Palavra Viva, Escritura Poderosa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Palavra Viva, Escritura Poderosa"

Transcrição

1 Armindo dos Santos Vaz Palavra Viva, Escritura Poderosa A Bíblia e as Suas Linguagens Universidade Católica Editora Lisboa, 2013

2 Aos meus pais, irmãos e amigos A alma e a Escritura, graças à referência simbólica de uma e da outra, esclarecem se mutuamente. Seria uma perda descuidar o estudo, tanto de uma como da outra. São dois livros a ler e a comentar um pelo outro. Se preciso da Escritura para me compreender, também compreendo a Escritura quando a leio em mim (Orígenes, In Iohannem, 5,7).

3 Introdução A fé dos cristãos não recai propriamente sobre a Bíblia. Com a ajuda dela, é adesão ao Deus vivo, que se manifestou na pessoa de Jesus Cristo. Mas também não é concebível sem o testemunho e o contínuo desafio da Bíblia. Esta é sacrário da revelação paradigmática, acontecida em Israel, em Jesus Cristo e na Tradição da Igreja apostólica. Mesmo que um cristão dos tempos modernos possa acreditar em Jesus sem ter lido a Bíblia, terá sido evangelizado por uma Tradição que está ancorada na Bíblia e dela desenvolveu os seus conteúdos. A questão está em entendê la o melhor possível. Dadas as dificuldades reais de compreender as suas linguagens, sempre foi necessário um instrumento de iniciação à sua leitura. Sendo ela um universo de antigos textos orientais com linguagens em parte diferentes das usadas hoje no Ocidente, uma «Introdução Geral» ajuda o leitor ocidental a resolver problemas com que depara na abordagem desta biblioteca clássica 1. De facto, Bíblia é o plural da palavra grega biblíon (livrinho) e significa colecção de livros, que são 73 (a palavra Bíblia aparece só no séc. xii, em ambiente cristão). Mas a qualificação de biblioteca não afecta só o número de livros; aponta para vários géneros literários, para escritos de diferentes épocas e lugares, ao longo de mais de mil anos. Por isso, para captar a sua mensagem, há que compreender as linguagens em que os seus autores se exprimiram. Aliás, a própria expressão Palavra de Deus, analógica, declina se de várias formas. Quando, ao fim da leitura de um texto bíblico na assembleia litúrgica, a fé da Igreja proclama Palavra de Deus!, lança ao leitor/ouvinte o repto de contemplar «a Palavra nas palavras», Palavra de Deus em linguagens humanas, referida a várias realidades semelhantes entre si: + Identifica se com a Palavra revelada, comunicação que Deus faz de si mesmo na história humana. + É Palavra de Deus incarnada, tendo assumido corpo na pessoa de Jesus, revelação definitiva e Palavra do Pai (Jo 1,1 18), Palavra da Vida (1Jo 1,1). + Palavra de Deus é ainda a pregada pelos apóstolos. + Está contida de maneira totalmente singular na palavra escrita, na Escritura bíblica, embora sem se circunscrever a esta: estende se para além dela e transcende a; o Verbo de Deus precede a e excede a 2. 1 Uma ampla resenha do estado actual dos tratados de Introdução Geral à Sagrada Escritura e dos respectivos contributos na última década do séc. xx, em J. M. Sánchez Caro, La Biblia, libro sagrado..., pp Os dados bibliográficos completos de cada obra citada em rodapé aparecem na Bibliografia Geral, ao fim do livro. 2 Exortação de Bento XVI, Verbum Domini, 7, fina flor resultante dos trabalhos do Sínodo dos Bispos de Outubro de 2008 e das 55 «Proposições» finais: texto em H. Alves, Documentos da Igreja sobre a Bíblia, p

4 8 PALAVRA VIVA, ESCRITURA PODEROSA A Sagrada Escritura tornou se mediação na relação da Palavra de Deus com a história humana. A Palavra assumiu corpo na história e foi entregue ao tempo na Escritura, activando a memória ao narrar o passado e alimentando a esperança ao anunciar o futuro de um povo. A Escritura é incarnação e concentração da Palavra, dando lhe corporeidade, sem a limitar 3. Então, Palavra de Deus é o tópico que articula os temas centrais na compreensão da Bíblia, a que se associam outros por afinidade: Enquanto palavra de Deus escrita, é palavra inspirada e, por isso, palavra verdadeira, palavra santa e palavra santificadora. Logo, é palavra normativa ou canónica, considerada regra de fé e de vida para a comunidade crente que a lê, diferente de outras palavras escritas noutras tradições religiosas. Sujeita às vicissitudes da história, foi palavra transmitida num texto manuscrito e impresso milhões de vezes. Porque entrou no tempo e incarnou numa história, é palavra que foi e exige ser interpretada. Enquanto escrita sob a influência do Espírito Santo, é palavra viva e eficaz para o homem de hoje: palavra sempre actual, a precisar de constante reinterpretação ou actualização na vida dos crentes 4. Dito por outras palavras, enquanto palavra escrita, a Bíblia encerra o mistério da Escritura: Por ser «mistério», orienta nos para Deus, abre nos à transcendência em que nos lançam os seus textos inspirados pelo Espírito Santo e normativos para os crentes. Por ser «Escritura», encerra uma inevitável dimensão imanente, sujeita a regras literárias, a tradições culturais, a leis da história, a uma secular transmissão do seu texto (eventualmente acidentada) e, portanto, à necessidade da interpretação. Estes grandes temas estão intrinsecamente articulados e podemos ordená los nas quatro partes que formam este livro: Inspiração bíblica Cânone bíblico Texto bíblico Hermenêutica bíblica Desde logo, a compreensão adequada da inspiração afecta os problemas fundamentais da leitura da Bíblia: a relação da inspiração com a revelação, 3 Cf. Â. Cardita, «Verbum Domini»: quando a Escritura devém palavra, pp Na expressão «Palavra de Deus», em princípio grafamos o P maiúsculo quando se refere explicitamente ou pode ter aspectos de referência à Palavra personalizada e incarnada em Jesus Cristo, ou ainda quando se referir ao mistério da revelação, em Jesus, na Escritura ou noutra manifestação; e recorremos à minúscula quando se referir à Sagrada Escritura como livro e à sua leitura. Nalguns contextos, a expressão é polivalente. Geralmente distingue se bem: a leitura da palavra de Deus, privada ou litúrgica, é ponto de encontro do crente com a Palavra de Deus.

5 INTRODUÇÃO 9 a verdade da Bíblia (seu corolário), a harmonia entre o Antigo e o NT, a questão da linguagem dentro da interpretação da Bíblia (em que medida a linguagem é inspirada?), os géneros literários da Bíblia (próprios dos autores inspirados), a crítica literária bíblica (são inspirados os sucessivos estratos que confluíram no texto final?), a inspiração da tradução grega do AT, a extensão da inspiração, o sentido imediato dum texto bíblico e as suas actualizações (as releituras bíblicas são inspiradas)... Ao fixarmos a atenção numa questão, subentendemos sempre outras. Isso mesmo acontece nas outras três partes. A formação dum cânone de Escrituras Sagradas supõe a inspiração divina delas. Quando estudamos o texto bíblico, não manejamos um texto qualquer, mas o texto inspirado e canónico. E os problemas hermenêuticos que o afectam não são só problemas gerais que dizem respeito a qualquer texto mas também problemas específicos do texto inspirado e canónico. De resto, a forma como se entende a imagem da inspiração da Bíblia repercute se na sua hermenêutica. Problemas de interpretação no passado deveram se a concepções imperfeitas de inspiração (por se pensar, por exemplo, que Deus não poderia inspirar mitos de origem). Estas paralisaram o progresso dos próprios estudos bíblicos. Este livro é para ir lendo ao correr da leitura simultânea da Bíblia. Se pode servir de Manual para estudantes de Teologia, dirige se a todos os que mesmo só em forma de consulta a partir do índice pormenorizado ou deixando para trás temas menos sedutores desejam descobrir o vigor dos seus conteúdos. Também visa oferecer ferramentas que ajudem a lê la como cultural e historicamente condicionada, de modo a não aparecer como revelação infalível lançada por Deus à história humana, mas como parte integrante da procura histórica da verdade de Deus e do ser humano.

