ABINEE TEC SUL. Seminário e Mostra de Produtos Eletroeletrônicos. Valter Luiz Cardeal de Souza Eletrobrás Diretor de Engenharia.

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ABINEE TEC SUL. Seminário e Mostra de Produtos Eletroeletrônicos. Valter Luiz Cardeal de Souza Eletrobrás Diretor de Engenharia."

Transcrição

1 ABINEE TEC SUL Seminário e Mostra de Produtos Eletroeletrônicos Valter Luiz Cardeal de Souza Eletrobrás Diretor de Engenharia Porto Alegre, 18 e 19 de agosto de 2004

2 MATRIZ ENERGÉTICA

3 Consumo de Energia Final tep Setor energético; 2,5 Agricultura; 8,6 Comecial e público; 2,0 Usos não energéticos; 2,4 Industrial; 27,7 Transporte; 21,2 Residencial; 35, tep Agricultura 4,5% Comecial e público 4,6% Usos não energéticos 7,2% Setor energético 7,9% Industrial 36,7% Residencial 11,7% Transporte 27,3%

4 Suprimento de Energia (%) e PIB (US$ bilhões) PETRÓLEO 34% GÁS NATURAL 0% HIDRO 16% GÁS NATURAL 4% PETRÓLEO 31% HIDRO 35% OUTROS 3% CANA DE AÇÚCAR 5% LENHA 42% PIB: US$ 120,6 bilhões OUTROS 14% CANA DE AÇÚCAR 8% LENHA 8% PIB: US$ 450,3 bilhões Fonte: Balanço Energético Brasileiro e IPEA * 1 kwh = 3132 kcal

5 Consumo de Eletricidade por setor GWh Comercial e público 22,0% Agricultura 0,8% Industrial 49,2% Setor energético 5,3% Residencial 21,1% Transporte 1,7% Comercial e público 23% Setor energético 4% Residencial 23% Agricultura 4% GWh Transporte 0% Industrial 46,2%

6 Consumo de Eletricidade Consumo total de eletricidade: 291,2 TWh Industrial 44% Consumo por uso (%) Residencial 25% Participação por região (%) Norte Isolado Interligado Sul 2% 7% Nordeste 17% Centro- 13% Oeste 6% 15% Outros 16% Comercial 55% Sudeste Fonte: DEM / Eletrobrás

7 Brasil Hidro Comb. Fóssil Nuclear Outras 17% 80% 3% 8.8% 60.3% 30.7% Argentina Principais Fontes de Energia (capacidade instalada) 5.2% 19.8% 26.7% 30.3% 75.4% 74.1% 69.6% 69.4% 63.3% 9.7% 17.8% 8.3% 3.6% 14.4% França Alemanha México Inglaterra 1.6% EUA

8 O NOVO MODELO INSTITUCIONAL

9

10

11

12

13

14

15

16 SETOR ELÉTRICO

17 Características do Mercado Brasileiro de Energia Elétrica (2003) Agentes Fornecedores: Nº Distribuidoras 65 Geradoras 62 Produtoras Independentes 417 Comercializadoras 80 Autoprodutoras (maiores) Unidades Consumidoras: Energia Fornecida*: 300 TWh Valor Faturado: 50 x 10 9 R$ ** * Distribuição ** com ICMS

18 Distribuição do Mercado (2003) Por Classe de Consumidores (%) Brasil Residencial 25 Industrial 43 Comercial 16 Outras 16 Total 100 Por Região Geográfica (%) Norte 6 Nordeste 17 Sudeste 54 Sul 17 C. Oeste 6

19 28000 BRASIL CONSUMO TOTAL jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez

20 Cenários Econômicos e Mercado de Energia Elétrica Durante os últimos 30 anos o consumo de energia elétrica excedeu as taxas de crescimento do PIB, apresentando altas elasticidades Taxas de Crescimento (%) PIB CONSUMO

21 Energia Gerada e Importada (*) Importada 11.2% 37.9 TWh Hidráulica 77.4% TWh Nuclear 4.2% 14.3 TWh Convencional e Térmica 5.2% 17.5 TWh Gás Natural 2.0% 6.9 TWh 129 hidrelétricas e mais de km de linhas de trasnmissão ( >= 230 kv ) O Brasil possui uma das maiores redes interligadas do mundo Fonte: BEN / MME (*) Sem Auto produção

22 CAPACIDADE INSTALADA (MW) ,667 25,942 34,224 40,518 70,121 (*) 76, , ,693 Argentina Eletrobrás Mexico Brazil UK France Germany USA FONTE: Eletrobrás / MME (*) 4,9 MW DE AUTOPRODUÇÃO NÃO CONSIDERADOS

23 GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA (*) Brasil e o Mundo Hidro Carvão Nuclear Gas Óleo (%) Mundo Brasil (*) Sem autoprodução e importação

24 Extensão de Linhas de Transmissão (km) 230 kv 345 kv 440 kv 500 kv 600 kv 750 kv

25

26 DEVE SER EQUACIONADO O LICENCIAMENTO DESSAS USINAS

27 Configuração Curto Prazo * Principais Empreendimentos (usinas classificadas de verde pela fiscalização da ANEEL) UHE Tucuruí II MW UHE Itaipu 19ª e 20ª MW UHE Campos Novos 880 MW UHE Barra Grande 690 MW UHE Peixe Angical 452 MW UHE Irápé 360 MW UHE Aimorés 330 MW UHE Capim Branco I 240 MW UHE Capim Branco II 210 MW Outras UHE 742 MW UTE Termopernambuco 638 MW UTE Termorio 423 MW UTE Piratininga 400 MW Outras UTE MW * Fonte: ONS

28

29

30

31

32 US$ 0,9 bilhão US$ 1,9 bilhão

33 CONCLUSÃO A Situação Atual do Sistema Interligado Nacional O mercado de energia elétrica não cresceu entre 2000 e A energia faturada nestes anos foi praticamente a mesma. A capacidade instalada do setor cresceu 26,4% entre 2000 e O Sistema de Transmissão expandiu 31,6%, na tensão de 500 kv, melhorando a capacidade de interligação entre subsistemas. No fim do período chuvoso de 2004 o nível de armazenamento dos reservatórios era de 82,7% no Sudeste e 96,7% no Nordeste, em 2001 era de 32,1% no Sudeste e 32,6% no Nordeste.

