) 77 pontos, se o estrangeiro possui 35 anos de idade, (xi) 72 pontos, se o estrangeiro possui 36 anos de idade, 10

11 (xii) 66 pontos, se o estrangeiro possui 37 anos de idade, (xiii) 61 pontos, se o estrangeiro possui e 38 anos de idade, (xiv) 55 pontos, se o estrangeiro possui 39 anos de idade, (xv) 50 pontos, se o estrangeiro possui 40 anos de idade, (xvi) 39 pontos, se o estrangeiro possui 41 anos de idade, (xvii) 28 pontos, se o estrangeiro possui 42 anos de idade, (xviii) 17 pontos, se o estrangeiro possui 43 anos de idade, (xix) 6 pontos, se o estrangeiro possui 44 anos de idade, e (xx) 0 pontos, se o estrangeiro possui 45 anos de idade ou mais; e (b) Para um cidadão estrangeiro que tem um cônjuge ou companheiro (União Estável) como acompanhante: (i) 0 pontos, se o estrangeiro possui 17 anos de idade ou menos, (ii) 90 pontos, se o estrangeiro possui 18 anos de idade, (iii) 95 pontos, se o estrangeiro possui 19 anos de idade, (iv) 100 pontos, se o estrangeiro possui 20 a 29 anos de idade, (v) 95 pontos, se o estrangeiro possui 30 anos de idade, (vi) 90 pontos, se o estrangeiro possui 31 anos de idade, (vii) 85 pontos, se o estrangeiro possui 32 anos de idade, (viii) 80 pontos, se o estrangeiro possui 33 anos de idade, (ix) 75 pontos, se o estrangeiro possui 34 anos de idade, (x) 70 pontos, se o estrangeiro possui 35 anos de idade, (xi) 65 pontos, se o estrangeiro possui 36 anos de idade, (xii) 60 pontos, se o estrangeiro possui 37 anos de idade, (xiii) 55 pontos, se o estrangeiro possui 38 anos de idade, (xiv) 50 pontos, se o estrangeiro possui 39 anos de idade, (xv) 45 pontos, se o estrangeiro possui 40 anos de idade, (xvi) 35 pontos, se o estrangeiro possui 41 anos de idade, (xvii) 25 pontos, se o estrangeiro possui 42 anos de idade, (xviii) 15 pontos, se o estrangeiro possui 43 anos de idade, (xix) 5 pontos, se o estrangeiro possui 44 anos de idade, e (xx) 0 pontos, se o estrangeiro possui 45 anos de idade ou mais. 11

12 O número máximo de pontos que podem ser atribuídos sob: (a) O parágrafo 1(a) é de 110 pontos; e (b) O parágrafo 1(b) é de 100 pontos. 2. NÍVEL EDUCACIONAL (1) Os pontos que serão atribuídos para ao fator de nível educacional são os seguintes: (a) Para um estrangeiro que não tem cônjuge ou companheiro (União Estável) como acompanhante: (i) 0 pontos, se o estrangeiro tem menos de uma credencial de ensino secundário, (ii) 30 pontos, se o estrangeiro tem uma credencial de ensino secundário, (iii) 90 pontos, se o estrangeiro tem um ano de credencial programa de pós-secundário, (iv) 98 pontos, se o estrangeiro tem uma credencial de dois anos do programa de póssecundário, (v) 120 pontos, se o estrangeiro tem uma credencial programa de pós-secundários de três anos ou mais, (vi) 128 pontos, se o estrangeiro tem duas ou mais pós-secundário credenciais do programa e pelo menos um deles foi emitido após a conclusão de um programa de pós-secundários de três anos ou mais, (vii) 135 pontos, se o estrangeiro tem uma credencial de nível universitário em nível de mestrado ou ao nível de um diploma profissional de entrada para a prática de uma atividade profissional listadas na matriz nacional de classificação ocupacional (NOC) a nível de habilidade A para o qual licenciamento por um órgão regulador provincial é necessária, e (viii) a 150 pontos, se o estrangeiro tem uma credencial de nível universitário em nível de doutorado; e (b) para um cidadão estrangeiro que tem um cônjuge ou companheiro (União Estável) como acompanhante: (i) 0 pontos, se o estrangeiro tem menos de uma credencial de ensino secundário, (ii) 28 pontos, se o estrangeiro tem uma credencial de ensino secundário, (iii) 84 pontos, se o estrangeiro tem um ano de credencial programa de pós- 12

13 secundário, (iv) 91 pontos, se o estrangeiro tem uma credencial de dois anos do programa de pós-secundário, (v) 112 pontos, se o estrangeiro tem uma credencial programa de pós-secundários de três anos ou mais, (vi) 119 pontos, se o estrangeiro tem duas ou mais pós-secundário credenciais do programa e pelo menos um deles foi emitido após a conclusão de um programa de pós-secundários de três anos ou mais, (vii) 126 pontos, se o estrangeiro tem uma credencial de nível universitário em nível de mestrado ou um diploma profissional de entrada para a prática de uma atividade profissional listadas na matriz nacional de classificação ocupacional (NOC) a nível de habilidade A para que o licenciamento por um provincial regulamentar corpo é exigir, e (viii) 140 pontos, se o estrangeiro tem uma credencial de nível universitário em nível de doutorado. CREDENCIAIS EDUCACIONAIS Para que um estrangeiro tenha os pontos serem atribuídos: (a) Suas credenciais educacionais devem ser credenciais educacionais canadenses; ou (b) Eles devem ter uma avaliação de diplomas de equivalência educativa válida no que diz respeito as suas credenciais de ensino estrangeiras emitidas por uma organização ou instituição designada. O MÁXIMO DE PONTOS O número máximo de pontos que podem ser atribuídos sob: (a) O parágrafo (1)(a) é de 150 pontos; e (b) O parágrafo (1)(b) 140 pontos. PRAZO DE VALIDADE DA AVALIAÇÃO A avaliação que se refere o parágrafo, será considerada válida por um período de cinco anos a partir da data em que foi emitida. 13

14 3. PROFICIÊNCIA NA LÍNGUA OFICIAL (1) Os pontos que serão atribuídos ao fator de proficiência na língua oficial referida no parágrafo, constituída por pontos para a proficiência de um estrangeiro em sua primeira língua oficial e pontos para a sua proficiência em seu segundo idioma oficial: PRIMEIRA E SEGUNDA LÍNGUAS OFICIAIS Para serem atribuídos pontos, o cidadão estrangeiro: (a) Deverá especificar qual a língua oficial é para ser considerada sua primeira língua oficial e qual deverá ser considerada a segunda língua oficial; e (b) Deve ter a sua proficiência em suas primeira e segunda línguas oficiais avaliadas por uma organização ou instituição designada. PRAZO DE VALIDADE DA AVALIAÇÃO Para tais fins, a avaliação que se refere o parágrafo, será considerado válida por um período de dois anos a partir da data em que foi emitida. BASE PARA A ATRIBUIÇÃO DE PONTOS Os pontos que são atribuídos para a proficiência no idioma Inglês devem basear- -se nos resultados, avaliados de acordo com os critérios estabelecidos no Canadian Language Benchmarks e os pontos que são atribuídos para a proficiência em língua francesa estão a basear-se na resultados avaliados de acordo com os critérios estabelecidos no Niveaux de compétence linguistique canadiens. PROFICIÊNCIA PRIMEIRA LÍNGUA OFICIAL (1) Os pontos que serão atribuídos para a proficiência em cada uma das áreas de habilidades de idioma na primeira língua oficial de um estrangeiro, de acordo com o seu nível de referência, avaliada em que a linguagem sob o Canadian Language Benchmarks ou o Niveaux de compétence linguistique canadiens, são os seguintes: 14

