Dinheiro e necessidades no period Especial de Havana

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dinheiro e necessidades no period Especial de Havana"

Transcrição

1 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 367 Mi Holb Diheio e eeie o eio Eeil e Hv No úlio o, e e veifio e e, o oexo o oíuo bo e gue ieleul ee o egie oili e Cub, já quiqugeáio, e o ubólogo ievoluioáio o EUA o eieo e u iúi ifol e exo que oue, exli, evee e, e oo geelizo, o e o ieçõe o iiivo ofu uç o que oiee e eooi ub o logo úli u é, ó o olo o bloo oviéio. Não queo o io, foo u juízo eeio o eveo ee eíoo que, e 1990, o óio Fiel Co, o u ião eufeio, hou e Eeil, o qul o obevoe elie ub, e o euõe, ê, à veze, ho e ie. O que eeo fze, ee igo, é oibui que ej oigi eêi lieu obe o e vi oói, que ão ioie à queõe e iêi olíi, eliv à legilção, álie oeoôi, olíi e goveo e. 1 Meu objeivo é fi le eebe e que oo ái foçõe o úlio o ê io exeiei el eo que ive e efeá-l e, el, obevive. 2 Ou Ilh 367

2 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 368 A iei ee ee íulo ofeee u ige eogáfi e iiu [hubil] iução e Hv, l oo eoei o bio velho juo o eo ie. Mih equi o blho e o ve e elizo ee 1998 (e ge e o eil que eeo qui e eige o eíoo oeeio ee 1998 e 2000, elivo eeifiee ih ee e ouoo), quo oiçõe e vi e uio hbeo ev oievelee elhoe o que o eíoo íio e, igo, ; u o oo e ih gueção é que, e e elho, o hbeo, e oexo ifoi, fl ifiule ui e eo iigo. O oo iil exeão queix, ofoe iluei, é elivo o ouo e e foj o eio e oçõe: e (o iíio ie) oo ouí ouo, e o be; ho (go), lgu ê uio i que ouo, que igué e o be. O que eei o, o eo, é que o á fh oção quiiv, há u vlição ieuivelee quliiv o eíoo Eeil oo u ie e áe ee ol. A elção ee ouo e olie é i eviee elboçõe e oo iei e eei. Coo veeo ie, o que é e e oção é o fo e que, o lul, o eo ee ii e fo eeee ile e ie eeie (eeie) que o hbeo ei, oe e uee, efe hoje e i, o o que fo igul ou eig obez oo, iieee, u foç eiio que eei oo o eo exiêi. A egu ee o íulo zõe o que obez veio e e ee eo. O gueo qui egue u lógi eevolviei, o eio e que oeçõe e obez e u uç ão li oo fução e u E 1 l i v 368 Mi Holb

3 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 369 eloeo quilo que eigei oo ig e ouo : oe ol iibuição oili (ujo uge é eio o o 1990), o eilio buo que e vço e oo vez i iuivo o logo o eíoo Eeil. Ee eloeo oeoe, oo veeo, à ioe foçõe áe o ouo, ovo, e ieio lug, el leglizção o ól oe-eio, e 1993, que foi ul e 2004, e e ubiuí el iiuição o, i ho, eo oveível ou CUC eiio elo goveo ui ef o ól, o qul eee elo (o i que eo fequeeee i e efee o CUC oo óle e vou ohá-l e ái). O eo oblio eooi ol oili (que i é ii o eio o eo oe iol ) é uee elo el iuão eooi oliz, iifi elo ueeo e hoig que e olife e Hv, o úlio o. No eo, eeo o que o óle ão ão e o íbolo e u ov eoe ol, o i ize. Tbé fuio oo eu iil lio, ei e que exe o eio eeie, eojo-o e u eêi ol (oili) o eio oeução. Há, oo, ubjee eu elo exeiêi e obez e e êi eil o hbeo i o o 1990, u gueo eeio o oe ieee o iheio oo lio o oeo e foção ol. Pei-e, e, oexuliz eu gueo, o beveee o leio u iei ii foçõe eoôi el qui ou Cub e oequêi o olo o bloo oviéio. Não há, e gel, ivegêi lieu, qu o o fo e que oqui i igifiiv Revolução Ou Ilh 369

4 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 370 Cub, eu o-hefe (eo, qui, gi e ubiêi, oi, eviço e úe e eução o oulção), e fize oívei à u Uião Soviéi, o i ize. A olíi eoôi e Fiel Co e e, oo eção u belioo ebgo oeil oe-eio ee eo beou-e e oi ile: exoção e çú e íquel Uião Soviéi e o íe o Coelho Aiêi Eoôi Múu (COMECON), e be exeee luiv ( Cub) oivee à oiçõe o eo uil; e fiieo e ívi e ublo, gio el URSS, que eiiu à Cub ii éfii eoee e u blç e geo. No eíoo e , o oi ile eoo. Pieio, o íe o COMECON, e, egui, ói Uião Soviéi fo elo, u u, eu oo o Cub e oeç exigi o geo ívi e oe foe. E oequêi io, Cub foi lç u ofu ie eoôi, e oo que, e 1992, o í hvi eio 70% e eu oe quiiivo. 3 E eção à ie, o egie oou, e u lo, ái ei e ueie; e ouo, ouou ieeee oe foe. E oequêi o oe e o fo e uo e eegi, o iíio o o 1990 (i oo eução foç e blho), oução gíol e iuil eeou. Io eve io ieio oulção, oi uio be e eviço, eioee foeio elo Eo eço eívei, fo e oo vez i ifíei e obe ou eão, e uio o, eee olee. Due eu blho e o, o fi o o 1990, queix i eee eo e eliv o ie e ioeo, que ue o Revolução oiuiu eih ol o ouo oéio: e e ie fíli oi vive eeeee ( v 1 f e e g l 1 l 370 Mi Holb

5 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 371 o eoi foei vé o lão e ioeo (l libe), go quie foei e ê ó u, e éi, ez i. Po ouo lo, o oe fo oho e efo que, lgu o e, ei iigiávei. No iíio o o 1990, ob o log e il, i; ilio, ão, o egie oejou ivi e oe foe ão ó bio eooi iveioe egeio (eeilee o eo uíio, que eolou o logo é e 1990), bé o o óle que já iulv ileglee eo e Cub. E 1993, o goveo eiilizou oe e óle, iooo i u fi ioe o eo ego, que eão viejv. Co eque e eguç igo o Fo Kox, i e i ebeleieo oeii fo beo, veeo igo e ouo e óle. Qu - o heguei, e 1998, u l g e ouo (iluive e iei eeie, oo óleo e ozih e eegee) ó e eoo loj que oev e óle (ou l hoi oo ize o ubo, i o iglê oe-eio hoig ), e iução eie. 4 Ai, o que eo efeivee e Cub ee 1993 é u eooi e u le. Há quele que ê oe ou eeez ouíe óle e, eeeo quie e que iõe, e eo oe vive o elivo ofoo, e, e lgu o, oe eo e eo luxo oo u o, u elevião oloi e. E há, e egui, ioi, o que i ê que e vi o o eo. No fi o o 1990, u blho eebi e éi eo e 200 eo o ê (eo e 10 óle), u qui olee iequ, o e oie que, o exelo, u lio e óleo e ozih u 2,20 óle. Due o eo que eei e Hv, iee o eo que eoei eoi u ou ou fo Ou Ilh 371

6 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 372 e ivie ilegl, ej oo uleeo ou oo ubiuo o láio. U uxili e lboóio lugv. i. u quo e eu eo, obo o ho; u ooi e ihão iv ve e eu quil; u ieleul ohv e e o oeio e u ge hoel e e. A eoi i ei ee ge e eobeio egeo oiee ub é, obviee, o óio el ol. Co efeio, ue o blho e o, ouei-e ouvi e ifeee ifoe e e váio oexo e obevção oiológi. E Cub, hoje, eo u le: o que ê óle, e o que ão ê. Não e i e io é, eioee o eíoo Eeil. 5 É ifíil ão o gu e lv, u ágo o i ugee o e e flo e u oiee oili uj zão e e, ee o iíio, e lç e igule vé bolição le. No eo, u eo e e gu o que o ubo vee u ui ifiule eoôi é que el é, e ge ei, oilh o quele que oue lgu óle e o quele que ão oue. N vee, e e iição oe uio be e eu o fiçõe o io: Cub é u í e eo obe, ou igué, qui, eá be e vi. Ei u eho íio, exío e u ove que ive e 2001 o u úio e 40 o e ie, que ghv eu óle o ul e euão ui: No eo v go, o o e 1970 e 1980, eu láio e bixo; 280 eo u eé-foo. [M] hvi uio blho, e io e iheio, éo. U quo o Hv Libe, u o [hoéi] i o, uv 39 eo. Hoje, eo u o 6 u i. [ ] A e ou oo o Joie e e gç; u eo oi e ivei o 5 ou 10 eo. N Ci [u oo e vejo], ve- N A ç 1 2 g l o u b i v 372 Mi Holb

7 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 373 i e. [ ] U lib e e e oo e 4,50 eo. Nee oeo, u 25 eo. [ ] Dee 1996, eu fui ho e ee u veze, e o u el i ão e g é hoje. A queão ão é que olizção eiiu o felizo oui óle e lç u ível e oeie e iigível. Ao oáio, o l bu o eço o vejo e eução o ouo ioívei, elo ie e ioeo, o ão e vi que e io oo eo, e ie o o 1990, go é eebio oo ifíil e e, é eo o quele que ê óle. Ceee, ão é u ige oálgi que lgu e eu ielouoe fzi o e, o eo v go (eeilee eo e vi eez ubil e váio igo, o o 1970 e 1980);, i i, o fo é que, eooi bii o o 1990 e 2000, eo quele que be elho o que o ei o o go efvovelee o e. Que o eo, e, ghv ouo, e o be; go lgu gh uio i o que ouo, ouo ê uio. Alé io, eo bé eix be lo que olizção fez ubi o o que hoje e i oei e oieo oo ufiiee. Afil, ov loj oeo e óle ão vee e óleo e ozih e eegee; el ofeee o u g e be e ouo, e o Ko e olho Dolio êi Nike e efue Chel, e uio ouo ouo que, ão o, u vái ee e óle, u. O que e hou iulee eção ue o blho e o foi eêi eo ee uio be ifo obe o eço e ouo boluee ieívei o eio e que iuh. Co efeio, loj oliz (o eque o ojuo oeii, o eilo o- Ou Ilh 373

