PLANO AQUARELA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO AQUARELA"

Transcrição

1 PLANO AQUARELA

2 Evolução do Turismo no Mundo TABELA 1 TENDÊNCIAS DO TURISMO MUNDIAL - ENTRADA DE TURISTAS (MILHÕES) Previsão 2010 Previsão 2020 MUNDO 694,0 764,0 806,0 842, , ,0 AMÉRICAS 112,4 125,7 133,5 136,2 190,0 282,0 AMÉRICA DO SUL 9,3 16,2 18,2 19,5 26,9 42,8 Fontes: Turismo: Panorama Previsiones mundiales y perfiles de los segmentos de mercado. OMT, & Barômetro OMT del Turismo Mundial, Vol. 4. Outubro de 2006 & Barômetro OMT del Turismo Mundial. Janeiro de 2007.

3 CRESCIMENTO DO TURISMO MUNDIAL POR REGIÃO TURISMO NO MUNDO % % 4% 16% 4% 4% 5% 5% 16% 16,5% ,5% 5% 17% 59% 17% 20% 59% 54% 19% 55% Europa Ásia e Pacífico Américas África Oriente Médio Fonte: Barômetro OMT del Turismo Mundial. Outubro de & Barômetro OMT del Turismo Mundial. Janeiro 2007.

4 CRESCIMENTO DO TURISMO NAS AMÉRICAS CHEGADAS DE TURISTAS INTERNACIONAIS NAS AMÉRICAS EM MILHÕES MÉDIA DE CRESCIMENTO 2003/ MÉDIA DE CRESCIMENTO 2004/ MÉDIA DE CRESCIMENTO 2005/2006 América do Norte 76,1 85,7 11,1% 89,9 6,2% 90,3 0,5% Caribe 17,3 18,1 10,9% 18,9 4,9% 19,5 3,2% América Central 4,9 5,7 5,9% 6,5 4,3% 6,9 6,1% América do Sul 14,2 16,2 15,6% 18,2 15,7% 19,5 7,2% TOTAL 112,4 125,7 17,2% 133,5 12,2% 136,2 2,1% Fontes: Tendências dos mercados turísticos: as Américas OMT Barômetro OMT del Turismo Mundial. Volume 4, outubro de OMT Barômetro OMT del Turismo Mundial.Janeiro de OMT

5 2005 O VOLUME TURÍSTICO NAS SUB-REGIÕES DAS AMÉRICAS 4,9% 13,6% ,4% 12,6% 15,4% 67,7% 14,2% ,5% 12,9% 14,4% 68,2% ,9% 13,6% 14,2% 67,3% 67,3% 14,3% 14,3% 5,1% 66,3% AMÉRICA DO NORTE CARIBE AMÉRICA DO SUL AMÉRICA CENTRAL Fonte: Barômetro OMT del Turismo Mundial & Janeiro 2007.

6 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO TURISMO RECURSOS PRODUTOS OFERTAS MERCADO DESENVOLVIMENTO ATRATIVOS NATURAIS E CULTURAIS (patrimônio, artesanato, gastronomia, intangives) MARKETING MERCADOS NACIONAL INTERNACIONAL ATUAÇÕES TRADE CONSUMIDOR INFRA-ESTRUTURAS E SERVIÇOS GERAIS E DO SETOR TURÍSTICO PESSOAS PRODUTOS GERAIS ESPECIALIZADOS POSICIONAMENTO + TURISTAS + RECEITAS EMPREGOS ORGANIZAÇÃO PLANEJAMENTO E LEGISLAÇÃO MAIOR BEM ESTAR

7 PLANO AQUARELA- UMA ESTRATÉGIA DE PAÍS Implantação de um novo modelo de qualidade da promoção internacional; A criação e colocação no mercado turístico mundial da primeira marca turística do Brasil; Estabelecimento de uma imagem global do turismo do Brasil no mundo; Estabelecimento de posicionamento frente aos principais destinos líderes do turismo mundial; Orientações e diretrizes claras para as ações promocionais do Brasil no exterior; Compartilhamento das estratégias com o setor público dos Estados; Informações estratégicas sobre mercados, oferta e demanda; Criação e operação profissional dos escritórios brasileiros no exterior.

8 PARA ISSO... DEFINICAO DAS ESTRATEGIAS DE MARKETING DEFINICAO DO PLANO OPERACIONAL DE PROMOCAO E DAS ACOES NOS MERCADOS PRIORITARIOS

9 A VISÃO 2010 O POSICIONAMENTO DESEJADO OBJETIVOS 2010 METAS 2010 MERCADOS E SEGMENTOS SELEÇÃO DE PRODUTOS PORTFÓLIO PRODUTOS / MERCADOS ORÇAMENTO DE PROMOÇÃO

10 VISÃO 2010 O BRASIL É O DESTINO LÍDER DA AMÉRICA DO SUL E UM DOS PAÍSES LÍDERES NO TURISMO MUNDIAL

11 VISÃO 2010 DECÁLOGO MENSAGEM PERMANENTE MARCA

12 O DECÁLOGO DO BRASIL PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE PRAIAS (LITORAL) NATUREZA CULTURA VIVA POVO CLIMA CENÁRIO FLORESTA ÍCONES BIODIVERSIDADE FESTA E MÚSICA PATRIMÔNIO HISTÓRICO ARTE POPULAR ALEGRIA SOL O ANO INTEIRO ÁGUA FAUNA FLORA PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE + MODERNIDADE

13 OS CONCEITOS SUPERAR OS ESTEREÓTIPOS CONSTRUIR A MARCA NO LONGO PRAZO A MARCA EXPRESSA O PLANO AQUARELA O DESAFIO É CONSTRUIR UMA MARCA QUE SEJA ASSUMIDA POR TODO O PAÍS, NÃO APENAS PELO GOVERNO FEDERAL A MARCA DEVE OBEDECER AO POSICIONAMENTO DESEJADO: O BRASIL É NATUREZA E ESTILO DE VIDA A MARCA DEVE CARREGAR OS CONCEITOS DE BRASILIDADE AGREGANDO UM VALOR CENTRAL: MODERNIDADE

