PROJETO: Mulher, Saúde e Bem Estar

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO: Mulher, Saúde e Bem Estar"

Transcrição

1 PROJETO: Mulher, Saúde e Bem Estar Salvador - Bahia 2013

2 DIRETOR GERAL Gilberto Carvalho Martins DIRETOR ACADÊMICO Renato Geraldo Evangelista Salles Júnior COORDENAÇÃO DE SERVIÇO SOCIAL Aleine de Araújo Ferreira COORDENAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL - NIS Ana Amélia do Nascimento Amorim EQUIPE DE ELABORAÇÃO Ana Amélia do Nascimento Amorim Ana Carolina Moreira Lessa Michele da Silva

3 Introdução A Faculdade São Salvador implantou em o NIS que objetiva proporcionar aos seus acadêmicos, ensino, pesquisa e extensão através do desenvolvimento de ações de caráter investigativo e interventivo a partir da prestação de serviços à comunidade local onde está instalada. A proposição de ações educativas que possibilitem a articulação da prática ao ensino consiste numa das premissas fundamentais para o desenvolvimento de ações do NIS. As proposições de intervenção devem considerar as demandas da comunidade, identificadas por meio de instrumentos técnicos como questionários e ou demandas espontâneas. O presente projeto de ação Mulher, saúde e bem estar foi elaborado a partir da demanda espontânea de abordar a temática de violência contra a mulher advinda da liderança comunitária, em visita da equipe de do NIS realizada à associação de moradores da comunidade do Parque Bela Vista de Brotas, ocorrida em 02 de abril de Com vistas a atender à demanda gerada pela liderança comunitária, a partir do conhecimento empírico acerca da realidade local, o do NIS propõe o projeto Mulher, saúde e bem estar que prevê ação interdisciplinar com foco na prevenção e combate a violência feminina e promoção da saúde da mulher com atuação articulada das áreas de serviço social, nutrição, enfermagem, direito e fisioterapia. Segundo o Mapa da Violência 2012: Homicídio de Mulheres no Brasil, relatório do Ministério da Saúde, publicado pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino- Americanos (CEBELA) e a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO), de autoria de Julio Jacobo Waiselfisz salienta que o SINAM Sistema Nacional de Atendimento Médico registrou em de atendimentos à mulheres vítimas de violência. Ainda segundo este documento, em 2009, o Brasil ocupava a 7ª colocação em taxa de homicídio feminino e, em 2010, a Bahia ocupava a 6ª posição em número e taxas de homicídios brasileiros, e dentre as capitais monitoradas, Salvador encontra-se em 5ª posição.

4 Observa-se, portanto, expressivo número de homicídios no Brasil e, em especial, na capital baiana, o que representa uma alerta para a necessidade de implementar ações de enfrentamento da violência contra a mulher. Desta forma, o presente projeto objetiva realização ação pontual e interdisciplinar com a comunidade do Parque Bela Vista de Brotas através de abordagem sobre a promoção da saúde de mulher, com recorte da temática de prevenção e combate a qualquer tipo de violência contra a mulher através de discussão sobre a temática e mobilização da sociedade para a articulação de políticas de enfrentamento da violência contra a mulher.

5 Justificativa Segundo o quarto capítulo do último Relatório Sobre o Peso Mundial da Violência Armada, intitulado Quando a vítima é uma mulher, publicado em 2011 na Suíça, os homicídios femininos geralmente acontecem na esfera doméstica. Cerca de 68,8% dos atendimentos a mulheres vítimas de violência, a agressão aconteceu na residência da vítima e em pouco menos da metade dos casos, o perpetrador é o parceiro ou ex-parceiro da mulher. No Brasil, 42,5% do total de agressões contra a mulher enquadram-se nessa situação. Considerando a faixa etária dos 20 aos 49 anos, acima de 65% das agressões tiveram autoria do parceiro ou do ex. O relatório aponta que o Brasil, com sua taxa de 4,4 homicídios para cada 100 mil mulheres, ocupa a 7ª colocação, como um dos países de elevados níveis de feminicídio. Este relatório indica que os altos níveis de feminicídio, frequentemente, estão acompanhados de elevados níveis de tolerância da violência contra as mulheres e, em alguns casos, são o resultado de dita tolerância, sendo a culpabilização da vítima como justificativa da violência, um dos mecanismos preponderantes foi a estuprada quem provocou o incidente, ou ela vestia como vadia.. Segundo relatório (2009/2010) do Observatório Brasil da Igualdade de Gênero, cujo tema-foco foi Mulheres, Poder e Decisão, as mulheres representam mais da metade da população e do eleitorado, tem maior nível de escolaridade, representa quase 50% da população economicamente ativa do País, mas mesmo assim dados do Sistema de Informações de Agravos de Notificação afirma que em 2011, mulheres entre 20 e 59 anos, foram vitimas de alguma violência no Brasil, a agressão física representa maior percentual de 78,2% dos casos de violência, seguida pela violência psicológica com 32,2% e pela violência sexual com 7,5%. E 38,4% dos casos, não eram a primeira vez que a agressão acontecia e ao todo, mulheres foram internadas em 2011 em decorrência de violência. Em pesquisa realizada pelo Instituto Avon entre 31 de Janeiro a 10 de Fevereiro de 2011, onde 1,8 mil pessoas de cinco regiões brasileiras foram entrevistadas, verificou-se que 6 em cada 10 brasileiros conhecem alguma mulher que foi vitima de violência doméstica, 94% conhecem a Lei Maria da Penha, que tipifica e define a violência doméstica e familiar contra a mulher e

