RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL MARCELO DADAMO VIEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio Curricular Obrigatório apresentado como requisito parcial à obtenção do título de Bacharel em Engenharia Civil, pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Câmpus Campo Mourão. Orientador: Prof. Dr. Fabiana Goia Rosa de Oliveira Autorizo o encaminhamento para avaliação, Prof. Dr. Fabiana Goia Rosa de Oliveira CAMPO MOURÃO 2013

2 RESUMO O presente relatório descreve as atividades exercidas pelo acadêmico Marcelo Dadamo Vieira no estágio supervisionado obrigatório em 2013, realizado nas duas etapas do condomínio residencial Milton de Paula Walter, constituído por 252 casas executadas em alvenaria convencional de tijolos amarrados e fundação tipo radier, da empresa Construtora Piacentini, como requisito parcial de avaliação do curso de Engenharia Civil na Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

3 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO DESCRIÇÃO DA UCE (UNIDADE CONCEDENTE DE ESTÁGIO) OBJETIVOS DO ESTÁGIO E RESUMO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PRINCIPAIS PROBLEMAS ENCONTRADOS RELAÇÃO DO ESTÁGIO COM AS DISCIPLINAS DO CURSO CONCLUSÕES APRENDIZADO PRÁTICO RELACIONAMENTO PROFISSIONAL SUGESTÕES PARA A UNIVERSIDADE CONSIDERAÇÕES FINAIS...25

4 4 1 INTRODUÇÃO Este relatório tem como objetivo apresentar as atividades desenvolvidas pelo estudante Marcelo Dadamo Vieira no período do estagio obrigatório para conclusão do curso de Engenharia Civil. O estágio foi realizado no canteiro de obras do condomínio residencial Milton de Paula Walter da empresa Construtora Piacentini, que tem sua sede localizada na cidade de Curitiba, PR. O estágio começou a ser realizado no mês de março no condomínio residencial Milton de Paula Walter, fase um, com 80% da obra concluída, faltando alguns reparos finais, totalizando 168 residências. Também foi realizado na fase dois do mesmo condomínio residencial, com 84 residências, com o acompanhamento desde o início desta fase. O estágio supervisionado visa inserir o aluno no ambiente de trabalho, por meio do aprendizado de competências próprias da atividade profissional, assimilando assim a teoria na prática. 1.1 DESCRIÇÃO DA UCE (UNIDADE CONCEDENTE DE ESTÁGIO) O estágio obrigatório supervisionado foi realizado em um conjunto habitacional realizado pela construtora Piacentini, localizado aos fundos do Jardim Modelo na cidade de Campo Mourão, PR. A construtora Piacentini tem sua sede na Rua Desembargador Vieira Cavalcanti, Curitiba PR, e executa condomínios residenciais que se enquadram no programa Minha Casa Minha Vida do Governo Federal. A construtora atende aos requisitos da NR 18 (Condições e Meio Ambiente na Indústria da Construção), respeitando as metragens mínimas dos ambientes de trabalho como vestiários, banheiros, refeitórios entre outros. Respeita-se também a utilização de EPI/EPC pelos empregados que além de utilizarem os equipamentos necessários também recebem treinamentos para melhor executarem suas funções,

5 5 já o canteiro de obras possuía diversas placas de sinalização, advertindo para que acidentes de trabalho fossem evitados. 1.2 OBJETIVOS DO ESTÁGIO E RESUMO DAS ATIVIDADES O propósito da atividade de estágio supervisionado é inserir o estudante no ambiente de trabalho, visando um maior aprendizado junto ao dia a dia da empresa para colocar em prática o que foi estudado em sala de aula. Foram realizadas várias atividades junto à construtora como preenchimento de diário de obras, orçamentos, elaboração e readequação de projetos, cotações entre outros. 2 DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO O estágio supervisionado foi realizado em uma obra da construtora Piacentini, sendo o conjunto habitacional Milton de Paula Walter, que fica localizado aos fundos do Jardim Modelo, em Campo Mourão, PR. O conjunto habitacional Milton de Paula Walter é composto por duas etapas sendo a primeira com 168 residências e a segunda com 84 residências, totalizando 252 residências, com a mesma metragem de 36,8 m², mesmo projeto arquitetônico com 2 quartos, banheiro, sala, cozinha e área de serviço na parte externa da residência. A obra teve inicio em janeiro de 2012 e sua entrega está prevista para dezembro de Quanto ao canteiro de obras do conjunto habitacional, havia instalações provisórias como: um almoxarifado, um refeitório, um depósito de materiais, vestuários masculino e feminino, banheiros masculino e feminino. Todas se enquadrando na NR 18 para que houvesse um bom ambiente de trabalho para todos.

6 6 Atualmente a obra está com 70 funcionários de diferentes cargos. A construtora também trabalha com serviços terceirizados como pintura, instalações elétricas entre outros. Na figura 01, pode-se observar como ficou a primeira fase do conjunto habitacional Milton de Paula Walter. Na figura 02, verifica-se a segunda fase. Figura 01 Conjunto Habitacional Milton de Paula Walter primeira fase Fonte: Autoria própria Figura 02 Conjunto Habitacional Milton de Paula Walter segunda fase

7 7 2.1 DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS O estágio supervisionado aconteceu no período entre março de 2013 e julho de As atividades desenvolvidas no período de estagio foram: - Check List: foi realizada a vistoria das 168 residências da primeira fase e preenchido uma lista de materiais e serviços que precisavam ser reparados ou substituídos por novos (figura 03). Figura 03 Check List - Diário de obras: todos os dias o aluno visitava a segunda fase do conjunto habitacional e preenchia um diário de obras com o número de empregados, chegada de material, ou seja, se tudo ocorreria como planejado (figura 04).

