Aluna: Thatiana Moreira Montenegro da Costa. Orientador: Alvaro Ferreira

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aluna: Thatiana Moreira Montenegro da Costa. Orientador: Alvaro Ferreira"

Transcrição

1 O processo de Metropolização do Espaço do Rio de Janeiro As mudanças no cenário carioca diante dos Megaeventos e suas influências nos bairros da Zona Oeste do Rio de Janeiro 1 Aluna: Thatiana Moreira Montenegro da Costa Orientador: Alvaro Ferreira Introdução A Metropolização [3] é um processo que por muitos anos foi ligado exclusivamente à metrópole, espaço que chega a mais de um milhão de habitantes. Essa definição foi colocada de lado para um discurso moderno, onde este processo guarda uma ligação entre o tripé modernização-progresso-desenvolvimento. No entanto, como visto em FERREIRA (2011), essa tendência a uma homogeneização não se realiza sem tensões e conflitos. A partir de LECIONI [4], podemos acrescentar que, a metropolização do espaço se constitui num processo socioespacial que metamorfoseia (não se tratando de uma simples transformação, mas, de uma verdadeira metamorfose), implicando profundas alterações na estrutura e na natureza, o território, sendo parte constitutiva do processo de globalização, não se resumindo às regiões consideradas metropolitanas, bem como no seu interior. A cidade do Rio de Janeiro, desde o fim da década de 1970 [1], chama a atenção de uma área antes deixada de lado por governantes anteriores, a Zona Oeste da cidade. Todavia, apenas no final da década de 1990, com o governo de César Maia e a construção da Linha Amarela, oficialmente Avenida Governador Carlos Lacerda, é que novos empreendimentos, como shoppings, centro comerciais, bancos e áreas de lazer, a classe com maior renda segue em direção a essa nova região, a Zona Oeste. O presente trabalho tem como intuito principal, focar nas transformações na cidade do Rio de Janeiro, como consequência dos grandes eventos esportivos que estão previstos para se realizarem em 2014 e Parte deste trabalho foi apresentado no XVII Encontro Nacional de Geógrafos ENG 2012, que ocorreu em Belo Horizonte;

2 A realização desses megaeventos, inicialmente previstos para acontecerem em 12 capitais, sendo o Rio de Janeiro a que está mais em voga nas mídias sociais, constituem o final de uma trajetória a uma nova concepção de cidade e de planejamento urbano no território brasileiro, novamente com ênfase na Cidade Maravilhosa. Momento este inaugurado e enraizado [10] no governo César Maia. O momento fundador e simbólico para esta concepção da cidade foi a elaboração do Plano Estratégico da Cidade do Rio de Janeiro (PECRJ), entre A Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) e a Federação das Indústrias (FIRJAN) firmam um acordo para a promoção do PECRJ, e 46 empresas e associações empresariais instauram o Consórcio Mantenedor do PECRJ. Desse processo, nasceram a candidatura de Luiz Paulo Conde e a primeira candidatura da cidade à sede olímpica, que contou com a consultoria catalã. Os mesmos catalães que retornaram, em 2010, para uma vez mais nos ensinarem a fazer a Cidade Maravilhosa uma Barcelona dos trópicos 2 [10] Mas, que concepções de cidade submetem a esse processo? Que aliança(s) é essa que hoje, hegemoniza uma cidade por tantos anos carente de qualquer projeto? Para compreender este processo, faz-se necessário a apresentação de uma definição de megaevento, onde segundo Roche (2001) [6], megaeventos seriam eventos de grande porte de importância cultural, comercial e esportiva, e que, além disso, possuem um simbolismo internacional e um forte engajamento popular. Os grandes eventos esportivos estão na ordem do dia. Em âmbito global, adquiriram, nas ultimas décadas, magnitude antes inconcebível, fruto de extraordinário crescimento no volume de investimentos que atraem a cada edição, tornando-se uma das estrelas principais da atual sociedade do espetáculo. CEBORD ( in VAINER, 2007, p.13). Ainda nessa mesma linha, [6] afirma que estes eventos costumam ser organizados, em geral, em decorrência de algum determinado tipo de governo que se alinhe com organizações internacionais específicas (governamentais ou não), sendo que, ainda podem ser ditos como importantes elementos nas versões oficiais da cultura politica (ROCHE, 2001). Sob essa perspectiva, os eventos a serem realizados no Rio de Janeiro a Copa do 2 Às vésperas do Fórum Urbano Mundial, 2010, ocorreu no IAB-RJ (Instituto de Arquitetos do Brasil no RJ) o evento Olimpíadas e a Cidade, com o subtítulo de Conexão Rio-Barcelona. Tal evento recebeu financiamento de grandes empresas espanholas e contou com a participação do ministro dos Esportes, do governador do estado, do [refeito, do ex-prefeito Luiz Paulo Conde e de consultores internacionais.

3 Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 por adquirirem repercussões nos mercados e mídias globais, são considerados dessa forma, megaeventos. A promoção de eventos tem sido uma das principais estratégias utilizadas pelos gestores urbanos na busca de maior atração de capitais e, além disso, há grande interesse por parte desses gestores, para atração desses eventos com repercussão internacional uma vez que, estes poderão conferir uma imagem [2] mais qualificada para a cidade sede. Os governos locais, aliados a instituições internacionais, transformam a cidade em produto, mercadoria, que atrai cidadãos-consumidores e investidores, determinando os canais mais apropriados para a difusão dos chamados modelos (modelo de planejamento estratégico). [...] As chamadas cidades-modelo são imagens de marca construídas pela ação combinada entre governos locais, agentes hegemônicos com interesses localizados, agencias multilaterais e redes mundiais de cidades. A partir de centros de decisão e de comunicação que, em fluxos e interações, parecem conformar um campo político de alcance global, esses atores realizam as leituras das cidades e constroem as imagens, tornadas dominantes mediante estratégias discursivas, meios e instrumentos para a difusão e legitimação em variadas escalas. SÁNCHEZ (2009, p. 26). Para abrigar estes eventos, a cidade sede deve apresentar previamente alguns equipamentos diretamente relacionados com o evento em si ou se comprometer a construilos até a data do evento, tais como centro de convenções e hotéis, além de uma adequada infraestrutura de transporte que permita o deslocamento dos participantes do/no evento. Em relação aos transportes, destacam-se a proximidade e a qualidade dos aeroportos, portos e vias expressas, que permitam deslocamentos mais rápidos e seguros entre os principais locais dos eventos. Dessa forma, os eventos olímpicos modernos se tornaram, ao longo do tempo, oportunidades para a realização de transformações urbanísticas [5]. No ano de 2010, a escolha da cidade do Rio de Janeiro como sede dos Megaeventos (como a Copa do Mundo, em 2014, e as Olimpíadas, em 2016), faz do presente trabalho um estudo dos impactos da construção e da modificação de infraestrutura relacionada à mobilidade urbana, afim de melhor receber os importantes eventos esportivos, como tais mudanças ocorrerão e como essas iniciativas modificarão a cidade, não somente no que