6 Índice Siglas e abreviaturas Introdução PARTE 1 A PALAVRA INSPIRADA CAPÍTULO I NATUREZA DA INSPIRAÇÃO BÍBLICA A inspiração bíblica no limiar do Vaticano II Deus, autor principal, e hagiógrafo, causa instrumental A psicologia do hagiógrafo no processo da inspiração Problemas decorrentes desta explicação da inspiração Balanço e considerações conclusivas A inspiração bíblica e o Vaticano II: contributo da Dei Verbum A inspiração bíblica na linha da Dei Verbum e para além dela Factores que possibilitaram a viragem Perspectiva actual sobre a natureza da inspiração bíblica Conclusões CAPÍTULO II PROPRIEDADES INERENTES À PALAVRA INSPIRADA A Palavra verdadeira A verdade da Bíblia como problema Perspectivação decisiva na Dei Verbum: princípios interpretativos A Palavra santa Narrações de violência física Aparentes mentiras Imprecações A «ira de Deus» A força da Palavra Excurso: A palavra inspirada e as sementes da Palavra. Inspiração dos livros sagrados de outras religiões PARTE 2 A PALAVRA NORMATIVA. O CÂNONE BÍBLICO CAPÍTULO III HISTÓRIA DA FORMAÇÃO E DA FIXAÇÃO DO CÂNONE Formação gradual de uma consciência canónica Formação e fixação do cânone judaico

7 498 PALAVRA VIVA, ESCRITURA PODEROSA 2.1. Formação de uma colecção de livros santos em Israel Fixação do cânone do Antigo Testamento no judaísmo O Pentateuco samaritano O cânone das Escrituras cristãs O cânone do Antigo Testamento para a Igreja O cânone do Novo Testamento Cânone do Novo Testamento: unidade na diversidade CAPÍTULO IV REFLEXÃO TEOLÓGICA SOBRE O CÂNONE BÍBLICO Cânone, Igreja e recepção das Escrituras Critérios de canonicidade Critérios externos Critérios internos Escritos inspirados perdidos? Depois do cânone O cânone bíblico dos protestantes O cânone bíblico nas Igrejas ortodoxas CAPÍTULO V AS PALAVRAS AO LADO DA PALAVRA: OS LIVROS APÓCRIFOS O que são livros apócrifos? Os apócrifos do Antigo Testamento Os apócrifos do Novo Testamento Importância dos livros apócrifos para conhecer o judaísmo intertestamentário para compreender as origens do cristianismo e o Novo Testamento para a história da fixação do cânone para a história da teologia do cristianismo primitivo para a história da religiosidade e da cultura ocidentais Os apócrifos gnósticos O gnosticismo em geral Os apócrifos gnósticos da biblioteca de Nag Hammadi Proveniência do gnosticismo Pressupostos básicos da gnose Conteúdos doutrinais do pensamento gnóstico A particular sedução do apócrifo Evangelho de Judas Conclusão sobre o cânone bíblico PARTE 3 A PALAVRA FEITA LIVRO. O TEXTO BÍBLICO CAPÍTULO VI HISTÓRIA DA TRANSMISSÃO DO TEXTO DO ANTIGO TESTAMENTO Instabilidade do texto hebraico consonântico antes do 70 d.c Pluralidade textual (300 a.c. 70 d.c.)

8 ÍNDICE Os manuscritos bíblicos de Qumrán Estabilização do texto consonântico ( d.c.) Fixação do texto com sinais vocálicos. Os massoretas CAPÍTULO VII HISTÓRIA DA TRANSMISSÃO DO TEXTO DO NOVO TESTAMENTO O estado de conservação Do texto original aos manuscritos do Novo Testamento Testemunhos directos: os manuscritos gregos Testemunhos indirectos O texto impresso do Novo Testamento. O «texto recebido» CAPÍTULO VIII A CRÍTICA TEXTUAL DO ANTIGO E DO NOVO TESTAMENTO Erros na transmissão do texto bíblico Erros acidentais ou involuntários Erros intencionais ou voluntários Método e regras de crítica textual CAPÍTULO IX A PALAVRA TRADUZIDA A. Traduções antigas do texto bíblico A tradução grega do Antigo Testamento: os Setenta Um fenómeno sem precedentes. Importância histórica da tradução Importância teológica da tradução Valor crítico da tradução dos Setenta A tradução dos Setenta na tradição judaica A tradução dos Setenta na tradição cristã. A recensão de Orígenes Os Targumîm, traduções aramaicas do Antigo Testamento Versões latinas da Bíblia A Vetus Latina: a tradução latina mais antiga da Bíblia A Vulgata latina: a gigantesca obra de S. Jerónimo B. Traduções da Bíblia para línguas modernas Versões inglesas Versões espanholas Versões portuguesas Conclusão sobre as traduções modernas da Bíblia Conclusão sobre o Texto Bíblico

9 500 PALAVRA VIVA, ESCRITURA PODEROSA PARTE 4 A PALAVRA INTERPRETADA. HERMENÊUTICA BÍBLICA CAPÍTULO X A PALAVRA NO DESAFIO DAS INTERPRETAÇÕES: HISTÓRIA DA INTERPRETAÇÃO DA BÍBLIA A Bíblia, primeiro momento hermenêutico de si própria Interpretação das Escrituras no judaísmo Hermenêutica por meio do midráš O Talmude A exegese judaica medieval e moderna Interpretação da Bíblia pelos Padres da Igreja Escola alexandrina e escola antioquena Os Padres latinos A exegese medieval Nos quatro sentidos da Escritura Na lectio divina A exegese na época moderna e contemporânea Do humanismo a Bossuet A hermenêutica bíblica cristã no séc. XVIII Depois do séc. XVIII até aos nossos dias CAPÍTULO XI A PALAVRA COM SENTIDO PLURAL: A QUESTÃO DOS SENTIDOS DO TEXTO BÍBLICO O sentido literal O sentido literal próprio O sentido literal translato A problemática do «sentido literal» Dois autores, uma mensagem Sentido literal único, vários níveis de sentido Superação do sentido literal bíblico e flutuação da sua designação O sentido Espiritual/cristão do Antigo Testamento Vários modelos de releitura: relações do Antigo Testamento com o Novo Valor próprio do Antigo Testamento A «segunda leitura» do Antigo Testamento feita pela Igreja O «sentido Espiritual» ou cristão dos textos do Antigo Testamento APÊNDICE: O sentido acomodatício CAPÍTULO XII A PALAVRA LITERÁRIA: MÉTODOS EXEGÉTICOS PARA DETERMINAR O SENTIDO A. Métodos diacrónicos ou histórico-críticos As línguas bíblicas e a crítica textual «Crítica literária» («crítica das fontes») Determinação do género literário Importância desta tarefa hermenêutica