8 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 374 e-eio, o eo ie) fiv ih e eo olho viie, io o wiow-hoig, o ho exi o ouo e, uio fequeeee, io o ão vzi, o eo oo que e 7. Quo eguv igo obe e vii à loj, ele, à veze, e v vg exliçõe, flo e u qui que eev vi eebe e lgu oeo fuuo (u oe e ee o exeio, u egóio eee e e lgu vulo e.). Mi fequeeee, uv oo eexo o ouo i bo: ão, eu ó eei oque ouvi ize que eção e uo o $1 eão veeo eç e louç ; ou eu fui ve e hoje ev veeo fígo, e í fui ó u olh e vol. Eão, e ulu o ouo oo e io veze ugeio eá uio u e eéie e ulu globl, eão o hbeo vez i e eo eofoável iução e ee eu iéee oeee, oé o eeie fle ouo iulo. 8 O eieo e iigção o ee eo e oi, éo e ih eeç e o, e ão ieio, que ei uivel. Foe bblwo (bblô) ou o e eeeg, hbilioo gee o eo ego ou fe - que oe e b e u oão, bo êio b - o o quo lug egeio ou lo ego veo o uo u o hbeo, ivivelee, eov fução o iução que lhe iuh láio e eo ubo, ie e ioeo eveee liio, e quie eee e ouo ioívei e e óle. Giel (oe fiíio) ãe olei, eg, hego o 40 o e ie, e filie óxio eiio o exeio flou-e e u eeiv e eego e u o iio, boluee íio: e V l l E o h ( e u f u f 374 Mi Holb

9 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 375 Não, eu ive oo o io e eego. Co eu ilo eol éi, blhei [é 1994] e gooi, u uie ili, o oeio N éo, vli e [ ], v vive io. M oi fi ifíei e u eo á, e eu ei. [ ] E 1996, oeei vee floe ui Cie Velh, e e bo, ee o egv e ulv. Foi quo oeei ozih e fze fxi o lbegue e ui, $1 ól o i. Não e uio,, elo eo, e óle. É o que ó qui ho l luh ( lu, blh). [...] Po que blh o Eo, e o oi e que eio ão e óle? E que í o uo voê ouviu ize que exie u ie i? (...) Tio o oz e lgu ou oi, uo o que eio e, bh, eegee, oi, ou, uo io eho que ou e l hoi ( loj que vee e óle) ou u (o eo ego). (...) Não é fáil... (o e fáil...) A ooição, fl e Giel, ee eeie e blh obe o óle o que ui-l é u e que uge oe que que e vá, Hv o eíoo Eeil. Ouvio o hbeo fle obe u ul obez ou u eeie (o eo, eei, z lg u ooçõe 9 ), fie o ige e u ovo e eo e ueão, e u eéie e e e igué eoôi, ee u ie oili ilee eiego, o eu Eo oveo, e u uo e fu ili, que, o eo, é iee ilçável (o uo e el ol e l hoi) 10. E ige fiou e i uio eo, e eu blho e o, o oião e u vái ul e iglê que ei u guo jove e ç follói, e Ceo Hb. Deoio u e ee e oo uo ifol, eii ebf ih fução e elção à ioâi o que eu luo fequev ul, e eoi u ove e ieivo: Ou Ilh 375

10 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 376 Eu iglê é ovvelee o elho iveieo que voê oe fze go. Voê ão oh e vij o exeio? Coo voê h que vão e jei? Meo qui ee hoel, (u ê eel e que ele e eev ui) voê ão h que eebei i o egeio e uee e oui be o ele? A u eeu fi ofei. U o iii çio ele hvi hego o u ho e o, vio u o e o ee, zeo u quo óleo eoluo, e goo uvioo zobou e ih iue, o eliez: Olh, ofeo! Tlvez u i gee vije, ovvelee o Hii (io), o oble e eei eão qui. Voê h que o u eeção o e oi e eolve? Não, eio e u oo i, eo e e jeio e v oi ou ê ful (gíi óle) oi que eio. Hoje eu heguei e oque ev lu (eb e l luh), o u, ebixo o ol, ee 8 hã, ego fil e ôibu oo o lo, eo eo lgué que e ê iheio o ee quo. Ee qui. Voê que? (io) Não? É ifíil Queo, go, o que há ui quiloege eogáfi e eoi i o oeio e l eei. O ieio oo el é que o eego oiio o eo eei elo hbeo z ooção e u juízo - ee quliivo iução ul e obez. A eei é oeee eio o oeáio oee o hbeo obe ifiule que efe lu (l luh) obe o óle e que ei. Eeilee ieee é fequêi o que ele oi oição e eei à oção que já e oou ubíqu e o oiee ub (iluive o eio e ouição ei), be: que o eíoo Eeil é u eo e ie ol ou e ie g b h v q f l 376 Mi Holb

11 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 377 e vloe. 11 Piee oo o ii e ie ol que ão objeo e queix o hbeo (oiuição e eliquêi, eção e i e bé eo e oveiêi, igção Hv e eigção o E.U.A., oução, oubo, eço lo o eo ego, loolio, e o que voê eolhe) ão ouee exlio oo eulo ieviável oquo lioo e l eei que hy ( obez que há ). Po exelo, quo oei, eoeo u lihê, o eeieo oiuição, e o eee, o que hvi e Revolução, u igo e eovou: Nigué go. M [ oiu] be que o egeio fi eo o e i el (l vil), eão, uio elho o ão (gíi que igifi obe óle o eio euo ). Tê u iç lie, que fiou e, o ieio, e ão eio o voê obez (eei) que há. O fo e luõe e fzee o vobuláio ifiule ( o e fil, voê e que blh e.) o, e oo que iôio, que l eei é i o que e oição e fuo el é exeiei oo lgo que e fz ei. Ai oo ove obe ooêi o i--i ão ou e eçõe eói à ifiule, o óio oíio ee oeieo iáio é exeieio oo oo e ifiule o qui é eio lu. 12 N ei e que o hbeo ee eiee ioiee, e eo vebi, u iução, o-lhe u fo eifi (elo eego e u ubivo o igul), fz eio e el oo lgo eelhe u foç. Poei-e fi que, ee eio, o oeio e eei é, o eio oil ubo oeoâeo, oo o lo o eio biee ul, ou, lvez, o que é o eio, oe eiiul. Ou Ilh 377

12 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 378 Ne lu, uge queão e o que i iuâi ui evei e eee eeifiee ee eo? Alé o i, o que levi lhe (que) uivelee ee io e eeeção, quo iução é, lgu, eo eo o que ouo? Eu ii que hve eo eá ofuie iôi oção ee o go eei e o eo elhoe, e e. De fo, o oeio e eei o-e ulee ieee, ee oexo. Coo vio, o que fz e e u objeo olgi o hbeo é o fo e que, quel éo, o Eo, oo oveo, gi u eliv equie ee láio e eço: oo ih o be. Aquilo que o hbeo ei, o efeio, oeoe ieee à egu ee o iíio oili eueção: e u ofoe u ie, u eguo u eeie, ou eguo u eeie, eeg o lul u lv be fili e Cub. Já eá be oueo, ob e iêi olíi, que ee iíio oiuiu lfo el olíi ei ub, o que iz eeio à egulção o ouo o ião. 13 Aqui, o oo uil é que, ob o uíio Ju Cel e Plejeo (JUCEPLAN), iiuío já o o 1960, o ouo e ogizo elo Eo e oo eflei u hiequi ol e eeie, eguo qul i bái e lee e oo ieio oi, eviço e úe, lieção e., guio ou ubiio. 14 Cooeeee, o lejoe o Eo egu, ee o iíio o o 1960 é u oeo já io o eíoo Eeil, que o o láio, io e o eoe eooi, quo o eço e i e u ilhão e ouo e eviço (obeo ou ão elo ie e ioeo) e ivee elivee fixo. 15 O ebeleieo e u elção u v f b ( o f à 378 Mi Holb

13 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 379 eço/láio eável e equiiv foi, oo, ee o iíio, ol elo goveo evoluioáio, e eo oi, oo eégi e eiibuição iquez e oo obi eeie bái oulção (f. Ro 1993: 99). A ieão ol ovião elo Eo foi elbo eo e u iuo o fueo oi o oilio, foulo, e oo i foe e exeivo, o Ché Guev, o ieio o é e N vião e Guev, ih lug el iei e que, obi, eução e ei eoôi be e ieivo oi jui foj u ovo hoe (hobe uevo) e Cub. 16 Nee quo, o iuo que fl eolh, o lze, o eeeieo e., ão filie o Oiee, ee e ejeio oo iho buguee. É ioe go, ih gueção, fze u u e oie que o el o Eo oo egulo ol (e, í, áio) o ouo e u ilição euli, eeifiee o uo o iheio. Seá úil, quo ee oo, eoe u ouo, i bo, que eevolvi e ou oouie, elivo o ulo eo oeáio: oo ei eel o vlo, o u lo, e oo objeo e ouo iego o ei, o ouo. 17 Fze u iição ee o iheio e o ei vloe, o be o áe bo quele, já e lgo e o eflexo ieleul lvez u eflexo oiioo o Mx e, eeilee, o Siel 18. O que fz oe e ão eeil eeo uo é que u eoição igil, oo quie, eie-lhe ou u oição eel o elção o ouo vloe, oo que à o ele e i o fuo, foeeo u el quiiv que o e oeuo. E ou lv, o áe igil o iheio oo ei e vlo eie que ele Ou Ilh 379