14 EXOTISMO PATRIMÔNIO NATURAL PATRIMÔNIO HISTÓRICO BRASIL ESTILO DE VIDA

15

16

17 PLANO OPERACIONAL ATUAÇÃO NOS MERCADOS FERRAMENTAS DE PROMOÇÃO IMPRENSA TRADE CONSUMIDOR BANCO DE IMAGENS BRASILNETWORK BRAZILTOUR CAMPANHAS PUBLICITÁRIAS CAPTAÇÃO E PROMOÇÃO DE EVENTOS CARAVANAS EBTs E COMITÊS DESCUBRA BRASIL EVENTOS E AÇÕES PROMOCIONAIS PARA O PÚBLICO FINAL EVENTOS PROMOCIONAIS FEIRAS INTERNACIONAIS DE NEGÓCIOS FEIRAS INTERNACIONAIS DE TURISMO MATERIAL PROMOCIONAL MONITOR BRASIL PRESS TRIPS PROJETOS ESPECIAIS RELAÇÕES PÚBLICAS SEMINÁRIOS DE VENDA TREINAMENTO À DISTÂNCIA PARA AGENTES DE VIAGEM

18 PARTE I O PLANO AQUARELA

19 Crescimento do turismo no Brasil

20 CRESCIMENTO DO TURISMO NO BRASIL NÚMERO DE TURISTAS ,4 % - CRESCIMENTO DE TURISTAS FONTE: DPF/ EMBRATUR

21 PERFIL DO TURISTA ESTRANGEIRO 11,78% É O AUMENTO DA ENTRADA DE DIVISAS COM TURISTAS ESTRANGEIROS ENTRE 2005 E ,2% VIERAM A NEGÓCIOS (29,1% EM 2005) 23,6% VISITARAM PARENTES E AMIGOS (22,6% EM 2005) 32,2% DOS TURISTAS DE LAZER CONHECERAM O NORTE E O NORDESTE Fonte: FIPE-2006

22 PERFIL DO TURISTA ESTRANGEIRO O TURISTA ESTRANGEIRO ESTÁ MAIS SATISFEITO E GASTA MAIS US$ 66,7 GASTO DIÁRIO DOS QUE VIERAM A LAZER EM ,2% DOS QUE VIERAM A NEGÓCIO PRETENDEM VOLTAR EXPECTATIVA DOS QUE VIERAM A LAZER 14,6% ATENDEU EM PARTE OU DECEPCIONOU 85,4% SUPEROU OU ATENDEU PLENAMENTE Fonte: FIPE-2006

23 OPINIÃO DO TURISTA ESTRANGEIRO NO BRASIL O BRASIL FIDELIZA O TURISTA ESTRANGEIRO 86% PRETENDE VOLTAR AO BRASIL 51% CONHECER NOVOS LUGARES EM OUTRAS REGIÕES DO PAÍS 28% PELA CULTURA VIVA E PELO POVO 57% 68% 94% 32% CONSIDERAM O PRODUTO DE BOA QUALIDADE CONSIDERAM O PREÇO DO PRODUTO DE MÉDIO A BAIXO RECOMENDARIAM O BRASIL A AMIGOS E FAMILIARES VIERAM POR RECOMENDAÇÃO DE AMIGOS E FAMILIARES Fonte: VOX POPULI -2006

24 PARTE II O PLANO AQUARELA

25 PARA MANUTENÇÃO DA LINHA ESTRATÉGICA DE PROMOÇÃO (Visão, Decálogo, Marca, Mensagem Global) ATUALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS E DAS PRIORIDADES DE MERCADO A PARTIR DAS MUDANÇAS E TENDÊNCIAS DO CENÁRIO MUNDIAL E DA EXPERIÊNCIA ADQUIRIDA ATUALIZAÇÃO DAS METAS 2010 DEFINIÇÃO DO PLANO DE AÇÕES POR MERCADO

26 OBJETIVOS GERAIS CRESCIMENTO DA ENTRADA DE TURISTAS ACIMA DA MÉDIA DA AMÉRICA DO SUL CRESCIMENTO DA ENTRADA DE DIVISAS CRESCIMENTO DO GASTO MÉDIO DO TURISTA AUMENTO DA PERMANÊNCIA MÉDIA ATUAL

27 PLANOS POR PAÍSES 1. ESTRATÉGIA EVOLUÇÃO DA ENTRADA DE TURISTAS METAS DA ENTRADA DE TURISTAS GASTO MÉDIO PERMANÊNCIA MÉDIA DESTINO COMPETIDORES SITUAÇÃO DA ACESSIBILIDADE AÉREA METAS DA ACESSIBILIDADE AÉREA RECOMENDAÇÕES PROMOCIONAIS CONTEÚDO DOS PRODUTOS MENSAGEM ESPECÍFICA PARA O MERCADO DISTRIBUIÇÃO DE ORÇAMENTO POR PÚBLICO ALVO

28 MERCADOS PRIORITARIOS Alemanha Holanda Paraguai Argentina Bélgica Peru Estados Unidos Itália Suécia Inglaterra Portugal Noruega Canadá Uruguai Dinamarca Chile Colômbia Finlândia Espanha Japão Suíça Franca México China

29 CRITÉRIOS PARA PRIORIDADES POR PAÍSES 1. ATRATIVIDADE DO MERCADO MAIOR NÚMERO DE TURISTAS ATUAIS. MAIOR GASTO DIÁRIO MAIOR PERMANÊNCIA MÉDIA RITMO DE CRESCIMENTO POTENCIAL DE CRESCIMENTO DO MERCADO GRAU DE INTERESSE DO TURISTA POTENCIAL 2. POSIÇÃO COMPETITIVA ACESSIBILIDADE AÉREA QUOTA COMPETITIVA INVESTIMENTO DE MARKETING ACUMULADO PRESENÇA ATUAL DO BRASIL NO TRADE

30 OBJETIVOS POR PAÍSES GRUPOS DE PAÍSES PRIORITÁRIOS: AZUIS ALTÍSSIMA PRIORIDADE VERDES ALTA PRIORIDADE O CONJUNTO DESTES DOIS GRUPOS CONFIGURA O SUBTOTAL ALTA PRIORIDADE. AMARELOS ALTO INTERESSE PELO BRASIL E PELA GRANDE ACESSIBILIDADE BRANCOS EMERGENTES E OPORTUNIDADES

31 PLANOS POR PAÍSES 2. PLANO OPERACIONAL AÇÕES GERAIS AÇÕES POR PÚBLICO ALVO IMPRENSA TRADE CONSUMIDOR CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO SETOR RESPONSÁVEL PELA GESTÃO DA AÇÃO PARCEIROS PÚBLICOS E PRIVADOS

32 CONCLUSÕES ASPECTOS GERAIS DO CENÁRIO MUNDIAL DO TURISMO: GRANDE VULNERABILIDADE A FATORES EXTERNOS (CRISES POLÍTICAS E ECONÔMICAS, MODISMOS E TENDÊNCIAS DE CONSUMO, VARIAÇÕES CAMBIAIS, CRISES AÉREAS, ETC) CRESCENTE IMPORTÂNCIA PARA AS ECONOMIAS MUNDIAIS, NACIONAIS E LOCAIS MAIOR PROFISSIONALISMO O CENÁRIO SE TORNA MAIS COMPETITIVO NECESSIDADE DE PLANEJAMENTO DE MARKETING (INSERÇÃO COMPETITIVA DOS DESTINOS)

