O aluno respondeu e acertou. Alternativa(A)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O aluno respondeu e acertou. Alternativa(A)"

Transcrição

1 Exercícios - Estudos Disciplinares Exercício 1: A definição empregada pela NBR 6118:2003 distância entre o centro de gravidade da armadura longitudinal tracionada até a fibra mais comprimida de concreto advinda da teoria do dimensionamento das peças de concreto armado (cálculo da armadura de flexão) diz respeito a(o): A - altura útil, identificada com a letra d. B - profundidade da linha neutra, identificada com a letra x. C - altura da linha neutra convencional, identificada com a letra y. D - altura total da seção transversal da peça, identificada com a letra h. E - braço de alavanca, identificada com a letra z. C - a linha e o centro de gravidade de um perfil longitudinal B - a linha e o centro de gravidade de um perfil longitudinal A - ALTURA DO CENTRO DA ARMADURA A ALTURA FINAL DA PEÇA Exercício 2: A ordem adequada de elaboração de projetos de uma edificação é: A - Arquitetura, Fundações e Estrutura. B - Arquitetura, Estrutura e Fundações. C - Fundações, Arquitetura e Estrutura. D - Estrutura, Fundações e Arquitetura. E - Estrutura, Arquitetura e Fundações. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(B) A - prjt, fundaçoes e estrutura C - prjt, fundaçoes e estrutura B - PRJT ESTRUTURAS E ARMADURAS E FUNDAÇOES Exercício 3: Sobre o assunto fissuração de peças de concreto armado assinale a alternativa incorreta: A - A ausência de armadura de equilíbrio geral dificilmente acarreta o aparecimento de fissuras. B - A retração e a fluência do concreto, devidos ao carregamento constante ao longo dos anos, caso não

2 tenham sido consideradas no dimensionamento pode levar a fissuração da estrutura. C - Se por algum motivo passa-se a permitir o uso da estrutura para uma função diferente da qual ela foi projetada, e se esse novo uso acarretar em cargas maiores pode ocorrer a fissuração da estrutura. D - Durante o processo de desmoldagem, se as fôrmas são retiradas antes do concreto alcançar a resistência necessária, a peça pode fissurar. E - Uma cura mal executada pode levar à perda precoce de umidade do concreto fresco, ou seja, a evaporação da água utilizada na mistura de concreto, acarretando a fissuração da peça devido à retração por secagem. A - o aço deve dimensionado e colocado no ponto certo, obvio se estiver errado ou nao existir, cetamente tera fissuras e muito mais Exercício 4: A ordem adequada de elaboração de projetos de uma edificação é: A - Arquitetura, Estrutura e Fundações. B - Arquitetura, Fundações e Estrutura. C - Estrutura, Arquitetura e Fundações. D - Estrutura, Fundações e Arquitetura. E - Fundações, Arquitetura e Estrutura. A - PRJT ARQ, CALC ESTRUT E FUNDAÇOES Exercício 5: A durabilidade das estruturas de concreto é um dos aspectos de maior relevância, dentro da filosofia das modernas normas de projeto. As exigências relativas à durabilidade estão se tornando cada vez mais rígidas, tanto na fase de projeto, quanto na fase de execução da estrutura. Essas novas exigências introduzidas nas normas decorrem, em grande parte, da falta de atenção com que muitos projetistas e construtores têm tratado esse tema. Esse descuido com a durabilidade tem contribuído para acelerar a deterioração de diversas estruturas relativamente novas. Por outro lado, o conhecimento dos diversos mecanismos de deterioração das estruturas de concreto tem levado a essa nova concepção de durabilidade introduzida nas atuais normas de projeto. Assim, tendo como base a NBR 6118: 2003 assinale a opção incorreta. A - No caso do concreto protendido o cobrimento nominal da bainha ou dos fios, cabos e cordoalhas é sempre superior ao especificado para concreto armado. B - O cobrimento da armadura para laje, pilar e viga decresce, em função da classe de agressividade, da classe I para a classe IV. C - Nas faces inferiores de lajes e vigas de reservatórios, estações de tratamento de água e esgoto, condutos de esgoto, canaletas de efluentes e outras obras em ambientes química e intensamente agressivos, a armadura deve ter cobrimento nominal maior ou igual a 45 mm. D - As classes de agressividade baseiam-se no ph e nos teores de diferentes substâncias agressivas, como CO

3 2, amônia e sulfatos. E - Para garantir o cobrimento mínimo (c mín ), o projeto e a execução devem considerar o cobrimento nominal (c nom ), que é o cobrimento mínimo acrescido da tolerância (c c ). Quando houver um controle de qualidade e rígidos limites de tolerância da variabilidade das medidas durante a execução, pode ser adotado um valor de c c = 0,5 cm, Em caso contrário, nas obras correntes, esse valor deve ser de no mínimo c c = 1 cm. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(B) B - negativo se e classe 4 deve ter maior cobrimento Exercício 6: No que diz respeito à durabilidade, a NBR 6118:2003 exige que as estruturas de concreto sejam projetadas e construídas de modo que, sob as influências ambientais previstas e quando utilizadas conforme estabelecido em projeto, conservem sua segurança, estabilidade e comportamento adequado em serviço durante o período correspondente à sua vida útil de projeto. Assim, com relação ao assunto durabilidade das estruturas de concreto, assinale a alternativa incorreta. A - por causa da forte correspondência entre a relação água/cimento, a resistência à compressão do concreto e sua durabilidade adota-se como requisitos mínimos para concreto armado, classe de agressividade I (um), relação água/cimento, em massa, menor ou igual a 0,65, e, classe do concreto maior ou igual a C-20. B - a classe de agressividade ambiental IV (quatro) é considerada moderada com risco de deterioração da estrutura pequeno. C - vida útil de projeto é o período de tempo durante o qual se mantém as características da estrutura de concreto, desde que sejam atendidos os requisitos de uso e manutenção prescritos pelo projetista e construtor, bem como de execução dos reparos necessários, decorrentes de eventuais danos acidentais. D - uma das principais responsáveis pela perda de qualidade e durabilidade das estruturas é a agressividade do meio ambiente, que está relacionada às ações físicas e químicas que atuam sobre as estruturas de concreto, independentemente das ações mecânicas, das variações volumétricas de origem térmica, da retração hidráulica, além de outras previstas no dimensionamento. E - a durabilidade das estruturas é altamente dependente das características do concreto, da espessura e da qualidade do concreto do cobrimento da armadura. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(B) B - e de risco de deterioraçao altissimo Exercício 7: A ruína da seção transversal para qualquer tipo de flexão no estado limite último é caracterizada pelas deformações específicas de cálculo do concreto e do aço, que atingem (uma delas ou ambas) os valores últimos das deformações específicas desses materiais. Os conjuntos de deformações específicas do concreto e do aço, ao longo de uma seção transversal retangular com armadura simples (só tracionada) submetida a ações normais, definem seis domínios de deformação. Desta maneira, sobre o assunto domínios de deformação, assinale a alternativa incorreta.

4 A - a reta a e os domínios 1 e 2 correspondem ao estado limite último por ruptura convencional (ruptura do concreto por encurtamento limite). B - para o domínio 4 a deformação da armadura é inferior a e yd, ou seja, não atinge a tensão de escoamento, por isso, são ditas peças antieconômicas. C - os domínios representam as diversas possibilidades de ruína da seção; a cada par de deformações específicas de cálculo, e c e e s, correspondem a um esforço normal, se houver, e a um momento fletor atuantes na seção. D - para determinar a resistência de cálculo de uma dada seção transversal é preciso saber primeiramente em qual domínio está situado o diagrama de deformações específicas de cálculo dos materiais (aço e concreto). E - no domínio 3 a ruína ocorre com aviso devido a grandes deformações. São denominadas peças subarmadas. A - o domínio 2 corresponde a situação em que o estado limite ultimo é atingido pelo alongamento da armadura em 1 % e o domínio corresponde a tração não uniforme. Portanto letra A. Exercício 8: Determinar o momento resistente Mk de uma viga de seção retangular de concreto armado, com largura bw = 12 cm, altura útil d = 17,65 cm e As = 4,0 cm2. Utilizar aço CA-50 e fck = 20 MPa. A - 23,66 kn.m B - 3,56 kn.m C - 9,80 kn.m D - 12,53 kn.m E - 15,46 kn.m O aluno respondeu e acertou. Alternativa(D) D - MD=0,68*12*17,65²*23*fcd*(1-0,4x)=12,42 kn*m Exercício 9: Determine qual deve ser o valor da altura mínima necessária de uma viga de seção transversal retangular de largura 12 cm, fck = 20 MPa, aço CA-50 e um momento fletor atuante de 20 kn.m para que ela trabalhe no limite dos domínios 3 e 4. A - 34,0 cm B - 22,6 cm C - 15,7 cm D - 18,9 cm E - 42,0 cm

