Recrutamento de estudantes. Luísa Capitão, 25 setembro 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Recrutamento de estudantes. Luísa Capitão, 25 setembro 2014"

Transcrição

1 Recrutamento de estudantes Luísa Capitão, 25 setembro 2014

2 "If you always do what you have always done, you will always get what you have always got." Henry Ford ( )

3 TRENDS 2010 SURVEY EUA- European University Association Quais os aspetos que mais influenciaram a estratégia das IES nos últimos 5 anos? 1º Internacionalização (22%) 2º Garantia de qualidade (21%) 3º Processo de Bolonha (15%) (Trends 2010: a decade of change in European Higher Education. André Sursock & Hanne Smidt, EUA)

4 SUMÁRIO 1.Fases da internacionalização: do despertar para a captação de estudantes internacionais ao recrutamento ativo 2.Tendências da internacionalização: como agir para acompanhar as tendências? 3.Tendências da internacionalização: os instrumentos de recrutamento

5 Fases da internacionalização: do despertar para a captação de estudantes internacionais ao recrutamento ativo

6 Fase 1: há 30 anos Reino Unido 2 movimentos distintos movimento de comercialização com a introdução do pagamento de propinas com custos totais para estudantes internacionais Europa Continental movimento de desenvolvimento de programas de cooperação e de intercâmbio, que ganhou um forte impulso com o Programa Erasmus (Hans de Wit, Global: Trends and drivers in internationalisation)

7 Fase 2: há 15 anos 1 - Da cooperação para a competição Recrutamento ativo de estudantes internacionais tornou-se o foco mais vasto da internacionalização, espalhando-se dos países de expressão inglesa para a Europa Continental e coincidindo com um movimento para o ensino em Inglês, por forma a tornar os estudos nestes países mais atrativos. 2 - Operações fora de fronteiras Na mesma altura, os países anglo-saxónicos intensificaram as suas operações fora de fronteiras deslocando instituições e programas para o estrangeiro, criando Campi no exterior e operações de franchising, particularmente, mas não em exclusivo, nos países em desenvolvimento. (Hans de Wit, Global: Trends and drivers in internationalisation)

8 Fase 3: últimos anos 1. Os países que enviam + estudantes, começam a tornar-se também países que recebem. A competição por estudantes internacionais torna-se mais global, com países como Singapura, Malásia, Taiwan, Coreia do Sul e os BRICS a atraírem estudantes (China espera atrair estudantes em 2020) (Hans de Wit, Global: Trends and drivers in internationalisation)

9 Fase 3: últimos anos 2. Recrutamento mais seletivo Deslocamento do foco de um recrutamento em massa para um mais seletivo focado nos estudantes e académicos com mais talento. Países como Suécia, Dinamarca, Holanda seguem pisadas do UK, Canadá e Austrália, introduzindo propinas de custos totais para estudantes de fora da EU-EER e oferecem bolsas para atrair os melhores. (Hans de Wit, Global: Trends and drivers in internationalisation)

10 Fase 3: últimos anos 3. Início do retorno de estudantes aos países de origem Nos USA há uma crescente preocupação sobre como esta competição está a afetar a sua atratividade como país de destino de estudantes e académicos com talento. A tendência de graduados da China e da Índia em retornar aos países de origem em vez de ficarem nos USA suscita preocupações acrescidas.

11 Tendências da internacionalização: como agir para acompanhar as tendências?

12 Grande mudança nos últimos 20 anos simples intercâmbio de estudantes para o grande negócio do recrutamento atividades com impacto sobre um incrivelmente pequeno grupo de elite para um fenómeno de massas. Esta é uma tendência geral que está a ocorrer em várias partes do mundo, embora com diferentes ênfases, papéis e posições. (Hans de Wit, Global: Trends and drivers in internationalisation)

13 Mobilidade internacional Fatores na escolha: Reputação das Universidades Qualidade da educação Perspetivas de emprego Segurança Estilos de vida proporcionados pelos países de acolhimento (Fonte: OCDE. Education at a Glance 2009)

14 Facto 1: os números obrigam à estratégia 3 milhões de estudantes em mobilidade internacional em 2007 (Fonte: OCDE. Education at a Glance 2009) 8 milhões - projeção de crescimento do número de estudantes em programas de mobilidade internacional em 2025 (Gibney, 2013) objetivo da UE de que no ano de 2020, 20% (1/5) dos jovens europeus em programas de mobilidade. (Ministros do Ensino Superior da UE, Leuven Communiqué, Abril de 2009) Facto 2: a estratégia precisa de instrumentos

15 Facto 2: a estratégia precisa de instrumentos

16 Tendências da internacionalização: os instrumentos de recrutamento

17 É fundamental fazer um esforço acrescido para acompanhar as tendências, o que implica trabalhar internamente os fatores que motivam a escolha, acompanhando e utilizando os instrumentos adequados à sua realidade institucional. Instrumentos adequados = recrutamento bem sucedido

18 Instrumentos Feiras e sessões de divulgação Parcerias estratégicas/ redes / consórcios Programas de Cooperação Internacional mundiais (ex. Erasmus Mundus, CsF) Mobilidade de docentes, pesquisadores e técnicos (conjugar ensino, investigação e capacitação de recursos) Programas conjuntos Formação e/ou Investigação Centros internacionais de competências em investigação Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, Braga, Portugal Centro Ibérico de Energias Renováveis, Badajoz, Espanha Instrumentos IAH (internacionalização em casa)

19 Instrumentos Fusões institucionais e cooperação interinstitucional (ex. Universidade Clássica e da Universidade Técnica de Lisboa) Educação Transnacional MOOCS (Massive Open Online Courses) Preocupações e expectativas

