BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CARTA - CIRCULAR Nº 35/2006 Rio de Janeiro, 25 de agosto de 2006

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CARTA - CIRCULAR Nº 35/2006 Rio de Janeiro, 25 de agosto de 2006"

Transcrição

1 BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CARTA - CIRCULAR Nº 35/2006 Rio de Janeiro, 25 de agosto de 2006 Ref.: Linha de Financiamento BNDES-exim Pré-embarque Automóveis. Ass.: Alteração e consolidação das condições da Linha de Financiamento em referência. O Superintendente da Área de Comércio Exterior do BNDES, no uso de suas atribuições e consoante a Decisão nº Dir. 561/2006 BNDES, de 13/07/2006 e a Resolução de Diretoria do BNDES nº 1.341, de 17/08/2006, COMUNICA aos AGENTES FINANCEIROS a alteração e a consolidação das condições da Linha de Financiamento BNDES-exim Préembarque Automóveis, divulgadas na Carta-Circular nº 47/2005, de 27/09/2005, apresentadas a seguir: 1. OBJETIVO Financiar, na fase pré-embarque, a produção destinada à exportação de bens classificados sob a NCM 87.03, associada a um Compromisso de Exportação para um período de 12 (doze) meses. 2. BENEFICIÁRIA Empresa produtora e exportadora, de qualquer porte 1, constituída sob as leis brasileiras e que tenha sede e administração no País. 3. BENS ELEGÍVEIS Bens classificados sob a NCM 87.03, constantes do Grupo III da Relação de Produtos Financiáveis 2, aprovada pelo BNDES, cujo índice de nacionalização, em valor, seja igual ou superior a 60% (sessenta por cento). 4. MODALIDADE OPERACIONAL Financiamento ao exportador, por intermédio de Agentes Financeiros do BNDES. 1 O critério de classificação do porte das empresas acha-se na Internet, no portal do BNDES ( seção Apoio à Exportação. 2 A Relação de Produtos Financiáveis está disponível na Internet, no portal do BNDES ( seção Apoio à Exportação, onde estão discriminados os bens componentes dos Grupos I, II e III (relação de bens passíveis de apoio).

2 5. COMPROMISSO DE EXPORTAÇÃO A Beneficiária deverá fixar um Compromisso de Exportação, para um período de 12 (doze) meses, com valor expresso em dólares dos Estados Unidos da América (EUA), no Incoterm FOB (Free on Board), a ser aprovado pelo BNDES. 6. COMPROVAÇÃO DO COMPROMISSO DE EXPORTAÇÃO Para a comprovação do cumprimento do Compromisso de Exportação, somente serão admitidos dados oficiais relativos às exportações da Beneficiária dos produtos contemplados no financiamento, disponibilizados pela Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, no sistema ALICE. Para tanto, a Beneficiária deverá autorizar o BNDES a consultar tais dados no referido sistema, durante a vigência do contrato de financiamento firmado com o Agente Financeiro. Deverá ser apresentado ao BNDES, até 30 (trinta) dias após o término do período do Compromisso de Exportação, o Relatório de Acompanhamento da Operação RAO, conforme modelo anexo, relacionando os Registros de Exportação no montante financiado, sem a utilização de Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC) ou outro tipo de financiamento pré-embarque. 7. CONDIÇÕES DE FINANCIAMENTO 7.1. Participação do BNDES O nível de participação será de até 55% (cinqüenta e cinco por cento) do valor do Compromisso de Exportação Prazos a) do Financiamento: até 15 (quinze) meses, a contar do dia 15 (quinze), coincidente ou subseqüente à data de início do período do Compromisso de Exportação; b) de Amortização: em parcela única no 15º (décimo quinto) mês ou em 3 (três) parcelas mensais, iguais e consecutivas, exigíveis no 13º (décimo terceiro), 14º (décimo quarto) e 15º (décimo quinto) meses, a contar da data de início do período do Compromisso de Exportação, recaindo os pagamentos sempre no dia 15 (quinze) dos meses de vencimento; c) para Contratação: o Contrato de Financiamento entre o Agente Financeiro e a Beneficiária deverá ser firmado até 180 (cento e oitenta) dias, contados da data de aprovação da operação pelo BNDES; d) do Pedido de Liberação: até 30 (trinta) dias, a partir da data da aprovação, pelo BNDES, da Ficha Resumo da Operação (FRO-exim), cujo modelo segue anexo. A liberação dos recursos dar-se-á em parcela única, respeitada a programação financeira do BNDES. 2

3 7.3. Encargos Taxa de juros: é o somatório de Custo Financeiro, Spread do BNDES e Spread do Agente Financeiro. a) Custo Financeiro: a parcela financiada será contratada em 2 (dois) sobreditos, conforme a seguir: (i) Subcredito A : 20% (vinte por cento) do valor do crédito, atualizados pela variação cambial do dólar dos EUA e acrescidos da Taxa de Juros Fixa Préembarque - TJFPE 3 ; (ii) Subcredito B : 80% (oitenta por cento) do valor do crédito em Taxa de Juros de Longo Prazo - TJLP 4 ; b) Spread do BNDES: definido conforme o porte da Beneficiária, cuja classificação é feita segundo critério do BNDES, conforme a seguir: (i) Subcredito A : 3,0% (três por cento) ao ano; (ii) Subcredito B : 4,5% (quatro inteiros e cinco décimos por cento) ao ano, podendo ser reduzido, excepcionalmente, para o spread de 3,8% (três inteiros e oito décimos por cento) ao ano, caso a Beneficiária se comprometa a manter, durante o período do Compromisso de Exportação, o número médio de empregados do ano anterior o Compromisso de Manutenção do Número de Empregos, referido na condição 7.3.2, abaixo; c) Spread do Agente Financeiro: a ser negociado entre o Agente Financeiro e a Beneficiária COMPROMISSO DE MANUTENÇÃO DO NÚMERO DE EMPREGOS Caso a Beneficiária se comprometa a manter, durante o período do Compromisso de Exportação, o número médio de empregados do ano anterior, deverá encaminhar ao BNDES, juntamente com a Consulta Prévia, manifestação firmada por seus representantes legais (Termo de Compromisso de Manutenção do Número de Empregos), conforme modelo anexo, acompanhada de relatório especial de auditores independentes, comprovando este quantitativo. 3 A Taxa de Juros Fixa Pré-embarque - TJFPE é calculada pela Área Financeira do BNDES e publicada trimestralmente no Diário Oficial da União, a partir de 25/04/2005. A composição desta taxa está disponível na Internet, no portal do BNDES ( seção Apoio à Exportação. 4 As informações sobre a TJLP estão disponíveis na Internet, no portal do BNDES ( seção Apoio à Exportação. 3