6 estabelece as suas formas: física, psicológica, sexual, patrimonial e moral, bem como prevê punição mais rigorosa contra agressões às mulheres, mas apenas 13% sabem seu conteúdo. Segundo dados do Mapa da Violência de 2012, a cidade de Salvador ficou em 5ª posição em relação aos índices de violência registrados sobre homicídios contra a mulher com taxa 8,3% superando a média nacional que é de 4,6%. Considerando a demanda espontânea da liderança comunitária, através de sua representante Lívia Santos e os dados apresentados, o do NIS propõe o presente projeto de ação para a comunidade do Parque Bela Vista de Brotas, com vistas a ampliar acesso a informações sobre esta problemática, a partir da discussão sobre os direitos e redes de atendimento às mulheres vítimas de violência associado à promoção da saúde integral da mulher. Compreendendo a saúde como um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades, conforme preconiza a OMS Organização Mundial de Saúde, e que a violência contra a mulher é um problema que afeta a saúde física e mental da vítima, que tem consequências econômicas e sociais, afetando seu bem-estar, segurança, desenvolvimento pessoal e sua auto-estima, o presente projeto propõe abordagem interdisciplinar de temas que contribuam para a promoção da saúde e bem estar da mulher, bem como à prevenção às variadas formas de violência contra a mulher. A ação proposta, intitulada Mulher, saúde e bem estar tem como público alvo a comunidade do Parque Bela Vista de Brotas e será realizada dia 04 de junho de 2013, das 14:00 ás 17:30. Esta ação prevê participação articulada entre os cursos de direito, enfermagem, fisioterapia, nutrição e serviço social, com abordagem voltada para o conceito e entendimento da violência contra a mulher e as redes sócioassitenciais de atendimento às vítimas de violência, associada à importância dos cuidados com a saúde e bem estar com foco para os cuidados com a pele, planejamento familiar e alimentação adequada para períodos de tensão pré-menstrual e menopausa.

7 OBJETIVOS OBJETIVO GERAL: Desenvolver ação interdisciplinar que contribua para a promoção da saúde e bem estar da mulher e prevenção às formas de violência feminina envolvendo os cursos de serviço social, nutrição, fisioterapia, enfermagem e direito. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: Refletir e discutir sobre os tipos de violência contra a mulher e as formas de prevenção e enfrentamento; Informar sobre as redes de proteção e atenção à mulher vítima de violência; Ampliar acesso da comunidade aos serviços ofertados gratuitamente pelo NIS- e pelo NMPJ Núcleo de Mediação de Prática Jurídica; Estimular a adoção de hábitos saudáveis e que estimulem a autoestima das mulheres da comunidade do Parque Bela Vista de Brotas; Promover integração entre as áreas do NIS; Fortalecer vínculos e aproximar a Faculdade São Salvador e a comunidade do Parque Bela Vista de Brotas; Construir coletivamente conhecimento e aprendizado discente a partir da prática profissional supervisionada pelos preceptores dos cursos envolvidos no projeto.

8 METODOLOGIA O desenvolvimento da ação proposta pelo presente projeto prevê a participação integrada dos discentes dos cursos integrantes do NIS (serviço social, nutrição, enfermagem e fisioterapia) e do NMPJ sob supervisão direta de seus respectivos supervisores, profissionais das áreas com vistas a estimular e direcionar a reflexão e articulação teoria e prática, bem como orientar na escolha e utilização dos instrumentos técnicos interventivos profissionais adequados e inerentes à atuação profissional. A temática central da abordagem é Mulher, saúde e bem estar, abrangendo a reflexão sobre as variadas formas de violência contra a mulher e a importância da promoção e prevenção à saúde e do bem estar feminino. A divulgação do evento ficará sob responsabilidade do serviço social do NIS em parceria com a liderança comunitária através de visitas à comunidade, distribuição de panfletos e afixação de cartazes. O início das atividades se dará com a exibição do vídeo Mulheres e Direitos que aborda a evolução da condição feminina, além de valorizar a contribuição da Lei Maria da Penha e da rede de serviços de atendimento às mulheres em situação de violência. Em seguida, haverá abordagem da temática Tipos de violência feminina e redes de atendimento à mulher vítima de violência que será ministrada por representante do Centro de Referência Loreta Valadares - CRLV, unidade vinculada à Superintendência Especial de Políticas para as Mulheres da Prefeitura de Salvador que presta serviço público e gratuito de prevenção a atendimento psicológico, social e jurídico a mulheres que sofrem violência. Após a explanação do CRLV, o curso de direito, através do representante de seu Núcleo de Mediação de Prática Jurídica, abordará a Lei Maria da Penha. O primeiro momento da atividade será encerrado com uma pausa para coffee break. O retorno das atividades se dará com a abordagem sobre Os cuidados com a pele proferida pelo curso de fisioterapia. O curso de enfermagem dará seguimento à atividade com a abordagem sobre Planejamento familiar com foco para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, com a distribuição de preservativos aos presentes. O curso de nutrição abordará a temática Os cuidados alimentares para saúde da mulher destacando os nutrientes/alimentos importantes na menopausa e na tensão pré-menstrual.

9 A finalização da atividade será realizada pelo trazendo a reflexão sobre a importância da prevenção e discussão da temática da violência feminina e a necessidade de estimular e desenvolver sua auto-estima a partir da realização de dinâmica de grupo e a distribuição de folders contendo informações acerca das redes e serviços de atendimento às vitimas de violência e dicas de saúde para melhoria e condição de vida e saúde da mulher.