20 Instrumentos Preocupações e expectativas Revolução da Aprendizagem Global, Tsunami Ex. Plataforma COURSERA (Gaebel, 2013) - Iniciada por professores da Universidade de Stanford, USA, inclui 33 universidades parceiras - Oferece 214 disciplinas em 20 áreas científicas a 2 milhões de estudantes. - Considerada for profit (Gaebel, 2013) A Universidade de Edimburgo, no Reino Unido, tem hoje estudantes de todo o mundo a fazer formação no âmbito desta plataforma, o que representa um número dez vezes superior aos dos seus estudantes que seguem uma formação no campus (Matthews, 2013)

21 Instrumentos Qualidade será cada vez mais determinante: - Atração dos melhores estudantes - Atração de investigadores e docentes estrangeiros prestigiados - Parcerias com universidades prestigiadas - Parcerias com centros de investigação prestigiados - Consórcios de universidades em programas internacionais - Programas conjuntos - Acreditação dos programas

22 Grata pela atenção!

AVALIAÇÃO DA INTERNACIONALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR: INDICADORES E MAPEAMENTO DE PROCESSOS

AVALIAÇÃO DA INTERNACIONALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR: INDICADORES E MAPEAMENTO DE PROCESSOS AVALIAÇÃO DA INTERNACIONALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR: INDICADORES E MAPEAMENTO DE PROCESSOS Guilherme Krause Alves - guilhermealv@gmail.com Rogério da Silva Nunes - rogerio.sn@ufsc.br Luciane Stallivieri

Leia mais

Conferência FAUBAI 2017 reúne mais de 560 participantes para discutir internacionalização da educação superior

Conferência FAUBAI 2017 reúne mais de 560 participantes para discutir internacionalização da educação superior Conferência FAUBAI 2017 reúne mais de 560 participantes para discutir internacionalização da educação superior Encontro internacional realizado no Centro de Eventos FIERGS, em Porto Alegre, no Rio Grande

Leia mais

'A ULisboa é uma universidade que, da varanda do Rio Tejo, ambiciona projetar-se para o mundo'

'A ULisboa é uma universidade que, da varanda do Rio Tejo, ambiciona projetar-se para o mundo' 'A ULisboa é uma universidade que, da varanda do Rio Tejo, ambiciona projetar-se para o mundo' Reitor da Universidade de Lisboa, António Cruz Serra fala sobre infraestrutura da instituição que atrai cada

Leia mais

Matriz de ameaças/oportunidades

Matriz de ameaças/oportunidades - Necessidades de formação ao longo da vida - Transferência de tecnologia - Relações com PALOPs e outros como BRICs - Utilização de e-learning - Questões demográficas (redução da população jovem) - Situação

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR

INTERNACIONALIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR DIREÇÃO-GERAL DAS POLÍTICAS INTERNAS DEPARTAMENTO TEMÁTICO B: POLÍTICAS ESTRUTURAIS E DE COESÃO CULTURA E EDUCAÇÃO INTERNACIONALIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR ESTUDO Resumo Um estudo que coloca a tónica na

Leia mais

TABELA DE FRETES MÉDIO PRATICADOS PARA ANGOLA REFERENTE AO MÊS DE JANEIRO Moeda: USD

TABELA DE FRETES MÉDIO PRATICADOS PARA ANGOLA REFERENTE AO MÊS DE JANEIRO Moeda: USD REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES BOLSA NACIONAL DE FRETE Sede: Palácio de Vidro, 5º andar; CX Postal 2223; Telefone +(244) 222-311339/40/41; Fax 222-310555- Luanda, Angola. TABELA DE FRETES

Leia mais

PORTUGAL 4/3/2016 VISÃO GERAL

PORTUGAL 4/3/2016 VISÃO GERAL PORTUGAL 2015 VISÃO GERAL Com origens que remontam ao século XVIII, a Universidade do Porto é uma prestigiada instituição de ensino e investigação científica portuguesa, classificada entre as 100-150 melhores

Leia mais

A mobilidade acadêmica internacional e aprendizado de línguas na UFVJM. Diamantina MG Setembro/2016

A mobilidade acadêmica internacional e aprendizado de línguas na UFVJM. Diamantina MG Setembro/2016 A mobilidade acadêmica internacional e aprendizado de línguas na UFVJM Diamantina MG Setembro/2016 A Diretoria de Relações Internacionais Objetivo: fomentar o processo de internacionalização da UFVJM;

Leia mais

ERASMUS+ OPÇÕES PARA O FUTURO DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO. E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o

ERASMUS+ OPÇÕES PARA O FUTURO DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO. E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o ERASMUS+ E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o OPÇÕES PARA O FUTURO DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO SEMINÁRIO DESAFIO PORTUGAL 2020 EDUCAÇÃO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E MERCADO DE TRABALHO: IMPACTO NA ECONOMIA PORTUGUESA

Leia mais

Erasmus+ Agência Nacional Erasmus+ - Educação e Formação Rui Gato

Erasmus+ Agência Nacional Erasmus+ - Educação e Formação  Rui Gato Erasmus+ Agência Nacional Erasmus+ - Educação e Formação www.erasmusmais.pt Rui Gato Erasmus+ O Erasmus+ é o programa da UE nos domínios da educação, da formação, da juventude e do desporto para o período

Leia mais

MOBILIDADE na Rede Federal

MOBILIDADE na Rede Federal MOBILIDADE na Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica FÓRUM RNP 2015 MOBILIDADE Brasília Professora Lia Pachalski 1 Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica SETEC/MEC Conselho Nacional

Leia mais

Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial

Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial Ana Camanho FEUP, 14 de março de 2016 Sumário Médias de entrada e numerus clausus Objetivo geral do curso Estrutura do curso Parcerias estratégicas

Leia mais

SCPLLA Serviço de Cooperação com Países Lusófonos e Latino-Americanos

SCPLLA Serviço de Cooperação com Países Lusófonos e Latino-Americanos SCPLLA Serviço de Cooperação com Países Lusófonos e Latino-Americanos PROGRAMA 22 DE SETEMBRO, SEGUNDA-FEIRA Biblioteca TEMA ESTRATÉGIA DA U.PORTO PARA O REFORÇO DA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL 09h30 Registo