4 Para a verificação do cumprimento do Compromisso de Manutenção do Número de Empregos, referido na condição , acima, deverá ser apresentado, até 30 (trinta) dias após o término do período do Compromisso de Exportação, novo relatório especial de auditores independentes, comprovando a manutenção do número médio de empregados durante o período do Compromisso de Exportação Em caso de não cumprimento do Compromisso de Manutenção do Número de Empregos, referido na condição , acima, os juros exigíveis relativos ao Subcrédito B - serão reprocessados retroativamente com o spread do BNDES igual a 4,5% (quatro inteiros e cinco décimos por cento) ao ano. A diferença apurada será exigível na liquidação da operação Exigibilidade dos juros Os juros, com exceção da parcela capitalizada nas operações em TJLP, serão exigíveis trimestralmente durante o prazo de carência, nos dias 15 (quinze) dos meses definidos conforme a condição , abaixo. Durante o período de amortização, os juros serão exigíveis juntamente com as parcelas de principal e no vencimento ou liquidação da operação Os trimestres que definirão os meses de vencimento dos juros, durante o prazo de carência, serão contados retroativamente, a partir da data fixada para a liquidação da operação (caso a amortização seja em parcela única), ou do dia 15 (quinze) do mês imediatamente anterior ao do pagamento da primeira parcela de amortização (caso a amortização seja parcelada), podendo o primeiro período de cobrança de juros ser inferior a 3 (três) meses, hipótese em que o cálculo dos juros será efetuado pro rata die. Caso o mês da liberação coincida com o mês de vencimento de juros, estes serão cobrados na data do vencimento seguinte. 8. PENALIDADES Na hipótese de não cumprimento integral do valor do Compromisso de Exportação, incidirá multa de 10% (dez por cento), calculada sobre o resultado da aplicação do percentual não cumprido deste valor do Compromisso de Exportação sobre o valor do financiamento, de forma não cumulativa com a penalidade prevista no item 8.2 do Regulamento da Linha de Financiamento BNDES-exim Pré-embarque, prevalecendo, na ocorrência de ambas, a de maior valor. 9. PEDIDO DE FINANCIAMENTO O pedido do financiamento deverá ser formalizado mediante Consulta Prévia, utilizando o modelo anexo, que poderá ser encaminhada diretamente pela Beneficiária ou por intermédio do Agente Financeiro, podendo ser acompanhada do Termo de Compromisso de Manutenção do Número de Empregos, mencionado na condição , acima, se for o caso. 4

5 10. DISPOSIÇÕES GERAIS Aplicam-se a todas as operações realizadas no âmbito da Linha de Financiamento BNDES-exim Pré-embarque Automóveis, no que não colidirem com o disposto nesta Carta-Circular, as Normas Operacionais da Linha de Financiamento BNDES-exim Préembarque (Circular nº 174, de 22/04/2002, e alterações posteriores), revogando-se a Carta-Circular nº 47/2005, de 27/09/ QUITAÇÃO A outorga de quitação da operação está sujeita, além do previsto no item 8 dos Procedimentos Operacionais da Linha de Financiamento BNDES-exim Pré-embarque, no que couber, à comprovação do cumprimento das obrigações contratuais, em especial as referentes ao Compromisso de Exportação e, se for o caso, ao Compromisso de Manutenção do Número de Empregos. 12. VIGÊNCIA Esta Carta-Circular entra em vigor nesta data, aplicando-se às operações com Consulta Prévia protocolada a partir desta data. Nesta oportunidade, encaminham-se anexos os modelos da Consulta Prévia, do Termo de Compromisso de Manutenção do Número de Empregos, da Ficha Resumo de Operação FRO-exim, do Relatório de Acompanhamento da Operação - RAO e do Contrato de Financiamento (Dólar + TJFPE e TJLP), a ser firmado entre a Beneficiária e o Agente Financeiro, que substitui aquele divulgado pela Carta-Circular nº 47/2005, de 27/09/2005. LUIZ ANTONIO ARAUJO DANTAS Superintendente Área de Comércio Exterior Anexos: 1 Consulta Prévia (Pré-embarque Automóveis) 2 Termo de Compromisso de Manutenção do Número de Empregos 3 Ficha Resumo de Operação - FRO-exim (Pré-embarque Automóveis) 4 Relatório de Acompanhamento da Operação - RAO (Pré-embarque Automóveis) 5 Contrato de Financiamento (Pré-embarque Automóveis) - Dólar + TJFPE e TJLP 5

Linha de Financiamento BNDES Exim Pré-embarque Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI Subprograma BNDES PSI Exportação Pré-embarque

Linha de Financiamento BNDES Exim Pré-embarque Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI Subprograma BNDES PSI Exportação Pré-embarque Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AEX Anexos à Circular nº 73, de 21 de dezembro de 2012. Linha de Financiamento BNDES Exim Pré-embarque Programa BNDES de Sustentação do Investimento

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CIRCULAR Nº 18/2009, de 6 de março de 2009

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CIRCULAR Nº 18/2009, de 6 de março de 2009 BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR Nº 18/2009, de 6 de março de 2009 Ref.: Linhas de Financiamento BNDES-exim Pré-embarque, Pré-embarque Ágil, Préembarque Empresa Âncora

Leia mais

As Condições de Financiamento estabelecidas nesta Circular representarão a Condição Operacional Vigente código PO2016.