4 tange o sistema de transportes, mas também à questão imobiliária e a vida dos moradores da região. A promoção de eventos [7] tem sido uma das principais estratégias utilizadas pelos gestores urbanos na busca de maior atração de capitais e, além disso, há grande interesse por parte desses gestores pelos eventos com repercussão internacional, uma vez que tais eventos poderão conferir uma imagem mais qualificada para a cidade sede. Para abrigar estes eventos a cidade deve apresentar alguns equipamentos diretamente relacionados como evento em si, como centro de convenções e hotéis, além de amenidades culturais e uma adequada infraestrutura de transporte, que permita o deslocamento dos participantes. Desde a candidatura da cidade do Rio de Janeiro para os grandes eventos, expectativas começaram a surgir, relacionadas às melhorias da população como um todo. Entretanto, a partir do momento em que a cidade foi escolhida, as licitações e modificações nos PEUs (Projeto de Estruturação Urbana), foram essenciais para a modificação na estrutura e infraestrutura dos bairros. Mas, o que os transportes e novos parâmetros de habitação trouxeram e podem trazer à população? Quais os possíveis novos perfis dos bairros? O que essa população espera? E o que os eventos podem modificar e desenvolver na realidade? Dessa forma, o trabalho está sustentado na relação da estrutura social, econômica e cultural, no modo de produção e reprodução das relações sociais, metropolização do espaço, direito à cidade e na igualdade desse processo de desenvolvimento. Objetivos O presente trabalho tem como objetivo principal analisar as transformações no espaço e na paisagem da Zona Oeste do Rio de Janeiro, as influências dos Megaeventos que acontecerão na cidade, as influências na questão imobiliária, no possível desconforto dos moradores dos espaços a serem reestruturados e expectativas dos futuros moradores. [...] Nessa jornada fez grandes descobertas. Descobriu que a indústria da pressa asfixiou a tranquilidade, a indústria da informação contraiu a formação de mentes pensantes e a indústria do consumismo sangrou a capacidade de se encantar com a beleza escondida nas pequenas coisas. E, pior, descobriu que ele mesmo, quando era um dos homens mais

5 poderosos do planeta, havia contribuído para acelerar essas indústrias e instalar o caos na sociedade. CURY (2010, p.4) 3. A partir da emergência de se modernizar a cidade e transforma-la em objeto de desejo para o mundo, o objetivo é demonstrar como os agentes responsáveis pelas transformações urbanas focam suas intencionalidades e analisar a construção da cidade como [7] mercadoria e vitrine para o resto do mundo. Como esses novos simbolismos influenciam na vida dos moradores de longa data da Zona Oeste e quais as expectativas idealizadas para os futuros. Metodologia Os estudos encomendados pelas cidades candidatas apresentam impactos econômicos tão positivos que, acabam servindo de base para justificar os investimentos públicos. A problemática surge na análise de eventos passados que, geralmente não confirmam as previsões iniciais e as cidades-sede acabam ficando com um legado de dívidas e infraestruturas ociosas e de manutenção cara, como nos jogos Pan Americanos ocorridos em 2007 na cidade do Rio de Janeiro, onde vemos um parque aquático (Maria Lenk) construído especificamente para o evento e nos dias atuais estar abandonado. O que mais incomoda foi o discurso dado no final do ano passado em que, esses mesmos agentes que defenderam a construção de tal projeto, hoje, para as competições olímpicas na cidade, dizem não estarem de acordo com o evento e preveem a realização de outro parque aquático, em outra área, ao invés de melhorarem as estruturas do já existente. Buscando, através de consultas bibliográficas, a realização de um levantamento de dados para identificação das transformações que estão sendo obtidas na Zona Oeste da cidade, influenciadas também pelos megaeventos, observaremos os investimentos públicos e privados, especulações imobiliárias e obras para obtenção de infraestrutura dos meios de transportes (coletivos ou não) como Transoeste, Transcarioca, Metrô linha 4, entre outros que estão sendo feitos, tendo como exemplo para essas análises alguns impactos que ocorreram em outros países e as consequências posteriormente a esses eventos. 3 Trecho do livro O Semeador de Ideia: que atitude tomaria se o mundo desabasse sobre você?, de Augusto Cury;

6 O Rio de Janeiro, consolidado no século XXI como a cidade dos eventos, é também vista como a cidade dos Negócios para curto prazo. A demonstração desta afirmação é a projeção de investimento público e principalmente privado na cidade de 2011 até 2013.Cabe refletir, [8] se esses investimentos servirão como reais indicadores de desenvolvimento da cidade, na medida em que os mesmos grupos são sempre favorecidos por estas politicas. Esse discurso do legado social, que emerge dos atores responsáveis pela gestão urbana por ocasião dos jogos, não tem dado conta das reais demandas das regiões sujeitas aos impactos dos eventos. A análise dos Jogos Pan-Americanos de 2007, em suas múltiplas dimensões, expôs o resultado irrisório deste discurso. Fernanda Sánchez (2001) afirma que a construção de uma imagem de uma dada cidade é sempre uma construção subordinada a um grupo social que domina a constante produção dos espaços, sendo que, esta imagem procura mostrar que possui um lado social e cultural, através da revalorização de bairros étnicos e centrais, principalmente para atração turística. De acordo com Ferreira (2011) [3], o debate a cerca de um real legado, surge como um direito pelo qual os sujeitos sociais direta ou indiretamente envolvidos lutam. Hoje, a dimensão do legado transcende o víeis social e assume uma demanda socioambiental. Para tanto, a discussão sobre os impactos ambientais também carecem de maior atenção dos gestores da cidade. O inchaço imobiliário que ocorre hoje, com a projeção do Rio como a cidademodelo de desenvolvimento, se dá de forma rápida e intensa na Barra da Tijuca, mas principalmente na Zona Sul. Cabe refletir o desfecho deste boom imobiliário e as intenções mercadológicas por ocasião de todos os eventos ocorridos e, principalmente, após O paradigma norteador de progresso vigente atravessa as mais diversas escalas das cidades que disputam o título de global. Neste bojo, os megaeventos esportivos, suas formas infraestruturas e seus projetos urbanísticos são objetos de investigação da Geografia. Através da ciência geográfica surgem possibilidades de investigar esses grandes eventos, que foramessenciais para o discurso de um novo traçado da cidade na figura do inédito alinhamento das três esferas de governo.

7 Sabemos que os reflexos e o legado transcendem o material e cada vez mais necessitam ser considerados no seu viés imaterial. Mascarenhas 4 (2007) salienta que é perceptível que tais eventos visam muito mais que o interesse esportivo [5] (...) os países que almejam sediá-los buscam também notabilidade mundial, pujança turística e econômica. As três esferas do governo (Municipal, Estadual e Federal) estão unidas e articuladas no propósito de tornar o Rio de Janeiro uma cidade [6] vitrine com projeção internacional, atraindo assim investimentos financeiros para a cidade que, igualmente às obras de infraestrutura em andamento, só vão beneficiar locais de interesses das classes dominantes, gerando o aumento da valorização fundiária em áreas nobres em detrimento de áreas menos favorecidas e da população pobre que ocupa esses espaços. Além das promessas de desenvolvimento, crescimento econômico e aumento dos empregos, os projetos, aparentemente bem sucedidos, da Copa de 2014 e das Olimpíadas de 2016 geram sérios problemas sociais e econômicos no Rio, como por exemplo, o aumento da desigualdade urbana que se traduz numa cidade dual: com um centro renovado cercado por um mar de pobreza crescente. A representação dos espetáculos esportivos e a divulgação da imagem do Rio de Janeiro como a metrópole do futuro em processo de desenvolvimento servem para regular os problemas sociais que estão acontecendo em função da nova gestão territorial da cidade. Cabe contestar os modelos de gestão da cidade em seu viés político administrativo. Os projetos de revitalização da cidade são decididos por atores individuais (município, Estado, empresas e comitês gestores de eventos). Estes implantam novos projetos de traçado à cidade, sem qualquer conexão ou diálogo da sociedade civil e dos poderes locais. Nesta discussão cabe a reflexão do exercício da cidadania plena, que frente aos projetos de desenvolvimento vigente tem pouca ou nenhuma força. Tomamos os espaços públicos como lugares privilegiados para o embate dos diferentes interesses e necessidades em jogo, o duelo entre os setores hegemônicos e os amplos segmentos marginalizados em relação aos processos decisórios na gestão da cidade: os primeiros formatam e normatizam, ao seu interesse, os espaços da vida pública; os demais, quando podem, se organizam e lutam por uma territorialidade alheia ao 4 Artigo encontrado em de 2007;