10 RECURSOS NECESSÁRIOS COFFEE BREAK ITEM QUANTIDADE CUSTO Sequilho 2 kg R$44,00 Suco 10 caixas R$50,00 Café 2 jarras R$5,00 Água mineral 50 copos R$50,00 Açúcar 500g R$2,00 Copo descartável 100 unidades R$5,00 Guardanapo 100 unidades R$2,00 TOTAL R$154,00 INFRAESTRUTURA Sala 001 prédio de saúde da Faculdade São Salvador período das 13:30 às 18:00 70 cadeiras 02 mesas 02 microfones 01 amplificador 01 computador com leitor wmv 01 data show 01 sistema de áudio para exibição de vídeo 04 folhas de papel metro 02 rolos de fita adesiva

11 100 folders para divulgação do evento 20 cartazes de divulgação

12 PROGRAMAÇÃO MULHER SAÚDE E BEM ESTAR DATA: 04/06/13 LOCAL: Auditório da Faculdade São Salvador HORÁRIO: 14:00 às 17:30 ATIVIDADES: 14:00 Abertura do Projeto Mulher Saúde e bem Estar Condução: Serviço Social Acolhimento dos participantes Apresentação da atividade proposta e objetivos 14:05 - Exibição do Vídeo Campanha Mulheres e Direitos - Condução: 14:10 Palestra: Tipos de violência feminina e redes de atendimento à mulher vítima de violência Condução: representante Gerência De Articulação Interinstitucional SPM 14:40 Abordagem sobre Lei Maria da Penha/Núcleo de Atendimento Jurídico Condução: Direito 15:10 - Coffee Break 15:20 - Cuidados com a pele Condução: Fisioterapia 15:50 Planejamento Familiar Condução: Enfermagem 16:20 Os cuidados alimentares para saúde da mulher destacando os nutrientes/alimentos importantes na menopausa e na tensão pré menstrual Condução: Nutrição 16:50 - Dinâmica de Grupo - Condução: 17:30 - Encerramento

13 CONCLUSÃO A realização do projeto Mulher, saúde e bem-estar contribui para reflexão sobre a violência contra a mulher e suas formas de enfrentamento, bem como para a promoção à saúde e bem estar, em especial das mulheres da comunidade do Parque Bela Vista Brotas, conforme previsto no artigo 4º do regimento interno do NIS prestar serviço de relevância para melhoria da qualidade de vida dos moradores da comunidade Parque Bela Vista Brotas, usuários do serviço, por meio de ações de promoção, prevenção e reabilitação da saúde. Esta atividade também contribui para a ampliação da divulgação dos serviços ofertados gratuitamente pelo NIS e na busca ativa de usuários dos serviços ofertados pelos núcleos de saúde e de mediação de prática jurídica.

14 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Brasilia; Brasil. Conselho Nacional dos Direitos da Mulher; dez p. WAISELFISZ. Julio Jacobo. Mapa da Violência Atualização: Homicídio de Mulheres no Brasil. Centro de Estudos Llatino-americanos. Agosto de on=lnk&exprsearch=8857&indexsearch=id

Secretaria de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres 1º Fórum de Violência contra a Mulher: Múltiplos olhares

Secretaria de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres 1º Fórum de Violência contra a Mulher: Múltiplos olhares Secretaria de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres 1º Fórum de Violência contra a Mulher: Múltiplos olhares Campinas, Abril de 2014 Violência contra as Mulheres: dados Internacional: 1 de cada

Leia mais

Doutoranda: Vera Lúcia de Azevedo Lima (UFPA) Orientadora: Dra. Maria de Lourdes de Souza (UFSC)

Doutoranda: Vera Lúcia de Azevedo Lima (UFPA) Orientadora: Dra. Maria de Lourdes de Souza (UFSC) UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROGRAMA DE DOUTORADO INTERINSTITUCIONAL EM ENFERMAGEM - UFSC/UFPA/CAPES ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: FILOSOFIA, SAÚDE E SOCIEDADE Doutoranda:

Leia mais

Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA

Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA Serviços técnicos do Serviço Social na área da família e infância nos processos do Fórum de União da Vitória O Serviço

Leia mais

Edital para Seleção de Estudantes. Edital nº 01/2013

Edital para Seleção de Estudantes. Edital nº 01/2013 Edital nº 01/2013 A Coordenação do Programa Rede de Atenção às Mulheres em Situação de Violência: Construindo e Fortalecendo, no uso de suas atribuições, faz saber que estarão abertas as inscrições para

Leia mais

PROJETOS COMUNITÁRIOS DA ULBRA

PROJETOS COMUNITÁRIOS DA ULBRA PROJETOS COMUNITÁRIOS DA ULBRA PROJETOS COMUNITÁRIOS DA ULBRA 01 Projetos Comunitários da ULBRA Sob a égide do Programa Violência e Direitos Humanos, projetos comunitários, ações extensionistas e estágios

Leia mais

Histórico Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) agosto de 2010 no Recife Transformando a sociedade a partir da igreja local

Histórico Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) agosto de 2010 no Recife Transformando a sociedade a partir da igreja local Histórico Esta campanha tem sua origem no contexto do V Encontro Nacional da Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) em agosto de 2010 no Recife PE. Nessa ocasião, o enfoque do evento foi: Transformando

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE TECENDO E DISCUTINDO A REDE DE ATENÇÃO A MULHER Marluce da Silva Santana 1 Jessica Dariane Conceição de Brito 2 Carine dos Santos Conceição

Leia mais

PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON

PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON PERCEPÇÕES E REAÇÕES DA SOCIEDADE SOBRE A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER 2009 PARCERIAS INSTITUTO PATRÍCIA GALVÃO Planejamento e supervisão da pesquisa IBOPE INTELIGÊNCIA Campo

Leia mais

FLACSO, ONU Mulheres, OPAS/OM e a SPM divulgam novo Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres no Brasil.

