Newsflash - Notícias UE sobre Habitação Social

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Newsflash - Notícias UE sobre Habitação Social"

Transcrição

1 DOCUMENTO ASSUNTO EDIÇÃO AUTOR Newsflash - Notícias UE sobre Habitação Social Novembro 2011 CECODHAS HOUSING EUROPE Secretariado PERIODICIDADE 6/8 publicações/ano TEMAS ABORDADOS A Notícia de abertura diz respeito a Nova proposta legislativa para a Política de coesão depois de 2013: uma mini-revolução? Desde Abril de 2009 que tem vindo a existir um debate entre os especialistas em política de coesão baseado no relatório BARCA, que constituiu uma profunda reflexão dos objectivos desta política e apresenta recomendações ambiciosas para a sua reforma. Dois anos depois, a Comissão Europeia, ao apresentar a nova proposta legislativa para a Política de Coesão ( ), vai retirar vários elementos desse relatório e propõe uma mini-revolução. Uma importante característica desta proposta é um novo tipo de acordo contratual Os Contratos de Parceria entre a Comissão Europeia e os Estados- Membros que se focam no desempenho e nas condições institucionais e políticas (condicionalidades ex-ante) para a intervenção. Existe, no entanto, um aspecto controverso pois dá à Comissão Europeia o poder de requerer uma alteração ao Contrato a fim de cumprir as recomendações orçamentais e macroeconómicas dirigidas ao país pelo Conselho e para suspender ou cancelar os pagamentos dos fundos em caso de incumprimento (condicionalidades macro-económicas). Mas o que poderá realmente fazer a diferença em termos de resultados e que resulta do relatório BARCA é a ênfase dada à abordagem baseada no território: adequar as intervenções a contextos específicos territoriais, com base no conhecimento e preferências dos actores locais e dando-lhes maior poder para decidir quais as prioridades do investimento. Em termos concretos significa: a gestão directa de pelo menos 5% do total do orçamento da Política de Coesão feita pelas cidades para o desenvolvimento urbano sustentável; a possibilidade das autoridades locais efectuarem Community led local Development / desenvolvimento local liderado pela comunidade e ainda investimentos territoriais integrados a nível da sub-região, financiados por uma combinação de fundos incluindo o Fundo de Desenvolvimento Rural, obrigatoriamente geridos por grupos de acção local. A abordagem baseada no território significa também uma vasta gama de prioridades de investimento: além das prioridades previstas ligadas à Estratégia Europa 2020 relativas a inovação e economia de baixo consumo de carbono (incluindo investimentos em eficiência energética na habitação), o FEDER está autorizado a co-financiar por ex. infraestruturas sociais a nível local, renovação em zonas urbanas e rurais com carências (incluindo a habitação social), empresas sociais, iniciativas de desenvolvimento local que proporcionem serviços de proximidade. Combinando com um mínimo de 25% do Fundo Social Europeu dedicado ao combate à exclusão social,

2 esta abordagem tem o potencial para o empowerment/ capacitação e fortalecimento das comunidades locais. Esta combinação de negociações mais exigentes ao nível europeu, um maior empowerment do nível local e uma maior parceria de todos os níveis foi recebida, de forma diferenciada, pelos diferentes decisores: de forma entusiástica pelos actores locais e cepticismo de alguns membros do Parlamento Europeu e Estados - Membros. É um tempo ideal para todos os actores, principalmente a nível local, estarem preparados para assumir o desafio da coesão territorial utilizando esta nova arquitectura política e este novo instrumento. No tema Notícias CECODHAS Housing Europe são referidas as seguintes notícias: Reunião de Outuno do CECODHAS em Varsóvia Tiveram lugar no passado mês de Outubro as reuniões das diferentes secções do CECODHAS, juntamente com a conferência temática e ainda a Comissão Executiva. Este evento representou uma oportunidade única para os membros do CECODHAS discutirem o futuro da habitação a preços acessíveis na Europa Oriental e do papel dos Fundos Estruturais. A Conferência teve como tema: "Os modelos para desenvolver habitação a preços acessíveis: tendências actuais em matéria do sector de habitação social na Europa e exemplos de novas iniciativas na Europa Central e Oriental" e foi uma excelente ocasião para explorar os sistemas de habitação nos países do Leste e do Sul. Fundos estruturais : CECODHAS trabalha para uma melhor absorção dos fundos na Europa Oriental Desde o início de 2011, o CECODHAS Housing Europe integra um projecto europeu chamado SF Energy Invest, financiado pelo programa Intelligent Energy Europe (IEE). Este projecto ajuda os parceiros locais a aproveitarem melhor as oportunidades dadas pelos Fundos Estruturais europeus, no domínio da energia sustentável. CECODHAS Housing Europe co-organizou, na Roménia, em Outubro passado, o Energy investment Day (EID). Muitos representantes de ministérios explicaram as suas actividades actuais e futuras, no sentido de aumentar a utilização dos Fundos Estruturais para as medidas de energia sustentável, incluindo a eficiência energética na habitação. No tema Notícias da União Europeia são referidas as seguintes notícias: Organizações europeias de habitação a preços acessíveis/acessível: A proposta do novo regulamento do FEDER pode significar um maior incentivo para melhorar as condições de vida e de habitação na Europa A proposta da Comissão Europeia sobre o novo regulamento FEDER adoptado em Novembro é muito positiva para a habitação a preços acessíveis, segundo opinião do CECODHAS Housing Europe. Depois de anos de indefinição relativa à elegibilidade da habitação nos fundos estruturais, a Comissão Europeia reconheceu, por fim, que embora a habitação continue a ser uma áreas da inteira competência dos Estados-Membros, é apropriado para a UE apoiar melhorias nas condições da habitação por duas razões pelo menos: a necessária mudança para um economia de baixo teor de carbono e a promoção da inclusão social. A Comissão Europeia está de facto a propor que as regiões apoiem a eficiência energética nos edifícios públicos e no sector da habitação (o que já era o caso desde 2009) sem qualquer limite de montante de FEDER que possa ser alocado a estas medidas.