Leia mais

Programas de Mobilidade ERASMUS +

Programas de Mobilidade ERASMUS + Programas de Mobilidade ERASMUS + 1 Programas de Mobilidade ERASMUS+ e Outras mobilidades Os Programas de Mobilidade consistem em protocolos de cooperação com outras Instituições do Ensino Superior (IES)

Leia mais

Reflexões sobre a contribuição dos programas de intercâmbio internacional para a área de Engenharia de Produção

Reflexões sobre a contribuição dos programas de intercâmbio internacional para a área de Engenharia de Produção Reflexões sobre a contribuição dos programas de intercâmbio internacional para a área de Engenharia de Produção Coordenador da SD: Maico Roris Severino Filiação: Universidade Federal de Goiás (UFG) Endereço:

Leia mais

Planeamento Estratégico e Qualidade: a experiência do IST

Planeamento Estratégico e Qualidade: a experiência do IST Planeamento Estratégico e Qualidade: a experiência do IST Marta Pile Área de Estudos e Planeamento/ Instituto Superior Técnico ORGANIZAÇÃO 1. SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DA QUALIDADE a) MODELO b) DOCUMENTAÇÃO

Leia mais

conceito A internacionalização na UFG é concebida como um processo que articula a dimensão internacional, intercultural e global no ensino, pesquisa e

conceito A internacionalização na UFG é concebida como um processo que articula a dimensão internacional, intercultural e global no ensino, pesquisa e Plano de Gestão UFG 2014-20172017 INTERNACIONALIZAÇÃO Coordenadoria de Assuntos Internacionais Universidade Federal de Goiás conceito A internacionalização na UFG é concebida como um processo que articula

Leia mais

Atividades e oportunidades belgas para Pesquisa & Desenvolvimento

Atividades e oportunidades belgas para Pesquisa & Desenvolvimento Atividades e oportunidades belgas para Pesquisa & Desenvolvimento 16 de abril de 2016, Fortaleza Sophie Hottat Ministra Conselheira Embaixada da Bélgica BÉLGICA CONTEXTO INSTITUCIONAL No coração da Europa,

Leia mais

Apresentação Institucional NOVA IMS

Apresentação Institucional NOVA IMS Apresentação Institucional NOVA IMS ÍNDICE Introdução Missão Visão Ensino Empregabilidade Investigação Internacionalização Acreditações e Certificações 2 INTRODUÇÃO A NOVA Information Management School

Leia mais

XX CONGRESSO ENGENHARIA 2020 UMA ESTRATÉGIA PARA PORTUGAL 17 a 19 de outubro de 2014 ALFÂNDEGA DO PORTO

XX CONGRESSO ENGENHARIA 2020 UMA ESTRATÉGIA PARA PORTUGAL 17 a 19 de outubro de 2014 ALFÂNDEGA DO PORTO XX CONGRESSO ENGENHARIA 2020 UMA ESTRATÉGIA PARA PORTUGAL 17 a 19 de outubro de 2014 ALFÂNDEGA DO PORTO DESAFIOS DA EDUCAÇÃO E QUALIFICAÇÃO Fontainhas Fernandes UTAD 18 de outubro de 2014 Fontainhas Fernandes

Leia mais

Educação e competitividade no mundo do trabalho: desafios e oportunidades

Educação e competitividade no mundo do trabalho: desafios e oportunidades Educação e competitividade no mundo do trabalho: desafios e oportunidades 7ª Economia 79º IDH 57º Competitividade 61º Inovação 35º Educação 12 indicadores Ranking de Competitividade Global Requisitos

Leia mais

VISÃO GERAL uma das mais prestigiadas instituições de ensino e investigação melhores universidades da Europa uma das mais prestigiadas

VISÃO GERAL uma das mais prestigiadas instituições de ensino e investigação melhores universidades da Europa uma das mais prestigiadas PORTUGAL 2014 VISÃO GERAL A Universidade do Porto é uma das mais prestigiadas instituições de ensino e investigação científicas portuguesas, classificada entre as 100-150 melhores universidades da Europa.

Leia mais

Ação Chave 1 Mestrados Conjuntos Erasmus Mundus (EMJMD)

Ação Chave 1 Mestrados Conjuntos Erasmus Mundus (EMJMD) Ação Chave 1 Mestrados Conjuntos Erasmus Mundus (EMJMD) Excelência Qualidade Inovação Internacionalização Instituições de Ensino Superior (IES) Objetivos Programáticos Qualidade Atração Espaço Europeu

Leia mais

Direito é na Católica

Direito é na Católica é na Católica D UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE DIREITO Índice Um Curso de D inovador Dos métodos de ensino ao plano curricular, descubra porque estamos na vanguarda. Internacionalização:

Leia mais

PORTUGAL - GLOBAL SERVICE CENTERS SURVEY

PORTUGAL - GLOBAL SERVICE CENTERS SURVEY PORTUGAL - GLOBAL SERVICE CENTERS SURVEY Attracting talent to top hiring companies Nov. 2016 ENQUADRAMENTO 1. A atratividade e disponibilidade dos Recursos Humanos qualificados em Portugal vem impulsionando

Leia mais

As Universidades Públicas e a Cooperação Internacional

As Universidades Públicas e a Cooperação Internacional As Universidades Públicas e a Cooperação Internacional António Rendas Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) Reitor da Universidade Nova de Lisboa Seminário Diplomático

Leia mais

PLANO AQUARELA

PLANO AQUARELA PLANO AQUARELA 2007-2010 Evolução do Turismo no Mundo TABELA 1 TENDÊNCIAS DO TURISMO MUNDIAL - ENTRADA DE TURISTAS (MILHÕES) 2003 2004 2005 2006 Previsão 2010 Previsão 2020 MUNDO 694,0 764,0 806,0 842,0

