TRABALHO DE GESTÃO DE REVESTIMENTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TRABALHO DE GESTÃO DE REVESTIMENTOS"

Transcrição

1 TRABALHO DE GESTÃO DE REVESTIMENTOS

2 TEMA Ensaio de aderência de revestimentos de argamassa, gesso e cerâmica. OBJETIVO Analisar o grau de aderência dos revestimentos utilizados, em relação à norma técnica NBR

3 DESCRIÇÃO O trabalho foi direcionado ao estudo de aderência de revestimentos de argamassa e gesso em superfície de bloco de concreto e cerâmico, e aderência de revestimentos cerâmicos de piso e parede, no intuito de constatar a adequação dos processos e materiais utilizados em relação à norma.

4 MOTIVAÇÃO DO ESTUDO A não utilização de chapisco para revestimentos de reboco externo em paredes de bloco de concreto; A ocorrência de descolamento de revestimentos cerâmicos.

5 DESENVOLVIMENTO Levantamento dos materiais empregados; Tipos de processos executivos atualmente utilizados; Determinação de processos comparativos para ensaio, que aumentariam a aderência dos revestimentos; Escolha das obras para estudo; Execução dos ensaios; Análise dos resultados; Conclusão.

6 LEVANTAMENTO DOS ENSAIOS REVESTIMENTO AMBIENTE SUBSTRATO REBOCO INTERNO ESTRUTURA CHAPISCADA BLOCO CERÂMICO CHAPISCADO BLOCO CERÂMICO SEM CHAPISCO EXTERNO BLOCO CONCRETO DE VEDAÇÃO SEM CHAPISCO BLOCO CONCRETO DE VEDAÇÃO CHAPISCADO GESSO INTERNO BLOCO CONCRETO ESTRUTURAL BLOCO CERÂMICO CERÂMICA INTERNA CONTRA PISO EMBOÇO CASOS EXECUTADOS CASOS COMPARATIVOS

7 ENSAIO DE ADERÊNCIA DE REVESTIMENTO REVESTIMENTO SUBSTRATO TIPO PRODUÇÃO/ FABRICANTE TIPO COMPOSIÇÃO ELEMENTO TRAÇO DIMENSÕES (cm) RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO (Mpa) PRODUÇÃO/ FABRICANTE Bloco Cerâmico Vedação 9x19x25 9x19x19 1,5 B Argamassa Concreteira + Obra Pré misturada (1:6) Cimento + mistura de cal/areia Bloco Cerâmico Vedação Bloco Concreto Vedação Bloco Concreto Vedação 9x19x25 9x19x19 1,5 B 9x19x39 3,0 C 9x19x39 3,0 C Estrutura Pilar 25,0 Gesso Liso Gesso Bloco Concreto Estrutural Bloco Cerâmico Vedação 9x19x39 4,5 C 9x19x25 9x19x19 1,5 B Cerâmica A A Bege 30x30cm Branco 25x35cm Contra-piso (1:3) Obra Emboço (1:6) mistura Obra

8 Ensaios Corte do revestimento Posicionamento do aparelho

9 Valores de Resistênica de Aderência à tração Local Acabamento Final Ra (MPa) Interno Pintura ou base para reboco > 0,2 Cerâmica ou Laminado > 0,3 Parede Externo Pintura ou base para reboco > 0,3 Cerâmica > 0,3 Teto > 0,2

10 REBOCO RESULTADOS OBTIDOS Substrato/ Ambiente Com Chapisco Sem chapisco 2 x 0,1 MPa 0,02 MPa 4 x 0,2 MPa 0,03 MPa Bloco Cerâmico 0,05 MPa Ambiente Interno 0,06 MPa 0,14 MPa 0,17 MPa Forma de Ruptura Interface chapisco/argamassa de revestimento Interface bloco cerâmico/argamassa de revestimento Resultado Atende para acabamento em pintura > 0,2 MPa Não atende quanto à norma < 0,2 Mpa

11 Ensaio Reboco Interno em Bloco Cerâmico Placas de ensaio Interface de ruptura

12 Ensaio - Resultado Vista da interface substrato-revestimento

13 RESULTADOS OBTIDOS REBOCO Substrato/ Ambiente Com Chapisco Sem chapisco Bloco Concreto 5 x 0,3 MPa 1 x 0,0 MPa Ambiente Externo 1 x 0,4 MPa 3 x 0,2 MPa 2 x 0,3 MPa Forma de ruptura Interface chapisco/argamassa de revestimento Argamassa de revestimento Resultado Atende para acabamento em pintura ou cerâmica > 0,3 MPa Não atende quanto à norma

14 Ensaio Reboco Externo em Bloco de Concreto Vista do ensaio Interface de ruptura

15 REBOCO RESULTADOS OBTIDOS Substrato/ Ambiente Estrutura de Concreto Pilar Ambiente Interno Forma de ruptura Resultado Com Chapisco 1 x 0,1 MPa 2 x 0,2 MPa 3 x 0,3 MPa Revestimento de argamassa Atende para acabamento em pintura > 0,2 MPa

16 CONCLUSÃO Chapisco Baixa aderência do chapisco rolado à estrutura. Medidas adotadas: Melhorar a aderência através da escovação dos pilares; Eliminar a utilização de chapisco do tipo rolado; Diminuir a concentração de bianco na solução utilizada; Estudar a utilização de chapisco industrializado.

17 CONCLUSÃO Reboco 1. Diminuição significativa da aderência do reboco em alvenaria de bloco cerâmico não chapiscado; 2. Diminuição da resistência à tração da argamassa de reboco (em bloco de concreto). Medidas adotadas: Chapiscar paredes de bloco cerâmico onde posteriormente for assentada cerâmica sobre emboço; Estudar novo traço para eliminar a utilização de chapisco em alvenaria; As alvenarias de bloco de concreto não serão chapiscadas.

18 RESULTADOS OBTIDOS GESSO Substrato/ Ambiente Bloco Concreto Ambiente Interno Forma de ruptura Resultado Substrato/ Ambiente Bloco Cerâmico Ambiente Interno Sem chapisco 3 x 0,2 MPa 2 x 0,3 MPa 1 x 0,4 MPa Interface bloco/gesso liso Atende para acabamento em pintura > 0,2 MPa Sem chapisco 5 x 0,1 MPa 1 x 0,2 MPa Forma de ruptura Resultado Bloco cerâmico Ocorreu o rompimento do substrato

19 CONCLUSÃO Gesso Liso Os ensaios foram considerados satisfatórios em relação à aderência obtida em ambos os casos; O bom desempenho do Gesso liso em relação ao reboco em bloco cerâmico não chapiscado.

20 CERÂMICA RESULTADOS OBTIDOS Substrato Resultado Forma de ruptura Resultado Substrato Resultado Forma de ruptura Resultado Emboço em parede de bloco cerâmico sem chapisco 1 x 0,0 MPa 1 x 0,1MPa 1 x 0,2 MPa 3 x 0,3 MPa Emboço Não atende a norma < 0,3 Mpa Piso / Contrapiso 3 x 0,2 MPa 3 x 0,3 MPa 1 x 0,4 MPa Interface argamassa colante/contra-piso Atende quanto à aderência > 0,3 Mpa

21 CONCLUSÃO Cerâmica Piso Ensaio considerado satisfatório. Cerâmica Parede Resultado pouco abaixo do especificado pela norma; Confirmação de ligeira diminuição da resistência do emboço devido rompimento do mesmo. Medida adotada: Estudar o traço do emboço para aumento de sua resistência à tração.