8 projeto dominante. Mascarenhas (2007). Fonte: A proposta deste fragmento retirado do artigo online de Mascarenhas é uma tentativa de uma breve exposição sobre os aspectos conceituais e técnicos sobre as políticas públicas que encontramos no atual momento na cidade do Rio de Janeiro e seus efeitos no que tange o território da Zona Oeste e como envolvem os moradores antigos e os futuros, que buscam todos os benefícios ditos no chamado City Marketing (SANCHEZ, 1999). Diante da sua atual produção, compreendemos que as transformações que estão acontecendo nos bairros da Zona Oeste carioca, poderão acarretar melhorias para a população, permitindo uma maior integração entre os próprios bairros, que antes eram mais afastados com as áreas consideradas mais centrais, melhorias na estruturação imobiliária, áreas de lazer para atrair a população para essa região. Todavia, traz consigo inúmeras contradições que vem impactando socialmente e ambientalmente essa região. Por ainda estar em desenvolvimento, é prematuro abordar as reais e claras consequências que esse projeto almeja atingir. Entretanto, cabe a nós, que vivemos em um espaço tão plural, questionar se esse suposto desenvolvimento, que se propõe unificar as partes, de fato irá trazer benefícios para a população. Resultados Preliminares O presente trabalho tem como resultado preliminar os altos preços no uso do solo dos bairros presentes na Zona Oeste do Rio de Janeiro, sua repercussão para os antigos moradores e expectativas dos novos, a discussão sobre os novos aparelhos urbanos de transporte e o debate que acabou tomando espaço na mídia a partir da mobilização de algumas associações de moradores ao questionar os novos aparelhos urbanos de transporte. Além do aumento significativo da população residente nos bairros da Zona Oeste e, consequentemente, nas construções residenciais e comerciais localizadas nesta parte da cidade. Diante da atual transformação em toda a cidade, compreendemos que toda mudança poderá acarretar em melhorias para a população. Todavia, traz consigo inúmeras

9 contradições que vem impactando socialmente e ambientalmente os elementos que habitam essa região. Desde os Jogos do PanAmericano, ocorridos também na cidade do Rio de Janeiro, em 2007,é bastante significativo o aumento de unidades construídas (comerciais e residenciais) na região, conforme demonstra o gráfico abaixo. Fonte: elaboração própria. É possível observar também, o aumento no ano de 2010 nos bairros Jacarepaguá e Barra da Tijuca, possivelmente atrelados à candidatura da cidade aos megaeventos. Por ainda estar em desenvolvimento, é prematuro abordar as reais e claras consequências que desse chamado planejamento estratégico poderá atingir. Entretanto, cabe a nós, que vivemos em um espaço tão plural, questionar se esse suposto desenvolvimento, que se propõe a modernizar a cidade, de fato irá trazer benefícios para a população.

10 Referências Bibliográficas 1- ABREU, Maurício de Almeida. A Evolução Urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. IPP, 2008; 2- ARANTES, Otília B. F. Uma estratégia fatal, a cultura nas novas gestões urbanas. IN: 3- FERREIRA, Alvaro. A cidade no século XXI, a segregação e banalização do espaço. Rio de Janeiro, ed. Consequência, 2011; 4- LENCIONI, Sandra. Metropolização do espaço: processos e dinâmicas. Artigo apresentado no I SIMEGER 2012, PUC-Rio; 5- MASCARENHAS, Gilmar. Megaeventos esportivos, desenvolvimento urbano e cidadania: uma análise da gestão da cidade do Rio de Janeiro por ocasião dos jogos Pan- Americanos ROCHE, Maurice. Mega-events and modernity: Olympics and expos in the growth of global culture. New York: Routledge, SÁNCHEZ, Fernanda. A (in)sustentabilidade das cidades-vitrine. In: ACSELRAD, Henri. A duração das cidades: sustentabilidade e risco nas políticas urbanas. Rio de Janeiro, ed. Lamparina, 2009; 8- SANTOS, Milton. A natureza do Espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo, ed. EDUSP, 2009; 9- VAINER, Carlos B. Pátria, empresa e mercadoria notas sobre a estratégia discursiva do Planejamento Estratégico Urbano. In: ARANTES, O. ; VAINER, C.; MARICATO, E; 10-. In: O jogo continua: megaeventos esportivos e cidade. Rio de Janeiro, Ed. UERJ, 2011.

As transformações na paisagem da área central do Rio de Janeiro: o espaço da cidade tornado mercadoria

As transformações na paisagem da área central do Rio de Janeiro: o espaço da cidade tornado mercadoria As transformações na paisagem da área central do Rio de Janeiro: o espaço da cidade tornado mercadoria Horacio Nogueira Pizzolante Graduando em Geografia, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Leia mais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais AS TRANSFORMAÇÕES ESPACIAIS NA ZONA OESTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO A PARTIR DOS INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA PARA COPA DO MUNDO EM 2014 E AS OLIMPÍADAS DE 2016 Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino

Leia mais

Transformações espaciais na/da cidade do Rio de janeiro decorrentes da construção dos corredores expressos Transcarioca e TransBrasil

Transformações espaciais na/da cidade do Rio de janeiro decorrentes da construção dos corredores expressos Transcarioca e TransBrasil Transformações espaciais na/da cidade do Rio de janeiro decorrentes da construção dos corredores expressos Transcarioca e TransBrasil Marcela Virginio Dametto 1 marcela.dametto@hotmail.com Prof Drª Regina

Leia mais

Projeto Cidade da Copa : influência na mobilidade da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco

Projeto Cidade da Copa : influência na mobilidade da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco Danilo Corsino de Queiróz Albuquerque¹ Ana Regina Marinho Dantas Barboza da Rocha Serafim² ¹Graduando do 5º Período no Curso de Licenciatura em Geografia pela Universidade de Pernambuco (UPE), E-mail:

Leia mais

Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil. Marcelo Weishaupt Proni Unicamp

Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil. Marcelo Weishaupt Proni Unicamp Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil Marcelo Weishaupt Proni Unicamp A discussão sobre os megaeventos ainda é feita com base em informações precárias Sem dúvida,

Leia mais

Projetos de intervenção urbanística no Centro Velho de São Paulo: estudo sobre seus impactos nos movimentos sociais por moradia.

Projetos de intervenção urbanística no Centro Velho de São Paulo: estudo sobre seus impactos nos movimentos sociais por moradia. Projetos de intervenção urbanística no Centro Velho de São Paulo: estudo sobre seus impactos nos movimentos sociais por moradia. Leianne Theresa Guedes Miranda lannethe@gmail.com Orientadora: Arlete Moysés

Leia mais

Reformulação do Rio de Janeiro na política dos megaeventos: O caso do BRT Transoeste como sua primeira vitrine

Reformulação do Rio de Janeiro na política dos megaeventos: O caso do BRT Transoeste como sua primeira vitrine Reformulação do Rio de Janeiro na política dos megaeventos: O caso do BRT Transoeste como sua primeira vitrine Iuri Jakimczyk Carvalho Aluno de graduação em geografia Universidade Federal Fluminense- Niterói

Leia mais

População à deriva: entre o descaso urbano e a vertigem revitalizadora da zona portuária do Rio de Janeiro

População à deriva: entre o descaso urbano e a vertigem revitalizadora da zona portuária do Rio de Janeiro População à deriva: entre o descaso urbano e a vertigem revitalizadora da zona portuária do Rio de Janeiro Caroline dos Santos Santana caroline_santana@ymail.com Escola de Serviço Social 10 período Orientadora:

Leia mais

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras nº 342 outubro 2014 Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras Odebrecht 70 anos: projetos que contribuem para melhorar as opções de mobilidade urbana das comunidades Odebrecht Infraestrutura Brasil

Leia mais

Danilo Munhoz Alves Corrêa Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio danilomunhoz@globo.com. 1 - Introdução

Danilo Munhoz Alves Corrêa Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio danilomunhoz@globo.com. 1 - Introdução Sistema Modal de Transportes no Município do Rio de Janeiro: a modernização dos eixos de circulação na cidade carioca para a Copa do Mundo de Futebol em 2014 e as Olimpíadas em 2016. 1 - Introdução Danilo

Leia mais

Grandes Investimentos e seus impactos no acesso à moradia

Grandes Investimentos e seus impactos no acesso à moradia Grandes Investimentos e seus impactos no acesso à moradia Copa, Olimpíadas e Porto Maravilha Observatório das Metrópoles Profs. Mauro Santos e Erick Omena Megaeventos e planejamento A lógica do empreendedorismo

Leia mais

EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 7º 2º TRI

EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 7º 2º TRI 1. Coloque V para verdadeiro e F para falso: EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 7º 2º TRI ( ) a população economicamente ativa compreende a parcela da população que está trabalhando ou procurando emprego.

