OPORTUNIDADES PARA EMPRESAS DE MINAS GERAIS EM PORTUGAL MISSÃO MG OURÉM

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OPORTUNIDADES PARA EMPRESAS DE MINAS GERAIS EM PORTUGAL MISSÃO MG OURÉM"

Transcrição

1 OPORTUNIDADES PARA EMPRESAS DE MINAS GERAIS EM PORTUGAL MISSÃO MG OURÉM

2 MINAS GERAIS x PORTUGAL PANORAMA INTERNACIONAL INTERCÂMBIO COMERCIAL COM PORTUGAL Brasil Exportações US$ 822 Mi Minas Gerais Exportações US$ 48 Mi Exportação Brasileira Alimentos e bebidas 32% Outros 16% Couro e calç. 3% Madeira 4% Matalurgia 10% Brasil Importações US$ 810Mi Minas Gerais Importações US$ 10 Mi Saldo Comercial US$ 12Mi Saldo Comercial US$ 38 Mi PARTICIPAÇÃO MG NAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS EM 2015 Máq. e ap. mecânicos Combustí veis 25% Prod. Químicos 10% Alimentos e Bebidas Importação Brasileira Não metálicos 4% Outros 17% Eletroeletr ônicos 6% Alimentos e bebidas 41% Máq. e equipame ntos 7% Total 67,0% 12,5% 6,7% 1,7% 5,8% Combustí veis 13% Mat. de transporte 12% INTERCÂMBIO COMERCIAL MINAS GERAIS 2015 EXPORTAÇÃO US$ FOB (Mil) Part % Alimentos ,3 Café, chá e mate ,6 Produtos Mecânicos ,8 Motores ,1 Produtos Metalúrgicos ,6 Ferro/aço ,5 Outros ,2 Total IMPORTAÇÃO 2015 US$ FOB (Mil) Part % Alimentos ,5 Peixes e crustáceos ,4 Máq. e aparelhos mecânicos ,6 Reatores nucleares, caldeiras e máquinas 973 9,7 Produtos Têxteis ,1 Tecidos de malha 469 4,7 Tecidos impregnados, revestido 467 4,6 Produtos Metalúrgicos ,2 Ferramentas/artefatos de cutelaria 622 6,2 Outros ,5 Total ,0 Prod. Metalúrgicos Prod. químicos Fonte: MDIC, 2016

3 PRODUTOS POTENCIAIS ALIMENTOS E BEBIDAS Quadrante 2 Alta Oportunidade Outras preparações e conservas de carne Sucos de frutas Águas Cachaça Quadrante 1 Muito alta Oportunidade Café em grão Produtos de confeitaria sem cacau Chocolate e suas preparações (cacau) Misturas para padaria (indústria) Massas Produtos de padaria Quadrante 4 Baixa Oportunidade Manteiga Queijos e requeijão Amendoins Enchidos de carne Preparações e conservas de peixes Cerveja Quadrante 3 Oportunidade Mel natural Café solúvel

4 PRODUTOS POTENCIAIS DA Quadrante 2 Alta Oportunidade Camisas femininas de tecidos planos Roupas intimas femininas de malha Roupas de banho Outros calçados Quadrante 1 Muito alta Oportunidade Vestuário, roupas íntimas e camisas femininas de malha Camisetas, roupas de banho, suéteres e acessórios de malha Vestuário feminino de tecidos planos Sutiãs e semelhantes Calçados de borracha / couro e de materiais têxteis Bijuterias Quadrante 4 Baixa Oportunidade Vestuário masculino de malha Camisas masculinas de malha Quadrante 3 Oportunidade Acessórios de couro Vestuário masculino de tecidos planos Camisas masculinas de tecidos planos Roupas intimas masculinas

5 PRODUTOS POTENCIAIS COSMÉTICOS Quadrante 2 Alta Oportunidade Quadrante 1 Muito alta Oportunidade Perfumes e semelhantes Cosméticos Preparações capilares Preparações para banho e desodorantes Quadrante 4 Baixa Oportunidade Higiene bucal ou dentária Quadrante 3 Oportunidade Misturas odoríferas (indústria) Sabões e semelhantes

6 PRODUTOS POTENCIAIS FÁRMACOS / BIOTECNOLOGIA Quadrante 2 Alta Oportunidade Quadrante 1 Muito alta Oportunidade Vacinas e medicamentos Quadrante 4 Baixa Oportunidade Glândulas Materiais e artefatos farmacêuticos Quadrante 3 Oportunidade Sangue Medicamentos Materiais e artefatos farmacêuticos Reagentes

7 PRODUTOS POTENCIAIS ELETROELETRÔNICOS Quadrante 2 Alta Oportunidade Motores e geradores elétricos Aquecedores de água aparelhos telefônicos Aparelhos transmissores e receptores p/ radares Aparelhos p/interrupção e proteção de alta tensão Materiais eletrônicos Máquinas e aparelhos elétricos Quadrante 1 Muito alta Oportunidade Transformadores elétricos Microfone Aparelhos p/interrupção e proteção de baixa tensão Fios, cabos e condutores para uso elétrico Quadrante 4 Baixa Oportunidade Grupo eletrogêneo e conversores Aparelhos videofônicos Aparelhos de Sinalização Tubos e bobinas Quadrante 3 Oportunidade Partes para motores e eletrogêneos Eletrodomésticos Máquinas para cabelos Ap. elétricos para ignição/arranque Ap. de iluminação e sinalização Ap. elétricos de Aquecimento Ap. Elétricos de solda Gravadores Monitores e receptores Alarmes Quadros e painéis elétricos Partes de quadros e painéis elétricos Lâmpadas e faróis Circuitos integrados Transmissores e receptores p/ radiodifusão e TV Partes para ap. de transmissão e recepção

