CENTRO EDUCACIONAL ALVES FARIA FACULDADES ALVES FARIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO EDUCACIONAL ALVES FARIA FACULDADES ALVES FARIA"

Transcrição

1 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES CENTRO EDUCACIONAL ALVES FARIA FACULDADES ALVES FARIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO GOIÂNIA AGOSTO DE 2008

2 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 2/117 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO CARACTERIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO Breve histórico da Instituição Mantenedor: denominação e localização Mantida: denominação e localização Estrutura organizacional Diretor-Superintendente Diretora de Graduação, Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Coordenador do Curso de Engenharia de Telecomunicações CARACTERIZAÇÃO DO CURSO Contexto socioeconômico local e regional Inserção do Curso na realidade local e regional Bases legais Denominação Total de vagas Número de alunos por turma Turno de funcionamento Regime de matrícula Carga horária Duração CONCEPÇÃO DO CURSO Missão do Curso Objetivo Geral Objetivos específicos Perfil do Egresso ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA Concepção do currículo e princípios norteadores Reflexão Formação para o mundo do trabalho e o exercício da cidadania Articulação entre Teoria e Prática Estágio Supervisionado Visitas Técnicas Atividades complementares Trabalho final de Curso Interdisciplinaridade Flexibilidade Metodologia e estratégias de ensino-aprendizagem Processo de avaliação Avaliação do processo ensino-aprendizagem Avaliação do egresso Avaliação Institucional NÚCLEOS DE FORMAÇÃO E ESTRUTURA CURRICULAR Matriz curricular CORPO DOCENTE Núcleo Docente Estruturante Coordenação do Curso Colegiado do Curso... 91

3 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 3/117 7 RECURSOS HUMANOS DO CURSO Corpo Docente do Curso Plano de Carreira Docente Corpo Técnico-Administrativo Corpo Discente ESTRUTURA FÍSICA Instalações gerais Estrutura física instalada Salas de aula Instalações para docentes Recursos e Equipamentos Recursos de Informática e Infra-Estrutura Tecnológica Equipamentos Complementares Plano de Atualização Tecnológica e Manutenção dos Equipamentos Disponibilidades dos Softwares Quadro de pessoal de apoio Horários de funcionamento dos laboratórios Instalações específicas Estrutura comum aos laboratórios Laboratório de Circuitos Elétricos Laboratório de Eletrônica Analógica Laboratório Eletrônica Digital Laboratório de Microprocessadores e DSPs Laboratório de Controle Laboratório de Comunicações Unidade Mestra para Física Geral (CIDEPE) Laboratório de Química Tecnológica Geral Unidade Mestra para Química Geral Uso dos Laboratórios pelas disciplinas do Curso BIBLIOTECA Quadro Resumo do Acervo por Área de Conhecimento Espaço Físico e Equipamentos Histórico Recursos Humanos Horário de funcionamento Política de Atualização de Acervo Acervo Serviços aos Usuários Serviço de Circulação de Material Serviço de Referência Serviço de Treinamento e Orientação Serviço de reprografia Módulos e serviços Registro (tombo) Descrição Bibliográfica (catalogação) Classificação Regulamento da Biblioteca PLANEJAMENTO ECONÔMICO - FINANCEIRO

4 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 4/117 APRESENTAÇÃO Este documento apresenta o Projeto Pedagógico do Curso de Engenharia de Telecomunicações oferecido pelas Faculdades Alves Faria. Nele estão aglutinadas todas as decisões e a sistemática de construção da estrutura curricular do curso, delineando-se as orientações estratégicas, de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia, diretrizes institucionais expressas no Projeto Pedagógico Institucional (PPI), Projeto de Desenvolvimento Institucional (PDI) e exigências do mercado. O ensino superior, em qualquer sociedade, representa um dos fatores de desenvolvimento econômico e é um dos pilares da educação por toda a vida dos indivíduos. Em síntese, é o principal instrumento da transmissão da experiência cultural e científica de qualquer sociedade. Além disso, devido à inovação e ao avanço tecnológico, as economias de todos os países exigem cada vez mais profissionais competentes, que possuam conhecimentos de nível superior (Delors, 1996). Isso nos apresenta a importância do ensino superior para o desenvolvimento econômico, bem como na preparação de indivíduos competentes para o alcance do sucesso profissional e pessoal. As Faculdades Alves Faria, uma Instituição de Ensino Superior privada comprometida com a qualidade dos serviços que presta à comunidade, investem continuamente no aprimoramento do Projeto Pedagógico de seus cursos atuais e se engajam na oferta de novos cursos, a partir das demandas sociais. Neste sentido, apresentam seu projeto para a implantação do Curso de Engenharia de Telecomunicações, propondo-se a formar profissionais para lidar com o novo mundo empresarial, dando ênfase à tomada de decisões rápidas, ao uso de novas tecnologias, ao relacionamento interpessoal, tudo isso aliado ao profundo conhecimento da área específica e a uma ampla visão de negócios. A elaboração do Projeto Pedagógico do Curso de Engenharia de Telecomunicações é fruto de uma série de esforços conjugados, envolvendo pesquisa de mercado, corpo docente da Instituição, segmentos da Sociedade e especialistas da área. O Projeto Pedagógico do curso de Engenharia de Telecomunicações é o documento que imprime direção geral ao curso, ao mesmo tempo em que destaca suas especificidades e singularidades, apresentando o funcionamento do curso de uma forma clara e transparente, determinando suas prioridades e estabelecendo estratégias de trabalho. O Projeto Pedagógico do Curso ora proposto se divide em dez seções, a saber: 1. Caracterização da Instituição 2. Caracterização do Curso