FLACSO, ONU Mulheres, OPAS/OM e a SPM divulgam novo Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres no Brasil. Comunicado à Imprensa. FLACSO, ONU Mulheres, OPAS/OM e a SPM divulgam novo Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres no Brasil. Homicídio contra negras aumenta 54% em 10 anos, aponta Mapa da Violência

Leia mais

Secretaria Municipal de Assistência Social Centro de Referência Especializado de Assistência Social

Secretaria Municipal de Assistência Social Centro de Referência Especializado de Assistência Social Secretaria Municipal de Assistência Social Centro de Referência Especializado de Assistência Social Proposta para Implementação de Serviço de Responsabilização e Educação de Agressores Grupo Paz em Casa

Leia mais

Projeto de Capacitação para Defensores de Direitos Humanos

Projeto de Capacitação para Defensores de Direitos Humanos GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA JUSTICA, CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS Projeto de Capacitação para Defensores de Direitos Humanos Proponente: Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Relatório Analítico PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER DATASENADO SECS PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER Há dois anos, o DataSenado

Leia mais

A MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR EM PONTA GROSSA: SUBSÍDIOS PARA O DEBATE

A MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR EM PONTA GROSSA: SUBSÍDIOS PARA O DEBATE 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA A MULHER

Leia mais

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPACTO DA VIOLÊNCIA NA SAÚDE DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ VOCÊ É A PEÇA PRINCIPAL PARA ENFRENTAR ESTE PROBLEMA Brasília - DF 2008

Leia mais

PROGRAMA MEDIAÇÃO DE CONFLITOS

PROGRAMA MEDIAÇÃO DE CONFLITOS Programa Mediação Conflitos PROGRAMA MEDIAÇÃO DE CONFLITOS MARCO LÓGICO 2015 Programa Mediação Conflitos A- Intificação do Problema (Árvore problemas): ÁRVORE DE PROBLEMAS CONSEQUÊNCIAS PROBLEMA Homicídios

Leia mais

PROGRAMA Nº- 105 CASA DA MULHER/CENTRO ESPECIALIZADO DE ATENDIMENTO A MULHER CASA ABRIGO

PROGRAMA Nº- 105 CASA DA MULHER/CENTRO ESPECIALIZADO DE ATENDIMENTO A MULHER CASA ABRIGO ÓRGÃO RESPONSÁVEL: Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulher NOME: PROGRAMA Nº- 105 CASA DA MULHER/CENTRO ESPECIALIZADO DE ATENDIMENTO A MULHER CASA ABRIGO Código Descrição FUNÇÃO: 14 Direitos

Leia mais

Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores

Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA MULHERES SECRETRIA DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores

Leia mais

Tabela 1 Total da população 2010 Total de homens Total de mulheres Homens % Mulheres % Distrito Federal 2.562.963 1.225.237 1.337.

Tabela 1 Total da população 2010 Total de homens Total de mulheres Homens % Mulheres % Distrito Federal 2.562.963 1.225.237 1.337. PROGRAMA TÉMATICO: 6229 EMANCIPAÇÃO DAS MULHERES OBJETIVO GERAL: Ampliar o acesso das mulheres aos seus direitos por meio do desenvolvimento de ações multissetoriais que visem contribuir para uma mudança

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...3 CONSIDERAÇÕES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES SPM...5

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...3 CONSIDERAÇÕES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES SPM...5 PLANO MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES ICATÚ 2013-2015 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...3 CONSIDERAÇÕES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES SPM...5 1. PRINCÍPIOS DA POLÍTICA NACIONAL PARA AS

Leia mais

PROJETO INSTRUIR SAÚDE

PROJETO INSTRUIR SAÚDE PROJETO INSTRUIR SAÚDE PROJETO-PILOTO Fabíola Sucasas Negrão Covas Promotora de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo Integrante do GEVID/Núcleo Leste II Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento

Leia mais

Prevenção da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher

Prevenção da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher Prefeitura Municipal de Duque de Caxias Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos Departamento dos Direitos da Mulher Centro de Referência e Atendimento à Mulher (CR Mulher) Centro

Leia mais

A Promotora de Justiça discutiu os avanços que a alteração legislativa representa para a causa da mulher e os seus reflexos no Ordenamento Penal.

A Promotora de Justiça discutiu os avanços que a alteração legislativa representa para a causa da mulher e os seus reflexos no Ordenamento Penal. VI Conferência Internacional de Direitos Humanos foi organizada pela OAB/PA e ocorreu no período de 27 a 29 de abril, no período da manhã no Hangar Centro de Convenções da Amazônia, em Belém.. Neste ano,

Leia mais

Re s p o n s a b i l i z a ç ã o e

Re s p o n s a b i l i z a ç ã o e Anexo II Di r e t r i z e s Ge r a i s d o s Se rv i ç o s d e Re s p o n s a b i l i z a ç ã o e Educação do Agressor SERVIÇO DE RESPONSABILIZAÇÃO E EDUCAÇÃO DO AGRESSOR Ap r e s e n ta ç ã o A presente

Leia mais

VIOLÊNCIA INTRAFAMILIAR CONTRA A MULHER E AS REDES DE ATENDIMENTO

VIOLÊNCIA INTRAFAMILIAR CONTRA A MULHER E AS REDES DE ATENDIMENTO CONGRESSO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR EM SOCIAIS E HUMANIDADES Niterói RJ: ANINTER-SH/ PPGSD-UFF, 03 a 06 de Setembro de 2012, ISSN 2316-266X VIOLÊNCIA INTRAFAMILIAR CONTRA A MULHER E AS REDES DE ATENDIMENTO

Leia mais

Introdução. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1

Introdução. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA INCLUSÃO

Leia mais

Campanha dos16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher. Vitória da Conquista - Bahia

Campanha dos16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher. Vitória da Conquista - Bahia Campanha dos16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher Vitória da Conquista - Bahia A Campanha dos16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher, realizada pela Rede de Proteção

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( x ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

VII JORNADA DE ESTAGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL DO MUNICIPIO DE CARAMBEÍ PR.

VII JORNADA DE ESTAGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL DO MUNICIPIO DE CARAMBEÍ PR. VII JORNADA DE ESTAGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL DO MUNICIPIO DE CARAMBEÍ PR. Resumo: CARNEIRO, Alana Caroline 1. SIVEIRA, Adriane 2. SOUZA,

Leia mais

Palavras-chaves: denuncia, consumo de álcool, consumo de drogas.

Palavras-chaves: denuncia, consumo de álcool, consumo de drogas. VIOLENCIA CONTRA A MULHER E A DEPENDENCIA FINACEIRA. UM ESTUDO DE CASO NO MUNICIPIO DE PITANGA. MARLY APARECIDA MAZUR MACHADO/UNICENTRO E-MAIL: maymazur@outlook.com SIMÃO TERNOSKI (ORIENTADOR)/UNICENTRO

Leia mais

NEVM PARTICIPA DE PRE- ENCONTRO DE MULHERE DA UFPA.

