Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "www.estrategiaconcursos.com.br"

Transcrição

1 PORTUGUÊS Atenção: As questões de números 1 a 5 referem-se ao texto que segue. O cipreste inclina-se em fina reverência e as margaridas estremecem, sobressaltadas. A grande amendoeira consente que balancem suas largas folhas transparentes ao sol. Misturam-se uns aos outros, rápidos e frágeis, os longos fios da relva, lustrosos, lisos fios verdes. Frondes rendadas de acácias palpitam inquietamente com o mesmo tremor das samambaias debruçadas nos vasos. Fremem os bambus sem sossego, num insistente ritmo breve. O vento é o mesmo: mas sua resposta é diferente em cada folha. Somente a árvore seca fica imóvel, entre borboletas e pássaros. Como a escada e as colunas de pedra, ela pertence agora a outro reino. Seu movimento secou também, num desenho inerte. Jaz perfeita, em sua escultura de cinza densa. O vento que percorre o jardim pode subir e descer por seus galhos inúmeros: ela não responderá mais nada, hirta e surda, naquele verde mundo sussurrante. (Cecília Meireles. O Vento) 1. O cipreste e a margarida se contrastam respectivamente pela: grandeza e altura. fortaleza e fragilidade. formosura e agressividade. leveza e espessura. educação e receio. 2. Em relação à natureza descrita pela autora, pode-se dizer que a primeira e segunda partes do texto sugerem, respectivamente, a um pintor: atividade dinâmica e a beleza da vida. suaves movimentos leves e atividade agitada. inércia como as coisas mortas e a dinâmica da vida. estado natural e dinâmica da flora. atividade agitada e natureza morta. 3. "...sua resposta é diferente, em cada folha", isto porque: o vento assopra mais de um lado. há folhas que não reagem à ação do vento. as folhas possuem uma natural defesa contra vendavais. cada uma delas reage de acordo com a sua constituição. as coisas são como nós queremos que elas sejam. 4. "O verde sussurrante" de que fala Cecília Meireles se aplica ao vivo mundo vegetal. ao solo fértil. aos pássaros barulhentos. ao vento impiedoso e destruidor. aos galhos das árvores. 5. A autora desenvolve o tema do texto em três elementos distintos apresentados pela ordem: inércia, movimento, ação. movimento, inércia, ação. movimento, ação, inércia. ação, inércia, movimento. ação, movimento, inércia. 6. Assinale a frase corretamente redigida. Devem haver soluções para o problema. O lugar onde nasci está deserto. Esqueci o número do ônibus o qual viajo sempre. Na classe há menas moças que rapazes. Vão fazer dez anos que não a vejo. 7. Assinale a opção em que os significados do verbo não acompanham as suas regências: querer o livro (= desejá-lo) / querer aos pais (=estimá-los) visar o documento (= pôr o visto) / visar ao lugar (= tê-lo em vista) aspirar o ar (=desejá-lo) / aspirar ao poder (= absorvê-lo) assistir ao doente (= prestar-lhe socorro) / assistir ao filme (= vê-lo) sua argumentação procede (= ter fundamento) / proceder aos exames (= dar andamento) 8. Assinale a alternativa que preencha corretamente as lacunas do período abaixo. "Posso informar senhores ninguém, na reunião, ousou aludir tão delicado assunto. aos - de que - o aos - de que - ao aos - que - à os - que - à os - de que - a 2 Prefeitura Municipal de Piedade / 214 Auxiliar de Professor de Educação Infantil (0 a 6 anos)

2 9. "O que estava no fundo do poço respondeu..." O termo grifado no período acima tem o valor de: artigo. pronome oblíquo. pronome demonstrativo. pronome relativo. interjeição. 10. Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas do período abaixo. "Eu já conhecia fazenda, por isso fui cidade uma hora da tarde." a - à - à a - a - a à - a - a à - à - a à - à - à 11. Observe a concordância verbal nos períodos abaixo. I. Fazem dois meses que não chove. II. Da minha casa até a de Anacleto é cinco quadras. III. Falta dois minutos para começar a partida. IV. A pátria não é ninguém: são todos. 13. Escolha a alternativa em que todas as palavras estão grafadas corretamente. paralisar, derrepente, extrangeiro, mixto, pesquisar previlégio, adolescente, expontâneo, pesquizar, misto privilégio, exceção, excesso, espontâneo, pesquisar disciplina, chineza, chalé, quiz, jeito atrazo, flexa, bruxa, broche, depressa 14. Assinale a alternativa onde há ERRO de concordância (nominal/verbal). Preferia brincar do que trabalhar. É proibida a entrada de pessoas estranhas. Seguem anexos os documentos. A carteira era meio velha. Encontrei muitos papéis e folhas rabiscados. 15. Assinale a alternativa que forma corretamente o plural dos vocábulos abaixo. chapéu balãozinho mal cidadão chapéis balãozinhos males cidadões chapéus balãezinhos males cidadãos chapéis balõezinhos males cidadãos chapéus balõezinhos males cidadãos chapéus balõezinhos males cidadões Dos períodos apresentados acima, SOMENTE: I, II e III, estão corretas. I e II, estão corretas. I e IV, estão corretas. II e III, estão corretas. IV, está correta. 12. Escolha a alternativa que MELHOR completa as lacunas das frases abaixo. I. O livro gosto está esgotado. II. A índia percorria a floresta nascera. III. Aquele é o médico me referi. IV. Há plantas folhas cortam. que - que - de quem - que de que - em que - a quem - cujas que- em que - de quem - cuja de que - que - quem - que de que - em que - por que - cujas O texto a seguir refere-se às questões de 16 a 18. O velho poeta Um dia o meu cavalo voltará sozinho E assumindo Sem saber A minha própria imagem e semelhança Ele virá ler Como sempre Neste mesmo café O nosso jornal de cada dia - inteiramente alheio ao murmurar das gentes... Quintana, Mário. Baú de espantos. Rio de Janeiro, Ed. Globo, p Levando-se em consideração o texto do poema de Mário Quintana, pode-se afirmar que a linguagem empregada pelo poeta aborda nas entrelinhas o tema do amor, que o poeta procurou encobrir com termos ambíguos. é bastante subjetiva, o que permite várias interpretações, das mais amplas às mais estritas. narra uma das tardes vividas pelo poeta na cidade de Porto Alegre, que ele tanto amava. aborda claramente o tema da morte, não admitindo outra interpretação. é bastante objetiva e explicita de modo claro as intenções do poeta. Prefeitura Municipal de Piedade / 214 Auxiliar de Professor de Educação Infantil (0 a 6 anos) 3

