Exportações Importações Posição e Quota da Suíça no Comércio Mundial de Bens ª 1,3% 26ª 1,1% Fonte: WTO - World Trade Organization

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Exportações Importações Posição e Quota da Suíça no Comércio Mundial de Bens - 2014 22ª 1,3% 26ª 1,1% Fonte: WTO - World Trade Organization"

Transcrição

1 Informação Geral sobre a Suíça Área (km 2 ): Vice-Presidente Federal: Johann Schneider-Amman População (milhões hab.): 8,11 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Berna Risco do país: A1 (A1 = risco mínimo; D = risco máximo) Língua oficial: Alemão, Francês, Italiano, Reto-romanche Unidade monetária: Franco Suíço (CHF) Presidente Federal: Simonetta Sommaruga Tx. câmbio (média): 1 EUR = 1,0379 CHF (abril 2015) * País "não classificado" na tabela risco da OCDE. Não é aplicável o sistema de prémios mínimos. Principais Indicadores Macroeconómicos da Suíça Unid a 2013 a 2014 a 2015 b 2016 b 2017 b PIB preços de mercado 10 9 USD 666,1 686,1 708,5 644,9 646,1 685,9 PIB per capita USD b Crescimento real do PIB Var. % 1,1 1,9 2,0 1,0 1,5 1,7 Saldo do setor público % PIB 0,1 1,5 b 0,3 b 0,3 0,4 0,3 Dívida pública % PIB 34,5 b 33,6 b 34,7 b 33,7 32,5 31,3 Exportações de bens e serviços 10 9 USD 447,1 495,6 453,6 424,7 431,6 455,5 Exportações de bens e serviços Var. % 1,0 15,4-7,1-0,3 0,5 2,3 Importações de bens e serviços 10 9 USD 377,4 411,8 367,6 342,8 359,9 390,6 Importações de bens e serviços Var. % -2,7 13,6-9,4-0,4 0,4 3,3 Saldo balança corrente % PIB 9,9 10,7 7,0 b 7,3 7,8 7,6 Taxa de inflação (média) % -0,7-0,2 0,0-0,7 0,1 0,6 Fontes: The Economist Intelligence Unit (EIU); Banco de Portugal; Cosec; Coface Notas: (a) Valores atuais; (b) Previsões; (c) Estimativas Crescimento Real do PIB (%) 2,5 2,0 1,5 1,0 0,5 0,0 Comércio Externo de Bens e Serviços (10 9 USD) 600,0 2012a 2013a 2014a 2015b 2016b 2017b Crescimento real do PIB 1,1 400,0 1,9 2,0 1,0 1,5 1,7 2012a 2013a 2014a 2015b 2016b 2017b 2012a 2013a 2014a 2015b 2016b 2017b Exportações 447,1 200,0 495,6 453,6 424,7 431,6 Exportações 455,5 Importações 377,4 411,8 367,6 342,8 359,9 Importações 390,6 0,0 2012a 2013a 2014a 2015b 2016b 2017b Exportações Importações Posição e Quota da Suíça no Comércio Mundial de Bens ª 1,3% 26ª 1,1% Fonte: WTO - World Trade Organization Principais Clientes Principais Fornecedores Posição Quota % Posição Quota % Alemanha 1ª 18,3 Alemanha 1ª 28,0 EUA 2ª 13,0 Itália 2ª 9,7 França 3ª 7,3 França 3ª 8,1 Itália 4ª 6,6 EUA 4ª 6,6 Reino Unido 5ª 5,0 China 5ª 6,5 Principais Produtos Exportados Principais Produtos Importados % Total % Total Produtos farmacêuticos 26,2 Produtos farmacêuticos 11,6 Máquinas e equipamentos mecânicos 10,7 Máquinas e equipamentos mecânicos 10,0 Relojoaria 10,2 Pérolas, pedras e metais preciosos 7,8 Pérolas, pedras e metais preciosos 8,4 Veículos automóveis e out. veículos terrestres 7,5 Produtos químicos orgânicos 8,2 Máquinas e equipamentos elétricos 7,4 Fonte: ITC - International Trade Centre 10 6 USD Recetor 10 6 USD Emissor Valor e Posição da Suíça no ID Mundial ª ª Fonte: UNCTAD - World Investment Report 2014; Nota: Valores líquidos Ambiente de Negócios Competitividade (Rank no Global Competitiveness Index ) 1º Facilidade Negócios (Rank Doing Business Report 2015) 20º Transparência (Rank no Corruption Perceptions Index 2014) Inflows Outflows 5º Ranking Global (EIU, entre 82 mercados) 2º

