ORIENTAÇÃO DE PREENCHIMENTO DO PLANO DE TRABALHO PARA O PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO 2005

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORIENTAÇÃO DE PREENCHIMENTO DO PLANO DE TRABALHO PARA O PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO 2005"

Transcrição

1 ORIENTAÇÃO DE PREENCHIMENTO DO PLANO DE TRABALHO PARA O PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO 2005 ANEXO 1 - DECLARAÇÃO DE CUMPRIMENTO DOS CONDICIONANTES LEGAIS Campo 1 - CNPJ com o número que consta no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ da Secretaria da Receita Federal do Ministério da Fazenda. Inserir obrigatoriamente 14 (quatorze) dígitos. Campo 2 - NOME DO ÓRGÃO OU ENTIDADE Campo 3 - MUNICÍPIO Inserir o nome do Município em que se localiza a Entidade proponente. Campo 4 - UF Campo 5 - AUTENTICAÇÃO DA DECLARAÇÃO OBS: Para identificação do signatário: Dirigente: No caso do assinante ser o dirigente máximo da Entidade; Representante Legal: No caso do assinante ser o representante legal da Entidade. Apresentar, junto ao Plano de Trabalho, a publicação da nomeação por força de lei. ANEXO 2 - DESCRIÇÃO DO PROJETO Campo 1 - EXERCÍCIO com o exercício (ano) da solicitação e apresentação do Plano de Trabalho: Campo 2 - NÍVEL DE ENSINO com o nome correspondente ao nível ao qual pertence o projeto: Educação Básica. Campo 3 - ABRANGÊNCIA DO PROJETO com o nome do programa: Brasil Alfabetizado. Campo 4 - CNPJ com o número que consta no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ da Secretaria da Receita Federal do Ministério da Fazenda.Inserir obrigatoriamente 14 (quatorze) dígitos. Campo 5 - NOME DO ÓRGÃO OU ENTIDADE Campo 6 - MUNICÍPIO com o nome do Município em que se localiza a entidade proponente. Campo 7 - UF Campo 8 - EMENDA Nº Este campo será preenchido pelo FNDE, quando o atendimento do projeto for realizado por meio de emenda parlamentar constante em lei. 1

2 Campo 9 - AÇÃO A SER EXECUTADA Assinalar a ação de Formação de Alfabetizadores e/ou Alfabetização de Jovens/Adultos. Campo 10 - JUSTIFICATIVA DO PROJETO Observar o Manual de Orientações Pedagógicas - Anexo I da Resolução/CD/FNDE Nº 28, 14 de julho de Informar também experiência em ações de alfabetização e/ou educação de jovens e adultos, bem como resultados obtidos. Campo 11 - AUTENTICAÇÃO DAS INFORMAÇÕES ANEXO 3 - DETALHAMENTO DA AÇÃO Obs. Preencher um formulário para cada ação: Formação de alfabetizadores e/ou Alfabetização de jovens e adultos. Campo 1 - NOME DO ÓRGÃO OU ENTIDADE Campo 2 - MUNICÍPIO com o nome do Município em que se localiza a entidade do proponente. Campo 3 - UF A) FORMAÇÃO DE ALFABETIZADORES Campo 4 - AÇÃO A SER EXECUTADA com o nome da ação a ser apoiada financeiramente pelo MEC/FNDE: Formação de Alfabetizadores. Campos 5 - BENEFICIÁRIOS DA AÇÃO Campo 5.2 (ZONA RURAL); Campo 5.3 (ZONA URBANA) e Campo 5.4 (TOTAL) Preencher somente as informações referentes ao Beneficiário: Alfabetizador formado. Campo 6 - DETALHAMENTO DA AÇÃO Informar detalhadamente sobre a ação de formação de alfabetizadores conforme Manual de Orientações Pedagógicas - Anexo I da Resolução/CD/FNDE Nº 28, 14 de julho de 2005, bem como os dados do responsável técnico-pedagógico (nome, CPF, formação acadêmica, endereço, telefone e ). Campo 7 - AUTENTICAÇÃO DAS INFORMAÇÕES B) ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Campo 4 - AÇÃO A SER EXECUTADA com o nome da ação a ser apoiada financeiramente pelo MEC/FNDE: Alfabetização de Jovens e Adultos. Campo 5 - BENEFICIÁRIOS DA AÇÃO Campo 5.2 (ZONA RURAL); Campo 5.3 (ZONA URBANA) e Campo 5.4 (TOTAL) Preencher somente as informações referentes ao Beneficiário: Aluno Jovem e Adulto Alfabetizando. Campo 6 - DETALHAMENTO DA AÇÃO Informar detalhadamente sobre a ação de Alfabetização de Jovens e Adultos conforme Manual de Orientações Pedagógicas - Anexo I da Resolução/CD/FNDE Nº 28, 14 de julho de Caso a abrangência da ação se estenda por mais de um município, relacionar a quantidade de alfabetizandos por localidade. 2

3 Campo 7 - AUTENTICAÇÃO DAS INFORMAÇÕES ANEXO 4 - ESPECIFICAÇÃO DA AÇÃO Obs. Preencher um formulário para cada ação: Formação de alfabetizadores e/ou Alfabetização de jovens e adultos. Campo 1 - EXERCÍCIO com o exercício (ano) da solicitação e apresentação do plano de trabalho: 2005 Campo 2 - NOME DO ÓRGÃO OU ENTIDADE Campo 3 - MUNICÍPIO com o nome do Município em que se localiza a entidade proponente. Campo 4 - UF Campo 5 - AÇÃO A SER EXECUTADA, levando em conta os critérios estabelecidos no Manual de Assistência Financeira para cada abrangência do Projeto, com o nome da ação a ser assistida financeiramente: Formação de alfabetizadores e/ou Alfabetização de jovens e adultos. AÇÃO DE FORMAÇÃO DE ALFABETIZADORES Campo 6 - Nº DE ORDEM com o número de ordem das especificações da ação a ser executada. Antes de preencher os campos abaixo (Quadro 1), preencher o campo 7. Quadro ESPECIFICAÇÃO DA AÇÃO identificando as especificações da ação de Formação de Alfabetizadores. Obs. Escolher para quais especificações irá destinar o valor da ação de formação. Ver quadro 2. Quadro 2 ESPECIFICAÇÃO DA AÇÃO Hospedagem Alimentação UNID. DE MEDIDA com as unidades de medidas correspondentes à especificação da ação. Ver quadro INDICADOR FÍSICO 6.3 CUSTO QUANTIDADE com a quantidade referente à unidade de medida apresentada. UNID. DE MEDIDA Alfabetizador Instrutor Alfabetizador VALOR UNITÁRIO Indicar o valor unitário referente à especificação utilizada. Obtém-se este valor dividindo o valor total pela quantidade VALOR TOTAL Indicar o valor total do(s) custo(s) utilizado(s) para cada especificação da ação. Distribuir o valor obtido no cálculo do campo 7 entre as especificações escolhidas. 3

