PLATAFORMA PARA MONITORAMENTO REMOTO DE SISTEMAS DE MANUFATURA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLATAFORMA PARA MONITORAMENTO REMOTO DE SISTEMAS DE MANUFATURA"

Transcrição

1 Anaisdo13OEncontrodeIniciaçãoCientíficaePós GraduaçãodoITA XIIIENCITA/2007 InstitutoTecnológicodeAeronáutica,SãoJosédosCampos,SP,Brasil,Outubro,01a04,2007. PLATAFORMAPARAMONITORAMENTOREMOTODESISTEMASDE MANUFATURA EmilYoshigaeNakao ITA I nstitutotecnológicodeaeronáutica.praçamarechaleduardogomes,50,viladasacácias SãoJosédosCampos SP BolsistaPIBIC CNPq CarlosEduardoOliveiraSilva ITA I nstitutotecnológicodeaeronáutica.praçamarechaleduardogomes,50,viladasacácias SãoJosédosCampos SP PedroPauloGomesDominguesdeOliveiraSantos ITA I nstitutotecnológicodeaeronáutica.praçamarechaleduardogomes,50,viladasacácias SãoJosédosCampos SP EmíliaVillani ITA I nstitutotecnológicodeaeronáutica.praçamarechaleduardogomes,50,viladasacácias SãoJosédosCampos SP Resumo. Monitoramentoremotopode serentendido como o processo deaquisiçãode dados deumsistema esua transmissão em tempo real por um meio de comunicação a um local geograficamente distinto. Entre as diversas aplicações de monitoramento remoto está o monitoramento de processos de manufatura. O CCM ( Centro de CompetênciaemManufatura ),noita,desenvolveuduasfrentesdepesquisaprincipaisnaárea:odesenvolvimentode softwarecustomizadoparamonitoramentoremotoeaanálisedeaplicativosdisponíveiscomercialmente.estetrabalho abordaaprimeirafrentedepesquisa,eapresentaasoluçãoadotadaparaomonitoramentoremotodamáquinacncdo laboratório.asoluçãoécompostadeumprogramacliente,queéexecutadoemumcomputadorremoto,eumprograma servidor, responsável pela coleta de dados em si, funcionando no computador local. Dentre as funcionalidades oferecidasestãoatransmissãodevídeoededadosobtidosdamáquinacnc,arespeitodoprocessodeusinagemem curso.essasfuncionalidadesforamtestadasindividualmente,edepoisreunidasemumaplicativofinal. Palavraschave:monitoramentoremoto,processodemanufatura 1.Introdução Noatualcenáriomundial,aindústriademanufaturaenfrentadesafiossemprecedentes,resultantesdeummercado globalcadavezmaiscompetitivo(lee,2003).ainterneteoprocessode e business aumentaramavelocidadenos processosdenegócioepermitiramqueempresasabandonassemaabordagemtradicionaldeaplicaroconceitode integraçãorestritamenteaseusequipamentosnochãodefábrica,emdetrimentodeumanovavisão,maisampla,que abrangetodoociclodevidadoprodutoeacadeiadesuprimento. AcooperaçãoproporcionadapelaInternetéconsiderada bi dimensional,nosentidoqueabrangenãoapenasa integraçãohorizontalentreentidadesequivalentes,comotambémaintegraçãoverticalaolongodetodaacadeiade suprimento (fornecedores, unidades de manufatura, distribuidores e assistência técnica) (Hao et al., 2005). Como resultadodestacooperação,tem sesistemasdemanufaturamaiságeiseflexíveis,comcapacidadedegerarrespostas rápidasemambientesdistribuídos. Alémdisso,aglobalizaçãodasúltimasdécadasimpulsionouadistribuiçãogeográficadeempresas,indústriase equipesdetrabalho.umresultadodestaglobalizaçãoéacrescentenecessidadedeaplicaçõesquesebeneficiamdo acessoadiversosequipamentoslocalizadosemlugaresgeograficamentedistintos:indústriasantescentralizadasem umaúnicaplanta,hojeseencontramespalhadaspordiversascidades,paísesecontinentes. Estesfatoresresultaramemumanecessidadesemprecrescentedetrocadeinformaçõesreferenteaatividades interdependentes. Exemplos são informações relativas ao desenvolvimento de projetos em conjunto, informações referentesapeçasemprodução,entreoutras.arespostaparaestanecessidadeestánoconceitodee manufacturing,que utilizaa Internet comomeioeficiente erápidoparaoacessoremotoadados,com objetivode integrartodos os elementosdoprocessoprodutivo. UsuáriosdeprogramasbaseadosemInternetpodemsecomunicar,trocandoinformaçõeseprocessostípicosde tecnologiaatravésdeumaestruturaderedebaseadanoprotocolotcp/ip.atravésdoconceitode e manufacturing obtém seumanovapossibilidadedeaproveitamentodestaestruturadentrodosistemademanufatura(adamczyketal.,

2 AnaisdoXIIIENCITA2007,ITA,Outubro,01 04,2007, 2003),oqueinclui,porexemplo,aexecuçãodeprocessosedisponibilizaçãoremotaderesultadosemtempo realpara observação,acompanhamentooumanipulação(yeungetal.,2003). Dentro doconceitode e manufacturing,o monitoramento remoto deprocessos de manufatura é ofoco deste trabalho.atravésdomonitoramentodochãodefábricaépossívelpreveravariaçãododesempenhodosistema,oque podeserutilizadoparare escalonamentodinâmicodaproduçãoeoperaçõesdemanutenção,alémdasincronizaçãocom atividades dos níveis organizacionais superiores da empresa (Lee, 2003). Além disso, a integração proporciona flexibilidadedeconfiguraçãodosistemademanufatura.porexemplo,umchãodefábricacaracterizadopelafabricação degrandevariedadedeprodutosdelotespequenosrequerumcontroledinâmicoemonitoramentoemtemporealcapaz deadaptar searápidasmudançasdecapacidadedeproduçãoefuncionalidade. Do ponto de vista de software, o monitoramento remoto pode ser implementado através de programas computacionais dedicados ou simplesmente explorando os recursos disponíveis gratuitamente nos chamados navegadores. Dopontodevistadehardware,énecessárioaobtençãoedisponibilizaçãodeinformaçõesdosprocessosem execução.numfuturopróximo,controladoresdecomandonuméricocomputadorizado(cnc),sensoreseatuadores, entreoutrosequipamentos,serãodotadosdeprocessadoresembarcadoscomrecursosdotipoplug and playflexíveiso suficienteparaproporcionarumaintegraçãoimediata.todavia,estaaindanãoéarealidade.umanovacapacitaçãode tecnologiaéurgentementerequeridaparaincorporaràsmáquinascnctradicionaisacapacidadedemonitoramento remoto(wanget al.,2004).particularmente,emsistemas demanufaturadepequenoporte,ondefluiumamenor produção,ocustodeincorporaçãoderecursosdee manufacturingpodeserumfatorlimitante.obaixocustoéportanto umrequisitonecessáriodassoluçõespropostas(kimuraandkanda,2005). Deumaformageral,aimportânciadodesenvolvimentodesistemasdemonitoramentoremotoviaInternet,vêm sendoindicadapordiversostrabalhosnãoapenasnoambienteacadêmico,mastambématravésdesoluçõesindustriais (Wanget al, 2001;Yeung andhuang, 2003).Nesse contexto, oobjetivo deste trabalhoé aplicar este conceitoao laboratórioccm(centrodecompetênciademanufatura)doita(institutotecnológicodeaeronáutica),atravésdo projetoeimplementaçãodeumsistemademonitoramentoremotodeumamáquinacnc.dadoocunhoacadêmico, educacionaledepesquisadainstituição,entreaspossíveisaplicações,destaca seoe learning,oueducaçãoàdistância, temaquevemrecebendodestacadaatenção,além dafacilitaçãodaaquisiçãodosdadosdeexperimentos quesão executadosduranteaspesquisasdesenvolvidasnolaboratório. EstetrabalhofoidesenvolvidocomopartedoProgramaTIDIA/KyaTera(TIDIA KyaTera,2007),quetemcomo objetivoconectarlaboratóriosdepesquisaatravésdeumarededefibraóticadealtavelocidade.aredetidia/kyatera deveser usada comoplataformade testeparapesquisas em diferentes áreas,incluindomonitoramentoremotode sistemasdemanufatura. 2.Arquiteturadosistemademonitoramentoremoto Osistemademonitoramentoremotopropostodestina seaprocessarinformaçõesdamáquina ferramentacnc HermleC600UdoCCM,ITA().EssamáquinautilizaatecnologiaHSM(HighSpeedMachine)atravésdoCNC SiemensmodeloSinumerik840D,quecontrolaoscincoeixosdamáquina(X,Y,Z,AeC),alémdoeixo árvore(figura 2)emagazinedeferramentas. Figura1.MáquinaHermleC600U.