5 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 5/ Concepção do Curso 4. Organização didático-pedagógica 5. Eixos de formação e estrutura curricular 6. Administração acadêmica 7. Recursos humanos do Curso 8. Estrutura física 9. Biblioteca 10. Planejamento econômico-financeiro

6 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 6/117 1 CARACTERIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 1.1 Breve histórico da Instituição As Faculdades Alves Faria (ALFA), mantidas pelo Centro Educacional Alves Faria Ltda. (CENAF), localizadas na Avenida Perimetral Norte, n , Vila João Vaz, na cidade de Goiânia (GO), são integrantes do grupo empresarial José Alves, com 45 anos atuando em diversos segmentos de mercado no Estado de Goiás, sendo, em especial, concessionário da fabricação e distribuição dos produtos Coca-Cola para os Estados de Goiás e Tocantins. A ALFA surge no cenário da Educação Superior como uma instituição voltada para a excelência na educação em Negócios, visando a suprir a crescente demanda local e regional de pessoal qualificado para atendimento das demandas de mercado, estabelecendo, como premissa principal, a qualidade de ensino, tendo como referência as melhores escolas de Ensino Superior do País. A Instituição foi credenciada pela Portaria Ministerial nº. 443, de 31 de março de 2000, iniciando suas atividades acadêmicas em agosto do mesmo ano, com base em dispositivo constante de seu Regimento Geral e de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº /96), com fundamento legal nas Portarias de autorização do MEC. A ALFA oferece cursos de Graduação, Pós-Graduação e Extensão. Na Graduação mantém os cursos de Administração, Turismo, Pedagogia, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Direito, Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo, Comunicação Social - Habilitação em Publicidade e Propaganda, Sistemas de Informação, Engenharia da Computação e Psicologia, todos reconhecidos com conceitos CMB pelo MEC. O Programa de Pós-Graduação, lato sensu, conta com a oferta de cursos de Especialização, como: Jornalismo Político, Jornalismo Cultural, Docência do Ensino Superior, Gestão de Instituições de Ensino Básico, Direito Penal e Processual Penal, Direito do Trabalho e Processual do Trabalho e Direito Tributário e Planejamento Tributário. Oferece, ainda, Cursos MBAs, como: Gestão em Negócios, Gestão de Pessoas, Gestão de Operações Logísticas, Gestão em Finanças Empresariais, Auditoria, Controller: Controladoria e Gestão de Custos, Controladoria e Gestão Pública, Gestão em Marketing, Gerenciamento de Projetos, Gestão em Tecnologia da Informação e Gestão do Turismo e Hospitalidade. O Programa de Pós-Graduação, stricto sensu, Mestrado em Desenvolvimento Regional, foi aprovado pela CAPES, no final de 2006, com conceito 3 (três). Trata-se de um Mestrado Profissional, com área de concentração em Planejamento Urbano Regional e Demogra-

7 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 7/117 fia, com primeira turma iniciada no primeiro semestre de 2007 e a segunda turma iniciada em no primeiro semestre de O Corpo Docente das Faculdades ALFA é formado por professores, entre especialistas, mestres e doutores, criteriosamente selecionados, levando-se em conta sua trajetória profissional e acadêmica e titulação adequada às áreas de atuação em cada um dos cursos oferecidos. A Instituição, conta, ainda, com um quadro de funcionários técnico-administrativos, devidamente qualificados, com o objetivo de fornecer o suporte necessário aos Docentes e Discentes. As Faculdades Alves Faria desenvolvem suas atividades acadêmicas em três campi, estrategicamente localizados na cidade de Goiânia, sendo o Campus-Sede e duas novas unidades projetadas dentro do mesmo padrão de qualidade, tanto na estrutura física como na organização acadêmica. O Campus-sede das Faculdades ALFA tem uma área de m², com espaços destinados às atividades acadêmicas, administrativas, esportivas e de cultura e lazer, além de um amplo estacionamento gratuito e segurado, com vagas. Concebido de forma modular, para atender, progressivamente, às demandas dos cursos de graduação e pós-graduação e às necessidades das atividades de pesquisa e extensão, o complexo acadêmico atual tem uma área construída de m², distribuídos em quatro blocos, com espaços destinados às salas de aula, laboratórios de informática, laboratórios específicos dos cursos, biblioteca e salas administrativas. Para o atendimento a alunos, professores e colaboradores da unidade-sede, as áreas de convivência contam com os serviços de ambulatório médico, posto bancário, duas lanchonetes, um restaurante, duas fotocopiadoras, um campo de futebol society e uma quadra poliesportiva. As salas de aula são dimensionadas para acolher 50 alunos, com área individual de 1,60 m² por aluno, equipadas com carteiras do tipo universitário, com assento acolchoado, quadro branco para uso de canetas e quadro verde para giz. Todas as salas são climatizadas com aparelhos individuais Splits. A infra-estrutura tecnológica está assim dimensionada: a ALFA possui um link de quatro megabits com a Brasil Telecom, que fornece acesso direto e contínuo à Internet a partir de qualquer um dos quinhentos e vinte equipamentos de informática existentes nos laboratórios, na sala dos professores, na biblioteca e na área administrativa. Encontra-se, também, disponível aos usuários, nas dependências do campus universitário a rede sem fio (Wireless). Atual-