4 Transporte Material de consumo Material instrucional Instrutor Instrutor Alfabetizador Instrutor Kit Kit Hora/aula 7. TOTAL DA AÇÃO R$ 40,00 + (R$ 10,00 x Nº de meses) X Quantidade de alfabetizadores = Total Exemplo: Para Formação de 10 alfabetizadores com duração de 7 meses: R$ 40,00 + (R$ 10,00 x 7) X 10 = R$ 1.100,00 Obtendo o valor total da ação, defina como o montante será distribuído, levando em conta es especificações da ação. A soma do valor total de todas as especificações deverá ser igual ao total calculado TOTAL DO PROPONENTE Indicar o valor da contrapartida, que deverá ser no mínimo de 1% (um por cento) do valor total da ação TOTAL DO CONCEDENTE com o valor do concedente. Obtém-se esse valor subtraindo o valor do proponente do total da ação. Planilha de cálculo de valores para o Plano de Trabalho (Acesse o endereço eletrônico nos links Programa Brasil Alfabetizado 2005 / Orientações para elaboração e envio de projetos em 2005, o arquivo Planilha de cálculo de valores para o Plano de Trabalho) AÇÃO DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Quadro ESPECIFICAÇÃO DA AÇÃO identificando as especificações da ação Alfabetização de Jovens e Adultos. Ver quadro 4 * Em caso de atendimento a turmas com inclusão de pessoas com necessidades educacionais especiais, atendimento à população carcerária e jovens em cumprimento de medidas sócio-educativas, utilizar o campo Valor Fixo diferenciado UNID. DE MEDIDA com as unidades de medidas correspondentes à especificação da ação. Ver quadro INDICADOR FÍSICO Custo QUANTIDADE com a quantidade referente à unidade de medida apresentada VALOR UNITÁRIO Indicar o valor unitário referente à especificação da ação. Ver tabela VALOR TOTAL Indicar o valor total dos custos utilizados para cada especificação da ação. (quantidade x valor unitário). 4

5 QUADRO 4 ESPECIFICAÇÃO DA AÇÃO Valor variável Valor fixo *Valor fixo Diferenciado UNID. DE MEDIDA QUANTIDADE VALOR UNITÁRIO Ajuda de custo para o alfabetizador (valor variável) Ajuda de custo para o alfabetizador (valor fixo) Ajuda de custo para o alfabetizador (valor fixo diferenciado) Alfabetizando turma turma Quantidade de alfabetizandos Quantidade de turmas Quantidade de turmas R$ 7,00 (valor variável) x Nº de meses R$ 120,00 (Valor fixo) x Nº de meses R$ 150,00 (Valor fixo diferenciado) x Nº de meses TABELA - VALOR UNITÁRIO DURAÇÃO 6 meses 7 meses 8 meses Variável R$ 7,00 x 6 = R$ 42,00 R$ 7,00 x 7 = R$ 49,00 R$ 7,00 x 8 = R$ 56,00 Fixo R$ 120,00 x 6 = R$ 720,00 R$ 120,00 x 7 = R$ 840,00 R$ 120,00 x 8 = R$ 960,00 *Fixo diferenciado R$ 150,00 x 6 = R$ 900,00 R$ 150,00 x 7 = R$ 1.050,00 R$ 150,00 x 8 = R$ 1.200, TOTAL DA AÇÃO Indicar a soma do valor total de todas as especificações apresentadas neste anexo TOTAL DO PROPONENTE Indicar o valor da contrapartida, que deverá ser no mínimo de 1% (um por cento) do valor total da ação TOTAL DO CONCEDENTE com o valor do concedente. Obtém-se esse valor subtraindo o valor do proponente do total da ação. AUTENTICAÇÃO DA DECLARAÇÃO ANEXO 5 - CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO E DESEMBOLSO DO PROJETO Utilize um formulário por projeto. Campo 1 - EXERCÍCIO com o exercício (ano) da solicitação e apresentação do Plano de Trabalho: Campo 2 - NÍVEL DE ENSINO com o nome do nível ao qual pertence o projeto: Educação Básica. Campo 3 - ABRANGÊNCIA DO PROJETO com o nome Abrangência do Projeto: Brasil Alfabetizado. 5

6 Campo 4 - CNPJ com o número que consta no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ da Secretaria da Receita Federal do Ministério da Fazenda.Inserir obrigatoriamente 14 (quatorze) dígitos. Campo 5 - NOME DO ÓRGÃO OU ENTIDADE Campo 6 - MUNICÍPIO com o nome do Município em que se localiza o Órgão ou a Entidade proponente. Campo 7 - UF Campo 8 - CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO CAMPO INÍCIO - MÊS/ANO informando o início (mês e ano) da execução. CAMPO TÉRMINO - MÊS/ANO informando o término (mês e ano) da execução. CAMPO 8.3. QUANTIDADE DE DIAS informando a quantidade de dias necessárias para a execução. PARA PROJETOS COM DURAÇÃO QUANTIDADE DE DIAS 6 meses 180 dias 7 meses 210 dias 8 meses 240 dias Campo 9 - CRONOGRAMA DE DESEMBOLSO - VALORES CONCEDENTE O desembolso financeiro será realizado em 2 (duas) parcelas. Somar os valores dos campos 7.2 (Total do Concedente) dos anexos 4 (Formação de Alfabetizadores e Alfabetização de Jovens e Adultos), calcular o valor da primeira parcela, 60% da soma, e informar no campo referente ao mês de início da execução do projeto. Informar o valor da segunda parcela, 40% da soma, no mês correspondente ao 4º mês ou em dezembro, uma vez que o desembolso será efetuado até 30 de dezembro de A liberação do recurso está condicionada à entrega do relatório parcial das ações, conforme artigo 19 da Resolução. Campo VALOR TOTAL A SER DESEMBOLSADO PELO CONCEDENTE com a soma dos valores a serem desembolsados. Campo 10 - CRONOGRAMA DE DESEMBOLSO - VALORES PROPONENTE (CONTRAPARTIDA: valor mínimo de 1%). informando o mês de desembolso da(s) parcela(s) apoiada(s) financeiramente pelo PROPONENTE. Somar os valores dos campos 7.1. (Total do Proponente) dos anexos 4 (Formação de Alfabetizadores e Alfabetização de Jovens e Adultos), calcular o valor da primeira parcela, 60% da soma, e informar no campo referente ao mês de início da execução do projeto. 6

7 Informar o valor da segunda parcela, 40% da soma, no mês correspondente ao 4º mês ou em dezembro, uma vez que o desembolso será efetuado até 30 de dezembro de Campo VALOR TOTAL A SER DESEMBOLSADO PELO PROPONENTE com a soma dos valores a serem desembolsados. Campo 11 - VALOR TOTAL DO PROJETO com a soma dos campos 9.1 (VALOR TOTAL A SER DESEMBOLSADO PELO CONCEDENTE) e 10.1 (VALOR TOTAL A SER DESEMBOLSADO PELO PROPONENTE. Campo 12 - AUTENTICAÇÃO DAS INFORMAÇÕES ANEXO 6 - ESCOLAS BENEFICIADAS PELA AÇÃO Não se aplica ao Programa Brasil Alfabetizado. ANEXO 7 Detalhamento dos itens da especificação da ação - KIT Se no Anexo 4 (Formação de Alfabetizadores) foi informado material de consumo e/ou material instrucional, discrimine os itens que compõem cada KIT. Utilize um formulário para cada especificação da ação: Material de Consumo e/ou Material Instrucional Campo 1 - EXERCÍCIO com o exercício (ano) da solicitação e apresentação do Plano de Trabalho: Campo 2 - AÇÃO A SER EXECUTADA com o nome da ação a ser apoiada financeiramente pelo MEC/FNDE: Formação de Alfabetizadores. Campo 3 - CNPJ com o número que consta no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ da Secretaria da Receita Federal do Ministério da Fazenda.Inserir obrigatoriamente 14 (quatorze) dígitos. Campo 4 - NOME DO ÓRGÃO OU ENTIDADE Campo 5 - MUNICÍPIO com o nome do Município em que se localiza o Órgão ou a Entidade proponente. Campo 6 - UF Campo 7 - ESPECIFICAÇÃO DA AÇÃO Indicar cada uma das especificações apresentadas no Anexo 4, que tenha sido discriminadas com a unidade de medida KIT. Exemplo: Material Instrucional Material de consumo Campo 8 - DETALHAMENTO DOS ITENS QUE COMPÕEM A ESPECIFICAÇÃO Cada planilha deverá apresentar os itens da especificação da ação. Campo NÚMERO DE ORDEM com o número de ordem do(s) item(ns) que compõe(m) a especificação da ação. 7