3 AnaisdoXIIIENCITA2007,ITA,Outubro,01 04,2007, Figura2.Eixosdamáquina. Oobjetivodosistemademonitoramentoremotoérealizaraaquisiçãodedadosdeprocessosemexecuçãona máquinaeadisponibilizaçãoremotadestesdados. Pararealizaraaquisiçãodedados,énecessárioentenderondeecomoérealizadooprocessamentoetransmissão dedadosdentrodamáquina.amáquinaemquestãoutilizaumarededecomunicaçãoserialproprietáriadasiemens, denominadampi.essaredeinterligaosdiversoscomponentesdamáquina,comoihm(interfacehomem Máquina), teclado,cnc(comandonuméricocomputadorizado),clp(controladorlógicoprogramável),etc.osistemade aquisiçãodeve,portanto,utilizaromesmotipodecomunicação.alémdisso,eledeveaindaestarconectadoaum computadorlocalquerealizaadisponibilizaçãodosdadosparainternet.nocasodocomputadorlocal,aconexãodo tipopciéamplamenteutilizada.apartirdestasduasrestriçõesadota secomosoluçãoparaohardwaredosistemade aquisiçãodedadosaplacapcidamarcasiemens,modelocp5611. Osdadosaseremmonitoradossão:posiçãodoseixosdamáquina,velocidadedoseixosdamáquina,eimagemda áreadetrabalho.osdoisprimeirostiposdedadossãocoletadospelaplacacp5611,conectadaàredempi,jáparaa imageméinstaladajuntoàmáquinaumawebcam. AFigura3ilustraaarquiteturautilizadanosistemadeaquisiçãodedados.Atravésdaprogramaçãodamáquina CNC,atarefadeusinageméexecutada,gerandoosmovimentosdoseixosdamáquina.Esteprocessoécontroladoe monitoradopelocnc/clp,quedisponibilizaosdadosdesejadosàplacacp5611,queporsuavezosdisponibilizaao computadorlocal. Figura3.Arquiteturadosistemadeaquisição. AaquisiçãodedadosdamáquinasomenteépossívelporqueoCNCutilizaumsistemadearquiteturaaberta,que permitequeosdadosdecnceclp(atémesmodadoson line)possamseracessadoseatémodificados(esteúltimo comalgumaslimitaçõesporquestãodesegurança)porprogramasaplicativos,atravésdebibliotecasdll(dynamic LinkingLibraries).Esteprocedimentoéilustradona. Figura4.Fluxodedadosnamáquina. Osdadostransmitidosaocomputadorlocalsãodisponibilizadosremotamenteatravésdeaplicativosdedicados.O computadorlocaléchamadodeservidor,poiscontémoaplicativoquerecebeosdadosdamáquinaeenviaparaa Internet(ProgramaServidor),disponibilizando osparaqualquerlugardomundo,atravésdoservidordeinternetlocal.

4 AnaisdoXIIIENCITA2007,ITA,Outubro,01 04,2007, Ocomputadorquerecebeosdadosremotamenteéchamadocliente,e,deacordocomaarquiteturaadotada,também deveconterumaplicativodedicado(programacliente)paraprocessamentoevisualizaçãodosdadosrecebidos.este sistemaéilustradona. Figura5.Arquiteturadosistemademonitoramentoremoto. Os dadostransmitidospelaplacacp5611devemestaremumformatoadequadoparaoprocessamentopelos programasaplicativosdosistema(programasservidorecliente).comestafinalidadeutiliza seoprotocolodde (DynamicDataExchange),queéumprotocolopadrãodetrocadedadosentreaplicaçõesWindows. ODDEéum protocolorelativamentelento,desenvolvidoparatrabalharemsistemastand alone,eposteriormentemodificadopara aplicaçõesemrede(netdde),possuindoaindavariaçõescomofastddeeadvanceddde. ParaqueosdadosdamáquinaCNCpossamserconvertidosemformatodoprotocoloDDE,énecessárioutilizar umconversornc DDE.EsteaplicativoéexecutadonoservidorjuntamentecomoProgramaServidor.Ailustraofluxo dedadosnocomputadorlocal. Figura6.Fluxodedadosnocomputadorlocal. Umavezqueosdadosdamáquinaestãodisponíveisnoformatoadequadoparaalivreutilizaçãoosmesmossão utilizadospelosprogramasservidorecliente.odesenvolvimentodestesprogramaséapresentadonapróximaseção. 3.Desenvolvimentodeaplicativodedicadoparamonitoramentoremoto Odesenvolvimentodeumaplicativodedicadoparamonitoramentoremotopodeserorganizadonasseguintes etapas: 1)Especificaçãodosrequisitos 2)Definiçãodaarquiteturadosistema 3)Familiarizaçãocomastecnologiasnecessárias 4)Elaboraçãodoaplicativo 5)ExecuçãodeTestes 3.1.Etapa1:Especificaçãodosrequisitos Estaetapaconsisteemdefinirosrecursosqueserãoincorporadosàplataformademonitoramentoremoto.Nocaso damáquinahermledoccm,sãoespecificadososseguintesrecursos: a)recursosdemanipulaçãodevídeoeimagem:osistemadevepermitirvisualizarremotamenteoprocessoatravésda transmissão da imagem captada por uma webcam via Internet. Deve ainda permitir gravar e visualizar vídeos e imagens. b) Recursosparavisualizaçãoemtemporealdevariáveisdoprocesso: visualização dovalor de uma variável do processoeconstruçãodegráficoscomevoluçãoaolongodotempo.

