MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS"

Transcrição

1 APÊNDICE 2 MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS (nota de primeira página) Projecto n :... Título do projecto: Nome completo do Beneficiário:... Morada: Formulário financeiro apresentado para 1 : INFORMAÇÃO! PAGAMENTO! Caso o presente formulário financeiro seja apresentado para pagamento, é favor preencher o quadro seguinte: Tipo de pagamento solicitado:! Adiantamento! Primeiro pagamento! Pagamento final Informações bancárias: Nome e morada do banco: Conta bancária nº:... NIB:... Titular da conta bancária 2 :... Referência do pagamento (se necessário):... Nome do representante legal/oficial:... Título:... Função:... Data:... Assinatura: 1 2 Obrigatório! Marcar com uma cruz apenas uma das opções A conta bancária deve ser aberta em nome do beneficiário 1

2 CERTIFICADO DO BENEFICIÁRIO... BENEFICIÁRIO:... TÍTULO: Certificamos que os custos referidos foram incorridos no âmbito do trabalho definido no projecto e necessários à boa execução deste trabalho, que foram efectivamente incorridos e se inserem no âmbito da definição dos custos admissíveis especificados e que foram obtidas as necessárias autorizações da Comissão. Data: Data: Nome do Gestor do Projecto 3 : Nome do representante legal/oficial: Assinatura Gestor do Projecto: Assinatura: APENAS PARA PROJECTOS LIFE-NATUREZA Certificamos que o equipamento duradouro adquirido/fabricado para o projecto, durante o período de duração do projecto e cujo tempo de vida previsto seja superior ao do projecto, será de futuro exclusivamente utilizado em actividades de conservação da natureza 4. Certificamos que foram ou serão tomadas as medidas necessárias para assegurar a manutenção deste equipamento durante todo o seu tempo de vida previsto. Este último foi calculado da forma seguinte: Infra-estruturas: Equipamento: xxx 5 anos a contar da data de aquisição xxx 5 anos a contar da data de aquisição Certificamos igualmente que os terrenos adquiridos no âmbito do projecto foram definitivamente afectados a actividades de conservação da natureza. Assinatura do Gestor do Projecto: Assinatura do representante legal/oficial: A pessoa designada como directamente responsável pela execução do projecto. Na falta deste compromisso, serão aplicadas as regras relativas à depreciação previstas nas disposições-tipo de carácter administrativo no âmbito LIFE-Natureza. Preencher com o valor adequado, em função das regras fiscais e contabilísticas aplicáveis. 2

3 DECLARAÇÃO CONSOLIDADA DAS DESPESAS DO PROJECTO A PREENCHER PELO BENEFICIÁRIO EM CASO DE PARCERIA Projecto n :... Título:... Nome completo do beneficiário: Período de referência: de... a... 6 Categorias de despesas Montante total sem IVA Montante total com IVA não recuperável 7 1. Pessoal 2. Viagens 3. Assistência externa 4. Bens duradouros: Infra-estruturas Equipamento Protótipos Sub-total 5. Aquisição/locação de terrenos/direitos (aplicável apenas a projectos Life-Natureza) 6. Consumíveis 7. Outros custos 8. Despesas gerais Custo real Custo elegível 8 Custo real Custo elegível 8 Custo real Custo elegível Custo real Custo elegível Nome do Gestor do Projecto:... Função:... Endereço:... Data:... Assinatura: O presente quadro consolidado reflecte e sintetiza as fichas resumidas apresentadas por cada participante [beneficiário e parceiro (s)] e representa a despesa total efectivamente incorrida para a execução do projecto. Preencher apenas se o beneficiário/parceiros tiverem apresentado prova de que o IVA não é recuperável e deve, portanto, ser considerado como um custo elegível. Preencher apenas se for aplicável (ver nº 7 do artigo 21º das Disposições-tipo de carácter administrativo) 3

4 DECLARAÇÃO DAS RECEITAS DO PROJECTO A PREENCHER PELO BENEFICIÁRIO... Período de referência de... a CONTRIBUIÇÃO LIFE RECEBIDA 2. CONTRIBUIÇÃO DOS PARTICIPANTES (beneficiário + parceiros) 9 TIPO DE RECEITAS 3. OUTRAS FONTES DE FINANCIAMENTO RECEBIDO (é favor especificar o nome da(s) organização(ões) co-financiadora(s) e respectivo(s) montante (s) 4. JUROS ACUMULADOS SOBRE AS QUANTIAS RECEBIDAS DA COMUNIDADE EUROPEIA 5. LUCROS GERADOS PELO PROJECTO (especificar) 9 O beneficiário e os parceiros deverão suportar parte dos custos do projecto (autofinanciamento). É favor indicar aqui o montante total pago até à data a título da comparticipação do beneficiário/parceiros nos custos totais do projecto. 4

5 DECLARAÇÃO DE DESPESAS DOS PARTICIPANTES A PREENCHER POR CADA PARTICIPANTE (Beneficiário e parceiros) Projecto n :... Título do projecto: Nome completo do participante:... Abreviatura:... Estatuto: Beneficiário! Parceiro! Endereço: Categorias de despesas 1. Pessoal 2. Viagens 3. Assistência externa 4. Bens duradouros: Montante total sem IVA Montante total com IVA não recuperável 10 Custo real Custo elegível 11 Custo real Custo elegível 11 Infra-estruturas Equipamento Protótipos Sub-total 5. Aquisição/locação de terrenos/direitos (aplicável apenas a projectos Life-Natureza) 6. Consumíveis 7. Outros custos 8. Despesas gerais Custo real Custo elegível Custo real Custo elegível - IVA Não recuperável: PROVA APRESENTADA! (ver nota de...) DATA: Preencher apenas se o beneficiário/parceiros tiverem apresentado prova de que o IVA não é recuperável e deve, portanto, ser considerado como um custo elegível. Preencher apenas se for aplicável (ver nº 7 do artigo 21º das Disposições-tipo de carácter administrativo) 5

6 A PREENCHER PARA CADA PARTICIPANTE (BENEFICIÁRIO E PARCEIROS) 1. PESSOAL 12 ABREVIATURA DO PARTICIPANTE:..... Nome Categoria no projecto Unidade de tempo (precisar dia/mês/hora por ano) 13 Taxa por unidade de tempo 14 (a) Número de unidades de tempo atribuídas ao projecto (b) Total (a x b) As despesas de pessoal apenas incluem os custos do pessoal directamente envolvido na execução do projecto. Utilizar a mesma unidade de tempo que na proposta de projecto para todos os parceiros. Incluindo encargos sociais e excluindo quaisquer outros custos. 6