33 CONCLUSÕES BRASIL NO CENÁRIO MUNDIAL DO TURISMO: PLANO AQUARELA IMPORTANTE SALTO PARA O DESENVOLVMENTO DO TURISMO BRASILEIRO A NÍVEL INTERNACIONAL ATUAÇÃO MAIS FOCADA ATRAVÉS DO PLANEJAMENTO MAXIMIZAÇÃO DOS RESULTADOS

34 CONCLUSÕES BRASIL E PAÍSES DE FRONTEIRA: IMPORTANTES MERCADOS EMISSORES PARA O BRASIL (30% do volume total de chegadas em 2006) O POTENCIAL DE CRESCIMENTO E RELATIVAMENTE LIMITADO EM RELAÇÃO AO VOLUME DE TURISTAS DESAFIOS PARA O BRASIL: MANTER A POSIÇÃO COMPETITIVA E CONSOLIDAR UM CRESCIMENTO GRADUAL (Argentina) AUMENTAR O GASTO MEDIO E A PERMANÊNCIA (excursionista X turista) ATUAÇÃO DO EBT AMERICA DO SUL E DOS COMITES DESCUBRA O BRASIL

35 CONCLUSÕES RELAÇÃO BRASIL E PAÍSES DE FRONTEIRA: OPORTUNIDADE PARA ATUAÇÃO CONJUNTA EM PAÍSES MAIS DISTANTES (Japão, China, etc.) ESTABELECIMENTO DE PARCERIAS E ACORDOS DE COOPERAÇÃO PARA PROMOÇÃO DESAFIO: CONSOLIDAR OS PRODUTOS INTEGRADOS E ALINHAR ESTRATÉGIAS PARA PROMOÇÃO CONJUNTA ATUACAO DO ESCRITORIO DE TURISMO DO MERCOSUL NO JAPAO

Promoção Turística Internacional Copa do Mundo 2014 EMBRATUR. Brasília, 25 de agosto de 2011

Promoção Turística Internacional Copa do Mundo 2014 EMBRATUR. Brasília, 25 de agosto de 2011 Promoção Turística Internacional Copa do Mundo 2014 EMBRATUR Brasília, 25 de agosto de 2011 Plano Aquarela Marketing Turístico Internacional do Brasil Desde 2005 é a base metodológica de todo o trabalho

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, novembro de 2007.

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, novembro de 2007. Brasil Brasília, novembro de 2007. Índice Páginas I Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional 1.1 - Chegadas de turistas no Mundo por Regiões e Sub-regiões - 2002/2006 03 1.2 - Chegada de turistas:

Leia mais

III SEMINÁRIO DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA América do Sul

III SEMINÁRIO DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA América do Sul SETEMBRO 2016 III SEMINÁRIO DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA América do Sul Diretoria de Inteligência Competitiva e Promoção Turística ELIANA CAVALCANTI EBT Amesul I Balanço Os argentinos realizaram 8,2 milhões

Leia mais

Panoramas dos Mercados Internacionais

Panoramas dos Mercados Internacionais III Seminário de Inteligência Competitiva SETEMBRO 2016 Panoramas dos Mercados Internacionais CANADÁ Diretoria de Inteligência Competitiva e Promoção Turística EBT AN III Ney Ottoni Balanço 68.293 canadenses

Leia mais

Panoramas dos Mercados Internacionais

Panoramas dos Mercados Internacionais III Seminário de Inteligência Competitiva SETEMBRO 2016 Panoramas dos Mercados Internacionais AMÉRICA DO SUL II Ana Beatriz Serpa Diretoria de Inteligência Competitiva e Promoção Turística Venezuela Colômbia

Leia mais

III Seminário de Inteligência Competitiva México

III Seminário de Inteligência Competitiva México SETEMBRO 2016 III Seminário de Inteligência Competitiva México Diretoria de Inteligência Competitiva e Promoção Turística EBT ANII Alessandra Fernandes Balanço 90.361 mexicanos visitaram o Brasil em 2015

Leia mais

A Promoção do Brasil como destino de Turismo Cultural no Mercado Internacional

A Promoção do Brasil como destino de Turismo Cultural no Mercado Internacional A Promoção do Brasil como destino de Turismo Cultural no Mercado Internacional 2º Encontro Brasileiro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial São Luís, 24 a 27/02/2016 A EMBRATUR Missão

Leia mais

ABIH-RJ FECOMÉRCIO-RJ

ABIH-RJ FECOMÉRCIO-RJ 2015 ABIH-RJ FECOMÉRCIO-RJ ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Pesquisa mensal da ABIH-RJ que visa acompanhar a taxa de ocupação nas unidades de hospedagem da

Leia mais

Plano Municipal de Turismo Platum 2003

Plano Municipal de Turismo Platum 2003 Plano Municipal de Turismo Platum 2003 Expandindo o Turismo na Cidade de São Paulo Anhembi Turismo e Eventos da Cidade de São Paulo Accenture Consultoria Julho, 2002 1 Agenda Contexto O Plano Municipal

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO 2013 ABIH-RJ FECOMÉRCIO-RJ ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Pesquisa mensal da ABIH-RJ que visa acompanhar a taxa de ocupação nas unidades de hospedagem da

Leia mais

III Seminário de Inteligência Competitiva

III Seminário de Inteligência Competitiva III Seminário de Inteligência Competitiva HOLANDA GERENTE DE MERCADO SHÊNIA OLIVEIRA Diretoria de Inteligência Competitiva e Promoção Turística 01. Conjuntura socioeconômica e turismo 66.000 holandeses

Leia mais

Empresa Brasileira 95 anos de história

Empresa Brasileira 95 anos de história Estratégia de Inovação para Tempos Incertos Grupo Votorantim Empresa Brasileira 95 anos de história Nossas operações industriais concentram-se nos setores de base da economia, que demandam capital intensivo,

Leia mais

Plano Aquarela 2020. Promoção Internacional do Turismo do Brasil Estratégia e Plano de Ação 2012. Porto Alegre, 28 de maio de 2012

Plano Aquarela 2020. Promoção Internacional do Turismo do Brasil Estratégia e Plano de Ação 2012. Porto Alegre, 28 de maio de 2012 Plano Aquarela 2020 Promoção Internacional do Turismo do Brasil Estratégia e Plano de Ação 2012 Porto Alegre, 28 de maio de 2012 EMBRATUR - Estrutura Organizacional Presidência Diretoria de Mercados Internacionais