5 AnaisdoXIIIENCITA2007,ITA,Outubro,01 04,2007, c) Recursos de banco de dados: criação e manipulação de tabelas de dados e gráficos referentes a processos de usinagem. d)recursosdecomunicaçãoentreusuáriolocaleremoto:implementaçãodeumambientedotipo chat,paratrocade mensagensentreousuáriodocomputadorlocaleousuáriodocomputadorremoto. 3.2.Etapa2:Definiçãodaarquiteturadosistema Baseando senaestruturadosistemaenosrecursoseequipamentosdisponíveisparaaquisiçãodedados,édefinida aarquiteturadosistemaaserimplementado.nocasodosistemademonitoramentoremotodamáquinahermle,esta arquiteturaéadescritanaseção Etapa3:Familiarizaçãocomastecnologiasnecessárias Antesdaelaboraçãodoaplicativo,érecomendávelafamiliarizaçãocomastecnologiasaseremutilizadaspara implementação dos requisitos especificados na Etapa 1. No caso do sistema aqui apresentado esta familiarização constituiu sedasseguintesatividades: Estudodaslinguagensdeprogramaçãoutilizadas(CeC++); FamiliarizaçãocomoambientededesenvolvimentoBorlandC++Builder6; Pesquisa e desenvolvimento de programas de teste referentes à captura de vídeo com uma webcam e sua transmissãopelainternet; PesquisaedesenvolvimentodeprogramasdetestesobreopadrãodecomunicaçãoDDE,utilizadopeloservidor NC DDE,paraacessoaosdadoscoletadospelaplacaCP5611; Pesquisaedesenvolvimentodeprogramasdetestesobreatransmissãodemensagensdetexto; Pesquisaedesenvolvimentodosuportenecessárioparaaimplementaçãodobancodedados.Forampesquisados diversossistemasdearmazenamentoeacessoaosdadoscomoobjetivodeencontraromaisadequadoparaofim proposto.osistemaadotadoéobde(borlanddatabaseengine)umavezqueoprogramafoidesenvolvidono próprioborlandbuilder,oquefacilitaoacessoaosdados.asinformaçõessãoarmazenadasemtabelasparadox, convenientesparaguardarosdadosemquestão,alémdefazê lodeformaordenada(importanteparaaexibiçãode vídeo).aapresentaaestruturadobancodedados. Figura7.Estruturadobancodedados. 3.4.Etapa4:Elaboraçãodoaplicativo OdesenvolvimentodoprogramafoirealizadonoambientededesenvolvimentoBorlandC++Builder6.Este ambientepossuicomovantagensafacilidadedeconstruçãodeinterfacesgráficasamigáveiseagrandedisponibilidade decomponentesprontosparaimplementaçãodediversasfuncionalidades,comoporexemploatransmissãodedados porsockets. AlémdoBorlandC++,oprojetoincluiutambémodesenvolvimentodeummóduloemVisualBasic6,responsável porrealizaracomunicaçãocomaplacacp5611edisponibilizarosdadoscoletadosviadde.aadoçãodovisualbasic édevidaàmaiordisponibilidadedefunçõesnestaplataformaparaprogramaçãonopadrãodde.destaforma,ao inicializaroaplicativosãoexecutadosinternamentedoisprogramasadicionais.oprimeiroéopróprionc DDE,que coletaosdadosdaplaca.osegundoagecomoumacamadaintermediária,sendoresponsávelpordisponibilizaros dadosdemodoaserpossívelaoaplicativoobteredisponibilizarosdadosadequadamente.essessãoenviadosao computadorremotoviasockets.paraapartedebasededadosfoiutilizadoaindaoborlanddatabasedesktop. ConformedescritonaSeção2,oaplicativoécompostopeloProgramaServidorepeloProgramaCliente. Atentandoaosquesitosflexibilidadedeusoefácilacessoàsinformaçõesdesejadas,oProgramaClienteconstitui sede umainterfaceprincipal,comovídeodoprocessodeusinagemealgumasinformaçõesacercadoprocessoobtidasda

6 AnaisdoXIIIENCITA2007,ITA,Outubro,01 04,2007, máquina.sãotambémdisponibilizadasfunçõesparacapturadeframes,vídeoecomunicaçãopormensagemdetexto, alémdegráficosdasvariáveisdesejadas,emfunçãodotempooudeoutrosparâmetrosconfiguráveis. Janelassecundáriassãousadasparaconfiguraçãodoprogramaefornecimentodeoutrasinformações.OPrograma Servidorinclui,alémdasfuncionalidadesdoProgramaCliente,umapréviadovídeoqueserávisualizadopelocliente, implementadaporsucessivastransmissõesdequadros. A Janelas secundárias são usadas para configuração do programa e fornecimento de outras informações. O ProgramaServidorinclui,alémdasfuncionalidadesdoProgramaCliente,umapréviadovídeoqueserávisualizado pelocliente,implementadaporsucessivastransmissõesdequadros.ilustraainterfaceprincipaldoprogramaservidor,e afig.8,adocliente. Alémdainterfaceprincipalexistetambémumajaneladeopções,naqualsãoespecificadoso hardwareutilizado paraacapturadevídeoeoendereçoipdocomputadorcomoqualéfeitaacomunicação.osrecursosimplementados incluemtambémumvisualizadordefotostiradasdoprocessodeusinagem,eumvisualizadordevídeosgravados. Alémdisso,permiteconstruirgráficosdosdadoscoletados,comoporexemploevoluçãonotempodavelocidadede rotaçãodaferramenta. Figura8.InterfacedoProgramaServidor.

7 AnaisdoXIIIENCITA2007,ITA,Outubro,01 04,2007, Figura8.InterfacedoProgramaCliente. Noqueserefereaobancodedados,oaplicativopermiteumsofisticadocontrolesobreastabelas,podendo,além demanipulaçõesconvencionais,criartabelaspersonalizadasdeacordocomasnecessidadesdecadaprocesso.esta configuraçãopodeserrealizadaacadanovoprocessodeusinagem.tambémépossívelvisualizartabelasgeradaspor outrosprogramasquesejamcompatíveiscomosistemadetabelasparadox. 3.5.Etapa5:Testes Asdiversasfuncionalidadesdoaplicativoforamtestadasinicialmentedeformaisolada.Numasegundaetapa foramrealizadostestesintegradosdosdiversosmódulosdoaplicativo. Aseqüênciadetestesrealizadosfoi: Testedovídeo:consistiunacapturadevídeodeuma webcam etransmissãodevídeopelainternet,utilizando sockets.cadaframecapturadopelacâmeraétransmitidoporumasequênciadeblocosdeinformação,que,caso nãohajaerronatransmissão,sãoreunidosnoprogramaclienteparaformaraimagem.oservidorenviaumsinala cada início de frame, para orientar o cliente na composição dos frames. Neste caso foi possível verificar o desempenho do sistema quanto a atrasos de tempo na transmissão e problemas relacionados ao bloqueio momentâneodaimagem. Testedochat:consistiunoenviodemensagensdetextoporsockets. Testedacomunicaçãoaplicativo máquina:foidivididaemdiversasetapas.inicialmentefoitestadaacomunicação doaplicativoemdesenvolvimentocomomicrosoftexcel, comoobjetivoverificarasrotinasdde.foram também analisadas as rotinas para construção de gráficos. Em seguida testou se a comunicação aplicativo NCDDE. Testedobancodedados:primeiramenteutilizou seodatabasedesktopparaconstruçãomanualdetabelasaserem lidaspeloaplicativo.emseguidatestou seacriaçãoautomáticadetabelassemodatabasedesktop.finalmente, foramfeitostestesdamanipulaçãodedados,incluindoaconstruçãodosgráficos.