14 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 380 eej ilio o eáio oi o io oo e o qui e igi exiêi e eei qui e iheio, viulee oveível e o ifeee oi que o el e oe o. Poi be, ee oo e ve eee h eção u eo uio ioe o iheio; o fzê-lo ofoe ugei bé obuee ouo oo, be, o oeo eolee liio e que o iheio é efeivee eego: oião e que é ouio, e u o eeífi. Quo eou qui, fio u lib eeli e ih ão, oo e levo el igição e oeç e que el e oi oi hoole (e eu ive oe!), ou u bilhee e loei, ou $1,45 óle, ou qulque ou oi. M queão é que, quo eio elee g e lib, o eáio e io oo e, oibilio elo álulo quiivo, eoee. Mih lib, ee oeo, e o ioe, ão oque oe o qulque oi que eh ee eço, oque oá u oi eeífi. O oeo o ouo, eão, eli, o u o oe, quel ojeção e uo oívei, e, i, oe ieeee e eoj o iheio e eu áe eel. Poi, elio o uo oívei, e e u eie ie eo: u uho e iheio e quilo que el eá oo o ele. No oeo e que é eeio, o iheio ão é eego oo ão igil e vlo, i iego oo u ee eol que e i eo e e u oeue é ío, o i ize, el ção gviiol ie que eie e quii exee obe ele. Co e iição e ee, oe-e go eebe u ieee oxo o ig oili o ouo, l oo o eboei. Vio que u ço el o oilio ubo z l e o e e u j i Z 380 Mi Holb

15 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 381 e io fuão ieológi o fi oi e o eio ioi ee eguo eo eigo, e iei iâi, zõe (io, quoiee, ooiolie), lej e ebelei elo Eo. Nee eio, o lejeo el euõe, e fo ei, o eo quiivo o iheio, ei e que el be o eo eie à gêi e lejeo oeu vái eeie e ouo e, ubequeeee, oeá-l hiequiee eo o oexo e u eho o ouo, oieo eeie ( que obviee lev e o exigêi ái oução e o beieo). O oxo, oé, eá o fo e que, e o álulo ieioo o lejoe eee oulo e u o o oeo (quel e que o ouo heg à ão o ião, io é, o oo ei e vejo, oe eoi ão quii), ebilie e logo zo, obev ooiolie quiiv ee láio e eço, e bé ee o eço o iveo ouo, ee eijee o uo o óio eio oeução (ou ej, o eo ubo), que e o íio. E ou lv, quo i o Eo ue o fo o álulo oeáio, i ele ee eiá-lo o ouioe. O iheio, ão ee, fi uio eigio e eu el e lio oeução, u vez que liue e oibilie eolh ee eee, o oeo e lejeo. A zão e e o lejeo, fil, é egul o ouo. Ai, o oo e vi eo que ooe, o eo ão ê ie e ee, ieivelee, uzie o oi que ele oei o. Ao oáio, oe-e ize, o eo e Vivi Zelize, que o láio ão quliivee ubio,,oi ão oeio o ião, qulie e veíulo eviee oieo ifção eeie ebelei. 19 Ou Ilh 381

16 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 382 Io, eu ve, z u oequêi o elção à oeiulizção o iheio e o eço, o oilio. E ieio lug, fixção elção láio/eço elo lejoe o Eo õe o ouioe ie e u ig e ouo que ee eli ói ei quiiv, eguo qul zõe e ooiolie ão i oo íie eee ovlêi ee o ibuo oi e eo e oi. E ou lv, o eijeieo e láio e eço o-o i eelhe qulie iíe o be e o blho (iio oo que u ho ol) o que óulo exíeo e, oo, viávei. A egu oequêi, que e lig à iei, iz eeio o iheio, eeifiee. Teo e vi que o lejeo, e oe o ouioe, fz o que e ee, o láio, ubi ee belei e fução o ouo efiio ofoe eeie, o eio e geo e iulção (ou ej, eo) o-e eo iule, o i ize. Nee oexo, o eo oe e oieo, i oiee, oo fih que ê vlo, o ouioe, iilee oo filioe e çõe que oee eo o liie lejo quilo que el Aguil eigou e eooi ol o eo el. 20 Co efeio, e álie oiz o eei elçõe e Fiel Co, o uge Revolução, o fi o o 1960, e que, logo zo, o iheio ei bolio o oleo. U igo e jol quel éo exõe iei: Dee equeo foo eio egu quo voê e? quo voê vle?. Eão eeo que o iheio e eeeáio; ( ) e Cub quel ei le (ieo) já ão igifi o. A ov geção ão ei e oo o velho io obe o iheio. 21 Se o ouio eoeizo hegou, lgu vez, e u éi oibilie Cub é u queão que ee- 1 q o q e S e f e u 382 Mi Holb

17 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 383 eá e beo. O eo é que iulção e óle (ilegl, i e eo o o 1980; o vl o Eo, eoi e 1993; e, e o eee, fo e CUC) euiu quique içõe ee eio. Ai, olui, queo fi o gueo exoo, oo oo e á oexão ee eei e iheio, efeio- à foçõe que e e o o o ouo e egui à olizção il ( iviv) eooi. Ebo ej iovável que e eee, o que foi exoo, que eu eej ooo u oição eeiíi o eeio à liguge, eá úil oeç oo óbvi oexão ee eói oili ifção eeie bái e o eego, elo hbeo, o eo eo eei eeve u ui ifiule o iução e obez. 22 Sugio que l oição eiológi, o à oçõe ee go e e, o eo oo oo exliiee fze o hbie e Hv, oiui u óli ei u ieeção ul exeiêi o hbeo à luz eoão o ig oili e ouo. Fi eviee, ee oo, que olizção e o ovo ig e ouo que el ue ão eve e e exeioee oelioo à ie ol o o 1990 e 2000, oo e foe u ee efeio eve, i, e oieo e iegl exeiêi que o hbeo ê ie. Eão o que há e eeil o ouo, que fz o go e u eíoo e ie ol? A eo ie é que o ee ol o ig oili o lejeo e elçõe ju láio/eço foi gveee blo, ieio, o u eo ego voláil, oeo e óle, e eoi, ee 1993, el olizção eee e iviv e e ubii eooi ofiil. Afil, o eço exobie o óleo e ozih o- Ou Ilh 383

18 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 384 be que, o oíio o ueeo eizo ( ão fl o oíio u l lle) ão há ii e u oegulção equiiv e e e eço. É eio eohee que, iolizção goveel iiuiolizção o uuoo be e ueeo e. oeo e óle, há elo à juiç oil ifeeç e eço é ee oo u eio e exi o óle ioi que e eo ele, e oo e o eo e ovião el (o o eo) fuioo e beefíio ioi o que ão ê óle. A queão, o eo, é que, ái, e eiibuição é io. De fo, eeie ão ão ui elo eo o eo, e oo ão levo, o be ou o l, o ueeo olizo eo quele que ê o bolo vzio, oo já vio. A fl e u eho igifiivo e equie o eo olizo é ofi elo fo e loj que oe e óle e ebeleee ob égie iui (é eão) oiee ôi. Ebo e ogizçõe ev, e úli iâi, e eo o Eo, el ão eão ujei o lejeo el. 23 Poe-e ize, oo, que ie ol eá veeiee ii ige ub o ouo Hv e hoje. A og e o log goveei obe o heoío oili e Cub, ie oooxi eolibel globliz, ão oeiolizo u vez que i e é o ie o Eo oveo. No eo, oição ebili o ie é uee elç elo eo olizo e eee exão, o eu be, ueeo e hoig uuoo, liizo ifiilee. Ai, ooe iôi o eieo e ie ol exeieo elo hbeo o oe ee, e u lo, u go e, e ouo, u e que oiui u o e 20 o ão i, eee- l e i u u N E 384 Mi Holb

19 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 385 ee, e u oo que Bkhi hou e ooóio. 24 A e e igué e ige ub eei, igo i, é u oóoo o oflio ee o o (iifio el ovião el) e o eee (e que e blh elo óle), u vez que o e quo oo ih ouo, oé ufiiee eá oio eo o go, i que e oo egivo, oo eeee e eêi. Dobo equi l hoi, o que e vê é u fil e u oo el e vejo, oe e vee eço eível, elo ie e ioeo, oz vio Chi. Olho el jel feei oliz, vê-e u líi e bio oe o ooe loi eebei exelee eo guio, ão foe fl e eéio. O o eá ee eee, e que ej oo eviêi e u eliv exição. E ou lv, o oe ee go e e, fl o hbeo, é biguee i - ôio, e ei e que bé eá ioiee iio fo e u eooi bii: ól veu eo. No eo, eo que euli gui quliiv el qul ou o oeio e eei ue ee eíoo á iíio e u foção i uil, que oe e o âgo o eio e ie ol o hbeo. Po ee vié, é úil fze u ligção ee oi feôeo que, iiilee, oei ee ijuo. De u lo, oção e eei ou o u ulo eloeo eâio: e egção e e exão. Negção, qui, lue o fo e que e eeie (o lul) qulifiv eeio be oi e go eei (o igul) ou eig ivção e be e gel. Exão iz eeio à uç o uo o eo eei: ele e efeêi u ojuo liio e be eebeleio à eifição ói oição que eig, oo lgo eelhe u foç que eei oo o eo vi. Ou Ilh 385