34 CONCLUSÃO O Atendimento no Curto Prazo Os reservatórios estão praticamente cheios. Para o período o atendimento está garantido, considerando a expansão de capacidade em construção. Os empreendimentos classificados como verdes pela ANEEL, que totalizam MW encontram-se sem problemas legais, ambientais ou financeiros que possam comprometer os seus cronogramas de execução. Até o ano de 2006 entram em operação MW do PROINFA que não estão contabilizados no conjunto dos verdes. As simulações processadas na Eletrobrás corroboram os resultados do ONS e demonstram que os riscos de déficit estão dentro do aceitável até 2008, mesmo considerando-se a economia crescendo 5% e o mercado 6% a.a., que é o cenário de maior crescimento.

35 CONCLUSÃO O Atendimento de Médio Prazo Os empreendimentos amarelos e vermelhos, já licitados, e que totalizam cerca de MW, satisfazem as condições de atendimento a demanda, nas regiões Sudeste, Sul e Norte, no médio prazo. Para a região Nordeste além destes empreendimentos há necessidade de aumentar as interligações com as outras regiões ou/e aumentar a capacidade de geração local com empreendimentos térmicos, para reduzir os riscos no final do horizonte. A viabilidade de entrada em operação destes empreendimentos nas datas necessárias depende de ações nas áreas ambientais, financeira; o que é possível mediante os esforços que se façam.

36 A ELETROBRÁS E O SETOR ELÉTRICO

37 ESTRUTURA ATUAL DA ELETROBRÁS ELETROBRÁS ITAIPU (50%) Geração CEPEL Centro de Pesquisa ELETRONORTE Geração TRansmissão CHESF Geração Transmissão FURNAS Geração Transmissão ELETRONUCLEAR Geração Nuclear CGTEE Geração ELETROSUL Transmissão

38 Geradoras: FURNAS, CHESF, ELETRONORTE, ELETROSUL ITAIPU, ELETRONUCLEAR, CGTEE Distribuidoras: MANAUS ENERGIA, BOA VISTA ENERGIA CEAM, ELETROACRE, CERON, CEPISA, CEAL Participações: LIGHTPAR Tecnologia: CEPEL

39 Gestora: RGR, CDE, CCC Executora: PROCEL, RELUZ, PROINFA, LUZ PARA TODOS Agente Financeiro: Financiamentos e Empréstimos (em bilhões de Reais) 39,2 a receber 4,6 a pagar 31/03/2004

40 SISTEMA ELETROBRÁS 70% Linhas de Transmissão do SIN 42% Capacidade Geradora Instalada fonte: MME (mar/2004) km LT MW Furnas CHESF ELETRONORTE ELETROSUL ITAIPU - CGTEE LT (km) FURNAS ELETRONUCLEAR Cap. Inst. (MW)

41 Investimentos R$ Milhões Grupo Eletrobrás Geração Transmissão Distribuição Ins. Gerais Total

42 US$ 1,38 bilhão

43 (MW) (MW) (MW)

44

45

46

47 Programa criado em 1995, subordinado ao Ministério de Minas e Energia e coordenado pela Eletrobrás OBJETIVOS Combater o desperdício no uso da energia elétrica Estimular o uso racional e eficiente da energia elétrica Reduzir os impactos ambientais no uso da energia elétrica, produzindo benefícios à sociedade

48 RELUZ Programa Nacional de Iluminação Pública Eficiente INVESTIMENTOS (*) Eletrobrás US$ 300 milhões Estados e Municípios US$ 90 milhões Concessionárias US$ 170 milhões Total US$ 560 milhões (*) Valores referentes a 2000, quando o programa foi lançado (US$ 1,00 = R$ 1,80)

ABINEE TEC Painel - Financiamento e Perspectivas do Setor Elétrico. José Drumond Saraiva

ABINEE TEC Painel - Financiamento e Perspectivas do Setor Elétrico. José Drumond Saraiva ABINEE TEC 2005 Painel - Financiamento e Perspectivas do Setor Elétrico José Drumond Saraiva Diretor Financeiro e de Relações com Investidores ELETROBRÁS - Centrais Elétricas Brasileiras df@eletrobras.com

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIO DE 2002

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIO DE 2002 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIO DE 2002 Senhores Acionistas, Apresentamos o Relatório da Administração da ELETROBRÁS, relativo ao exercício findo em 31 de dezembro de 2002. Destacamos, a seguir, as

Leia mais

TRENSURB- PORTO ALEGRE METROREC- RECIFE

TRENSURB- PORTO ALEGRE METROREC- RECIFE GT ENERGIA ANTP METRÔ-RIO TRENSURB- PORTO ALEGRE SUPERVIA METRÔ - BH METRÔ-SP METROREC- RECIFE CPTM METRÔ-BRASÍLIA CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA DE ENERGIA DE TRAÇÃO Potência Instalada - 1045,4 MVA Consumo

Leia mais

POLÍTICA ENERGÉTICA. Mauricio T. Tolmasquim Presidente

POLÍTICA ENERGÉTICA. Mauricio T. Tolmasquim Presidente POLÍTICA ENERGÉTICA 21 de Setembro de 2015 12 th International Conference Brazil Energy and Power BEP 12 Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro -AmCham Rio Painel Energia e Política Industrial

Leia mais

Programas de Investimentos nas Áreas de Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica das Empresas do Grupo ELETROBRÁS

Programas de Investimentos nas Áreas de Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica das Empresas do Grupo ELETROBRÁS ABINEE TEC SUL - 2006 Programas de Investimentos nas Áreas de Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica das Empresas do Grupo ELETROBRÁS Porto Alegre, Mar / 2006 2 Empresas de Geração e Transmissão

Leia mais

O Setor Elétrico do Brasil

O Setor Elétrico do Brasil V SISEE Seminário Internacional do Setor de Energia Elétrica Integração com Energia Renovável O Setor Elétrico do Brasil Desafios para o Século XXI José Antonio Coimbra Secretário-Executivo Rio de Janeiro,