8 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 8/117 mente, a ALFA participa do Projeto Metrogyn, visando, no futuro próximo, ao acesso à Rede Nacional de Pesquisa (RNP), com velocidade de até um Gigabyte. As Faculdades ALFA adotam como princípio filosófico a formação de valores democráticos e de cidadania, aliada à produção de saberes. Essa concepção pressupõe uma Instituição de Ensino Superior voltada para a formação de cidadãos que sejam capazes de responder aos desafios postos por nosso tempo, em condições não só de atuar nas comunidades locais, mas também de compreender o contexto sociocultural regional, nacional e mundial. Nesse sentido, a ALFA disponibiliza, mantém e atualiza, permanentemente, sua infraestrutura física, tecnológica e de recursos humanos para atender às demandas dos novos tempos, ciente da importância de contribuir para a produção de conhecimentos que ajudem na materialização do desenvolvimento sustentável do Estado de Goiás, da Região Centro-Oeste e do Brasil. 1.2 Mantenedor: denominação e localização CENTRO EDUCACIONAL ALVES FARIA CENAF Endereço: Av. Perimetral Norte, Vila João Vaz Goiânia Goiás CEP Fone: Fax: (62) Mantida: denominação e localização Nome: FACULDADES ALVES FARIA ALFA Endereço: Av. Perimetral Norte, Vila João Vaz Goiânia Goiás CEP Fone: Fax: (62)

9 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 9/ Estrutura organizacional Mantenedora Comissão Própria de Avaliação (CPA) Superintendência Diretoria de Graduação, Pós-graduação, Pesquisa e Extensão Diretoria de Marketing Gerência de Desenvolvimento Organizacional Acadêmico e de Asseguração da Qualidade de Ensino Controladoria Acadêmica Gerência de Secretaria da Graduação, Pós-Graduação e Extensão Coordenações de Curso de Graduação Coordenação de Biblioteca Corpo Docente Gerência de Controladoria e Finanças Gerência de Tecnologia de Informação Gerência de Segurança Gerência Administrativa Gerência de Vendas Pós-Graduação e Gerência Tesouraria e Contabilidade Gerência de RH Gerência de Serviços Gerais Gerência da Central de Atendimento 1.5 Diretor-Superintendente Prof. Nelson de Carvalho Filho Formação acadêmica: - MBA em Gestão de Negócios: Faculdades Alves Faria ALFA Graduado em Administração de Empresas FAES Santos Experiência profissional: - Diretor Financeiro Corporativo do Grupo José Alves Controller da Emegê Produtos Alimentícios S.A Gerente Financeiro do Grupo Expansão.

10 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 10/117 - Gerente Executivo do Sistema Petrobras. - Membro da Diretoria da Associação Comercial e Industrial de Goiás ACIEG. - Membro do Conselho Temático de Responsabilidade Social da Federal da Indústria do Estado de Goiás FIEG. - Membro do Conselho Temático de Agronegócio da FIEG. Endereço para contato: Av. Perimetral Norte, Vila João Vaz CEP Goiânia Goiás Fone: Fax: (62) Diretora de Graduação, Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Profa. Danúsia Arantes Ferreira Batista de Oliveira Formação acadêmica: - Mestrado em Educação Universidade Federal de Goiás UFG Especialização em Fundamentos e Metodologia de Ensino FAFISP UNIEVANGÉ- LICA Goiás, Especialização em Administração e Gerência Escolar CESUT Goiás Especialização em Psicopedagogia UNIT Sergipe Graduada em Pedagogia Licenciatura Plena FAFISP UNIEVANGÉLICA Goiás Experiência profissional: - Diretora de Graduação, Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão do Centro Educacional Alves Faria ALFA. - Coordenadora do Curso de Pedagogia do Centro Educacional Alves Faria ALFA. - Coordenadora Pedagógica do Centro Educacional Alves Faria ALFA. - Professora da Graduação e Pós-Graduação do Centro Educacional Alves Faria AL- FA. - Professora do Colégio Marista - Goiás.

11 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 11/117 - Diretora de Unidade Escolar, Coordenadora de Unidade Pedagógica e Professora da Secretaria Estadual de Educação de Goiás. - Coordenadora Administrativa e Pedagógica de Unidade Escolar e Professora da Secretaria Municipal de Educação. - Professora convidada da Universidade Estadual de Goiás. - Consultora Pedagógica em programas de formação continuada de professores do Ministério da Educação MEC. Endereço para contato: Av. Perimetral Norte, Vila João Vaz CEP Goiânia Goiás Fone: Fax: (62) Coordenador do Curso de Engenharia de Telecomunicações Prof. Juliano Pável Brasil Custódio Regime de trabalho: tempo integral Formação acadêmica e titulação: - Pós-graduação: Doutorado em Engenharia Elétrica, pela Universidade Federal de Uberlândia 2005 (Interrompido). - Mestrado em Engenharia Elétrica, pela Universidade Estadual de Campinas Pós-graduação Lato-Sensu Especialização em Gestão Executiva (Interrompido), pela Universidade Salgado de Oliveira Bacharel em Engenharia Elétrica, pelo Instituto Nacional de Telecomunicações (INATEL) Experiência profissional: - Professor da Universidade Salgado de Oliveira desde 02/ Coordenador do Curso de Gestão de Telecomunicações, da Universidade Salgado de Oliveira, de 02/2003 a 12/ Professor das Faculdades Tamandaré desde 08/ Engenheiro de Telecomunicações da Alcatel de 10/1997 a 08/2002