20 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 386 Tovi, u ulo eloeo eelhe ooeu gái (e ooição à eâi) o ouo, e eá elioo eeilee o óle. Nee oexo, egção é eleve oque o que e e lejo eooi o eo, já ão o é ov oe o ól. O oo el o gueo, eeo, eá elioo o exeão, eo e vi que o eleeo uil eo o lejeo oili, oo vio, é loção évi o eo oo iueo ifção e eeie eebelei. Nee eio, ovião oili eá be eição efe çõe oeái. Coo oequêi, u vez que o eo eve eelh eeie, ele b oo áe eelhe o e fih ão o ouioe. Iveee, oo o ovo eo olizo ão eá ujeio i liiçõe lig o lejeo, o e (oeee eee elo iêio e óle) quo ofe ( ov eoi) eão eeee live e ulili e o ieçõe. O el o óle é ão fuel ee oeo oo e o o eo o ig oili, oi o que ele fze fuio, o oexo ubo, é, eiee, ie eefe o iheio e evolve o ouioe e eáio o io e e quele e que o iheio é uzio, o bção, e o ifeee eoi que ele oei o. O ól, eo io oloo e u lug exeio o eoo gêi e lejeo, eo o que é eu fo e u el eel e vlo que iex eu óio oeil e oeução: e ól, uo e u eço, go e ize o hbeo, fzeo eo, i, eu viziho ili o oe. De fo, ái ouliv e olh viie, à qul, oo vio, uio hbeo ee e ei, lvez o e iee, e eo lo, oo u feihe v i u v u e 386 Mi Holb

21 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 387 el quie. O fo e io e quele que olh viie ão oe o que o que vê exoo, ão iee e ii fi e oeução fi ie el ói l hoi, quo i ão ej, o eio e u hiv filei e eço eiqueo. Io e z e vol, filee, à oexão o eei: o oo eleve é que, e Cub, óle e eeie eão iiee ligo elo fo e que exão iee o eo olizo ue o o 1990 e 2000 foi vivei oo u ivão o lug iiol (i.e., oili) ifção eeie, be, o eo o eo. E i que eu igo eeiee e queixv: uo que eio é e óle. No eo, ou eo e Hv, hoje e i, e vee ouio o ufiiee ui eeie. Meo ioi, oiuí elo hbeo que iõe e u e e óle ufiieeee l e eável e que oe o, o ueeo, oo quele ouo que, e eíoo eioe, e ofeeio elo Eo eço bixo, e oivo el, oi o ifluxo e u igiáio ili juou fze o que e e e i ifíil e igi. Po io, o o ubo, eve-e eii o o eflexo e ve o óle e o eo o lioe fgoi o eejo 25. P io e o hbeo, o óle e l hoi ofeee u ov e u igo objeivo, be, ifção eeie. Co ifeeç e que go ifção ão i é gi elo Eo ob qulque fo eoheível, uio o oáio, e e oo, vez i, u queão e lu eol e oiçõe efvoávei. A oeçõe e eei oo u foç eiv, i, oição eeie fo o eeo o eo e o ieio e u eo olizo que e exe e fz o Ou Ilh 387

22 ( Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 388 que u ifção ej ifíil e iole. No ieio ovieo (i.e., fo o eeo o eo), eeie ão oe ol o oilio, eeilee o ee ioi quilo que e ei el oo u eç eeil, be, o eço e eo. No eguo ovieo (i.e., eo o eo olizo), eeie o-e flui oo o ól, o lio e u ifçõe ei ou igi. Do que o ovo eo olizo oiui, ulee, iil e o uieo eeie, fluiez que oeução be o ól ee ee eeio lol flexio o oeio e eei. Nee eio, ái e olh viie o o bolo vzio e eoução oe o hbeo o o eço, e óle, e ouo que ele ão ê oiçõe e quii oe e iee oo oiuio u eéie e qui-oeão ov oe o ól. Poi o eeil é que uêi e iheio ufiiee, eeie (e ão, o exelo, o eejo) ão i oo ogoi o eáio e álulo o io oo e, egeo el olizção. M o que o o ól ão oeoo é o fo e u oição eel eii que ue oo lio oeução e i eeie (ão-ifei) o efeêi u éie úlil e, oeilee ieiável, e be. Dee oo, eei, oo u egivo, e igi oo e eee oo o eo vi, eiee oque o eo ê u eço (e óle). Poo, oe-e ize que, e o ig oili o eo evi e u eelho eeie, o ovo eilio fz o que eeie eç oo u ob o óio ól. A E E B L l v N 1 S 2 l J P 2 P T ( Mi Holb

23 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 389 Ageieo Ee íulo e bei e blho e o fiio elo Eooi Soil Reeh Couil ( ) e el Biih Aey (2005). Veõe eioe fo ee o Iiue fo he Suy of he Aei of he Uiveiy of Loo; o Li Aei Reeh Gou, Uiveiy Co - llege Loo; Peio Uiveiy, e Ae; e Ui - veiy of he Aege, e Miilee. No: 1 Ve, o exelo, Miguel A. Ceeo & Muiio Fo (e.) Tow New Cub: Legie of Revoluio (Boule, 1997), , e Segio Díz-Bique & Joge Péez-Lóez Couio i Cub: Co Beyo (Aui, 2006). 2 Ve Ibel Holgo Feáez. No e fáil! Mujee ub y l ii evoluioi (Belo, 2000), Mi Holb, Religiou eulio : he ie of Ifá ul ouio i o-sovie Hv, Joul of Li Aei Suie 36(4): 1-21 (2004), A Cii Peie. Ble, Iveio Aquiiio: The Suggle fo Co - uio i Ub Cub. PhD hei (Uiveiy College Loo, 2006), Cheie Goy Sle + Eooy + Effiiey = Revoluio : ollizio, oue ili, oul eoe i Seil Peio Cub, Publi Culue 18(2): (2006), Mi Go, The eioizio of Revoluioy ieology eoi le i ee-y Hv, Cue Ahoology 48(4): (2007), P. Se Boheo We hve o hik like ili bu oiue beig oili : eilize ubjeiviie, eege il, oili eeeeu i o-sovie Cub, Aei Ehologi 35(2): (2008). 3 Ve Su E. Ekei, Bk fo he Fuue: Cub Ue Co (Pieo, 1994). Ou Ilh 389

24 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge Ve Ahibl R.M Rie & Nihol Rowe, Cub: fo ollizio o Euo-izio o Peo e-ooliio?, Li Aei Poli - i Soiey 44(2): (2002), Boheo We hve o hik like ili bu oiue beig oili : eilize ubjeiviie, eege il, oili eeeeu i o-sovie Cub. 5 O veo o eíoo Eeil é u efeêi ebleái ee io e obevção. Quo ho oe o i elhe evolução eigule eoôi Cub evoluioái, váio ifoe iu o iíio e u oeo i euo, o o 1980, que ii u ueo ubil ee o ou o E.U.A., e egui o êxoo iço e ubo Mii, e Ve bé Fk T. Fizgel, The Cub Revo - luio i Cii: fo Mgig Soili o Mgig Suvivl (New Yok, 1995), Alfeo Gozález Guiéez Eooí y oie: lo eo el oelo eoóio, Te 11: 4-29 (1998). 6 Po ão oéi que lug quo i, obo o ho. 7 P u eição o eo feôeo Chi, ve Loui Shei The ohe goe o ke: he Se, he io uulie i oeoy Chi, Ieiie 2(3): (1996). 8 Ve G MCke, Culue Couio: New Aohe o he Syboli Che of Goo Aiviie (Blooigo, 1988), , Je Buill The ye of obje, i Selee Wiig ( ), (Cbige:1988), Dvi Howe (e.) Co-Culul Couio: Globl Mke, Lol Reliie (Loo, 1996). 9 Sobe oeçõe e eei o Méxio, ve Miguel Díz Big Neei: oe o he ioue of ub olii i he Ajuo foohill of Mexio Ciy, Aei Ehologi 23(2): (1996). P u oção ieee, ve Piee Bouieu eeio o goo le blho fe eolh o que é eeáio, e u ob obe iição Diiio: Soil Ciique of he Juge of Te (. Rih Rie) (Loo, 1984), P g g E 1 L R 1 M J A W E ( & T 1 h 7 N P Mi Holb

25 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 391, P u álie uç oução eeie e oexo ó-oili, ve o igo e Lye Hey obe ãe que eebi beefíio oii Hugi: Bu we e ill ohe : gee, he e, he oiuio of ee i ooili Hu - gy, i M. Buwoy & K. Veey (e.), Uei Tiio: Eho ghie of Chge i he Pooili Wol (Lh, 1999). 10 P u oção o o o ó-oili, ve o elo e.. l.,. Leo obe o hei oeáio [ uey hei ] Rúi o o 1990, i Ali Leo, You eye e gee like oll : ouefei h, iol ube, uey hei i 1990 Rui, Culul Ahoology 13(1): (1998). 11 See C. Mí Feáez, M. Pee Péez & M. Díz Péez L vi oii e Cub. U i iooil, Te 7: (1996), Mee Beg Toui he Revoluioy New M: he See of Jieeio i le Seil Peio Cub, Fol - Euoe Joul of Ahoology 43: 46-56, Seil iue o Sexul Eoue, Migio Deie i Po-Soili Coex(), Huly Deiiek & Juy Whiehe (e.) (2004), Mee Beg Loliig Cube: Soil Exluio Nive of Belogig i Ol Hv, i Je Beo Ke Fog Olwig (e.) Cibbe Nive, (Loo, 2005), f. M. Péez-Rolo, J.A. Blo, M. Lii, D.L. Lóez & J. Quió El oilio y el hobe e Cub: u i e lo 90, Te 11: (1998). 12 Ve bé A Chii Peie E : woe houehol i o-sovie Cub, Joul of Li Aei Suie, Vol. 40(4): (2008), e Mi Wilo, L Luh (e Poviioe) Niol Lol Mol Eooie of Foo Poviioig i Tu, Cub, PhD hei (Uiveiy of Oxfo, 2009). 13 Cf. Joeh Colli & Mee Beji Cub foo iibuio ye, i S. Hlebky & J. M. Kik (e.) Cub: 25 ye of Revoluio (New Yok.1985), Segio Ro, Refleio o eooi Ou Ilh 391