3 O Presidente do CECODHAS refere o exemplo de França como um caso de sucesso em que 200 milhões de euros de Fundos FEDER geraram para cima de 1 bilião de euros em investimento, criando cerca de 15 mil empregos non-re-locatable e reabilitando 50 mil edifícios com uma redução de consumo de energia na média de 40%. A experiência francesa provou também que os trabalhos de renovação/reabilitação levados a cabo com o envolvimento da comunidade local foram os mais eficazes. Segundo ele, a questão da comunidade, da abordagem orientada para a procura é, portanto, um factor de sucesso. A proposta de Comissão Europeia permite também às regiões investir em infraestruturais sociais, em renovação física/espacial de bairros degradados e de forma mais geral de desenvolvimento urbano sustentável. Em todas estas áreas, uma habitação a preços acessíveis vai ter um papel importante a desempenhar. Proposta de um novo pacote sobre o regulamento dos auxílios estatais para os SIEG O vice-presidente do Intergrupo Serviços públicos do Parlamento Europeu apresentou um relatório que estabelece um novo pacote de regras dos auxílios estatais para os SIEG (serviços de interesse económico geral). O relatório toma em consideração a especificidade das organizações de habitação social; enfatiza a importância da miscigenação social e destaca a necessidade de aumentar a qualidade e a acessibilidade universal dos serviços públicos, bem como auxiliar os investimentos a longo prazo. A proposta foi votada em Novembro e a decisão final da Comissão Europeia será apresentada em Dezembro. Entrará em vigor a 1 de Janeiro de O CECODHAS Housing Europe enviou uma carta ao Comissário responsável pela Concorrência, explicando claramente a posição dos promotores de habitação pública, cooperativa e social sobre o proposto pacote de regras de auxílios estatais para os SIEG. Em particular, a proposta será bem-vinda por ser mais proporcional com os objectivos dos SIEG locais e sociais, mas limita um pouco no que respeita ao objectivo da directiva, que são considerados contraproducentes em termos de prestação de serviços sociais. A habitação a preços acessíveis faz parte da visão de uma cidade europeia: o relatório da Comissão Europeia No seu recente relatório publicado no Novembro passado sobre as Cidades de amanhã, a Comissão Europeia está disposta a demonstrar que existe um modelo europeu de desenvolvimento urbano; discutir os principais pontos fortes, fraquezas, oportunidades e ameaças a este modelo e focar os desafios de governança das nossas cidades de amanhã. A habitação tem um lugar-chave no relatório e é visto como um dos factores mais importantes da implementação do desenvolvimento sustentável, em todas as suas dimensões, a nível da cidade. Este desenvolvimento verdadeiramente sustentável nas cidades é um dos aspectos do modelo de cidade Europeia. Segundo o relatório "Cidades Europeias de amanhã as cidades são locais de avançado progresso social [...] com uma habitação socialmente equilibrada e uma habitação social condigna, saudável, adequada e a preços acessíveis adaptada às novas famílias e padrões demográficos, com uma elevada qualidade arquitectónica, diversidade e identidade ". O relatório também reconhece o papel de habitação a preços acessíveis para o desenvolvimento económico local e o combate à pobreza energética. Segundo o coordenador do grupo de trabalho do CECODHAS sobre desenvolvimento urbano: Este relatório é um diagnóstico lúcido do estado das nossas áreas urbanas e dos desafios que a população urbana está a enfrentar. A habitação a preços acessíveis é claramente vista como parte da solução para tornar as cidades europeias lugares melhores para se viver". E refere também:"existe uma grande coerência entre o relatório e as novas propostas legislativas para a política de coesão que têm o potencial de capacitação e fortalecimento das comunidades locais. Com esta nova abordagem, que apoiamos plenamente, a Comissão Europeia dá finalmente bons passos no sentido de melhorar as

4 condições de vida dos cidadãos ". O CECODHAS vai organizar uma conferência de alto nível no mês de Junho de 2012 em Lyon (França) sobre: As abordagens apoiadas na comunidade para o desenvolvimento urbano: o potencial dos Fundos estruturais Mais informações em breve em: O relatório sobre as Cidades de Amanhã está disponível em: As contribuição do CECODHAS para o relatório estão disponíveis em: 20Policy%20Paper_2.pdf A Comissão Europeia apresenta a Iniciativa empresarial/negócio social A Comissão Europeia adoptou o plano de acção da Iniciativa empresarial/negócio social como parte de um pacote de medidas de apoio ao empreendedorismo e à actividade empresarial responsável. O objectivo da Comissão é contribuir para a criação de um ambiente favorável para o desenvolvimento de empresas (de negócios) sociais que procuram alcançar impacto social e não tanto a maximização do lucro. A missão da empresa social é gerar significativos impactos sociais, ambientais e na comunidade e contribuir para a realização dos objectivos da estratégia de 2020, através da criação de empregos sustentáveis, melhorando a qualidade dos serviços sociais, introduzindo formas eficientes de reduzir emissões e resíduos e focando-se na inovação tecnológica. Para atingir o mesmo objectivo, a Comissão indicou uma nova e mais simplificada definição de Responsabilidade Social das Empresas (RSE) que é consistente com os princípios e directrizes reconhecidos internacionalmente. De acordo com essa nova definição RSE significa "a responsabilidade das empresas quanto aos seus impactos na sociedade" e serve como uma estratégia que permitirá às empresas desenvolverem-se de forma mais eficaz. A Comissão também irá ajudar o sector empresarial social a desenvolver, através de uma série de acções como a actualização das formas de acesso ao financiamento (incluindo fundos da UE) e melhorando a visibilidade das empresas sociais. Finalmente, a Comissão Europeia propõe a simplificação das regras de contabilidade para as PME, reduzindo a sua carga administrativa. As propostas poderiam potencialmente poupar-lhes até 1,7 bilhão por ano. Para atingir este objectivo, a Comissão iniciou um processo de revisão das directivas contabilísticas tendo como princípio norteador pensar primeiro nos pequenos. Consultar o original para mais informações sobre: o iniciativa empresarial social o novas regras mais claras para as contas das PME o a nova definição de RSE Rumo a uma agenda europeia para a habitação social por parte do Comité das Regiões Durante a 92ª sessão plenária realizada em Bruxelas em Outubro passado, o Comité das Região apresentou o relatório"rumo a uma agenda europeia para a habitação social". Consultar o original para mais informações sobre o relatório e os registos dos processos. Habitação considerada inviável pelo último Eurobarómetro relativo ao clima social No último inquérito Eurobarómetro Especial sobre as alterações do clima social, as pontuações relativas a acessibilidade da habitação na UE são negativas. A pesquisa abrange 15 áreas e pediu aos participantes para avaliar, em cada uma dessas áreas, a situação actual, como a situação tem evoluído ao longo dos últimos cinco anos e como eles esperam que mude ao longo do próximo ano. No que diz respeito à situação actual da acessibilidade da habitação da UE27 é -3,3.

