Sinval Zaidan Gama Superintendente de Operações no Exterior

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sinval Zaidan Gama Superintendente de Operações no Exterior"

Transcrição

1 Eletrobrás Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Integração Energética na América Latina Sinval Zaidan Gama Superintendente de Operações no Exterior Fevereiro de 2010

2 O Sistema Eletrobrás

3 O Sistema Eletrobrás Geração e Transmissão Furnas Eletrosul Eletronorte Geração Distribuição Outras Atividades

4 Hoje Uma das 10 maiores empresas de energia elétrica do mundo km de Linhas de Transmissão em operação MW de Potência Instalada (87% hidráulico) Projetos em andamento Inventário Hidro 02 empreendimentos Viabilidade 11 empreendimentos UHE em Construção 12 empreendimentos MW MW MW Potenciais Negócios 44% UTE em Construção 2 empreendimentos Eólicas em Construção 10 empreendimentos MW 100% 328,4 MW 64% Transmissão 38 empreendimentos km 62%

5 Projeto da Eletrobrás na América Latina MW Honduras El Salvador Nicarágua Venezuela Guiana Costa Rica Colômbia Peru MW km Uruguai Argentina

6 América Latina

7 Matriz Elétrica 1% 2% HIDRO TÉRMICA OUTRAS NUCLEAR 42% 55% Fonte: OLADE 2007

8 PERU Matriz Elétrica NUCLEAR OUTRAS TÉRMICA HIDRO Fonte: OLADE 2007 URUGUAI GUATEMALA COSTA RICA HONDURAS BOLIVIA PANAMÁ EL SALVADOR NICARÁGUA EQUADOR PARAGUAI COLOMBIA CHILE VENEZUELA ARGENTINA MÉXICO BRASIL

9 Principais Potenciais Energéticos HIDRO (MW) VENEZUELA MÉXICO ARGENTINA BRASIL PERU COLOMBIA ARGENTINA BRASIL PARAGUAI URUGUAI CHILE BOLIVIA COLOMBIA EQUADOR PERU VENEZUELA COSTA RICA EL SALVADOR GUATEMALA HONDURAS MÉXICO NICARÁGUA PANAMÁ Fonte: OLADE 2007

10 Diversidade Hidrológica entre as Bacias Hidrográficas do Brasil e da Venezuela GERAÇÃO MÉDIA MENSAL GURI TUCURUI XINGÓ rada (MWmédio o) Energia Ge ITAIPU JAN FEV MAR ABR MAIO JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ MÊS Diversidade hidrológica: fator motivador para a interligação dos sistemas elétricos dos países

11 Evolução da Participação de Fontes MWméd Fóssil Hidro Outras Limpas Eólica, biomassa, geotérmica, pequena central hidroelétrica e nuclear Fonte: CIER

12 Evolução das Emissões de CO 2 /MWh Fonte: CIER

13 A Sociedade exige cada vez mais melhora na qualidade da matriz energética Fonte: OLADE 2007

14 Integração Energética

15 Integração Energética na América Latina VECIER CECACIER A Comissão de Integração Energética Regional (CIER) conta com a participação de cerca de 230 empresas e entidades ligadas à área de energia de países da América do Sul, Central e Caribe, sendo 31 delas brasileiras. PACIER CHICIER CUCIER Fonte: CIER

16 Integração hoje América Central SIEPAC Sistema de Interconexão Elétrica para América Central Fonte: CIER

17 Integração hoje América do Sul Referências Operativa Em construção Em projeto Em estudo Fonte: CIER

18 Vantagens da Integração Redução das Emissões de Carbono o Venezuela: Disponibilidade de geração hidroelétrica na UHE Guri possibilita exportação de eletricidade para o Brasil Brasil: Importa eletricidade da Venezuela para suprimento da cidade de Boa Vista, Roraima, desativando parque térmico local l (óleo combustível)

19 Vantagens da Integração Redução das Emissões de Carbono o Argentina: Disponibilidade de gás natural,,que é exportado para o Chile Brasil: Elevado índice pluviométrico Reservatórios cheios Exportação de hidroeletricidade para Argentina Chile: Gás natural substitui carvão e petróleo na geração de eletricidade e na indústria Integração Energética como instrumento que torna mais eficiente i o fornecimento de eletricidade e gás natural em escala regional e que possibilita a redução das emissões de carbono. Fonte: CIER 15

20 Integração Energética na América Latina PROJETO CIER 15 ESTUDO DE TRANSAÇÕES DE ENERGIA ENTRE AS REGIÕES ANDINA, AMÉRICA CENTRAL E MERCOSUL Os estudos realizados na Fase I deste Projeto indicam que, com as integração energética na América Latina pode diminuir em torno de US$ 1 bilhão as tarifas de energia praticadas no continente, t podendo ser repassadas ao consumidor. Investimentos em obras de geração e transmissão de energia poderiam ter sido evitados em algo na casa de US$ 9,4 bilhões, exatamente em virtude da gestão ótima e integrada dos sistemas. EFICIÊNCIA SUSTENTABILIDADE SEGURANÇA DO ABASTECIMENTO REDUÇÃO DE EMISSÕES DE CARBONO Fonte: CIER

