3.3 Guião de visita de estudo ao Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3.3 Guião de visita de estudo ao Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso"

Transcrição

1 3.3 Guião de visita de estudo ao Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso 1 O museu Panorâmica do antigo convento dominicano de S. Gonçalo, em Amarante, onde se encontra instalado o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso Então chamado Biblioteca-Museu Municipal de Amarante, o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso foi fundado, em 1947, pelo Dr. Albano Sardoeira, com o propósito de reunir materiais relativos à História local, bem como a figuras da arte e da literatura nascidas em Amarante. Citam-se os nomes de António Carneiro, Amadeo de Souza-Cardoso, que daria o nome ao Museu, Acácio Lino, Teixeira de Pascoaes e Agustina Bessa-Luís. O edifício que acolhe o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso é o antigo convento dominicano de S. Gonçalo, que data dos séculos XVII-XVIII. Depois de algumas alterações sofridas no século XIX, que desvirtuaram a área dos claustros, coube ao arquiteto Alcino Soutinho, já em 1980, uma intervenção sumamente revalorizadora daquele espaço. Aí ficaram instaladas, em excelentes condições de luminosidade, as salas que albergam o espólio do Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso. Para além do importante núcleo de Arqueologia de que dispõe, o Museu mostra-se vocacionado para a Arte Portuguesa Moderna e Contemporânea, nomeadamente a Pintura e a Escultura. Desde 1997, que o museu amarantino é responsável pela organização do concurso de atribuição do Grande Prémio Amadeo de Souza-Cardoso. Exterior e interiores da área intervencionada pelo arquiteto Alcino Soutinho 26

2 Guião de visita de estudo ao Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso 2 Os objetivos da visita de estudo Caracterizar o modernismo artístico português. Analisar o percurso artístico de Amadeo de Souza-Cardoso. Desenvolver as competências de observação, análise e comunicação, através do conhecimento do património histórico, artístico e arquitetónico. Sensibilizar para a preservação do património histórico-cultural. Promover o trabalho individual e/ou de grupo e a sociabilidade entre alunos e docentes. 3 Amadeo de Souza-Cardoso e o modernismo em Portugal Amadeo de Souza-Cardoso nasce em Manhufe, concelho de Amarante, a 14 de Novembro de 1887, numa família de abastados vinhateiros. Depois dos estudos liceais na cidade do Tâmega e da frequência do curso de Arquitetura da Academia de Belas Artes de Lisboa, em 1905, ruma para Paris no ano seguinte. Em Paris, cedo troca a Arquitetura pela Pintura. Cedo, também, rompe com os preceitos que se aprendiam nas mais prestigiadas escolas. O convívio com nomes que haveriam de ficar na História da Arte, como Modigliani, Juan Gris, R. Delaunay e Brancusi, e o talento indesmentível de que deu provas unem-se para produzir o maior nome da pintura modernista em Portugal. Logo em 1913, Amadeo é reconhecido pela crítica, recebendo convite para participar no afamado Armory Show de Nova Iorque. Vende três quadros, que hoje pertencem ao Art Institut de Chicago. Regressado a Portugal quando rebenta a 1.ª Grande Guerra, Amadeo refugia-se na casa da família, em Manhufe, com a sua jovem esposa, Lucia Pecetto, que conhecera em Paris. Trabalha a um ritmo voraz, aplica as tendências vanguardistas absorvidas na cidade-luz. Em 1916, expõe em Lisboa e no Porto, mas depara-se com a incompreensão da crítica e Amadeo de Souza-Cardoso do público. Entrevistado pelo jornal O Dia, no rescaldo das exposições, Amadeo declarou: impressionista, cubista, futurista, abstracionista? de tudo um pouco. De facto, a vasta obra pictórica do artista revela-se multifacetada: do desenho estilizado à pesquisa cubista, da via abstracionista ao compromisso expressionista, da revolução futurista ao nonsense dadaísta, de tudo experimenta Amadeo. Amadeo com Lucia Pecetto, a mulher com quem se casou em 1914 Cabeçalho da entrevista a Amadeo, publicada em O Dia,

3 Ceifado pela pneumónica em 25 de outubro de 1918, quando se preparava para voltar a Paris, Amadeo é, pela sua carreira, breve mas tão intensa, comparado a um cometa que atravessou as artes. Almada Negreiros considerou-o a primeira descoberta de Portugal na Europa do século XX! Apesar do entusiasmo dos modernistas, durante largo tempo a obra de Amadeo ficaria esquecida na posse da família e da viúva, que regressou a Paris. Só nos anos 50, e muito em particular devido aos estudos de José Augusto França, historiador e crítico de arte, Amadeo obteria a consagração merecida. Posteriormente, negociações levadas a cabo entre a Fundação C. Gulbenkian e Lucia P. Souza-Cardoso, que durante todos esses anos zelara com devoção pela obra do marido, permitiram que a maior parte do espólio artístico de Amadeo possa ser devidamente apreciado no Centro de Arte Moderna, em Lisboa. 4 No pouco tempo que o destino lhe permite viver em Portugal ( ), Amadeo contribui para o amadurecimento do modernismo português. Priva com Eduardo Viana e o casal Delaunay, instalados em Vila do Conde. Entabula contactos com o grupo do Orpheu, especialmente com Almada Negreiros. Um terceiro número da revista, que não chegou a sair, contava com obras suas. Participa no Portugal Futurista, apreendido pela polícia à saída da tipografia, hoje considerado a peça fundamental do movimento futurista português. Abstração, óleo sobre tela (c.1913) A Máscara do Olho Verde/Cabeça, óleo sobre tela (1915) A Casa de Manhufe, óleo sobre madeira (c. 1913) Atividades 1. Distinga dois estilos arquitetónicos no edifício que alberga o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso. 2. Selecione três obras pictóricas naturalistas presentes no Museu. Identifique o seu autor. 3. Atente, agora, na obra de Amadeo S aliente a diversidade de correntes vanguardistas que é possível vislumbrar nos vários quadros R edija uma síntese subordinada ao título: Amadeo, um modernista português. 4. Aprecie o contributo de outros artistas que, no século XX, se aventuraram em percorrer novos caminhos na arte. Selecione três obras e respetivos autores. 5. Identifique a obra de arte modernista que mais o impressionou. Justifique a sua escolha. 28