8 8 Figura 04 Diário de Obras - Fiscalização da obra: O aluno acompanhava diariamente as obras para auxiliar e fiscalizar se tudo ocorreria conforme o cronograma e o planejado. Na figura 05 mostra-se que no terreno, foi feito o gabarito de cada residência, reutilizando-se as tábuas e pontaletes para diversos serviços posteriores. Figura 05 Gabarito Unidade Habitacional

9 9 Na figura 06, mostra-se o preparo do terreno onde depois de compactado, foram abertas valetas para a instalação da tubulação de esgoto. Figura 06 Tubulação de Esgoto A seguir, as valetas foram cobertas com terra e uma leve camada de pedrisco. Com pontaletes foram marcados os níveis para encaixe das formas metálicas, como mostra a figura 07. Figura 07 Marcação para Encaixe das Formas Metálicas

10 10 Depois de fixados os pontaletes, foi colocada uma lona plástica de tamanho igual ao radier para que o concreto não perdesse água para o solo. Depois da lona colocada foram fixadas as formas metálicas para manter a espessura de projeto, 8 cm na parte interna e 6 na parte externa da residência, como mostra a figura 08. Figura 08 Aplicação da Lona e Formas Metálicas Para cada obra, utilizava-se 4,5 m³ de concreto de 20 MPa de resistência, In loco eram adicionados 4,5 sacos de fibras de aço corrugado, ou seja, 20 kg para cada 1m³ de concreto no caminhão betoneira. Como mostra a figura 09. Figura 09 Adição e Mistura das Fibras de Aço Corrugado ao Concreto

11 11 Logo depois da mistura concluída moldavam-se 4 corpos de prova cilíndricos, 2 unidades ficavam na construtora para análise laboratorial e 2 unidades ficavam com a usina de concreto, figura 10. Figura 10 Corpos de Prova de Concreto Na figura 11, mostra-se que depois de moldados os corpos de prova era iniciada a concretagem do radier utilizando-se carriolas como meio de transporte para despejar o concreto com fibras de aço corrugado no local desejado.

12 12 Figura 11 Transporte do Concreto A concretagem era realizada por pedreiros e equipamentos da construtora, para que houvesse uma conformidade construtiva entre todas as unidades no conjunto habitacional, como mostra a figura 12. Figura 12 Execução do Radier

13 13 Na figura 13, mostra-se que na parte externa da residência não podia haver nenhuma falha ou trincas, pois não há nenhum revestimento posterior, já na parte interna o concreto não é desempenado, pois posteriormente seria colocado um piso cerâmico. Figura 13 Execução do Radier e Desempeno da Parte Externa Na figura 14, mostra-se o radier depois de completamente concretado e desempenado na parte externa. Figura 14 Radier Finalizado

14 14 Depois do endurecimento do concreto foi espalhada uma leve camada de pedrisco molhado para que não ocorressem trincas e falhas durante a cura, conforme a figura 15. Figura 15 Radier Finalizado com Camada de Pedrisco e Água Depois de impermeabilizado o radier, foram fixados os escantilhões e passadas as linhas mestras para que os cantos ficassem no prumo como mostra a figura 16, para a execução da alvenaria. Figura 16 Fixação dos Escantilhões

15 15 Na figura 17, observa-se que a alvenaria foi feita com blocos cerâmicos amarrados sem a presença de pilares, utilizando-se para o assentamento argamassa feita em betoneira no traço 1:1:6. Figura 17 Execução da Alvenaria Todas as obras possuem vergas e contravergas com transpasse de 15 cm para que não ocorram trincas e infiltrações futuras, como mostra a figura 18. Figura 18 Vergas e Contravergas

16 16 Depois de finalizada a alvenaria foi feita uma cinta de amarração por cima de todas as paredes e após isso foram feitos os oitões com pilaretes como mostra a figura 19. Figura 19 Alvenaria e Oitão Finalizados Com a conclusão da alvenaria e oitões a residência foi chapiscada internamente e externamente (figura 20), com uma argamassa feita in loco utilizando-se betoneiras. Figura 20 Chapisco Completo

17 17 A figura 21 mostra a fixação das esquadrias e execução do reboco com fixação de taliscas para que o prumo e nível fossem respeitados, para a realização desse reboco utilizou-se argamassa feita in loco respeitando-se o traço de projeto 1:1,5:9. Figura 21 Execução do Reboco A alvenaria depois de devidamente chapiscada e rebocada passou por uma inspeção de qualidade para verificar possíveis irregularidades, conforme a figura 22. Figura 22 Reboco Finalizado

18 18 A estrutura do telhado foi feita com madeira de reflorestamento devidamente armazenada, cortada e espessuras compatíveis com a norma para que houvesse encaixe e execução adequados, como mostra a figura 23. Figura 23 Cobertura de Madeira Na figura 24 mostra-se que a cobertura foi feita com telhas de concreto, que foram compradas em palets e armazenadas em locais cobertos e secos. Figura 24 Cobertura finalizada

19 19 - Execução do meio fio: O aluno supervisionou a execução do meio fio do conjunto habitacional, foi executado por uma empresa terceirizada, o concreto utilizado foi de uma usina da cidade. A figura 25 mostra como foi à execução desse serviço. Figura 25 Execução do Meio Fio - Instalação dos aquecedores solares: O aluno foi incumbido de supervisionar se os aquecedores solares estavam sendo armazenados e instalados conforme especificações do próprio fabricante. A figura 26 mostra um aquecedor solar já instalado. Figura 26 Aquecedor Solar

20 20 - Instalação das esquadrias: Todas as esquadrias foram chumbadas com espuma expansiva, o aluno verificou se elas estavam no prumo e níveis certos de acordo com o projeto. A figura 27 mostra um exemplo de como as esquadrias foram fixadas. Figura 27 Fixação das Esquadrias Fonte Autoria Própria - Auxílio ao técnico de segurança: O aluno auxiliou o técnico de segurança a fixar placas e avisos para alertarem os empregados de riscos de acidentes e a utilizarem EPI S e EPC S. A figura 28 mostra um exemplo de placas fixadas na obra. Figura 28 Placas de Segurança

21 21 - Reorganização do almoxarifado: O almoxarifado estava desorganizado, com o extravio de materiais, e nunca os materiais estavam no lugar certo, de frente com esse problema o aluno realizou um layout para organizar e facilitar o trabalho no almoxarifado à figura 29 mostra como ficou depois de organizado. Figura 29 Almoxarifado Obra - Reorganização do depósito: O depósito também passou por uma mudança, pois os materiais se deterioravam ao passar do tempo, armazenamento inadequado, entre outros problemas. Á figura 30 demostra como ficou depois de organizado. Figura 30 Depósito Obra

22 22 - Elaboração de cotações: O aluno também ajudou no setor de compras, auxiliando em diferentes tipos de cotações na parte hidráulica, elétrica, esquadrias entre outras, como mostra a figura 31. Figura 31 Planilha Cotação 2.2 PRINCIPAIS PROBLEMAS ENCONTRADOS Devido a um período de chuvas, o conjunto habitacional teve sua entrega aos moradores atrasada. Apesar de a construtora realizar um controle para que não houvesse desperdício na obra, o aluno observou materiais e ferramentas quebradas. Com relação a técnicas e elaboração de projetos o aluno sempre foi muito bem assessorado e todas suas duvidas sanadas, e com relação a relacionamento o acadêmico conseguiu respeitar e ser respeitado em seu meio de trabalho por todos.