Leia mais

POLÍTICA ENERGÉTICA PLANO NACIONAL DE EXPANSÃO DE ENERGIA

POLÍTICA ENERGÉTICA PLANO NACIONAL DE EXPANSÃO DE ENERGIA MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA POLÍTICA ENERGÉTICA PLANO NACIONAL DE EXPANSÃO DE ENERGIA Seminário do Setor Elétrico Painel 3: Novos Rumos do Setor Elétrico: Expansão da Geração, Desafios e Oportunidades

Leia mais

EXPANSÃO DO CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL PDE2026

EXPANSÃO DO CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL PDE2026 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA EXPANSÃO DO CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL PDE2026 Forum COGEN / Canal Energuia Geração Distribuida e Cogeração Ubiratan Francisco Castellano Secretario de Planejamento

Leia mais

A Energia na Cidade do Futuro

A Energia na Cidade do Futuro Ministério de Minas e Energia A Energia na Cidade do Futuro 2º Workshop Perspectivas da Matriz Elétrica Brasileira I Participação das Fontes Renováveis e Alternativas Campinas, 07 de junho de 2013 José

Leia mais

A BIOELETRICIDADE SUCROENERGÉTICA

A BIOELETRICIDADE SUCROENERGÉTICA A BIOELETRICIDADE SUCROENERGÉTICA Zilmar Souza Mesa Redonda: Energia Poços de Caldas - MG 21 de maio de 2015 BIOELETRICIDADE: CAPACIDADE INSTALADA EM 2015 3 o 7% 18% 62% Fonte de Combustíveis Utilizados

Leia mais

Mário Menel Presidente

Mário Menel Presidente Mário Menel Presidente EXPOIBRAM Exposição Internacional de Mineração 29 de setembro de 2011 TÓPICOS A ABIAPE; Cenário Energético Atual; Autoprodução como fator de Competitividade; Autoprodução e Mineração;

Leia mais

Desafios Técnicos e Socioeconômicos da Oferta de Energia

Desafios Técnicos e Socioeconômicos da Oferta de Energia Desafios Técnicos e Socioeconômicos da Oferta de Energia Junho/2015 Ronaldo dos Santos Custódio rcustodio@eletrosul.gov.br Matriz Renovável O problema brasileiro Brasil possui matriz notadamente renovável

Leia mais

Oportunidades na perspectiva da Expansão de ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL PDE2026

Oportunidades na perspectiva da Expansão de ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL PDE2026 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Oportunidades na perspectiva da Expansão de ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL PDE2026 Low Carbon Business Action Brazil Ubiratan Francisco Castellano Secretaria de Planejamento e

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS ABRIL DE 2016

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS ABRIL DE 2016 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS ABRIL DE 2016 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Atualmente, a fonte biomassa já representa quase 10% da potência outorgada pela Agência Nacional de Energia Elétrica

Leia mais

Da teoria à prática: a operação real da fonte solar fotovoltaica na matriz elétrica brasileira

Da teoria à prática: a operação real da fonte solar fotovoltaica na matriz elétrica brasileira Da teoria à prática: a operação real da fonte solar fotovoltaica na matriz elétrica brasileira Dr. Sinval Zaidan Gama Diretor de Operação - ONS Rio de Janeiro, 12 de junho 2018 A Matriz de Energia Elétrica

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS JUNHO DE 2016

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS JUNHO DE 2016 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS JUNHO DE 2016 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Atualmente, a fonte biomassa representa quase 9% da potência outorgada pela Agência Nacional de Energia Elétrica

Leia mais

Setor Elétrico Brasileiro: Crescimento e Desafios

Setor Elétrico Brasileiro: Crescimento e Desafios XXIII SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRNSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Setor Elétrico Brasileiro: Crescimento e Desafios Políticas do Ministério de para o Setor Elétrico Brasileiro Altino Ventura

Leia mais

Setor Elétrico Brasileiro. Informações Básicas. Março / 2008 Versão 01/08

Setor Elétrico Brasileiro. Informações Básicas. Março / 2008 Versão 01/08 Setor Elétrico Brasileiro Informações Básicas Março / 2008 Versão 01/08 Observações iniciais 1. Objetivo: Este trabalho apresenta informações básicas do setor elétrico com o objetivo de subsidiar as associadas

Leia mais

Dados do Sistema Elétrico Brasileiro

Dados do Sistema Elétrico Brasileiro Dados do Sistema Elétrico Brasileiro Sistema Interligado de Transmissão Dimensão do Sistema (Sistema Integrado Nacional) Horizonte 2016 Tensão kv 4.000 4.000 km km 2014 230 52.449,8 345 10.303,2 440 6.728,2

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS JANEIRO DE 2017

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS JANEIRO DE 2017 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS JANEIRO DE 2017 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Atualmente, a fonte biomassa representa 9% da potência outorgada pela Agência Nacional de Energia Elétrica

Leia mais

VIII FÓRUM CAPIXABA DE ENERGIA Planejamento Energético Brasileiro: Perspectivas e Oportunidades

VIII FÓRUM CAPIXABA DE ENERGIA Planejamento Energético Brasileiro: Perspectivas e Oportunidades MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA VIII FÓRUM CAPIXABA DE ENERGIA Planejamento Energético Brasileiro: Perspectivas e Oportunidades Luís Fernando Badanhan Diretor do Departamento de Desenvolvimento Energético

Leia mais

Panorama Geral do Setor Elétrico

Panorama Geral do Setor Elétrico 11º CONSTRUBUSINESS Congresso Brasileiro da Construção 2015 Panorama Geral do Setor Elétrico Ministro Eduardo Braga São Paulo, 09 de março de 2015 2 Condições Hidrológicas Desfavoráveis 29.909 21.438 22.413

Leia mais

Plano de Investimentos e Cronograma de Obras das Empresas Controladas do Grupo Eletrobrás Grupo Eletrobrás

Plano de Investimentos e Cronograma de Obras das Empresas Controladas do Grupo Eletrobrás Grupo Eletrobrás Plano de Investimentos e Cronograma de Obras das Empresas Controladas do Grupo Eletrobrás 1 Grupo Eletrobrás FURNAS CHESF ELETRONORTE ELETROSUL ELETRONUCLEAR CGTEE LIGHTPAR ITAIPU 2 A competência e qualidade