8 Campo IDENTIFICAÇÃO DOS ITENS Indicar neste campo o(s) item(ns) que compõe(m) a especificação da ação. Campo UNIDADE DE MEDIDA com a unidade de medida do (s) item (ns) que compõe(m) a especificação da ação. Campo QUANTIDADE com a quantidade do(s) item(ns) que compõe(m) a especificação da ação. Campo ESTIMATIVA DE CUSTO Campo VALOR UNITÁRIO com o valor unitário do(s) item(ns) que compõe(m) a especificação da ação. Campo VALOR TOTAL com o resultado da multiplicação dos campos 8.4 (QUANTIDADE) e (VALOR UNITÁRIO) referente ao(s) item(ns) que compõe(m) a especificação da ação. Campo 9 - TOTAL DESTE ANEXO com o resultado da soma dos valores do campo (VALOR TOTAL). Campo 10 - AUTENTICAÇÃO DAS INFORMAÇÕES ANEXO 8 - IDENTIFICAÇÃO DO PARTÍCIPE E DO DIRIGENTE Não se aplica ao Programa Brasil Alfabetizado. 8

Cadastro Proponente e Inclusão de Proposta

Cadastro Proponente e Inclusão de Proposta Cadastro Proponente e Inclusão de Proposta Atualizar os dados na Receita Federal Copiar os dados da Receita no SICONV Informar os dados do novo mandato do Prefeito Incluir/Excluir ou Atualizar dados usuários

Leia mais

SPED CONTÁBIL PREENCHIMENTO

SPED CONTÁBIL PREENCHIMENTO SPED CONTÁBIL PREENCHIMENTO Registro 0000 - Abertura do Arquivo Digital e Identificação do Empresário ou da Sociedade Empresária O registro 0000 é o registro de abertura do arquivo digital onde levará

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO ANEXO IV RELATÓRIO DE MONITORAMENTO 1 - IDENTIFICAÇÃO Órgão Executor CNPJ UF 2 - ALUNOS ATENDIDOS 1ª série 2ª série 3º série 4ª série 5ª série 6ª série 7ª série 8ª série Alunos Atendidos Alunos egressos

Leia mais

ANEXO IV FORMULÁRIO PADRÃO PARA SUBMISSÃO DE PROJETO DE PESQUISA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 1. IDENTIFICAÇÃO DO (A) PROPONENTE (PROFESSOR)

ANEXO IV FORMULÁRIO PADRÃO PARA SUBMISSÃO DE PROJETO DE PESQUISA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 1. IDENTIFICAÇÃO DO (A) PROPONENTE (PROFESSOR) 98 ANEXO IV N.º do Processo: SOCIEDADE PERNAMBUCANA DE CULTURA E ENSINO Ltda. - SOPECE FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FORMULÁRIO PADRÃO PARA SUBMISSÃO DE PROJETO

Leia mais

Regras e orientações da prestação de contas

Regras e orientações da prestação de contas Regras e orientações da prestação de contas Veja aqui como apresentar corretamente a prestação de contas dos recursos recebidos do programa Comunidade, presente! Como utilizar os recursos recebidos A organização

Leia mais

Na aba "Dados do Participante", o saldo acumulado está posicionado no último dia do mês anterior ao da simulação.

Na aba Dados do Participante, o saldo acumulado está posicionado no último dia do mês anterior ao da simulação. O simulador de renda do Plano Petros-2 foi criado com o objetivo de ajudar o Participante a projetar o valor de sua renda de aposentadoria, respeitando as regras previstas no Regulamento do Plano. Esse

Leia mais

Para facilitar a busca pelos parâmetros de cada um dos grupos, neste anexo, segue a seqüência de grupos do sistema.

Para facilitar a busca pelos parâmetros de cada um dos grupos, neste anexo, segue a seqüência de grupos do sistema. ANEXO 1 Para facilitar a busca pelos parâmetros de cada um dos grupos, neste anexo, segue a seqüência de grupos do sistema. PARÂMETROS DA OPERAÇÃO:... 1 PARÂMETROS DE ANÁLISE... 3 PARÂMETROS DE CÁLCULO

Leia mais

Identificação da Empresa

Identificação da Empresa Identificação da Empresa MT-611-00001-14 Última Atualização 15/07/2016 I. Objetivos Após este módulo de capacitação você será capaz de: 1. Preencher em Identificação os dados básicos, itens e as localidades

Leia mais

ANEXO I - TABELA CÓDIGO DE CAMPO Tipo de Registro 00 Header Geral. Tipo de Registro 01 Header Parcial Estrutura completa

ANEXO I - TABELA CÓDIGO DE CAMPO Tipo de Registro 00 Header Geral. Tipo de Registro 01 Header Parcial Estrutura completa ANEXO I - TABELA CÓDIGO DE CAMPO Tipo de Registro 00 Header Geral Nome Conteúdo Tipo Tam Obrg Dicas de Preenchimento do 0900 Tipo de Arquivo 00 Tipo de Arquivo C 1 S Valor fixo igual a C - Cadastro 0829

Leia mais

Manual Adesão à Campanha de Vacinação 2016

Manual Adesão à Campanha de Vacinação 2016 Manual Adesão à Campanha de Vacinação 2016 SEGURANÇA E SAÚDE PARA A INDÚSTRIA 1 Acessar o site da Campanha SESI de Vacinação Contra a Gripe pelo link: http://189.36.20.16/sesimg e clicar no item ADESÃO.

Leia mais

SISTEMA DE PEDÁGIO VIA FÁCIL. Ao entrar no site, clicar na imagem do Rio Grande do Sul, conforme está destacado abaixo.