26 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 392 oliy: Cub Foo Pog, i J. F. Péez-Lóez (e.), Cub Coo: Polii Eooi fe he 4h Py Coge (Gieville, 1993). 14 Cle Bueiu Revoluioy Cub: he Chllege of Eooi Gowh wih Equiy (Boule, 1984), , , Goo Whie Cub lig i he i-1980: elizio, eelizio, iiio, i A. Zibli (e.), Cub Soili Eooy: Tow he 1990 (Boule,1987), Joge F. Péez-Lóez Cub Seo Eooy: Fo Behi he See o Cee Sge (New Bu - wik,1995),. 44, Ve Joge F. Péez-Lóez Wge, Eig, Hou of Wok, Reil Pie i Cub, Cub Suie 19: (1989). Cf. Aew Zibli Refoig Cub eooi ye fo wihi, i J. F. Péez-Lóez (e.), Cub Coo: Polii Eooi fe he 4h Py Coge (Gieville,1993), , e Ahibl R.M. Rie The Cub eooy i he i-1990: uul/oey hology ubli oliy, i M. A. Ceeo & M. Fo (e.), Tow New Cub: Legie of Revoluio (Boule, 1997). 16 Hugh Tho. The Cub Revoluio (New Yok, 1971), , Ju el Aguil, Cub: Dile of Revoluio (Boule & Loo,1984), Ve Mi Holb, Exeig uliliiy: oey i Cub Ifá ul, Joul of he Royl Ahoologil Iiue, 11(2): (2005) e bé Mily She Qulifie Vlue: he Peeive of Gif Exhge, i C. Huhey & S. Hugh-Joe (e.), Be, Exhge Vlue: Ahoologil Aoh (Cbige, 1992), Bill Mue, Doe oey e? Abio ubiuio i leive fiil fo i Diel Mille (e.) Meiliy (Duh, 2005). 18 Po exelo, Geog Siel, The Philoohy of Moey (. T. e 1 P l f 2 E N ( 2 b 2 Boooe D. Fiby fo fi f by [ i e u ieio 392 Mi Holb

27 Cub igção:lyou 1 11/5/10 2:38 PM Pge 393 :.. eboço o] K. Megelbeg) (Loo: 1978), Ve Vivi Zelize The Soil eig of oey: Pi Moey, Pyhek, Poo Relief, Ohe Cueie (Pieo, 1997). 20 el Aguil, Cub, Aigo o jol G, io o Tho, The Cub Revolu - io, Deve-e obev, qui, que o eego o eo eei eo oição e obez ifiilee oe e oieo oo euli Cub e lv é u e ouo íe hiófoo, e há oexõe iile ee eeie e obez e ou lígu, iluive e iglê (o exelo, o eego e eey eig o ee, obe ou eeio ). Meu gueo eeio o eego ee eo e Cub, eeifiee, li o ooçõe e uoiçõe oigee que ele veio quii o oexo oili, e o ooe e e e eoi que ele ofigu. 23 Ekei, Bk fo he Fuue, Julio Cz Vléz, Eooi hge i Cub: oble hllege. I Tow New Cub: Legie of Revoluio (e.) M. A. Ceeo, & M. Fo (Boule & Loo, 1997). 24 Mikhil M. Bkhi, The Dilogi Igiio: Fou Ey, eie by M. Holqui,. C. Eeo & M. Holqui (Aui, 1981). 25 Po exelo, Siel, The Philoohy of Moey,. 66.,,,. Ou Ilh 393

Transformadores. Ligações e Esfasamentos. Nos transformadores trifásicos existe uma diferença de fase entre os fasores. Manuel Vaz Guedes.

Transformadores. Ligações e Esfasamentos. Nos transformadores trifásicos existe uma diferença de fase entre os fasores. Manuel Vaz Guedes. Tfomdoe Ligçõe e Efmeo Muel Vz Guede FEUP Fuldde de Egehi Uiveidde do Poo o fomdoe ifáio exie um difeeç de fe ee o foe epeeivo d eão o eolmeo pimáio e d eão o eolmeo eudáio. Ee âgulo de difeeç de fe depede

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

CONTROLADOR ADAPTATIVO POR MODELO DE REFERÊNCIA E ESTRUTURA VARIÁVEL APLICADO AO CONTROLE DE UM GERADOR SÍNCRONO

CONTROLADOR ADAPTATIVO POR MODELO DE REFERÊNCIA E ESTRUTURA VARIÁVEL APLICADO AO CONTROLE DE UM GERADOR SÍNCRONO OROLAOR AAAIVO OR MOELO E REFERÊIA E ESRUURA VARIÁVEL ALIAO AO OROLE E UM GERAOR SÍROO MARUS V A FERAES ARE LIMA E ALAYR ARAÚJO Lboóo Acoo ool Ição o Eh Eléc Uv Fl o Ro G o o 9-9 - l R Bl E-l: cv@lco @yhooco

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O A B O R T O : U M A Q U E S T Ã O M O R A L, L E G A L, C U L T U R A L E E C O N Ô M I C A C U R I T I B A

Leia mais

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024 E S T A D O D E S A N T A C A T A R I N A P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E M A J O R V I E I R A S E C R E T A R I A M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O, C U L T U R A E D E S P O R T O C N

Leia mais

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR O Sonho de Renato O Sonho de Renato a e i o u A E I O U so nho de Re na to Eu sou Renato Valadares Batista. Tenho 14 anos. Sou filho de Pedro Batista e Luzia Valadares.

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL (SGE) À EFETIVAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO - ESTUDO DE CASO EM UMA SIDERURGIA

CONTRIBUIÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL (SGE) À EFETIVAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO - ESTUDO DE CASO EM UMA SIDERURGIA A i i uiv b ufu uáv. Ri Ji, RJ, Bi, 13 16 uub 2008 CONTRIBUIÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL (SGE) À EFETIVAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO - ESTUDO DE CASO EM UMA SIDERURGIA Cb Ch Gzz (UFSCAR) bzz@i..b

Leia mais

! "#" $ %&& ' ( )%*)&&&& "+,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) (5 (6 7 36 " #89 : /&*&

! # $ %&& ' ( )%*)&&&& +,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) (5 (6 7 36  #89 : /&*& ! "#" %&& ' )%*)&&&& "+,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) 3 4 5 6 7 36 " #89 : /&*& #" + " ;9" 9 E" " """

Leia mais

é é ç í é é é ç ó çõ é ê á çã é çã é á á ã é í á ã ó É ã ê í á á é á ã â é ó é é ã é é é á é ã ó ã á é í á é ê ã

é é ç í é é é ç ó çõ é ê á çã é çã é á á ã é í á ã ó É ã ê í á á é á ã â é ó é é ã é é é á é ã ó ã á é í á é ê ã Ó é é ç ç ã éó éçéá éé çí é éé çóçõé ê á çã é çã é á á ã é í á ã óéãê íáá éáãâé ó é é ã éé éáé ãóã áéí á é ê ã çã é ã é çã ãíçãê éé ô í é çóã á ó ó é çãéã ú ê é á íô á ãé úóé çãçç óçãéééõé ççã çãôáíô éçé

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M N Ú C L E O D E C O M P R A S E L I C I T A Ç Ã O A U T O R I Z A Ç Ã O P A R A R E A L I Z A Ç Ã O D E C E R T A M E L I C I T A T Ó R I O M O D A L I D A D E P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 027/ 2

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

#+ *=8 www.scienceofgettingrich.net

#+ *=8 www.scienceofgettingrich.net !"#$!%!&!' ()#($***&*'!((+,(-($&(-(% &!' ".&("/***&* 012&("&&***(3& 4/((5(3&6&#"& &($."&(7'8"9***&*:3 (*#&(3&( ;?@@!)(A( ;

Leia mais

Módulo I MOTORES DE BUSCA NA INTERNET

Módulo I MOTORES DE BUSCA NA INTERNET Módul MOTORES E BUSCA NA NTERNET duç Pqu d ç d gé Pqu d ç B d d Ulzç d d -l F d duç -l @2007 v 1 O qu é? A é d udl d d d ud qu uç l qulqu ud d ud, d lh u C u? Avé d u ju d l (g d uç TCP/P) qu ê gd vg d

Leia mais

INCLUSO. consulte RELÓGIO DIGITAL. Vinhedo Tel: 55 (19) 3886-3003 Daniela - (19) 3515-5673

INCLUSO. consulte RELÓGIO DIGITAL. Vinhedo Tel: 55 (19) 3886-3003 Daniela - (19) 3515-5673 ML E 9.9.235.582 O V - º37 - BL/MO/JUHO/2013 V E O O HOW-OOM EEL E M E OM.04 07 quím E LO.01 lu MELHO EÇO MEO OVE!!! M u MEO E EEU.02.08 MEE f EE ul l B Ep p qu m: m Vál 01 /m 3013 /julh 2013 LUO ul ELO

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE ESTE TERMO, POIS TE AJUDARÁ A ENTENDER AS CONDIÇÕES DE USO DO CARTÃO.

LEIA ATENTAMENTE ESTE TERMO, POIS TE AJUDARÁ A ENTENDER AS CONDIÇÕES DE USO DO CARTÃO. Pbé! Vê á b u Tvl. l, vê á SEGURNÇ ONTROLE u vig. O Tvl u u i: P g u bli fili; P ihi ll ulu lug u, ilh ix lôi iifi : VIS PLUS. I: P õ VIS, v fi li RÉDITO xi DÉBITO Bil. ihi ix lôi, vifiu hvá bç if iii.