12 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 12/117 Endereço para contato: Avenida Perimetral Norte, Vila João Vaz CEP Goiânia Goiás Fone: Fax: (62)

13 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 13/117 2 CARACTERIZAÇÃO DO CURSO 2.1 Contexto socioeconômico local e regional As Faculdades ALFA têm como região primária de atendimento às necessidades por ensino superior uma região que compreende 15 municípios, localizados num raio de 60 km em relação à Instituição, equivalente ao deslocamento de até 1 (uma) hora, em transporte particular. Nesta região, de acordo com projeções do IBGE, a população residente em 2007 foi de habitantes, equivalente a 41,5 % da população de Goiás ou 1,3% da população nacional. Em termos econômicos, o Produto Interno Bruto em 2005 foi R$ 21,1 bilhões, correspondente a 41,7 % da produção no Estado ou 1,9 % da produção nacional.

14 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 14/117 Municípios População 2007 PIB 2005 Goiânia ,1% ,3% Anápolis ,9% ,1% Aparecida ,3% ,4% Trindade ,2% ,1% Senador Canedo ,0% ,2% Inhumas ,9% ,4% Goianira ,0% ,6% Nerópolis ,8% ,0% Goianápolis ,5% ,2% Nova Veneza ,3% ,2% Abadia ,3% ,1% Terezópolis ,2% ,1% Caturaí ,2% ,1% Santo Antônio ,2% ,1% Brazabrantes ,1% ,1% Região ,0% ,0% Goiás ,5% ,7% Brasil ,3% ,0% Fonte: IBGE Com base numa projeção dos dados do Censo do IBGE, em 2007, a população entre 17 a 26 anos era de 396 mil pessoas, 16,9% do total de habitantes, como mostra a figura População por Faixa Etária 15 Municípios Região ALFA a 21 anos 22 a 26 anos 27 a 31 anos 32 a 36 anos 37 a 41 anos 42 a 46 anos % População 8,0 8,9 9,1 7,9 7,2 6,6 População entre 17 e 26 anos Fonte: IBOPE Nesta faixa etária entre 17 e 26 anos, ainda com base na projeção dos dados do Censo 2000, estimamos que 65 % concluíram o ensino médio, e ainda não fizeram o ensino superior e que somente 11% recebem cinco ou mais salários mínimos, o que possibilitaria custear o

15 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 15/117 investimento no curso. Estima-se, portanto, que o público-alvo seja de mil pessoas na Região ALFA, conforme racional a seguir: Os cinco Setores de Atividades que obtiveram maior crescimento entre 2002 e 2005 em Goiás foram: Serviços Prestados às Empresas (+ 71%), Indústria de Transformação (+ 59%), Serviços Domésticos (+ 57%), Administração, Saúde e Educação Públicas (+ 47%), Produção e Distribuição de Eletricidade, Gás e Água (+ 42%), conforme quadro apresentado a seguir. Goiás: Valor adicionado,impostos população e PIB per capita (R$ milhão) Vs Ano Anterior 2002 a Setores de Atividade Agropecuária % 7% -18% -4% Agricultura, silvicultura e exploração florestal % 11% -27% -15% Pecuária e pesca % 0% -2% 19% Indústria % 22% 9% 47% Indústria extrativa mineral % 33% -16% 10% Indústria de transformação % 15% 19% 59% Construção % 34% 12% 33% Produção e distribuição de eletricidade, gás e água % 27% -9% 42% Serviços % 12% 10% 43% Comércio e serviços de manutenção e reparação % 9% 4% 54% Alojamento e alimentação % 75% 27% 34% Transportes e armazenagem % 13% 9% 16% Serviços de informação % 12% -1% 21% Intermediação financeira, seguros e previdência compl % 2% 26% 41% Serviços Prestados principalmente às famílias e assoc % 3% 17% 51% Serviços prestados principalmente às empresas % 26% 11% 71% Atividades imobiliárias e aluguel % 12% 10% 40% Administração, saúde e educação públicas % 15% 12% 47% Saúde e educação mercantis % -6% -7% 10% Serviços domésticos % 27% 12% 57% Valor adicionado % 14% 5% 35% Impostos % 1% 8% 35% Produto Interno Bruto % 12% 5% 35% População residente em hab % 2% 2% 6% PIB per capita (R$) % 10% 3% 27% Nesta região prioritária de atendimento das Faculdades ALFA, são oferecidos, semestralmente, à população 614 vagas em formação superior em Engenharia Civil, 542 vagas em Engenharia Elétrica e apenas 120 vagas para Engenharia Mecânica, sendo estas oferecidas por

