CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS DE INVESTIMENTO NO VAREJO

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS DE INVESTIMENTO NO VAREJO"

Transcrição

1 CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS DE INVESTIMENTO NO VAREJO DIRETRIZES PARA ENVIO DE INFORMAÇÕES À BASE DE DADOS DATA VIGÊNCIA: 17/12/2014 CAPÍTULO I - OBJETIVO Art. 1º - As presentes Diretrizes têm por objetivo fixar as regras para o envio de informações relativas à atividade de Distribuição de Produtos no Varejo que compõem a Base de Dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais ( ANBIMA ). Parágrafo único Estas Diretrizes complementam o Capítulo VI do Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para a Atividade de Distribuição de Produtos de Investimento no Varejo ( Código ). CAPÍTULO II PRINCÍPIOS GERAIS Art. 2º - A Atividade de Distribuição de Produtos de Investimento no Varejo, nos termos do Artigo 7º do Código, visa: I. O correto cumprimento dos Objetivos e Princípios Gerais do Código, principalmente no que tange à padronização dos procedimentos, qualidade e disponibilidade das informações, bem como à promoção e divulgação das mesmas de forma transparente ao mercado e aos investidores; II. Dotar a indústria de Varejo de regras operacionais para o envio e atualização de informações junto à Base de Dados. Art. 3º - O envio e atualização de informações à Base de Dados da ANBIMA ( Base de Dados ) pelas Instituições Participantes devem observar os seguintes princípios: I. Exatidão As informações devem estar corretas; II. Pontualidade As informações devem ser enviadas dentro dos prazos estipulados; III. Regularidade As informações devem ser enviadas na periodicidade devida;

2 IV. Integridade Todas as informações requeridas devem ser enviadas, não havendo lacunas na Base de Dados. CAPÍTULO III PARTICIPAÇÃO E ENVIO DE INFORMAÇÕES Art. 4º - Para participação na Base de Dados, as Instituições Participantes devem observar aos seguintes critérios: I. Instituições que possuam a partir de 50 (cinquenta) agências bancárias ativas no país, devem, obrigatoriamente, enviar as informações para compor a Base de Dados. II. Instituições que possuam menos de 50 (cinquenta) agências bancárias ativas no país, bem como as instituições não bancárias aderentes ao código, podem, voluntariamente, enviar informações para compor a Base de Dados. III. A participação voluntária de que trata o inciso II deste artigo pode ser encerrada pela Instituição Participante, mediante notificação prévia enviada à ANBIMA. IV. A despeito da notificação prévia de que trata o inciso III deste artigo, as Instituições Participantes devem dar continuidade ao envio mensal de informações até o fechamento do ano vigente. 1º. O número de agências bancárias descritos nos incisos I e II deste artigo terão como base as informações oficiais divulgadas no site do Banco Central do Brasil, com referência em dezembro do ano anterior. 2º. As informações de que tratam os incisos I e II deste artigo devem contemplar todas as Instituições Participantes do conglomerado ou grupo financeiro que distribuam produtos de investimento no varejo. Art. 5º - O envio de informações para compor a Base de Dados pode ser feito por Instituição Participante individual ou consolidado por conglomerado ou grupo financeiro, de modo a assegurar a estratégia de negócios adotada por cada instituição. Art. 6º - A instituição participante deverá enviar as informações impreterivelmente até o 15º (décimo quinto) dia útil de cada mês.

3 Art. 7º - A estatística da indústria de Varejo será publicada trimestralmente, nos meses de fevereiro, maio, agosto e novembro, sendo tal divulgação de forma consolidada. CAPÍTULO IV PRÁTICAS GERAIS Art. 8º - A base de dados compreende os fundos de investimento regulados pela ICVM 409/04 ( Fundos 409 ), Fundos Mútuos de Privatização FGTS ( FMP ),produtos de tesouraria, Demais Produtos e Poupança dos clientes segmentados como Varejo e Varejo Alta Renda 1º - O número de clientes e os recursos investidos em cotas de Fundos 409 e FMPs deverão ser informados obedecendo à Classificação ANBIMA de Fundos de Investimento, nas seguintes categorias: (i) Curto Prazo; (ii) Referenciado DI; (iii) Renda Fixa; (iv) Multimercados; (v) Ações; (vi) FMPs e; (vii) outros (Cambial e Dívida Externa). 2º - O Fundo 157, criado pelo Decreto Lei nº 157, de , que compreende o número de clientes e patrimônio líquido de cotistas provenientes do fundo, deverão ser obrigatoriamente informados, obedecendo à classificação ANBIMA como fundos de Ações 157 no segmento Varejo. 3º - Caso seja possível a identificação do cliente no Fundo 157, este deve ser caracterizado como cliente de fundos de ações. 4º - Para os Produtos de Tesouraria, deverão ser informados os ativos e número de clientes dos produtos originados nas tesourarias e classificados nas seguintes categorias: (i) CDB/RDB; (ii) Operações Compromissadas; (iii) LCA Letra de Crédito do Agronegócio; (iv) LH Letra Hipotecária; (v) LCI Letra de Crédito Imobiliário; (vi) LF Letra Financeira e; (vii) Outros. 5º - Para os Demais Produtos deverão ser informados o número de clientes e os valores em custódia dos ativos classificados nas seguintes categorias: (i) Ações; (ii) ETFs; (iii) Ativos do Tesouro Direto; (iv) Produtos Estruturados (FIDCs Fundos de Investimento em Direito Creditório, FIPs Fundos de Investimento em Participações e FIIs - Fundos Imobiliários) e; (v) Debêntures). 6º - Para a poupança deverão ser informados o número de clientes e os saldos da poupança

