PLANO AQUARELA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO AQUARELA"

Transcrição

1 PLANO AQUARELA

2 Evolução do Turismo no Mundo TABELA 1 TENDÊNCIAS DO TURISMO MUNDIAL - ENTRADA DE TURISTAS (MILHÕES) Previsão 2010 Previsão 2020 MUNDO 694,0 764,0 806,0 842, , ,0 AMÉRICAS 112,4 125,7 133,5 136,2 190,0 282,0 AMÉRICA DO SUL 9,3 16,2 18,2 19,5 26,9 42,8 Fontes: Turismo: Panorama Previsiones mundiales y perfiles de los segmentos de mercado. OMT, & Barômetro OMT del Turismo Mundial, Vol. 4. Outubro de 2006 & Barômetro OMT del Turismo Mundial. Janeiro de 2007.

3 CRESCIMENTO DO TURISMO MUNDIAL POR REGIÃO TURISMO NO MUNDO % % 4% 16% 4% 4% 5% 5% 16% 16,5% ,5% 5% 17% 59% 17% 20% 59% 54% 19% 55% Europa Ásia e Pacífico Américas África Oriente Médio Fonte: Barômetro OMT del Turismo Mundial. Outubro de & Barômetro OMT del Turismo Mundial. Janeiro 2007.

4 CRESCIMENTO DO TURISMO NAS AMÉRICAS CHEGADAS DE TURISTAS INTERNACIONAIS NAS AMÉRICAS EM MILHÕES MÉDIA DE CRESCIMENTO 2003/ MÉDIA DE CRESCIMENTO 2004/ MÉDIA DE CRESCIMENTO 2005/2006 América do Norte 76,1 85,7 11,1% 89,9 6,2% 90,3 0,5% Caribe 17,3 18,1 10,9% 18,9 4,9% 19,5 3,2% América Central 4,9 5,7 5,9% 6,5 4,3% 6,9 6,1% América do Sul 14,2 16,2 15,6% 18,2 15,7% 19,5 7,2% TOTAL 112,4 125,7 17,2% 133,5 12,2% 136,2 2,1% Fontes: Tendências dos mercados turísticos: as Américas OMT Barômetro OMT del Turismo Mundial. Volume 4, outubro de OMT Barômetro OMT del Turismo Mundial.Janeiro de OMT

5 2005 O VOLUME TURÍSTICO NAS SUB-REGIÕES DAS AMÉRICAS 4,9% 13,6% ,4% 12,6% 15,4% 67,7% 14,2% ,5% 12,9% 14,4% 68,2% ,9% 13,6% 14,2% 67,3% 67,3% 14,3% 14,3% 5,1% 66,3% AMÉRICA DO NORTE CARIBE AMÉRICA DO SUL AMÉRICA CENTRAL Fonte: Barômetro OMT del Turismo Mundial & Janeiro 2007.

6 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO TURISMO RECURSOS PRODUTOS OFERTAS MERCADO DESENVOLVIMENTO ATRATIVOS NATURAIS E CULTURAIS (patrimônio, artesanato, gastronomia, intangives) MARKETING MERCADOS NACIONAL INTERNACIONAL ATUAÇÕES TRADE CONSUMIDOR INFRA-ESTRUTURAS E SERVIÇOS GERAIS E DO SETOR TURÍSTICO PESSOAS PRODUTOS GERAIS ESPECIALIZADOS POSICIONAMENTO + TURISTAS + RECEITAS EMPREGOS ORGANIZAÇÃO PLANEJAMENTO E LEGISLAÇÃO MAIOR BEM ESTAR

7 PLANO AQUARELA- UMA ESTRATÉGIA DE PAÍS Implantação de um novo modelo de qualidade da promoção internacional; A criação e colocação no mercado turístico mundial da primeira marca turística do Brasil; Estabelecimento de uma imagem global do turismo do Brasil no mundo; Estabelecimento de posicionamento frente aos principais destinos líderes do turismo mundial; Orientações e diretrizes claras para as ações promocionais do Brasil no exterior; Compartilhamento das estratégias com o setor público dos Estados; Informações estratégicas sobre mercados, oferta e demanda; Criação e operação profissional dos escritórios brasileiros no exterior.

8 PARA ISSO... DEFINICAO DAS ESTRATEGIAS DE MARKETING DEFINICAO DO PLANO OPERACIONAL DE PROMOCAO E DAS ACOES NOS MERCADOS PRIORITARIOS

9 A VISÃO 2010 O POSICIONAMENTO DESEJADO OBJETIVOS 2010 METAS 2010 MERCADOS E SEGMENTOS SELEÇÃO DE PRODUTOS PORTFÓLIO PRODUTOS / MERCADOS ORÇAMENTO DE PROMOÇÃO

10 VISÃO 2010 O BRASIL É O DESTINO LÍDER DA AMÉRICA DO SUL E UM DOS PAÍSES LÍDERES NO TURISMO MUNDIAL

11 VISÃO 2010 DECÁLOGO MENSAGEM PERMANENTE MARCA

12 O DECÁLOGO DO BRASIL PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE PRAIAS (LITORAL) NATUREZA CULTURA VIVA POVO CLIMA CENÁRIO FLORESTA ÍCONES BIODIVERSIDADE FESTA E MÚSICA PATRIMÔNIO HISTÓRICO ARTE POPULAR ALEGRIA SOL O ANO INTEIRO ÁGUA FAUNA FLORA PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE + MODERNIDADE

13 OS CONCEITOS SUPERAR OS ESTEREÓTIPOS CONSTRUIR A MARCA NO LONGO PRAZO A MARCA EXPRESSA O PLANO AQUARELA O DESAFIO É CONSTRUIR UMA MARCA QUE SEJA ASSUMIDA POR TODO O PAÍS, NÃO APENAS PELO GOVERNO FEDERAL A MARCA DEVE OBEDECER AO POSICIONAMENTO DESEJADO: O BRASIL É NATUREZA E ESTILO DE VIDA A MARCA DEVE CARREGAR OS CONCEITOS DE BRASILIDADE AGREGANDO UM VALOR CENTRAL: MODERNIDADE