23 RELAÇÃO DO ESTÁGIO COM AS DISCIPLINAS DO CURSO O propósito de se realizar o estágio curricular como disciplina obrigatória no curso de Engenharia Civil é inserir o aluno no ambiente de trabalho, visando desenvolver atividades relacionadas com o que aprendeu na teoria em sala de aula. É uma experiência essencial ao graduando, pois é ali que ele vai ser cobrado, e mostrar o que realmente aprendeu, conseguindo assim por em prática o que aprendeu durante o curso. Atividades como, diário de obras, check list, análise de projetos entre outras, são atividades que dificilmente o aluno conseguirá por em pratica em sala de aula, mas já no estagio supervisionado coloca essa e todas as outras atividades em pratica no dia a dia da empresa. 3 CONCLUSÕES A oportunidade de vivenciar o dia a dia do término e do inicio de um grande conjunto habitacional, e o contato com os profissionais experientes em obra, tanto engenheiros como mestre de obras, pedreiros e serventes, fazem com que o aluno de engenharia civil conheça melhor o seu campo de trabalho futuro e é uma experiência muito importante para a formação do aluno. Ao mesmo tempo o estagio permite ao aluno conhecer suas limitações. No estágio é possível perceber, por exemplo, como o trabalho em parceria com os fornecedores e colaboradores é fundamental para o bom andamento da obra. Participar de decisões, ter obrigações a cumprir e liberdade para atuar, faz com que o aluno desenvolva um senso de responsabilidade, que é essencial ao seu futuro trabalho, por isso as atividades no estagio são de grande importância para seu conhecimento teórico e assimilação do que foi estudo em sala de aula.

24 APRENDIZADO PRÁTICO Vivenciar na prática o desenvolvimento de uma obra é fundamental para o aluno, pois é somente assim que ele ira conseguir por em prática o que aprendeu dentro da sala de aula. Muitos são os conhecimentos adquiridos pelo aluno no período do estagio supervisionado, como por exemplo, ter uma visão global de como funciona uma construtora, trabalhar sob pressão de apresentar bons resultados entre outros, ajudando assim o aluno a ter uma melhor preparação para enfrentar o mercado de trabalho. 3.2 RELACIONAMENTO PROFISSIONAL O propósito da atividade de estagio supervisionado é inserir o aluno no ambiente de trabalho, visando o aluno assimilar o a teoria aprendida em sala de aula na prática do dia a dia da empresa. O estagio supervisionado é muito importante para a graduação do aluno, pois é ali que ele vivencia e lida com vários tipos de problemas conseguindo assim juntamente com seu colaborador na empresa resolver esses problemas. O estágio é uma experiência essencial para o aluno, que o desenvolve não só na parte profissional e também para a vida social, que é fundamental para os dias de hoje no mercado de trabalho. 3.3 SUGESTÕES PARA A UNIVERSIDADE Com relação ao assunto sugestão, a universidade deveria possuir um convenio com empresas relacionadas aos cursos que ela oferta, facilitando a execução do estagio obrigatório para o aluno. Como geralmente a realização do estagio supervisionado ocorre em locais longe da universidade, esta por sua vez poderia ajudar com auxilio transporte para a locomoção do aluno.

25 CONSIDERAÇÕES FINAIS A experiência que o aluno de Engenharia Civil adquire ao realizar o estágio supervisionado é muito importante, pois é somente vivenciando o dia a dia de uma construtora, tanto no canteiro de obras como no escritório que o aluno irá colocar tudo o que aprendeu em sala de aula em prática. Assim conseguindo ter uma visão global do ambiente de trabalho, e de como realmente sua futura profissão.

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL - CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL RAFAEL NUNES DA COSTA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio

Leia mais

2 DESCRIÇÃO DO LOCAL. Figura 1 Edifício Philadélphia

2 DESCRIÇÃO DO LOCAL. Figura 1 Edifício Philadélphia 4 1 INTRODUÇÃO Esse relatório tem como objetivo apresentar as atividades desenvolvidas pelo acadêmico Joel Rubens da Silva Filho no período do estágio obrigatório para conclusão do curso de Engenharia

Leia mais

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA EXECUÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA CONDIÇÕES DE INÍCIO Vigas baldrames impermeabilizadas e niveladas,

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL CÉSAR RODIGHERI RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio Curricular

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO 1 UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL DIOGO DANILO DE ALMEIDA PEREIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de

Leia mais

Relatório de Estágio Curricular. Rafael Menezes Albuquerque

Relatório de Estágio Curricular. Rafael Menezes Albuquerque Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia de Infra-Estrutura Aeronáutica Relatório de Estágio Curricular Rafael Menezes Albuquerque São José dos Campos Novembro2005 Relatório de Estágio

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL ALLAN CARLOS DAMASCENO MARCHINI RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL HOBWAN FUZER RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio Curricular

Leia mais

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA REFORMA E AMPLIAÇÃO DA ESCOLA MUNICIPAL PEDRO REZENDE DOS SANTOS 1 - OBJETO:

Leia mais

VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável

VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável Juliano Moresco Silva Especialista em Tecnologia do Concreto juliano.silva@azulconcretos.com.br

Leia mais

Alvenaria racionalizada

Alvenaria racionalizada Como construir Alvenaria racionalizada A alvenaria de vedação pode ser definida como a alvenaria que não é dimensionada para resistir a ações além de seu próprio peso. O subsistema vedação vertical é responsável

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL FABIANO QUEIROZ RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio Curricular

Leia mais

RECICLAGEM DE RESÍDUOS E CIDADANIA: PRODUÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES EM REGIME DE MUTIRÃO - PARTE II

RECICLAGEM DE RESÍDUOS E CIDADANIA: PRODUÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES EM REGIME DE MUTIRÃO - PARTE II RECICLAGEM DE RESÍDUOS E CIDADANIA: PRODUÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES EM REGIME DE MUTIRÃO - PARTE II Aline Gomes de Oliveira 1 ; Gustavo de Castro Xavier 2 ; Raphael dos

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 06. LAJE

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 06. LAJE DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 06. LAJE Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP LAJE As lajes são estruturas destinadas a servirem de cobertura, forro ou piso para uma edificação.