As Condições de Financiamento estabelecidas nesta Circular representarão a Condição Operacional Vigente código PO2016. Grau: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 44/2015-BNDES Rio de Janeiro, 29 de dezembro de 2015. Ref.: Produtos BNDES Finame, BNDES Finame Agrícola e BNDES Finame Leasing (Circulares

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde BNDES Profarma - Produção

Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde BNDES Profarma - Produção CIRCULAR Nº 44/2010 Rio de Janeiro, 18 de agosto de 2010 Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde BNDES Profarma - Produção O Superintendente

Leia mais

Linha de Financiamento BNDES Exim Pré-embarque Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI Subprograma BNDES PSI Exportação Pré-embarque

Linha de Financiamento BNDES Exim Pré-embarque Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI Subprograma BNDES PSI Exportação Pré-embarque Linha de Financiamento BNDES Exim Pré-embarque Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI Subprograma BNDES PSI Exportação Pré-embarque Anexo A Normas Operacionais BNDES PSI Exportação Pré-embarque

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 2665. II - os créditos destinam-se à reestruturação e capitalização das cooperativas enquadradas no Programa;

RESOLUÇÃO Nº 2665. II - os créditos destinam-se à reestruturação e capitalização das cooperativas enquadradas no Programa; RESOLUÇÃO Nº 2665 Dispõe sobre o Programa de Revitalização de Cooperativas de Produção Agropecuária - RECOOP, de que tratam a Medida Provisória nº 1.898-15, de 1999, e o Decreto nº 2.936, de 1999. O BANCO

Leia mais

Programa BNDES Finame de Aquisição de Peças, Partes e Componentes de Fabricação Nacional, por Fabricantes de Bens de Capital BNDES Finame Componentes

Programa BNDES Finame de Aquisição de Peças, Partes e Componentes de Fabricação Nacional, por Fabricantes de Bens de Capital BNDES Finame Componentes CIRCULAR Nº 23/2011 Rio de Janeiro, 02 de maio de 2011 Ref.: Ass.: Produto BNDES Finame Programa BNDES Finame de Aquisição de Peças, Partes e Componentes de Fabricação Nacional, por Fabricantes de Bens

Leia mais

Ass.: Programa de Financiamento a Caminhoneiros - PROCAMINHONEIRO

Ass.: Programa de Financiamento a Caminhoneiros - PROCAMINHONEIRO CARTA-CIRCULAR N 64/2007 Rio de Janeiro, 20 de dezembro de 2007. Ref.: FINAME e FINAME LEASING Ass.: Programa de Financiamento a Caminhoneiros - PROCAMINHONEIRO O Superintendente da Área de Operações Indiretas,

Leia mais

Programa BNDES Finame de Aquisição de Peças, Partes e Componentes de Fabricação Nacional BNDES Finame Componentes

Programa BNDES Finame de Aquisição de Peças, Partes e Componentes de Fabricação Nacional BNDES Finame Componentes Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 33/2014-BNDES Rio de Janeiro, 15 de agosto de 2014 Ref.: Ass.: Produto BNDES Finame Programa BNDES Finame de Aquisição de Peças,

Leia mais

Produtos BNDES Finame, BNDES Finame Agrícola e BNDES Automático

Produtos BNDES Finame, BNDES Finame Agrícola e BNDES Automático CIRCULAR Nº 35/2010 Rio de Janeiro, 14 de julho de 2010 Ref.: Produtos BNDES Finame, BNDES Finame Agrícola e BNDES Automático Ass.: Programa BNDES Emergencial de Reconstrução dos Estados de Alagoas e Pernambuco

Leia mais

Programa BNDES Finame de Aquisição de Peças, Partes e Componentes de Fabricação Nacional BNDES Finame Componentes

Programa BNDES Finame de Aquisição de Peças, Partes e Componentes de Fabricação Nacional BNDES Finame Componentes Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR Nº 70/2012-BNDES Rio de Janeiro, 28 de novembro de 2012 Ref.: Ass.: Produto BNDES Finame Programa BNDES Finame de Aquisição de Peças, Partes

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CIRCULAR AEX Nº 003/2014, de 26 de fevereiro de 2014

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CIRCULAR AEX Nº 003/2014, de 26 de fevereiro de 2014 BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AEX Nº 003/2014, de 26 de fevereiro de 2014 Altera e consolida as Normas Operacionais da Linha de Financiamento BNDES Exim Pré-embarque

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 2682 RESOLVEU:

RESOLUÇÃO Nº 2682 RESOLVEU: RESOLUÇÃO Nº 2682 Dispõe sobre critérios de classificação das operações de crédito e regras para constituição de provisão para créditos de liquidação duvidosa. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art.

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei nº 5.905/73

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei nº 5.905/73 DECISÃO COREN-RS Nº 133/2013 ESTABELECE NOVA REGULAMENTAÇÃO AO PAGAMENTO DE DÉBITOS DE ANUIDADES JUNTO AO CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL - COREN-RS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Conselho

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 239, de 22 de dezembro de 2003(*)

CIRCULAR SUSEP N o 239, de 22 de dezembro de 2003(*) CIRCULAR SUSEP N o 239, de 22 de dezembro de 2003(*) Altera e consolida as normas que dispõem sobre o pagamento de prêmios relativos a contratos de seguros de danos. O SUPERINTENDENTE DA SUPERINTENDÊNCIA

Leia mais

III - Início de Vigência Art. 3 - O Título entra em vigor na data do primeiro pagamento.

III - Início de Vigência Art. 3 - O Título entra em vigor na data do primeiro pagamento. Pé Quente Bradesco 10 Condições Gerais - Plano PM 60/60 G GLOSSÁRIO Subscritor - é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso de efetuar o pagamento na forma convencionada

Leia mais

OUROCAP 200 ANOS CONDIÇÕES GERAIS - MODALIDADE TRADICIONAL SITE NA INTERNET: www.brasilcap.com GLOSSÁRIO

OUROCAP 200 ANOS CONDIÇÕES GERAIS - MODALIDADE TRADICIONAL SITE NA INTERNET: www.brasilcap.com GLOSSÁRIO OUROCAP 200 ANOS CONDIÇÕES GERAIS - MODALIDADE TRADICIONAL SITE NA INTERNET: www.brasilcap.com GLOSSÁRIO Subscritor - é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso

Leia mais

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Classificação: Ostensivo Capítulo III - PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DAS OPERAÇÕES FORMALIZADAS POR MEIO DE

Leia mais

OUROCAP ESTILO PRÊMIO SITE NA INTERNET : CONDIÇÕES GERAIS MODALIDADE TRADICIONAL GLOSSÁRIO

OUROCAP ESTILO PRÊMIO SITE NA INTERNET :  CONDIÇÕES GERAIS MODALIDADE TRADICIONAL GLOSSÁRIO OUROCAP ESTILO PRÊMIO SITE NA INTERNET : www.brasilcap.com CONDIÇÕES GERAIS MODALIDADE TRADICIONAL GLOSSÁRIO Subscritor - é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO Tricap Empresarial Único 300 TRADICIONAL