21 Potenciais Conexões Projeto CIER SIEPAC II 6. Interconexão 2. Interconexão Colômbia-Panamá 3. Interconexão Peru-Equador 4. Interconexão Bolívia-Peru Peru-Brasil (Inambari) 7. Interconexão Bolívia- Brasil (C. Esperanza) 5. Interconexão Bolívia-Chile 8. Interconexão Paraguai-Argentina- Brasil 9. Swap de Energia Paraguai- 10 Interconexão Brasil-Argentina Argentina-Chile 12. Interconexão Chile-Argentina (wheeling de energia) 10. Interconexão Brasil-Argentina (Garabi) 11. Swap de Energia Brasil-Argentina 13. Interconexão Brasil-Uruguai Fonte: CIER

22 Eletrobrás na América Latina Principais Projetos Hidroelétricas no Peru U$ 15 bilhões Tambo MW Paquitzapango MW Tambo MW Mainique 607 MW Inambari MW

23 Eletrobrás na América Latina Principais Projetos Hidroelétricas no Rio Uruguai MW U$48bilhões 4,8 Nota: Dados preliminares inventário em fase de conclusão.

24 Eletrobrás na América Latina Principais Projetos Costa Rica: UHE Reventazón 300 MW U$ 900 milhões

25 Eletrobrás na América Latina Principais Projetos El Salvador: UHE El Cimarrón 261 MW 261 MW U$ 700 milhões

26 Eletrobrás na América Latina Principais Projetos Nicarágua: UHE Tumarim 220 MW U$860 milhões

27 Eletrobrás na América Latina Principais Projetos Honduras: UHE El Tornilito 160 MW U$300 milhões

28 Eletrobrás na América Latina Principais Projetos LT Brasil-Uruguai 500 km 500 kv U$345 milhões

29 ONU incita países pobres a investir em energia limpa no pós-crise A Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e o Desenvolvimento (UNCTAD) estimulou os países em desenvolvimento a aproveitarem a crise econômica mundial para concentrarem os esforços em direção ao crescimento "limpo", o que seria possível com estímulos "adequados". No relatório "Comércio e Meio Ambiente ", a UNCTAD considera que as preocupações com a mudança climática e os preços dos alimentos permitem o avanço econômico mediante a eficiência energética, a agricultura sustentável e o abastecimento de energia renovável não conectada à rede elétrica. Segundo o secretário da UNCTAD, Ulrich Hoffmann, as melhorias podem ser traduzidas na geração de "lucros rápidos", além de fomentar a criação de emprego. Para isso, é preciso que os Governos eliminem os obstáculos de mercado e as atuações que Para isso, é preciso que os Governos eliminem os obstáculos de mercado e as atuações que repelem os fluxos de capitais para esses setores.

30 Região com grande potencial para Investimentos Rica em recursos energéticos potencial exportadora; Elevadas taxas de crescimento econômico registradas; Necessidade de desenvolvimento e social criação de empregos e redução das desigualdades sociais; Viabiliza projetos energéticos supranacionais, que não seriam viáveis apenas para os mercados locais; Bom negocio, e Proporciona maior eficiência e limpeza da matriz energética.

31 Condicionantes Redes; Recursos, e Regras.

32 Eletrobrás Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Sinval Zaidan Gama Superintendente de Operações no Exterior Contato : BRA ASIL

Perspectivas da Comunidade Energética no Mundo e na América Latina

Perspectivas da Comunidade Energética no Mundo e na América Latina Perspectivas da Comunidade Energética no Mundo e na América Latina FURNAS, 29/08/2012 Desafios da Indústria Elétrica na América Latina É natural pensar na interligação da região! Sob o ponto de vista energético,

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL E GESEL - GRUPO DE ESTUDOS DO SETOR ELÉTRICO / UFRJ

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL E GESEL - GRUPO DE ESTUDOS DO SETOR ELÉTRICO / UFRJ MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL E GESEL - GRUPO DE ESTUDOS DO SETOR ELÉTRICO / UFRJ CICLO DE DEBATES SOBRE AS PERSPECTIVAS DA INTEGRAÇÃO ELÉTRICA

Leia mais

Naladi/SH 96 ARGENTINA BOLÍVIA BRASIL CHILE COLÔMBIA CUBA EQUADOR MÉXICO PARAGUAI PERU URUGUAI VENEZUELA E E E E E E E

Naladi/SH 96 ARGENTINA BOLÍVIA BRASIL CHILE COLÔMBIA CUBA EQUADOR MÉXICO PARAGUAI PERU URUGUAI VENEZUELA E E E E E E E Naladi/SH 96 ARGENTINA BOLÍVIA BRASIL CHILE COLÔMBIA CUBA EQUADOR MÉXICO PARAGUAI PERU URUGUAI VENEZUELA 01011100 E 01011910 E E E 01011990 E E E 01012000 E 01021000 E 01029000 E E E 01031000 E 01039100

Leia mais

Seminário Energia Soluções para o Futuro Geração Hidrelétrica. Flávio Antônio Neiva Presidente da ABRAGE

Seminário Energia Soluções para o Futuro Geração Hidrelétrica. Flávio Antônio Neiva Presidente da ABRAGE Seminário Energia Soluções para o Futuro Geração Hidrelétrica Flávio Antônio Neiva Presidente da ABRAGE Belo Horizonte, 24 de abril de 2014 Associadas da ABRAGE Usinas das associadas da ABRAGE Hidrelétricas

Leia mais

Painel 3 MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA: DESAFIOS E ALTERNATIVAS. Nivalde de Castro Coordenador do GESEL Instituto de Economia da UFRJ