3 17. No texto em destaque, a palavra cavalo tem exatamente o mesmo significado registrado pelos dicionários. é empregada em sentido conotativo, sendo antônimo do próprio poeta. é empregada em sentido denotativo, sendo sinônimo do próprio poeta. é empregada em sentido figurado, o que permite inferir vários sentidos. não tem registro nos dicionários de língua portuguesa. 18. No texto, o emprego dos verbos pelo poeta permite afirmar que predominam verbos de ação, que dão ao poema feições de narração. predominam os verbos de ligação, que enfatizam atributos dos sujeitos das orações. a predominância de verbos de estado confere ao poema feições descritivas. a predominância de verbos no imperativo dota o poema de características ambíguas. predominam formas subjuntivas, que dão ao poema feições dissertativas. 19. Assinale a alternativa que não apresenta erro de pontuação: O domínio da norma culta do português possibilita um acesso amplo ao patrimônio cultural do Brasil. Ignorar a norma culta, é privar-se de um instrumento essencial da cidadania brasileira. A linguagem, informal é perfeitamente, aceitável em situações familiares. Respeitar a forma de falar das pessoas, é respeitar, sua identidade e sua, individualidade. Desconhecer, as particularidades, regionais, do português não deixa de ser, uma forma de pobreza. CONHECIMENTOS GERAIS 20. (www.piedade.sp.gov.br) Bolos, diversos tipos de salgados e refrigerante natural. Um banquete preparado pela turma de formandos para o encerramento do curso Padaria Artesanal e Oficina Culinária, no dia 16 de novembro.. A turma de formandos do curso era do bairro Centro. Bateia de Baixo. Paruru. Vila Élvio. Pires. 21. (www.piedade.sp.gov.br - adaptado) Do interior de São Paulo sai quase toda a produção dessa hortaliça que, além de nutritiva e saborosa, tem qualidades medicinais.do sítio dos irmãos Cheno saem anualmente mais de 600 mil a 1 milhão de unidades, que normalmente são consumidas no próprio estado de São Paulo. A região onde se localiza o sítio dos Cheno oferece as condições climáticas que a planta gosta: temperaturas amenas, sem invernos rigorosos. Por isso mesmo, Piedade e os municípios vizinhos representam o pólo mais importante de produção dessa flor-alimento no país. A notícia refere-se à produção de brócolis. couve-de-bruxelas. castanhas. alcachofra. tamarindo. 22. (www.piedade.sp.gov.br - adaptado) O projeto surgiu com o objetivo de desenvolver o hábito da leitura e promover um momento de integração entre pais e filhos, no qual a leitura de um livro no quarto, antes de a criança dormir, resgatasse instantes prazerosos e raros na rotina das famílias do século XXI. A notícia refere-se ao projeto Hora de dormir, hora de ler. Leitura dos Sonhos. Leitura à Beira da Cama. Hora da Leitura. Ler e Sonhar. 23. (Música 30/11/2006) Ícone do grunge, a música "Smells Like Teen Spirit" continua fazendo sucesso 15 anos após estourar nas paradas musicais. A faixa foi eleita a melhor música dos últimos 20 anos em um ranking publicado pela revista britânica "Q". A composição está no disco "Nevermind". A banda de Kurt Cobain, Krist Novoselic e Dave Grohl bateu outros nomes do rock, como Guns N' Roses, U2, Oasis, The White Stripes e Arctic Monkeys, e artistas de outros estilos, entre eles Outkast, Massive Attack, Gnarls Barkley, Eminem e Madonna. A música eleita a melhor dos últimos 20 anos é da Banda Pearl Jam. Nirvana. Queen. The Calling. Creed. 4 Prefeitura Municipal de Piedade / 214 Auxiliar de Professor de Educação Infantil (0 a 6 anos)

4 24. (05/12/2006 Folha de São Paulo) A filha mais velha do exditador afirmou, hoje, que seu pai não pedirá perdão pelas violações aos direitos humanos atribuídas a seu regime (1973 e 1990): Meu pai acha que pedir perdão é uma coisa política e ele não vai fazer isso. O ex-ditador Augusto Pinochet, assumiu sua responsabilidade em uma carta pública lida por sua esposa em 25 de novembro passado, quando completou 91 anos. Hoje, perto do final de meus dias, quero manifestar que não guardo rancor de ninguém e amo minha pátria acima de tudo e assumo a responsabilidade política de tudo que fiz. A pátria do ex-ditador é o(a): Equador. Bolívia. Argentina Chile. Paraguai. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 25. A aprendizagem é fator preponderante para o desenvolvimento quando o aluno decifra textos. copia a realidade. pensa de uma forma mais elaborada. se aproxima das pessoas. cria vínculo com o professor. 26. A aprendizagem escolar consiste em adquirir os conhecimentos relevantes de uma cultura. obedecer de forma acrítica as determinações da direção e dos professores. proceder em sua atuação, de acordo com os moldes da escola. memorizar, na íntegra, os conhecimentos do professor. somente ter boas maneiras. 27. De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente, a prestação de serviços à comunidade consiste em realização de tarefas gratuitas de interesse geral, por período excedente a seis meses. realização de tarefas remuneradas (salário mínimo) de interesse geral, por período de doze meses. realização de tarefas gratuitas de interesse geral, por período não excedente a seis meses. realização de tarefas remuneradas (meio salário mínimo) de interesse particular, por período de doze meses. realização de tarefas gratuitas de interesse particular, por período de seis meses. 28. A indisciplina na sala de aula acontece somente nas classes menos privilegiadas. somente nas escolas particulares. independentemente da classe social ou estabelecimento de ensino. somente no ensino fundamental. somente quando o professor não domina o conteúdo. 29. "A educação, direito de todos e dever e da família, será e incentivada com a colaboração da, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o ". Assinale a alternativa que completa, corretamente, as lacunas apresentadas na frase. do Estado / promovida / sociedade / trabalho do Município / cultivada / União / trabalho do Estado / elaborada / União / magistério da União / promovida / escola / trabalho do Estado / obrigatória / sociedade / trabalho 30. Os Parâmetros Curriculares Nacionais propõem uma mudança de enfoque em relação aos conteúdos curriculares, ou seja: I. Ao invés de o ensino em que o conteúdo seja visto como um fim em si mesmo, o que se propõe é um ensino em que o conteúdo seja visto como meio, para que os alunos desenvolvam as capacidades que lhes permitam produzir e usufruir dos bens culturais, sociais e econômicos. II. É preciso analisar os conteúdos referentes a procedimentos não do ponto de vista de uma aprendizagem mecânica, mas a partir do propósito fundamental da educação, que é fazer com que os alunos construam instrumentos para analisar, por si mesmos, os resultados que obtêm e os processos que colocam em ação para atingir as metas a que se propõem. III. É preciso que o aluno aprenda a pesquisar em mais de uma fonte, registrar o que for relevante, relacionar as informações obtidas para produzir um texto de pesquisa. Das proposições acima, somente I está correta. somente II está correta. somente I e II estão corretas. somente III está correta. I, II e III estão corretas. Prefeitura Municipal de Piedade / 214 Auxiliar de Professor de Educação Infantil (0 a 6 anos) 5

