OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 24

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 24"

Transcrição

1 OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 24 categoria Patrimônio Imaterial sub-categoria Celebrações município Ouro Preto distrito São Bartolomeu designação FESTA DE SÃO BARTOLOMEU E DO DIVINO ESPÍRITO SANTO informações históricas Não se conhece muito sobre a vida de São Bartolomeu. Acredita-se que ele é Natanael, um dos Apóstolos de Cristo, aquele a que Jesus se referiu como "o israelita verdadeiro em quem não há fingimento" (Jo 1,45-51). Os únicos relatos históricos sobre sua existência são os mencionados nas passagens bíblicas que testemunham a missão em terra do Enviado de Deus e de seus fiéis seguidores. Num total de doze, Bartolomeu seria o sexto escolhido a propagar os ensinamentos cristãos. Ele se tornou digno da companhia de Jesus por meio de seu amigo Filipe, outro Apóstolo, cujo encontro foi descrito sucintamente num episódio do Evangelho de São João. Até esse primeiro contato com o Messias, demonstrava-se sempre descrente e irônico em relação às coisas de Deus. Depois, tornou-se digno da convivência de quase toda a sua missão, compartilhando de seus milagres e conselhos com os demais apóstolos. Filho de Tholmai, o agricultor, Bartolomeu nasceu em Caná, na Galiléia, uma pequena aldeia distante alguns quilômetros de Nazaré, local onde foi realizado o milagre da transformação da água em vinho. Dedicou-se à pescaria até se tornar um discípulo do Messias, acompanhando-o até a sua morte, glorificação e elevação ao reino de Deus. Em seguida, entregou-se à missão de propagar as Palavras pelo Oriente, onde veio a ser martirizado. Pregou o Evangelho em áreas como Irã, Índia, Armênia e Síria, convertendo muitos a Cristo, mesmo com todas as dificuldades provenientes das diferenças culturais e de idiomas. Acredita-se também que ele passou pela Mesopotania, Pérsia e Egito. Especula-se que Bartolomeu teria morrido na Armênia Maior, vítima de uma conspiração. Após converter o rei Polímio e mais de doze cidades da região, sacerdotes pagãos motivados pela inveja insuflaram o irmão do rei, Astiages, até conseguirem uma ordem para matar o apóstolo cristão. Os oficiais armênios seguiram a determinação de que retirassem toda a sua pele e, não sendo o suficiente, que o degolassem. Bartolomeu foi esfolado e decapitado no ano 51 d.c. Outras versões afirmam que ele foi apedrejado e logo em seguida crucificado. Embora dedicasse à sua missão apostólica, foi a partir do martírio que Bartolomeu deu mostras de santidade, atendendo todas as preces e realizando milagres. Hoje ele é venerado em várias partes do mundo, sendo considerado patrono dos alfaiates, padeiros e sapateiros. Em Florença, na Itália, também o invocam como padroeiro. Sua festa é celebrada todos os anos no dia 24 de agosto. Nas margens do Rio das Velhas, era comum a fixação de homens, que se embrenhavam pelo cerrado da região das Minas em busca de ouro e pedras preciosas. Desde a terça parte do século XVII, o curso do rio foi usado como uma das principais entradas das bandeiras vindas de São Paulo. Atualmente o Rio das Velhas corta o distrito ouropretano de São Bartolomeu, e foi a partir da fixidez de um desses acampamentos em suas margens, que se originou a povoação, no final do século XVII, antes mesmo da descoberta do ouro preto por aquelas bandas. A primeira capela erguida na povoação, dedicada à Nossa Senhora do Rosário, foi levantada próxima à margem do ribeirão, no centro da vila, de onde se irradiou o processo de povoamento do lugar. Na fazenda do Rocha, ao norte do aglomerado urbano da localidade, foi construída também uma ermida dedicada a São Bartolomeu. Edificada no alto de um morro, a Capela de São Bartolomeu foi acometida de um incêndio após a queda de um raio. Conta a lenda, que, entre as chamas que destruíram totalmente a igrejinha, a imagem de São Bartolomeu foi salva, e a devoção a ele foi ampliada e reforçada com o dito milagre. Os moradores locais decidiram levantar outra capela dedicada ao santo e escolheram como o local mais apropriado o mesmo terreno onde se encontrava a Igreja do Rosário, vislumbrando naquele espaço, além da localização mais central, a proteção ideal, tanto dos raios quanto das enchentes do rio. A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário não aceitou a proposta e um impasse foi criado, dividindo os moradores do povoado. Após a contenda, decidiu-se por elevar um templo dedicado ao santo, porém respeitando a construção da primitiva capela. A obra teve início em 1711 e, conforme o acordo, preservou-se o altar-mor e os retábulos laterais da antiga Capela do Rosário, que até hoje fazem parte da lateral direita da Igreja de São Bartolomeu. A devoção ao santo estendeu-se e solidificou-se também com outro evento, ao qual atribuem a intervenção milagrosa de São Bartolomeu. Durante a Guerra dos Emboabas ( ), a povoação estava para ser invadida pelo exército lusitano, que nitidamente era mais preparado militarmente e contava com maior arsenal de guerra do que os paulistas que habitavam o lugar. Um dos moradores buscou a imagem de São Bartolomeu e colocou-a, para protegerlhes, à frente do exército local, aguardando o ataque português. Reza a oralidade que, quando os emboabas chegaram para atacar a povoação, a efígie foi erguida e o reflexo solar que se fez a partir da faca, indumentária do santo, cegou parte dos inimigos que fugiram derrotados, nem chegando a se configurar o conflito real. Esse é um dos principais milagres atribuídos à imagem de São Bartolomeu. Em 1716, a povoação, já denominada de São Bartolomeu, tornava-se freguesia. Com o alvará de 16 de janeiro de 1724, a freguesia passou à colativa subordinada diretamente à Cúria de Mariana, o que conferia certo grau de autonomia e reconhecimento do potencial do lugar. A Igreja de São Bartolomeu foi construída com suntuosidade e teve os altares cobertos de ouro, demonstrando a abundância do mineral na época de construção do templo e a opulência da fé dedicada ao padroeiro. O requinte nas manifestações de fé e religiosidade é próprio do universo barroco daquela época, e, no caso da capitania das Minas Gerais da América Portuguesa, esse ambiente foi atravessado por singularidades geográficas, sociais, étnicas que lhe conferiram status de excepcionalidade cultural e arquitetônica, ecoada até a atualidade. As demonstrações de fé dispensadas a São Bartolomeu são marcadas e potencializadas pelos sinais de intervenção milagrosa do santo em prol da população do local. Para além dos relatos acima, é corriqueiro ouvir dos moradores do lugar que o apóstolo deixava o seu altar para socorrer pessoas a se afogar nas águas do Rio Das Velhas e ainda para salvar objetos e animais que desciam o rio na época de enchentes. Segundo a tradição oral, as andanças de São Bartolomeu pelo povoado nessas ocasiões eram comprovadas pelas marcas de lama na barra das vestes do santo. Assim, é possível afirmar que a origem e o desenvolvimento do distrito estão consideravelmente integrados ao culto a São Bartolomeu. No que diz respeito à festa de comemoração ao padroeiro, essa se estabelece e se sustenta na devoção e na tradição que empreendem as muitas gerações dos habitantes do local, por esses quase três séculos de existência, nas comemorações em torno do santo. Mesmo nos momentos críticos que assolaram a localidade, a página 135 I 148