8 METODOLOGIA Quadrante 1 Muito alta Oportunidade: produtos que apresentaram relação entre: NCM selecionada; importação de Portugal e Exportação de MG para Portugal 0 (zero) em 2015 Quadrante 2 Alta Oportunidade: produtos que apresentaram relação entre: NCM selecionada; importação de Portugal e Exportação de MG para Portugal = 0 (zero) em 2015 mas com embarques em 2014 e/ou 2013 Quadrante 3 Oportunidade: produtos que apresentaram relação entre: NCM selecionada; importação de Portugal e Exportação de MG para União Europeia (sem exportação direta para Portugal) Quadrante 4 Baixa Oportunidade: produtos que apresentaram relação entre: NCM selecionada; importação de Portugal e Exportação de MG para o Mundo (sem exportação direta para Portugal e União Europeia)

9 Segmento NCM Descrição Acessórios 4203 Acessórios de couro 6117 Acessórios de malha Bijuterias 7117 Bijuterias Vestuário feminino 6104 Vestuário feminino de malha 6106 Camisas femininas de malha Vestuário masculino Vestuário feminino de tecidos planos Camisas femininas de tecidos planos 6103 Vestuario masculino de malha 6105 Camisas masculinas de malha Underwear moda praia Vestuario masculino de tecidos planos Camisas masculinas de tecidos planos Roupas intimas masculinas de malha Roupas intimas femininas de malha 6109 Camisetas de malha 6112 Roupas de banho de malha 6207 Roupas intimas masculinas 6208 Roupas intimas femininas 6211 Roupas de banho 6212 Sutiãs e semelhantes Outros - vestuário Calçados 6110 Suéteres e semelhantes de malha 6402 Calçados de borracha 6403 Calçados de couro 6404 Calçados de matérias têxteis 6405 Outros calçados Segmento NCM Descrição CO 3302 Misturas odoriferas (industria) CO 3303 Perfumes e semlhantes CO 3304 Cosméticos CO 3305 Preparações capilares Cosméticos CO 3306 Higiene bucal ou dentária CO 3307 Preparações para banho e desodorantes CO 3401 Sabões e semelhantes Segmento NCM Descrição alimentos e bebidas 1202 Amendoins 1601 Enchidos de carne Massas Outras preparações e conservas de carne Preparações e conservas de peixes Produtos de confeitaria sem cacau Chocolate e suas preparações (cacau) Misturas para a preparação de produtos de padaria (indústria) 1905 Produtos de padaria 2009 Sucos de frutas FAR Manteiga Preparações de café, chá ou mate 0406 Queijos e requeijão 0409 Mel natural 0901 Café e sucedâneos 2202 Águas 2203 Cerveja 2208 Cachaça Segmento NCM Descrição Fármacos 3001 Glândulas FAR 3002 Sangue FAR 3003 Medicamentos FAR 3004 Vacinas e medicamentos FAR FAR FAR 3821 Culturas FAR 3822 Reagentes Materiais e artefatos farmaceuticos Materiais e artefatos farmaceuticos Segmento NCM Descrição Eletroeletrônicos 8509 Eletrodomésticos 8510 Máquinas para cabelos 8535 Aparelhos p/interrupção e proteção de alta tensão 8536 Aparelhos p/interrupção e proteção de baixa tensão 8537 Quadros e painéis elétricos Gravadores Partes de quadros e painéis elétricos Transmissores e receptores p/ radiodifusão e TV Aparelhos transmissores e receptores p/ radares 8528 Monitores e receptores 8529 Partes para aparelhos de transmissão e recepção Aparelhos elétricos para ignição/arranque Aparelhos de iluminação e sinalização Fios,cabos e condutores para uso elétrico 8501 Motores e geradores elétricos 8502 Grupo eletrogêneo e conversores 8503 Partes para motores e eletrogêneos 8504 Transformadores elétricos 8518 Microfone 8519 Aparelhos para gravação 8521 Aparelhos videofonicos 8514 Aparelhos Elétricos de Aquecimento 8516 Aquecedores de água 8515 Aparelhos Elétricos de Solda 8541 Materiais eletrônicos 8542 Circuitos integrados 8543 Maq e apar. Eletricos 8530 Aparelhos de Sinalização 8531 Aparelhos para alarmes 8517 aparelhos telefonicos 8539 Lâmpadas e faróis 8540 Tubos e Bobinas

10 OPORTUNIDADE PARA EMPRESAS DE MINAS GERAIS EM PORTUGAL Publicação do Centro Internacional de Negócios CIN/ MG ESCRITÓRIO DE PRIORIDADES ESTRATÉGICAS Av. Contorno, 4.456, 12º andar - Funcionários - Belo Horizonte Tel (31)

BRASIL 16.783.231 13.806.365 21,56 SANTA CATARINA 585.066 578.707 1,10 Fonte: MDIC

BRASIL 16.783.231 13.806.365 21,56 SANTA CATARINA 585.066 578.707 1,10 Fonte: MDIC BALANÇA COMERCIAL DE SC BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - DEZEMBRO/2015 As exportações catarinenses cresceram 1,10 no mês de dezembro de 2015 em relação