5 31. De acordo com os PCN's, para a aprendizagem de atitudes é necessário: memória, concentração e boa vontade em qualquer circunstância e situação. memória, concentração e boa vontade em algumas situações. somente bom relacionamento com os professores. gostar da escola e dos alunos com quem estuda. prática constante, coerente e sistemática, em que valores e atitudes almejados sejam expressos no relacionamento entre as pessoas e na escolha dos assuntos a serem tratados. 32. Uma nova pedagogia de Educação Infantil voltada para crianças de 0-6 anos, segundo a legislação educacional brasileira, pós-1988, caracteriza-se por ser escolarizante (centrada na professora, alfabetizante, seriada, com matérias/disciplinas, etc). assistencialista; a criança nessa faixa etária necessita de cuidados. higienista e maternal. adultocêntrica. o cuidar e o educar. 33. Luiza leciona para o pré (crianças de 6 anos) em uma escola de educação infantil. Pediu para seus alunos escolherem um livro de histórias. Contou-lhes e depois pediu para que a dramatizassem, dividindo papéis para cada aluno. Após a dramatização, Luiza escreveu na lousa todas as palavras já conhecidas por sua classe, narradas na história. Com esta atividade, Luiza trabalhou, respectivamente, a linguagem escrita, a fantasia, a classificação e a seriação. a socialização, a imitação, a coordenação motora fina e a ordenação. a linguagem oral, a criatividade, a socialização e a linguagem escrita. a comparação, a diferenciação, a percepção visual e a seriação. a fantasia, a ordenação, a socialização e as operações formais. 34. Brincando de Faz-de-conta com crianças de 0-3 anos, a professora e o auxiliar organizam um jogo de esconder e aparecer. O desenvolvimento desse conteúdo auxilia a criança a construir sua auto-estima. construir sua autonomia, pois lhe garante o direito de escolha. construir a sua identidade. elaborar e vivenciar situação de ausência de uma pessoa ou objeto, aprendendo a controlar suas emoções, construindo sua auto-estima. elaborar a construção mental da imagem de um objeto ou pessoa ausente. 35. Brincadeira é uma linguagem infantil, é uma imitação transformada, no plano das emoções e idéias, de uma realidade anteriormente vivenciada. Deve-se incentivar e organizar a base estrutural da brincadeira na instituição infantil. Cabe ao auxiliar e ao professor, nessa intervenção intencional, permitir a brincadeira, mas não como uma atividade espontânea e imaginativa. oferecer material adequado e espaço estruturado, organizando situações para que as brincadeiras ocorram de maneira diversificada. apenas observar a brincadeira, sem criar as condições para que ela se realize. dirigir a brincadeira, sempre visando a aquisição, pela criança, de um novo conceito. não estabelecer o tempo para brincar e nem o espaço de brincar. 36. De acordo com a LDB (n.º 9394/96), a educação tem como objetivo fundamental desenvolver: o educando, assegurar-lhe a formação indispensável para o progresso no trabalho e nos estudos já realizados. o educando, assegurar-lhe a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhes meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores. a educação, assegurando-lhe a ampliação de elementos dispensáveis à formação da cidadania. o educador, assegurar-lhe a formação para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir na vida. a educação, facilitando o processo ensino/aprendizagem e assegurando a formação do cidadão apto para competir no mercado. 37. Pode-se considerar como objetivos gerais de um planejamento de Educação Infantil; como sendo um princípio orientador: atividades dirigidas para o maior número de resultados esperados. atividades orientadas previamente, através de currículos, para alcançarmos resultados afins. atividades elaboradas sem orientação prévia, para alcançarmos os resultados afins. atividades orientadas previamente, através de planejamento, para alcançarmos os resultados esperados. atividades elaboradas a longo prazo, através de currículos, para concluirmos eficazmente a avaliação. 6 Prefeitura Municipal de Piedade / 214 Auxiliar de Professor de Educação Infantil (0 a 6 anos)

6 38. Define-se como material didático: todos os recursos que auxiliam uma aprendizagem eficiente. todas as dependências da instituição escolar. todo e só o material existente na sala de aula. todos os elementos do livro didático. todos os recursos inseridos na vida do educando. 39. A lei nº Estatuto da Criança e do Adolescente, considera em seu Art. 2º respectivamente, criança e adolescente, a pessoa: até os 7 anos de idade incompletos, e entre 7 e 15 até os 10 anos de idade incompletos, e entre 10 e 18 até os 4 anos de idade incompletos, e entre 4 e 12 até 15 anos de idade incompletos, e entre 15 e 21 até 12 anos de idade incompletos, e entre 12 e 18 anos. 40. Analise o exemplo abaixo. Uma professora leciona para alunos de 4 anos. Mostra a figura de uma flor e pede a seus alunos que procurem todas as partes que formam o desenho e depois, que montem a flor. A professora está trabalhando especificamente a função memorização. ordenação e organização. análise-síntese. construção. orientação. 41. Segundo o ECA, em seu artigo 54, é dever do poder público assegurar: Ensino gratuito e obrigatório para o ensino fundamental, médio e superior. Creche para as crianças a partir dos quatro anos de idade. A abertura de escolas especiais para crianças emigradas de países latino-americanos. O recenseamento dos educandos no ensino fundamental, a feitura da chamada e zelar junto aos pais ou responsáveis pela freqüência. A extinção do trabalho adolescente para evitar a abertura das escolas no período noturno. 42. Para aprender alguma coisa é preciso já saber alguma coisa diz o modelo construtivista (WEISZ, T. O diálogo entre o ensino e a aprendizagem). A partir da frase, conclui-se que o construtivismo insiste na questão dos prérequisitos. não existe conhecimento gerado a partir do nada. o construtivismo maquia um ensino erudito e detalhado com uma máscara de inovação. a educação formal é dependente da educação informal. só existe conhecimento cumulativo e quantitativo. 43. No livro Os fazeres na Educação Infantil de M.C. Rosseti-Ferreira, ao analisar a creche Carochinha em Ribeirão Preto, como são vistos os educadores? São os profissionais formados em cursos específicos pedagógicos e que se reciclam constantemente. Todos os membros da creche são considerados parceiros da educação, com predominância para os profissionais formados em áreas pedagógicas. Todos os membros da creche, desde o pessoal da faxina, até o corpo técnico, são vistos como educadores. São os pilares da educação infantil, tendo predominância sobre o papel dos demais envolvidos no trabalho da creche. São os pedagogos e psicólogos que trabalham diretamente com a formação da criança. 44. Assinale a alternativa correta em relação à afirmação Pessoas são pessoas através de pessoas dita por R. Rossetti-Ferreira. A criança é reflexo do meio em que vive e com quem aprende. A educação depende de um ensinante para a criança aprendente. A sociedade se forma através do conjunto de transformações sociológicas ocorridas em seu interior. A criança é vista como protagonista; não um ser passivo que espera que a eduquem. O ser humano é um ser histórico e socialmente integrado a um ambiente, sendo, portanto, fruto do mesmo. 45. A inclusão escolar dos portadores de necessidades especiais é proposta na LDB, garantindo a matrícula destas crianças preferencialmente nas classes comuns do ensino regular e determina a existência, quando necessário, de serviços de apoio especializado. O artigo 58 da LDB Lei n. 9394/96, apresenta o entendimento da Educação Especial como uma classe especial. uma escola especial, exclusiva. um nível de ensino da Educação Básica. uma modalidade da educação escolar, ou seja, um modo diferente de organização do trabalho pedagógico, objetivando a inclusão com sucesso. uma etapa de acolhimento sem a preocupação com o desenvolvimento cognitivo, sobretudo para os portadores de necessidades mentais. Prefeitura Municipal de Piedade / 214 Auxiliar de Professor de Educação Infantil (0 a 6 anos) 7