7 2. VIAGENS 15 ABREVIATURA DO PARTICIPANTE: Objectivo da viagem Data da viagem Data da aprovação da CE (se aplicável) Local (cidade, país) Nomes das pessoas que viajaram Factura/ recibo (se aplicável) N Data Data de pagamento Total sem IVA Total com IVA não recuperável É aconselhável preencher este quadro por ordem das datas de pagamento. 7

8 3. ASSISTÊNCIA EXTERNA 17 ABREVIATURA DO PARTICIPANTE:... Factura/recibo N Data Data de pagamento Datas do trabalho/serviços prestados De... A... Nome / Nome da empresa Prestador do serviço Descrição do serviço Total sem IVA 18 Total com IVA não recuperável É aconselhável preencher este quadro por ordem das datas de pagamento. 8

9 4. BENS DURADOUROS 19 ABREVIATURA DO PARTICIPANTE:... N Factura/recibo Data Data de pagamento Fornecedor Descrição Total sem IVA Custo real Total com IVA não recuperável 20 Custo Custo real Custo elegível 21 elegível É aconselhável preencher este quadro pela ordem do pagamento Indicar o custo elegível dos bens duradouros adquiridos para o projecto e durante o tempo de vida da decisão/acordo de subvenção. É favor consultar os nºs 5 e 6 do artigo 21º das Disposiçõestipo de carácter administrativo para calcular o montante elegível. Preencher apenas se for aplicável (ver nº 7 do artigo 21º). 9

10 4. BENS DURADOUROS ABREVIATURA DO PARTICIPANTE: Equipamento 22 N Factura/recibo Data Data de pagamento Fornecedor Descrição Total sem IVA Custo real Total com IVA não recuperável 23 Custo Custo real Custo elegível 24 elegível É aconselhável preencher este quadro por ordem das datas de pagamento das facturas correspondentes. Indicar o custo elegível dos bens duradouros que foram comprados para o projecto e durante o tempo de vida da decisão/acordo de subvenção. É favor consultar os nºs 5 e 6 do artigo 21º das Disposições-tipo de carácter administrativo para calcular o montante elegível. Preencher apenas se aplicável (ver nº 7 do artigo 21º). 10

11 4. BENS DURADOUROS ABREVIATURA DO PARTICIPANTE: Protótipo 25 (apenas para projectos LIFE-Ambiente e LIFE - Países Terceiros) N Factura/recibo Data Data de pagamento Fornecedor Descrição Total sem IVA Total com IVA não recuperável

12 5.1 AQUISIÇÃO/LOCAÇÃO DE TERRENOS/DIREITOS: AQUISIÇÃO 27 (apenas para projectos LIFE-Natureza) ABREVIATURA DO PARTICIPANTE:... Localização do terreno Área (ha) Registo n Data Escritura 28 N Nome do notário Cláusula incluída? 29 Preço de aquisição Taxas associadas Total sem IVA Total com IVA não recuperável É aconselhável preencher este quadro por ordem das escrituras. Se o terreno foi adquirido de uma forma diferente (expropriação, usucapião, etc.), favor indicar na parte inferior do quadro. Para os terrenos adquiridos com financiamento comunitário, deverá ser incluída na escritura e/ou no registo uma cláusula específica indicando que o terreno será usado para fins de conservação da natureza. 12

13 5.2 AQUISIÇÃO/LOCAÇÃO DE TERRENOS/DIREITOS: LOCAÇÃO 31 (apenas para projectos LIFE-Natureza) ABREVIATURA DO PARTICIPANTE:... Factura/recibo N Data (dia/mês/ano ) Data de pagament o (dia/mês/a no) Localização do terreno Área (ha) Registo n Data do contrato Duração do contrato (meses) Tipo de pagament o (mensal, anual, etc.) Total sem IVA Total com IVA não recuperável É aconselhável preencher este quadro pela data do pagamento 13

14 6. CONSUMÍVEIS 33 ABREVIATURA DO PARTICIPANTE:... N Factura/recibo Data Data de pagamento Fornecedor Descrição Total sem IVA Total com IVA não recuperável É aconselhável preencher este quadro por ordem das datas de pagamento. 14

15 7. OUTROS CUSTOS 35 ABREVIATURA DO PARTICIPANTE:... Factura/recibo N Data Data de pagamento (dia/mês/an o) Nome / Nome da empresa 36 Descrição da despesa Total sem IVA Total com IVA não recuperável É aconselhável preencher este quadro por ordem das datas de pagamento. Ver especificações no nº 11 do artigo 19º das Disposições-tipo de carácter administrativo. Relativo à pessoa ou empresa a quem o pagamento é feito. 15

16 8. DESPESAS GERAIS 38 (parte 1) ABREVIATURA DO PARTICIPANTE:... Factura/recibo Ou Referência contabilística 39 N Data Data(s) de pagamento Período de referência de... a... Tipo de despesa indirecta 40 Custo total para o período de referência sem IVA Custo total para o período de referência com IVA não recuperável 41 Custo total imputado a este projecto É aconselhável preencher este quadro por ordem das datas de pagamento. Ver especificações no nº 12 do artigo 21º das Disposições-tipo de carácter administrativo. Pode enumerar as despesas gerais de forma analítica (por exemplo, cada conta de telefone) ou agrupando-as por tipo e período. Se as despesas gerais forem contabilizadas mediante um sistema de codificação interna, é favor incluir aqui a referência contabilística adequada. Apresente uma descrição curta e clara do tipo de despesa geral (por exemplo, telefone, renda do escritório xx, etc.). Na página seguinte, deverá descrever e justificar o método utilizado para imputar as despesas gerais a este projecto. 16

17 8. DESPESAS GERAIS (parte 2) ABREVIATURA DO PARTICIPANTE:... Tipo de despesa geral Descrição do método utilizado para imputar as despesas gerais a este projecto 17