Leia mais

Gênero do NCM. 03 - Peixes, Crustaceos, Moluscos e outros invertebrados Aquaticos

Gênero do NCM. 03 - Peixes, Crustaceos, Moluscos e outros invertebrados Aquaticos 01 - Animais Vivos Gênero do NCM 02 - Carnes e miudezas 03 - Peixes, Crustaceos, Moluscos e outros invertebrados Aquaticos 04 - Produtos Comestiveis de origem animal 05 - Outros Produtos de Origem Animal

Leia mais

Valor das Importações e das Exportações, nos Açores, por ano

Valor das Importações e das Exportações, nos Açores, por ano Q.10.01 - Resultados Globais, por ano Unidade: 1 000 Euros 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Importações (CIF) 34 490 773 37 505 656 43 257 180 44 093 881 42 466 265 41 753 699 45

Leia mais

Mercados informação global

Mercados informação global Mercados informação global Relações Económicas Portugal - Filipinas Fevereiro 2010 Relações Económicas Portugal Filipinas (Fevereiro 2010) Índice 1. Relações Económicas Portugal Filipinas 3 1.1. Comércio

Leia mais

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado de Portugal. 1 Panorama do País

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado de Portugal. 1 Panorama do País Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Secretaria de Comércio Exterior SECEX Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior DEPLA Coordenação Geral de

Leia mais

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas NOTA TÉCNICA MERCOSUL* - Agronegócio, Eletrônica e TIC e Biotecnologia 2010-2014 * Mercado Comum do Sul, composto pela República Federativa do Brasil, República da Argentina, República do Paraguai, República

Leia mais

Clique para editar o estilo do título mestre

Clique para editar o estilo do título mestre Clique para editar os estilos do texto Atendimento à SE/CZPE Manoel Franco Jr. Analista - Gerência Executiva de Estratégia de Mercados Brasília, 15 de abril de 2015 24/04/2015 1 Clique para editar os estilos

Leia mais

Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca

Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca Franca Total da Indústria NA NA Indústria Extrativa 0,157899 0,018606 Indústria de Transformação 99,842101 99,981394

Leia mais

PORTUGAL GREECE Trade Balance

PORTUGAL GREECE Trade Balance PORTUGAL GREECE Trade Balance March 2013 TRADE BALANCE PORTUGAL GREECE IMPORTS (CIF) Annual Variation % EXPORTS (FOB) Annual Variation % 10³ Euros BALANCE 2003 81.998 121.881 39.883 2004 76.487-6,72 126.685

Leia mais

Coeficientes de Exportação e Importação

Coeficientes de Exportação e Importação Coeficientes de Exportação e Importação Resultados do 1º trimestre de 2012 DEREX Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior Roberto Giannetti da Fonseca Diretor Titular Maio de 2012 1.

Leia mais

Namíbia - Síntese País

Namíbia - Síntese País Informação Geral sobre a Namíbia Área (km 2 ): 824 269 Primeiro-Ministro: Saara Kuugongelwa-Amadhila População (milhões hab.): 2,2 (estimativa ) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

Mercados. informação global. Relações Económicas Portugal - Angola

Mercados. informação global. Relações Económicas Portugal - Angola Mercados informação global Relações Económicas Portugal - Angola Abril 2009 Índice Relações Económicas Portugal Angola 3 1 Comércio 3 1.1 Importância de Angola nos fluxos comerciais de Portugal 3 1.2 Balança

Leia mais

Nova Zelândia - Síntese País

Nova Zelândia - Síntese País Informação Geral sobre a Nova Zelândia Área (km 2 ): 270 534 Primeiro-Ministro: John Key População (milhões hab.): 4,6 () Risco de crédito: (*) Capital: Wellington Risco do país: AA (AAA = risco menor;

Leia mais

TEXTO PARA DISCUSSÃO N o 991

TEXTO PARA DISCUSSÃO N o 991 ISSN 1415-4765 TEXTO PARA DISCUSSÃO N o 991 A FORMAÇÃO DA ALCA E SEU IMPACTO NO POTENCIAL EXPORTADOR BRASILEIRO PARA OS MERCADOS DOS ESTADOS UNIDOS E DO CANADÁ João Alberto De Negri Jorge Saba Arbache

Leia mais

Mercados informação global

Mercados informação global Mercados informação global Relações Económicas Portugal - Paraguai Novembro 2010 Índice 1. Relações Económicas Portugal Paraguai 3 1.1 Comércio 3 1.1.1 Importância do Paraguai nos fluxos comerciais para

Leia mais

Mercados informação global

Mercados informação global Mercados informação global Relações Económicas Portugal Cuba Novembro 2010 Relações Económicas Portugal Cuba (Novembro 2010) Índice 1. Relações Económicas Portugal Cuba 3 1.1 Comércio 3 1.1.1 Importância

Leia mais

LC nº 16/2005 TABELA I USOS COMERCIAIS

LC nº 16/2005 TABELA I USOS COMERCIAIS LC nº 16/2005 TABELA I USOS COMERCIAIS COM. VICINAL 1 OBS. 1 COM. DE BAIRRO OBS. 2 GRUPO A OBS. 3 GRUPO B GRUPO C COM. SETORIAL OBS. 4 e 5 COM. GERAL OBS. 5 GERAL 1 GERAL 2 GRUPO A COM. ESPECÍFICO OBS.