Leia mais

1.3 O Programa Ciência sem Fronteiras, no âmbito deste edital, tem como objetivos específicos:

1.3 O Programa Ciência sem Fronteiras, no âmbito deste edital, tem como objetivos específicos: COORDENAÇÃO GERAL DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS E INTERNACIONAIS Edital Complementar nº 004/2012 A Coordenação Geral de Relações Institucionais e Internacionais, no uso de suas atribuições legais, torna público

Leia mais

Inquérito aos Estudantes - Análise SWOT Ensino Superior Português

Inquérito aos Estudantes - Análise SWOT Ensino Superior Português Inquérito aos Estudantes - Análise SWOT Ensino Superior Português O grupo da qualidade para o Ensino Superior (GT2) está a aplicar a análise SWOT ao Ensino Superior Português. A análise SWOT é uma ferramenta

Leia mais

Dirijo uma palavra de reconhecimento ao professor Emídio Gomes, pelo seu. envolvimento, pessoal e enquanto Presidente da Comissão de Coordenação de

Dirijo uma palavra de reconhecimento ao professor Emídio Gomes, pelo seu. envolvimento, pessoal e enquanto Presidente da Comissão de Coordenação de As minhas primeiras palavras são de reconhecimento, ao senhor Primeiro Ministro, estimado Dr. Pedro Passos Coelho, e restantes membros do Governo, por se terem associado a esta cerimónia, um marco de grande

Leia mais

those who are mobile.

those who are mobile. Carlos Alberto Kamienski - cak@ufabc.edu.br Outubro de 2016 Meios vs. Fins Internationalisation at home touches upon everything from the academic curriculum, to the interactions between local students

Leia mais

NUNO VASCO LOPES CHIEF EXECUTIVE OFFICER

NUNO VASCO LOPES CHIEF EXECUTIVE OFFICER NUNO VASCO LOPES CHIEF EXECUTIVE OFFICER HÁ TEMPOS DE CORUJA E TEMPOS DE FALCÃO. D. JOÃO II Como a coruja, observámos o mercado. Tomámos decisões. Definimos o que somos. Reorganizámo-nos. O mercado

Leia mais

Feiras no Contexto da Globalização. Cristina Motta, Messe Frankfurt Portugal (Repr.) ISLA Campus Lisboa, 20 de Fevereiro de 2013

Feiras no Contexto da Globalização. Cristina Motta, Messe Frankfurt Portugal (Repr.) ISLA Campus Lisboa, 20 de Fevereiro de 2013 Feiras no Contexto da Globalização Cristina Motta, Messe Frankfurt Portugal (Repr.) ISLA Campus Lisboa, 20 de Fevereiro de 2013 Do comércio mundial à globalização Pós Guerra: Aumento intensivo das trocas

Leia mais

O que é a União Europeia (UE)?

O que é a União Europeia (UE)? O que é a União Europeia (UE)? 28 Estados-Membros Mais de 500 milhões de habitantes Atuais candidatos à adesão à UE: Albânia, antiga República Iugoslava da Macedônia, Montenegro, Sérvia e Turquia Tratados

Leia mais

Política de Coesão da UE

Política de Coesão da UE da UE 2014 2020 Propostas da Comissão Europeia da União Europeia Estrutura da apresentação 1. Qual é o impacto da política de coesão da UE? 2. A que se devem as alterações propostas pela Comissão para

Leia mais

Participar no Horizonte 2020

Participar no Horizonte 2020 Gabinete de Promoção dos Programa Quadro ID&I Participar no Horizonte 2020 Elisabete Pires NCP ICT, FET e Administração pública Castelo Branco 06/04/2016 GPPQ Criado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia

Leia mais

Herzlich Willkommen! Bem-vindos!

Herzlich Willkommen! Bem-vindos! Herzlich Willkommen! Bem-vindos! 1 DAAD Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico A. O DAAD e suas atividades B. Bolsas para o intercâmbio com a Alemanha C. A Alemanha no programa Ciência sem fronteiras

Leia mais

Entre a academia, as escolas e a sociedade A investigação em educação na contemporaneidade

Entre a academia, as escolas e a sociedade A investigação em educação na contemporaneidade Entre a academia, as escolas e a sociedade A investigação em educação na contemporaneidade Graça S. Carvalho CIEC Centro de Investigação em Estudos da Criança (UI 317 da FCT) Universidade do Minho Ensino

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS CANDIDATURA À PRESIDÊNCIA DO INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS H ELENA S O USA A Equipa Presidente Helena Sousa Vice-Presidentes José Luís Meireles Teresa Ruão Emília Araújo Programa de Ação Ensinoaprendizagem

Leia mais

Desafios e oportunidades dos sistemas de educação e formação profissional

Desafios e oportunidades dos sistemas de educação e formação profissional Desafios e oportunidades dos sistemas de educação e formação profissional Gonçalo Xufre Silva Presidente do Conselho Diretivo da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional Valença, 13

Leia mais

Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação (MIEIC) João Pascoal Faria

Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação (MIEIC) João Pascoal Faria Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação (MIEIC) João Pascoal Faria Sumário Importância da Engenharia Informática Médias de entrada e numerus clausus Perfis, áreas científicas e exemplos

Leia mais

A pesquisa em EaD nos últimos dez anos: ameaças e oportunidades

A pesquisa em EaD nos últimos dez anos: ameaças e oportunidades A pesquisa em EaD nos últimos dez anos: ameaças e oportunidades Simpósio Internacional de Educação a Distância Encontro de Pesquisadores em Educação a Distância S. Carlos Brasil, 20 de setembro de 2012

Leia mais

Universidade de Évora Universidade de Aveiro. Universidade Nova de Lisboa - Faculdade de Ciências e Tecnologias