8 AnaisdoXIIIENCITA2007,ITA,Outubro,01 04,2007, 4.Conclusão Este artigo discute o conceito de e manufacturing e apresenta o desenvolvimento de um aplicativo para monitoramento remoto de processos de manufatura. Além da transmissão de dados do processo, o aplicativo desenvolvidoapresentarecursosparatransmissãodevídeo,manipulaçãodebancodedadoseconstruçãodegráficos. A solução proposta pode ser utilizada para o acompanhamento remoto de experimentos assim como para finalidadesdidáticas. Oaplicativodesenvolvidoéparcialmenteindependentedatecnologiadamáquina.Enquantoqueacomunicação comamáquinacnc,nestecasorealizadapelaplacacp5611,éumasoluçãoespecíficaparaocontrolesiemens,o restantedaarquiteturaespecificadaeoaplicativodesenvolvidopodemserutilizadosemqualquersistema.nestecaso,o únicorequisitoéodesenvolvimentodoconversornc DDEparaofornecimentodosdadosnopadrãousadopelo aplicativo. Algunsdostestesdefuncionalidadesforamrealizadosexaustivamenteatéobteremêxito;astransmissõesdevídeo ededadosdamáquina ferramentaparaoaplicativopodemsercitadoscomoexemplo.quantoàslimitaçõesdoprojeto, pode secitarafaltadeumabaseteóricainicial embasededados eengenhariadesoftware,oqueaperfeiçoaria consideravelmenteoprojeto. 5.Agradecimentos Osautoresagradecemoapoiofinanceirodasseguintesentidades:FAPESP,CNPqeCAPES. 6.Referências Adamczyk,Z.,Jonczyk,D.,Kociolek,K.(2003). AnewapproachtoaCAD/CAMsystemasapartofdistributed environment,journalofmaterialsprocessingtechnology133(2003):7 12. Hao,Q.,Shen,W.,Wang,L.(2005). Towardsacooperativedistributedmanufacturingmanagementframework, ComputersinIndustry56(2005): Kimura,T.,Kanda,Y.(2005) Developmentofaremotemonitoringsystemforamanufacturingsupportsystemfor smallandmedium sizedenterprises,computerinindustry56(2005):3 12. Lee, J. (2003). E manufacturing f undamental, tools, and transformation, Robotics and Computer Integrated Manufacturing,19(2003): TIDIA KyaTera(2007).AdvancedInternetProgram,FAPESP,Brasil. 06/07). Wang,C,etal. ImplementationofremoterobotmanufacturingoverInternet.ComputersinIndustry45(2001): Wang, L., Orban, P., Cunningham, A., Lang, S. (2004) Remote real time CNC machining for web based manufacturing,roboticsandcomputer IntegratedManufacturing20(2004): Yeung,K.,Huang,J.(2003). Developmentofaremote acceslaboratory:adcmotorcontrolexperiment.computers inindustry52(2003):

MONITORAMENTO REMOTO DE PROCESSOS DE USINAGEM UTILIZANDO TECNOLOGIA STREAMING PARA ENVIO DE ÁUDIO E VÍDEO ATRAVÉS DA INTERNET

MONITORAMENTO REMOTO DE PROCESSOS DE USINAGEM UTILIZANDO TECNOLOGIA STREAMING PARA ENVIO DE ÁUDIO E VÍDEO ATRAVÉS DA INTERNET XIV CONGRESSO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA MECÂNICA Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Engenharia Mecânica MONITORAMENTO REMOTO DE PROCESSOS DE USINAGEM UTILIZANDO TECNOLOGIA STREAMING

Leia mais

COMANDO REMOTO DE ROBÔS INDUSTRIAIS

COMANDO REMOTO DE ROBÔS INDUSTRIAIS Anais do 14 O Encontro de Iniciação Científica e Pós-Graduação do ITA XIV ENCITA / 2008 Instituto Tecnológico de Aeronáutica São José dos Campos SP Brasil Outubro 20 a 23 2008. COMANDO REMOTO DE ROBÔS

Leia mais

gladiador INTERNET CONTROLADA

gladiador INTERNET CONTROLADA gladiador INTERNET CONTROLADA funcionalidades do sistema gladiador sistema Gerenciamento de usuários, gerenciamento de discos, data e hora do sistema, backup gladiador. Estações de Trabalho Mapeamento

Leia mais

Capítulo 5 INTERNET E NOVAS TECNOLOGIAS

Capítulo 5 INTERNET E NOVAS TECNOLOGIAS Capítulo 5 INTERNET E NOVAS TECNOLOGIAS 5.1 - GEOPROCESSAMENTO E INTERNET...2 5.2 - BIBLIOTECAS DIGITAIS...4 5.2.1 - Introdução...4 5.2.2 - Natureza dos Dados Geográficos...4 5.2.3 - Apresentação dos Dados...5

Leia mais

16 Congresso de Iniciação Científica DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA PARA MONITORAMENTO DE DADOS EM HSM (HIGH SPEED MACHINING)

16 Congresso de Iniciação Científica DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA PARA MONITORAMENTO DE DADOS EM HSM (HIGH SPEED MACHINING) 16 Congresso de Iniciação Científica DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA PARA MONITORAMENTO DE DADOS EM HSM (HIGH SPEED MACHINING) Autor(es) OLIVEIRO LEUTWILER NETO Orientador(es) KLAUS SCHüTZER Apoio Financeiro

Leia mais

Manual de Instalação Token Alladin SafeNetAuthentication Cliente 8.0 SP2 (x32 e x64)

Manual de Instalação Token Alladin SafeNetAuthentication Cliente 8.0 SP2 (x32 e x64) Manual de Instalação Token Alladin SafeNetAuthentication Cliente 8.0 SP2 (x32 e x64) - Todo o arquivo que você vai precisar para a instalação do Token pode ser baixado da nossa página na web acessando

Leia mais

PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE MONITORAÇÃO UTILIZANDO CIRCUITO FECHADO DE TELEVISÃO (CFTV)

PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE MONITORAÇÃO UTILIZANDO CIRCUITO FECHADO DE TELEVISÃO (CFTV) UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE MONITORAÇÃO UTILIZANDO CIRCUITO FECHADO DE TELEVISÃO (CFTV) EDERSON JOSÉ PROF. DALTON SOLANO DOS REIS, Orientador

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Cluster, Grid e computação em nuvem Slide 8 Nielsen C. Damasceno Introdução Inicialmente, os ambientes distribuídos eram formados através de um cluster. Com o avanço das tecnologias

Leia mais

SMART Sync 2010 Guia prático

SMART Sync 2010 Guia prático SMART Sync 2010 Guia prático Simplificando o extraordinário Registro do produto Se você registrar o seu produto SMART, receberá notificações sobre novos recursos e atualizações de software. Registre-se

Leia mais

Visão geral do software

Visão geral do software Software fornecido no CD do Distribuidor de documentos Lexmark : Utilitário ScanBack Lexmark Um Assistente baseado no Windows utilizado para digitalizar um documento para um computador. Permite que os