10 ÍNDICE Como determinar o género literário A «história das formas» O método em si Reservas ao método Mérito do Método A «história das tradições» Em que consiste? Como funciona? A «história da redacção» Definição e finalidade Prática do método A transmissão oral Conclusão: críticas e valor dos métodos histórico-críticos As críticas O valor irrenunciável B. Métodos sincrónicos Análise retórica Características da retórica bíblica Prática do método Análise narrativa Em que consiste e qual a finalidade? Elementos principais da análise narrativa Análise semiótica Características A estrutura geral da narrativa As funções e os Programas Narrativos A Semiótica e a Bíblia Resultados e reservas Leitura «materialista» e abordagem sociológica Abordagem psicológica e psicanalítica Abordagem «canónica» A proposta Uma crítica A Bíblia na «teologia da libertação» Leitura feminista A tendência Avaliação Leitura fundamentalista Conclusão sobre os métodos exegéticos CAPÍTULO XIII A PALAVRA VIVA QUE DÁ VIDA: HERMENÊUTICA EXISTENCIAL Princípios antropológicos Trajectória histórica da «hermenêutica viva» da Bíblia A hermenêutica existencial, projecto contemporâneo

11 1.3. A Bíblia de outrora para a vida de hoje Hermenêutica existencial e leitura pragmático-linguística Princípios e critérios teológicos Princípio teológico: leitura da Escritura no Espírito Critérios teológicos A Palavra de Deus na vida da Igreja A Sagrada Escritura na liturgia A Bíblia na pastoral e na catequese Bíblia e teologia Bíblia e moral A leitura orante da Bíblia: lectio divina CONCLUSÃO FINAL BIBLIOGRAFIA GERAL

PARTE 2 - A PALAVRA NORMATIVA. O CÂNONE BÍBLICO

PARTE 2 - A PALAVRA NORMATIVA. O CÂNONE BÍBLICO Índice Siglas e abreviaturas 6 Introdução 7 PARTE 1 - A PALAVRA INSPIRADA CAPÍTULO I - NATUREZA DA INSPIRAÇÃO BÍBLICA 12 1. A inspiração bíblica no limiar do Vaticano II 13 1.1. Deus, autor principal,

Leia mais

A SAGRADA ESCRITURA. Por Marcelo Rodolfo da Costa

A SAGRADA ESCRITURA. Por Marcelo Rodolfo da Costa A SAGRADA ESCRITURA Por Marcelo Rodolfo da Costa A palavra bíblia é de origem grega do termo "biblion" que no plural significa "livros". Logo a bíblia é uma coleção de livros. Ela surge no meio de um oriente,

Leia mais

Introdução à Bíblia e ao Novo Testamento

Introdução à Bíblia e ao Novo Testamento Introdução à Bíblia e ao Novo Testamento A palavra Bíblia deriva do grego: ta biblía; plural de: ton biblíon. E significa "livros" Logo descobrimos que a Bíblia é uma coleção de livros! Nós, cristãos,

Leia mais

Ementas do Curso de Teologia. Código Disciplina Créditos

Ementas do Curso de Teologia. Código Disciplina Créditos Ementas do Curso de Teologia 601 ACONSELHAMENTO 5 75 Desenvolvimento das condições de prestação de ajuda às pessoas com necessidades diversas. Aplicação de conhecimentos psicológicos e espirituais no trabalho

Leia mais

Como a Bíblia foi composta? Escrito por Felipe de Aquino

Como a Bíblia foi composta? Escrito por Felipe de Aquino Os textos da Bíblia começaram a ser escritos desde os tempos anteriores a Moisés (1200 ac). Escrever era uma arte rara e cara, pois se escrevia em tábuas de madeira, papiro, pergaminho (couro de carneiro).

Leia mais

IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA

IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA MÓDULO I - O NOVO TESTAMENTO Aula IV - Introdução ao Novo Testamento e o caráter Literário dos evangelhos A ORIGEM DO NOME A expressão traduzida

Leia mais

Diferença entre a Bíblia Católica e a Protestante

Diferença entre a Bíblia Católica e a Protestante Diferença entre a Bíblia Católica e a Protestante Hugo Goes A Bíblia é formada por duas partes: o Antigo Testamento e o Novo Testamento. Em relação ao Novo Testamento, não há nenhuma diferença entre a

Leia mais

Você consegue imaginar Jesus Cristo perdendo Seu precioso tempo em ler um texto apócrifo?

Você consegue imaginar Jesus Cristo perdendo Seu precioso tempo em ler um texto apócrifo? Você consegue imaginar Jesus Cristo perdendo Seu precioso tempo em ler um texto apócrifo? Assumiria Jesus Cristo o risco de citar um texto, que não fosse inspirado, sabendo que com isso poderia legitimá-lo

Leia mais

Tradução Gordon Chown

Tradução Gordon Chown Tradução Gordon Chown Introdução A exegese hábil do NT é essencial para quem aspira ao ensino e à pregação da Palavra de Deus de forma correta. Os estudantes experientes da Bíblia sempre se envolvem em

Leia mais

O CÂNON Sagrado compreende 46 Livros no ANTIGO TESTAMENTO e 27 Livros no NOVO TESTAMENTO.

O CÂNON Sagrado compreende 46 Livros no ANTIGO TESTAMENTO e 27 Livros no NOVO TESTAMENTO. Ao contrário do que parece à primeira vista, a Bíblia não é um livro único e independente, mas uma coleção de 73 livros, uma mini biblioteca que destaca o a aliança e plano de salvação de Deus para com

Leia mais

A Santa Sé. Saúdo antes de tudo a vós, queridos Irmãos no Episcopado, que viestes a Roma para a Visita ad

A Santa Sé. Saúdo antes de tudo a vós, queridos Irmãos no Episcopado, que viestes a Roma para a Visita ad A Santa Sé PAPA BENTO XVI AUDIÊNCIA GERAL Quarta-feira, 7 de Fevereiro 2007 Antes da Audiência geral, realizada na Sala Paulo VI, Bento XVI encontrou-se na Basílica de São Pedro com os fiéis das Dioceses

Leia mais

Caracterização Cronológica

Caracterização Cronológica Caracterização Cronológica Filosofia Medieval Século V ao XV Ano 0 (zero) Nascimento do Cristo Plotino (204-270) Neoplatônicos Patrística: Os grandes padres da igreja Santo Agostinho ( 354-430) Escolástica:

Leia mais

Ciclo de Seminários Não Técnicos 2010

Ciclo de Seminários Não Técnicos 2010 Ciclo de Seminários Não Técnicos 2010 Introdução à Bíblia Segundo a Igreja Católica Márcio Saraiva (marcio@dsc.ufcg.edu.br) 1 AVISO!!! Deixe o celular com o bluetooth ligado! 2 Agenda Motivação Introdução

Leia mais

CURSO DE INTRODUÇÃO À LEITURA DA BÍBLIA Autor: Padre Antônio das Mercês Gomes

CURSO DE INTRODUÇÃO À LEITURA DA BÍBLIA Autor: Padre Antônio das Mercês Gomes BÍBLIA CURSO DE INTRODUÇÃO À LEITURA DA BÍBLIA Autor: Padre Antônio das Mercês Gomes Esta palavra vem do grego. A forma Bíblia, em grego, está no plural e significa livros, pois a Bíblia é um conjunto

Leia mais

Como sugestão para o melhor aproveitamento do material, indica-se:

Como sugestão para o melhor aproveitamento do material, indica-se: INTRODUÇÃO O estudo do Antigo Testamento é essencial para a compreensão da revelação dos propósitos de Deus no decorrer da historia da humanidade, por isso, Síntese do Antigo Testamento é um material que

Leia mais

Gr.Bíblico. Evangelho de. Nossa Senhora Conceição. São Mateus Ano litúrgico A

Gr.Bíblico. Evangelho de. Nossa Senhora Conceição. São Mateus Ano litúrgico A Evangelho de São Mateus Ano litúrgico A O Segundo Envangelho O TEMPO DE JESUS E O TEMPO DA IGREJA Este Evangelho, transmitido em grego pela Igreja, deve ter sido escrito originariamente em aramaico, a

Leia mais

Resenha do livro BOSCH, David J. Missão Transformadora. São Leopoldo, RS: Sinodal, 2002.