Universidade de Évora Universidade de Aveiro. Universidade Nova de Lisboa - Faculdade de Ciências e Tecnologias Universidade de Évora Universidade de Aveiro Universidade Nova de Lisboa - Faculdade de Ciências e Tecnologias Edital Abertura do Mestrado Gestão e Poĺıticas Ambientais Ano Letivo 2015/2016 1. O Curso

Leia mais

RECONHECIMENTO DE QUALIFICAÇÕES ACADÉMICAS E COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS

RECONHECIMENTO DE QUALIFICAÇÕES ACADÉMICAS E COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS 2º CONGRESSO DE ENGENHEIROS DE LÍNGUA PORTUGUESA A Engenharia como Factor Decisivo no Processo de Cooperação 27-28 Novembro 2014 MACAU RECONHECIMENTO DE QUALIFICAÇÕES ACADÉMICAS E COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS

Leia mais

GEOPOLÍTICA DO CONHECIMENTO E INTERNACIONALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL: COMO CONSOLIDAR UMA INTERNACIONALIZAÇÃO ATIVA?

GEOPOLÍTICA DO CONHECIMENTO E INTERNACIONALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL: COMO CONSOLIDAR UMA INTERNACIONALIZAÇÃO ATIVA? GEOPOLÍTICA DO CONHECIMENTO E INTERNACIONALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL: COMO CONSOLIDAR UMA INTERNACIONALIZAÇÃO ATIVA? F A B I O B E T I O L I C O N T E L D E P T O. D E G E O G R A F I A F F

Leia mais

Mercado Brasileiro de Software e Serviços Jorge Sukarie Neto Panorama e Tendências

Mercado Brasileiro de Software e Serviços Jorge Sukarie Neto Panorama e Tendências Mercado Brasileiro de Software e Serviços - 2013 Jorge Sukarie Neto jorge.sukarie@abes.org.br Panorama e Tendências A ABES PERFIL DAS EMPRESAS ASSOCIADAS - 1.478 Associados (*) - US$ 19,8 bilhões de dólares

Leia mais

ESGCS Escola Superior de Gestão Corporativa e Social. O Social pela Governança

ESGCS Escola Superior de Gestão Corporativa e Social. O Social pela Governança ESGCS Escola Superior de Gestão Corporativa e Social O Social pela Governança Por: Tamara Tavares da Silva tamara.tavares.silva@gmail.com Tlm: 00258 823 919 280 / 00258 840 649 792 Tlm: 00258 823 919 280

Leia mais

A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA (FCT)

A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA (FCT) A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA (FCT) É A AGÊNCIA PÚBLICA NACIONAL PARA A INVESTIGAÇÃO E A INOVAÇÃO EM PORTUGAL WWW.FCT.PT A VISÃO DA FCT É: TORNAR PORTUGAL UMA REFERÊNCIA MUNDIAL EM CIÊNCIA,

Leia mais

O papel da AICEP nas Feiras Internacionais. 20 de fevereiro de 2013

O papel da AICEP nas Feiras Internacionais. 20 de fevereiro de 2013 O papel da AICEP nas Feiras Internacionais 20 de fevereiro de 2013 Tópicos da apresentação 1. Feiras Internacionais no contexto da globalização 2. Papel da AICEP nas feiras internacionais 2.1 Organização

Leia mais

Sustentabilidade: Desafio Actual do Ensino Superior

Sustentabilidade: Desafio Actual do Ensino Superior Os desafios da Gestão e da Qualidade do Ensino Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa 15 de Novembro de 2011 Sustentabilidade: Desafio Actual do Ensino Superior Instituto Superior Técnico,

Leia mais

Administração de recursos de terceiros no Brasil e no mundo: evolução e perspectivas

Administração de recursos de terceiros no Brasil e no mundo: evolução e perspectivas Robert John van Dijk Diretor Superintendente Administração de recursos de terceiros no Brasil e no mundo: evolução e perspectivas Agosto de 2008 Agenda - Administração de recursos de terceiros: no Brasil

Leia mais

Procura de emprego na Europa

Procura de emprego na Europa Procura de emprego na Europa IEFP - EURES VAE IPS Setúbal 27 de setembro, de 2016 Porquê ir para fora? MOTIVAÇÕES Perspetivas de emprego Enriquecimento da carreira profissional Novos horizontes: cultura

Leia mais

MUNDO A PRODUÇÃO DO ESPAÇO GLOBAL ( NO MATERIAL PÁGINAS 51 A 55

MUNDO A PRODUÇÃO DO ESPAÇO GLOBAL ( NO MATERIAL PÁGINAS 51 A 55 MUNDO A PRODUÇÃO DO ESPAÇO GLOBAL ( NO MATERIAL PÁGINAS 51 A 55 Pós-Segunda Guerra Mundial A regionalização do mundo em países capitalistas e socialistas Critério: organização econômica, social e política

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO PROFISSIONAL

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO PROFISSIONAL REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO PROFISSIONAL Síntese do Workshop Nacional sobre o Projecto de Centros de Excelência do Ensino Superior para África

Leia mais

Projeto de Investigação Aplicada Alojamento do Futuro

Projeto de Investigação Aplicada Alojamento do Futuro Projeto de Investigação Aplicada Alojamento do Futuro Universidade de Aveiro BTL 2014 Lisboa, 13.03.2014 01. Enquadramento da atividade Evolução da Oferta Instalada Enquadramento da atividade Evolução

Leia mais

Fundada em 1948, a AIESEC é a maior organização

Fundada em 1948, a AIESEC é a maior organização Fundada em 1948, a AIESEC é a maior organização internacional de estudantes universitários e recém-licenciados, identificandose como uma plataforma para os jovens descobrirem e desenvolverem o seu potencial,

Leia mais

Doutoramento ès Sciences Économiques et Sociales, Université de Genève, Suíça, 2008-2012.