Leia mais

CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS

CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS Premissas Importantes Os eventos têm importância significativa na área do turismo, além de ser a atividade que mais crescem nesse segmento. Segundo Zanella (2003),

Leia mais

Panoramas dos Mercados Internacionais

Panoramas dos Mercados Internacionais III Seminário SETEMBRO 2016 Panoramas dos Mercados Internacionais JAPÃO Diretoria de Inteligência Competitiva e Promoção Turística Balanço 70.102 japoneses visitaram o Brasil em 2015 (MTUR) Os japoneses

Leia mais

Regionalização e Segmentação do Turismo. Natal, 23 de março de 2010

Regionalização e Segmentação do Turismo. Natal, 23 de março de 2010 Regionalização e Segmentação do Turismo Natal, 23 de março de 2010 Núcleo Estratégico do Turismo Nacional Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo Ministério do Turismo MTur Conselho

Leia mais

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Tribunal de Contas da União, 17 de agosto de 2011 Plano Aquarela Desde 2005 é a base metodológica

Leia mais

Plano Nacional de Turismo

Plano Nacional de Turismo Plano Nacional de Turismo 2011-2015 Conceito Conjunto de diretrizes, metas e programas que orientam a atuação do Ministério do Turismo, em parceria com outros setores da gestão pública nas três esferas

Leia mais

O MTUR e a Copa 2014 Copa do Mundo da FIFA 2014 Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro

O MTUR e a Copa 2014 Copa do Mundo da FIFA 2014 Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro Copa do Mundo da FIFA Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 2014 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro O MTUR e a Ponto de partida : garantias oferecidas pelo governo federal, estados e

Leia mais

Trabalho da Disciplina de Economia Internacional e Geopolítica. Professor: Fernando Seabra Alunos: Ricieri Pereira Francisco Paulini

Trabalho da Disciplina de Economia Internacional e Geopolítica. Professor: Fernando Seabra Alunos: Ricieri Pereira Francisco Paulini Trabalho da Disciplina de Economia Internacional e Geopolítica. Professor: Fernando Seabra Alunos: Ricieri Pereira Francisco Paulini Produtos Exportados por Santa Catarina: 2002 e 2009 e Análise de Mercados

Leia mais

Ocupação Hoteleira da cidade do Rio de Janeiro Janeiro de 2012

Ocupação Hoteleira da cidade do Rio de Janeiro Janeiro de 2012 Ocupação Hoteleira da cidade do Rio de Janeiro Janeiro de 2012 Taxa de ocupação chegou a 82,08% Esta foi a maior taxa já apurada para um mês de janeiro Introdução A pesquisa sobre Ocupação Hoteleira da

Leia mais

Ações de Promoção Internacional da Cidade de Brasília. Brasília - DF, 12 de setembro de 2014

Ações de Promoção Internacional da Cidade de Brasília. Brasília - DF, 12 de setembro de 2014 Ações de Promoção Internacional da Cidade de Brasília Brasília - DF, 12 de setembro de 2014 Comunicação Digital Portal Visit Brasil Baseado nas experiências possíveis de serem vividas no Brasil; Forte

Leia mais

Copa das Confederações FIFA Brasil Características do público Geral e da demanda turística internacional

Copa das Confederações FIFA Brasil Características do público Geral e da demanda turística internacional Copa das Confederações FIFA Brasil 213 Características do público Geral e da demanda turística internacional AMOSTRA Pesquisa realizada nas seis cidades sedes da Copa das Confederações Público geral (estádios):

Leia mais

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias Bijuterias Principais Países 2010 2011 2012 2013 2014 US$ mil 2014/ 2013 Estados Unidos 5.667 3.828 2.668 3.491 5.006 43 Colômbia 407 800 748 1.112 993-11 França 1.085 931 910 998 969-3 Argentina 2.112

Leia mais

LABORATÓRIO ESTRATÉGICO NORTE

LABORATÓRIO ESTRATÉGICO NORTE LABORATÓRIO ESTRATÉGICO NORTE Museu do Douro PESO DA RÉGUA, 6 de setembro de 2016 Nuno Fazenda O Turismo nos últimos 10 anos ESTRUTURA Gestão e Monitorização Grandes Desafios Referencial Estratégico GRANDES

Leia mais

PESQUISA COM IMPRENSA INTERNACIONAL

PESQUISA COM IMPRENSA INTERNACIONAL PESQUISA COM IMPRENSA INTERNACIONAL DURANTE A COPA DO MUNDO DE 2014 Resultados Finais São Paulo, Julho de 2014 METODOLOGIA Objetivos: Investigar a imagem do Brasil junto aos profissionais de imprensa durante

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Sede Nacional - SP Fundação: 1937 - origem em um sindicato têxtil; Possui 1.200 empresas associadas e representa 4,5 mil empresas; Sede nacional

Leia mais

O QUE É UM CONVENTION & VISITORS BUREAU?

O QUE É UM CONVENTION & VISITORS BUREAU? O QUE É UM CONVENTION & VISITORS BUREAU? CONVENTION BUREAUX NO MUNDO CONVENTION BUREAUX NO MUNDO Os mais de 600 Convention Bureaux no mundo têm como objetivo principal a promoção da imagem da cidade ou

Leia mais

Estatística e Probabilidades

Estatística e Probabilidades Estatística e Probabilidades Nesse resumo vamos mostrar como a análise crítica de séries estatísticas podem contribuir para uma compreensão mais precisa da realidade. Todos os dias ouvimos falar sobre

Leia mais

Mercado Brasileiro de Software e Serviços Jorge Sukarie Neto Panorama e Tendências

Mercado Brasileiro de Software e Serviços Jorge Sukarie Neto Panorama e Tendências Mercado Brasileiro de Software e Serviços - 2013 Jorge Sukarie Neto jorge.sukarie@abes.org.br Panorama e Tendências A ABES PERFIL DAS EMPRESAS ASSOCIADAS - 1.478 Associados (*) - US$ 19,8 bilhões de dólares

Leia mais

Como a Copa do Mundo vai movimentar o turismo brasileiro

Como a Copa do Mundo vai movimentar o turismo brasileiro Como a Copa do Mundo vai movimentar o turismo brasileiro Análise realizada até o dia 01 de julho de 2014: doze dias antes do fim do Mundial O estudo Principais mercados emissores Chegadas internacionais

Leia mais

Projeto de Investigação Aplicada Alojamento do Futuro

Projeto de Investigação Aplicada Alojamento do Futuro Projeto de Investigação Aplicada Alojamento do Futuro Universidade de Aveiro BTL 2014 Lisboa, 13.03.2014 01. Enquadramento da atividade Evolução da Oferta Instalada Enquadramento da atividade Evolução

Leia mais

A A DEMANDA de PAPEL MUNDIAL e SUSTENTABILIDADE. 2o. CONGRESSO FLORESTAL DO MATO GROSSO DO SUL 8 de Junho de 2010

A A DEMANDA de PAPEL MUNDIAL e SUSTENTABILIDADE. 2o. CONGRESSO FLORESTAL DO MATO GROSSO DO SUL 8 de Junho de 2010 A A DEMANDA de PAPEL MUNDIAL e SUSTENTABILIDADE 2o. CONGRESSO FLORESTAL DO MATO GROSSO DO SUL 8 de Junho de 2010 CONTEÚDO 1. PERFIL DO SETOR BRASILEIRO DE C&P 2. OVERVIEW DO SETOR BRASILEIRO DE C&P 3.