18 LIFE LISTA DE CONTROLO PARA PEDIDOS DE PAGAMENTO 43 Esta lista de controlo foi concebida para evitar os problemas mais frequentes quando os pedidos de pagamento são submetidos à Comissão. É favor verificar e marcar com uma cruz cada ponto antes de enviar o seu pedido, isto poupará tempo e permitir-nos-á actuar imediatamente. Indicar claramente na nota de primeira página se a declaração é apresentada para informação ou para pagamento. Enviar à Comissão duas cópias de todos os modelos de formulário financeiro devidamente preenchidos em todas as suas partes. Ambas deverão ser originais assinados e carimbados. Incluir também uma cópia do relatório técnico. Enviar uma cópia completa de cada uma das duas partes supramencionadas à equipa externa competente (ver lista em anexo). Antes de apresentar um pedido de pagamento, verificar se tem direito a recebê-lo. Só são reembolsáveis as despesas pagas na totalidade, os simples compromissos não são nunca considerados custos reembolsáveis. Incluir em anexo um relatório de auditoria efectuado por um auditor independente no caso de pagamento final. No caso de pagamento intercalar, fornecer informações pormenorizadas sobre o auditor. Os custos gerais do projecto não deverão exceder 7% do orçamento total (ver afectação orçamental no projecto). Só são possíveis alterações da distribuição orçamental mediante acordo prévio da Comissão, excepto se a alteração do sub-total previsto para cada categoria de despesa no orçamento provisional não exceder euros () ou 10%. As despesas efectuadas estão de acordo com o orçamento? Verificou cuidadosamente se as suas despesas estão de acordo com as regras reiteradas nas disposições-tipo de carácter administrativo e nas diversas notas 43 Para uso do beneficiário. Não enviar à Comissão. 18

19 de rodapé de cada formulário (missões fora da Europa, cláusula de afectação para os terrenos adquiridos, etc.)? Referiu o apoio dado pela Comunidade em todos os documentos elaborados no âmbito do projecto? (Utilizar o logotipo adequado). Endereçou os seus documentos ao destinatário correcto? SEMPRE QUE AS CONDIÇÕES SUPRA REFERIDAS NÃO SEJAM RESPEITADAS, A COMISSÃO NÃO PODERÁ PROCEDER AO PAGAMENTO. EM CASO DE DÚVIDA, ACONSELHAMOS VIVAMENTE A CONSULTA DA EQUIPA EXTERNA COMPETENTE. 19

Como Vender em Marrocos Uma acção à medida dos seus interesses

Como Vender em Marrocos Uma acção à medida dos seus interesses Como Vender em Marrocos Uma acção à medida dos seus interesses Ficha de Inscrição Encontre a resposta às suas dúvidas! Identifique a sessão pretendida: Lisboa AICEP (Av. 5 de Outubro, n.º 101) 21 (tarde)

Leia mais

Anexo III Plano de negócios. Plano de negócios da instituição financeira

Anexo III Plano de negócios. Plano de negócios da instituição financeira Constituição de IF Bancária Anexo III Plano de negócios Plano de negócios da instituição financeira De forma a aferir o cumprimento dos requisitos legais estabelecido na Lei das Instituições Financeiras,

Leia mais

Respostas a questões das IC s sobre a Linha de Crédito PME Investe II / QREN

Respostas a questões das IC s sobre a Linha de Crédito PME Investe II / QREN Respostas a questões das IC s sobre a Linha de Crédito PME Investe II / QREN 1. Beneficiários 1.1. As regras de enquadramento que se aplicam às empresas são as correspondentes à da região onde se localiza

Leia mais

Orientação técnica n.º 1/2010

Orientação técnica n.º 1/2010 Orientação técnica n.º 1/2010 Plano de Promoção da Eficiência do Consumo de Energia Eléctrica PPEC 2011-2012 Nas Regras do plano de promoção da eficiência no consumo de energia eléctrica (PPEC), aprovadas

Leia mais

PEDIDO DE PAGAMENTO DE SALDO Relatório de Execução Final

PEDIDO DE PAGAMENTO DE SALDO Relatório de Execução Final Receção (a preencher pelos Serviços) N.º do Projeto 20 / / / Assinatura e Carimbo Data da Receção / / 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO N.º do Projeto: Identificação do Beneficiário: Título do Projeto: Gestor

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE DE BAYU-UNDAN

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE DE BAYU-UNDAN REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE PARLAMENTO NACIONAL LEI N. o 3 /2003 de 1 de Julho SOBRE TRIBUTAÇÃO DOS CONTRATANTES DE BAYU-UNDAN O Tratado do Mar de Timor, assinado entre Timor-Leste e a Austrália

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Hong Kong Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Hong Kong Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Hong Kong Condições Legais de Acesso ao Mercado Abril 2010 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 4 3. Quadro Legal 5 2 1. Regime

Leia mais

AJUDA RELATÓRIO FINANCEIRO

AJUDA RELATÓRIO FINANCEIRO AJUDA RELATÓRIO FINANCEIRO Relatório (Rosto) 1 Recepção A preencher pela Ciência Viva. 2 Identificação do projecto A preencher pela Ciência Viva. 3 Processo de Decisão A preencher pela Ciência Viva. 4

Leia mais

DECISÃO DA COMISSÃO. de 2.3.2011

DECISÃO DA COMISSÃO. de 2.3.2011 PT PT PT COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 2.3.2011 C(2011) 1160 final DECISÃO DA COMISSÃO de 2.3.2011 que altera a Decisão 2008/456/CE, que estabelece normas de execução da Decisão n.º 574/2007/CE do Parlamento

Leia mais

FREGUESIA DE QUIAIOS NIPC 510 833 535

FREGUESIA DE QUIAIOS NIPC 510 833 535 PROGRAMA DE HASTA PÚBLICA Para atribuição do direito de ocupação efetiva de natureza precária da loja n.º 4 no Mercado de Quiaios Artigo 1.º Identificação A loja objeto de hasta pública localiza-se no

Leia mais

Programa Incentivo 2014. Normas de execução financeira. 1. Âmbito do financiamento

Programa Incentivo 2014. Normas de execução financeira. 1. Âmbito do financiamento Programa Incentivo 2014 Normas de execução financeira 1. Âmbito do financiamento As verbas atribuídas destinam-se a financiar o funcionamento da instituição de investigação científica e desenvolvimento

Leia mais

IMPRESSO PARA PEDIDO DE ABERTURA DE CONTA E GARANTIA

IMPRESSO PARA PEDIDO DE ABERTURA DE CONTA E GARANTIA IMPRESSO PARA PEDIDO DE ABERTURA DE CONTA E GARANTIA No: 1. Nome da firma: 2. Nome comercial: 3. Indicar se o contratante é: Sociedade Anónima de Responsabilidade Limitada SA Firma em Nome Individual Sociedade

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO LICENCIATURA ECONOMIA, GESTÃO, FINANÇAS E MAEG

INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO LICENCIATURA ECONOMIA, GESTÃO, FINANÇAS E MAEG INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO LICENCIATURA ECONOMIA, GESTÃO, FINANÇAS E MAEG CONTABILIDADE GERAL I CADERNO DE EXERCÍCIOS - II IVA Investimentos Exercício

Leia mais

Versão de trabalho PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO À EXECUÇÃO DOS PROJECTOS

Versão de trabalho PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO À EXECUÇÃO DOS PROJECTOS Versão de trabalho PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO À EXECUÇÃO DOS PROJECTOS UMCCI Março de 2009 Índice 1 Introdução.. 3 2 - Contabilização do investimento e dos incentivos 3 3 - Execução do projecto 4

Leia mais

Na Figura 1 indica-se a composição e formato do ficheiro Excel para submissão de despesas.