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CÂMARA DE COMÉRCIO AMERICANA AMCHAM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: PROJETOS, DETERMINAÇÕES E INVESTIMENTOS POLÍTICAS PÚBLICAS VOLTADAS PARA A EFICICIÊNCIA ENERGÉTICA A Matriz Energética,

Leia mais

X EDIÇÃO DA CONFERÊNCIA PCH Mercado & Meio Ambiente

X EDIÇÃO DA CONFERÊNCIA PCH Mercado & Meio Ambiente MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA X EDIÇÃO DA CONFERÊNCIA PCH Mercado & Meio Ambiente Moacir Carlos Bertol Secretario de Planejamento e Desenvolvimento Energético Adjunto São Paulo - Setembro de 2016 2 Estrutura

Leia mais

Fundação Getúlio Vargas Instituto Brasileiro de Economia Centro de Estudos em Regulação e Infraestrutura

Fundação Getúlio Vargas Instituto Brasileiro de Economia Centro de Estudos em Regulação e Infraestrutura Rio de Janeiro, 04/julho/2013 Ministério de Fundação Getúlio Vargas Instituto Brasileiro de Economia Centro de Estudos em Regulação e Infraestrutura III Seminário sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS SETEMBRO DE 2016

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS SETEMBRO DE 2016 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS SETEMBRO DE 2016 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Atualmente, a fonte biomassa representa quase 9% da potência outorgada pela Agência Nacional de Energia Elétrica

Leia mais

Painel 6 Expansão das Energias Renováveis. Amilcar Guerreiro Economia da Energia e do Meio Ambiente Diretor

Painel 6 Expansão das Energias Renováveis. Amilcar Guerreiro Economia da Energia e do Meio Ambiente Diretor Painel 6 Expansão das Energias Renováveis Amilcar Guerreiro Economia da Energia e do Meio Ambiente Diretor Belo Horizonte, MG 04 Junho 2014 Expansão das Energias Renováveis no Brasil AGENDA 1 Panorama

Leia mais

Amilcar Guerreiro Diretor de Estudos Econômicos e Energéticos Empresa de Pesquisa Energética - EPE

Amilcar Guerreiro Diretor de Estudos Econômicos e Energéticos Empresa de Pesquisa Energética - EPE Simpósio Internacional: Reativação da Construção de Usinas Nucleares na América Latina Apresentação: Participação da Energia Nuclear na Matriz Energética Brasileira Amilcar Guerreiro Diretor de Estudos

Leia mais

Geração de Energia Elétrica

Geração de Energia Elétrica Geração de Energia Elétrica 10 maiores geradores mundiais 2010 TW/h Total 21.325,0 (100%) EUA 4.325,9 (20,3%) China 4.206,5 (19,7%) Japão Rússia 1.145,3 1.036,8 (5,4%) (4,9%) Índia Canadá 922,3 629,9 (4,3%)

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS NOVEMBRO DE 2016

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS NOVEMBRO DE 2016 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS NOVEMBRO DE 2016 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Atualmente, a fonte biomassa representa pouco mais de 9% da potência outorgada pela Agência Nacional de Energia

Leia mais

Avaliação do Atendimento Energético 2007 / 2011

Avaliação do Atendimento Energético 2007 / 2011 Avaliação do Atendimento Energético 2007 / 2011 Reunião ABRAGE Brasília 30 de agosto de 2007 Hermes J. Chipp Diretor Geral 2 Estrutura da Apresentação 1. Objetivo 2. Sistemática de Avaliação 3. Atendimento

Leia mais

Perspectivas do Setor de Energia Elétrica

Perspectivas do Setor de Energia Elétrica Perspectivas do Setor de Energia Elétrica Palestra Apimec RJ 19/set/2011 Leonardo Lima Gomes Agenda 1. Visão Geral do Setor 2. Mercado de Energia Elétrica 3. Perspectivas Desenvolvimento Mercado 4. Perspectivas

Leia mais

Seminário Inserção de Fontes Renováveis no Brasil

Seminário Inserção de Fontes Renováveis no Brasil Seminário Inserção de Fontes Renováveis no Brasil Fontes Renováveis na Matriz Energética Amilcar Guerreiro Economia da Energia e do Meio Ambiente Diretor Rio de Janeiro, RJ 29 Abril 2014 Seminário Inserção

Leia mais

SINDICATO DOS ENGENHEIROS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL (SENGE / RS) FEDERAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS - FNE

SINDICATO DOS ENGENHEIROS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL (SENGE / RS) FEDERAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS - FNE SINDICATO DOS ENGENHEIROS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL (SENGE / RS) FEDERAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS - FNE SEMINÁRIO CRISE ENERGÉTICA E DESENVOLVIMENTO Políticas do Ministério de para o Setor Energético

Leia mais

TE061 Introdução aos Sistemas de Energia Elétrica

TE061 Introdução aos Sistemas de Energia Elétrica TE061 Introdução aos Sistemas de Energia Elétrica Sistema de Energia Elétrica: conjunto de equipamentos (geradores, transformadores, LT, disjuntores, relés, medidores...) que operam em conjunto e de maneira

Leia mais

MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA

MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA São Paulo, 05/09/2012 Ministério de Minas e Energia ABINEE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA ELÉTRICA E ELETRÔNICA ABINEE TEC 2012 TALK SHOW MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA Altino Ventura Filho Secretário

Leia mais

ABINEE TEC Matriz Energética. Plano Decenal: Tendências, Dificuldades e Investimentos Políticas para Fontes de Energia

ABINEE TEC Matriz Energética. Plano Decenal: Tendências, Dificuldades e Investimentos Políticas para Fontes de Energia Ministério de Minas e Energia Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético ABINEE TEC 2007 Matriz Energética Plano Decenal: Tendências, Dificuldades e Investimentos Políticas para Fontes de