SISTEMA DE PEDÁGIO VIA FÁCIL. Ao entrar no site, clicar na imagem do Rio Grande do Sul, conforme está destacado abaixo. SISTEMA DE PEDÁGIO VIA FÁCIL A fatura do pedágio via fácil, é debitada todo dia 10, logo cada inicio de mês é necessário realizar o centro de custos da mesma e entregar até a data de vencimento para o

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Inclusão e Envio de Proposta Manual do Usuário 1/53 MINISTRO

Leia mais

VIA RÁPIDA EMPRESA - VRE. Luciana Moniz Coordenadora do Escritório Regional da Junta Comercial do Sindilojas-SP

VIA RÁPIDA EMPRESA - VRE. Luciana Moniz Coordenadora do Escritório Regional da Junta Comercial do Sindilojas-SP VIA RÁPIDA EMPRESA - VRE Luciana Moniz Coordenadora do Escritório Regional da Junta Comercial do Sindilojas-SP Processos Abertura de Empresas Alterações Baixas Processos Instantâneos Busca de Nome Ficha

Leia mais

Declarações Serviços Prestados

Declarações Serviços Prestados Declarações Serviços Prestados O que é isto? O que isto faz? Por meio desta página, um contribuinte classificado como prestador de serviços pode realizar a declaração dos serviços prestados. Nesta página,

Leia mais

Configuração de Juros e Multa na Condição de Pagamento

Configuração de Juros e Multa na Condição de Pagamento Configuração de Juros e Multa na Condição de Pagamento Introdução Para configurar de percentuais de juros e multas para atraso de pagamento, é possível indicar na condição de pagamento os valores que serão

Leia mais

DADOS CADASTRAIS DE TERCEIROS 2

DADOS CADASTRAIS DE TERCEIROS 2 DADOS CADASTRAIS DE TERCEIROS 2 Definição 2 Funções 2 Comunicação Integrada 2 Menu do Sistema para Solicitantes 3 Acompanhamento de Solicitações pendentes 4 Solicitação Inicial de Dados Cadastrais de Terceiros

Leia mais

ANEXO V. Manual de Preenchimento da Nova Guia de ISS

ANEXO V. Manual de Preenchimento da Nova Guia de ISS ANEXO V Manual de Preenchimento da Nova Guia de ISS A partir de 01/03/2005, a Nova Guia de Recolhimento do ISS passa a ser a única forma de recolhimento espontâneo do Imposto Sobre Serviços devido por

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CONTROLE E IMPACTO AMBIENTAL DCIA SETOR DE ANÁLISE AMBIENTAL (SAA) CHECK-LIST PARA REQUERIMENTO DE CERTIDÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

DEPARTAMENTO DE CONTROLE E IMPACTO AMBIENTAL DCIA SETOR DE ANÁLISE AMBIENTAL (SAA) CHECK-LIST PARA REQUERIMENTO DE CERTIDÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO DEPARTAMENTO DE CONTROLE E IMPACTO AMBIENTAL DCIA SETOR DE ANÁLISE AMBIENTAL (SAA) CHECK-LIST PARA REQUERIMENTO DE CERTIDÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA (Preenchido por Analista na

Leia mais

MANUAL. Pedido Eletrônico de Restituição MEI

MANUAL. Pedido Eletrônico de Restituição MEI MANUAL Pedido Eletrônico de Restituição MEI Versão junho/2017 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 03 1.1 APRESENTAÇÃO DO APLICATIVO... 03 1.2 OBJETIVOS DO APLICATIVO... 03 2 ACESSO AO APLICATIVO PEDIDO ELETRÔNICO DE

Leia mais

Cadastro de Cliente. Procedimentos para consultar e cadastrar clientes no SISGEM.

Cadastro de Cliente. Procedimentos para consultar e cadastrar clientes no SISGEM. Procedimentos para consultar e cadastrar clientes no SISGEM. Copyright 2010 flexlife todos diretos reservados www. flexlife.com.br Versão 1.1-19/08/15 1. Para Consultar Clientes 1.1 Selecione o modulo

Leia mais

Infojud. Informações ao Judiciário (Junho / 2014)

Infojud. Informações ao Judiciário (Junho / 2014) Infojud Informações ao Judiciário (Junho / 2014) Infojud - Informações ao Judiciário O Infojud - Sistema de Informações ao Judiciário - permite aos órgãos da Justiça fazer requisições judiciais de informações

Leia mais

Cabeçalho. 1. Nº SPW: é fornecido pelo SPW (SpeedWeb SKY) no cadastramento da proposta no sistema, por isso não deverá ser preenchido no ato da venda.

Cabeçalho. 1. Nº SPW: é fornecido pelo SPW (SpeedWeb SKY) no cadastramento da proposta no sistema, por isso não deverá ser preenchido no ato da venda. Fevereiro/2014 Cabeçalho 1. Nº SPW: é fornecido pelo SPW (SpeedWeb SKY) no cadastramento da proposta no sistema, por isso não deverá ser preenchido no ato da venda. 2. Número da Proposta: é para controle

Leia mais

Modelagem Financeira Market Place

Modelagem Financeira Market Place Modelagem Financeira Market Place 1 Introdução Um dos grandes desafios para os empreendedores de uma startup é transformar o modelo de negócios em números, ou seja, estimar as receitas, custos e despesas

Leia mais

1º passo) Acesse o Portal Estrela Guia no caminho: Menu Completo > Consulta > Status do contrato.

1º passo) Acesse o Portal Estrela Guia no caminho: Menu Completo > Consulta > Status do contrato. 1. Como consultar o Status do Contrato 1º passo) Acesse o Portal Estrela Guia no caminho: Menu Completo > Consulta > Status do contrato. 2º passo) Inserir os dados para a pesquisa, podendo utilizar número

Leia mais

Título: Gerar guia GRRF para empregado doméstico?

Título: Gerar guia GRRF para empregado doméstico? Título: Gerar guia GRRF para empregado doméstico? Os dados a seguir foram elaborados para demonstrar o procedimento para gerar a guia GRRF para empregado doméstico. 1 GUIA GRRF DOMÉSTICO 1.1 - Acesse o

Leia mais

NT 2013/003 Lei da Transparência dos Tributos Federais, Estaduais e Municipais. A partir do Sisloc v13.03

NT 2013/003 Lei da Transparência dos Tributos Federais, Estaduais e Municipais. A partir do Sisloc v13.03 NT 2013/003 Lei da Transparência dos Tributos Federais, Estaduais e Municipais A partir do Sisloc v13.03 Sumário: 1. Apresentação... 3 2. Alterações Sisloc... 4 Cadastro Empresa... 4 Modelo de nota fiscal...

Leia mais

LAYOUT DE IMPORTAÇÃO DE ARQUIVOS

LAYOUT DE IMPORTAÇÃO DE ARQUIVOS LAYOUT DE IMPORTAÇÃO DE ARQUIVOS O arquivo de importação deve ser feito no formato texto (.txt), com delimitadores de campo. O delimitador utilizado é o # (sustenido). A primeira coluna de cada deve identificar

Leia mais

Graduado em Educação Física - Universidade Estadual de Londrina

Graduado em Educação Física - Universidade Estadual de Londrina Graduado em Educação Física - Universidade Estadual de Londrina Especialista em Gestão de Pessoas Especialista em Gestão e Organização Pública Especialista em Qualidade e Produtividade no Setor Público

Leia mais

Portal dos Convênios - Siconv. Execução - Licitação, Contrato, Documento de Liquidação, Pagamento, Ingresso de Recursos e Relatórios

Portal dos Convênios - Siconv. Execução - Licitação, Contrato, Documento de Liquidação, Pagamento, Ingresso de Recursos e Relatórios MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - Siconv Execução - Licitação, Contrato,

Leia mais

TAXAS E ORIENTAÇÕES PARA PAGAMENTO

TAXAS E ORIENTAÇÕES PARA PAGAMENTO TAXAS E ORIENTAÇÕES PARA PAGAMENTO TAXAS Taxa de Submissão No ato da SUBMISSÃO é requerido o pagamento de R$ 150,00 (cento e cinquenta reais) não reembolsáveis, que deverá ser pago mediante GRU Simples;

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA RC/PEE 001/2016

CHAMADA PÚBLICA RC/PEE 001/2016 CHAMADA PÚBLICA RC/PEE 001/2016 RESULTADO - CHAMADA PÚBLICA RC/PEE 001/2016 CPFL SANTA CRUZ 28 de junho de 2016 O grupo CPFL ENERGIA comunica que na CHAMADA PÚBLICA RC/PEE 001/2016, após análise da Comissão

Leia mais

Manual DIMOF (Declaração de Informação sobre Movimentação Financeira)

Manual DIMOF (Declaração de Informação sobre Movimentação Financeira) Manual DIMOF (Declaração de Informação sobre Movimentação Financeira) JUNHO/2013 Sumário Sumário... 2 1. Introdução... 3 2. Funcionalidade... 4 3. Navegação no Sistema... 4 3.1. Autenticação de Usuário...