Doutoramento ès Sciences Économiques et Sociales, Université de Genève, Suíça, 2008-2012. Curriculum Vitae Luísa Maria d Andrade Godinho Dados Pessoais Nacionalidade: portuguesa Naturalidade: Grenoble, França Email: Lgodinho@autonoma.pt Formação Científica Doutoramento ès Sciences Économiques

Leia mais

Promoção Turística Internacional Copa do Mundo 2014 EMBRATUR. Brasília, 25 de agosto de 2011

Promoção Turística Internacional Copa do Mundo 2014 EMBRATUR. Brasília, 25 de agosto de 2011 Promoção Turística Internacional Copa do Mundo 2014 EMBRATUR Brasília, 25 de agosto de 2011 Plano Aquarela Marketing Turístico Internacional do Brasil Desde 2005 é a base metodológica de todo o trabalho

Leia mais

Apresentação de Resultados. São Paulo, 13 de Agosto de 2014 Auditório Grupo Promon Eduardo Vasconcellos

Apresentação de Resultados. São Paulo, 13 de Agosto de 2014 Auditório Grupo Promon Eduardo Vasconcellos Apresentação de Resultados São Paulo, 13 de Agosto de 2014 Auditório Grupo Promon Eduardo Vasconcellos A Poli é a mais completa e importante faculdade de engenharia da América Latina A ESCOLA POLITÉCNICA

Leia mais

Perspectivas para o Brasil no Cenário Internacional da Borracha Natural - Parte I

Perspectivas para o Brasil no Cenário Internacional da Borracha Natural - Parte I Perspectivas para o Brasil no Cenário Internacional da Borracha Natural - Parte I Augusto Hauber Gameiro e Mariana Bombo Perozzi Sistema de Informações Agroindustriais da Borracha Natural Brasileira Esta

Leia mais

OBJECTIVOS U.PORTO 2010

OBJECTIVOS U.PORTO 2010 OBJECTIVOS U.PORTO 2010 Durante o ano de 2009 foi publicada ou entrou em vigor vária legislação que introduziu inúmeras alterações às disposições legais que enformam a actividade da U.Porto (LVCR, acreditação

Leia mais

INOVAR PARA CRESCER A MAIA NO CENTRO DA CRIAÇÃO DE EMPREGO

INOVAR PARA CRESCER A MAIA NO CENTRO DA CRIAÇÃO DE EMPREGO INOVAR PARA CRESCER A MAIA NO CENTRO DA CRIAÇÃO DE EMPREGO 1- O Mundo Global e os fenómenos de inserção colectiva O processo de globalização competitiva, o terrorismo religioso, a escassez do petróleo

Leia mais

REGULAMENTO DO GABINETE DE GESTÃO DA QUALIDADE DA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA

REGULAMENTO DO GABINETE DE GESTÃO DA QUALIDADE DA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA REGULAMENTO DO GABINETE DE GESTÃO DA QUALIDADE DA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA A integração no espaço europeu de ensino superior das instituições académicas portuguesas trouxe consigo a necessidade de adoptar

Leia mais

Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ)

Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ) Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ) 1 Índice I Disposições Legais... 3 Artigo 1º - Objecto e âmbito de aplicação... 3 II Modelo Organizacional... 3 Artigo 2º - Definição

Leia mais

DESPACHO. ASSUNTO: Regulamento de Candidatura - Programa Leonardo Da Vinci para diplomados ESTeSL

DESPACHO. ASSUNTO: Regulamento de Candidatura - Programa Leonardo Da Vinci para diplomados ESTeSL DESPACHO N.º 29/2013 Data: 2013/06/21 Para conhecimento de: Pessoal Docente, Discente e não Docente ASSUNTO: Regulamento de Candidatura - Programa Leonardo Da Vinci para diplomados ESTeSL 2012-2014. No

Leia mais

Grupo de Trabalho Temático para a Educação para o Empreendedorismo

Grupo de Trabalho Temático para a Educação para o Empreendedorismo Grupo de Trabalho Temático para a Educação para o Empreendedorismo Relatório Final Comissão Europeia, 2014 Sumário executivo Através do presente relatório, a Comissão Europeia pretende apoiar a implementação

Leia mais

Santander Asset Management

Santander Asset Management Santander Asset Management Fundos São Paulo, 08 de novembro de 2006 2 1 2 3 A internacionalização das empresas brasileiras Fundos de Investimento Fundos Multimercados 3 1 2 3 A internacionalização das

Leia mais

Estatística e Probabilidades

Estatística e Probabilidades Estatística e Probabilidades Nesse resumo vamos mostrar como a análise crítica de séries estatísticas podem contribuir para uma compreensão mais precisa da realidade. Todos os dias ouvimos falar sobre

Leia mais

AUDITORIA DA A3ES AO SISTEMA INTERNO DE GARANTIA DA QUALIDADE DO IST

AUDITORIA DA A3ES AO SISTEMA INTERNO DE GARANTIA DA QUALIDADE DO IST AUDITORIA DA A3ES AO SISTEMA INTERNO DE GARANTIA DA QUALIDADE DO IST 1 Marta Pile Área de Estudos e Planeamento Cecília Moreira Área para Qualidade e Auditoria Interna Workshop sobre Qualidade no Ensino

Leia mais

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE AMBIENTE INTERNO: PONTOS FORTES E PONTOS FRACOS GT2 Gestão da Qualidade no Ensino Superior 13.11.2103 / IPAM Porto Introdução Trabalho fruto

Leia mais

Olá, somos a SRI e, sim, amamos internacionalização.