4 Guião de visita de estudo ao Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso 5 Ainda em Amarante Para além do Museu Municipal, Amarante e os seus arredores apresentam outros pontos de interesse: A ponte de S. Gonçalo Esta ponte setecentista sobre o rio Tâmega define, juntamente com a Igreja Matriz, o centro histórico de Amarante. Casa de Pascoaes Esta quinta com solar, onde residiu Teixeira de Pascoaes, possui um museu com o espólio do poeta. Situa-se em São João de Gatão. Fundação Eça de Queiroz Na fundação Eça de Queiroz fica-se a conhecer melhor a vida e a obra deste escritor português, da segunda metade do século XIX. Situa-se na Casa de Tormes (freguesia de Santa Cruz do Bispo, concelho de Baião), que serviu de cenário ao romance A Cidade e as Serras. Vila Romana de Tongóbriga Este sítio arqueológico alberga uma cidade romanizada dos séculos I e II, considerada Monumento Nacional em Doçaria tradicional Os doces conventuais, associados aos mosteiros da região, constituem também um património da região do Tâmega. A Igreja Matriz ou Igreja de S. Gonçalo Na sacristia, apresenta-se S. Gonçalo, que a devoção popular diz favorecer os casamentos de mulheres a quem o noivo tarda em aparecer. 29

5 Guião de visita de estudo ao Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso Aula de preparação e motivação para a visita Exploração de alguns dos seguintes recursos: Documentário Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, disponível no Youtube ou no endereço eletrónico Documentário Amadeo de Souza-Cardoso À velocidade da inquietação emitido na RTP 2, disponível no Youtube ou no endereço eletrónico Apresentação de trabalhos dos alunos sobre algumas das obras e respetivos artistas a conhecer no Museu. Aula de avaliação da visita Correção das atividades realizadas pelos alunos no decorrer da visita. Informações úteis Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso Avenida Teixeira de Pascoaes Amarante-Portugal

Os três principais pintores da chamada (e como tal historicamente fixada) «primeira geração» do modernismo português (em anos 10 e 20) foram Eduardo

Os três principais pintores da chamada (e como tal historicamente fixada) «primeira geração» do modernismo português (em anos 10 e 20) foram Eduardo I Os três principais pintores da chamada (e como tal historicamente fixada) «primeira geração» do modernismo português (em anos 10 e 20) foram Eduardo Viana (1881-1967), Amadeo de Souza-Cardoso (1887-1918)

Leia mais

Museu Nacional da Arte Antiga

Museu Nacional da Arte Antiga Museu Nacional da Arte Antiga Índice 1. Horários e localização: 2. Ingresso 3. História do museu 4. Informações acerca do museu 5. As 10 obras de referência do MNAA 6. Coleções 1 - Horário e Localização

Leia mais

ARTES 9 ANO PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL

ARTES 9 ANO PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL ARTES 9 ANO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª GABRIELA DACIO CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia - Corpo, movimento e linguagem na era da informação. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula

Leia mais

Em 2016, viaje até aos Paradores mais apreciados pelos Amigos de Paradores em 2015

Em 2016, viaje até aos Paradores mais apreciados pelos Amigos de Paradores em 2015 Em 2016, viaje até aos Paradores mais apreciados pelos Amigos de Paradores em 2015 Segunda, 25 Janeiro, 2016 Paradores Parador de Santo Estevo Parador de Santiago de Compostela Parador de Melilla Parador

Leia mais

A iniciação à fé cristã das crianças de hoje - da teologia à pedagogia

A iniciação à fé cristã das crianças de hoje - da teologia à pedagogia ONDE MORAS? Ilustração de Capa, Madalena Matoso, 2009 ONDE MORAS? UMA PROPOSTA Tópicos para a intervenção inicial Maria da Conceição Moita A iniciação à fé cristã das crianças de hoje - da teologia à pedagogia

Leia mais

Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund

Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund Freud, que mostram a importância do inconsciente na

Leia mais

Vanguardas Históricas I

Vanguardas Históricas I Vanguardas Históricas I As transformações do início do século XX e as vanguardas históricas Os avanços da ciência realizados a partir do século XIX mudaram a percepção da realidade e conduziram, no campo

Leia mais

Ed. Ellug, 1992. 1 EMERY, Bernard L Humanisme Luso-tropical selon José Maria Ferreira de Castro, Grenoble,

Ed. Ellug, 1992. 1 EMERY, Bernard L Humanisme Luso-tropical selon José Maria Ferreira de Castro, Grenoble, 100 Cartas a Ferreira de Castro, selecção, apresentação e notas por Ricardo António Alves; Sintra, Câmara Municipal de Sintra Gabinete de Estudos Históricos e Documentais Museu Ferreira de Castro, 1992

Leia mais

MUSEU DO AZULEJO APRESENTAÇÃO

MUSEU DO AZULEJO APRESENTAÇÃO MUSEU DO AZULEJO APRESENTAÇÃO O Museu Nacional do Azulejo tem por missão recolher, conservar, estudar e divulgar exemplares representativos da evolução da Cerâmica e do Azulejo em Portugal, promovendo

Leia mais

E S C O L A S E C U N D Á R I A D A T R O F A 13 DE FEVEREIRO H I S T Ó R I A E C U L T U R A D A S A R T E S A NO L E T I V O 2 0 1 4 / 1 5

E S C O L A S E C U N D Á R I A D A T R O F A 13 DE FEVEREIRO H I S T Ó R I A E C U L T U R A D A S A R T E S A NO L E T I V O 2 0 1 4 / 1 5 E S C O L A S E C U N D Á R I A D A T R O F A VISITA DE ESTUDO A LISBOA 13 DE FEVEREIRO H I S T Ó R I A E C U L T U R A D A S A R T E S A NO L E T I V O 2 0 1 4 / 1 5 R E L AT Ó R I O D E V I S I TA D

Leia mais

Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13

Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13 Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Adoção (32 V4.08) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social,

Leia mais

Serviços de Informação e Documentação Avenida das Forças Armadas 1649-026 Lisboa Tel: 217903024 Fax: 217903025 URL: http://biblioteca.iscte.