Na Figura 1 indica-se a composição e formato do ficheiro Excel para submissão de despesas. 1. LISTAGENS DE DESPESAS As listagens de despesas são submetidas electronicamente com um formato definido. A FCT disponibiliza um ficheiro Excel com esse formato pré-definido. É ainda possível editar e

Leia mais

O IRC no Orçamento do Estado para 2012. Audit Tax Advisory Consulting

O IRC no Orçamento do Estado para 2012. Audit Tax Advisory Consulting Audit Tax Advisory Consulting Opção por período de tributação distinto do ano civil Período mínimo de vigência da opção: 5 anos Período mínimo poderá ser < 5 anos, se o s.p. passar a integrar grupo obrigado

Leia mais

A REFORMA TRIBUTÁRIA EM ANGOLA

A REFORMA TRIBUTÁRIA EM ANGOLA www.fbladvogados.com A REFORMA TRIBUTÁRIA EM ANGOLA As Principais Linhas de Orientação ÍNDICE 1. O PERT: Missão e Objectivos 2. O Sistema Fiscal Angolano 2.1. A Tributação dos Rendimentos 2.2. A Tributação

Leia mais

D-Francoforte no Meno: Aluguer de salas de reuniões e conferências 2013/S 059-096665. Anúncio de concurso. Serviços

D-Francoforte no Meno: Aluguer de salas de reuniões e conferências 2013/S 059-096665. Anúncio de concurso. Serviços 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:96665-2013:text:pt:html D-Francoforte no Meno: Aluguer de salas de reuniões e conferências 2013/S 059-096665 Anúncio

Leia mais

PROJETO DE CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS

PROJETO DE CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS PROJETO DE CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS Concurso limitado por prévia qualificação para a seleção da empresa a designar para a prestação do serviço universal de disponibilização de uma lista telefónica

Leia mais

Apoio Formativo Anual

Apoio Formativo Anual Apoio Formativo Anual 2016 GUIA DO RELATÓRIO DO PLANO DE FORMAÇÃO 1 ÍNDICE Título Pág. Checklist de Verificação do Relatório 3 Instruções Gerais 1. Prazo, modalidade de envio e verificação 4 2. Estrutura

Leia mais

Bélgica-Geel: Fornecimento, instalação e manutenção de um sistema de digestão por micro-ondas de alta pressão e alta temperatura 2013/S 141-244766

Bélgica-Geel: Fornecimento, instalação e manutenção de um sistema de digestão por micro-ondas de alta pressão e alta temperatura 2013/S 141-244766 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:244766-2013:text:pt:html Bélgica-Geel: Fornecimento, instalação e manutenção de um sistema de digestão por micro-ondas

Leia mais

CONTRATO-MODELO. Medidas de acompanhamento. "Convenção de subvenção"

CONTRATO-MODELO. Medidas de acompanhamento. Convenção de subvenção CONTRATO-MODELO Medidas de acompanhamento "Convenção de subvenção" CONVENÇÃO de SUBVENÇÃO entre A Comunidade Europeia ("Comunidade") representada pela Comissão das Comunidades Europeias ("Comissão"), por

Leia mais

União Europeia Publicação no suplemento do Jornal Oficial da União Europeia. Anúncio de adjudicação de contrato (Directiva 2004/18/CE)

União Europeia Publicação no suplemento do Jornal Oficial da União Europeia. Anúncio de adjudicação de contrato (Directiva 2004/18/CE) União Europeia Publicação no suplento do Jornal Oficial da União Europeia 2, rue Mercier, 2985 Luxbourg, Luxburgo Fax: +352 29 29 42 670 Correio electrónico: ojs@publications.europa.eu Informação e formulários

Leia mais

Anúncio de adjudicação de contrato

Anúncio de adjudicação de contrato 1/ 18 ENOTICES_icmartins 27/10/2011- ID:2011-149873 Formulário-tipo 3 - PT União Europeia Publicação no suplemento do Jornal Oficial da União Europeia 2, rue Mercier, L-2985 Luxembourg Fax (352) 29 29-42670

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.127, de 7 de fevereiro de 2011

Instrução Normativa RFB nº 1.127, de 7 de fevereiro de 2011 Instrução Normativa RFB nº 1.127, de 7 de fevereiro de 2011 DOU de 8.2.2011 Dispõe sobre a apuração e tributação de rendimentos recebidos acumuladamente de que trata o art. 12-A da Lei nº 7.713, de 22

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 18/XII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 18/XII. Exposição de Motivos Proposta de Lei n.º 18/XII Exposição de Motivos Nos últimos anos, os serviços e órgãos da administração directa e indirecta do Estado, bem como as Regiões Autónomas e as autarquias locais, têm, no âmbito

Leia mais

Bélgica-Bruxelas: Auditoria financeira e de conformidade de partidos políticos e fundações políticas ao nível europeu 2016/S 114-202107

Bélgica-Bruxelas: Auditoria financeira e de conformidade de partidos políticos e fundações políticas ao nível europeu 2016/S 114-202107 1 / 7 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:202107-2016:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Auditoria financeira e de conformidade de partidos políticos e fundações

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL INSTITUTO DE ACÇÃO SOCIAL DAS FORÇAS ARMADAS

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL INSTITUTO DE ACÇÃO SOCIAL DAS FORÇAS ARMADAS MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL INSTITUTO DE ACÇÃO SOCIAL DAS FORÇAS ARMADAS Assistência na Doença aos Militares Assessoria Técnica de Saúde Gabinete de Relatórios Prévios AVISO Têm-se constatado atrasos

Leia mais

ASSOL Outubro 2013 Caderno de Encargos Ajuste Directo

ASSOL Outubro 2013 Caderno de Encargos Ajuste Directo ASSOL Outubro 2013 Caderno de Encargos Ajuste Directo Relativo à aquisição de combustíveis (gasóleo e gasolina sem chumbo 95) para as viaturas da ASSOL pela forma prevista neste Caderno de Encargos. Ajuste

Leia mais

IVA As recentes alterações legislativas

IVA As recentes alterações legislativas As recentes alterações legislativas Dezembro de 2012 2 IVA Serão as recentes alterações legislativas assim tão relevantes? 3 IVA Decreto-Lei n.º 197/2012 Decreto-Lei n.º 198/2012 Alterações em matéria