15 (a) Para um estrangeiro que não tem cônjuge ou companheiro (União Estável) como acompanhante: (i) 0 pontos para serem avaliados em nível 4 ou abaixo, (ii) 6 pontos para ser avaliado em nível 4 ou 5, (iii) 9 pontos para ser avaliado em nível 6, (iv) 17 pontos para ser avaliado em nível 7, (v) 23 pontos para ser avaliado em nível 8, (vi) 31 pontos para ser avaliado em nível 9, e (vii) 34 pontos para ser avaliado em nível 10 ou superior; e (b) para um cidadão estrangeiro que tem um cônjuge ou companheiro (União Estável) como acompanhante: (i) 0 pontos para serem avaliados em nível 4 ou menos, (ii) 6 pontos para ser avaliado em nível 4 ou 5, (iii) 8 pontos para ser avaliado em nível 6, (iv) 16 pontos para ser avaliada em nível 7, (v) 22 pontos para ser avaliado em nível 8, (vi) 29 pontos para ser avaliado em nível 9, e (vii) 32 pontos para ser avaliado em nível 10 ou superior. O máximo de pontos para cada área de conhecimento do idioma O número máximo de pontos que podem ser atribuídos para cada uma das áreas de habilidades língua sob: (a) O parágrafo (1) (a) é de 34 pontos; e (b) O parágrafo (1) (b) é de 32 pontos. Máximo de pontos para primeira língua oficial O número máximo de pontos que podem ser atribuídos para todas as áreas de habilidades linguísticas, consideradas em conjunto, na primeira língua oficial do estrangeiro sob: (a) parágrafo (1) (a) é de 136 pontos; e (b) parágrafo (1) (b) é de 128 pontos. 15

16 PROFICIÊNCIA SEGUNDA LÍNGUA OFICIAL (1) Os pontos que serão atribuídos para a proficiência em cada uma das áreas de habilidades linguisticas na segunda língua oficial de um cidadão estrangeiro, de acordo com o seu nível de referência, avaliada em que a linguagem sob a Canadian Language Benchmarks ou o Niveaux de compétence linguistique canadiens, são os seguintes: (a) para um estrangeiro que não tem cônjuge ou companheiro (União Estável) como acompanhante: (i) 0 pontos para ser avaliado em nível 4 ou menos, (ii) 1 ponto para ser avaliado em nível 5 ou 6, (iii) 3 pontos para ser avaliada em nível 7 ou 8, e (iv) 6 pontos para ser avaliado em nível 9 ou superior; (b) para um cidadão estrangeiro que tem um cônjuge ou companheiro (União Estável) como acompanhante: (i) 0 pontos para ser avaliado em nível 4 ou menos, (ii) 1 ponto para ser avaliado em nível 5 ou 6, (iii) 3 pontos para ser avaliada em nível 7 ou 8, e (iv) 6 pontos para serem avaliadas em nível 9 ou superior. O máximo de pontos para cada área de conhecimento do idioma O número máximo de pontos que podem ser atribuídos para cada uma das áreas de habilidades língua nos termos do parágrafo (1) (a) ou (b) é de 6 pontos. Máximo de pontos para segunda língua oficial O número máximo de pontos que podem ser atribuídos para todas as áreas de habilidades linguísticas, consideradas em conjunto, na segunda língua oficial do estrangeiro sob: (a) parágrafo (1) (a) é de 24 pontos; e (b) parágrafo (1) (b) é de 22 pontos. 16

17 4. EXPERIÊNCIA DE TRABALHO CANADENSE (1) Os pontos que serão atribuídos aos fatores de experiência de trabalho Canadense são os seguintes: (a) Para um estrangeiro que não tem cônjuge ou companheiro (União Estável) como acompanhante: (i) 0 pontos, para nenhuma experiência de trabalho Canadense, ou experiência inferior a um ano, (ii) 40 pontos, para um ano de experiência de trabalho Canadense, (iii) 53 pontos, para dois anos de experiência de trabalho Canadense, (iv) 64 pontos, para três anos de experiência de trabalho Canadense, (v) 72 pontos, para quatro anos de experiência de trabalho Canadense, e (vi) 80 pontos, para cinco ou mais anos de experiência de trabalho Canadense; e (b) para um cidadão estrangeiro que tem um cônjuge ou companheiro (União Estável) como acompanhante: (i) 0 pontos, para nenhuma experiência de trabalho Canadense, ou experiência inferior a um ano, (ii) 35 pontos, para um ano de experiência de trabalho Canadense, (iii) 46 pontos, para dois anos de experiência de trabalho Canadense, (iv) 56 pontos, para três anos de experiência de trabalho Canadense, (v) 63 pontos, para quatro anos de experiência de trabalho Canadense, e (vi) 70 pontos, para cinco ou mais anos de experiência de trabalho Canadense. PONTUAÇÃO MÁXIMA O número máximo de pontos que podem ser atribuídos ao (a) parágrafo (1) (a) é 80 pontos; e (b) parágrafo (1) (b) é 70 pontos. 17

18 PARA OS PROPÓSITOS DESSA SEÇÃO, EXPERIÊNCIA DE TRABALHO CANADENSE, É A EXPERIÊNCIA DE TRABALHO QUE: (a) é adquirida por um estrangeiro no Canada em uma ou mais ocupações listadas em Skill Type 0 Management Occupations ou Skill Level A ou B da National Occupational Classification (NOC); (b) consiste da experiência de trabalho em tempo integral continua ou da experiência de trabalho parcial equivalente à integral; e (c) é adquirida no período de 10 anos antecedente ao dia que os pontos são atribuídos ao estrangeiro. REQUERIMENTOS No intuito de ter pontos atribuídos dentro da categoria para a experiência de traballho Canadense, o estrangeiro: (a) deve especificar na expressão do seu interesse o código de quatro dígitos do National Occupation Classification que corresponde à cada ocupação que eles exerceram enquanto adquiriam a experiência de trabalho Canadense. (b) necessitam ter realizado as ações descritas nos critérios estabelecidos para as ocupações no National Occupational Classification, assim como um número substancial de atividades principais, incluíndo as atividades essenciais, como estabelecido no National Occupational Classification. TRABALHO INTEGRAL Para os propósitos dessa seção, trabalho integral consiste no trabalho por pelo menos 30 horas semanais. TRABALHO EM EXCESSO Para os propósitos dessa seção, o período de experiência de trabalho que exceder o período de trabalho integral em uma ocupação, ou em períodos de experiência de trabalho simultâneos em mais de uma ocupação integral, serão avaliados como um único período de experiência de trabalho integral em uma única ocupação. 18