7 46. No que concerne à organização do tempo, o Referencial Curricular Nacional apregoa que quanto às atividades permanentes, as crianças podem realizar individualmente algumas das ações. para que se construa a identidade e a aquisição de autonomia, deve-se levar em conta que há um tempo demandado. vários aspectos devem ser discutidos e projetos realizados. Entre eles, abordar a questão da diversidade étnica do povo brasileiro. para superar uma concepção tradicional ainda muito presente no cotidiano das instituições de educação infantil, é necessário que se repense o tempo e o espaço, retirando da rotina as atividades permanentes. é necessário criar projetos que fortaleçam o estabelecimento de rotinas o que garante um espaço organizado e um tempo bem dimensionado para todas as atividades. 47. De acordo com o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil é importante que os profissionais das instituições sejam capazes de ouvir, observar e aprender com as famílias e suas crianças. Estas habilidades são possibilitadas quando há promoção de comemorações festivas e danças típicas pois somente o respeito à diversidade leva ao desenvolvimento dessas habilidades. devem pressupor uma adesão incondicional aos valores dessas famílias propiciando apoio real e efetivo às crianças. podem ser adquiridas se os profissionais forem submetidos a cuidados psicológicos o que deve ser prática obrigatória nas instituições de ensino. podem ser adquiridas informalmente não sendo necessário estabelecer projetos para tal. contribuem para o estabelecimento de atitudes pautadas na ética e no acolhimento que tornam gratificantes e enriquecedoras as relações humanas. 48. Hoje, a maioria das crianças está vivendo sua infância nas instituições de educação infantil. São estes os espaços onde elas podem conviver com outras crianças, com pessoas mais velhas, com objetos socioculturais que lhes são ofertados para que sejam inseridos na sociedade atual. Neste contexto, a brincadeira se transforma em conteúdo de ensino. A brincadeira é uma atividade simultaneamente de ensino e de aprendizagem e é 49. A creche ou Centros de Educação Infantil, por atender um duplo direito, previsto na Constituição, à educação e dos trabalhadores que precisam compartilhar cuidados de seus filhos, presta seus serviços em período integral, assume assim a responsabilidade por um cuidado partilhado com os pais, e que precisa ser isento de riscos à integridade da criança. Surge a necessidade do planejamento de atitudes e procedimentos com foco tanto nas ações pedagógicas quanto de promoção ao crescimento e desenvolvimento saudável, em contexto coletivo. tanto nas ações pedagógicas quanto de promoção ao crescimento e desenvolvimento saudável, em contexto individual e doméstico. nas regras de convívio social, por exemplo ensinar a comer de acordo com a higiene e etiqueta social. na alimentação, saúde e higiene que devem orientar a organização das rotinas. nos cuidados com a saúde infantil, identificando os riscos à saúde e evitando-os. 50. As crianças menores de seis anos de idade ainda dependem de cuidados diretos prestados pelos professores. O cuidado cotidiano da saúde da criança é de competência da família e das instituições educativas, pois o cuidar está integrado ao educar. A partir das interações entre quem cuida e quem é cuidado constrói-se a identidade, a autonomia e a socialização, eixos do âmbito: Formação Pessoal e Social que constitui o Currículo da Educação Infantil (MEC 1998). Conhecimento de Mundo que constitui o Currículo da Educação Infantil (MEC 1998). Das competências das Unidades Básicas de Saúde do município. De uma escola promotora da Saúde, organizadas e gerenciadas pela Organização Mundial de Saúde. Das ações preventivas específicas de vigilância nutricional, das doenças transmissíveis e acidentais. um comportamento inato, transmitido geneticamente de geração em geração. uma linguagem que tem de ser ensinada, pois permite que as crianças se comuniquem com outras crianças, aprendam a interagir, a imaginar. um estorvo, sobretudo na escola, onde temos coisas mais importantes para fazer. um objetivo de ensino no que se refere à ação do professor. uma atividade lúdica desenvolvida espontaneamente pela criança quando não há proibições. 8 Prefeitura Municipal de Piedade / 214 Auxiliar de Professor de Educação Infantil (0 a 6 anos)

www.estrategiaconcursos.com.br

www.estrategiaconcursos.com.br PORTUGUÊS Atenção: As questões de números 1 a 5 referem-se ao texto que segue. O cipreste inclina-se em fina reverência e as margaridas estremecem, sobressaltadas. A grande amendoeira consente que balancem

Leia mais

********** É uma instituição destinada ao atendimento de crianças de 0 a 3 anos e faz parte da Educação Infantil. Integra as funções de cuidar e

********** É uma instituição destinada ao atendimento de crianças de 0 a 3 anos e faz parte da Educação Infantil. Integra as funções de cuidar e 1 CONCEPÇÃO DE CRECHE (0 A 3 ANOS): A Constituição Federal de 1988 assegura o reconhecimento do direito da criança a creche, garantindo a permanente atuação no campo educacional, deixando de ser meramente

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Alfabetização de Crianças O Professor Alfabetizador é o profissional responsável por planejar e implementar ações pedagógicas que propiciem,

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSORES SUBSTITUTOS EDITAL

PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSORES SUBSTITUTOS EDITAL EDUCAÇÃO INFANTIL 01) Tomando como base a bibliografia atual da área, assinale a alternativa que destaca CORRE- TAMENTE os principais eixos de trabalho articuladores do cotidiano pedagógico nas Instituições

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola

EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola Autora: CAMILA SOUZA VIEIRA Introdução A presente pesquisa tem como temática Educação física para Portadores

Leia mais

No final desse período, o discurso por uma sociedade moderna leva a elite a simpatizar com os movimentos da escola nova.

