LEIA ATENTAMENTE ESTE TERMO, POIS TE AJUDARÁ A ENTENDER AS CONDIÇÕES DE USO DO CARTÃO.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEIA ATENTAMENTE ESTE TERMO, POIS TE AJUDARÁ A ENTENDER AS CONDIÇÕES DE USO DO CARTÃO."

Transcrição

1 Pbé! Vê á b u Tvl. l, vê á SEGURNÇ ONTROLE u vig. O Tvl u u i: P g u bli fili; P ihi ll ulu lug u, ilh ix lôi iifi : VIS PLUS. I: P õ VIS, v fi li RÉDITO xi DÉBITO Bil. ihi ix lôi, vifiu hvá bç if iii. xi, vê á l çã u u ix u ã h bç iil. Evi uiliz u ã gi v héi l víul. É i vê b u l uiliz gi v fiá blu é liuiçã fil. b hl u l víul çã v v l. E lgu, héi l b vi l vl v, iiibili u l. lgu éi ê ugi u li fuçã bili Rl BRL). R u u Tçã, i u ã ã é Rl, Tçã á vi u ã, i x x. E i çã ã é i, ii g çã. LEI TENTMENTE ESTE TERMO, POIS TE JUDRÁ ENTENDER S ONDIÇÕES DE USO DO RTÃO. éi u vig, vê á i u l g R$) Bil u g i u gu u ã fuu uilizçã vifiu vi u ã).

2 S U E i Íi: Sviç ã 3 Mg SMS 3 T içõ U 4 D ã I 23 Tbl Vl 25 iu li 27 içõ Rg ã 27 P P N P L

3 Sviç ã P Tiul ã : Ifçõ l x; Ifçõ i; T h; Blui ã. Pá i if v ã : Digi ú ã; Digi i f //. N i bé á ívl: ul l x ã; El u úvi b ã; Ob T içõ U ã. i ç lgu úvi, lii filil g u uiiu ã. Pá bé lig l SS i l lf if v ã: N Bil f 0800; P ligçõ xi, vê lig b. vij, ç içã u g ui b fu ligçõ b i í i. I á b úil, i l u ã /u ub. Ligçõ b igi u lul ã b u lfi. If- b viç ig iil. Su ã vi SMS vê! U g vg l u çõ! E çõ g, ébi u u liz ulu u, vê lh, u ã, çã b u g SMS vé lf lul u u -il viç ã iívl i õ). g iiá, lé çã, l xi u ã. ã j b i g, lii l vé l i. g SMS vi u lf lul ã i bç if u lfi lul. 3 T O Ç S 6 M D M Q P B Ç O Q T D D S 1 O T

4 ul u lfi lul b iibili bu u u viç : ligçõ b u í. T içõ U O iu i TERMOS E ONDI- ÇÕES GERIS DE UTILIZÇÃO DO RTÃO TRVEL RD T ) gul viç uilizçã Si ã TRVEL RD SS SOUTH MERIN RD SERVIES S.., Ru lx Du, 1562, j 63 há S i, Sã Pul SP, ii NPJ/ MF b.º / , v i ii li, fii láuul 1, bix. PÓS O LIENTE TER LIDO TENTMENTE E OMPREENDI- DO O ONTEÚDO DO PRESENTE TERMO, O LIENTE FRÁ DESÃO O PRESENTE TERMO E VINULÇÃO SEUS TER- MOS E ONDIÇÕES MEDINTE RELIZÇÃO DE QUL- QUER DS SEGUINTES PROVIDÊNIS, O QUE OORRER PRIMEIRO: I) SSINTUR DO REIBO DO RTÃO TRVEL RD; II) RELIZÇÃO D PRIMEIR OPERÇÃO DE ÂM- BIO PR RÉDITO DE SLDO DO RTÃO; OU III) RELIZ- ÇÃO D PRIMEIR TRNSÇÃO. O DERIR ESTE TERMO, O LIENTE DELR, POR SI E POR EVENTUIS DIIONIS, EITR E ONORDR OM TODOS OS SEUS TERMOS E ONDIÇÕES, BEM OMO OM POLÍTI E OS PRINÍPIOS QUE O REGEM. UM ÓPI DO PRESENTE TERMO SERÁ EN- TREGUE O LIENTE JUNTMENTE OM O RTÃO, E ESTÁ DEVIDMENTE RQUIVD NO 2º RTÓRIO DE REGISTRO DE TÍTULOS E DOUMENTOS D PITL DO ESTDO DE SÃO PULO. 1. Dfiiçõ O xõ iii l iúul T ã gui igifi: )iil: fíi ii l li ã iil, u, liz u ii Tçã, x ui içõ vi iu, big- lii li. b)ii: SS SOUTH MERIN RD SERVI- 4 j á f l T fi b ç

5 ES S.., Ru lx Du, 1562, 6, j 63, há S ôi, Sã Pul - SP ii NPJ/MF b.º / , u á ávl l li li Pí xi; )g: g uiz i l ii, u á juíi ávl l fh âbi, g, g u g Sl ã; )ã: ã lái iuli Ei li, VIS, vli lii, uilizçã vig iii i g çõ fu ju à bli Fili /u u í u iv. Ex u u iiiv T fiz fêi x ã iil, fêi ã li- bé ã iil. )ã iil: ã viul ã i l li, uj é u iil. f)l i: l i uuái ã ã iil, iívl, lf, fui 07 ) i i, 24h00 vi u h). O ú lfôi l i v ã /u flh u h. O hái fui l i ã f lçõ, ui ã ubli Si. g)li: fíi u juíi T, ã ávl l ui bigçõ iu, iluiv, l çõ u ã u) iili). h)ei: Iiuiçã vi uiz i ii ii õ VIS, ávl l li ju à VIS à SS, iifi v ã. i)fili: fíi u juíi, f b /u viç, i i ã VIS. j)pí: Rúbli Fiv Bil. k)sl ã: l gi iívl g Tçõ liz ã. 5 fi O E R S v fi L 2 2 u j x l 2 F V E P T

6 l)si: íi lôi ii I iifi v ã u flh u h. O hái fui Si ã f lçõ, ui ã l ubli. )T: iu i TERMOS E ONDIÇÕES GERIS ULTILIZÇÃO RTÃO TRVEL RD, uj ói á vi uiv 2º ói Rgi Tíul Du il E Sã Pul. )Tçã: ulu uiiçã b /u viç, b u ihi liz xi, çã gói fu ã, bv fili vi 2.2, bix. )VIS: iil uiliz l Ei i liç iã õ. )Rgul Oiv VIS: Sã g i l bi VIS u fi il u çã bili i, Lji/Fili, Iiuiçã Ei ã li. 2. Fui ã 2.1.Sh )Ju ã, li bá u h u l, ifívl fiil, ã vl u u u j, x ll u i h, ã, i, gu ju ã. E h á iu igil ã, à iu li, fi fi ii, Tçõ liz ix uái u ui iifiçã lôi. b)o li v u bi ã, l h j vil, i u il, v ui ii ii i l i. 2.2.íi ã )O RTÃO, DE PROPRIEDDE DO EMISSOR, TEM OMO FINLIDDE EXLUSIV O PGMENTO DE DESPESS EM VIGEMNS) INTERNIONLIS) TURISMO OU NEGÓIOS) E, EM NENHUM IRUNSTÂNI, PODERÁ SER UTILIZDO PR OUTRS FINLIDDES NÃO PREVISTS NESTE INS- TRUMENTO E NOS TERMOS DO REGULMENTO DO MER- 6 P h T l 2

7 DO DE ÂMBIO E PITIS INTERNIONIS RMI PUBLIDO PELO BNO ENTRL DO BRSIL E SUS TU- LIZÇÕES. b)n v ã, ã i vli, gi ul ã ui l, ú ã, bi VIS, Ei u ii xã VIS TvlMy. Evul ã i li /u u f. ã j hi guç, hvá u hi áli ii u v. )N v ã, ã i óig guç, iu, içã Ei ú l i, vul, i ii u Ei. Tbé é fix l hlgáfi u lgiii u VIS. )O ã VIS v uiliz li RÉDITO, xi, DÉBITO, Bil ulu Fili VIS u li u ix lôi bé iifi PLUS. )E ã é-g, ã ã f ulu i ã lih éi,, u uilizçã é ii à iibili l vi uii l li ju g. f)o ã v gui g içã fii l bi VIS. P, é ívl u u l giv fil u u, iu çõ lgíi liz l li, u ã uji à lçã vl u i ç, gj, g héi, ági, gli u i éi. O li é ávl l uiçã l giv u f igi çõ lgíi. g)nã hvá ulu uçã b vl iívi ã. h)ó vi ã, vul l á ivii l li ju g, u fi v ã. b çõ ã uji vui if b l g ivçã ã )O ã á iv ó u çã gi l âbi ui fiv g v i