5 O aluno respondeu e acertou. Alternativa(B) B - md=20*1,4*100=2800kn*cm substituindo na formula temos d=22,57 Exercício 10: Determinar, usando o Modelo de Cálculo I da NBR 6118:2003, o espaçamento de estribos duplos (4 ramos) verticais necessário para uma viga de concreto armado com bw = 60 cm, d = 150 cm, aço CA-50, fck = 20 MPa e diâmetro do estribo de 10 mm para Vsk = 1100 kn. A - 22,5 cm B - 10 cm C - 17,5 cm D - 15 cm E - 12,5 cm A *1,4=1540kn; ts=1540/60*150=0,171kn/cm²; ts=0,09*20^0,667=0,663 Mpa ;tsw=1, =1,047 mpa...as=4,02cm² c 22,5cm Exercício 11: Uma laje retangular de concreto armado possui sua menor dimensão igual a 2 metros. Para que possa ser dimensionada como uma laje calculada em uma só direção, sua maior dimensão, em metros, deverá ser, no mínimo, igual a: A - 2 B - 3 C - 4 D - 5 E - 6 O aluno respondeu e acertou. Alternativa(C) C - maior que 2/3 Exercício 12: Determinar a armadura para o pilar com as seguintes características: hy = 30 cm; d y = 7,5 cm; hx = 20 cm; d x = 3 cm; Nk = 918 kn; Mk = 28 kn.m; fck= 30 MPa e Aço CA 50. A - 14,2 cm 2

6 B - 20,3 cm 2 C - 2,85 cm 2 D - 4,78 cm 2 E - 9,27 cm 2 A - as= 0,48*2,143*600/43,4783=14,20 Exercício 13: Dimensionar As para um pilar com os seguintes dados: hx = 18 cm, hy = 34 cm, Nk = 180 tf, Mxk = 3 tf.m, Myk = 4 tf.m, fck = 25 MPa e Aço CA-50. A - 5,54 cm 2 B - 7,29 cm 2 C - 9,98 cm 2 D - 15,66 cm 2 E - 17,84 cm 2 O aluno respondeu e acertou. Alternativa(E) E - 180*10*1,4=2520/(612*1786)=2,31 As= 0,7*(2/1,4)*612/(50/1,15)=17,60 cm² Exercício 14: Leia atentamente as definições relacionadas abaixo e assinale a alternativa incorreta: A - Concreto estrutural: termo que se refere ao espectro completo das aplicações do concreto como material estrutural. B - Elementos de concreto simples estrutural: elementos estruturais elaborados com concreto que não possui qualquer tipo de armadura, ou que a possui em quantidade inferior ao mínimo exigido para o concreto armado. C - Elementos de concreto armado: aqueles cujo comportamento estrutural depende da aderência entre concreto e armadura, e nos quais não se aplicam alongamentos iniciais das armaduras antes da materialização dessa aderência. D - Armadura passiva: constituída por barra, fios isolados ou cordoalhas, destinada à produção de forças de protensão, isto é, na qual se aplica um pré-alongamento inicial. E - Elementos de concreto protendido: aqueles nos quais parte das armaduras é previamente alongada por equipamentos especiais de protensão com a finalidade de, em condições de serviço, impedir ou limitar a fissuração e os deslocamentos da estrutura e propiciar o melhor aproveitamento de aços de alta resistência no estado limite último. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(D) D - weeeeeeeeeeeeeeee

7 Exercício 15: Um engenheiro especificou em seu projeto estrutural um fck de 25 MPa. Foram extraídos durante a obra 120 corpos de prova para verificação da resistência do concreto. O engenheiro deve dar como aprovado o concreto quando: A corpos de prova apresentarem resistência superior a 25 MPa B - no máximo seis corpos de prova apresentarem resistência inferior a 25 MPa C - todos os corpos de prova apresentarem resistência superior a 25 MPa D - metade dos corpos de prova apresentarem resistência superior a 25 MPa E corpos de prova apresentarem resistência superior a 25 MPa O aluno respondeu e acertou. Alternativa(B) E - no minimo D - armaduras passivas sao aquelas que nao sofrem tensoes estruturais C - somente quando todos os corpos de prova passam nos testes D - somente quando todos os corpos de prova passam nos testes C - somente quando todos os corpos de prova passam nos testes C - somente quando todos os corpos de prova passam nos testes D - somente quando todos os corpos de prova passam nos testes, a RESPOSTA CORRETA SERIA C, POREM SO DA ERRADO O QUE HA???????????? E - somente quando todos os corpos de prova passam nos testes, a RESPOSTA CORRETA SERIA C, POREM SO DA ERRADO O QUE HA???????????? B - somente quando todos os corpos de prova passam nos testes, a RESPOSTA CORRETA SERIA C, POREM SO DA ERRADO O QUE HA???????????? Exercício 16: A definição empregada pela NBR 6118:2003 distância entre o centro de gravidade da armadura longitudinal tracionada até a fibra mais comprimida de concreto advinda da teoria do dimensionamento das peças de concreto armado (cálculo da armadura de flexão) diz respeito a(o): A - profundidade da linha neutra, identificada com a letra x. B - altura da linha neutra convencional, identificada com a letra y. C - altura total da seção transversal da peça, identificada com a letra h. D - braço de alavanca, identificada com a letra z. E - altura útil, identificada com a letra d. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(E) E - o centro de gravidade da armadura longitudinal ate a altura final da peça Exercício 17: Sobre o assunto fissuração de peças de concreto armado assinale a alternativa incorreta:

8 A - Uma cura mal executada pode levar à perda precoce de umidade do concreto fresco, ou seja, a evaporação da água utilizada na mistura de concreto, acarretando a fissuração da peça devido à retração por secagem. B - Durante o processo de desmoldagem, se as fôrmas são retiradas antes do concreto alcançar a resistência necessária, a peça pode fissurar. C - Se por algum motivo passa-se a permitir o uso da estrutura para uma função diferente da qual ela foi projetada, e se esse novo uso acarretar em cargas maiores pode ocorrer a fissuração da estrutura. D - A retração e a fluência do concreto, devidos ao carregamento constante ao longo dos anos, caso não tenham sido consideradas no dimensionamento pode levar a fissuração da estrutura. E - A ausência de armadura de equilíbrio geral dificilmente acarreta o aparecimento de fissuras. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(E) E - a ausencia desta pode acarretar sim todas as questoes citadas em a, b, c, d e um pouco mais Exercício 18: Inicialmente determine o maior momento que pode ser resistido por uma seção retangular com armadura simples possuindo bw = 22 cm, altura útil d = 35 cm, aço CA-50 e fck = 20 MPa. Supondo a linha neutra na divisa entre os domínios 3 e 4, calcule a área necessária de armadura longitudinal. A - 10,80 cm 2 B - 19,46 cm 2 C - 15,46 cm 2 D - 5,78 cm 2 E - 3,56 cm 2 A - MM=26950*1,43*0,32=12.322,3KN.CM As=12.322,3/26,21*43,48 As=10,81cm²

9 Exercício 19: A - 7,66 cm 2 B - 10,66 cm 2 C - 4,23 cm 2 D - 10,45 cm 2 E - 12,97 cm 2 A - fcd=1,43kn.cm²; fyd=43,47kn.cm²; ks=0,029; md=164,3kn.m; as=7,67cm²

10 Exercício 20: A - M k = 45,20 kn.m e A s = 7,32 cm 2 B - M k = 50,18 kn.m e A s = 2,06 cm 2 C - M k = 32,20 kn.m e A s = 4,23 cm 2 D - M k = 128,20 kn.m e A s = 12,45 cm 2 E - M k = 5,20 kn.m e A s = 6,97 cm 2 O aluno respondeu e acertou. Alternativa(B) B - MM=51,9536kn.m kx=261/ =0,77; ks=0,69 o d min devera ser de 30,8 cm Exercício 21: As barras de aço passivo destinadas ao concreto armado e que estão disponíveis no mercado brasileiro, são padronizadas pela NBR 7480 e suas bitolas (diâmetros equivalentes) variam de 5 mm até 40 mm.na construção de obras de grande porte, como por exemplo as grandes barragens, é comum o uso de barras com a bitola máxima, ou seja,diâmetro de 40 mm. Você está analisando uma estrutura de uma barragem e a área de aço necessária é de 72 cm 2 devendo ser utilizada a bitola de 40 mm. Assinale a alternativa com o número de barras de 40 mm de bitola necessárias para atender a esta condição: A - 6 B - 5 C - 7 D - 4 E - 9

11 A - de acordo com a tabela e o as apresentado = 75,29 sendo p aço de d=40mm sera necessario 6 barras Exercício 22: A escolha adequada do número de barras para uma determinada estrutura de concreto armado é de grande importância pois, se por um lado convém um número mínimo de barras para beneficiar a execução, por outro lado convém um número máximo de barra, para reduzir as aberturas de fissuração, cabendo ao engenheiro escolher um número equilibrado de barras que atenda a ambos os quesitos e seja de acordo com a Norma Brasileira. Ao analisar a área de aço necessária para uma estrutura de concreto armado, no valor de 50 cm 2 você verificou que o número máximo e o número mínimo de barras são, respectivamente: A - 26 e 18 B - 26 e 4 C - 32 e 10 D - 32 e 18 E - 26 e 16 O aluno respondeu e acertou. Alternativa(B) B - qual o diametro da barra? isso podera variar de acordo com a escolha de cada calculista projetista, neste optarei pelo minimo. Exercício 23: O CAD - Concreto de Alto Desempenho é um concreto que se destaca pela sua alta resistência à compressão, alta aderência, alta compacidade e outras propriedades que lhe conferem uma elevada durabilidade. O Eng. Epaminondas Melo do Amaral propôs quatro classes para a classificação do concreto quanto à sua resistência à compressão, quais sejam : baixa resistência para fck < 25 MPa, média resistência para fck variando de 25 a 50 MPa, alta resistência para fck variando de 50 a 90 MPa e ultra alta resistência para fck variando de 90 a 400 MPa.De grande importância nas modernas obras civis, o CAD é obtido acrescentando ao concreto à base de Cimento Portland os seguintas componentes: A - aditivo aerador e resíduos de alto forno B - aditivo retardador de pega e resíduos de alto forno C - aditivo hiperplastificante e sílica ativa D - aditivo plastificante e argila moída E - aditivo expansor e resíduos de alto forno O aluno respondeu e acertou. Alternativa(C) C - melhora a fluidez do concreto e sua capacidade resistiva Exercício 24: Um parâmetro importante no estudo dos pilares é o seu índice de esbeltez, obtido pela relação emtre o seu