Painel 3 MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA: DESAFIOS E ALTERNATIVAS. Nivalde de Castro Coordenador do GESEL Instituto de Economia da UFRJ Painel 3 MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA: DESAFIOS E ALTERNATIVAS Nivalde de Castro Coordenador do GESEL Instituto de Economia da UFRJ Rio de Janerio 23 de junho de 2015 Sumário Energia Elétrica e seus desafios

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA EXPANSÃO DA GERAÇÃO HIDRELÉTRICA NA REGIÃO AMAZÔNICA e INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA NA AMÉRICA DO SUL Reunião Plenária da ABRAGE Brasília, 25 de março de 2010 AGENDA Energia no Brasil

Leia mais

Conferência Internacional: ECONOMIC COOPERATION COMMITTE. Desafios da Integração Elétrica na América do Sul Sec. 2: NATURAL RESOURCES AND ENERGY

Conferência Internacional: ECONOMIC COOPERATION COMMITTE. Desafios da Integração Elétrica na América do Sul Sec. 2: NATURAL RESOURCES AND ENERGY Conferência Internacional: Potencialidades, JOINT MEETING OF THE Oportunidades BRAZIL JAPAN e ECONOMIC COOPERATION COMMITTE Desafios da Integração Elétrica na América do Sul Sec. 2: NATURAL RESOURCES AND

Leia mais

ABINEE TEC SUL. Seminário e Mostra de Produtos Eletroeletrônicos. Valter Luiz Cardeal de Souza Eletrobrás Diretor de Engenharia.

ABINEE TEC SUL. Seminário e Mostra de Produtos Eletroeletrônicos. Valter Luiz Cardeal de Souza Eletrobrás Diretor de Engenharia. ABINEE TEC SUL Seminário e Mostra de Produtos Eletroeletrônicos Valter Luiz Cardeal de Souza Eletrobrás Diretor de Engenharia Porto Alegre, 18 e 19 de agosto de 2004 MATRIZ ENERGÉTICA Consumo de Energia

Leia mais

Ciclo de Debates sobre as Perspectivas de. Seminário sobre Integração no Arco Norte

Ciclo de Debates sobre as Perspectivas de. Seminário sobre Integração no Arco Norte Ciclo de Debates sobre as Perspectivas de Integração Elétrica na América do Sul Seminário sobre Integração no Arco Norte Brasília 21 de novembro de 2013 A Eletrobras vem se estruturando para se tornar

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

Mesa: Especificidades dos Setores Elétricos da América Latina

Mesa: Especificidades dos Setores Elétricos da América Latina Mesa: Especificidades dos Setores Elétricos da América Latina IV Seminário Internacional do Setor de Energia Elétrica Élbia Melo Conselho de Administração da CCEE 25 de Agosto de 2009 Agenda Características

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA AMÉRICA LATINA. Seminário Internacional Interconexões e Negócios em Geração e Transmissão

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA AMÉRICA LATINA. Seminário Internacional Interconexões e Negócios em Geração e Transmissão 1 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA NA AMÉRICA LATINA Seminário Internacional Interconexões e Negócios em Geração e Transmissão José Coimbra Chefe de Gabinete do Ministro de Estado de

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

ENASE 2008 DESAFIOS PARA EXPANSÃO DA GERAÇÃO HÍDRICA GRANDES APROVEITAMENTOS CENÁRIOS DE EXPANSÃO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO

ENASE 2008 DESAFIOS PARA EXPANSÃO DA GERAÇÃO HÍDRICA GRANDES APROVEITAMENTOS CENÁRIOS DE EXPANSÃO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO ENASE 2008 DESAFIOS PARA EXPANSÃO DA GERAÇÃO HÍDRICA GRANDES APROVEITAMENTOS CENÁRIOS DE EXPANSÃO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO JOSÉ CLÁUDIO CARDOSO PRESIDENTE OUTUBRO/2008 CENÁRIOS DE EXPANSÃO DO SISTEMA

Leia mais

Cautela na indústria latino-americana do aço, queda no consumo e na produção

Cautela na indústria latino-americana do aço, queda no consumo e na produção Comunicado de imprensa N 219_5 Produção - Comércio Cautela na indústria latino-americana do aço, queda no consumo e na produção Indicadores da América Latina em janeiro de 219 5,3 milhões de toneladas

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO 2018 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS JULHO 2018 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

2 Sistema Elétrico Brasileiro

2 Sistema Elétrico Brasileiro 2 Sistema Elétrico Brasileiro O setor elétrico brasileiro passou por diversas mudanças nos últimos anos. Tais mudanças foram necessárias para viabilizar a expansão da capacidade de geração e acompanhar

Leia mais

Mário Menel Presidente

Mário Menel Presidente Mário Menel Presidente EXPOIBRAM Exposição Internacional de Mineração 29 de setembro de 2011 TÓPICOS A ABIAPE; Cenário Energético Atual; Autoprodução como fator de Competitividade; Autoprodução e Mineração;

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES FEVEREIRO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

www.ccee.org.br Nº 009 Setembro/2014 0800 10 00 08

www.ccee.org.br Nº 009 Setembro/2014 0800 10 00 08 www.cceorg.br Nº 009 Setembro/2014 0800 10 00 08 Introdução O Boletim de Operação das Usinas é uma publicação mensal que apresenta os principais resultados consolidados de capacidade, garantia física e