8 l li fi u i g, f lgilçã vig. b)é v g b ulu ui gi u j f i Sl ã. O li u j v vl gi éi Sl ã vá ii v u g i fili g u ã gi. ) çã âbi i láuul i vá à gi lii ã, f iibili fi l g. )P gi iv g ã, li lbá âbi g, u, i iv âbi, vliá çã ui ái bili, i á içã hi ú T. )O g gá li, ju ã, u ói T. li ã içõ vi T, l ã á liz ulu Tçã vá l çã z hábil lgl, vlv ã u g. f)n hió li x ii vi láuul i, g á b li, - vl iui, bl u vu já h i g l g. g)o ã u h ã viul li á ávl u gu, u ui, b g liz i ã. O ã u h ã u l, xluiv ifívl li. h)o li é ávl l vi xiã ifçõ i fi gi liiçã ã, bé l ulizçã u u huv ulu lçã. i) ulizçã i li liz vé l i. j) liiçã ã j liz ju g, j ívl iã li 8 i v b i v 2 T l

9 ã, li vá fi ii i l, lii çã j ulu iguli u iifiçã. k) li j u ã liz, vá i N, vá i içõ, z u l ivulg, fi v uilizçã ig b ui i ii ui. l)o ã á gu ju h iiil u u, b ul xliiv iii íi ã uilizçã h. )O g ã á uiz à h ã u fiv u lçã. li ã lb, vá l i u uiliz Si á-l. )O igil h bi é xluiv bili li, fi já Ei, ii /u g i uiu bigçõ u á uilizçã u ivulgçã i. )O ã á é 3 ê) õ iii ã viul ã fi vi iu. O õ iii uilizã l ã ulu Tçã. )T çõ g /u g /u u l ã, iluiv vuli) ãõ) iili), iéi g á) if) B l Bil çã âbi ui, iifi li ávl. 2.4.U ã )O li á ávl u liz ã. O li v ifi- u b u viç uii ã giçã uiz ébi u ã. lgu bli il, li fuu u u fu u Tçã, vh bi ã ulii u vl if, b li gi bli il vã Tçã ã hi. Nã b ii l ábi i iu, - váli çõ fu ã vi l bli. 9 V l S g T ç b u f

10 b)o ã ã fui ui ã lôi ébi, i u j iifi VIS. )O ã á g /u g gi iifi u v. )I gi iifi ã, ã é uiliz ulu Fili u liz u ll vé ix lôi i. )É v u ã ulu ivi ilíi, fili liz lvg ihi, vã ivi í u lçã ix Pí. f)o ã á uiliz u l ufii g vi Tçã. À xçã l i 2.2 g), çõ g ã ã u l ufii. g)e í iêi à gi ã, ã hvá ulu i vã bil uçã vl Tçã fu Sl ã. P, i ib u igi u h, ifiu- u l éi ib é igul u ã. lgu éi ê ái fu võ bii Rl BRL) li. E Tçã é ii l bi VIS. E Tçã iliá u gu vã Tçã Rl ã, g i u li. E Tçã é u giçã il li Fili, ã b ii bili l Tçã l ábi iu ii. E çã é g l ii ã vi li. h) li fu Tçõ u u iv ã, vl u u ã vi ã x âbi i l ii, i u Tçã f. x âbi é x âbi fi l VIS, i u x vã. i) võ ã f viçõ f hái fh, fi li, 10 i 6 i x V

11 11 iuçã ôi í ul l é uiliz /u u iuçõ u i i bili. j)d lgi uiliz l Fili, lii li igiçã h u iu ib g. ifiu- u ib, :, vl, ã b u viç. O ii ã l b lgi l Fili. k)p guç li, ã ui lii iái u. O li v ul, vé l i, bl lii u ã vifi vl áxi iái lizçã Tçã. l)lgu ix lôi f lii áxi íi u i vl fi l ã if bl lii u, ã Ei u ii lçã i lii, u l líi iiuiçõ g ui. )O li vá gu v Tçõ fu u í, íi, 60 ) i, u lii l ii viguçã Tçõ. )O vl Tçã /u x á uzi ii Sl ã. )O Fili, i ix ui lôi uiliz u u g iifi VIS PLUS, ã, ã ã big b ã f g /u lizçã u. Evul giv, u u içõ içã ã, fi l Fili u ulu ix u ui lôi iifi bi VIS, xluiv líi i ói bli /u g ix u ui, ã Ei, ii g ulu bili i u u içõ. )O ix ui lôi uiliz u u g, u j iifi VIS PLUS, ã uji flh l fui, ã Ei, ii g ulu bili l flh. ) iiuiçõ fii /u g ix lô g v v g F b

12 i ã b if iil uzi Sl ã if T u ii iibiliz ju ã) liz i Tçõ. O li á i if iil if l ix lôi) u l çã lizá-l u ui. )Evui if b iiuiçõ fii / u g ix lôi, u l lgu çã, ã bili fi iiuiçõ g. O Ei, ii g ã ê ulu l ã ávi l bç l if iil l çõ. )O ix lôi ã x vã iv uiliz l ii. E ivgêi x vã l ix lôi i l ii, ã li x vã i l ii, ã ii ávl ulu ifçã l ix lôi ii u iiuiçõ fii /u g ix lôi. )Evul, ix lôi ã ii hv l ã, uj vl ã é já hi u fi l ii. P ul vl x Sl ã, li v l i. u)o ã é i ui ix lôi VIS PLUS. E, lgu i éi, i, i gáfi bl vl, u, ê u u igi fuçã lgilçã bili líi i ii. ul u g u l i ui i éi í u u ã ã á i. v) içã iifiçã x ã b ll u ã é ii bili Fili. w) ã j uiliz fiçã v viç uíi xl, héi l víul u u) vl, i 15%, á blu l iívl, é u j fiv g i liz - 12 ç ç f

13 l Fili. Nã é lhávl u ã lizçã fiçã v ulu i, v u u lii- g fiv i u u viç u. x)o ã fui liv I Tçõ éi lôi, v u u fili u u u fili u ã u vig xi, j fi uíi u gói. y)lgu íi lôi ã i ã f g, u íi é-g. E u xluiv líi íi lôi, ã Ei, ii g V ávi vui u g ã i. z)e fuçã çõ ôi li lgu í, lizçã Tçã u ã á ã uiz u Fili VIS. lçã ul í u u uii ul vé l i. )D lgilçã bili vig, ii é big vi B l Bil lh viçã ã u lii u i gul liávi. O ã v u fíi, u á ã, u fh âbi gi j fu u juíi. bb)suji à gul liávi, li j iv ávl l çã âbi, ii viá à ui bili ifçõ iívi u lii l ógã. )O Ei, ii g ã x uiz ui à ui, i ulu évi vi li, ulu iguli u ã, ilui uiu çõ iu u ái T /u à gul liávi, il, l lh Mái Nil 13 z fi ç i

14 u B l Bil. )O li i u éi u l h ii u bl u, ulu iv, uilizçã ã. lizçã éi Sl ã iuiá v ufii ui igl ulu bigçã bl u l Ei, ii /u l g. ) Tçõ ã uiz huv l ufii iívl ã. E, ã á l giv êi Tçõ u vh fi l Fili u ã ã l ufii, gui Rgul VIS Iil. N, li fu g vl vi g z é 30 i) i fu l ii. li ã fu g z fix, ii á i u julg u vi bi vl l giv ã. ff)o ã á blu ó 3 ê) iv uiv u h iváli. O li á fu blui l i u l Si. gg) ã u vh fi i 90 v) i ulu viçã, u, g u g, á b u if uçã if iivi) 30 i) i, é u vl lgu viçã, f vl if i l ii u v T. hh) bç if iivi é viul à iibili Sl ã. Nã hv l iívl, ã á iv á fi x bi ã lg xi l ufii fzê-l.. ii)o li á ávl l g fii vul lçã u içã ibu u u i g bli ógã gvl u ii b Tçõ u b u u ã, Pí u xi. O ii á uzi ui Sl ã vl liv g fii. jj) ix lôi lii u h 6 i) 14 3 z b u i