Leia mais

Acesso Remoto Intelbras Internet Explorer

Acesso Remoto Intelbras Internet Explorer Acesso Remoto Intelbras Internet Explorer 1. Abra o navegador de Internet e insira o endereço do DVR na linha Endereço. Por exemplo, se o IP do seu DVR for 10.10.10.1 e a porta HTTP for 8080, digite http://10.10.10.1:8080

Leia mais

PHC dcontroldoc. O acesso a diversos tipos de ficheiros

PHC dcontroldoc. O acesso a diversos tipos de ficheiros PHC dcontroldoc O acesso a diversos tipos de ficheiros A possibilidade de consultar e introduzir documentos, imagens e outro tipo de ficheiros, a partir de um local com acesso à Internet. BUSINESS AT SPEED

Leia mais

WHITEPAPER. Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital

WHITEPAPER. Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital WHITEPAPER Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital Câmera IP ou câmera analógica? Se você está em dúvida sobre a aquisição de uma solução analógica

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a MonkeyJam M a

Leia mais

Simplificando a TECNOLOGIA

Simplificando a TECNOLOGIA 3 Simplificando a TECNOLOGIA SEGURANÇA DESENVOLVIMENTO BANCO DE DADOS S O L U Ç Õ ES E M T E C N O L O G I A MISSÃO VISÃO Contribuir com o sucesso dos Clientes através da Ser a melhor provedora de Soluções

Leia mais

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:48 Leite Júnior

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:48 Leite Júnior ÍNDICE MICROSOFT INTERNET EXPLORER 6 SP2 (IE6 SP2)...2 JANELA PRINCIPAL...2 PARTES DA JANELA...2 OS MENUS DO IE6...3 MENU ARQUIVO...3 MENU EDITAR...3 MENU EXIBIR...3 MENU FAVORITOS...4 MENU FERRAMENTAS...4

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT Estudo sobre a integração de ferramentas digitais no currículo da disciplina de Educação Visual e Tecnológica PILOT Handwriting Manual e Guia de exploração do PILOT Handwriting para utilização em contexto

Leia mais

CORPVS SEGURANÇA SETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

CORPVS SEGURANÇA SETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CORPVS SEGURANÇA SETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ACESSO GLPI ABERTURA E ACOMPANHAMENTO DE CHAMADOS NO SERVICE DESK DATA: 1 0 /0 9 /201 5 VERSÃO: 1.0 AUTOR: Italo Rocha APROVADOR: Raphael Dantas Introdução

Leia mais

GERENCIADOR ELETRÔNICO

GERENCIADOR ELETRÔNICO MANUAL DO USUÁRIO GERENCIADOR ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS Sumário Menu Arquivos Empresas Usuárias... 04 Ativar Empresas... 04 Cadastro (Assunto/Documento)... 05 Sair... 07 Menu Digitalização Normal... 08

Leia mais

Uma Proposta de Framework de Comparação de Provedores de Computação em Nuvem

Uma Proposta de Framework de Comparação de Provedores de Computação em Nuvem Uma Proposta de Framework de Comparação de Provedores de Computação em Nuvem Igor G. Haugg Bolsista PIBITI/CNPq Orientador: Dr. Rafael Z. Frantz Área de Pesquisa Integração de Aplicações Empresariais Computação

Leia mais

Gravação e Transmissão

Gravação e Transmissão O D-Guard Center é um poderoso sistema de controle e monitoramento, integrado aos mais diversos equipamentos de segurança eletrônica. Ilimitados dispositivos podem ser controlados e monitorados simultaneamente:

Leia mais

Procedimentos e Recursos Técnicos

Procedimentos e Recursos Técnicos Procedimentos e Recursos Técnicos Procedimentos e Recursos Técnicos Aprenderemos neste Curso Web alguns procedimentos e recursos técnicos utilizados Para realizar a configuração de sistemas de CFTV. Configurar

Leia mais

Servidor de Dados. Sistemas de Informação Módulo 4

Servidor de Dados. Sistemas de Informação Módulo 4 Servidor de Dados Sistemas de Informação Módulo 4 Módulo 4 Arquitectura Cliente/Servidor Administração de um Servidor/Base de Dados Conteúdos do Módulo 4 Conceitos Gerais sobre a arquitectura Cliente/Servidor;

Leia mais

ANALISE DE SISTEMAS. Gabriela Trevisan

ANALISE DE SISTEMAS. Gabriela Trevisan ANALISE DE SISTEMAS Gabriela Trevisan O que é o Analista? Estuda processos a fim de encontrar o melhor caminho racional para que a informação possa ser processada. Estuda os diversos sistemas existentes

Leia mais

Criação de páginas web

Criação de páginas web Criação de páginas web Alojamento web 1 Browsers Para aceder e/ou navegar a um site é necessário um programa (software) específico Este tipo de programa chama-se Browser (Navegador) Existem vários disponíveis

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 04 Conceito Sistema de Informação é uma série de elementos ou componentes inter-relacionados que coletam (entrada), manipulam e armazenam (processo),

Leia mais

7 DIFERENÇAS ENTRE PABX e PABX IP. Comparativo de recursos e benefícios telefônicos para sua empresa

7 DIFERENÇAS ENTRE PABX e PABX IP. Comparativo de recursos e benefícios telefônicos para sua empresa 7 DIFERENÇAS ENTRE PABX e PABX IP Comparativo de recursos e benefícios telefônicos para sua empresa ÍNDICE Definição de PABX e PABX-IP 1ª - Gravação de Chamadas 2ª - URA 3ª - Fila de Atendimento 4ª - Ramal

Leia mais

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador Microsoft Internet Explorer Browser/navegador/paginador Browser (Navegador) É um programa que habilita seus usuários a interagir com documentos HTML hospedados em um servidor web. São programas para navegar.

Leia mais

Serviços Remotos Xerox Um passo na direção certa

Serviços Remotos Xerox Um passo na direção certa Serviços Remotos Xerox Um passo na direção certa Diagnóstico de problemas Avaliação dos dados da máquina Pesquisa de defeitos Segurança garantida do cliente 701P41699 Visão geral dos Serviços Remotos Sobre

Leia mais

Manual de instalação, configuração e utilização do Enviador XML

Manual de instalação, configuração e utilização do Enviador XML Manual de instalação, configuração e utilização do Enviador XML 1. Conceitos e termos importantes XML Empresarial: é um sistema web (roda em um servidor remoto) de armazenamento e distribuição de documentos

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

Histórico da Revisão. Versão Descrição Autor. 1.0 Versão Inicial

Histórico da Revisão. Versão Descrição Autor. 1.0 Versão Inicial 1 of 14 27/01/2014 17:33 Sistema de Paginação de Esportes Universitários Documento de Arquitetura de Software Versão 1.0 Histórico da Revisão Data 30 de novembro de 1999 Versão Descrição Autor 1.0 Versão

Leia mais

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/lista-de-cursos.html

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/lista-de-cursos.html www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/lista-de-cursos.html Lista de cursos Atualmente, do total de cursos a distância ofertados

Leia mais

ESCOLA BÁSICA 2 / 3 DE MARTIM DE FREITAS Informática - Ano letivo de 2013 / 2014

ESCOLA BÁSICA 2 / 3 DE MARTIM DE FREITAS Informática - Ano letivo de 2013 / 2014 Objetivos Tratamento de Imagem Conhecer as potencialidades dos programas de tratamento de imagem nas suas múltiplas funções. Criar, editar e retocar imagens, utilizando software de edição de imagem. Usar