Leia mais

Relatório sobre Actividades Subsidiadas Instruções de Preenchimento

Relatório sobre Actividades Subsidiadas Instruções de Preenchimento Relatório sobre Actividades Subsidiadas Instruções de Preenchimento Observ a çõ es 1. (1) O impresso Relatório sobre Actividades Subsidiadas, utilizado pela Divisão de Subsídios e a Divisão de Cooperação

Leia mais

08 BALANÇO & CONTAS. em 31 Dezembro 2008

08 BALANÇO & CONTAS. em 31 Dezembro 2008 08 BALANÇO & CONTAS em 31 Dezembro 2008 BALANÇO CÓDIGO DAS CONTAS ACTIVO Activo Bruto 2008 Amortizações e Ajustamentos Activo Líquido 2007 Activo Líquido IMOBILIZADO Imobilizações incorpóreas: 431 Despesas

Leia mais

SUPERVISÃO Supervisão Comportamental

SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ANEXO À INSTRUÇÃO N.º 12/2013 - (BO N.º 6, 17.06.2013) Temas SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ANEXO I FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

Leia mais

Anúncio de concurso. Fornecimentos

Anúncio de concurso. Fornecimentos 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:91078-2013:text:pt:html B-Geel: Fornecimento e instalação de uma máquina de cortar, misturar, cozinhar e emulsionar para

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA. Exame 2.ª época de Contabilidade Financeira 2.º semestre 2007/08

FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA. Exame 2.ª época de Contabilidade Financeira 2.º semestre 2007/08 FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Exame 2.ª época de Contabilidade Financeira 2.º semestre 2007/08 Data: 28 de Junho de 2008 Início: 11h30m Duração: 2h15m Cotação e tempo esperado de resolução:

Leia mais

GTMMI, Lda. Condições Gerais de Venda

GTMMI, Lda. Condições Gerais de Venda GTMMI, Lda. Condições Gerais de Venda Estas Condições Gerais de Venda anulam automaticamente todas as anteriores. EXCEPTO QUANDO EXPRESSAMENTE ACORDADO EM CONTRÁRIO POR ESCRITO, TODAS AS VENDAS ESTÃO SUJEITAS

Leia mais

Manual do Revisor Oficial de Contas. Recomendação Técnica n.º 5

Manual do Revisor Oficial de Contas. Recomendação Técnica n.º 5 Recomendação Técnica n.º 5 Revisão de Demonstrações Financeiras Intercalares Janeiro de 1988 Índice Julho de 1993 (1ª Revisão) Parágrafos Introdução 1-3 Justificação 4-5 Objectivos 6-8 Recomendações 9-17

Leia mais

NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO

NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO Consideram-se no presente documento os procedimentos a observar, quer pela entidade proponente (ONGD), quer pela entidade financiadora (Camões, I.P.)

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 01.REV2/POFC/2013

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 01.REV2/POFC/2013 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 01.REV2/POFC/2013 NORMA DE PAGAMENTOS SAESCTN, SAMA E SIAC De acordo com o previsto nos Contratos/Termos de Aceitação de Financiamento, estabelece-se a norma de pagamentos aplicável

Leia mais

Tendo em conta o Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia,

Tendo em conta o Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia, L 219/22 REGULAMENTO DE EXECUÇÃO (UE) N. o 802/2014 DA COMISSÃO de 24 de julho de 2014 que estabelece modelos para os programas nacionais e que estabelece os termos e as condições do sistema de intercâmbio

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Projecto de. REGULAMENTO (CE) n.º /2001 da COMISSÃO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Projecto de. REGULAMENTO (CE) n.º /2001 da COMISSÃO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 22.5.2001 Projecto de REGULAMENTO (CE) n.º /2001 da COMISSÃO de [ ] que estabelece regras pormenorizadas para a aplicação do Regulamento (CE) n.º 2494/95 do

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL Cartão de Crédito Millennium bcp Fix A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE CONFLITOS DE INTERESSE DO BANCO ESPIRITO SANTO NO ÂMBITO DAS ACTIVIDADES DE INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE CONFLITOS DE INTERESSE DO BANCO ESPIRITO SANTO NO ÂMBITO DAS ACTIVIDADES DE INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA POLÍTICA DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE CONFLITOS DE INTERESSE DO BANCO ESPIRITO SANTO NO ÂMBITO DAS ACTIVIDADES DE INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 1. Introdução O Banco Espírito Santo, S.A. (o Banco) desenvolve diversas

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL Cartão de Crédito Millennium bcp Gold MasterCard A. ELEMENTOS

Leia mais

2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) (ÍNDICE)

2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) (ÍNDICE) 2.1. Crédito à habitação e s conexos Crédito Habitação Valor Anual iniciais 1. Comissão de Dossier 260,00 2. Comissão de Formalização Contratual Modalidade de Estrangeiros não Residentes Em % Euros (Mín/Máx)

Leia mais

GUIA PARA O ESTUDANTE ERASMUS MOBILIDADE DE ESTUDOS

GUIA PARA O ESTUDANTE ERASMUS MOBILIDADE DE ESTUDOS GUIA PARA O ESTUDANTE ERASMUS MOBILIDADE DE ESTUDOS Atualizado a 01 de fevereiro de 2016 Página 1 PARTE A) PREPARAÇÃO DA MOBILIDADE - ANTES DE IR 1. Escolha da Instituição de Ensino Superior (IES) e período

Leia mais

VERSÃO XXXX com resoluções NOME: Nº ALUNO: CURSO:

VERSÃO XXXX com resoluções NOME: Nº ALUNO: CURSO: VERSÃO XXXX com resoluções NOME: Nº ALUNO: CURSO: Instituto Superior Técnico -DEG ALAMEDA LEMat, LEAmb, LMAC, LET, LEGM, MEC, MEBiol, MEQ, LEAN, MEAer, MEMec, MEBiom, MEFT Ano Lectivo 2007/2008 2º Semestre

Leia mais

INTEGRA Regulamento. Artigo1º. Âmbito e objecto

INTEGRA Regulamento. Artigo1º. Âmbito e objecto INTEGRA Regulamento Artigo1º Âmbito e objecto 1. A Ciência Viva Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica lança o Programa Inclusão pela Ciência, doravante designado por INTEGRA. 2. As iniciativas

Leia mais

FOLHA DE APOIO AO PREENCHIMENTO DOS DOCUMENTOS QUE CONSTITUEM O PEDIDO DE PAGAMENTO

FOLHA DE APOIO AO PREENCHIMENTO DOS DOCUMENTOS QUE CONSTITUEM O PEDIDO DE PAGAMENTO FOLHA DE APOIO AO PREENCHIMENTO DOS DOCUMENTOS QUE CONSTITUEM O PEDIDO DE PAGAMENTO 1 Apoio ao preenchimento do Relatório Final de Operação (RFO)... 2 1.1 Identificação da Candidatura:... 2 1.2 Identificação

Leia mais

Visita a Portugal do importador Skosiden

Visita a Portugal do importador Skosiden Visita a Portugal do importador Skosiden Calçado Dinamarca 6 e 7 de Maio de 2013 Enquadramento Portugal é o 2º fornecedor de calçado à Dinamarca para onde exporta anualmente cerca de 40 milhões de euros.