15 ígi, li igi u h 4 u) ígi fiá-l. ix lôi ã i l çã, u li u u u ix liz u guç. 3. õ iii )O li á uii é 3 ê) õ iii u ã viul ã iil. liiçã ) ãõ) iili) fu ã. R-, u, lizçã ul évi iibili iã ã iil i lhi l li iã ã b)o li é úi hbili lii u ã iil. )O ã iil é uiliz i u ã, ã, u g u g, u é viul ã, li- ã iil,, Sl ã. ) ã iil á uiliz lizçã u u é lii Sl ã, ã hv içõ vl u ã iil. ) ã vh blu vii, ã iil á iv u. Hv i blui ã iil, li vá l i blu ã iil. O l fiiiv ã gá l uái õ iii l viul, ã i ívl uilizçã ulu u l. f)o li á l u ã iil ulu vé g u l l i u l Si. g)o li v ifi gi u ã iil uiliz- T; h)o li já u u ói ifçõ i j uiliz çã ã iil u ; i)o li é ávl Tçõ fu i ãõ) iili) b ulu ui T b v ç g ç ç v l h f

16 4. g u v l ã )é vi ã, li á g u l u ã vé g, uji lii ui iul l ii. b)s li u u u vi hbili á liz g Sl ã, v g uiliz fili ã vi T. )P çã g á ái lbçã âbi, f lgilçã vig Pí. )O z u l g j iívl é 24 vi u) h úi i u j fi liuiçã çã âbi, i Pí. ) v l vá lii g á fiv l u il Sl ã, Ri. f)o g á b if vig à é g u l ã. g) x âbi uiliz iibili fu ã u u l) á i l g. h)o ã á g u u l uii l g i Pí. i) Tçõ g g ã, çõ âbi ái fiv i Tçõ, ã bili g. O iv vl çã âbi ó ã i ã Tvl ó fêi vl g ii. ii á i i ulu bili li g ã liz fêi u, v li, hió, uii ulu çã xluiv f g f S 6 f l l

17 5. à ifçõ ã i )O li á ilii à u, vifi l x í Si. Tbé á ul l i b u l iívl ul. b)p u, li vá igi ú ã i, f: //. )O li ã bá êi b iuçã u, x u l. )O li á ul i u ã, i uiu lçõ, vá ui g, vé viç i li - uj á if v ã - b ulu lçã u ulizçã u i. )O li á l u h u ã ulu vé Si u l i, i iivçã guç liz l Si u l l i. 6. iêi, xvi, fu u ub ã )E, xvi, fu u ub ã, li vá ui ii ii vé l i. b)o li é ávl Tçõ fu é uiçã, xvi, fu u ub ) ãõ). ) ã j xvi u içã j lii xi, g á liz l ói ii u vé u iil g. içã Bil vá uii g. )O z g v ã xi á ll g. )P içã ã á b u x içã. j ái u gu ubiuiçã, á b if içã liávl à é liiçã. b xluiv ii iã xii li bç if içã, u bl Tx õ Tvl, v 17 7 S i

18 T. f) g ã á liz ç ii l li. ó 3 ê) iv g fu, li vá iá-l l g ii l ii é 3 ê) i 3ª iv g ã. S ã ã f i z, á b if liávl à é liiçã. g) ã xvi j, ã á uiliz, u l i fi ibili u ivçã. h) if i çã ã bi i Sl ã. 7. Sguç ã )Sã v li: I)Gu v f gu ã, guç, lgi /u ulu h ã u Si; II)i ã ii ó bê-l; III)Nu ii u ulu u u u ã; IV)Nã ifi fi géi u iui ig ã; V)Nã ú ã ã uiz; VI)Nã h ã; VII)Nã g h ã; VIII)Nã gv ulu h u, f gv, i závl ifçá-l); IX)Nã u h ulu u ilui líi /u l i u ulu u fuiái g; X)Nã h u ú ã iil ulu u u ã j ã iil; XI)Nã uiu guç uiu ã uiz; X)Obv iuçõ liv à guç ã uiu guç, - gu gu. b)o li á u f /u vifi 18 f ç 8 ç i f V g

19 guç ii iibiliz fu li f T. )O li á ávl : I)Qulu ã u ã iil f uiliz f iói, i, hi u uêi li u i ulu ã iil; II) O li u ulu ã iil h gi ul, il à bvçã g guç ã; u III) O li u ulu ã iil h gi l u á-fé. 8. E / Rlçõ ) li ulu Tçõ u ã, vá ifi ii l i f v Tçõ çã. b)o ii á lii u li fç ifçã iil i f. Tl ifçã vá fi l li 5 i) i liiçã ii. )O ii iá VIS, u vifiá êi Fili ul Tçã fi liz, v bli Fili ui i, z l i bli l VIS. E i uçã xigi gu bli l gul VIS Iil. )O z fu lçõ ivgêi l vl lç ã é 60 ) i Tçã, gui içõ l i. )U vz luí ivigçõ b i j êi lçã, ii lizá ã é 10 z) i úi ó bi ifçã lii. ii h i, ó luã ivigçã, j iêi lçã li, ii á bi vl i. S ã ã iv l, li é 10 i i ii, vé g vl u fi i, uji à bç ul 19 9 v fi E

20 10% ju 1% ê, ó uiçã -il u lfôi. 9. E T )O ii á, vi évi ulu bili, u vçã u Tçã, l u u ii u ã u uiu fi u u içã ulu ã,, u xluiv iéi, u ã á uiliz u fi ã vi láuul 2.2. T, u uiu ivi ilíi, i i lvg ihi, vã ívi, u ulu i i fii il. b)o li á ui T ulu, i i g u l l i. )S juíz i lgi bívi, ii á u vluçã ã, l u u u ã /u ii T, i ulu ifiçã li, iéi Ei: I) Huv iíi u ã h i u vh uiliz f ivi; II) O li h ui ulu içã T; III) Huv iíi ulu u ilgl ã; u IV) li huv ii /u g ifçã fl, il u i, u iv ii ifçã lv, u uiiu ã u lizu g ã. )O ii á ui T ulu, i u, i uiçã li 30 i) i êi. )O ulu hió ui vi T, I)O ã fiá ui l, ã i z liz ulu Tçã; II)O li vá g ã ii u g, u, iuçõ Ei, uí-l, u vá ifi l uiçã Ei, i; 20 1 l i f 1 z f i g

21 III) O li vá u g g vul l ã, Pí, f âbi i ju g, li gulçõ liávi. 10. Mifiçã T )O ii v ii ifi uilizçã ã, ii u v u viç iuzi ifiçõ T, i i ii ã, vé u uiçã i u -il li, ifiçõ ã i bi i l li u ulu uilizçã ubü ã u u õ iii. b)s, bi uiçã fi ), li ã ulu içõ l, vá b- u ã ui T, f i b). 11. Ifçã l li ) ifçõ i li ã uiliz l Ei, l ii /u l g uiz i ui T u vçã à lvg ihi, çã ívi i, ui li gulçõ liávi, b vçã fu. O ii bé á vl ulu ifçã l bç u fiii b ui vi l li. b)o li uiz vifiçã uç u gi, éi ifçõ fii, b iluã u ifçõ bli fiii, li l viç l i l Ei u l ii, iil, gi SERS, SP u ulu u viç iil çã éi. )O lh l ivi Fii OF á if b uiu çõ liz ã u u u hj iíi u ui u Li º /98, u u liávl à vçã à lvg ihi u l bil. ) ifçõ i li ã ivii 21 f l f 1 E i 1 1 E F v