16 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 16/117 apenas uma instituição. Nesta região não são oferecidas vagas para Engenharia de Telecomunicações. Instituição Cidade Vagas Turno Regime Letivo Prazo Integr. Início do Funcion. Carga Horária Mínima ENGENHARIA CIVIL Universidade Estadual de Goiás - UEG Anápolis 40 Diurno Semestral 10 mar/ Instituto Unificado de Ensino Superior Objetivo Goiânia 150 Noturno Semestral 10 fev/ Universidade Católica de Goiás - UCG Goiânia 220 Diurno Semestral 10 jan/ Universidade Católica de Goiás - UCG Goiânia 120 Noturno Semestral 10 jan/ Universidade Federal de Goiás - UFG Goiânia 84 Diurno Semestral 9 mar/ TOTAL 614 ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Centro Federal de Educação Tecnológica de Goiás Goiânia 60 Diurno Semestral Universidade Paulista - UNIP Goiânia 460 Diurno Semestral 10 fev/ Universidade Paulista - UNIP Goiânia 460 Noturno Semestral 10 fev/ TOTAL 980 ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Faculdade Latino Americana - FLA Anápolis 120 Noturno Semestral 10 ago/ Universidade Católica de Goiás - UCG Goiânia 100 Diurno Semestral 10 fev/ Universidade Salgado de Oliveira - UNIVERSO Goiânia 400 Diurno Semestral 8 fev/ Universidade Salgado de Oliveira - UNIVERSO Goiânia 400 Noturno Semestral 8 fev/ Universidade Paulista - UNIP Goiânia 460 Noturno Semestral 10 fev/ TOTAL ENGENHARIA ELÉTRICA Faculdade Latino Americana - FLA Anápolis 120 Noturno Semestral 10 fev/ Universidade Federal de Goiás - UFG Goiânia 72 Diurno Semestral 10 mai/ Universidade Católica de Goiás - UCG Goiânia 100 Diurno Semestral 10 fev/ Universidade Católica de Goiás - UCG Goiânia 100 Noturno Semestral 10 fev/ Instituto Unificado de Ensino Superior Objetivo Goiânia 150 Noturno Semestral 10 fev/ TOTAL 542 ENGENHARIA MECÂNICA Faculdade Latino Americana - FLA Anápolis 120 Noturno Semestral 1 fev/ TOTAL 120 Fonte: Cadastro das Instituições de Educação Superior - INEP / MEC em 11/ago/08. Os egressos formados pela ALFA têm, primariamente, como mercado de trabalho o Estado de Goiás, atualmente a 9ª economia brasileira, com um PIB de R$ milhões em Considerando-se o atual cenário sócio-econômico do Estado, há a necessidade de se criar condições para acelerar este crescimento. Para tanto, é estratégica a formação de um maior número de engenheiros, nas mais diversas linhas de formação. A preocupação das Faculdades ALFA é em formar não somente os engenheiros demandados pelo mercado, mas de

17 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 17/117 ofertar cursos flexíveis, capazes de formar os engenheiros com uma sólida e atualizada competência técnica e administrativa para alavancarem o desenvolvimento do Estado e da Região Centro-Oeste. Engenheiros de Telecomunicações possuem papel importante no Setor de Serviços às Empresas e às Famílias. Para a Indústria de Transformação, são necessários Engenheiros Mecânicos; para a Produção e Distribuição de Eletricidade, Engenheiros Eletricistas e para todos os Setores, incluindo o de Construção, que acompanha a média do crescimento econômico do PIB do Estado (+ 33%), são necessários Engenheiros Civis. Segundo informações da Pesquisa: A Força do Centro Oeste, realizado pela Price Waterhouse Coopers em 2004, os empresários da região percebem como 4º maior desafio a dificuldade em se encontrar mão de obra qualificada. Desafios Empresariais % Carga Tributária 82,5% Custo Financeiro 75,0% Redução de Margens 50,0% Dificuldade em Contratar Mão de Obra Qualificada 42,5% Infraestrutura Local Básica 27,5% Qualidade da Informação 25,0% Relação com Clientes 25,0% Profissionalização do Modo de Gestão 22,5% Política Ambiental 22,5% Falta de Uma Política Industrial de Atuação 20,0% Infraestrutura para distribuição dos produtos 20,0% Competitividade Desleal com a Economia Informal 20,0% Velocidade das Inovações Tecnológicas 15,0% Relação com Fornecedores 10,0% Abertura de Mercado e Globalização 10,0% Controles Internos Frágeis 7,5% Inadequada Competitividade Empresarial 7,5% Sucessão Familiar 5,0% Curto Ciclo de Vida dos Produtos 5,0% Concentração da Indústria 5,0% Fonte: Price Waterhouse Coopers, No início de 2007, o Governo Federal lançou o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), após constatar que a economia estava estabilizada, e que havia um ambiente favorável para investimentos e uma reduzida dependência de financiamentos externos. O PAC visa garantir um crescimento anual do PIB em torno de 5%. Prevê medidas em cinco blocos: 1) Medidas para estimular crédito e financiamento, 2) Melhoria do marco regulatório na área ambiental, 3) Desoneração tributária, 4) Medidas fiscais de longo prazo e 5) Medidas de infra-