12 comprimento equivalente de flambagem e o raio de giração mínimo da sua seção transversal. Você está analisando um pilar quadrado, com 0,4 m de lado, biarticulado, e com 4 m de altura. Nessas condições o valor do índice de esbeltez do pilar é: A - 29,16 B - 42,14 C - 16,15 D - 34,64 E - 36,40 O aluno respondeu e acertou. Alternativa(D) D - I= 0,4^4/12= I=0, R= I-3/0,16 = R = 0,1155 esbeltez = 34,68 Exercício 25: Uma coluna de concreto armado deverá ser engastada na base e articulada no topo, com uma altura de 12 m,desejando-se que o índice de esbeltez da mesma seja 30.Para atender à estas condições o diâmetro da coluna deverá ter o seguinte valor: A - 0,93 m B - 1,64 m C - 0,83 m D - 2,12 m E - 1,12 m O aluno respondeu e acertou. Alternativa(E) E - altura de 12 mp que índice de esbeltez da mesma seja 30, sendo assim R=0,7x12/30= R= 0,28 d = 64x0,28²/4^(1/2)= d= 1,1245m Exercício 26: Você está gerenciando a concretagem das estruturas de uma obra e deseja reduzir o prazo de descimbramento (retirada das escoras) e desforma, visando reduzir o prazo da obra. Para atender a este objetivo, assinale a alternativa que você utilizaria: A - utilização de concreto com alta resistência inicial; B - utilização de concreto colorido; C - utilização de concreto protendido; D - utilização de concreto aerado; E - utilização de concreto pesado. A - ao usar o concreto de alta resistencia inicial diminui-se consequetemente o tempo de desforma, ja que o mesmo adquire uma boa resistencia com maior rapidez

13 Exercício 27: Você está planejando um sistema construtivo para a construção de uma série de pontes padronizadas, com longarinas ( vigas longitudinais ) iguais,cuja movimenyação por gruas, guindastes, pórticos e pontes rolantes está situada no caminho crítico do cronograma de construção. Assim sendo, qualquer redução de tempo no caminho crítico se reflete em igual redução do prazo da obra. Uma alternativa possível para reduzir o peso das longarinas, e assim, facilitar a sua movimentação, é fabricá -las com: A - concreto compactado com rolo; B - concreto colorido; C - concreto refrigerado; D - concreto leve estrutural; E - concreto projetado. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(D) D - facilita o transporte pois tem boa resistencia e leveza, comparando-se ao concreto comun Exercício 28: Um ensaio tecnológico desenvolvido pela engenharia civil brasileira, que teve alcance mundial, é o ensaio de compressão diametral, cujo autor foi o Prof. Lôbo Carneiro, da UFRJ. Este ensaio, de grande praticidade, baseia-se na teoria da elasticidade e conceitos da Resistência dos Materiais, permitindo avaliar: A - a resistência à compressão do concreto; B - a permeabilidade do concreto; C - a resistência à tração do concreto; D - a resistência à variação de temperatura do concreto; E - a resistência à punção do concreto. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(C) C - elasticidade e conceitos da Resistência do concreto, o quanto que aguentaria em tese (ser esticado ate seu ponto de ruptura) Exercício 29: Os projetos das estruturas de concreto armado devem conter especificações que assegurem a durabilidade da obra. Dentre as alternativas abaixo, assinale aquela que não contribui para o aumento da durabilidade da obra: A - espessura de recobrimento de concreto na armadura; B - baixa permeabilidade do concreto; C - elevada compacidade do concreto; D - projeto compatível com a agressividade do meio ambiente; E - altura geométrica da obra.

14 O aluno respondeu e acertou. Alternativa(E) B - não contribui para o aumento da durabilidade da obra, de forma que facilita a entrada de oxigenio no meio atingindo a armadura e auxiliando em muito o inicio de oxidaçao desta E - não contribui para o aumento da durabilidade da obra, independe Exercício 30: A resistência à compressão do concreto aumenta com a sua idade. Assim sendo, a relação fckj / fck28 cresce dos 3, 7, 28, 90 até 360 dias. Para um concreto comum, à base de Cimento Portland, temos as seguintes relações : fck3 / fck28 = 0,4 ; fck7 / fck28 = 0,65 ; fck28 / fck28 = 1,0 ; fck90 / fck28 = 1,15 e fck360 / fck28 = 1,35.Considere um concreto com fck28 = 24 MPa. Pode-se afirmar que, para este concreto, as resistências aos 3 dias e aos 360 dias,apresenta os seguintes valores estimativos: A - 12,6 MPa e 34,1 MPa; B - 9,6 MPa e 32,4 MPa; C - 7,8 MPa e 28,4 MPa; D - 8,2 MPa e 34,4 MPa; E - 11,4 MPa e 33,6 MPa. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(B) B - fck3/fck28 = 0,4 e fck28/fck = 1; se fck28 = a24 Mpa ----0,4*24 = 9,6 Mpa para 3 dias e 32,4 Mpa Exercício 31: Uma laje maciça de concreto armado é retangular, com lado maior ly = 10 m e lado menor lx = 6 m, sendo sua carga p = 6 KN / m 2. Sabendo-se que se trata de uma laje isolada, apoiada nas quatro bordas, pode - se afirmar que a carga uniformemente distribuida, aplicada pela laje à cada uma das vigas da borda maior apresenta o seguinte valor, expresso em KN/m: A - 12,6; B - 16,8; C - 14,4; D - 10,2; E - 18,2. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(C) C - a borda maior estara com Q = 14,4 Exercício 32: Uma laje retangular, maciça e de concreto armado, tem 9 m X 5 m de lados e é engastada em uma única borda do lado maior, sendo as demais bordas simplesmente apoiadas. A laje tem uma carga de 6 KN / m 2 e aplica uma carga uniformemente distribuida em cada uma das vigas que suportam as suas bordas. Nessas condições, pode-se afirmar que a carga transmitida pela laje para a viga da borda engastada, expressa em KN.m, apresenta o seguinte valor:

15 A - 15,00; B - 16,00; C - 13,00; D - 14,00; E - 17,00. A - a carga transmitida pela laje para a viga da borda engastada, 15 KN.m, Exercício 33: Uma laje maciça de concreto armado, retangular, com espessura de 10 cm e peso específico de 25 KN/m 3, está sujeita a uma carga acidental de 2 KN/m 2 e à uma carga de revestimento de 1,0 KN/m 2. A laje tem 9 m X 4 m de dimensões, sendo engastada nas duas bordas maiores e apoiada nas duas menores. Para estas condições, pode-se afirmar que a carga uniformemente distribuida, transmitida pela laje para as vigas das bordas maiores, apresenta o seguinte valor, expresso em KN / m: A - 8,37; B - 11,13; C - 12,16; D - 9,29; E - 7,34. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(D) D - a carga uniformemente distribuida, transmitida pela laje para as vigas das bordas maiores, apresenta o seguinte valor, 9.30 KN/ m: Exercício 34: Uma laje maciça de concreto armado é armada em uma só direção e suas dimensões são 3 m X 9 m, em retângulo, sendo a mesma isolada e simplesmente apoiada nas quatro bordas. Sabe-se que a carga da laje é de 5 KN/m 2. Nessas condições pode-se afirmar que as reações das vigas de apoio, na borda maior e na borda menor, respectivamente, apresentam os seguintes valores, expressos em KN/m: A - 4,25 e 2,95; B - 7,15 e 4,85; C - 6,25 e 3,75; D - 8,15 e 5,25; E - 5,75 e 4,75. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(C) C - as cargas das bordas sera aproximadamente 6,25 e 3,75 kn/m

16 Exercício 35: Uma laje maciça de concreto armado é quadrada, com 5,2 m de lado, sendo do tipo isolada e apoiada nas quatro bordas, com carga p = 5,5 KN/ m 2. Nessas condições, pode-se afirmar que as reações das vigas que suportam as bordas da laje apresentam o seguinte valor, expresso em KN/m: A - 5,85; B - 6,25; C - 8,35; D - 9,55; E - 7,15. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(E) E - as vigas que suportam as bordas da laje carregam Q = 7,15 kn/m Exercício 36: Uma laje maciça de concreto armado é isolada e apoiada nas quatro bordas. Sua borda maior tem 9,6 m e sua borda menor tem 3,2 m, com carga p = 6 KN / m 2. Para estas condições pode-se afirmar que o momento fletor máximo, que ocorre no meio do vão do lado menor, apresenta o seguinte valor, expresso em KN.m: A - 6,26; B - 7,68; C - 5,14; D - 8,16; E - 9,36. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(B) B - o mm fletor maximo no meio de lx = 7,68 kn.m aproximado Exercício 37: Uma laje maciça, de concreto armado, está em balanço, sendo de 3,2 m o comprimento do balanço. A carga da laje é de 5 KN / m 2. Nessas condições pode-se afirmar que o momento de engastamento da laje apresenta o seguinte valor expresso por KN.m por metro linear de engastamento, ou seja, em KN. m / m: A - 18,3; B - 32,4; C - 20,6; D - 25,6; E - 27,4.