22

23 TRABALHO DE GESTÃO DE REVESTIMENTOS TRABALHO DE GESTÃO DE REVESTIMENTO

24 EMPRESA MORAR CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA TEMA ENSAIO DE ADERÊNCIA DE REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA, GESSO E CERÂMICA. OBJETIVO Analisar o grau de aderência dos revestimentos utilizados, em relação à norma técnica NBR DESCRIÇÃO O trabalho foi direcionado ao estudo de aderência dos revestimentos em argamassa e gesso, assentados em superfícies de blocos de concreto e cerâmico, e aderência de revestimentos cerâmicos de piso e parede. O estudo foi desenvolvido no intuito de constatar a adequação dos processos executivos e materiais utilizados para revestimento, e comparação dos valores obtidos com a norma vigente. GRUPO DE ESTUDO O grupo de estudo da MORAR Construtora é formado por: Bartira Gomes de Almeida; Breno Monteiro Peixoto; Diego Ferreira Coutinho; Víctor Emmanuel Teixeira.

25 DESENVOLVIMENTO Com base nos revestimentos e substratos utilizados nas obras da empresa, foram determinadas todas as variações executivas para o desenvolvimento do estudo e casos executivos adicionais para comparação de resultados. O resultado das análises visa em primeiro lugar confirmar a adequação dos processos executivos de revestimento utilizados e posteriormente, comparar os mesmos as variações executivas que aumentariam a aderência dos revestimentos aos substratos. Tal fato surgiu através do questionamento da não utilização de chapisco para revestimento de reboco externo em paredes de bloco de concreto, e de casos de descolamento de revestimento cerâmico de piso. Os casos executados pela empresa a serem estudados são (ver anexo 1): 1. Revestimento de reboco interno em bloco cerâmico de vedação, não chapiscado; 2. Revestimento de reboco externo em bloco de concreto de vedação, não chapiscado; 3. Revestimento de reboco interno em elemento estrutural, chapiscado; 4. Revestimento em gesso liso interno em bloco de concreto estrutural, não chapiscado; 5. Revestimento em gesso liso interno em bloco cerâmico de vedação, não chapiscado; 6. Revestimento cerâmico interno de piso; 7. Revestimento cerâmico interno de parede. Os casos adicionais comparativos são (ver anexo 1): 8. Revestimento de reboco interno em bloco cerâmico de vedação, chapiscado; 9. Revestimento de reboco externo em bloco de concreto de vedação, chapiscado. A empresa contratada para a execução dos ensaios foi a BRASCONTEC Engenharia e Tecnologia.

26 METODOLOGIA Os ensaios foram realizados de acordo com a norma técnica NBR 13749, que especifica os valores mínimos de resistência de aderência à tração descritos na tabela abaixo. Foram utilizadas 6 amostras por ensaio para a determinação dos valores de resistência. Para ser validado o ensaio, no mínimo 4 amostras devem apresentar resistência ao descolamento. Para preparo das amostras, são colados ao revestimento estudado, 6 placas metálicas de formato quadrado de lado 100mm através de Sikadul 32, 24 horas antes da realização do ensaio. O ensaio de arrancamento inicia-se com o corte do revestimento até o substrato no limite do contorno das peças metálicas aderidas, através de serra mármore. Após o corte é preso o equipamento de tração em cada peça metálica a ser ensaiada individualmente, e feito o apoio do equipamento à superfície através de bases para transferência de carga. O equipamento deve ser instalado visando o nivelamento do mesmo. O equipamento aplica carga de tração na peça metálica até o momento do descolamento do revestimento. Os dados de carga de ruptura são conferidos e determinada a localização dos planos de ruptura. Valores de Resistência de aderência à tração: Local Acabamento Final Ra (MPa) Interno Pintura ou base para reboco > 0,2 Parede Cerâmica ou Laminado > 0,3 Externo Pintura ou base para reboco > 0,3 Cerâmica > 0,3 Teto > 0,2

27 CONCLUSÃO CHAPISCO O chapisco anteriormente utilizado é do tipo rolado e apresentou baixa aderência à estrutura. Foram adotadas como medidas para melhoria da aderência: Escovar os pilares com escova de aço e efetuar sua limpeza com água, imediatamente antes da aplicação do chapisco, para remoção do desmoldante utilizado na concretagem e abertura dos poros do concreto, para aumento da superfície de aderência do chapisco na estrutura; Eliminar a utilização do chapisco do tipo rolado; Diminuição da concentração do aditivo Bianco no traço de chapisco, passando para a proporção de 1:3 (bianco : água); Estudar a utilização de chapisco industrializado, devido ao melhor controle de produção e qualidade do mesmo. REBOCO Segundo os testes realizados, foi constatada uma diminuição significativa da aderência do reboco em alvenarias de bloco cerâmico. Tal fator está relacionado às características do bloco utilizado, que possui uma superfície de aderência com característica vitrificada (com ausência de poros para fixação da argamassa de reboco) e o tipo de argamassa produzida não garantir uma ponte adesiva adequada. Será estudada a utilização de chapisco nas paredes em bloco cerâmico onde posteriormente for assentada cerâmica; Será estudado o traço do reboco utilizado no intuito de eliminar a aplicação de chapisco em alvenarias e garantir a aderência da argamassa diretamente sobre o substrato; Quanto às alvenarias em bloco de concreto, em princípio, tanto internamente quanto externamente elas não serão chapiscadas. GESSO LISO Os ensaios realizados em revestimentos de gesso foram considerados satisfatórios em relação à aderência obtida, tanto em relação a sua utilização em paredes que receberão acabamento em pintura, quanto a sua comparação com os resultados obtidos no reboco interno sem chapisco em parede de bloco cerâmico, por se tratarem de processos de revestimento concorrentes. Nos testes realizados em bloco cerâmico, contatou-se o rompimento do substrato durante os teste, mantendo assim a aderência do revestimento.

28 CERÂMICA Os testes realizados em cerâmica de piso atenderam quanto à aderência ao substrato sem maiores observações. Os testes realizados em cerâmica de parede ficaram pouco abaixo do recomendado por norma. O comprometimento da aderência da cerâmica foi determinado pela ruptura do emboço, confirmando os resultados obtidos nos ensaios de reboco interno, quanto a sua resistência à tração.