18 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 18/117 estrutura, incluindo a infra-estrutura social, como habitação, saneamento e transporte em massa, que é o principal bloco. São previstos R$ 503 bilhões de investimentos em Nível Nacional. Em Goiás, são previstos os seguintes investimentos em infra-estrutura: Setores Investimento Total do PAC em Goiás (em R$ Bilhões) Período Investimentos Até ,4 Após ,1 TOTAL 28,5 Empreendimentos Exclusivos Empreendimentos de Caráter Regional Após Após 2010 Logística 912, ,6 - Energética 6.072, , , ,4 Social-Urbana 2.321, TOTAL 9.306, , , ,4 * Não inclui Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social (FNHIS) 2009 e 2010 e Financiamento Habitacional Pessoa Física 2008, 2009 e Fonte: Comitê Gestor do PAC No Setor de Energia Elétrica os principais investimentos em usinas previstos no PAC são os seguintes: UHE Buriti Queimado UHE - Maranhão Baixo UHE Mirador UHE Em implantação UHE - Previsão UTE Em implantação UTE Goiânia II UHE Corumbá III UHE - Batalha UTE Qurinópolis (BC) UHE Serra do Falcão O principal investimento em transmissão de energia elétrica é:

19 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 19/117 LT - Peixe II (TO) Luziânia (GO) Em implantação seguintes: Em termos de recursos hídricos, os principais investimentos do PAC no Estado são os Projeto Luiz Alves Projeto de Irrigação Flores de Goiás Em Execução Conclusão em 2007 Adutora João Leite Em transportes, os principais investimentos são:

20 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES P. 20/117 BR 070/GO, Divisa DF/GO Águas Lindas BR 060/GO Ferrovia Norte - Sul BR 153/GO, Aparecida de Goiânia - Itumbiara Construção de Ferrovia Duplicação / Adequação de Rodovia Estão previstos, também, investimentos no alcoolduto entre Senador Canedo (GO) e São Sebastião (SP): Senador Canedo Hidrovia Tiete Uberaba Paulínia Guararema São Sebastião No Setor de Telecomunicações, além dos investimentos em infra-estrutura de telecomunicações previstas, há um projeto liderado pelo Governo de Estado para implantação de um Teleporto: O Parque Serrinha. Este projeto tem origem nos estudos do Port Authority de Nova York e de Nova Jersey. Consiste, basicamente, em um conjunto de edifícios interligados

CENTRO EDUCACIONAL ALVES FARIA FACULDADES ALVES FARIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO GOIÂNIA AGOSTO DE 2008

CENTRO EDUCACIONAL ALVES FARIA FACULDADES ALVES FARIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO GOIÂNIA AGOSTO DE 2008 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA CENTRO EDUCACIONAL ALVES FARIA FACULDADES ALVES FARIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO GOIÂNIA AGOSTO DE 2008

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO GOIÂNIA OUTUBRO DE 2011. Gerência de Asseguração da Qualidade do Ensino

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO GOIÂNIA OUTUBRO DE 2011. Gerência de Asseguração da Qualidade do Ensino PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO GOIÂNIA OUTUBRO DE 2011 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO P. 2/111 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 05 1 CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR GOIÂNIA AGOSTO DE 2014 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR P. 2/108 APRESENTAÇÃO 06 1 CARACTERIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 08

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR GOIÂNIA AGOSTO DE 2014 FACULDADES ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR P. 2/108 APRESENTAÇÃO 06 1 CARACTERIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 08

Leia mais

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE DIREITO APRESENTAÇÃO: Padrões de Qualidade para os Cursos

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GOIÂNIA JUNHO DE 2014. Gerência de Asseguração da Qualidade do Ensino

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GOIÂNIA JUNHO DE 2014. Gerência de Asseguração da Qualidade do Ensino PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GOIÂNIA JUNHO DE 2014 FACULDADE ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO P. 2/85 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 04 1. CARACTERIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 07 1.1 Breve

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Resolução

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido)

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido) FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM ES Curso de Administração reconhecido pelo Decreto Federal nº 78.951, publicado no D.O.U. de 16-12-1976 Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

PARECER. Justificativa

PARECER. Justificativa Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás IFG - Campus Anápolis Departamento das Áreas Acadêmicas Parecer: Do:

Leia mais

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS.

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. DIPLOMA CONFERIDO: TECNÓLOGO DE

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia RELATOR(A):

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

FACULDADE INTERNACIONAL DA PARAÍBA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO

FACULDADE INTERNACIONAL DA PARAÍBA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO FACULDADE INTERNACIONAL DA PARAÍBA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO Faculdade Internacional da Paraíba Rua Monsenhor Walfredo Leal nº 512, Tambiá CEP: 58020-540. João

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 Sete Lagoas Março de 2014 Sumário 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO... 4 1.1. Composição da Comissão

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA DE SOFTWARE, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*)

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. O Presidente da Câmara de Educação

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI - FEATI

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI - FEATI ASSOCIAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE IBAITI FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI - FEATI REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS COORDENADORA

Leia mais

Parágrafo Único. As Atividades Complementares não se confundem com as disciplinas do Curso de Direito.

Parágrafo Único. As Atividades Complementares não se confundem com as disciplinas do Curso de Direito. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO Dispõe sobre as Atividades Complementares do Curso de Direito do Centro Universitário do Cerrado-Patrocínio UNICERP. Capítulo I Das Disposições

Leia mais

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I.

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 23/2008 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, do Centro

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº09/2011 Aprova a estrutura curricular do Curso de Administração do Centro de

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO Administração LFE em Administração de Empresas Administração LFE em Análise de Sistemas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES 2 DA FINALIDADE E DO OBJETIVO Art. 1º. As Atividades Complementares do Curso de Direito da Faculdade Unida de Suzano serão regidas por este Regulamento.