22 f viç, i u j ái u xu viç ui f, uiz li, já, à vlçã u ifçõ i f. )Ifçõ i li ã u Tçõ u u li ã f Pí, f viç ã big g u fiil ifçõ i li. f) ifçõ i li ã ã ivulg u uiliz uiu u ói, x f bli i, u Ei u ii j big, lii u uiz fzê-l êi xigêi lgl, gul u juiil, u f ái fi fêi ii bigçõ i, T. 12. Dii i E T ã f uiu i uiu bfíi u ii xigi ui uiu i T. 13. Tfêi ii )O Ei ii ã uiu u ii bigçõ vi T ulu, fíi u juíi, i ulu vi u ifiçã li, fi já lv u iái iuá ui bigçõ ui l Ei u l ii iu. b)e T bl ii bigçõ à P, u hi /u u. 14. Li Juiiçã E T é gi á uji à li Rúbli Fiv Bil P, u, lg F il Sã Pul iii uiu véi iu iu, úi ulu u i ivilgi u j. P T O P N 22

23 P D u Tvl I. O i u v u ã iiá u uuái ifçõ u ã : l ã, x hiói çã), h, blui ã, ulizçã, çã çõ lf gêi SS. : 1) i u v u ã. 2) Iifiu ç ul l. N ONSULTE SLDOS E EXTRTOS, igi ú u Tvl liu ENTER u l. 3) N l gui, igi u i v, uiliz, ç u b ú. Exl: 07 zb 1975, igi: ) liu OK u já á iívl. P l h u, liu l PIN/Sh l iil igi PF. 5) j l h u ul x i u ã, é ái i á guç i i. N i á ívl: Vifi u l; Vifi iii u hiói çõ; T h ã PIN - h u); uliz ifçõ ; Blu ã; çõ; V lf gêi; Iii fulái çã. 23

24 lé : Ob ú SS; El úvi b ã; Ob T içõ U ã. S i hj ulu úvi, i gilz l i uiiu u Tvl. Qu ê-l) lh f ívl! ó liz u ul li liu SIR u guç. l i Filil: Tlf: D ái Nú gv ã: D i: R P ç fi 24

25 lé : Ob ú SS; El úvi b ã; Ob T içõ U ã. i hj ulu úvi, i gilz l i uiiu u Tvl. Qu ê-l) lh f ívl! l i Filil: Tlf: ó liz u ul li liu SIR u guç. D ái Nú gv ã: D i: 24 Tx Tvl. MOED UD D EURO LIBR PESO RND USD TX POR SQUE 1) 2,50 2,50 2,50 2,50 10,00 20,00 2,50 TX DE REPOSIÇÃO DE RTÃO 3) 30,00 30,00 30,00 30,00 120,00 300,00 30,00 N uiiçã ã, á b u x l iã lái. 1) 2) 3) 4) 5) 6) TX DE ENVIO DE SMS 2) 0,25 0,25 0,25 0,25 1,00 2,00 0,25 TX DE MNU- TENÇÃO P/ RTÃO INTIVO 4) 1,00 1,00 1,00 1,00 9,00 7,00 1,00 LIMITE MÁXIMO DIÁRIO P/ SQUE 1.000, , , , , , ,00 LIMITE MÁXIMO DE RG , , , , , , ,00 lgu ix lôi b u x iil bl u lii i u i g u ã. Tif bi l ã. u lul, vul, b if iii. P ii içã ã á b Tx Riçã ã li i. P içõ ubu, á b u x iil US$ 15,00 vl i. x uçã á b l õ viçã g, u u i 3 ê). E lii é fii gi guç çã, u é ívl fu 4 u) u é u lii iái if i j igi. P çõ bli ii u ix lôi if ã, vl u u ã vi ã u x âbi i l VIS u MSTERRD i u çã f. LIMITE POR SQUE 5) 400,00 400,00 400,00 400, , ,00 400,00 LIMITE MÁXIMO DIÁRIO P/ OMPRS , , , , , , ,00 LIMITE MÍNIMO DE RERGS 100,00 100,00 100,00 100,00 400,00 750,00 100,00 LIMITE MÁXIMO DE RG 12 ) , , , , , , ,00 Tx VIS TvlMy Pliu. S R P ç fi

26 iu li Slii li u i h f ii bix. iu vê á: 1. i T içõ U. 2. uiz g ã Tvl. 3. D iêi ifçõ Gui. 1. i T içõ U: i uiliz ã, vê T içõ U gu l u g V. vê i ã i T, vê v l u ã l i. 2. uiz g ã Tvl : Iuçõ g: S u i fz g u ã Tvl, u g, u: M çõ: u E-il: Filii Bil, lliz iii hig iii í. Ou i uiliz h li i: içõ Rg Tvl P: li iifi PRTE I uizçã, ug ii g, i iuçõ l, fi âbi u, u, g u u iiuiçã fii ii l ii, úi xluiv g vl ) ãõ) Tvl i) ii PRTE II, v ubbli ui ug, uêi uiz. ã: ) ãõ) éã) iuli xluiv ii, u u, ilui l, ébi, éi i çõ, gi T içõ U. 6) 5) âbi i l VIS u MSTERRD i u çã f. P çõ bli ii u ix lôi if ã, vl u u ã vi ã u x E lii é fii gi guç çã, u é ívl fu 4 u) u é u lii iái if i j igi. Tx VIS TvlMy Pliu. MOED EURO USD TX POR SQUE 2,50 2,50 TX DE ENVIO SMS 0,25 0,25 TX DE MNUTENÇÃO P/ RTÃO INTIVO 2,00 2,00 LIMITE POR SQUE 2.000, ,00 LIMITE MÁXIMO DIÁRIO P/ SQUE 24H , ,00 LIMITE MÁXIMO DIÁRIO P/ OMPRS 24H , ,00 LIMITE MÍNIMO DE RERGS 100,00 100,00 LIMITE MÁXIMO DE RG , ,00 LIMITE MÁXIMO DE RG 12 ) , ,00 25

27 iu li Slii li u i h f ii bix. iu vê á: 1. i T içõ U. 2. uiz g ã Tvl. 3. D iêi ifçõ Gui. 1. i T içõ U: i uiliz ã, vê T içõ U gu l u g V. vê i ã i T, vê v l u ã l i. 2. uiz g ã Tvl : Iuçõ g: S u i fz g u ã Tvl, u g, u: M çõ: u E-il: Filii Bil, lliz iii hig iii í. Ou i uiliz h li i: içõ Rg Tvl P: li iifi PRTE I uizçã, ug ii g, i iuçõ l, fi âbi u, u, g u u iiuiçã fii ii l ii, úi xluiv g vl ) ãõ) Tvl i) ii PRTE II, v ubbli ui ug, uêi uiz. ã: ) ãõ) éã) iuli xluiv ii, u u, ilui l, ébi, éi i çõ, gi T içõ U. 27

28 g: g úi xluiv lizçã çã âbi g ã, f ui vi ii à évi g, l li g, vl ái fivçã l çã âbi, ã g ulu bigçã u bili l u l l, ébi éi fi ã. Oçõ: çõ âbi, ã liz li, i fêi bái PF li g, u, f, u iiuiçã fii ii l ii. P I - Ifçõ li Tiul ã) N l: D i: PF: RG/RNE: Eç: Bi: EP: Muiíi: Tlf: lul: E-il: N li ã ii úli): UF: P II - Ifçõ ã Tvl TIPO DE RTÃO: Nú gv ã: D iã ã: D vli ã: M g ã: Si, u b SMS u ii T içõ. Nã u b SMS u ii içõ. iu D:, 28

91/enloria áo' engenhelro áe csouia!l.janáetra

91/enloria áo' engenhelro áe csouia!l.janáetra &xttlt 91/li á ghl á Si!lJát tjll Czi O t içõ t t Ftz lv á git lõ: I O vi t i é fit i i l t gi t fix :;:ã;"4 l ll 1tlt xit á fi " """" t i t j it z 1 t A gitçã Iti ttt v i á g l vt bt l é itt q gã i fiíi

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Nota10 ESCOLAS DA DIVERSIDADE

Nota10 ESCOLAS DA DIVERSIDADE A fl Clg, Al Glbg: l g q PÁGINA 8 N10 A 13 ú 48 bl//jh 2013 Pblçã l Fçã AlMl Bl ESCOLAS DA DIVERSIDADE Pj Fçã AlMl Bl úbl b blh lã ç fê l l l PÁGINAS 4 E 5 ARUIVO FUNDAÇÃO ARCELORMITTAL BRASIL O l Jé f

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

Servidor de e-mail Interno ou na Nuvem?