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE A PLATAFORMA BRASIL

ORIENTAÇÕES SOBRE A PLATAFORMA BRASIL ORIENTAÇÕES SOBRE A PLATAFORMA BRASIL CADASTRO: Para a submissão de projetos de pesquisa que envolva seres humanos, o pesquisador interessado deverá acessar o site http://aplicacao.saude.gov.br/plataformabrasil/login.jsf

Leia mais

Dados Pessoais do Servidor Ativo (preenchimento obrigatório) 1. Cadastro Matrícula1: 2. Cadastro Matrícula2:

Dados Pessoais do Servidor Ativo (preenchimento obrigatório) 1. Cadastro Matrícula1: 2. Cadastro Matrícula2: RECADASTRAMENTO DOS SERVIDORES DO MUNICIPIO DE URUGUAIANARS A realização deste Recadastramento não autoriza a alteração do regime de emprego (CLT) ou do regime de previdência social (RGPS). Documentos

Leia mais

[(Receita Bruta Não Beneficiada x 100) / Receita Bruta Total) = Fator de aplicação

[(Receita Bruta Não Beneficiada x 100) / Receita Bruta Total) = Fator de aplicação CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA BRUTA A Lei 12.546 de 14/12/2011 instituiu, entre outras medidas, a CPRB Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta, ou seja, alterou a base de cálculo

Leia mais

São Paulo, 03 de Outubro de Prezado cliente,

São Paulo, 03 de Outubro de Prezado cliente, São Paulo, 03 de Outubro de 2011. Prezado cliente, Informamos que o CMT (Consorcio Metropolitano de Transportes), que administra a emissão e comercialização do cartão eletrônico BOM, lançou no mercado

Leia mais

MTG-PR OFFLINE PASSO A PASSO PARA BAIXAR O MTG-PR OFFLINE

MTG-PR OFFLINE PASSO A PASSO PARA BAIXAR O MTG-PR OFFLINE MTG-PR OFFLINE PASSO A PASSO PARA BAIXAR O MTG-PR OFFLINE Sumário 1-Acesso ao sistema... 3 2-Painel Administrativo do sistema... 4 3-Efetuar o download (baixar) o programa MTG-PR OffLine... 5 4-Abrir programa

Leia mais

2015 GVDASA Sistemas Portal da Secretaria

2015 GVDASA Sistemas Portal da Secretaria 2015 GVDASA Sistemas Portal da Secretaria Treinamento GVcollege Portal da Secretaria AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações

Leia mais

FLUXO ELETRÔNICO DE TCC Orientação de TCC

FLUXO ELETRÔNICO DE TCC Orientação de TCC FLUXO ELETRÔNICO DE TCC Orientação de TCC Orientação aos Alunos, Orientadores e Coordenadores Com a implantação do FLUXO ELETRÔNICO DE TCC, os alunos e professores participantes do processo de orientação

Leia mais

TURMA VIRTUAL DOCENTE SIGAA

TURMA VIRTUAL DOCENTE SIGAA TURMA VIRTUAL DOCENTE SIGAA Universidade Federal de Sergipe Núcleo de Tecnologia da Informação 2016 www.ufs.br NTI - 2105-6583 / 2105-6584 DAA 2105-6503 Turma virtual Docente: Objetivo Auxiliar aos docentes

Leia mais

Como configurar PIS e COFINS para cálculo de bebidas frias conforme art. 30, Decreto ?

Como configurar PIS e COFINS para cálculo de bebidas frias conforme art. 30, Decreto ? Como configurar PIS e COFINS para cálculo de bebidas frias conforme art. 30, Decreto 8.442-2015? Através desta solução, será possível configurar o cadastro de produtos para calcular os impostos PIS e COFINS,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS A Pró-Reitoria de Administração e Finanças - PROAD, buscando reduzir as dificuldades

Leia mais

Plataforma Brasil 4/27/2012. Plataforma Brasil. 1. O que é a Plataforma Brasil?

Plataforma Brasil 4/27/2012. Plataforma Brasil. 1. O que é a Plataforma Brasil? Plataforma Brasil 1 1. O que é a? 2. Quando foi criada? 3. Onde acessá-la? 4. Quem deve se cadastrar? 5. Como se cadastrar? 6. Quais estudos devem ser cadastrados? 7. Como cadastrar o estudo? 8. Como será

Leia mais

O primeiro passo é acessar o Mapa pelo endereço https://mapaosc.ipea.gov.br.

O primeiro passo é acessar o Mapa pelo endereço https://mapaosc.ipea.gov.br. Acesso como representante de OSC Passo 1: Acesse o Mapa O primeiro passo é acessar o Mapa pelo endereço https://mapaosc.ipea.gov.br. Passo 2: Represente uma OSC 2.1 Não possuo cadastro no Mapa Caso você

Leia mais

MINISTERIO DA INTEGRACAO NACIONAL SUPERINTENDENCIA DO DESENVOLV. DA AMAZONIA Nº / ANO DA PROPOSTA: /2016 DADOS DO CONCEDENTE

MINISTERIO DA INTEGRACAO NACIONAL SUPERINTENDENCIA DO DESENVOLV. DA AMAZONIA Nº / ANO DA PROPOSTA: /2016 DADOS DO CONCEDENTE MINISTERIO DA INTEGRACAO NACIONAL SUPERINTENDENCIA DO DESENVOLV. DA AMAZONIA PORTAL DOS CONVÊNIOS SICONV - SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIOS Nº / ANO DA PROPOSTA: 013381/2016 OBJETO: Aquisição de Caminhão

Leia mais

Guia de Utilização do Sistema de Controle de Procedimentos Odontológicos

Guia de Utilização do Sistema de Controle de Procedimentos Odontológicos Guia de Utilização do Sistema de Controle de Procedimentos Odontológicos Guia de Utilização do Com vistas a agilizar os processos de perícia, autorização e realização de procedimentos do Plano Odontocasse,

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação da Área do Professor. Capítulo 1 Home. Capítulo 2 Dados de Curso

SUMÁRIO. Apresentação da Área do Professor. Capítulo 1 Home. Capítulo 2 Dados de Curso MANUAL DO PROFESSOR SUMÁRIO Apresentação da Área do Professor Capítulo 1 Home Capítulo 2 Dados de Curso 2.1 Material de Apoio Audiovisual 2.2 Material Prático 2.3 Material de Estudo 2.4 Passagem 2.5 Hotel

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE CREDENCIADOS - SGC MANUAL DO CANDIDATO CREDENCIADOS /

SISTEMA DE GESTÃO DE CREDENCIADOS - SGC MANUAL DO CANDIDATO CREDENCIADOS / MANUAL DO CANDIDATO PESSOA JURÍDICA Identificação do Edital Para fazer a inscrição, o candidato deve acessar o link disponível no site do SEBRAE de seu interesse ou da empresa responsável pela seleção

Leia mais

Módulo Financeiro Centro de Custo

Módulo Financeiro Centro de Custo Módulo Financeiro Centro de Custo 1 O que é CENTRO DE CUSTO? Centro de Custo são setores em que a empresa tem uma receita (recebimentos) ou um custo (despesas). Por exemplo: O Transporte pode ser considerado

Leia mais

PAGAMENTOS A PROFISSIONAIS

PAGAMENTOS A PROFISSIONAIS PAGAMENTOS A PROFISSIONAIS Índice Introdução... 2 1º Passo: CADASTRO DOS LANÇAMENTOS DA FOLHA... 2 2º Passo: Itens que compõem o Pagamento do Profissional... 3 Instruções de Cadastros e Configurações...

