PARTE 2 - A PALAVRA NORMATIVA. O CÂNONE BÍBLICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARTE 2 - A PALAVRA NORMATIVA. O CÂNONE BÍBLICO"

Transcrição

1 Índice Siglas e abreviaturas 6 Introdução 7 PARTE 1 - A PALAVRA INSPIRADA CAPÍTULO I - NATUREZA DA INSPIRAÇÃO BÍBLICA A inspiração bíblica no limiar do Vaticano II Deus, autor principal, e hagiógrafo, causa instrumental A psicologia do hagiógrafo no processo da inspiração Problemas decorrentes desta explicação da inspiração Balanço e considerações conclusivas A inspiração bíblica e o Vaticano II: contributo da Dei Verbum A inspiração bíblica na linha da Dei Verbum e para além dela Factores que possibilitaram a viragem Perspectiva actual sobre a natureza da inspiração bíblica 25 Conclusões 51 CAPÍTULO II - PROPRIEDADES INERENTES À PALAVRA INSPIRADA A Palavra verdadeira A verdade da Bíblia como problema Perspectivação decisiva na Dei Verbum: princípios interpretativos A Palavra santa Narrações de violência física Aparentes mentiras Imprecações A «ira de Deus» A força da Palavra 93 Excurso: A palavra inspirada e as "sementes da Palavra". Inspiração dos livros sagrados de outras religiões 98 PARTE 2 - A PALAVRA NORMATIVA. O CÂNONE BÍBLICO CAPÍTULO III - HISTÓRIA DA FORMAÇÃO E DA FIXAÇÃO DO CÂNONE Formação gradual de uma consciência canónica Formação e fixação do cânone judaico 112

2 498 PALAVRA VIVA, ESCRITURA PODEROSA 2.1. Formação de uma colecção de livros santos em Israel Fixação do cânone do Antigo Testamento no judaísmo O Pentateuco samaritano O cânone das Escrituras cristãs O cânone do Antigo Testamento para a Igreja O cânone do Novo Testamento Cânone do Novo Testamento: unidade na diversidade 134 CAPÍTULO IV - REFLEXÃO TEOLÓGICA SOBRE O CÂNONE BÍBLICO Cânone, Igreja e recepção das Escrituras Critérios de canonicidade Critérios externos Critérios internos Escritos inspirados perdidos? Depois do cânone O cânone bíblico dos protestantes O cânone bíblico nas Igrejas ortodoxas 152 CAPÍTULO V - AS PALAVRAS AO LADO DA PALAVRA: OS LIVROS APÓCRIFOS O que são livros apócrifos? Os apócrifos do Antigo Testamento Os apócrifos do Novo Testamento Importância dos livros apócrifos para conhecer o judaísmo intertestamentário para compreender as origens do cristianismo e o Novo Testamento para a história da fixação do cânone para a história da teologia do cristianismo primitivo para a história da religiosidade e da cultura ocidentais Os apócrifos gnósticos O gnosticismo em geral Os apócrifos gnósticos da biblioteca de Nag Hammadi Proveniência do gnosticismo Pressupostos básicos da gnose Conteúdos doutrinais do pensamento gnóstico A particular sedução do apócrifo Evangelho de Judas 177 Conclusão sobre o cânone bíblico 179 PARTE 3 - A PALAVRA FEITA LIVRO. O TEXTO BÍBLICO CAPÍTULO VI - HISTÓRIA DA TRANSMISSÃO DO TEXTO DO ANTIGO TESTAMENTO Instabilidade do texto hebraico consonântico antes do 70 d.c Pluralidade textual (300 a.c d.c.) 185

3 ÍNDICE Os manuscritos bíblicos de Qumrán Estabilização do texto consonântico ( d.c.) Fixação do texto com sinais vocálicos. Os massoretas 192 CAPÍTULO VII - HISTÓRIA DA TRANSMISSÃO DO TEXTO DO NOVO TESTAMENTO O estado de conservação Do texto original aos manuscritos do Novo Testamento Testemunhos directos: os manuscritos gregos Testemunhos indirectos O texto impresso do Novo Testamento. O «texto recebido» 201 CAPÍTULO VIII - A CRÍTICA TEXTUAL DO ANTIGO E DO NOVO TESTAMENTO Erros na transmissão do texto bíblico Erros acidentais ou involuntários Erros intencionais ou voluntários Método e regras de crítica textual 207 CAPÍTULO IX - A PALAVRA TRADUZIDA 210 A. Traduções antigas do texto bíblico A tradução grega do Antigo Testamento: os Setenta Um fenómeno sem precedentes. Importância histórica da tradução Importância teológica da tradução Valor crítico da tradução dos Setenta A tradução dos Setenta na tradição judaica A tradução dos Setenta na tradição cristã. A recensão de Orígenes Os Targumim, traduções aramaicas do Antigo Testamento Versões latinas da Bíblia A Vetus Latina: a tradução latina mais antiga da Bíblia A Vulgata latina: a gigantesca obra de S. Jerónimo 232 B. Traduções da Bíblia para línguas modernas Versões inglesas Versões espanholas Versões portuguesas 244 Conclusão sobre as traduções modernas da Bíblia 252 Conclusão sobre o Texto Bíblico 254

4 500 PALAVRA VIVA, ESCRITURA PODEROSA PARTE 4 - A PALAVRA INTERPRETADA. HERMENÊUTICA BÍBLICA CAPÍTULO X - A PALAVRA NO DESAFIO DAS INTERPRETAÇÕES: HISTÓRIA DA INTERPRETAÇÃO DA BÍBLIA A Bíblia, primeiro momento hermenêutico de si própria Interpretação das Escrituras no judaísmo Hermenêutica por meio do midrás O Talmude A exegese judaica medieval e moderna Interpretação da Bíblia pelos Padres da Igreja Escola alexandrina e escola antioquena Os Padres latinos A exegese medieval Nos quatro sentidos da Escritura Na lectio divina A exegese na época moderna e contemporânea Do humanismo a Bossuet A hermenêutica bíblica cristã no séc. XVIII Depois do séc. XVIII até aos nossos dias 302 CAPÍTULO XI - A PALAVRA COM SENTIDO PLURAL: A QUESTÃO DOS SENTIDOS DO TEXTO BÍBLICO O sentido literal O sentido literal próprio O sentido literal translato A problemática do «sentido literal» Dois autores, uma mensagem Sentido literal único, vários níveis de sentido Superação do sentido literal bíblico e flutuação da sua designação O sentido Espiritual/cristão do Antigo Testamento Vários modelos de releitura: relações do Antigo Testamento com o Novo Valor próprio do Antigo Testamento A «segunda leitura» do Antigo Testamento feita pela Igreja O «sentido Espiritual» ou cristão dos textos do Antigo Testamento 355 APÊNDICE: O sentido acomodatício 357 CAPÍTULO XII - A PALAVRA LITERÁRIA: MÉTODOS EXEGÉTICOS PARA DETERMINAR O SENTIDO 358 A. Métodos diacrónicos ou histórico-críticos As línguas bíblicas e a crítica textual «Crítica literária» («crítica das fontes») Determinação do género literário Importância desta tarefa hermenêutica 368