Leia mais

Sumário. 4 caligrafia a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z

Sumário. 4 caligrafia a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z Escrever é sempre um prazer. neste livro você vai escrever com letras juntas umas das outras para formar cada palavra. Elas são chamadas letras cursivas ou manuscritas. prepare-se para deixar a sua letra

Leia mais

7 * ": ) : : I* 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O* P " 7 "! M * : : # M

7 * : ) : : I* 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O* P  7 ! M * : : # M 7 ": ) : : I 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O P " 7 "! M : : # M # Q 7 97 8 ! # # I ) H3"K # : R : : 9 M ) # 9# Q ; : 9 : IM Q ; 9M O H8 7B3B K : 9 ) 4 4; 9 < : ) 9 # : M :!# ; : N : " 3 S T! S U # I T S # H3"K

Leia mais

SOLUÇÃO. 01.(ITA - 1992) Considere as funções f: , g:, e. ; aplicando as

SOLUÇÃO. 01.(ITA - 1992) Considere as funções f: , g:, e. ; aplicando as (IT - ) osi s fuçõs f: * *, :, h: fiis po: f (), () =, h() = / O * ojuo os vlos is qu (fo)() = (hof)(), é subojuo : () [, ] (B) [, 7] () [-, ] (D) [-, ] Do qu f (),, v: (fo)() (hof )() poo, f (()) h(f

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira S 1- Litt, Lit Rflxã 3- t D q vz? Jé Rid Mi Cpítl 1 P gt Td é di pfit p l: U liv lgl, d lid. E t d di fz d! P Hê: U di vô lá íti, vid hitói d tp q l id gt. P Hit: Ah, di d ihd, it l, it ág, it hi! P L:

Leia mais

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO Segue abaixo dados das DDMs que mudaram para o PCASP, tanto as que mudaram de nome como as que mantiveram o mesmo nome. Para estas, os campos que serão excluídos (em 2015) estão em vermelho e os campos

Leia mais

GUIA DE EMPREENDEDORISMO NA FLORESTA

GUIA DE EMPREENDEDORISMO NA FLORESTA h Té Ifçã: UIA MPRNORIMO NA LORTA Cçã: b : A v f P vv Pj ub âb Iv Cuá QUAL. Pj -f : Mb P vv: u: & x, L. (Chv) AIACT - Açã vv Ig A Cg Tâg (V R) gu - çã Açõ Ag T (V R) - Açã Pug (V R) ICNB -Pqu N P-ê (PNP)

Leia mais

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO GLOSSÁRIO PREV PEPSICO A T A A ABRAPP Aã Aã I Aí I R ANAPAR A A M A A A Lí Aá S C é ç í ê çõ 13ª í ã. Açã B E F Pê P. Cí ê, ã ê. V Cê Aã P ( á). N í, - I R P Fí (IRPF), S R F, à í á, ( 11.053 2004), çã.

Leia mais

G r u p o P E T C o m p u t a ç ã o. U n i v e r s i d a d e F e d e r a l d e C a m p i n a G r a n d e U F C G

G r u p o P E T C o m p u t a ç ã o. U n i v e r s i d a d e F e d e r a l d e C a m p i n a G r a n d e U F C G M E T O D O L O G I A U T I L I Z A D A P E L O P E T C O M P U T A Ç Ã O D A U F C G P A R A M I N I S T R A R C U R S O S DE I N F O R M À T I C A B À S I C A G r u p o P E T C o m p u t a ç ã o C u

Leia mais

PROJETOHORTAEMCASA. Manualdo. Apoio. Realização CDHU PREFEITUR A DE SÃO PAULO VERDE E MEIO AMBIENTE. Instituto GEA

PROJETOHORTAEMCASA. Manualdo. Apoio. Realização CDHU PREFEITUR A DE SÃO PAULO VERDE E MEIO AMBIENTE. Instituto GEA M RJETHRTAEMCAA CM LANTAR E CLHER ALIMENT EM CAA 201 A Rzçã Ch Dvv Hb Ub CDHU I GEA é b REFEITUR A DE Ã AUL VERDE E MEI AMBIENTE FhTé Ebçã Tx Agô Jé Lz Ch T Nh Rh Rvã A M Dg Lz Egá j Nh Rh Rq L R Rf Tv

Leia mais

Análise de uma Fila Única

Análise de uma Fila Única Aálise de ua Fila Úica The A of oue Syses Pefoace Aalysis Ra Jai a. 3 Fila Úica O odelo de filas ais siles coé aeas ua fila Pode se usado aa aalisa ecusos idividuais e siseas de couação Muias filas ode

Leia mais

HALLIDAY, RESNICK, WALKER, FUNDAMENTOS DE FÍSICA, 8.ED., LTC, RIO DE JANEIRO, 2008. FÍSICA 1 CAPÍTULO 3 VETORES

HALLIDAY, RESNICK, WALKER, FUNDAMENTOS DE FÍSICA, 8.ED., LTC, RIO DE JANEIRO, 2008. FÍSICA 1 CAPÍTULO 3 VETORES Polems Resolvios e Físi Pof. Aneson Cose Guio Depto. Físi UFES HALLIDAY, RESNICK, WALKER, FUNDAMENTOS DE FÍSICA, 8.ED., LTC, RIO DE JANEIRO, 008. FÍSICA 1 CAPÍTULO 3 VETORES 16. N som A + = C, o veto A

Leia mais

91/enloria áo' engenhelro áe csouia!l.janáetra

91/enloria áo' engenhelro áe csouia!l.janáetra &xttlt 91/li á ghl á Si!lJát tjll Czi O t içõ t t Ftz lv á git lõ: I O vi t i é fit i i l t gi t fix :;:ã;"4 l ll 1tlt xit á fi " """" t i t j it z 1 t A gitçã Iti ttt v i á g l vt bt l é itt q gã i fiíi

Leia mais

Servidor de e-mail Interno ou na Nuvem?

Servidor de e-mail Interno ou na Nuvem? Svi -il It Nv? 4 CLOUD SOLUTIONS Pgt q t p vi fz p ã p pi. Svi -il It Nv? 4 Pgt q t p vi fz p ã p pi. CLOUD SOLUTIONS Mi. S Epilit Cl. E-il é lg tã pt i i p, tã bái p fit qlq gizçã, q ã é p igi q l fi

Leia mais

! " # $ % & ' ' % & ' ' ( ) * +,-, *. / 0 ) * +,-, * -! " # #! # $ % &' $ ( )**+ 1

!  # $ % & ' ' % & ' ' ( ) * +,-, *. / 0 ) * +,-, * -!  # #! # $ % &' $ ( )**+ 1 !"#$ %&'' %&''()*+,-,*./0 )*+,-,*-! "# #!# $%&'$()**+ 1 1"2 " /, /345"26 $'- - 1 2' 2'2. '7$ /!897 9"" %$%- 32 1 2 3 01#2!3 "5(!:1; ''"/ 2!"'?5!4 2'2 @ 5?A 21B5(!:1; 2

Leia mais

Prefeitura do Município de Carapicuíba Secretaria Municipal de Planejamento Urbano

Prefeitura do Município de Carapicuíba Secretaria Municipal de Planejamento Urbano Prefeitura do Município de Carapicuíba Secretaria Municipal de Planejamento Urbano L e i M u n i c i pa l n. º 2 1 0 7, d e 0 5 d e J u l h o d e 1 9 9 9. Dispõe s o b r e a d i v i s ã o d o ter r i t

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

Notas de Aula de Física

Notas de Aula de Física Veão peliin 4 e noveo e Not e Aul e íic 4. AVIAÇÃO... O UNIVEO E A OÇA AVIACIONA... AVIAÇÃO E O PINCÍPIO DA UPEPOIÇÃO... AVIAÇÃO PÓXIO À UPEÍCIE DA EA... 4 OÇA ENE UA HAE E UA AA PONUA CAO... 5 OÇA ENE

Leia mais

Ministério Público Federal, B rasília 8 de junho de 2009. Leonardo C. Fleck, C ons ervação E s tratég ica

Ministério Público Federal, B rasília 8 de junho de 2009. Leonardo C. Fleck, C ons ervação E s tratég ica Ministério Público Federal, B rasília 8 de junho de 2009 Leonardo C. Fleck, C ons ervação E s tratég ica P r e o c u p a ç ã o c o m a q u a lid a d e d o s g a s to s p ú b lic o s e m c e n á r io

Leia mais

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a E M P R IM E I R A MÃO T h e O i ta v os é o e x c lu s i v o h o te l d e 5 e s tre la s q u e co m p le t a e v a l ori za a ofe rta d a Q u i n ta d a M a ri n h a, co n s olid a n d o -a c om o d e

Leia mais

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira.

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira. Q u a, 3 0 d e J u l h o d e 2 0 1 4 search... REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES Selecione a Edição ANTIGAS C l i q u e n o l i n k a b a i xo p a r a a c e s s a r a s e d i ç õ e s a n

Leia mais

soluções sustentáveis soluções sustentáveis

soluções sustentáveis soluções sustentáveis soluções sustentáveis 1 1 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 2 2 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 3 3 APRES ENTAÇÃO A KEYAS S OCIADOS a tu a d e s d e 1

Leia mais

Valoração de Grafos. Fluxo em Grafos. Notas. Teoria dos Grafos - BCC 204, Fluxo em Grafos. Notas. Exemplos. Fluxo em Grafos. Notas.

Valoração de Grafos. Fluxo em Grafos. Notas. Teoria dos Grafos - BCC 204, Fluxo em Grafos. Notas. Exemplos. Fluxo em Grafos. Notas. Teori o Grfo - BCC 204 Fluxo em Grfo Hrolo Gmini Sno Univerie Feerl e Ouro Preo - UFOP 19 e ril e 2011 1 / 19 Vlorção e Grfo Exemplo vlore eáio: iâni roovi que lig ie e ie é e 70 kilômero vlore inâmio:

Leia mais

MÃE. M esmo q u e o s eu f ilho j á t enha sido regi strad o procu r e o cartóri o d e R egi stro Civil de

MÃE. M esmo q u e o s eu f ilho j á t enha sido regi strad o procu r e o cartóri o d e R egi stro Civil de APRESENTAÇÃO O T r i b u n a l d e J u st i ç a d e S ã o P a u l o d e s e n v o l ve, d e s d e 2 0 0 7, o P r o j e to P a t e r n i d a d e R e s p o n s á v e l. S u a d i s c i p l i n a e s t á

Leia mais

Nota10 ESCOLAS DA DIVERSIDADE

Nota10 ESCOLAS DA DIVERSIDADE A fl Clg, Al Glbg: l g q PÁGINA 8 N10 A 13 ú 48 bl//jh 2013 Pblçã l Fçã AlMl Bl ESCOLAS DA DIVERSIDADE Pj Fçã AlMl Bl úbl b blh lã ç fê l l l PÁGINAS 4 E 5 ARUIVO FUNDAÇÃO ARCELORMITTAL BRASIL O l Jé f