Leia mais

Sistemas de Potência e Energia

Sistemas de Potência e Energia UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Sistemas de Potência e Energia Departamento de Energia Elétrica Faculdade de Engenharia UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA E-mail: jopass@ieee.org Juiz de Fora, 30

Leia mais

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,8 21-Jul-00 Real 0,6493 Sem frete - PIS/COFINS

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MARÇO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JANEIRO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3

Leia mais

DELEGACIA REGIONAL TRIBUTÁRIA DE

DELEGACIA REGIONAL TRIBUTÁRIA DE Fatores válidos para recolhimento em 01/08/2016 JANEIRO 3,3714 3,2396 3,0166 2,8566 2,6932 2,5122 2,3076 2,1551 1,9790 1,8411 1,7203 1,5947 FEVEREIRO 3,3614 3,2158 3,0021 2,8464 2,6807 2,4939 2,2968 2,1429

Leia mais

Competitividade na indústria brasileira e momento econômico. Ricardo L. C. Amorim Especialista em Análise Econômica da ABDI

Competitividade na indústria brasileira e momento econômico. Ricardo L. C. Amorim Especialista em Análise Econômica da ABDI Competitividade na indústria brasileira e momento econômico Ricardo L. C. Amorim Especialista em Análise Econômica da ABDI Julho/2016 Evolução do PIB a preços de mercado (em US$ correntes) Fonte: World

Leia mais

O Setor Elétrico do Brasil

O Setor Elétrico do Brasil V SISEE Seminário Internacional do Setor de Energia Elétrica Integração com Energia Renovável O Setor Elétrico do Brasil Desafios para o Século XXI José Antonio Coimbra Secretário-Executivo Rio de Janeiro,

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL FEVEREIRO Preço de Liquidação das Diferenças. Intercâmbio de Energia entre Submercados. Nordeste. Norte SE/CO.

INFORMATIVO MENSAL FEVEREIRO Preço de Liquidação das Diferenças. Intercâmbio de Energia entre Submercados. Nordeste. Norte SE/CO. JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV R$/MWh R$/MWh R$/MWh Preço de Liquidação das Diferenças 600,00 PLD Médio FEV/2019 800 PLD Médio Anual

Leia mais

SONDAGEM ECONÔMICA DA AMÉRICA LATINA. Fevereiro, 2016

SONDAGEM ECONÔMICA DA AMÉRICA LATINA. Fevereiro, 2016 SONDAGEM ECONÔMICA DA AMÉRICA LATINA Fevereiro, 16 O QUE É A SONDAGEM IFO/FGV? Decisões econômicas são pautadas por avaliações a respeito da situação atual e na expectativa de comportamento futuro das

Leia mais

A Energia na Cidade do Futuro

A Energia na Cidade do Futuro Ministério de Minas e Energia A Energia na Cidade do Futuro 2º Workshop Perspectivas da Matriz Elétrica Brasileira I Participação das Fontes Renováveis e Alternativas Campinas, 07 de junho de 2013 José

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE AGOSTO 2012 FRANCA 01) População 02) Piso salarial do sapateiro 03) Número de funcionários na indústria de calçados 04) Admissões e demissões do setor calçadista

Leia mais

O Processo de Integração Energética e a Internacionalização da Eletrobras

O Processo de Integração Energética e a Internacionalização da Eletrobras O Processo de Integração Energética e a Internacionalização da Eletrobras Prof. Nivalde J. de Castro Coordenador do GESEL UFRJ 5 º SISEE Seminário Internacional do Setor de Energia Elétrica: Integração

Leia mais

Da teoria à prática: a operação real da fonte solar fotovoltaica na matriz elétrica brasileira

Da teoria à prática: a operação real da fonte solar fotovoltaica na matriz elétrica brasileira Da teoria à prática: a operação real da fonte solar fotovoltaica na matriz elétrica brasileira Dr. Sinval Zaidan Gama Diretor de Operação - ONS Rio de Janeiro, 12 de junho 2018 A Matriz de Energia Elétrica

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MAIO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES DEZEMBRO 2018 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 QUALQUER PARTE DESTA OBRA PODERÁ SER REPRODUZIDA, DESDE QUE CITADO COMO

Leia mais

Indústria siderúrgica latino-americana prevê cenário positivo, mas com pontos de atenção

Indústria siderúrgica latino-americana prevê cenário positivo, mas com pontos de atenção Press Release N 219_4 Produção - Comércio Indústria siderúrgica latino-americana prevê cenário positivo, mas com pontos de atenção Destaques da América Latina em 218: 65,1 milhões de toneladas de produção

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MARÇO 2017 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS MARÇO 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

As Perspectivas do Setor Elétrico Brasileiro

As Perspectivas do Setor Elétrico Brasileiro XXVII ENCOSEL Novembro de 2011 As Perspectivas do Setor Elétrico Brasileiro Nivalde J. de Castro Professor da UFRJ e coordenador do GESEL Perspectivas Mundiais Sumário Perspectivas do SEB: Potencial elétrico:

Leia mais

GDOC INTERESSADO CPF/CNPJ PLACA

GDOC INTERESSADO CPF/CNPJ PLACA Fatores válidos para recolhimento em 01/02/2017 JANEIRO 3,4634 3,3316 3,1086 2,9486 2,7852 2,6042 2,3996 2,2471 2,0710 1,9331 1,8123 1,6867 FEVEREIRO 3,4534 3,3078 3,0941 2,9384 2,7727 2,5859 2,3888 2,2349