Leia mais

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO Especificação Destinada Construção do Núcleo de Empresas Junior INTRODUÇÃO A execução dos serviços referente Construção do Núcleo de Empresas Junior, obedecerá

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS Departamento de Arquitetura e Urbanismo

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS Departamento de Arquitetura e Urbanismo FIPAI FUNDAÇÃO PARA O INCREMENTO DA PESQUISA E DO APERFEIÇOAMENTO INDUSTRIAL UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS Departamento de Arquitetura e Urbanismo Relatório Avaliação pós-ocupação

Leia mais

BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL

BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL Indice ALVENARIA ESTRUTURAL MANUAL DE EXECUÇÃO E TREINAMENTO...1 O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL?...1 Seu trabalho fica mais fácil...1 CUIDADOS QUE

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS DE EDIFICAÇÕES

CADERNO DE ENCARGOS DE EDIFICAÇÕES COHAB-MG Versão 01 HISTÓRICO DAS REVISÕES HISTÓRICO DAS REVISÕES VERSÃO DATA DESCRIÇÃO 01 01/06/07 Emissão inicial SUMÁRIO SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 7 1 SERVIÇOS INICIAIS... 12 1.1 Locações... 12 2 FUNDAÇÕES...

Leia mais

Melhorias nos processos construtivos baseado no estudo dos fluxos físicos no canteiro de obra em uma empresa de Fortaleza

Melhorias nos processos construtivos baseado no estudo dos fluxos físicos no canteiro de obra em uma empresa de Fortaleza Melhorias nos processos construtivos baseado no estudo dos fluxos físicos no canteiro de obra em uma empresa de Fortaleza Alessandra Luize Fontes Sales (Engª. Civil) luize.sales@ig.com.br José de Paula

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAÇADOR SECRETARIA MUNICPAL DE EDUCAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAÇADOR SECRETARIA MUNICPAL DE EDUCAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: REFORMA DA ESCOLA ALCIDES TOMBINI LOCALIZAÇÃO: Rua Augusto Driessen Bairro: Sorgatto 1. DEMOLIÇÕES Todas as paredes internas dos banheiros deverão ser demolidas. Todo o revestimento

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre INDICE 1. GENERALIDADES 1.1. OBJETOS E DADOS 1.2. NORMAS 1.3. PLANTAS 2. INTERPRETAÇÃO 3. PRÉDIO 3.1.

Leia mais

1. FERRAMENTAS. Elevação e Marcação. Trenas de 5m e 30m. Nível a laser ou Nível alemão. Pág.4 1. Ferramentas

1. FERRAMENTAS. Elevação e Marcação. Trenas de 5m e 30m. Nível a laser ou Nível alemão. Pág.4 1. Ferramentas ÍNDICE: 1. Ferramentas 2. Equipamentos de Proteção Individual - EPI 3. Serviços Preliminares 4. Marcação da Alvenaria 5. Instalação dos Escantilhões 6. Nivelamento das Fiadas 7. Instalação dos gabaritos

Leia mais

IMPERMEABILIZAÇÕES TRATAMENTO DE UMIDADE E EFLORESCÊNCIAS EM PAREDES

IMPERMEABILIZAÇÕES TRATAMENTO DE UMIDADE E EFLORESCÊNCIAS EM PAREDES IMPERMEABILIZAÇÕES TRATAMENTO DE UMIDADE E EFLORESCÊNCIAS EM PAREDES Prof. Marco Pádua Quando a construção se inicia, as fundações começam a ser executadas, os alicerces tomam forma e delimitam os cômodos,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1 DESCRIÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1 DESCRIÇÃO Página 1 de 9 MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Reforma na Unidade Sanitária Sede de Guarujá do Sul PROPRIETÁRIO: LOCAL: Rua Governador Jorge Lacerda, 448, Centro, Guarujá do Sul (SC) ÁREA TOTAL DA EDIFICAÇÃO:

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 Arquitetônico Hidrossanitário EMPREENDIMENTO: Edifício Residencial ÁREA CONSTRUIDA: 2.323,60 m² ÁREA DO TERRENO: 1.474,00 m² LOCALIZAÇÃO: Rua Ianne Thorstemberg, n 344 Bairro

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA Projeto:... REFORMA POSTO DE SAÚDE Proprietário:... PREFEITURA MUNICIPAL DE IRAÍ Endereço:... RUA TORRES GONÇALVES, N 537 Área a Reformar:... 257,84

Leia mais

TRABALHO DE GESTÃO DE REVESTIMENTOS

TRABALHO DE GESTÃO DE REVESTIMENTOS TRABALHO DE GESTÃO DE REVESTIMENTOS TEMA Ensaio de aderência de revestimentos de argamassa, gesso e cerâmica. OBJETIVO Analisar o grau de aderência dos revestimentos utilizados, em relação à norma técnica

Leia mais

AULA 4 AGLOMERANTES continuação

AULA 4 AGLOMERANTES continuação AULA 4 AGLOMERANTES continuação Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dra. Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil O que tem em comum

Leia mais

RESIDENCIAL TERRA NATIVA Estudo do Parcelamento do Solo

RESIDENCIAL TERRA NATIVA Estudo do Parcelamento do Solo Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura e Urbanismo Teoria do Urbanismo II Professora Nirce Saffer Medvedovski RESIDENCIAL TERRA NATIVA Estudo do

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL

PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE EXECUÇÃO: 1. Condições para o início dos serviços A alvenaria deve estar concluída e verificada. As superfícies

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAM ENTO DE ENGENHARIA E INFRAESTRUTURA BR 406 - Km 73 n 3500 Perímetro Rural do Município de João Câmara / RN, CEP: 59550-000

Leia mais

Wood Frame CONCEITO. O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis

Wood Frame CONCEITO. O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis CONCEITO O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis estruturais capazes de resistir às cargas verticais (telhados e pavimentos), perpendiculares

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA INSTITUTO FEDERAL DE EDUC, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE ADMINISTR SERVIÇOS MELHORIAS DA INFRAESTRUTURA DO CAMPUS IFRN/SÃO PAULO DO POTENGI DATA: 25/07/24 S/BDI C/ BDI C/BDI

Leia mais

IMPORTANTE ALERTA AOS CONSTRUTORES

IMPORTANTE ALERTA AOS CONSTRUTORES IMPORTANTE ALERTA AOS CONSTRUTORES Santos, 17 de setembro de 2014. OBRAS DE MÁ QUALIDADE E/OU EM DESACORDO COM AS ESPECIFICAÇÕES Prezado Construtor do PMCMV 2, As diversas circulares expedidas e as orientações

Leia mais

TECNOLOGIA DAS EDIFICAÇÕES III Prof. Antônio Neves de Carvalho Júnior I) REVESTIMENTOS DE PAREDES E TETOS