Servidor de e-mail Interno ou na Nuvem? Svi -il It Nv? 4 CLOUD SOLUTIONS Pgt q t p vi fz p ã p pi. Svi -il It Nv? 4 Pgt q t p vi fz p ã p pi. CLOUD SOLUTIONS Mi. S Epilit Cl. E-il é lg tã pt i i p, tã bái p fit qlq gizçã, q ã é p igi q l fi

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O A B O R T O : U M A Q U E S T Ã O M O R A L, L E G A L, C U L T U R A L E E C O N Ô M I C A C U R I T I B A

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

Módulo I MOTORES DE BUSCA NA INTERNET

Módulo I MOTORES DE BUSCA NA INTERNET Módul MOTORES E BUSCA NA NTERNET duç Pqu d ç d gé Pqu d ç B d d Ulzç d d -l F d duç -l @2007 v 1 O qu é? A é d udl d d d ud qu uç l qulqu ud d ud, d lh u C u? Avé d u ju d l (g d uç TCP/P) qu ê gd vg d

Leia mais

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024 E S T A D O D E S A N T A C A T A R I N A P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E M A J O R V I E I R A S E C R E T A R I A M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O, C U L T U R A E D E S P O R T O C N

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

Por que escolher a CWC?

Por que escolher a CWC? P q lh CWC? t õ ç t 1. I i l ã à t t N it, l it, l ti á g l f E g i. t lê g I ívl t é á ti, tblh lh it h l. z i lh i iglê 4. V i Ativ Of i vi g tivi lt t i ii t. E tiv t v i ã t it çã tbé t t, xõ til lt

Leia mais

Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto

Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto. Engenharia do Produto Cu A f ê glblz fçã pu u f hv u p. v ég p pl, vé pç fl pu, qul pp vçã uz. O Hj Tp P v é á v v pê âb gh lg pu u fz ppçã qu. P v u f é á lz p u l up à ê, u p p. Só é pívl l lv u v vlv pê ful à gh pu. Qul

Leia mais

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR O Sonho de Renato O Sonho de Renato a e i o u A E I O U so nho de Re na to Eu sou Renato Valadares Batista. Tenho 14 anos. Sou filho de Pedro Batista e Luzia Valadares.

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL (SGE) À EFETIVAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO - ESTUDO DE CASO EM UMA SIDERURGIA

CONTRIBUIÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL (SGE) À EFETIVAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO - ESTUDO DE CASO EM UMA SIDERURGIA A i i uiv b ufu uáv. Ri Ji, RJ, Bi, 13 16 uub 2008 CONTRIBUIÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL (SGE) À EFETIVAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO - ESTUDO DE CASO EM UMA SIDERURGIA Cb Ch Gzz (UFSCAR) bzz@i..b

Leia mais

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira S 1- Litt, Lit Rflxã 3- t D q vz? Jé Rid Mi Cpítl 1 P gt Td é di pfit p l: U liv lgl, d lid. E t d di fz d! P Hê: U di vô lá íti, vid hitói d tp q l id gt. P Hit: Ah, di d ihd, it l, it ág, it hi! P L:

Leia mais

Visão Geral Métodos construtivos Métodos construtivos O Mercado Visão de Negócios Alguns números Principais diferenciais

Visão Geral Métodos construtivos Métodos construtivos O Mercado Visão de Negócios Alguns números Principais diferenciais Shw C TÓPICOS Vã Gl Mé cv Mé cv O Mc Vã Ngóc Alg ú Pcp fc Rl N vç Pc Q fz Vã Gl A ESTRUTURA ECOLÓGICA CONSTRUTORA, g c l é c cçã à v pcpçã q lz écc clógc. Sb p v é pf pívl v, p g cl c fã. N çã ppc c, c

Leia mais

Uma publicação que é referência no setor

Uma publicação que é referência no setor ublic qu é rfrêci Vlt r rfiii ii frcêuc, viári, c, bitclgi, litíci, quíic fi, quit hitlr, i vi qu cl cti é u xigêci, rvit Cl Cti fc luçõ tclógic r rli brilir. C iibui irigi, ublic g rtt ghri ut, r Quli,

Leia mais

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO GLOSSÁRIO PREV PEPSICO A T A A ABRAPP Aã Aã I Aí I R ANAPAR A A M A A A Lí Aá S C é ç í ê çõ 13ª í ã. Açã B E F Pê P. Cí ê, ã ê. V Cê Aã P ( á). N í, - I R P Fí (IRPF), S R F, à í á, ( 11.053 2004), çã.

Leia mais

Folhas de Cálculo. O EXCEL como Folha de Cálculo

Folhas de Cálculo. O EXCEL como Folha de Cálculo Flh d Clul O qu é: U Flh d Clul é, dç, u ju d élul qu u glh u bl qu d l- vé d xõ lóg /u O qu : Ogzç ç d bl l d vl; F, í,, qu jud xu lul lx; Auzç d, vé d gç u d ódg d lul u d uld; Rç g d ç; d bl ulzd çõ

Leia mais

! "#" $ %&& ' ( )%*)&&&& "+,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) (5 (6 7 36 " #89 : /&*&

! # $ %&& ' ( )%*)&&&& +,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) (5 (6 7 36  #89 : /&*& ! "#" %&& ' )%*)&&&& "+,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) 3 4 5 6 7 36 " #89 : /&*& #" + " ;9" 9 E" " """

Leia mais

GUIA DE EMPREENDEDORISMO NA FLORESTA

GUIA DE EMPREENDEDORISMO NA FLORESTA h Té Ifçã: UIA MPRNORIMO NA LORTA Cçã: b : A v f P vv Pj ub âb Iv Cuá QUAL. Pj -f : Mb P vv: u: & x, L. (Chv) AIACT - Açã vv Ig A Cg Tâg (V R) gu - çã Açõ Ag T (V R) - Açã Pug (V R) ICNB -Pqu N P-ê (PNP)

Leia mais

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO Segue abaixo dados das DDMs que mudaram para o PCASP, tanto as que mudaram de nome como as que mantiveram o mesmo nome. Para estas, os campos que serão excluídos (em 2015) estão em vermelho e os campos

Leia mais

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M N Ú C L E O D E C O M P R A S E L I C I T A Ç Ã O A U T O R I Z A Ç Ã O P A R A R E A L I Z A Ç Ã O D E C E R T A M E L I C I T A T Ó R I O M O D A L I D A D E P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 027/ 2

Leia mais

MICRO E PEQUENAS. empresas. para você melhorar a eficiência no uso de água e energia da. sua empresa.

MICRO E PEQUENAS. empresas. para você melhorar a eficiência no uso de água e energia da. sua empresa. GESTÃO AMBIENTAL MICRO E PEQUENAS p p vê lh fiiêi u águ gi u p. At tt: ibit@fij.g.b Gtã Abitl p Mi Pqu Ep. www.fij..b/ gtbitlp Águ gi tã itt li. Tt qu qu flt u, ç flt ut. E i ft uit iúti t i. P t vibili

Leia mais

Módulo II. Sistemas Internos de Informação. Redes e serviços de comunicação Sistema interno de informação da ESTV. Módulo II

Módulo II. Sistemas Internos de Informação. Redes e serviços de comunicação Sistema interno de informação da ESTV. Módulo II Módul S d ç Rd vç d uç S d ç d ESTV @2007 Módul v 1 Rd Svç d Cuç C d d l Cl d d d uç C b d u d Rd Eh W Tlg d à Svç @2007 Módul v 2 C d d l Tl =? U d d l é u d uç uíd vé d lgç d v ud u dv, ldd d ç lh u

Leia mais

PROJETOHORTAEMCASA. Manualdo. Apoio. Realização CDHU PREFEITUR A DE SÃO PAULO VERDE E MEIO AMBIENTE. Instituto GEA