4 Art. 9º - As Instituições Participantes devem, para cada categoria de ativo nos termos do artigo 8º, informar a Unidade Federativa ( UF ) de domicílio do cliente. 1º - A UF de domicílio deve ser apurada conforme o endereço de correspondência do cliente, e para os casos em que o cliente possua mais de uma conta em diferentes UFs, deverá prevalecer o endereço com maior volume de recursos. 2º - Para os casos em que não seja possível a identificação da UF do cliente, deverá ser utilizado a UF da agência. 3º - A consolidação da UF por região geográfica será feita pela ANBIMA. Art Para cada uma das informações listadas no artigo 8º, deverão ser fornecidos os valores aplicados nos ativos e a quantidade de clientes referentes à posição do último dia útil do mês. Parágrafo único Cada cliente, nos termos do caput deste artigo, corresponde a um CPF, sendo que o cliente que aplica em mais de uma categoria de Fundos 409, FMP e demais produtos deverá ser informado o número de vezes que ele se repete (dupla contagem). CAPÍTULO IV PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS E METODOLOGIAS Art As Instituições Participantes deverão ter processo formalizado dos procedimentos operacionais e das metodologias utilizados para apuração das informações que serão enviadas para a Base de Dados, de modo a permitir o cumprimento das regras dessas Diretrizes. 1º - Qualquer alteração, que impacte nos valores já enviados, nos procedimentos operacionais e nas metodologias utilizadas pela Instituição Participante para apuração das informações que serão enviadas para a Base de Dados, deverá ser comunicada à ANBIMA até o próximo envio das informações. 2º - Deverá ser imediatamente comunicado à ANBIMA quaisquer correções realizadas pela Instituição Participante que impliquem em mudanças na série histórica da Base de Dados. CAPÍTULO V - MONITORAMENTO DA BASE DE DADOS

5 Art A Área de Supervisão da ANBIMA supervisionará o disposto nestas Diretrizes e poderá: I enviar comunicação à Instituição Participante solicitando as modificações que entender necessárias nas informações enviadas à Base de Dados; II submeter os casos em que haja indícios de descumprimento das regras estabelecidas nestas Diretrizes à Comissão de Acompanhamento; III solicitar novas informações para compor a Base de Dados e alterar os procedimentos e processos de envio, buscando seu aperfeiçoamento. IV Aplicar a multa definida nos artigos 13º e 33º do Código.

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS DE INVESTIMENTO NO VAREJO DELIBERAÇÃO N º 08

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS DE INVESTIMENTO NO VAREJO DELIBERAÇÃO N º 08 CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS DE INVESTIMENTO NO VAREJO DELIBERAÇÃO N º 08 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas da Atividade de Distribuição

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS Base de Dados do Varejo. Abaixo são listadas as principais dúvidas e respostas referentes ao preenchimento do formulário:

PERGUNTAS E RESPOSTAS Base de Dados do Varejo. Abaixo são listadas as principais dúvidas e respostas referentes ao preenchimento do formulário: PERGUNTAS E RESPOSTAS Base de Dados do Varejo Abaixo são listadas as principais dúvidas e respostas referentes ao preenchimento do formulário: Dúvidas Gerais 1. Quem é obrigado enviar o formulário? São

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ORAMA DI TESOURO MASTER 12.823.610/0001-74 Informações referentes a 05/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o ÓRAMA DI TESOURO MASTER

Leia mais

dos volumes direcionados ao CDB/RDB, atingindo 94% desse As aplicações em fundos de investimento subiram 17,9%,com

dos volumes direcionados ao CDB/RDB, atingindo 94% desse As aplicações em fundos de investimento subiram 17,9%,com Ano V - Nº 4 - Abril/216 Varejo alcança R$ 1,4 trilhão em 215 com inclusão do saldo da Poupança O crescimento do volume investido pelo segmento Varejo em 215 foi de 8,7%, alcançando R$ 1,4 trilhão, considerando

Leia mais

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA A ATIVIDADE DE PRIVATE BANKING NO MERCADO DOMÉSTICO DELIBERAÇÃO Nº 07

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA A ATIVIDADE DE PRIVATE BANKING NO MERCADO DOMÉSTICO DELIBERAÇÃO Nº 07 CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA A ATIVIDADE DE PRIVATE BANKING NO MERCADO DOMÉSTICO DELIBERAÇÃO Nº 07 O Presidente do Conselho de Regulação e Melhores Práticas para a Atividade de Private

Leia mais

Ranking ANBIMA de Mercado de Capitais Emissões Externas. Metodologia

Ranking ANBIMA de Mercado de Capitais Emissões Externas. Metodologia Ranking ANBIMA de Mercado de Capitais Da Definição das Operações a Serem Computadas 1. Para efeito de apuração do Ranking ANBIMA de Mercado de Capitais - Emissões Externas serão consideradas as emissões

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GAP ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO 01.823.373/0001 25 Informações referentes a 05/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre

Leia mais

Consulta Pública de Lâmina de Fundo

Consulta Pública de Lâmina de Fundo Página 1 de 6 Consulta Pública de Lâmina de Fundo Atenção: Estas informações tem por base os documentos enviados à CVM pelas Instituições Administradoras dos Fundos de Investimento e são de exclusiva responsabilidade

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GAP MULTIPORTIFOLIO FI MULTIMERCADO 03.804.917/0001 37 Informações referentes a 04/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o GAP MULTIPORTFOLIO

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS MAIO / 2016 SUMÁRIO POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 1.1. Objetivo... 3 1.2. Princípios Gerais... 3 1.3. Metodologia... 3 1.4. Diretor e Organograma da Área de Risco... 6