19 EXPERIÊNCIA DE TRABALHO Para os propósitos dessa seção: (a) um período de trabalho no qual o estrangeiro estava comprometido aos estudos em tempo integral não serão incluídos nos cálculos do período da experiência de trabalho; (b) um período de trabalho autônomo ou trabalho não autorizado não será incluído no cálculo da experiência de trabalho; (c) o estrangeiro deve ter tido status de residente temporário durante o período de experiência de trabalho e qualquer período de estudo integral ou treinamento; e (d) o período integral equivalente ao período parcial de experiência de trabalho é de 30 horas de trabalho semanais. 19

20 O SISTEMA DE PONTUAÇÃO PARTE II FATORES PARA O ACOMPANHAMENTO DO CÔNJUGE OU PARCEIRO(A) EM UNIÃO ESTÁVEL Os fatores para o acompanhamento do cônjuge ou parceiro (a) em união estável são os seguintes: 1. nível de educação 2. proficiência da língua official; e 3. experiência de trabalho Canadense. 1. NÍVEL DE EDUCAÇÃO (1) Os pontos que serão atribuídos ao estrangeiro para os fatores de nível de educação são os seguintes: 20

21 (a) 0 pontos, se seu/sua cônjuge ou parceiro(a) de união estável tenha formação inferior ao ensino médio; (b) 2 points, se seu/sua cônjuge ou parceiro(a) de união estável tenha formação no ensino médio; (c) 6 pontos, se seu/sua cônjuge ou parceiro(a) de união estável tenha formação em um curso superior de um ano; (d) 7 pontos, se seu/sua cônjuge ou parceiro(a) de união estável tenha formação em um curso superior de dois anos; (e) 8 pontos, se seu/sua cônjuge ou parceiro(a) de união estável tenha formação em um curso superior de três anos ou mais; (f) 9 pontos, se seu/sua cônjuge ou parceiro(a) de união estável tenha formação em dois ou mais cursos superiores e pelo menos um deles tenha sido adquirido no término de um curso superior de três anos ou mais; (g) 10 pontos, se seu/sua cônjuge ou parceiro(a) de união estável tenha formação superior à nível de mestrado ou em um programa profissionalizante para uma ocupação listada na matriz do National Occupational Classification como Skill Level A no qual uma licença é exigida pelo órgão provincial regulatório. (h) 10 pontos, se seu/sua cônjuge ou parceiro(a) de união estável tenha formação superior à nível de doutorado. NÍVEL MAIS ALTO DE EDUCAÇÃO Pontos serão atribuídos à subdivisão (1) para o nível mais alto adquirido pelo cônjuge ou parceiro de união estável. FORMAÇÃO EDUCACIONAL Para que os pontos sejam atribuídos ao estrangeiro sob a subdivisão (1) para formação superior de seu/sua cônjuge ou parceiro (a) de união estável: 21

22 (a) A formação educacional do/da cônjuge ou parceiro (a) de união estável deverá ser adquirida no Canadá; ou (b) O/A cônjuge ou parceiro(a) de união estável deverá ter uma avaliação de equivalência da formação educacional válida, no que diz respeito à formação educacional estrangeira emitida por uma instituição designada. PERÍODO DE VALIDADE DA AVALIAÇÃO A avaliação referente ao parágrafo é considerada válida por um período de 5 anos a partir de sua data de emissão. PONTUAÇÃO MÁXIMA O número máximo de pontos a serem atribuídos sob esta subdivisão são de 10 pontos. 2. FATOR DE PROFICIÊNCIA NA LÍNGUA OFICIAL (1)Os pontos que são atribuídos a um cidadão estrangeiro para o fator de proficiência na língua oficial, devem basear-se na proficiência na língua do seu cônjuge ou parceiro de União Estável em sua primeira língua oficial. PRIMEIRA LÍNGUA OFICIAL (2)Para que os pontos sejam atribuídos a um estrangeiro para a proficiência na língua oficial do seu cônjuge ou parceiro de União Estável: (a) O estrangeiro deve especificar qual a língua oficial é a considerada a primeira língua oficial desse parceiro cônjuge ou de direito comum; e (b) Que o cônjuge ou parceiro da lei comum deve ter a sua proficiência no idioma avaliada por uma organização ou instituição designada. BASE PARA A ATRIBUIÇÃO DE PONTOS (3) Os pontos atribuídos para a proficiência no idioma Inglês devem basear-se nos resultados, avaliados de acordo com os critérios estabelecidos no Canadian 22

23 Language Benchmarks e os pontos atribuídos para a proficiência em língua francesa estão a ser com base nos resultados avaliados de acordo com os critérios estabelecidos nas Niveaux de compétence linguistique canadiens. PROFICIÊNCIA PRIMEIRA LÍNGUA OFICIAL (4) Os pontos que estão a ser atribuído a um estrangeiro para a proficiência de seu cônjuge ou de direito comum em cada uma das áreas de habilidades de idioma na primeira língua oficial do cônjuge ou da lei comum acompanhante, de acordo com o seu nível de referência, avaliada com base nos resultados avaliados de acordo com os critérios estabelecidos nas Niveaux de compétence linguistique canadiens, são os seguintes: (a) 0 pontos para ser avaliado em nível 4 ou inferior; (b) 1 ponto para ser avaliado em nível 5 ou 6; (c) 3 pontos para ser avaliada em nível 7 ou 8; e (d) 5 pontos para ser avaliado em nível 9 ou superior. O MÁXIMO DE PONTOS PARA CADA ÁREA DE CONHECIMENTO DO IDIOMA (5) O número máximo de pontos que podem ser atribuídos para cada uma das áreas de competências linguísticas é de 5 pontos. MÁXIMO DE PONTOS PARA TODAS AS ÁREAS DE HABILIDADES LÍNGUA (6) O número máximo de pontos que podem ser atribuídos para todas as áreas de habilidades de linguagem, no seu conjunto, é de 20 pontos. EXPERIÊNCIA DE TRABALHO CANADENSE (1) Os pontos que serão atribuídos aos fatores de experiência de trabalho Canadense a respeito desta categoria são os seguintes: (a) 0 pontos, se o seu cônjuge ou parceiro de União estável não tem nenhuma experiência de trabalho canadense ou inferior a um ano de tal experiência; 23