PROJETOHORTAEMCASA. Manualdo. Apoio. Realização CDHU PREFEITUR A DE SÃO PAULO VERDE E MEIO AMBIENTE. Instituto GEA M RJETHRTAEMCAA CM LANTAR E CLHER ALIMENT EM CAA 201 A Rzçã Ch Dvv Hb Ub CDHU I GEA é b REFEITUR A DE Ã AUL VERDE E MEI AMBIENTE FhTé Ebçã Tx Agô Jé Lz Ch T Nh Rh Rvã A M Dg Lz Egá j Nh Rh Rq L R Rf Tv

Leia mais

KV-29FS150. Manual de instruções. Conexión de equipo adicional 3-210-910-51(2) 2007 Sony Corporation Impresso no Brasil

KV-29FS150. Manual de instruções. Conexión de equipo adicional 3-210-910-51(2) 2007 Sony Corporation Impresso no Brasil xó q 3-2-9-5(2 õ K-29F5 L h 27 y B Ê ÇÕ v í hq é, xh v à hv z hq é, z x q j ÇÃ HQ LÉ Ã B ÇÃ v hq é: Ã B v, é q y í ó á õ,, q hq é í ó á q à õ (v õ q h h v ( v óx í ê ÇÃ Ç h v -22 5/6 Hz HQ LÉ, X L L LÉ

Leia mais

PRODUÇÃO AUDIOVISUAL EM EAD: AUTORIA ENQUANTO SUBSÍDIO PARA A FORMAÇÃO E ATUAÇÃO DOCENTE

PRODUÇÃO AUDIOVISUAL EM EAD: AUTORIA ENQUANTO SUBSÍDIO PARA A FORMAÇÃO E ATUAÇÃO DOCENTE PROUÇÃO AUIOVISUAL EM EA: AUTORIA ENQUANTO SUBSÍIO PARA A FORMAÇÃO E ATUAÇÃO OCENTE 2 PROUÇÃO AUIOVISUAL EM EA: AUTORIA ENQUANTO SUBSÍIO gpara A FORMAÇÃO E ATUAÇÃO OCENTE Slv BA Abl 2013 g -NTE/IAT/SEC/BA-7@gl.

Leia mais

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação!" !" $%& '( ) %) * +, - +./0/1/+10,++$.(2

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

"* + "* + ")"* + ")"* +

* + * + )* + )* + * + * + %& '( %& '( )* + )* + ),-./ 0 ( ( ),1.2./ 0 ( ( 0(0*33** 0(7 4 % & % &' % ( ) * & )+ ', + ---. % / -. + +) /0.- 1 2. 0. 3 + (4 % 7 +4 -' & 1 1' *88** 1&0 % ' % 1 9 1 1 1 % (4 (4 +272 4 1 & 9+

Leia mais

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde B ra s ília, 26 de s etem bro de 2009 C o ntro le da s P o lític a s de L uiz R ibeiro FU N Ç Ã O D O J O R N A L I S M O J o r n a lis m o é a a tiv id a d e p r o fis s io n a l q u e c o n s is te e

Leia mais

AQUECEDORES & PRESSURIZADORES. AF114 Catalogo Aquecedores 2014 AB 400x200mm.indd 1 04/06/14 10:32

AQUECEDORES & PRESSURIZADORES. AF114 Catalogo Aquecedores 2014 AB 400x200mm.indd 1 04/06/14 10:32 QUEEDORES & PRESSURIZDORES 2014 F114 lg qud 2014 400x200.indd 1 04/06/14 10:32 Linh Águ Qun Obi. Mi fiin, i unávl. S unávl é uiliz u nui d f i inlign. É iiz uld, duzi dpdíi, g i i fiz. É i qu Linh Águ

Leia mais

Resenhas. VIII Inverno HARDCORE. August BURNS Red Leveler (2011) SURVIVE TRINO. Evora (2009) Destroy And Revolutionize (2011)

Resenhas. VIII Inverno HARDCORE. August BURNS Red Leveler (2011) SURVIVE TRINO. Evora (2009) Destroy And Revolutionize (2011) l E f fl. v g. g g vg l á bé çõ v gg l x. à O v. f à l h çõ ç B E g j f q q é fz D N v D v ç l. D h. G lg v z C g í lv fé f l f P à l R l. g j l fl Já - g. S gé g ç v -l fz fé ví g gg. L. v D. A bl g z

Leia mais

Entidades autorizadas a exercer a atividade de transporte de doentes e respetivos veículos

Entidades autorizadas a exercer a atividade de transporte de doentes e respetivos veículos Tipo de entidade Rótulos de Linha 3101 Cruz Vermelha Portuguesa - Delegação De Aldreu 96-46-HD 37-36-XP 66-NX-49 75-IS-24 78-32-MM 3102 Cruz Vermelha Portuguesa - Delegação De Amares 25-98-LI 03-88-QU

Leia mais

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira.

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira. Q u a, 3 0 d e J u l h o d e 2 0 1 4 search... REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES Selecione a Edição ANTIGAS C l i q u e n o l i n k a b a i xo p a r a a c e s s a r a s e d i ç õ e s a n

Leia mais

Ministério Público Federal, B rasília 8 de junho de 2009. Leonardo C. Fleck, C ons ervação E s tratég ica

Ministério Público Federal, B rasília 8 de junho de 2009. Leonardo C. Fleck, C ons ervação E s tratég ica Ministério Público Federal, B rasília 8 de junho de 2009 Leonardo C. Fleck, C ons ervação E s tratég ica P r e o c u p a ç ã o c o m a q u a lid a d e d o s g a s to s p ú b lic o s e m c e n á r io

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UIVRIDD FDRL D PRMBUCO PROGRM D PÓ-GRDUÇÃO M GHRI D PRODUÇÃO UTILIZÇÃO DO FLUXOGRM D PROCO PR DIGÓTICO ITGRÇÃO D CDI LOGÍTIC UPPLY CHI MGMT DIRTÇÃO UBMTID À UFP PR OBTÇÃO D GRU D MTR POR JOÉ RICRDO BRU

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL SENADOR ATTÍLIO FONTANA C.E.S.A.F. PLANO DE TRABALHO DOCENTE (PTD)

COLÉGIO ESTADUAL SENADOR ATTÍLIO FONTANA C.E.S.A.F. PLANO DE TRABALHO DOCENTE (PTD) COLÉGIO ESTADUAL SENADOR ATTÍLIO FONTANA C.E.S.A.F. PLANO DE TRABALHO DOCENTE (PTD) Diili: Mái A liv: 2014 9º ANO A Pf(): Silvi Cll Fig CONTEÚDO ESTRUTURANTE 1º BIMESTRE Nú Álgb. CONTEÚDO BÁSICO: CONTEÚDO

Leia mais

7 * ": ) : : I* 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O* P " 7 "! M * : : # M

7 * : ) : : I* 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O* P  7 ! M * : : # M 7 ": ) : : I 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O P " 7 "! M : : # M # Q 7 97 8 ! # # I ) H3"K # : R : : 9 M ) # 9# Q ; : 9 : IM Q ; 9M O H8 7B3B K : 9 ) 4 4; 9 < : ) 9 # : M :!# ; : N : " 3 S T! S U # I T S # H3"K

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing White Paper Boas Práticas de E-mail Marketing Saiba como alguns cuidados simples podem melhorar os resultados de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação atual,

Leia mais

A Influência da Opção Religiosa na Acumulação de Capital Humano: Um Estudo Exploratório

A Influência da Opção Religiosa na Acumulação de Capital Humano: Um Estudo Exploratório A Iflêi Opçã Rligi Alçã Cpitl H: U Et Expltói Fi AttiNt Rt Dl T Nit Pf Dptt Ei, FEAUSP Ribiã Pt Mt pl Dptt Ei PUCRi RESUMO E tig pg ttíti fiii, ptil gáfi 1980 1991 qtiái pil PNAD 1988, p xpl lg ft tiliz

Leia mais

INCLUSO. consulte RELÓGIO DIGITAL. Vinhedo Tel: 55 (19) 3886-3003 Daniela - (19) 3515-5673

INCLUSO. consulte RELÓGIO DIGITAL. Vinhedo Tel: 55 (19) 3886-3003 Daniela - (19) 3515-5673 ML E 9.9.235.582 O V - º37 - BL/MO/JUHO/2013 V E O O HOW-OOM EEL E M E OM.04 07 quím E LO.01 lu MELHO EÇO MEO OVE!!! M u MEO E EEU.02.08 MEE f EE ul l B Ep p qu m: m Vál 01 /m 3013 /julh 2013 LUO ul ELO