Leia mais

Dicas de cálculo e declaração seu Imposto na Spinelli investhb

Dicas de cálculo e declaração seu Imposto na Spinelli investhb Dicas de cálculo e declaração seu Imposto na Spinelli investhb Tesouro Direto Apuração O Imposto de Renda incide sobre o total dos rendimentos auferidos nas vendas antecipadas, nos vencimentos de títulos

Leia mais

Tributação de Ativos e Operações Financeiras IR e IOF

Tributação de Ativos e Operações Financeiras IR e IOF Tributação de IR e IOF Atualizado em 05/09/16 Regra Geral IR: Conforme o prazo desde a aquisição 1-22,5% (até 180 dias); 20% (de 181 a 360 dias); 17,5% (de 361 a 720 dias) ou 15% (acima de 720 dias) Sobre

Leia mais

CADASTRO PESSOA JURÍDICA

CADASTRO PESSOA JURÍDICA CADASTRO PESSOA JURÍDICA Nº Conta Corrente Elaboração Renovação Alteração 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Identificação da empresa CNPJ Nome fantasia N o de registro Data de constituição Capital social realizado

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VOTORANTIM FIC DE FI CAMBIAL DÓLAR 03.319.016/0001-50 Informações referentes a 05/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o VOTORANTIM

Leia mais

Há um único número 0800 para resolução de problemas relativos a todos os negócios fornecidos pela instituição financeira?

Há um único número 0800 para resolução de problemas relativos a todos os negócios fornecidos pela instituição financeira? 1. SAC O SAC - Serviço de Apoio ao Consumidor -, conforme disciplinado no Decreto 6523/08, é o serviço prestado pelos fornecedores, pela via telefônica, para resolução de problemas na relação de consumo,

Leia mais

Consulta Pública de Lâmina de Fundo

Consulta Pública de Lâmina de Fundo Página 1 de 20 Consulta Pública de Lâmina de Fundo Atenção: Estas informações tem por base os documentos enviados à CVM pelas Instituições Administradoras dos Fundos de Investimento e são de exclusiva

Leia mais

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Informações referentes a fevereiro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO CAMBIAL EURO 04.084.590/0001 39 Informações referentes a 06/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre obradesco

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ 2 Introdução Este manual tem como objetivo apresentar o tratamento de risco de liquidez utilizado pela Azimut Brasil Wealth Management Ltda. ( AZBWM ), tendo

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Saúde Suplementar Presidência/ANS Secretaria-Geral RESOLUÇÃO NORMATIVA-RN Nº 67, DE 4 DE FEVEREIRO DE 2004

Ministério da Saúde Agência Nacional de Saúde Suplementar Presidência/ANS Secretaria-Geral RESOLUÇÃO NORMATIVA-RN Nº 67, DE 4 DE FEVEREIRO DE 2004 Diário Oficial Imprensa Nacional N.º 25 DOU de 05/02/04 seção 1 p. 62 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL BRASÍLIA - DF Ministério da Saúde Agência Nacional de Saúde Suplementar Presidência/ANS Secretaria-Geral

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.402. 1º Para efeito do disposto no Anexo 1 desta circular, considera-se:

CIRCULAR Nº 3.402. 1º Para efeito do disposto no Anexo 1 desta circular, considera-se: TÍTULO : DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS - 29 Página 1 de 3 CIRCULAR Nº 3.402 Dispõe sobre a remessa de demonstrações financeiras ao Banco Central do Brasil. A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil,

Leia mais

1. Público - Alvo O FUNDO destina-se a receber aplicações de recursos pelo público em geral, desde que sejam clientes do Banco Citibank S.A.

1. Público - Alvo O FUNDO destina-se a receber aplicações de recursos pelo público em geral, desde que sejam clientes do Banco Citibank S.A. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FRANKLIN MAXI ACOES FUNDO DE INVESTIMENTO EM ACOES CNPJ: 09.217.033/0001-62 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES DIVIDENDOS 06.916.384/0001-73. Informações referentes a Julho de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES DIVIDENDOS 06.916.384/0001-73. Informações referentes a Julho de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES DIVIDENDOS 06.916.384/0001-73 Informações referentes a Julho de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

QUESTÕES RELACIONADAS À DECLARAÇÃO SOBRE A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS EM MOEDA ESTRANGEIRA DECORRENTES DO RECEBIMENTO DE EXPORTAÇÕES (DEREX) (IN-SRF

QUESTÕES RELACIONADAS À DECLARAÇÃO SOBRE A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS EM MOEDA ESTRANGEIRA DECORRENTES DO RECEBIMENTO DE EXPORTAÇÕES (DEREX) (IN-SRF Coordenação-Geral de Fiscalização QUESTÕES RELACIONADAS À DECLARAÇÃO SOBRE A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS EM MOEDA ESTRANGEIRA DECORRENTES DO RECEBIMENTO DE EXPORTAÇÕES (DEREX) (IN-SRF nº 726/2007) 1. Quem está

Leia mais

SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO

SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO Orientações sobre o recolhimento dos valores devidos em face dos Contratos de Transição 1. Do Valor Devido 2. Do Recolhimento 2.1. Recolhimento por GRU Simples 2.2. Recolhimento

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC FI MASTER RENDA FIXA REFERENCIADO DI 02.367.527/0001-84 Informações referentes a Abril de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC FI MASTER RENDA FIXA REFERENCIADO DI 02.367.527/0001-84 Informações referentes a Abril de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC FI MASTER RENDA FIXA REFERENCIADO DI 02.367.527/0001-84 Informações referentes a Abril de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 748, DE 2 JULHO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 748, DE 2 JULHO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº 748, DE 2 JULHO DE 2015. Disciplina o pagamento do Abono Salarial referente ao exercício de 2015/2016. O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador - CODEFAT, no uso das atribuições