5 ÍNDICE Como determinar o género literário A «história das formas» O método em si Reservas ao método Mérito do Método A «história das tradições» Em que consiste? Como funciona? A «história da redacção» Definição e finalidade Prática do método A transmissão oral Conclusão: críticas e valor dos métodos histórico-críticos As críticas O valor irrenunciável 392 B. Métodos sincrónicos Análise retórica Características da retórica bíblica Prática do método Análise narrativa Em que consiste e qual a finalidade? Elementos principais da análise narrativa Análise semiótica Características A estrutura geral da narrativa As funções e os Programas Narrativos A Semiótica e a Bíblia Resultados e reservas Leitura «materialista» e abordagem sociológica Abordagem psicológica e psicanalítica Abordagem «canónica» A proposta Uma crítica A Bíblia na «teologia da libertação» Leitura feminista A tendência Avaliação Leitura fundamentalista 428 Conclusão sobre os métodos exegéticos 431 CAPÍTULO XIII - A PALAVRA VIVA QUE DÁ VIDA: HERMENÊUTICA EXISTENCIAL Princípios antropológicos Trajectória histórica da «hermenêutica viva» da Bíblia A hermenêutica existencial, projecto contemporâneo 434

6 1.3. A Bíblia de outrora para a vida de hoje Hermenêutica existencial e leitura pragmático-linguística Princípios e critérios teológicos Princípio teológico: "leitura da Escritura no Espírito" Critérios teológicos A Palavra de Deus na vida da Igreja A Sagrada Escritura na liturgia A Bíblia na pastoral e na catequese Bíblia e teologia Bíblia e moral A leitura orante da Bíblia: lectio divina 467 CONCLUSÃO FINAL 471 BIBLIOGRAFIA GERAL 473

Propedêutica Bíblica. 11 de Novembro de 2013 Texto Bíblico

Propedêutica Bíblica. 11 de Novembro de 2013 Texto Bíblico Propedêutica Bíblica 11 de Novembro de 2013 Texto Bíblico 24* Este é o discípulo que dá testemunho destas coisas e que as escreveu. E nós sabemos bem que o seu testemunho é verdadeiro. 25 Há ainda muitas

Leia mais

latim se baseava na possibilidade de manter a comunicação entre povos que falavam línguas distintas. Por outro lado, os analfabetos, que constituíam

latim se baseava na possibilidade de manter a comunicação entre povos que falavam línguas distintas. Por outro lado, os analfabetos, que constituíam Sumário Introdução... 7 A Bíblia traduzida... 11 A distância que separa os primeiros leitores dos modernos... 15 Confirmação arqueológica... 19 A exegese e a interpretação da Bíblia... 25 Onde está a vontade

Leia mais

PONTIFÍCIA COMISSÃO BIBLICA. A interpretação da Bíblia na Igreja. 7.ed. São Paulo: Paulinas, 1994.

PONTIFÍCIA COMISSÃO BIBLICA. A interpretação da Bíblia na Igreja. 7.ed. São Paulo: Paulinas, 1994. Introdução Geral a Bíblia Charles Jáder G. da Silva PONTIFÍCIA COMISSÃO BIBLICA. A interpretação da Bíblia na Igreja. 7.ed. São Paulo: Paulinas, 1994. O documento A interpretação da Bíblia na Igreja foi

Leia mais

Sumário. Prefácio, 13. Primeira parte - Fundamentação, 15

Sumário. Prefácio, 13. Primeira parte - Fundamentação, 15 Sumário Prefácio, 13 Primeira parte - Fundamentação, 15 I. A teologia fundamental como ciência teológica básica, 17 1 Teologia como "fala de Deus", 17 1.1 Tipos básicos de teologia, 17 a) A teologia como

Leia mais

Utilização do Nestle-Aland Novum Testamentum Graece (NA 27 )

Utilização do Nestle-Aland Novum Testamentum Graece (NA 27 ) Utilização do Nestle-Aland Novum Testamentum Graece (NA 27 ) Edson de Faria Francisco. São Bernardo do Campo, março de 2014. A Nestle-Aland Novum Testamentum Graece, 27ª edição (NA 27 ) (Stuttgart, 1993),

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES

PERGUNTAS FREQUENTES PERGUNTAS FREQUENTES Em 45 perguntas, apresentamos uma recolha sobre os temas fundamentais que todo o católico deve saber, acerca das Sagradas Escrituras. A REVELAÇÃO 1. O que é a Revelação? A Revelação

Leia mais

A CONFIABILIDADE E A AUTORIDADE DAS ESCRITURAS. Augustus Nicodemus Lopes

A CONFIABILIDADE E A AUTORIDADE DAS ESCRITURAS. Augustus Nicodemus Lopes A CONFIABILIDADE E A AUTORIDADE DAS ESCRITURAS Augustus Nicodemus Lopes O ATAQUE LIBERAL Ataques feitos à Bíblia em nossos dias. O ataque do liberalismo teológico. Johan Solomo Semler (séc. XVIII) distinção

Leia mais

Siglas e Abreviaturas 1Prefácio.. "... ". A Sagrada Escritura de judeus e cristãos (Erich Zenger) Os livros da Torá/do Pentateuco

Siglas e Abreviaturas 1Prefácio.. ... . A Sagrada Escritura de judeus e cristãos (Erich Zenger) Os livros da Torá/do Pentateuco 5(ά7๐๐๐Sumário A в Siglas e Abreviaturas 1Prefácio.. "..... ". A Sagrada Escritura de judeus e cristãos (Erich Zenger) A importância da Biblia judaica para a identidade cristã. 1. O fundamento do cristianismo...