17 O aluno respondeu e acertou. Alternativa(D) D - o mm de engast da citada laje e aproxim. 26,0kn.m Exercício 38: Uma laje maciça, de concreto armado, é armada em uma só direção, sendo engastada nas bordas maiores e apoiada nas bordas menores. A laje tem dimensões de 4,18 m X 12,36 m e sua carga é de 5 KN / m 2. Nessas condições pode-se afirmar que o máximo momento fletor positivo ( meio do vão menor ) e o máximo momento fletor negativo (engastamento) apresentam os seguintes valores, expressos em KN.m / m: A - + 3,64 e - 7,28 B - + 4,12 e - 5,18 C - + 2,27 e - 4,54 D - + 5,16 e - 10,32 E - + 3,22 e - 6,44 A - Os max. e min. mm fletor desta sao equivalentes a aproximadamente os valores da resposta A Exercício 39: Uma laje maciça, de concreto armado, tem peso específico de 25 KN / m 3, contendo revestimento ( 1,0 KN / m 2 ), e sendo também impermeabilizada ( 1,0 KN / m 2 ), com uma carga acidental de 2,0 KN / m 2. A laje tem 10 cm de espessura e é armada em uma só direção, com bordas de 12 m X 4 m, sendo engastada em uma das bordas maior e apoiada nas outras três. Para essas condições pode-se afirmar que o momento fletor negativo do engastamento e o máximo momento fletor positivo da laje apresentam os seguintes valores, expressos em KN.m / m: A ,00 e + 8,30 B ,00 e + 7,31 C - - 9,00 e + 5,27 D - - 8,00 e + 6,18 E ,00 e + 9,16 O aluno respondeu e acertou. Alternativa(B) B - o momento fletor negativo do engastamento e o máximo momento fletor positivo da laje sao respectivamente proximos aos valores da resposta B Exercício 40: Uma laje maciça de concreto armado é retangular, do tipo isolada, apoiada nas quatro bordas, com dimensões de 510 cm X 300 cm, sendo sua carga p = 10 KN / m 2, devendo-se utilizar, para o cálculo de Mx e My as Tabelas de Czerny. Para estas condições pode-se afirmar que os valores de Mx e My, expressos em KN.m / m, são, respectivamente :

18 A - 9,16 e 4,18; B - 5,14 e 1,94; C - 10,28 e 5,14; D - 7,56 e 2,42; E - 6,18 e 3,54. O aluno respondeu e acertou. Alternativa(D) D - os valores de mx e my de acordo com os dados colhidos da tabela de kserny e assim introduzidos nos calculos nos da valores aproximados aos apresentados na resposta D (7,56 e 2,42) kn.m/m

Sobre o assunto fissuração de peças de concreto armado assinale a alternativa incorreta:

Sobre o assunto fissuração de peças de concreto armado assinale a alternativa incorreta: Exercício 1: A definição empregada pela NBR 6118:2003 distância entre o centro de gravidade da armadura longitudinal tracionada até a fibra mais comprimida de concreto advinda da teoria do dimensionamento

Leia mais

Facear Concreto Estrutural I

Facear Concreto Estrutural I 1. ASSUNTOS DA AULA Durabilidade das estruturas, estádios e domínios. 2. CONCEITOS As estruturas de concreto devem ser projetadas e construídas de modo que, quando utilizadas conforme as condições ambientais

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7 AULA 7 CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES Disciplina: Projeto de Estruturas CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS 1 CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS ALOJAMENTO DAS ARMADURAS Armadura longitudinal (normal/flexão/torção) Armadura

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Centro de Ensino Superior do Amapá-CEAP Curso: Arquitetura e Urbanismo Assunto: Cálculo de Pilares Prof. Ederaldo Azevedo Aula 4 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Centro de Ensino Superior do Amapá-CEAP

Leia mais

ÍNDICE DO LIVRO CÁLCULO E DESENHO DE CONCRETO ARMADO autoria de Roberto Magnani SUMÁRIO LAJES

ÍNDICE DO LIVRO CÁLCULO E DESENHO DE CONCRETO ARMADO autoria de Roberto Magnani SUMÁRIO LAJES ÍNDICE DO LIVRO CÁLCULO E DESENHO DE CONCRETO ARMADO autoria de Roberto Magnani SUMÁRIO LAJES 2. VINCULAÇÕES DAS LAJES 3. CARREGAMENTOS DAS LAJES 3.1- Classificação das lajes retangulares 3.2- Cargas acidentais

Leia mais

6 Vigas: Solicitações de Flexão

6 Vigas: Solicitações de Flexão 6 Vigas: Solicitações de Fleão Introdução Dando seqüência ao cálculo de elementos estruturais de concreto armado, partiremos agora para o cálculo e dimensionamento das vigas à fleão. Ações As ações geram

Leia mais

1.1 Conceitos fundamentais... 19 1.2 Vantagens e desvantagens do concreto armado... 21. 1.6.1 Concreto fresco...30

1.1 Conceitos fundamentais... 19 1.2 Vantagens e desvantagens do concreto armado... 21. 1.6.1 Concreto fresco...30 Sumário Prefácio à quarta edição... 13 Prefácio à segunda edição... 15 Prefácio à primeira edição... 17 Capítulo 1 Introdução ao estudo das estruturas de concreto armado... 19 1.1 Conceitos fundamentais...

Leia mais

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA ECC 1008 ESTRUTURAS DE CONCRETO PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA (Aulas 9-12) Prof. Gerson Moacyr Sisniegas Alva Algumas perguntas para reflexão... É possível obter esforços (dimensionamento) sem conhecer

Leia mais

Estruturas de Concreto Armado. Eng. Marcos Luís Alves da Silva luisalves1969@gmail.com unip-comunidade-eca@googlegroups.com

Estruturas de Concreto Armado. Eng. Marcos Luís Alves da Silva luisalves1969@gmail.com unip-comunidade-eca@googlegroups.com Estruturas de Concreto Armado Eng. Marcos Luís Alves da Silva luisalves1969@gmail.com unip-comunidade-eca@googlegroups.com 1 CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL EA 851J TEORIA EC6P30/EC7P30

Leia mais

São todos aqueles relacionados às ações mecânicas, movimentações de origem térmica, impactos, ações cíclicas, retração, fluência e relaxação.

São todos aqueles relacionados às ações mecânicas, movimentações de origem térmica, impactos, ações cíclicas, retração, fluência e relaxação. 6.3.4 Mecanismos de deterioração da estrutura propriamente dita São todos aqueles relacionados às ações mecânicas, movimentações de origem térmica, impactos, ações cíclicas, retração, fluência e relaxação.

Leia mais

CÁLCULO DE VIGAS. - alvenaria de tijolos cerâmicos furados: γ a = 13 kn/m 3 ; - alvenaria de tijolos cerâmicos maciços: γ a = 18 kn/m 3.

CÁLCULO DE VIGAS. - alvenaria de tijolos cerâmicos furados: γ a = 13 kn/m 3 ; - alvenaria de tijolos cerâmicos maciços: γ a = 18 kn/m 3. CAPÍTULO 5 Volume 2 CÁLCULO DE VIGAS 1 1- Cargas nas vigas dos edifícios peso próprio : p p = 25A c, kn/m ( c A = área da seção transversal da viga em m 2 ) Exemplo: Seção retangular: 20x40cm: pp = 25x0,20x0,40

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MARÍLIA

UNIVERSIDADE DE MARÍLIA UNIVERSIDADE DE MARÍLIA Faculdade de Engenharia, Arquitetura e Tecnologia SISTEMAS ESTRUTURAIS (NOTAS DE AULA) Professor Dr. Lívio Túlio Baraldi MARILIA, 2007 1. DEFINIÇÕES FUNDAMENTAIS Força: alguma causa

Leia mais

Módulo 6 Pilares: Estados Limites Últimos Detalhamento Exemplo. Imperfeições Geométricas Globais. Imperfeições Geométricas Locais

Módulo 6 Pilares: Estados Limites Últimos Detalhamento Exemplo. Imperfeições Geométricas Globais. Imperfeições Geométricas Locais NBR 68 : Estados Limites Últimos Detalhamento Exemplo P R O O Ç Ã O Conteúdo Cargas e Ações Imperfeições Geométricas Globais Imperfeições Geométricas Locais Definições ELU Solicitações Normais Situações

Leia mais

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto INTRODUÇÃO O presente trabalho tem como objetivo fornecer aos projetistas e contratantes, recomendações básicas e orientações

Leia mais

Módulo 5 Lajes: Estados Limites Últimos Estados Limites de Serviço Detalhamento Exemplo. Dimensionamento de Lajes à Punção

Módulo 5 Lajes: Estados Limites Últimos Estados Limites de Serviço Detalhamento Exemplo. Dimensionamento de Lajes à Punção NBR 6118 : Estados Limites Últimos Estados Limites de Serviço Detalhamento P R O M O Ç Ã O Conteúdo ELU e ELS Força Cortante em Dimensionamento de à Punção - Detalhamento - - Conclusões Estado Limite Último

Leia mais

1.1 DEFINIÇÕES Concreto é um material de construção proveniente da mistura, em proporção adequada, de: aglomerantes, agregados e água.