TECNOLOGIA DAS EDIFICAÇÕES III Prof. Antônio Neves de Carvalho Júnior I) REVESTIMENTOS DE PAREDES E TETOS TECNOLOGIA DAS EDIFICAÇÕES III Prof. Antônio Neves de Carvalho Júnior I) REVESTIMENTOS DE PAREDES E TETOS 1) INTRODUÇÃO ARGAMASSAS. Aglomerantes + agregados minerais + água (eventualmente aditivos). Intervalo

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL MURILO DAMAZIO RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio Curricular

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROPONENTE: Prefeitura Municipal de Chapada OBRA: Cobertura de Quadra de Esportes e Equipamentos ÁREA: 640,00m² LOCAL: Tesouras Chapada RS O Memorial Descritivo

Leia mais

TIPO ESP. LOCAL APLIC. 6mm Coberta da Cloaca

TIPO ESP. LOCAL APLIC. 6mm Coberta da Cloaca FABRICANTE Eternit TIPO ESP. LOCAL APLIC. Ondulada 6mm Coberta da Cloaca COR - As telhas serão de fibrocimento 6mm, Eternit ou equivalente técnico de procedência conhecida e idônea, textura homogênea,

Leia mais

VEDAPREN. Densidade: 1,02 g/cm³ Aparência: Preto(a) Composição básica: Emulsão asfáltica modificada com elastômeros. Validade: 24 meses

VEDAPREN. Densidade: 1,02 g/cm³ Aparência: Preto(a) Composição básica: Emulsão asfáltica modificada com elastômeros. Validade: 24 meses Produto VEDAPREN é uma manta líquida, de base asfalto e aplicação a frio, pronta para uso e moldada no local. Cobre a estrutura com uma proteção impermeável. Apresenta ótimas características de elasticidade

Leia mais

B4-271 Construção participativa de sistemas individuais de esgotamento sanitário em comunidades rurais.

B4-271 Construção participativa de sistemas individuais de esgotamento sanitário em comunidades rurais. B4-271 Construção participativa de sistemas individuais de esgotamento sanitário em comunidades rurais. Machado, Diogo Faria¹; Andrade, Amanda de Oliveira²; Maia, Hérksson Mota³; Rezende, Ana Augusta Passos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 1.4 LIMPEZA PERMANENTE DA OBRA Durante a execução, até a entrega definitiva da obra, a mesma será mantida permanentemente limpa.

MEMORIAL DESCRITIVO. 1.4 LIMPEZA PERMANENTE DA OBRA Durante a execução, até a entrega definitiva da obra, a mesma será mantida permanentemente limpa. Identificação da obra: RESIDENCIAL ANCHIETA GOLD Rua Anchieta nº 5034 Projeto e execução: A3 Arquitetura e Krolow Construção e Comércio. MEMORIAL DESCRITIVO 1. SERVIÇOS PRELIMINARES E GERAIS 1.1 SERVIÇOS

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009

MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009 MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009 PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON. OBRA: ENDEREÇO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA REALIZAR REFORMA E ADEQUAÇÃO NA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO COMERCIAL CHATÊAU DE LA VIE

MEMORIAL DESCRITIVO COMERCIAL CHATÊAU DE LA VIE MEMORIAL DESCRITIVO COMERCIAL CHATÊAU DE LA VIE Rua Clemente Pinto, 146. Pág. 1 / 9 1 GENERALIDADES E DISPOSIÇÕES GERAIS O presente memorial descritivo tem por objetivo especificar o tipo, qualidade e

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CAMARA DE VEREADORES DE ABELARDO LUZ - SC 1.- GENERALIDADES 1.1.- OBJETO

MEMORIAL DESCRITIVO CAMARA DE VEREADORES DE ABELARDO LUZ - SC 1.- GENERALIDADES 1.1.- OBJETO CAMARA DE VEREADORES DE ABELARDO LUZ - SC MEMORIAL DESCRITIVO 1.- GENERALIDADES 1.1.- OBJETO O presente Memorial Descritivo tem por finalidade estabelecer as condições que orientarão os serviços de construção,

Leia mais

Revestimento de fachadas: aspectos executivos

Revestimento de fachadas: aspectos executivos UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Setembro, 2009 Revestimento de fachadas: aspectos executivos Eng.º Antônio Freitas da Silva Filho Engenheiro Civil pela UFBA Julho de 1982; Engenheiro da Concreta Tecnologia

Leia mais

PROJETO BÁSICO I - DISPOSIÇÕES GERAIS I.1 - INTRODUÇÃO

PROJETO BÁSICO I - DISPOSIÇÕES GERAIS I.1 - INTRODUÇÃO PROJETO BÁSICO OBJETO: Obras de Engenharia para Reforma e Ampliação do CAIC THEOPHILO DE SOUZA PINTO. Localizado na Rua Praça do Terço, s/nº - Nova Brasília - Bonsucesso Rio de Janeiro. I- DISPOSIÇÕES

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 14. MUROS

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 14. MUROS DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 14. MUROS Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP MUROS Os muros são construções feitas de alvenaria de blocos de concreto ou tijolos, que tem a

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE CATALÃO SECRETARIA DE 0BRAS 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 DISPOSIÇÕES GERAIS

MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE CATALÃO SECRETARIA DE 0BRAS 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 DISPOSIÇÕES GERAIS MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Nova Instalação da SEMMAC LOCAL: Rua Dr. Lamartine Pinto de Avelar, 2338. Setor Ipanema. Catalão GO TIPO DE SERVIÇO: Reforma e Ampliação. 1.0 INTRODUÇÃO A finalidade do presente

Leia mais

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP.