Resenha do livro BOSCH, David J. Missão Transformadora. São Leopoldo, RS: Sinodal, 2002. Resenha do livro BOSCH, David J. Missão Transformadora. São Leopoldo, RS: Sinodal, 2002. Tiago Abdalla Teixeira Neto David Bosch introduz o livro mostrando a abrangência do termo missão na história da

Leia mais

O ANTIGO TESTAMENTO ENTRE PASSADO E ATUALIDADE

O ANTIGO TESTAMENTO ENTRE PASSADO E ATUALIDADE Jörg Garbres Ms. De Teologia O ANTIGO TESTAMENTO ENTRE PASSADO E ATUALIDADE Introdução ao AT e sua importância Introdução O AT faz parte do Cânon da cristandade! O AT abrange 4/5 da Bíblia! O AT é testemunho

Leia mais

LIÇÃO 2 Informação Básica Sobre a Bíblia

LIÇÃO 2 Informação Básica Sobre a Bíblia LIÇÃO 2 Informação Básica Sobre a Bíblia A Bíblia é um livro para todo a espécie de pessoas novos e idosos, cultos e ignorantes, ricos e pobres. É um guia espiritual para ensinar as pessoas como ser-se

Leia mais

Aula 7.1 Conteúdo: Textos Sagrados: orais e escritos O que são os textos sagrados? O texto sagrado nas tradições religiosas ENSINO RELIGIOSO

Aula 7.1 Conteúdo: Textos Sagrados: orais e escritos O que são os textos sagrados? O texto sagrado nas tradições religiosas ENSINO RELIGIOSO CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 7.1 Conteúdo: Textos Sagrados: orais e escritos O que são os textos sagrados? O texto sagrado nas tradições religiosas 2 CONTEÚDO E HABILIDADES

Leia mais

A Santa Sé VISITA PASTORAL À PARÓQUIA ROMANA DE SÃO BARNABÉ HOMILIA DO PAPA JOÃO PAULO II. Domingo, 30 de Janeiro de 1983

A Santa Sé VISITA PASTORAL À PARÓQUIA ROMANA DE SÃO BARNABÉ HOMILIA DO PAPA JOÃO PAULO II. Domingo, 30 de Janeiro de 1983 A Santa Sé VISITA PASTORAL À PARÓQUIA ROMANA DE SÃO BARNABÉ HOMILIA DO PAPA JOÃO PAULO II Domingo, 30 de Janeiro de 1983 1. Caros Irmãos e Irmãs! Acabámos de ouvir a Palavra de Deus da Liturgia de hoje.

Leia mais

Carta Pastoral 2013-2014

Carta Pastoral 2013-2014 Carta Pastoral 2013-2014 O Sínodo Diocesano. Em Comunhão para a Missão: participar e testemunhar Estamos no momento decisivo do Sínodo da nossa diocese de Viseu. Pela sua importância, para o presente e

Leia mais

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 Mantendo-vos, portanto, firmes, tendo cingido os vossos rins com a verdade, vestindo a couraça da justiça e calçando os pés

Leia mais

Unidade Lectiva 1: Caminhar em Grupo

Unidade Lectiva 1: Caminhar em Grupo Unidade Lectiva 1: Caminhar em Grupo Um novo ano escolar Apresentação Aprendo a estudar Aprendo a viver! Integro um novo grupo Os dez Mandamentos A Biblia: O povo onde nasceu a bíblia Organização da bíblia

Leia mais

PADRE MARCELO ROSSI ÁGAPE

PADRE MARCELO ROSSI ÁGAPE PADRE MARCELO ROSSI ÁGAPE Oo Índice Prefácio, por Gabriel Chalita...11 Introdução...19 1 O Verbo divino...27 2 As bodas de Caná...35 3 A samaritana...41 4 Multiplicação dos pães...49 5 A mulher adúltera...55

Leia mais

1. Polvoreira Guimarães, Braga

1. Polvoreira Guimarães, Braga 6 1. Polvoreira Guimarães, Braga 8 Páginas anteriores 2. Trancoso Guarda 3. Vila Nune Cabeceiras de Basto, Braga 10 José Tolentino Mendonça Hipóteses para um rosto «Tudo isto são analogias para tentar

Leia mais

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO SERIEDADE NA PALAVRA CURSO BÁSICO DE TEOLOGIA MÓDULO I 1º SEMESTRE DE 2015 INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO PR. ROGÉRIO DE ANDRADE CHAGAS Introdução ao Novo Testamento. A nossa aula introduzirá a parte histórica

Leia mais

Teologia e Prática da Espiritualidade. Unidade 01: Espiritualidade e espiritualidades. Introdução

Teologia e Prática da Espiritualidade. Unidade 01: Espiritualidade e espiritualidades. Introdução Teologia e Prática da Espiritualidade Unidade 01: Espiritualidade e espiritualidades Introdução Esta primeira unidade se trata de uma tentativa de encontrar definições possíveis para a espiritualidade,

Leia mais

Dez Mandamentos. Índice. Moisés com as Tábuas da Lei, por Rembrandt

Dez Mandamentos. Índice. Moisés com as Tábuas da Lei, por Rembrandt Dez Mandamentos Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. (Redirecionado de Os dez mandamentos) Ir para: navegação, pesquisa Nota: Para outros significados, veja Dez Mandamentos (desambiguação). Moisés

Leia mais

A Exortação Apostólica Verbum Domini

A Exortação Apostólica Verbum Domini A Exortação Apostólica Verbum Domini Texto escrito por Cássio Murilo Dias da Silva 1, em janeiro de 2011. Informação de copyright: Este texto pode ser utilizado para fins educacionais e não comerciais.