Leia mais

Destinos Turísticos: A Lei 1261/2015 das Estâncias Turísticas e o Circuito Entre Serras e Águas

Destinos Turísticos: A Lei 1261/2015 das Estâncias Turísticas e o Circuito Entre Serras e Águas Destinos Turísticos: A Lei 1261/2015 das Estâncias Turísticas e o Circuito Entre Serras e Águas Michael Jordan 2.550 Meios de Hospedagem 182.000 Uhs 105.000 trabalhadores 140.000 hospedes por dia PIB da

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

200 4 Anuário Estatístico

200 4 Anuário Estatístico 2004 Anuário Estatístico REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Presidente MINISTÉRIO DO TURISMO WALFRIDO SILVINO DOS MARES GUIA Ministro INSTITUTO BRASILEIRO DE TURISMO EMBRATUR EDUARDO

Leia mais

Detalhamento do Plano

Detalhamento do Plano Plano Básico de Serviço Local A. Empresa: BLUE TELECOMUNICAÇÕES B. Nome do Plano: Plano Básico de Serviço Local BLUE C. Identificação para a Anatel: Plano Básico de Serviço Local BLUE 01/2015 D. Modalidade

Leia mais

TABELA DE FRETES MÉDIO PRATICADOS PARA ANGOLA REFERENTE AO MÊS DE JANEIRO Moeda: USD

TABELA DE FRETES MÉDIO PRATICADOS PARA ANGOLA REFERENTE AO MÊS DE JANEIRO Moeda: USD REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES BOLSA NACIONAL DE FRETE Sede: Palácio de Vidro, 5º andar; CX Postal 2223; Telefone +(244) 222-311339/40/41; Fax 222-310555- Luanda, Angola. TABELA DE FRETES

Leia mais

600 mil visitantes estrangeiros na Copa? Improvável.

600 mil visitantes estrangeiros na Copa? Improvável. VISÃO PLURI É improvável a vinda de 600 mil turistas Estrangeiros para a Copa PLURI Consultoria Pesquisa, Valuation, Gestão e marketing Esportivo. Twitter: @pluriconsult www.facebook/pluriconsultoria Autor:

Leia mais

Evolução da indústria farmacêutica brasileira

Evolução da indústria farmacêutica brasileira 7 o Encontro de Pesquisa Clínica do CEPIC Apoio à inovação no Brasil: a participação do BNDES 08/06/2013 Agenda Evolução da indústria farmacêutica brasileira Oportunidade em biotecnologia Cenário de pesquisa

Leia mais

EXPANSÃO DAS OPERAÇÕES INTERNACIONAIS

EXPANSÃO DAS OPERAÇÕES INTERNACIONAIS EXPANSÃO DAS OPERAÇÕES INTERNACIONAIS A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos

Leia mais

Turismo Ornitológico em Portugal: potencialidades e panorama actual

Turismo Ornitológico em Portugal: potencialidades e panorama actual Turismo Ornitológico em Portugal: potencialidades e panorama actual Alexandra Lopes, Bragança, 7 Junho 2011 1. Observação de Aves 2. Turismo Ornitológico no Mundo 3. Perfil do Turista Ornitológico 4. Potencialidade

Leia mais

mensário estatístico - exportação Fevereiro 2011 ALCOOL ETILICO

mensário estatístico - exportação Fevereiro 2011 ALCOOL ETILICO mensário estatístico - ALCOOL ETILICO CONDIÇÕES Este relatório foi preparado pela Linus Galena Consultoria Econômica exclusivamente para uso de seus clientes e não poderá ser circulado, reproduzido, distribuído

Leia mais

Atividade Turística manteve resultados positivos em 2015

Atividade Turística manteve resultados positivos em 2015 Estatísticas do Turismo 2015 28 de julho de 2016 Atividade Turística manteve resultados positivos em 2015 Segundo os dados mais recentes publicados pela Organização Mundial de Turismo, as chegadas de turistas

Leia mais

III Seminário de Inteligência Competitiva

III Seminário de Inteligência Competitiva III Seminário de Inteligência Competitiva REINO UNIDO GERENTE DE MERCADO LILÁS NASCIMENTO Diretoria de Inteligência Competitiva e Promoção Turística 01. Conjuntura socioeconômica e turismo 189.269 turistas

Leia mais

PANORAMA DO MERCADO Asiático

PANORAMA DO MERCADO Asiático Boletim PANORAMA DO MERCADO Asiático Edição nº 1 Julho/2015 Coordenação Geral de Mercados Americanos/Asiático - CGMA Diretoria de Mercados Internacionais - DMINT Apresentação A série Boletim Panorama dos

Leia mais

PLANO AQUARELA MARKETING TURÍSTICO INTERNACIONAL DO BRASIL

PLANO AQUARELA MARKETING TURÍSTICO INTERNACIONAL DO BRASIL PLANO AQUARELA MARKETING TURÍSTICO INTERNACIONAL DO BRASIL 2007-2010 ANTECEDENTES Em 2004 foi iniciada a elaboração do Plano Aquarela - Marketing Turístico Internacional do Brasil, cujos objetivos foram

Leia mais

COMUNICAÇÃO DIGITAL EMBRATUR

COMUNICAÇÃO DIGITAL EMBRATUR COMUNICAÇÃO DIGITAL EMBRATUR Nova forma de se COMUNICAR INTERAÇÃO E EXPERIÊNCIA Estratégia Macro de Mídia Apoio à operação com aumento dos esforços em web e trade Mídia de bordo em cias aéreas Publicações

Leia mais

introdução ao marketing - gestão do design

introdução ao marketing - gestão do design introdução ao marketing - gestão do design Universidade Presbiteriana Mackenzie curso desenho industrial 3 pp e pv profa. dra. teresa riccetti Fevereiro 2009 A gestão de design, o management design, é