29 ANEXO 1 - ENSAIO DE ADERÊNCIA DE REVESTIMENTO REVESTIMENTO SUBSTRATO REVESTIMENTO DE ARGAMASSA REVESTIMENTO CERÂMICO TIPO PRODUÇÃO/ FABRICANTE TIPO COMPOSIÇÃO ELEMENTO TRAÇO DIMENSÕES (cm) RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO (Mpa) PRODUÇÃO/ FABRICANTE TIPO DE CHAPISCO PRESENÇA DE ARGAMASSA DE TRAÇO CHAPISCO ASSENTAMENTO (CIMENTO:AREIA) FABRICANTE AMBIENTE OBRA ESTUDADA LOCAL Bloco Cerâmico Vedação 9x19x25 9x19x19 1,5 B Sim (1:3) Interno X Parede quarto Bloco Cerâmico Vedação 9x19x25 9x19x19 1,5 B Não Interno X Parede da cozinha Argamassa Concreteira + Obra Pré misturada (1:6) Cimento + mistura de cal/areia Bloco Concreto Vedação 9x19x39 3,0 C Sim (1:3) Externo X Parede área externa Bloco Concreto Vedação 9x19x39 3,0 C Não Externo X Parede área externa Estrutura Pilar 25,0 Sim (1:3) Interno Y Sala Bloco Concreto Estrutural 9x19x39 4,5 C Não Interno Y Parede da sala Gesso Liso Gesso Bloco Cerâmico Vedação 9x19x25 9x19x19 1,5 B Não Interno Z Sala de Estar A Bege 30x30cm Contra-piso (1:3) Obra AC I D Interno Z Sala de Estar Cerâmica A Branco 25x35cm Emboço (1:6) mistura Obra AC I D Interno Z Cozinha OBS: OS TRAÇOS SÃO DETERMINADOS EM VOLUME SEMPRE EM RELAÇÃO AO SACO DE CIMENTO COM 36 LITS OU 50 KG. CHAPISCO: RELAÇÃO BIANCO: ÁGUA = 1:2

30 RESULTADOS OBTIDOS REBOCO Substrato/ Ambiente Com Chapisco Sem chapisco Bloco Cerâmico Ambiente Interno 2 x 0,1 MPa 0,02 MPa 4 x 0,2 MPa 0,03 MPa 0,05 MPa 0,06 MPa 0,14 MPa 0,17 MPa Forma de ruptura Interface chapisco/argamassa de revestimento Interface bloco cerâmico/argamassa de revestim Resultado Atende para acabamento em pintura > 0,2 MPa Não atende quanto à norma < 0,2 MPa Substrato/ Ambiente Com Chapisco Sem chapisco Bloco Concreto 5 x 0,3 MPa 1 x 0,0 MPa Ambiente Externo 1 x 0,4 MPa 3 x 0,2 MPa 2 x 0,3 MPa Forma de revestimento Interface chapisco/argamassa de revestimento Argamassa de revestimento Resultado Atende para acabamento em pintura ou cerâmica > 0,3 Mpa Não atende quanto à norma Substrato/ Ambiente Estrutura de Concreto Pilar Ambiente Interno Forma de ruptura Resultado Com Chapisco 1 x 0,1 MPa 2 x 0,2 MPa 3 x 0,3 MPa Revestimento de argamassa Atende para acabamento em pintura > 0,2 Mpa GESSO Substrato/ Ambiente Bloco Concreto Ambiente Interno Forma de ruptura Resultado Sem chapisco 3 x 0,2 MPa 2 x 0,3 MPa 1 x 0,4 MPa Interface bloco/gesso liso Atende para acabamento em pintura > 0,2 Mpa Substrato/ Ambiente Bloco Cerâmico Ambiente Interno Sem chapisco 5 x 0,1 MPa 1 x 0,2 MPa Forma de ruptura Resultado Bloco cerâmico Ocorreu o rompimento do substrato CERÂMICA Substrato Resultado Forma de ruptura Resultado Emboço em parede de bloco cerâmico sem chapisco 1 x 0,0 MPa 1 x 0,1 MPa 1 x 0,2 MPa 3 x 0,3 MPa Emboço Não atende quanto à norma < 0,3 Mpa Substrato Rsultado Forma de ruptura Resultado Contrapiso 3 x 0,2 MPa 3 x 0,3 MPa 1 x 0,4 MPa Interface argamassa colante/contra-piso Atende quanto à aderência > 0,3MPa

31 Valores de Resistênica de Aderência à tração Local Acabamento Final Ra (MPa) Interno Pintura ou base para reboco > 0,2 Parede Cerâmica ou Laminado > 0,3 Externo Pintura ou base para reboco > 0,3 Cerâmica > 0,3 Teto > 0,2

AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DAS ARGAMASSAS COLANTES ACIII SOBRE SISTEMAS ACRÍLICOS E ACRÍLICOS CIMENTÍCIOS SERGIO MAROSSI (1)

AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DAS ARGAMASSAS COLANTES ACIII SOBRE SISTEMAS ACRÍLICOS E ACRÍLICOS CIMENTÍCIOS SERGIO MAROSSI (1) AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DAS ARGAMASSAS COLANTES ACIII SOBRE SISTEMAS ACRÍLICOS E ACRÍLICOS CIMENTÍCIOS SERGIO MAROSSI (1) (1) Responsável Técnico da Citimat Impermeabilizantes Ltda. Citimat Impermeabilizantes

Leia mais

Argamassa colante para assentamento de porcelanato em fachadas externas ARGAMASSA COLANTE PARA ASSENTAMENTO DE PORCELANATO EM FACHADAS EXTERNAS

Argamassa colante para assentamento de porcelanato em fachadas externas ARGAMASSA COLANTE PARA ASSENTAMENTO DE PORCELANATO EM FACHADAS EXTERNAS ARGAMASSA COLANTE PARA ASSENTAMENTO DE PORCELANATO EM FACHADAS EXTERNAS OBJETIVO: Desenvolver argamassa à base cimentícia para fixação de placas cerâmicas (porcelanato) e granitos em fachadas externas.

Leia mais

VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável

VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável Juliano Moresco Silva Especialista em Tecnologia do Concreto juliano.silva@azulconcretos.com.br

Leia mais

DIMENSÃO MÁXIMA PLACAS CERÂMICAS E PORCELANATOS. 45 x 45 cm. 45 x 45 cm. 60 x 60 cm. 60x 60 cm

DIMENSÃO MÁXIMA PLACAS CERÂMICAS E PORCELANATOS. 45 x 45 cm. 45 x 45 cm. 60 x 60 cm. 60x 60 cm 01 DESCRIÇÃO: Argamassa leve de excelente trabalhabilidade, ideal para assentamento de revestimentos cerâmicos, porcelanatos, pedras rústicas em áreas internas e externas em pisos e paredes; Aplicação

Leia mais

ÁREA DE ENSAIOS ALVENARIA ESTRUTURAL RELATÓRIO DE ENSAIO N O 36555

ÁREA DE ENSAIOS ALVENARIA ESTRUTURAL RELATÓRIO DE ENSAIO N O 36555 LABORATÓRIO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL ENDEREÇO: Cidade Universitária Camobi, Santa Maria (RS) CEP 97105 900 TELEFONE: (55) 3220 8608 (Fax) Direção 3220 8313 Secretaria E-MAIL: lmcc@ct.ufsm.br 1/5

Leia mais

Argamassa TIPOS. AC-I: Uso interno, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais. AC-II: Uso interno e externo.