Leia mais

ALTERAÇÃO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

ALTERAÇÃO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS FUNDAÇÃO SISTEL DE SEGURIDADE SOCIAL ALTERAÇÃO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2013 Plano PBS Tele Norte Celular Agosto/2013 A política de investimentos de 2013 do PBS Tele Norte Celular aprovada em dezembro

Leia mais

ROTEIRO DE INFORMAÇÕES PARA SELEÇÃO E ENQUADRAMENTO DE FUNDOS NO ÂMBITO DA SEGUNDA CHAMADA MULTISSETORIAL

ROTEIRO DE INFORMAÇÕES PARA SELEÇÃO E ENQUADRAMENTO DE FUNDOS NO ÂMBITO DA SEGUNDA CHAMADA MULTISSETORIAL ROTEIRO DE INFORMAÇÕES PARA SELEÇÃO E ENQUADRAMENTO DE FUNDOS NO ÂMBITO DA SEGUNDA CHAMADA MULTISSETORIAL A Procedimentos para Encaminhamento das Propostas As solicitações para a participação na Chamada

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC SELEÇÃO TOP AÇÕES 02.436.763/0001-05 Informações referentes a Junho de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC SELEÇÃO TOP AÇÕES 02.436.763/0001-05 Informações referentes a Junho de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC SELEÇÃO TOP AÇÕES 02.436.763/0001-05 Informações referentes a Junho de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS RN 309/2012

PERGUNTAS E RESPOSTAS RN 309/2012 PERGUNTAS E RESPOSTAS RN 309/2012 01 - Qual a finalidade do agrupamento de contratos? O agrupamento de contratos visa o cálculo e aplicação de um reajuste único, com a finalidade de promover a distribuição

Leia mais

Município de Carapicuiba Estado de São Paulo

Município de Carapicuiba Estado de São Paulo DECRETO Nº 4.323, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2.013. Institui o calendário de recolhimento dos tributos do Município de Carapicuíba (CATRIM), fixa o índice de atualização monetária dos créditos tributários municipais

Leia mais

NOME DA TABELA: BALANCETES DE RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS

NOME DA TABELA: BALANCETES DE RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS 76 5.3.14. Balancetes de Receitas Orçamentárias: BALANCETES DE RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS NOME DO ARQUIVO: BR201001.BAL TIPO DE DOCUMENTO: 301 1. Tipo do Documento 2. Código do Município 3. Exercício do Orçamento

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DE COTISTAS DO FIDC CADEIAS PRODUTIVAS MINAS GERAIS REALIZADA EM 17/09/2014 CNPJ: 12.987.060/0001-29

ASSEMBLEIA GERAL DE COTISTAS DO FIDC CADEIAS PRODUTIVAS MINAS GERAIS REALIZADA EM 17/09/2014 CNPJ: 12.987.060/0001-29 ASSEMBLEIA GERAL DE COTISTAS DO FIDC CADEIAS PRODUTIVAS MINAS GERAIS REALIZADA EM 17/09/2014 CNPJ: 12.987.060/0001-29 Cumprindo as diretrizes da ANBIMA e as normas de conduta do Banrisul sobre a Política

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS DIVIDENDOS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES CNPJ/MF:

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS DIVIDENDOS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES CNPJ/MF: LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS DIVIDENDOS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo

Leia mais

CONVOCATÓRIA PARA A PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS NO NÚMERO ESPECIAL DA REVISTA TIP BRASIL

CONVOCATÓRIA PARA A PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS NO NÚMERO ESPECIAL DA REVISTA TIP BRASIL CONVOCATÓRIA PARA A PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS NO NÚMERO ESPECIAL DA REVISTA TIP BRASIL Brasil: um gigante paradiplomático A Revista Trabajos de Investigación en Paradiplomacia, TIP, abre convocatória para

Leia mais

Manual para preenchimento do formulário de envio de informações à Base de Dados do Varejo

Manual para preenchimento do formulário de envio de informações à Base de Dados do Varejo Manual para preenchimento do formulário de envio de informações à Base de Dados do Varejo ÍNDICE 1. PROPÓSITO E ABRANGÊNCIA... 3 2. FORMULÁRIO... 3 2.1. PREENCHIMENTO CONSOLIDADO... 3 2.1.1. INFORMAÇÕES

Leia mais

Disciplina o pagamento do Abono Salarial referente ao exercício de 2016/2017.

Disciplina o pagamento do Abono Salarial referente ao exercício de 2016/2017. Resolução CODEFAT nº 748, de 29.06.2016 - DOU de 01.07.2016 Disciplina o pagamento do Abono Salarial referente ao exercício de 2016/2017. O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador - CODEFAT,

Leia mais

PRINCÍPIOS GERAIS DE MARCAÇÃO A MERCADO

PRINCÍPIOS GERAIS DE MARCAÇÃO A MERCADO PRINCÍPIOS GERAIS DE MARCAÇÃO A MERCADO O processo de Marcação a Mercado tem como principal objetivo evitar a transferência de riqueza entre os diversos cotistas dos fundos e, também dá maior transparência

Leia mais

REGULAMENTO BANRISUL MASTER FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA REFERENCIADO DI LONGO PRAZO

REGULAMENTO BANRISUL MASTER FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA REFERENCIADO DI LONGO PRAZO REGULAMENTO BANRISUL MASTER FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA REFERENCIADO DI LONGO PRAZO CNPJ/MF 01.822.655/0001-08 Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. CNPJ/MF 92.702.067/0001-96