Leia mais

O investimento direto estrangeiro e o Brasil. Elton Jony Jesus Ribeiro IPEA

O investimento direto estrangeiro e o Brasil. Elton Jony Jesus Ribeiro IPEA O investimento direto estrangeiro e o Brasil Elton Jony Jesus Ribeiro IPEA 1. O que é o IDE? Investimento de Portfólio X Investimento Direto Investimento de Portfólio: É baseado na percepção do ganho financeiro

Leia mais

O MUNDO A RAM COMPROMISSO COM A ESTRATÉGIA UM DUPLO RECONHECIMENTO O EXEMPLO A RETER

O MUNDO A RAM COMPROMISSO COM A ESTRATÉGIA UM DUPLO RECONHECIMENTO O EXEMPLO A RETER O MUNDO A RAM COMPROMISSO COM A ESTRATÉGIA UM DUPLO RECONHECIMENTO O EXEMPLO A RETER 1. ENQUADRAMENTO INTERNACIONAL 1. ENQUADRAMENTO INTERNACIONAL -7% -5% WRD 2,9% PT 5,8% RAM 25% EM 2001 RAM 2013

Leia mais

Tabela ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010

Tabela ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010 Tabela 3.26 - ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010 ALUNOS REGULARES / UNIDADE ALEMANHA - - - - - 1 - - - - 1 - - - - - - - - - 2 ANGOLA - - - - - - - 1-1 -

Leia mais

JUROS E RISCO BRASIL

JUROS E RISCO BRASIL JUROS E RISCO BRASIL META DA TAXA SELIC FONTE: BANCO CENTRAL 13.75% 12.75% 11.25% 10.25% 8.75% 9.50% 10.25% 10.75% 11.25% 12.50% 11.00% 10.50% 9.75% 9.00% 8.50% 8.00% 7.25% 8.50% 9.00% 10.00% 10.50% 11.00%

Leia mais

JUROS E RISCO BRASIL

JUROS E RISCO BRASIL JUROS E RISCO BRASIL META DA TAXA SELIC FONTE: BANCO CENTRAL 11.75% 13.00% 13.75% 12.75% 11.25% 10.25% 8.75% 9.50% 10.25% 10.75% 11.25% 12.50% 11.00% 10.50% 9.75% 9.00% 8.50% 8.00% 7.25% 8.00% 8.50% 9.00%

Leia mais

Potencial da Indústria do Esporte no Brasil

Potencial da Indústria do Esporte no Brasil Potencial da Indústria do Esporte no Brasil setembro / 2010 Perspectivas Globais (indústria do esporte) Participação do esporte no PIB das nações desenvolvidas entre 2,0% e 2,5%. Na década d de 1990 participação

Leia mais

Relatório de Pesquisa Perfil Sócio econômico do Turista de Eventos Apoiados / Captados pelo Recife Convention & Visitors Bureau

Relatório de Pesquisa Perfil Sócio econômico do Turista de Eventos Apoiados / Captados pelo Recife Convention & Visitors Bureau Relatório de Pesquisa 2010 Perfil Sócio econômico do Turista de Eventos Apoiados / Captados pelo Recife Convention & Visitors Bureau DADOS GERAIS SOBRE A PESQUISA I- Apresentação: este relatório apresenta

Leia mais

Wine is bottled poetry

Wine is bottled poetry Wine is bottled poetry Robert Louis Stevenson QUINTA DO SEIXO Enoturismo ou o Segmento e estratégico para a Portugal 30 de Junho de 2009 Centros QUINTA de DO Visitas SEIXOSogrape Vinhos COMUNICAÇÃO ATENDIMENTO

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

ANÁLISE CONJUNTURAL DAS EXPORTAÇÕES DE FLORES E PLANTAS ORNAMENTAIS DO BRASIL 1. (Janeiro a dezembro de 2004)

ANÁLISE CONJUNTURAL DAS EXPORTAÇÕES DE FLORES E PLANTAS ORNAMENTAIS DO BRASIL 1. (Janeiro a dezembro de 2004) ANÁLISE CONJUNTURAL DAS EXPORTAÇÕES DE FLORES E PLANTAS ORNAMENTAIS DO BRASIL 1. (Janeiro a dezembro de 2004) Antonio Hélio Junqueira 2 Marcia da Silva Peetz 3 Exportações recordes de flores e plantas

Leia mais

O TURISMO DE NATUREZA NA ESTRATÉGIA PARA O TURISMO 2027

O TURISMO DE NATUREZA NA ESTRATÉGIA PARA O TURISMO 2027 Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável O TURISMO DE NATUREZA NA ESTRATÉGIA PARA O TURISMO 2027 Nuno fazenda Lisboa, 28 de outubro de 2016 AGENDA ET 27: enquadramento e percurso

Leia mais

AVANÇOS EM TECNOLOGIA: - Investimentos crescentes em P&D - Aumento da capacidade não-letal e maior precisão das armas - Custos crescentes dos equipamentos - Automação e robotização - Atuação em rede x

Leia mais

Resultados de Junho de 2014

Resultados de Junho de 2014 Junho / 2014 Resultados de Junho de 2014 - Exportação: US$ 20,5 bi, em valor, e média diária de US$ 1,023 bilhão; sobre mai-14, aumento de 3,6%, pela média diária; sobre jun-13, redução de 3,5%, pela média

Leia mais

Saldo da conta de serviços do Balanço de Pagamentos (US$): Exportações Importações Saldo 73,0 77,8 83,3 36,4 38,1 37,5 40,7

Saldo da conta de serviços do Balanço de Pagamentos (US$): Exportações Importações Saldo 73,0 77,8 83,3 36,4 38,1 37,5 40,7 o o o Relevância do Comércio Exterior de Serviços O comércio exterior de serviços do Brasil representa 5,59% do PIB, bem abaixo da realidade mundial, que alcança o patamar de 12,1% do PIB mundial (Banco

Leia mais

Aula 07 Juntando a Análise do

Aula 07 Juntando a Análise do Aula 07 Juntando a Análise do Ambiente À Análise da Organização Rosely Gaeta 1 Estudar detalhamento no capítulo 5 Livro Berton Juntando a Análise do Ambiente à Análise da Organização Integração das análises

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 14/06/11 12/07/11 09/08/11 06/09/11 04/10/11 01/11/11 29/11/11 27/12/11 24/01/12 21/02/12 20/03/12 17/04/12 15/05/12 12/06/12 10/07/12 07/08/12 04/09/12

Leia mais

O Turismo e a Hotelaria como Geradores de. Empresas, Emprego e Renda para a Região. Prof. Virgilio N. S. Carvalho. GPjr Belo Horizonte