2 informações iconográficas caracterização proteção legal informações descritivas festa do padroeiro sempre teve continuidade. A contingência econômica do local provoca grande êxodo dos seus moradores, desde os meados do século XVIII, quando da retração da produção mineral. Simultâneo ao processo de exploração mineral, a produção de gêneros alimentícios também se sobressaía, abastecendo Vila Rica. Além da lavoura de gêneros primários, como milho, feijão e hortaliças, o cultivo de frutas (goiaba, cidra, laranja, marmelo) e a fabricação dos doces delas feitos foram sempre motivo de destaque de São Bartolomeu.Ainda hoje o distrito é famoso pelos doces que apresenta, vendidos em vários pontos da região de Ouro Preto. Em virtude do esgotamento das reservas minerais, durante o século XIX e parte do XX, a localidade apoiou-se no comércio desses produtos para se sustentar. Assim, embora não haja o dinamismo dos momentos originários da povoação, no século do ouro, São Bartolomeu (re)configura-se e refaz-se por outros meios e por outras potencialidades descobertas. Nesse sentido, a festa de São Bartolomeu, como uma marcas consistente do lugarejo, é atravessada pelos novos tempos e pelos novos atores sociais que a têm como um traço da identidade e da perenidade dessa pequena localidade ouropretana. As comemorações ao padroeiro são celebradas continuamente, no curso do tempo histórico, com a intervenção e o envolvimento da comunidade na sua realização, na sua condução e no seu sucesso, colocandoas entre as mais famosas e visitadas dos distritos de Ouro Preto, seja pela pelo aspecto devocional dispensado ao apóstolo galileu, seja pelo brilhantismo das atividades que compõem as festividades. São Bartolomeu, enquanto um dos apóstolos, é representado descalço e com uma única túnica, pois, segundo uma tradição do Evangelho (Lucas, 10:4), estes não usam sandálias e nem outra vestimenta. Suas imagens podem se apresentar de duas formas diferentes: vestindo túnica, segurando o rolo da "nova Lei" ou um livro por uma das mãos e, pela outra, aparando uma faca; ou seminu, tendo um dos braços erguidos demonstrando-o esfolado. Encontra-se às vezes um demônio a seus pés, provavelmente denotando a perseguição dos sacerdotes pagãos que encomendaram sua morte. A escultura de São Bartolomeu do distrito que leva seu nome em Ouro Preto exibe o santo vestido de túnica longa na cor azul. Sobre este, um manto vermelho passando pelo ombro esquerdo. Ela exibe uma faca na mão direita e um livro fechado na esquerda, em alusão ao esfolamento e ao trabalho missionário evangelizador, respectivamente. Junto ao seu pé esquerdo, caído como se vencido, aparece a efígie de lúcifer. A Casa da Festa, ligada ao Centro de Memória de São Bartolomeu, importante entidade do distrito que funciona desde a década de 1980, tem o seu foco de atuação na conservação e promoção das manifestações e potencialidades culturais do distrito. A direção da Casa da Festa ocupou-se de re-introduzir algumas características relacionadas à tradição festiva de São Bartolomeu, na última edição da festa. Era costume, nos dias de celebração do padroeiro, adornar a localidade com tochas de fogo em querosene, para iluminar os espaços e promover o deslumbre dos participantes. A vila era toda enfeitada com tochas de querosene amarradas em bambus, fincados em torno da igreja e em toda a rua 4. Assim, tochas de papel coloridas foram espalhadas por todo o espaço de ocorrência das atividades da festa de São Bartolomeu, amarradas em bambus como em outrora. A bela caracterização rememorou os tempos em que a localidade não era servida de iluminação pública. O adro da igreja e as ruas foram também enfeitados com bandeiras coloridas, transformando as procissões e o cortejo do Divino em grande espetáculo. O tratamento do sítio para as práticas da festa envolve toda a comunidade, seja na preparação dos enfeites, seja na instalação dos ornamentos, como também para recolher e acondicionar o material na Casa da Festa. A Igreja Matriz de São Bartolomeu comporta toda simbologia e magnitude em torno das quais se realizam as atividades e práticas principais dos festejos. O seu interior, bem como os seus altares são decorados com balões e flores. As bandeiras de São Bartolomeu e do Divino Espírito Santo são enfeitadas para seguirem em procissão pelas ruas do distrito, antes de serem hasteadas no adro da Matriz. O outro espaço de ocorrência da Festa de São Bartolomeu e do Divino é a arena do rodeio, instalada no campo de futebol e onde são montadas as barracas de comidas, bebidas e outros produtos, oferecidos ao grande público participante. Esse espaço, também ornado com bandeirolas, fica na margem do Rio das Velhas, em ponto não muito afastado da área central do distrito. As atividades complementares dos festejos, o rodeio e as apresentações musicais, ali se concentram, atraindo os partícipes após as celebrações religiosas. O cenário festivo permanece para as celebrações de domingo, quando, após a missa dedicada ao padroeiro, acontece o cortejo com o Império do Divino Espírito Santo, pelas ruas da localidade. Em São Bartolomeu, a corte do Divino é composta pelo rei e pela rainha. A comitiva é abrilhantada por uma banda de música e pelos vivas bradados aos eleitos pelos acompanhantes. Imperador e Imperatriz apresentam-se vestidos com figurinos apropriados para as funções reais que encarnam. Coroas, mantos, bastões e a predominância das cores vermelha e dourada dão o tom da procissão e evidenciam a representatividade do Império do Divino na festa de São Bartolomeu. Sucede a procissão final com imagem histórica de São Bartolomeu. O andor que a leva é ornado com flores e fitas coloridas. Durante o séqüito, o sino da igreja é repicado reverenciando o feito. Não há proteção legal para a Festa de São Bartolomeu enquanto patrimônio imaterial. A proteção existente é indireta, recaindo sobre um dos elementos componentes da celebração: a Igreja Matriz de São Bartolomeu, tombada pelo IPHAN, através do Processo nº 604-T, inscrição nº 453, Livro Belas Artes, fls. 84, de 04 de março de A festa de São Bartolomeu é integrada com a festa do Divino Espírito Santo, numa investida para poupar esforços e recursos na realização das duas principais comemorações do distrito. Nos meses antecedentes à festa, ocorre a visitação da folia do Divino em comunidades, povoados e distritos próximos a São Bartolomeu, para a arrecadação de óbolos e donativos. Os folieiros ou foliões, ao percorrerem as várias localidades, anunciam sua chegada com foguetes e tocando violas são recebidos com hospitalidade pelos moradores locais, que, além de depositarem sua doação na caixa do Divino, oferecem-lhes hospedagem e alimentação. Durante os séculos precedentes à festa, os folieiros percorriam o trajeto, a pé ou a cavalo, o que lhes pedia um período muito longo de dedicação na realização da folia. Mas atualmente com as facilidades de transporte, eles retornam diariamente para a casa e o período preparatório para a festa foi encurtado. Próxima ao dia de comemoração do padroeiro, 24 de agosto, inicia-se a novena em dedicação a São Bartolomeu e ao Divino Espírito Santo. Essa data é referencial, já que as principais atividades da festa ocorrem no final de semana mais próximo a ela. No penúltimo dia da novena, sexta-feira, acontece a procissão com a bandeira do padroeiro, São Bartolomeu. A procissão é acompanhada por muitas pessoas e seguida por banda de música, enquanto muitos foguetes são lançados em homenagem ao santo. A bandeira é recebida na Matriz e hasteada no mastro. 4 FORTES, Solange Sabino Palazzi. Ouro Preto conta Ouro Preto: tradições da Terra do Ouro. Ouro Preto/MG: p.75 página 136 I 148