2 Balança Comercial de Bens de Portugal com a Suíça Exportações 333,1 372,2 400,9 419,2 429,2 6,6 68,3 72,4 5,9 Importações 370,2 365,7 334,2 280,4 265,9-7,8 38,7 41,8 8,2 Saldo -37,1 6,6 66,6 138,7 163, ,7 30,5 -- Coef. Cob. % 90,0 101,8 119,9 149,5 161, ,7 173,0 -- Fonte: INE - Instituto Nacional de Estatística Unidade: Milhões de euros Notas: (a) Média aritmética das taxas de crescimento anuais no período (b) Taxa de variação homóloga a 2012: resultados definitivos; 2013: resultados provisórios; 2014 e 2015: resultados preliminares Posição e Quota da Suíça no Comércio Internacional Português de Bens 2015 jan/fev Suíça como cliente de Portugal Suíça como fornecedor de Portugal Fonte: INE - Instituto Nacional de Estatística Posição % Export. 0,89 0,87 0,89 0,89 0,89 0,92 Posição % Import. 0,63 0,61 0,59 0,49 0,45 0,47 Contributo da Suíça para o Crescimento do Comércio Internacional Português de Bens Unid jan/fev Suíça - contribuição p/ o cresc. das exportações globais de Portugal Portugal - exportações globais Suíça - contribuição p/ o cresc. das importações globais de Portugal pp 0,14 0,10 0,07 0,04 0,02 0,05 tvh % 17,6 14,9 5,6 4,5 1,9 1,0 pp 0,08-0,01-0,05-0,10-0,03 0,03 Portugal - importações globais tvh % 14,1 1,5-5,3 0,9 3,4-6,8 Fonte: INE - Instituto Nacional de Estatística Unidades: pp - pontos percentuais; tvh % - taxa de variação homóloga em percentagem Operadores Económicos Portugueses Exportadores para a Suíça Nº Empresas Fonte: INE - Instituto Nacional de Estatística Posição e Quota de Portugal no Comércio Internacional de Bens da Suíça Portugal como cliente de Suíça Portugal como fornecedor de Suíça Fonte: ITC - International Trade Centre Posição % Export. Suíça Posição % Import. Suíça ,50 0,42 0,38 0,50 0, ,27 0,28 0,42 0,53 0,44