CONDIÇÕES GERAIS DO Tricap Empresarial Único 300 TRADICIONAL CONDIÇÕES GERAIS DO Tricap Empresarial Único 300 TRADICIONAL I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: ICATU CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 74.267.170/0001-73 PU 81.2 - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP UNIVERSITÁRIO

CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP UNIVERSITÁRIO CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP UNIVERSITÁRIO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CNPJ: 03.209.092/0001-02

Leia mais

QUESTÕES RELACIONADAS À DECLARAÇÃO SOBRE A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS EM MOEDA ESTRANGEIRA DECORRENTES DO RECEBIMENTO DE EXPORTAÇÕES (DEREX) (IN-SRF

QUESTÕES RELACIONADAS À DECLARAÇÃO SOBRE A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS EM MOEDA ESTRANGEIRA DECORRENTES DO RECEBIMENTO DE EXPORTAÇÕES (DEREX) (IN-SRF Coordenação-Geral de Fiscalização QUESTÕES RELACIONADAS À DECLARAÇÃO SOBRE A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS EM MOEDA ESTRANGEIRA DECORRENTES DO RECEBIMENTO DE EXPORTAÇÕES (DEREX) (IN-SRF nº 726/2007) 1. Quem está

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3211. 1º As contas de depósitos de que trata este artigo:

RESOLUÇÃO Nº 3211. 1º As contas de depósitos de que trata este artigo: RESOLUÇÃO Nº 3211 Altera e consolida as normas que dispõem sobre a abertura, manutenção e movimentação de contas especiais de depósitos à vista e de depósitos de poupança. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na

Leia mais

Alargamento de Prazo das Linhas de Crédito PME Investe - Documento de divulgação - V.1

Alargamento de Prazo das Linhas de Crédito PME Investe - Documento de divulgação - V.1 Ficha Técnica 1. Beneficiários: As empresas que tenham operações enquadradas ou já contratadas ao abrigo das Linhas de Crédito PME Investe e que à data de contratação do alargamento do prazo não tenham

Leia mais

Condições Gerais Big Din Din

Condições Gerais Big Din Din GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso de efetuar o pagamento na forma convencionada nestas Condições Gerais. Titular - é o próprio subscritor

Leia mais

Produtos Bancários CAIXA. Item 4- FIES Financiamento Estudantil

Produtos Bancários CAIXA. Item 4- FIES Financiamento Estudantil Produtos Bancários CAIXA Item 4- FIES Financiamento Estudantil Produtos Bancários CAIXA Item 4- FIES Financiamento Estudantil Produtos Bancários CAIXA Item 4- FIES Financiamento Estudantil FIES Fundo de

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO DE PAGAMENTO MENSAL (CÓDIGO 45.1) VIP MILHÃO

CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO DE PAGAMENTO MENSAL (CÓDIGO 45.1) VIP MILHÃO CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO DE PAGAMENTO MENSAL (CÓDIGO 45.1) VIP MILHÃO CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO DE PAGAMENTO MENSAL - CÓDIGO 50 GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CIRCULAR Nº 195, de 28 de julho de 2006

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CIRCULAR Nº 195, de 28 de julho de 2006 BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR Nº 195, de 28 de julho de 2006 Normas Reguladoras do Produto FINAME O Superintendente da Área de Operações Indiretas, tendo em vista

Leia mais

CG DA MODALIDADE POPULAR PM CONDIÇÕES GERAIS DO CAP SORTE DO MILHÃO

CG DA MODALIDADE POPULAR PM CONDIÇÕES GERAIS DO CAP SORTE DO MILHÃO CG DA MODALIDADE POPULAR PM CONDIÇÕES GERAIS DO CAP SORTE DO MILHÃO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A CNPJ: 03.209.092/0001-02 SANTANDER CAP SORTE DO MILHÃO

Leia mais

PROGRAMA BNDES-exim PRÉ-EMBARQUE REGULAMENTO

PROGRAMA BNDES-exim PRÉ-EMBARQUE REGULAMENTO PROGRAMA BNDES-exim PRÉ-EMBARQUE REGULAMENTO 1. OBJETIVO Financiar na fase pré-embarque a produção, para exportação, dos bens indicados na Relação de Produtos Financiáveis aprovada pelo BNDES. 2. BENEFICIÁRIA

Leia mais

PLANO ITAÚ DE CAPITALIZAÇÃO PLIN DOS SONHOS CIA ITAÚ DE CAPITALIZAÇÃO PROCESSO SUSEP 15414.002933/2008-11

PLANO ITAÚ DE CAPITALIZAÇÃO PLIN DOS SONHOS CIA ITAÚ DE CAPITALIZAÇÃO PROCESSO SUSEP 15414.002933/2008-11 PLANO ITAÚ DE CAPITALIZAÇÃO PLIN DOS SONHOS CIA ITAÚ DE CAPITALIZAÇÃO PROCESSO SUSEP 15414.002933/2008-11 CONDIÇÕES GERAIS PLIN DOS SONHOS MODALIDADE TRADICIONAL GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve

Leia mais

DOS ÍNDICES DE ATUALIZAÇÃO E DOS JUROS MORATÓRIOS CAPÍTULO I DA ATUALIZAÇÃO DOS VALORES CONTRATADOS

DOS ÍNDICES DE ATUALIZAÇÃO E DOS JUROS MORATÓRIOS CAPÍTULO I DA ATUALIZAÇÃO DOS VALORES CONTRATADOS Fls. 3 da CIRCULAR SUSEP N o 255, de 4 de junho de 2004. CIRCULAR SUSEP N o 255, de 4 de junho de 2004 ANEXO I DOS ÍNDICES DE ATUALIZAÇÃO E DOS JUROS MORATÓRIOS CAPÍTULO I DA ATUALIZAÇÃO DOS VALORES CONTRATADOS

Leia mais

INSTRUÇÃO CONJUNTA Nº. 2, DE XXX DE XXXXXXXXXX DE 2016.