NEVM PARTICIPA DE PRE- ENCONTRO DE MULHERE DA UFPA. NEVM PARTICIPA DE PRE- ENCONTRO DE MULHERE DA UFPA. A promotora de Justiça LUCINERY HELENA RESENDE FERREIRA DO NASCIMENTO, coordenadora do Núcleo de Enfrentamento a Violência Contra a Mulher participou

Leia mais

A SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES AS AÇÕES SÃO DESENVOLVIDAS POR QUATRO ÁREAS ESTRATÉGICAS:

A SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES AS AÇÕES SÃO DESENVOLVIDAS POR QUATRO ÁREAS ESTRATÉGICAS: O QUE É QUE FAZ A SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES A Prefeitura de São Paulo, em maio de 2013, seguindo a política implementada nacionalmente e atendendo uma reivindicação histórica do movimento

Leia mais

PROGRAMA DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA DIREITOS HUMANOS, SAÚDE E EDUCAÇÃO: RESULTADOS Área temática: Direitos Humanos e Justiça Helena Terezinha Hubert Silva - Coordenadora da Ação de Extensão 1 Carolina

Leia mais

Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres

Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres META 3 Eliminar as disparidades entre os sexos no ensino fundamental e médio, se possível, até 2005, e em todos os níveis de ensino, o mais

Leia mais

Projetos Sociais da Faculdade Campo Real CIDADANIA REAL 1. O que é o projeto? 2. Em que consistem as atividades do projeto?

Projetos Sociais da Faculdade Campo Real CIDADANIA REAL 1. O que é o projeto? 2. Em que consistem as atividades do projeto? Projetos Sociais da Faculdade Campo Real A promoção da cidadania é qualidade de toda instituição de ensino consciente de sua relevância e capacidade de atuação social. Considerando a importância da Faculdade

Leia mais

III- DADOS DO PRESIDENTE

III- DADOS DO PRESIDENTE PLANO DE AÇÃO 2014 I- IDENTIFICAÇÃO Nome: Associação dos Deficientes Físicos de Lençóis Paulista - ADEFILP Endereço: Pernambuco, 333, Jardim Cruzeiro Lençóis Paulista SP CEP 18680470 Telefone: (014) 3264-9700

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER A Organização Mundial de Saúde (OMS) define violência como o uso intencional da força física ou do poder, real ou em ameaça, contra si próprio, contra outra pessoa, ou contra

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA AS MULHERES (SEMUL) Relatório

SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA AS MULHERES (SEMUL) Relatório SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA AS MULHERES (SEMUL) Relatório I Seminário de Enfrentamento à Violência de Gênero no Município de Natal 26 e 27/03/2015 Local: Auditório do Conselho Regional

Leia mais

Violência contra as Mulheres em Pernambuco

Violência contra as Mulheres em Pernambuco Violência contra as Mulheres em Pernambuco Recife, 25 de novembro de 2015 FICHA TÉCNICA Coordenação: Equipe do SOS Corpo Instituto Feminista para Democracia Pesquisadora: Ana Paula Melo (pesquisadora convidada)

Leia mais

Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional

Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional CAPÍTULO I PRINCÍPIOS NORTEADORES Art. 1º Os procedimentos em saúde mental a serem adotados

Leia mais

DIREITOS HUMANOS, JUVENTUDE E SEGURANÇA HUMANA

DIREITOS HUMANOS, JUVENTUDE E SEGURANÇA HUMANA DIREITOS HUMANOS, JUVENTUDE E SEGURANÇA HUMANA FARIAS, Maria Lígia Malta ¹ SOUSA, Valéria Nicolau de ² TANNUSS, Rebecka Wanderley ³ Núcleo De Cidadania e Direitos Humanos/ PROEXT RESUMO O Projeto de Extensão

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento,

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Projetos e Capacitação Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

25 de novembro - Dia Internacional de Combate à Violência Contra as Mulheres. Carta de Brasília

25 de novembro - Dia Internacional de Combate à Violência Contra as Mulheres. Carta de Brasília Anexo VI 25 de novembro - Dia Internacional de Combate à Violência Contra as Mulheres Carta de Brasília Na véspera do Dia Internacional de Combate à Violência Contra as Mulheres nós, trabalhadoras dos

Leia mais

ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA

ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA Área Temática: Direitos Humanos e Justiça Liza Holzmann (Coordenadora da Ação de Extensão) Liza Holzmann 1 Palavras Chave:

Leia mais

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA: PANDEMIA ATUAL

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA: PANDEMIA ATUAL VIOLÊNCIA DOMÉSTICA: PANDEMIA ATUAL INTRODUÇÃO A cada hora, dez mulheres foram vítimas de violência no Brasil em 2012 Violência é: 1 É o uso intencional da força física ou poder, real ou em ameaça contra

Leia mais

ANEXO I. PROJETO De Extensão de Curta Duração

ANEXO I. PROJETO De Extensão de Curta Duração MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO De Extensão de Curta Duração 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto: Sexualidade, corporeidade e direitos humanos na adolescência.