Leia mais

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-46/12

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-46/12 JANEIRO 2,7899 2,6581 2,4351 2,2751 2,1117 1,9307 1,7261 1,5736 1,3975 1,2596 1,1388 1,0132 FEVEREIRO 2,7799 2,6343 2,4206 2,2649 2,0992 1,9124 1,7153 1,5614 1,3860 1,2496 1,1288 1,0032 MARÇO 2,7699 2,6010

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO / 2016 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS JULHO 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES ABRIL / 2016 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS ABRIL 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JUNHO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO 2017 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES

Leia mais

Integração dos Mercados Elétricos na Europa e América Latina: desafios e avanços

Integração dos Mercados Elétricos na Europa e América Latina: desafios e avanços Integração dos Mercados Elétricos na Europa e América Latina: desafios e avanços Seminário Internacional Integração e segurança elétrica na América Latina 25.08.2016 Solange David Vice-presidente do Conselho

Leia mais

Oportunidades na perspectiva da Expansão de ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL PDE2026

Oportunidades na perspectiva da Expansão de ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL PDE2026 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Oportunidades na perspectiva da Expansão de ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL PDE2026 Low Carbon Business Action Brazil Ubiratan Francisco Castellano Secretaria de Planejamento e

Leia mais

Eletrobras Day. New York Stock Exchange

Eletrobras Day. New York Stock Exchange New York Stock Exchange 31 de Outubro de 2011 Informações Gerais Plano de Obras e Investimentos Melhorias Esta apresentação pode conter certas estimativas e projeções. Tais estimativas e projeções não

Leia mais

Papel da ITAIPU Binacional na Integração Elétrica Regional

Papel da ITAIPU Binacional na Integração Elétrica Regional Papel da ITAIPU Binacional na Integração Elétrica Regional Luiz Fernando Leone Vianna Diretor-Geral Brasileiro da ITAIPU Binacional 31 de outubro de 2017 Sumário Integração Energética; Integração Elétrica

Leia mais

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+ CALENDÁRIO, 2015 7 A JAN. 0 QUARTA -1-0.0018 7022.5 3750.3 1 QUINTA 0 +0.0009 7023.5 3751.3 2 SEXTA 1 +0.0037 7024.5 3752.3 3 SÁBADO 2 +0.0064 7025.5 3753.3 4 DOMINGO 3 +0.0091 7026.5 3754.3 5 SEGUNDA

Leia mais

Integração Energética e Comercialização de Energia Seminário Internacional de Integração Energética Brasil - Bolívia

Integração Energética e Comercialização de Energia Seminário Internacional de Integração Energética Brasil - Bolívia Integração Energética e Comercialização de Energia Seminário Internacional de Integração Energética Brasil - Bolívia Antônio Carlos Fraga Machado Presidente do Conselho de Administração 27 de Julho de

Leia mais

EXPORTAÇÃO: OPORTUNIDADES PARA OS LÁCTEOS. São Paulo/SP (21/09/2017)

EXPORTAÇÃO: OPORTUNIDADES PARA OS LÁCTEOS. São Paulo/SP (21/09/2017) EXPORTAÇÃO: OPORTUNIDADES PARA OS LÁCTEOS São Paulo/SP (21/09/2017) QUEM SOMOS? PRODUÇÃO BRASILEIRA DE LEITE 36,00 34,00 32,00 Faturamento: Mercado Interno: R$ 83 bilhões Exportações: R$ 600 milhões 30,72

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINO

Leia mais

Integração Energética e Comercialização de Energia Seminário Internacional de Integração Energética Brasil - Bolívia

Integração Energética e Comercialização de Energia Seminário Internacional de Integração Energética Brasil - Bolívia Integração Energética e Comercialização de Energia Seminário Internacional de Integração Energética Brasil - Bolívia Antônio Carlos Fraga Machado Presidente do Conselho de Administração 27 de Julho de

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES NOVEMBRO 2017 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES

Leia mais

EXPANSÃO DO CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL PDE2026

EXPANSÃO DO CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL PDE2026 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA EXPANSÃO DO CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL PDE2026 Forum COGEN / Canal Energuia Geração Distribuida e Cogeração Ubiratan Francisco Castellano Secretario de Planejamento

Leia mais

Solicitante: SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CERÂMICA DE LOUÇA DE PÓ DE PEDRA, DA PORCELANA E DA LOUÇA DE BARRO NO ESTADO DE SÃO PAULO - SINDILOUÇA

Solicitante: SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CERÂMICA DE LOUÇA DE PÓ DE PEDRA, DA PORCELANA E DA LOUÇA DE BARRO NO ESTADO DE SÃO PAULO - SINDILOUÇA C S E R Departamento Central de Serviços Grupo de Apoio Técnico aos Sindicatos - GAT Dados de Comércio de Importação & Exportação Setor de Louças Solicitante: SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CERÂMICA DE LOUÇA

Leia mais

Impactos dos Recursos Energéticos Distribuídos. Francisco José Arteiro de Oliveira Diretoria de Planejamento e Programação da Operação