Serviços de Informação e Documentação Avenida das Forças Armadas 1649-026 Lisboa Tel: 217903024 Fax: 217903025 URL: http://biblioteca.iscte. Serviços de Informação e Documentação Avenida das Forças Armadas 1649-026 Lisboa Tel: 217903024 Fax: 217903025 URL: http://biblioteca.iscte.pt E-mail: biblioteca@iscte.pt Com a actividade Arte na Biblioteca

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 524/VIII ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE ANCEDE, NO CONCELHO DE BAIÃO, À CATEGORIA DE VILA. I Contributo histórico

PROJECTO DE LEI N.º 524/VIII ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE ANCEDE, NO CONCELHO DE BAIÃO, À CATEGORIA DE VILA. I Contributo histórico PROJECTO DE LEI N.º 524/VIII ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE ANCEDE, NO CONCELHO DE BAIÃO, À CATEGORIA DE VILA I Contributo histórico Ancede, população que sé estende ao longo do rio Douro, tem raízes históricas

Leia mais

MI - NEW ART CONCEPT AVENIDA 25 DE ABRIL, Nº672, LOJA F 2750-512 CASCAIS PORTUGAL

MI - NEW ART CONCEPT AVENIDA 25 DE ABRIL, Nº672, LOJA F 2750-512 CASCAIS PORTUGAL MI - NEW ART CONCEPT AVENIDA 25 DE ABRIL, Nº672, LOJA F 2750-512 CASCAIS PORTUGAL MI - NEW ART CONCEPT A Galeria MI (Magia Imagem) iniciou a sua actividade em 1996, junto à Av. de Roma, em Lisboa, onde

Leia mais

Prova Escrita de História da Cultura e das Artes

Prova Escrita de História da Cultura e das Artes EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de História da Cultura e das Artes 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 724/1.ª Fase 15 Páginas Duração da Prova:

Leia mais

JORNAL DA EREBAS. Editorial. Quem foi Vergílio Ferreira? Lançamento do JORNAL DA EREBAS!

JORNAL DA EREBAS. Editorial. Quem foi Vergílio Ferreira? Lançamento do JORNAL DA EREBAS! 1 JORNAL DA EREBAS (Escola de Referência para a Educação Bilingue de Alunos Surdos) V O L U M E 1, E D I Ç Ã O 1 I 6 D E Z E M B R O 2 0 1 5 Trimestral JORNAL DA EREBAS Escola Secundária Vergílio Ferreira

Leia mais

WORKSHOPS Jovens dos 12 aos 15 anos

WORKSHOPS Jovens dos 12 aos 15 anos VERÃO 2011 WORKSHOPS Jovens dos 12 aos 15 anos Oficina de BD Neste workshop não se faz apenas banda desenhada: faz-se um fanzine de banda desenhada! Vamos criar uma história com base no teu imaginário

Leia mais

Concurso Arte na Capa 2011

Concurso Arte na Capa 2011 Concurso Arte na Capa 2011 Roteiro de participação O Concurso Arte na Capa 2011 terá como atividade principal o exercício de releitura dos grandes movimentos artísticos, tendo como tema paisagens naturais

Leia mais

QUINTA DO ANJO EM IMAGENS,

QUINTA DO ANJO EM IMAGENS, Separata do boletim do Museu Municipal de Palmela nº10 QUINTA DO ANJO EM IMAGENS, NOS 80 ANOS DA FREGUESIA Comemora-se, em 2008, o 80º aniversário da criação das freguesias de Pinhal Novo e Quinta do Anjo.

Leia mais

PRÁTICAS EDUCATIVAS E APRENDIZAGENS FORMAIS E INFORMAIS: ENCONTROS ENTRE CIDADE, ESCOLA E FORMAÇÃO DE PROFESSORES

PRÁTICAS EDUCATIVAS E APRENDIZAGENS FORMAIS E INFORMAIS: ENCONTROS ENTRE CIDADE, ESCOLA E FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRÁTICAS EDUCATIVAS E APRENDIZAGENS FORMAIS E INFORMAIS: ENCONTROS ENTRE CIDADE, ESCOLA E FORMAÇÃO DE PROFESSORES Bravo Nico Universidade de Évora 1. INTRODUÇÃO Aprendemos em qualquer circunstância. Aprendemos

Leia mais

PORTUGAL EMOTIONS CASA DA CALDEIRA

PORTUGAL EMOTIONS CASA DA CALDEIRA TURISMO REGIÃO CENTRO 2014 PORTUGAL EMOTIONS CASA DA CALDEIRA Enoturismo Sabores da Rolha ROTEIRO TURÍSTICO Z. CENTRO Sabores da Rolha propõe uma visita a uma região rica em diversidade cultural e paisagística

Leia mais

xposição Pintura "outras formas de olhar" outubro2008 galeria municipal exposição colectiva Câmara Municipal de Sobral de Monte Agraço

xposição Pintura outras formas de olhar outubro2008 galeria municipal exposição colectiva Câmara Municipal de Sobral de Monte Agraço exposição colectiva "outras formas de olhar" Maria Emília Milheiro Teresa Rodarte xposição Pintura Lucinda Barrinha Manuela Reis outubro2008 galeria municipal Câmara Municipal de Sobral de Monte Agraço