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA PLENA ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS O Curso de Ciências Biológicas, através

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO: PEDAGOGIA

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO: PEDAGOGIA 1 FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO: PEDAGOGIA 2 CRUZEIRO - SP 2014 APRESENTAÇÃO De acordo com a Resolução n o 1, de 02 de fevereiro de 2004,

Leia mais

Relatório de Autoavaliação

Relatório de Autoavaliação Relatório de Autoavaliação O CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO ESTÁCIO UNIRADIAL é uma Instituição Privada de Ensino Superior com fins lucrativos, situada no Município de São Paulo, Estado

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC) , INCLUINDO ESSE, DEVEM SER RETIRADOS DO TEXTO FINAL, POIS SERVEM SOMENTE COMO ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO DOCUMENTO FINAL> PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC)

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 Do estágio curricular supervisionado A modalidade de Estágio Supervisionado é uma importante variável a ser considerada no contexto de perfil do egresso. A flexibilidade prevista

Leia mais

PPI PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL Política Pedagógica Institucional Faculdade Eniac Ver. 02 (2010 / 2011) APRESENTAÇÃO

PPI PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL Política Pedagógica Institucional Faculdade Eniac Ver. 02 (2010 / 2011) APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO O presente documento tem por finalidade apresentar o PPI que é o Projeto Pedagógico Institucional do ENIAC, conjunto das melhores práticas pedagógicas, tecnológicas, administrativas e de gestão

Leia mais

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014.

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS PROJETO PEDAGÓGICO CURSO FIC PRONATEC Canoas

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA GOIÂNIA FEVEREIRO DE 2013 FACULDADE ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA P. 2/109 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 05 1 CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre.

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 30/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Elétrica tem por missão a graduação de Engenheiros Eletricistas com sólida formação técnica que

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos Superiores de Pedagogia

Instrumento de Avaliação de Cursos Superiores de Pedagogia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior -

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 Curso Superior em Tecnologia em Design de Moda Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru

O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru Projeto Pedagógico e Estrutura Curricular Missão do Curso de Engenharia Elétrica da FE/Unesp/Bauru A formação continuada de Engenheiros

Leia mais

Regulamenta a validação e registro das Atividades Complementares dos cursos de Graduação das Faculdades Projeção.

Regulamenta a validação e registro das Atividades Complementares dos cursos de Graduação das Faculdades Projeção. RESOLUÇÃO Nº 01/2011 Regulamenta a validação e registro das Atividades Complementares dos cursos de Graduação das Faculdades Projeção. O Conselho Superior da Faculdade Projeção, com base nas suas competências

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão Curso: Engenharia Civil SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Civil da UNESA tem por missão formar Engenheiros Civis com sólida formação básica e profissional, alinhada com as diretrizes

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração Cursos de Administração: qualidade necessária XIV Fórum Internacional de Administração Rio de Janeiro, 18 de maio de 2015 ENSINAR, APRENDER, AVALIAR... TRAJETÓRIA DA AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO SUPERIOR CAPES avaliação

Leia mais

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior Sesu Departamento de Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria

Leia mais

Projeto de Curso de Pós-Graduação MULTI MBA FAGV TURMA 02. MBA Master in Business Administration Especialização Lato-Sensu E AUDITORIA.

Projeto de Curso de Pós-Graduação MULTI MBA FAGV TURMA 02. MBA Master in Business Administration Especialização Lato-Sensu E AUDITORIA. Projeto de Curso de Pós-Graduação MULTI MBA FAGV TURMA 02. MBA Master in Business Administration Especialização Lato-Sensu GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS E PROJETOS - GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS E LIDERANÇA

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 012/07 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 012/07 CONSUNI RESOLUÇÃO Nº 012/07 CONSUNI APROVA A ALTERAÇÃO DA MATRIZ CURRICULAR DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO HABILITAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR E ADMINISTRAÇÃO HABILITAÇÃO EM MARKETING E O REGULAMENTO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO ELABORAÇÃO DO PPC INTRODUÇÃO O Projeto Pedagógico de Curso (PPC) deve orientar a ação educativa, filosófica e epistemológica do mesmo, explicitando fundamentos políticos,

Leia mais

GUIA ACADÊMICO ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURRICULARES

GUIA ACADÊMICO ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURRICULARES GUIA ACADÊMICO ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURRICULARES Válido para ingressantes a partir do 1º/2010 Prezado (a) acadêmico (a), Seja bem vindo ao Centro Universitário Instituto de Educação Superior de Brasília

Leia mais

CETEC EDUCACIONAL S.A. Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP. Mantida

CETEC EDUCACIONAL S.A. Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP. Mantida CETEC EDUCACIONAL S.A Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP Mantida PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 1 SUMÁRIO

Leia mais

PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES (PAC)

PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES (PAC) PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES (PAC) Juazeiro do Norte 2007 Diretor Geral Diretor(a) Administrativo Financeiro Ana Darc Fechine Ribeiro Coordenador(a) Pedagógico Cleide Correia de Oliveira Secretária

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA GOIÂNIA OUTUBRO DE 2013. Gerência de Asseguração da Qualidade do Ensino

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA GOIÂNIA OUTUBRO DE 2013. Gerência de Asseguração da Qualidade do Ensino PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA GOIÂNIA OUTUBRO DE 2013 FACULDADE ALFA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA P. 2/138 SUMÁRIO 1 CARACTERIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO... 6 1.1

Leia mais

CURSO EXCLUSIVO IBECO

CURSO EXCLUSIVO IBECO PÓS-GRADUAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR EM ESTÉTICA CURSO EXCLUSIVO IBECO Destinado aos docentes que atuam ou que pretendem atuar no ensino superior e profissionalizante da área estética, o curso

Leia mais

Capítulo I. Das Disposições Gerais. Pela contribuição para a formação técnica e humanística do aluno.