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO Junho/2016 Esta Política de Gestão de Risco foi elaborada de acordo com as políticas internas da TRIO CAPITAL LTDA., inclusive o Código de Ética e o Manual de Controles Internos

Leia mais

Supervisão de Mercados Código de Regulação e Melhores Práticas para o Programa de Certificação Continuada. Novembro 2011

Supervisão de Mercados Código de Regulação e Melhores Práticas para o Programa de Certificação Continuada. Novembro 2011 Supervisão de Mercados Código de Regulação e Melhores Práticas para o Programa de Certificação Continuada Novembro 2011 Regulação e Melhores Práticas Regulação e Melhores Práticas Estrutura Representação

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTO FISCAL N. 044/2013

NORMA DE PROCEDIMENTO FISCAL N. 044/2013 NORMA DE PROCEDIMENTO FISCAL N. 044/2013 Publicada no DOE 8966, de 27.05.2013 SÚMULA: Estabelece procedimentos relativos à retificação de arquivos referentes à EFD - Escrituração Fiscal Digital para contribuintes

Leia mais

Rua Armando Salles de Oliveira, 473 Vila Todos os Santos 13330-585 Indaiatuba SP PABX: (19) 3825-4600 www.seprev.com.br CNPJ 68.004.

Rua Armando Salles de Oliveira, 473 Vila Todos os Santos 13330-585 Indaiatuba SP PABX: (19) 3825-4600 www.seprev.com.br CNPJ 68.004. RESOLUÇÃO Nº 150 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2009 O CONSELHO ADMINISTRATIVO DO SEPREV Serviço de Previdência e Assistência Social dos Funcionários Municipais de Indaiatuba, usando das atribuições que lhe são

Leia mais

REPUBLICAÇÃO EDITAL COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS N 001/2016

REPUBLICAÇÃO EDITAL COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS N 001/2016 Incentivo: Projeto aprovado nos termos da Lei de Incentivo ao Esporte Título do projeto: CT Canoagem Brasil Medalha N do processo ME: 58701.006306/2014-66 SLIE: 1408928-93 Data da publicação no DOU: 29

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MASTER CRÉDITO FI RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MASTER CRÉDITO FI RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o BNP PARIBAS MASTER CRÉDITO FI RENDA FIXA CRÉDITO

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO ADVANCED 01.919.

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO ADVANCED 01.919. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO ADVANCED 01.919.660/0001-33 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO ENTRE AMIGOS - CIAINVEST ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO DE PAGAMENTO MENSAL (CÓDIGO 45.1) VIP MILHÃO

CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO DE PAGAMENTO MENSAL (CÓDIGO 45.1) VIP MILHÃO CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO DE PAGAMENTO MENSAL (CÓDIGO 45.1) VIP MILHÃO CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO DE PAGAMENTO MENSAL - CÓDIGO 50 GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS TOV GESTÃO DE RECURSOS LTDA. ( Sociedade ) CNPJ: 12.747.548/0001-89

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS TOV GESTÃO DE RECURSOS LTDA. ( Sociedade ) CNPJ: 12.747.548/0001-89 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS TOV GESTÃO DE RECURSOS LTDA. ( Sociedade ) CNPJ: 12.747.548/0001-89 CAPÍTULO I DEFINIÇÃO E FINALIDADE Artigo 1⁰ A presente Política de Exercício

Leia mais

RESOLUÇÃO N 2437. Parágrafo 1º Para efeito da constituição da amostra referida neste artigo:

RESOLUÇÃO N 2437. Parágrafo 1º Para efeito da constituição da amostra referida neste artigo: RESOLUÇÃO N 2437 22/01/2001. Documento normativo revogado pela Resolução 2809, de 21/12/2000, a partir de Altera a metodologia de cálculo da Taxa Referencial - TR de dias não-úteis e consolida as normas

Leia mais

REGULAMENTO DO BB FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS VALE DO RIO DOCE CNPJ 04.881.687/0001-72 CAPÍTULO I DO FUNDO

REGULAMENTO DO BB FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS VALE DO RIO DOCE CNPJ 04.881.687/0001-72 CAPÍTULO I DO FUNDO REGULAMENTO DO BB FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS VALE DO RIO DOCE CNPJ 04.881.687/0001-72 CAPÍTULO I DO FUNDO Artigo 1º - O BB FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS VALE DO RIO DOCE, doravante designado,

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual,

O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, Dispõe sobre a reavaliação e a renegociação dos contratos em vigor e das licitações em curso, no âmbito dos órgãos e entidades da Administração Pública Estadual. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso

Leia mais

OUROCAP ESTILO PRÊMIO SITE NA INTERNET : CONDIÇÕES GERAIS MODALIDADE TRADICIONAL GLOSSÁRIO

OUROCAP ESTILO PRÊMIO SITE NA INTERNET :  CONDIÇÕES GERAIS MODALIDADE TRADICIONAL GLOSSÁRIO OUROCAP ESTILO PRÊMIO SITE NA INTERNET : www.brasilcap.com CONDIÇÕES GERAIS MODALIDADE TRADICIONAL GLOSSÁRIO Subscritor - é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso

Leia mais

Contrato de Swap Cambial com Ajuste Periódico Baseado em Operações Compromissadas de Um Dia

Contrato de Swap Cambial com Ajuste Periódico Baseado em Operações Compromissadas de Um Dia Contrato de Swap Cambial com Ajuste Periódico Baseado em Operações Compromissadas de Um Dia Especificações 1. Definições Contrato (especificações): Contrato negociado: Posição Atualizada do Dia: Ponta