Leia mais

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 Comércio Varejista 2000 Comércio a Varejo e por Atacado de VeículosAutomotores 50 Manutenção e Reparação de VeículosAutomotores

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2013 INDICADOR SANTA CATARINA BR % % acumulado 2013/2012 % acumulado 2012/2011 acumulado 2013/2012 Produção Ind. (jan-ago)

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO ALTERAÇÕES FEITAS PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/2012

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO ALTERAÇÕES FEITAS PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/2012 CIRCULAR Nº 01/2013 São Paulo, 02 de Janeiro de 2013. DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO ALTERAÇÕES FEITAS PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/2012 Prezado Cliente, No dia 28/12/2012, foi publicada a Medida Provisória

Leia mais

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos 1 Departamento de Comércio Exterior 18 de novembro de 2015 Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos BECE ABIHPEC 009/2015 2 ÍNDICE Notas explicativas...03

Leia mais

Janeiro / Fevereiro 2007

Janeiro / Fevereiro 2007 BOLETIM DE OPORTUNIDADE DE NEGÓCIOS Janeiro / Fevereiro 2007 Ref.: 1004 PEDRAS E GRANITOS Empresa italiana de pedras e granitos, deseja contatar empresas locais interessadas em acordo de parceria comercial

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 BALANÇA COMERCIAL DE SC BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - As exportações catarinenses declinaram 29,7 no mês de janeiro de 2016 em relação a dezembro,

Leia mais

China X Nordeste: Uma Qualificação das Transações Comerciais Bilaterais Recentes

China X Nordeste: Uma Qualificação das Transações Comerciais Bilaterais Recentes China X Nordeste: Uma Qualificação das Transações Comerciais Bilaterais Recentes Maria Cristina Pereira de Melo Doutora epós-doutora em Economiapela Universidade de Paris XIII Professora do Departamento

Leia mais

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos 1 Departamento de Comércio Exterior 17 de agosto de 2015 Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos BECE ABIHPEC 006/2015 2 ÍNDICE Notas explicativas...03

Leia mais

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos 1 Departamento de Comércio Exterior 20 de julho de 2015 Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos BECE ABIHPEC 005/2015 2 ÍNDICE Notas explicativas...03

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998

RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998 RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998 Dispõe sobre as empresas industriais enquadráveis nos Artigos 59 e 60 da Lei n.º 5.194/66. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA, no uso das

Leia mais

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor Diretoria de Pesquisas COIND Índice de Preços ao Produtor Índice de Preços ao Produtor Indústrias de Transformação Resultados Agosto 2012 Principais Indicadores Indústrias de Transformação JUN JUL AGO

Leia mais

AUSTRÁLIA Comércio Exterior

AUSTRÁLIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC AUSTRÁLIA Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Chefe de Estado: Otto Pérez Molina Tx. Câmbio: 1 EUR = 8,654 GTQ (final janeiro 2015)

Chefe de Estado: Otto Pérez Molina Tx. Câmbio: 1 EUR = 8,654 GTQ (final janeiro 2015) Informação Geral sobre a Guatemala Área (km 2 ): 108 889 Vice-Presidente: Roxana Baldetti População (milhões hab.): 14,6 (estimativa 2014) Risco de crédito: 4 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

ANEXO. Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

ANEXO. Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 9.12.2014 COM(2014) 724 final ANNEX 1 ANEXO da Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO relativo aos índices harmonizados de preços no consumidor e que revoga

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM OS EUA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM OS EUA Exportações 2.105.266 1.787.108 1.340.039 1.012.141 1.333.325-8,2 31,7 Importações 780.797 953.828 1.030.620 864.390 843.343 2,9-2,4 Saldo 1.324.469 833.280 309.419 147.751 489.982 -- -- Coef. Cob. 269,6%

Leia mais

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014*

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* Estabelece parâmetros para o Licenciamento Ambiental das atividades de comércio atacadista e de confecção e fabricação de produtos têxteis. O SECRETÁRIO

Leia mais

Capítulo 73. Obras de ferro fundido, ferro ou aço

Capítulo 73. Obras de ferro fundido, ferro ou aço Capítulo 73 Obras de ferro fundido, ferro ou aço Notas. 1.- Neste Capítulo, consideram-se de ferro fundido os produtos obtidos por moldação nos quais o ferro predomina em peso sobre cada um dos outros

Leia mais

Centro Internacional de Negócios - CIN 03/09/2014. Parceiros do CIN

Centro Internacional de Negócios - CIN 03/09/2014. Parceiros do CIN Centro Internacional de Negócios - CIN 03/09/2014 Parceiros do CIN CONSELHO TEMÁTICO DE COOPERAÇÃO NTERNACIONAL Negociações internacionais. Incentivar novos exportadores. Legislação internacional. Logística

Leia mais

PERFIL E BALANÇA COMERCIAL DINAMARCA

PERFIL E BALANÇA COMERCIAL DINAMARCA GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO E PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO DEPARTAMENTO DE ARTICULAÇÃO INTERNACIONAL PERFIL E BALANÇA COMERCIAL DINAMARCA Última atualização: 28/07/2011

Leia mais

Capítulo 85. Notas. 1. Este Capítulo não compreende:

Capítulo 85. Notas. 1. Este Capítulo não compreende: Capítulo 85 Máquinas, aparelhos e materiais elétricos, e suas partes; aparelhos de gravação ou de reprodução de som, aparelhos de gravação ou de reprodução de imagens e de som em televisão, e suas partes

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DA ALIMENTAÇÃO NO BRASIL

PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DA ALIMENTAÇÃO NO BRASIL PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DA ALIMENTAÇÃO NO BRASIL A Tecnologia Italiana a favor da Indústria Alimentar Brasileira Apresentação CIBUS Brasil - 21/11/2002 - Presiden/Tecnologia Italiana 1 I - INTRODUÇÃO

Leia mais

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 07 Julho 2015 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

ANEXO 8B - TIPO DE ATIVIDADES INDUSTRIAIS CLASSIFICADAS POR POTENCIAL POLUIDOR Para atividades não listadas ver classificiação da FEPAM.