Impactos dos Recursos Energéticos Distribuídos. Francisco José Arteiro de Oliveira Diretoria de Planejamento e Programação da Operação Impactos dos Recursos Energéticos Distribuídos Francisco José Arteiro de Oliveira Diretoria de Planejamento e Programação da Operação 1 Rio de Janeiro, 20 de maio de 2016 Condições Hidroenergéticas SE/CO

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES OUTUBRO / 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 2017 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

Leia mais

A BIOELETRICIDADE SUCROENERGÉTICA

A BIOELETRICIDADE SUCROENERGÉTICA A BIOELETRICIDADE SUCROENERGÉTICA Zilmar Souza Mesa Redonda: Energia Poços de Caldas - MG 21 de maio de 2015 BIOELETRICIDADE: CAPACIDADE INSTALADA EM 2015 3 o 7% 18% 62% Fonte de Combustíveis Utilizados

Leia mais

Falta de competitividade da indústria: a barreira ao crescimento

Falta de competitividade da indústria: a barreira ao crescimento Falta de competitividade da indústria: a barreira ao crescimento Economia beira a estagnação em 2012 Dois anos perdidos para a indústria Principais mensagens PIB com aumento do consumo e queda dos investimentos

Leia mais

Panorama Geral do Setor Elétrico

Panorama Geral do Setor Elétrico 11º CONSTRUBUSINESS Congresso Brasileiro da Construção 2015 Panorama Geral do Setor Elétrico Ministro Eduardo Braga São Paulo, 09 de março de 2015 2 Condições Hidrológicas Desfavoráveis 29.909 21.438 22.413

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JANEIRO 2019 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 QUALQUER PARTE DESTA OBRA PODERÁ SER REPRODUZIDA, DESDE QUE CITADO COMO

Leia mais

Energia Eólica Setembro 2016

Energia Eólica Setembro 2016 Energia Eólica Setembro 2016 2 3 4 12 ton. / pá BRASIL: 5.432 aerogeradores construídos 5 Associados 6 Panorama do Setor Eólico Trajetória Mundial (Capacidade Instalada Acumulada) --------------------

Leia mais

Desobstruindo as Artérias O Impacto dos Custos de Transporte sobre o Comércio da América Latina e Caribe

Desobstruindo as Artérias O Impacto dos Custos de Transporte sobre o Comércio da América Latina e Caribe Desobstruindo as Artérias O Impacto dos Custos de Transporte sobre o Comércio da América Latina e Caribe Mauricio Mesquita Moreira Economista Principal 7 Seminario Internacional em Logística Agroindustrial.

Leia mais

Características da Expansão Hidroelétrica e a Necessidade de Implementação de Geração Complementar

Características da Expansão Hidroelétrica e a Necessidade de Implementação de Geração Complementar Conselho de Altos Estudos e Avaliação Tecnológica da Câmara dos Deputados Características da Expansão Hidroelétrica e a Necessidade de Implementação de Geração Complementar Prof. Nivalde J. de Castro Pesquisador

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES SETEMBRO / 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

V SEMINÁRIO DE INTERNACIONALIZAÇÃO UNIVERSITÁRIA E VI WORKSHOP DE TRABALHO PAEC OEA-GCUB Brasília 17 a 19 de maio de 2017

V SEMINÁRIO DE INTERNACIONALIZAÇÃO UNIVERSITÁRIA E VI WORKSHOP DE TRABALHO PAEC OEA-GCUB Brasília 17 a 19 de maio de 2017 V SEMINÁRIO DE INTERNACIONALIZAÇÃO UNIVERSITÁRIA E VI WORKSHOP DE TRABALHO PAEC OEA-GCUB 2017 FORMAÇÃO DE MESTRES E DOUTORES COMO VETOR PARA O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO DAS AMÉRICAS Brasília 17 a 19 de

Leia mais

Superando as Barreiras Regulatórias para Comercialização de Eletricidade pelas Usinas do Setor Sucroenergético. Maio de 2017

Superando as Barreiras Regulatórias para Comercialização de Eletricidade pelas Usinas do Setor Sucroenergético. Maio de 2017 Superando as Barreiras Regulatórias para Comercialização de Eletricidade pelas Usinas do Setor Sucroenergético Maio de 2017 Instabilidade do preço-teto nos leilões O preço teto para a fonte biomassa tem

Leia mais

INDICADORES MUNDIAIS DO SETOR ELÉTRICO AS EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS DE INTEGRAÇAO ENERGÉTICA

INDICADORES MUNDIAIS DO SETOR ELÉTRICO AS EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS DE INTEGRAÇAO ENERGÉTICA Projeto Provedor de Informações Econômico-Financeiro do Setor de Energia Elétrica INDICADORES MUNDIAIS DO SETOR ELÉTRICO AS EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS DE INTEGRAÇAO ENERGÉTICA JULHO DE 2009 Rio de

Leia mais

Panorama Conjuntural do Segmento de Etiquetas Adesivas

Panorama Conjuntural do Segmento de Etiquetas Adesivas Panorama Conjuntural do Segmento de Etiquetas Adesivas São Paulo, janeiro de 2013 Índice Etiquetas adesivas impressas o Produção anual e mensal do segmento de etiquetas o Mercado Externo o Balança Comercial