Leia mais

Histórico de Revisão

Histórico de Revisão Histórico de Revisão Data Versão Descrição 14/12/2006 1.0 Versão inicial. 15/12/2006 1.1 Inclusão de parágrafo no item 1 Introdução para tornar claro que cada instituição deve transmitir um único arquivo

Leia mais

Regulamento para a participação de trabalhos científicos e acadêmicos no 6º Congresso Internacional CBL do Livro Digital - 2016

Regulamento para a participação de trabalhos científicos e acadêmicos no 6º Congresso Internacional CBL do Livro Digital - 2016 Regulamento para a participação de trabalhos científicos e acadêmicos no 6º Congresso Internacional CBL do Livro Digital - 2016 1 DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 O CONGRESSO INTERNACIONAL CBL DO LIVRO DIGITAL CONGRESSO,

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES PERGUNTAS FREQUENTESPERGUNTAS PERGUNTAS MAIS FREQUENTES PEPPPPPPPPPPPPRGPEPERGUNTAS FPERREQUENTESUNTAS FREQUENTES 1 O que é o FIES? O Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES) é um

Leia mais

... ... LEI N. 3.093, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2015

... ... LEI N. 3.093, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2015 LEI N. 3.093, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2015 O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE Altera a Lei n. 1.805, de 26 de dezembro de 2006, que dispõe sobre a fixação de emolumentos devidos pelos atos praticados pelos serviços

Leia mais

Financiamento de até 100% da mensalidade do curso escolhido. Taxa de juros de 3,4% ao ano. Parcelas do financiamento são mensais e com valores fixos

Financiamento de até 100% da mensalidade do curso escolhido. Taxa de juros de 3,4% ao ano. Parcelas do financiamento são mensais e com valores fixos O que é o FIES O Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES) é um programa do Ministério da Educação destinado a financiar os alunos de graduação do ensino superior em instituições não

Leia mais

DECRETO Nº 30.348 DE 1 DE JANEIRO DE 2009

DECRETO Nº 30.348 DE 1 DE JANEIRO DE 2009 DECRETO Nº 30.348 DE 1 DE JANEIRO DE 2009 Estabelece novos procedimentos para o cumprimento do Código de Ética da Administração Municipal. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso das atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.373, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 4.373, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 4.373, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014 Dispõe sobre aplicações de investidor não residente no Brasil nos mercados financeiro e de capitais no País e dá outras providências. O Banco Central do Brasil,

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 560, DE 27 DE MARÇO DE 2015, COM A ALTERAÇÃO INTRODUZIDA PELA INSTRUÇÃO CVM Nº 574/15.

INSTRUÇÃO CVM Nº 560, DE 27 DE MARÇO DE 2015, COM A ALTERAÇÃO INTRODUZIDA PELA INSTRUÇÃO CVM Nº 574/15. INSTRUÇÃO CVM Nº 560, DE 27 DE MARÇO DE 2015, COM A ALTERAÇÃO INTRODUZIDA PELA INSTRUÇÃO CVM Nº 574/15. Dispõe sobre o registro, as operações e a divulgação de informações de investidor não residente no

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FI ACOES PETROBRAS 2 12.014.083/0001-57 Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FI ACOES PETROBRAS 2 12.014.083/0001-57 Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO EM ACOES. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO ACADÊMICO UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA EDITAL DRE n 071/16

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO ACADÊMICO UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA EDITAL DRE n 071/16 PROGRAMA DE INTERCÂMBIO ACADÊMICO UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA EDITAL DRE n 071/16 A PONTIFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS, por intermédio do Departamento de Relações Externas, torna pública

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS. Endereço Residencial (Rua, Avenida, etc.) Nº Complemento. Bairro Cidade UF País CEP

INFORMAÇÕES GERAIS. Endereço Residencial (Rua, Avenida, etc.) Nº Complemento. Bairro Cidade UF País CEP FICHA CADASTRAL PESSOA FÍSICA CITIBANK DTVM S.A. Código Investidor Nome do Titular INFORMAÇÕES GERAIS CPF Telefone 1 (DDD e Nº) Celular 1 (DDD e Nº) Fax 1 (DDD e Nº) E-mail 1 Telefone 2 (DDD e Nº) Celular

Leia mais

MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Gestão de Riscos

MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Gestão de Riscos MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Gestão de Riscos Junho de 2016 ÍNDICE POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS... 2 (A) Aplicação e Objeto... 2 (B) Princípios... 2 (C) Metodologia... 3 (D) Organograma

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 309, DE 24 DE OUTUBRO DE 2012 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 309, DE 24 DE OUTUBRO DE 2012 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 309, DE 24 DE OUTUBRO DE 2012 Dispõe sobre o agrupamento de contratos coletivos de planos privados de assistência à saúde para fins de cálculo e aplicação de reajuste. [correlações]

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMBORIÚ SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMBORIÚ SECRETARIA DA EDUCAÇÃO EDITAL N 019/2015 Dispõe sobre os procedimentos de matrícula e rematrícula para atualização de dados dos alunos e abre as inscrições para as novas matrículas na rede pública municipal de ensino para o

Leia mais

III - Início de Vigência Art. 3 - O Título entra em vigor na data do primeiro pagamento.

III - Início de Vigência Art. 3 - O Título entra em vigor na data do primeiro pagamento. Pé Quente Bradesco 10 Condições Gerais - Plano PM 60/60 G GLOSSÁRIO Subscritor - é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso de efetuar o pagamento na forma convencionada

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 23 DE 4 DE ABRIL DE 2012.