Leia mais

BOAS PRÁTICAS PROGRAMA ESCOLHAS

BOAS PRÁTICAS PROGRAMA ESCOLHAS BOAS PRÁTICAS PROGRAMA ESCOLHAS TUTORIAL DE APOIO BOAS PRÁTICAS PROGRAMA ESCOLHAS NESTE DOCUMENTO PODERÁS INSPIRAR-TE EM ALGUNS BONS EXEMPLOS DE PROJETOS DESENVOLVIDOS NO ÂMBITO DO PROGRAMA ESCOLHAS, ASSIM

Leia mais

OS MEMBROS DA MINHA FAMÍLIA

OS MEMBROS DA MINHA FAMÍLIA NOME OS MEMBROS DA MINHA FAMÍLIA ESTABELEÇO RELAÇÕES DE PARENTESCO : avós, pais, irmãos, tios, sobrinhos Quem pertence à nossa família? Observa as seguintes imagens. Como podes observar, nas imagens estão

Leia mais

A Direção Municipal da Cultura dispõe de um conjunto de exposições e de apresentações multimédia, sobre diversos temas, que poderá disponibilizar

A Direção Municipal da Cultura dispõe de um conjunto de exposições e de apresentações multimédia, sobre diversos temas, que poderá disponibilizar A Direção Municipal da Cultura dispõe de um conjunto de exposições e de apresentações multimédia, sobre diversos temas, que poderá disponibilizar através de empréstimo, a instituições, nomeadamente, de

Leia mais

Entrevista ao Diretor

Entrevista ao Diretor Dr. João Valsassina Colégio Valsassina - Lisboa Entrevista ao Diretor Dr. João Valsassina, agradecemos o tempo que nos concedeu para esta entrevista e, mais geralmente, a abertura que o Colégio Valsassina

Leia mais

Exposição patente na Casa da Cultura de Santannna, ao Sitio do Barreiro, até ao dia 14 de Janeiro de 2011.

Exposição patente na Casa da Cultura de Santannna, ao Sitio do Barreiro, até ao dia 14 de Janeiro de 2011. Exposição patente na Casa da Cultura de Santannna, ao Sitio do Barreiro, até ao dia 14 de Janeiro de 2011. ALICE SOUSA DALILA CUNHA GRAÇA ALMADA MARCO SOUSA A exposição colectiva COMPOSIÇÕES é a concretização

Leia mais

EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX

EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX História da Arte Profª Natalia Pieroni IDADE CONTEMPORÂNEA LINHA DO TEMPO - HISTORIOGRAFIA Período PRÉ-HISTÓRIA Origens do homem até 40000 a. C IDADE ANTIGA 40000

Leia mais

Resgate da Memória ANO 2, Nº 4. ABR.2015

Resgate da Memória ANO 2, Nº 4. ABR.2015 116 A história de uma cidade pode ser contada de diversas maneiras: por meio de livros, vídeos, sons e a partir de histórias passadas de gerações em gerações. Nesta seção, a Revista buscou uma maneira

Leia mais

BOLSAS DE ESTUDO PARA APERFEIÇOAMENTO EM MÚSICA REGULAMENTO. DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º

BOLSAS DE ESTUDO PARA APERFEIÇOAMENTO EM MÚSICA REGULAMENTO. DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º BOLSAS DE ESTUDO PARA APERFEIÇOAMENTO EM MÚSICA REGULAMENTO DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º 1. Com o fim de estimular a valorização profissional e a especialização nos diversos domínios da Música, a Fundação

Leia mais

ATELIER-MUSEU JÚLIO POMAR. Em Torno do Acervo Abril a Setembro 2013 Serviço Educativo. coordenação / documentação Teresa Santos

ATELIER-MUSEU JÚLIO POMAR. Em Torno do Acervo Abril a Setembro 2013 Serviço Educativo. coordenação / documentação Teresa Santos ATELIER-MUSEU JÚLIO POMAR Em Torno do Acervo Abril a Setembro 2013 Serviço Educativo coordenação / documentação Teresa Santos O Atelier-Museu Júlio Pomar é um espaço dedicado à conservação, ao estudo e

Leia mais

MESTRADO EM ARTES VISUAIS INTERMÉDIA ESCOLA DE ARTES DAVD 01/08 MESTRADO ARTES VISUAIS INTERMÉDIA 2010-2012

MESTRADO EM ARTES VISUAIS INTERMÉDIA ESCOLA DE ARTES DAVD 01/08 MESTRADO ARTES VISUAIS INTERMÉDIA 2010-2012 MESTRADO EM ARTES VISUAIS INTERMÉDIA ESCOLA DE ARTES DAVD 01/08 MESTRADO ARTES VISUAIS EM INTERMÉDIA 2010-2012 MESTRADO EM ARTES VISUAIS INTERMÉDIA ESCOLA DE ARTES DAVD 02/08 ORGANIZAÇÃO Universidade de

Leia mais

Despertar os sentidos!

Despertar os sentidos! Despertar os sentidos! Tudo o que conhecemos chega-nos, de uma forma ou de outra, através de sensações sobre as realidades que nos rodeiam. Esta consciência sensorial pode e deve ser estimulada! Quanto

Leia mais

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Eng. Mário Lino. Cerimónia de Abertura do WTPF-09

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Eng. Mário Lino. Cerimónia de Abertura do WTPF-09 INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Eng. Mário Lino Cerimónia de Abertura do WTPF-09 Centro de Congressos de Lisboa, 22 de Abril de 2009 (vale a versão

Leia mais

Semana de Arte Moderna

Semana de Arte Moderna Semana de Arte Moderna 8º Ano 4º Bimestre 2015 Professor Juventino Introdução Ano foi marcado de 1922 por grandes mudanças na política e na cultura. Transformações no mundo. 1º centenário da independência.