14 EXOTISMO PATRIMÔNIO NATURAL PATRIMÔNIO HISTÓRICO BRASIL ESTILO DE VIDA

15

16

17 PLANO OPERACIONAL ATUAÇÃO NOS MERCADOS FERRAMENTAS DE PROMOÇÃO IMPRENSA TRADE CONSUMIDOR BANCO DE IMAGENS BRASILNETWORK BRAZILTOUR CAMPANHAS PUBLICITÁRIAS CAPTAÇÃO E PROMOÇÃO DE EVENTOS CARAVANAS EBTs E COMITÊS DESCUBRA BRASIL EVENTOS E AÇÕES PROMOCIONAIS PARA O PÚBLICO FINAL EVENTOS PROMOCIONAIS FEIRAS INTERNACIONAIS DE NEGÓCIOS FEIRAS INTERNACIONAIS DE TURISMO MATERIAL PROMOCIONAL MONITOR BRASIL PRESS TRIPS PROJETOS ESPECIAIS RELAÇÕES PÚBLICAS SEMINÁRIOS DE VENDA TREINAMENTO À DISTÂNCIA PARA AGENTES DE VIAGEM

18 PARTE I O PLANO AQUARELA

19 Crescimento do turismo no Brasil

20 CRESCIMENTO DO TURISMO NO BRASIL NÚMERO DE TURISTAS ,4 % - CRESCIMENTO DE TURISTAS FONTE: DPF/ EMBRATUR

21 PERFIL DO TURISTA ESTRANGEIRO 11,78% É O AUMENTO DA ENTRADA DE DIVISAS COM TURISTAS ESTRANGEIROS ENTRE 2005 E ,2% VIERAM A NEGÓCIOS (29,1% EM 2005) 23,6% VISITARAM PARENTES E AMIGOS (22,6% EM 2005) 32,2% DOS TURISTAS DE LAZER CONHECERAM O NORTE E O NORDESTE Fonte: FIPE-2006

22 PERFIL DO TURISTA ESTRANGEIRO O TURISTA ESTRANGEIRO ESTÁ MAIS SATISFEITO E GASTA MAIS US$ 66,7 GASTO DIÁRIO DOS QUE VIERAM A LAZER EM ,2% DOS QUE VIERAM A NEGÓCIO PRETENDEM VOLTAR EXPECTATIVA DOS QUE VIERAM A LAZER 14,6% ATENDEU EM PARTE OU DECEPCIONOU 85,4% SUPEROU OU ATENDEU PLENAMENTE Fonte: FIPE-2006

23 OPINIÃO DO TURISTA ESTRANGEIRO NO BRASIL O BRASIL FIDELIZA O TURISTA ESTRANGEIRO 86% PRETENDE VOLTAR AO BRASIL 51% CONHECER NOVOS LUGARES EM OUTRAS REGIÕES DO PAÍS 28% PELA CULTURA VIVA E PELO POVO 57% 68% 94% 32% CONSIDERAM O PRODUTO DE BOA QUALIDADE CONSIDERAM O PREÇO DO PRODUTO DE MÉDIO A BAIXO RECOMENDARIAM O BRASIL A AMIGOS E FAMILIARES VIERAM POR RECOMENDAÇÃO DE AMIGOS E FAMILIARES Fonte: VOX POPULI -2006

24 PARTE II O PLANO AQUARELA

25 PARA MANUTENÇÃO DA LINHA ESTRATÉGICA DE PROMOÇÃO (Visão, Decálogo, Marca, Mensagem Global) ATUALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS E DAS PRIORIDADES DE MERCADO A PARTIR DAS MUDANÇAS E TENDÊNCIAS DO CENÁRIO MUNDIAL E DA EXPERIÊNCIA ADQUIRIDA ATUALIZAÇÃO DAS METAS 2010 DEFINIÇÃO DO PLANO DE AÇÕES POR MERCADO

26 OBJETIVOS GERAIS CRESCIMENTO DA ENTRADA DE TURISTAS ACIMA DA MÉDIA DA AMÉRICA DO SUL CRESCIMENTO DA ENTRADA DE DIVISAS CRESCIMENTO DO GASTO MÉDIO DO TURISTA AUMENTO DA PERMANÊNCIA MÉDIA ATUAL

27 PLANOS POR PAÍSES 1. ESTRATÉGIA EVOLUÇÃO DA ENTRADA DE TURISTAS METAS DA ENTRADA DE TURISTAS GASTO MÉDIO PERMANÊNCIA MÉDIA DESTINO COMPETIDORES SITUAÇÃO DA ACESSIBILIDADE AÉREA METAS DA ACESSIBILIDADE AÉREA RECOMENDAÇÕES PROMOCIONAIS CONTEÚDO DOS PRODUTOS MENSAGEM ESPECÍFICA PARA O MERCADO DISTRIBUIÇÃO DE ORÇAMENTO POR PÚBLICO ALVO

28 MERCADOS PRIORITARIOS Alemanha Holanda Paraguai Argentina Bélgica Peru Estados Unidos Itália Suécia Inglaterra Portugal Noruega Canadá Uruguai Dinamarca Chile Colômbia Finlândia Espanha Japão Suíça Franca México China

29 CRITÉRIOS PARA PRIORIDADES POR PAÍSES 1. ATRATIVIDADE DO MERCADO MAIOR NÚMERO DE TURISTAS ATUAIS. MAIOR GASTO DIÁRIO MAIOR PERMANÊNCIA MÉDIA RITMO DE CRESCIMENTO POTENCIAL DE CRESCIMENTO DO MERCADO GRAU DE INTERESSE DO TURISTA POTENCIAL 2. POSIÇÃO COMPETITIVA ACESSIBILIDADE AÉREA QUOTA COMPETITIVA INVESTIMENTO DE MARKETING ACUMULADO PRESENÇA ATUAL DO BRASIL NO TRADE

30 OBJETIVOS POR PAÍSES GRUPOS DE PAÍSES PRIORITÁRIOS: AZUIS ALTÍSSIMA PRIORIDADE VERDES ALTA PRIORIDADE O CONJUNTO DESTES DOIS GRUPOS CONFIGURA O SUBTOTAL ALTA PRIORIDADE. AMARELOS ALTO INTERESSE PELO BRASIL E PELA GRANDE ACESSIBILIDADE BRANCOS EMERGENTES E OPORTUNIDADES