24 (b) 5 pontos, se o seu c cônjuge ou parceiro de União estável tem um ano de experiência de trabalho no Canadá; (c) 7 pontos, se seu c cônjuge ou parceiro de União estável tem dois anos de experiência de trabalho canadense; (d) 8 pontos, se seu cônjuge ou parceiro de União estável tem três anos de experiência de trabalho canadense; (e) 9 pontos, se seu cônjuge ou parceiro de União estável tem quatro anos de experiência de trabalho canadense; e (f) 10 pontos, se seu cônjuge ou parceiro de União estável tem cinco ou mais anos de experiência de trabalho canadense. O MÁXIMO DE PONTOS (2) O número máximo de pontos que podem ser atribuídos ao abrigo da subsecção (1) é de 10 pontos. TRABALHO INTEGRAL (3) Os pontos para o fator de experiência de trabalho canadense, devem basear-se no número de anos de trabalho em tempo integral ou equivalente para o emprego a tempo parcial cônjuge ou parceiro de União estável por um ou mais empregadores. EXPERIÊNCIA DE TRABALHO CANADENSE (4) Para efeitos da presente secção, a experiência de trabalho canadense é experiência de trabalho que: (a) é adquirido pelo cônjuge ou parceiro de União estável do cidadão estrangeiro no Canadá, em uma ou mais ocupações listadas Habilidade Tipo 0 Ocupações Gestão ou Nível A ou B da matriz Classificação Nacional Ocupacional (NOC); (b) consiste de experiência de trabalho em tempo integral contínua ou o equivalente a tempo integral para a experiência de trabalho a tempo parcial; e 24

25 (c) é adquirido dentro do período de 10 anos anterior ao dia em que os pontos são atribuídos ao cidadão estrangeiro sob a subseção (1). REQUERIMENTOS (5)No intuito de ter pontos atribuídos dentro da categoria para a experiência de traballho Canadense de seu cônjuge ou parceiro de União estável: (a) o estrangeiro deve especificar na sua manifestação de interesse do código de quatro dígitos na Classificação Nacional de Profissões (NOC) que corresponde a cada uma das ocupações que o cônjuge ou parceiro de União estável tenha participado em ao acumular a sua experiência de trabalho canadense; e (b) o cônjuge ou parceiro de União estável deve ter executado as ações descritas na declaração de liderança para a ocupação, tal como estabelecido nas descrições profissionais da Classificação Nacional Ocupacional (NOC), bem como um número substancial das principais funções, incluindo todos os essenciais funções, tal como previsto na Classificação Nacional de Profissões. TRABALHO A TEMPO INTEGRAL (6)Para os propósitos dessa seção, trabalho integral consiste no trabalho por pelo menos 30 horas semanais. TRABALHO EM EXCESSO (7)Para os propósitos dessa seção, o período de experiência de trabalho que exceder o período de trabalho integral em uma ocupação, ou em períodos de experiência de trabalho simultâneos em mais de uma ocupação integral, serão avaliados como um único período de experiência de trabalho integral em uma única ocupação. 25

VALIDAÇÃO DE DIPLOMA PARA O PROGRAMA EXPRESS ENTRY

VALIDAÇÃO DE DIPLOMA PARA O PROGRAMA EXPRESS ENTRY VALIDAÇÃO DE DIPLOMA PARA O PROGRAMA EXPRESS ENTRY Um passo fundamental e inevitável para quem quer aplicar para os programas de imigração canadenses é a validação dos diplomas de estudos realizados no

Leia mais

SEU PROCESSO DE IMIGRAÇÃO

SEU PROCESSO DE IMIGRAÇÃO SEU PROCESSO DE IMIGRAÇÃO JÁ COMEÇOU! A princípio, o processo de imigração para o Canadá pode parecer complicado. A quantidade de detalhes, formulários e documentos necessários para o processamento de

Leia mais

EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CANADÁ

EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CANADÁ EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CANADÁ Se você tem pesquisado sobre imigração para o Canadá, certamente já leu ou ouviu em vários lugares que estudar no país é uma das melhores formas de aumentar as chances de sucesso

Leia mais

CONSELHOS DE IMIGRAÇÃO PARA OS PROFISSIONAIS

CONSELHOS DE IMIGRAÇÃO PARA OS PROFISSIONAIS CONSELHOS DE IMIGRAÇÃO PARA OS PROFISSIONAIS Obrigado por entrar em contato com Modern Immigration. Em breve, você vai descobrir o caminho para chegar ao Canadá. Este documento é para profissionais: médicos,

Leia mais

CONSELHOS DE IMIGRAÇÃO PARA OS ACADÊMICOS

CONSELHOS DE IMIGRAÇÃO PARA OS ACADÊMICOS CONSELHOS DE IMIGRAÇÃO PARA OS ACADÊMICOS Obrigado por entrar em contato com Modern Immigration. Em breve, você vai descobrir o caminho para chegar ao Canadá. Este documento é para pessoas que querem estudar

Leia mais

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO TÍTULO I - APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 1 TÍTULO II - DOS OBJETIVOS...

Leia mais

VALIDAÇÃO DE DIPLOMAS PROFISSIONAIS NO CANADÁ

VALIDAÇÃO DE DIPLOMAS PROFISSIONAIS NO CANADÁ VALIDAÇÃO DE DIPLOMAS PROFISSIONAIS NO CANADÁ Na hora de emigrar para o Canadá, uma das principais preocupações de profissionais de várias áreas é a necessidade de validação do diploma profissional no

Leia mais

comparações interlaboratoriais propostos pelo MAPA e avaliação do desempenho dos técnicos do laboratório em treinamentos.

comparações interlaboratoriais propostos pelo MAPA e avaliação do desempenho dos técnicos do laboratório em treinamentos. ANEXO CRITÉRIOS PARA CREDENCIAMENTO, RECONHECIMENTO, EXTENSÃO DE ESCOPO E MONITORAMENTO DE LABORATÓRIOS NO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA Art. 1º Os critérios constantes deste

Leia mais

www.cmconsultoria.com.br Cópia por Processo Digital Página 2 de 5

www.cmconsultoria.com.br Cópia por Processo Digital Página 2 de 5 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL Nº 36, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2014 PROCESSO SELETIVO PARA OCUPAÇÃO DE VAGAS DOS CURSOS PRESENCIAIS DE LÍNGUA INGLESA OFERTADOS PELOS NÚCLEOS DE

Leia mais

Estadia: Onde vou morar?