Leia mais

O modelo Barcelona em questão: megaeventos e marketing urbano na construção da cidade-olímpica

O modelo Barcelona em questão: megaeventos e marketing urbano na construção da cidade-olímpica 325 O modelo Barcelona em questão: megaeventos e marketing urbano na construção da cidade-olímpica DELGADO, Manuel. La ciudad mentirosa. Fraude y miseria del modelo Barcelona. Madrid: Los libros de la

Leia mais

A Nova Velha Praça do Ferreira: signo da requalificação do Centro de Fortaleza.

A Nova Velha Praça do Ferreira: signo da requalificação do Centro de Fortaleza. A Nova Velha Praça do Ferreira: signo da requalificação do Centro de Fortaleza. Ricardo Alexandre Paiva FAUUSP-DAUUFC paiva_ricardo@yahoo.com.br O objeto de estudo do presente trabalho é uma análise do

Leia mais

Rio de cara nova. Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos

Rio de cara nova. Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos Rio de cara nova Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos por Ernesto Neves 01 de Agosto de 2011 Fonte: Revista Veja Rio Cidade do Rock O terreno de 250 mil metros quadrados

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL TRANSFORMAR ASSENTAMENTOS IRREGULARES EM BAIRROS Autor(es): Gabriel Carvalho Soares de Souza, Alexandre Klüppel, Bruno Michel, Irisa Parada e Rodrigo Scorcelli Ao considerar a Favela como um fenômeno que

Leia mais

Diferenças entre o mundo rural e o urbano.

Diferenças entre o mundo rural e o urbano. Oficina Urbanização Esta oficina tem como objetivo analisar uma das principais características do mundo atual; a vida em cidades. Pretendemos compreender a evolução das cidades na história e como se configuram

Leia mais

DINÂMICA ESPECULATIVA NO PROCESSO DE EXPANSÃO URBANA DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON-PR Josiane de Oliveira Medeiros Führ 1 Edson dos Santos Dias 2

DINÂMICA ESPECULATIVA NO PROCESSO DE EXPANSÃO URBANA DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON-PR Josiane de Oliveira Medeiros Führ 1 Edson dos Santos Dias 2 DINÂMICA ESPECULATIVA NO PROCESSO DE EXPANSÃO URBANA DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON-PR Josiane de Oliveira Medeiros Führ 1 Edson dos Santos Dias 2 Introdução Impulsionado por fatores econômicos, o processo

Leia mais

Metodologia. Resultados

Metodologia. Resultados ENCONTRO INTERNACIONAL PARTICIPAÇÃO, DEMOCRACIA E POLÍTICAS PÚBLICAS: APROXIMANDO AGENDAS E AGENTES UNESP SP 23 a 25 de abril de 2013, UNESP, Araraquara (SP) AGENTES SOCIAIS E A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO

Leia mais

Mudanças Socioespaciais em um Mundo Globalizado

Mudanças Socioespaciais em um Mundo Globalizado Mudanças Socioespaciais em um Mundo Globalizado Colégio Salesiano São José 8º ano Geografia Professor: Juliano Mudanças no Espaço Geográfico Como ocorrem essas mudanças: Formas; Funções; Fluxos; Modos

Leia mais

DISPUTAS TERRITORIAIS ENTRE DIFERENTES ATORES SOCIAIS E A REESTRUTURAÇÃO URBANA. O CASO DA ZONA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO 1

DISPUTAS TERRITORIAIS ENTRE DIFERENTES ATORES SOCIAIS E A REESTRUTURAÇÃO URBANA. O CASO DA ZONA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO 1 DISPUTAS TERRITORIAIS ENTRE DIFERENTES ATORES SOCIAIS E A REESTRUTURAÇÃO URBANA. O CASO DA ZONA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO 1 Universidade Federal do Rio de Janeiro brunopereira.ufrj@gmail.com Bruno Pereira

Leia mais

O que é globalização

O que é globalização O que é globalização - Fase atual de expansão do capitalismo, fruto do avanço tecnológico em diversos setores da economia e da modernização dos sistemas de comunicação e transportes. - É responsável pela

Leia mais

GERAL. Porto Olímpico

GERAL. Porto Olímpico Porto Olímpico projeto O Porto Maravilha e o Porto Olímpico N Porto Olímpico aprox. 145.000m2 de área Porto Maravilha aprox. 5.000.000m2 de área aprox. 100.000m2 aprox. 45.000m2 Porquê o Porto? Porquê

Leia mais

Rede de Áreas Protegidas, Turismo e Inclusão Social: de uma perspectiva da América do Sul para uma perspectiva global

Rede de Áreas Protegidas, Turismo e Inclusão Social: de uma perspectiva da América do Sul para uma perspectiva global Rede de Áreas Protegidas, Turismo e Inclusão Social: de uma perspectiva da América do Sul para uma perspectiva global (texto extraído da publicação IRVING, M.A.; BOTELHO, E.S.; SANCHO, A.; MORAES, E &

Leia mais

Especulação imobiliária e verticalização: um estudo a partir da implantação do Parque Cascavel 1

Especulação imobiliária e verticalização: um estudo a partir da implantação do Parque Cascavel 1 Especulação imobiliária e verticalização: um estudo a partir da implantação do Parque Cascavel 1 RESENDE, Ubiratan Pereira de 2. ARRAIS, Tadeu Pereira Alencar 3. Palavras-chave Especulação Imobiliária.

Leia mais

Planejamento Urbano e a Dinâmica da Cidade. Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria de Urbanismo - SMU

Planejamento Urbano e a Dinâmica da Cidade. Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria de Urbanismo - SMU Planejamento Urbano e a Dinâmica da Cidade Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria de Urbanismo - SMU Dinâmica do Licenciamento Evolução da Área Licenciada 1980-2011 5,3 mil Evolução da Área

Leia mais

Rio de Janeiro 450 anos

Rio de Janeiro 450 anos Rio de Janeiro 450 anos Fevereiro de 2015 Informação confidencial e proprietária da Macroplan Prospectiva Estratégia e Gestão. Não distribuir ou reproduzir sem autorização expressa. Demografia EVOLUÇÃO

Leia mais

3 O Serviço Social no setor de ONGs

3 O Serviço Social no setor de ONGs 3 O Serviço Social no setor de ONGs Uma análise sobre a atuação do assistente social em organizações não governamentais (ONGs) deve partir da reflexão sobre a configuração da sociedade civil brasileira,

Leia mais

A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA

A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA Ana Lia Ferreira Mendes de Carvalho liafmc@yahoo.com.br Geografia Bacharelado - UNIFAL-MG INTRODUÇÃO O presente

Leia mais

PROCESSO DE METROPOLIZAÇÃO. desigualmente mudando de natureza e de composição, exigindo

PROCESSO DE METROPOLIZAÇÃO. desigualmente mudando de natureza e de composição, exigindo Geografia urbana Costa, 2002 1 PROCESSO DE METROPOLIZAÇÃO! As porções do território ocupadas pelo homem vão desigualmente mudando de natureza e de composição, exigindo uma nova definição. As noções de