O Turismo e a Hotelaria como Geradores de. Empresas, Emprego e Renda para a Região. Prof. Virgilio N. S. Carvalho. GPjr Belo Horizonte O Turismo e a Hotelaria como Geradores de Empresas, Emprego e Renda para a Região GPjr Belo Horizonte - 2016 Itajubá 26/08/2016 Prof. Virgilio N. S. Carvalho Turismo ainda pouco desenvolvido 52 Setores

Leia mais

O papel da AICEP nas Feiras Internacionais. 20 de fevereiro de 2013

O papel da AICEP nas Feiras Internacionais. 20 de fevereiro de 2013 O papel da AICEP nas Feiras Internacionais 20 de fevereiro de 2013 Tópicos da apresentação 1. Feiras Internacionais no contexto da globalização 2. Papel da AICEP nas feiras internacionais 2.1 Organização

Leia mais

COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO

COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO 11/09/12 11/10/12 11/11/12 11/12/12 11/01/13 11/02/13 11/03/13 11/04/13 11/05/13 11/06/13 11/07/13 11/08/13 11/09/13 11/10/13 11/11/13 11/12/13 11/01/14 11/02/14 11/03/14

Leia mais

Copyright 2015 OTA a partir do SREA. Todos os direitos reservados. Alojamento Local

Copyright 2015 OTA a partir do SREA. Todos os direitos reservados. Alojamento Local Copyright 2015 OTA a partir do SREA. Todos os direitos reservados. Análise Semestral Alojamento Local Condições de Utilização Este documento é da exclusiva propriedade do Observatório do Turismo dos Açores

Leia mais

Feiras no Contexto da Globalização. Cristina Motta, Messe Frankfurt Portugal (Repr.) ISLA Campus Lisboa, 20 de Fevereiro de 2013

Feiras no Contexto da Globalização. Cristina Motta, Messe Frankfurt Portugal (Repr.) ISLA Campus Lisboa, 20 de Fevereiro de 2013 Feiras no Contexto da Globalização Cristina Motta, Messe Frankfurt Portugal (Repr.) ISLA Campus Lisboa, 20 de Fevereiro de 2013 Do comércio mundial à globalização Pós Guerra: Aumento intensivo das trocas

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 23/09/11 21/10/11 18/11/11 16/12/11 13/01/12 10/02/12 09/03/12 06/04/12 04/05/12 01/06/12 29/06/12 27/07/12 24/08/12 21/09/12 19/10/12 16/11/12 14/12/12

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,25%

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,25% mar-08 jul-08 nov-08 mar-09 jul-09 nov-09 mar-10 jul-10 nov-10 mar-11 jul-11 nov-11 mar-12 jul-12 nov-12 mar-13 jul-13 nov-13 mar-14 jul-14 nov-14 mar-15 jul-15 nov-15 META DA TAXA SELIC Cenário básico

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

Faixa de utilização, por minuto 100 a a a acima de CRITÉRIOS DE TARIFAÇÃO DOS MINUTOS

Faixa de utilização, por minuto 100 a a a acima de CRITÉRIOS DE TARIFAÇÃO DOS MINUTOS Adesão Mensalidade ANEXO I PLANO ALTERNATIVO DE LONGA DISTÂNCIA INTERNACIONAL MEUS PAÍSES Isento isento Utilização Valores Autorizados Valores praticados GRUPO DE TARIFAÇÃO GRUPO DE PAÍSES Qualquer dia

Leia mais

PANORAMA DOS MERCADOS Sul-Americanos

PANORAMA DOS MERCADOS Sul-Americanos Boletim PANORAMA DOS MERCADOS Sul-Americanos Edição nº 1 Julho/2015 Coordenação Geral de Mercados Americanos/Asiático - CGMA Diretoria de Mercados Internacionais - DMINT Apresentação A série Boletim Panorama

Leia mais

FLUXO TURÍSTICO INTERNACIONAL PARA O RS: A EVOLUÇÃO NA ÚLTIMA DÉCADA

FLUXO TURÍSTICO INTERNACIONAL PARA O RS: A EVOLUÇÃO NA ÚLTIMA DÉCADA FLUXO TURÍSTICO INTERNACIONAL PARA O RS: A EVOLUÇÃO NA ÚLTIMA DÉCADA RESUMO Leandro Carvalho 1 Maximilianus Andrey Pontes Pinent 2 Marcia Colao Merllo 3 Este artigo tem o objetivo de analisar a evolução

Leia mais

Desafios e Oportunidades Copa Orgânica e Sustentável 2014

Desafios e Oportunidades Copa Orgânica e Sustentável 2014 Desafios e Oportunidades Copa Orgânica e Sustentável 2014 A Copa do Mundo de 2014 é uma oportunidade única para o Brasil investir numa agenda que gere benefícios permanentes para o país. O megaevento atrairá

Leia mais

MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio. Camila Sande Especialista em Negociações CNA

MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio. Camila Sande Especialista em Negociações CNA MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio Camila Sande Especialista em Negociações CNA 16 de junho de 2016 Agronegócio consumo doméstico e exportação Exportação Consumo Doméstico

Leia mais

ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE- ETENE INFORME SETORIAL INDÚSTRIA E SERVIÇOS ANÁLISE DO SETOR TURISMO NO NORDESTE EM 2009

ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE- ETENE INFORME SETORIAL INDÚSTRIA E SERVIÇOS ANÁLISE DO SETOR TURISMO NO NORDESTE EM 2009 O nosso negócio é o desenvolvimento ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE- ETENE INFORME SETORIAL INDÚSTRIA E SERVIÇOS ANÁLISE DO SETOR TURISMO NO NORDESTE EM 2009 Ano IV No. 4 Fevereiro

Leia mais

A pesquisa foi realizada em 65 países. Foram entrevistas, representando mais de 75% da população adulta global.