Estadia: Onde vou morar? Estude em Alberta Perguntas frequentes Observação: Esta seção de "Perguntas frequentes" reflete a prática comum em Alberta, no entanto, depois de decidir onde quer estudar, contate o distrito escolar correspondente

Leia mais

PROGRAMA PARA CAMINHONEIROS

PROGRAMA PARA CAMINHONEIROS PROGRAMA PARA CAMINHONEIROS FATOS Há uma grande escassez de motoristas de caminhão no Canadá Os candidatos ideais precisarão ter pelo menos 3 anos de experiência na condução de caminhões profissionais

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO I. COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) 1. A Comissão

Leia mais

1. Escola de Idioma do Vanier College

1. Escola de Idioma do Vanier College Guia de Informações 1. Escola de Idioma do Vanier College 2. Vanier College 3. Instalações e Recursos 4. Montreal 5. Programa de Inglês Intensivo 6. Curriculum 7. Programa Básico de Francês 8. Programa

Leia mais

Os estrangeiros que possuem os seguintes status de permanência, podem trabalhar no Japão. ( )

Os estrangeiros que possuem os seguintes status de permanência, podem trabalhar no Japão. ( ) Introdução O número de estrangeiros que trabalham no Japão está aumentando a cada ano. Entretanto, existe uma preocupação em evitar transtornos causados por contratações feitas através de agências ilegais

Leia mais

II.1 Proficiência em Língua Estrangeira

II.1 Proficiência em Língua Estrangeira Universidade de São Paulo Escola de Artes, Ciências e Humanidades Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Mudança Social e Participação Política I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA

Leia mais

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CONSUN Nº 07/2010 Define e regulamenta o funcionamento dos programas de pós-graduação stricto sensu O Conselho Universitário da Universidade

Leia mais

Online Visa Aplication - Canadá

Online Visa Aplication - Canadá Online Visa Aplication - Canadá Este formulário é uma versão em português das principais informações necessárias para a Solicitação Online de Visto para o Canadá. Essas informações são as disponíveis,

Leia mais

Quais países vocês estão habilitados a avaliarem credenciais? Nós podemos avaliar credenciais acadêmicas de qualquer país do mundo.

Quais países vocês estão habilitados a avaliarem credenciais? Nós podemos avaliar credenciais acadêmicas de qualquer país do mundo. PERGUNTAS FREQUENTES Porque eu deveria escolher Josef Silny & Associates, Inc. para avaliar e traduzir minhas credenciais? Nós oferecemos avaliações e traduções altamente profissionais e compreensíveis,

Leia mais

BOLSA CAPES EMBAIXADA AMERICANA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA

BOLSA CAPES EMBAIXADA AMERICANA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA BOLSA CAPES EMBAIXADA AMERICANA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA Edital nº. 52/2010/CAPES 1. DA APRESENTAÇÃO A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO)

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO) REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO) Portaria CPG-PPGSA 004/2015 de 24 de agosto de 2015. Pág. 1 O presidente do Comitê de Pós-graduação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL DA UFV CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS CAPÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO GERAL

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL DA UFV CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS CAPÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO GERAL REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL DA UFV CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1 0 O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil oferecido pelo Departamento de Engenharia Civil

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1 CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1. APRESENTAÇÃO É com satisfação que apresentamos este

Leia mais

NORMAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA/QUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC

NORMAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA/QUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC NORMAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA/QUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC O curso de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia/Química da Universidade Federal do ABC (UFABC) está

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO I - II - III IV - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA

Leia mais

NECiFarm Núcleo de Estudantes de Ciências Farmacêuticas da Universidade do Algarve. Estágios Extracurriculares. NECiFarm REGULAMENTO

NECiFarm Núcleo de Estudantes de Ciências Farmacêuticas da Universidade do Algarve. Estágios Extracurriculares. NECiFarm REGULAMENTO Estágios Extracurriculares NECiFarm REGULAMENTO MANDATO 2013/2014 I. Sobre o NECiFarm A 19 de dezembro de 2007, na Universidade do Algarve (UAlg), foi fundado o (NECiFarm), uma Secção Autónoma da Associação

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS TECNÓLOGO SANDUÍCHE NO CANADÁ CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS ACCC Nº 107/2011

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS TECNÓLOGO SANDUÍCHE NO CANADÁ CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS ACCC Nº 107/2011 PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS TECNÓLOGO SANDUÍCHE NO CANADÁ CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS ACCC Nº 107/2011 O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI, o Ministério da Educação

Leia mais

Processo de seleção e preparação dos representantes brasileiros para a Interamerican Leadership Training.

Processo de seleção e preparação dos representantes brasileiros para a Interamerican Leadership Training. Processo de seleção e preparação dos representantes brasileiros para a Interamerican Leadership Training. Introdução Durante a XXV Conferência Interamericana Escoteira, realizada entre os dias 19 e 21

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE CANDIDATURA E INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE SELECÇÃO

INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE CANDIDATURA E INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE SELECÇÃO 4.ª EDIÇÃO DO PEPAL INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE CANDIDATURA E INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE SELECÇÃO 1 Índice 1. DESTINATÁRIOS DO PEPAL...3 2. CANDIDATURAS DOS ESTAGIÁRIOS...4 2.1.

Leia mais

Dispõe sobre o Regimento Geral de Pós-graduação da UNESP.

Dispõe sobre o Regimento Geral de Pós-graduação da UNESP. RESOLUÇÃO UNESP Nº 30, DE 17 DE JUNHO DE 2010. Texto consolidado Dispõe sobre o Regimento Geral de Pós-graduação da UNESP. O Reitor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, tendo em vista

Leia mais

Escola Superior de Ciências da Saúde RESOLUÇÃO Nº 014/2006 DO COLEGIADO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Escola Superior de Ciências da Saúde RESOLUÇÃO Nº 014/2006 DO COLEGIADO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Escola Superior de Ciências da Saúde RESOLUÇÃO Nº 014/2006 DO COLEGIADO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA HIDRÁULICA E SANEAMENTO DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DA USP

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA HIDRÁULICA E SANEAMENTO DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DA USP NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA HIDRÁULICA E SANEAMENTO DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DA USP I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) A Comissão Coordenadora

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS TECNÓLOGO SANDUÍCHE NO CANADÁ CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS/ ACCC Nº 107 /2011

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS TECNÓLOGO SANDUÍCHE NO CANADÁ CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS/ ACCC Nº 107 /2011 PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS TECNÓLOGO SANDUÍCHE NO CANADÁ CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS/ ACCC Nº 107 /2011 O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI, o Ministério da Educação

Leia mais

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas Logísticos

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas Logísticos Regulamento do Programa de em Engenharia de Sistemas Logísticos I Composição da Comissão Coordenadora de Programa (CCP) A CCP do Programa de Engenharia de Sistemas Logísticos é constituída por 3 (três)

Leia mais

Missão Permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas e Outros Organismos Internacionais em Genebra CONVOCATÓRIA

Missão Permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas e Outros Organismos Internacionais em Genebra CONVOCATÓRIA Missão Permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas e Outros Organismos Internacionais em Genebra 1. Descrição CONVOCATÓRIA Programa de Formação Complementar Processo de Seleção para as Turmas

Leia mais

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE À BOLSA DE ESTUDOS PELO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM TURISMO E HOSPITALIDADE

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE À BOLSA DE ESTUDOS PELO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM TURISMO E HOSPITALIDADE CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE À BOLSA DE ESTUDOS PELO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM TURISMO E HOSPITALIDADE INSTRUÇÕES GERAIS O QUE É Chamada de Seleção Interna para

Leia mais

Regulamento PAPSummer 2015

Regulamento PAPSummer 2015 Regulamento PAPSummer 2015 Artigo 1º Objectivos do programa, montante e designação das bolsas 1. O programa PAPSummer pretende dar a oportunidade a estudantes portugueses (Estudante) de desenvolver um

Leia mais

Aprovado no CEP em 13/01/2010, Resolução 02/2010 REGULAMENTO PARA OS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

Aprovado no CEP em 13/01/2010, Resolução 02/2010 REGULAMENTO PARA OS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE 1 Aprovado no CEP em 13/01/2010, Resolução 02/2010 REGULAMENTO PARA OS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PARTE I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DAS MODALIDADES

Leia mais

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG.