31 PLANOS POR PAÍSES 2. PLANO OPERACIONAL AÇÕES GERAIS AÇÕES POR PÚBLICO ALVO IMPRENSA TRADE CONSUMIDOR CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO SETOR RESPONSÁVEL PELA GESTÃO DA AÇÃO PARCEIROS PÚBLICOS E PRIVADOS

32 CONCLUSÕES ASPECTOS GERAIS DO CENÁRIO MUNDIAL DO TURISMO: GRANDE VULNERABILIDADE A FATORES EXTERNOS (CRISES POLÍTICAS E ECONÔMICAS, MODISMOS E TENDÊNCIAS DE CONSUMO, VARIAÇÕES CAMBIAIS, CRISES AÉREAS, ETC) CRESCENTE IMPORTÂNCIA PARA AS ECONOMIAS MUNDIAIS, NACIONAIS E LOCAIS MAIOR PROFISSIONALISMO O CENÁRIO SE TORNA MAIS COMPETITIVO NECESSIDADE DE PLANEJAMENTO DE MARKETING (INSERÇÃO COMPETITIVA DOS DESTINOS)

33 CONCLUSÕES BRASIL NO CENÁRIO MUNDIAL DO TURISMO: PLANO AQUARELA IMPORTANTE SALTO PARA O DESENVOLVMENTO DO TURISMO BRASILEIRO A NÍVEL INTERNACIONAL ATUAÇÃO MAIS FOCADA ATRAVÉS DO PLANEJAMENTO MAXIMIZAÇÃO DOS RESULTADOS

34 CONCLUSÕES BRASIL E PAÍSES DE FRONTEIRA: IMPORTANTES MERCADOS EMISSORES PARA O BRASIL (30% do volume total de chegadas em 2006) O POTENCIAL DE CRESCIMENTO E RELATIVAMENTE LIMITADO EM RELAÇÃO AO VOLUME DE TURISTAS DESAFIOS PARA O BRASIL: MANTER A POSIÇÃO COMPETITIVA E CONSOLIDAR UM CRESCIMENTO GRADUAL (Argentina) AUMENTAR O GASTO MEDIO E A PERMANÊNCIA (excursionista X turista) ATUAÇÃO DO EBT AMERICA DO SUL E DOS COMITES DESCUBRA O BRASIL

35 CONCLUSÕES RELAÇÃO BRASIL E PAÍSES DE FRONTEIRA: OPORTUNIDADE PARA ATUAÇÃO CONJUNTA EM PAÍSES MAIS DISTANTES (Japão, China, etc.) ESTABELECIMENTO DE PARCERIAS E ACORDOS DE COOPERAÇÃO PARA PROMOÇÃO DESAFIO: CONSOLIDAR OS PRODUTOS INTEGRADOS E ALINHAR ESTRATÉGIAS PARA PROMOÇÃO CONJUNTA ATUACAO DO ESCRITORIO DE TURISMO DO MERCOSUL NO JAPAO

Promoção Turística Internacional Copa do Mundo 2014 EMBRATUR. Brasília, 25 de agosto de 2011

Promoção Turística Internacional Copa do Mundo 2014 EMBRATUR. Brasília, 25 de agosto de 2011 Promoção Turística Internacional Copa do Mundo 2014 EMBRATUR Brasília, 25 de agosto de 2011 Plano Aquarela Marketing Turístico Internacional do Brasil Desde 2005 é a base metodológica de todo o trabalho

Leia mais

Plano Aquarela 2020. Promoção Internacional do Turismo do Brasil Estratégia e Plano de Ação 2012. Porto Alegre, 28 de maio de 2012

Plano Aquarela 2020. Promoção Internacional do Turismo do Brasil Estratégia e Plano de Ação 2012. Porto Alegre, 28 de maio de 2012 Plano Aquarela 2020 Promoção Internacional do Turismo do Brasil Estratégia e Plano de Ação 2012 Porto Alegre, 28 de maio de 2012 EMBRATUR - Estrutura Organizacional Presidência Diretoria de Mercados Internacionais

Leia mais

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Tribunal de Contas da União, 17 de agosto de 2011 Plano Aquarela Desde 2005 é a base metodológica

Leia mais

PANORAMA DOS MERCADOS Sul-Americanos

PANORAMA DOS MERCADOS Sul-Americanos Boletim PANORAMA DOS MERCADOS Sul-Americanos Edição nº 1 Julho/2015 Coordenação Geral de Mercados Americanos/Asiático - CGMA Diretoria de Mercados Internacionais - DMINT Apresentação A série Boletim Panorama

Leia mais

PLANO AQUARELA MARKETING TURÍSTICO INTERNACIONAL DO BRASIL

PLANO AQUARELA MARKETING TURÍSTICO INTERNACIONAL DO BRASIL PLANO AQUARELA MARKETING TURÍSTICO INTERNACIONAL DO BRASIL 2007-2010 ANTECEDENTES Em 2004 foi iniciada a elaboração do Plano Aquarela - Marketing Turístico Internacional do Brasil, cujos objetivos foram

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

PANORAMA DO MERCADO Asiático

PANORAMA DO MERCADO Asiático Boletim PANORAMA DO MERCADO Asiático Edição nº 1 Julho/2015 Coordenação Geral de Mercados Americanos/Asiático - CGMA Diretoria de Mercados Internacionais - DMINT Apresentação A série Boletim Panorama dos

Leia mais

COMUNICAÇÃO DIGITAL EMBRATUR

COMUNICAÇÃO DIGITAL EMBRATUR COMUNICAÇÃO DIGITAL EMBRATUR Nova forma de se COMUNICAR INTERAÇÃO E EXPERIÊNCIA Estratégia Macro de Mídia Apoio à operação com aumento dos esforços em web e trade Mídia de bordo em cias aéreas Publicações

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

TURISMO NA REGIÃO NORDESTE

TURISMO NA REGIÃO NORDESTE TURISMO NA REGIÃO NORDESTE 2012 Banco do Nordeste do Brasil S/A Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste ETENE Central de Informações Econômicas, Sociais e Tecnológicas - CIEST Presidente:

Leia mais

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente:

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente: Resumo Com a criação do Ministério do Turismo em 2003, o Brasil passa a ter, pela primeira vez em sua história, um ministério voltado exclusivamente para a atividade turística. A partir de então a Embratur

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

200 4 Anuário Estatístico

200 4 Anuário Estatístico 2004 Anuário Estatístico REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Presidente MINISTÉRIO DO TURISMO WALFRIDO SILVINO DOS MARES GUIA Ministro INSTITUTO BRASILEIRO DE TURISMO EMBRATUR EDUARDO

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO 2012 ABIH-RJ FECOMÉRCIO-RJ ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Pesquisa mensal da ABIH-RJ que visa acompanhar a taxa de ocupação nas unidades de hospedagem da

Leia mais

O Paraná no mercado de turismo

O Paraná no mercado de turismo O TURISMO NO PARANÁ O Paraná no mercado de turismo Os principais pontos positivos são: 1.Cataratas de Foz de Iguaçu patrimônio natural da Humanidade (UNESCO), 3º destino mais visitado por turistas, além

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil

Estatísticas básicas de turismo. Brasil Estatísticas básicas de turismo Brasil Brasília, outubro de 2010 Estatísticas básicas de turismo Índice Páginas I - Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional 1.1 - Chegadas de turistas internacionais

Leia mais

Dois Cenários Antagônicos para 2015

Dois Cenários Antagônicos para 2015 Dois Cenários Antagônicos para 2015 Celso L. Martone Setembro de 2014 A Herança Lula/Dilma I Taxa de inflação efetiva de 7,5%, contida a 6,5% pelo congelamento de preços administrados (energia, combustíveis,

Leia mais

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB O NÚCLEO DE ECONOMIA EMPRESARIAL ESPM-SUL PESQUISA E APOIO 1. Despesas em

Leia mais

FLUXO TURÍSTICO INTERNACIONAL PARA O RS: A EVOLUÇÃO NA ÚLTIMA DÉCADA

FLUXO TURÍSTICO INTERNACIONAL PARA O RS: A EVOLUÇÃO NA ÚLTIMA DÉCADA FLUXO TURÍSTICO INTERNACIONAL PARA O RS: A EVOLUÇÃO NA ÚLTIMA DÉCADA RESUMO Leandro Carvalho 1 Maximilianus Andrey Pontes Pinent 2 Marcia Colao Merllo 3 Este artigo tem o objetivo de analisar a evolução

Leia mais

COMPROMISSO COM A FAMILIA

COMPROMISSO COM A FAMILIA Rua Bela Vista, 220 Vila Camisão COMPROMISSO COM A FAMILIA A família é o objetivo central da Democracia Cristã, ação politica inspirada nos ideais do Cristianismo. Fomos nós, Social-Democrata-Cristãos,

Leia mais

Pesquisa com visitantes domésticos e internacionais dos Jogos Rio 2016 Resultados Preliminares

Pesquisa com visitantes domésticos e internacionais dos Jogos Rio 2016 Resultados Preliminares Pesquisa com visitantes domésticos e internacionais dos Jogos Rio 2016 Resultados Preliminares Metodologia Público-alvo Pesquisa doméstica Turistas domésticos em viagem ao Rio de Janeiro, durante os Jogos

Leia mais

Administração de recursos de terceiros no Brasil e no mundo: evolução e perspectivas

Administração de recursos de terceiros no Brasil e no mundo: evolução e perspectivas Robert John van Dijk Diretor Superintendente Administração de recursos de terceiros no Brasil e no mundo: evolução e perspectivas Agosto de 2008 Agenda - Administração de recursos de terceiros: no Brasil

Leia mais

DESEMPENHO DO TURISMO EM ALAGOAS, PARA ABRIL DE 2015

DESEMPENHO DO TURISMO EM ALAGOAS, PARA ABRIL DE 2015 DESEMPENHO DO TURISMO EM ALAGOAS, PARA ABRIL DE 2015 Superintendência de Produção da Informação e do Conhecimento (SINC) Diretoria de Estatística e Indicadores Conforme último relatório Focus do Banco

Leia mais

RESPOSTAS AOS QUESTIONAMENTOS REALIZADOS PELA FSB COMUNICAÇÃO

RESPOSTAS AOS QUESTIONAMENTOS REALIZADOS PELA FSB COMUNICAÇÃO COMUNICADO DE QUESTIONAMENTOS nº 002/2010-CEL Prezados(as) Senhores(as), O presente tem por objetivo divulgar respostas às solicitações de esclarecimentos/questionamentos, referentes à Concorrência nº

Leia mais

"PERFIL DO HÓSPEDE DE FOZ IGUAÇU" JULHO 2015 PERFIL DO HÓSPEDE DE FOZ DO IGUAÇU " JULHO 2013

PERFIL DO HÓSPEDE DE FOZ IGUAÇU JULHO 2015 PERFIL DO HÓSPEDE DE FOZ DO IGUAÇU  JULHO 2013 "PERFIL DO HÓSPEDE DE FOZ IGUAÇU" JULHO 2015 PERFIL DO HÓSPEDE DE FOZ DO IGUAÇU " JULHO 2013 FOZ DO IGUAÇU, SETEMBRO DE 2015 FOZ DO IGUAÇU, SETEMBRO DE 2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE FOZ DO IGUAÇU Reni Clóvis

Leia mais

mensário estatístico - exportação Janeiro 2011 CAFÉ EM GRÃOS

mensário estatístico - exportação Janeiro 2011 CAFÉ EM GRÃOS mensário estatístico - CAFÉ EM GRÃOS CONDIÇÕES Este relatório foi preparado pela Linus Galena Consultoria Econômica exclusivamente para uso de seus clientes e não poderá ser circulado, reproduzido, distribuído

Leia mais

BUSCA DE FIDELIZACÃO DOS CLIENTES ATRAVES DA QUALIDADE NO ATENDIMENTO

BUSCA DE FIDELIZACÃO DOS CLIENTES ATRAVES DA QUALIDADE NO ATENDIMENTO BUSCA DE FIDELIZACÃO DOS CLIENTES ATRAVES DA QUALIDADE NO ATENDIMENTO Taynná BECKER 1 Priscila GUIDINI 2 RESUMO: O artigo apresenta a importância da fidelização de clientes para as empresas, e como a qualidade