Leia mais

Introduction to Latin American Economies. Fabio Fonseca, Senior Director, FIESP

Introduction to Latin American Economies. Fabio Fonseca, Senior Director, FIESP Introduction to Latin American Economies Fabio Fonseca, Senior Director, FIESP América Latina México América Central Guianas América Andina América Platina Brasil México América Latina México América Central

Leia mais

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12 JANEIRO 2,8451 2,7133 2,4903 2,3303 2,1669 1,9859 1,7813 1,6288 1,4527 1,3148 1,1940 1,0684 FEVEREIRO 2,8351 2,6895 2,4758 2,3201 2,1544 1,9676 1,7705 1,6166 1,4412 1,3048 1,1840 1,0584 MARÇO 2,8251 2,6562

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 2016 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

Leia mais

Planejamento da Matriz Elétrica Brasileira e a Importância das Questões Ambientais

Planejamento da Matriz Elétrica Brasileira e a Importância das Questões Ambientais III Seminário "Estratégias para Conservação de Peixes em Minas Gerais 5 anos do Programa Peixe Vivo Planejamento da Matriz Elétrica Brasileira e a Importância das Questões Ambientais Prof. Nivalde J. de

Leia mais

Contexto geral do saneamento rural na América Latina

Contexto geral do saneamento rural na América Latina Contexto geral do saneamento rural na América Latina Rolando Marín Presidente, Comitê Diretor. Federação Latino Americana de Organizações Comunitárias para Sistemas de Água e Saneamento (CLOCSAS) Saneamento

Leia mais

Rumo à Integração Energética Regional

Rumo à Integração Energética Regional Rumo à Integração Energética Regional VEIGA, Mário. Rumo à Integração Energética Regional Canal Energia. Rio de Janeiro. 26 de agosto de 2009. O trabalho que apontará os projetos que permitirão a integração

Leia mais

Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância

Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância Ministério de Minas e Energia Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância O Plano Decenal de Energia 2007-2016 José Carlos de Miranda Farias Diretor de Estudos de Energia Elétrica - EPE 18 de setembro

Leia mais

TECNOLOGIA E SOLUÇÕES PARA MELHOR EFICIÊNCIA NA GERAÇÃO DE ENERGIA STAB - 2012 CICLO A VAPOR COM AQUECIMENTO REGENERATIVO

TECNOLOGIA E SOLUÇÕES PARA MELHOR EFICIÊNCIA NA GERAÇÃO DE ENERGIA STAB - 2012 CICLO A VAPOR COM AQUECIMENTO REGENERATIVO TECNOLOGIA E SOLUÇÕES PARA MELHOR EFICIÊNCIA NA GERAÇÃO DE ENERGIA STAB - 2012 CICLO A VAPOR COM AQUECIMENTO REGENERATIVO 24 e 25 Outubro de 2012 Ribeirão Preto SP PROGRAMA Histórico, níveis de operação

Leia mais

III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELETRICIDADE E GÁS NATURAL

III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELETRICIDADE E GÁS NATURAL III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELETRICIDADE E GÁS NATURAL Tema central Investimento, risco e regulação Seção B. A Indústria Investimento em energias renováveis no Brasil. A oportunidade da energia eólica Amilcar

Leia mais

NORTE ENERGIA S.A. -NESA UHE BELO MONTE. Rio Xingu, Brasil

NORTE ENERGIA S.A. -NESA UHE BELO MONTE. Rio Xingu, Brasil NORTE ENERGIA S.A. -NESA UHE BELO MONTE Rio Xingu, Brasil Dezembro 2010 Localização UHE BELO MONTE BREVE HISTÓRICO Estudo de Inventário do rio Xingu: realizados na década de 1970 com relatório técnico

Leia mais

Energia para Novos Tempos O PAPEL DA ELETROBRAS NO CONTEXTO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO

Energia para Novos Tempos O PAPEL DA ELETROBRAS NO CONTEXTO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO Energia para Novos Tempos O PAPEL DA ELETROBRAS NO CONTEXTO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO MARÇO, 2011 Disclaimer Esta apresentação pode conter certas estimativas e projeções. Tais estimativas e projeções

Leia mais

AVALIAÇÃO EM ESCALA DA MATRIZ ENERGÉTICA E ELÉTRICA DO MERCOSUL VISANDO A INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL

AVALIAÇÃO EM ESCALA DA MATRIZ ENERGÉTICA E ELÉTRICA DO MERCOSUL VISANDO A INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL AVALIAÇÃO EM ESCALA DA MATRIZ ENERGÉTICA E ELÉTRICA DO MERCOSUL VISANDO A INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL JILMAR TATTO, Doutorando do Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas da Escola

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL MARÇO Preço de Liquidação das Diferenças. Intercâmbio de Energia entre Submercados. Nordeste. Norte SE/CO. Sul

INFORMATIVO MENSAL MARÇO Preço de Liquidação das Diferenças. Intercâmbio de Energia entre Submercados. Nordeste. Norte SE/CO. Sul JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR R$/MWh R$/MWh R$/MWh Preço de Liquidação das Diferenças 400,00 PLD Médio MAR/2019 800 PLD Médio

Leia mais

Desenvolvimento de Energias Renováveis na América Latina e Caribe ITAIPU BINACIONAL

Desenvolvimento de Energias Renováveis na América Latina e Caribe ITAIPU BINACIONAL Desenvolvimento de Energias Renováveis na América Latina e Caribe ITAIPU BINACIONAL FIESP FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO 14º ENCONTRO DE ENERGIA MATRIZ SEGURA E COMPETITIVA Painel: Geopolítica