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG. RESOLUÇÃO Nº 023/2011, DE 28 DE ABRIL DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

Intercâmbio Internacional de Equipe de Serviço 2016

Intercâmbio Internacional de Equipe de Serviço 2016 Intercâmbio Internacional de Equipe de Serviço 2016 Informações gerais e regras para participação 1. Objetivos da atividade O programa de Intercâmbio Internacional para Equipe de Serviço dos Campos Escoteiros

Leia mais

Missão Permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas e Outros Organismos Internacionais em Genebra CONVOCATÓRIA

Missão Permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas e Outros Organismos Internacionais em Genebra CONVOCATÓRIA Missão Permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas e Outros Organismos Internacionais em Genebra 1 Descrição CONVOCATÓRIA Programa de Formação Complementar Processo de Seleção para as Turmas

Leia mais

2015 INTERNATIONAL CAMP STAFF PROGRAM

2015 INTERNATIONAL CAMP STAFF PROGRAM 2015 INTERNATIONAL CAMP STAFF PROGRAM INFORMAÇÕES GERAIS E REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO 1. Objetivos da Atividade O Programa Internacional de Intercâmbio para Equipe de Serviço dos Campos Escoteiros da Boy

Leia mais

EDITAL Nº 01/2015. Academic Award

EDITAL Nº 01/2015. Academic Award EDITAL Nº 01/2015 Academic Award A DeVry Brasil, grupo educacional de atuação no ensino superior situado na Rua Antônio Gomes Guimarães, 150, Dunas, Fortaleza - Ceará anuncia que estarão abertas no período

Leia mais

EDITAL Nº 01/2015. Academic Award

EDITAL Nº 01/2015. Academic Award EDITAL Nº 01/2015 Academic Award A DeVry Brasil, grupo educacional de atuação no ensino superior situado na Rua Antônio Gomes Guimarães, 150, Dunas, Fortaleza - Ceará anuncia que estarão abertas no período

Leia mais

EDITAL Nº 01/2016. Academic Award

EDITAL Nº 01/2016. Academic Award EDITAL Nº 01/2016 Academic Award A DeVry Brasil, grupo educacional de atuação no ensino superior situado na Rua Antônio Gomes Guimarães, 150, Dunas, Fortaleza - Ceará anuncia que estarão abertas no período

Leia mais

Estatutos Prescritos para o Rotaract Club

Estatutos Prescritos para o Rotaract Club Estatutos Prescritos para o Rotaract Club Metas Patrocínio de Rotary Club Requisitos para associação ARTIGO I Nome O nome desta organização será Rotaract Club de. ARTIGO II Propósito e Metas O propósito

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE DOUTORADO TURMA 2013 EDITAL Nº

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE DOUTORADO TURMA 2013 EDITAL Nº PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE DOUTORADO TURMA 2013 EDITAL Nº 24/12 O Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj) da Universidade Candido

Leia mais

BOLSA FULBRIGHT / FUNDAÇÃO CARMONA E COSTA PARA MESTRADO EM BELAS ARTES / DESENHO REGULAMENTO I DISPOSIÇÕES GERAIS

BOLSA FULBRIGHT / FUNDAÇÃO CARMONA E COSTA PARA MESTRADO EM BELAS ARTES / DESENHO REGULAMENTO I DISPOSIÇÕES GERAIS BOLSA FULBRIGHT / FUNDAÇÃO CARMONA E COSTA PARA MESTRADO EM BELAS ARTES / DESENHO REGULAMENTO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º - Objecto O presente Regulamento consagra as normas aplicáveis à atribuição

Leia mais

Instruções sobre a Bolsa do Programa DSD

Instruções sobre a Bolsa do Programa DSD Instruções sobre a Bolsa do Programa DSD Este documento contém as instruções para a inscrição no processo seletivo da bolsa do Programa Drogas, Segurança e Democracia (DSD). Por favor, imprima-o e consulte-o

Leia mais

ENSINO DE INGLÊS COMO UMA LÍNGUA ESTRANGEIRA. Edital CAPES nº 065/2010

ENSINO DE INGLÊS COMO UMA LÍNGUA ESTRANGEIRA. Edital CAPES nº 065/2010 PROGRAMA CAPES - INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE LONDRES ENSINO DE INGLÊS COMO UMA LÍNGUA ESTRANGEIRA Edital CAPES nº 065/2010 1 DA APRESENTAÇÃO A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Alergia e Imunopatologia

Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Alergia e Imunopatologia Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Alergia e Imunopatologia I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A CCP terá como membros titulares 3 (três) orientadores plenos credenciados

Leia mais

BOLSA CAPES EMBAIXADA DOS EUA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS EUA PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA

BOLSA CAPES EMBAIXADA DOS EUA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS EUA PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA BOLSA CAPES EMBAIXADA DOS EUA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS EUA PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA Edital nº. 035/2011/CAPES 1. DA APRESENTAÇÃO A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior

Leia mais

FAC PERGUNTAS FREQUENTES

FAC PERGUNTAS FREQUENTES FAC PERGUNTAS FREQUENTES Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Divisão de Temas Educacionais (DCE) Departamento Cultural

Leia mais

ACORDO SOBRE SEGURANÇA SOCIAL ENTRE PORTUGAL E O CANADÁ

ACORDO SOBRE SEGURANÇA SOCIAL ENTRE PORTUGAL E O CANADÁ Decreto n.º 34/81 Convenção sobre Segurança Social entre a República Portuguesa e o Canadá O Governo decreta, nos termos da alínea c) do artigo 200.º da Constituição, o seguinte: Artigo único. É aprovada

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR E INSPEÇÃO ESCOLAR

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR E INSPEÇÃO ESCOLAR CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR E INSPEÇÃO ESCOLAR ÁREA DO CONHECIMENTO Educação. NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Docência do Ensino Superior e

Leia mais

DESCRITIVO DO PROCESSO SELETIVO PARA O CARGO DE ASSISTENTE ADMINISTRATIVO FUNÇÃO DE PRODUTOR AUDIOVISUAL

DESCRITIVO DO PROCESSO SELETIVO PARA O CARGO DE ASSISTENTE ADMINISTRATIVO FUNÇÃO DE PRODUTOR AUDIOVISUAL DESCRITIVO DO PROCESSO SELETIVO PARA O CARGO DE ASSISTENTE ADMINISTRATIVO FUNÇÃO DE PRODUTOR AUDIOVISUAL O presente documento é uma divulgação oficial de todos os critérios e procedimentos estabelecidos

Leia mais

Da finalidade das atividades complementares

Da finalidade das atividades complementares Salvador, 28 de setembro de 2010. Da finalidade das atividades complementares Art. 1º A finalidade das atividades complementares é o enriquecimento da formação do aluno quanto ao seu curso de graduação,

Leia mais

Seu futuro. está no Canadá!