Leia mais

Programa para o desenvolvimento do Cycling & Walking no Algarve 2016-2019

Programa para o desenvolvimento do Cycling & Walking no Algarve 2016-2019 Programa para o desenvolvimento do Cycling & Walking no Algarve 2016-2019 Turismo de Portugal Região de Turismo do Algarve Associação de Turismo do Algarve AMAL 1 DECISÃO ESTRATÉGICA Atuar no combate à

Leia mais

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Náutica Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para

Leia mais

Mercados emergentes precisam fazer mais para continuar a ser os motores do crescimento global

Mercados emergentes precisam fazer mais para continuar a ser os motores do crescimento global Mercados emergentes precisam fazer mais para continuar a ser os motores do crescimento global de janeiro de 1 Por Min Zhu Em nossa Reunião Anual de outubro de 13, travamos um longo debate sobre as perspectivas

Leia mais

ABIH-RJ FECOMÉRCIO- RJ

ABIH-RJ FECOMÉRCIO- RJ 2014 ABIH-RJ FECOMÉRCIO- RJ ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Pesquisa mensal da ABIH-RJ que visa acompanhar a taxa de ocupação nas unidades de hospedagem da

Leia mais

2.2 Ambiente Macroeconômico

2.2 Ambiente Macroeconômico Por que Ambiente Macroeconômico? Fundamentos macroeconômicos sólidos reduzem incertezas sobre o futuro e geram confiança para o investidor. A estabilidade de preços é uma condição importante para processos

Leia mais

Ministério do Turismo RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO DE 2007

Ministério do Turismo RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO DE 2007 Ministério do Turismo RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO DE 2007 Brasília DF, 31 de Março de 2008 Missão Ser responsável pelas ações de promoção, marketing e apoio à comercialização dos produtos, serviços

Leia mais

AGENDA DESEMPENHO FINANCEIRO NOSSO NEGÓCIO VANTAGENS COMPETITIVAS OPORTUNIDADES

AGENDA DESEMPENHO FINANCEIRO NOSSO NEGÓCIO VANTAGENS COMPETITIVAS OPORTUNIDADES Dezembro de 2015 1 DISCLAIMER Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira

Leia mais

SISTEMA DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA Visão Geral, Evolução e Perspectivas no Brasil

SISTEMA DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA Visão Geral, Evolução e Perspectivas no Brasil SISTEMA DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA Visão Geral, Evolução e Perspectivas no Brasil Buenos Aires Argentina 13 de Agosto de 2004 Leis de Incentivo no Brasil 1. Leis Nacionais 1. Lei Rouanet (8313/91)

Leia mais

Profa. Cleide de Freitas. Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS

Profa. Cleide de Freitas. Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS Profa. Cleide de Freitas Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS O que vimos na aula anterior Ideias e Oportunidades Oportunidades x Experiência de mercado O que é um plano de negócios? Identificação e análise de

Leia mais

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) Em 2000, durante a Cúpula do Milênio, líderes

Leia mais

Priorização de Mercados Potenciais ABEXA

Priorização de Mercados Potenciais ABEXA Priorização de Mercados Potenciais ABEXA Associação Brasileira de Exportação de Artesanato Biênio 2014/2015 Elaborado pela: Unidade de Inteligência Comercial - ic@apexbrasil.com.br Apex-Brasil Tel: +55

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

1 Introdução. 1.1. Objeto do estudo e o problema de pesquisa

1 Introdução. 1.1. Objeto do estudo e o problema de pesquisa 1 Introdução Este capítulo irá descrever o objeto do estudo, o problema de pesquisa a ser estudado, o objetivo do estudo, sua delimitação e sua limitação. 1.1. Objeto do estudo e o problema de pesquisa

Leia mais

www.cartesys.com.br Porto Alegre Rua dos Andradas 1121/802 +55 51 3254-3200 São Paulo Avenida Paulista 1765/72 +55 11 3170-3041

www.cartesys.com.br Porto Alegre Rua dos Andradas 1121/802 +55 51 3254-3200 São Paulo Avenida Paulista 1765/72 +55 11 3170-3041 Porto Alegre Rua dos Andradas 1121/802 +55 51 3254-3200 São Paulo Avenida Paulista 1765/72 +55 11 3170-3041 Portugal Rua Luís de Camões, 1-J - 2430-292 +351 244542659 www.cartesys.com.br Integrar soluções

Leia mais

A Organização de Eventos como Diferencial Competitivo das Instituições. Profa. Me. Lirian M. Meneghel

A Organização de Eventos como Diferencial Competitivo das Instituições. Profa. Me. Lirian M. Meneghel A Organização de Eventos como Diferencial Competitivo das Instituições Profa. Me. Lirian M. Meneghel Julho/2012 As civilizações foram, e são, conhecidas pelas práticas de rituais. Evento PRODUTO Usado

Leia mais

PERSPECTIVAS E DESAFIOS PARA O TURISMO

PERSPECTIVAS E DESAFIOS PARA O TURISMO SEMINÁRIO INTERNACIONAL PERSPECTIVAS E DESAFIOS PARA O TURISMO COPA DO MUNDO FIFA 2014 Enric Truñó Promoção Turística ñó Rio de Janeiro, 25 de abril 2008 COPA DO MUNDO 2014 PERSPECTIVAS E DESAFIOS PARA

Leia mais

TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis Rio de Janeiro, em parceria com a Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro Junho

Leia mais

Proposta de T emplate GT Cultura, Turismo e Imagem do Reunião do GEOlimpíadas Brasil

Proposta de T emplate GT Cultura, Turismo e Imagem do Reunião do GEOlimpíadas Brasil GT Cultura, Proposta Turismo de Template e Imagem do Reunião do Brasil GEOlimpíadas Objetivo/Missão Integrantes MinC, MTur, ME, Embratur, MRE, APEX, APO Objetivo Geral Coordenar, planejar e executar ações,

Leia mais

RAZÕES QUE JUSTIFICAM A PRORROGAÇÃO DA ZFM.