Leia mais

TRADIÇÃO JUDAICO-CRISTÃ ESCRITA: UM ENSAIO CRÍTICO SOBRE A CANONIZAÇÃO VETERO E NEOTESTAMENTÁRIA

TRADIÇÃO JUDAICO-CRISTÃ ESCRITA: UM ENSAIO CRÍTICO SOBRE A CANONIZAÇÃO VETERO E NEOTESTAMENTÁRIA TRADIÇÃO JUDAICO-CRISTÃ ESCRITA: UM ENSAIO CRÍTICO SOBRE A CANONIZAÇÃO VETERO E NEOTESTAMENTÁRIA Ismael Ferreira 1 RESUMO O artigo apresenta uma discussão bastante atual na teologia, filosofia, filologia,

Leia mais

PASTORAL É O HOJE DA IGREJA

PASTORAL É O HOJE DA IGREJA PASTORAL É O HOJE DA IGREJA As mudanças sociais são desafios à Evangelização. A atualização da mensagem cristã nas diversas realidades e em diferentes tempos fez surgir a Pastoral. Hoje em nossas paróquias

Leia mais

Teologia Bíblica de Missões SEFO 2013

Teologia Bíblica de Missões SEFO 2013 Teologia Bíblica de Missões SEFO 2013 1 ª Aula Fabio Codo Fábio Codo - http://teologiaaservicoevangelho.wordpress.com Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Madureira Campo de Mogi das Cruzes

Leia mais

A CATEQUESE AO SERVIÇO DA INICIAÇÃO CRISTÃ

A CATEQUESE AO SERVIÇO DA INICIAÇÃO CRISTÃ A CATEQUESE AO SERVIÇO DA INICIAÇÃO CRISTÃ 1. O primeiro elemento a destacar é o facto de a catequese de iniciação, como toda a catequese, ser um acto de tradição viva, iniciação ordenada à revelação que

Leia mais

CURSO DE BÍBLIA ANTIGO TESTAMENTO CHAMADO POR DEUS. Paróquia de São Benedito Santa Cruz do Rio Pardo SP

CURSO DE BÍBLIA ANTIGO TESTAMENTO CHAMADO POR DEUS. Paróquia de São Benedito Santa Cruz do Rio Pardo SP CURSO DE BÍBLIA ANTIGO TESTAMENTO A HISTÓRIA DE UM POVO CHAMADO POR DEUS Paróquia de São Benedito Santa Cruz do Rio Pardo SP APRESENTAÇÃO Vocês têm em suas mãos o Curso de Bíblia. Este curso já tem sua

Leia mais

CURSO DE HISTÓRIA: EMENTAS DAS DISCIPLINAS NÍVEL I

CURSO DE HISTÓRIA: EMENTAS DAS DISCIPLINAS NÍVEL I CURSO DE HISTÓRIA: EMENTAS DAS DISCIPLINAS NÍVEL I 15201-04 Introdução ao Estudo da História Introdução ao estudo da constituição da História como campo de conhecimento, ao longo dos séculos XIX e XX,

Leia mais

A iniciação à fé cristã das crianças de hoje - da teologia à pedagogia

A iniciação à fé cristã das crianças de hoje - da teologia à pedagogia ONDE MORAS? Ilustração de Capa, Madalena Matoso, 2009 ONDE MORAS? UMA PROPOSTA Tópicos para a intervenção inicial Maria da Conceição Moita A iniciação à fé cristã das crianças de hoje - da teologia à pedagogia

Leia mais

Apesar de toda diversidade a Bíblia toda contém uma só idéia central: Jesus Cristo, o Senhor, que ama e salva o homem pecador. Gn 3.15; Ap 19.

Apesar de toda diversidade a Bíblia toda contém uma só idéia central: Jesus Cristo, o Senhor, que ama e salva o homem pecador. Gn 3.15; Ap 19. Apresentação do Curso Existem duas formas de se estudar teologia, uma é através da Teologia Bíblica que extrai as verdades que formularão as doutrinas diretamente do texto. A outra maneira é através da

Leia mais

METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA

METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA Só é educativa a relação que faz crescera educando para uma maior autonomia (Aires Gameiro) Porque não lançar-se à tarefa de ajudar

Leia mais

Roland Goetschel é autor do clássico sobre a Cabala espanhola Meïr ibn

Roland Goetschel é autor do clássico sobre a Cabala espanhola Meïr ibn Roland Goetschel, Cabala. Tradução de Myriam Campello. Porto Alegre, L& PM, 2009, 130 pp., ISBN 9788525418708. Pedro Paulo A. Funari 1 Roland Goetschel é autor do clássico sobre a Cabala espanhola Meïr

Leia mais

Prof. Dr. Pe. Paulo Sergio Lopes Gonçalves. Ética, Epistemologia e Religião CCHSA Faculdade de Filosofia paselogo@puc-campinas.edu.

Prof. Dr. Pe. Paulo Sergio Lopes Gonçalves. Ética, Epistemologia e Religião CCHSA Faculdade de Filosofia paselogo@puc-campinas.edu. A EXPERIÊNCIA RELIGIOSA NO COMENTÁRIO DE SANTO AGOSTINHO A PRIMEIRA EPÍSTOLA DE SÃO JOÃO João Ricardo de Moraes Faculdade de Teologia e Ciências Religisas CCHSA Joao.rdm@hotmail.com Prof. Dr. Pe. Paulo

Leia mais

Aportes sobre a Teologia da Pregação Desde alguns fundamentos à sua finalidade Por Silas Barbosa Dias i

Aportes sobre a Teologia da Pregação Desde alguns fundamentos à sua finalidade Por Silas Barbosa Dias i 1 Aportes sobre a Teologia da Pregação Desde alguns fundamentos à sua finalidade Por Silas Barbosa Dias i Pregação é quando a teologia extravasa de uma pessoa que está em chamas. 1 Melhor intenso que extenso!

Leia mais

Felizes os puros de coração porque verão a Deus (Mt 5, 8)

Felizes os puros de coração porque verão a Deus (Mt 5, 8) Janeiro e Fevereiro 2015 Editorial Esta é a Síntese dos meses de Janeiro e Fevereiro, assim como a Palavra de Vida, em que o nosso diretor espiritual, Pe. Pedro, fala sobre Felizes os puros de coração

Leia mais

TRADIÇÃO. Patriarcado de Lisboa JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2.

TRADIÇÃO. Patriarcado de Lisboa JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2. TRADIÇÃO JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2. A TRANSMISSÃO DO TESTEMUNHO APOSTÓLICO 3. TRADIÇÃO, A ESCRITURA NA IGREJA Revelação TRADIÇÃO Fé Teologia

Leia mais

Primeira Carta de João

Primeira Carta de João Primeira Carta de João Seminário Bíblico Palavra da Vida Teologia Bíblica do Novo Testamento 1 08.12.2010 Prof. Carlos Osvaldo CardosoPinto 1 Questões de Introdução Autoria Anônima conforme o texto. Indícios

Leia mais

Interpretações Contemporâneas na Escatologia

Interpretações Contemporâneas na Escatologia Interpretações Contemporâneas na Escatologia AULA INAUGURAL DO CURSO DE CONVALIDAÇÃO EM TEOLOGIA FACULDADE PASCHOAL DANTAS www.faculdadepaschoaldantas.com.br Prof. Pr. José Ribeiro Neto, Mestre em Estudos

Leia mais

Por que devo discipular?

Por que devo discipular? Por que devo discipular? Muito me alegrei (...) que falaram a respeito da sua fidelidade, de como você continua andando na verdade. Não tenho alegria maior do que ouvir que meus filhos estão andando na

Leia mais

Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica

Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica 0 O que é Filosofia? Essa pergunta permite muitas respostas... Alguns podem apontar que a Filosofia é o estudo de tudo ou o nada que pretende abarcar tudo.

Leia mais

Antropologia Religiosa

Antropologia Religiosa Antropologia Religiosa Quem somos nós? De onde viemos? Para onde vamos? Qual é a nossa missão no universo? O que nos espera? Que sentido podemos dar a nossa vida? Qual o sentido da história e do mundo?