Leia mais

Versão 1.1 (08/2012)

Versão 1.1 (08/2012) Versão 1.1 (08/2012) Sumário Configurações do Navegador... 2 Qual a finalidade da configuração do Navegador?... 2 Como configurar o Navegador?... 2 Exclusão de Cookies... 5 O que são Cookies?... 5 Qual

Leia mais

Controle de robôs industriais via Labview

Controle de robôs industriais via Labview Leonel Lopes Lima Neto Instituto Tecnológico de Aeronáutica Rua H20B, casa, nº 114, Campus do CTA São José dos Campos São Paulo 12.228-460 Bolsista PIBIC-CNPq leonel@aluno.ita.br Emilia Villani Instituto

Leia mais

Especificação técnica do Video Wall do Tipo I (5m²)

Especificação técnica do Video Wall do Tipo I (5m²) Especificação técnica do Video Wall do Tipo I (5m²) 1. Esta Especificação destina-se a orientar as linhas gerais para o fornecimento de equipamentos. Devido às especificidades de cada central e de cada

Leia mais

Segurança na Rede Local Redes de Computadores

Segurança na Rede Local Redes de Computadores Ciência da Computação Segurança na Rede Local Redes de Computadores Disciplina de Desenvolvimento de Sotware para Web Professor: Danilo Vido Leonardo Siqueira 20130474 São Paulo 2011 Sumário 1.Introdução...3

Leia mais

Sumário. Exclusão de Cookies... 2 O que são Cookies?... 2. Qual a Finalidade de um Cookie?... 2. Por que Excluir um Cookie?... 2

Sumário. Exclusão de Cookies... 2 O que são Cookies?... 2. Qual a Finalidade de um Cookie?... 2. Por que Excluir um Cookie?... 2 Sumário Exclusão de Cookies... 2 O que são Cookies?... 2 Qual a Finalidade de um Cookie?... 2 Por que Excluir um Cookie?... 2 Como excluir um Cookie?... 2 Configurações do Navegador... 6 Qual a finalidade

Leia mais

Versão Portuguesa. Introdução. Conteúdo da embalagem. Importante! WC050 Sweex Webcam 1.3 Megapixel USB 2.0

Versão Portuguesa. Introdução. Conteúdo da embalagem. Importante! WC050 Sweex Webcam 1.3 Megapixel USB 2.0 WC050 Sweex Webcam 1.3 Megapixel USB 2.0 Introdução Gostaríamos de agradecer o facto de ter adquirido a Sweex Webcam 1.3 Megapixel USB 2.0. Com esta webcam poderá, de uma forma fácil, conversar com todos

Leia mais

8 Características do Windows 8

8 Características do Windows 8 970 8 Características do Windows 8 Windows 8 O Windows reinventado Start screen mais rápido, intuitivo, fluido e de personalização fácil permite acesso rápido e instantâneo aos contactos, aplicações, redes

Leia mais

Configurando DDNS no Stand Alone

Configurando DDNS no Stand Alone Configurando DDNS no Stand Alone Abra o seu navegador de internet e acesse o endereço http://www.advr.com.tw(ou, http://59.124.143.151 ). Clique em Register para efetuar o cadastro de um novo grupo.(foto

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

Configurações Internet Explorer 07 Para uma boa navegação no sistema GissOnline siga as configurações básicas, descritas abaixo. Exclusão de Cookies

Configurações Internet Explorer 07 Para uma boa navegação no sistema GissOnline siga as configurações básicas, descritas abaixo. Exclusão de Cookies Sumário Exclusão de Cookies... 2 O que são Cookies?... 2 Qual a Finalidade de um Cookie?... 2 Por que Excluir um Cookie?... 2 Como excluir um Cookie?... 2 Configurações do Navegador... 7 Qual a finalidade

Leia mais

Manual do usuário. isic 5 - Android

Manual do usuário. isic 5 - Android Manual do usuário isic 5 - Android isic 5 - Android Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O novo aplicativo Intelbras isic 5 possui tecnologia capaz de visualizar

Leia mais

Copyri g h t 2013 OSIso f t, LLC.

Copyri g h t 2013 OSIso f t, LLC. Gerando e compartilhando idéias em toda empresa, de qualquer lugar Apresentação: Paula Reichert; Renato dos Reis Um estudo recente do MIT mostrou que empresas que tomam decisões baseadas em dados atingiram

Leia mais

Avaliação de dependabilidade em infraestruturas Eucalyptus geograficamente distribuídas

Avaliação de dependabilidade em infraestruturas Eucalyptus geograficamente distribuídas Avaliação de dependabilidade em infraestruturas Eucalyptus geograficamente distribuídas Jonathan Brilhante(jlgapb@cin.ufpe), Bruno Silva(bs@cin.ufpe) e Paulo Maciel(prmm@cin.ufpe) Agenda 1. 2. 3. 4. 5.

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS

CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS Servidor: O servidor é todo computador no qual um banco de dados ou um programa (aplicação) está instalado e será COMPARTILHADO para outros computadores,

Leia mais

Segundo Pré-teste. Data de realização. 18 de Novembro de 2007. Local.

Segundo Pré-teste. Data de realização. 18 de Novembro de 2007. Local. Segundo Pré-teste Data de realização. 18 de Novembro de 2007. Local. Duas salas de aula da Pós-graduação do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da EESC/USP. Duração: 4 horas. Dos objetivos. Envolveu

Leia mais

CONSULTORIA E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA

CONSULTORIA E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA CONSULTORIA E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA Quem Somos A Vital T.I surgiu com apenas um propósito: atender com dedicação nossos clientes. Para nós, cada cliente é especial e procuramos entender toda a dinâmica

Leia mais

Direcção Regional de Educação do Algarve

Direcção Regional de Educação do Algarve MÓDULO 1 Folha de Cálculo 1. Introdução à folha de cálculo 1.1. Personalização da folha de cálculo 1.2. Estrutura geral de uma folha de cálculo 1.3. O ambiente de da folha de cálculo 2. Criação de uma

Leia mais

Planejando uma política de segurança da informação

Planejando uma política de segurança da informação Planejando uma política de segurança da informação Para que se possa planejar uma política de segurança da informação em uma empresa é necessário levantar os Riscos, as Ameaças e as Vulnerabilidades de

Leia mais

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 Pela grande necessidade de controlar a internet de diversos clientes, a NSC Soluções em Informática desenvolveu um novo produto capaz de gerenciar todos os recursos

Leia mais

NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS

NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS Guia rápido de usuário (Versão 3.0.4) Nota: Esse manual pode descrever os detalhes técnicos incorretamente e pode ter erros de impressão. Se você tiver algum

Leia mais

Software SMART Sync 2011

Software SMART Sync 2011 Comparação Software SMART Sync 2011 O SMART Sync classroom management software permite que professores observem e guiem alunos em seus computadores. Uma sala de aula com vários contém usuários do e do

Leia mais

CESAR Pc Ao Vivo. Versão 1.0 30 de Julho de 2004. Copyright 2004 by CESAR

CESAR Pc Ao Vivo. Versão 1.0 30 de Julho de 2004. Copyright 2004 by CESAR 0 CESAR Pc Ao Vivo SOFTWARE DESCRIPTION Versão.0 0 de Julho de 00 0 Copyright 00 by CESAR _ CESAR Pc Ao Vivo Software Description, Versão.0 0 de Julho de 00 HISTÓRICO DE REVISÕES Versão Data Nome Modificação