RAZÕES QUE JUSTIFICAM A PRORROGAÇÃO DA ZFM. RAZÕES QUE JUSTIFICAM A PRORROGAÇÃO DA ZFM. Razões: 1. Nós defendemos a prorrogação da ZFM como diferencial de tratamento tributário, para suprir as inúmeras dificuldades e obstáculos na promoção do desenvolvimento

Leia mais

Agenda Internacional 2009

Agenda Internacional 2009 Agenda Internacional 2009 CNI: estratégia institucional Visão Estratégica Mapa Estratégico Uma visão sobre o futuro do país e da indústria (2007-2015) Identifica prioridades estratégicas Participação de

Leia mais

Como a Copa do Mundo vai movimentar o turismo brasileiro

Como a Copa do Mundo vai movimentar o turismo brasileiro Como a Copa do Mundo vai movimentar o turismo brasileiro 2 dias para a copa O estudo Principais mercados emissores Chegadas internacionais nas cidades sede Pernoites no Brasil durante o último jogo O estudo

Leia mais

Experiência: GESTÃO DOS ESCRITÓRIOS BRASILEIROS DE TURISMO NO EXTERIOR

Experiência: GESTÃO DOS ESCRITÓRIOS BRASILEIROS DE TURISMO NO EXTERIOR Experiência: GESTÃO DOS ESCRITÓRIOS BRASILEIROS DE TURISMO NO EXTERIOR EMBRATUR Instituto Brasileiro de Turismo Ministério do Turismo Responsável: Ronnie Reus Schroeder Equipe: Ana Paula Rodrigues de Almeida,

Leia mais

PESQUISA DO IMPACTO ECONÔMICO DOS EVENTOS INTERNACIONAIS REALIZADOS NO BRASIL - 2007/2008. Consolidado 2 Eventos - Recife

PESQUISA DO IMPACTO ECONÔMICO DOS EVENTOS INTERNACIONAIS REALIZADOS NO BRASIL - 2007/2008. Consolidado 2 Eventos - Recife PESQUISA DO IMPACTO ECONÔMICO DOS EVENTOS INTERNACIONAIS REALIZADOS NO BRASIL - 2007/2008 JUlHO 2008 Informações do Evento Consolidado 2 Eventos - Recife EVENTO CIDADE PERÍODO 9th Workshop on Signal Processing

Leia mais

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO Ambiente de Inovação em Saúde EVENTO BRITCHAM LUIZ ARNALDO SZUTAN Diretor do Curso de Medicina Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo SOCIEDADES CONHECIMENTO

Leia mais

A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua;

A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua; QUEM SOMOS A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua; Especializada em Vida e Previdência, possui portfólio completo para assegurar nossos clientes e seus familiares dos

Leia mais

Implantação do Programa Visa Waiver. 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado

Implantação do Programa Visa Waiver. 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado Implantação do Programa Visa Waiver 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado Chegadas internacionais Brasil XAmérica Latina Turistas internacionais (milhões)

Leia mais

Turismo do Rio em números

Turismo do Rio em números 1 2 APRESENTAÇÃO A indústria do turismo tanto no Brasil como no Rio de Janeiro enfrenta um grande carência de indicadores estatísticos e econômicos, que possibilitem mensurar de maneira confiável e precisa

Leia mais

Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro

Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro Márcio Holland Secretário de Política Econômica Comissão de Infraestrutura do Senado Federal Brasília, 19 de maio de 2014 2 Por que investimentos

Leia mais

O Perfil e o impacto econômico do Visitante da Cidade de Niterói durante a Copa do Mundo 2014

O Perfil e o impacto econômico do Visitante da Cidade de Niterói durante a Copa do Mundo 2014 O Perfil e o impacto econômico do Visitante da Cidade de Niterói durante a Copa do Mundo 2014 Faculdade de Turismo e Hotelaria Coordenadores da Pesquisa: Prof. Dr. Osiris Marques Prof. Dr. João Evangelista

Leia mais

CENTRAIS DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS PARANAGUÁ / ILHA DO MEL

CENTRAIS DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS PARANAGUÁ / ILHA DO MEL CENTRAIS DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS PARANAGUÁ / ILHA DO MEL Observatório do Turismo de Paranaguá Destino Indutor do Paraná ATENDIMENTOS POR CENTRAIS DE INFORMAÇÕES JANEIRO A DEZEMBRO 2014 RODOVIÁRIA - PRAÇA

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

Barómetro Turismo Alentejo

Barómetro Turismo Alentejo Barómetro Turismo Alentejo Janeiro 2012 METODOLOGIA TOP DORMIDAS JANEIRO 2012 Inicia-se este ano de 2012 com alterações na metodologia do Barómetro, incluindo a sistemática comparação dos dados de 2012

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2016

Anuário Estatístico de Turismo - 2016 Secretaria Executiva Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2016 Volume 43 Ano base 2015 Sumário I - Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2014-2015 1.1. Chegadas de turistas

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Presidente António dos Reis Duarte

FICHA TÉCNICA. Presidente António dos Reis Duarte FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Cidade

Leia mais

MINISTÉRIO DO TURISMO PLANO CORES DO BRASIL MARKETING TURÍSTICO NACIONAL FASES II E III - ESTRATÉGIA E PLANO OPERACIONAL

MINISTÉRIO DO TURISMO PLANO CORES DO BRASIL MARKETING TURÍSTICO NACIONAL FASES II E III - ESTRATÉGIA E PLANO OPERACIONAL MINISTÉRIO DO TURISMO PLANO CORES DO BRASIL MARKETING TURÍSTICO NACIONAL FASES II E III - ESTRATÉGIA E PLANO OPERACIONAL CORES DO BRASIL - FASES II E III ESTRATÉGIA E PLANO OPERACIONAL 30102005.doc 1 CONTEÚDO

Leia mais

Realizam MUNICÍPIOS SUSTENTÁVEIS: LEGADO DAS GERAÇÕES FUTURAS

Realizam MUNICÍPIOS SUSTENTÁVEIS: LEGADO DAS GERAÇÕES FUTURAS Revista & Realizam 2016 MUNICÍPIOS SUSTENTÁVEIS: LEGADO DAS GERAÇÕES FUTURAS 31 de Maio de 2016 Teatro FECAP- Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado Bairro Liberdade - São Paulo - SP - Brasil MUNICÍPIOS

Leia mais

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro O estudo Destaques Os 10 principais emissores 10 Chegadas internacionais Viagens domésticas Cidades sedes Viagens dos brasileiros ao exterior

Leia mais

9º Congresso de Mercocidades 2016-2021 Turismo sem Fronteiras para o próximo quinquênio

9º Congresso de Mercocidades 2016-2021 Turismo sem Fronteiras para o próximo quinquênio Buenos Aires, 20 de agosto 2015 9º Congresso de Mercocidades 2016-2021 Turismo sem Fronteiras para o próximo quinquênio Curitiba 16 e 17 de Setembro Mesmo com projeção de um cenário de grande potencial

Leia mais

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa?