Leia mais

AGENDA DE FEVEREIRO 2013

AGENDA DE FEVEREIRO 2013 AGENDA DE FEVEREIRO 2013 Exposições temporárias 08 fevereiro a 08 março Exposição Walking all alone de Almerinda Pereira Walking all alone insere-se na série vermelha da artista e caracteriza-se pelo recurso

Leia mais

1. Pateo do Collegio conhecia não conhecia não responderam 16 18 0. 1. Pateo do Collegio gostei não gostei não responderam 33 0 1

1. Pateo do Collegio conhecia não conhecia não responderam 16 18 0. 1. Pateo do Collegio gostei não gostei não responderam 33 0 1 1. Pateo do Collegio conhecia conhecia 16 18 0 1. Pateo do Collegio gostei gostei 33 0 1 Pateo do Collegio 3% Pateo do Collegio gostei 0% conhecia 53% conhecia 47% gostei 97% Por quê? Aprendi mais sobre

Leia mais

O Museu dos Terceiros é um museu de arte sacra, reaberto ao público em 2008 após obras significativas de restauro.

O Museu dos Terceiros é um museu de arte sacra, reaberto ao público em 2008 após obras significativas de restauro. Atividades do Serviço 2012/2013 1 O é um museu de arte sacra, reaberto ao público em 2008 após obras significativas de restauro. O Serviço e de Comunicação do Museu proporciona diversas atividades destinadas

Leia mais

Prova Escrita de História da Cultura e das Artes

Prova Escrita de História da Cultura e das Artes EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de História da Cultura e das Artes 11.º/12.º Anos de Escolaridade Prova 724/2.ª Fase 14 Páginas Duração da Prova:

Leia mais

Férias de Verão no Museu da CARRIS Semanas Temáticas Expressão Plástica Expressão Corporal Expressão Musical

Férias de Verão no Museu da CARRIS Semanas Temáticas Expressão Plástica Expressão Corporal Expressão Musical A ação educativa nas Semanas Temáticas do Museu da CARRIS é vocacionada para crianças e jovens adolescentes. Propõe a realização de atividades lúdicas e interativas que estimulem o pensamento, sensações

Leia mais

ÍNDICE: 1. Introdução. 1. - Caracterização do meio 2. - Caracterização do espaço ATL... 2. - Caracterização do grupo. 3

ÍNDICE: 1. Introdução. 1. - Caracterização do meio 2. - Caracterização do espaço ATL... 2. - Caracterização do grupo. 3 ÍNDICE: 1. Introdução. 1 2. CONTEXTUALIZAÇÃO - Caracterização do meio 2 - Caracterização do espaço ATL... 2 3. Grupo - Caracterização do grupo. 3 - Caracterização da equipa/horário. 3 4. OBJETIVOS: - Objetivos

Leia mais

O Barroco no Brasil. Capitulo 11

O Barroco no Brasil. Capitulo 11 O Barroco no Brasil Capitulo 11 O Barroco no Brasil se desenvolveu do século XVIII ao início do século XIX, época em que na Europa esse estilo já havia sido abandonado. Um só Brasil, vários Barrocos O

Leia mais

I CFD. Área: ARTE Série: 6º ANO 1º TRIMESTRE ARTE VISUAL

I CFD. Área: ARTE Série: 6º ANO 1º TRIMESTRE ARTE VISUAL Série: 6º ANO 1º TRIMESTRE ARTE VISUAL. Arte Rupestre. Arte Africana. Arte Indígena Brasileira Valorizar o(s) autor (es) dos objetos culturais apreciados, conhecendo aspectos de suas principais obras;

Leia mais

FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN

FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN REGULAMENTO DE BOLSAS DE PÓS-GRADUAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO PARA ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA OFICIAL PORTUGUESA E DE TIMOR-LESTE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artº 1º 1. Com o objetivo de estimular a Investigação

Leia mais

Breve Apontamento Biográfico

Breve Apontamento Biográfico Breve Apontamento Biográfico José Rodrigues de Sucena No 80º. Aniversário do seu Falecimento 15.Abril.2005 Conde de Sucena. Quem foi? O que fez? Quando? Serão perguntas que as próximas gerações farão,

Leia mais

5 Dias. Preços desde: Porto sem Barreiras

5 Dias. Preços desde: Porto sem Barreiras 5 Dias Preços desde: 440 Porto sem Barreiras Conhecer a cidade do Porto com calçada, grandes desníveis e espaços muito pouco preparados para pessoas de mobilidade reduzida pode tornar-se um verdadeiro

Leia mais

Sobre o sentido das deliberações adoptadas cabe informar:

Sobre o sentido das deliberações adoptadas cabe informar: Nota Informativa do da 3/2016 Reunião de 7 de Abril de 2016 Aos sete dias do mês de Abril do ano de 2016, pelas 09.30 horas, na sala 1037 do Edifício da Escola de Direito, reuniu, com carácter ordinário,

Leia mais

SÉRIE 7: Trabalho. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. Jean-François Millet As respigadeiras 1857 Óleo sobre tela.

SÉRIE 7: Trabalho. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. Jean-François Millet As respigadeiras 1857 Óleo sobre tela. 27 The Bridgeman Art Library SÉRIE 7: Trabalho Jean-François Millet As respigadeiras 1857 Óleo sobre tela. 28 Ministério da Cultura e Endesa Brasil apresentam: Arteteca:lendo imagens (PRONAC 09-7945).

Leia mais

Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos - «Almada, Cidade Educadora»

Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos - «Almada, Cidade Educadora» Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos - «Almada, Cidade Educadora» 1. Disposições Gerais A Câmara Municipal de Almada promove o «Concurso Jovens Talentos 2012 - Almada, Cidade Educadora» com

Leia mais

VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA

VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA Em seu sentido literal, vanguarda (vem do francês Avant Garde, guarda avante ) faz referência ao batalhão militar que precede as tropas em ataque durante

Leia mais

Centro de Arqueologia de Almada Actividades de Educação Patrimonial. Campo de Simulação Arqueológica

Centro de Arqueologia de Almada Actividades de Educação Patrimonial. Campo de Simulação Arqueológica Centro de Arqueologia de Almada Actividades de Educação Patrimonial Facilitar a apropriação de memórias colectivas pelas novas gerações. O departamento pedagógico do Centro de Arqueologia de Almada, vocacionado