Leia mais

Sumário. 4 caligrafia a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z

Sumário. 4 caligrafia a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z Escrever é sempre um prazer. neste livro você vai escrever com letras juntas umas das outras para formar cada palavra. Elas são chamadas letras cursivas ou manuscritas. prepare-se para deixar a sua letra

Leia mais

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a E M P R IM E I R A MÃO T h e O i ta v os é o e x c lu s i v o h o te l d e 5 e s tre la s q u e co m p le t a e v a l ori za a ofe rta d a Q u i n ta d a M a ri n h a, co n s olid a n d o -a c om o d e

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

AS MARCAS DO ABUSO SEXUAL

AS MARCAS DO ABUSO SEXUAL ESPECIAL 1 CRREI BRAZILIENSE AS MARCAS D ABUS SEXUAL MANUELA, 35 ANS: ABUSADA NA INFÂNCIA PELS NAMRADS DA MÃE MAIS SILENCIS DS CRIMES ACNTECE DENTR DE CASA, CNDENA AS VÍTIMAS A UMA DR SEM DESCANS, DESTRÓI

Leia mais

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP GIS Gertran Integration Suite Guia de T ransferência de Arquivos Entidade x DATAPREV Versão 1.0 HTTPS G I S G ui a de T ra n sf er ên ci a d e Ar qu i vo s 1/ 8 ÍNDICE ANALÍT ICO 1. INTRODU ÇÃO......4

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

P la no. B a nda L a rg a

P la no. B a nda L a rg a de P la no N a c io na l B a nda L a rg a 1 Sumário 1. Im p o r tâ n c ia E s tr a té g ic a 2. D ia g n ó s tic o 3. O b je tiv o s e M e ta s 4. A ções 5. In v e s tim e n to s 6. G o v e r n a n ç a

Leia mais

Programa Copa do Mundo 2014

Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Gerente do Programa: Mario Queiroz Guimarães Neto Rede do Programa: Rede de Cidades Objetivo do Programa: Organizar com excelência os eventos FIFA

Leia mais

PLR Por quê? d L i i q u e z b l d d R t i i e n a a e b d E i t a d d d P t i i ro u v a e é l l d B F t i R t u s c a e r n c a e p o e su a o

PLR Por quê? d L i i q u e z b l d d R t i i e n a a e b d E i t a d d d P t i i ro u v a e é l l d B F t i R t u s c a e r n c a e p o e su a o .. u p v g c C C O ) F h C I ( É, - p c c ç u u g w w p g c u F C I ã ) A U E ( C D h W k N f N h C F. z c v p ç p g u ) k M U ( E ã A M ) P S ( M P S E k M G p v h F C O ã b S Apc gc Agc Ag c R z O v

Leia mais

CERTIFICADO D C E M S C N M

CERTIFICADO D C E M S C N M IIV V R II F F R L L G Á   T L R T T Á TII TIFI TIFI Q L ÇLV FR II FII ITITL TRÇ L R FÍI, F L R TI  IVI FL IÁ, B RG HRÁRI 3 HR., 05 ZBR 2013 rrooffªª.. rrªª.. lliiddaa llvveess ddaa iillvvaa rrooff..

Leia mais

soluções sustentáveis soluções sustentáveis

soluções sustentáveis soluções sustentáveis soluções sustentáveis 1 1 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 2 2 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 3 3 APRES ENTAÇÃO A KEYAS S OCIADOS a tu a d e s d e 1

Leia mais

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 CRIADOR TELEFONE GAIOLA ANEL SEXO NOMENCLATURA VALOR OBS ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 1 IB-105-40-13 FM CN OP AM MF IN 100,00 BANCO: 2 BB-3992-44-11

Leia mais

Sistema de Arquivos. Sistemas de Arquivos

Sistema de Arquivos. Sistemas de Arquivos Sistemas de Arquivos Definições Básicas 1.Um arquivo é uma unidade lógica de informação criado por processos. As informações podem representar instruções e dados de qualquer tipo [1]. Exemplo de arquivos.

Leia mais

Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País

Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País Belo Horizonte/MG, 21 de junho de 2010 Segmentação A s eg mentação es tá pres ente em todos os mercados, incluindo o mercado do turis mo;

Leia mais

PALMA. Catálogo de QRCode. 1. Encontre o QRCode 2. Com a câmera do celular mire no QRCode. 3. Comece a aula. www.programapalma.com.

PALMA. Catálogo de QRCode. 1. Encontre o QRCode 2. Com a câmera do celular mire no QRCode. 3. Comece a aula. www.programapalma.com. R PALMA Programa de Alfabetização na Língua Materna Inovação, Educação e Soluções Tecnológicas Catálogo de QRCode www.programapalma.com.br 1. Encontre o QRCode 2. Com a câmera do celular mire no QRCode

Leia mais

SITUAÇÃO DE REVISÃO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA PARA OS MANUAIS ELABORADOS OU TRADUZIDOS PELA HELIBRAS (SRD 350)

SITUAÇÃO DE REVISÃO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA PARA OS MANUAIS ELABORADOS OU TRADUZIDOS PELA HELIBRAS (SRD 350) SITUAÇÃO DE REVISÃO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA PARA OS MANUAIS ELABORADOS OU TRADUZIDOS PELA HELIBRAS (SRD 350) NOTAS IMPORTANTES 1. Documento atualizado mensalmente com o objetivo de ser o referencial do

Leia mais

www.investorbrasil.com

www.investorbrasil.com Proposta curso preparatório para CPA 20 - ANBIMA www.investorbrasil.com Apresentação INVESTOR APRESENTAÇÃO A INVESTOR é uma escola que nasceu da necessidade das pessoas aprenderem as ferramentas e instrumentos

Leia mais

LUDMILA SANTOS DE ANDRADE

LUDMILA SANTOS DE ANDRADE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO PROGRAMA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO EM ARQUITETURA E URBANISMO ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: TECNOLOGIA A CONTRIBUIÇÃO DOS SISTEMAS BIM PARA

Leia mais

PINOCCHIO CENTRO EDUCACIONAL

PINOCCHIO CENTRO EDUCACIONAL CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA 1º ANO ANO: 2012 1. ADAPTAÇÃO Psicomotricidade Coordenação Motora Ampla 2. PERCEPÇÃO Auditiva Visual Gustativa Tátil Figura-fundo Expressão Corporal

Leia mais

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry.

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry. SIRIUS SENTRON SIVACON Catálogo LV 90 2009 Baixa Tensão Corte, protecção e comando Answers for industry. Interruptores de corte em carga, sistemas de barramentos SENTRON 8US Introdução Tipo 3NP 1 3K 3NJ4

Leia mais

Cadastro Territorial Multifinalitário no planejamento e gestão territorial urbana

Cadastro Territorial Multifinalitário no planejamento e gestão territorial urbana Mundo Geo Connect Seminário Geotecnologia na Gestão Municipal Sessão Desafios para as Prefeituras: o CTM como instrumento de política fiscal e urbana São Paulo, 16 de junho de 2011 Cadastro Territorial

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

Palavra. puxa. menina menina

Palavra. puxa. menina menina menina menina menino menino sapato sapato bota bota uva uva mamã mamã leque leque casa casa janela janela telhado telhado escada escada chave chave galinha galinha gema gema rato rato cenoura cenoura girafa

Leia mais

White Paper. Flexibilidade e economia na era IP

White Paper. Flexibilidade e economia na era IP White Paper Flexibilidade e economia na era IP Saiba como utilizar as tecnologias mais modernas de comunicação de voz pela internet para conseguir mais economia e rapidez em telefonia para sua empresa

Leia mais

16/02/2014. Masakazu Hoji. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Uma Abordagem Prática. 5a. Edição Editora Atlas. Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

16/02/2014. Masakazu Hoji. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Uma Abordagem Prática. 5a. Edição Editora Atlas. Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DMNSTRÇÃ FNNCER Uma bordagem Prática 5a. Edição Editora tlas Masakazu Hoji NTRDUÇÃ À Capítulo 1 DMNSTRÇÃ FNNCER 1.1 dministração financeira nas empresas 1.2 ntegração dos conceitos contábeis com os conceitos