Leia mais

BIBLIOLOGIA IV Epístolas e Apocalipse. Prof. Eloi Pereira dos Santos Faesp Extensão Mairiporã

BIBLIOLOGIA IV Epístolas e Apocalipse. Prof. Eloi Pereira dos Santos Faesp Extensão Mairiporã BIBLIOLOGIA IV Epístolas e Apocalipse Prof. Eloi Pereira dos Santos Faesp Extensão Mairiporã Objetivos da Disciplina Facilitar o estudo, compreensão e o uso adequado da Bíblia. Familiarizar o aluno com

Leia mais

MESTRADO EM TEOLOGIA

MESTRADO EM TEOLOGIA MESTRADO EM TEOLOGIA Edital 2015 Este edital se destina especificamente à seleção de candidatos estrangeiros de países lusófonos para o Mestrado em Teologia, com início em março de 2015. 1. Objetivo O

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO FIL02457 - FILOSOFIA POLÍTICA I (60 h, OBR) O homem e sua ação política. A noção de polis no pensamento grego antigo e seus desdobramentos

Leia mais

Módulo III O que anuncia a Catequese?

Módulo III O que anuncia a Catequese? Módulo III O que anuncia a Catequese? Diocese de Aveiro Objectivos Tomar consciência da realidade complexa do ser humano a quem levamos, hoje, uma Boa Nova. Compreender a importância da Sagrada Escritura

Leia mais

APÓCRIFOS LIVROS APÓCRIFOS. Aula 4 Canônicos e Apócrifos do Novo Testamento. Guilherme A. Wood. Guilherme Wood

APÓCRIFOS LIVROS APÓCRIFOS. Aula 4 Canônicos e Apócrifos do Novo Testamento. Guilherme A. Wood. Guilherme Wood LIVROS APÓCRIFOS Aula 4 Canônicos e Apócrifos do Novo Testamento Guilherme A. Wood Perguntas: Por que a Bíblia contém 27 livros no NT? Por que alguns outros livros despertam o interesse de sites na internet

Leia mais

Bart D. Ehrman é catedrático do departamento de estudos religiosos da Universidade

Bart D. Ehrman é catedrático do departamento de estudos religiosos da Universidade EHRMAN, Bart D. O que Jesus disse? O que Jesus não disse? Rio de Janeiro, Prestígio, 2008. Pedro Paulo A. Funari IFCH/Unicamp http://lattes.cnpq.br/4675987454835364 Bart D. Ehrman é catedrático do departamento

Leia mais

ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORA: uma nova mentalidade

ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORA: uma nova mentalidade ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORA: uma nova mentalidade Tanto o Documento de Aparecida (248) como a Exortação Apostólica Verbum Domini (73) se referem à uma nova linguagem e a um novo passo na questão bíblica:

Leia mais

Evangelhos e atos. Observações

Evangelhos e atos. Observações NOVO TESTAMENTO Muitas vezes e de diversos modos outrora falou Deus aos nossos pais pelos profetas. Ultimamente nos falou por seu Filho (Hebreus 1,1-2) EVANGELHOS E ATOS Evangelhos e atos Os melhores recursos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE TEOLOGIA

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE TEOLOGIA CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE TEOLOGIA Fase Cód. Disciplinas I II III Matriz curricular do Curso de Graduação em Teologia (Vigência a partir

Leia mais

Interpretação Bíblica

Interpretação Bíblica IGREJA ALIANÇA EVANGÉLICA MISSIONÁRIA Interpretação Bíblica Disciplina 17/03/2011 Este material didático, é de grande importância para o estudo em seminário, visando a formação dos futuros líderes e obreiros

Leia mais

COMO SE DEFINE IDENTIDADE JUDAICA NA ANTIGUIDADE? CRÍTICA A PRESSUPOSTOS DA HISTORIOGRAFIA E DA EXEGESE BÍBLICA

COMO SE DEFINE IDENTIDADE JUDAICA NA ANTIGUIDADE? CRÍTICA A PRESSUPOSTOS DA HISTORIOGRAFIA E DA EXEGESE BÍBLICA IDENTIDADES FLUÍDAS NO JUDAÍSMO ANTIGO E NO CRISTIANISMO PRIMITIVO: REVISÃO DE PRESSUPOSTOS, NOVO OLHAR SOBRE AS FONTES NOGUEIRA, Paulo Augusto de Souza 1º Dia Abertura COMO SE DEFINE IDENTIDADE JUDAICA

Leia mais

FACULDADE UNIDA DE VITÓRIA

FACULDADE UNIDA DE VITÓRIA FACULDADE UNIDA DE VITÓRIA Grade e Corpo Docente Informações Sobre o Curso de Graduação em Teologia Bacharelado Presencial Conforme Disposto na Lei Nº. 13.168, de 06 de Outubro de 2015. I - ANO DE OFERTA

Leia mais

A caridade divina em São Tomás de Aquino

A caridade divina em São Tomás de Aquino RICARDO FIGUEIREDO A caridade divina em São Tomás de Aquino segundo o Comentário ao Evangelho de São João Índice Lista de siglas e abreviaturas 9 Prefácio, Professor Doutor José Jacinto Ferreira de Farias

Leia mais

Acesso ao Jesus da História

Acesso ao Jesus da História 2 O Acesso ao Jesus da História Acesso ao Jesus da História A preocupação central da cristologia é o acesso ao Jesus da história. Se as cristologias do NT não são biografias, que acesso temos, então, ao

Leia mais

Métodos Teológicos. Prof. Me. Joerley Cruz

Métodos Teológicos. Prof. Me. Joerley Cruz Prof. Me. Joerley Cruz O objeto e o sujeito... O objeto do método teológico, do estudo teológico é a teologia é sobre quem nos debruçamos, e com imenso respeito, observamos com total cuidado O sujeito

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 049-PROEC/UNICENTRO, DE 27 DE MARÇO DE 2014. Altera o anexo I E II da Resolução nº035- PROEC/UNICENTRO, de 06 de maio de 2013 e aprova o Relatório Final. O PRÓ-REITOR DE EXTENSÃO E CULTURA

Leia mais

Hebraico: Para o Antigo Testamento e Grego: Para o Novo Testamento.