5 esesh Poupança de energia na Habitação Social com as TIC O primeiro objectivo do consórcio esesh é reduzir o consumo da energia na habitação social europeia e, assim, atingir o objectivo ambiental europeu de redução de emissões. Fornecendo ferramentas amigáveis como ICT-based advanceded Energy Awareness Services (EAS), Energy management Services (EMS) directamente aos inquilinos da habitação social e aos profissionais, o esesh permite-lhes alcançar uma redução sustentada em energia e emissões e também no seu consumo. O esesh realizou serviços-piloto em 10 sítios em toda a França, Espanha, Alemanha, Áustria, Itália e Bélgica. Abrangendo 33 parceiros, o esesh é liderado por autoridades governamentais e fornecedores de habitação social. O consórcio envolvido neste projecto compreende além dos principais intervenientes no fornecimento de energia eléctrica, fabricantes de medidores inteligentes e ferramentas de domótica, especialistas na criação de redes e portais de internet para os inquilinos em associação com consultores locais e especialistas. Em todos os 10 sítios piloto do esesh, os serviços foram testados com inquilinos para optimizar o comportamento dos inquilinos em relação ao consumo de energia. Além disso, os serviços-piloto também foram testados com os profissionais de habitação, fornecendo-lhes as últimas novidades de monitorização e ferramentas de gestão de energia. Os serviços vão continuar a ser testados in loco ao longo dos próximos dois anos com o objectivo de lançar no mercado soluções viáveis e comercializáveis no final deste período. OIKODOMOS - Um campus virtual para promover o estudo da habitação na Europa contemporânea OIKODOMOS é um projecto de pesquisa financiado pelo Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida com o objectivo de criar uma plataforma de partilha de conhecimentos para os profissionais de habitação. O campus virtual OIKODOMOS é um espaço de colaboração, onde escolas de arquitectura e planeamento urbano colaboram no desenho e implementação de actividades de aprendizagem para o estudo da habitação de uma forma interdisciplinar com a participação de organizações profissionais, de comunidades locais e dos cidadãos. Prémios EUROCITIES 2011 Estes prémios destinam-se a premiar iniciativas das autoridades locais com vista a melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. A sexta edição foi realizada durante a conferência anual, EUROCITIES 2011 realizada em Génova no Novembro passado. Os três projectos vencedores foram: -Cooperação "The Mill Island ', Bydgoszcz -Participação "Esto no es un solar", Zaragoza -Inovação "Do-it-yourself houses, Roterdão No tema Investigação são referidas seis publicações: Housing Europe review The nuts and bolts of European social housing systems/revisão da habitação europeia os detalhes práticos dos sistemas de habitação social O observatório do CECODHAS Housing Europe acabou de editar esta publicação que fornece uma actualização do relatório de 2007 sobre a Habitação na Europa Realçando a habitação social visa

6 fornecer uma imagem mais clara dos sistemas de habitação social em toda a UE, identificando as mais recentes tendências no sector. Baseia-se nos relatórios estatísticos mais recentes e em literatura especializada disponível. Loger l Europe -Le Logement social dans tous ses états No passado mês de Novembro teve lugar em Paris um debate para apresentar esta publicação. A publicação resulta de um trabalho de equipa, analisando o efeito da decisão tomada a nível europeu sobre os diversos sistemas de habitação social em toda a Europa, em especial após as alterações impostas pela crise económica. Depois de analisar o significado de habitação social em alguns países representativos, através da adopção de uma forma de abordagem transnacional e multidisciplinar, o livro lança luz sobre a questão sobre se existe realmente um modelo de habitação social europeu. Finalmente, o estudo trata do "modelo francês", a relevância deste conceito e dos vários aspectos das políticas públicas realizadas em França. Reino Unido: o relatório Habitação O novo governo no Reino Unido adoptou uma abordagem revolucionária para reformar o sector, anunciando alterações significativas ao sistema de planeamento, bem-estar, investimento e arrendamento social, com o objectivo global de atender às aspirações de habitação das pessoas. Três instituições inglesas, incluindo a Federação Nacional de Habitação, editaram um relatório para identificar a situação do sector de habitação a preços acessíveis no momento presente. O relatório, ao reunir e apresentar os factos, procura esclarecer se a abordagem governamental para habitação está a resultar e garantir que a política de habitação continua no centro do debate político durante o funcionamento do Parlamento. Inovação, sustentabilidade, transferência 25 anos dos prémios mundiais Habitat Por ocasião do 25º aniversário do Prémio Mundial Habitat, a Fundação Building and Social Housing publicou um livro comemorativo que mostra uma gama de soluções de habitação inovadoras e sustentáveis de todo o mundo. A publicação apresenta uma análise das tendências no desenvolvimento da habitação no último quarto de século e realça a inovação e as melhores práticas que foram aplicadas para enfrentar os desafios do clima e das alterações sociais e demográficas. É disponibilizado também um índice dos vencedores e finalistas do Prémio nos últimos 25 anos. Relatório RICS: o sector da habitação - o consumo dos agregados familiares numa perspectiva europeia Durante a Cimeira Internacional de Roterdão no passado mês de Novembro, foi apresentada a mais recente pesquisa editada pelo RICS (Royal Institution of Chartered Surveyors) sobre os gastos dos consumidores com a habitação na Europa. O relatório refere que as despesas relacionadas com o alojamento aumentaram consideravelmente na Europa durante a última década e agora representam a maior parcela dos gastos dos consumidores, a nível da UE. Evidencia também o aumento das despesas com a energia. Este facto mostra que a eficiência energética e as medidas de energia renovável precisam continuar a ser um importante foco dos decisores, fornecedores e consumidores de energia, especialmente para o parque habitacional já existente. Relatório OIT: pôr os mercados a funcionar para a criação de empregos A Organização Internacional do Trabalho (OIT) publica anualmente o " Relatório de Trabalho no Mundo A edição de 2011 mostra que não será possível recuperar com sucesso a partir da recessão, a menos que as desigualdades sociais sejam abordadas através de políticas bem concebidas.

7 O relatório apresenta também um novo índice de "tensão social" que mostra os níveis de descontentamento com a falta de empregos e a raiva da percepção de que o ónus da crise não está sendo compartilhado de forma justa. Observa que, em mais de 45 dos 119 países analisados, o risco de tensão social está a aumentar, especialmente em economias avançadas, nomeadamente da UE. Na secção Notícias dos países membros referem-se apenas os títulos: FRANÇA: o plano de austeridade vai ter um forte impacto no sector da habitação social ITÁLIA: ACER Regio Emilia (empresa pública que promove habitação social) tornou-se parceira do projecto europeu TrisCO (Transition Island Communities: Empowering Localities to Act) POLÓNIA: Banco Mundial compra créditos de carbono a partir das medidas de eficiência energética polaca em edifícios públicos REINO-UNIDO: A Instituição financeira de desenvolvimento comunitário Moneyline Cymru é um dos finalistas do prémio Guardian Social Enterprise Na Agenda está anunciada a abertura do convite para apresentação de candidaturas a FutureCityLeader A ICLEI- Local Governments for Sustainability lançou recentemente a iniciativa "FutureCityLeaders" com o objectivo de capacitar jovens líderes municipais nas questões da sustentabilidade urbana e global. A iniciativa oferece 2 anos de um programa de aprendizagem para 21 jovens seleccionados, membros de municípios, a fim de aprofundar o seu potencial de liderança e o seu conhecimento das políticas de desenvolvimento sustentável e de ambiente. A plataforma de aprendizagem dá-lhes a oportunidade para partilhar as melhores práticas, conhecimento e informação relevante e reforçar o networking. Para ser elegíveis, os candidatos devem: Ter entre 18 e 35 anos; Ocupar um cargo eleito numa autarquia (Presidente da Câmara, Membro do Conselho); ter um papel de liderança na administração ou ser activo num grupo da sociedade civil que incentiva a juventude para a política. A iniciativa, apoiada pelo UN-HABITAT e pelo Conselho Mundial de Presidentes de Câmara para as alterações climáticas, incentiva a candidatura de jovens líderes municipais de países desenvolvidos ou em desenvolvimento. CONCLUSÕES De salientar: As boas notícias relativamente à nova proposta legislativa para a Política de Coesão que pode ser considerada como um importante ponto de viragem na perspectiva europeia relativa à habitação. De salientar, entre outros, os seguintes aspectos: o ênfase dado à abordagem baseada no território, os investimentos territoriais integrados poderem ser financiados por uma combinação de fundos, um maior empowerment/capacitação do nível local; A proposta já adoptada do novo regulamento do FEDER poder ser muito positiva para habitação social;