Leia mais

DADOS. Histórico de lutas

DADOS. Histórico de lutas MULHERES O partido Solidariedade estabeleceu políticas participativas da mulher. Isso se traduz pela criação da Secretaria Nacional da Mulher e por oferecer a esta Secretaria completa autonomia. Acreditamos

Leia mais

O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO

O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO Maria Salete da Silva Josiane dos Santos O Programa Assistência Sócio-Jurídica, extensão do Departamento de Serviço Social, funciona no Núcleo

Leia mais

PROTEÇÃO DA SAÚDE MENTAL EM SITUAÇÕES DE DESASTRES E EMERGÊNCIAS (1)

PROTEÇÃO DA SAÚDE MENTAL EM SITUAÇÕES DE DESASTRES E EMERGÊNCIAS (1) Curso Lideres 2004 Salvador Bahia Brasil 29 de novembro a 10 de dezembro de 2004. PROTEÇÃO DA SAÚDE MENTAL EM SITUAÇÕES DE DESASTRES E EMERGÊNCIAS (1) Capítulo 1: Antecedentes e considerações gerais Considerando-se

Leia mais

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PROJETO BARUERI

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PROJETO BARUERI PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PROJETO BARUERI O Plano de Cargos e Salários aqui apresentado é resultado do entendimento e alinhamento dos direcionadores do Modelo de Organização e Gestão e das Políticas e

Leia mais

CONCURSO DE PRÁTICAS EXITOSAS

CONCURSO DE PRÁTICAS EXITOSAS PROJETO 1 CONCURSO DE PRÁTICAS EXITOSAS ATENDIMENTO INTEGRADO DA MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR - SALVADOR - BAHIA AUTORA: CRISTINA ULM FERREIRA ARAÚJO DEFENSORA PÚBLICA DO ESTADO DA BAHIA

Leia mais

Projeto TEMPO DE DESPERTAR Em homenagem a Robin Willians

Projeto TEMPO DE DESPERTAR Em homenagem a Robin Willians Projeto TEMPO DE DESPERTAR Em homenagem a Robin Willians I. INTRODUÇÃO Durante uma pesquisa realizada exclusivamente com homens pelo Instituto Avon/Data Popular e lançada em novembro de 2013, alguns dados

Leia mais

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

Por uma cidade mais justa e sustentável

Por uma cidade mais justa e sustentável Por uma cidade mais justa e sustentável 2011 Como imaginamos e como queremos Nossa Belo Horizonte daqui a 1, 4, 10, 20 anos? Eixos de Atuação 1. Programa de Indicadores e Metas Selecionar, sistematizar,

Leia mais

Direitos Humanos - Lei Maria da Penha: O Que. Conquistamos e o Que Podemos Conquistar?

Direitos Humanos - Lei Maria da Penha: O Que. Conquistamos e o Que Podemos Conquistar? Direitos Humanos - Lei Maria da Penha: O Que Conquistamos e o Que Podemos Conquistar? Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direitos Humanos Publicação no semestre 2015.1

Leia mais

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento;

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Objetivo geral Promover a igualdade no mundo do trabalho e a autonomia

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

O PSICÓLOGO NA COMUNIDADE: UMA PESPECTIVA CONTEMPORÂNEA

O PSICÓLOGO NA COMUNIDADE: UMA PESPECTIVA CONTEMPORÂNEA O PSICÓLOGO NA COMUNIDADE: UMA PESPECTIVA CONTEMPORÂNEA (2011) Dayana Lima Dantas Valverde Psicóloga, graduada pela Faculdade de Tecnologia e Ciências de Feira de Santana, BA. Pós-graduanda em Saúde Mental

Leia mais

PROGRAMA TÉMATICO: 6222 PROMOÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA

PROGRAMA TÉMATICO: 6222 PROMOÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA PROGRAMA TÉMATICO: 6222 PROMOÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA OBJETIVO GERAL: Promover a defesa e garantia dos direitos humanos, assegurando à pessoa ou indivíduo o pleno exercício do direito à cidadania.

Leia mais

ATIVIDADES DE ENSINO

ATIVIDADES DE ENSINO RELATÓRIO DE 2006 Em 2006 o Vila Fátima ampliou suas instalações físicas, possibilitando assim uma melhor organização das atividades de ensino-serviço. Contudo, esta ampliação não será suficiente, caso

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 Institui as diretrizes gerais de promoção da saúde do servidor público federal, que visam orientar os órgãos e entidades do Sistema de Pessoal Civil da Administração

Leia mais

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE Conselho Universitário - CONSUNI

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE Conselho Universitário - CONSUNI REGULAMENTO DA CLÍNICA ESCOLA E SERVIÇOS DE PSICOLOGIA - CESP Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 11/15 de 08/04/15. CAPÍTULO I DO OBJETIVO DO REGULAMENTO Art. 1º A Clínica Escola de Psicologia é o ambiente

Leia mais

Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher

Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher A Defensoria Pública do Estado de São Paulo, através de seu Núcleo Especializado de Promoção e Defesa, vem por meio deste, apresentar os projetos apresentados por conta da assinatura do Termo de Cooperação

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER Fevereiro/2009 2 Mulheres conhecem a Lei Maria da Penha, mas têm medo de denunciar os agressores O destaque da terceira

Leia mais

PERSPECTIVAS DE ANÁLISE DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA MULHER: MAPEAMENTO DAS DENÚNCIAS ENTRE OS ANOS DE 2010 E 2011 NA CIDADE DE CAMPINA GRANDE-PB

PERSPECTIVAS DE ANÁLISE DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA MULHER: MAPEAMENTO DAS DENÚNCIAS ENTRE OS ANOS DE 2010 E 2011 NA CIDADE DE CAMPINA GRANDE-PB PERSPECTIVAS DE ANÁLISE DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA MULHER: MAPEAMENTO DAS DENÚNCIAS ENTRE OS ANOS DE 2010 E 2011 NA CIDADE DE CAMPINA GRANDE-PB Autoria: Antonio Pereira Cardoso da Silva Filho Universidade

Leia mais

JORNADA DAS MARGARIDAS 2013

JORNADA DAS MARGARIDAS 2013 JORNADA DAS MARGARIDAS 2013 PAUTA INTERNA 1 - ORGANIZAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SINDICAL 1 Assegurar condições de igualdade para homens e mulheres exercerem com autonomia o trabalho sindical nas diversas secretarias