Hebraico: Para o Antigo Testamento e Grego: Para o Novo Testamento. Aluno: Jeorge Sávio CAPÍTULO 1 A Bíblia 1 Atualmente a Bíblia está traduzida em quantas línguas? Hebraico: Para o Antigo Testamento e Grego: Para o Novo Testamento. 2 De onde deriva o termo Bíblia? A palavra

Leia mais

João Duarte Lourenço - Curriculum Vitae

João Duarte Lourenço - Curriculum Vitae João Duarte Lourenço - Curriculum Vitae Nasceu a 3 de Julho de 1948, em Merelim S. Pedro, Concelho e Distrito de Braga. Membro da Ordem Franciscana (OFM), com profissão solene em 1978 e ordenação sacerdotal

Leia mais

Propedêutica Bíblica. 20 de Janeiro de 2014 Bíblia e Magistério

Propedêutica Bíblica. 20 de Janeiro de 2014 Bíblia e Magistério Propedêutica Bíblica 20 de Janeiro de 2014 Bíblia e Magistério ORAÇÃO Hebreus 1 Muitas vezes e de muitos modos, falou Deus aos nossos pais, nos tempos antigos, por meio dos profetas. 2 Nestes dias, que

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA DE FEIRA DE SANTANA. Relatório de Turmas (Individual)

FACULDADE CATÓLICA DE FEIRA DE SANTANA. Relatório de Turmas (Individual) Turma: 1º SEM FIL 08:10 Introdução à Filosofia Metod do Trab Científico Vago WAGNER JULIANO 09:10 Introdução à Filosofia Metod do Trab Científico Prát Pesq Ens Filosofia I WAGNER JULIANO PE. JOÃO EUDES

Leia mais

Ensino Religioso PROBLEMÁTICAS DO ENSINO E DO USO DE MATERIAL DIDÁTICO. Colégio Ibituruna Governador Valadares, MG 19 de outubro de 2016

Ensino Religioso PROBLEMÁTICAS DO ENSINO E DO USO DE MATERIAL DIDÁTICO. Colégio Ibituruna Governador Valadares, MG 19 de outubro de 2016 Ensino Religioso PROBLEMÁTICAS DO ENSINO E DO USO DE MATERIAL DIDÁTICO Colégio Ibituruna Governador Valadares, MG 19 de outubro de 2016 Welder Lancieri Marchini welder.marchini@gmail.com Nossa rota...

Leia mais

NOVAS VISÕES SOBRE JUDAÍSMO ANTIGO New Visions on Ancient Judaism

NOVAS VISÕES SOBRE JUDAÍSMO ANTIGO New Visions on Ancient Judaism NOVAS VISÕES SOBRE JUDAÍSMO ANTIGO New Visions on Ancient Judaism Jonas Machado * STONE, Michael. Ancient Judaism. New Visons and Views. Grand Rapids: Eerdmans, 2011. 242p. Michael Stone oferece neste

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE TEOLOGIA. João Duarte Lourenço - Curriculum Vitae

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE TEOLOGIA. João Duarte Lourenço - Curriculum Vitae UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE TEOLOGIA João Duarte Lourenço - Curriculum Vitae Braga. Nasceu a 3 de Julho de 1948, em Merelim S. Pedro, Concelho e Distrito de Habilitações Académicas: Licenciatura

Leia mais

ARTES E HUMANIDADES Instruções para as Inscrições 2014/2015 (2.º ANO e 3.º ANO)

ARTES E HUMANIDADES Instruções para as Inscrições 2014/2015 (2.º ANO e 3.º ANO) ARTES E HUMANIDADES Instruções para as Inscrições 2014/2015 (2.º ANO e 3.º ANO) Cumprido o tronco comum, para perfazer os 180 créditos ECTS, o aluno pode optar por um ou dois majors, por um major e dois

Leia mais

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO Copyright 2005 - Libreria Editrice Vaticana «Motu Proprio» Introdução PRIMEIRA PARTE - A PROFISSÃO DA FÉ Primeira Secção: «Eu

Leia mais

Centro Universitário Adventista de São Paulo - Campus EC Matriz Curricular do Curso de Letras - Licenciatura

Centro Universitário Adventista de São Paulo - Campus EC Matriz Curricular do Curso de Letras - Licenciatura Centro Universitário Adventista de São Paulo - Campus EC Matriz Curricular do Curso de Letras - Licenciatura Início: 2013 - CONSU 2012-41 de 29/11/2012 I Ano, I Semestre I Ano, II Semestre Teoria e Prática

Leia mais

APÓCRIFOS LIVROS APÓCRIFOS. Aula 1 Introdução. Guilherme A. Wood. Guilherme Wood

APÓCRIFOS LIVROS APÓCRIFOS. Aula 1 Introdução. Guilherme A. Wood. Guilherme Wood LIVROS APÓCRIFOS Aula 1 Introdução Guilherme A. Wood Perguntas: Por que a Bíblia contém estes livros? Por que a Bíblia Católica contém alguns livros a mais? Por que alguns outros livros despertam o interesse

Leia mais

UM PREFÁCIO À BÍBLIA HEBRAICA *

UM PREFÁCIO À BÍBLIA HEBRAICA * steiner vale 10/7/06 14:19 Página 9 UM PREFÁCIO À BÍBLIA HEBRAICA * Aquilo que tendes na mão não é um livro. É o livro. É isso, evidentemente, o que «Bíblia» quer dizer. É ela o livro que, e não apenas

Leia mais

UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO UMESP

UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO UMESP UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO UMESP FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS DA RELIGIÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO DE GUARDIÕES A DEMÔNIOS. A HISTÓRIA DO IMAGINÁRIO DO PNEUMA AKATHARTON

Leia mais

Acesso ao Jesus da História ROSSI & KLINGBEIL

Acesso ao Jesus da História ROSSI & KLINGBEIL Acesso ao Jesus da História 2 O Acesso ao Jesus da História A preocupação central da cristologia é o acesso ao Jesus da história. Se as cristologias do NT não são biografias, que acesso temos, então, ao

Leia mais

Curso Aprendizes do Evangelho 1º Ano. Aula 1 Evolução da Religiosidade através dos tempos

Curso Aprendizes do Evangelho 1º Ano. Aula 1 Evolução da Religiosidade através dos tempos Curso Aprendizes do Evangelho 1º Ano Aula 1 Evolução da Religiosidade através dos tempos Texto para reflexão Pão Nosso Item 41 No Futuro Quem aqui gosta de manga? Prefere comprida ou curta? Evolução da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 02/02/2016 Currículo de Cursos Hora: 10:31:58

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 02/02/2016 Currículo de Cursos Hora: 10:31:58 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 02/02/2016 Currículo de Cursos Hora: 10:31:58 Curso: Licenciatura Dupla em Português e Italiano Nível: Ensino Superior Grau Conferido: Licenciado em Língua

Leia mais

METODOLOGIA CIENTÍFICA. 9ª edição revista CONTRIBUTOS PRÁTICOS PARA A ELABORAÇÃO CARLOS A. MOREIRA AZEVEDO ANA GONÇALVES DE AZEVEDO ...