Leia mais

UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA. Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu. Mestrado Profissional em Educação Matemática WENDEL DE OLIVEIRA SILVA

UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA. Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu. Mestrado Profissional em Educação Matemática WENDEL DE OLIVEIRA SILVA UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado Profissional em Educação Matemática WENDEL DE OLIVEIRA SILVA KIT VIRTUAL DE APOIO (KVA) Vassouras 2011 WENDEL DE OLIVEIRA SILVA

Leia mais

Daniel Gondim. Informática

Daniel Gondim. Informática Daniel Gondim Informática Microsoft Windows Sistema Operacional criado pela Microsoft, empresa fundada por Bill Gates e Paul Allen. Sistema Operacional Programa ou um conjunto de programas cuja função

Leia mais

Aplicações de Escritório Electrónico

Aplicações de Escritório Electrónico Universidade de Aveiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Curso de Especialização Tecnológica em Práticas Administrativas e Tradução Aplicações de Escritório Electrónico Folha de trabalho

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Imagem via Celular (isic) baseado no sistema operacional Symbian

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Imagem via Celular (isic) baseado no sistema operacional Symbian MANUAL DO USUÁRIO Software de Imagem via Celular (isic) baseado no sistema operacional Symbian Software de Imagem via Celular (isic) baseado no sistema operacional Symbian Esse software possui tecnologia

Leia mais

OFICINA USO DO I3GEO. Levindo Cardoso Medeiros. levindocm@gmail.com

OFICINA USO DO I3GEO. Levindo Cardoso Medeiros. levindocm@gmail.com OFICINA USO DO I3GEO Levindo Cardoso Medeiros levindocm@gmail.com ESTRUTURA INTRODUÇÃO UTILIZANDO O I3GEO Aprendendo a navegar pelo I3Geo Propriedades do mapa ADICIONANDO E MANIPULANDO CAMADAS Adicionando

Leia mais

Group Policy (política de grupo)

Group Policy (política de grupo) Group Policy (política de grupo) Visão Geral As Diretiva de Grupo no Active Directory servem para: Centralizar o controle de usuários e computadores em uma empresa É possível centralizar políticas para

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC 10º C. Planificação de. Curso Profissional de Técnico de Secretariado

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC 10º C. Planificação de. Curso Profissional de Técnico de Secretariado Escola Básica e Secundária de Velas Planificação de TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC Curso Profissional de Técnico de Secretariado 10º C MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO Microsoft Excel Conteúdos

Leia mais

SISTEMA DE MONITORAMENTO DE CONDIÇÕES CLIMÁTICAS

SISTEMA DE MONITORAMENTO DE CONDIÇÕES CLIMÁTICAS SISTEMA DE MONITORAMENTO DE CONDIÇÕES CLIMÁTICAS SUMÁRIO 1 Introdução...5 2 Sistema de monitoramento climático Ressonare...7 2.1 A rede de monitoramento...8 2.2 A coleta, o armazenamento e o acesso aos

Leia mais

A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados, entre si, através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação

A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados, entre si, através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados, entre si, através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação privadas, satélites e outros serviços de telecomunicação. Hardware

Leia mais

Escola Secundária de Camarate

Escola Secundária de Camarate Escola Secundária de Camarate Ano Lectivo 2014/2015 Planificação da Disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde e Técnico de Restauração e Bar

Leia mais

Guia Rápido de Vodafone Conferencing

Guia Rápido de Vodafone Conferencing Guia de Utilizador Vodafone Guia Rápido de Vodafone Conferencing O seu pequeno manual para criar, participar e realizar reuniões de Vodafone Conferencing. Vodafone Conferencing Visão geral O que é uma

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões Prof. MSc. Hugo Souza Se você precisar manter informações sobre seus usuários enquanto eles navegam pelo seu site, ou até quando eles saem

Leia mais

ROTEIRO PARA CONFIGURAÇÃO DO AMBIENTE PARA ACESSO AO PERSUS MÓDULO DE GESTÃO DE CONTAS E PROTOCOLO DE IMPUGNAÇÕES E RECURSOS ANS Agência Nacional de

ROTEIRO PARA CONFIGURAÇÃO DO AMBIENTE PARA ACESSO AO PERSUS MÓDULO DE GESTÃO DE CONTAS E PROTOCOLO DE IMPUGNAÇÕES E RECURSOS ANS Agência Nacional de ROTEIRO PARA CONFIGURAÇÃO DO AMBIENTE PARA ACESSO AO PERSUS MÓDULO DE GESTÃO DE CONTAS E PROTOCOLO DE IMPUGNAÇÕES E RECURSOS ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar ROTEIRO PARA CONFIGURAÇÃO DO AMBIENTE

Leia mais

Tecnologias CAx na Manufatura. Valter Vander de Oliveira Disciplina: Sistemas Industriais

Tecnologias CAx na Manufatura. Valter Vander de Oliveira Disciplina: Sistemas Industriais Tecnologias CAx na Manufatura Valter Vander de Oliveira Disciplina: Sistemas Industriais Tecnologias CAx Conteúdo: Conceito de tecnologia CAx Evolução das tecnologias CAx Sistemas CAD/CAE/CAPP/CAM/CAI

Leia mais

Manual Software CMS. Introdução:

Manual Software CMS. Introdução: Introdução: O CMS é uma central de gerenciamento de DVRs, é responsável por integrar imagens de DVRs distintos, com ele é possível realizar comunicação bidirecional, vídeo conferência, função mapa eletrônico

Leia mais

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO O controlador CDE4000 é um equipamento para controle de demanda e fator de potência. Este controle é feito em sincronismo com a medição da concessionária, através dos dados

Leia mais

Visão geral do printeract, Serviços Remotos Xerox

Visão geral do printeract, Serviços Remotos Xerox Visão geral do printeract, Serviços Remotos Xerox 701P28680 Visão geral do printeract, Serviços Remotos Xerox Um passo na direção certa Diagnósticos de problemas Avaliação dos dados da máquina Pesquisa

Leia mais

Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center

Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center Versão: 5.2 PDF-ACCGATEWAY5-B-Rev1_PT 2013 2014 Avigilon Corporation. Todos os direitos reservados. A menos que expressamente concedida por escrito,

Leia mais

TUTORIAL VMWARE WORKSTATION 8. Aprenda a instalar e configurar corretamente uma máquina virtual utilizando VMware Workstation com este tutorial

TUTORIAL VMWARE WORKSTATION 8. Aprenda a instalar e configurar corretamente uma máquina virtual utilizando VMware Workstation com este tutorial TUTORIAL VMWARE WORKSTATION 8 Aprenda a instalar e configurar corretamente uma máquina virtual utilizando VMware Workstation com este tutorial INTRODUÇÃO O uso de máquinas virtuais pode ser adequado tanto

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS (GRUPO INFORMÁTICA) Ano Letivo de 2014/2015 MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS (GRUPO INFORMÁTICA) Ano Letivo de 2014/2015 MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO Ensino Regular Diurno Disciplina: T.I.C. Professores: Margarida Afonso Curso Profissional - Técnico de Auxiliar de Saúde Ano: 10.º Turma(s): TAS MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO OBJECTIVOS Indicar as principais