Argamassa TIPOS. AC-I: Uso interno, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais. AC-II: Uso interno e externo. Especificações Técnicas Argamassa INDUSTRIALIZADA : Produto industrializado, constituído de aglomerantes e agregados miúdos, podendo ainda ser adicionados produtos especiais (aditivos), pigmentos com a

Leia mais

Revestimento de fachadas: aspectos executivos

Revestimento de fachadas: aspectos executivos UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Setembro, 2009 Revestimento de fachadas: aspectos executivos Eng.º Antônio Freitas da Silva Filho Engenheiro Civil pela UFBA Julho de 1982; Engenheiro da Concreta Tecnologia

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica 372

IV Seminário de Iniciação Científica 372 IV Seminário de Iniciação Científica 372 AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA INDUSTRIALIZADA Juliane Barbosa Rosa 1,3., Renato Resende Angelim 2,3. 1 Voluntária Iniciação Científica PVIC/UEG

Leia mais

VIABILIDADE DO USO DA AREIA INDUSTRIAL NA ARGAMASSA PREPARADA EM OBRA. Comunidade da Construção Sistemas à base de cimento

VIABILIDADE DO USO DA AREIA INDUSTRIAL NA ARGAMASSA PREPARADA EM OBRA. Comunidade da Construção Sistemas à base de cimento VIABILIDADE DO USO DA AREIA INDUSTRIAL NA ARGAMASSA PREPARADA EM OBRA Comunidade da Construção Sistemas à base de cimento Efer Construtores Associados COMPONENTES: Eng o Josemar Araújo Eng o Ronaldo Castellar

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIO CCC/157.153/08 ARGAMASSA COLANTE ENSAIOS DIVERSOS

RELATÓRIO DE ENSAIO CCC/157.153/08 ARGAMASSA COLANTE ENSAIOS DIVERSOS Página: 1/8 RELATÓRIO DE ENSAIO CCC/157.153/08 ARGAMASSA COLANTE ENSAIOS DIVERSOS INTERESSADO: COLAFIX INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA. Rua Papa João XXIII, 780 Centro 94910-170 Cachoeirinha RS Ref.: (43.188)

Leia mais

Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1

Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1 Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 7 REVESTIMENTOS VERTICAIS Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil

Leia mais

ELASTEQ 7000 ARGAMASSA POLIMÉRICA

ELASTEQ 7000 ARGAMASSA POLIMÉRICA ELASTEQ 7000 ARGAMASSA POLIMÉRICA Impermeabilizante à base de resinas termoplásticas e cimentos com aditivos e incorporação de fibras sintéticas (polipropileno). Essa composição resulta em uma membrana

Leia mais

bloco de vidro ficha técnica do produto

bloco de vidro ficha técnica do produto 01 Descrição: votomassa é uma argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para assentamento e rejuntamento de s. 02 Classificação técnica: ANTES 205 Bloco votomassa

Leia mais

OBRA: REFORMA E RECUPERAÇÃO DE PISCINA ENTERRADA - IEG

OBRA: REFORMA E RECUPERAÇÃO DE PISCINA ENTERRADA - IEG OBRA: REFORMA E RECUPERAÇÃO DE PISCINA ENTERRADA - IEG DATA: Abril/2011. LOCALIZAÇÃO : Av. Anhanguera Goiânia/GO. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA: Impercia Atacadista LTDA. EXECUÇÃO: - ALDEIA ENGENHARIA LTDA. Situação:

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAM ENTO DE ENGENHARIA E INFRAESTRUTURA BR 406 - Km 73 n 3500 Perímetro Rural do Município de João Câmara / RN, CEP: 59550-000

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE ENGENHARIA CIVIL LTA. 120. 05. 16

LAUDO TÉCNICO DE ENGENHARIA CIVIL LTA. 120. 05. 16 1 / 19 LAUDO TÉCNICO DE ENGENHARIA CIVIL LTA. 120. 05. 16 EUCALIPTO SERVIÇOS TÉCNICOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL LTDA Rua Marquês de Maricá, 625 - cj. 42 - Sacomã - São Paulo - SP CEP: 04252-000 Tel: (11) 2215-3064

Leia mais

Anexo I. Caderno de Especificações Técnicas. Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador

Anexo I. Caderno de Especificações Técnicas. Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador Anexo I Caderno de Especificações Técnicas Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador Porto Alegre/RS 1. Considerações Gerais Antes do início de quaisquer

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL

PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE EXECUÇÃO: 1. Condições para o início dos serviços A alvenaria deve estar concluída e verificada. As superfícies

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIOS N.º 103 / 540 / 13

RELATÓRIO DE ENSAIOS N.º 103 / 540 / 13 Folha 1/6 ARGAMASSA COLANTE INDUSTRIALIZADA PARA ASSENTAMENTO DE PLACAS CERÂMICAS Cliente: Saint-Gobain do Brasil Produtos Ind. e para Construção Ltda. Pedido n º 103/13 Divisão Weber Quartzolit Endereço:

Leia mais

porcelanato interno ficha técnica do produto

porcelanato interno ficha técnica do produto 01 DESCRIÇÃO: votomassa é uma argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para aplicação de revestimentos cerâmicos e s em áreas internas. 02 CLASSIFICAÇÃO TÉCNICA:

Leia mais

Graus de orçamento. Orçamento preliminar estimar os quantitativos de concreto, aço e fôrma do edifício abaixo:

Graus de orçamento. Orçamento preliminar estimar os quantitativos de concreto, aço e fôrma do edifício abaixo: Graus de orçamento Exercício da aula passada Orçamento preliminar Graus de orçamento Orçamento preliminar estimar os quantitativos de concreto, aço e fôrma do edifício abaixo: Área de 300 m² por pavimento

Leia mais

MASSA LISA PROTEC. Embalagem: Saco de 20 kg Consumo: 1,0 a 1,3 kg/m² por milímetro de espessura

MASSA LISA PROTEC. Embalagem: Saco de 20 kg Consumo: 1,0 a 1,3 kg/m² por milímetro de espessura MASSA LISA Massa extra-lisa para revestimento de paredes e tetos. Substitui a massa corrida e o gesso, reduzindo o uso de lixas. Sem desperdício e de rápida aplicação; Reduz o uso de lixas; Aplicação sobre

Leia mais

BIANCO. Preparo do substrato As superfícies devem estar limpas, porosas, isentas de pó ou oleosidade e serem umedecidas antes da aplicação.

BIANCO. Preparo do substrato As superfícies devem estar limpas, porosas, isentas de pó ou oleosidade e serem umedecidas antes da aplicação. Produto é uma resina sintética, de alto desempenho, que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. Confere maior plasticidade e, assim, maior resistência ao desgaste e

Leia mais

Patologia em fachadas com revestimentos cerâmicos

Patologia em fachadas com revestimentos cerâmicos Manifestações patológicas na construção Patologia em fachadas com revestimentos cerâmicos Pathology on facades with ceramic coatings Galletto, Adriana (1); Andrello, José Mario (2) Mestre em Engenharia

Leia mais

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO Especificação Destinada Construção do Núcleo de Empresas Junior INTRODUÇÃO A execução dos serviços referente Construção do Núcleo de Empresas Junior, obedecerá

Leia mais

Excelente para o assentamento e rejuntamento simultâneo de pastilhas de porcelana e vidro;

Excelente para o assentamento e rejuntamento simultâneo de pastilhas de porcelana e vidro; 01 Descrição: NOVO PRODUTO votomassa é uma argamassa que proporciona alta aderência e trabalhabilidade no assentamento de de porcelana e vidro 02 Classificação: votomassa combina cimento Portland, agregados