1.1 DEFINIÇÕES Concreto é um material de construção proveniente da mistura, em proporção adequada, de: aglomerantes, agregados e água. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 1 Libânio M. Pinheiro; Cassiane D. Muzardo; Sandro P. Santos Março de 2004 INTRODUÇÃO Este é o capítulo inicial de um curso cujos objetivos são: os fundamentos do concreto;

Leia mais

As lajes de concreto são consideradas unidirecionais quando apenas um ou dois lados são considerados apoiados.

As lajes de concreto são consideradas unidirecionais quando apenas um ou dois lados são considerados apoiados. LAJES DE CONCRETO ARMADO 1. Unidirecionais As lajes de concreto são consideradas unidirecionais quando apenas um ou dois lados são considerados apoiados. 1.1 Lajes em balanço Lajes em balanço são unidirecionais

Leia mais

O valor da tensão máxima de compressão na viga prismática de concreto armado da figura após a cura do concreto, só com o peso próprio, vale:

O valor da tensão máxima de compressão na viga prismática de concreto armado da figura após a cura do concreto, só com o peso próprio, vale: ESTUDOS DISCIPLINARES DA DISCIPLINA DE COMPLEMENTO DE RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS CONSISTE NA RESOLUÇÃO DE EXERCICIOS, COM SUAS DEVIDAS JUSTIFICATIVAS. Exercício 1: O valor da tensão máxima de compressão

Leia mais

Lajes de Edifícios de Concreto Armado

Lajes de Edifícios de Concreto Armado Lajes de Edifícios de Concreto Armado 1 - Introdução As lajes são elementos planos horizontais que suportam as cargas verticais atuantes no pavimento. Elas podem ser maciças, nervuradas, mistas ou pré-moldadas.

Leia mais

11 - PROJETO ESTRUTURAL DO EDIFÍCIO DA ENGENHARIA CIVIL

11 - PROJETO ESTRUTURAL DO EDIFÍCIO DA ENGENHARIA CIVIL 11 - PROJETO ESTRUTURAL DO EDIFÍCIO DA ENGENHARIA CIVIL Fernando Musso Junior musso@npd.ufes.br Estruturas de Concreto Armado 216 11.1 - ARQUITETURA DO EDIFÍCIO Fernando Musso Junior musso@npd.ufes.br

Leia mais

ESCADAS USUAIS DOS EDIFÍCIOS

ESCADAS USUAIS DOS EDIFÍCIOS Volume 4 Capítulo 3 ESCDS USUIS DOS EDIFÍCIOS 1 3.1- INTRODUÇÃO patamar lance a b c d e Formas usuais das escadas dos edifícios armada transversalmente armada longitudinalmente armada em cruz V3 V4 Classificação

Leia mais

2 a Prova de EDI-49 Concreto Estrutural II Prof. Flávio Mendes Junho de 2012 Duração prevista: até 4 horas.

2 a Prova de EDI-49 Concreto Estrutural II Prof. Flávio Mendes Junho de 2012 Duração prevista: até 4 horas. 2 a Prova de EDI-49 Concreto Estrutural II Prof. Flávio Mendes Junho de 212 Duração prevista: até 4 horas. Esta prova tem oito (8) questões e três (3) laudas. Consulta permitida somente ao formulário básico.

Leia mais

BASES PARA CÁLCULO CAPÍTULO 6 BASES PARA CÁLCULO 6.1 ESTADOS LIMITES

BASES PARA CÁLCULO CAPÍTULO 6 BASES PARA CÁLCULO 6.1 ESTADOS LIMITES BASES PARA CÁLCULO CAPÍTULO 6 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos 6 maio 2003 BASES PARA CÁLCULO 6.1 ESTADOS LIMITES As estruturas de concreto armado devem ser projetadas de modo

Leia mais

ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO CADERNO DE QUESTÕES

ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO CADERNO DE QUESTÕES 2014 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 O núcleo central de inércia é o lugar geométrico da seção transversal

Leia mais

REFORÇO DE VIGAS DE CONCRETO ARMADO, Á FLEXAO, COM FIBRA DE CARBONO

REFORÇO DE VIGAS DE CONCRETO ARMADO, Á FLEXAO, COM FIBRA DE CARBONO CURSO PRÁTICO DE DIAGNOSTICO, REPARO, PROTEÇÃO E REFORÇO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO REFORÇO DE VIGAS DE CONCRETO ARMADO, Á FLEXAO, COM FIBRA DE CARBONO PROF. FERNANDO JOSÉ RELVAS frelvas@exataweb.com.br

Leia mais

PROCEDIMENTOS RECOMENDADOS DA QUALIDADE DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND

PROCEDIMENTOS RECOMENDADOS DA QUALIDADE DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND PROCEDIMENTOS RECOMENDADOS PARA O CONTROLE TECNOLÓGICO E DA QUALIDADE DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND Engº.. Roberto José Falcão Bauer JUNHO / 2006 SUMÁRIO 1. DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO 2. PREMISSAS VISANDO

Leia mais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais Blocos de CONCRETO DESCRIÇÃO: Elementos básicos para a composição de alvenaria (estruturais ou de vedação) BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO SIMPLES COMPOSIÇÃO Cimento Portland, Agregados (areia, pedra, etc.)

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMA COMPUTACIONAL PARA CÁLCULO E DIMENSIONAMENTO DE POSTES DE CONCRETO ARMADO COM SEÇÃO TRANSVERSAL DUPLO T

DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMA COMPUTACIONAL PARA CÁLCULO E DIMENSIONAMENTO DE POSTES DE CONCRETO ARMADO COM SEÇÃO TRANSVERSAL DUPLO T DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMA COMPUTACIONAL PARA CÁLCULO E DIMENSIONAMENTO DE POSTES DE CONCRETO ARMADO COM SEÇÃO TRANSVERSAL DUPLO T Hevânio D. de Almeida a b, Rafael A. Guillou a,, Cleilson F. Bernardino

Leia mais

ATUALIZAÇÃO EM SISTEMAS ESTRUTURAIS

ATUALIZAÇÃO EM SISTEMAS ESTRUTURAIS AULA 04 ATUALIZAÇÃO EM SISTEMAS ESTRUTURAIS Prof. Felipe Brasil Viegas Prof. Eduardo Giugliani http://www.feng.pucrs.br/professores/giugliani/?subdiretorio=giugliani 0 AULA 04 INSTABILIDADE GERAL DE EDIFÍCIOS

Leia mais

UNIDADE 2 DIMENSIONAMENTO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO

UNIDADE 2 DIMENSIONAMENTO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO Universidade Federal de Pelotas Centro de Engenharias Curso de Engenharia Civil e Engenharia Agrícola UNIDADE 2 DIMENSIONAMENTO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO (AULA 3 HIPÓTESES DE CÁLCULO) Prof. Estela

Leia mais

Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil

Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DE UMA ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO ANALISANDO A RIGIDEZ DO ENGASTAMENTO ENTRE VIGAS E PILARES E UTILIZANDO

Leia mais

Prof. Eng. VICENTE BUDZINSKI UNIMAR CONCRETO ARMADO I CONCRETO

Prof. Eng. VICENTE BUDZINSKI UNIMAR CONCRETO ARMADO I CONCRETO CONCRETO Concreto é um material de construção proveniente da mistura, em proporção adequada, de: aglomerantes, agregados e água. Também é frequente o emprego de aditivos e adições. AGLOMERANTES Os aglomerantes

Leia mais

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/109/imprime31727.asp Figura 1 - Corte representativo dos sistemas de lajes treliçadas

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/109/imprime31727.asp Figura 1 - Corte representativo dos sistemas de lajes treliçadas 1 de 9 01/11/2010 23:26 Como construir Lajes com EPS Figura 1 - Corte representativo dos sistemas de lajes treliçadas As lajes tipo volterrana abriram a trajetória das lajes pré-moldadas. O sistema utiliza

Leia mais

Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil

Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil ANÁLISE DO DIMENSIONAMENTO DE PILARES DE CONCRETO ARMADO PELO MÉTODO DO PILAR PADRÃO COM RIGIDEZ κ APROXIMADA E PELO MÉTODO DO PILAR PADRÃO COM CURVATURA APROXIMADA PARA EFEITOS DE 2º ORDEM Augusto Figueredo

Leia mais

ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 2 CARACTERÍSTICAS DO CONCRETO

ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 2 CARACTERÍSTICAS DO CONCRETO ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 2 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos Março de 2004 CARACTERÍSTICAS DO CONCRETO Como foi visto no capítulo anterior, a mistura em proporção adequada