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP. MEMORIAL DESCRITIVO RECONSTRUÇÃO DO ALBERGUE JUNTO AO PRESIDIO ESTADUAL DE VACARIA RS. VACARIA RS. GENERALIDADES: Este Memorial Descritivo tem a função de propiciar a perfeita compreensão do projeto e

Leia mais

1. Canteiro de Obra Campo Grande 03

1. Canteiro de Obra Campo Grande 03 1. Canteiro de Obra Campo Grande 03 A cidade de Campo Grande, localizada no estado do Rio Grande do Norte (RN), é um dos municípios no qual dispõe de boa estrutura para implantação de um dos três canteiros

Leia mais

I N S T R U Ç Õ E S Leia ATENTAMENTE as INSTRUÇÕES abaixo, antes de iniciar a PROVA:

I N S T R U Ç Õ E S Leia ATENTAMENTE as INSTRUÇÕES abaixo, antes de iniciar a PROVA: I N S T R U Ç Õ E S Leia ATENTAMENTE as INSTRUÇÕES abaixo, antes de iniciar a PROVA: 1. Você CANDIDATO recebe, juntamente com este Caderno de Provas, o Cartão-Resposta, único e insubstituível. Confira

Leia mais

RESIDENCIAL RECANTO DOS POETAS MEMORIAL DESCRITIVO DA HABITAÇÃO

RESIDENCIAL RECANTO DOS POETAS MEMORIAL DESCRITIVO DA HABITAÇÃO RESIDENCIAL RECANTO DOS POETAS MEMORIAL DESCRITIVO DA HABITAÇÃO 1. DESCRIÇÃO DO EDIFÍCIO O Recanto dos Poetas será constituído de: 6 (seis) blocos, cada um com 1 (um) pavimento pilotis e 4 (quatro) pavimentos

Leia mais

Instituto Tecnológico de Aeronáutica Engenharia de Infra-Estrutura Aeronáutica. Relatório de Estágio Curricular. Rodrigo Ferreira de Oliveira

Instituto Tecnológico de Aeronáutica Engenharia de Infra-Estrutura Aeronáutica. Relatório de Estágio Curricular. Rodrigo Ferreira de Oliveira Instituto Tecnológico de Aeronáutica Engenharia de Infra-Estrutura Aeronáutica Relatório de Estágio Curricular Rodrigo Ferreira de Oliveira São José dos Campos. Novembro 2005 Relatório de Estágio Curricular

Leia mais

Execução de Alvenaria - Elevação

Execução de Alvenaria - Elevação PRÁTICA RECOMENDADA PR - 5 Execução de Alvenaria - Elevação A metodologia proposta para a execução da alvenaria alterou significativamente a seqüência do serviço na etapa de marcação das paredes. Nenhum

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA.

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. Dados da Obra: Endereço da obra: Rua Amazonas, nº512, Centro. Parte

Leia mais

O custo da perda de blocos/tijolos e argamassa da alvenaria de vedação: estudo de caso na construção civil

O custo da perda de blocos/tijolos e argamassa da alvenaria de vedação: estudo de caso na construção civil O custo da perda de blocos/tijolos e argamassa da alvenaria de vedação: estudo de caso na construção civil Suenne Andressa Correia Pinho (UPE) - suenne_correia@hotmail.com Alberto Casado Lordsleem Jr.

Leia mais

Argamassa TIPOS. AC-I: Uso interno, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais. AC-II: Uso interno e externo.

Argamassa TIPOS. AC-I: Uso interno, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais. AC-II: Uso interno e externo. Especificações Técnicas Argamassa INDUSTRIALIZADA : Produto industrializado, constituído de aglomerantes e agregados miúdos, podendo ainda ser adicionados produtos especiais (aditivos), pigmentos com a

Leia mais

UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE CURSO DE ENGENHARIA CIVIL IVONETE APARECIDA WALTER PITTON FASE FINAL DE CONSTRUÇÃO DO RESIDENCIAL TERRA

UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE CURSO DE ENGENHARIA CIVIL IVONETE APARECIDA WALTER PITTON FASE FINAL DE CONSTRUÇÃO DO RESIDENCIAL TERRA UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE CURSO DE ENGENHARIA CIVIL IVONETE APARECIDA WALTER PITTON FASE FINAL DE CONSTRUÇÃO DO RESIDENCIAL TERRA LAGES (SC) ANO 2015 IVONETE APARECIDA WALTER PITTON FASE FINAL

Leia mais

Na casa da minha vida, só cerâmica

Na casa da minha vida, só cerâmica Na casa da minha vida, só cerâmica Anicer lança campanha para promover o produto cerâmico A Anicer deu início a uma campanha publicitária com ênfase nas mídias digitais para valorização do produto cerâmico.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO.

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO. SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO CASTANHAL (PA) MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO. ABRIL/2014 REFORMA

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Nome/Nº RE.PRO.023. Memorial Descritivo (7.3.2)

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Nome/Nº RE.PRO.023. Memorial Descritivo (7.3.2) 02/07/22 12/12/22 Versão MEMORIAL DESCRITIVO RESIDENCIAL NERIÁ Rua A.J. Renner, 1.390 Estância Velha Canoas / RS Arquivo: P:\SGQ\Registros\ e Desenvolvimento\0-RE.PRO.023 - Memorial Descritivo V.\Residencial

Leia mais

Dicas importantes para você construir ou reformar a sua casa.

Dicas importantes para você construir ou reformar a sua casa. Distribuição gratuita Dicas importantes para você construir ou reformar a sua casa. 1 Este folheto fornece informações úteis para orientá-lo na construção ou reforma de sua casa. Qualquer construção ou

Leia mais

x Obras e Instalações Prestação de Serviços INFORMAÇÕES

x Obras e Instalações Prestação de Serviços INFORMAÇÕES Projeto: TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2010062316505095 Conclusão das obras de infraestrutura física do alojamento de pesquisadores, recuperação das edificações existentes (sede administrativa e centro de visitantes),

Leia mais

5 DESCRIÇÃO DETALHADA DO BEM CULTURAL

5 DESCRIÇÃO DETALHADA DO BEM CULTURAL 57 5 DESCRIÇÃO DETALHADA DO BEM CULTURAL O conjunto arquitetônico da residência de Antônio de Rezende Costa, que hoje abriga a Escola Estadual Enéas de Oliveira Guimarães foi pelos autores do presente

Leia mais

ANÁLISE DAS PATOLOGIAS EXISTENTES NO CONJUNTO HABITACIONAL MONTE CARLO PRESIDENTE PRUDENTE

ANÁLISE DAS PATOLOGIAS EXISTENTES NO CONJUNTO HABITACIONAL MONTE CARLO PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 187 ANÁLISE DAS PATOLOGIAS EXISTENTES NO CONJUNTO HABITACIONAL MONTE CARLO PRESIDENTE PRUDENTE Gabriella Fernandes

Leia mais

Anexo I. Caderno de Especificações Técnicas. Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador

Anexo I. Caderno de Especificações Técnicas. Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador Anexo I Caderno de Especificações Técnicas Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador Porto Alegre/RS 1. Considerações Gerais Antes do início de quaisquer

Leia mais

Totalmente erguida em alvenaria estrutural, Obra racionalizada ARQUITETURA

Totalmente erguida em alvenaria estrutural, Obra racionalizada ARQUITETURA ARQUITETURA Obra racionalizada A alvenaria estrutural reduziu os custos da construção deste sobrado, que, apesar do método construtivo, tem cômodos integrados, no maior estilo contemporâneo POR CÍNTIA

Leia mais

5S s NO CANTEIRO DE OBRA DE UM CONJUNTO HABITACIONAL Edinaldo Favareto Gonzalez (1); Antônio Edésio Jungles (2) RESUMO

5S s NO CANTEIRO DE OBRA DE UM CONJUNTO HABITACIONAL Edinaldo Favareto Gonzalez (1); Antônio Edésio Jungles (2) RESUMO 5S s NO CANTEIRO DE OBRA DE UM CONJUNTO HABITACIONAL Edinaldo Favareto Gonzalez (1); Antônio Edésio Jungles (2) (1) Universidade Federal de Santa Catarina - Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE CONSTRUÇÃO DE ESCRITÓRIO EM ARIQUEMES/RO.