Leia mais

REGIONAL DO IBRACON GOIÂNIA CONCRETO PROJETADO

REGIONAL DO IBRACON GOIÂNIA CONCRETO PROJETADO REGIONAL DO IBRACON GOIÂNIA CONCRETO PROJETADO Geol. Carlos de Oliveira Campos Desde o início do século se usa no mundo o concreto projetado e no Brasil desde a década de 60. Vem da língua inglesa a expressão

Leia mais

cerâmica externa ficha técnica do produto

cerâmica externa ficha técnica do produto 01 Descrição: Argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para aplicação de revestimentos cerâmicos em áreas internas e s. 02 Classificação técnica: ANTES Colante

Leia mais

TRAÇO Exercício (I) 1 Módulo

TRAÇO Exercício (I) 1 Módulo TRAÇO Exercício (I) 1 Módulo Prof. Marco Pádua Calculo das quantidades de materiais necessários para executar um cômodo considerando uma estrutura modular de 5.00 X 5.00 m, segundo as dimensões abaixo

Leia mais

GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS. Comunidade da Construção de Vitória

GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS. Comunidade da Construção de Vitória GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS 1 Objetivo Utilizar o controle tecnológico como ferramenta imprescindível para execução do revestimento de argamassa e cerâmica em fachadas, aumentando a

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA INOVAÇÃO EM EQUIPAMENTOS COM TECNOLOGIA NO ASSENTAMENTO DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS

A INFLUÊNCIA DA INOVAÇÃO EM EQUIPAMENTOS COM TECNOLOGIA NO ASSENTAMENTO DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS A INFLUÊNCIA DA INOVAÇÃO EM EQUIPAMENTOS COM TECNOLOGIA NO ASSENTAMENTO DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS M. T. Baú (1); G. A. Pelegrini (2); H. R. Roman (3); L. F. M. Heineck (4); C. Baú (5) (1) Departamento

Leia mais

MONITORAMENTO DE NORMALIZAÇÃO FEVEREIRO

MONITORAMENTO DE NORMALIZAÇÃO FEVEREIRO 1) ABNT/CB-02 - COMITÊ BRASILEIRO DA CONSTRUÇÃO CIVIL ABNT NBR 5476 - Requisitos para o sistema de gestão de manutenção. Reunião 17 de fevereiro Houve uma mudança no escopo onde se define a necessidade

Leia mais

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível,

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível, TIJOLOS ECOLÓGICOS Casa construída com tijolos ecológicos Fonte: paoeecologia.wordpress.com TIJOLOS ECOLÓGICOS CARACTERÍSTICAS São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que

Leia mais

ARGAMASSAS E CONCRETOS CONCRETOS

ARGAMASSAS E CONCRETOS CONCRETOS ARGAMASSAS E CONCRETOS CONCRETOS CONTROLE ESTATÍSTICO DO CONCRETO Uma das principais formas de avaliar a qualidade de um concreto é através de sua resistência à compressão. Algumas variações nos valores

Leia mais

ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO DE FACHADAS EXPOSTAS À. AMBIENTE MARINHO Avaliação da Aderência

ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO DE FACHADAS EXPOSTAS À. AMBIENTE MARINHO Avaliação da Aderência ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO DE FACHADAS EXPOSTAS À AMBIENTE MARINHO Avaliação da Aderência Por: Regina Helena Ferreira de Souza Professora Dra., Titular de Estruturas, Departamento de Engenharia Civil Universidade

Leia mais

TECNOLOGIA DAS EDIFICAÇÕES III Prof. Antônio Neves de Carvalho Júnior I) REVESTIMENTOS DE PAREDES E TETOS

TECNOLOGIA DAS EDIFICAÇÕES III Prof. Antônio Neves de Carvalho Júnior I) REVESTIMENTOS DE PAREDES E TETOS TECNOLOGIA DAS EDIFICAÇÕES III Prof. Antônio Neves de Carvalho Júnior I) REVESTIMENTOS DE PAREDES E TETOS 1) INTRODUÇÃO ARGAMASSAS. Aglomerantes + agregados minerais + água (eventualmente aditivos). Intervalo

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO PRODUTO

FICHA TÉCNICA DO PRODUTO FICHA TÉCNICA DO PRODUTO TOPECA, Lda Rua do Mosqueiro 2490 115 Cercal Ourém PORTUGAL Tel.: 00 351 249 580 070 Fax.: 00 351 249 580 079 geral@ topeca. pt www.topeca.pt topeca glass block argamassa para

Leia mais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais LA-J ARTEFATOS DE CIMENTO LUCAS LTDA Av. Cônsul Assaf Trad 6977 Em frente ao Shopping Bosque dos Ipês / Campo Grande MS 0800 647 1121 www.lajlucas.com.br

Leia mais

BIANCO é uma resina sintética de alto desempenho que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos.

BIANCO é uma resina sintética de alto desempenho que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. Descrição BIANCO é uma resina sintética de alto desempenho que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. BIANCO confere maior elasticidade e, assim, maior resistência

Leia mais

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP.

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP. MEMORIAL DESCRITIVO RECONSTRUÇÃO DO ALBERGUE JUNTO AO PRESIDIO ESTADUAL DE VACARIA RS. VACARIA RS. GENERALIDADES: Este Memorial Descritivo tem a função de propiciar a perfeita compreensão do projeto e

Leia mais

Edificações - revestimento de paredes

Edificações - revestimento de paredes MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

Descolamento de Revestimentos de Argamassa Aplicados sobre Estruturas de Concreto Estudos de casos brasileiros

Descolamento de Revestimentos de Argamassa Aplicados sobre Estruturas de Concreto Estudos de casos brasileiros Descolamento de Revestimentos de Argamassa Aplicados sobre Estruturas de Concreto Estudos de casos brasileiros Helena CARASEK Escola de Engenharia Civil/ Universidade Federal de Goiás Brasil hcarasek@eec.ufg.br

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO.

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO. SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO CASTANHAL (PA) MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO. ABRIL/2014 REFORMA

Leia mais

3.1. Esta especificação faz referência aos seguintes documentos:

3.1. Esta especificação faz referência aos seguintes documentos: 1/7 1. OBJETIVO: 1.1. Esta Especificação Técnica tem por objetivo definir as características e estabelecer os critérios para a fabricação e aceitação do Sistema para Cabeamento Interno Aparente em Ambiente

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA A EXECUÇÃO DE REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA PARA PAREDES DE VEDAÇÃO INTERNAS E EXTERIORES E TETOS

RECOMENDAÇÕES PARA A EXECUÇÃO DE REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA PARA PAREDES DE VEDAÇÃO INTERNAS E EXTERIORES E TETOS RECOMENDAÇÕES PARA A EXECUÇÃO DE REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA PARA PAREDES DE VEDAÇÃO INTERNAS E EXTERIORES E TETOS Luciana Leone Maciel Mércia M. S. Bottura Barros Fernando Henrique Sabbatini São Paulo,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 1.4 LIMPEZA PERMANENTE DA OBRA Durante a execução, até a entrega definitiva da obra, a mesma será mantida permanentemente limpa.