Leia mais

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA 1T12 GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA 10 maiores geradores mundiais 2010 TW/h Total 21.325,0 (100%) EUA 4.325,9 (20,3%) China 4.206,5 (19,7%) Japão Rússia 1.145,3 1.036,8 (5,4%) (4,9%) Índia Canadá 922,3 629,9

Leia mais

Impactos dos Recursos Energéticos Distribuídos. Francisco José Arteiro de Oliveira Diretoria de Planejamento e Programação da Operação

Impactos dos Recursos Energéticos Distribuídos. Francisco José Arteiro de Oliveira Diretoria de Planejamento e Programação da Operação Impactos dos Recursos Energéticos Distribuídos Francisco José Arteiro de Oliveira Diretoria de Planejamento e Programação da Operação 1 Rio de Janeiro, 20 de maio de 2016 Condições Hidroenergéticas SE/CO

Leia mais

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA 1 4T14 GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Maiores geradores mundiais de energia elétrica (TWh) 2013 Total 23.127,0 (100%) China 5.361,6 (23,2%) EUA 4.260,4 (18,4%) Índia 1.102,9 (4,8%) Japão Rússia 1.088,1 1.060,7

Leia mais

BOLETIM: A Bioeletricidade da Cana em Números Junho de 2017

BOLETIM: A Bioeletricidade da Cana em Números Junho de 2017 Destaques: A capacidade instalada atualmente pela biomassa (14.512 MW) supera a capacidade instalada pela usina Itaipu. Com 9% da matriz elétrica brasileira, a fonte biomassa em geral ocupa a 2ª posição

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 3T17

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 3T17 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 3T17 GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Maiores geradores mundiais de energia elétrica (TWh) Total China EUA Índia Rússia Japão Alemanha Canadá Brasil França Coreia do Sul 1.423 1.088

Leia mais

Visão Geral do Setor

Visão Geral do Setor 1T13 Visão Geral do Setor 10 maiores geradores de energia elétrica (TWh) Total China EUA Japão Rússia Índia Alemanha Canadá França Coréia Sul Brasil 1.104,0 1.051,6 1.006,2 614,5 607,6 564,3 520,1 501,3

Leia mais

BOLETIM: A Bioeletricidade da Cana em Números Abril de 2017

BOLETIM: A Bioeletricidade da Cana em Números Abril de 2017 Destaques: A capacidade instalada atualmente pela biomassa (14.670 MW) supera a capacidade instalada pela usina Itaipu. Com 9% da matriz elétrica brasileira, a fonte biomassa em geral ocupa a 2ª posição

Leia mais

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA 2T12 GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA 10 maiores geradores mundiais 2010 TW/h Total 21.325,0 (100%) EUA 4.325,9 (20,3%) China 4.206,5 (19,7%) Japão Rússia 1.145,3 1.036,8 (5,4%) (4,9%) Índia Canadá 922,3 629,9

Leia mais

As Perspectivas do Setor Elétrico Brasileiro

As Perspectivas do Setor Elétrico Brasileiro XXVII ENCOSEL Novembro de 2011 As Perspectivas do Setor Elétrico Brasileiro Nivalde J. de Castro Professor da UFRJ e coordenador do GESEL Perspectivas Mundiais Sumário Perspectivas do SEB: Potencial elétrico:

Leia mais

SETER ENGENHARIA LTDA

SETER ENGENHARIA LTDA OPORTUNIDADE DA GERAÇÃO DISTRIBUÍDA Resoluções 482 e 687 ANEEL Estabelece as condições gerais para o acesso aos sistemas de distribuição de energia elétrica, e ao sistema de compensação de energia elétrica,

Leia mais

Relatório Quadrimestral Indicadores Nacionais do Setor Elétrico:

Relatório Quadrimestral Indicadores Nacionais do Setor Elétrico: Projeto Provedor de Informações Econômico-Financeiro do Setor de Energia Elétrica Relatório Quadrimestral Indicadores Nacionais do Setor Elétrico: SETEMBRO-DEZEMBRO 2010 Daniel Bueno B. Tojeiro Adriana

Leia mais

BOLETIM: A Bioeletricidade da Cana em Números Fevereiro de 2017

BOLETIM: A Bioeletricidade da Cana em Números Fevereiro de 2017 Destaques: A capacidade instalada atualmente pela biomassa (14.619 MW) supera a capacidade instalada pela usina Itaipu. Com 9% da matriz elétrica brasileira, a fonte biomassa em geral ocupa a 2ª posição

Leia mais

Planejamento da Matriz Elétrica Brasileira e a Importância das Questões Ambientais

Planejamento da Matriz Elétrica Brasileira e a Importância das Questões Ambientais III Seminário "Estratégias para Conservação de Peixes em Minas Gerais 5 anos do Programa Peixe Vivo Planejamento da Matriz Elétrica Brasileira e a Importância das Questões Ambientais Prof. Nivalde J. de

Leia mais

A BIOELETRICIDADE E O PLANEJAMENTO ENERGÉTICO

A BIOELETRICIDADE E O PLANEJAMENTO ENERGÉTICO A BIOELETRICIDADE E O PLANEJAMENTO ENERGÉTICO VII Seminário de Bioeletricidade CEISE Br / UNICA 25ª Fenasucro & Agrocana 2017 Sertãozinho/SP 23 ago. 2017 José Mauro Coelho Diretor de Estudos do Petróleo,

Leia mais

Planejamento Eletroenergético do Sistema Interligado Nacional e seus Desafios

Planejamento Eletroenergético do Sistema Interligado Nacional e seus Desafios Ministério de Minas e Energia Colóquio 2010 2020: Uma Década Promissora para o Brasil? Planejamento Eletroenergético do Sistema Interligado Nacional e seus Desafios José Carlos de Miranda Farias Diretor

Leia mais

BOLETIM: A Bioeletricidade da Cana em Números Março de 2017

BOLETIM: A Bioeletricidade da Cana em Números Março de 2017 Destaques: A capacidade instalada atualmente pela biomassa (14.669 MW) supera a capacidade instalada pela usina Itaipu. Com 9% da matriz elétrica brasileira, a fonte biomassa em geral ocupa a 2ª posição

Leia mais

Mudança de Paradigma do Sistema Elétrico Brasileiro e Papel das Energias Complementares