Leia mais

Jornal Oficial das Comunidades Europeias

Jornal Oficial das Comunidades Europeias 3.3.2001 PT Jornal Oficial das Comunidades Europeias L 63/21 REGULAMENTO (CE) N. o 438/2001 DA COMISSÃO de 2 de Março de 2001 que estabelece as regras de execução do Regulamento (CE) n. o 1260/1999 do

Leia mais

Reguengos. '''Monsaraz CIDADE EUROPEIA DO VINHO CONVITE

Reguengos. '''Monsaraz CIDADE EUROPEIA DO VINHO CONVITE '''Monsaraz CIDADE EUROPEIA DO VINHO CONVITE Aquisição de Mesas e Estruturas para Bar para Eventos no âmbito da Cidade Europeia do Vinho Monsaraz f'i [i:>('ij)!'!1j. L>J,:1r,J1... r~, AJUSTE DIRECTO (Regime

Leia mais

FOLHA DE APOIO AO PREENCHIMENTO DOS DOCUMENTOS QUE CONSTITUEM O PEDIDO DE PAGAMENTO

FOLHA DE APOIO AO PREENCHIMENTO DOS DOCUMENTOS QUE CONSTITUEM O PEDIDO DE PAGAMENTO FOLHA DE APOIO AO PREENCHIMENTO DOS DOCUMENTOS QUE CONSTITUEM O PEDIDO DE PAGAMENTO 1 Apoio ao preenchimento do Relatório Final de Operação (RFO)... 2 1.1 Identificação da Candidatura:... 2 1.2 Identificação

Leia mais

Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS

Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS 2014 Enquadramento A Fundação Calouste Gulbenkian (Fundação), através de concurso, vai conceder apoio à organização

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC)

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 01/SIAC/2009 SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) METODOLOGIA DE CÁLCULO DAS DESPESAS COM O PESSOAL TÉCNICO DO PROMOTOR E LIMITES À ELEGIBILIDADE DE DESPESAS Nos termos estabelecidos

Leia mais

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE INFRAESTRUTURAS DA AdCA PROGRAMA DE PROCEDIMENTO Página 1 de 11 ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA DIRECÇÃO-GERAL DA AGRICULTURA E DO DESENVOLVIMENTO RURAL

COMISSÃO EUROPEIA DIRECÇÃO-GERAL DA AGRICULTURA E DO DESENVOLVIMENTO RURAL COMISSÃO EUROPEIA DIRECÇÃO-GERAL DA AGRICULTURA E DO DESENVOLVIMENTO RURAL Direcção K Relações Institucionais, Comunicação e Documentação K.1. Comunicação interna e externa Pedido de subvenção no âmbito

Leia mais

ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Sétima Secção) 28 de Julho de 2011 (*)

ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Sétima Secção) 28 de Julho de 2011 (*) Decisão copiada em 2 de agosto de 2011 do endereço: http://curia.europa.eu/jurisp/cgi-bin/form.pl? lang=pt&jurcdj=jurcdj&newform=newform&docj=docj&docop=docop&docnoj=docnoj&typeord=alltyp&numaff=&ddatefs=26&mda

Leia mais

4 de Setembro 2012 Direito Fiscal

4 de Setembro 2012 Direito Fiscal Orçamento Rectificativo Lei n.º 20/2012, DE 14 DE MAIO No âmbito da iniciativa para o reforço da estabilidade financeira foi publicada, no passado dia 14 de Maio a Lei n.º 20/2012 (Lei 20/2012) que entrou

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS. Aquisição de serviços de formação comportamental e motivação de equipas espap

CADERNO DE ENCARGOS. Aquisição de serviços de formação comportamental e motivação de equipas espap CADERNO DE ENCARGOS Aquisição de serviços de formação comportamental e motivação de equipas espap ÍNDICE CLÁUSULAS JURÍDICAS... 3 Cláusula 1.ª Objeto... 3 Cláusula 2.ª Local da prestação de serviços...

Leia mais

DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO MANUAL DE UTILIZADOR. Declarações de Confirmação de Cabimento Orçamental

DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO MANUAL DE UTILIZADOR. Declarações de Confirmação de Cabimento Orçamental DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO MANUAL DE UTILIZADOR Declarações de Confirmação de Cabimento Orçamental Fevereiro de 2012 Índice 1. Enquadramento... 3 2. Descrição do processo... 3 3. Registo do Pedido...

Leia mais

Formulário de Candidatura

Formulário de Candidatura Formulário de Candidatura Finicia do Concelho de Vila Nova de Cerveira (a preencher pela XXX) N.º de Processo: Data de Entrada : (a preencher pela entidade receptora) Entidade Receptora : Local e data

Leia mais

SATAPOCAL - FICHA DE APOIO TÉCNICO Nº 2/2008/RC (Revisão de FAT 7/2003/RC)

SATAPOCAL - FICHA DE APOIO TÉCNICO Nº 2/2008/RC (Revisão de FAT 7/2003/RC) 1. QUESTÃO E SUA RESOLUÇÃO 1.1. QUESTÃO COLOCADA Que registos contabilísticos deve efectuar um município, relativamente à contracção de empréstimos de e ao seu pagamento junto das instituições de crédito?

Leia mais

PROPOSTA PARA LOCAÇÃO ou AQUISIÇÃO DE BENS e/ou SERVIÇOS

PROPOSTA PARA LOCAÇÃO ou AQUISIÇÃO DE BENS e/ou SERVIÇOS Versão 2 30 de Agosto de 2012 Ficha de Abertura de Procedimento IST-ID Entrada A preencher pelo Núcleo de Compras e Aprovisionamento PP nº PD nº Procedimento nº Processo (s) nº PROPOSTA PARA LOCAÇÃO ou

Leia mais

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: Art. 12º; D. L. 21/2007. Assunto:

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: Art. 12º; D. L. 21/2007. Assunto: FICHA DOUTRINÁRIA Diploma: Artigo: Assunto: CIVA Art. 12º; D. L. 21/2007. Renuncia à Isenção Operações Imobiliárias - Leasing imobiliário. Processo: nº 655, por despacho do Director Geral dos Impostos,

Leia mais

Requerimento para o financiamento de um curso de línguas Programa "The Job of my Life" Apelido. Nome. Data de nascimento Nacionalidade.