ANEXO 8B - TIPO DE ATIVIDADES INDUSTRIAIS CLASSIFICADAS POR POTENCIAL POLUIDOR Para atividades não listadas ver classificiação da FEPAM. INDUSTRIA DE MINERAIS NAO-METÁLICOS Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos, com Tingimento Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos, sem Tingimento Beneficiamento

Leia mais

Região Zona da Mata. Regional Dezembro 2013

Região Zona da Mata. Regional Dezembro 2013 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Zona da Mata engloba a Fiemg Regional Zona da Mata. Região Zona da Mata GLOSSÁRIO Setores que fazem

Leia mais

ANEXO 4.0 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANEXO 4.42.1. * REVOGADO PELO DECRETO Nº 26.695 de 6 de julho de 2010.

ANEXO 4.0 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANEXO 4.42.1. * REVOGADO PELO DECRETO Nº 26.695 de 6 de julho de 2010. ANEXO 4.0 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANEXO 4.42.1 * REVOGADO PELO DECRETO Nº 26.695 de 6 de julho de 2010. NAS OPERAÇÕES COM PRODUTOS ALIMENTÍCIOS Acrescentado pelo DECRETO nº 26.258 de 30.12.2009 DOE: 30.12.2009

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS (RAPP) EMISSÕES ATMOSFÉRICAS EMISSÕES DE POLUENTES ATMOSFÉRICOS VERSÃO 2 IBAMA JANEIRO,

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1 de 5 22/02/2016 15:31 Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral Contribuinte, Confira os dados de Identificação da Pessoa Jurídica e, se houver qualquer divergência, providencie junto à RFB a

Leia mais

BELIZE Comércio Exterior

BELIZE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BELIZE Comércio Exterior Setembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS

EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS O Ministério do Trabalho e Emprego divulgou o saldo de empregos dos principais setores da economia, através

Leia mais

PROJETO PRIMEIRA EXPORTAÇÃO CÂNDIDA MARIA CERVIERI

PROJETO PRIMEIRA EXPORTAÇÃO CÂNDIDA MARIA CERVIERI PROJETO PRIMEIRA EXPORTAÇÃO CÂNIA MARIA CERVIERI MIC - Construir um Brasil competitivo, justo e rico em oportunidades, em parceria com setores produtivos, através de ações que resultem na melhoria da qualidade

Leia mais

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado da Croácia

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado da Croácia Secretaria de Comércio Exterior SECEX - MDIC Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior DEPLA Coordenação Geral de Produção Estatística CGPE RADAR COMERCIAL A Croácia foi a sexagésima

Leia mais

EXPORTAÇÕES CATARINENSES - MARÇO/2016

EXPORTAÇÕES CATARINENSES - MARÇO/2016 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES MAR/2016 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - As exportações catarinenses cresceram 16,4 no mês de março de 2016 em relação a fevereiro, totalizando US$ 633.694.574. Obtivemos

Leia mais

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: GOIÁS

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: GOIÁS MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: GOIÁS O número de empregos formais no estado alcançou 1,514 milhão em dezembro de 2014, representando

Leia mais

ITEM DESCRIÇÃO NCM/SH 1.1. Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg

ITEM DESCRIÇÃO NCM/SH 1.1. Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg I - CHOCOLATES 1.1 Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg 1704.90.10 1.2 Chocolates contendo cacau, em embalagens de conteúdo inferior 1806.31.10 ou igual a 1kg 1806.31.20

Leia mais

Capítulo 59. Tecidos impregnados, revestidos, recobertos ou estratificados; artigos para usos técnicos de matérias têxteis

Capítulo 59. Tecidos impregnados, revestidos, recobertos ou estratificados; artigos para usos técnicos de matérias têxteis Capítulo 59 Tecidos impregnados, revestidos, recobertos ou estratificados; artigos para usos técnicos de matérias têxteis Notas. 1. Ressalvadas as disposições em contrário, a designação tecidos, quando

Leia mais

LIBÉRIA Comércio Exterior

LIBÉRIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC LIBÉRIA Comércio Exterior Setembro de 2015 Tabela 1 Principais

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A AUSTRÁLIA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A AUSTRÁLIA BALANÇA COMERCIAL 2005 2006 2007 2008 Exportações 82.213 65.434 62.538 53.583 44.990-13,8 39.853 62.848 57,7 Importações 23.679 28.230 38.501 16.980 14.662-3,5 14.187 11.454-19,3 Saldo 58.534 37.204 24.037

Leia mais

Portaria CAT 72, de 19-07-2013

Portaria CAT 72, de 19-07-2013 Portaria CAT 72, de 19-07-2013 Estabelece a base de cálculo na saída das mercadorias que especifica, com destino a revendedores que atuam no segmento de vendas a consumidor final pelo sistema porta-aporta.