No final desse período, o discurso por uma sociedade moderna leva a elite a simpatizar com os movimentos da escola nova. 12. As concepções de educação infantil Conforme OLIVEIRA, a educação infantil no Brasil, historicamente, foi semelhante a outros países. No Séc. XIX tiveram iniciativas isoladas de proteção à infância

Leia mais

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem da Criança de 0 a 5 anos Docente do Curso Gilza Maria Zauhy Garms Total da Carga

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES. Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva

CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES. Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva 1 Conteúdo: Concepções Pedagógicas Conceitos de Educação; Pedagogia; Abordagens Pedagógicas: psicomotora, construtivista,

Leia mais

Quem faz a diferença? E.E.E.I. Olímpio Catão Sala 10 - Sessão 1

Quem faz a diferença? E.E.E.I. Olímpio Catão Sala 10 - Sessão 1 Quem faz a diferença? E.E.E.I. Olímpio Catão Sala 10 - Sessão 1 Professor(es) Apresentador(es): responsável: Simone da Silva de Paula corresponsável: Lucilene Fernandes Realização: Foco O Projeto Quem

Leia mais

PARECER Nº 717/05 APROVADO EM 22.08.05 PROCESSO Nº 34.087

PARECER Nº 717/05 APROVADO EM 22.08.05 PROCESSO Nº 34.087 PARECER Nº 717/05 APROVADO EM 22.08.05 PROCESSO Nº 34.087 Consulta oriunda da Gerência da Educação Básica da FIEMG com pedido de orientações de ordem prática para cumprimento da Lei Federal nº 11.114,

Leia mais

A CRIANÇA DE SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL

A CRIANÇA DE SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL A CRIANÇA DE SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Por que a criança de seis anos no ensino fundamental? Porque, pelo que entendi, em minha vida inteirinha, para umas coisas serei grande, para outras, pequenininha.

Leia mais

MATRÍCULA: 52862 DATA: 15/09/2013

MATRÍCULA: 52862 DATA: 15/09/2013 AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Administração Escolar DISCIPLINA: Educação Inclusiva ALUNO(A):Claudia Maria de Barros Fernandes Domingues MATRÍCULA: 52862 DATA: 15/09/2013 NÚCLEO REGIONAL: Rio

Leia mais

Núcleo de Educação Infantil Solarium

Núcleo de Educação Infantil Solarium 0 APRESENTAÇÃO A escola Solarium propõe um projeto de Educação Infantil diferenciado que não abre mão do espaço livre para a brincadeira onde a criança pode ser criança, em ambiente saudável e afetivo

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores A PROPOSTA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: OBSERVAÇÃO PARTICIPATIVA NO ESTÁGIO Monica Isabel

Leia mais

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G)

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) Resumo: Este artigo procurou abordar o ensino da matemática na Educação Infantil através de brincadeiras,

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FNDE PROINFÂNCIA BAHIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA FACULDADE DE EDUCAÇÃO - FACED DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

FUNDAMENTOS LEGAIS, PRINCÍPIOS E ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

FUNDAMENTOS LEGAIS, PRINCÍPIOS E ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL FUNDAMENTOS LEGAIS, PRINCÍPIOS E ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL I - Fundamentos legais A Constituição de 1988, inciso IV do artigo 208, afirma: O dever do Estado com a educação será efetivado

Leia mais

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias novembro/2011 página 1 CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Elba Siqueira de Sá Barretto: Os cursos de Pedagogia costumam ser muito genéricos e falta-lhes um

Leia mais

ESTUDAR E BRINCAR OU BRINCAR E ESTUDAR? ESTUDAR E BRINCAR OU BRINCAR E ESTUDAR?

ESTUDAR E BRINCAR OU BRINCAR E ESTUDAR? ESTUDAR E BRINCAR OU BRINCAR E ESTUDAR? ESTUDAR E BRINCAR OU BRINCAR E ESTUDAR? O que dizem as crianças sobre o brincar e a brincadeira no 1 ano do Ensino Fundamental? Resumo JAIRO GEBIEN - UNIVALI 1 Esta pesquisa visa investigar os momentos

Leia mais

PROVA DE EDUCAÇÃO INFANTIL E AUXILIAR DE EDUCAÇÃO

PROVA DE EDUCAÇÃO INFANTIL E AUXILIAR DE EDUCAÇÃO PROVA DE EDUCAÇÃO INFANTIL E AUXILIAR DE EDUCAÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA 1. Assinale a alternativa que contém a frase corretamente escrita com relação à concordância verbal. a) Atualmente somos nós que cuida

Leia mais

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Marília Darc Cardoso Cabral e Silva 1 Tatiane Pereira da Silva 2 RESUMO Sendo a arte uma forma do ser humano expressar seus sentimentos,

Leia mais

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO Texto:Ângela Maria Ribeiro Holanda ribeiroholanda@gmail.com ribeiroholanda@hotmail.com A educação é projeto, e, mais do que isto,

Leia mais

Ambientes Não Formais de Aprendizagem

Ambientes Não Formais de Aprendizagem Ambientes Não Formais de Aprendizagem Os Ambientes formais de aprendizagem desenvolvem-se em espaços próprios (escolas) com conteúdos e avaliação previamente determinados; Os Ambientes não formais de aprendizagem

Leia mais

As 11 dúvidas mais frequentes

As 11 dúvidas mais frequentes As 11 dúvidas mais frequentes Deyse Campos Assessora de Educação Infantil dcampos@positivo.com.br Frequentemente recebemos solicitações de professores de escolas que estão utilizando o Sistema Positivo

Leia mais

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias dezembro/2006 página 1 FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Bernardete Gatti: o país enfrenta uma grande crise na formação de seus professores em especial, de alfabetizadores.

Leia mais

Educação Integral, Escola de Tempo Integral e Aluno em Tempo Integral na Escola.

Educação Integral, Escola de Tempo Integral e Aluno em Tempo Integral na Escola. Educação Integral, Escola de Tempo Integral e Aluno em Tempo Integral na Escola. Chico Poli Algumas vezes, fora da escola há até mais formação do que na própria escola. (M. G. Arroyo) É preciso toda uma

Leia mais

Colégio Cor Jesu Brasília DF. Plano de Curso 2011. Educação Infantil III

Colégio Cor Jesu Brasília DF. Plano de Curso 2011. Educação Infantil III Colégio Cor Jesu Brasília DF Plano de Curso 2011 Educação Infantil III Área de conhecimento: Linguagem Série: Infantil III Educação Infantil Competências Habilidades a serem desenvolvidas Eixo/Conteúdos

Leia mais

Leitura e Literatura

Leitura e Literatura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICAB Diretoria de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e de Tecnologias para Educação BásicaB Leitura e Literatura Dia e Semana Nacional da Leitura

Leia mais

Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves

Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves TEMA : BRINCANDO E APRENDENDO NA ESCOLA Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves Autora: Prof a Cássia de Fátima da S. Souza PÚBLICO ALVO Alunos de 04 anos TEMA: BRINCANDO E

Leia mais

LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO

LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO Inês Aparecida Costa QUINTANILHA; Lívia Matos FOLHA; Dulcéria. TARTUCI; Maria Marta Lopes FLORES. Reila Terezinha da Silva LUZ; Departamento de Educação, UFG-Campus