Requerimento para o financiamento de um curso de línguas Programa The Job of my Life Apelido. Nome. Data de nascimento Nacionalidade. Trabalhadores Marque a respectiva opção ou preencha! Data de entrada: Número do cliente: Dia do requerimento: Requerimento para o financiamento de um curso de línguas Programa "The Job of my Life" Por

Leia mais

Notas sobre o formulário de pedido de declaração de nulidade de desenho ou modelo comunitário registado

Notas sobre o formulário de pedido de declaração de nulidade de desenho ou modelo comunitário registado INSTITUTO DE HARMONIZAÇÃO NO MERCADO INTERNO (IHMI) Marcas, Desenhos e Modelos Notas sobre o formulário de pedido de declaração de nulidade de desenho ou modelo comunitário registado 1. Observações gerais

Leia mais

NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO

NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO Consideram-se no presente documento os procedimentos a observar, quer pela entidade proponente (ONGD), quer pela entidade cofinanciadora (Camões, I.P.)

Leia mais

Anexo 1 FUNDAÇÃO MACAU. Regulamento de Atribuição da. Bolsa para Estudos sobre Macau. Artigo 1.º. Objecto

Anexo 1 FUNDAÇÃO MACAU. Regulamento de Atribuição da. Bolsa para Estudos sobre Macau. Artigo 1.º. Objecto Anexo 1 FUNDAÇÃO MACAU Regulamento de Atribuição da Bolsa para Estudos sobre Macau Artigo 1.º Objecto O presente Regulamento define as regras de atribuição da Bolsa para Estudos sobre Macau, adiante designada

Leia mais

Regulamento para atribuição do Fundo de Reestruturação

Regulamento para atribuição do Fundo de Reestruturação Regulamento para atribuição do Fundo de Reestruturação Nos termos das alíneas c), d) e e) do n.º 2 do artigo 3.º do Decreto- lei n.º 55/2013, de 17 de Abril, que aprova a lei orgânica da Fundação para

Leia mais

Exame de Economia. de zero a esta. questão.

Exame de Economia. de zero a esta. questão. Provas de Acesso ao Ensino Superiorr Para Maiores de 23 Anos Candidatura de 2011 Exame de Economia Tempo para realização da prova: 2 horas Tolerância: 30 minutos Material admitido: O examinando apenas

Leia mais

Manual de Instruções Formulário online

Manual de Instruções Formulário online Lista de Técnicos com Formação Regulamentada em Protecção Integrada, Produção Integrada e Modo de Protecção Biológico Manual de Instruções Formulário online O Formulário de Inscrição apresenta 2 etapas

Leia mais

MUNICIPIO DE MESÃO FRIO

MUNICIPIO DE MESÃO FRIO MUNICIPIO DE MESÃO FRIO REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROGRAMA SOCIAL DE APOIO À HABITAÇÃO DO MUNICIPIO DE MESÃO FRIO A, em conformidade com as atribuições e competências consignadas aos Municípios, nomeadamente

Leia mais

Notas sobre o formulário de pedido de transformação de um registo internacional (RI) que designe a Comunidade Europeia (CE)

Notas sobre o formulário de pedido de transformação de um registo internacional (RI) que designe a Comunidade Europeia (CE) INSTITUTO DE HARMONIZAÇÃO NO MERCADO INTERNO (IHMI) Marcas, Desenhos e Modelos Notas sobre o formulário de pedido de transformação de um registo internacional (RI) que designe a Comunidade Europeia (CE)

Leia mais

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA SOCIEDADE PONTO VERDE

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA SOCIEDADE PONTO VERDE GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA SOCIEDADE PONTO VERDE Versão: 1.0 Data: 05-06-2009 Índice Acesso e estados dos Formulários... 3 Escolha do Formulário e submissão... 4 Bases para

Leia mais

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA À OPERAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA INFORMÁTICO

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA À OPERAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA INFORMÁTICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA À OPERAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA INFORMÁTICO DEPARTAMENTO TECNICO OUTSOURCING Rua da Eira, nº18 Letra I e J Algés de Cima 1495-050 Algés Portugal Tel.:

Leia mais

GUIA PRÁTICO PESSOA SINGULAR ALTERAÇÃO DE DADOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PESSOA SINGULAR ALTERAÇÃO DE DADOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PESSOA SINGULAR ALTERAÇÃO DE DADOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pessoa Singular Alteração de Dados (1006 v4.27) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social,

Leia mais

INQUÉRITO PARLAMENTAR N.º 1/XI. Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar à actuação do Governo. em relação à Fundação para as Comunicações Móveis

INQUÉRITO PARLAMENTAR N.º 1/XI. Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar à actuação do Governo. em relação à Fundação para as Comunicações Móveis INQUÉRITO PARLAMENTAR N.º 1/XI Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar à actuação do Governo em relação à Fundação para as Comunicações Móveis A FCM Fundação para as Comunicações Móveis, é uma fundação

Leia mais

SUPERVISÃO Supervisão Comportamental

SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ANEXO À INSTRUÇÃO N.º 12/2013 - (BO N.º 6, 17.06.2013) Temas SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ANEXO II FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO

Leia mais

Bélgica-Bruxelas: Programa de informação e empresarial da UE em Hong Kong e Macau 2014/S 032-050737. Anúncio de concurso. Serviços

Bélgica-Bruxelas: Programa de informação e empresarial da UE em Hong Kong e Macau 2014/S 032-050737. Anúncio de concurso. Serviços 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:50737-2014:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Programa de informação e empresarial da UE em Hong Kong e Macau 2014/S 032-050737

Leia mais

Linhas de Apoio ao Investimento. e à Exportação. Millennium bcp

Linhas de Apoio ao Investimento. e à Exportação. Millennium bcp Linhas de Apoio ao Investimento e à Exportação Millennium bcp Junho 2010 1 Linha PME Investe VI Junho 2010 2 I. Principais Características (preliminares) Linha Geral 900 Milhões de euros Linha das Micro

Leia mais

Entre a 18/12/2015. Ajuste Direto N.º 06/14/GJ/AE/APP de localização de serviços públicos CONTRATO N.º 187/15 -AMA ADENDA AO Contrato n.