3 bens relacionados intervenções O último dia da reza sempre cai no sábado e a celebração, que acontece na Igreja Matriz, é encaminhada excepcionalmente pelo pároco, já que o distrito não tem padre fixo e a rotina de celebrações religiosas no lugar varia quinzenalmente. Após a missa, bastante concorrida, realiza-se o cortejo da bandeira do Divino. Assim como na procissão do dia anterior, esta tem início na casa de um dos mordomos da festa, responsáveis pela decoração das bandeiras, pelo fornecimento de luminárias para os participantes da comitiva, além da promoção da queima dos fogos durante o trajeto. Em respeito ao cortejo que passa, os estabelecimentos do percurso vendedores de bebidas alcoólicas, ainda abertos e repletos de pessoas, fecham suas portas quando da passagem do objeto venerado. A flâmula é recebida na igreja e abençoada pelo padre, antes de também ser levantada em mastro. Terminadas as práticas religiosas do dia, as pessoas se deslocam para outro espaço privilegiado das festividades: o campo de futebol, à beira do Rio das Velhas. O campo abriga a arena de rodeio e as arquibancadas para o acolhimento do público que acompanhará o espetáculo. Nesse espaço, várias barracas de comidas, bebidas e produtos atraem a permanência da multidão. Ali, o palco é montado, usado para a narração do rodeio e para emitir o som, que anima os festejos até a madrugada. No domingo pela manhã tem-se a missa festiva em homenagem a São Bartolomeu e ao Divino. Tal como na celebração do dia anterior, o hino em louvor a São Bartolomeu é entoado veemente pelos fiéis. HINO À SÃO BARTOLOMEU 1. Grande Santo / Poderoso / nosso amado padroeiro / que morreste / esfolado / por Jesus Deus verdadeiro Salve / salve / Pai querido / grande São Bartolomeu / daí que um dia reunidos voz gozemos / lá no céu 2. Foste Apóstolo / fervoroso / e seguiste e Senhor / na pureza / no martírio / e no amor 3. Eis-nos todos / ajoelhados / com piedade e devoção / suplicando / Pai querido / nosso amparo e proteção Os festejos seguem com o cortejo do Império do Divino. A comitiva é acompanhada por grande público e pela banda de música. Ao grito de vivas entusiasmados em reverência à corte e a São Bartolomeu, e sob chuvas de papel, a procissão ruma à igreja para acompanhar uma simples celebração em homenagem ao Divino Espírito Santo. Sucede outra a procissão, desta vez, levando a imagem histórica do padroeiro, datada de fins do século XVII. Simultânea às atividades de fundo religioso, efetiva-se a movimentação e o trânsito de pessoas nas barracas de comidas e bebidas, no campo de futebol. No entanto, os públicos de ambos os espaços, transitam entre um e outro lugar e compartilham as várias práticas da festa, não criando uma oposição entre os momentos sacros e os mundanos. Pelo contrário, vê-se que as atividades se completam e revestem de maior visibilidade e requinte os festejos em torno de São Bartolomeu e do Divino. Dentre os bens de maior relevância para os festejos em torno do padroeiro, está a Matriz de São Bartolomeu, datada do 1711, início do período áureo de exploração das jazidas e minas de ouro que se encontraram pela região. A igreja foi construída no mesmo espaço da primeira capela que se ergueu no distrito, dedicada à Nossa Senhora do Rosário. No final do século XVII, o incêndio da pequena ermida em homenagem a São Bartolomeu por um raio classificou aquele outeiro como amaldiçoado. A escolha do local para a construção de uma nova igreja dedicada ao padroeiro recaiu sobre o terreno do templo oferecido à Virgem, provocando atrito com a Irmandade do Rosário do distrito. Ao fim do impasse, em 1711, decidiu-se por incorporar à obra a antiga Capela do Rosário. Assim, a atual da Matriz de São Bartolomeu, conserva, na sua lateral direita, o altar-mor e os retábulos laterais da primitiva construção. Outro elemento importante para a composição e os sentidos dispensados anualmente nos festejos do padroeiro é a imagem histórica de São Bartolomeu. A dotação de sentidos milagrosos abnegados à imagem se inicia com o episódio de queima da primeira igreja dedicada ao santo. Pelos rastros da tradição oral, conta-se que após o incêndio, a efígie de São Bartolomeu foi encontrada intacta, espantando a população e ampliando a fé e devoção ao apóstolo galileu. Daí a insistência para lhe construírem um novo templo mais requintado no ponto mais seguro e central da localidade, justamente onde estava a antiga Capela do Rosário. A imagem é apontada como promotora de milagres pelos moradores do distrito. Dentre os mais lembrados, estão os relacionados às intervenções do santo no salvamento de pessoas a se afogar nas águas do Rio das Velhas e ainda na recuperação de objetos que desciam ribeirão abaixo, nas regulares enchentes que ameaçavam a povoação de São Bartolomeu. Interessante apontar a relevância da folia do Divino, integrada à festa do padroeiro. Os foliões percorrem várias localidades, nos meses anteriores às comemorações, para recolher donativos revertidos para o custeamento dos festejos. A bandeira do Divino Espírito Santo, devidamente preparada e ornamentada para a festa, é o principal bem relacionado aos festejos, anunciando a chegada dos folieiros nas diversas paragens. Em São Bartolomeu, a bandeira da folia do Divino é bastante antiga, mas não é sabido ao certo o ano em que foi confeccionada. A casa visitada pelo grupo é dada como abençoada e o dono da residência, quando a recebe a bandeira, a beija e ajoelha-se à ela, enquanto os foliões cantam e tocam a viola. Dentre os foliões, o alferes da bandeira, é o mais importante dos membros, sendo quem lida diretamente com os devotos e responsável pelas esmolas. A promoção da festa de São Bartolomeu se assenta na disponibilidade e atuação irrestrita dos festeiros e dos mordomos, figuras que têm papel central no encaminhamento e na regularidade dos festejos. Tais personagens são escolhidos anualmente e muitas pessoas concorrem para se tornarem os responsáveis pela preparação, andamento e sucesso do evento. Porém, desde meados da década de 90, existe na localidade o Conselho Comunitário de Pastorais (CCP), um organismo da igreja para intervir de maneira mais ativa junto à comunidade. Dentre as suas muitas atuações, o CCP se responsabiliza por parte da organização da festa, limitada às práticas religiosas na Matriz. A determinação diocesana para a ação do CCP na realização da festividade, teve o objetivo de introduzir maior controle da Igreja nos atos religiosos que a compõem. No entanto, as atividades extra-igreja ficam ainda sob cuidados dos festeiros e mordomos, que arrecadam fundos para sua execução, recursos estes que se avolumaram com a junção da festa do Império do Divino à de São Bartolomeu. Outro ponto de intervenção na festa gira em torno das interferências de algumas manifestações culturais nos festejos. O boi-da-manta foi a tradição mais relevante integrada à festa de São Bartolomeu. A prática, um referencial do lugar, consistia na brincadeira em que um homem fantasiado de boi lançava-se contra as pessoas, na tentativa de assustá-las, enquanto um outro homem fantasiado de mulher, incitava-o, clamando contra ele impropérios e ridicularizando-o. O folguedo divertia a população local e era apreciado pelos visitantes, no dia da festa de São Bartolomeu, quando era encenado. O boi-da-manta de São Bartolomeu ganhou fama e sempre era convidado para se apresentar em localidades da região. Porém, por falta de incentivo dos poderes públicos, além da falta de renovação dos seus quadros, a folia foi se rarefazendo e acabou por inexistir. Mas até hoje deixa saudades em seus apreciadores e no dia de São Bartolomeu, sua falta é sentida de maneira mais explícita, principalmente para os participantes idosos e assíduos dos festejos. página 137 I 148

4 No que tange a outras práticas era comum a apresentação das cavalhadas no dia da festa. Porém, há mais de um século não existe a cavalhada local. Em algumas edições, grupos de cavalhadas vizinhos, como o de Amarantina, eram convidados para se apresentarem em São Bartolomeu. No entanto, isso não acontecia com regularidade e, para substituir a cavalhada, foi inserida a apresentação de uma tourada durante a festividade. A atividade tornou-se um dos principais momentos das comemorações e se firmou como uma tradição associada à festa de São Bartolomeu. Porém, na última edição dos festejos, em substituição à tradicional tourada, foi introduzido o rodeio de cavalos e bois. referências Bibliográficas CONTI, Dom Servilio. O santo do dia, Petrópolis: Vozes, CUNHA, Maria José da Assunção da. Iconografia Cristã. Ouro Preto, Ufop/Ifac: DURÃES, Alfredo. Doce vida em meio às montanhas. Estado de Minas, Caderno Turismo. 30/01/2003, p. 08. FILHO, Mello Moraes. Festas e tradições populares no Brazil. Rio de Janeiro: Garnier, FORTES, Solange Sabino Palazzi. Ouro Preto conta Ouro Preto: tradições da Terra do Ouro. Ouro Preto/MG: MARTINS, Saul. Folclore em Minas Gerais. Belo Horizonte: Ed.UFMG, MORAES, Fernanda Borges de. O cotidiano e o espetáculo - paisagem, memória e turismo nos municípios de Ouro Preto e Mariana. Belo Horizonte: [mimeo], vol. Relatório de pesquisa FAPEMIG. PALACÍN S. J., Carlos; PISANESCHI, Nilo. Santo nosso de cada dia, rogai por nós!, São Paulo: Loyola, PORTA-VOZ, Jornal. São Bartolomeu dá exemplo de valorização da sua cultura Centro de Memória expõe trabalhos de crianças e resgata história. Caderno Comunidade. Junho/2002, p. 06. SANTIAGO, Camila Fernanda Guimarães. A Vila em Ricas Festas: celebrações realizadas pela Câmara de Vila Rica ( ). Belo Horizonte: FACE-FUMEC, C/Arte, TAVARES, Jorge Campos. Dicionário de Santos: hagiológico, iconográfico, de atributos, de padroados, de compositores, de música religiosa. Porto: Lello e Irmão Editores, Orais ANJOS, Silvana dos. Entrevista: São Bartolomeu, 22/09/2004, 20/12/2005. CARVALHO, Jair Camilo de. Entrevista: São Bartolomeu, 25/08/2005 FAGUNDES, Luís. Entrevista: São Bartolomeu, 20/08/2005. FORTES, Gélcio. Entrevista: São Bartolomeu, 20/08/2005. GUERRA, Ronald Carvalho. Entrevista: São Bartolomeu, 20/08/2005 Eletrônicas <http://www.cademeusanto.com.br> <http://www.catocalinet.com.br> <http://www.ibge.com.br> <http://www.ouropreto.com.br> <http://www:cidadeshistoricas.art.br/pirenopolis/pir_div_p.htm> imagens Patrícia Pereira, 20 e 21 de agosto de Acervo da Escola Estadual Dr. Washington de Araújo. Cartaz de divulgação Imagem de São Bartolomeu no altar-mor da Matriz página 138 I 148