Seu futuro. está no Canadá! Seu futuro está no Canadá! CRONOGRAMA DO PROCESSO DE IMIGRAÇÃO CANADÁ Análise de perfil do candidato; Encaminhamento para aulas específicas de francês e/ou inglês Classes Preparação para entrevista consular

Leia mais

CRÉDITOS MÍNIMOS. 1. Do candidato ao grau de Mestre serão exigidos, no mínimo, 128 unidades de crédito, assim distribuídos:

CRÉDITOS MÍNIMOS. 1. Do candidato ao grau de Mestre serão exigidos, no mínimo, 128 unidades de crédito, assim distribuídos: NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTROLADORIA E CONTABILIDADE DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO I - II - III IV - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA

Leia mais

APRESENTAMOS FOLHETO INTERNACIONAL 2016-2017 FOLHETO INTERNACIONAL 1

APRESENTAMOS FOLHETO INTERNACIONAL 2016-2017 FOLHETO INTERNACIONAL 1 APRESENTAMOS FOLHETO INTERNACIONAL 2016-2017 FOLHETO INTERNACIONAL 1 APRESENTAMOS O INSTITUTO DE NEGÓCIOS E TECNOLOGIA DE MANITOBA O CAMINHO SEGURO PARA O SEU SUCESSO PROFISSIONAL 2 FOLHETO INTERNACIONAL

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM METODOLOGIA DO ENSINO DA LINGUA PORTUGUESA E INGLESA

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM METODOLOGIA DO ENSINO DA LINGUA PORTUGUESA E INGLESA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM METODOLOGIA DO ENSINO DA LINGUA PORTUGUESA E INGLESA ÁREA DO CONHECIMENTO Educação. NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Ensino de Língua Portuguesa

Leia mais

EDITAL 2013. O Programa PEC-PG 2013 é só para estudos de doutorado, ou se eu posso me apresentar para mestrado?

EDITAL 2013. O Programa PEC-PG 2013 é só para estudos de doutorado, ou se eu posso me apresentar para mestrado? PROGRAMA DE ESTUDANTES -CONVÊNIO DE PÓS-GRADUAÇÃO PEC-PG EDITAL 2013 O que é um FAQ? FAQ é um acrónimo da expressão inglesa Frequently Asked Questions, que significa Perguntas Frequentes. Uma FAQ, quando

Leia mais

RESOLUÇÃO CoPGr 6887, DE 25 DE AGOSTO DE 2014

RESOLUÇÃO CoPGr 6887, DE 25 DE AGOSTO DE 2014 D.O.E.: 28/08/2014 RESOLUÇÃO CoPGr 6887, DE 25 DE AGOSTO DE 2014 Baixa o Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Pneumologia da Faculdade de Medicina. A Pró-Reitora de Pós-Graduação da Universidade

Leia mais

QUESTIONÁRIO PARA VISTO CANADENSE. 3. Sexo: ( ) Feminino ( ) Masculino DADOS PESSOAIS

QUESTIONÁRIO PARA VISTO CANADENSE. 3. Sexo: ( ) Feminino ( ) Masculino DADOS PESSOAIS QUESTIONÁRIO PARA VISTO CANADENSE * Após o preenchimento favor enviar por E-mail: tânia@alfainter.com.br ou kazue@alfainter.com.br, ou FAX.: (11) 2187-8999 / ou pelo Correio para providenciarmos o preenchimento

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO DO CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO DO CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO DO CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1 ÂMBITO 1. O presente Regulamento, submetido à aprovação da Fundação

Leia mais

Perguntas Mais Frequentes (FAQ)

Perguntas Mais Frequentes (FAQ) Perguntas Mais Frequentes (FAQ) SAVING BRAINS: AUMENTANDO O IMPACTO Este documento abrange as perguntas mais frequentes sobre a Convocação de Propostas do Saving Brains: Aumentando o Impacto, divulgada

Leia mais

Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica

Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UFBA TÍTULO

Leia mais

Processo de seleção do representante brasileiro para o 6º Internacional Scout Gathering

Processo de seleção do representante brasileiro para o 6º Internacional Scout Gathering Processo de seleção do representante brasileiro para o 6º Internacional Scout Gathering Introdução Por ocasião da escolha dos Emirados de Sharjah como capital da cultura islâmica em 2014, e patrocínio

Leia mais

Instruções para o fluxo contínuo do CALDO - GDE. Fluxo contínuo para concessão de bolsas de Doutorado Pleno no Canadá Universidades do CALDO.

Instruções para o fluxo contínuo do CALDO - GDE. Fluxo contínuo para concessão de bolsas de Doutorado Pleno no Canadá Universidades do CALDO. Instruções para o fluxo contínuo do CALDO - GDE. I Nome do Programa Fluxo contínuo para concessão de bolsas de Doutorado Pleno no Canadá Universidades do CALDO. II Objetivo da Chamada Esta chamada é exclusiva

Leia mais

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Pós-Graduação

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Pós-Graduação Normas Específicas do Programa de em Engenharia Mecânica I Composição da Comissão Coordenadora do Programa A CCP do Programa em Engenharia Mecânica (PPGEM) é constituída por 6 (seis) membros docentes titulares

Leia mais

Edital 004/2015. Processo de Seleção de Mestrado em Sociologia Política 2016

Edital 004/2015. Processo de Seleção de Mestrado em Sociologia Política 2016 Edital 004/2015 Processo de Seleção de Mestrado em Sociologia Política 2016 O Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política (PPGSP) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) torna pública a abertura

Leia mais

Guia de Fellowship Português

Guia de Fellowship Português Guia de Fellowship Português 1 DESCRIÇÃO DO PROGRAMA Página 3 2 CARACTERÍSTICAS DO PROGRAMA Página 4 3 CONDIÇÕES Página 7 4 PROCESSO DE INSCRIÇÃO, SELEÇÃO E CERTIFICAÇÃO Página 8 5 APOIO FINANCEIRO Página

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Esta resolução entra em vigor nesta data, revogando as disposições contrárias. Bragança Paulista, 12 de dezembro de 2012.