Leia mais

RESUMO DAS INTERVENÇÕES APONTADAS COMO LEGADO DAS OLIMPÍADAS PARA A CIDADE

RESUMO DAS INTERVENÇÕES APONTADAS COMO LEGADO DAS OLIMPÍADAS PARA A CIDADE OLIMPÍADAS 2016 RESUMO DAS INTERVENÇÕES APONTADAS COMO LEGADO DAS OLIMPÍADAS PARA A CIDADE 1 Principais intervenções previstas para as Olimpíadas: A Infraestrutura urbana Porto Maravilha Projeto de revitalização

Leia mais

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA SISTEMA DE ELABORAÇÃO DE S ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS ESPELHO DE Inclusão de Iniciativa no Ministério da Educação Página: 1563 de 2301 AUTOR DA Otavio Leite 25100001 2030 - Educação Básica 0598 - Apoiar o educando,

Leia mais

INSTRUMENTOS DO PLANO DIRETOR CARTILHA LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO LUOS

INSTRUMENTOS DO PLANO DIRETOR CARTILHA LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO LUOS Secretaria Municipal de Urbanismo INSTRUMENTOS DO PLANO DIRETOR CARTILHA LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO LUOS Lei de Uso e Ocupação do Solo: Introdução Estamos construindo uma cidade cada vez melhor A Lei

Leia mais

Finanças e informação em São Paulo: o mercado de capitais e o circuito da informação financeira

Finanças e informação em São Paulo: o mercado de capitais e o circuito da informação financeira Finanças e informação em São Paulo: o mercado de capitais e o circuito da informação financeira André Buonani Pasti andre@pasti.art.br IG/UNICAMP Palavras-chave: finanças, informação, São Paulo O atual

Leia mais

Recreio dos Bandeirantes. Fotos Ilustrativas

Recreio dos Bandeirantes. Fotos Ilustrativas Praia, sol e mar inspirando seus negócios e suas férias. No Heritage você terá um belíssimo cartão postal na sua janela e serviços de primeira classe ao seu alcance. Ande descalço, sinta a leveza do mar,

Leia mais

III Conferência Municipal de Política Urbana ESTUDOS URBANOS Transformações recentes na estrutura urbana

III Conferência Municipal de Política Urbana ESTUDOS URBANOS Transformações recentes na estrutura urbana III Conferência Municipal de Política Urbana ESTUDOS URBANOS Transformações recentes na estrutura urbana PBH/SMURBE Núcleo de Planejamento Urbano da Secretaria Municipal de Políticas Urbanas de Belo Horizonte

Leia mais

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO MPH0813 PLANO NACIONAL DE TURISMO: UM CAMINHO PARA A BUSCA DO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

entrevista Felipe Cavalcante, Presidente da ADIT Brasil

entrevista Felipe Cavalcante, Presidente da ADIT Brasil entrevista Felipe Cavalcante, Presidente da ADIT Brasil 10 Brasil-Portugal no Ceará ABRINDO PORTAS PARA O BRASIL PRESIDENTE DA ADIT BRASIL, FELIPE CAVALCANTE DESTACA O ATUAL PANORAMA DOS INVESTIMENTOS

Leia mais

ESTUDO SOBRE A GESTÃO TERRITORIAL DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO A PARTIR DA JUNÇÃO: ESTADO, CAPITAL IMOBILIÁRIO E FINANCEIRO.

ESTUDO SOBRE A GESTÃO TERRITORIAL DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO A PARTIR DA JUNÇÃO: ESTADO, CAPITAL IMOBILIÁRIO E FINANCEIRO. ESTUDO SOBRE A GESTÃO TERRITORIAL DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO A PARTIR DA JUNÇÃO: ESTADO, CAPITAL IMOBILIÁRIO E FINANCEIRO. Nicolau Martins Graduado em geografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

Megaeventos esportivos: cidade, cultura e desenvolvimento sustentável

Megaeventos esportivos: cidade, cultura e desenvolvimento sustentável Megaeventos esportivos: cidade, cultura e desenvolvimento sustentável GILMAR MASCARENHAS (Programa de Pós-Graduação em Geografia/UERJ) IV Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco Recife, 15 a 19 de

Leia mais

CORREDOR LESTE-OESTE: LIGAÇÃO ENTRE A ÁREA CENTRAL DO RECIFE E A CIDADE DA COPA EM SÃO LOURENÇO DA MATA 1

CORREDOR LESTE-OESTE: LIGAÇÃO ENTRE A ÁREA CENTRAL DO RECIFE E A CIDADE DA COPA EM SÃO LOURENÇO DA MATA 1 Andresa Maria Mendes da Silva¹ Ana Regina Marinho Dantas Barboza da Rocha Serafim² ¹ Graduanda do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Mata Norte da Universidade de Pernambuco. Bolsista PFA/UPE.

Leia mais

APLICAÇÃO DE MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS E MONITORAMENTO DA VARIAÇÃO DO VALOR DO SOLO.

APLICAÇÃO DE MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS E MONITORAMENTO DA VARIAÇÃO DO VALOR DO SOLO. APLICAÇÃO DE MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS E MONITORAMENTO DA VARIAÇÃO DO VALOR DO SOLO. Laura Pereira Aniceto Faculdade de Arquitetura e Urbanismo CEATEC Laura.aniceto@gmail.com Jonathas

Leia mais

Perspectivas do mercado de tratamento de águas e efluentes

Perspectivas do mercado de tratamento de águas e efluentes por Bruna Lavrini Perspectivas do mercado de tratamento de águas e efluentes Segundo fontes do setor, 2013 deve ser mais promissor do que 2012 O ano de 2012 está acabando e é necessário fazer um balanço

Leia mais

O Quadro de Desigualdades Habitacionais e o Saneamento no Rio de Janeiro

O Quadro de Desigualdades Habitacionais e o Saneamento no Rio de Janeiro OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES, AÇÃO URBANA E FUNDAÇÃO BENTO RUBIÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO: POLÍTICAS PÚBLICAS E O DIREITO À CIDADE O Quadro de Desigualdades Habitacionais e o Saneamento no Rio de Janeiro Ana

Leia mais

GESTÃO DAS POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS NOS GOVERNOS ESTADUAIS BRASILEIROS

GESTÃO DAS POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS NOS GOVERNOS ESTADUAIS BRASILEIROS Inter-American Development Bank Banco Interamericano de Desarrollo Banco Interamericano de desenvolvimento Banque interámericaine de développment BR-P1051 Departamento de Países do Cone Sul (CSC) Rascunho

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: Legislação urbana e ambiental: Ergonomia Urbana CÓDIGO: URB033 CLASSIFICAÇÃO: G5 PRÉ-REQUISITO: NÃO CARGA HORÁRIA: TÉORICA

Leia mais

Entrevista com Edgard Porto (Transcrição) (Tempo Total 26:33)

Entrevista com Edgard Porto (Transcrição) (Tempo Total 26:33) Entrevista com Edgard Porto (Transcrição) (Tempo Total 26:33) Edgard: A idéia [desta entrevista] é a gente comentar dez características da globalização e seus reflexos em Salvador. Meu nome é Edgard Porto,

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO LICENCIAMENTO AMBIENTAL BAIXADA DE JACAREPAGUÁ O LICENCIAMENTO AMBIENTAL E AS NOVAS INTERVENÇÕES URBANAS NA BAIXADA DE JACAREPAGUÁ PROJETOS - OS GRANDES EVENTOS O LIC ENC IAM ENT O AMB IENT AL E AS NOV

Leia mais

CULTURA, GASTRONOMIA E TURISMO: DESENVOLVIMENTO LOCAL ESTUDO DE CASO DA III FESTA DA FARINHA DE ANASTÁCIO (MS)

CULTURA, GASTRONOMIA E TURISMO: DESENVOLVIMENTO LOCAL ESTUDO DE CASO DA III FESTA DA FARINHA DE ANASTÁCIO (MS) CULTURA, GASTRONOMIA E TURISMO: DESENVOLVIMENTO LOCAL ESTUDO DE CASO DA III FESTA DA FARINHA DE ANASTÁCIO (MS) 1 TREVIZAN, Fernanda Kiyome Fatori INTRODUÇÃO A promoção dos recursos humanos e do planejamento

Leia mais

COMUNICAÇÃO EDUCAÇÃO - EXPOSIÇÃO: novos saberes, novos sentidos. Título de artigo de SCHEINER, Tereza.