Leia mais

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP GIS Gertran Integration Suite Guia de T ransferência de Arquivos Entidade x DATAPREV Versão 1.0 HTTPS G I S G ui a de T ra n sf er ên ci a d e Ar qu i vo s 1/ 8 ÍNDICE ANALÍT ICO 1. INTRODU ÇÃO......4

Leia mais

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde B ra s ília, 26 de s etem bro de 2009 C o ntro le da s P o lític a s de L uiz R ibeiro FU N Ç Ã O D O J O R N A L I S M O J o r n a lis m o é a a tiv id a d e p r o fis s io n a l q u e c o n s is te e

Leia mais

MAPA DA COLETA DE RESÍDUOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE GUABIRUBA ATUALIZADO EM MAIO DE 2010

MAPA DA COLETA DE RESÍDUOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE GUABIRUBA ATUALIZADO EM MAIO DE 2010 M L D B L HLI ND WE IN RU H O M H R I P T C K V N Z 00 7 IC O BA RO N GI S RE RU A O ER RTH AL J 251 1 5.10 3'46" 0,47 m JU LIO TH B HE R UA D OS RO HM A IA DE LO IS OLI VE A ER ME L R UA TH RO SA LIA

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

======================== ˆ_ ˆ«

======================== ˆ_ ˆ« Noss fest com Mri (Miss pr os simpes e pequenos, inspirdo em Jo 2,112) ( Liturgi I Puus) 1) eebremos n egri (bertur) Rgtime & c m m.. _ m m.. _ e e bre mos n_ e gri, nos s fes t com M ri : & _.. _ º....

Leia mais

GUARITA / FACHADA GUARITA / PLANTA COBERTURA

GUARITA / FACHADA GUARITA / PLANTA COBERTURA MP i:% MP i:% MP i:.0% ÚLMO ÁO LZ O VO: OMO FÊ L00 PLJMO LVMO O PL00 PLJMO PLJMO XÇÃO O OOL O POJO FLVOPP_Levantamento_ev0..0.0.0.0.0.0.0.00.0.0.0.0.0.0.0 MOLOG FÇÃO X V. OL FO.. PO LHO V G GÇ..0... L

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT

COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT RECENSÃO COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT [Lígia Noronha, Nelson Lourenço, João Paulo Lobo-Ferreira, Anna Lleopart, Enrico Feoli, Kalidas Sawkar, e A. G. Chachadi (2003),

Leia mais

Técnicas de Linearização de Sistemas

Técnicas de Linearização de Sistemas EA66 Pro. Vo Ze DCA/FEEC/Uc éccs e Lerzção e Sses Iroção ese óco vos recorrer reqüeeee éccs e lerzção e sse ão-ler e oro e oo e oerção. Iso ere qe o sse ler resle se lso co se s oeross erres e álse váls

Leia mais

KEITH CAMERON SMITH. As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média

KEITH CAMERON SMITH. As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média KEITH CAMERON SMITH As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média Prefácio Por que es cre vi es te livro? Três mo ti vos me le va ram a es cre ver es te li vro. O pri - meiro foi a

Leia mais

o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te s t o rn e m -s e a u tô no m o s.

o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te s t o rn e m -s e a u tô no m o s. O r ie n ta ç õ e s In i ci ai s E u, R ic k N e ls o n - P e rs on a l & P rof e s s io n al C o a c h - a c re dito qu e o o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te

Leia mais

Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País

Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País Belo Horizonte/MG, 21 de junho de 2010 Segmentação A s eg mentação es tá pres ente em todos os mercados, incluindo o mercado do turis mo;

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais Datas Comemorativas White Paper Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais As datas comemorativas podem ser exploradas para rentabilizar o seu comércio, seja ele físico ou online. Dedique

Leia mais

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12 R A M F A R A N D O L E 12 ru e d e R ib e a u v illé 6 7 7 3 0 C H A T E N O IS R e s p o n s a b le s d u R e la is : B ie g e l H. - R o e s c h C. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : * * * * * * * * *

Leia mais

Fabiano Leoni. William Corbo

Fabiano Leoni. William Corbo Fabiano Leoni William Corbo O CURSO Este é um curso pensado especialmente para líderes inquietos e cheios de vontade de mergulhar fundo em PESSOAS. O curso Cultura & Encantamento pretende fornecer importantes

Leia mais

t dt C n v v sen v t at lim t t a t dt cos sent d e x x g x x d 1 y y0 v0 d t dt t s s t t s t vt lim lim costdt sent C e dt e C v v v v v v v

t dt C n v v sen v t at lim t t a t dt cos sent d e x x g x x d 1 y y0 v0 d t dt t s s t t s t vt lim lim costdt sent C e dt e C v v v v v v v Fíic 1 Cpíulo Moieno e,3d Pof. D. Cláuio. Séio Soi. Moieno eilíneo. Velocie éi: 1 1 Velocie innâne: li Aceleção éi: 1 1 Aceleção innâne: li Obeçõe: n n n 1 en en e e 1 ln li li Função poição: Velocie innâne:

Leia mais

M U R I L O R U B I Ã O : U M A R E S E N H A C R Í T I C A D O C O N TO O P I R O T É C N I C O Z A C A R I A S

M U R I L O R U B I Ã O : U M A R E S E N H A C R Í T I C A D O C O N TO O P I R O T É C N I C O Z A C A R I A S ISSN 2236-3335 M U R I L O R U B I Ã O : U M A R E S E N H A C R Í T I C A D O C O N TO O P I R O T É C N I C O Z A C A R I A S P o r F l á v i a R o d r i g u e s d o s S a n t o s L i c e n c i a t u

Leia mais

CONTROLE POR REALIMENTAÇÃO DOS ESTADOS SISTEMAS SERVOS

CONTROLE POR REALIMENTAÇÃO DOS ESTADOS SISTEMAS SERVOS CONTROLE POR REALIMENTAÇÃO DOS ESTADOS SISTEMAS SERVOS. Moivaçõe Como vio o Regulado de Eado maném o iema em uma deeminada condição de egime pemanene, ou eja, ena mane o eado em uma dada condição eacionáia.

Leia mais

a) Calcule a força medida pelo dinamômetro com a chave aberta, estando o fio rígido em equilíbrio.

a) Calcule a força medida pelo dinamômetro com a chave aberta, estando o fio rígido em equilíbrio. UJ MÓDULO III DO PISM IÊNIO - POA DE ÍSICA PAA O DESENOLIMENO E A ESPOSA DAS QUESÕES, SÓ SEÁ ADMIIDO USA CANEA ESEOGÁICA AZUL OU PEA. Na olução da proa, ue, uando neeário, g = /, = 8 /, e = 9 - kg, π =.

Leia mais

Responsabilidade civil do Estado por da nos pro ve nien tes de vei cu laç ão de da dos nos si tes dos tri bu nais

Responsabilidade civil do Estado por da nos pro ve nien tes de vei cu laç ão de da dos nos si tes dos tri bu nais Responsabilidade civil do Estado por da nos pro ve nien tes de vei cu laç ão de da dos nos si tes dos tri bu nais Má rio Antônio LOBATO DE PAIVA Resumen Má rio Antônio Loba to De Pai va ini cia su ar tícu

Leia mais

Telecomunicações Básico

Telecomunicações Básico Telecomunicações Básico Prof. MSc. Eng. ! "!"!"#$ %!"# #% # $ &# #!% '($ ) ) *+, ) $-!.) / 0 1#() 0!2) $% & '() * %# ') % &# /) *%+,,%-, 334-3564.7 &3897.%& / /% 0 0% 1 0 :'( : : $00'( :'(;< : 4.*6 :4.*6

Leia mais

Programa Copa do Mundo 2014

Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Gerente do Programa: Mario Queiroz Guimarães Neto Rede do Programa: Rede de Cidades Objetivo do Programa: Organizar com excelência os eventos FIFA

Leia mais

IN S A In s titu t N a tio n a l

IN S A In s titu t N a tio n a l IN S A : U m a re d e d e 5 e s c o la s s u p e rio re s d e e n g e n h a ria O INS A de Rennes existe desde 1966 R ouen O INS A de Rouen existe desde 1985 O INS A de S trasbourg existe desde 2003 R

Leia mais

SISTEMA MERCANTE DEFINIÇÕES DAS MENSAGENS DE ERRO DE RETORNO DA CRÍTICA

SISTEMA MERCANTE DEFINIÇÕES DAS MENSAGENS DE ERRO DE RETORNO DA CRÍTICA SISTEMA MERCANTE DEFINIÇÕES DAS MENSAGENS DE ERRO DE RETORNO DA CRÍTICA Cód. Erro EE0 EE1 EE2 EE3 EE4 EE5 EE6 EE7 EE8 EE9 EEA EEB EEC EED EEE EEF EEG EEH EEI EEJ EEK EEL EEM EEN EEO EEP EEQ EER EES EET

Leia mais

Missa Nossa Senhora do Brasil

Missa Nossa Senhora do Brasil é%0'.m> }JÍU Pe. José Alves Mssa Nossa Senhoa do Basl PARTTURA Paa 3 vozes guas e Assebléa (*) (*) A pate paa Assebléa é edtada sepaadaente " en cha A 10. Publcado pela: Cossão Aqudocesana de Músca Saca

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto

Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto Cu A f ê glblz fçã pu u f hv u p. v ég p pl, vé pç fl pu, qul pp vçã uz. O Hj Tp P v é á v v pê âb gh lg pu u fz ppçã qu. P v u f é á lz p u l up à ê, u p p. Só é pívl l lv u v vlv pê ful à gh pu. Qul

Leia mais

Uma publicação que é referência no setor

Uma publicação que é referência no setor ublic qu é rfrêci Vlt r rfiii ii frcêuc, viári, c, bitclgi, litíci, quíic fi, quit hitlr, i vi qu cl cti é u xigêci, rvit Cl Cti fc luçõ tclógic r rli brilir. C iibui irigi, ublic g rtt ghri ut, r Quli,

Leia mais

+&%&(*%,$%$'$%(%'%(,#$%-,*.. + +. 7.8 9 / / = >?8 +5

+&%&(*%,$%$'$%(%'%(,#$%-,*.. + +. 7.8 9 / / = >?8 +5 !"# $%&%%%$%$'$%(#&()%$%* +&%&(*%,$%$'$%(%'%(,#$%-,*.. + /%,$%$'$%(0$'%!(1$$!%,#&($$'$%( 3,$%$'$%(%)(#&()%)&,%%'%%4(#,#&($$'% 2&%&(*)'()1#(%$'%!(%,$%$'$%( 2 5 6 +. 7.8 9 +%))(#(*:()&;$,%)%

Leia mais

CARTILHA PARA ADESÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇO

CARTILHA PARA ADESÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇO CARTILHA PARA ADESÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇO POLÍCIA RODOVIARIA FEDERAL ARP Nº 09/2013 Aos Órgãos da Administração Pública Ref.: 2013. Ata de Registro de Preços conforme preceitua o Decreto Nº 7.892,

Leia mais

GONDOLAR SOCIEDADE IMOBILIÁRIA, LDA.