Leia mais

3. Programa Experimental

3. Programa Experimental 3. Programa Experimental 3.1. Considerações Iniciais Este estudo experimental foi desenvolvido no laboratório de estruturas e materiais (LEM) da PUC- Rio e teve o propósito de estudar o comportamento de

Leia mais

Controle de execução de estruturas de concreto para assegurar o desempenho estrutural com foco na segurança e durabilidade

Controle de execução de estruturas de concreto para assegurar o desempenho estrutural com foco na segurança e durabilidade Realização: Controle de execução de estruturas de concreto para assegurar o desempenho estrutural com foco na segurança e durabilidade Ricardo Leopoldo e Silva França PALESTRA do Gogó da Ema! Quatro apresentações,

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Centro de Ensino Superior do Amapá-CEAP Curso: Arquitetura e Urbanismo Disciplina: Sistemas Estruturais em Concreto Armado Disciplina: Sistemas Estruturais em Concreto Armado Assunto: Dimensionamento de

Leia mais

2 Materiais e Métodos

2 Materiais e Métodos 1 ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DE VIGAS REFORÇADAS POR ACRÉSCIMO DE CONCRETO À FACE COMPRIMIDA EM FUNÇÃO DA TAXA DE ARMADURA LONGITUDINAL TRACIONADA PRÉ-EXISTENTE Elias Rodrigues LIAH; Andréa Prado Abreu REIS

Leia mais

Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio. Departamento de Arquitetura. Sistemas Estruturais na Arquitetura III

Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio. Departamento de Arquitetura. Sistemas Estruturais na Arquitetura III Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio Departamento de Arquitetura Sistemas Estruturais na Arquitetura III Notas de aulas - Concreto Armado Conceitos e Funcionamento Icléa Reys de Ortiz Concreto

Leia mais

detalhamento da armadura longitudinal da viga

detalhamento da armadura longitudinal da viga conteúdo 36 detalhamento da armadura longitudinal da viga 36.1 Decalagem do diagrama de momentos fletores (NBR6118/2003 Item 17.4.2.2) Quando a armadura longitudinal de tração for determinada através do

Leia mais

CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO (CAD):

CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO (CAD): CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO (CAD): aplicação nas construtoras EVOLUÇÃO DA RESISTÊNCIA 2000 2002 1940 1990 25 MPa 45 MPa 125 MPa 16 MPa O QUE É? Concreto com propriedades - resistência e durabilidade -

Leia mais

A importância do projeto de paredes de concreto para os projetistas estruturais Arnoldo Augusto Wendler Filho

A importância do projeto de paredes de concreto para os projetistas estruturais Arnoldo Augusto Wendler Filho Paredes de Concreto: Cálculo para Construções Econômicas A importância do projeto de paredes de concreto para os projetistas estruturais Arnoldo Augusto Wendler Filho Sistema Construtivo Sistema Construtivo

Leia mais

Propriedades do Concreto

Propriedades do Concreto Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia Civil Propriedades do Concreto Referência desta aula Agosto - 2008 1 Propriedades

Leia mais

MATERIAIS PARA CONCRETO ARMADO

MATERIAIS PARA CONCRETO ARMADO CAPÍTULO 1 Volume 1 MATERIAIS PARA CONCRETO ARMADO 1 1.1- Introdução Concreto: agregados + cimento + água + aditivos. Sua resistência depende: do consumo de cimento, fator água-cimento, grau de adensamento,

Leia mais

Sociedade Goiana de Cultura Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Laboratório de Materiais de Construção

Sociedade Goiana de Cultura Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Laboratório de Materiais de Construção Sociedade Goiana de Cultura Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Laboratório de Materiais de Construção Ensaios de Stuttgart Reprodução em Laboratório Consorte, Anna Karlla G. Oliveira,

Leia mais

2QUALIDADE DAS ESTRUTURAS

2QUALIDADE DAS ESTRUTURAS 2.1 Condições gerais 1 2 2QUALIDADE DAS ESTRUTURAS As estruturas de concreto devem atender aos requisitos mínimos de qualidade, durante sua construção e serviço, e aos requisitos adicionais estabelecidos

Leia mais

Módulo 4 Vigas: Estados Limites Últimos Estados Limites de Serviço Detalhamento Exemplo. Segurança em Relação aos ELU e ELS

Módulo 4 Vigas: Estados Limites Últimos Estados Limites de Serviço Detalhamento Exemplo. Segurança em Relação aos ELU e ELS NBR 6118 : Estados Limites Últimos Estados Limites de Serviço Detalhamento P R O M O Ç Ã O Conteúdo Segurança em Relação aos ELU e ELS ELU Solicitações Normais ELU Elementos Lineares Sujeitos à Força Cortante

Leia mais

Notas de aulas - Concreto Armado. Lançamento da Estrutura. Icléa Reys de Ortiz

Notas de aulas - Concreto Armado. Lançamento da Estrutura. Icléa Reys de Ortiz Notas de aulas - Concreto Armado 2 a Parte Lançamento da Estrutura Icléa Reys de Ortiz 1 1. Lançamento da Estrutura Antigamente costumava-se lançar vigas sob todas as paredes e assim as lajes ficavam menores

Leia mais

Durabilidade e Análise Estrutural. Parâmetros Decisivos na Durabilidade. Classes de Agressividade Ambiental

Durabilidade e Análise Estrutural. Parâmetros Decisivos na Durabilidade. Classes de Agressividade Ambiental NBR 6118 Durabilidade e P R O M O Ç Ã O Conteúdo Parâmetros Decisivos na Durabilidade Cobrimentos Nominais Classes de Agressividade Ambiental Diretrizes para Durabilidade Depoimento Eng o José Zamarion

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONA E MUCURI DIAMANTINA MG ESTUDO DIRIGIDO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONA E MUCURI DIAMANTINA MG ESTUDO DIRIGIDO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONA E MUCURI DIAMANTINA MG ESTUDO DIRIGIDO Disciplina: Construções Rurais 2011/1 Código: AGR006/AGR007 Curso (s): Agronomia e Zootecnia

Leia mais

O conhecimento das dimensões permite determinar os vãos equivalentes e as rigidezes, necessários no cálculo das ligações entre os elementos.

O conhecimento das dimensões permite determinar os vãos equivalentes e as rigidezes, necessários no cálculo das ligações entre os elementos. PRÉ-DIMENSIONAMENTO CAPÍTULO 5 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos 3 abr 2003 PRÉ-DIMENSIONAMENTO O pré-dimensionamento dos elementos estruturais é necessário para que se possa calcular

Leia mais

O AÇO ESTRUTURAL (uma parte do material desta página foi extraída do site www.gerdau.com.br) Aços CA-50 e CA-25

O AÇO ESTRUTURAL (uma parte do material desta página foi extraída do site www.gerdau.com.br) Aços CA-50 e CA-25 O AÇO ESTRUTURAL (uma parte do material desta página foi extraída do site www.gerdau.com.br) Os aços são classificados conforme sua resistência, definida pela sua composição e processo de fabricação. Assim,

Leia mais

APÊNDICE 2 TABELAS PARA O CÁLCULO DE LAJES

APÊNDICE 2 TABELAS PARA O CÁLCULO DE LAJES APÊNDICE 2 TABELAS PARA O CÁLCULO DE LAJES 338 Curso de Concreto Armado 1. Lajes retangulares apoiadas no contorno As tabelas A2.1 a A2.6 correspondem a lajes retangulares apoiadas ao longo de todo o contorno

Leia mais

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 27 DETERMINAÇÃO DAS CAUSAS DE FISSURAÇÃO EM VIGA DE CONCRETO PROTENDIDO USANDO SIMULAÇÃO NUMÉRICA Savaris, G.*, Garcia, S.

Leia mais

Lista de exercícios sobre barras submetidas a força normal

Lista de exercícios sobre barras submetidas a força normal RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I Lista de exercícios sobre barras submetidas a força normal 1) O cabo e a barra formam a estrutura ABC (ver a figura), que suporta uma carga vertical P= 12 kn. O cabo tem a área

Leia mais

INDICE 3.CÁLCULO PELO MÉTODO SIMPLIFICADO X CÁLCULO COMO PLACAS ISOLADAS...5

INDICE 3.CÁLCULO PELO MÉTODO SIMPLIFICADO X CÁLCULO COMO PLACAS ISOLADAS...5 INDICE 1.INTRODUÇÃO 3 2.OBJETIVO 4 3.CÁLCULO PELO MÉTODO SIMPLIFICADO X CÁLCULO COMO PLACAS ISOLADAS...5 3.1 Caixa d`água Vazia...... 6 3.1.1 Parede XZ (Par 1 e Par 3)... 7 3.1.2. Parede YZ (Par 4 e Par

Leia mais

P U C R S PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ENGENHARIA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CONCRETO ARMADO II FLEXÃO SIMPLES

P U C R S PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ENGENHARIA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CONCRETO ARMADO II FLEXÃO SIMPLES P U C R S PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ENGENHARIA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CONCRETO ARMADO II FLEXÃO SIMPLES (OUTRA APRESENTAÇÃO) Prof. Almir Schäffer PORTO ALEGRE

Leia mais

cs-41 RPN calculator Mac OS X CONCRETO ARMADO J. Oliveira Arquiteto Baseado nas normas ABNT NBR-6118 e publicações de Aderson Moreira da Rocha

cs-41 RPN calculator Mac OS X CONCRETO ARMADO J. Oliveira Arquiteto Baseado nas normas ABNT NBR-6118 e publicações de Aderson Moreira da Rocha cs-41 RPN calculator Mac OS X CONCRETO ARMADO J. Oliveira Arquiteto Baseado nas normas ABNT NBR-6118 e publicações de Aderson Moreira da Rocha MULTIGRAFICA 2010 Capa: foto do predio do CRUSP em construção,

Leia mais

Por que protender uma estrutura de concreto?