INSTRUÇÃO CONJUNTA Nº. 2, DE XXX DE XXXXXXXXXX DE 2016. INSTRUÇÃO CONJUNTA Nº. 2, DE XXX DE XXXXXXXXXX DE 2016. Estabelece as regras a serem observadas pelas sociedades seguradoras e entidades fechadas de previdência complementar para transferência de riscos

Leia mais

LEI Nº, DE DE 2003. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº, DE DE 2003. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: PROJETO DE LEI LEI Nº, DE DE 2003 Dispõe sobre o Plano Plurianual para o período 2004/2007. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º

Leia mais

Financiamento ao Setor de Gás e Petróleo Políticas Operacionais Março/2004

Financiamento ao Setor de Gás e Petróleo Políticas Operacionais Março/2004 Financiamento ao Setor de Gás e Petróleo Políticas Operacionais Março/2004 Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural PROMINP 1º Fórum Regional Rio Grande do Norte 05 de Março

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento da Utilização do Cartão BNDES

SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento da Utilização do Cartão BNDES SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento da Utilização do Cartão BNDES IMPORTANTE: LEIA ESTE SUMÁRIO COM ATENÇÃO Este Sumário apresenta um resumo das principais informações que o Portador e a Beneficiária

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL DEPARTAMENTO DE AÇÕES EM SAÚDE

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL DEPARTAMENTO DE AÇÕES EM SAÚDE NOTA TÉCNICA Assunto: Leitos de Saúde Mental Integral DA HABILITAÇÃO 1. No Estado do Rio Grande do Sul, os leitos de saúde mental integral terão duas formas de habilitação: federal, quando se tratarem

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Incentivo à Armazenagem para Empresas e Cooperativas Cerealistas Nacionais BNDES Cerealistas

Ass.: Programa BNDES de Incentivo à Armazenagem para Empresas e Cooperativas Cerealistas Nacionais BNDES Cerealistas Grau: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 19/2016-BNDES Rio de Janeiro, 07 de abril de 2016 Ref.: Produtos BNDES Automático e BNDES Finame Agrícola Ass.: Programa BNDES de Incentivo

Leia mais

Consórcio Imobiliário. Utilização do FGTS

Consórcio Imobiliário. Utilização do FGTS REGRAS GERAIS Nº 6565.047.002 Versão 2 Consórcio Imobiliário Utilização do FGTS (amortização extraordinária / liquidação do saldo devedor e pagamento de parte das parcelas) Elaborado em: 01/11/2013 REQUISITOS

Leia mais

CIRCULAR Nº 2957. c) desconto de notas promissórias; i) adiantamentos sobre contratos de câmbio;

CIRCULAR Nº 2957. c) desconto de notas promissórias; i) adiantamentos sobre contratos de câmbio; CIRCULAR Nº 2957 Dispõe sobre a prestação de informações relativas a operações de crédito praticadas no mercado financeiro. A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada em 28 de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 748, DE 2 JULHO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 748, DE 2 JULHO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº 748, DE 2 JULHO DE 2015. Disciplina o pagamento do Abono Salarial referente ao exercício de 2015/2016. O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador - CODEFAT, no uso das atribuições

Leia mais

Mix Legal Express. Este documento faz parte do Sistema de Gestão da Qualidade da FecomercioSP

Mix Legal Express. Este documento faz parte do Sistema de Gestão da Qualidade da FecomercioSP Mix Legal Express Data 03/01/2013 Tipo Informativo Jurídico N 3/14 Este documento faz parte do Sistema de Gestão da Qualidade da FecomercioSP Caso não consiga visualizar este e-mail, acesse o link: http://www.fecomercio.com.br/mail/mixlegal.php?edicao=639

Leia mais

Parcelamento. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional -PGFN Receita Federal do Brasil - RFB

Parcelamento. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional -PGFN Receita Federal do Brasil - RFB Parcelamento Lei nº 11.941/2009 Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional -PGFN Receita Federal do Brasil - RFB Informações Gerais Origem: conversão da MP 449, de 04.12.2008. Publicação: 28.05.2009. Vedação:

Leia mais

Mínimo de abertura: Não aplicável. Não aplicável (conta não remunerada)

Mínimo de abertura: Não aplicável. Não aplicável (conta não remunerada) Designação Conta Ordenado Condições de Acesso Clientes Particulares, que efetuem a domiciliação do seu ordenado, através de transferência bancária codificada como ordenado. Modalidade Depósito à Ordem

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO CEM

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO CEM CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO CEM I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO CEM PLANO PU 36/001 C - MODALIDADE:

Leia mais

RESOLUÇÃO CGPC Nº 04, DE 30 DE JANEIRO DE 2002.

RESOLUÇÃO CGPC Nº 04, DE 30 DE JANEIRO DE 2002. RESOLUÇÃO CGPC Nº 04, DE 30 DE JANEIRO DE 2002. Estabelece critérios para registro e avaliação contábil de títulos e valores mobiliários das entidades fechadas de previdência complementar. O PLENÁRIO DO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.416, DE 22 DE JUNHO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 4.416, DE 22 DE JUNHO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 4.416, DE 22 DE JUNHO DE 2015 Ajusta as normas a serem aplicadas às operações contratadas no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), a partir de 1º

Leia mais

FIES Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior

FIES Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior FIES Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior O FIES é um programa do Ministério da Educação destinado a financiar a graduação na educação superior de estudantes matriculados em instituições

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 247, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2006

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 247, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2006 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 247, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2006 Estabelece as condições para a comercialização de energia elétrica, oriunda de empreendimentos de geração

Leia mais

REGULAMENTO DA CAMPANHA COMBO REDECARD E ITAÚ ( Regulamento )

REGULAMENTO DA CAMPANHA COMBO REDECARD E ITAÚ ( Regulamento ) REGULAMENTO DA CAMPANHA COMBO REDECARD E ITAÚ ( Regulamento ) I. OBJETIVOS DA CAMPANHA: 1.1. Por meio desse Regulamento, Itaú Unibanco S.A. ( Itaú ) e Redecard S.A. ( Redecard ) pretendem criar uma campanha

Leia mais

FIN Ficha de Informação Normalizada

FIN Ficha de Informação Normalizada Designação Conta NB 100% Condições de acesso Modalidade Pessoas Singulares, maiores, residentes e não residentes em Portugal. Exclui-se a sua utilização por ENI s ou Profissionais Liberais no âmbito da

Leia mais

Regulamento CRÉDITO CONSIGNADO INSS PREMIADO

Regulamento CRÉDITO CONSIGNADO INSS PREMIADO Regulamento CRÉDITO CONSIGNADO INSS PREMIADO O Banco Santander (Brasil) S/A, pessoa jurídica de direito privado, inscrito no CNPJ sob o nº 90.400.888/0001-42, adquirirá da Santander Capitalização S.A,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PROJETO TAMAR

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PROJETO TAMAR I INFORMAÇÕES INICIAIS CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PROJETO TAMAR SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO PROJETO TAMAR PLANO PM 60/60

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES Procaminhoneiro

Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES Procaminhoneiro Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR Nº 34/2012-BNDES Rio de Janeiro, 23 de maio de 2012 Ref.: Produtos BNDES Finame e BNDES Finame Leasing Ass.: Programa BNDES de Financiamento

Leia mais

RESOLUÇÃO CNSP Nº 30, DE 2000.