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 23 DE 4 DE ABRIL DE 2012. ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 23 DE 4 DE ABRIL DE 2012.

Leia mais

ANEXO 4.31. V - Anexo V: informar o resumo das aquisições interestaduais de álcool etílico

ANEXO 4.31. V - Anexo V: informar o resumo das aquisições interestaduais de álcool etílico ANEXO 4.31 PROCEDIMENTOS PARA O CONTROLE DE OPERAÇÕES INTERESTADUAIS COM COMBUSTÍVEIS DERIVADOS DE PETRÓLEO E ÀLCOOL ETÍLICO ANIDRO COMBUSTÍVEL-AEAC E BIODIESEL B100. Acrescentado pelo DECRETO nº 26.256

Leia mais

Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA

Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA Renda Fixa Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA Certificado de Recebíveis do Agronegócio O produto O Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA) é um título que gera um direito de crédito ao

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO SEMINÁRIO: SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADO: NOVO ENEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO SEMINÁRIO: SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADO: NOVO ENEM UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO SEMINÁRIO: SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADO: NOVO ENEM Prof. Sandramara Matias Chaves Pró-reitora de Graduação Provas: Modificação

Leia mais

FREQÜÊNCIA ESCOLAR PODERÃO TER O BENEFÍCIO BLOQUEADO EM NOVEMBRO

FREQÜÊNCIA ESCOLAR PODERÃO TER O BENEFÍCIO BLOQUEADO EM NOVEMBRO INFORME BOLSA FAMÍLIA Nº 142 10 de setembro de 2008 FAMÍLIAS DO PBF COM BENEFICIÁRIOS QUE NUNCA TIVERAM INFORMAÇÃO DE FREQÜÊNCIA ESCOLAR PODERÃO TER O BENEFÍCIO BLOQUEADO EM NOVEMBRO SENARC publica a Instrução

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CARTA - CIRCULAR Nº 35/2006 Rio de Janeiro, 25 de agosto de 2006

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CARTA - CIRCULAR Nº 35/2006 Rio de Janeiro, 25 de agosto de 2006 BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CARTA - CIRCULAR Nº 35/2006 Rio de Janeiro, 25 de agosto de 2006 Ref.: Linha de Financiamento BNDES-exim Pré-embarque Automóveis. Ass.: Alteração

Leia mais

COMUNICADO 01 EDITAL SEBRAE/SC Nº 002/2016 CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INSTRUTORIA E CONSULTORIA

COMUNICADO 01 EDITAL SEBRAE/SC Nº 002/2016 CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INSTRUTORIA E CONSULTORIA COMUNICADO 01 EDITAL SEBRAE/SC Nº 002/2016 CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INSTRUTORIA E CONSULTORIA PUBLICADO EM 02/05/2016 O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas

Leia mais

Risco de Liquidez e Gerenciamento de Capital

Risco de Liquidez e Gerenciamento de Capital Risco de Liquidez e Gerenciamento de Capital Gerenciamento de Capital Política de Gerenciamento do Risco de Capital Plano de Capital: 2012-2015 Monitoramento mensal do nível de crise de capital As projeções

Leia mais

SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL. PORTARIA No- 490, DE 24 DE AGOSTO DE 2009

SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL. PORTARIA No- 490, DE 24 DE AGOSTO DE 2009 SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL PORTARIA No- 490, DE 24 DE AGOSTO DE 2009 O SECRETÁRIO ADJUNTO DO TESOURO NACIONAL, no uso das atribuições que lhe conferem a Portaria MF nº 183, de 31 de julho de 2003,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2015.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2015. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2015. Dispõe sobre o Plano Anual de Auditoria Interna (PAINT), os trabalhos de auditoria realizados pelas unidades de auditoria interna e o Relatório Anual

Leia mais

GUIA DE DÚVIDAS E RESPOSTAS

GUIA DE DÚVIDAS E RESPOSTAS GUIA DE DÚVIDAS E RESPOSTAS 1) Qual o procedimento para aderir ao Débito Automático, para operações novas? A concessionária deverá acessar o Portal e seguir os passos abaixo: 1º) Cadastrar uma operação

Leia mais

HISTÓRICO DE ADEQUAÇÕES METODOLÓGICAS DOS ÍNDICES DA BM&FBOVESPA

HISTÓRICO DE ADEQUAÇÕES METODOLÓGICAS DOS ÍNDICES DA BM&FBOVESPA HISTÓRICO DE ADEQUAÇÕES METODOLÓGICAS DOS ÍNDICES DA BM&FBOVESPA Junho de 2014 HISTÓRICO DAS DOS ÍNDICES DA BM&FBOVESPA Procedimento adotado para companhias que deixaram de integrar situações de exceções

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa Curso de Extensão a distância de desenvolvimento e aperfeiçoamento de equipes no acompanhamento de Programas de Pós-Graduação e de Projetos de Pesquisa PROCESSO SELETIVO DISCENTE 2014 Edital nº. 3 O Pró-Reitor

Leia mais

1. PSTAW10 COAFI - OCORRÊNCIAS

1. PSTAW10 COAFI - OCORRÊNCIAS 1. PSTAW10 COAFI - OCORRÊNCIAS A inclusão/alteração/consulta de ocorrências no sistema COAFI via PSTAW10 é um recurso disponibilizado para as instituições financeiras com o objetivo de facilitar o trabalho

Leia mais

Metodologia para envio de Estatísticas de Private

Metodologia para envio de Estatísticas de Private Metodologia para envio de Estatísticas de Private Metodologia Definição A atividade de Private Banking exerce um importante papel na distribuição de valores mobiliários, especialmente fundos de investimento,