A pesquisa foi realizada em 65 países. Foram entrevistas, representando mais de 75% da população adulta global. A WIN é uma associação que reúne as maiores empresas independentes de Pesquisa de Mercado do mundo. É uma plataforma global para intercâmbio de negócios internacionais entre mais de 70 países, presentes

Leia mais

MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL

MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL DIRETORIA DE COMBATE AO CRIME ORGANIZADO DCOR/DPF Tema: Enfrentamento ao tráfico de drogas pela Polícia Federal. Brasília abril de 2011 OBJETIVOS : Apresentar as estratégias de enfrentamento ao tráfico

Leia mais

Programa de Desenvolvimento de Lideranças do Sistema Sebrae. Pio Cortizo Unidade de Gestão Estratégica Sebrae Nacional Milão, 15 de julho de 2013

Programa de Desenvolvimento de Lideranças do Sistema Sebrae. Pio Cortizo Unidade de Gestão Estratégica Sebrae Nacional Milão, 15 de julho de 2013 Programa de Desenvolvimento de Lideranças do Sistema Sebrae SEBRAE 2022 Pio Cortizo Unidade de Gestão Estratégica Sebrae Nacional Milão, 15 de julho de 2013 Programa de Desenvolvimento de Lideranças do

Leia mais

COMPRAR A PORTUGAL FILEIRA INDÚSTRIAS CULTURAIS E CRIATIVAS DEZ 2015

COMPRAR A PORTUGAL FILEIRA INDÚSTRIAS CULTURAIS E CRIATIVAS DEZ 2015 COMPRAR A PORTUGAL FILEIRA INDÚSTRIAS CULTURAIS E CRIATIVAS DEZ 2015 PERFIL 3 INDICADORES CHAVE 4 VANTAGENS 5 COMPETITIVAS SETORES 6 PATRIMÓNIO CULTURAL 7 AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA 8 ARTES VISUAIS 9 ARTES

Leia mais

JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS, MOEDAS E COMMODITIES

JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS, MOEDAS E COMMODITIES JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS, MOEDAS E COMMODITIES JUROS TAXA DE JUROS DO TÍTULO DE 10 ANOS DO TESOURO AMERICANO 2006-2013. Fonte: Bloomberg ESTADOS UNIDOS: TAXAS DE JUROS DE 10 ANOS (% a.a.) 03/04/14

Leia mais

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO 1 PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) 1984-2014 2 2 FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO DESAFIOS DA ECONOMIA BRASILEIRA: DEMOGRAFIA, MERCADO DE TRABALHO E AMBIENTE EXTERNO 3 3 O BAIXO DESEMPREGO NO

Leia mais

Estudo do Perfil do Turista de Eventos Ano 2016

Estudo do Perfil do Turista de Eventos Ano 2016 Estudo do Perfil do Turista de Eventos Ano 2016 Agradecimento O Estudo do Perfil do Turista de Eventos de Gramado e Canela é resultado da parceria de diversas instituições públicas que entenderam a importância

Leia mais

SALÃO DO TURISMO - ROTEIROS DO BRASIL

SALÃO DO TURISMO - ROTEIROS DO BRASIL SALÃO DO TURISMO - ROTEIROS DO BRASIL Estratégia de mobilização, promoção e comercialização dos roteiros turísticos desenvolvidos segundo as diretrizes e os princípios do Programa de Regionalização do

Leia mais

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente:

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente: Resumo Com a criação do Ministério do Turismo em 2003, o Brasil passa a ter, pela primeira vez em sua história, um ministério voltado exclusivamente para a atividade turística. A partir de então a Embratur

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil

Estatísticas básicas de turismo. Brasil Estatísticas básicas de turismo Brasil Brasília, outubro de 2010 Estatísticas básicas de turismo Índice Páginas I - Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional 1.1 - Chegadas de turistas internacionais

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO CENÁRIO MACROECONÔMICO SEGUE PAUTADO PELAS MUDANÇAS NO CENÁRIO GLOBAL, AFETANDO DIRETAMENTE O CÂMBIO, E PELO CRESCIMENTO MAIS MODERADO DA ECONOMIA DOMÉSTICA Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Leia mais

"PERFIL DO HÓSPEDE DE FOZ IGUAÇU" JULHO 2015 PERFIL DO HÓSPEDE DE FOZ DO IGUAÇU " JULHO 2013

PERFIL DO HÓSPEDE DE FOZ IGUAÇU JULHO 2015 PERFIL DO HÓSPEDE DE FOZ DO IGUAÇU  JULHO 2013 "PERFIL DO HÓSPEDE DE FOZ IGUAÇU" JULHO 2015 PERFIL DO HÓSPEDE DE FOZ DO IGUAÇU " JULHO 2013 FOZ DO IGUAÇU, SETEMBRO DE 2015 FOZ DO IGUAÇU, SETEMBRO DE 2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE FOZ DO IGUAÇU Reni Clóvis

Leia mais

Grupo ANA Aeroportos de Portugal S.A.

Grupo ANA Aeroportos de Portugal S.A. Grupo ANA Aeroportos de Portugal S.A. _Objectivos e Fins Exploração do serviço público aeroportuário de apoio à aviação civil nos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro, bem como no terminal civil de Beja,

Leia mais

AVISO DO PRODUTO Aviso sobre um possível problema com o produto

AVISO DO PRODUTO Aviso sobre um possível problema com o produto Grupo de segurança de produto 1201 South Second Street Milwaukee, WI EUA 53204 productsafety@ra.rockwell.com AVISO DO PRODUTO Aviso sobre um possível problema com o produto Cód. cat. 20A, inversor CA PowerFlex

Leia mais

Censo do Setor de TI Principais Resultados

Censo do Setor de TI Principais Resultados Censo do Setor de TI Principais Resultados 2013-2015 Introdução Histórico do Censo Processo iniciado em 2010 Planejamento Estratégico Assespro Com plano de internacionalização 2011: estruturação inicial

Leia mais

TURISMO EQUESTRE EM PORTUGAL

TURISMO EQUESTRE EM PORTUGAL Workshop Técnico TURISMO EQUESTRE EM PORTUGAL oportunidades de desenvolvimento ORGANIZAR E PROMOVER A OFERTA NACIONAL João Portugal, Departamento de Desenvolvimento e Inovação Palácio Nacional de Queluz

Leia mais

TURISMO NA REGIÃO NORDESTE

TURISMO NA REGIÃO NORDESTE TURISMO NA REGIÃO NORDESTE 2012 Banco do Nordeste do Brasil S/A Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste ETENE Central de Informações Econômicas, Sociais e Tecnológicas - CIEST Presidente:

Leia mais

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 10% aa nos últimos 17 anos, tendo passado de um faturamento "ExFactory",

Leia mais

JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS, MOEDAS E COMMODITIES

JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS, MOEDAS E COMMODITIES JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS, MOEDAS E COMMODITIES JUROS 21/02/14 14/03/14 04/04/14 25/04/14 16/05/14 06/06/14 27/06/14 18/07/14 08/08/14 29/08/14 19/09/14 10/10/14 31/10/14 21/11/14 12/12/14 02/01/15

Leia mais

O Paraná no mercado de turismo

O Paraná no mercado de turismo O TURISMO NO PARANÁ O Paraná no mercado de turismo Os principais pontos positivos são: 1.Cataratas de Foz de Iguaçu patrimônio natural da Humanidade (UNESCO), 3º destino mais visitado por turistas, além

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO Josep-Francesc Valls Coordenador do Centro de Formação e Investigação em Turismo da UMa Professor Esade Business & Law School RESUMO 1. Posição de Portugal

Leia mais