Capítulo I. Das Disposições Gerais. Pela contribuição para a formação técnica e humanística do aluno. Regulamento de Atividades Complementares dos cursos de Bacharelado em Administração, Ciências Contábeis, Sistemas de Informação e Enfermagem da Libertas Faculdades Integradas 20 Capítulo I Das Disposições

Leia mais

PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL FACULDADE CASA DO ESTUDANTE. Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012

PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL FACULDADE CASA DO ESTUDANTE. Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012 PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL DA FACULDADE CASA DO ESTUDANTE PPI 2012 a 2015 Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012 Diretor Geral FACULDADE CASA DO ESTUDANTE PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO Administração LFE em Administração de Empresas Lajeado 4811 Administração LFE em Administração

Leia mais

CURSOS ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CURSOS ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ANO 2007 CURSOS ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS INTRODUÇÃO: Tendo como objetivo propiciar ao aluno um conjunto de oportunidades que se refletirão, de forma direta

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

Da finalidade das atividades complementares

Da finalidade das atividades complementares Salvador, 28 de setembro de 2010. Da finalidade das atividades complementares Art. 1º A finalidade das atividades complementares é o enriquecimento da formação do aluno quanto ao seu curso de graduação,

Leia mais

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DIPLOMA CONFERIDO: BACHAREL NÚMERO DE VAGAS: 100 VAGAS ANUAIS NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA: 50 alunos

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 36 / 2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Línguas Estrangeiras

Leia mais

PRIMEIRO SEMESTRE. Análise de Jurisprudência II 40 2. Ciência Política I 40 2. Direito Civil I - Parte Geral I 40 2. História do Direito 40 2

PRIMEIRO SEMESTRE. Análise de Jurisprudência II 40 2. Ciência Política I 40 2. Direito Civil I - Parte Geral I 40 2. História do Direito 40 2 MATRIZ CURRICULAR E DIMENSIONAMENTO DE POR PERÍODO LETIVO (A APRESENTADA NAS TABELAS REFERE-SE À HORA AULA DE 50 MINUTOS) PRIMEIRO SEMESTRE Análise de Jurisprudência I 40 2 Ciência Política I 40 2 Direito

Leia mais

M A N U A L D O A L U N O

M A N U A L D O A L U N O Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu M A N U A L D O A L U N O INFORMAÇÕES Secretaria da Pós-Graduação, Bloco H, Terreo. www.anhanguera.edu.br posgraduacao@anhanguera.edu.br Fone: (62) 3246-1400 / 1449 /

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior- Conaes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL

Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL Dados de Identificação: -Modalidade: Graduação Tecnológica -Ato Legal de Autorização: Resolução CONSUNI nº -Turnos

Leia mais

15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME. Política Nacional de Educação Infantil. Mata de São João/BA Junho/2015. Secretaria de Educação Básica

15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME. Política Nacional de Educação Infantil. Mata de São João/BA Junho/2015. Secretaria de Educação Básica 15º FÓRUM NACIONAL DA UNDIME Política Nacional de Educação Infantil Mata de São João/BA Junho/2015 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL É direito dos trabalhadores urbanos e rurais

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Capítulo I Das Disposições Gerais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Capítulo I Das Disposições Gerais REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Dispõe sobre as Atividades Complementares do Curso Superior de Tecnologia em Análise e

Leia mais

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL Regulamento Atividades Complementares Faculdade da Cidade de Santa Luzia - 2014 Regulamento das Atividades Complementares CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 75/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Engenharia de do Centro

Leia mais

PROJETO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO

PROJETO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO PROJETO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO O Estágio Curricular Supervisionado tem como objetivo desenvolver junto ao estudante a capacidade de desenvolver uma leitura problematizadora da realidade

Leia mais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Curso de Especialização em Gestão e Relações Internacionais Área de Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação?

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? O mercado do trabalho está cada vez mais exigente. Hoje em dia, um certificado de pós-graduação é imprescindível para garantia

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

MEDICINA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA (SÍNTESE)

MEDICINA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA (SÍNTESE) PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE (SÍNTESE) Ao longo de mais de cinco décadas, a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) estruturou um ambiente acadêmico intelectualmente rico

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ATIVIDADES COMPLEMENTARES PRÓ-REITORIA ACADÊMICA BURITIS / CARLOS LUZ / SILVA LOBO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As Atividades Complementares, conforme as Diretrizes Curriculares do MEC, são atividades extracurriculares obrigatórias

Leia mais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA 2013 ATIVIDADES COMPLEMENTARES O que são? São práticas acadêmicas de múltiplos formatos, obrigatórias, que podem ser realizadas dentro ou fora

Leia mais

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você.

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Educação a Distância Anhembi Morumbi Agora você pode estudar em uma universidade internacional

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES ASCES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES ASCES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES ASCES DAS DISPOSIÇÕES GERAIS DOS PRINCÍPIOS NORTEADORES Art. 1º A ASCES, por meio deste Regulamento, contempla as Normas Gerais de Atividades complementares, permitindo

Leia mais