MEMORIAL DESCRITIVO. 1.4 LIMPEZA PERMANENTE DA OBRA Durante a execução, até a entrega definitiva da obra, a mesma será mantida permanentemente limpa. Identificação da obra: RESIDENCIAL ANCHIETA GOLD Rua Anchieta nº 5034 Projeto e execução: A3 Arquitetura e Krolow Construção e Comércio. MEMORIAL DESCRITIVO 1. SERVIÇOS PRELIMINARES E GERAIS 1.1 SERVIÇOS

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192 MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192 CONSIDERAÇÕES GERAIS O presente memorial tem por objetivo especificar serviços e materiais

Leia mais

Curso (s) : Engenharia Civil - Joinville Nome do projeto: Estudo Comparativo da Granulometria do Agregado Miúdo para Uso em Argamassas de Revestimento

Curso (s) : Engenharia Civil - Joinville Nome do projeto: Estudo Comparativo da Granulometria do Agregado Miúdo para Uso em Argamassas de Revestimento FORMULÁRIO PARA INSCRIÇÃO DE PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Coordenação/Colegiado ao(s) qual(is) será vinculado: Curso (s) : Engenharia Civil - Joinville Nome do projeto: Estudo Comparativo da Granulometria

Leia mais

Instruções de Instalação Pisos Vinílicos

Instruções de Instalação Pisos Vinílicos Instruções de Instalação Pisos Vinílicos LinhadePisosLaminadosemPVC 2,3mmeClick Recomendações e Responsabilidades Os serviços de colocação devem ser repassados a profissionais instaladores de pisos com

Leia mais

RECICLAGEM DE RESÍDUOS E CIDADANIA: PRODUÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES EM REGIME DE MUTIRÃO - PARTE II

RECICLAGEM DE RESÍDUOS E CIDADANIA: PRODUÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES EM REGIME DE MUTIRÃO - PARTE II RECICLAGEM DE RESÍDUOS E CIDADANIA: PRODUÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES EM REGIME DE MUTIRÃO - PARTE II Aline Gomes de Oliveira 1 ; Gustavo de Castro Xavier 2 ; Raphael dos

Leia mais

Ficha Técnica de Produto Argamassa Biomassa Código: AB001

Ficha Técnica de Produto Argamassa Biomassa Código: AB001 1. Descrição: A é mais uma argamassa inovadora, de alta tecnologia e desempenho, que apresenta vantagens econômicas e sustentáveis para o assentamento de blocos em sistemas de vedação vertical. O principal

Leia mais

ESTUDO DA INTERFACE ENTRE AZULEJOS E ARGAMASSAS DE CAL

ESTUDO DA INTERFACE ENTRE AZULEJOS E ARGAMASSAS DE CAL ESTUDO DA INTERFACE ENTRE AZULEJOS E ARGAMASSAS DE CAL Nayara Gracyelle Dias 1 (nagradi@hotmail.com) Helena Carasek 2 (hcarasek@gmail.com) Universidade Federal de Goiás, 74605-220, Brasil Resumo: Em Portugal,

Leia mais

PROJETO DE EDIFICAÇÕES RURAIS

PROJETO DE EDIFICAÇÕES RURAIS Universidade Federal de Goiás Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos Setor de Engenharia Rural PROJETO DE EDIFICAÇÕES RURAIS Construções e Eletrificação Rural Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL MARCELO DADAMO VIEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio Curricular

Leia mais

ANEXO I IMPLANTAÇÃO DA ERM MACAÉ - RJ CADERNO DE ENCARGOS INFRA-ESTRUTURA

ANEXO I IMPLANTAÇÃO DA ERM MACAÉ - RJ CADERNO DE ENCARGOS INFRA-ESTRUTURA ANEXO I IMPLANTAÇÃO DA ERM MACAÉ - RJ CADERNO DE ENCARGOS INFRA-ESTRUTURA 1 1. Introdução O presente caderno de encargos tem como objetivo orientar e subsidiar a contratação de empresa para a execução

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA Projeto:... REFORMA POSTO DE SAÚDE Proprietário:... PREFEITURA MUNICIPAL DE IRAÍ Endereço:... RUA TORRES GONÇALVES, N 537 Área a Reformar:... 257,84

Leia mais

Tuper LAJES MISTAS NERVURADAS Mais velocidade e economia em sua obra.

Tuper LAJES MISTAS NERVURADAS Mais velocidade e economia em sua obra. Tuper LAJES MISTAS NERVURADAS Mais velocidade e economia em sua obra. O sistema industrializado de Lajes Mistas Nervuradas da Tuper é composto por vigotas metálicas fabricadas com aço estrutural galvanizado

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 2 PELOTÃO/2 CIA DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 2 PELOTÃO/2 CIA DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192 MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 2 PELOTÃO/2 CIA DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192 CONSIDERAÇÕES GERAIS O presente memorial tem por objetivo especificar

Leia mais

APROVEITAMENTO SUSTENTÁVEL DE RECURSOS NATURAIS E DE MATERIAIS RECICLÁVEIS NA INOVAÇÃO QUÍMICA DE COMPÓSITOS POLIMÉRICOS

APROVEITAMENTO SUSTENTÁVEL DE RECURSOS NATURAIS E DE MATERIAIS RECICLÁVEIS NA INOVAÇÃO QUÍMICA DE COMPÓSITOS POLIMÉRICOS APROVEITAMENTO SUSTENTÁVEL DE RECURSOS NATURAIS E DE MATERIAIS RECICLÁVEIS NA INOVAÇÃO QUÍMICA DE COMPÓSITOS POLIMÉRICOS Rebecca Manesco Paixão 1 ; Natália Cavalini Paganini 2 ;José Eduardo Gonçalves 3

Leia mais

SOLUÇÕES PRÁTICAS E INOVADORAS PARA A SUA OBRA

SOLUÇÕES PRÁTICAS E INOVADORAS PARA A SUA OBRA Soluções para Construção Fortaleza Março - 2015 SOLUÇÕES PRÁTICAS E INOVADORAS PARA A SUA OBRA Assentar e rejuntar Sobrepor Revestir Renovar QUALIDADE, CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO sempre foram as forças que

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 Arquitetônico Hidrossanitário EMPREENDIMENTO: Edifício Residencial ÁREA CONSTRUIDA: 2.323,60 m² ÁREA DO TERRENO: 1.474,00 m² LOCALIZAÇÃO: Rua Ianne Thorstemberg, n 344 Bairro

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA INSTITUTO FEDERAL DE EDUC, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE ADMINISTR SERVIÇOS MELHORIAS DA INFRAESTRUTURA DO CAMPUS IFRN/SÃO PAULO DO POTENGI DATA: 25/07/24 S/BDI C/ BDI C/BDI

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00076/2015-000 SRP

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00076/2015-000 SRP 26243 - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE 153103 - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00076/2015-000 SRP 1 - Itens da Licitação 1 - Obras Civis

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre INDICE 1. GENERALIDADES 1.1. OBJETOS E DADOS 1.2. NORMAS 1.3. PLANTAS 2. INTERPRETAÇÃO 3. PRÉDIO 3.1.