Leia mais

Entidades autorizadas a exercer a atividade de transporte de doentes e respetivos veículos

Entidades autorizadas a exercer a atividade de transporte de doentes e respetivos veículos Tipo de entidade Rótulos de Linha 3 Ambulâncias 111 Serviço de Transporte de Doentes e Sinistrados, S.A. 03-CG-22 03-CG-23 03-CG-24 13-72-XQ 17-EM-31 19-IX-83 19-IX-86 24-EC-12 35-79-QP 35-CD-95 45-GQ-20

Leia mais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais Datas Comemorativas White Paper Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais As datas comemorativas podem ser exploradas para rentabilizar o seu comércio, seja ele físico ou online. Dedique

Leia mais

IN S A In s titu t N a tio n a l

IN S A In s titu t N a tio n a l IN S A : U m a re d e d e 5 e s c o la s s u p e rio re s d e e n g e n h a ria O INS A de Rennes existe desde 1966 R ouen O INS A de Rouen existe desde 1985 O INS A de S trasbourg existe desde 2003 R

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010 da Unicamp 010 ª fase - Física 1.01.010 UNICAMP 010 - FÍSICA Esta prova aborda fenômenos físicos em situações do cotidiano, em experimentos científicos e em avanços tecnológicos da humanidade. Em algumas

Leia mais

15 SENTIDOS BUFFET DE GALA 30.12.2013. FOUR VIEWS BAÍA 20h 02h VER MENU

15 SENTIDOS BUFFET DE GALA 30.12.2013. FOUR VIEWS BAÍA 20h 02h VER MENU 15 BFF G 30.12.2013 F VW BÍ 20h 02h V ua das aravilhas, 74 lha da adeira, ortugal el: (+351) 291 700 200 15 BFF G 30.12.2013 F VW BÍ 20h 02h Í 1 2 ÁV HF Õ BÇ 3 ÇÃ G 5 7 F 4 6 B À H 9 Z 8 VV FH V V B FÂ

Leia mais

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS FACULDADES UNIFICADAS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 REGULAMENTO DO NÚ CLEO DE PRÁ TICA JURÍ DICA DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE

Leia mais

lh e c o n fe re o in c is o II d o a rt. 4 º d o Re g u la m e n to d o D e p a rta m e n to -G e ra l d o Pe s s o a l (R-1 56 ), a p ro v a d o

lh e c o n fe re o in c is o II d o a rt. 4 º d o Re g u la m e n to d o D e p a rta m e n to -G e ra l d o Pe s s o a l (R-1 56 ), a p ro v a d o PORTARIA Nº 1 6 4 -D G P, D E 4 D E NOV E M B RO D E 2 0 1 1. Alte ra a d is trib u iç ã o d e e fe tiv o d e m ilita re s te m p o rá rio s, p a ra o a n o d e 2 0 1 1. O CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL DO

Leia mais

O trabalho com textos na alfabetização de crianças do 1º e 2º anos do ensino fundamental

O trabalho com textos na alfabetização de crianças do 1º e 2º anos do ensino fundamental O trabalho com textos na alfabetização de crianças do 1º e 2º anos do ensino fundamental Izac Trindade Coelho 1 1. I n t r o d u ç ão Ai de mim, ai das crianças abandonadas na escuridão! (Graciliano Ramos)

Leia mais

TEMA 1 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. Filipa, 12 anos

TEMA 1 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. Filipa, 12 anos 2º/3º ciclo O Ã Ç A T N E M A LIndo d pgunt u u ni u i ct n u Exit co? d d dit, d á l tção, f n ão p t t N n nci li ê f p tnt o p i hábito i g ê t d indic udávl. o ã ç t n d li Filip, 12 no lid 1 EguNntTAÇÃO

Leia mais

A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Edição Nº Nº 030/2012 00004 Sexta-Feira Quit-Feira 08 11 de Março Janeiro de de 2012 2013 A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Nº

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

andréa del fuego os malaquias

andréa del fuego os malaquias andréa del fuego os malaquias 1 Serra Morena é ín gre me, úmi da e fértil. Aos pés de la vi vem os Malaquias, ja ne la com ta manho de porta, porta com autoridade de madeira escura. Corre, Adolfo! Donana

Leia mais

Artigo Inicial: 4 Artigo I ("A Semente é a Palavra de Deus"): 9 Artigo II ("Alvo de Contradição"): 20 Artigo III ("Novo Adão e Nova Eva"): 26 Artigo

Artigo Inicial: 4 Artigo I (A Semente é a Palavra de Deus): 9 Artigo II (Alvo de Contradição): 20 Artigo III (Novo Adão e Nova Eva): 26 Artigo 1 !" #!#!$" %&''() 2 Artigo Inicial: 4 Artigo I ("A Semente é a Palavra de Deus"): 9 Artigo II ("Alvo de Contradição"): 20 Artigo III ("Novo Adão e Nova Eva"): 26 Artigo IV ("São José"): 37 Artigo V ("Corpo

Leia mais

MONITORAMENTO DE INFORMAÇÃO

MONITORAMENTO DE INFORMAÇÃO Consórcio muda d ndrço Corrio Lagano - 20/01/2016 5 - Colunista - Olivt Salmória Mídia Imprssa Co m d n 1 Içara prd vantagm comptitiva 9/01) Diário d Notícias/Criciúma - 20/01/2016 7 - Gral Mídia Imprssa

Leia mais

O (doce) lanche. brasileira. Um retrato inédito

O (doce) lanche. brasileira. Um retrato inédito O (d) l ç bl U éd É VITL çã U bíl N lb vl d l q q d f q ff d d d v lld q d l q v q x qd.tb q q lb.f q d.offd f q dl b d d x f d qbx q qq bl dl d b x d vl dl l q q q ll d v. N f dl d q q xd d blb f x f

Leia mais

Mother s D. Recepção. A Festa. continua...

Mother s D. Recepção. A Festa. continua... 3 Ediçã 35 Mi 2013 Fi c i cih q s ls, fsss clbs d FC cçã di ds ãs. Cd lh d Mh's Dy fi sd ibi d cih dçã dd ls ãs. Os ls si bs fz c q d ccss c fiçã: c s cgfis, s sis s ls úss. Cd sçã fi cid c bs s s sdds

Leia mais

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 Comentário da Redação Nes te ano, a pro va de Re da ção da Uni camp foi ex ce len te. Em pri me i ro lu gar, pelo res pe i to ao for ma to tra di ci o nal

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

Tratamento hidrófilo do permutador com produção e velocidade do ciclo de descongelamento melhorada.

Tratamento hidrófilo do permutador com produção e velocidade do ciclo de descongelamento melhorada. 05W APRESENTAÇÃO - CARATERÍSTICAS 04 SA CA/MCA SP/MSP MB/XB MC MD/XD XC Cbu -ã ã áu T hóf u uã g h M 2 gu áx ê u x -15 C A fu, u x u bx (DC-INVERTER -15ºC) Cfguã ub b z u u gé T G F ó uã é ã qu fã bóg

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&'

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&' ! " #$$# ! " #$$# %! ' () #' (( * + ), (# -. / 0# () -. 1 234 3 5 3 0' (0 -. 1 1 6$ (7-. 1 - - 6,!" # 8( #( - 1 80 ## -!+ 8, #) -. ') #0 -. 1 ', #0( -. '' #0# - ($$ #0) - ($# $!"% ($, )(-! 9 (#$ )#- %

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro João Ferrão Resumo As visões recentes sobre o mundo rural revelam grande permeabilidade à ideia de património

Leia mais

G r u p o P E T C o m p u t a ç ã o. U n i v e r s i d a d e F e d e r a l d e C a m p i n a G r a n d e U F C G

G r u p o P E T C o m p u t a ç ã o. U n i v e r s i d a d e F e d e r a l d e C a m p i n a G r a n d e U F C G M E T O D O L O G I A U T I L I Z A D A P E L O P E T C O M P U T A Ç Ã O D A U F C G P A R A M I N I S T R A R C U R S O S DE I N F O R M À T I C A B À S I C A G r u p o P E T C o m p u t a ç ã o C u

Leia mais