Olá, somos a SRI e, sim, amamos internacionalização. Olá, somos a SRI e, sim, amamos internacionalização. E nosso bate-papo será rápido ;-) Mobilidade Internacional Ensino de Línguas Estrangeiras Programas de Intercâmbio Cultural PROGRAMAS DE MOBILIDADE

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades Desagregação das medidas e das tipologias de atividades ESTRATÉGIA NACIONAL

Leia mais

GUIÃO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO/ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDO EM FUNCIONAMENTO (AACEF) (Ensino Universitário)

GUIÃO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO/ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDO EM FUNCIONAMENTO (AACEF) (Ensino Universitário) GUIÃO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO/ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDO EM FUNCIONAMENTO (AACEF) (Ensino Universitário) Versão de 17 de maio de 2012 1 CARACTERIZAÇÃO DO CICLO DE ESTUDOS A.1. Instituição

Leia mais

Sessão de Informação ERASMUS+

Sessão de Informação ERASMUS+ Sessão de Informação ERASMUS+ Mobilidade de indivíduos para aprendizagem (KA1) Mobilidade de staff, em particular de pessoal docente, diretores de escolas e profissionais ativos no domínio da juventude

Leia mais

Procura de emprego na Europa

Procura de emprego na Europa Procura de emprego na Europa IEFP - EURES Volta de Apoio ao Emprego Santarém,13 de Maio, de 2016 Trabalhar noutro país Porquê ir para fora? MOTIVAÇÕES Perspetivas de emprego Enriquecimento da carreira

Leia mais

Estudos Africanos. Clara Carvalho. Centro de Estudos Internacionais (CEI-IUL) Lisboa, Ciência 2016

Estudos Africanos. Clara Carvalho. Centro de Estudos Internacionais (CEI-IUL) Lisboa, Ciência 2016 Estudos Africanos Clara Carvalho Centro de Estudos Internacionais (CEI-IUL) Lisboa, Ciência 2016 De que falamos quando falamos de estudos africanos? Evolução dos estudos africanos Estudos africanos como

Leia mais

Evolução da indústria farmacêutica brasileira

Evolução da indústria farmacêutica brasileira 7 o Encontro de Pesquisa Clínica do CEPIC Apoio à inovação no Brasil: a participação do BNDES 08/06/2013 Agenda Evolução da indústria farmacêutica brasileira Oportunidade em biotecnologia Cenário de pesquisa

Leia mais

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO 1 PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) 1984-2014 2 2 FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO DESAFIOS DA ECONOMIA BRASILEIRA: DEMOGRAFIA, MERCADO DE TRABALHO E AMBIENTE EXTERNO 3 3 O BAIXO DESEMPREGO NO

Leia mais

O RECONHECIMENTO E VALIDAÇÃO DOS CRÉDITOS DA MOBILIDADE ESTUDANTIL DA UEFS: OBSTÁCULOS E DESAFIOS. Equipe da Assessoria Especial de Relações

O RECONHECIMENTO E VALIDAÇÃO DOS CRÉDITOS DA MOBILIDADE ESTUDANTIL DA UEFS: OBSTÁCULOS E DESAFIOS. Equipe da Assessoria Especial de Relações O RECONHECIMENTO E VALIDAÇÃO DOS CRÉDITOS DA MOBILIDADE ESTUDANTIL DA UEFS: OBSTÁCULOS E DESAFIOS. Equipe da Assessoria Especial de Relações Institucionais e Autores: Rita Castro Eneida Soanne de Oliveira

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE CURSO 2015/16 (Curso Desporto e Lazer) Escola Superior de Desporto e Lazer

RELATÓRIO ANUAL DE CURSO 2015/16 (Curso Desporto e Lazer) Escola Superior de Desporto e Lazer Relatório Anual de Curso (Público) RELATÓRIO ANUAL DE CURSO 2015/16 (Curso Desporto e Lazer) Escola Superior de Desporto e Lazer Índice 1. Estudantes e ambiente de ensino e aprendizagem... 2 1.1 Caracterização

Leia mais

RESUMO IBRASIL ERASMUS MUNDUS

RESUMO IBRASIL ERASMUS MUNDUS Apoio financeiro RESUMO IBRASIL ERASMUS MUNDUS http://www.ibrasilmundus.eu/courses O projeto prevê aos candidatos selecionados os seguintes auxílios financeiros durante todo o período de mobilidade na

Leia mais

Certificar para Ganhar o Futuro Ponta Delgada, 19 de Junho 2007 José Leitão CEO APCER

Certificar para Ganhar o Futuro Ponta Delgada, 19 de Junho 2007 José Leitão CEO APCER Certificar para Ganhar o Futuro Ponta Delgada, 19 de Junho 2007 José Leitão CEO APCER www.apcer.pt AGENDA APCER: Quem Somos Porquê Certificar para Ganhar o Futuro? Região Autónoma dos Açores como Mercado

Leia mais

A l e x a n d r a P e r e i r a G R I - P l a n o E s t r a t é g i c o e d e A ç ã o 2 0 1 2-15 Página 1

A l e x a n d r a P e r e i r a G R I - P l a n o E s t r a t é g i c o e d e A ç ã o 2 0 1 2-15 Página 1 GABINETE DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DO ISAG PLANO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO 31 de Outubro de 2012 A l e x a n d r a P e r e i r a G R I - P l a n o E s t r a t é g i c o e d e A ç ã o 2 0 1 2-15 Página

Leia mais

O Mar no próximo QFP

O Mar no próximo QFP O Mar no próximo QFP 2014-2020 Fórum do Mar José Manuel Fernandes Deputado ao Parlamento Europeu Estratégia Europa 2020 A guia das próximas perspectivas financeiras Estratégia Europa 2020 2020 Crescimento

Leia mais

MOBILIDADE DE ESTUDANTES PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL ERASMUS ERASMUS PLACEMENT (SMP) INFORMAÇÕES GERAIS

MOBILIDADE DE ESTUDANTES PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL ERASMUS ERASMUS PLACEMENT (SMP) INFORMAÇÕES GERAIS MOBILIDADE DE ESTUDANTES PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL ERASMUS ERASMUS PLACEMENT (SMP) Estágios Profissionais Erasmus INFORMAÇÕES GERAIS O Erasmus dá a possibilidade aos estudantes do ensino