8 O relatório da Comissão Europeia sobre as Cidades de amanhã apresenta e defende que existe um modelo europeu de desenvolvimento urbano; A iniciativa da Comissão Europeia relativa a actividade empresarial social/empresa social e o novo e simplificado conceito de Responsabilidade Social das Empresas (RSE); Os diversos projectos experimentais em curso relativos as questões de habitação e eficiência energética. Nas publicações temas de grande actualidade, nomeadamente: Informação actualizada dos sistemas de habitação social em toda a UE; Informação sobre o efeito da decisão tomada a nível europeu sobre os diversos sistemas de habitação social em toda a Europa, em especial após as alterações impostas pela crise económica; Informação sobre casos de sucesso para enfrentar os desafios do clima e das alterações sociais e demográficas; Informação sobre gastos com a habitação dos consumidores em toda a Europa; Dados sobre como a recuperação com sucesso tem que ser efectuada através de políticas bem concebidas que abordem as desigualdades sociais e a apresentação um novo índice de "tensão social". De salientar também o convite para apresentação para candidaturas à iniciativa FutureCityLeader, lançado pela ICLEI- Local Governments for Sustainability com o objectivo de capacitar jovens líderes municipais nas questões da sustentabilidade urbana e global. OBSERVAÇÕES Documento integral em inglês em PDF Para saber mais informação sobre os diversos temas aceder ao documento integral.

Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020

Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30 de julho de 2014 Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020 Informações gerais O Acordo de Parceria abrange cinco fundos: Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional

Leia mais

Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II

Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II PARTILHA DE EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGEM SOBRE O DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL O URBACT permite que as cidades europeias trabalhem em conjunto e desenvolvam

Leia mais

Fundos Comunitários. geridos pela Comissão Europeia. M. Patrão Neves. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.

Fundos Comunitários. geridos pela Comissão Europeia. M. Patrão Neves. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves. Fundos Comunitários geridos pela Comissão Europeia M. Patrão Neves Fundos comunitários: no passado Dependemos, de forma vital, dos fundos comunitários, sobretudo porque somos um dos países da coesão (e

Leia mais

Newsflash - Notícias UE sobre Habitação Social

Newsflash - Notícias UE sobre Habitação Social DOCUMENTO ASSUNTO EDIÇÃO AUTOR Newsflash - Notícias UE sobre Habitação Social Setembro 2011 CECODHAS HOUSING EUROPE Secretariado PERIODICIDADE 6/8 publicações/ano TEMAS ABORDADOS A Notícia de abertura

Leia mais

Newsflash - Notícias UE sobre Habitação Social

Newsflash - Notícias UE sobre Habitação Social DOCUMENTO ASSUNTO EDIÇÃO AUTOR Newsflash - Notícias UE sobre Habitação Social Janeiro 2011 CECODHAS HOUSING EUROPE Secretariado PERIODICIDADE 6/8 publicações/ano TEMAS ABORDADOS A Notícia de abertura refere

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes: EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) O presente documento suporta a apreciação do ponto 3

Leia mais

Fundos Estruturais e de Investimento 2014-2020

Fundos Estruturais e de Investimento 2014-2020 + competitivo + inclusivo + sustentável Fundos Estruturais e de Investimento 2014-2020 Piedade Valente Vogal da Comissão Diretiva do COMPETE Santarém, 26 de setembro de 2014 Estratégia Europa 2020 ESTRATÉGIA

Leia mais

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO CONVÉNIO CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO ÍNDICE FINALIDADE... 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CONSTITUIÇÃO E GOVERNÂNCIA... 4 FINANCIAMENTO... 5 RELATÓRIOS... 5 Ficha de Adesão ao CLUSTER

Leia mais

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89 N 9º15'50. AGENDA 21 escolar Pensar Global, agir Local Centro de Educação Ambiental Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.84" O 918 773 342 cea@cm-tvedras.pt Enquadramento A Agenda

Leia mais

Estratégia Europeia para o Emprego Promover a melhoria do emprego na Europa

Estratégia Europeia para o Emprego Promover a melhoria do emprego na Europa Estratégia Europeia para o Emprego Promover a melhoria do emprego na Europa Comissão Europeia O que é a Estratégia Europeia para o Emprego? Toda a gente precisa de um emprego. Todos temos necessidade de

Leia mais

Instituições europeias

Instituições europeias Envelhecer com Prazer Rua Mariana Coelho, nº 7, 1º E 2900-486 Setúbal Portugal Tel: +351 265 548 128 Tlm: 96 938 3068 E-mail: envelhecimentos@gmail.com www.envelhecer.org Instituições europeias Inês Luz

Leia mais

Adenda aos Critérios de Selecção

Adenda aos Critérios de Selecção Adenda aos Critérios de Selecção... Critérios de Selecção SI Qualificação PME EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE

Leia mais

CENTRO DE INFORMAÇÃO EUROPE DIRECT DE SANTARÉM

CENTRO DE INFORMAÇÃO EUROPE DIRECT DE SANTARÉM CENTRO DE INFORMAÇÃO EUROPE DIRECT DE SANTARÉM Assembleia de Parceiros 17 de Janeiro 2014 Prioridades de Comunicação 2014 Eleições para o Parlamento Europeu 2014 Recuperação económica e financeira - Estratégia

Leia mais

ESPECIAL PMEs. Volume III Fundos europeus 2ª parte. um Guia de O Portal de Negócios. www.oportaldenegocios.com. Março / Abril de 2011

ESPECIAL PMEs. Volume III Fundos europeus 2ª parte. um Guia de O Portal de Negócios. www.oportaldenegocios.com. Março / Abril de 2011 ESPECIAL PMEs Volume III Fundos europeus 2ª parte O Portal de Negócios Rua Campos Júnior, 11 A 1070-138 Lisboa Tel. 213 822 110 Fax.213 822 218 geral@oportaldenegocios.com Copyright O Portal de Negócios,