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO Nº 99 922-205. Ensaios de caracterização de argamassa para revestimento CENTRO DE TECNOLOGIA DE OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA

RELATÓRIO TÉCNICO Nº 99 922-205. Ensaios de caracterização de argamassa para revestimento CENTRO DE TECNOLOGIA DE OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA RELATÓRIO TÉCNICO Nº 99 922-205 Ensaios de caracterização de argamassa para revestimento CENTRO DE TECNOLOGIA DE OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA Laboratório de Materiais de Construção Civil Cliente: Usina Fortaleza

Leia mais

Linha P05 Cime. Endurecedor mineral de superfície

Linha P05 Cime. Endurecedor mineral de superfície Linha P05 Cime Endurecedor mineral de superfície 1 Descrição. Composto granulométrico à base de cimento e agregados selecionados de origem mineral e/ou mineral metálica, para aplicações em sistema de aspersão

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DE SISTEMAS ARGAMASSADOS SOBRE MANTAS ASFÁLTICAS

AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DE SISTEMAS ARGAMASSADOS SOBRE MANTAS ASFÁLTICAS AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DE SISTEMAS ARGAMASSADOS SOBRE MANTAS ASFÁLTICAS IRENE DE AZEVEDO LIMA JOFFILY (1) MARCELO BRAGA PEREIRA (2) (1) Professora Mestre do UniCeub/Virtus Soluções (2) Graduando em Engenharia

Leia mais

Lia Lorena Pimentel Professor Doutor, Fac. Engenharia Civil Puc- Campinas CEATEC lialp@puc-campinas.edu.br

Lia Lorena Pimentel Professor Doutor, Fac. Engenharia Civil Puc- Campinas CEATEC lialp@puc-campinas.edu.br VIABILIDADE DE APROVEITAMENTO DE RESÍDUO GRAÚDO (CACOS) DE EMPRESA BENEFICIADORA DE ROCHAS ORNAMENTAIS Agatha dos Santos Engenharia Ambiental CEATEC Agatha.s@puccampinas.edu.br Lia Lorena Pimentel Professor

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada:

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada: PROJETO Nº 051/2013 Solicitação: Memorial Descritivo Tipo da Obra: Reforma, ampliação e adequação acesso Posto de Saúde Santa Rita Área existente: 146,95 m² Área ampliar: 7,00 m² Área calçadas e passeio:

Leia mais

A seguir são apresentadas figuras ilustrando as atividades executadas ao longo do quarto mês de atividades.

A seguir são apresentadas figuras ilustrando as atividades executadas ao longo do quarto mês de atividades. São José, 27 de agosto de 2015. Relatório de Acompanhamento de Obra. Referência: mês 04 medição 08 Conforme contrato firmado com a Ponte Engenharia e Construção Ltda para fornecimento de mão de obra para

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS

IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Departamento de Ciência e Tecnologia dos Materiais IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS Prof.Dra Vanessa Silveira Silva 1 IMPORTÂNCIA DA CURA

Leia mais

VEDBEM PRESSÃO é uma argamassa polimérica acrílica de alta performance, totalmente flexível, resistente à trincas, movimentações e grandes pressões.

VEDBEM PRESSÃO é uma argamassa polimérica acrílica de alta performance, totalmente flexível, resistente à trincas, movimentações e grandes pressões. Data da última revisão: 01/2010 DEFINIÇÃO VEDBEM PRESSÃO é uma argamassa polimérica acrílica de alta performance, totalmente flexível, resistente à trincas, movimentações e grandes pressões. VEDBEM PRESSÃO

Leia mais

3º SePeAU - 2010 ANÁLISE DO CONFORTO TÉRMICO DO PROJETO-PADRÃO R1-A DA NORMA BRASILEIRA NBR 12721 PARA A CIDADE DE CURITIBA

3º SePeAU - 2010 ANÁLISE DO CONFORTO TÉRMICO DO PROJETO-PADRÃO R1-A DA NORMA BRASILEIRA NBR 12721 PARA A CIDADE DE CURITIBA ANÁLISE DO CONFORTO TÉRMICO DO PROJETO-PADRÃO R1-A DA NORMA BRASILEIRA NBR 12721 PARA A CIDADE DE CURITIBA Helena Fernanda Graf; Sergio Fernando Tavares; Aloísio Leoni Schmid Laboratório de Ambiente Construído

Leia mais

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA EXECUÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA CONDIÇÕES DE INÍCIO Vigas baldrames impermeabilizadas e niveladas,

Leia mais

- Generalidades sobre laje Treliça

- Generalidades sobre laje Treliça - Generalidades sobre laje Treliça São lajes em que a viga pré-fabricada é constituída de armadura em forma de treliça, e após concretada, promove uma perfeita solidarização, tendo ainda a possibilidade

Leia mais

Residencial Recanto do Horizonte

Residencial Recanto do Horizonte MEMORIAL DESCRITIVO Residencial Recanto do Horizonte FUNDAÇÃO E ESTRUTURA As Fundações serão executadas de acordo com o projeto estrutural, elaborado de acordo com as normas técnicas pertinentes e baseadas

Leia mais

MDP e MDF Conceito dos produtos e seus principais USOS & APLICAÇÕES

MDP e MDF Conceito dos produtos e seus principais USOS & APLICAÇÕES MDP e MDF Conceito dos produtos e seus principais USOS & APLICAÇÕES Características MDF MDP O que é Painel de média densidade Painel de média densidade produzido a partir de fibras produzido a partir de

Leia mais

TOTAL GERAL OBRAS CIVIS COM BDI MÉDIO INDICADO PELO TCU CONFORME TABELA 17 DA RESOLUÇÃO TC 025.990/2008-2 (24,50%) 100,00% 2.046.

TOTAL GERAL OBRAS CIVIS COM BDI MÉDIO INDICADO PELO TCU CONFORME TABELA 17 DA RESOLUÇÃO TC 025.990/2008-2 (24,50%) 100,00% 2.046. DE PARTE DOS BLOCOS "SALAS DE AULA", "CENTRO DE LIDERANÇA" E "ALOJAMENTO PROFESSORES - BLOCO 6" NA ESCOLA SESC DE ENSINO MÉDIO ITEM DISCRIMINAÇÃO % DO TOTAL PREÇO TOTAL 01 SERVIÇOS PRELIMINARES 26,56%

Leia mais

ASSENTAMENTO DE PLACAS DE PORCELANATO DE GRANDE DIMENSÃO SOBRE MEZANINO EM PERFIS DE AÇO

ASSENTAMENTO DE PLACAS DE PORCELANATO DE GRANDE DIMENSÃO SOBRE MEZANINO EM PERFIS DE AÇO I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 JULHO 2004, SÃO PAULO. ISBN 85-89478-08-4. ASSENTAMENTO DE PLACAS DE PORCELANATO

Leia mais

OFÍCIO DE PEDREIRO AUTOR: JOSÉ VIEIRA CABRAL

OFÍCIO DE PEDREIRO AUTOR: JOSÉ VIEIRA CABRAL OFÍCIO DE PEDREIRO AUTOR: JOSÉ VIEIRA CABRAL 3. ASSENTAMENTOS DE BLOCOS COMUNS. 4. COMO CALCULAR VOLUMES DE PEDRA E AREIA EM UM CAMINHÃO. 5. NORMAS REGULAMENTADORAS. 6. VOCABULÁRIO DE CONSTRUÇÃO CIVIL.