COMUNICAÇÃO EDUCAÇÃO - EXPOSIÇÃO: novos saberes, novos sentidos. Título de artigo de SCHEINER, Tereza. COMUNICAÇÃO EDUCAÇÃO - EXPOSIÇÃO: novos saberes, novos sentidos Título de artigo de SCHEINER, Tereza. Nova Teoria do Museu onde este é pensado já não mais apenas como instituição (no sentido organizacional),

Leia mais

Informalizando o formalizado: a (re)produção do espaço urbano e o processo de (des)ocupação da Mata Atlântica na Av. Paralela, Salvador, Bahia, Brasil

Informalizando o formalizado: a (re)produção do espaço urbano e o processo de (des)ocupação da Mata Atlântica na Av. Paralela, Salvador, Bahia, Brasil Informalizando o formalizado: a (re)produção do espaço urbano e o processo de (des)ocupação da Mata Atlântica na Av. Paralela, Salvador, Bahia, Brasil Anderson Gomes da Epifania, Mestre em Geografia, professor

Leia mais

BELO HORIZONTE E OS MEGAEVENTOS ESPORTIVOS

BELO HORIZONTE E OS MEGAEVENTOS ESPORTIVOS BELO HORIZONTE E OS MEGAEVENTOS ESPORTIVOS Marcella C. Amaral Scotti. 1 RESUMO: A partir do momento em que um país se torna sede de um megaevento esportivo, as cidades se transformam no centro das atenções.

Leia mais

Condomínios empresariais na Região Metropolitana de Campinas: intencionalidade e fatores locacionais

Condomínios empresariais na Região Metropolitana de Campinas: intencionalidade e fatores locacionais Condomínios empresariais na Região Metropolitana de Campinas: intencionalidade e fatores locacionais Rodolfo Finatti rodolfofinatti@yahoo.com.br FFLCH/USP Palavras-chave: condomínio empresarial, Região

Leia mais

Direito à Moradia e a Questão Ambiental. Suyá Quintslr

Direito à Moradia e a Questão Ambiental. Suyá Quintslr Direito à Moradia e a Questão Ambiental Suyá Quintslr Roteiro da aula 1. A questão ambiental : do surgimento do preservacionismo no período moderno à problemática ambiental na atualidade 2. A ambientalização

Leia mais

Segurança e lazer são o destaque da publicidade deste imóvel. Fonte: Informe Publicitário distribuído em via pública

Segurança e lazer são o destaque da publicidade deste imóvel. Fonte: Informe Publicitário distribuído em via pública Capítulo 3 CONDOMÍNIOS-CLUBE NA CIDADE DE SÃO PAULO A área de lazer cada vez mais assume posição de destaque nos informes publicitários do mercado imobiliário residencial. O programa dos condomínios residenciais

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL O MORAR CARIOCA E A MANEIRA CARIOCA DE MORAR Autor(es): João Carlos Laufer Calafate, Pablo Cesar Benetti, José Augusto Pina, Ana Prado e Ana Gabriella Steinhauser As Olimpíadas de 2016 e a Copa do Mundo

Leia mais

AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS NA REGIÃO DO BARREIRO: A METROPOLIZAÇÃO NA PERIFERIA DE BELO HORIZONTE.

AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS NA REGIÃO DO BARREIRO: A METROPOLIZAÇÃO NA PERIFERIA DE BELO HORIZONTE. AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS NA REGIÃO DO BARREIRO: A METROPOLIZAÇÃO NA PERIFERIA DE BELO HORIZONTE. Saulo de Paula Pinto e Souza Evânio dos Santos Branquinho 1068 saulodepaula@gmail.com Geografia

Leia mais

ATA DE JULGAMENTO DE RECURSO

ATA DE JULGAMENTO DE RECURSO CONCURSO PÚBLICO NACIONAL DE PROJETOS DE ARQUITETURA E URBANISMO - ES- TUDOS PRELIMINARES - PARA CONSTRUÇÃO DE INSTALAÇÕES OLÍMPICAS NA REGI- ÃO PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO. CONCURSO PORTO OLÍMPICO. ATA

Leia mais

Plano de Bairro de Canabrava

Plano de Bairro de Canabrava Plano de Bairro de Canabrava PROGRAMA CATA AÇÃO Coordenador Geral: Antonio Bunchaft Coordenador Local: Moises Leão Gil PLANO DE BAIRRO DE CANABRAVA Equipe Técnica: Ronaldo Silveira Lyrio - Coordenação

Leia mais

DISCURSO DE FRANCIS BOGOSSIAN

DISCURSO DE FRANCIS BOGOSSIAN DISCURSO DE FRANCIS BOGOSSIAN na solenidade de posse do Conselho Consultivo e do presidente executivo da AEERJ Dia 28 de julho de 2014 Centro de Convenções da Firjan Minhas Senhoras e Meus Senhores, Gostaria

Leia mais

Capítulo 1 Do sonho à realização

Capítulo 1 Do sonho à realização 1 Capítulo 1 Do sonho à realização Com a idéia da casa registrada no papel ou na cabeça, o brasileiro parte para a concretização dos seus sonhos. Nessa hora, surge o conflito entre os sonhos e as etapas

Leia mais

NOVAS TENDÊNCIAS NA REVITALIZAÇÃO DE ÁREAS HISTÓRICAS : O CASO PORTO MARAVILHA

NOVAS TENDÊNCIAS NA REVITALIZAÇÃO DE ÁREAS HISTÓRICAS : O CASO PORTO MARAVILHA NOVAS TENDÊNCIAS NA REVITALIZAÇÃO DE ÁREAS HISTÓRICAS : O CASO PORTO MARAVILHA Leopoldo Guilherme Pio 1 RESUMO: O objetivo desse artigo é discutir de que maneira novas tendências ideológicas e culturais

Leia mais

Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social?

Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social? Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social? Panorama das ações e projetos e hipóteses gerais da pesquisa Juciano Martins Rodrigues Aumento no tempo de deslocamento Crescimento do número

Leia mais

A Etnização das lutas sociais pela terra na Amazônia: Novas agendas, novos agenciamentos político-territoriais

A Etnização das lutas sociais pela terra na Amazônia: Novas agendas, novos agenciamentos político-territoriais Bárbara Duarte de Arruda Universidade Federal Fluminense barbara.dda@gmail.com A Etnização das lutas sociais pela terra na Amazônia: Novas agendas, novos agenciamentos político-territoriais 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

O RH ESTRATÉGICO NO RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E ENGAJAMENTO DE PESSOAS EM MEGA EVENTOS ESPORTIVOS.