Mudança de Paradigma do Sistema Elétrico Brasileiro e Papel das Energias Complementares Mudança de Paradigma do Sistema Elétrico Brasileiro e Papel das Energias Complementares Thereza Aquino Nivalde de Castro Professores da UFRJ 13 de março 2017 Hipóteses Centrais 1. O Brasil é um dos poucos

Leia mais

Visão Geral do Setor Elétrico Brasileiro e o Desenvolvimento Sustentável da Geração. Manoel Zaroni Torres Março, 2009

Visão Geral do Setor Elétrico Brasileiro e o Desenvolvimento Sustentável da Geração. Manoel Zaroni Torres Março, 2009 Visão Geral do Setor Elétrico Brasileiro e o Desenvolvimento Sustentável da Geração Manoel Zaroni Torres Março, 2009 Agenda 1. O Setor Elétrico Brasileiro 2. Tractebel Energia e o Grupo GDF SUEZ 3. A Sustentabilidade

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS JANEIRO DE 2016

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS JANEIRO DE 2016 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS JANEIRO DE 2016 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Atualmente, no Brasil, a fonte biomassa já representa quase 10% da potência outorgada pela Agência Nacional

Leia mais

Benefícios da Cogeração de Energia. João Antonio Moreira Patusco

Benefícios da Cogeração de Energia. João Antonio Moreira Patusco Benefícios da Cogeração de Energia João Antonio Moreira Patusco Balanço Energético Contabilidade de Energia de um País ou Região Oferta Interna de Energia = { Perdas na Transformação Perdas na Distribuição

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Em 2014, de acordo com a International Renewable Energy Agency (IRENA), a fonte biomassa apresentou 80.227

Leia mais

Plano de Redução de Consumo e Aumento da Oferta

Plano de Redução de Consumo e Aumento da Oferta Plano de Redução de Consumo e Aumento da Oferta I. Objetivo Sumário II. Motivação III. Operacionalização IV. Ações identificadas e seu potencial de aumento da oferta V. Ações identificadas e seu potencial

Leia mais

O Mercado Livre de Energia Elétrica

O Mercado Livre de Energia Elétrica O Mercado Livre de Energia Elétrica Conjuntura atual do setor elétrico, seus impactos na indústria e perspectivas futuras. Campetro Energy Novembro de 2015 Sumário 1. Institucional Grupo Votorantim e Votorantim

Leia mais

Seminário Energia Soluções para o Futuro Geração Hidrelétrica. Flávio Antônio Neiva Presidente da ABRAGE

Seminário Energia Soluções para o Futuro Geração Hidrelétrica. Flávio Antônio Neiva Presidente da ABRAGE Seminário Energia Soluções para o Futuro Geração Hidrelétrica Flávio Antônio Neiva Presidente da ABRAGE Belo Horizonte, 24 de abril de 2014 Associadas da ABRAGE Usinas das associadas da ABRAGE Hidrelétricas

Leia mais

Ricardo Lima 21 de Outubro de 2009

Ricardo Lima 21 de Outubro de 2009 Ricardo Lima 21 de Outubro de 2009 Agenda Quem somos Dificuldades Encargos Setoriais PDEE 2008-2017 Quem Somos Associação de grandes grupos industriais com objetivos comuns: Defesa da disponibilidade,

Leia mais

Operação do SIN. PEA3496 Prof. Marco Saidel

Operação do SIN. PEA3496 Prof. Marco Saidel Operação do SIN PEA3496 Prof. Marco Saidel SIN: Sistema Interligado Nacional Sistema hidrotérmico de grande porte Predominância de usinas hidrelétricas Regiões (subsistemas): Sul, Sudeste/Centro-Oeste,

Leia mais

3 O setor elétrico brasileiro 3.1 Breve histórico

3 O setor elétrico brasileiro 3.1 Breve histórico 3 O setor elétrico brasileiro 3.1 Breve histórico Em meados do século XIX, o processo de modernização do país impulsionou o setor urbano da economia. O crescimento das cidades levou a expansão da indústria

Leia mais

III Seminário sobre a Matriz e Segurança Energética FGV / IBRE / CERI

III Seminário sobre a Matriz e Segurança Energética FGV / IBRE / CERI III Seminário sobre a Matriz e Segurança Energética FGV / IBRE / CERI Painel I O cenário político: Posição do Governo e Planejamento Energético Desafios e Cenários da Operação do SIN Hermes Chipp Diretor

Leia mais

Superando as Barreiras Regulatórias para Comercialização de Eletricidade pelas Usinas do Setor Sucroenergético. Maio de 2017

Superando as Barreiras Regulatórias para Comercialização de Eletricidade pelas Usinas do Setor Sucroenergético. Maio de 2017 Superando as Barreiras Regulatórias para Comercialização de Eletricidade pelas Usinas do Setor Sucroenergético Maio de 2017 Instabilidade do preço-teto nos leilões O preço teto para a fonte biomassa tem

Leia mais

A Eletrobrás s e o Meio Ambiente

A Eletrobrás s e o Meio Ambiente A Eletrobrás s e o Meio Ambiente CONSTITUIÇÃO, HISTÓRICO E POLÍTICA AMBIENTAL DO GRUPO ELETROBRÁS ABRIL 2007 Constituição da Eletrobrás Lei N 3.890-A, de 25 de abril de 1961 Objetivo da Eletrobrás: - realização

Leia mais

Relatório Quadrimestral Indicadores Nacionais do Setor Elétrico:

Relatório Quadrimestral Indicadores Nacionais do Setor Elétrico: Projeto Provedor de Informações Econômico-Financeiro do Setor de Energia Elétrica Relatório Quadrimestral Indicadores Nacionais do Setor Elétrico: JANEIRO ABRIL 2010 Daniel Bueno B. Tojeiro RIO DE JANEIRO

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS SETEMBRO DE 2015

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS SETEMBRO DE 2015 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS SETEMBRO DE 2015 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Em 2014, de acordo com a International Renewable Energy Agency (IRENA), a fonte biomassa apresentou 80.227

Leia mais

4º CURSO SOBRE O SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO PARA A MAGISTRATURA

4º CURSO SOBRE O SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO PARA A MAGISTRATURA 4º CURSO SOBRE O SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO PARA A MAGISTRATURA PERSPECTIVAS DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO A ENERGIA ELÉTRICA NO MUNDO E NO BRASIL AS OPÇÕES DE EXPANSÃO DO SISTEMA ELÉTRICO NACIONAL Altino

Leia mais

Plano da Apresentação. Formação de preços de energia. Tarifas de Energia. Encargos setoriais.