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA 1 A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA INTRODUÇÃO O tema a ser estudado tem como finalidade discutir a contribuição da Educação Física enquanto

Leia mais

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de:

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de: Relatório Despertar 2014 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL

O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL Introdução Com frequência as tecnologias digitais estão sendo empregadas pelos educadores em

Leia mais

Estudos da Natureza na Educação Infantil

Estudos da Natureza na Educação Infantil Estudos da Natureza na Educação Infantil Referenciais Curriculares Nacionais da Educação Infantil (RCNEI) parte 3 Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL II OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL

Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL ROSA, Maria Célia Fernandes 1 Palavras-chave: Conscientização-Sensibilização-Transferência RESUMO A psicóloga Vanda

Leia mais

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013 Relatório Despertar 2013 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

LIDERANÇA NO AMBIENTE EDUCACIONAL E IDENTIDADE DA EDUCAÇÃO INFANTIL:

LIDERANÇA NO AMBIENTE EDUCACIONAL E IDENTIDADE DA EDUCAÇÃO INFANTIL: LIDERANÇA NO AMBIENTE EDUCACIONAL E IDENTIDADE DA EDUCAÇÃO INFANTIL: A Primeira Etapa da Educação Básica CÉLIA REGINA B. SERRÃO EXERCÍCIO UM OLHAR UMA DADA COMPREENSÃO lócus específico trajetória profissional

Leia mais

ESPAÇO E TEMPO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ALTERNATIVAS DIDÁTICO- PEDAGÓGICAS.

ESPAÇO E TEMPO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ALTERNATIVAS DIDÁTICO- PEDAGÓGICAS. ESPAÇO E TEMPO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ALTERNATIVAS DIDÁTICO- PEDAGÓGICAS. Introdução: O presente artigo tem a pretensão de fazer uma sucinta exposição a respeito das noções de espaço e tempo trabalhados

Leia mais

13. A FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL, AS ÁREAS DE CONHECIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ATÉ OS 6 ANOS

13. A FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL, AS ÁREAS DE CONHECIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ATÉ OS 6 ANOS 13. A FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL, AS ÁREAS DE CONHECIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ATÉ OS 6 ANOS A importância da formação pessoal e social da criança para o seu desenvolvimento integral e para a

Leia mais

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA Autores: FIGUEIREDO 1, Maria do Amparo Caetano de LIMA 2, Luana Rodrigues de LIMA 3, Thalita Silva Centro de Educação/

Leia mais

Como mediador o educador da primeira infância tem nas suas ações o motivador de sua conduta, para tanto ele deve:

Como mediador o educador da primeira infância tem nas suas ações o motivador de sua conduta, para tanto ele deve: 18. O papel do profissional na ação educativa da creche Segundo o RCNEI (1998), o profissional da educação infantil trabalha questões de naturezas diversas, abrangendo desde cuidados básicos essenciais

Leia mais

Projeto de Atuação Pedagógica junto ao Museu. Internacional de Ufologia, História e Ciência. Victor Mostajo.

Projeto de Atuação Pedagógica junto ao Museu. Internacional de Ufologia, História e Ciência. Victor Mostajo. Projeto de Atuação Pedagógica junto ao Museu Internacional de Ufologia, História e Ciência Victor Mostajo. Cátia Bairro Ferreira Santa Maria, RS 2009. 1 Oficina Lúdico Pedagógica - Dinossauros A criança

Leia mais

A EDUCAÇÃO, A CULTURA, O ESPORTE E O LAZER PARA OS IDOSOS

A EDUCAÇÃO, A CULTURA, O ESPORTE E O LAZER PARA OS IDOSOS A EDUCAÇÃO, A CULTURA, O ESPORTE E O LAZER PARA OS IDOSOS Agostinho Both3 3, Carmen Lucia da Silva Marques 3,José Francisco Silva Dias 3 As instituições, em especial as educacionais, não podem se furtar

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC FIGUEIREDO, Anelice Maria Banhara - SME / Chapecó/SC anelicefigueiredo@gmail.com LORENZET, Simone Vergínia - SME

Leia mais

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL ANTECEDENTES Art. 210. Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum

Leia mais

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária Apoio: Secretária municipal de educação de santo Afonso PROJETO INTERAÇÃO FAMÍLIA X ESCOLA: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA. É imperioso que dois dos principais

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA As Histórias do Senhor Urso. 2. EPISÓDIO TRABALHADO A Prima do Coelho. 3. SINOPSE DO EPISÓDIO ESPECÍFICO Os brinquedos ouvem batidos na porta: é

Leia mais

Orientação às Famílias

Orientação às Famílias Ministério da Educação Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Cartilha Orientação às Famílias Brasília, 10 de agosto de 2012. 1 Presidência da República Ministério da

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO CONSELHO DE CLASSE O Conselho de Classe é um órgão colegiado, de cunho decisório, presente no interior da organização escolar, responsável pelo processo de avaliação do desempenho pedagógico do aluno.

Leia mais

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR Título do artigo: O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR Área: Gestão Coordenador Pedagógico Selecionadora: Maria Paula Zurawski 16ª Edição do Prêmio Victor Civita Educador

Leia mais

A LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS SURDAS

A LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS SURDAS 110 A LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS SURDAS Dayanne Barbosa Dias Especializando em Educação Especial Inclusiva - CENSUPEG Dayanne16barbosa@hotmail.com Resumo: O presente trabalho apresenta a relevância

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE ESPAÇO FÍSICO NA CRECHE ( os cantinhos ), que possibilitou entender o espaço como aliado do trabalho pedagógico, ou seja, aquele que

ORGANIZAÇÃO DE ESPAÇO FÍSICO NA CRECHE ( os cantinhos ), que possibilitou entender o espaço como aliado do trabalho pedagógico, ou seja, aquele que Introdução A formação continuada iniciou-se com um diagnóstico com os profissionais que atuam nos Centros de Educação Infantil do nosso município para saber o que pensavam a respeito de conceitos essenciais

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

3 a 5. 6 a 10. 11 a 14. Faixa Etária Prevista. Etapa de Ensino. Duração. Educação Infantil. anos. Ensino Fundamental: Anos Iniciais. 5 anos.