Por que protender uma estrutura de concreto? Por que protender uma estrutura de concreto? Eng. Maria Regina Leoni Schmid Rudloff Sistema de Protensão Ltda. RUDLOFF SISTEMA DE PROTENSÃO LTDA. Fig. 1 Representação esquemática de um cabo de cordoalhas

Leia mais

5ª LISTA DE EXERCÍCIOS PROBLEMAS ENVOLVENDO FLEXÃO

5ª LISTA DE EXERCÍCIOS PROBLEMAS ENVOLVENDO FLEXÃO Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Departamento de Construção e Estruturas Professor: Armando Sá Ribeiro Jr. Disciplina: ENG285 - Resistência dos Materiais I-A www.resmat.ufba.br 5ª LISTA

Leia mais

BOAS RECOMENDAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFÍCIOS. Eng. Luiz Aurélio Fortes da Silva

BOAS RECOMENDAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFÍCIOS. Eng. Luiz Aurélio Fortes da Silva 1 BOAS RECOMENDAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFÍCIOS Eng. Luiz Aurélio Fortes da Silva 1 2 TÓPICOS DA PALESTRA 2 CONSIDERAÇÕES INICIAIS DE PROJETO CONCEPÇÃO ESTRUTURAL MATERIAIS E DURABILIDADE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA CIVIL FELIPE MOREIRA DE MAGALHÃES

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA CIVIL FELIPE MOREIRA DE MAGALHÃES UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA CIVIL FELIPE MOREIRA DE MAGALHÃES DESENVOLVIMENTO DE PROJETO ESTRUTURAL EM CONCRETO ARMADO, DA SUPERESTRUTURA

Leia mais

COMPARAÇÃO DOS PARÂMETROS QUANTITATIVOS DE UMA ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO EM RELAÇÃO A RESISTÊNCIA CARACTERÍSTICA DO CONCRETO, O f CK

COMPARAÇÃO DOS PARÂMETROS QUANTITATIVOS DE UMA ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO EM RELAÇÃO A RESISTÊNCIA CARACTERÍSTICA DO CONCRETO, O f CK COMPARAÇÃO DOS PARÂMETROS QUANTITATIVOS DE UMA ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO EM RELAÇÃO A RESISTÊNCIA CARACTERÍSTICA DO CONCRETO, O f CK Samuel Hilgert Pizzetti (1) (1) Engenheiro Civil, Empresa Pizzetti

Leia mais

Concreto e Postes de Concreto Diego Augusto de Sá /Janaína Rodrigues Lenzi

Concreto e Postes de Concreto Diego Augusto de Sá /Janaína Rodrigues Lenzi Concreto e Postes de Concreto Diego Augusto de Sá /Janaína Rodrigues Lenzi INTRODUÇÃO: Neste trabalho será apresentado um apanhado sobre as diversas formas de concreto e agregados bem como o seu uso, dando

Leia mais

Detalhamento de Concreto Armado

Detalhamento de Concreto Armado Detalhamento de Concreto Armado (Exemplos Didáticos) José Luiz Pinheiro Melges Ilha Solteira, março de 2009 Exercícios - Detalhamento 1 1. DIMENSIONAR E DETALHAR A VIGA ABAIXO. 1.1 DADOS A princípio, por

Leia mais

FUNDAÇÕES FUNDAÇÕES FUNDAÇÕES FUNDAÇÕES. Tutorial. Tutorial. Tutorial. Tutorial. MULTIPLUS www.multiplus.com. MULTIPLUS www.multiplus.

FUNDAÇÕES FUNDAÇÕES FUNDAÇÕES FUNDAÇÕES. Tutorial. Tutorial. Tutorial. Tutorial. MULTIPLUS www.multiplus.com. MULTIPLUS www.multiplus. Tutorial Tutorial FUNDAÇÕES FUNDAÇÕES Hot Line: (11) 3337-5552 SIM /controle/acesso.asp Praça da República, 386 6º and 01045-000 São Paulo - SP Hot Line: (11) 3337-5552 SIM /controle/acesso.asp Praça da

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas Centro de Engenharias Cursos de Engenharia Civil e Engenharia Agrícola

Universidade Federal de Pelotas Centro de Engenharias Cursos de Engenharia Civil e Engenharia Agrícola Universidade Federal de Pelotas Centro de Engenharias Cursos de Engenharia Civil e Engenharia Agrícola Estruturas em Concreto Armado Profª Estela Garcez AULA 1 - Introdução ao Concreto Armado Instalações

Leia mais

Estruturas Mistas de Aço e Concreto

Estruturas Mistas de Aço e Concreto Universidade Federal do Espírito Santo Estruturas Mistas de Aço e Concreto Prof. Fernanda Calenzani Programa Detalhado Estruturas Mistas Aço e Concreto 1. Informações Básicas 1.1 Materiais 1.2 Propriedades

Leia mais

PUC-CAMPINAS Faculdade de Engenharia Civil. Disciplina Materiais de Construção Civil A

PUC-CAMPINAS Faculdade de Engenharia Civil. Disciplina Materiais de Construção Civil A PUC-CAMPINAS Faculdade de Engenharia Civil Disciplina Materiais de Construção Civil A CONCRETO Profa. Lia Lorena Pimentel CONCRETO 1. DEFINIÇÃO Aglomerado resultante da mistura de cimento, água, agregados

Leia mais

PROPRIEDADES DO CONCRETO NO ESTADO FRESCO

PROPRIEDADES DO CONCRETO NO ESTADO FRESCO DO CONCRETO NO ESTADO FRESCO COMPORTAMENTO FÍSICO No estado fresco inicial Suspensão de partículas diversas pasta de cimento agregados aditivos ou adições Endurecimento progressivo na fôrma produtos da

Leia mais

DESENHOS DE FORMAS ESTRUTURAIS EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO

DESENHOS DE FORMAS ESTRUTURAIS EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Estruturas e Construção Civil Disciplina: ECC 1008 Estruturas de Concreto DESENHOS DE FORMAS ESTRUTURAIS EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO

Leia mais

TUPER ESTRUTURAS PLANAS

TUPER ESTRUTURAS PLANAS TUPER ESTRUTURAS PLANAS LAJES MISTAS NERVURADAS MANUAL DE MONTAGEM ÍNDICE 1. Tuper lajes mistas nervuradas... 03 2. Especificações... 04 3. Escoramento... 05 4. Armadura de distribuição... 07 5. Nervuras

Leia mais

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço 23 2. Sistemas de Lajes 2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço Neste capítulo são apresentados os tipos mais comuns de sistemas de lajes utilizadas na construção civil. 2.1.1.

Leia mais

Curso de Tecnologia de Pavimentos de Concreto. Módulo 2 Projeto e Dimensionamento dos Pavimentos

Curso de Tecnologia de Pavimentos de Concreto. Módulo 2 Projeto e Dimensionamento dos Pavimentos Curso de Tecnologia de Pavimentos de Concreto Módulo 2 Projeto e Dimensionamento dos Pavimentos Fundamento da mecânica dos pavimentos e da ciência dos pavimentos rígidos Projetar uma estrutura que dê conforto,

Leia mais

Este curso consiste de uma introdução ao cálculo estrutural das vigas de concreto armado, ilustrada através do estudo de vigas retas de edifícios.

Este curso consiste de uma introdução ao cálculo estrutural das vigas de concreto armado, ilustrada através do estudo de vigas retas de edifícios. Introdução 1 1. Introdução O objetivo do cálculo de uma estrutura de concreto armado é o de se garantir: uma segurança adequada contra a ruptura decorrente das solicitações; deformações decorrentes das

Leia mais

CONE CONCÊNTRICO E ANEL DE CONCRETO PARA POÇOS DE VISITA E DE INSPEÇÃO

CONE CONCÊNTRICO E ANEL DE CONCRETO PARA POÇOS DE VISITA E DE INSPEÇÃO CONE CONCÊNTRICO E ANEL DE CONCRETO PARA POÇOS DE VISITA E DE INSPEÇÃO ETM 006 VERSÃO 02 Jundiaí 2015 ETM Especificação Técnica de Material CONE CONCÊNTRICO E ANEL DE CONCRETO PARA POÇOS DE VISITA E DE

Leia mais

ENSAIOS DE STUTTGART REPRODUÇÃO EM LABORATÓRIO

ENSAIOS DE STUTTGART REPRODUÇÃO EM LABORATÓRIO ENSAIOS DE STUTTGART RERODUÇÃO EM LABORATÓRIO Andrea Corrêa Rocha (1); Maria das Graças Duarte Oliveira (1); aulo Sérgio Oliveira Resende (1); Alberto Vilela Chaer (2) (1) Acadêmicos de Engenharia Civil,