Plano da Apresentação. Formação de preços de energia. Tarifas de Energia. Encargos setoriais. Plano da Apresentação Formação de preços de energia. Tarifas de Energia. Encargos setoriais. Uma característica atualmente importante do setor elétrico brasileiro é a separação entre commodity e serviços.

Leia mais

MERCADO ELÉTRICO. Centralizar a Gestão de Riscos? Professor Adilson de Oliveira Instituto de Economia Universidade Federal do Rio de Janeiro/Brazil

MERCADO ELÉTRICO. Centralizar a Gestão de Riscos? Professor Adilson de Oliveira Instituto de Economia Universidade Federal do Rio de Janeiro/Brazil MERCADO ELÉTRICO Centralizar a Gestão de Riscos? Professor Adilson de Oliveira Instituto de Economia Universidade Federal do Rio de Janeiro/Brazil Roteiro 1. Pano de Fundo 2. Reforma e Crise 3. Novo Mercado

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS E PROMOÇÃO DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS

POLÍTICAS PÚBLICAS E PROMOÇÃO DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS POLÍTICAS PÚBLICAS E PROMOÇÃO DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS Marcelo Khaled Poppe, Secretário de Desenvolvimento Energético MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA BRASIL- MATRIZ ENERGÉTICA Petróleo 47,1% Nuclear 1,2%

Leia mais

AULA 2 SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO RAFAEL DE OLIVEIRA RIBEIRO 1

AULA 2 SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO RAFAEL DE OLIVEIRA RIBEIRO 1 AULA 2 SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO RAFAEL DE OLIVEIRA RIBEIRO 1 Introdução Por que gerar energia? 2 O mundo é dependente de energia? 3 O mundo é dependente de energia? 4 Tipos de Geração 5 Introdução O

Leia mais

SEMINÁRIO DO JORNAL VALOR ECONÔMICO PARÁ OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTOS A HIDROELETRICIDADE

SEMINÁRIO DO JORNAL VALOR ECONÔMICO PARÁ OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTOS A HIDROELETRICIDADE São Paulo, 15/04/2010 Ministério de Minas e Energia SEMINÁRIO DO JORNAL VALOR ECONÔMICO PARÁ OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTOS A HIDROELETRICIDADE Altino Ventura Filho Secretário de Planejamento e Desenvolvimento

Leia mais

11 de abril de Paulo Born Conselho de Administração

11 de abril de Paulo Born Conselho de Administração Operações do Mercado de Energia Evolução e Perspectiva Seminário FIEPE 11 de abril de 2013 Paulo Born Conselho de Administração Agenda Visão Geral do Mercado de Energia Governança e Ambientes de Comercialização

Leia mais

IV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS ELÉTRICOS SBSE 2012

IV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS ELÉTRICOS SBSE 2012 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA IV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS ELÉTRICOS SBSE 2012 PLANEJAMENTO DE LONGO PRAZO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO Políticas do MME e a Matriz Energética Nacional Altino Ventura

Leia mais

II Seminário Energia e Meio Ambiente Perspectivas Legais

II Seminário Energia e Meio Ambiente Perspectivas Legais II Seminário Energia e Meio Ambiente Perspectivas Legais Manaus AM 13 de junho de 2006 O Grupo ELETROBRÁS Arranjo Institucional Política Ambiental AHE Belo Monte MISSÃO Criar, ofertar e implementar soluções

Leia mais

Conheça neste capítulo o perfil das empresas que compõem o maior conglomerado empresarial de energia limpa da América Latina.

Conheça neste capítulo o perfil das empresas que compõem o maior conglomerado empresarial de energia limpa da América Latina. PERFIL Um grupo de empresas dedicadas à geração, transmissão e distribuição de energia limpa, com respeito ao meio ambiente e valorização daquilo que o Brasil tem de melhor: os brasileiros. Conheça neste

Leia mais

O mercado livre de energia elétrica e os aprendizados para o setor de gás

O mercado livre de energia elétrica e os aprendizados para o setor de gás O mercado livre de energia elétrica e os aprendizados para o setor de gás Seminário sobre Gás Natural e Regulação 11/12/2017 Solange David Vice-presidente do Conselho de Administração Agenda Governança

Leia mais

A Estratégia de Consolidação da Eletrobrás em Holding Financeira

A Estratégia de Consolidação da Eletrobrás em Holding Financeira III Seminário Ibero Americano, Faculdade de Economia do Porto A Estratégia de Consolidação da Eletrobrás em Holding Financeira 11 e 12 de fevereiro de 2010 Objetivos Empresariais do Sistema Eletrobrás

Leia mais

UMA EMPRESA FORTE EM ENERGIA. Energy Expo Fórum. Estratégias Vencedoras na Compra de Energia no Mercado Livre

UMA EMPRESA FORTE EM ENERGIA. Energy Expo Fórum. Estratégias Vencedoras na Compra de Energia no Mercado Livre UMA EMPRESA FORTE EM ENERGIA Energy Expo Fórum Estratégias Vencedoras na Compra de Energia no Mercado Livre Uma Empresa Forte em Energia 24 Usinas em Operação e 5 em Construção R$ 1,4 bilhão de investimentos

Leia mais

Energia, o que esperar em 2.015

Energia, o que esperar em 2.015 Energia, o que esperar em 2.015 ABRAMAT Otávio Carneiro de Rezende Diretor Presidente Usina Hidrelétrica Ourinhos Surgimos para administrar a geração e o consumo do Grupo Votorantim. Hoje atendemos a diversos

Leia mais

Bioeletricidade Sucroenergética Situação atual, perspectivas e desafios

Bioeletricidade Sucroenergética Situação atual, perspectivas e desafios Zilmar Souza Federação das Indústrias do Estado de Goiás FIEG Bioeletricidade Sucroenergética Situação atual, perspectivas e desafios 18ª Reunião Goiás - GO 18 de agosto de 2015 BIOELETRICIDADE DA CANA