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa? Porque é que o Turismo é essencial para a Economia Portuguesa? 14 milhões de hóspedes Vindos do Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Brasil, EUA Num leque de países que alarga ano após ano. 9,2 % do

Leia mais

2º Expertise Day. SulAmérica Investimentos

2º Expertise Day. SulAmérica Investimentos 2º Expertise Day SulAmérica Investimentos O que fazemos? Equipamentos Sistemas de Gestão Serviços e Meios de Pagamento Soluções em Tecnologia para Varejo e Hotelaria 2 Onde Estamos EUA (Bathpage):. Fábrica

Leia mais

PROPOSTA DE CRIAÇÃO ACRE AMAZONAS AMAPÁ RONDÔNIA RORAIMA PARÁ TOCANTINS

PROPOSTA DE CRIAÇÃO ACRE AMAZONAS AMAPÁ RONDÔNIA RORAIMA PARÁ TOCANTINS PROPOSTA DE CRIAÇÃO ACRE AMAZONAS AMAPÁ RONDÔNIA RORAIMA PARÁ TOCANTINS CARTA DE MACAPÁ 1. Buscar uma Ação Integrada de Promoção e Apoio a Comercialização Nacional e Internacional (Calendários MTUR e Embratur).

Leia mais

Pequenas e Médias Empresas no Paraguai. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios

Pequenas e Médias Empresas no Paraguai. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios Pequenas e Médias Empresas no Paraguai Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios No Paraguai, as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) podem ser classificadas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TURISMO E HOTELARIA SETEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TURISMO E HOTELARIA SETEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TURISMO E HOTELARIA SETEMBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS De acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT) o turismo compreende as atividades realizadas

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes.

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes. 3. Geografia Turística 3.1 Geografia Turística: Brasil de Ponta a Ponta Proporcionar ao participante melhor compreensão geográfica do país; Apresentar as principais especificidades existentes nos continentes

Leia mais

A Feira. Powergrid Brasil 2014 Feira e Congresso de Energia - Tecnologia, Infraestrutura e Eficiência Energética

A Feira. Powergrid Brasil 2014 Feira e Congresso de Energia - Tecnologia, Infraestrutura e Eficiência Energética Post Show Report A Feira Powergrid Brasil 2014 Feira e Congresso de Energia - Tecnologia, Infraestrutura e Eficiência Energética 16 a 19 set 2014 Local: Expoville/Joinville - SC Apresentação Principais

Leia mais

Plano Preliminar de Marketing Turistíco para o Estado do Paraná 2011

Plano Preliminar de Marketing Turistíco para o Estado do Paraná 2011 Plano Preliminar de Marketing Turistíco para o Estado do Paraná 2011 CONTEÚDO Análise Externa Análise Interna Objetivo Metas Estratégias Público Alvo Mercados e Segmentos Matriz BCG - Falta Posicionamento

Leia mais

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade...

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade... ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS Folha 1/8 ÍNDICE 1. Objetivo...2 2. Abrangência...2 3. Definições...2 4. Diretrizes...3 5. Materialidade...7 Folha 2/8 1. Objetivos 1. Estabelecer as diretrizes que devem orientar

Leia mais

UNIAO VITORIOSA PLANO DE GOVERNO SAUDE

UNIAO VITORIOSA PLANO DE GOVERNO SAUDE UNIAO VITORIOSA PLANO DE GOVERNO 2013 2016 SAUDE A saúde publica centra sua ação a partir da ótica do Estado com os interesses que ele representa nas distintas formas de organização social e politica das

Leia mais

TURISMO NO CONTEXTO INTERNACIONAL

TURISMO NO CONTEXTO INTERNACIONAL TURISMO NO CONTEXTO INTERNACIONAL US$ bilhões O TURISMO NO COMÉRCIO INTERNACIONAL 3,500 Exportações worldwide Mundiais 3,000 2,500 Turismo 6% do total de exportações 30% das exportações de serviços US$

Leia mais

Principais resultados do estudo de avaliação do nível de satisfação dos turistas no Município de Bragança

Principais resultados do estudo de avaliação do nível de satisfação dos turistas no Município de Bragança Principais resultados do estudo de avaliação do nível de satisfação dos turistas no Município de Bragança (Retirado do estudo promovido pela CCDR-N) Introdução A Comissão de Coordenação da Região Norte,

Leia mais

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR Viana do Castelo, 11de Fevereiro www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos, S.A. 2014 Índice Sobre a COSEC Seguro de Créditos Soluções à medida em resumo

Leia mais

Ingressos de Turistas Internacionais no RS por via de acesso

Ingressos de Turistas Internacionais no RS por via de acesso Anuário Estatístico de Turismo 2015 ano base 2014* *Publicado em 08/07/2015, pelo Ministério do Turismo. A publicação apresenta uma compilação de informações anuais relativas ao comportamento de diversos

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO DA APAE DE UBERLÂNDIA APAE 2008

PLANO ESTRATÉGICO DA APAE DE UBERLÂNDIA APAE 2008 PLANO ESTRATÉGICO DA APAE DE UBERLÂNDIA APAE 2008 1. NEGÓCIO Inclusão Social 2. MISSÃO Promover a inclusão social, desenvolvendo os potenciais de pessoas com deficiência mental ou múltipla. Através de