Leia mais

OPORTUNIDADES PARA AS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS ÁFRICA DO SUL, ANGOLA E MOÇAMBIQUE

OPORTUNIDADES PARA AS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS ÁFRICA DO SUL, ANGOLA E MOÇAMBIQUE OPORTUNIDADES PARA AS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS ÁFRICA DO SUL, ANGOLA E MOÇAMBIQUE Gerência de Inteligência e Estratégia de Negócios Núcleo África e Oriente Médio Julho/2015 AGENDA Comparação de mercados

Leia mais

RELAÇÕES COMERCIAIS COM A CORÉIA DO SUL

RELAÇÕES COMERCIAIS COM A CORÉIA DO SUL RELAÇÕES COMERCIAIS COM A CORÉIA DO SUL RELAÇÕES COMERCIAIS COM A CORÉIA DO SUL Federação das Indústrias do Estado do Ceará FIEC Presidente: Jorge Alberto Vieira Studart Gomes Beto Studart Superintendente

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 BALANÇA COMERCIAL DE SC BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - As exportações catarinenses declinaram 7,44 no mês de agosto de 2015 em relação a julho, totalizando

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ALEMANHA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ALEMANHA Expedições 4.646.753 4.957.528 4.954.299 4.099.667 4.771.584 1,4 16,4 Chegadas 8.054.468 8.367.508 8.594.931 6.813.091 7.886.527 0,4 15,8 Saldo -3.407.716-3.409.980-3.640.632-2.713.423-3.114.943 -- --

Leia mais

ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA

ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA 1. DETERMINAÇÃO DA CARGA INSTALADA a) Para definição do tipo de fornecimento, o consumidor deve determinar a carga instalada, somando-se a potência

Leia mais

NUPEV NÚCLEO DE PESQUISAS DO VESTUÁRIO MONITORAMENTO SÓCIOECONÔMICO DO SETOR DO VESTUÁRIO NO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS N U P E V

NUPEV NÚCLEO DE PESQUISAS DO VESTUÁRIO MONITORAMENTO SÓCIOECONÔMICO DO SETOR DO VESTUÁRIO NO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS N U P E V Divinópolis, 17 de fevereiro de 2012 MONITORAMENTO SÓCIOECONÔMICO DO SETOR DO VESTUÁRIO NO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS N U P E V O monitoramento do desempenho do setor do vestuário da cidade de Divinópolis

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA CPRH Nº 005/2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA CPRH Nº 005/2012 INSTRUÇÃO NORATIVA CRH Nº 005/2012 Disciplina o Enquadramento para Licenciamento Ambiental na CRH das Indústrias quanto ao otencial Degradador previsto no item 1.1 da Tabela 1 do Anexo I, da Lei Estadual

Leia mais

Austrália - Síntese País

Austrália - Síntese País Informação Geral sobre a Austrália Área (km 2 ): 7 682 400 Primeiro-Ministro: Tony Abbott População (milhões hab.): 23,6 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Camberra Risco do país: BBB (AAA

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ARGÉLIA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ARGÉLIA 2006 2007 2008 Var % a 06/10 Exportações 72.858 79.841 181.189 197.445 216.674 38,8 9,7 Importações 896.599 577.541 706.684 274.938 269.391-19,1-2,0 Saldo -823.741-497.700-525.495-77.493-52.717 -- -- Coef.

Leia mais

Anexo 1 - Estrutura detalhada da CNAE 2.0 (seções B, C e D): códigos e denominações

Anexo 1 - Estrutura detalhada da CNAE 2.0 (seções B, C e D): códigos e denominações (continua) B INDÚSTRIAS EXTRATIVAS 05 EXTRAÇÃO DE CARVÃO MINERAL 05.0 Extração de carvão mineral 05.00-3 Extração de carvão mineral 06 EXTRAÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL 06.0 Extração de petróleo e gás

Leia mais

Exportações Importações Posição e Quota da Suíça no Comércio Mundial de Bens - 2014 22ª 1,3% 26ª 1,1% Fonte: WTO - World Trade Organization

Exportações Importações Posição e Quota da Suíça no Comércio Mundial de Bens - 2014 22ª 1,3% 26ª 1,1% Fonte: WTO - World Trade Organization Informação Geral sobre a Suíça Área (km 2 ): 41 285 Vice-Presidente Federal: Johann Schneider-Amman População (milhões hab.): 8,11 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Berna Risco do país:

Leia mais

CONCENTRAÇÃO DA PAUTA COMERCIAL DO BRASIL COM AS ECONOMIAS DA CHINA E DO JAPÃO 1

CONCENTRAÇÃO DA PAUTA COMERCIAL DO BRASIL COM AS ECONOMIAS DA CHINA E DO JAPÃO 1 CONCENTRAÇÃO DA PAUTA COMERCIAL DO BRASIL COM AS ECONOMIAS DA CHINA E DO JAPÃO 1 Silvio Miyazaki 2 1 - INTRODUÇÃO 1 2 A busca de mercados externos alternativos aos tradicionais - Estados Unidos, Europa

Leia mais

REPERTÓRIO DE ATIVIDADES ARTESANAIS

REPERTÓRIO DE ATIVIDADES ARTESANAIS REPERTÓRIO DE ATIVIDADES ARTESANAIS 01.01 Preparação e Fiação de Fibras Têxteis 01.02 Tecelagem Grupo 01 - Artes e Ofícios Têxteis 13101 13102 13103 13105 13201 13202 13203 01.03 Arte de Estampar 13302

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 47.514, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010. (publicado no DOE nº 206 de 01 de novembro de 2010) Modifica o Regulamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações

Leia mais

Objetivo: Produtos que tiveram maior crescimento no mercado francês entre 2013/2014