Leia mais

OFICINA DE PROJETOS. Profª Drª Rosangela Marques Busto Profº Drº Luiz Cláudio Reeeberg Stanganelli

OFICINA DE PROJETOS. Profª Drª Rosangela Marques Busto Profº Drº Luiz Cláudio Reeeberg Stanganelli OFICINA DE PROJETOS Profª Drª Rosangela Marques Busto Profº Drº Luiz Cláudio Reeeberg Stanganelli 1. IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE PROPONENTE Nome da Entidade Clube Brasil Esporte CNPJ 000.000.000/0001-00

Leia mais

MANUAL PARA INSCRIÇÃO online EM EDITAIS. Versão 2.0

MANUAL PARA INSCRIÇÃO online EM EDITAIS. Versão 2.0 MANUAL PARA INSCRIÇÃO online EM EDITAIS Versão 2.0 1 Atenção Siga cuidadosamente todas as orientações deste Manual durante o processo de inscrição online >> 1º Passo: Acessar o SalicWeb Para inscrever

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DO ISBN PUBLICAÇÕES ELETRÔNICAS

INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DO ISBN PUBLICAÇÕES ELETRÔNICAS INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DO ISBN PUBLICAÇÕES ELETRÔNICAS 1 TÍTULO Preencher com o título e subtítulo (se houver) da obra a ser editada. Ex: Catálogo de editores 2006 Manual

Leia mais

Suprimentos Licitações Kit C9396

Suprimentos Licitações Kit C9396 Suprimentos LC Licitações Kit C9396 Copyright GOVERNANÇABRASIL 2011 SUMÁRIO 1. MÓDULO PRINCIPAL... ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO. 2. VISÃO GERAL DO SISTEMA... 5 3. KIT PESQUISA - PREENCHIMENTO DA PESQUISA

Leia mais

Manual de Cadastro de Instituições de Ensino. MPE Meia Passagem Estudantil

Manual de Cadastro de Instituições de Ensino. MPE Meia Passagem Estudantil Manual de Cadastro de Instituições de Ensino MPE 1. OBJETIVO......... 3 2. ETAPAS......... 3 3.1. Acesso ao Portal para cadastro...... 3 3.2. Alteração de d Senha......... 5 3.3. Envio dos documentos obrigatórios

Leia mais

Agenda. Objetivo Acesso ao Módulo Criando um Novo Relatório de Inspeção Pesquisando um Relatório Editando um Relatório

Agenda. Objetivo Acesso ao Módulo Criando um Novo Relatório de Inspeção Pesquisando um Relatório Editando um Relatório Inspeção Sanitária Agenda Objetivo Acesso ao Módulo Criando um Novo Relatório de Inspeção Pesquisando um Relatório Editando um Relatório Objetivo Oferecer um processo automatizado Evitar retrabalho no

Leia mais

Para cadastramento e liberação de usuário para acessar o sistema serão utilizados dois sistemas:

Para cadastramento e liberação de usuário para acessar o sistema serão utilizados dois sistemas: Para cadastramento e liberação de usuário para acessar o sistema serão utilizados dois sistemas: SCPA Usuário: Sistema para solicitação de acesso aos sistemas do Ministério da Saúde. Para solicitar acesso

Leia mais

Manual Matrículas Equipe Lyceum

Manual Matrículas Equipe Lyceum Manual Matrículas 2012 Equipe Lyceum Acessar a intranet e clicar no link Matrículas 2012 e 2011 Clicar no link Inscrições Selecione o ano letivo que o aluno irá cursar e clique em Prosseguir. *Atenção:

Leia mais

Está gerando diferença de INSS Terceiros entre o sistema e a SEFIP.

Está gerando diferença de INSS Terceiros entre o sistema e a SEFIP. Está gerando diferença de INSS Terceiros entre o sistema e a SEFIP. Através desta solução, será possível identificar prováveis causas de diferença de INSS entre o sistema e a SEFIP, com relação ao INSS

Leia mais

Cadastro de Transportadora

Cadastro de Transportadora Cadastro de Transportadora Para realizar o cadastro de uma transportadora proceda da seguinte forma: Acesse o módulo Administrativo. Clique no menu Cadastro em seguida clique na opção Transportadora e

Leia mais

Passo a Passo para Solicitação de Reembolso do Benefício Farmácia - Ex-empregado ou dependente

Passo a Passo para Solicitação de Reembolso do Benefício Farmácia - Ex-empregado ou dependente Passo a Passo para Solicitação de Reembolso do Benefício Farmácia - Ex-empregado ou dependente Página 1 Introdução Os beneficiários da AMS que não se encontram como empregados ativos na Petrobras ou subsidiárias

Leia mais

SELEÇÃO DE PROJETOS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - FUNASA ANEXOS

SELEÇÃO DE PROJETOS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - FUNASA ANEXOS SELEÇÃO DE PROJETOS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - FUNASA ANEXOS ANEXO I PROJETO BÁSICO Identificação da instituição Proponente (Papel Timbrado) I. CARACTERIZAÇÃO DA ENTIDADE PROPONENTE: 1.1. Identificação da

Leia mais

MANUAL PARA CADASTRO DE FUNÇÕES DO CAIXA

MANUAL PARA CADASTRO DE FUNÇÕES DO CAIXA MANUAL PARA CADASTRO DE FUNÇÕES DO CAIXA Este manual tem o objetivo de orientar o procedimento de Funções do Caixa. Sempre que se fizer um destes procedimentos, os passos abaixo devem ser seguidos. AS

Leia mais

SPED CONTÁBIL ECD (Geração e transmissão)

SPED CONTÁBIL ECD (Geração e transmissão) SPED CONTÁBIL ECD (Geração e transmissão) Conteúdo: 1. Dados do responsável e contabilista 2. Emissão de balancete para conferência 3. Gerando arquivo ECD no sistema JOTEC 4. Utilizando o programa validador

Leia mais

ISS na Construção Civil

ISS na Construção Civil ISS na Construção Civil Cadastro de Obras de Construção Civil & SISCON Sistema Eletrônico da Construção Civil (Emissão de NFS-e com deduções legais na base de cálculo dos serviços de construção civil)