3 a 5. 6 a 10. 11 a 14. Faixa Etária Prevista. Etapa de Ensino. Duração. Educação Infantil. anos. Ensino Fundamental: Anos Iniciais. 5 anos. Etapa de Ensino Faixa Etária Prevista Duração Educação Infantil 3 a 5 anos Ensino Fundamental: Anos Iniciais 6 a 10 anos 5 anos Ensino Fundamental: Anos Finais 11 a 14 anos 4 anos EDUCAÇÃO INFANTIL EDUCAÇÃO

Leia mais

Falta preparo para inclusão de crianças com deficiência na escola regular

Falta preparo para inclusão de crianças com deficiência na escola regular Entrevistas PARTICIPAÇÃO, DIREITOS E CIDADANIA Falta preparo para inclusão de crianças com deficiência na escola regular 1 DE JUNHO DE 2015 A inclusão da pessoa com deficiência na escola regular está prevista

Leia mais

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar Colégio La Salle São João Professora Kelen Costa Educação Infantil Educação Infantil- Brincar também é Educar A importância do lúdico na formação docente e nas práticas de sala de aula. A educação lúdica

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR

ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR Luciana Barros Farias Lima e Claudia Regina Pinheiro Machado Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO lucpeda@gmail.com

Leia mais

AULA 09 Profª Matilde Flório Concurso PMSP- 2011 Reflexões Gerais para as dissertativas (recorte...) PARTE 03

AULA 09 Profª Matilde Flório Concurso PMSP- 2011 Reflexões Gerais para as dissertativas (recorte...) PARTE 03 AULA 09 Profª Matilde Flório Concurso PMSP- 2011 Reflexões Gerais para as dissertativas (recorte...) PARTE 03 DISSERTATIVA - 13 Magali, 07 anos de idade, iniciará sua vida escolar. Seus familiares compareceram

Leia mais

DCN DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS

DCN DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DCN DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS 01. Diretrizes Curriculares Nacionais são o conjunto de definições doutrinárias sobre princípios, fundamentos e procedimentos na Educação Básica, expressas pela Câmara

Leia mais

PRÁTICAS DE INCLUSÃO SÓCIO EDUCATIVAS, CULTURAIS E RECREATIVAS COMO FORMA DE REDUZIR DESIGUALDADES.

PRÁTICAS DE INCLUSÃO SÓCIO EDUCATIVAS, CULTURAIS E RECREATIVAS COMO FORMA DE REDUZIR DESIGUALDADES. PRÁTICAS DE INCLUSÃO SÓCIO EDUCATIVAS, CULTURAIS E RECREATIVAS COMO FORMA DE REDUZIR DESIGUALDADES. TÍTULO: INSERÇÃO DO LÚDICO (BRINCAR) AO PROCESSO DA INCLUSÃO PRODUTIVA. INTRODUÇÃO Verifiquei a importância

Leia mais

Descobrindo o que a criança sabe na atividade inicial Regina Scarpa 1

Descobrindo o que a criança sabe na atividade inicial Regina Scarpa 1 1 Revista Avisa lá, nº 2 Ed. Janeiro/2000 Coluna: Conhecendo a Criança Descobrindo o que a criança sabe na atividade inicial Regina Scarpa 1 O professor deve sempre observar as crianças para conhecê-las

Leia mais

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Resumo A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Ana Regina Donato de Moraes 1 Lourdes Keila Casado Pulucena 2 Lucieni Vaz dos Santos 3 Aprender brincando não é apenas um passatempo, quando se trata de ensinar.

Leia mais

2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Para que a Educação Infantil no município de Piraquara cumpra as orientações desta Proposta Curricular a avaliação do aprendizado e do desenvolvimento da criança, como

Leia mais

LUDENS 2011: jogos e brincadeiras na matemática i. Palavras-chaves: lúdico na matemática, jogo, ensino da matemática.

LUDENS 2011: jogos e brincadeiras na matemática i. Palavras-chaves: lúdico na matemática, jogo, ensino da matemática. LUDENS 2011: jogos e brincadeiras na matemática i Palavras-chaves: lúdico na matemática, jogo, ensino da matemática. Justificativa A Matemática faz parte do cotidiano das pessoas. Nas diversas atividades

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO Marcelo Moura 1 Líbia Serpa Aquino 2 Este artigo tem por objetivo abordar a importância das atividades lúdicas como verdadeiras

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DA LEI 9394/1996 E DA LEI 12.796/2013

ESTUDO COMPARATIVO DA LEI 9394/1996 E DA LEI 12.796/2013 ESTUDO COMPARATIVO DA LEI 9394/1996 E DA LEI 12.796/2013 1 Art. 3º. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: [...] Art. 3 O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:

Leia mais

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior.

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Josimar de Aparecido Vieira Nas últimas décadas, a educação superior brasileira teve um expressivo

Leia mais

A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS

A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS Gisllayne Rufino Souza UFPB gisllayne.souza@gmail.com Profa. Dra. Marlene Helena de Oliveira França UFPB/Centro de Educação/Núcleo

Leia mais

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1 OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1. Introdução: Compreendendo que a Educação Infantil é uma etapa

Leia mais

Profª Drª Jorgeta Zogheib Milanezi DIDÁTICA DO ENSINO O DOMÍNIO DE UMA PROFISSÃO NÃO EXCLUI O SEU APERFEIÇOAMENTO .. AO CONTTRÁRIO, SERÁ MESTRE QUEM

Profª Drª Jorgeta Zogheib Milanezi DIDÁTICA DO ENSINO O DOMÍNIO DE UMA PROFISSÃO NÃO EXCLUI O SEU APERFEIÇOAMENTO .. AO CONTTRÁRIO, SERÁ MESTRE QUEM Profª Drª Jorgeta Zogheib Milanezi DIDÁTICA DO ENSINO O DOMÍNIO DE UMA PROFISSÃO NÃO EXCLUI O SEU APERFEIÇOAMENTO.. AO CONTTRÁRIO, SERÁ MESTRE QUEM CONTINUAR APRENDENDO.. Piere Furter AVALIAR PARA CONHECER

Leia mais

TRANSPARÊNCIA INSTITUCIONAL PROJETO BOA SEMENTE OFICINA SEMEANDO MOVIMENTO

TRANSPARÊNCIA INSTITUCIONAL PROJETO BOA SEMENTE OFICINA SEMEANDO MOVIMENTO TRANSPARÊNCIA INSTITUCIONAL PROJETO BOA SEMENTE OFICINA SEMEANDO MOVIMENTO O Orfanato Evangélico, através do Projeto Boa Semente, desenvolveu atividades direcionadas as crianças de 1 mês a 1 ano de idade,

Leia mais

Centro Educacional Pró-Hope

Centro Educacional Pró-Hope Centro Educacional Pró-Hope A escola da Casa Hope As pessoas que são atendidas pela Instituição sofrem com a carência financeira, a doença e o afastamento da rede familiar e social de apoio. Tudo isso

Leia mais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA Seção I Das Disposições Gerais Art. 22. A educação básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurar-lhe

Leia mais

Coordenação Pedagógica Educação Infantil e 1º Ano Ensino Fundamental I Profª. Hevelyn Tatiane Silva Barcelos Campelo

Coordenação Pedagógica Educação Infantil e 1º Ano Ensino Fundamental I Profª. Hevelyn Tatiane Silva Barcelos Campelo 01 Direção: Profª Renata Teixeira Junqueira Freire Vice Direção Administrativa: Márcio Lóes Alcalá Coordenação Pedagógica Educação Infantil e 1º Ano Ensino Fundamental I Profª. Hevelyn Tatiane Silva Barcelos