R E S O L U Ç Ã O. Esta resolução entra em vigor nesta data, revogando as disposições contrárias. Bragança Paulista, 12 de dezembro de 2012. RESOLUÇÃO CONSEPE 36/2012 APROVA O REGULAMENTO PARA REVALIDAÇÃO DE TÍTULOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EXPEDIDOS POR INSTITUIÇÕES ESTRANGEIRAS PELA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. O Presidente do Conselho

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS: BIOQUÍMICA ESTRUTURA DO CURSO

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS: BIOQUÍMICA ESTRUTURA DO CURSO REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS: BIOQUÍMICA ESTRUTURA DO CURSO A estrutura do Curso dará ênfase à formação do pós-graduando como docente-pesquisador. O Curso buscará atribuir

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Em conformidade com a Resolução CNE/CES n 1, de 08 de Junho de 2007 e o Regimento da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Aprovado pelo Parecer CONSEPE

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina. Regulamento do Programa de Pós-Graduação de Oftalmologia

Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina. Regulamento do Programa de Pós-Graduação de Oftalmologia Regulamento do Programa de Pós-Graduação de Oftalmologia I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A CCP terá como membros titulares 3 (três) orientadores plenos credenciados no Programa,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIGRANRIO

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIGRANRIO UNIVERSIDADE DO GRANDE RIO Prof. José de Souza Herdy Reconhecida pela Portaria MEC 940/94 D.O.U. de 16 de Junho de 1994 PRÓ - REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROPEP REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE

Leia mais

U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B

U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA SECOM-PR N o 8 DE 19 DE DEZEMBRO DE 2014 Disciplina a implantação e a gestão da Identidade Padrão de Comunicação Digital das

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO MONTE SERRAT EDITAL DE CONVOCAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO MONTE SERRAT EDITAL DE CONVOCAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO MONTE SERRAT EDITAL DE CONVOCAÇÃO CURSOS GRATUITOS DE IDIOMAS O Diretor Executivo do Centro Universitário Monte Serrat UNIMONTE, Prof. Adalto Correa de Souza Jr., no uso de suas atribuições

Leia mais

AdDIARY EXCHANGE PROGRAM REALIZAÇÃO PUCPR DE 09 A 21 DE OUTUBRO DE 2015 EDITAL PUCPR / 2015

AdDIARY EXCHANGE PROGRAM REALIZAÇÃO PUCPR DE 09 A 21 DE OUTUBRO DE 2015 EDITAL PUCPR / 2015 AdDIARY EXCHANGE PROGRAM REALIZAÇÃO PUCPR DE 09 A 21 DE OUTUBRO DE 2015 EDITAL PUCPR / 2015 O AdDIARY EXCHANGE PROGRAM, a ser desenvolvido por estudantes universitários da PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE PROPINAS E PRESCRIÇÃO DO IPVC

REGULAMENTO GERAL DE PROPINAS E PRESCRIÇÃO DO IPVC REGULAMENTO GERAL DE PROPINAS E PRESCRIÇÃO DO IPVC Artigo 1º Âmbito do regulamento 1. O presente regulamento define o regime do pagamento da propina pelos estudantes do IPVC inscritos a tempo integral,

Leia mais

Formação de Formadores

Formação de Formadores REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: Formação de Formadores São Paulo 2012 1 Sumário Título I Da Constituição do Programa... 03 Capítulo I Dos Fins e Objetivos... 03 Capítulo II

Leia mais

EDITAL PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA SEMESTRE 2015/2

EDITAL PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA SEMESTRE 2015/2 Admissão EDITAL PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA SEMESTRE 2015/2 A admissão no PPGEQ da UFRGS é feita em duas etapas: inscrição e seleção. 1 INSCRIÇÃO As inscrições para

Leia mais

Programa Unificado de Bolsas de Estudo para Estudantes de Graduação EDITAL 2015-2016

Programa Unificado de Bolsas de Estudo para Estudantes de Graduação EDITAL 2015-2016 EDITAL 2015-2016 PROGRAMA UNIFICADO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO DISPÕE SOBRE O EDITAL DO PROGRAMA UNIFICADO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE SÃO

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

REGULAMENTO PROPPES (Aprovado na Reunião do Consuni em 24/9/2009) CAPÍTULO XVI DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO PROPPES (Aprovado na Reunião do Consuni em 24/9/2009) CAPÍTULO XVI DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO PROPPES (Aprovado na Reunião do Consuni em 24/9/2009) CAPÍTULO XVI DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Art. 72. Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu destinam-se a candidatos graduados, podendo ser

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR ÁREA DO CONHECIMENTO Educação. NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Docência do Ensino Superior. AMPARO LEGAL E PORTARIA

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E PROJETOS EM TURISMO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E PROJETOS EM TURISMO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E PROJETOS EM TURISMO ÁREA DO CONHECIMENTO Administração. Turismo. NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão e Projetos em Turismo. AMPARO

Leia mais

O mundo é bem-vindo, um estudante de cada vez.

O mundo é bem-vindo, um estudante de cada vez. O mundo é bem-vindo, um estudante de cada vez. INFORMAÇÃO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS CAN A D A Ajudamos você a ir longe. SOBRE LANGARA Langara é uma instituição de ensino póssecundária pública, conhecida

Leia mais

O EXAME DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUAS ESTRANGEIRAS DAS Fatecs PRINCÍPIOS E PROCEDIMENTOS 1

O EXAME DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUAS ESTRANGEIRAS DAS Fatecs PRINCÍPIOS E PROCEDIMENTOS 1 O EXAME DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUAS ESTRANGEIRAS DAS Fatecs PRINCÍPIOS E PROCEDIMENTOS 1 Esta instrução foi elaborada com base no Regulamento da Graduação e seu objetivo principal é orientar Gestores e

Leia mais

Manual. Objetivo: resumir as informações fornecidas durante o treinamento do SIGAA.

Manual. Objetivo: resumir as informações fornecidas durante o treinamento do SIGAA. Manual Objetivo: resumir as informações fornecidas durante o treinamento do SIGAA. Informações importantes: a) O SIGAA é um sistema desenvolvido pela UFRN e adquirido em cooperação pela UFPA. Ele visa

Leia mais

2. QUANTIDADE E DURAÇÃO DAS BOLSAS Serão concedidas 02 (duas) bolsas, com duração prevista de 12 (doze) meses.

2. QUANTIDADE E DURAÇÃO DAS BOLSAS Serão concedidas 02 (duas) bolsas, com duração prevista de 12 (doze) meses. CHAMADA PÚBLICA IPEA/PNPD Nº 100/2014 - SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), fundação pública vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos

Leia mais

GUIA DE INTERPRETAÇÃO DO CELLA DA FLÓRIDA

GUIA DE INTERPRETAÇÃO DO CELLA DA FLÓRIDA GUIA DE INTERPRETAÇÃO DO CELLA DA FLÓRIDA INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O CELLA A Flórida utiliza o CELLA (Comprehensive English Language Learning Assessment, Avaliação Abrangente do Aprendizado de Língua Inglesa)

Leia mais