Leia mais

DistribuiçãoGNU/Linuxdo. Governo do Estado desanta Catarina

DistribuiçãoGNU/Linuxdo. Governo do Estado desanta Catarina DistribuiçãoGNU/Linuxdo Governodo Estado de Santa Catarina Manual 01 Usuário Básico Dezembrode 2003 Introdução O YARA/GNU LINUX, é uma distribuição customizada pelo Centro de Automação de Santa Catarina

Leia mais

PHC ControlDoc CS. A gestão documental da empresa ou organização

PHC ControlDoc CS. A gestão documental da empresa ou organização PHC ControlDoc CS A gestão documental da empresa ou organização O arquivo digital de todo o tipo de ficheiros (imagens, word, excel, pdf, etc.) e a possibilidade de os relacionar com os dados existentes

Leia mais

Solução de Call Center

Solução de Call Center Solução de Call Center Tk-Atende v1.0 O Software de Call Center Tk-Atende v1.0 Call Center Gerenciador de Chamadas Software cujo conceito visa a excelência no gerenciamento e monitoria de chamadas telefônicas

Leia mais

ANO LECTIVO 2011-12 OFICINAS PRÉ-ESCOLAR E 1º CICLO 2º CICLO 3º CICLO SECUNDÁRIO NOVAS OPORTUNIDADES

ANO LECTIVO 2011-12 OFICINAS PRÉ-ESCOLAR E 1º CICLO 2º CICLO 3º CICLO SECUNDÁRIO NOVAS OPORTUNIDADES ANO LECTIVO 2011-12 PRÉ-ESCOLAR E 1º CICLO 2º CICLO 3º CICLO SECUNDÁRIO NOVAS OPORTUNIDADES 1 PRÉ-ESCOLAR E 1º CICLO Imagem Animada Nesta oficina os alunos desvendam os mistérios inerentes à ilusão óptica

Leia mais

IP Camera Tutorial. CNet Technology Jan 2008

IP Camera Tutorial. CNet Technology Jan 2008 IP Camera Tutorial CNet Technology Jan 2008 O que é Câmera IP? Camera IP é a combinação entre câmera e computador. As câmeras podem ser conectadas diretamente na sua rede. Ela possui internamente software

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN José Agostinho Petry Filho 1 ; Rodrigo de Moraes 2 ; Silvio Regis da Silva Junior 3 ; Yuri Jean Fabris 4 ; Fernando Augusto

Leia mais

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA Service Desk Sumário Apresentação O que é o Service Desk? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial

Leia mais

Administração de Redes Redes e Sub-redes

Administração de Redes Redes e Sub-redes 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administração de Redes Redes e Sub-redes Prof.

Leia mais

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL Documento: Tutorial Autor: Iuri Sonego Cardoso Data: 27/05/2005 E-mail: iuri@scripthome.cjb.net Home Page: http://www.scripthome.cjb.net ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

Leia mais

MBA Inteligência Competitiva Com ênfase em BI/CPM. Metadados

MBA Inteligência Competitiva Com ênfase em BI/CPM. Metadados MBA Inteligência Competitiva BI/CPM 1 Data Warehousing PÓS-GRADUAÇÃO MBA Inteligência Competitiva Com ênfase em BI/CPM Metadados Andréa Cristina Montefusco (36927) Hermes Abreu Mattos (36768) Robson Pereira

Leia mais

Mais recursos para professores. Maior controle para TI.

Mais recursos para professores. Maior controle para TI. Acronus System Mais recursos para professores. Maior controle para TI. Características do produto Controle de hardware Permite desligar a internet, pen drive, teclado, mouse e monitor. Transferência de

Leia mais

Para participar de um mapa colaborativo usando o Cmap Tools

Para participar de um mapa colaborativo usando o Cmap Tools Antes de trabalhar num mapa colaborativo, você deve instalar o software no seu computador. Pegue a sua cópia, gratuita, em http://cmap.ihmc.us/download/. Veja a versão compatível com o seu computador.

Leia mais

A ferramenta que você necessitava para seu Buffet Infantil.

A ferramenta que você necessitava para seu Buffet Infantil. A ferramenta que você necessitava para seu Buffet Infantil. O SeuBuffet é um software que foi criado para facilitar e gerenciar a contratação dos serviços de buffets infantis. O Software surgiu da parceria

Leia mais

Digitalização para PC

Digitalização para PC 1 Criarumperfildedigitalização... 2 Usar o utilitário ScanBack....................... 2 UseaspáginasdaWebnoMarkNet... 4 Personalizar configurações de parapc... 7 Criar um perfil de digitalização parapc

Leia mais

Esclarecimento: Não, a operação de matching ocorre no lado cliente da solução, de forma distribuída.

Esclarecimento: Não, a operação de matching ocorre no lado cliente da solução, de forma distribuída. 1 Dúvida: - Em relação ao item 1.2 da Seção 2 - Requisitos funcionais, entendemos que a solução proposta poderá funcionar em uma arquitetura Web e que na parte cliente estará apenas o componente de captura

Leia mais

Série ArcGIS Online I. Aprenda em 20. Módulo 5. Crie um App. www.academiagis.com.br

Série ArcGIS Online I. Aprenda em 20. Módulo 5. Crie um App. www.academiagis.com.br Série ArcGIS Online I Aprenda em 20 Módulo 5 Crie um App Junho/2015 academiagis@img.com.br www.academiagis.com.br 1 Crie um App Você pode adicionar mais valor para o mapa que criou no módulo anterior,

Leia mais

Manual do usuário. isic 5 - Android

Manual do usuário. isic 5 - Android Manual do usuário isic 5 - Android isic 5 - Android Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O novo aplicativo Intelbras isic 5 possui tecnologia capaz de visualizar

Leia mais

Guia de instalação SafeSign 3.0.11 e leitora Omnikey Cardman 3x21 para Windows Vista 32 bits Certificado Digital

Guia de instalação SafeSign 3.0.11 e leitora Omnikey Cardman 3x21 para Windows Vista 32 bits Certificado Digital Guia de instalação SafeSign 3.0.11 e leitora Omnikey Cardman 3x21 para Windows Vista 32 bits Certificado Digital Contato: certificacaodigital@aasp.org.br Telefone: 55 11 3291 9200 2 Guia de instalação

Leia mais

Aula: BrOffice Impress primeira parte

Aula: BrOffice Impress primeira parte Aula: BrOffice Impress primeira parte Objetivos Conhecer as características de um software de apresentação; Saber criar uma apresentação rápida com os recursos de imagem e texto; Saber salvar a apresentação;

Leia mais

Manual de Utilização do Sistema GLPI

Manual de Utilização do Sistema GLPI Manual de Utilização do Sistema GLPI 1 Introdução Prezado servidor, o GLPI é um sistema de Service Desk composto por um conjunto de serviços para a administração de inventário de equipamentos de informática,

Leia mais

mobile PhoneTools Guia do Usuário

mobile PhoneTools Guia do Usuário mobile PhoneTools Guia do Usuário Conteúdo Requisitos...2 Antes da instalação...3 Instalar mobile PhoneTools...4 Instalação e configuração do telefone celular...5 Registro on-line...7 Desinstalar mobile

Leia mais