PROJETO BÁSICO DE CONSTRUÇÃO DE ESCRITÓRIO EM ARIQUEMES/RO. UNID. QUANT. UNITÁRIO TOTAL CÓD. DEOSP 1. SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 1.2 Aquisição e assentamento de placas de obras pronta de 3,00 x 2,00 m, conforme modelo. Barracão de obra em chapa de madeira compensada

Leia mais

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível,

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível, TIJOLOS ECOLÓGICOS Casa construída com tijolos ecológicos Fonte: paoeecologia.wordpress.com TIJOLOS ECOLÓGICOS CARACTERÍSTICAS São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL-AERONÁUTICA. São José dos Campos, 17/02/ 2012.

RELATÓRIO DE ESTÁGIO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL-AERONÁUTICA. São José dos Campos, 17/02/ 2012. INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL-AERONÁUTICA RELATÓRIO DE ESTÁGIO São José dos Campos, 17/02/ 2012. Nome do Aluno: Gabriela Nobre Pedreira da Costa 1 INFORMAÇÕES GERAIS Estagiário

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PAVIMENTAÇÃO E DRENAGEM DO ESTACIONAMENTO CÂMPUS RESTINGA

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PAVIMENTAÇÃO E DRENAGEM DO ESTACIONAMENTO CÂMPUS RESTINGA MEC/SETEC INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E DE PLANEJAMENTO DPO - REITORIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PAVIMENTAÇÃO E DRENAGEM DO ESTACIONAMENTO

Leia mais

ALVENARIA DE BLOCOS DE SOLO-CIMENTO FICHA CATALOGRÁFICA-27 DATA: JANEIRO/2014.

ALVENARIA DE BLOCOS DE SOLO-CIMENTO FICHA CATALOGRÁFICA-27 DATA: JANEIRO/2014. Tecnologias, sistemas construtivos e tipologias para habitações de interesse social em reassentamentos. ALVENARIA DE BLOCOS DE SOLO-CIMENTO FICHA CATALOGRÁFICA-27 DATA: JANEIRO/2014. Tecnologias, sistemas

Leia mais

SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL

SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL CONSTRUÇÃO CIVIL SENAI RR SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DOS CURSOS Catálogo de Cursos CARPINTEIRO ESTRUTURAL 1. TÍTULO CÓD. CBO 7155-05 Desenvolver no treinando o conhecimento

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL WALLACE PAZETO DA SILVA REIS RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio

Leia mais

18º CONCURSO FALCÃO BAUER DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA MOSCA DE CONCRETO (INFORMAÇÕES SOBRE O INVENTO)

18º CONCURSO FALCÃO BAUER DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA MOSCA DE CONCRETO (INFORMAÇÕES SOBRE O INVENTO) 18º CONCURSO FALCÃO BAUER DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA (INFORMAÇÕES SOBRE O INVENTO) RECIFE 2011 APRESENTAÇÃO Uma idéia simples, construída em concreto, que tem como objetivo fixar as escoras (mãos francesas)

Leia mais

VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável, elástica e de grande durabilidade.

VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável, elástica e de grande durabilidade. Descrição VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável, elástica e de grande durabilidade. Aplicação Campos de Aplicação - Impermeabilização de:. lajes de cobertura;. terraços;. calhas de concreto;.

Leia mais

Maio 2011 Recife Fabio Villas Bôas

Maio 2011 Recife Fabio Villas Bôas Maio 2011 Recife Fabio Villas Bôas 1 FULL SERVICE - INCORPORAÇÃO / CONSTRUÇÃO / VENDAS 34 ANOS DE MERCADO; 1851 COLABORADORES PRÓPRIOS; 6415 COLABORADORES TERCEIROS; MAIS DE 2,7 MILHÃO DE M 2 LANÇADOS

Leia mais

PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01

PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01 MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01 LOCALIZAÇÃO CENTRO DE EXPOSIÇÕES E CONGRESSOS

Leia mais

ANEXO VI PROJETO BÁSICO CONSTRUÇÃO DE MURO PRÉ-MOLDADO TIPO TRAPEZOIDAL E NYLOFOR, PAVIMENTAÇÃO EM PÓ DE PEDRA E PEDRISCO E CALÇADA CASA DO MEL

ANEXO VI PROJETO BÁSICO CONSTRUÇÃO DE MURO PRÉ-MOLDADO TIPO TRAPEZOIDAL E NYLOFOR, PAVIMENTAÇÃO EM PÓ DE PEDRA E PEDRISCO E CALÇADA CASA DO MEL PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MATEUS ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS ANEXO VI PROJETO BÁSICO CONSTRUÇÃO DE MURO PRÉ-MOLDADO TIPO TRAPEZOIDAL E NYLOFOR, PAVIMENTAÇÃO EM PÓ DE PEDRA

Leia mais

Parede de Garrafa Pet

Parede de Garrafa Pet CONCEITO As paredes feitas com garrafas pet são uma possibilidade de gerar casas pré fabricadas através da reciclagem e é uma solução barata e sustentável. As garrafas pet são utilizadas no lugar dos tijolos

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA DATA agosto/2013 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.2 74209/001 Aquisição e assentamento de placas de obra em aço galvanizado. Abrigo Provisorio de madeira executado na obra para m² 6,00 157,35 944,10 1.3 01520.8.1.1

Leia mais

TRAÇO Proporções e consumo de materiais

TRAÇO Proporções e consumo de materiais TRAÇO Proporções e consumo de materiais Prof. Marco Pádua Em cada fase da obra usamos diferentes proporções de aglomerantes (cimento e cal), e agregados (areia e pedra) cujo objetivo pode visar: resistência,