RESOLUÇÃO CNSP Nº 30, DE 2000. RESOLUÇÃO CNSP Nº 30, DE 2000. Dispõe sobre o Seguro Rural e o Fundo de Estabilidade do Seguro Rural FESR, de sua fiscalização e controle pela Superintendência de Seguros Privados - SUSEP e dá outras providências.

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO TC SUPER SORTE

CONDIÇÕES GERAIS DO TC SUPER SORTE Página 1 de 8 CONDIÇÕES GERAIS DO TC SUPER SORTE I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: HSBC Empresa de Capitalização (Brasil) S.A. CNPJ: 33.425.075/0001-73 TC SUPER SORTE MODALIDADE: TRADICIONAL

Leia mais

Receita Federal. Estudo das Convenções.

Receita Federal. Estudo das Convenções. Estudo das Convenções. 01. Calcule o montante da aplicação de R$ 10.000,00 por quatro meses e vinte dias, à taxa composta de 6% ao mês. Questões de Concursos 01. (Contador RJ) Um capital de R$ 200,00 foi

Leia mais

PORTARIA N o 86, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015 (Publicada no D.O.U. de 23/12/2015)

PORTARIA N o 86, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015 (Publicada no D.O.U. de 23/12/2015) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR PORTARIA N o 86, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015 (Publicada no D.O.U. de 23/12/2015) Altera a Portaria SECEX n o 23,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO TC HIPER CHANCE

CONDIÇÕES GERAIS DO TC HIPER CHANCE CONDIÇÕES GERAIS DO TC HIPER CHANCE I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: HSBC Empresa de Capitalização (Brasil) S.A. CNPJ: 33.425.075/0001-73 TC HIPER CHANCE- MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO CAP FIADOR MAIS. SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Brasilcap Capitalização S.A. CNPJ: 15.138.043/0001-05 CAP FIADOR MAIS

CONDIÇÕES GERAIS DO CAP FIADOR MAIS. SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Brasilcap Capitalização S.A. CNPJ: 15.138.043/0001-05 CAP FIADOR MAIS CONDIÇÕES GERAIS DO CAP FIADOR MAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Brasilcap Capitalização S.A. CNPJ: 15.138.043/0001-05 CAP FIADOR MAIS MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.900427/2013-48

Leia mais

BB SEGURO CRÉDITO PROTEGIDO

BB SEGURO CRÉDITO PROTEGIDO BB SEGURO CRÉDITO PROTEGIDO Contrato de Seguro Processo SUSEP Nº 15414.003063/2009-70 COMPANHIA DE SEGUROS ALIANÇA DO BRASIL - CNPJ: 28.196.889/0001-43 Serviço de Atendimento aos Clientes (SAC): 0800 729

Leia mais

Contrato de Opção de Venda sobre Índice da Taxa Média de Operações Compromissadas de Um Dia (ITC) com Lastro em Títulos Públicos Federais

Contrato de Opção de Venda sobre Índice da Taxa Média de Operações Compromissadas de Um Dia (ITC) com Lastro em Títulos Públicos Federais Contrato de Opção de Venda sobre Índice da Taxa Média de Operações Compromissadas de Um Dia (ITC) com Lastro em Títulos Públicos Federais Especificações 1. Definições Contrato (especificações): Contrato

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO A PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA DAS FACULDADES INTEGRADAS EINSTEIN DE LIMEIRA PAPIC- EINSTEIN

PROGRAMA DE APOIO A PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA DAS FACULDADES INTEGRADAS EINSTEIN DE LIMEIRA PAPIC- EINSTEIN PROGRAMA DE APOIO A PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA DAS FACULDADES INTEGRADAS EINSTEIN DE LIMEIRA PAPIC- EINSTEIN EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DO PAPIC- EINSTEIN Nº 01/2015 A Comissão Científica do

Leia mais

[SPG VOL.IV MANUAL DE ATIVIDADES - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA DE PREÇOS DE PETRÓLEO ]

[SPG VOL.IV MANUAL DE ATIVIDADES - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA DE PREÇOS DE PETRÓLEO ] 2009 [SPG VOL.IV MANUAL DE ATIVIDADES - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA DE PREÇOS DE PETRÓLEO ] Descrição das atividades, por etapas sistemáticas, que compõe a atividade de Auditoria de Preços Referenciais

Leia mais

SC SKY FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS FINANCIAMENTO A CONCESSIONÁRIAS CNPJ/MF Nº 12.796.046/0001-48

SC SKY FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS FINANCIAMENTO A CONCESSIONÁRIAS CNPJ/MF Nº 12.796.046/0001-48 SC SKY FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS FINANCIAMENTO A CONCESSIONÁRIAS CNPJ/MF Nº 12.796.046/0001-48 ATA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE COTISTAS REALIZADA EM 9 DE DEZEMBRO DE 2014

Leia mais

Ref.: Produtos BNDES Finame, BNDES Finame Agrícola e BNDES Finame Leasing

Ref.: Produtos BNDES Finame, BNDES Finame Agrícola e BNDES Finame Leasing CIRCULAR N 10/2013-BNDES Rio de Janeiro, 10 de abril de 2013. Ref.: Produtos BNDES Finame, BNDES Finame Agrícola e BNDES Finame Leasing Ass.: Procedimentos para envio de documentação referente à Proposta

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP TORCIDA BRASIL

CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP TORCIDA BRASIL CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP TORCIDA BRASIL I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Brasilcap Capitalização S.A. CNPJ: 15.138.043/0001-05 OUROCAP TORCIDA BRASIL MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO

Leia mais

Super PIC Ano Novo 2009 PIC - Plano Itaú de Capitalização. Cia Itaú de Capitalização

Super PIC Ano Novo 2009 PIC - Plano Itaú de Capitalização. Cia Itaú de Capitalização Super PIC Ano Novo 2009 PIC - Plano Itaú de Capitalização 1. CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS Sociedade de Capitalização: Cia Itaú de Capitalização CNPJ: 23.025.711/0001-16 Super PIC Ano Novo -

Leia mais

b) É necessária a apresentação dessa CONSULTA PRÉVIA nos seguintes casos:

b) É necessária a apresentação dessa CONSULTA PRÉVIA nos seguintes casos: 0BAnexo V à Circular nº 33/2011, de 01.09.2011 1BROTEIRO DE INFORMAÇÕES MÍNIMAS PARA CONSULTA PRÉVIA FINANCIAMENTO À COMPRADORA Formatado: Não ajustar espaço entre o texto latino e asiático Formatado:

Leia mais

1. Público - Alvo O FUNDO destina-se a receber aplicações de recursos pelo público em geral, desde que sejam clientes do Banco Citibank S.A.

1. Público - Alvo O FUNDO destina-se a receber aplicações de recursos pelo público em geral, desde que sejam clientes do Banco Citibank S.A. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FRANKLIN MAXI ACOES FUNDO DE INVESTIMENTO EM ACOES CNPJ: 09.217.033/0001-62 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

MANUAL DE ORGANIZAÇÃO ELETROS Norma Regulamentadora Empréstimo Financeiro Plano CD-Eletrobrás

MANUAL DE ORGANIZAÇÃO ELETROS Norma Regulamentadora Empréstimo Financeiro Plano CD-Eletrobrás 1 FINALIDADE 1.1 Esta Norma estabelece as condições e os procedimentos para a concessão de ao participante ativo, ao participante assistido ou beneficiário (pensionista), ao participante autopatrocinador

Leia mais

RESOLUÇÃO N 3360. a) beneficiários: cafeicultores, em financiamentos contratados diretamente ou mediante repasse por suas cooperativas;

RESOLUÇÃO N 3360. a) beneficiários: cafeicultores, em financiamentos contratados diretamente ou mediante repasse por suas cooperativas; RESOLUÇÃO N 3360 Documento normativo revogado pela Resolução 3.451, de 05/04/2007. Institui, ao amparo de recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé), linhas de crédito destinadas ao financiamento

Leia mais

CARTA-CIRCULAR Nº 2609

CARTA-CIRCULAR Nº 2609 CARTA-CIRCULAR Nº 2609 Regulamenta a aplicação de multas decorrentes do registro de dados no Sistema de Registro de Operações de Credito com o Setor Publico - CADIP Tendo em vista o disposto no Art. 5,

Leia mais

Ass.: Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras MODERFROTA

Ass.: Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras MODERFROTA CIRCULAR SUP/AGRIS Nº 13/2016-BNDES Rio de Janeiro, 07 de junho de 2016 Ref.: FINAME AGRÍCOLA Ass.: Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras MODERFROTA

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 309, DE 24 DE OUTUBRO DE 2012 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 309, DE 24 DE OUTUBRO DE 2012 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 309, DE 24 DE OUTUBRO DE 2012 Dispõe sobre o agrupamento de contratos coletivos de planos privados de assistência à saúde para fins de cálculo e aplicação de reajuste. [correlações]

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO ADVANCED 01.919.

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO ADVANCED 01.919. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO ADVANCED 01.919.660/0001-33 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP Nº 46, DE 2001.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP Nº 46, DE 2001. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP Nº 46, DE 2001. Dispõe sobre o Seguro Rural e o Fundo de Estabilidade do Seguro Rural FESR, de sua administração e controle por

Leia mais

CARTILHA SOBRE NOÇÕES BÁSICAS DA EXECUÇÃO DA DESPESA PÚBLICA

CARTILHA SOBRE NOÇÕES BÁSICAS DA EXECUÇÃO DA DESPESA PÚBLICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE UNICENTRO PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS - PROAF DIRETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DIRFIN CARTILHA SOBRE NOÇÕES BÁSICAS DA EXECUÇÃO DA DESPESA PÚBLICA

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS DIVIDENDOS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES CNPJ/MF:

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS DIVIDENDOS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES CNPJ/MF: LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS DIVIDENDOS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo

Leia mais

EXEMPLOS DE CÁLCULO - FGI

EXEMPLOS DE CÁLCULO - FGI EXEMPLOS DE CÁLCULO - FGI O cálculo do Encargo por Concessão de Garantia (ECG); a apuração do Índice de Cobertura de Inadimplência (ICI) e do Limite Disponível de Cobertura de Inadimplência (LDC); o cálculo

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS DA FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM CAPÍTULO I DO PROGRAMA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS DA FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM CAPÍTULO I DO PROGRAMA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS DA FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM CAPÍTULO I DO PROGRAMA Art. 1. O presente Regulamento disciplina o processo

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS RN 309/2012

PERGUNTAS E RESPOSTAS RN 309/2012 PERGUNTAS E RESPOSTAS RN 309/2012 01 - Qual a finalidade do agrupamento de contratos? O agrupamento de contratos visa o cálculo e aplicação de um reajuste único, com a finalidade de promover a distribuição

Leia mais

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS (1) DOS TÍTULOS DA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL REGISTRADOS NO SISTEMA ESPECIAL DE LIQUIDAÇÃO E DE CUSTÓDIA (SELIC) (2)

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS (1) DOS TÍTULOS DA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL REGISTRADOS NO SISTEMA ESPECIAL DE LIQUIDAÇÃO E DE CUSTÓDIA (SELIC) (2) PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS (1) DOS TÍTULOS DA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL REGISTRADOS NO SISTEMA ESPECIAL DE LIQUIDAÇÃO E DE CUSTÓDIA (SELIC) (2) TÍTULOS DE RESPONSABILIDADE DO TESOURO NACIONAL (3) BTN Bônus

Leia mais

Disciplina o pagamento do Abono Salarial referente ao exercício de 2016/2017.