O RH ESTRATÉGICO NO RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E ENGAJAMENTO DE PESSOAS EM MEGA EVENTOS ESPORTIVOS. ISSN 1984-9354 O RH ESTRATÉGICO NO RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E ENGAJAMENTO DE PESSOAS EM MEGA EVENTOS ESPORTIVOS. JÉSSICA RODRIGUES DA CUNHA (LATEC / UFF) Resumo: O Brasil nos últimos tempos está com alta

Leia mais

Fetranspor vence UITP Awards com projeto sobre BRTs e Diálogo Jovem ganha menção honrosa

Fetranspor vence UITP Awards com projeto sobre BRTs e Diálogo Jovem ganha menção honrosa RJ 10/06/2015 Nº 1084 Fetranspor vence UITP Awards com projeto sobre BRTs e Diálogo Jovem ganha menção honrosa Alain Flausch, Richele Cabral, Lélis Teixeira e Thierry Wagenknecht A Fetranspor acaba de

Leia mais

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2014

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2014 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2014 O SETOR HOTELEIRO BRASILEIRO APÓS A COPA Caio Sergio Calfat Jacob - ex-presidente da LARES (Latin American Real Estate Society)

Leia mais

4, 5 e 6 de novembro - 2008. O Maior Encontro Sobre Investimentos e Desenvolvimento do Mercado Imobiliário Latino Americano

4, 5 e 6 de novembro - 2008. O Maior Encontro Sobre Investimentos e Desenvolvimento do Mercado Imobiliário Latino Americano O Maior Encontro Sobre Investimentos e Desenvolvimento do Mercado Imobiliário Latino Americano 4, 5 e 6 de novembro - 2008 São Paulo - Transamérica Expo Center www.cityscapelatinamerica.com.br 3,000 participantes

Leia mais

ESPAÇO URBANO: EXCLUSÃO, SEGREGAÇÃO E OS VÁRIOS NIVÉIS DE HABITAÇÃO EM JUIZ DE FORA. Estágio da pesquisa: Estudo experimental inicial e bibliográfico

ESPAÇO URBANO: EXCLUSÃO, SEGREGAÇÃO E OS VÁRIOS NIVÉIS DE HABITAÇÃO EM JUIZ DE FORA. Estágio da pesquisa: Estudo experimental inicial e bibliográfico ESPAÇO URBANO: EXCLUSÃO, SEGREGAÇÃO E OS VÁRIOS NIVÉIS DE HABITAÇÃO EM JUIZ DE FORA Estágio da pesquisa: Estudo experimental inicial e bibliográfico Rafael Santos Silva Universidade Federal de Juiz de

Leia mais

erceiro município mais populoso do interior paulista e o quarto mercado consumidor do Estado, fora da região metropolitana de São Paulo.

erceiro município mais populoso do interior paulista e o quarto mercado consumidor do Estado, fora da região metropolitana de São Paulo. T erceiro município mais populoso do interior paulista e o quarto mercado consumidor do Estado, fora da região metropolitana de São Paulo. Ao longo dos últimos 12 anos, Sorocaba vem crescendo expressivamente

Leia mais

A transformação espacial da Zona Portuária do Rio de Janeiro: o projeto Porto Maravilha como instrumento de segregação espacial

A transformação espacial da Zona Portuária do Rio de Janeiro: o projeto Porto Maravilha como instrumento de segregação espacial A transformação espacial da Zona Portuária do Rio de Janeiro: o projeto Porto Maravilha como instrumento de segregação espacial Mayara Rangel Silva Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro mayara.mrangel@gmail.com

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

Pré-vestibulares comunitários e o movimento territorial: Os casos dos pré-vestibulares da Maré e do Caju *

Pré-vestibulares comunitários e o movimento territorial: Os casos dos pré-vestibulares da Maré e do Caju * Pré-vestibulares comunitários e o movimento territorial: Os casos dos pré-vestibulares da Maré e do Caju * Kayobi de Azevedo Vargas Discente do Curso de Especialização em Ensino de Geografia Universidade

Leia mais

Luiz Kohara - Educador popular e secretário executivo do Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos (São Paulo/Brasil), engenheiro e pesquisador da

Luiz Kohara - Educador popular e secretário executivo do Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos (São Paulo/Brasil), engenheiro e pesquisador da Luiz Kohara - Educador popular e secretário executivo do Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos (São Paulo/Brasil), engenheiro e pesquisador da Faculdade de Arquitetura Urbanismo da Universidade de São

Leia mais

MUDANÇAS DA ORDEM URBANA DAS METRÓPOLES LIVROS COMPARATIVOS Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia

MUDANÇAS DA ORDEM URBANA DAS METRÓPOLES LIVROS COMPARATIVOS Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia MUDANÇAS DA ORDEM URBANA DAS METRÓPOLES LIVROS COMPARATIVOS Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Capítulo 6 Organização Social do Território e formas de provisão de moradia Seminário

Leia mais

GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura Plano Estadual de Cultura

GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura Plano Estadual de Cultura GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura INTRODUÇÃO A Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro (SEC) está coordenando a elaboração do Plano Estadual de Cultura, a partir do diálogo

Leia mais

PRATICANDO EXERCÍCIOS - 2013. Colégio Santa Clara Prof. Marcos

PRATICANDO EXERCÍCIOS - 2013. Colégio Santa Clara Prof. Marcos PRATICANDO EXERCÍCIOS - 2013 Colégio Santa Clara Prof. Marcos Densidade e crescimento demográfico brasileiro (FUVEST 2011) E este mapa, por que que ele difere dos demais? a) Correlacione as informações

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO COMO POLÍTICA Em cada cidade uma cultura, para cada cidade uma Arquitetura

ARQUITETURA E URBANISMO COMO POLÍTICA Em cada cidade uma cultura, para cada cidade uma Arquitetura ARQUITETURA E URBANISMO COMO POLÍTICA Em cada cidade uma cultura, para cada cidade uma Arquitetura Cada ciudad puede ser outra cuando el amor la transfigura cada ciudad puede ser tantas como amorosos la

Leia mais

TERRITÓRIO E LUGAR - ESPAÇOS DA COMPLEXIDADE

TERRITÓRIO E LUGAR - ESPAÇOS DA COMPLEXIDADE TERRITÓRIO E LUGAR - ESPAÇOS DA COMPLEXIDADE Renata Pekelman 1 Alexandre André dos Santos 2 Resumo: O artigo pretende trabalhar com conceitos de território e lugar, a complexidade intrínseca a esses conceitos,

Leia mais

PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO A PARTIR DA MEMÓRIA: O CASO REALENGO. Palavras-chave: Memória Urbana. Geografia Urbana. Geografia Histórica. Realengo.

PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO A PARTIR DA MEMÓRIA: O CASO REALENGO. Palavras-chave: Memória Urbana. Geografia Urbana. Geografia Histórica. Realengo. PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO A PARTIR DA MEMÓRIA: O CASO REALENGO MENDES, Andréa Ribeiro (Orientador) 1 SILVA, Fábio Ferreira da (Co-orientador) 2 SILVA, Luciana Conceição da 3 Palavras-chave: Memória Urbana.

Leia mais

Tema Vulnerabilidade das Áreas Urbanas Painel: Heloisa Soares de Moura Costa, UFMG

Tema Vulnerabilidade das Áreas Urbanas Painel: Heloisa Soares de Moura Costa, UFMG Tema Vulnerabilidade das Áreas Urbanas Painel: Heloisa Soares de Moura Costa, UFMG 4a. Conferência Regional de Mudanças Globais São Paulo, 07 de abril de 2011 Vulnerabilidade das Áreas Urbanas Heloisa

Leia mais

Principais Fatos e Números

Principais Fatos e Números Principais Fatos e Números BRAZIL Brasil Minas Gerais Região Metropolitana de Classificado como a 6ª maior economia em 2011, esperando chegar à 5ª posição até 2016. 3 ª maior economia dentre os 27 Estados

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Disciplina: Projeto Urbano e Paisagístico I PUP I Carga horária: 80 horas Ano Letivo: 2012 Série: 2ª Série Justificativa da Inclusão da Disciplina

Leia mais

LT 500 kv Mesquita Viana 2 e LT 345 kv Viana 2 Viana. Estudo de Impacto Ambiental - EIA. Novembro de 2010. 6.10 - Programa de Educação Ambiental - PEA

LT 500 kv Mesquita Viana 2 e LT 345 kv Viana 2 Viana. Estudo de Impacto Ambiental - EIA. Novembro de 2010. 6.10 - Programa de Educação Ambiental - PEA EIIA Não excluir esta página LT 500 kv Mesquita Viana 2 e LT 345 kv Viana 2 Viana Novembro de 2010 6.10 - Programa de Educação Ambiental - PEA 2422-00-EIA-RL-0001-00 Rev. nº 00 Preencher os campos abaixo

Leia mais

A Reorganização do Espaço Urbano Carioca - Em Destaque o Eixo Madureira- Campinho e seus Movimentos Sociais.