Leia mais

O ANÚNCIO DO EVANGELHO GUIÃO DE LEITURA #3 DO SÍNODO DIOCESANO 2016. Abril a Junho de 2015 - Síntese da reflexão efetuada

O ANÚNCIO DO EVANGELHO GUIÃO DE LEITURA #3 DO SÍNODO DIOCESANO 2016. Abril a Junho de 2015 - Síntese da reflexão efetuada O ANÚNCIO DO EVANGELHO GUIÃO DE LEITURA #3 DO SÍNODO DIOCESANO 2016 Abril a Junho de 2015 - Síntese da reflexão efetuada 1 INTRODUÇÃO Continuando a responder ao convite / desafio efetuado pelo Papa Francisco

Leia mais

Os fundamentos da nossa missão 2013-10 1/16

Os fundamentos da nossa missão 2013-10 1/16 Os fundamentos da nossa missão 2013-10 1/16 Índice Introdução. 3 1. Apresentação geral.... 4 2. Os CPM no seio da Igreja......5 3. Os animadores.....7 4. O papel do Assistente Espiritual... 8 5. A equipa

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA O CURSO DE FORMAÇÃO MISSIONÁRIA

DIRETRIZES CURRICULARES PARA O CURSO DE FORMAÇÃO MISSIONÁRIA DIRETRIZES CURRICULARES PARA O CURSO DE FORMAÇÃO MISSIONÁRIA Considerando que: A Igreja Metodista, em seu Plano Nacional Missionário 2012 2016 apresenta entre as suas ênfases, as seguintes: Enfase 1: Estimular

Leia mais

O Calendário Judaico. Cronologia. Cronologia HARMONIZAÇÃO CRONOLÓGICA O ANO DO NASCIMENTO DE JESUS. Mt 2:1-23 Época do Nascimento:

O Calendário Judaico. Cronologia. Cronologia HARMONIZAÇÃO CRONOLÓGICA O ANO DO NASCIMENTO DE JESUS. Mt 2:1-23 Época do Nascimento: Há Harmonia Entre os Evangelhos? Mar/Abr/2015 Vlademir Hernandes AULA 3 15/3/2015 Recapitulação A importância dos Evangelhos Por que 4 evangelhos Bibliografia A necessidade de harmonização Exercícios sobre

Leia mais

5. Autoconsciência e conhecimento humano de Jesus

5. Autoconsciência e conhecimento humano de Jesus 5. Autoconsciência e conhecimento humano de Jesus Através do estudo dos evangelhos é possível captar elementos importantes da psicologia de Jesus. É possível conjeturar como Jesus se autocompreendia. Especialmente

Leia mais

Classe Adultos. Esperança e Glória para os Salvos

Classe Adultos. Esperança e Glória para os Salvos Classe Adultos Esperança e Glória para os Salvos OBJETIVOS OBJETIVO GERAL Explicar o real significado da Escatologia Bíblica. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Após esta aula, o aluno deverá estar apto a: I. Definir

Leia mais

Princípios do Observatório para a Liberdade Religiosa (OLR)

Princípios do Observatório para a Liberdade Religiosa (OLR) 1 Exposição concebida pelo Observatório para a Liberdade Religiosa (OLR) e parceiros, no âmbito do evento Terra Justa 2015 grandes Causas e Valores da Humanidade, para os quais a Religião assume um papel

Leia mais

CRISTOLOGIA. Prof. Denilson Aparecido Rossi. Prof. Denilson Aparecido Rossi - (41) 3384-3151 / 8822-4023 - denilson.rossi@hotmail.

CRISTOLOGIA. Prof. Denilson Aparecido Rossi. Prof. Denilson Aparecido Rossi - (41) 3384-3151 / 8822-4023 - denilson.rossi@hotmail. CRISTOLOGIA Prof. Denilson Aparecido Rossi O que é Cristologia? A Cristologia é o estudo sobre Cristo, é uma parte da teologia cristã que estuda e define a natureza de Jesus, a doutrina da pessoa e da

Leia mais

IGREJA BATISTA FUNDAMENTALISTA CRISTO É VIDA

IGREJA BATISTA FUNDAMENTALISTA CRISTO É VIDA ANO XXIII - Nº 863 FortaLeZa, 13 De novembro De 2011 As confissões doutrinárias da Reforma, tais como a de Westminster (1647), de Savoy (1658) e a confissão Batista de Londres (1689) afirmam, com relação

Leia mais

Edição dos manuscritos bíblicos encontrados em Hirbet Qumran

Edição dos manuscritos bíblicos encontrados em Hirbet Qumran RESENHA ULRICH, Eugene (Ed.). The Biblical Qumran Scrolls: Transcriptions and Textual Variants. Supplemets to Vetus Testamentum 134. Leiden-Boston: Brill, 2010. xvi + 796 p. Edição dos manuscritos bíblicos

Leia mais

Servidores da Caridade

Servidores da Caridade Homilia da Missa Crismal 2011 Servidores da Caridade António Marto Catedral de Leiria 21 de Abril de 2011 Cantarei eternamente a bondade do Senhor A liturgia da Missa Crismal encerra uma beleza espiritual

Leia mais

Eis que tudo se fez novo (aluno)

Eis que tudo se fez novo (aluno) Eis que tudo se fez novo (aluno) Índice 01 A Bíblia 02 O ser humano e seu relacionamento com Deus 03 A garantia da salvação 04 Quem é Jesus Cristo 05 O Espírito Santo 06 A Oração 07 As tentações e o pecado

Leia mais

Lição 6 Actos 2, 10, 15, e 21 Epístola aos Gálatas Enxertados

Lição 6 Actos 2, 10, 15, e 21 Epístola aos Gálatas Enxertados Lição 6 Actos 2, 10, 15, e 21 Epístola aos Gálatas Enxertados E uma voz lhe disse: Levanta-te, Pedro, mata e come. 14 Mas Pedro respondeu: De modo nenhum, Senhor, porque nunca comi coisa alguma comum e

Leia mais

LEITURA ORANTE DA BÍBLIA. Um encontro com Deus vivo

LEITURA ORANTE DA BÍBLIA. Um encontro com Deus vivo LEITURA ORANTE DA BÍBLIA Um encontro com Deus vivo A quem nós iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. (Jo 6,68) Recordando a história... A leitura orante da Palavra é uma tentativa de responder

Leia mais

TEOLOGIA EMENTAS DO CURSO 1º P METODOLOGIA CIENTÍFICA LÍNGUA PORTUGUESA BIBLIOLOGIA HISTÓRIA DE ISRAEL

TEOLOGIA EMENTAS DO CURSO 1º P METODOLOGIA CIENTÍFICA LÍNGUA PORTUGUESA BIBLIOLOGIA HISTÓRIA DE ISRAEL TEOLOGIA EMENTAS DO CURSO 1º P METODOLOGIA CIENTÍFICA Estudo de fundamentos, princípios, métodos e técnicas de pesquisa científica. Trabalhos acadêmicos: organização, normas, formas de redação e comunicação.