METODOLOGIA CIENTÍFICA. 9ª edição revista CONTRIBUTOS PRÁTICOS PARA A ELABORAÇÃO CARLOS A. MOREIRA AZEVEDO ANA GONÇALVES DE AZEVEDO ... CARLOS A. MOREIRA AZEVEDO ANA GONÇALVES DE AZEVEDO METODOLOGIA... CIENTÍFICA CONTRIBUTOS PRÁTICOS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÉMICOS 9ª edição revista UNIVERSIDADE CATÓLICA EDITORA LISBOA 2008 SUMÁRIO

Leia mais

O Sistema de Classificação da Biblioteca, a CDU

O Sistema de Classificação da Biblioteca, a CDU O Sistema de Classificação da Biblioteca, a CDU O que é a CDU A Classificação Decimal Universal CDU) é um esquema internacional de classificação de documentos. Baseia-se no conceito de que todo o conhecimento

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS EMENTAS DO CURSO DE FILOSOFIA Currículo Novo (a partir de 2010/1) NÍVEL I HISTÓRIA DA FILOSOFIA ANTIGA Reflexão acerca da transição do pensamento mítico ao filosófico. Estudo de problemas, conceitos e

Leia mais

ORIGEM DO CRISTIANISMO. Igreja é uma realidade histórica e, portanto passível de ser estudada sob o ponto de vista da objetividade científica.

ORIGEM DO CRISTIANISMO. Igreja é uma realidade histórica e, portanto passível de ser estudada sob o ponto de vista da objetividade científica. ORIGEM DO CRISTIANISMO Igreja é uma realidade histórica e, portanto passível de ser estudada sob o ponto de vista da objetividade científica. ORIGEM DO CRISTIANISMO O que começa com cristo não é a salvação,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 02/02/2016 Currículo de Cursos Hora: 10:11:47

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 02/02/2016 Currículo de Cursos Hora: 10:11:47 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 02/02/2016 Currículo de Cursos Hora: 10:11:47 Curso: Licenciatura Dupla em Português e Espanhol Nível: Ensino Superior Grau Conferido: Licenciado em Lingua

Leia mais

MESTRADO EM TEOLOGIA

MESTRADO EM TEOLOGIA MESTRADO EM TEOLOGIA Edital 2013/01 Este edital se destina especificamente a candidatos ao Mestrado em Teologia, com início em março de 2012. 1.Objetivo O Programa de Mestrado em Teologia visa o desenvolvimento

Leia mais

ÍNDICE ÍNDICE. Apresentação... 3 O USO DO LIVRO DA LITURGIA DAS HORAS. O que é a liturgia das horas... 6 As edições da liturgia das horas...

ÍNDICE ÍNDICE. Apresentação... 3 O USO DO LIVRO DA LITURGIA DAS HORAS. O que é a liturgia das horas... 6 As edições da liturgia das horas... ÍNDICE ÍNDICE Apresentação... 3 O USO DO LIVRO DA LITURGIA DAS HORAS O que é a liturgia das horas... 6 As edições da liturgia das horas... 6 O CONTEÚDO DO LIVRO DA LITURGIA DAS HORAS 1. Os nomes deste

Leia mais

PADRES APOLOGISTAS, APOSTÓLICOS E CONTROVERSISTAS... PROFESSOR UILSON FERNANDES 19/09/2016

PADRES APOLOGISTAS, APOSTÓLICOS E CONTROVERSISTAS... PROFESSOR UILSON FERNANDES 19/09/2016 PADRES APOLOGISTAS, APOSTÓLICOS E CONTROVERSISTAS... PROFESSOR UILSON FERNANDES 19/09/2016 DEFINIÇÕES CONCEITUAIS... O nome patrística advém diretamente das figuras desse grande primeiro momento da Filosofia

Leia mais

2º bimestre 1ª série 12 - Era Medieval Formação e consolidação da Igreja Caps. 3.2, 3.3 e 7. Roberson de Oliveira Roberson de Oliveira

2º bimestre 1ª série 12 - Era Medieval Formação e consolidação da Igreja Caps. 3.2, 3.3 e 7. Roberson de Oliveira Roberson de Oliveira 2º bimestre 1ª série 12 - Era Medieval Formação e consolidação da Igreja Caps. 3.2, 3.3 e 7 Roberson de Oliveira Roberson de Oliveira 1 Igreja na Era Medieval Importância: 1. Único poder universal. 2.

Leia mais

INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA Turma I - 3as e 5as feiras, às 8 h

INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA Turma I - 3as e 5as feiras, às 8 h UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA Disciplina: INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA Turma I - 3as e 5as feiras, às 8 h Professor: Prof. Dr. Sergio B. F. Tavolaro sergiotavolaro@unb.br

Leia mais

E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É me dado todo o poder no céu e na terra.

E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É me dado todo o poder no céu e na terra. Casas Abertas Estudos Diversos Batismo O batismo cristão é uma de duas ordenanças que Jesus instituiu para a igreja: E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É me dado todo o poder no céu e na terra.

Leia mais

Que é Teologia Prática? De onde surge essa disciplina? É uma disciplina ou um conjunto delas? Quais são os fundamento da Teologia Prática?