Leia mais

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO Instituto Federal Farroupilha Câmpus Santa Rosa ledomanski@gmail.com Introdução Ler no contexto mundial globalizado

Leia mais

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa EDUCAÇÃO INFANTIL JUSTIFICATIVA O momento social, econômico, político e histórico em que vivemos está exigindo um novo perfil de profissional, de cidadão: informado, bem qualificado, crítico, ágil, criativo,

Leia mais

PROMOÇÃO DA SAÚDE ESCOLAR. Anabela Martins. Bragança, de 20 setembro de 2014

PROMOÇÃO DA SAÚDE ESCOLAR. Anabela Martins. Bragança, de 20 setembro de 2014 PROMOÇÃO DA SAÚDE ESCOLAR Anabela Martins Bragança, de 20 setembro de 2014 PROMOÇÃO DA SAÚDE ESCOLAR Sumário Nota prévia Objetivos da Saúde Escolar Literacia em saúde Eixo estratégicos Exemplos de Boas

Leia mais

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA Conceito: PROJETO: -Proposta -Plano; Intento -Empreendimento -Plano Geral de Construção -Redação provisória de lei; Estatuto Referência:Minidicionário - Soares Amora

Leia mais

EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE

EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE Stella Maris Pissaia 1 Giseli Dionize Bobato 2 RESUMO: Neste resumo apresentamos uma descrição compreensiva das experiências vivenciadas a partir do contato teórico durante

Leia mais

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA Conceito: PROJETO: -Proposta -Plano; Intento -Empreendimento -Plano Geral de Construção -Redação provisória de lei; Estatuto Referência:Minidicionário - Soares Amora

Leia mais

Curso: Pedagogia. Pedagogia: ciência e arte de educar. Educar: ciência e arte de ensinar

Curso: Pedagogia. Pedagogia: ciência e arte de educar. Educar: ciência e arte de ensinar Curso: Pedagogia Pedagogia: ciência e arte de educar Educar: ciência e arte de ensinar Objetivos do Curso Formar o educador e o gestor para mediar processos de ensino-aprendizagem na sociedade contemporânea.

Leia mais

CIRANDA INFANTIL: A EDUCAÇÃO DA CRIANÇA EM MOVIMENTO

CIRANDA INFANTIL: A EDUCAÇÃO DA CRIANÇA EM MOVIMENTO CIRANDA INFANTIL: A EDUCAÇÃO DA CRIANÇA EM MOVIMENTO ADILSON DE ANGELO Desde a sua criação, o MST assegurou na sua agenda política a luta pela educação e por uma escola mais significativa para a família

Leia mais

PREFEITURA DE NOVA VENÉCIA-ES SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA Nº 1612 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2015.

PREFEITURA DE NOVA VENÉCIA-ES SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA Nº 1612 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2015. PORTARIA Nº 1612 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2015. DISPÕE SOBRE O FUNCIONAMENTO E ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DAS UNIDADES DE ENSINO DA EDUCAÇÃO INFANTIL EM TEMPO INTEGRAL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE NOVA VENÉCIA-ES

Leia mais

METODOLOGIA & Hábito de estudos AULA DADA AULA ESTUDADA

METODOLOGIA & Hábito de estudos AULA DADA AULA ESTUDADA Educação Infantil METODOLOGIA & Hábito de estudos AULA DADA AULA ESTUDADA s s s Precisao e organizacao nos conceitos A agitação é a mesma. Com algumas adaptações ao espaço e ao tempo, a rotina e as histórias

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA

EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA Q U E S T Õ E S E R E F L E X Õ E S Suraya Cristina Dar ido Mestrado em Educação Física, na Escola de Educação Física da Universidade de São Paulo, SP, 1987 1991 Doutorado em

Leia mais

Centros Juvenis de Ciência e Cultura Documento-Base

Centros Juvenis de Ciência e Cultura Documento-Base Documento-Base 1. Contexto Garantir educação de qualidade é um dos grandes desafios deste início de século para a Bahia e para o Brasil. No ensino médio, a Bahia tem encontrado dificuldades para avançar

Leia mais

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA RESUMO Os educadores têm se utilizado de uma metodologia Linear, que traz uma característica conteudista; É possível notar que o Lúdico não se limita

Leia mais

A Escola. Educação Especial - Educação Inclusiva. Aqui se fala em LIBRAS

A Escola. Educação Especial - Educação Inclusiva. Aqui se fala em LIBRAS A Escola Educação Especial - Educação Inclusiva Atende alunos no Ensino Fundamental da Alfabetização à 4ª série e alunos na Educação Especial: deficiência auditiva, física, mental, Síndrome de Down, dentre

Leia mais

mhtml:file://c:\documents and Settings\Angela Freire\Meus documentos\cenap 2...

mhtml:file://c:\documents and Settings\Angela Freire\Meus documentos\cenap 2... Page 1 of 6 O lúdico na educação infantil Com relação ao jogo, Piaget (1998) acredita que ele é essencial na vida da criança. De início tem-se o jogo de exercício que é aquele em que a criança repete uma

Leia mais

I FÓRUM DAS LICENCIATURAS UFMT/PROEG/PRODOCÊNCIA

I FÓRUM DAS LICENCIATURAS UFMT/PROEG/PRODOCÊNCIA I FÓRUM DAS LICENCIATURAS UFMT/PROEG/PRODOCÊNCIA TEMA 1: CICLOS DE FORMAÇÃO HUMANA A Organização da Escola de Ensino Fundamental em Ciclos de Formação da Rede Estadual de Mato Grosso: concepções, estratégias

Leia mais

A importância da Educação para competitividade da Indústria

A importância da Educação para competitividade da Indústria A importância da Educação para competitividade da Indústria Educação para o trabalho não tem sido tradicionalmente colocado na pauta da sociedade brasileira, mas hoje é essencial; Ênfase no Direito à Educação

Leia mais

O mundo lá fora oficinas de sensibilização para línguas estrangeiras

O mundo lá fora oficinas de sensibilização para línguas estrangeiras O mundo lá fora oficinas de sensibilização para línguas estrangeiras Ligia Paula Couto (Universidade Estadual de Ponta Grossa) Introdução Este artigo relatará a experiência de um grupo de alunos e professores

Leia mais

]ÉÜÇtÄ wt XávÉÄt. Nossas ações durante o ano de 2013. Informativo Anual das ações da ESCOLA MUNICIPAL DR. ANTÔNIO RIBEIRO. Leitura livre.

]ÉÜÇtÄ wt XávÉÄt. Nossas ações durante o ano de 2013. Informativo Anual das ações da ESCOLA MUNICIPAL DR. ANTÔNIO RIBEIRO. Leitura livre. ]ÉÜÇtÄ wt XávÉÄt Informativo Anual das ações da ESCOLA MUNICIPAL DR. ANTÔNIO RIBEIRO. ANO 2013-1ª EDIÇÃO A equipe gestora está sempre preocupada com o desempenho dos alunos e dos educadores, evidenciando

Leia mais