Disciplina o pagamento do Abono Salarial referente ao exercício de 2016/2017. Resolução CODEFAT nº 748, de 29.06.2016 - DOU de 01.07.2016 Disciplina o pagamento do Abono Salarial referente ao exercício de 2016/2017. O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador - CODEFAT,

Leia mais

Plano de Capitalização de Pagamento Único PU 500

Plano de Capitalização de Pagamento Único PU 500 Plano de Capitalização de Pagamento Único PU 500 (Ourocap PU500) Processo SUSEP nº 15414.2653/98-15 CONDIÇÕES GERAIS 1 Definições Para os fins destas Condições Gerais, prevalecem as seguintes definições:

Leia mais

Dispõe sobre o módulo e a movimentação dos integrantes do Quadro de Apoio Escolar QAE e do Quadro da Secretaria da Educação QSE

Dispõe sobre o módulo e a movimentação dos integrantes do Quadro de Apoio Escolar QAE e do Quadro da Secretaria da Educação QSE terça-feira, 3 de maio de 2016 Diário Oficial Poder Executivo - Seção I São Paulo, 126 (80) 31- Resolução SE 29, de 2-5-2016 Dispõe sobre o módulo e a movimentação dos integrantes do Quadro de Apoio Escolar

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO CFM Nº 1.975/2011 (Publicada no D.O.U. de 29 de julho de 2011, Seção I, p. 336-337) Revogada pela Resolução CFM nº 1979/2011 Fixa os valores das anuidades e taxas

Leia mais

ANEXO 6 MODELOS E CONDIÇÕES MÍNIMAS PARA GARANTIA CONTRATUAL

ANEXO 6 MODELOS E CONDIÇÕES MÍNIMAS PARA GARANTIA CONTRATUAL ANEXO 6 MODELOS E CONDIÇÕES MÍNIMAS PARA GARANTIA CONTRATUAL Condições Mínimas Para Contratos de Seguros e Prestação de Garantias Termos e Condições Mínimas do Seguro-Garantia 1 Tomador 1.1 Concessionária

Leia mais

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº 16.590.234/0001-76 NIRE 31.300.025.91-8

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº 16.590.234/0001-76 NIRE 31.300.025.91-8 AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº 16.590.234/0001-76 NIRE 31.300.025.91-8 AVISO AOS ACIONISTAS RETIFICAÇÃO DOS VALORES DO AUMENTO DE CAPITAL QUE CONSTARAM NA ATA DA REUNIÃO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053303/2012 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DO RIO DE JANEIRO, CNPJ n. 33.644.360/0001-85, neste ato representado(a) por seu Vice-Presidente,

Leia mais

Contrato de Swap Cambial com Ajuste Periódico Baseado em Operações Compromissadas de Um Dia

Contrato de Swap Cambial com Ajuste Periódico Baseado em Operações Compromissadas de Um Dia Contrato de Swap Cambial com Ajuste Periódico Baseado em Operações Compromissadas de Um Dia Especificações 1. Definições Contrato (especificações): Contrato negociado: Posição Atualizada do Dia: Ponta

Leia mais

ALGODÃO Período: 06 a 10/04/2015

ALGODÃO Período: 06 a 10/04/2015 ALGODÃO Período: 06 a 0/04/205 Quadro I- PREÇO PAGO AO PRODUTOR Algodão em Pluma - (em R$/unidade) Períodos anteriores () Centros de Produção Unid. 2 Meses Mês Semana Média do mercado () Semana Atual Preço

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC SELEÇÃO TOP AÇÕES 02.436.763/0001-05 Informações referentes a Junho de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC SELEÇÃO TOP AÇÕES 02.436.763/0001-05 Informações referentes a Junho de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC SELEÇÃO TOP AÇÕES 02.436.763/0001-05 Informações referentes a Junho de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CARTA-CIRCULAR Nº 62/2007 Rio de Janeiro, 10 de dezembro de 2007

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CARTA-CIRCULAR Nº 62/2007 Rio de Janeiro, 10 de dezembro de 2007 BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CARTA-CIRCULAR Nº 62/2007 Rio de Janeiro, 10 de dezembro de 2007 Ref.: Linha de Financiamento BNDES-exim Pré-embarque (Circular nº 174, de 22.04.2002,

Leia mais

Professor Jaime Arturo Ramírez Presidente do Conselho Universitário

Professor Jaime Arturo Ramírez Presidente do Conselho Universitário RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N o 02/2014, DE 10 DE JUNHO DE 2014 Dispõe sobre regimes de trabalho docente; encargos docentes; concessão, reversão de classe e alteração de regime de trabalho de vaga de magistério

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL CONTRIBUIÇÃO SINDICAL É OBRIGATÓRIA!

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL CONTRIBUIÇÃO SINDICAL É OBRIGATÓRIA! CONTRIBUIÇÃO SINDICAL CONTRIBUIÇÃO SINDICAL É OBRIGATÓRIA! CONTRIBUIÇÃO SINDICAL É BRIGATÓRIA A Contribuição Sindical, prevista no art. 578 da CLT e capítulos seguintes, tem caráter obrigatório, sendo

Leia mais

RESOLUÇÃO CNPC Nº, DE DE DE 2012

RESOLUÇÃO CNPC Nº, DE DE DE 2012 MINUTA MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho Nacional de Previdência Complementar RESOLUÇÃO CNPC Nº, DE DE DE 2012 Dispõe sobre as retiradas de patrocinador e de instituidor no âmbito do regime de

Leia mais

Quadro comparativo do Projeto de Lei do Senado nº 253, de 2005

Quadro comparativo do Projeto de Lei do Senado nº 253, de 2005 1 Regulamenta os 12 e 13 do art. 201 e o 9º do art. Regulamenta os 12 e 13 do art. 201 da 195 da Constituição Federal, para dispor sobre o Constituição Federal, para dispor sobre o sistema sistema especial

Leia mais

Financiamento ao Fomento Florestal

Financiamento ao Fomento Florestal Financiamento ao Fomento Florestal 03/10/2012 FINANCIAMENTO A PROJETOS DE FOMENTO FLORESTAL Programa para Redução da Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura Programa ABC / BNDES Automático 1 Agenda

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 482 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO MENSAL CONDIÇÕES GERAIS

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 482 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO MENSAL CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.302/0001-94 APLUBCAP POPULAR 482 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.901942/2013-45 II - GLOSSÁRIO Subscritor

Leia mais