Leia mais

Condições Gerais Big Din Din

Condições Gerais Big Din Din GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso de efetuar o pagamento na forma convencionada nestas Condições Gerais. Titular - é o próprio subscritor

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO INDICAÇÃO PREMIADA MRV

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO INDICAÇÃO PREMIADA MRV REGULAMENTO DA PROMOÇÃO INDICAÇÃO PREMIADA MRV MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A, empresa inscrita no CNPJ/MF sob o nº 08.343.492/0001-20, com sede na Av. Raja Gabaglia, nº 2.720 (exceto lado direito

Leia mais

CIRCULAR N 2958. Art. 1º Alterar os seguintes dispositivos do Regulamento anexo à Circular nº 2.616, de 18 de setembro de 1995:

CIRCULAR N 2958. Art. 1º Alterar os seguintes dispositivos do Regulamento anexo à Circular nº 2.616, de 18 de setembro de 1995: CIRCULAR N 2958 Dispõe sobre a aplicação de recursos de fundos de investimento financeiro e de fundos de aplicação em quotas de investimento, bem como estabelece normas a serem observadas pelas instituições

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO CFM Nº 1.975/2011 (Publicada no D.O.U. de 29 de julho de 2011, Seção I, p. 336-337) Revogada pela Resolução CFM nº 1979/2011 Fixa os valores das anuidades e taxas

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCURSO

REGULAMENTO DE CONCURSO Índice 1. Objetivos... 2 2. Entidades Beneficiárias... 2 3. Dotação Orçamental... 2 4. Financiamento... 2 5. Despesas elegíveis... 3 6. Condições de Acesso ao Concurso... 3 7. Metodologia de Seleção dos

Leia mais

Edital para Seleção de Alunos Bolsistas EDITAL N.º 01/2016 Programa Institucional de Apoio a Projetos de Extensão - PAPEX-PROEXT

Edital para Seleção de Alunos Bolsistas EDITAL N.º 01/2016 Programa Institucional de Apoio a Projetos de Extensão - PAPEX-PROEXT INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ - IFCE CAMPUS Crateús Edital para Seleção de Alunos Bolsistas EDITAL N.º 01/2016 Programa Institucional de Apoio a Projetos de Extensão - PAPEX-PROEXT

Leia mais

Regulamento para a participação de trabalhos científicos e acadêmicos no 5º Congresso Internacional CBL do Livro Digital - 2014

Regulamento para a participação de trabalhos científicos e acadêmicos no 5º Congresso Internacional CBL do Livro Digital - 2014 Regulamento para a participação de trabalhos científicos e acadêmicos no 5º Congresso Internacional CBL do Livro Digital - 2014 1 DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 O CONGRESSO INTERNACIONAL CBL DO LIVRO DIGITAL CONGRESSO,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA NUTRIÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA 2015

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA NUTRIÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA 2015 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA NUTRIÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA 2015 NORMAS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS - CAPES/CNPq Todos os pedidos de concessão de bolsas

Leia mais

RESOLUÇÃO CGPC Nº 04, DE 30 DE JANEIRO DE 2002.

RESOLUÇÃO CGPC Nº 04, DE 30 DE JANEIRO DE 2002. RESOLUÇÃO CGPC Nº 04, DE 30 DE JANEIRO DE 2002. Estabelece critérios para registro e avaliação contábil de títulos e valores mobiliários das entidades fechadas de previdência complementar. O PLENÁRIO DO

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ HORTO GESTORA DE RECURSOS LTDA. ABRIL / 2014

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ HORTO GESTORA DE RECURSOS LTDA. ABRIL / 2014 MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ HORTO GESTORA DE RECURSOS LTDA. ABRIL / 2014 ATUALIZADO EM JUNHO / 2016 1 1. INTRODUÇÃO Este Manual de Gerenciamento de Risco de Liquidez abrange todos os fundos

Leia mais

ANEXO XI (CONSOLIDADO) PARÂMETROS PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ANEXO XI (CONSOLIDADO) PARÂMETROS PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ANEXO XI (CONSOLIDADO) PARÂMETROS PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. INTRODUÇÃO 1.1. Este anexo tem por objetivo orientar as Licitantes na elaboração do Plano de Negócios, conforme requerido no Edital,

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 239, de 22 de dezembro de 2003(*)

CIRCULAR SUSEP N o 239, de 22 de dezembro de 2003(*) CIRCULAR SUSEP N o 239, de 22 de dezembro de 2003(*) Altera e consolida as normas que dispõem sobre o pagamento de prêmios relativos a contratos de seguros de danos. O SUPERINTENDENTE DA SUPERINTENDÊNCIA

Leia mais

Instruções de Preenchimento das Informações do Demonstrativo de Limites Operacionais (DLO) Carta-Circular 3.332/08

Instruções de Preenchimento das Informações do Demonstrativo de Limites Operacionais (DLO) Carta-Circular 3.332/08 Instruções de Preenchimento das Informações do Demonstrativo de Limites Operacionais (DLO) Carta-Circular 3.332/08 I. OBJETIVO 1) O Demonstrativo de Limites Operacionais tem por objetivo apresentar, de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 2693. (Ver alterações dadas pela Resolução 3.334, de 22/12/2005.)

RESOLUÇÃO Nº 2693. (Ver alterações dadas pela Resolução 3.334, de 22/12/2005.) RESOLUÇÃO Nº 2693 (Ver alterações dadas pela Resolução 3.334, de 22/12/2005.) Documento normativo revogado pela Resolução 3.557, de 27/03/2008. Dispõe sobre a aplicação dos recursos garantidores das provisões

Leia mais