Leia mais

MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio. Camila Sande Especialista em Negociações CNA

MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio. Camila Sande Especialista em Negociações CNA MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio Camila Sande Especialista em Negociações CNA 16 de junho de 2016 Agronegócio consumo doméstico e exportação Exportação Consumo Doméstico

Leia mais

Perspectivas do Setor de Energia Elétrica

Perspectivas do Setor de Energia Elétrica Perspectivas do Setor de Energia Elétrica Palestra Apimec RJ 19/set/2011 Leonardo Lima Gomes Agenda 1. Visão Geral do Setor 2. Mercado de Energia Elétrica 3. Perspectivas Desenvolvimento Mercado 4. Perspectivas

Leia mais

Objetivo. Contribuir para uma melhor compreensão do papel dos custos de transporte (CT) no comércio exterior da região. Mais especificamente:

Objetivo. Contribuir para uma melhor compreensão do papel dos custos de transporte (CT) no comércio exterior da região. Mais especificamente: Instituto Fernando Henrique, São Paulo, 29 de Setembro de 2008 Motivação A política comercial na região tem sido dominada por preocupações com barreiras tradicionais como tarifas. Os obstáculos menos visíveis

Leia mais

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016 Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado do Paraná Safra 2016/2017 Mar/16 0,6048 0,6048 0,6048 66,04 73,77 Abr 0,6232 0,6232 0,5927 64,72 72,29 Mai 0,5585 0,5878 0,5868

Leia mais

BIREME/OPAS/OMS Comitê Assessor Nacional do Convênio de Manutenção da BIREME I Reunião do ano 2004, BIREME, São Paulo, 06 de agosto de 2004

BIREME/OPAS/OMS Comitê Assessor Nacional do Convênio de Manutenção da BIREME I Reunião do ano 2004, BIREME, São Paulo, 06 de agosto de 2004 BIREME/OPAS/OMS Comitê Assessor Nacional do Convênio de Manutenção da BIREME I Reunião do ano 2004, BIREME, São Paulo, 06 de agosto de 2004 Anexo 2 Biblioteca Virtual em Saúde e o controle bibliográfico

Leia mais

PROJETO PROVEDOR DE INFORMAÇÕES SOBRE O SETOR ELÉTRICO

PROJETO PROVEDOR DE INFORMAÇÕES SOBRE O SETOR ELÉTRICO PROJETO PROVEDOR DE INFORMAÇÕES SOBRE O SETOR ELÉTRICO RELATÓRIO QUADRIMESTRAL DE ACOMPANHAMENTO DOS PROCESSOS DE INTERNACIONALIZAÇÕA E INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA DA ELETROBRAS Abril a Julho de 2012 Tomaz Hamdan

Leia mais

152 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO

152 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 152 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO Washington, D.C., EUA, 17 a 21 de junho de 2013 ORIGINAL: INGLÊS RESOLUÇÃO CE152.R17 CONTRIBUIÇÕES FIXAS

Leia mais

Biblioteca Virtual em Saúde e o controle bibliográfico da produção científica da América Latina e Caribe: o sistema de bases de dados LILACS

Biblioteca Virtual em Saúde e o controle bibliográfico da produção científica da América Latina e Caribe: o sistema de bases de dados LILACS Anexo 2 BIREME/OPAS/OMS Biblioteca Virtual em Saúde e o controle bibliográfico da produção científica da América Latina e Caribe: o sistema de bases de dados LILACS O núcleo principal da produção científico

Leia mais

3 Seminário Socioambiental Eólico Solenidade de Abertura Salvador, 05 de Dezembro de 2016

3 Seminário Socioambiental Eólico Solenidade de Abertura Salvador, 05 de Dezembro de 2016 3 Seminário Socioambiental Eólico Solenidade de Abertura Salvador, 05 de Dezembro de 2016 Panorama político-econômico para a geração de energia eólica e perspectivas ambientais para o setor Saulo Cisneiros

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS ABRIL/2017 Resumo de desempenho Abril 2017 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior mês

Leia mais

Dados do Sistema Elétrico Brasileiro

Dados do Sistema Elétrico Brasileiro Dados do Sistema Elétrico Brasileiro Sistema Interligado de Transmissão Dimensão do Sistema (Sistema Integrado Nacional) Horizonte 2016 Tensão kv 4.000 4.000 km km 2014 230 52.449,8 345 10.303,2 440 6.728,2

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Em 2014, de acordo com a International Renewable Energy Agency (IRENA), a fonte biomassa apresentou 80.227

Leia mais

Encontro de negócios da construção pesada. Apresentação: Organização:

Encontro de negócios da construção pesada. Apresentação: Organização: Encontro de negócios da construção pesada Apresentação: Organização: Objetivo Apresentar novas tecnologias que possam auxiliar as empresas da construção pesada na busca de redução nas despesas operacionais

Leia mais

Energia Elétrica Investimentos e Oportunidades. Junho 2011

Energia Elétrica Investimentos e Oportunidades. Junho 2011 Energia Elétrica Investimentos e Oportunidades Junho 2011 Agenda 1. O Sistema Eletrobras 2. Oportunidades no Brasil 3. Oportunidades no Exterior S/A A Eletrobras Maior empresa de energia elétrica da América

Leia mais