Leia mais

EXECUÇÃO DO REVESTIMENTO ARGAMASSA DE FACHADA DE P R O M O Ç Ã O

EXECUÇÃO DO REVESTIMENTO ARGAMASSA DE FACHADA DE P R O M O Ç Ã O EXECUÇÃO DO REVESTIMENTO DE FACHADA DE ARGAMASSA P R O M O Ç Ã O Início dos Serviços Alvenarias concluídas há 30 dias e fixadas internamente há 15 dias Estrutura concluída há 120 dias Contra marcos chumbados

Leia mais

CRONOGRAMA FISICO-FINANCEIRO/MEMORIAL DESCRITIVO

CRONOGRAMA FISICO-FINANCEIRO/MEMORIAL DESCRITIVO CRONOGRAMA FISICO-FINANCEIRO/MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Construção Institucional Sede Administrativa Proprietário: FENACLUBES Federação Nacional dos Clubes Esportivos Endereço da Obra: Rua Açaí 540 Jardim

Leia mais

METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO

METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO Segurança Antes do início de qualquer serviço, verificar a existência e condições dos equipamentos de segurança

Leia mais

LIGHT STEEL FRAMING COMO ALTERNATIVA PARA A CONSTRUÇÃO DE MORADIAS POPULARES

LIGHT STEEL FRAMING COMO ALTERNATIVA PARA A CONSTRUÇÃO DE MORADIAS POPULARES Contribuição técnica nº 23 LIGHT STEEL FRAMING COMO ALTERNATIVA PARA A CONSTRUÇÃO DE MORADIAS POPULARES Autores: ALEXANDRE KOKKE SANTIAGO MAÍRA NEVES RODRIGUES MÁRCIO SEQUEIRA DE OLIVEIRA 1 CONSTRUMETAL

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. As fundações serão em estacas rotativas, com blocos de fundação, executadas por firma especializada.

MEMORIAL DESCRITIVO. As fundações serão em estacas rotativas, com blocos de fundação, executadas por firma especializada. MEMORIAL DESCRITIVO 1. INFORMAÇÕES GERAIS Este PRÉDIO terá uso exclusivo RESIDENCIAL e terá 12 (doze) pavimentos, sendo que o 1º PAV SUB SOLO terá 26 espaços de garagem cobertos; o 2 PAV terá o hall de

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL CARLOS HENRIQUE FELIPE POÇAS RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO DE QUADRA ESPORTIVA CAMPUS RIO DO SUL

SUBSTITUIÇÃO DE QUADRA ESPORTIVA CAMPUS RIO DO SUL SUBSTITUIÇÃO DE QUADRA ESPORTIVA CAMPUS RIO DO SUL MEMORIAL DESCRITIVO 1 INTRUDOUÇÃO 1.1. OBJETO O presente memorial descritivo faz parte do processo para a manutenção da quadra esportiva do ginásio do

Leia mais

PRINCIPAIS FALHAS EM AUDITORIAS DO PBQP-H

PRINCIPAIS FALHAS EM AUDITORIAS DO PBQP-H PRINCIPAIS FALHAS EM AUDITORIAS DO PBQP-H PARA COMEÇAR......A VERSÃO 2012 VERSÃO 2012 A versão 2012 do SiAC incluiu alguns requisitos, antes não verificados em obras. São eles: 1. Indicadores de qualidade

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA EM TODAS AS UNIDADES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO LINHARES - ES

MEMORIAL DESCRITIVO SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA EM TODAS AS UNIDADES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO LINHARES - ES MEMORIAL DESCRITIVO SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA EM TODAS AS UNIDADES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO LINHARES - ES 1 1. INTRODUÇÃO O memorial se refere aos Serviços de Manutenção

Leia mais

D E C R E T A: Art. 1 - Ficam estabelecidas os procedimentos e valores relativos ao PROGRAMA HABITAR MAMBORÊ de que trata a Lei Municipal 58/2013.

D E C R E T A: Art. 1 - Ficam estabelecidas os procedimentos e valores relativos ao PROGRAMA HABITAR MAMBORÊ de que trata a Lei Municipal 58/2013. DECRETO MUNICIPAL Nº. 05/2014 SUMULA: Regulamenta a doação de material de construção e o fornecimento de mão-de-obra a famílias carentes de natureza habitacional na forma do PROGRAMA HABITAR MAMBORÊ disposto

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II 1 O PROJETO ASPECTOS IMPORTANTES PARA O ELETRICISTA

Leia mais

Alvenaria de Blocos de Concreto

Alvenaria de Blocos de Concreto Alvenaria de Blocos de Concreto Recomendações Gerais Av. Verbo Divino Nº 331 Bairro: Chácara Da Cotia Contagem - MG Tel.: 3394-6104 Conceitos Gerais O que é Alvenaria Estrutural? Alvenaria estrutural é

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Assunto: Serviços Preliminares Prof. Ederaldo Azevedo Aula 2 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br A obra de construção de edifícios tem seu início propriamente dito, com a implantação do canteiro de obras.

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito das especificações de materiais, julgue os itens a seguir. 51 Os cimentos CP III cimentos portland de alto-forno e CP IV cimento portland pozolânico são menos porosos e resistentes, sendo ideais

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: CONSTRUÇÃO DE 22 (VINTE E DUAS) UNIDADES HABITACIONAL DOIS QUARTOS LOCAL: VILA ESPLANADA I GOIATUBA GO. ÁREA ÚTIL: 49,98 m 2

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: CONSTRUÇÃO DE 22 (VINTE E DUAS) UNIDADES HABITACIONAL DOIS QUARTOS LOCAL: VILA ESPLANADA I GOIATUBA GO. ÁREA ÚTIL: 49,98 m 2 MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: CONSTRUÇÃO DE 22 (VINTE E DUAS) UNIDADES HABITACIONAL DOIS QUARTOS LOCAL: VILA ESPLANADA I GOIATUBA GO. ÁREA ÚTIL: 49,98 m 2 Página 1 de 13 1.- INTRODUÇÃO O presente memorial

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção Unidade Básica de Saúde PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE CACIQUE DOBLE.

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção Unidade Básica de Saúde PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE CACIQUE DOBLE. MEMORIAL DESCRITIVO Construção Unidade Básica de Saúde TIPO DE CONSTRUÇÃO: Prédio em Alvenaria UBS Unidade Básica de Saúde da Sede do município. LOCAL: Rua Édimo Luiz Tonial na cidade de Cacique Doble

Leia mais