Leia mais

Projecto Anual com Escolas Ano lectivo 2010/2011

Projecto Anual com Escolas Ano lectivo 2010/2011 Projecto Anual com Escolas Ano lectivo 2010/2011 1. Enquadramento O Serviço Educativo da Casa das Histórias Paula Rego é entendido como um sector de programação que visa uma mediação significativa entre

Leia mais

XVIII BIENAL INTERNACIONAL DE ARTE DE CERVEIRA. 18 de julho a 19 de setembro de 2015. Regulamento do Concurso Internacional

XVIII BIENAL INTERNACIONAL DE ARTE DE CERVEIRA. 18 de julho a 19 de setembro de 2015. Regulamento do Concurso Internacional XVIII BIENAL INTERNACIONAL DE ARTE DE CERVEIRA 18 de julho a 19 de setembro de 2015 Regulamento do Concurso Internacional I INTRODUÇÃO O desenvolvimento de objetivos nacionais e internacionais, a atualização

Leia mais

Centenário sobre a implantação da República Câmara Municipal de Sesimbra. Fevereiro

Centenário sobre a implantação da República Câmara Municipal de Sesimbra. Fevereiro Centenário sobre a implantação da República Câmara Municipal de Sesimbra Fevereiro Dia 19 sex 21.00 Conferências da Liga. Centenário da República Os últimos anos da monarquia em Portugal Da transição da

Leia mais

Eduardo Branco, presidente da APAN. É preciso. regressar. ao consumo. Pág. 30

Eduardo Branco, presidente da APAN. É preciso. regressar. ao consumo. Pág. 30 Eduardo Branco, presidente da APAN É preciso regressar ao consumo Pág. 30 Fátima de Sousa jornalista fs@briefing.pt "A quadratura do círculo é sermos mais eficientes, ou seja, conseguirmos fazer mais com

Leia mais

Tiago Feijoo Natureza científica

Tiago Feijoo Natureza científica Tiago Feijoo Natureza científica Agosto Setembro Tiago Feijoo Natureza científica Pintura científica por Tiago Feijoo O interesse do Tiago pelo conhecimento médico-científico é previsível, dada a sua incansável

Leia mais

Compreendendo o espaço

Compreendendo o espaço Módulo 1 Unidade 2 Compreendendo o espaço Para início de conversa... A forma como você se locomove na cidade para ir de um lugar a outro tem a ver com as direções que você toma e com o sentido para o qual

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7 5. Propostas

Leia mais

CURRICULUM VITAE. - Licenciada em História pela Universidade Lusíada no ano lectivo de 1989/90, com a classificação de catorze valores

CURRICULUM VITAE. - Licenciada em História pela Universidade Lusíada no ano lectivo de 1989/90, com a classificação de catorze valores CURRICULUM VITAE 1. DADOS PESSOAIS Lucinda Maria Correia Lucas dos Santos Lopes Data de Nascimento: 20.07.1963 2. HABILITAÇÕES LITERÁRIAS - Licenciada em História pela Universidade Lusíada no ano lectivo

Leia mais

Folha Informativa nº 84

Folha Informativa nº 84 Folha Informativa nº 84 Visita de Estudo e Institucional da Delegação Centro da AACDN ao Concelho de Pombal em 27-10-2012 Conforme o programado, realizou-se, no passado dia 27/10/2012 (Sábado), a visita

Leia mais

18 abril 2014 dia Internacional dos MONUMENTOS. e SÍTIOS. lugares de. memória

18 abril 2014 dia Internacional dos MONUMENTOS. e SÍTIOS. lugares de. memória 18 abril 2014 dia Internacional dos MONUMENTOS e SÍTIOS lugares de memória O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios foi criado pelo ICOMOS a 18 de abril de 1982 e aprovado pela UNESCO no ano seguinte.

Leia mais

Violações das regras do ordenamento do território Habitação não licenciada num parque natural. 11-07-2011 EFA S13 Pedro Pires

Violações das regras do ordenamento do território Habitação não licenciada num parque natural. 11-07-2011 EFA S13 Pedro Pires Violações das regras do ordenamento do território Habitação não licenciada num parque natural 11-07-2011 EFA S13 Pedro Pires CLC UFCD6 Pedro Pires Processo nº21359 EFA S13 Violações das regras do ordenamento

Leia mais

COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO. Aluno (a): Série:

COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO. Aluno (a): Série: COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO Aluno (a): Série: Nº. Data: / /2012 Professor(a): Rosilene Ardengui 7º Ano CALIGRAFIA TÉCNICA OU

Leia mais

Livro de Nuno Afonso CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES. 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8

Livro de Nuno Afonso CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES. 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8 CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8 Apresentação do livro de Nuno Baptista-Afonso Nuno Baptista-Afonso nasceu em Mirandela, em 1979, mas é um Alfandeguense, pois aqui foi

Leia mais

Regulamento do Concurso de Desenho de Natureza e Desenho Científico alusivo à Biodiversidade de Vila Real

Regulamento do Concurso de Desenho de Natureza e Desenho Científico alusivo à Biodiversidade de Vila Real Regulamento do Concurso de Desenho de Natureza e Desenho Científico alusivo à Biodiversidade de Vila Real 1.ª edição 2014 Página 1 5 Regulamento do Concurso de Desenho de Natureza e Desenho Científico

Leia mais

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES. Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES. Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo 2 CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Habilidades: - Conhecer e distinguir diferentes momentos

Leia mais

Arte partilhada Redes Sem Mar 100 Anos de Arte Portuguesa

Arte partilhada Redes Sem Mar 100 Anos de Arte Portuguesa Arte partilhada 1 Arte partilhada Arte Partilhada é um conjunto de exposições itinerantes que expõem o património artístico do Millenium bcp. É o contributo direto do Millenium bcp no enriquecimento artístico

Leia mais

Ciências / TIC na Escola Dimensões de Cidadania. Adelina Machado João Carlos Sousa