Leia mais

PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO

PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 LINHAS DE AÇÃO... 4 AÇÕES ESPECÍFICAS... 5 CAMPANHAS... 6

Leia mais

Carta Política. Campanha Cidades Seguras para as Mulheres

Carta Política. Campanha Cidades Seguras para as Mulheres Carta Política Campanha Cidades Seguras para as Mulheres Brasil - 2014 Nós, mulheres de diversas localidades e comunidades de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e São Paulo, que há muito

Leia mais

EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DA ATENÇÃO FARMACÊUTICA NO SUS APS SANTA MARCELINA / SP:

EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DA ATENÇÃO FARMACÊUTICA NO SUS APS SANTA MARCELINA / SP: APS SANTA MARCELINA INTRODUÇÃO EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DA NO SUS APS SANTA MARCELINA / SP: UM PROCESSO EM CONSTRUÇÃO Parceria com a Prefeitura de São Paulo no desenvolvimento de ações e serviços voltados

Leia mais

NOTIFICAÇÕES COMPULSÓRIAS DOS CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE VIOLÊNCIAS PRATICADAS CONTRA CRIANÇA E ADOLESCENTE

NOTIFICAÇÕES COMPULSÓRIAS DOS CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE VIOLÊNCIAS PRATICADAS CONTRA CRIANÇA E ADOLESCENTE NOTIFICAÇÕES COMPULSÓRIAS DOS CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE VIOLÊNCIAS PRATICADAS CONTRA CRIANÇA E ADOLESCENTE Márcia Regina Ribeiro Teixeira Promotora de Justiça de Salvador Agosto de 2014 VIOLÊNCIA:

Leia mais

Feminicídios: a violência fatal contra a mulher

Feminicídios: a violência fatal contra a mulher Violência contra a mulher: feminicídios no Brasil Leila Posenato Garcia*, Lúcia Rolim Santana de Freitas, Gabriela Drummond Marques da Silva, Doroteia Aparecida Höfelmann * Instituto de Pesquisa Econômica

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual para Implantação do Programa Peso Saudável. (Versão preliminar - em fase de diagramação)

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual para Implantação do Programa Peso Saudável. (Versão preliminar - em fase de diagramação) MINISTÉRIO DA SAÚDE Manual para Implantação do Programa Peso Saudável (Versão preliminar - em fase de diagramação) Brasília DF 2013 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO

Leia mais

RASTREAMENTO DO CÂNCER DE COLO UTERINO EM MULHERES IDOSAS NO MUNICÍPIO DE LAGOA SECA/PB

RASTREAMENTO DO CÂNCER DE COLO UTERINO EM MULHERES IDOSAS NO MUNICÍPIO DE LAGOA SECA/PB RASTREAMENTO DO CÂNCER DE COLO UTERINO EM MULHERES IDOSAS NO MUNICÍPIO DE LAGOA SECA/PB Fernanda Laísy Pereira de Sousa Graduanda do curso de Enfermagem; Bolsista do Programa de Educação pelo Trabalho

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO ESPECIAL Nº 01/2014 MULHERES DA PAZ

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO ESPECIAL Nº 01/2014 MULHERES DA PAZ EDITAL DE PROCESSO SELETIVO ESPECIAL Nº 01/2014 MULHERES DA PAZ A Prefeitura Municipal de Diadema por meio da Secretaria Municipal de Defesa Social, no uso de suas atribuições, torna público que estarão

Leia mais

BALANÇO 2014 Políticas para as Mulheres

BALANÇO 2014 Políticas para as Mulheres BALANÇO 2014 Dilma Rousseff Presidenta da República Eleonora Menicucci Ministra de Estado Chefe da Secretaria de Políticas para as Mulheres Linda Goulart Secretária-Executiva Aparecida Gonçalves Secretária

Leia mais

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência?

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Dados preliminares do sistema de informações de mortalidade do Ministério da Saúde de

Leia mais

PLANO DE TRABALHO EXERCÍCIO 2014. Dados de Identificação: Nome da Entidade: Associação de Cegos Louis Braille - ACELB. Bairro: Rubem Berta

PLANO DE TRABALHO EXERCÍCIO 2014. Dados de Identificação: Nome da Entidade: Associação de Cegos Louis Braille - ACELB. Bairro: Rubem Berta ASSOCIAÇÃO DE CEGOS LOUIS BRAILLE CNPJ. 88173968/0001-60 Endereço: Rua Braille, 480 Núcleo Residencial Costa e Silva Bairro: Rubem Berta POA-RS - CEP: 91150-140 e-mail: acelb@terra.com.br Fone: 3344-18-04-33406840

Leia mais

Espaço Criança Esperança São Paulo CEE Oswaldo Brandão

Espaço Criança Esperança São Paulo CEE Oswaldo Brandão Espaço Criança Esperança São Paulo CEE Oswaldo Brandão OS RECURSOS FINANCEIROS DO ESPAÇO CRIANÇA ESPERANÇA TV GLOBO realiza CAMPANHA CRIANÇA ESPERANÇA com programa na TV UNESCO recebe DOAÇÃO e apóia diferentes

Leia mais

- 2015. REDE DE PROTEÇÃO A MULHER - Vitória da Conquista - Bahia PROGRAMAÇÃO

- 2015. REDE DE PROTEÇÃO A MULHER - Vitória da Conquista - Bahia PROGRAMAÇÃO - 2015 REDE DE PROTEÇÃO A MULHER - Vitória da Conquista - Bahia PROGRAMAÇÃO DATA HORÁRIO ATIVIDADE / OBJETIVO RESPONSÁVEL LOCAL 02 /03/15 (segunda - feira) 16:00h Solenidade de Instalação da Vara de Violência

Leia mais

JOVEM MULHER OBJETIVOS E METAS

JOVEM MULHER OBJETIVOS E METAS JOVEM MULHER OBJETIVOS E METAS 1. Criar um grupo de trabalho para discutir a garantia de conscientização da questão de gênero, (outra redação: Promover a discussão da questão de gênero nas instituições

Leia mais

Projeto Novos Horizontes: Grupo Reflexivo Para Homens Autores de Violência de Gênero