Que é Teologia Prática? De onde surge essa disciplina? É uma disciplina ou um conjunto delas? Quais são os fundamento da Teologia Prática? TEOLOGIA PRÁTICA: DEFINIÇÕES, HISTÓRICO E MÉTODO Que é Teologia Prática? De onde surge essa disciplina? É uma disciplina ou um conjunto delas? Quais são os fundamento da Teologia Prática? NOVO TESTAMENTO

Leia mais

CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas. Estudo da Teologia E Metodologia Teológica

CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas. Estudo da Teologia E Metodologia Teológica CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas Estudo da Teologia E Metodologia Teológica INTRODUÇÃO 1 - Vivemos tempos difíceis para a fé e portanto para a Teologia. Porém este desafio é nosso,

Leia mais

Catálogo. Série de Livros de Sumários da Licenciatura de Filologia Germânica

Catálogo. Série de Livros de Sumários da Licenciatura de Filologia Germânica Catálogo Série de Livros de Sumários da Licenciatura de Filologia Germânica Nível de Descrição Designação Datas de Produção Alemão I 1978/1/3-1978/6/9 Língua Alemã III 1979/12/17-1980/6/19 Língua Alemã

Leia mais

CALENDÁRIO ACADÊMICO 2017 SEMINÁRIO TEOLÓGICO SERVO DE CRISTO. Período de Matrícula para o primeiro semestre: 07/11/ /01/2017

CALENDÁRIO ACADÊMICO 2017 SEMINÁRIO TEOLÓGICO SERVO DE CRISTO. Período de Matrícula para o primeiro semestre: 07/11/ /01/2017 CALENDÁRIO ACADÊMICO 2017 SEMINÁRIO TEOLÓGICO SERVO DE CRISTO (O STSC se reserva o direito de alterar conteúdos, datas e horários se necessário) Período de Matrícula para o primeiro semestre: 07/11/2016-31/01/2017

Leia mais

EM QUE PERSPECTIVA NASCE A REVISTA

EM QUE PERSPECTIVA NASCE A REVISTA EM QUE PERSPECTIVA NASCE A REVISTA PERSPECTIVA TEOLÓGICA nasce no ano em que a Faculdade de Teologia Cristo Rei, de São Leopoldo, completa seu vigésimo aniversário de funcionamento como faculdade e se

Leia mais

HISTÓRIA DA IGREJA. Prof. GUILHERME WOOD. APOSTILA NO SITE:

HISTÓRIA DA IGREJA. Prof. GUILHERME WOOD. APOSTILA NO SITE: HISTÓRIA DA IGREJA Prof. GUILHERME WOOD APOSTILA NO SITE: http://www.ibcu.org.br/apostilas/historiaigreja.pdf Primitiva Imperial Medieval Escolastic Reforma Moderna Contemporânea Linha do Tempo: História

Leia mais

Pastor Juan Carlos Ortiz em seu livro diz:

Pastor Juan Carlos Ortiz em seu livro diz: Vemos que hoje até mesmo os pastores protestantes já começam a enxergar que o protestantismo não é uma doutrina que realmente está indo nos ensinamentos de Jesus e já existem alguns que defendam o Papa

Leia mais

Introdução e visão geral da história, estrutura e teologia do AT. Jörg Garbers Ms. de Teologia

Introdução e visão geral da história, estrutura e teologia do AT. Jörg Garbers Ms. de Teologia Introdução e visão geral da história, estrutura e teologia do AT Jörg Garbers Ms. de Teologia Introdução a literatura e a pesquisa da Tora e dos profetas anteriores III Jörg Garbers Ms. de Teologia Conteúdo

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS-IRATI (Currículo iniciado em 2009) LETRAS-PORTUGUÊS

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS-IRATI (Currículo iniciado em 2009) LETRAS-PORTUGUÊS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS-IRATI (Currículo iniciado em 2009) LETRAS-PORTUGUÊS DIDÁTICA 0545/I C/H 68 A didática e o ensino de línguas. O planejamento e a avaliação escolar no processo

Leia mais

a n a o n s o s d o d o C on o c n í c l í i l o i o V a V t a ic i a c n a o n o I I

a n a o n s o s d o d o C on o c n í c l í i l o i o V a V t a ic i a c n a o n o I I 1962-20122012 50 anos do Concílio Vaticano II Temos um passado nublado em relação ao uso e à leitura da Palavra de Deus. A Reforma Protestante e o Concílio de Trento (1545) evitaram que a Bíblia chegasse

Leia mais

No contexto da fé cristã, a teologia não é o estudo de Deus como algo abstrato, mas é o estudo do Deus pessoal revelado na Escritura.

No contexto da fé cristã, a teologia não é o estudo de Deus como algo abstrato, mas é o estudo do Deus pessoal revelado na Escritura. Franklin Ferreira No contexto da fé cristã, a teologia não é o estudo de Deus como algo abstrato, mas é o estudo do Deus pessoal revelado na Escritura. Necessariamente isso inclui tudo o que é revelado

Leia mais

Princípios para uma Catequese Renovada. Eu vim para que tenham a vida Jo 10,10

Princípios para uma Catequese Renovada. Eu vim para que tenham a vida Jo 10,10 Princípios para uma Catequese Renovada Eu vim para que tenham a vida Jo 10,10 Por que Renovada? Podemos renovar o que ainda não existe? Como renovar? Introdução A renovação atual da catequese nasceu para

Leia mais

As epístolas de João e de Judas

As epístolas de João e de Judas FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro I Cristianismo e Espiritismo Módulo II O Cristianismo As epístolas de João e de Judas Roteiro 18 Objetivo Analisar, à luz do

Leia mais

Edição nº 01 Julho/ Agosto/ Setembro 2005

Edição nº 01 Julho/ Agosto/ Setembro 2005 BROWN, Raymond Edward. Introdução ao Novo Testamento, trad. Paulo F. Valério. São Paulo: Paulinas, 2004 Coleção Bíblia e História. Série Maior, 1135 pp. Julio Fontana "Embora o título Introdução ao Novo

Leia mais

A Historicidade da Bíblia

A Historicidade da Bíblia A Historicidade da Bíblia O livro mais lido, traduzido e distribuído do mundo desde as suas origens, foi considerada sagrada e de grande importância. 1. Introdução 2. Cânon Bíblico 3. O antigo Testamento

Leia mais

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2016/2017 DEPARTAMENTO DE PASTORAL DISCIPLINA: EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO DE 7º ANO

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2016/2017 DEPARTAMENTO DE PASTORAL DISCIPLINA: EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO DE 7º ANO 1º PERÍODO UL1 - As origens ÉTICA E MORAL Calendarização - 26 aulas A. Construir uma chave de leitura religiosa Os dados da ciência sobre a origem do Diálogo com os alunos, relacionado da pessoa, da vida

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 02/02/2016 Currículo de Cursos Hora: 10:05:33

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 02/02/2016 Currículo de Cursos Hora: 10:05:33 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 02/02/2016 Currículo de Cursos Hora: 10:05:33 Curso: Lic. em Lingua Port. e Literat. de Lingua Port. - Noturno Nível: Ensino Superior Grau Conferido: Licenciado

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO MESTRADO DISCIPLINA: SOCIEDADE E CULTURA DOS CRISTIANISMOS ORIGINÁRIOS Profa. Dra. IVONI RICHTER REIMER 2010/1

Leia mais

CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Prof. Elcio Cecchetti

CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Prof. Elcio Cecchetti CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA Prof. Elcio Cecchetti elcio.educ@terra.com.br ENSINO RELIGIOSO? Como? Outra vez? O quê? Por quê? Para quê? O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA PÚBLICA DO PASSADO

Leia mais

PARTE I O MISTÉRIO, O ESPAÇO E OS MINISTROS I.