Leia mais

XXIII SNPTEE. Sessão Técnica de Abertura SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO: CRESCIMENTO - DESAFIOS

XXIII SNPTEE. Sessão Técnica de Abertura SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO: CRESCIMENTO - DESAFIOS XXIII SNPTEE Sessão Técnica de Abertura SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO: CRESCIMENTO - DESAFIOS Cenários/Desafios a curto e médio prazos para a operação do SIN Hermes J. Chipp Diretor Geral Foz do Iguaçu, 19/10/2015

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 1T18

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 1T18 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 1T18 GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Maiores geradores mundiais de energia elétrica (TWh) Total China EUA Índia Rússia Japão Alemanha Canadá Brasil França Coreia do Sul 1.423 1.088

Leia mais

Reunião Pública Anual com Analistas e Investidores 2017

Reunião Pública Anual com Analistas e Investidores 2017 Reunião Pública Anual com Analistas e Investidores 2017 Mauro Arce Presidente Almir Martins Diretor Financeiro e de RI Mituo Hirota Diretor de Geração Marcio Rea Diretor Administrativo 14 de Dezembro de

Leia mais

EMPRESAS DE DISTRIBUIÇÃO DA ELETROBRÁS. Eletrobrás

EMPRESAS DE DISTRIBUIÇÃO DA ELETROBRÁS. Eletrobrás Eletrobrás Junho 2009 1 6 - IMPLANTAÇÃO DA NOVA ESTRUTURA GESTÃO FINANCEIRA OPERAÇÃO EXPANSÃO COMERCIAL REGULAÇÃO JURÍDICA Sistemática de Suporte Matricial SOCIETÁRIA RH COMPRAS AUDITORIA TI COMUNIC. SOCIAL

Leia mais

Obrigado! Consultoria em Energia

Obrigado! Consultoria em Energia Obrigado! Marcos Guimarães Consultoria em Energia Pedro Kurbhi Agenda 1 - Eficiência Energética x Gestão Contratual 2 - Pontos Críticos na Gestão de Energia 3- A Demanda 4 - O Consumo 5- Reativos 6 - A

Leia mais

Energia para Novos Tempos O PAPEL DA ELETROBRAS NO CONTEXTO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO

Energia para Novos Tempos O PAPEL DA ELETROBRAS NO CONTEXTO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO Energia para Novos Tempos O PAPEL DA ELETROBRAS NO CONTEXTO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO MARÇO, 2011 Disclaimer Esta apresentação pode conter certas estimativas e projeções. Tais estimativas e projeções

Leia mais

Panorama Atual dos Negócios de G & T da Eletrobras

Panorama Atual dos Negócios de G & T da Eletrobras Retomada dos Investimentos em Infraestrutura ABDIB Panorama Atual dos Negócios de G & T da Eletrobras Wilson Ferreira Junior Presidente da Eletrobras 21 de Maio de 2019 ABDIB, Brasília SUMÁRIO A Eletrobras

Leia mais

Ecologia, Ambiente e Engenharia Elétrica. Carlos Marcelo Pedroso

Ecologia, Ambiente e Engenharia Elétrica. Carlos Marcelo Pedroso Ecologia, Ambiente e Engenharia Elétrica Carlos Marcelo Pedroso http://www.eletrica.ufpr.br/pedroso Introdução Ecologia, Ambiente e Engenharia Elétrica Programa detalhado Critérios de Avaliação Participação

Leia mais

POTENCIAL E AÇÕES DO ESTADO DE SÃO PAULO

POTENCIAL E AÇÕES DO ESTADO DE SÃO PAULO POTENCIAL E AÇÕES DO ESTADO DE SÃO PAULO BIOELETRICIDADE: Desafios para Crescer ETHANOL SUMMIT 2011 José Aníbal Secretário de Energia do Estado de São Paulo São Paulo 6 de Junho de 2011 Nuclear 5,8% Secretaria

Leia mais

Plano Nacional de Energia 2030

Plano Nacional de Energia 2030 CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA ENERGÉTICA - CNPE Plano Nacional de Energia 2030 Mauricio Tolmasquim Presidente Empresa de Pesquisa Energética EPE Brasília, 2007 Metodologia geral Módulo Macroeconômico Cenários

Leia mais

A Importância das Fontes Alternativas e Renováveis na Evolução da Matriz Elétrica Brasileira

A Importância das Fontes Alternativas e Renováveis na Evolução da Matriz Elétrica Brasileira A Importância das Fontes Alternativas e Renováveis na Evolução da Matriz Elétrica Brasileira V Seminário de Geração e Desenvolvimento Sustentável Fundación MAPFRE Prof. Nivalde José de Castro Prof. Sidnei

Leia mais

Disciplina: Eletrificação Rural. Unidade 1 Energia elétrica no âmbito do desenvolvimento sustentável: balanço energético nacional

Disciplina: Eletrificação Rural. Unidade 1 Energia elétrica no âmbito do desenvolvimento sustentável: balanço energético nacional UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Eletrificação Rural Unidade 1 Energia elétrica no âmbito do desenvolvimento sustentável:

Leia mais

ITAIPU: MODELO PARA APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS DE GRANDE PORTE

ITAIPU: MODELO PARA APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS DE GRANDE PORTE Mesa Redonda 1: GRANDES HIDRELÉTRICAS POTENCIAL E PANORAMA Palestra: ITAIPU: MODELO PARA APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS DE GRANDE PORTE Jorge Miguel Samek Diretor Geral Brasileiro da Itaipu BRASIL: PANORAMA

Leia mais

A BIOELETRICIDADE SUCROENERGÉTICA Situação atual e perspectivias

A BIOELETRICIDADE SUCROENERGÉTICA Situação atual e perspectivias A BIOELETRICIDADE SUCROENERGÉTICA Situação atual e perspectivias Zilmar de Souza Bioeletricidade 1º Encontro Cana & Biomassa Ribeirão Preto 16 de abril de 2015 A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA)

Leia mais