Leia mais

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA 1 CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA I. SISTEMAS ESTRUTURAIS Podemos citar diferentes sistemas estruturais a serem adotados durante a concepção do projeto de uma edificação. A escolha

Leia mais

PROJETO ESTRUTURAL EM CONCRETO ARMADO

PROJETO ESTRUTURAL EM CONCRETO ARMADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL RAFAEL DO VALLE PEREIRA CARDOSO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PROJETO ESTRUTURAL EM CONCRETO ARMADO FLORIANÓPOLIS

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DE VIGAS CONSIDERANDO ESTADOS LIMITES ÚLTIMOS, DE UTILIZAÇÃO E DISPOSIÇÕES CONSTRUTIVAS

OTIMIZAÇÃO DE VIGAS CONSIDERANDO ESTADOS LIMITES ÚLTIMOS, DE UTILIZAÇÃO E DISPOSIÇÕES CONSTRUTIVAS OTIMIZAÇÃO DE VIGAS CONSIDERANDO ESTADOS LIMITES ÚLTIMOS, DE UTILIZAÇÃO E DISPOSIÇÕES CONSTRUTIVAS Eng. Civil Leonardo Roncetti da Silva, TECHCON Engenharia e Consultoria Ltda. Resumo Estuda-se a otimização

Leia mais

Facear Concreto Estrutural I

Facear Concreto Estrutural I 1. ASSUNTOS DA AULA a) Concreto: Definição e requisitos de norma b) Concreto: Massa específica, resistência a compressão, resistência a tração e módulo de elasticidade c) Coeficiente de Poisson d) Diagrama

Leia mais

Soluções em Lajes Alveolares

Soluções em Lajes Alveolares Soluções em Lajes Alveolares Oferecer Soluções Inovadoras e bom atendimento é o nosso compromisso Presente no mercado da construção civil desde de 1977, o Grupo Sistrel vem conquistando o mercado brasileiro

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS Departamento de Engenharia de Estruturas CONCRETO ARMADO: ESCADAS José Luiz Pinheiro Melges Libânio Miranda Pinheiro José Samuel Giongo Março

Leia mais

Introdução ao Concreto Estrutural

Introdução ao Concreto Estrutural Universidade de São Paulo Escola Politécnica - Engenharia Civil PEF - Departamento de Engenharia de Estruturas e Fundações PEF 2303 - ESTRUTURAS DE CONCRETO I MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO Concreto Estrutural:

Leia mais

EXERCÍCIOS DE ESTRUTURAS DE MADEIRA

EXERCÍCIOS DE ESTRUTURAS DE MADEIRA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ENGENHARIA CIVIL,ARQUITETURA E URBANISMO Departamento de Estruturas EXERCÍCIOS DE ESTRUTURAS DE MADEIRA RAFAEL SIGRIST PONTES MARTINS,BRUNO FAZENDEIRO DONADON

Leia mais

Palavras-chave Concreto Armado; Análise e Dimensionamento Estrutural; Vigas; Aplicativo Android.

Palavras-chave Concreto Armado; Análise e Dimensionamento Estrutural; Vigas; Aplicativo Android. Desenvolvimento de um Aplicativo Android de Auxílio no Dimensionamento de Vigas de Concreto Armado Jonathas Iohanathan Felipe de Oliveira 1, Eric Mateus Fernandes Bezerra 2, Raimundo Gomes de Amorim Neto

Leia mais

1 INTRODUÇÃO 3 2 DIRETRIZES DE CÁLCULO 3 3 MATERIAIS 3 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3 5 GERADOR DE IMPULSO E DIVISOR DE TENSÃO DE 6,4 MV 4

1 INTRODUÇÃO 3 2 DIRETRIZES DE CÁLCULO 3 3 MATERIAIS 3 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3 5 GERADOR DE IMPULSO E DIVISOR DE TENSÃO DE 6,4 MV 4 Documento: Cliente: MEMÓRIA DE CÁLCULO CEPEL CENTRO DE PESQUISAS DE ENERGIA ELÉTRICA SISTEMA ELETROBRAS LDIST-ST-A4-002-0 Pag: 1 of 32 Título: EQUIPAMENTOS E FUNDAÇÕES PARA PÓRTICOS TECHNIP ENGENHARIA

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PROJETO DE FUNDAÇÕES Todo projeto de fundações

Leia mais

Concreto Convencional

Concreto Convencional TIPOS DE CONCRETO Concreto Convencional Pode-se dizer que o Concreto Convencional é aquele sem qualquer característica especial e que é utilizado no dia a dia da construção civil. Seu abatimento (Slump)

Leia mais

ESTRUTURAS METÁLICAS UFPR CAPÍTULO 5 FLEXÃO SIMPLES

ESTRUTURAS METÁLICAS UFPR CAPÍTULO 5 FLEXÃO SIMPLES ESTRUTURAS METÁLICAS UFPR CAPÍTULO 5 FLEXÃO SIMPLES 1 INDICE CAPÍTULO 5 DIMENSIONAMENTO BARRAS PRISMÁTICAS À FLEXÃO... 1 1 INTRODUÇÃO... 1 2 CONCEITOS GERAIS... 1 2.1 Comportamento da seção transversal

Leia mais

Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto

Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto Prof. Associado Márcio Roberto Silva Corrêa Escola de Engenharia de São Carlos Universidade de São Paulo

Leia mais

Aço é uma liga metálica composta principalmente de ferro e de pequenas quantidades de carbono (em torno de 0,002% até 2%).

Aço é uma liga metálica composta principalmente de ferro e de pequenas quantidades de carbono (em torno de 0,002% até 2%). ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 3 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos. 31 de março, 2003. AÇOS PARA ARMADURAS 3.1 DEFINIÇÃO E IMPORTÂNCIA Aço é uma liga metálica composta principalmente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA Curso de Engenharia Civil Departamento de Mecânica Aplicada e Estruturas

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA Curso de Engenharia Civil Departamento de Mecânica Aplicada e Estruturas UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA Curso de Engenharia Civil Departamento de Mecânica Aplicada e Estruturas PROJETO DE ESTRUTURAS COM GRANDES VARANDAS EDUARDO VIEIRA DA COSTA Projeto

Leia mais

3) Calcule o alongamento elástico da peça do esquema abaixo. Seu material tem módulo de elasticidade de 2x10 5 N/mm 2.

3) Calcule o alongamento elástico da peça do esquema abaixo. Seu material tem módulo de elasticidade de 2x10 5 N/mm 2. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CÂMPUS DE CHAPADÃO DO SUL DISCIPLINA: CONSTRUÇÕES RURAIS LISTA DE EXERCICIOS I RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS PROFESSOR: PAULO CARTERI CORADI 1) Calcule a deformação

Leia mais

h = comprimento de flambagem nas duas direções

h = comprimento de flambagem nas duas direções Pilares Como se sabe, o pilar é uma barra submetida predominantemente a compressão axial. Em alguns casos, entretanto, os pilares podem ficar submetidos, além do esforço de compressão axial, ao esforço

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO POSTES DE CONCRETO COM CAIXA INCORPORADA PARA ENTRADA DE UNIDADE CONSUMIDORA

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO POSTES DE CONCRETO COM CAIXA INCORPORADA PARA ENTRADA DE UNIDADE CONSUMIDORA SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ESPECIFICAÇÃO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN.0.0.005 ENTRADA DE UNIDADE CONSUMIDORA 0 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA-ES SUMÁRIO. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS

Leia mais

RT 2.003 Página 1 de 15 TÍTULO: DIMENSIONAMENTO DE POSTE DE CONCRETO COM SEÇÃO CIRCULAR, UTILIZADO EM REDE DE DISTRIBUIÇÃO

RT 2.003 Página 1 de 15 TÍTULO: DIMENSIONAMENTO DE POSTE DE CONCRETO COM SEÇÃO CIRCULAR, UTILIZADO EM REDE DE DISTRIBUIÇÃO RT 2.003 Página 1 de 15 1. OBJETIVO Estabelecer parâmetros técnicos para subsidiar a padronização dos critérios para dimensionamento de postes de concreto com seção circular padronizados para uso em Redes

Leia mais

ANÁLISE E CÁLCULO DE ELEMENTOS ESTRUTURAIS EM CONCRETO ARMADO DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL

ANÁLISE E CÁLCULO DE ELEMENTOS ESTRUTURAIS EM CONCRETO ARMADO DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Paulo Reiser dos Santos ANÁLISE E CÁLCULO DE ELEMENTOS ESTRUTURAIS EM CONCRETO ARMADO DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL

Leia mais

Vigas Gerber com Dentes Múltiplos: Dimensionamento e Detalhamento Eduardo Thomaz 1, Luiz Carneiro 2, Rebeca Saraiva 3

Vigas Gerber com Dentes Múltiplos: Dimensionamento e Detalhamento Eduardo Thomaz 1, Luiz Carneiro 2, Rebeca Saraiva 3 Vigas Gerber com Dentes Múltiplos: Dimensionamento e Detalhamento Eduardo Thomaz 1, Luiz Carneiro 2, Rebeca Saraiva 3 1 Prof. Emérito / Instituto Militar de Engenharia / Seção de Engenharia de Fortificação

Leia mais