Objetivo: Produtos que tiveram maior crescimento no mercado francês entre 2013/2014 Objetivo: Produtos que tiveram maior crescimento no mercado francês entre 2013/2014 PRODUTOS Jan-Jun 2013 Jan-Jun 2014 Crescimento 2013/2014 Outras frutas de casca rija e outras sementes, preparadas ou

Leia mais

PROTOCOLO ICMS 4, DE 30 DE MARÇO DE 2012

PROTOCOLO ICMS 4, DE 30 DE MARÇO DE 2012 PROTOCOLO ICMS 4, DE 30 DE MARÇO DE 2012 Publicado no DOU de 09.04.12 Altera o Protocolo ICMS 28/09, que dispõe sobre a substituição tributária nas operações com produtos alimentícios. Os Estados de Minas

Leia mais

Apêndice A: Algumas Tabelas Usadas no Texto

Apêndice A: Algumas Tabelas Usadas no Texto Apêndice A: Algumas Tabelas Usadas no Texto Tabela 1 alança Tecnológica Sectorial de Portugal Período 1996-98 Fonte: anco de Portugal CAE Total Direitos de utilização e Propriedade Industrial Serv. assistência

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TECNOLOGICO JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO PIAUÍ ATIVIDADES ECONÔMICAS

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TECNOLOGICO JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO PIAUÍ ATIVIDADES ECONÔMICAS Página: 001 / 052 S ECONÔMICAS A 01 011 0111-3 0111-3/01 0111-3/02 0111-3/03 0111-3/99 0112-1 0112-1/01 0112-1/02 0112-1/99 0113-0 0113-0/00 0114-8 0114-8/00 0115-6 0115-6/00 0116-4 0116-4/01 0116-4/02

Leia mais

ANEXO 96 ATIVIDADES COM FORMA DE PAGAMENTO EM FUNÇÃO DA RECEITA BRUTA (a que se refere o 1º do art. 118)

ANEXO 96 ATIVIDADES COM FORMA DE PAGAMENTO EM FUNÇÃO DA RECEITA BRUTA (a que se refere o 1º do art. 118) ANEXO 96 ATIVIDADES COM FORMA DE PAGAMENTO EM FUNÇÃO DA RECEITA BRUTA (a que se refere o 1º do art. 118) Nota: A redação atual do Anexo 96 foi dada pela Alteração nº 84 (Decreto nº 10.223, de 02/02/07,

Leia mais

QUÍMICA VERDE (green chemistry, química sustentável)

QUÍMICA VERDE (green chemistry, química sustentável) QUÍMICA VERDE (green chemistry, química sustentável) Baseia-se na utilização de técnicas químicas e metodologias que reduzem ou eliminam o uso de solventes e reagentes ou geração de produtos e sub-produtos

Leia mais

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura,

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, exceto morango 0122-9/00 Cultivo de flores e plantas

Leia mais

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos 1 Departamento de Comércio Exterior 19 de outubro de 2015 Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos BECE ABIHPEC 008/2015 2 ÍNDICE Notas explicativas...03

Leia mais

Quadro resumo CNAE 2.0 - subclasses

Quadro resumo CNAE 2.0 - subclasses Quadro resumo CNAE 2.0 - subclasses Seções CNAE 2.0 - subclasses Divisões Grupos Classes Subclasses (Fiscal) A - 01.. 03 - Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aqüicultura 3 12 34 122 B -

Leia mais

COMPETITIVIDADE E DESEMPENHO EXTERNO DOS ESTADOS DA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL NO PERÍODO 1995-2004

COMPETITIVIDADE E DESEMPENHO EXTERNO DOS ESTADOS DA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL NO PERÍODO 1995-2004 COMPETITIVIDADE E DESEMPENHO EXTERNO DOS ESTADOS DA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL NO PERÍODO 1995-2004 Francisca Diana Ferreira Viana é economista graduada pela Universidade Federal do Ceará e, atualmente,

Leia mais

ANEXO 03 Atividades Industriais

ANEXO 03 Atividades Industriais ANEXO 03 Atividades Industriais ATIVIDADE INDUSTRIAL INDUSTRIA DE MINERAIS NAO-METALICOS Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos, sem Tingimento e com Britagem

Leia mais

VALORES DE REFERÊNCIA

VALORES DE REFERÊNCIA VALORES DE REFERÊNCIA DESCRIÇÃO UNID. Quant. Estimada VALOR TOTAL 1 - LOCAÇÃO DE ESPAÇO FÍSICO EM AMBIENTE HOTELEIRO. O hotel deverá ficar necessariamente nos Setores Hoteleiros Sul ou Norte, no Plano

Leia mais

ESPECIAL SETORIAL CONFECÇÕES. Federação das Indústrias do Estado do Ceará - FIEC Centro Internacional de Negócios - CIN

ESPECIAL SETORIAL CONFECÇÕES. Federação das Indústrias do Estado do Ceará - FIEC Centro Internacional de Negócios - CIN CONFECÇÕES 1 2 ESPECIAL SETORIAL CONFECÇÕES Federação das Indústrias do Estado do Ceará - FIEC Centro Internacional de Negócios - CIN Superintendente do CIN: Eduardo de Castro Bezerra Neto Equipe de Coordenação:

Leia mais

Brasil - Síntese País

Brasil - Síntese País Informação Geral sobre o Brasil Área (km 2 ): 8 547 400 Vice-Presidente: Michel Temer População (milhões hab.): 202,8 (estimativa 2014) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Brasília