5 Ornamentação do distrito Concerto da banda Cortejo do Divino Procissão Registros antigos do rei e da rainha Boi-da-manta Foliões do Divino página 139 I 148

6 Bandeiras Barracas Campo de futebol preparado para o rodeio ficha técnica levantamento Guga Barros (Comunicação) Guilherme Rodrigues (Sociologia) João Paulo Lopes (História) Patrícia Pereira (Arquitetura e Urbanismo) Sandra Fosque Sanches (Diretora de Promoção Cultural da Secretaria Municipal de Cultura e Patrimônio de Ouro Preto) data ago/2005 elaboração Guilherme Rodrigues (Sociologia) João Paulo Lopes (História) data set/2005 revisão Memória Arquitetura Ltda data jan/2006 página 140 I 148

informações iconográficas OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 15

informações iconográficas OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 15 OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 15 categoria Patrimônio Imaterial sub-categoria Celebrações município Ouro Preto distrito Lavras Novas designação FESTA DE NOSSA SENHORA DOS PRAZERES E DO DIVINO ESPÍRITO

Leia mais

informações iconográficas caracterização OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 02

informações iconográficas caracterização OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 02 OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 02 categoria Patrimônio Imaterial sub-categoria Celebrações município Ouro Preto distrito Antônio Pereira designação FESTA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA LAPA históricas

Leia mais

Arte e Arquitetura Sacra

Arte e Arquitetura Sacra Arte e Arquitetura Sacra A história da Festa do Divino, considerada uma das festas de caráter popular mais antigas do Brasil, tem a sua origem nas festas religiosas da Europa, mais especificamente na tradição

Leia mais

informações iconográficas OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 13

informações iconográficas OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 13 OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 13 categoria Patrimônio Imaterial sub-categoria Celebrações município Ouro Preto distrito Glaura (Casa Branca) designação FESTA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO informações históricas

Leia mais

OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 17

OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 17 OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 17 categoria Patrimônio Imaterial sub-categoria Celebrações município Ouro Preto distrito Sede Povoado de Rancharia designação FESTA DE NOSSA SENHORA APARECIDA informações

Leia mais

13 Festa do Divino Espírito Santo em São Paulo promove intercâmbio cultural e religioso com São Luís do Maranhão

13 Festa do Divino Espírito Santo em São Paulo promove intercâmbio cultural e religioso com São Luís do Maranhão 13 Festa do Divino Espírito Santo em São Paulo promove intercâmbio cultural e religioso com São Luís do Maranhão Festa popular, que acontece de 12 a 29 de maio de 2012 no Espaço Cachuera!, apresenta tradição

Leia mais

PASCOM. A PASCOM agradece a todos que colaboraram com esta edição do INFORMATIVO DA PENHA nos mandando fotos,

PASCOM. A PASCOM agradece a todos que colaboraram com esta edição do INFORMATIVO DA PENHA nos mandando fotos, PASCOM A PASCOM agradece a todos que colaboraram com esta edição do INFORMATIVO DA PENHA nos mandando fotos, t e x t o s e i d é i a s p a r a a s matérias! Nossa Senhora da Penha, que sabe o nome de cada

Leia mais

COMUNIDADE DO TAQUARAL

COMUNIDADE DO TAQUARAL COMUNIDADE DO TAQUARAL Histórico Taquaral, localizada na região da morraria era uma sesmaria, que originou aos primeiros tempos da fundação da então Vila Maria do Paraguai. É um povoado antigo e tradicional,

Leia mais

RIF Ensaio Fotográfico

RIF Ensaio Fotográfico RIF Ensaio Fotográfico Salve Jorge! Devoção popular em vermelho e branco... Em reza e samba Diego Dionísio 1 1 Graduado em Comunicação Social. Técnico de inventário do Patrimônio Imaterial na América Latina

Leia mais

informações iconográficas OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 04

informações iconográficas OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 04 OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 04 categoria Patrimônio Imaterial sub-categoria Celebrações município Ouro Preto distrito Rodrigo Silva - Povoado de Boa Vista designação FESTA DE SANTA QUITÉRIA históricas

Leia mais

Vivendo a Liturgia Ano A

Vivendo a Liturgia Ano A Vivendo a Liturgia Junho/2011 Vivendo a Liturgia Ano A SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR (05/06/11) A cor litúrgica continua sendo a branca. Pode-se preparar um mural com uma das frases: Ide a anunciai

Leia mais

informações iconográficas OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 16

informações iconográficas OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 16 OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 16 categoria Patrimônio Imaterial sub-categoria Celebrações município Ouro Preto distrito Miguel Burnier designação FESTA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS históricas iconográficas

Leia mais

Vivendo a Liturgia - ano A / outubro 2011

Vivendo a Liturgia - ano A / outubro 2011 Vivendo a Liturgia - ano A / outubro 2011 27ºDOMINGO DO TEMPO COMUM (02/10/11) Parábola dos Vinhateiros Poderia ser feito um mural específico para esta celebração com uma das frases: Construir a Igreja

Leia mais

SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA

SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA Antes da Solene celebração, entregar a lembrança do centenário No Final terá um momento de envio onde cada pessoa reassumirá a missão. O sinal deste momento será a colocação

Leia mais

Israel Operadora. Autoridade no Turismo Religioso. Peregrinações Religiosas no Brasil

Israel Operadora. Autoridade no Turismo Religioso. Peregrinações Religiosas no Brasil Israel Operadora Autoridade no Turismo Religioso Peregrinações Religiosas no Brasil Nossa Especialidade A Israel Operadora, empresa do Grupo Skill Supertravel é especializada em turismo religioso. Com

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE IPUIUNA MG

PREFEITURA MUNICIPAL DE IPUIUNA MG IPAC/MG INVENTÁRIO DE PROTEÇÃO DO ACERVO CULTURAL Ipuiuna Minas Gerais Brasil BENS IMATERIAIS Celebrações Código: BI-01 1. Município: Ipuiuna. 2. Distrito/Povoado: Sede. 3. Designação: Festa de São Benedito

Leia mais

informações iconográficas OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 08

informações iconográficas OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 08 OURO PRETO FICHA DE INVENTÁRIO 08 categoria Patrimônio Imaterial sub-categoria Celebrações município Ouro Preto distrito Sede Povoado de Chapada designação FESTA DE SANT ANA informações históricas informações

Leia mais

Roteiro 5 Os apóstolos de Jesus. A missão dos doze apóstolos.