PARTE I O MISTÉRIO, O ESPAÇO E OS MINISTROS I. ÍNDICE GERAL Uma palavra do autor... p. 3 Lista de abreviatura... p. 7 PARTE I O MISTÉRIO, O ESPAÇO E OS MINISTROS I. Por amor a Liturgia A importância de se amar a Liturgia... n. 1 Necessidade de deixar

Leia mais

EXPOSIÇÃO BÍBLICA TEMÁTICA:

EXPOSIÇÃO BÍBLICA TEMÁTICA: EXPOSIÇÃO BÍBLICA TEMÁTICA: Exposição inspirada no texto bíblico e na vida e obra de Jesus Cristo, enquanto pessoa que conhece o sofredor e o sofrimento. No âmbito de um protocolo de parceria assinado

Leia mais

SUMÁRIO. Prefácio da série Prefácio Abreviações... 23

SUMÁRIO. Prefácio da série Prefácio Abreviações... 23 Prefácio da série... 15 Prefácio... 19 Abreviações... 23 1. Os gêneros do Pentateuco... 25 LEI... 25 A natureza da Torá... 26 A lei depois de Moisés... 30 Abordagens históricas à lei... 31 A Interpretação

Leia mais

COMPOSIÇÃO CURRICULAR SERIADO ANUAL TURNO DIURNO I ANO HORAS/ANO CARGA HORÁRIA SEMANAL

COMPOSIÇÃO CURRICULAR SERIADO ANUAL TURNO DIURNO I ANO HORAS/ANO CARGA HORÁRIA SEMANAL Universidade Estadual da Paraíba UEPB - Campus I Campina Grande Curso de Licenciatura Plena em Filosofia Resolução de Aprovação do Projeto Pedagógico UEPB/CONSEPE/024/2006 Carga horária alterada de 33h

Leia mais

Utilização do BibleWorks NA 27

Utilização do BibleWorks NA 27 Utilização do BibleWorks NA 27 Edson de Faria Francisco. São Bernardo do Campo, março de 2014. 1. Introdução O software BibleWorks é um programa para todos aqueles que trabalham com textos bíblicos. O

Leia mais

6LET062 LINGUAGEM E SEUS USOS A linguagem verbal como forma de circulação de conhecimentos. Normatividade e usos da linguagem.

6LET062 LINGUAGEM E SEUS USOS A linguagem verbal como forma de circulação de conhecimentos. Normatividade e usos da linguagem. HABILITAÇÃO: BACHARELADO EM ESTUDOS LITERÁRIOS 1ª Série 6LET063 LINGUAGEM COMO MANIFESTAÇÃO ARTÍSTICA Linguagem como manifestação artística, considerando os procedimentos sócio-históricos e culturais.

Leia mais

Fiéis em cristo. Direitos e deveres dos fiéis leigos. Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015

Fiéis em cristo. Direitos e deveres dos fiéis leigos. Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015 Fiéis em cristo Direitos e deveres dos fiéis leigos Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015 A igreja Necessidade de se fazer a distinção quando usamos o termo IGREJA. Quando falamos em

Leia mais

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ Aviso importante! Esta disciplina é uma propriedade intelectual de uso exclusivo e particular do aluno da Saber e Fé, sendo proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo, exceto em breves citações

Leia mais

Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política

Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política S u m á r i o Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política CAPÍTULO I Filosofia do Direito I: O Conceito de Justiça, O Conceito de Direito, Equidade, Direito e Moral...3 I. O conceito

Leia mais

LICENCIATURA EM LÍNGUA PORTUGUESA E RESPECTIVAS LITERATURAS

LICENCIATURA EM LÍNGUA PORTUGUESA E RESPECTIVAS LITERATURAS LICENCIATURA EM LÍNGUA PORTUGUESA E RESPECTIVAS LITERATURAS Curso 1/20H Ingresso a partir de 2011/1 Fundamentos dos Estudos Literários Codicred: 12224-04 NÍVEL I Ementa: Funções da literatura. Discurso

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 03/04 PLANIFICAÇÃO ANUAL 3º CICLO EDUCAÇÃO MORAL RELIGIOSA CATÓLICA (EMRC)- 8ºANO Documento(s) Orientador(es): Programa de EMRC,aprovado pela Comissão

Leia mais

A BÍBLIA É A PALAVRA DE DEUS

A BÍBLIA É A PALAVRA DE DEUS 01 Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO.. Manual sobre a História da Filosofia Medieval:

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO.. Manual sobre a História da Filosofia Medieval: 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Departamento de Filosofia. Site: www.fil.ufes.br. Manual sobre a História da Filosofia Medieval: www.unisi.it/ricerca/prog/fil-med-online/index.htm PROGRMA DA DISCIPLINA

Leia mais

TEORIA DA LINGUAGEM O REALISMO - NORMAN GEISLER. vivendopelapalavra.com. Revisão e diagramação por: Helio Clemente

TEORIA DA LINGUAGEM O REALISMO - NORMAN GEISLER. vivendopelapalavra.com. Revisão e diagramação por: Helio Clemente TEORIA DA LINGUAGEM O REALISMO - NORMAN GEISLER vivendopelapalavra.com Revisão e diagramação por: Helio Clemente REALISMO: UMA ALTERNATIVA AO ESSENCIALISMO E AO CONVENCIONALISMO A visão convencionalista

Leia mais

EVANGELISMO. Uma ideia nada popular. razão externa: religião como fenômeno particular. razão interna: confusão entre evangelismo e proselitismo

EVANGELISMO. Uma ideia nada popular. razão externa: religião como fenômeno particular. razão interna: confusão entre evangelismo e proselitismo EVANGELISMO Uma ideia nada popular razão externa: religião como fenômeno particular razão interna: confusão entre evangelismo e proselitismo O QUE EVANGELISMO NÃO É? Não é um convite para ir uma reunião

Leia mais

preciso à situação dos hagiógrafos, a seus recursos literários, a seu condicionamento cultural, e a seu contexto sociopolítico. Em consequência, sabem

preciso à situação dos hagiógrafos, a seus recursos literários, a seu condicionamento cultural, e a seu contexto sociopolítico. Em consequência, sabem Trevijano Etcheverría, Ramón. A Bíblia no Cristianismo antigo. Pré-nicenos, Gnósticos, Apócrifos. Introdução ao Estudo da Bíblia, vol. 10 (trad.). São Paulo: Editora Ave Maria, 2009, 23 x 16 cm, 404 p.