Leia mais

As regiões Portuguesas: Lisboa: Competitividade e Emprego; Madeira: Phasing-in; Algarve: Phasing-out; Norte, Centro, Alentejo, Açores: Convergência

As regiões Portuguesas: Lisboa: Competitividade e Emprego; Madeira: Phasing-in; Algarve: Phasing-out; Norte, Centro, Alentejo, Açores: Convergência A Nova Agenda da Política de Coesão no Espaço Europeu Nuno Teixeira CCDR-LVT 26.Novembro.2010 A Nova Agenda da Política de Coesão no Espaço Europeu 1 ÍNDICE I. A coesão no espaço europeu II. O Tratado

Leia mais

Principais diferenças entre 2007-2013 / 2014-2020

Principais diferenças entre 2007-2013 / 2014-2020 Principais diferenças entre 2007-2013 / 2014-2020 Fundos 2 Objetivos 2 Etapas formais de programação 2 Abordagem estratégica 2 Âmbito Geográfico 3 Concentração Temática 4 Condicionalidades Ex ante 5 Adicionalidade

Leia mais

O Desenvolvimento Local no período de programação 2014-2020 - A perspetiva do FSE - 10 de maio de 2013

O Desenvolvimento Local no período de programação 2014-2020 - A perspetiva do FSE - 10 de maio de 2013 O Desenvolvimento Local no período de programação 2014-2020 - A perspetiva do FSE - 10 de maio de 2013 Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020 Conselho europeu 7 e 8 fevereiro 2013 Política de Coesão (Sub-rubrica

Leia mais

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Na parte final da fase 1 do projecto Processo de Avaliação em Contextos Inclusivos foi discutido o conceito processo de avaliação inclusiva e prepararam-se

Leia mais

EFIÊNCIA DOS RECURSOS E ESTRATÉGIA ENERGIA E CLIMA

EFIÊNCIA DOS RECURSOS E ESTRATÉGIA ENERGIA E CLIMA INTRODUÇÃO Gostaria de começar por agradecer o amável convite para participar neste debate e felicitar os organizadores pela importância desta iniciativa. Na minha apresentação irei falar brevemente da

Leia mais

POLÍTICA DE COESÃO 2014-2020

POLÍTICA DE COESÃO 2014-2020 DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL INTEGRADO POLÍTICA DE COESÃO 2014-2020 As novas regras e legislação para os investimentos futuros da política de coesão da UE durante o período de programação 2014-2020

Leia mais

Nuno Vitorino Faro 22 Junho 2012

Nuno Vitorino Faro 22 Junho 2012 Iniciativa JESSICA Financiamento de Projectos Sustentáveis de Reabilitação Urbana Perspectivas para o Período 2014-2020 de Programação dos Fundos Comunitários Nuno Vitorino Faro 22 Junho 2012 JESSICA (Joint

Leia mais

POLÍTICA E ESTRATÉGIA DE HABITAÇÃO PARA MOÇAMBIQUE

POLÍTICA E ESTRATÉGIA DE HABITAÇÃO PARA MOÇAMBIQUE POLÍTICA E ESTRATÉGIA DE HABITAÇÃO PARA MOÇAMBIQUE Apresentado por :Zefanias Chitsungo (Director Nacional de Habitação e Urbanismo) INTRODUÇÃO Moçambique tem mais de 20 milhões de habitantes; sendo que

Leia mais

Desenvolvimento Local nos Territórios Rurais: desafios para 2014-2020

Desenvolvimento Local nos Territórios Rurais: desafios para 2014-2020 Desenvolvimento Local nos Territórios Rurais: desafios para 2014-2020 Seminário Turismo Sustentável no Espaço Rural: Experiências de Sucesso em Portugal e na Europa Castro Verde - 06 de Março 2013 Joaquim

Leia mais

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO Citação de Dr. Emílio Rui Vilar 2 Tempo de mudanças sociais Estamos no início de um século que se adivinha difícil e instável nos seus Problemas Globais

Leia mais

O que pode a União Europeia fazer pelas pessoas? O Fundo Social Europeu é uma resposta a esta questão

O que pode a União Europeia fazer pelas pessoas? O Fundo Social Europeu é uma resposta a esta questão 1 2 O que pode a União Europeia fazer pelas pessoas? O Fundo Social Europeu é uma resposta a esta questão 3 A origem do Fundo Social Europeu O Fundo Social Europeu foi criado em 1957 pelo Tratado de Roma,

Leia mais

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Candidatura aprovada ao Programa Política de Cidades - Redes Urbanas para a Competitividade e a Inovação Síntese A cidade de S.

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

Uma agenda para a mudança: conseguir acesso universal à água, ao saneamento e à higiene (WASH) até 2030.

Uma agenda para a mudança: conseguir acesso universal à água, ao saneamento e à higiene (WASH) até 2030. Uma agenda para a mudança: conseguir acesso universal à água, ao saneamento e à higiene (WASH) até 2030. O acordo sobre uma meta do Objectivo de Desenvolvimento Sustentável relativamente ao acesso universal

Leia mais

PROGRAMA DE ACÇÃO COMUNITÁRIO RELATIVO À VIGILÂNCIA DA SAÚDE PROJECTO DE PROGRAMA DE TRABALHO 1998-1999 (Art. 5.2.b da Decisão Nº 1400/97/CE)

PROGRAMA DE ACÇÃO COMUNITÁRIO RELATIVO À VIGILÂNCIA DA SAÚDE PROJECTO DE PROGRAMA DE TRABALHO 1998-1999 (Art. 5.2.b da Decisão Nº 1400/97/CE) PROGRAMA DE ACÇÃO COMUNITÁRIO RELATIVO À VIGILÂNCIA DA SAÚDE PROJECTO DE PROGRAMA DE TRABALHO 1998-1999 (Art. 5.2.b da Decisão Nº 1400/97/CE) 1. INTRODUÇÃO As actividades da União Europeia no domínio da

Leia mais

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS As pequenas empresas são a espinha dorsal da economia europeia, constituindo uma fonte significativa de emprego e um terreno fértil para o surgimento de ideias empreendedoras.