Roteiro 5 Os apóstolos de Jesus. A missão dos doze apóstolos. FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro 1 Cristianismo e Espiritismo Módulo II O Cristianismo Roteiro 5 Os apóstolos de Jesus. A missão dos doze apóstolos. 1 2 3 4 5

Leia mais

JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT)

JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT) JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT) 11-02-2012 Catequese com adultos 11-12 Chave de Bronze Em que sentido toda a vida de Cristo é Mistério? Toda a vida

Leia mais

Rituais de festa em uma morte anunciada. anos. Filha de Maria Dias da Silva, mãe solteira, lavadeira, vendedora de lenha, entre outros serviços

Rituais de festa em uma morte anunciada. anos. Filha de Maria Dias da Silva, mãe solteira, lavadeira, vendedora de lenha, entre outros serviços Rituais de festa em uma morte anunciada Profª Drª Temis Gomes Parente Universidade Federal do Tocantins Campus de Porto Nacional - TO. Email: temis.parente@uol.com.br No dia 29 de maio de 2004, em Natividade-

Leia mais

Alegre. Câmara Municipal. de Porto PROC. N. 5555/05 P.L.L. N. 261/05 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

Alegre. Câmara Municipal. de Porto PROC. N. 5555/05 P.L.L. N. 261/05 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS Breve Histórico da Paróquia São João Batista Levantamento de dados da realização da Festa do Padroeiro Dados coletados através do Livro Tombo e depoimentos Organização: Lucas Bernardes

Leia mais

DOSSIÊ DE TOMBAMENTO DAS IMAGENS DOS TRÊS REIS MAGOS

DOSSIÊ DE TOMBAMENTO DAS IMAGENS DOS TRÊS REIS MAGOS DOSSIÊ DE TOMBAMENTO DAS IMAGENS DOS TRÊS REIS MAGOS PORTEIRINHA - MG MARÇO DE 2002 INTRODUÇÃO Este dossiê contém as informações sobre as três imagens dos Santos Reis, que pertencem a Igreja de Santos

Leia mais

Oratórios Mineiros D. José I: O tema cristológico nos objetos de devoção familiar produzidos entre o fim do século XVIII e início do XIX

Oratórios Mineiros D. José I: O tema cristológico nos objetos de devoção familiar produzidos entre o fim do século XVIII e início do XIX Oratórios Mineiros D. José I: O tema cristológico nos objetos de devoção familiar produzidos entre o fim do século XVIII e início do XIX Maria Alice Honório Sanna Castello Branco Mestranda Universidade

Leia mais

Aparição da Mãe Divina. Colina do Cristo Redentor, Carmo da Cachoeira, MG, Brasil. Domingo, 12 de fevereiro de 2012, às 20h40.

Aparição da Mãe Divina. Colina do Cristo Redentor, Carmo da Cachoeira, MG, Brasil. Domingo, 12 de fevereiro de 2012, às 20h40. Aparição da Mãe Divina. Colina do Cristo Redentor, Carmo da Cachoeira, MG, Brasil. Domingo, 12 de fevereiro de 2012, às 20h40. Como no dia de ontem, o grupo reuniu-se às 19h30 para iniciar a tarefa de

Leia mais

MENSAGEM À FAMÍLIA MARIANISTA

MENSAGEM À FAMÍLIA MARIANISTA JORNADA DE ORAÇÃO 2010 MENSAGEM À FAMÍLIA MARIANISTA Apresentação do santuário de NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO (Padroeira do Haiti) Porto Príncipe, República do Haiti Jornada Mundial de Oração 10

Leia mais

Por isso, redescobrir a Eucaristia na plenitude é redescobrir o CRISTO. Hoje queremos agradecer este grande dom, que Cristo nos deu.

Por isso, redescobrir a Eucaristia na plenitude é redescobrir o CRISTO. Hoje queremos agradecer este grande dom, que Cristo nos deu. O Pão da Vida Na solenidade de Corpus Christi, queremos recordar que os atos redentores de Cristo, que culminam na sua morte e ressurreição, atualizam-se na Eucaristia, celebrada pelo Povo de Deus e presidida

Leia mais

Explicação da Missa MISSA

Explicação da Missa MISSA Explicação da Missa Reunidos todos os catequizandos na Igreja, num primeiro momento mostram-se os objetos da missa, ensinam-se os gestos e explicam-se os ritos. Em seguida celebra-se a missa sem interrupção.

Leia mais

Sumário Rosário de Nossa Senhora

Sumário Rosário de Nossa Senhora Sumário PRECES DIÁRIAS DO CRISTÃO... 13 1. Sinal da Cruz... 13 2. Pai-Nosso... 14 3. Ave-Maria... 15 4. Glória ao Pai... 16 5. Creio... 16 6. Invocação ao Espírito Santo... 17 7. Bênção contra a Tristeza...

Leia mais

O Movimento de Jesus

O Movimento de Jesus O Movimento de Jesus Tudo começou na Galiléia Quando Jesus começou a percorrer a Palestina, indo das aldeias às cidades, anunciando a Boa Nova do Evangelho, o povo trabalhador ia atrás dele. A fama de

Leia mais

Vigília Jubilar. Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10.

Vigília Jubilar. Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10. Vigília Jubilar Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10. Material: Uma Bíblia Vela da missão Velas para todas as pessoas ou pedir que cada pessoa

Leia mais

Fiéis celebram o Dia de Nossa Senhora da Conceição Aparecida 12 de outubro

Fiéis celebram o Dia de Nossa Senhora da Conceição Aparecida 12 de outubro Fiéis celebram o Dia de Nossa Senhora da Conceição Aparecida O Dia de Nossa Senhora da Conceição Aparecida será celebrado com missa presidida pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, dom

Leia mais

3. QUEM SUGERIU A FUNDAÇÃO Foi o Sr. Arcebispo D. André e o Sr. Arcebispo D. Zacarias.

3. QUEM SUGERIU A FUNDAÇÃO Foi o Sr. Arcebispo D. André e o Sr. Arcebispo D. Zacarias. SERVOS DO BOM PASTOR Padre Dr. Manuel Sabino -Sacerdote, médico e fundador da Pia União dos Servos do Bom Pastor. -Director do Centro de Saúde da Mitcha no Lubango C. P. 74 Lubango ANGOLA -Os Servos do

Leia mais

Apresentação. (Solicitação do saudoso Santo Padre o Beato João Paulo II)

Apresentação. (Solicitação do saudoso Santo Padre o Beato João Paulo II) Apresentação A Renovação Carismática Católica do Estado do Piauí, movimento eclesial da Igreja Católica, tem por objetivo proporcionar às pessoas uma experiência concreta com Jesus Cristo, através do Batismo

Leia mais

SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO

SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO Quinta-feira depois da Santíssima Trindade ou no Domingo seguinte SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO Solenidade LEITURA I Ex 24, 3-8 «Este é o sangue da aliança que Deus firmou convosco» Leitura do Livro

Leia mais

CANTOS DO FOLHETO O DOMINGO

CANTOS DO FOLHETO O DOMINGO CANTOS DO FOLHETO O DOMINGO 1. UM POUCO ALÉM DO PRESENTE (10º DOMINGO) 1. Um pouco além do presente, Alegre, o futuro anuncia A fuga das sombras da noite, A luz de um bem novo dia. REFRÃO: Venha teu reino,

Leia mais

QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO

QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO Disponível em: www.seminariomaiordebrasilia.com.br Acesso em 13/03/2014 A palavra Quaresma surge no século IV e tem um significado profundo e simbólico para os cristãos

Leia mais

Filme 1 - Abraão: Um Homem de Fé. Filme 2 - Jacó: O que Carrega a Promessa. Filme 3 - José e seus Irmãos

Filme 1 - Abraão: Um Homem de Fé. Filme 2 - Jacó: O que Carrega a Promessa. Filme 3 - José e seus Irmãos Box DVD Coleção a Bíblia DVD A Bíblia o Antigo Testamento - Vol.1 Filme 1 - Abraão: Um Homem de Fé Apesar de sua idade avançada, Abraão ganhou a benção de ter um filho, que ganhou o nome de Isaac. Porém,

Leia mais

197º Festa do Divino Espírito Santo 2015 Imperador: João Geraldo Costa Pina

197º Festa do Divino Espírito Santo 2015 Imperador: João Geraldo Costa Pina 197º Festa do Divino Espírito Santo 2015 Imperador: João Geraldo Costa Pina Programação: 05 de abril - Domingo de Páscoa 12h - Saída da Coroa e tocata com a Banda Phôenix na frente da Matriz 20h - Missa