GONDOLAR SOCIEDADE IMOBILIÁRIA, LDA. Insolvência de GONDOLAR SOCIEDADE IMOBILIÁRIA, LDA. Relatório (artigo 155º do C.I.R.E.) I Identificação do Devedor GONDOLAR Sociedade Imobiliária, Lda., com sede na Rua Nossa Senhora dos Remédios, 780,

Leia mais

PALMA. Catálogo de QRCode. 1. Encontre o QRCode 2. Com a câmera do celular mire no QRCode. 3. Comece a aula. www.programapalma.com.

PALMA. Catálogo de QRCode. 1. Encontre o QRCode 2. Com a câmera do celular mire no QRCode. 3. Comece a aula. www.programapalma.com. R PALMA Programa de Alfabetização na Língua Materna Inovação, Educação e Soluções Tecnológicas Catálogo de QRCode www.programapalma.com.br 1. Encontre o QRCode 2. Com a câmera do celular mire no QRCode

Leia mais

PLR Por quê? d L i i q u e z b l d d R t i i e n a a e b d E i t a d d d P t i i ro u v a e é l l d B F t i R t u s c a e r n c a e p o e su a o

PLR Por quê? d L i i q u e z b l d d R t i i e n a a e b d E i t a d d d P t i i ro u v a e é l l d B F t i R t u s c a e r n c a e p o e su a o .. u p v g c C C O ) F h C I ( É, - p c c ç u u g w w p g c u F C I ã ) A U E ( C D h W k N f N h C F. z c v p ç p g u ) k M U ( E ã A M ) P S ( M P S E k M G p v h F C O ã b S Apc gc Agc Ag c R z O v

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

Exmo. Sr. Des. Anto nio Lo yo la Vi e i ra do Órgão Espe ci al do Tri bu nal de Jus ti ça do Esta - do do Pa ra ná.

Exmo. Sr. Des. Anto nio Lo yo la Vi e i ra do Órgão Espe ci al do Tri bu nal de Jus ti ça do Esta - do do Pa ra ná. Advo ga dos Exmo. Sr. Des. Anto nio Lo yo la Vi e i ra do Órgão Espe ci al do Tri bu nal de Jus ti ça do Esta - do do Pa ra ná. Man da do de Se gu ran ça 768.003-5 Jul ga men to: Órgão Espe ci al. Rel.:

Leia mais

Consulta de Atas de Registro de Preços da área da Saúde

Consulta de Atas de Registro de Preços da área da Saúde Consulta de Atas de Registro de Preços da área da Saúde Passo a passo para consulta ao Banco de Dados da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. W Favoritos I ~ la..q.,ft >> CJJ lij ~ ~ Página Segurança

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

Folhas de Cálculo. O EXCEL como Folha de Cálculo

Folhas de Cálculo. O EXCEL como Folha de Cálculo Flh d Clul O qu é: U Flh d Clul é, dç, u ju d élul qu u glh u bl qu d l- vé d xõ lóg /u O qu : Ogzç ç d bl l d vl; F, í,, qu jud xu lul lx; Auzç d, vé d gç u d ódg d lul u d uld; Rç g d ç; d bl ulzd çõ

Leia mais

botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22

botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22 botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22 sumário Introdução... 17 Gua ra ná Porrada... 25 Muletas... 39 Exó ti cas gan gues... 47 Um mons tro e um pinguim... 55 Si ga o cão... 61 Dia de campeão...

Leia mais

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 Comentário da Redação Nes te ano, a pro va de Re da ção da Uni camp foi ex ce len te. Em pri me i ro lu gar, pelo res pe i to ao for ma to tra di ci o nal

Leia mais

REVISÃO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL PCH PIEDADE JUNHO/2007

REVISÃO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL PCH PIEDADE JUNHO/2007 REVISÃO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL JUNHO/27 VOLUME II ANEXOS ANEXO I DESENHOS... 1 Revisão do Plano de Controle Ambiental PCH Piedade Junho/27 ANEXO I DESENHOS Sigla PIE-CAN-2 PIE-ACE-2 PIE-RESG-1

Leia mais

TEMA 1 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. Filipa, 12 anos

TEMA 1 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. Filipa, 12 anos 2º/3º ciclo O Ã Ç A T N E M A LIndo d pgunt u u ni u i ct n u Exit co? d d dit, d á l tção, f n ão p t t N n nci li ê f p tnt o p i hábito i g ê t d indic udávl. o ã ç t n d li Filip, 12 no lid 1 EguNntTAÇÃO

Leia mais

10 anos. com clientes e parceiros. o r. p a. n o. s a. NEWS GATEWAY GATEWAY celebrou. www.gateway-portugal.com. Gateway: o seu sucesso...

10 anos. com clientes e parceiros. o r. p a. n o. s a. NEWS GATEWAY GATEWAY celebrou. www.gateway-portugal.com. Gateway: o seu sucesso... NEWS GATEWAY GATEWAY celebu Gwy Ptugl um evet cm clie e cei Eecil eu egóci PORTUGAL ge ge eu egóci eu egóci g e 2-2 - Gwy celeb Gwy: eu uce... met www.gwy-tugl.cm Bletim Ifmtiv Gwy 3ª Ediçã Eecil A Ptugl

Leia mais

MANUAL DE ESTRUTURA, NORMAS E PROCESSOS DA BIBLIOTECA DA FESVV

MANUAL DE ESTRUTURA, NORMAS E PROCESSOS DA BIBLIOTECA DA FESVV BIBLIOTECA DA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA MANUAL DE ESTRUTURA, NORMAS E PROCESSOS DA BIBLIOTECA DA FESVV Bibliotecária Luzia Ribeiro 2010 Juarez Moraes Ramos Júnior Diretor Geral Luiz Cláudio

Leia mais

White Paper. E-mail Marketing: por onde começar?

White Paper. E-mail Marketing: por onde começar? White Paper E-mail Marketing: por onde começar? Primeiros passos para definir o planejamento de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação, é importante criar suas

Leia mais

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA sumário executivo w w w. v o c e s a. c o m. b r w w w. e x a m e. c o m. b r melhores empresas para você trabalhar São Pau lo, setembro de 2010. Pre za do(a) Sr(a)., SEFAZ BAHIA Em pri mei ro lu gar,

Leia mais

Entidades autorizadas a exercer a atividade de transporte de doentes e respetivos veículos

Entidades autorizadas a exercer a atividade de transporte de doentes e respetivos veículos Tipo de entidade Rótulos de Linha 3101 Cruz Vermelha Portuguesa - Delegação De Aldreu 96-46-HD 37-36-XP 66-NX-49 75-IS-24 78-32-MM 3102 Cruz Vermelha Portuguesa - Delegação De Amares 25-98-LI 03-88-QU

Leia mais

ç h s p BALÃO - D D CAI, CAI, BALÃO CAI, CAI, BALÃO CAI, CAI, BALÃO AQUI NA MINHA MÃO. NÃO CAI NÃO NÃO CAI NÃO NÃO CAI NÃO CAI NA RUA DO SABÃO.

ç h s p BALÃO - D D CAI, CAI, BALÃO CAI, CAI, BALÃO CAI, CAI, BALÃO AQUI NA MINHA MÃO. NÃO CAI NÃO NÃO CAI NÃO NÃO CAI NÃO CAI NA RUA DO SABÃO. leã IR ÍL é t ei le, ni e liõe e eent tiie eüenii. le 1 e 2, liõe enle tl i e nnte, filitn eni lfet. ei le etã lt à itetiã fíli ilái, eitin, e nei, e fe lie itetiente n e e ln, fen inteenõe e eee e l ln

Leia mais

AQUECEDORES & PRESSURIZADORES. AF114 Catalogo Aquecedores 2014 AB 400x200mm.indd 1 04/06/14 10:32

AQUECEDORES & PRESSURIZADORES. AF114 Catalogo Aquecedores 2014 AB 400x200mm.indd 1 04/06/14 10:32 QUEEDORES & PRESSURIZDORES 2014 F114 lg qud 2014 400x200.indd 1 04/06/14 10:32 Linh Águ Qun Obi. Mi fiin, i unávl. S unávl é uiliz u nui d f i inlign. É iiz uld, duzi dpdíi, g i i fiz. É i qu Linh Águ

Leia mais

Construmat Barcelona

Construmat Barcelona Construmat Barcelona 20 a 24/04/2009 Realização Salvador Benevides Diretor de Rel açõ es Int ernaci onais e Co orden ad or do Pr oj et o de In ov açã o Tecn ológic a da CB IC Coordenação Alexandre Luis

Leia mais

andréa del fuego os malaquias

andréa del fuego os malaquias andréa del fuego os malaquias 1 Serra Morena é ín gre me, úmi da e fértil. Aos pés de la vi vem os Malaquias, ja ne la com ta manho de porta, porta com autoridade de madeira escura. Corre, Adolfo! Donana

Leia mais