Leia mais

SEGUNDO PILAR DA PAC: A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL

SEGUNDO PILAR DA PAC: A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL SEGUNDO PILAR DA PAC: A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL A última reforma da política agrícola comum (PAC) manteve a estrutura em dois pilares desta política, continuando o desenvolvimento rural a representar

Leia mais

1. Objectivos do Observatório da Inclusão Financeira

1. Objectivos do Observatório da Inclusão Financeira Inclusão Financeira Inclusão Financeira Ao longo da última década, Angola tem dado importantes passos na construção dos pilares que hoje sustentam o caminho do desenvolvimento económico, melhoria das

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

Excelência Senhor presidente da COP 19 Excelências distintos chefes de delegações aqui presentes Minhas senhoras e meus senhores (1)

Excelência Senhor presidente da COP 19 Excelências distintos chefes de delegações aqui presentes Minhas senhoras e meus senhores (1) Excelência Senhor presidente da COP 19 Excelências distintos chefes de delegações aqui presentes Minhas senhoras e meus senhores (1) Permitam que em nome do Governo de Angola e de Sua Excelência Presidente

Leia mais

A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES. Opções da União Europeia e posição de Portugal

A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES. Opções da União Europeia e posição de Portugal A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES Opções da União Europeia e posição de Portugal 1 I Parte - O Plano de Acção da EU Plano de Acção para a Mobilidade Urbana Publicado pela Comissão Europeia

Leia mais

Conclusões do Conselho sobre o critério de referência da mobilidade para a aprendizagem (2011/C 372/08)

Conclusões do Conselho sobre o critério de referência da mobilidade para a aprendizagem (2011/C 372/08) 20.12.2011 Jornal Oficial da União Europeia C 372/31 Conclusões do Conselho sobre o critério de referência da mobilidade para a aprendizagem (2011/C 372/08) O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA, TENDO EM CONTA

Leia mais

Pacto Europeu. para a Saúde. Conferência de alto nível da ue. Bruxelas, 12-13 de junho de 2008

Pacto Europeu. para a Saúde. Conferência de alto nível da ue. Bruxelas, 12-13 de junho de 2008 Pacto Europeu para a Saúde Mental e o Bem-Estar Conferência de alto nível da ue JUNTOS PELA SAÚDE MENTAL E PELO BEM-ESTAR Bruxelas, 12-13 de junho de 2008 Slovensko predsedstvo EU 2008 Slovenian Presidency

Leia mais

Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin

Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin A Presidência Portuguesa na área dos Assuntos Económicos e Financeiros irá centrar-se na prossecução de três grandes objectivos, definidos

Leia mais

O BANCO EUROPEU DE INVESTIMENTO

O BANCO EUROPEU DE INVESTIMENTO O BANCO EUROPEU DE INVESTIMENTO O Banco Europeu de Investimento (BEI) promove os objetivos da União Europeia ao prestar financiamento a longo prazo, garantias e aconselhamento a projetos. Apoia projetos,

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

Criar Valor com o Território

Criar Valor com o Território Os territórios como ativos 4 O VALORIZAR é um programa de valorização económica de territórios, que os vê como ativos de desenvolvimento e geração de riqueza e emprego. 5 é a sua visão e a sua assinatura.

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

TRANSPORT LEARNING Cursos de formação para municípios e agências de energia

TRANSPORT LEARNING Cursos de formação para municípios e agências de energia TRANSPORT LEARNING Cursos de formação para municípios e agências de energia istockphoto Conteúdo Caro leitor, Sobre o projecto... 2 Criando uma base de conhecimento para as regiões de convergência da Europa...

Leia mais

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE Projecto IMCHE/2/CP2 1 ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

Leia mais

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que:

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que: C 297/6 Resolução do Conselho e dos Representantes Governos dos Estados-Membros, reunidos no Conselho, relativa à realização dos objectivos comuns em matéria de participação e informação dos jovens para

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO ALENTEJO

PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO ALENTEJO Alentejo 2020 Desafios Borba 17 de Dezembro de 2014 ALENTEJO Estrutura do Programa Operacional Regional do Alentejo 2014/2020 1 - Competitividade e Internacionalização

Leia mais

49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL

49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL Washington, D.C., EUA, 28 de setembro a 2 de outubro de 2009 CD49.R10 (Port.) ORIGINAL:

Leia mais

INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL

INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL JESSICA KICK-OFF MEETING FÁTIMA FERREIRA mrferreira@ihru.pt POLÍTICA DE CIDADES NO ÂMBITO DO QREN - PORTUGAL PO Regional Programas integrados de regeneração

Leia mais

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm Anexo C: Súmula das principais iniciativas desenvolvidas na Europa na área da Sociedade de Informação e da mobilização do acesso à Internet em banda larga Para informação adicional sobre os diversos países

Leia mais

Portugal 2020. Inovação da Agricultura, Agroindústria. Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt

Portugal 2020. Inovação da Agricultura, Agroindústria. Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt Portugal 2020 Inovação da Agricultura, Agroindústria e Floresta Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt FEDER 2020 - Prioridades Concentração de investimentos do FEDER Eficiência energética e energias renováveis

Leia mais

Missão Empresarial Banco Asiático de Desenvolvimento (BAsD) Sector: Energia

Missão Empresarial Banco Asiático de Desenvolvimento (BAsD) Sector: Energia Missão Empresarial Banco Asiático de Desenvolvimento (BAsD) Sector: Energia Manila, 18 a 22 de Março de 2013 1 Enquadramento: No âmbito do Acordo de Parceiros celebrado entre a AICEP e o GPEARI (Ministério

Leia mais

3. PRINCIPAIS TEMÁTICAS E CARACTERÍSTICAS DE ORGANIZAÇÃO DOS OPEN DAYS 2008

3. PRINCIPAIS TEMÁTICAS E CARACTERÍSTICAS DE ORGANIZAÇÃO DOS OPEN DAYS 2008 1. INTRODUÇÃO Em apenas 5 anos os OPEN DAYS Semana Europeia das Regiões e Cidades tornaram-se um evento de grande importância para a demonstração da capacidade das regiões e das cidades na promoção do

Leia mais

Bom dia, Senhoras e Senhores. Introdução

Bom dia, Senhoras e Senhores. Introdução Bom dia, Senhoras e Senhores Introdução Gostaria de começar por agradecer o amável convite que o Gabinete do Parlamento Europeu em Lisboa me dirigiu para participar neste debate e felicitar os organizadores

Leia mais

Visualização. O questionário só pode ser preenchido em linha.

Visualização. O questionário só pode ser preenchido em linha. Visualização. O questionário só pode ser preenchido em linha. Questionário «Para uma avaliação intercalar da Estratégia Europa 2020 do ponto de vista dos municípios e regiões da UE» Contexto A revisão

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

12. Da discussão e dos seminários, surgiu um consenso sobre as ideias seguintes

12. Da discussão e dos seminários, surgiu um consenso sobre as ideias seguintes Conclusões «Inovação e sustentabilidade ambiental. A inovação e a tecnologia como motor do desenvolvimento sustentável e da coesão social. Uma perspectiva dos governos locais». 1. O Fórum irá estudar,

Leia mais

REU IÃO I FORMAL DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVER O DE 7 DE OVEMBRO VERSÃO APROVADA

REU IÃO I FORMAL DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVER O DE 7 DE OVEMBRO VERSÃO APROVADA Bruxelas, 7 de ovembro de 2008 REU IÃO I FORMAL DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVER O DE 7 DE OVEMBRO VERSÃO APROVADA 1. A unidade dos Chefes de Estado e de Governo da União Europeia para coordenar as respostas