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 6 semestres. Prof. Dr. Jaimir Conte

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 6 semestres. Prof. Dr. Jaimir Conte Habilitação: Bacharelado e Licenciatura em Filosofia Documentação: jetivo: Titulação: Diplomado em: Renovação Atual de Reconhecimento - Port. nº286/mec de 21/12/12-DOU 27/12/12.Curso reconhecido pelo Decr.

Leia mais

1.1 Recuperar a comunidade (Base do Antigo Israel); 1.2 A nova experiência de Deus: o Abbá (Oração e escuta comunitária da Palavra);

1.1 Recuperar a comunidade (Base do Antigo Israel); 1.2 A nova experiência de Deus: o Abbá (Oração e escuta comunitária da Palavra); Uma nova paróquia Introdução DA: Conversão Pastoral Escolha de outro caminho; Transformar a estrutura paroquial retorno a raiz evangélica; Jesus: modelo (vida e prática); Metodologia: Nele, com Ele e a

Leia mais

5 Conclusão. 1 BLOCH, M., Apologia da História ou Ofício do Historiador, p. 60.

5 Conclusão. 1 BLOCH, M., Apologia da História ou Ofício do Historiador, p. 60. 5 Conclusão Os textos bíblicos comportam uma série de limitações intrínsecas, pois são filhos de seu tempo. Eles foram escritos em determinado momento histórico e em determinadas circunstâncias que influenciaram

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO CATEQUÉTICA PARNAÍBA

ESPECIALIZAÇÃO CATEQUÉTICA PARNAÍBA ESPECIALIZAÇÃO CATEQUÉTICA PARNAÍBA 23-24/0102017 Pe. João Paulo PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ PARÓQUIA E CATECUMENATO LINHAS DE AÇÃO DA CATEQUESE PAROQUIAL A URGÊNCIA DE UMA RENOVAÇÃO PAROQUIAL A

Leia mais

Conclusão LIÇÃO 3 - A FORMAÇÃO DE OBREIROS Introdução I - A função principal dos ministérios de Efesios 4:11 II. O Discipulado Intensivo III - A

Conclusão LIÇÃO 3 - A FORMAÇÃO DE OBREIROS Introdução I - A função principal dos ministérios de Efesios 4:11 II. O Discipulado Intensivo III - A ESCOLA DE PROFETA APRENDENDO A ARTE DA PREGAÇÃO GILDEMAR DOS SANTOS Vitoria da Conquista-BA, 2016 SUMÁRIO LIÇÃO N 1 - TEOLOGIA DA MISSÃO DA IGREJA 1 - INTRODUÇÃO 2 - AS MISSÕES MODERNAS E A FORMAÇÃO DO

Leia mais

A evangelização é uma parte importante e fundamental da fé e vida cristã.

A evangelização é uma parte importante e fundamental da fé e vida cristã. A evangelização é uma parte importante e fundamental da fé e vida cristã. Uma missão irrenunciável da igreja como um todo e do cristão particularmente. O QUE É INDISPENSÁVEL PARA A EVANGELIZAÇÃO? Conversão

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE TEOLOGIA CENTRO DE ESTUDOS RELIGIÕES E CULTURAS CURSO DE HISTÓRIA E CULTURA BÍBLICA Memória Identidade Conflito IX Módulo LITERATURA JUDAICA EXTRABÍBLICA Dos

Leia mais

URI:http://hdl.handle.net/ /24471

URI:http://hdl.handle.net/ /24471 [Recensão a] Norbert Lohfink - Lobgesaenge der Armen Autor(es): Publicado por: URL persistente: Ramos, José Augusto Instituto Oriental da Universidade de Lisboa URI:http://hdl.handle.net/10316.2/24471

Leia mais

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ Aviso importante! Esta matéria é uma propriedade intelectual de uso exclusivo e particular do aluno da Saber e Fé, sendo proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo, exceto em breves citações

Leia mais

Ensino Superior: Exigências e Competências de. Novembro de Magda Pinheiro

Ensino Superior: Exigências e Competências de. Novembro de Magda Pinheiro Ensino Superior: Exigências e Competências de Aprendizagem Novembro de 2010 Magda Pinheiro Competências de Escrita Académica Objectivos da sessão: Perceber a importância da escrita no contexto académico;

Leia mais

REFORMA PROTESTANTE. 1- CONTEXTO HISTÓRICO: 1.1- Início do século XVI no Norte da Europa.

REFORMA PROTESTANTE. 1- CONTEXTO HISTÓRICO: 1.1- Início do século XVI no Norte da Europa. REFORMA PROTESTANTE 1- CONTEXTO HISTÓRICO: 1.1- Início do século XVI no Norte da Europa. 1.2- Processo final de formação das monarquias nacionais absolutistas. 1.3- Grandes navegações: transformações econômicas,

Leia mais

Introdução. à Bíblia

Introdução. à Bíblia Introdução à Bíblia Pr. Kenneth Eagleton Escola Teológica Batista Livre (ETBL) Campinas, SP 2012 1 Oitava Lição Traduções da Bíblia As línguas originais O Antigo Testamento foi originalmente escrito na

Leia mais

MINISTÉRIO DE FORMAÇÃO RCCBRASIL

MINISTÉRIO DE FORMAÇÃO RCCBRASIL MINISTÉRIO DE FORMAÇÃO RCCBRASIL WORKSHOP ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO 2013 Recordando o papel da formação na RCC O Ministério de Formação surgiu da necessidade de formação permanente daqueles que estão

Leia mais