Projeto Novos Horizontes: Grupo Reflexivo Para Homens Autores de Violência de Gênero Projeto Novos Horizontes: Grupo Reflexivo Para Homens Autores de Violência de Gênero Mostra Local de: Apucarana (Municípios do Vale do Ivaí) Categoria do projeto: II Projetos em implantação (projetos que

Leia mais

A EXPERIÊNCIA SOBRE REDE DE PROTEÇÃO CONTRA VIOLÊNCIA DE GÊNERO EM ARACAJU

A EXPERIÊNCIA SOBRE REDE DE PROTEÇÃO CONTRA VIOLÊNCIA DE GÊNERO EM ARACAJU A EXPERIÊNCIA SOBRE REDE DE PROTEÇÃO CONTRA VIOLÊNCIA DE GÊNERO EM ARACAJU Monique Elen Rodrigues de Araújo Oliveira 1 Catarina Nascimento de Oliveira 2 Magna de Sousa Silva Mendonça 3 O presente trabalho

Leia mais

o pensar e fazer educação em saúde 12

o pensar e fazer educação em saúde 12 SUMÁRIO l' Carta às educadoras e aos educadores.................5 Que história é essa de saúde na escola................ 6 Uma outra realidade é possível....... 7 Uma escola comprometida com a realidade...

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER NA CIDADE DE PONTA GROSSA

NÚCLEO DE ESTUDOS DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER NA CIDADE DE PONTA GROSSA 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO CAMPUS BAIXADA SANTISTA SERVIÇO-ESCOLA DE PSICOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO CAMPUS BAIXADA SANTISTA SERVIÇO-ESCOLA DE PSICOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO CAMPUS BAIXADA SANTISTA SERVIÇO-ESCOLA DE PSICOLOGIA Capítulo I Caracterização Artigo 1 º O Serviço-Escola de Psicologia (SEP) da UNIFESP é uma instância do campus Baixada

Leia mais

Projeto de Educação Sexual 2013/2014

Projeto de Educação Sexual 2013/2014 Projeto de Educação Sexual 2013/2014 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ARCOZELO Equipa de Educação para a Saúde 1. INTRODUÇÃO O presente projecto, surge para dar cumprimento à lei nº 60/2010 de 6 de Agosto, regulamentada

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Por meio do Programa Rede Judicial de Proteção objetiva-se reduzir a reprodução de infrações penais semelhantes às cometidas, a partir de intervenções orientadas para

Leia mais

Lei Maria da Penha. Pelo fim da violência. ulher. contra a

Lei Maria da Penha. Pelo fim da violência. ulher. contra a Lei Maria da Penha Pelo fim da violência ulher contra a Ligação gratuita, 24 horas, para informações sobre a Lei Maria da Penha e os serviços para o atendimento às mulheres em situação de violência. Lei

Leia mais

PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL

PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL MEDIDAS CONCRETAS PARA O ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO ÂMBITO DOMÉSTICO/FAMILIAR A presente Matriz insere-se no

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Adolescência, Drogadicção, Educação em saúde, sexualidade

PALAVRAS-CHAVE Adolescência, Drogadicção, Educação em saúde, sexualidade AVALIAÇÃO DE ESTRATÉGIAS E RECURSOS EDUCATIVOS, UTILIZADOS PARA CRIAÇÃO DE VÍNCULO COM ADOLESCENTES, PROPICIANDO ESPAÇOS SAUDÁVEIS PARA ESCLARECIMENTOS DE DÚVIDAS MARTINS, Marília de Oliveira Acadêmica

Leia mais

Quinta-feira, 26 de março de 2015

Quinta-feira, 26 de março de 2015 Quinta-feira, 26 de março de 2015 TRT-CE e Ministério Público realizam ação contra o trabalho infantil O Tribunal Regional do Trabalho do Ceará, em parceria com o Ministério Público do Trabalho e diversas

Leia mais

Incluir no pagamento por performance o preenchimento da variável raça/cor.

Incluir no pagamento por performance o preenchimento da variável raça/cor. PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO PRIMÁRIA E VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DE

Leia mais

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM 10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM PROJETO INTERINSTITUCIONAL SAÚDE, EDUCAÇÃO E CIDADANIA: APOIO PSICOSSOCIAL AS FAMÍLIAS POR MEIO DA PARTICIPAÇÃO DE PAIS EM GRUPOS DE REFLEXÃO Daniela Cristina Grégio

Leia mais

HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013

HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013 HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013 INSTITUTO AVANTE BRASIL Diretor- Presidente: Luiz Flávio Gomes Pesquisadora: Flávia Mestriner Botelho VIOLÊNCIA GLOBAL CONTRA DAS MULHERES - (ONU) De acordo com

Leia mais

PRÊMIO DE INOVAÇÃO ANTONIO CARLOS DE ALMEIDA BRAGA

PRÊMIO DE INOVAÇÃO ANTONIO CARLOS DE ALMEIDA BRAGA 2012 PRÊMIO DE INOVAÇÃO ANTONIO CARLOS DE ALMEIDA BRAGA CASE: Projeto Campanha de Combate à Dengue CATEGORIA: Comunicação FUNCIONÁRIO: Adriana Boscov e Aline Gislene de Oliveira Sumário INTRODUÇÃO... 3

Leia mais

DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB

DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB (ASFORA, R. V. S.) - Raphaella Viana Silva Asfora/Autora ¹ Escola Superior da Magistratura

Leia mais

Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres

Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres Desastre: interrupção grave do funcionamento normal de uma comunidade que supera sua capacidade de resposta e recuperação. Principais causas de

Leia mais

SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, IDOSAS E SUAS FAMÍLIAS NO SUAS Tipificação Nacional dos Serviços SUAS/2009

SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, IDOSAS E SUAS FAMÍLIAS NO SUAS Tipificação Nacional dos Serviços SUAS/2009 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SNAS DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL - DPSE SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM

Leia mais