Leia mais

Bem Vindo ao Sistema ISSMAP

Bem Vindo ao Sistema ISSMAP Bem Vindo ao Sistema ISSMAP Portal de Emissão de Nota Fiscal de Serviço 1º Modulo: Cadastro no Sistema SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 ACESSO... 3 1. REALIZANDO CADASTRO NO SISTEMA... 4 1.1 Pessoa Física... 5

Leia mais

ANEXO I - TABELA CÓDIGO DE CAMPO

ANEXO I - TABELA CÓDIGO DE CAMPO Tipo Reg. ANEXO I - TABELA CÓDIGO DE CAMPO Código Sequencial Nome Conteúdo Tipo Tam Obrg Dicas de Preenchimento do 09 Tipo de Arquivo Tipo de Arquivo C 1 S Valor fixo igual a C - Cadastro 0829 CNPJ do

Leia mais

PASSO A PASSO Cadastro de Propostas da Academia da Saúde

PASSO A PASSO Cadastro de Propostas da Academia da Saúde PASSO A PASSO Cadastro de Propostas da Academia da Saúde - 2013 ETAPAS DO PROPONENTE PARA CADASTRO DE PROPOSTAS DO PROGRAMA ACADEMIA DA SAÚDE A apresentação contemplará: Indicação de Objeto para Emenda

Leia mais

PROJETO APOIO AOS DIÁLOGOS SETORIAIS EU-BRASIL GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA CADASTRO DE PROPOSTA DE AÇÃO NO SISTEMA DO PROJETO

PROJETO APOIO AOS DIÁLOGOS SETORIAIS EU-BRASIL GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA CADASTRO DE PROPOSTA DE AÇÃO NO SISTEMA DO PROJETO PROJETO APOIO AOS DIÁLOGOS SETORIAIS EU-BRASIL GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA CADASTRO DE PROPOSTA DE AÇÃO NO SISTEMA DO PROJETO Índice: 1. Cadastro de Usuário (Responsável Operacional da Ação) 02 2. Cadastro

Leia mais

versão /10/14

versão /10/14 versão 11.82-16/10/14 ACESSANDO O PORTAL ACADÊMICO Manual do Professor Para acessar o Portal Acadêmico da PUC-SP, digite em seu browser o endereço Será necessário utilizar as informações de login e senha

Leia mais

Manual do Portal de adesão a Campanha

Manual do Portal de adesão a Campanha Manual do Portal de adesão a Campanha 0 1 - OBJETIVO... 1 2 - ACESSO AO PORTAL DE ADESÃO... 3 2.1 - CADASTRO... 3 2.2 - LOCALIDADE...6 2.3 - TRABALHADOR...8 2.4 - CONCLUINDO A ADESÃO... 11 3 - LOGIN...

Leia mais

EMISSÃO E GERENCIAMENTO DE NOTA FISCAL DO CONSUMIDOR ELETRÔNICA

EMISSÃO E GERENCIAMENTO DE NOTA FISCAL DO CONSUMIDOR ELETRÔNICA EMISSÃO E GERENCIAMENTO DE NOTA FISCAL DO CONSUMIDOR ELETRÔNICA Sumario 1- O que é NfCe? 2- Acesso ao sistema 3- Configurações de Padronização. 4- Cadastros Série/Número Cálculo Fiscal Certificado Cliente

Leia mais

Tutorial de Preenchimento Proposta de Solicitação de Cartões de Crédito Corporativo (Visa e Master)

Tutorial de Preenchimento Proposta de Solicitação de Cartões de Crédito Corporativo (Visa e Master) Tutorial de Preenchimento Proposta de Solicitação de Cartões de Crédito Corporativo (Visa e Master) JUNHO 2017 Índice 1 2 Passo a passo Perguntas Frequentes 1 - Passo a Passo Visão Geral Atenção: Todos

Leia mais

SIMULADOR DE CÁLCULO DE RENDA MENSAL INICIAL DO RGPS

SIMULADOR DE CÁLCULO DE RENDA MENSAL INICIAL DO RGPS 1 MANUAL IEPREV SIMULADOR DE CÁLCULO DE RENDA MENSAL INICIAL DO RGPS SEM LIMITE DE 07/94 NO PBC Esse sistema é aplicado para os segurados filiados ao INSS - Instituto Nacional do Seguro Social pelo Regime

Leia mais

Sumário. 2 Primeiro acesso/trocar de senha 8

Sumário. 2 Primeiro acesso/trocar de senha 8 Manual do Usuário Sumário 1 Login 5 1.1 Entrar no sistema 5 1.2 Esqueci minha senha 5 1.3 Solicitar acesso 5 1.3.1 Tela de Solicitação de Acesso 6 1.3.2 Preencher informações do solicitar acesso 7 1.4

Leia mais

Guia para cadastramento de Projetos de Pesquisa no SIGProj

Guia para cadastramento de Projetos de Pesquisa no SIGProj Guia para cadastramento de Projetos de Pesquisa no SIGProj Atenção: I. Para submeter uma proposta no SIGProj, é indispensável que o proponente esteja previamente cadastrado no site, bem como todos os membros

Leia mais

Fechamento Anual / Geração da DIRF

Fechamento Anual / Geração da DIRF Fechamento Anual / Geração da DIRF Fechamento Anual / Dirf Nesta versão está disponível a geração do arquivo para a entrega da Dirf 2017 (referente ao ano calendário 2016), com data de entrega até dia

Leia mais

SCPO. Sistema de Comunicação Prévia de Obras

SCPO. Sistema de Comunicação Prévia de Obras Ministério do Trabalho Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Coordenação Geral de Normatização e Programas SCPO Sistema de Comunicação Prévia de Obras Manual

Leia mais

INTERNAL ACESSO AO PORTAL

INTERNAL ACESSO AO PORTAL PORTAL DE SERVIÇOS Metso ACESSO AO PORTAL Para acessar o Portal de Serviços, utilize o seguinte link: http://www.metsopartners.com.br Neste endereço, entre na opção: Nota Fiscal de Serviço. 3 Metso Date

Leia mais

Com a leitura ótica não é necessária a digitação dos dados demonstrados no tópico 11. 1

Com a leitura ótica não é necessária a digitação dos dados demonstrados no tópico 11. 1 1. SIAFI ATULF ( Geração da Lista de Fatura ) 1 TIPO DE LISTA: 2 ( EXTRA-SIAFI ) OPÇÃO DE PAGAMENTO: 1 ( CONCESSIONARIAS / TRIBUTOS / CARNES E ASSEMELHADOS ) ENTRADA DE DADOS: 1 ( MANUAL ) 2 BANCO: 001

Leia mais

PG200 Cadastro de Transportadoras.