Leia mais

Recomendações para a instalação de pisos norament

Recomendações para a instalação de pisos norament Recomendações para a instalação de pisos norament Orientações / Aspectos Gerais Durante o trabalho com adesivos e materiais auxiliares devem ser observadas as instruções do fabricante do adesivo e as instruções

Leia mais

Interface com Outros Subsistemas Dicas e recomendações

Interface com Outros Subsistemas Dicas e recomendações Seminário: Interface com Outros Subsistemas Dicas e recomendações Carlos Chaves LOG Gestão de Obras O Sistema Paredes de concreto moldadas no local Um sistema racionalizado. Racionalização: Simplificação

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO PLACAS DECORADAS - PROCESSO DE COLAGEM O produto deve ser aplicado sobre alvenaria, gesso ou madeira. A superfície deve estar lisa, completamente seca, sólida e forte o suficiente

Leia mais

Plano de Ensino - Turma C01

Plano de Ensino - Turma C01 Plano de Ensino - Turma C01 Disciplina: CONSTRUÇÃO CIVIL II Curso: ENGENHARIA CIVIL Código Créditos Carga Horária Período Co-requisito Pré-requisito ENG 2333 4 80 8º - ENG 2332 Docente: Ano / Período:

Leia mais

Misturadores de Argamassa ANVI. Maior Produtividade e Qualidade na sua Obra. Misturadores e Projetores de Argamassa FABRICADO NO BRASIL

Misturadores de Argamassa ANVI. Maior Produtividade e Qualidade na sua Obra. Misturadores e Projetores de Argamassa FABRICADO NO BRASIL Misturadores de Argamassa ANVI Maior Produtividade e Qualidade na sua Obra FABRICADO NO BRASIL Misturadores e Projetores de Argamassa Solução na medida para a exigência do mercado Misturadores de argamassa

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS CONSTRUÇÃO DO VESTIÁRIODE FUNCIONÁRIOS DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE MARÍLIA

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS CONSTRUÇÃO DO VESTIÁRIODE FUNCIONÁRIOS DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE MARÍLIA CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS CONSTRUÇÃO DO VESTIÁRIODE FUNCIONÁRIOS DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE MARÍLIA HC1 VESTIÁRIO DE FUNCIONÁRIOS Marília/SP ENGEST ENGENHARIA LTDA Eng.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO O

MEMORIAL DESCRITIVO O MEMORIAL DESCRITIVO O presente memorial tem por objetivo estabelecer requisitos técnicos, definir materiais e padronizar os projetos e execuções da obra localizada na Rua Jorge Marcelino Coelho, s/n, Bairro

Leia mais

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

ESTUDO DA RECICLAGEM DO RESÍDUO DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA USO EM ESTACA DE COMPACTAÇÃO

ESTUDO DA RECICLAGEM DO RESÍDUO DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA USO EM ESTACA DE COMPACTAÇÃO ESTUDO DA RECICLAGEM DO RESÍDUO DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA USO EM ESTACA DE COMPACTAÇÃO Ronaldo Alves de Medeiros Junior Escola Politécnica de Pernambuco Universidade de Pernambuco (POLI/UPE), Recife, Brasil,

Leia mais

Assentar pisos e azulejos em áreas internas.

Assentar pisos e azulejos em áreas internas. CAMPO DE APLICAÇÃO Direto sobre alvenaria de blocos bem acabados, contrapiso ou emboço desempenado e seco, isento de graxa, poeira e areia solta, para não comprometer a aderência do produto. Indicado apenas

Leia mais

PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01

PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01 MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01 LOCALIZAÇÃO CENTRO DE EXPOSIÇÕES E CONGRESSOS

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO DE PRODUTOS

CATÁLOGO TÉCNICO DE PRODUTOS CATÁLOGO TÉCNICO DE PRODUTOS PARA RESULTADOS PREMIUM, PORTOKOLL PREMIUM! PortoKoll Premium. Uma linha completa. Cada um dos produtos foi desenvolvido especialmente para uma determinada aplicação, oferecendo

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. RESERVATÓRIO SUPERIOR: Este pavimento abrigará os reservatórios de água conforme projeto específico aprovado pelo SAMAE e PPCI.

MEMORIAL DESCRITIVO. RESERVATÓRIO SUPERIOR: Este pavimento abrigará os reservatórios de água conforme projeto específico aprovado pelo SAMAE e PPCI. MEMORIAL DESCRITIVO MAGNO RESIDENCIAL Rua José Caberlon, lote 18, quadra 3878, Bairro Bela Vista, Caxias do Sul INCORPORAÇÃO: SUPREMA INCORPORADORA Rua Alfredo Chaves, 927/505 Centro Caxias do Sul. O presente

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito das especificações de materiais, julgue os itens a seguir. 51 Os cimentos CP III cimentos portland de alto-forno e CP IV cimento portland pozolânico são menos porosos e resistentes, sendo ideais

Leia mais

ÚNICA COMO SEU TALENTO. catálogo técnico

ÚNICA COMO SEU TALENTO. catálogo técnico ÚNICA COMO SEU TALENTO catálogo técnico ÚNICA COMO SEU TALENTO Para projetos únicos, conte sempre com a performance superior da Linha Gold. A Linha Gold é única, na versatilidade, variedade e qualidade

Leia mais

Comparativo do desempenho de revestimento argamassado e revestimento com pasta de gesso

Comparativo do desempenho de revestimento argamassado e revestimento com pasta de gesso 1 Comparativo do desempenho de revestimento argamassado e revestimento com pasta de gesso Carolina de Lima Accorsi carolaccorsi@hotmail.com MBA Gerenciamento de Obras, Tecnologia e Qualidade da Construção

Leia mais

BOLETIM DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS Revisão 006 Julho/2011

BOLETIM DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS Revisão 006 Julho/2011 1 - PRODUTO: Acrílico Standard mais rendimento Natrielli. 2 - DESCRIÇÃO: É uma tinta acrílica de alto rendimento apresenta um excelente acabamento em superfícies externas e internas de alvenaria, reboco,

Leia mais

Maio 2011 Recife Fabio Villas Bôas

Maio 2011 Recife Fabio Villas Bôas Maio 2011 Recife Fabio Villas Bôas 1 FULL SERVICE - INCORPORAÇÃO / CONSTRUÇÃO / VENDAS 34 ANOS DE MERCADO; 1851 COLABORADORES PRÓPRIOS; 6415 COLABORADORES TERCEIROS; MAIS DE 2,7 MILHÃO DE M 2 LANÇADOS

Leia mais

SISTEMA DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE LAVAGEM DE FILTROS E LODO DE ETA DO MUNICÍPIO DE ITAPIRA-SP PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

SISTEMA DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE LAVAGEM DE FILTROS E LODO DE ETA DO MUNICÍPIO DE ITAPIRA-SP PLANILHA ORÇAMENTÁRIA ITEM INSTITUIÇÃO VALOR VALOR UN. VALOR DESCRIÇÃO UNID QUANT CÓDIGO (UNITÁRIO) BDI 25% TOTAL Sistema de Recuperação de Águas de Lavagem dos Filtros e Sedimentabilidade dos Sólidos - ALVENARIA 1 SERVIÇOS

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REFORMA DOS BANHEIROS, COPAS E DEPÓSITOS DE MATERIAL DE LIMPEZA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REFORMA DOS BANHEIROS, COPAS E DEPÓSITOS DE MATERIAL DE LIMPEZA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REFORMA DOS BANHEIROS, COPAS E DEPÓSITOS DE MATERIAL DE LIMPEZA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES REFORMA DO EDIFÍCIO BRASCAR

Leia mais