Leia mais

Trabalho apresentado no VI Congresso Internacional sobre as Festas do Divino Espírito Santo Winnipeg/Canadá 11 a 15 de junho 2014

Trabalho apresentado no VI Congresso Internacional sobre as Festas do Divino Espírito Santo Winnipeg/Canadá 11 a 15 de junho 2014 Trabalho apresentado no VI Congresso Internacional sobre as Festas do Divino Espírito Santo Winnipeg/Canadá 11 a 15 de junho 2014 A DEVOÇÃO AO DIVINO ESPÍRITO SANTO, EM PELOTAS, RS, BRASIL REGINA LUCIA

Leia mais

DOMINGO VII DA PÁSCOA. Vésperas I

DOMINGO VII DA PÁSCOA. Vésperas I DOMINGO VII DA PÁSCOA (Onde a solenidade da Ascensão não é transferida para este Domingo). Semana III do Saltério Hi n o. Vésperas I Sa l m o d i a Salmos e cântico do Domingo III. Ant. 1 Elevado ao mais

Leia mais

Amone Inacia Alves Graduada em História - UESB Especialista em Ciência Política - IBPEX Mestre em Sociologia das Organizações - UFPR

Amone Inacia Alves Graduada em História - UESB Especialista em Ciência Política - IBPEX Mestre em Sociologia das Organizações - UFPR Folclore Mede-se a inteligência de um povo pela sua capacidade de não só ser gente. Nascemos gente ao acaso, ao natural e transformamos em povo na busca perfeita pelas formas, curvas e cores. São as cores

Leia mais

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida.

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida. LITURGIA DA PALAVRA A Palavra de Deus proclamada e celebrada - na Missa - nas Celebrações dos Sacramentos (Batismo, Crisma, Matrimônio...) A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa

Leia mais

Maria, mãe de Deus, no mistério de Cristo e da Igreja Fundamentos bíblicos na Lumen Gentium VIII

Maria, mãe de Deus, no mistério de Cristo e da Igreja Fundamentos bíblicos na Lumen Gentium VIII Maria, mãe de Deus, no mistério de Cristo e da Igreja Fundamentos bíblicos na Lumen Gentium VIII Quando, porém, chegou a plenitude do tempo, enviou Deus o seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a Lei,

Leia mais

Retiros de Carnaval: oportunidade de encontro com Deus e com os irmãos Qua, 26 de Fevereiro de 2014 10:00

Retiros de Carnaval: oportunidade de encontro com Deus e com os irmãos Qua, 26 de Fevereiro de 2014 10:00 Tradicionalmente, a Renovação Carismática Católica realiza eventos durante os dias de Carnaval em todo o país. De forma simultânea, em cada região do Brasil, acontecerão retiros e encontros que reúnem

Leia mais

Gr.Bíblico. Evangelho de. Nossa Senhora Conceição. São Mateus Ano litúrgico A

Gr.Bíblico. Evangelho de. Nossa Senhora Conceição. São Mateus Ano litúrgico A Evangelho de São Mateus Ano litúrgico A O Segundo Envangelho O TEMPO DE JESUS E O TEMPO DA IGREJA Este Evangelho, transmitido em grego pela Igreja, deve ter sido escrito originariamente em aramaico, a

Leia mais

MARIA, ESTRELA E MÃE DA NOVA EVANGELIZAÇÃO

MARIA, ESTRELA E MÃE DA NOVA EVANGELIZAÇÃO MARIA, ESTRELA E MÃE DA NOVA EVANGELIZAÇÃO anuncie a Boa Nova não só com palavras, mas, sobretudo, com uma vida transfigurada pela presença de Deus (EG 259). O tema da nova evangelização aparece com freqüência

Leia mais

Corpus Christi e suas manutenções para a festividade litúrgica

Corpus Christi e suas manutenções para a festividade litúrgica Corpus Christi e suas manutenções para a festividade litúrgica Juliane Shizuko Milena Balbi Thélio Bonesio Gonçalves INTRODUÇÃO Considerando a representatividade que a tradicional procissão de Corpus Christi

Leia mais

AS RELAÇÕES ENTRE O TEATRO E O PODER NAS MINAS OITOCENTISTAS.

AS RELAÇÕES ENTRE O TEATRO E O PODER NAS MINAS OITOCENTISTAS. AS RELAÇÕES ENTRE O TEATRO E O PODER NAS MINAS OITOCENTISTAS. Luciano Borges Muniz 1 Flávio Marcus da Silva 2 Resumo Este artigo é parte dos resultados obtidos por pesquisas desenvolvidas a cerca das relações

Leia mais

Festas, Feiras e Romarias

Festas, Feiras e Romarias Festas, Feiras e Romarias Feira de Velharias Feira de Velharias de Olhos de Água Data: 1.º domingo de cada mês Local: Junto ao Mercado Municipal de Olhos de Água Contato: Junta de Freguesia de Albufeira

Leia mais

A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ

A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ O BATISMO DO SENHOR JESUS CRISTO E O COMEÇO DE SEU MINIST ÉRIO Volume 03 Escola: Nome : Professor (a): Data : / / 5) VAMOS BRINCAR DE FORCA? Marque com um x na letra

Leia mais

SUGESTÃO DE ATIVIDADES PARA O GRUPO DE ORAÇÃO PARA CRIANÇAS

SUGESTÃO DE ATIVIDADES PARA O GRUPO DE ORAÇÃO PARA CRIANÇAS MOBILIZAÇÃO NACIONAL DE ORAÇÃO MÊS OUTUBRO 2014 SUGESTÃO DE ATIVIDADES PARA O GRUPO DE ORAÇÃO PARA CRIANÇAS TEMA: Nossa Senhora e Dia das Crianças RESPONSÁVEL: Roberta Resende Barbosa REFLEXÃO PARA OS

Leia mais

Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015]

Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015] 1 Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015] Página 9 Na ilustração, Jesus está sob a árvore. Página 10 Rezar/orar. Página 11 Amizade, humildade, fé, solidariedade,

Leia mais

Permanecei em mim e eu permanecerei em vós!

Permanecei em mim e eu permanecerei em vós! CELEBRAÇÃO DO 5º DOMINGO DA PÁSCOA 03 de maio de 2015 Permanecei em mim e eu permanecerei em vós! Leituras: Atos 9, 26-31; Salmo 22; Primeira Carta de João 3, 18-24; João 15, 1-8. COR LITÚRGICA: BRANCA

Leia mais

Solenidade da Ascenção do Senhor

Solenidade da Ascenção do Senhor Solenidade da Ascenção do Senhor Homilias Meditadas Lectio Divina para a Família Salesiana P. J. Rocha Monteiro, sdb Solenidade da Ascensão do Senhor Mc 16,15-20 1. Breve síntese A Solenidade da Ascensão

Leia mais

REVENDO A VISÃO E A NOSSA ESTRUTURA

REVENDO A VISÃO E A NOSSA ESTRUTURA AS CINCO FUNÇÕES ESSENCIAIS DA CÉLULA REVENDO A VISÃO E A NOSSA ESTRUTURA A célula tem muitas funções na igreja local, mas queremos ver o que na nossa opinião seriam as funções mais essenciais e indispensáveis.

Leia mais

(Segundo o novo acordo ortográfico) ORAR, do latim orare, é falar com Deus (De acordo com a etimologia - Enciclopédia, D. M. Falcão).

(Segundo o novo acordo ortográfico) ORAR, do latim orare, é falar com Deus (De acordo com a etimologia - Enciclopédia, D. M. Falcão). (Segundo o novo acordo ortográfico) ORAR, do latim orare, é falar com Deus (De acordo com a etimologia - Enciclopédia, D. M. Falcão). Os Atos dos Apóstolos atestam que, enquanto Pedro estava na prisão,

Leia mais

Congado de Uberlândia ] livro 01/02

Congado de Uberlândia ] livro 01/02 Congado de Uberlândia ] livro 01/02 1 2 Trocar foto >> sumário 3 livro 01/02 1. Introdução 1.1 Apresentação 1.2. Pesquisa: reconhecimento dos sujeitos 1.2.1. Metodologia Geral 1.2.2. Metodologia dos Inventários

Leia mais

Um grande sinal apareceu no céu

Um grande sinal apareceu no céu 28º DOMINGO DO TEMPO COMUM 12 de outubro de 2014 Um grande sinal apareceu no céu Leituras: Ester 5, 1b-2; 7,2b-3; Salmo 44 (45), 11-12a.12b-13-.14-15a.15b-16; Apocalipse 12, 1.5.13a.15-16ª; João 2, 1-11.