Leia mais

3ª Catequese: O SACERDÓCIO APOSTÓLICO

3ª Catequese: O SACERDÓCIO APOSTÓLICO 3ª Catequese: O SACERDÓCIO APOSTÓLICO Introdução Não é possível compreender a Igreja, sem esta forma especial de presença de Cristo nela, querida por Ele próprio, que é o sacerdócio apostólico, hoje presente

Leia mais

A palavra do Senhor descarta a ideia de triteísmo (três Deuses) e de unicismo (Religião,Prática de

A palavra do Senhor descarta a ideia de triteísmo (três Deuses) e de unicismo (Religião,Prática de Aula 1 19/11/2014 A palavra do Senhor descarta a ideia de triteísmo (três Deuses) e de unicismo (Religião,Prática de adoração a um só Deus; Negam a existência da santa trindade.) A Trindade pode ser definida

Leia mais

REACENDENDO A ESPERANÇA CRISTÃ

REACENDENDO A ESPERANÇA CRISTÃ HENRIQUE PAULO JULIANO CORMANICH REACENDENDO A ESPERANÇA CRISTÃ Trabalho apresentado à coordenação do curso de Teologia EAD para participação do Concurso de trabalhos Acadêmicos EAD Destaque do Ano da

Leia mais

2 A TEOLOGIA BÍBLICA EVANGÉLICA LATINO-AMERICANA A PARTIR DO CONCEITO BÍBLICO-TEOLÓGICO DA MISSÃO INTEGRAL DA IGREJA

2 A TEOLOGIA BÍBLICA EVANGÉLICA LATINO-AMERICANA A PARTIR DO CONCEITO BÍBLICO-TEOLÓGICO DA MISSÃO INTEGRAL DA IGREJA 2 A TEOLOGIA BÍBLICA EVANGÉLICA LATINO-AMERICANA A PARTIR DO CONCEITO BÍBLICO-TEOLÓGICO DA MISSÃO INTEGRAL DA IGREJA Sidney de Moraes Sanches 1 RESUMO A teologia bíblica evangélica latino-americana é orientada

Leia mais

Tema ASCENSÃO DO SENHOR

Tema ASCENSÃO DO SENHOR Encontro n. 6 ema ASCENSÃO DO SENHOR I. ACOLHIDA Ambiente: Lenço branco sobre a mesa, como sinal de despeida; uma cadeira vazia ou um banco próximo ao altar. Bíblia sobre o altar, vela acesa, com flores.

Leia mais

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil Documento do MEJ Internacional Para que a minha alegria esteja em vós Por ocasião dos 100 anos do MEJ O coração do Movimento Eucarístico Juvenil A O coração do MEJ é a amizade com Jesus (Evangelho) B O

Leia mais

Retiro de Revisão de Metas do Querigma

Retiro de Revisão de Metas do Querigma Pe. Marco Antonio Guerrero Guapacho - Colômbia 1. Evangelização Evangelizar é um verbo, derivado de evangelho, que faz referência à proclamação, ao anúncio de Jesus Cristo e da sua mensagem. No propósito

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 065-PROEC/UNICENTRO, DE 25 DE ABRIL DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº 065-PROEC/UNICENTRO, DE 25 DE ABRIL DE 2011. RESOLUÇÃO Nº 065-PROEC/UNICENTRO, DE 25 DE ABRIL DE 2011. Aprova a continuidade do Projeto de Extensão Escola de Teologia para leigos Nossa Senhora das Graças, na modalidade de Curso de Extensão, na categoria

Leia mais

Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO?

Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO? Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO? A palavra Concílio significa assembleia reunida por convocação e, na Igreja, um concílio sempre teve como objetivo discutir, definir e deliberar sobre questões de

Leia mais

24. Creio no Filho único de Deus. O Senhor 441-455. Texto 441-455 PRIMEIRA PARTE SEGUNDA SEÇÃO CAPÍTULO II: CREIO EM JESUS CRISTO, FILHO ÚNICO DE DEUS

24. Creio no Filho único de Deus. O Senhor 441-455. Texto 441-455 PRIMEIRA PARTE SEGUNDA SEÇÃO CAPÍTULO II: CREIO EM JESUS CRISTO, FILHO ÚNICO DE DEUS 24. Creio no Filho único de Deus. O Senhor 441-455 INTRODUÇÃO O comportamento, a mensagem, a pessoa de Jesus e toda a sua história, especialmente a o mistério pascal não podem ser explicados nem corretamente

Leia mais

DISCÍPULOS E SERVIDORES DA PALAVRA DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA

DISCÍPULOS E SERVIDORES DA PALAVRA DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA DISCÍPULOS E SERVIDORES DA PALAVRA DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA DEUS SE REVELA Revelação é o diálogo entre Deus e seus filhos, cuja iniciativa vem de Deus (8). A Palavra de Deus não se revela somente para

Leia mais

A Fé que nos gloriamos de professar (continuação)

A Fé que nos gloriamos de professar (continuação) A Fé que nos gloriamos de professar (continuação) Fé cristã: Costume ou Decisão Pessoal É uma decisão livre, da consciência de cada um! As raízes da fé cristã A fé cristã não começou connosco. A fé que

Leia mais

COMO SE TORNAR UM CRISTÃO FIEL. Apêndice 5. A Igreja de Jesus: Organização

COMO SE TORNAR UM CRISTÃO FIEL. Apêndice 5. A Igreja de Jesus: Organização 274 Apêndice 5 A Igreja de Jesus: Organização A maneira exata como a igreja se organiza é de pouco interesse para muitos. No entanto, organização é um assunto de importância vital. A organização da igreja

Leia mais

ANÁLISE DO DISCURSO AULA 01: CARACTERIZAÇÃO INICIAL DA ANÁLISE DO DISCURSO TÓPICO 01: O QUE É A ANÁLISE DO DISCURSO MULTIMÍDIA Ligue o som do seu computador! OBS.: Alguns recursos de multimídia utilizados

Leia mais

Caridade ou a graça de fazer o bem

Caridade ou a graça de fazer o bem Caridade ou a graça de fazer o bem Partindo de seu acto de voluntária fraqueza tem a humanidade, não apenas a cristã, de muitas formas, escolhido como seu deus o mal e como sua liturgia a maldade. Se bem

Leia mais

Atibaia, outubro de 2014. Pe. Leomar A. Brustolin

Atibaia, outubro de 2014. Pe. Leomar A. Brustolin Atibaia, outubro de 2014. Pe. Leomar A. Brustolin Personalização e centramento no indivíduo (rejeita-se a uniformidade e padronização) Afirmação das diferenças: mulheres, negros, indígenas, homossexuais,

Leia mais

LECTIO DIVINA - 07 de dezembro de 2014 II Domingo do Advento

LECTIO DIVINA - 07 de dezembro de 2014 II Domingo do Advento Perguntas para a reflexão pessoal Qual o significado, hoje na minha vida concreta, desta pregação de João Batista? Animo-me a anunciar a Palavra de Deus como ele? Escuto a Palavra de Deus que me chega

Leia mais

I - A NATUREZA DA IGREJA

I - A NATUREZA DA IGREJA I - A NATUREZA DA IGREJA Que é a igreja? A questão pode ser solucionada considerando:1) As palavras que descrevem essa instituição. 2) As palavras que descrevem os cristãos. 3) As ilustrações que descrevem

Leia mais

A Apostolicidade da Fé

A Apostolicidade da Fé EMBARGO ATÉ ÀS 18H30M DO DIA 10 DE MARÇO DE 2013 A Apostolicidade da Fé Catequese do 4º Domingo da Quaresma Sé Patriarcal, 10 de Março de 2013 1. A fé da Igreja recebemo-la dos Apóstolos de Jesus. A eles

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS ESCRITURAS Conforme registra, por exemplo, o salmo 19.1-6, é através da Criação

A IMPORTÂNCIA DAS ESCRITURAS Conforme registra, por exemplo, o salmo 19.1-6, é através da Criação 1 LIÇÃO 1 A IMPORTÂNCIA DAS ESCRITURAS Conforme registra, por exemplo, o salmo 19.1-6, é através da Criação que Deus tem Se revelado ao homem. Deus revela-se também através da Palavra Escrita, a Bíblia

Leia mais

Provas Bíblicas da Existência de Espíritos

Provas Bíblicas da Existência de Espíritos 1 Bruno Chaves Provas Bíblicas da Existência de Espíritos 2 Bibliotecária Maria José Costa Amorim. CRB 13/707 C512p Chaves, Bruno. Provas bíblicas da existência de espíritos. / Bruno Chaves. Imperatriz-MA:

Leia mais

PREFÁCIO DA SÉRIE. estar centrado na Bíblia; glorificar a Cristo; ter aplicação relevante; ser lido com facilidade.