Leia mais

A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI

A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI Mobilidade em Cidades Médias e Áreas Rurais Castelo Branco, 23-24 Abril 2009 A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI A POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI Compromisso

Leia mais

POLÍTICA DE COESÃO 2014-2020

POLÍTICA DE COESÃO 2014-2020 DESENVOLVIMENTO LOCAL ORIENTADO PARA A COMUNIDADE POLÍTICA DE COESÃO 2014-2020 A Comissão Europeia aprovou propostas legislativas no âmbito da política de coesão para 2014-2020 em outubro de 2011 Esta

Leia mais

O Futuro dos Programas Europeus de Ciência e Inovação Maria da Graça a Carvalho

O Futuro dos Programas Europeus de Ciência e Inovação Maria da Graça a Carvalho O Futuro dos Programas Europeus de Ciência e Inovação Maria da Graça a Carvalho Workshop sobre Políticas de Investigação no Ensino Superior Universidade da Beira Interior 2 Junho 2011 Índice Estratégia

Leia mais

A Construção Sustentável e o Futuro

A Construção Sustentável e o Futuro A Construção Sustentável e o Futuro Victor Ferreira ENERGIA 2020, Lisboa 08/02/2010 Visão e Missão O Cluster Habitat? Matérias primas Transformação Materiais e produtos Construção Equipamentos Outros fornecedores

Leia mais

Linhas de Financiamento com Candidaturas abertas - Abril 2012 Regiões / Data países

Linhas de Financiamento com Candidaturas abertas - Abril 2012 Regiões / Data países Linhas de Financiamento com Candidaturas abertas - Abril 2012 Regiões / Links Financiador Tema Questões chave Data Montantes países importantes Notas 1 Gates Advocacy Melhorar o apoio da opinião pública

Leia mais

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Gostaria de começar por agradecer o amável convite que a FCT me dirigiu para

Leia mais

ACQUALIVEEXPO. Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA

ACQUALIVEEXPO. Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA ACQUALIVEEXPO Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA Lisboa, 22 de Março de 2012 1 1. Introdução A diplomacia económica é um

Leia mais

MODERNIZAÇÃO E CAPACITAÇÃO DAS EMPRESAS

MODERNIZAÇÃO E CAPACITAÇÃO DAS EMPRESAS MODERNIZAÇÃO E CAPACITAÇÃO DAS EMPRESAS Destina-se a apoiar. nas explorações agrícolas para a produção primária de produtos agrícolas - Componente 1. na transformação e/ou comercialização de produtos agrícolas

Leia mais

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE Adoptada pelos Ministros da Saúde e Ministros do Ambiente na Segunda Conferência Interministerial sobre Saúde e

Leia mais

A NOVA AGENDA DO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL E OS NOVOS INSTRUMENTOS 2014-2020

A NOVA AGENDA DO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL E OS NOVOS INSTRUMENTOS 2014-2020 ENCONTRO TEMÁTICO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL 28 de Fevereiro de 2014, Espaço Jovem, Porto de Mós. Grupo de Trabalho Desenvolvimento Urbano Sustentável A NOVA AGENDA DO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL

Leia mais

Cooperação Territorial Transnacional: Irlanda - Espanha - França - Portugal - Reino Unido

Cooperação Territorial Transnacional: Irlanda - Espanha - França - Portugal - Reino Unido MEMO/08/79 Bruxelas, 8 de Fevereiro de 2008 Cooperação Territorial Transnacional: Irlanda - Espanha - França - Portugal - Reino Unido 1. O Programa Operacional de Cooperação Transnacional Espaço Atlântico

Leia mais

A Agência de Tecnologia da República Checa e os seus programas

A Agência de Tecnologia da República Checa e os seus programas A Agência de Tecnologia da República Checa e os seus programas A CRIAÇÃO E O LANÇAMENTO DAS ACTIVIDADES DA TA CR A fundação da Agência de Tecnologia da República Checa (adiante designada TA CR ) foi um

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO AMBIENTE REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE O Ministério do Ambiente tem o prazer de convidar V. Exa. para o Seminário sobre Novos Hábitos Sustentáveis, inserido na Semana Nacional do Ambiente que terá

Leia mais

EVENTO ANUAL DO PO LISBOA Resultados do POR Lisboa e Portugal 2020. Prioridades do FEDER

EVENTO ANUAL DO PO LISBOA Resultados do POR Lisboa e Portugal 2020. Prioridades do FEDER EVENTO ANUAL DO PO LISBOA Resultados do POR Lisboa e Portugal 2020 Prioridades do FEDER Dina Ferreira, Vogal do Conselho Diretivo - Instituto Financeiro para o Desenvolvimento Regional Os novos contornos

Leia mais

Indicadores Gerais para a Avaliação Inclusiva

Indicadores Gerais para a Avaliação Inclusiva PROCESSO DE AVALIAÇÃO EM CONTEXTOS INCLUSIVOS PT Preâmbulo Indicadores Gerais para a Avaliação Inclusiva A avaliação inclusiva é uma abordagem à avaliação em ambientes inclusivos em que as políticas e

Leia mais

Política agrícola e protecção e gestão eficiente da água

Política agrícola e protecção e gestão eficiente da água Política agrícola e protecção e gestão eficiente da água Francisco Cordovil Director do GPP Conselho Nacional da Água Ponto 4 da ordem de trabalhos Lisboa 3 de Dezembro de 2010 Política agrícola e protecção

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade ACORDO DE PARCERIA Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

Relatório da. Avaliação intercalar da execução do Plano de Acção da UE para as Florestas Contrato de Serviço N.º 30-CE-0227729/00-59.

Relatório da. Avaliação intercalar da execução do Plano de Acção da UE para as Florestas Contrato de Serviço N.º 30-CE-0227729/00-59. Relatório da Avaliação intercalar da execução do Plano de Acção da UE para as Florestas Contrato de Serviço N.º 30-CE-0227729/00-59 Resumo Novembro de 2009 Avaliação intercalar da execução do Plano de

Leia mais

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental A Nestlé, na qualidade de Companhia líder em Nutrição, Saúde e Bem-Estar, assume o seu objectivo

Leia mais

micro-empresas e activid i a d de d ec e onómica c TAGUS, 24 de Janeiro de 2015

micro-empresas e activid i a d de d ec e onómica c TAGUS, 24 de Janeiro de 2015 micro-empresas e actividade económica TAGUS, 24 de Janeiro de 2015 20 anos Uma estratégia com o objectivo único de contribuirpara fixar população no interior do seu território. Combater o exodo rural e

Leia mais

Case study. Aumentar o conhecimento, informar a decisão ÍNDICE E.VALUE ENERGIA E CO2 EM PORTUGAL EMPRESA

Case study. Aumentar o conhecimento, informar a decisão ÍNDICE E.VALUE ENERGIA E CO2 EM PORTUGAL EMPRESA Case study 2010 Aumentar o conhecimento, informar a decisão ÍNDICE E.VALUE ENERGIA E CO2 EM PORTUGAL EMPRESA A E.Value S.A. é uma empresa de consultoria e desenvolvimento, com competências nos domínios