PG200 Cadastro de Transportadoras. PG200 Cadastro de Transportadoras. Cadastro O cadastro de transportadoras no sistema TCar é realizado através do módulo PG Cadastro Transportadoras. Figura 1 Módulo PG Cadastro Na aba Transportadora é

Leia mais

PRINCIPAIS ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DAS HABILITAÇÕES

PRINCIPAIS ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DAS HABILITAÇÕES PRINCIPAIS ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DAS HABILITAÇÕES Para um preenchimento correto e, consequentemente, o envio das informações de uma forma prática e rápida, solicitamos a leitura do principais

Leia mais

1. Tela de Acesso pg Cadastro pg Abas de navegação pg Abas dados cadastrais pg Aba grupo de usuários pg.

1. Tela de Acesso pg Cadastro pg Abas de navegação pg Abas dados cadastrais pg Aba grupo de usuários pg. Sumário 1. Tela de Acesso pg. 2 2. Cadastro pg. 3 3. Abas de navegação pg. 5 4. Abas dados cadastrais pg. 5 5. Aba grupo de usuários pg. 6 6. Aba cadastro de funcionários pg. 7 7. Pedidos pg. 12 8. Cartões

Leia mais

Djalma Campos Guimarães Filho

Djalma Campos Guimarães Filho Palestra CREA-SP Djalma Campos Guimarães Filho CREA-SP Para acessar o sistema CREANet, é necessário que seu navegador (browser) não restrinja a exibição de Popups. Clique aqui para saber como configurar

Leia mais

Manual de Sinistro. BB Seguro Agrícola

Manual de Sinistro. BB Seguro Agrícola Manual de Sinistro BB Seguro Agrícola Julho 2016 1 Sumário INTRUÇÕES PARA AVISO E ACOMPANHAMENTO DE SINISTRO... 3 ANEXO I - LISTA DE DOCUMENTOS QUE DEVEM SER ENTREGUES PARA ANÁLISE DO SINISTRO. 5 ANEXO

Leia mais

PROCEDIMENTOS DAS DISCIPLINAS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS EAD DE LICENCIATURA

PROCEDIMENTOS DAS DISCIPLINAS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS EAD DE LICENCIATURA PROCEDIMENTOS DAS DISCIPLINAS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS EAD DE LICENCIATURA (LETRAS, HISTÓRIA, MATEMÁTICA E PEDAGOGIA) 1 - Diretrizes Gerais As disciplinas de Estágio Supervisionado contemplam

Leia mais

D4All - Dharma for all

D4All - Dharma for all D4All - Dharma for all EDITAL # 1/2015 - Belmiro Braga, junho de 2015 EDITAL E FORMULÁRIO PARA PREENCHIMENTO I - INTRODUÇÃO II - INFORMAÇÕES SOBRE O EDITAL a) OBJETIVO b) PRAZOS c) LINHAS DE FINANCIAMENTO

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O MODULO FISCAL

MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O MODULO FISCAL MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O MODULO FISCAL VITÓRIA 2016 SUMÁRIO CADASTROS GERAIS... 3 Cadastro de Empresas... 3 Cadastro de Autônomos e Sócios... 6 Cadastro de Participantes... 7 Cadastro de Itens (Produtos)...

Leia mais

Busca XML - Cliente. *Observação* Se o certificado do cliente não for armazenado nessa tela a pesquisa da NFE para a empresa não será realizada.

Busca XML - Cliente. *Observação* Se o certificado do cliente não for armazenado nessa tela a pesquisa da NFE para a empresa não será realizada. BUSCA XML - CLIENTE Busca XML - Cliente Download Automático de NFE Para que o Download da Nfe seja automático é necessário efetuar as configurações abaixo: Acesse o Menu Preferências, clique sobre a Aba

Leia mais

SICAN - Sistema de Cadastro Nacional de Produtores Rurais, Público do PAA, Cooperativas, Associações e demais Agentes Manual do Sistema

SICAN - Sistema de Cadastro Nacional de Produtores Rurais, Público do PAA, Cooperativas, Associações e demais Agentes Manual do Sistema SICAN - Sistema de Cadastro Nacional de Produtores Rurais, Público do PAA, Cooperativas, Associações e demais Agentes Manual do Sistema Produtores Rurais - Pessoa Jurídica 1. Pré-Cadastro SICAN...3 2.

Leia mais

Manual de Utilização. Funcionalidades Webtravel. Prestação de Contas x Conciliação. Corporativo

Manual de Utilização. Funcionalidades Webtravel. Prestação de Contas x Conciliação. Corporativo Manual de Utilização Funcionalidades Webtravel Prestação de Contas x Conciliação Corporativo Página 1 de 25 SUMÁRIO OBJETIVO...3 PASSOS:...3 MODALIDADE DE TIPOLOGIAS...12 ELABORAÇÃO DO DOCUMENTO...25 OBJETIVO

Leia mais

MANUAL PARA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA

MANUAL PARA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA MANUAL PARA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA 2017 ESSE MANUAL FOI DESENVOLVIDO PELO PORTO SEGURO PREVIDÊNCIA PARA AJUDAR NO PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO DE AJUSTE ANUAL DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2017,

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12 Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua FINANCIAMENTO DA POLÍTICA EDUCACIONAL BRASILEIRA compreendendo os sistemas de ensino federal, estadual e municipal, a Constituição Federal

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO PRAd COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS CRH MANUAL ADP ON LINE

PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO PRAd COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS CRH MANUAL ADP ON LINE PRÓ- DE ADMINISTRAÇÃO PRAd COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS CRH MANUAL ADP ON LINE - 2007 - Reitor Prof. Dr. MARCOS MACARI Grupo Técnico de Planejamento e Desenvolvimento de Recursos Humanos ELISABETE

Leia mais

Esse manual visa fornecer orientações às instituições concedentes de estágios. Após

Esse manual visa fornecer orientações às instituições concedentes de estágios. Após Esse manual visa fornecer orientações às instituições concedentes de estágios. Após acessar o endereço www.sigaa.ufs.br, você deve clicar no botão ENTRAR NO SISTEMA Obs.: Os dados utilizados nos exemplos

Leia mais

Apoio a Projetos de Pesquisa e Difusão Tecnológica Recursos Não Reembolsáveis

Apoio a Projetos de Pesquisa e Difusão Tecnológica Recursos Não Reembolsáveis DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE AMBIENTE DE PROGRAMAS ESPECIAIS E DE FUNDOS DE PESQUISA Apoio a Projetos de Pesquisa e Difusão Tecnológica

Leia mais

MANUAL. Certificado de Origem Digital PERFIL EXPORTADOR. Versão

MANUAL. Certificado de Origem Digital PERFIL EXPORTADOR. Versão MANUAL Certificado de Origem Digital PERFIL EXPORTADOR Versão 2.2.15 Sumário 1. Inicializando no sistema... 3 2. Acessando o sistema... 4 3. Mensagem encaminhada pelo sistema.... 4 4. Emitindo um novo

Leia mais

Processo: Vendas. Acesso. Motivação. Parâmetros. Entradas. Nome do Processo: Pagamento de direitos autorais

Processo: Vendas. Acesso. Motivação. Parâmetros. Entradas. Nome do Processo: Pagamento de direitos autorais Desenvolvimento BM-1423 Direitos autorais - Comissão para autores Versão 5 Release 28 Autor Jaciara Silva Processo: Vendas Nome do Processo: Pagamento de direitos autorais Acesso Vendas\Movimentações Motivação

Leia mais

Configuração de Vale Transporte no cadastro do empregado e estagiário

Configuração de Vale Transporte no cadastro do empregado e estagiário Configuração de Vale Transporte no cadastro do empregado e estagiário Os dados a seguir foram elaborados para a configuração sobre as informações de vale transporte no cadastro do empregado 1 CADASTRO

Leia mais

Processo de Autorização Unimed-Rio TIVIT

Processo de Autorização Unimed-Rio TIVIT T E C N O L O G I A Processo de Autorização Unimed-Rio TIVIT Autorizador - Captura On-line Prestadores Rio Sumário 0 1 C O N S I D E R A Ç Õ E S I N I C I A I S - 0 3 0 2 A C E S S O A O S I T E D E A

Leia mais