PREFÁCIO DA SÉRIE. estar centrado na Bíblia; glorificar a Cristo; ter aplicação relevante; ser lido com facilidade. PREFÁCIO DA SÉRIE Cada volume da série A Palavra de Deus para Você o transporta ao âmago de um livro da Bíblia e aplica as verdades nele contidas ao seu coração. Os objetivos principais de cada título

Leia mais

PERGUNTAS & RESPOSTAS - FONTE ESTUDOS BÍBLICOS 2015

PERGUNTAS & RESPOSTAS - FONTE ESTUDOS BÍBLICOS 2015 PERGUNTAS & RESPOSTAS - FONTE ESTUDOS BÍBLICOS 2015 1) A Cruz era um instrumento de execução. Para os romanos, que tipo de pessoa era executado na cruz? E para os judeus? Resposta: Os romanos a usavam

Leia mais

SDCIA - ISCRA Secretariado Diocesano da Catequese de Infância e Adolescência Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro

SDCIA - ISCRA Secretariado Diocesano da Catequese de Infância e Adolescência Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro SDCIA - ISCRA Secretariado Diocesano da Catequese de Infância e Adolescência Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro Formação para Catequistas Directório Geral da Catequese Janeiro - Março

Leia mais

Programa: Master of Divinity in Biblical Studies/Pastoral Studies (M.Div. em Estudos Bíblicos e Pastorais). Diurno - Vocacionados

Programa: Master of Divinity in Biblical Studies/Pastoral Studies (M.Div. em Estudos Bíblicos e Pastorais). Diurno - Vocacionados Programa: Master of Divinity in Biblical Studies/Pastoral Studies (M.Div. em Estudos Bíblicos e Pastorais). Diurno - Vocacionados Master of Divinity in Biblical Studies/Pastoral Studies (M.Div. em Estudos

Leia mais

E u ca r i s t i a Sacramento da Caridade Escola de ministérios Leitores. A caridade do leitor I

E u ca r i s t i a Sacramento da Caridade Escola de ministérios Leitores. A caridade do leitor I E u ca r i s t i a Sacramento da Caridade Escola de ministérios Leitores A caridade do leitor I Esta Escola de Ministérios destinada aos Leitores, foi pensada a partir da temática geral deste Encontro

Leia mais

ANO PAULINO: POR QUE, PARA QUE E COMO...

ANO PAULINO: POR QUE, PARA QUE E COMO... 1 ANO PAULINO: POR QUE, PARA QUE E COMO... Irmão Nery fsc Membro do GRECAT e Presidente de SCALA (Sociedade de Catequetas Latino-americanos) 1. O segundo jubileu do Apóstolo Paulo. O Papa Bento XVI anunciou

Leia mais

Tema 6: Bíblia e Catequese

Tema 6: Bíblia e Catequese 1. A linguagem humana da Bíblia Tema 6: Bíblia e Catequese Na oração falamos com Deus; na boa leitura é Deus que nos fala São Jerônimo A Bíblia abrange um período histórico de 1000 a.c. a 100 d.c. e representa

Leia mais

ESCOLA VICENTINA SÃO VICENTE DE PAULO

ESCOLA VICENTINA SÃO VICENTE DE PAULO ESCOLA VICENTINA SÃO VICENTE DE PAULO Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati Paranavaí / / MEU SENHOR E MEU DEUS, EU CONFIO EM TI! OS TEXTOS SAGRADOS NAS TRADIÇÕES RELIGIOSAS

Leia mais

Marcos 16:9-20: original ou acréscimo?

Marcos 16:9-20: original ou acréscimo? CRITICA TEXTUAL Marcos 16:9-20: original ou acréscimo? por WILSON PAROSCHI Veja o que os estudiosos pensam sobre os últimos versos desse evangelho A penúltima lição da Escola Sabatina do primeiro trimestre

Leia mais

Rudolf Steiner. Londres, 2 de Maio de 1913

Rudolf Steiner. Londres, 2 de Maio de 1913 Rudolf Steiner Londres, 2 de Maio de 1913 O Mistério do Gólgota é o mais difícil de se compreender de todos os Mistérios, mesmo para aqueles que alcançaram um estágio avançado no conhecimento oculto. Entre

Leia mais

2.0 - ALGUMAS DIRETRIZES PARA O ESTUDO

2.0 - ALGUMAS DIRETRIZES PARA O ESTUDO 2.0 - ALGUMAS DIRETRIZES PARA O ESTUDO Antes de começarmos a preparar a moldura do nosso quebra-cabeças apocalíptico, há alguns princípios que devemos estabelecer para a interpretação dos textos proféticos

Leia mais

CATEQUESE. Sua Santidade o Papa Bento XVI Vaticano - Audiência Geral Sala Paulo VI Quarta-feira, 2 de Janeiro de 2013

CATEQUESE. Sua Santidade o Papa Bento XVI Vaticano - Audiência Geral Sala Paulo VI Quarta-feira, 2 de Janeiro de 2013 CATEQUESE Sua Santidade o Papa Bento XVI Vaticano - Audiência Geral Sala Paulo VI Quarta-feira, 2 de Janeiro de 2013 Queridos irmãos e irmãs, O Natal do Senhor ilumina mais uma vez com a sua luz as trevas

Leia mais

Como Ler a Bíblia Biblicamente

Como Ler a Bíblia Biblicamente Como Ler a Bíblia Biblicamente Joe Morecraft, III Tradução: Felipe Sabino de Araújo Neto 1 A sua visão sobre Deus determinará como você lê a Bíblia. A hermenêutica 2 procede da teologia. O Senhor Deus

Leia mais

MARIA, ESTRELA E MÃE DA NOVA EVANGELIZAÇÃO

MARIA, ESTRELA E MÃE DA NOVA EVANGELIZAÇÃO MARIA, ESTRELA E MÃE DA NOVA EVANGELIZAÇÃO anuncie a Boa Nova não só com palavras, mas, sobretudo, com uma vida transfigurada pela presença de Deus (EG 259). O tema da nova evangelização aparece com freqüência

Leia mais

Uma tradução inspirada?

Uma tradução inspirada? Septuaginta - Uma Tradução da Bíblia que Mudou o Mundo Quando o profeta de Deus, Moisés, começou a escrever a Bíblia há mais de 3.500 anos, apenas uma nação pequena podia lê-la. (Deuteronômio 7:7) Era

Leia mais