Leia mais

IV FEIRA INTERNACIONAL DA AMAZÔNIA A AMAZÔNIA E AS INICIATIVAS NO MERCOSUL PARA A INTEGRAÇÃO DE ROTEIROS TURÍSTICOS

IV FEIRA INTERNACIONAL DA AMAZÔNIA A AMAZÔNIA E AS INICIATIVAS NO MERCOSUL PARA A INTEGRAÇÃO DE ROTEIROS TURÍSTICOS IV FEIRA INTERNACIONAL DA AMAZÔNIA A AMAZÔNIA E AS INICIATIVAS NO MERCOSUL PARA A INTEGRAÇÃO DE ROTEIROS TURÍSTICOS ORENI BRAGA PRESIDENTE DA EMPRESA ESTADUAL DE TURISMO DO AMAZONAS - AMAZONASTUR SETEMBRO

Leia mais

PERFIL DOS HÓSPEDES. 3º Quadrimestre - 2011 APRESENTAÇÃO EM MEIOS DE HOSPEDAGEM

PERFIL DOS HÓSPEDES. 3º Quadrimestre - 2011 APRESENTAÇÃO EM MEIOS DE HOSPEDAGEM PERFIL DOS HÓSPEDES EM MEIOS DE HOSPEDAGEM 3º Quadrimestre - 2011 APRESENTAÇÃO O Observatório do Turismo da Cidade de Paranaguá realiza periodicamente, desde 2011, uma pesquisa junto aos meios de hospedagens

Leia mais

PORTUGAL. A recente performance de Portugal enquanto destino turístico Mitos e realidades. João Cotrim de Figueiredo 05 dezembro 2015

PORTUGAL. A recente performance de Portugal enquanto destino turístico Mitos e realidades. João Cotrim de Figueiredo 05 dezembro 2015 PORTUGAL A recente performance de Portugal enquanto destino turístico Mitos e realidades João Cotrim de Figueiredo 05 dezembro 2015 Um ciclo de crescimento longo e a acelerar 12 000 000 10 000 000 Receitas

Leia mais

Associação Fundo Jovem Tsedaká

Associação Fundo Jovem Tsedaká Associação Fundo Jovem Tsedaká O Fundo Jovem é uma organização sem fins lucrativos, focada em dar acesso ao ensino superior a estudantes provenientes de famílias de baixa renda. Além disso mobiliza jovens

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA. Col. Sta. Clara Prof. Marcos

UNIÃO EUROPEIA. Col. Sta. Clara Prof. Marcos UNIÃO EUROPEIA Col. Sta. Clara Prof. Marcos EUROPA: 47 países UNIÃO EUROPÉIA: 27 países (amarelo) F O R M A Ç Ã O E A T U A L I D A D E S Hoje, a União Europeia é formada por 27 países, sendo 17 com a

Leia mais

NORMAS PARA REALIZAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

NORMAS PARA REALIZAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA NORMAS PARA REALIZAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA As modalidades de TCC do curso de Comunicação Social do Instituto Municipal de Ensino Superior De Assis - IMESA compreendem

Leia mais

Seminário GVcev Franquias: Modelo de Negócio para o Varejo. Expansão de Franquias, por Gabriel Spaniol

Seminário GVcev Franquias: Modelo de Negócio para o Varejo. Expansão de Franquias, por Gabriel Spaniol Seminário GVcev Franquias: Modelo de Negócio para o Varejo Expansão de Franquias, por Gabriel Spaniol Video Iniciar com video Carmen Steffens Worldwide Introdução 137 Franquias no Brasil e 17 internacionais

Leia mais

11. Ciclo de Gestão do Governo Federal

11. Ciclo de Gestão do Governo Federal Marco Legal: Constituição de 1988 11. Ciclo de Gestão do Governo Federal Instrumentos: Planejamento Orçamento Finanças Controle LDO PPA LOA Elementos Normativos: Plano Plurianual - PPA, Lei de Diretrizes

Leia mais

Luiz Fernando Rolla. Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações

Luiz Fernando Rolla. Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações Luiz Fernando Rolla Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações Nossa base de acionistas assegura liquidez América do Norte Canadá Estados Unidos México Europa Luxemburgo

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais SET/14

Ranking Mundial de Juros Reais SET/14 Ranking Mundial de Juros Reais SET/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 Líderes : Autores do Futuro Ser líder de um movimento de transformação organizacional é um projeto pessoal. Cada um de nós pode escolher ser... Espectador,

Leia mais

COM A INTERVIP VOCÊ VAI MAIS LONGE. INTERCÂMBIOS E CURSOS NO EXTERIOR. www.intervip.tur.br

COM A INTERVIP VOCÊ VAI MAIS LONGE. INTERCÂMBIOS E CURSOS NO EXTERIOR. www.intervip.tur.br COM A INTERVIP VOCÊ VAI MAIS LONGE. INTERCÂMBIOS E CURSOS NO EXTERIOR www.intervip.tur.br A INTERVIP Do sonho de uma ex-intercambista, nasceu em 1995 a Intervip, uma agência de intercâmbio focada na qualidade

Leia mais

CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação

CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação CEA439 - Gestão da Janniele Aparecida Posicionamento Estratégico Segundo Michael Porter Uma empresa precisa seguir seis princípios fundamentais para estabelecer e manter um posicionamento estratégico diferenciado.

Leia mais

Objetivos: Criar uma imagem e uma identidade turística própria, forte e diferenciada.

Objetivos: Criar uma imagem e uma identidade turística própria, forte e diferenciada. Objetivos: Criar uma imagem e uma identidade turística própria, forte e diferenciada. Ampliar a presença de mercado para os produtos turísticos piracicabanos. Captar novos mercados nacionais e internacionais,

Leia mais

Começar Global e Internacionalização

Começar Global e Internacionalização Começar Global e Internacionalização Artur Alves Pereira Assessor do Conselho de Administração, AICEP Portugal Global Fevereiro 06, 2014 1 A aicep Portugal Global Missão. A aicep Portugal Global é uma

Leia mais

Instituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR)

Instituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR) Instituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR) Carta de Serviços Documento gerado em 9 de Junho de 2016 A Carta de Serviços é um instrumento de gestão pública, que contém informações sobre os serviços públicos

Leia mais

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Vendas Novas - 02 de julho de 2013 aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro

Leia mais