Leia mais

Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado

Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado RESOLUÇÃO SEFA Nº 145/2015 Publicada no DOE 9428 de 09.04.2015 O SECRETÁRIO DE ESTADO DA FAZENDA, com fundamento nos Ajustes SINIEF 1/2013, 22/2013 e 5/2014; no inciso XIV do art. 45 da Lei n. 8.485, de

Leia mais

Correspondência entre a CNAE e a CNAE 1.0 (sintética)

Correspondência entre a CNAE e a CNAE 1.0 (sintética) Correspondência entre a CNAE e a CNAE 1.0 (sintética) A tabela de correspondência, a seguir, indica apenas os códigos que sofreram alterações na CNAE 1.0. Todas as classes não listadas têm o mesmo conteúdo

Leia mais

Protoc. ICMS CONFAZ 110/10 - Protoc. ICMS - Protocolo ICMS CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA FAZENDÁRIA - CONFAZ nº 110 de 09.07.2010

Protoc. ICMS CONFAZ 110/10 - Protoc. ICMS - Protocolo ICMS CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA FAZENDÁRIA - CONFAZ nº 110 de 09.07.2010 Protoc. ICMS CONFAZ 110/10 - Protoc. ICMS - Protocolo ICMS CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA FAZENDÁRIA - CONFAZ nº 110 de 09.07.010 D.O.U.: 10.08.010 Altera o Protocolo ICMS 8/09, que dispõe sobre a substituição

Leia mais

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços Arroz em casca 15,72 30,25 Milho em grão 15,21 32,16 Trigo em grão e outros cereais 15,70 32,66 Cana-de-açúcar 15,47 32,68 Soja em grão 15,83 33,01 Outros produtos e serviços da lavoura 14,10 31,31 Mandioca

Leia mais

AUSTRÁLIA Comércio Exterior

AUSTRÁLIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC AUSTRÁLIA Comércio Exterior Junho de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

LEI Nº 2.778, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013. Publicada no Diário Oficial nº 4.010

LEI Nº 2.778, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013. Publicada no Diário Oficial nº 4.010 LEI Nº 2.778, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013. Publicada no Diário Oficial nº 4.010 Institui o Cadastro Técnico Estadual de Atividades Potencialmente Poluidoras ou Utilizadoras de Recursos Ambientais - CTE e

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 16, DE 04 DE ABRIL DE 2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 16, DE 04 DE ABRIL DE 2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 16, DE 04 DE ABRIL DE 2013 * Publicado no DOE em 10/04/2013 Altera a Instrução Normativa n.º 04, de 31 de janeiro de 2013, que lista os produtos de informática de que tratam a alínea

Leia mais

Produção Industrial Setembro de 2014

Produção Industrial Setembro de 2014 Produção Industrial Setembro de 2014 PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE SANTA CATARINA - SETEMBRO/14 Conforme esperado, o segundo semestre está sendo melhor do que o primeiro. Estamos no terceiro mês consecutivo de

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Maio/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

= igual + mais - menos parte CODIGO. = 0 1 relacionados + 81p

= igual + mais - menos parte CODIGO. = 0 1 relacionados + 81p - C O R R E S P. = igual + mais - menos p - Rev.1 OBSERVAÇÕES 0 1 Agricultura, produção a n i m a l, caça e actividades dos serviços = 0 1 relacionados + 81p Agricultura, produção a n i m a l, caça e actividades

Leia mais

Idade. Sexo. Peso (em kg) Altura (em metros)

Idade. Sexo. Peso (em kg) Altura (em metros) Idade Idade Taxa de resposta: 97,7% Média = 17,38 Desvio-padrão = 0,75 Soma dos percentuais diferentes de 100 em função das exclusões. Menos de 16 1 0,6% De 16 a 17 117 67,2% De 18 a 19 51 29,3% 20 e mais

Leia mais

ANEXO 11 Usos e Atividades

ANEXO 11 Usos e Atividades Usos e s omércio varejista de mercado- 52.13-2 omércio varejista de mercadorias em geral, com rias em geral com predominância predominância de produtos alimentícios, com área de de produtos alimentícios.

Leia mais

São Paulo, 16 de julho de 2013.

São Paulo, 16 de julho de 2013. São Paulo, 16 de julho de 2013. Junho 2013 Balança comercial tem resultado inesperado em junho: o resultado da balança comercial brasileira surpreendeu as expectativas para o mês de junho. O superávit

Leia mais

Janeiro 2012 Perspectivas para a balança comercial da Argentina [pág. 02] Criação da Secretaria de Comércio Exterior

Janeiro 2012 Perspectivas para a balança comercial da Argentina  [pág. 02] Criação da Secretaria de Comércio Exterior Janeiro 2012 Perspectivas para a balança comercial da Argentina: a forte seca que atinge a Argentina poderá reduzir as exportações de commodities e aumentar a importação de energia, com reflexos importantes

Leia mais

Seguem para conhecimento as informações pertinentes ao Decreto Estadual/RJ nº 43.889/2012, publicado em 16/10/2012.

Seguem para conhecimento as informações pertinentes ao Decreto Estadual/RJ nº 43.889/2012, publicado em 16/10/2012. Rio de Janeiro, 22 de outubro de 2012 Of. Circ. Nº 418/12 Ref.: Decreto Estadual/RJ nº 43.889/2012 Senhor Presidente, Seguem para conhecimento as informações pertinentes ao Decreto Estadual/RJ nº 43.889/2012,

Leia mais