Leia mais

DE PÓS-GRADUAÇÃO

DE PÓS-GRADUAÇÃO 6.2.2. DE PÓS-GRADUAÇÃO As áreas de abrangência da UFOB têm experimentado importante crescimento econômico e populacional nos últimos 30 anos, fato que tem ampliado significativamente a demanda por profissionais

Leia mais

REGULAMENTO DE INVESTIGAÇÃO - ESCS. Artigo 1º. Missão

REGULAMENTO DE INVESTIGAÇÃO - ESCS. Artigo 1º. Missão REGULAMENTO DE INVESTIGAÇÃO - ESCS Artigo 1º Missão Os grupos de investigação têm como objetivo a promoção e desenvolvimento de atividades de investigação & desenvolvimento no âmbito das áreas científicas

Leia mais

BOLETIM: Agosto/2016 Produtividade no Contexto Mundial: onde e porque a produtividade tem caído? PESQUISA DE PRODUTIVIDADE

BOLETIM: Agosto/2016 Produtividade no Contexto Mundial: onde e porque a produtividade tem caído? PESQUISA DE PRODUTIVIDADE BOLETIM: Agosto/2016 Produtividade no Contexto Mundial: onde e porque a produtividade tem caído? PESQUISA DE PRODUTIVIDADE SOBRE A EQUIPE TÉCNICA DA FUNDAÇÃO DOM CABRAL (FDC) COORDENAÇÃO TÉCNICA DA PESQUISA

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO OUI Aprovado pala Assembleia geral da OUI

PLANO ESTRATÉGICO OUI Aprovado pala Assembleia geral da OUI PLANO ESTRATÉGICO OUI 2017 2022 Aprovado pala Assembleia geral da OUI 25 de novembro de 2016 INSPIRAÇÃO OUI "Desejo estabelecer, além e livre de toda fronteira, seja esta política, geográfica, econômica,

Leia mais

ACEF/1314/04432 Relatório final da CAE

ACEF/1314/04432 Relatório final da CAE ACEF/1314/04432 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Do Porto A.1.a. Outras Instituições

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA TEMA 4: FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA TEMA 4: FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA TEMA 4: FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Alunas: Erika Martins dos Reis 1 Alessandra B. R. de Azevedo Disciplina: Química do Meio Ambiente

Leia mais

Plano de ação para 2017 da Plataforma de Intercâmbio de Conhecimentos Comité das Regiões Europeu

Plano de ação para 2017 da Plataforma de Intercâmbio de Conhecimentos Comité das Regiões Europeu Plano de ação para 2017 da Plataforma de Intercâmbio de Conhecimentos Comité das Regiões Europeu A Plataforma de Intercâmbio de Conhecimentos é uma forma de cooperação entre o Comité das Regiões Europeu

Leia mais

Produtividade na economia brasileira

Produtividade na economia brasileira Produtividade na economia brasileira Prof. Hildo Meirelles de Souza Filho Extraído de: Andrade, Márcio Rodrigues de PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA BRASILEIRA ENTRE 1990 E 2002: COMPARAÇÃO ENTRE INDÚSTRIAS

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,25%

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,25% mar-08 jul-08 nov-08 mar-09 jul-09 nov-09 mar-10 jul-10 nov-10 mar-11 jul-11 nov-11 mar-12 jul-12 nov-12 mar-13 jul-13 nov-13 mar-14 jul-14 nov-14 mar-15 jul-15 nov-15 META DA TAXA SELIC Cenário básico

Leia mais

Intercâmbio: Educação fora do Brasil

Intercâmbio: Educação fora do Brasil Intercâmbio: Educação fora do Brasil BELTA Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais MISSÃO Desenvolver, facilitar e promover uma educação global, visando maior integração

Leia mais

Curso de Extensão: Noções de Macroeconomia para RI (PIB)

Curso de Extensão: Noções de Macroeconomia para RI (PIB) Federal University of Roraima, Brazil From the SelectedWorks of Elói Martins Senhoras Winter January 1, 2008 Curso de Extensão: Noções de Macroeconomia para RI (PIB) Eloi Martins Senhoras Available at:

Leia mais

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE ENCONTRO DA COMISSÃO SECTORIAL PARA A EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO CS/11 ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES,

Leia mais

A melhor estratégia para participar no Horizonte Eunice Ribeiro Elisabete Pires

A melhor estratégia para participar no Horizonte Eunice Ribeiro Elisabete Pires A melhor estratégia para participar no Horizonte 2020 Eunice Ribeiro Elisabete Pires Hoje: Quando e como começar Uma viagem pelo Portal do H2020 (online) Conhecer os documentos de referência Como encontrar

Leia mais

ORGANISMOS MULTILATERAIS TRATADO DE NÃO PROLIFERAÇÃO NUCLEAR SISTEMA BRETTON WOODS

ORGANISMOS MULTILATERAIS TRATADO DE NÃO PROLIFERAÇÃO NUCLEAR SISTEMA BRETTON WOODS ORGANISMOS MULTILATERAIS TRATADO DE NÃO PROLIFERAÇÃO NUCLEAR SISTEMA BRETTON WOODS - Atuação segundo orientações estratégicas - Adotar normas comuns de comportamento político, social, etc. Planejar e concretizar

Leia mais

CNaPPES % dos jovens entre os 18 e os 29 utilizam a Internet. 90% dos jovens usam redes sociais

CNaPPES % dos jovens entre os 18 e os 29 utilizam a Internet. 90% dos jovens usam redes sociais CNaPPES.16 Gabinete de Apoio ao Tutorado GATu Isabel Gonçalves - Sofia Sá - Gonçalo Moura - Rita Wahl 97% dos jovens entre os 18 e os 29 utilizam a Internet (Pew Research Center s Internet & American Life

Leia mais