Entre a 18/12/2015. Ajuste Direto N.º 06/14/GJ/AE/APP de localização de serviços públicos CONTRATO N.º 187/15 -AMA ADENDA AO Contrato n. Adenda ao contrato n.º 21/14-GJ referente a prestação de serviços de desenvolvimento de uma aplicação para localização de serviços públicos e informação de filas de espera nas lojas do cidadão Entre a

Leia mais

Alemanha-Francoforte no Meno: BCE - T141 Plataformas de elevação 2014/S 173-305766. Anúncio de concurso. Fornecimentos

Alemanha-Francoforte no Meno: BCE - T141 Plataformas de elevação 2014/S 173-305766. Anúncio de concurso. Fornecimentos 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:305766-2014:text:pt:html Alemanha-Francoforte no Meno: BCE - T141 Plataformas de elevação 2014/S 173-305766 Anúncio de

Leia mais

Registro de Retenções Tributárias e Pagamentos

Registro de Retenções Tributárias e Pagamentos SISTEMA DE GESTÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS (SiGPC) CONTAS ONLINE Registro de Retenções Tributárias e Pagamentos Atualização: 20/12/2012 A necessidade de registrar despesas em que há retenção tributária é

Leia mais

SiAPV MANUAL DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SUPORTE DO PEDIDO DE PAGAMENTO. SiAPV

SiAPV MANUAL DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SUPORTE DO PEDIDO DE PAGAMENTO. SiAPV SiAPV MANUAL DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SUPORTE DO PEDIDO DE PAGAMENTO SISTEMA DE APOIO À PROMOÇÃO DE VINHOS EM MERCADOS DE PAÍSES TERCEIROS SiAPV MAIO 2015 1.ª EDIÇÃO 1 INTRODUÇÃO Este manual destina-se

Leia mais

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor do Folheto das Comissões

Leia mais

PROGRAMA DO PROCEDIMENTO

PROGRAMA DO PROCEDIMENTO CONCESSÃO DO DIREITO DE EXPLORAÇÃO DE LOJA NA PROMENADE DO LIDO LOJA 2- COTA 16,50 PROGRAMA DO PROCEDIMENTO Página 1 de 19 Índice Artigo 1º Objeto do concurso --------------------------------------------------------------

Leia mais

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO MUSEU DACIÊNCIA

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO MUSEU DACIÊNCIA ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO MUSEU DACIÊNCIA CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Denominação e natureza A Fundação Museu da Ciência, adiante designada por Fundação, é uma pessoa colectiva de direito privado,

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE VILA DO PORTO

JUNTA DE FREGUESIA DE VILA DO PORTO ANEXO II Formulário de candidatura a Contrato-Programa A preencher pela Junta de Freguesia DATA DE ENTRADA / / A preencher pela Junta de Freguesia DELIBERAÇÃO DA JUNTA: APROVADO NÃO APROVADO DATA / / ASSINATURA

Leia mais

CONCURSOS DE 2013: Acesso das ONG aos apoios do Programa

CONCURSOS DE 2013: Acesso das ONG aos apoios do Programa CONCURSOS DE 2013: Acesso das ONG aos apoios do Programa FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN Nuno Venade* Lisboa, 22 de março de 2013 Índice 1 2 3 4 5 6 Introdução Concursos Candidaturas Admissibilidade Seleção

Leia mais

Mediação Intercultural no atendimento em Serviços Públicos. Convite à Apresentação de Propostas REGULAMENTO

Mediação Intercultural no atendimento em Serviços Públicos. Convite à Apresentação de Propostas REGULAMENTO Mediação Intercultural no atendimento em Serviços Públicos Convite à Apresentação de Propostas Participação em projecto-piloto conjunto coordenado pelo ACIDI, I.P. REGULAMENTO O presente convite surge

Leia mais

CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL PRÉ-APROVADO

CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL PRÉ-APROVADO CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL PRÉ-APROVADO Por este instrumento e na melhor forma de direito, a COOPERATIVA, doravante designada simplesmente COOPERATIVA, neste ato devidamente representada na forma de seu

Leia mais

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,29

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,29 ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 1. Informar o lucro líquido do exercício. (R$) 864.940.364,29 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos,

Leia mais

Matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa Banco de Portugal (Rua do Ouro, 27, Lisboa)

Matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa Banco de Portugal (Rua do Ouro, 27, Lisboa) FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição

Leia mais

As novas regras de tributação de rendimentos de capitais, mais-valias e de tributação do património

As novas regras de tributação de rendimentos de capitais, mais-valias e de tributação do património As novas regras de tributação de rendimentos de capitais, mais-valias e de tributação do património Foi hoje publicada a Lei n.º 55-A/2012, de 29 de Outubro, a qual vem agravar a tributação dos rendimentos

Leia mais

FUNEPU Demonstrações Contábeis 2009. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

FUNEPU Demonstrações Contábeis 2009. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS em 31 de dezembro de 2009 acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes 1 FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA DE UBERABA - FUNEPU CNPJ 20.054.326/0001-09 BALANÇO PATRIMONIAL PARA

Leia mais

Atributos da Proposta Gás Natural

Atributos da Proposta Gás Natural Atributos da Proposta Gás Natural António José da Silva Coutinho, portador do cartão de cidadão nº. 08419828, com domicílio profissional na Rua Castilho, 165, 4º, 1070-050 Lisboa, na qualidade de representante

Leia mais

GUIA FISCAL ASSOCIATIVO 2012 GAMA Gabinete de Apoio ao Movimento Associativo Câmara Municipal de Vila Franca de Xira

GUIA FISCAL ASSOCIATIVO 2012 GAMA Gabinete de Apoio ao Movimento Associativo Câmara Municipal de Vila Franca de Xira Este Guia Fiscal tem como objectivo possibilitar aos dirigentes associativos e a outros agentes ligados à problemática fiscal das colectividades de cultura, recreio e desporto, o conhecimento do enquadramento

Leia mais

A entidade promotora deste acto é o Município de Fafe, com sede na Av. 5 de Outubro

A entidade promotora deste acto é o Município de Fafe, com sede na Av. 5 de Outubro REGULAMENTO DA HASTA PÚBLICA CONCESSÃO DO DIREITO DE SUPERFÍCIE DE UM LOTE DE TERRENO DESTINADO Á INSTALAÇÃO DE UM POSTO DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEIS, NA ZONA INDUSTRIAL DO SOCORRO. 1 - OBJECTO DA

Leia mais

Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação ADEI Rede Nacional de Incubadoras de Inovação RENI

Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação ADEI Rede Nacional de Incubadoras de Inovação RENI Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação ADEI Rede Nacional de Incubadoras de Inovação RENI TERMOS DE REFERÊNCIA Contratação de uma empresa para a condução de uma auditoria financeira e operacional

Leia mais