A Reorganização do Espaço Urbano Carioca - Em Destaque o Eixo Madureira- Campinho e seus Movimentos Sociais. A Reorganização do Espaço Urbano Carioca - Em Destaque o Eixo Madureira- Campinho e seus Movimentos Sociais. Caio Calixto Teixeira Pereira Graduando em Geografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

ILUMINADO DE AMARELO PROPOSTA DO FÓRUM PARANAENSE, INCORPORADA NA DISCUSSÃO DO FÓRUM EJA/RJ DE 17/6/2013

ILUMINADO DE AMARELO PROPOSTA DO FÓRUM PARANAENSE, INCORPORADA NA DISCUSSÃO DO FÓRUM EJA/RJ DE 17/6/2013 LEGENDA: EM VERMELHO O QUE INCLUÍMOS NO FÓRUM EJA / RJ DE 17/6/2013 ILUMINADO DE AMARELO PROPOSTA DO FÓRUM PARANAENSE, INCORPORADA NA DISCUSSÃO DO FÓRUM EJA/RJ DE 17/6/2013 ILUMINADO DE VERDE PROPOSTA

Leia mais

Copa do Mundo e Olimpíadas no Brasil: futebol, esportes e negócios. A partir dos anos 90 os Megaeventos se tornam um grande negócio internacional:

Copa do Mundo e Olimpíadas no Brasil: futebol, esportes e negócios. A partir dos anos 90 os Megaeventos se tornam um grande negócio internacional: Seminário Nacional Metropolização e Megaeventos: os impactos da Copa do Mundo e das Olimpíadas nas Metrópoles Brasileiras COPA DO MUNDO E OLIMPÍADAS NO BRASIL: FUTEBOL, ESPORTES E NEGÓCIOS Paulo Roberto

Leia mais

Seminário Nacional Os Impactos dos Megaeventos nas Metrópoles Brasileiras. A Copa do Mundo e as Olimpíadas na Cidade do Rio de Janeiro

Seminário Nacional Os Impactos dos Megaeventos nas Metrópoles Brasileiras. A Copa do Mundo e as Olimpíadas na Cidade do Rio de Janeiro Seminário Nacional Os Impactos dos Megaeventos nas Metrópoles Brasileiras A Copa do Mundo e as Olimpíadas na Cidade do Rio de Janeiro Para além de um evento esportivo, os megaeventos Copa do Mundo e Olimpíadas

Leia mais

INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE

INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 244 INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE João Victor de Souza

Leia mais

II ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA BAHIA A EDUCAÇÃO COMO MATRIZ DE TODAS AS RELAÇÕES HUMANAS E SOCIAIS SALVADOR, BA 2013

II ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA BAHIA A EDUCAÇÃO COMO MATRIZ DE TODAS AS RELAÇÕES HUMANAS E SOCIAIS SALVADOR, BA 2013 II ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA BAHIA A EDUCAÇÃO COMO MATRIZ DE TODAS AS RELAÇÕES HUMANAS E SOCIAIS SALVADOR, BA 2013 TEMÁTICA: EDUCAÇÃO, QUESTÃO DE GÊNERO E DIVERSIDADE EDUCAÇÃO

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO DA DISCIPLINA PLANEJAMENTO URBANO. CURSO: CST GESTÃO PÚBLICA REFERÊNCIA: Planejamento Urbano 1ª Edição 2012 (Intersaberes)

ESTUDO DIRIGIDO DA DISCIPLINA PLANEJAMENTO URBANO. CURSO: CST GESTÃO PÚBLICA REFERÊNCIA: Planejamento Urbano 1ª Edição 2012 (Intersaberes) ESTUDO DIRIGIDO DA DISCIPLINA PLANEJAMENTO URBANO CURSO: CST GESTÃO PÚBLICA REFERÊNCIA: Planejamento Urbano 1ª Edição 2012 (Intersaberes) MÓDULO A 2015 FASE II Nesta Rota de Aprendizagem destacamos a importância

Leia mais

A REVITALIZAÇÃO DO CAIS MAUÁ E A PRIVATIZAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO EM PORTO ALEGRE

A REVITALIZAÇÃO DO CAIS MAUÁ E A PRIVATIZAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO EM PORTO ALEGRE A REVITALIZAÇÃO DO CAIS MAUÁ E A PRIVATIZAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO EM PORTO ALEGRE Meriene Santos de Moraes merienemoraes@yahoo.com.br Mestranda em Geografia, bolsista PET SESu/MEC, UFRGS Pedro Toscan Contassot

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

Planejamento Urbano no Brasil, Estatuto da Cidade e o GIS

Planejamento Urbano no Brasil, Estatuto da Cidade e o GIS ALÍCIA FERNANDINO RODRIGUES aliciarodrigues@terra.com.br Título: Planejamento Urbano no Brasil, Estatuto da Cidade e o GIS GRUPO 1 : Planos Diretores e Sustentabilidade urbano-ambiental Planejamento Urbano

Leia mais

Universidade Católica de Santos Unisantos. Santos, 04/11/2015

Universidade Católica de Santos Unisantos. Santos, 04/11/2015 Universidade Católica de Santos Unisantos Santos, 04/11/2015 A Universidade Católica de Santos é uma entidade sem fins lucrativos, em consonância com os princípios da sua Mantenedora, a Sociedade Visconde

Leia mais

Urban View. Urban Reports. Novas centralidades: minibairros são tendência no segmento econômico

Urban View. Urban Reports. Novas centralidades: minibairros são tendência no segmento econômico Urban View Urban Reports Novas centralidades: minibairros são tendência no segmento econômico Programa Falando em dinheiro, coluna Minha cidade, meu jeito de morar e investir Rádio Estadão ESPN Novas centralidades:

Leia mais

TRANSFORMANDO O RIO! ADVANCING ENTREPRENEURSHIP AND INNOVATION 04/11/2013 1/31

TRANSFORMANDO O RIO! ADVANCING ENTREPRENEURSHIP AND INNOVATION 04/11/2013 1/31 TRANSFORMANDO O RIO! ADVANCING ENTREPRENEURSHIP AND INNOVATION 04/11/2013 1/31 QUEM SOMOS Empresa pública, vinculada ao gabinete do Prefeito; Criada em agosto de 2011 para coordenar os projetos da Prefeitura

Leia mais

INSTRUMENTOS CONTRA INSTRUMENTOS EVIDENCIANDO A POLÍTICA URBANA BRASILEIRA ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO, ENTRE O REAL E O LEGAL

INSTRUMENTOS CONTRA INSTRUMENTOS EVIDENCIANDO A POLÍTICA URBANA BRASILEIRA ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO, ENTRE O REAL E O LEGAL INSTRUMENTOS CONTRA INSTRUMENTOS EVIDENCIANDO A POLÍTICA URBANA BRASILEIRA ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO, ENTRE O REAL E O LEGAL Bruno dos Santos Del' Esposti 1 Resumo No Brasil, leis aliadas à promoção

Leia mais

TÍTULO: GENTRIFICAÇÃO ESTRATÉGICA: CIDADES À VENDA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ARQUITETURA E URBANISMO

TÍTULO: GENTRIFICAÇÃO ESTRATÉGICA: CIDADES À VENDA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ARQUITETURA E URBANISMO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: GENTRIFICAÇÃO ESTRATÉGICA: CIDADES À VENDA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS

Leia mais