Leia mais

Novena de São Domingos Sávio

Novena de São Domingos Sávio Novena de São Domingos Sávio 1o Dia Ó São Domingos Sávio, que tiveste uma fé viva e um amor ardente a Jesus Eucarístico... Alcança-nos, por sua intercessão, a tua mesma fé na presença real de Jesus na

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO LITERÁRIO CONTOS DE SÃO JOÃO MARCOS

REGULAMENTO CONCURSO LITERÁRIO CONTOS DE SÃO JOÃO MARCOS REGULAMENTO CONCURSO LITERÁRIO CONTOS DE SÃO JOÃO MARCOS Com o objetivo de incentivar a produção literária fluminense o Parque Arqueológico e Ambiental de São João Marcos, em Parceria com a Editora Cidade

Leia mais

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia.

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia. EUCARISTIA GESTO DO AMOR DE DEUS Fazer memória é recordar fatos passados que animam o tempo presente em rumo a um futuro melhor. O povo de Deus sempre procurou recordar os grandes fatos do passado para

Leia mais

MISSA DE ABERTURA DA CATEQUESE

MISSA DE ABERTURA DA CATEQUESE MISSA DE ABERTURA DA CATEQUESE XXV domingo do tempo comum 23/09/2012 Igreja de Cedofeita ENTRADA Eu vi meu Deus e Senhor, aleluia, aleluia. Cantai ao amor, cantai, aleluia, aleluia. ADMONIÇÃO DE ENTRADA

Leia mais

Síntese Informativo Mensal do Movimento Pólen

Síntese Informativo Mensal do Movimento Pólen Síntese Informativo Mensal do Movimento Pólen Como o Pai me enviou, também Eu vos envio (Jo 20,21) Outubro de 2011 / Ano MMXI 1 EDITORIAL Queridos Amigos, Com grande alegria que terminamos mais um mês

Leia mais

DEVOÇÃO MARIANA NA IDADE MÉDIA ATRAVÉS DA ARTE DE GIOTTO: ADORAÇÃO DOS REIS MAGOS E EPIFANIA

DEVOÇÃO MARIANA NA IDADE MÉDIA ATRAVÉS DA ARTE DE GIOTTO: ADORAÇÃO DOS REIS MAGOS E EPIFANIA DEVOÇÃO MARIANA NA IDADE MÉDIA ATRAVÉS DA ARTE DE GIOTTO: ADORAÇÃO DOS REIS MAGOS E EPIFANIA ANTONIO, Jacqueline Rodrigues (UEL) VISALLI, Angelita Marques (UEL) INTRODUÇÃO: Este trabalho traz uma análise

Leia mais

Paróquia Jesus, Maria e José Grupo de Oração Fonte de Misericórdia RCC/ Beberibe

Paróquia Jesus, Maria e José Grupo de Oração Fonte de Misericórdia RCC/ Beberibe Paróquia Jesus, Maria e José Grupo de Oração Fonte de Misericórdia RCC/ Beberibe Jovens sois forte a palavra de Deus permanece em vós. 1 Jo 2,14 O EVENTO: EMANUEL EMANUEL é o cumprimento da palavra que

Leia mais

Leitor 2 Este é o dia que o Senhor fez para nós! SL 118

Leitor 2 Este é o dia que o Senhor fez para nós! SL 118 Acolhida Jubilar Recepção de todas as famílias. Acolher com cantos de boas-vindas. Abertura Jubilar Material a ser usado: Coreografia com as cores do Centenário: vermelho, laranja e verde estas cores simbolizam

Leia mais

Locais a Visitar na Vila de Almodôvar

Locais a Visitar na Vila de Almodôvar Locais a Visitar na Vila de Almodôvar Igreja Matriz de Almodôvar A matriz é o monumento mais visitado do Concelho de Almodôvar e é dedicada a Santo Ildefonso, sendo que D. Dinis doou-a à Ordem de Santiago,

Leia mais

Ev. Jacson Austragésilo 10/05/2015

Ev. Jacson Austragésilo 10/05/2015 1 2 3 4 OBJETIVO GERAL Mostrar a importância das mulheres no ministério do Senhor Jesus Cristo e na expansão do Reino de Deus. 5 OBJETIVOS ESPECÍFICOS Analisar a participação das mulheres no judaísmo e

Leia mais

Igreja "em saída" missionária

Igreja em saída missionária Mês das Missões O mês de outubro é, para a Igreja, o período no qual são intensificadas as iniciativas de animação e cooperação em prol das Missões em todo o mundo. O objetivo é sensibilizar, despertar

Leia mais

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo.

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. 1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. Ao contribuir com o dízimo, saímos de nós mesmos e reconhecemos que pertencemos tanto à comunidade divina quanto à humana. Um deles, vendo-se

Leia mais

PRONUNCIAMENTO DO DEPUTADO JOSÉ SANTANA DE VASCONCELLOS SOBRE BARÃO DE COCAIS

PRONUNCIAMENTO DO DEPUTADO JOSÉ SANTANA DE VASCONCELLOS SOBRE BARÃO DE COCAIS PRONUNCIAMENTO DO DEPUTADO JOSÉ SANTANA DE VASCONCELLOS SOBRE BARÃO DE COCAIS Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados ao longo de nossa vida parlamentar há mais de quarenta anos vimos trabalhando

Leia mais

O Barroco no Brasil. Capitulo 11

O Barroco no Brasil. Capitulo 11 O Barroco no Brasil Capitulo 11 O Barroco no Brasil se desenvolveu do século XVIII ao início do século XIX, época em que na Europa esse estilo já havia sido abandonado. Um só Brasil, vários Barrocos O

Leia mais

Festa de Nossa Senhora da Abadia no município de Jataí/GO: uma expressão cultural

Festa de Nossa Senhora da Abadia no município de Jataí/GO: uma expressão cultural Festa de Nossa Senhora da Abadia no município de Jataí/GO: uma expressão cultural Marlene Flauzina OLIVEIRA Mestranda em Geografia - Programa de Pós-Graduação Campus Jataí/UFG mflauzina@hotmail.com Eguimar

Leia mais

Colégio Marista São José-Tijuca. Reunião de Pais 1ª Eucaristia 18 de novembro de 2015

Colégio Marista São José-Tijuca. Reunião de Pais 1ª Eucaristia 18 de novembro de 2015 Colégio Marista São José-Tijuca Reunião de Pais 1ª Eucaristia 18 de novembro de 2015 A EUCARISTIA: ONDE COMEÇA? A Eucaristia: presença viva de Jesus Cristo ressuscitado. Sacramento da unidade, restaurador

Leia mais

"JOSÉ LEÃO, UM MITO SANTO E O CLAMOR DE UM POVO POR JUSTIÇA".

JOSÉ LEÃO, UM MITO SANTO E O CLAMOR DE UM POVO POR JUSTIÇA. "JOSÉ LEÃO, UM MITO SANTO E O CLAMOR DE UM POVO POR JUSTIÇA". Capela de José Leão. Erguida em honra ao jovem assassinado no ano de 1877. Fonte: Foto do Portal Cabuginet. A História de José Leão é cercada

Leia mais

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica OBLATOS ORIONITAS linhas de vida espiritual e apostólica Motivos inspiradores da oblação orionita laical O "carisma" que o Senhor concede a um fundador, é um dom para o bem de toda a Igreja. O carisma

Leia mais

LIBERTANDO OS CATIVOS

LIBERTANDO OS CATIVOS LIBERTANDO OS CATIVOS Lucas 14 : 1 24 Parábola sobre uma grande ceia Jesus veio convidar àqueles que têm fome e sede para se ajuntarem a Ele. O Senhor não obriga que as pessoas O sirvam, mas os convida

Leia mais

Intercessão. Missionária. Como e Por que Interceder por Missões

Intercessão. Missionária. Como e Por que Interceder por Missões Intercessão Missionária Como e Por que Interceder por Missões A Importância da Intercessão por Missões - Estamos em uma guerra Há necessidade de intercessores! - Nossa guerra não é pelo controle político