Ciências / TIC na Escola Dimensões de Cidadania. Adelina Machado João Carlos Sousa Ciências / TIC na Escola Dimensões de Cidadania Adelina Machado João Carlos Sousa Ser cidadão hoje... é algo de complexo... integra na construção da sua identidade duas dimensões: uma referente às pertenças

Leia mais

PROJETO SARAU SABERES E SABORES

PROJETO SARAU SABERES E SABORES PROJETO SARAU SABERES E SABORES JUSTIFICATIVA Em Parintins, o acesso ao livro e a leitura é bastante limitado. Este Município tem apenas uma Biblioteca Pública e uma livraria (LUPA), há as bibliotecas

Leia mais

Caracterização da Escola

Caracterização da Escola 28 O CORDEL DOS TIRADENTES Flávia Helena Pontes Carneiro* helena.flavia@gmail.com *Graduada em Pedagogia, Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, Professora

Leia mais

O Dia Mundial da Poesia comemora-se a 21 de março, tendo sido criado na 30ª Conferência Geral da UNESCO realizada a 16 de novembro de 1999.

O Dia Mundial da Poesia comemora-se a 21 de março, tendo sido criado na 30ª Conferência Geral da UNESCO realizada a 16 de novembro de 1999. O Dia Mundial da Poesia comemora-se a 21 de março, tendo sido criado na 30ª Conferência Geral da UNESCO realizada a 16 de novembro de 1999. A data visa fazer uma reflexão sobre a livre criação de ideias

Leia mais

Um lugar de encontro...sempre!

Um lugar de encontro...sempre! Caro(a) leitor(a) e amigo(a), Um lugar de encontro...sempre! Num mês que se adivinha frio, a Biblioteca surge como uma alternativa, onde pode disfrutar de momentos bem passados, num local aconchegante

Leia mais

Vila Nova de Gaia, 12 a 16 de Março 2012

Vila Nova de Gaia, 12 a 16 de Março 2012 Vila Nova de Gaia, 12 a 16 de Março 2012 Nesta semana fomos os anfitriões. Alguns dos nossos parceiros chegaram no dia anterior ao previsto, 11 de Março e após receção no aeroporto, viajamos de metro até

Leia mais

OFERTA DE PUBLICAÇÕES DE SERRALVES REGULAMENTO DE CANDIDATURA. 1. Enquadramento

OFERTA DE PUBLICAÇÕES DE SERRALVES REGULAMENTO DE CANDIDATURA. 1. Enquadramento OFERTA DE PUBLICAÇÕES DE SERRALVES REGULAMENTO DE CANDIDATURA 1. Enquadramento A Fundação de Serralves é uma instituição de utilidade pública que tem como missão sensibilizar e interessar o público para

Leia mais

Externato Académico. Projeto Educativo

Externato Académico. Projeto Educativo Externato Académico Projeto Educativo 2015-2018 Índice 1. Introdução... 3 2. Caracterização... 4 2.1. Recursos materiais e educativos... 5 3. Princípios orientadores... 7 3.1.Missão, Visão, Objetivos e

Leia mais

O REGISTRO COMO INSTÂNCIA DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR

O REGISTRO COMO INSTÂNCIA DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR Título do artigo: O REGISTRO COMO INSTÂNCIA DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR Área: Educação Infantil Selecionadora: Heloisa Magri 16ª Edição do Prêmio Victor Civita Educador Nota 10 1 O registro do professor tem

Leia mais

Raimundo Cela um mestre brasileiro

Raimundo Cela um mestre brasileiro CARTA DO SETOR EDUCATIVO MAB/FAAP ÀS ESCOLAS Exposição Raimundo Cela um mestre brasileiro Ação Educativa entre 12 de junho e 24 de julho de 2016 Raimundo Cela, Jangada rolando para o mar, 1950. Óleo sobre

Leia mais

Quem Foi Pablo Picasso?

Quem Foi Pablo Picasso? FICHA Nº3 Pablo PICASSO Quem Foi Pablo Picasso? Você está para conhecer como surgiram os desenhos, pinturas e esculturas de Picasso. Quem foi esse homem? Picasso era um homem baixinho, gordo e muito inteligente.

Leia mais

Biblioteca Municipal António Botto. Serviço de Bibliotecas. Divisão do Conhecimento e Intervenção Comunitária. Município de Abrantes

Biblioteca Municipal António Botto. Serviço de Bibliotecas. Divisão do Conhecimento e Intervenção Comunitária. Município de Abrantes Serviço de Bibliotecas Divisão do Conhecimento e Intervenção Comunitária Município de Abrantes Programação de abril de 2016 CADERNOS DE VIAGEM DE ABRANTES DESENHO, LITERATURA, FOTOGRAFIA, VIDEO, JORNALISMO,

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas Visita de estudo Geografia Conhecer o funcionamento de uma unidade industrial; Reconhecer a importância da atividade industrial na economia. Geografia e Alunos do 9º Ano Unidade Industrial 2ºPeríodo Visita

Leia mais

RELATÓRIO. Oficina de Formação

RELATÓRIO. Oficina de Formação RELATÓRIO Oficina de Formação Exploração e construção de situações de aprendizagem da matemática com programação em Scratch no pré escolar e no 1º ciclo do ensino básico Formadores: Miguel Figueiredo e

Leia mais

1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19

1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19 1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19 Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim 17% não 83% 2. O que achou da transformação do Largo de Pinheiros? Diferente, muito

Leia mais

Ação Campos Eletromagnéticos - Escola Secundária de Ponte de Lima Clipping

Ação Campos Eletromagnéticos - Escola Secundária de Ponte de Lima Clipping Ação Campos Eletromagnéticos - Escola Secundária de Ponte de Lima Clipping Revista de Imprensa 1. REN e Sociedade Portuguesa de Física promovem aula prática sobre campos eletromagnéticos para alunos de

Leia mais

HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I

HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I União Educacional do Norte Faculdade Uninorte Professora: Edinete Oliveira Arquiteta e Urbanista Tema: A ignorância da Arquitetura & As várias idades do