Leia mais

aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Social Europeu Instrumentos financeiros

aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Social Europeu Instrumentos financeiros aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Social Europeu Os instrumentos financeiros cofinanciados pelo Fundo Social Europeu são uma forma eficiente e sustentável de investir no crescimento

Leia mais

CIDADES INTELIGENTES DIREITO DA ENERGIA RITA NORTE

CIDADES INTELIGENTES DIREITO DA ENERGIA RITA NORTE CIDADES INTELIGENTES DIREITO DA ENERGIA RITA NORTE CIDADES INTELIGENTES NOTAS INTRODUTÓRIAS As cidades - espaços de oportunidades, desafios e problemas Diagnóstico dos espaços urbanos: Transformação demográfica

Leia mais

CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE"

CICLO DE CONFERÊNCIAS 25 ANOS DE PORTUGAL NA UE Boletim Informativo n.º 19 Abril 2011 CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE" A Câmara Municipal de Lamego no âmbito de atuação do Centro de Informação Europe Direct de Lamego está a promover

Leia mais

Introdução 02. CRER Metodologia Integrada de Apoio ao Empreendedor 04. Passos para criação do CRER Centro de Recursos e Experimentação 05

Introdução 02. CRER Metodologia Integrada de Apoio ao Empreendedor 04. Passos para criação do CRER Centro de Recursos e Experimentação 05 criação de empresas em espaço rural guia metodológico para criação e apropriação 0 Introdução 02 O que é o CRER 03 CRER Centro de Recursos e Experimentação 03 CRER Metodologia Integrada de Apoio ao Empreendedor

Leia mais

Iniciativa Portugal Inovação Social Novos programas de financiamento da inovação social no Portugal2020

Iniciativa Portugal Inovação Social Novos programas de financiamento da inovação social no Portugal2020 Iniciativa Portugal Inovação Social Novos programas de financiamento da inovação social no Portugal2020 Santa Casa da Misericórdia de Santarém 28 Maio 2015 Tema ENTIDADES PÚBLICAS PORTUGAL 2020 Objetivos

Leia mais

CSI Europe Álvaro Santos Presidente da Porto Vivo, SRU

CSI Europe Álvaro Santos Presidente da Porto Vivo, SRU Álvaro Santos Presidente da Porto Vivo, SRU José Pacheco Sequeira Núcleo de Estudos e Cooperação http://urbact.eu/csieurope Parceria Internacional + Missão Fazer com que os instrumentos financeiros funcionem

Leia mais

PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E ENERGIAS RENOVÁVEIS

PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E ENERGIAS RENOVÁVEIS Enquadramento Protocolo de Quioto Cimeira de Joanesburgo Directiva Renováveis Estratégia Nacional de Desenvolvimento Sustentável Programa E4 Nova Resolução do Conselho de Ministros INTERREG Programas Regionais

Leia mais

Atelier Inclusão Social

Atelier Inclusão Social Atelier Inclusão Social Porto, 3 de setembro de 2013 ccdr-n.pt/norte2020 Atelier Inclusão Social: Estrutura de apresentação Sumário 1. Enquadramento Europeu: Próximo ciclo da Politica de Coesão 2. Investimentos

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE Local de trabalho: Maputo, Moçambique Duração do contrato: Três (3) meses: Novembro 2011

Leia mais

Integração de uma abordagem de género na gestão de recursos hídricos e fundiários Documento de Posição de organizações e redes dos PALOPs

Integração de uma abordagem de género na gestão de recursos hídricos e fundiários Documento de Posição de organizações e redes dos PALOPs Integração de uma abordagem de género na gestão de recursos hídricos e fundiários Documento de Posição de organizações e redes dos PALOPs Isabel Dinis, ACTUAR Lisboa, 3 de Junho de 2010 ACTUAR - ASSOCIAÇÃO

Leia mais

O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA E OS REPRESENTANTES DOS GOVERNOS DOS ESTADOS-MEMBROS, I. INTRODUÇÃO

O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA E OS REPRESENTANTES DOS GOVERNOS DOS ESTADOS-MEMBROS, I. INTRODUÇÃO 14.6.2014 PT Jornal Oficial da União Europeia C 183/5 Resolução do Conselho e dos Representantes dos Governos dos Estados Membros, reunidos no Conselho, de 20 de maio de 2014, sobre um Plano de Trabalho

Leia mais

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO 7.6.2008 C 141/27 V (Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO Convite à apresentação de propostas de 2008 Programa Cultura (2007-2013) Execução das seguintes acções do programa: projectos plurianuais

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 8.10.2007 SEC(2007)907 DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO documento de acompanhamento da Comunicação da Comissão sobre um programa para ajudar as

Leia mais

1) Breve apresentação do AEV 2011

1) Breve apresentação do AEV 2011 1) Breve apresentação do AEV 2011 O Ano Europeu do Voluntariado 2011 constitui, ao mesmo tempo, uma celebração e um desafio: É uma celebração do compromisso de 94 milhões de voluntários europeus que, nos

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC)

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 01 / SIAC / 2012 SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) PROGRAMA ESTRATÉGICO +E+I PROMOÇÃO DA PARTICIPAÇÃO NO 7.º PROGRAMA-QUADRO DE I&DT (UNIÃO EUROPEIA)

Leia mais

Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005.

Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005. Cooperação empresarial, uma estratégia para o sucesso Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005. É reconhecida a fraca predisposição

Leia mais

Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia

Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES)

Leia mais

POSIÇÃO DA UGT Audição sobre o Futuro da Europa

POSIÇÃO DA UGT Audição sobre o Futuro da Europa POSIÇÃO DA UGT Audição sobre o Futuro da Europa A UGT saúda o debate em curso na Comissão dos Assuntos Europeus sobre o Futuro da Europa e, particularmente, sobre o futuro do Tratado Constitucional. O

Leia mais

3º Programa de Saúde 2014-2020

3º Programa de Saúde 2014-2020 2014-2020 INFARMED, 25 de junho de 2014 1. Enquadramento estratégico 2. Apresentação 3. Objetivos 4. Prioridades temáticas 5. Ações 6. Beneficiários 7. Tipos de subvenção 8. Regras de financiamento 9.

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) ESTRATÉGIAS DE EFICIÊNCIA COLECTIVA - TIPOLOGIA CLUSTERS E DINÂMICAS DE REDE

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) ESTRATÉGIAS DE EFICIÊNCIA COLECTIVA - TIPOLOGIA CLUSTERS E DINÂMICAS DE REDE AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 01 / SIAC / 2011 SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) ESTRATÉGIAS DE EFICIÊNCIA COLECTIVA - TIPOLOGIA CLUSTERS E DINÂMICAS DE REDE Nos termos do Regulamento

Leia mais