Leia mais

Lembrança da Primeira Comunhão

Lembrança da Primeira Comunhão Lembrança da Primeira Comunhão Jesus, dai-nos sempre deste pão Meu nome:... Catequista:... Recebi a Primeira Comunhão em:... de... de... Local:... Pelas mãos do padre... 1 Lembrança da Primeira Comunhão

Leia mais

MARIA ÍCONE DA IGREJA SOLIDÁRIA NAS DORES DO POVO

MARIA ÍCONE DA IGREJA SOLIDÁRIA NAS DORES DO POVO MARIA ÍCONE DA IGREJA SOLIDÁRIA NAS DORES DO POVO Reflexão Estamos preparando o Jubileu dos 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida e 160 anos da declaração do Dogma da Imaculada Conceição

Leia mais

Os templos religiosos e a formação das Minas Gerais

Os templos religiosos e a formação das Minas Gerais Os templos religiosos e a formação das Minas Gerais Sou apenas uma rua na cidadezinha de Minas. Cruz da Igreja de N. Sra do Carmo Ouro Preto Minas há muitas. Provavelmente a Minas que mais nos fascina

Leia mais

ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO NA ABERTURA DO ANO SACERDOTAL 19 de junho de 2009. Fidelidade de Cristo, fidelidade do Sacerdote

ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO NA ABERTURA DO ANO SACERDOTAL 19 de junho de 2009. Fidelidade de Cristo, fidelidade do Sacerdote ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO NA ABERTURA DO ANO SACERDOTAL 19 de junho de 2009 Fidelidade de Cristo, fidelidade do Sacerdote 1 - MOTIVAÇÃO INICIAL: Dir.: Em comunhão

Leia mais

AS CONEXÕES. QUEBRA GELO: Cite o nome de uma pessoa que mais te influenciou na vida. Comente como essa pessoa é, e explique como te influenciou.

AS CONEXÕES. QUEBRA GELO: Cite o nome de uma pessoa que mais te influenciou na vida. Comente como essa pessoa é, e explique como te influenciou. Lição 4 AS CONEXÕES QUEBRA GELO: Cite o nome de uma pessoa que mais te influenciou na vida. Comente como essa pessoa é, e explique como te influenciou. VERSO DA SEMANA: Sim, qualquer que seja o tipo de

Leia mais

Gincana Missionária. Paróquia do Menino Jesus - Diocese de Taubaté - SP. - 24 de Outubro de 2010 -

Gincana Missionária. Paróquia do Menino Jesus - Diocese de Taubaté - SP. - 24 de Outubro de 2010 - 1 DATA E HORÁRIO: 24/10/2010, das 13h e se encerrará às 17h. LOCAL: Para o cumprimento da Prova III e para a realização da Gincana: Centro Catequético João Paulo II (Av. Independência, 1516) TEMA: Missão

Leia mais

Após as festas do Natal, em que celebramos o mistério da infância de Jesus, a liturgia nos introduz no mistério da sua vida pública.

Após as festas do Natal, em que celebramos o mistério da infância de Jesus, a liturgia nos introduz no mistério da sua vida pública. Após as festas do Natal, em que celebramos o mistério da infância de Jesus, a liturgia nos introduz no mistério da sua vida pública. No BATISMO DE JESUS, no Rio Jordão, revela-se o Filho amado de Deus,

Leia mais

A região é riquíssima em bons atrativos. Existem opções para todos os gostos turismo cultural, rural e ecoturismo.

A região é riquíssima em bons atrativos. Existem opções para todos os gostos turismo cultural, rural e ecoturismo. Roteiros Turísticos Região de Ouro Preto e Mariana A região é riquíssima em bons atrativos. Existem opções para todos os gostos turismo cultural, rural e ecoturismo. O que conhecer na região: Ouro Preto

Leia mais

TUDO COMEÇOU... Após alguns meses...

TUDO COMEÇOU... Após alguns meses... TUDO COMEÇOU... Muitas pessoas participaram pra que a igreja São José Operário existisse, no início a irmã Catarina saiu de casa em casa convidando os moradores do bairro pra participar de um culto dominical,

Leia mais

LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS

LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS 1 TEXTO BÍBLICO - Lucas 6,12-19 (Fazer uma Oração ao Espírito Santo, ler o texto bíblico, fazer um momento de meditação, refletindo sobre os três verbos do texto

Leia mais

Igrejas paulistas: barroco e rococó

Igrejas paulistas: barroco e rococó Igrejas paulistas: barroco e rococó Vanessa Proença Título da obra: Igrejas paulistas: barroco e rococó. Autor: Percival Tirapeli 1 Um grande catálogo: é essa a impressão que o livro nos passa. A proposta

Leia mais

No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS. Pr. Cristiano Nickel Junior

No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS. Pr. Cristiano Nickel Junior No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS Pr. Cristiano Nickel Junior O propósito é que a Igreja seja um exército com bandeiras Martyn Lloyd-Jones No princípio era aquele

Leia mais

PARÓQUIA SÃO MATEUS CALENDÁRIO 2014

PARÓQUIA SÃO MATEUS CALENDÁRIO 2014 Dia Dia da JANEIRO COM MARIA CONSTRUIR A PAZ 31 MISSA NA SÃO MATEUS 20H 01 Quarta SOLENIDADE DA SANTA MÃE DE DEUS, MARIA/ MISSA NA CAPELA SANTO ANTONIO 10H 2 MISSA NA SÃO MATEUS 19H30 3 HORARIO NORMAL

Leia mais

Elementos da Vida da Pequena Comunidade

Elementos da Vida da Pequena Comunidade Raquel Oliveira Matos - Brasil A Igreja, em sua natureza mais profunda, é comunhão. Nosso Deus, que é Comunidade de amor, nos pede entrarmos nessa sintonia com Ele e com os irmãos. É essa a identidade

Leia mais

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM Página 1 TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM 01. Canto de Entrada 02. Saudação inicial do celebrante presidente 03. Leitura

Leia mais

Consolidação para o Discipulado - 1

Consolidação para o Discipulado - 1 Consolidação para o Discipulado - 1 Fortalecendo o novo convertido na Palavra de Deus Rev. Edson Cortasio Sardinha Consolidador/a: Vida consolidada: 1ª Lição: O Amor de Deus O amor de Deus está presente

Leia mais

Tema ASCENSÃO DO SENHOR

Tema ASCENSÃO DO SENHOR Encontro n. 6 ema ASCENSÃO DO SENHOR I. ACOLHIDA Ambiente: Lenço branco sobre a mesa, como sinal de despeida; uma cadeira vazia ou um banco próximo ao altar. Bíblia sobre o altar, vela acesa, com flores.

Leia mais

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS Infância/Adolescencia MISSÃO MISSÃO. Palavra muito usada entre nós É encargo, incumbência Missão é todo apostolado da Igreja. Tudo o que a Igreja faz e qualquer campo.

Leia mais

Palavras-chave: Etnocenologia, Folias do Divino, Ritos espetaculares.

Palavras-chave: Etnocenologia, Folias do Divino, Ritos espetaculares. O mestre morreu. Viva o novo mestre. Jorge das Graças Veloso Programa de Pós-Graduação em Artes VIS/IdA UnB. Professor Adjunto Doutor em Artes Cênicas UFBA. Ator, diretor, dramaturgo, professor/unb. Resumo:

Leia mais

Dia 23 de Janeiro - Domingo

Dia 23 de Janeiro - Domingo Comunidade de Católicos Brasileiros Diocese de Arlington, Virginia EUA Leituras da missa para o domingo dia 23 de janeiro de 2011 III DOMINGO DO TEMPO COMUM Dia 23 de Janeiro - Domingo Antífona da entrada:

Leia mais

Domingo de Ramos. Homilia meditada para a Família Salesiana. Mc 14, 1-15,47

Domingo de Ramos. Homilia meditada para a Família Salesiana. Mc 14, 1-15,47 Domingo de Ramos Homilia meditada para a Família Salesiana P. J. Rocha Monteiro, sdb Mc 14, 1-15,47 1. Introdução Domingo de Ramos. Milhares de crentes têm diante dos olhos o drama do justo que morreu

Leia mais