Leia mais

FICHA DE PERCURSO PROFISSIONAL E DE FORMAÇÃO

FICHA DE PERCURSO PROFISSIONAL E DE FORMAÇÃO FICHA DE PERCURSO PROFISSIONAL E DE FORMAÇÃO NRP / (A atribuir pelo IEFP) UNIDADE ORGÂNICA RECEPTORA Data de Recepção - - Técnicos Responsáveis: O Técnico Receptor PREENCHER ESTA PÁGINA COM LETRAS MAIÚSCULAS

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA Avaliação Da Prática Docente A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA PRÁTICA DOCENTE Autora: Maria Peregrina de Fátima Rotta Furlanetti Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Estadual

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7

Leia mais

DOSSIER FESTA DO VINHO E PRODUTOS REGIONAIS 2006-2011

DOSSIER FESTA DO VINHO E PRODUTOS REGIONAIS 2006-2011 FESTA DO VINHO PRODUTOS REGIONAIS & TURISMO DOSSIER FESTA DO VINHO E PRODUTOS REGIONAIS 2006-2011 Índice Parcerias 3 Breve Caracterização 4 Edição 2011 5 Edição 2010 7 Edição 2009 9 Edição 2008 10 Edição

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CAMPO MAIOR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CAMPO MAIOR 1. Promover o espírito solidário e de voluntariado; desenvolvimento cultural e científico dos alunos; tomar contacto com realidades museológicas Visita às exposições sobre o lince e Projeto de Arte 2ª

Leia mais

SESSÃO DE ABERTURA DA XVII ASSEMBLEIA GERAL DO CONSELHO MUNDIAL DAS CASAS DOS AÇORES

SESSÃO DE ABERTURA DA XVII ASSEMBLEIA GERAL DO CONSELHO MUNDIAL DAS CASAS DOS AÇORES SESSÃO DE ABERTURA DA XVII ASSEMBLEIA GERAL DO CONSELHO MUNDIAL DAS CASAS DOS AÇORES Hilmar, Califórnia, 29 de Agosto de 2014 Intervenção do Presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro Começo

Leia mais

readquire a alegria de viver. O incrível universo do jardim fortalece a amizade entre as crianças e traz de volta o sorriso ao rosto do senhor Craven.

readquire a alegria de viver. O incrível universo do jardim fortalece a amizade entre as crianças e traz de volta o sorriso ao rosto do senhor Craven. O JARDIM SECRETO Introdução ao tema Mais que um simples romance sobre a descoberta de um lugar proibido, O jardim secreto revela o fascínio dos primeiros contatos com a natureza e a importância que ela

Leia mais

Concurso Escolar O que é ser jovem num país lusófono?

Concurso Escolar O que é ser jovem num país lusófono? Concurso Escolar O que é ser jovem num país lusófono? Regulamento Artigo 1º (Natureza e objetivos) 1. A Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, doravante designada ULHT, institui o concurso

Leia mais

QUERES ENT PARA O MER REGISTO NACIONAL DE MEMBROS ESTUDANTES. Membros Estudantes Os estudantes do último ano do 1.º ciclo, dos cursos

QUERES ENT PARA O MER REGISTO NACIONAL DE MEMBROS ESTUDANTES. Membros Estudantes Os estudantes do último ano do 1.º ciclo, dos cursos REGISTO NACIONAL DE MEMBROS ESTUDANTES Membros Estudantes Os estudantes do último ano do 1.º ciclo, dos cursos de Engenharia registados na OET, podem fazer a sua inscrição na Ordem, na qualidade de membro

Leia mais

ENSINO PRÉ-ESCOLAR. Visitas orientadas À descoberta do MCCB

ENSINO PRÉ-ESCOLAR. Visitas orientadas À descoberta do MCCB Serviço educativo 2014 2015 ENSINO PRÉ-ESCOLAR Visitas orientadas À descoberta do MCCB 1h00 2.50 * Conhecem a história da Batalha? Com esta visita, percorreremos os caminhos da história desta terra e destas

Leia mais

Daniel. -, 30% de professores estrangeiros e 30% termos de trabalho e desenvolvimento, quer. feita desta forma?

Daniel. -, 30% de professores estrangeiros e 30% termos de trabalho e desenvolvimento, quer. feita desta forma? Daniel Bessa assinala no entanto que «esta maior proximidade é apenas um ponto de partida, tudo dependendo, no finai, do posicionamento e da capacidade das escolas, e de quem as dirige». Esta entrevista

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Por que foca?

APRESENTAÇÃO. Por que foca? APRESENTAÇÃO Por que foca? O foca, jornalista iniciante, tem grande dificuldade de encontrar um guia entre os textos técnicos publicados no Brasil. Com a pauta lhe queimando as mãos, ele se inquieta: por

Leia mais

Nadir ou a pintura como pura sugestão

Nadir ou a pintura como pura sugestão Nadir ou a pintura como pura sugestão Na história da arte do século XX em Portugal, o nome de Nadir Afonso ascende, merecidamente, ao mais alto cume, e a passagem do tempo apenas o vem confirmando. Não

Leia mais

Formadores (1º ano) Locais das oficinas. Data limite de inscrições

Formadores (1º ano) Locais das oficinas. Data limite de inscrições Sementes para a Criatividade É uma acção de formação constituída por duas oficinas, uma de escrita criativa e outra de artes plásticas, em que se prevê: a criação de uma narrativa ilustrada que será submetida

Leia mais

Município de Vila Nova de Poiares Câmara Municipal. Regulamento de Beneficiação de Pequenos Espaços do Domínio Público

Município de Vila Nova de Poiares Câmara Municipal. Regulamento de Beneficiação de Pequenos Espaços do Domínio Público Município de Vila Nova de Poiares Câmara Municipal Regulamento de Beneficiação de Pequenos Espaços do Domínio Público Nota Justificativa A beneficiação e promoção dos pequenos espaços do domínio público

Leia mais