3 Exportações de Portugal para a Suíça por Grupos de Produtos 2010 % Tot % Tot % Tot 14 14/13 Alimentares 38,6 11,6 54,9 13,1 56,7 13,2 3,4 Máquinas e aparelhos 32,2 9,7 48,2 11,5 53,7 12,5 11,5 Instrumentos de ótica e precisão 19,6 5,9 41,5 9,9 36,8 8,6-11,5 Veículos e outro mat. transporte 28,1 8,4 31,4 7,5 35,7 8,3 13,7 Vestuário 28,4 8,5 33,8 8,1 28,3 6,6-16,3 Plásticos e borracha 27,4 8,2 25,3 6,0 27,3 6,4 8,1 Químicos 34,2 10,3 28,7 6,8 25,9 6,0-9,7 Matérias têxteis 12,9 3,9 22,1 5,3 24,4 5,7 10,5 Calçado 15,7 4,7 24,2 5,8 23,3 5,4-3,7 Metais comuns 12,1 3,6 18,0 4,3 21,7 5,1 21,0 Agrícolas 8,7 2,6 14,6 3,5 19,1 4,5 31,3 Pastas celulósicas e papel 27,5 8,3 18,0 4,3 18,1 4,2 0,3 Madeira e cortiça 17,1 5,1 18,8 4,5 17,9 4,2-4,6 Minerais e minérios 10,7 3,2 13,5 3,2 13,8 3,2 2,4 Peles e couros 2,3 0,7 3,9 0,9 3,9 0,9 0,7 Combustíveis minerais 0,0 0,0 0,1 0,0 0,1 0,0-18,7 Outros produtos 13,1 3,9 22,3 5,3 22,4 5,2 0,3 Valores confidenciais 4,5 1,4 Total 333,1 100,0 419,2 100,0 429,2 100,0 2,4 - Coeficiente de variação >= 1000% ou valor zero em 2013 Importações de Portugal Provenientes da Suíça por Grupos de Produtos 2010 % Tot % Tot % Tot 14 14/13 Químicos 175,9 47,5 167,0 59,6 163,6 61,5-2,0 Máquinas e aparelhos 39,1 10,6 33,3 11,9 31,7 11,9-4,8 Instrumentos de ótica e precisão 60,5 16,3 48,7 17,4 26,0 9,8-46,6 Veículos e outro mat. transporte 2,4 0,7 3,8 1,4 18,6 7,0 385,7 Metais comuns 11,0 3,0 5,3 1,9 6,1 2,3 14,6 Plásticos e borracha 7,7 2,1 4,5 1,6 4,5 1,7 0,6 Matérias têxteis 2,4 0,7 2,2 0,8 3,0 1,1 39,5 Pastas celulósicas e papel 3,6 1,0 2,2 0,8 2,5 0,9 12,0 Alimentares 4,6 1,2 2,7 1,0 2,0 0,7-27,4 Minerais e minérios 0,8 0,2 1,0 0,3 0,7 0,3-25,9 Madeira e cortiça 0,6 0,2 0,9 0,3 0,3 0,1-65,1 Vestuário 0,3 0,1 0,2 0,1 0,3 0,1 41,2 Peles e couros 0,2 0,1 0,3 0,1 0,1 0,0-57,8 Calçado 0,2 0,1 0,5 0,2 0,1 0,0-75,8 Agrícolas 49,1 13,3 3,2 1,1 0,1 0,0-96,9 Combustíveis minerais 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 58,7 Outros produtos 3,8 1,0 4,5 1,6 6,1 2,3 34,6 Valores confidenciais 7,9 2,1 Total 370,2 100,0 280,4 100,0 265,9 100,0-5,2 - Coeficiente de variação >= 1000% ou valor zero em 2013

4 Exportações de Portugal para a Suíça por Grupos de Produtos 2014 jan/fev % Tot jan/fev % Tot 15 15/14 Máquinas e aparelhos 6,9 10,1 10,4 14,4 50,0 Alimentares 8,7 12,8 9,3 12,8 6,3 Instrumentos de ótica e precisão 7,6 11,1 5,8 8,0-22,9 Calçado 3,9 5,7 5,6 7,7 44,2 Vestuário 5,7 8,4 5,2 7,1-9,9 Veículos e outro mat. transporte 4,1 6,0 5,1 7,0 23,4 Químicos 5,1 7,5 4,7 6,5-8,1 Matérias têxteis 4,0 5,8 4,1 5,6 3,0 Plásticos e borracha 3,9 5,7 4,1 5,6 4,5 Metais comuns 3,6 5,2 3,4 4,7-3,9 Agrícolas 2,9 4,3 3,1 4,3 6,7 Pastas celulósicas e papel 2,9 4,2 2,9 4,0 1,7 Madeira e cortiça 2,9 4,3 2,7 3,7-6,8 Minerais e minérios 2,1 3,0 2,0 2,8-3,5 Peles e couros 0,8 1,1 0,6 0,9-18,2 Combustíveis minerais 0,0 0,0 0,0 0,0-50,1 Outros produtos 3,3 4,8 3,4 4,6 2,8 Valores confidenciais Total 68,3 100,0 72,4 100,0 5,9 Importações de Portugal Provenientes da Suíça por Grupos de Produtos 2014 jan/fev % Tot jan/fev % Tot 15 15/14 Químicos 26,7 69,0 26,3 62,9-1,4 Máquinas e aparelhos 3,5 9,0 7,4 17,7 113,8 Instrumentos de ótica e precisão 4,3 11,2 3,5 8,3-19,9 Veículos e outro mat. transporte 0,7 1,7 0,7 1,6 0,1 Pastas celulósicas e papel 0,3 0,8 0,7 1,6 129,3 Metais comuns 0,7 1,8 0,7 1,6-3,5 Plásticos e borracha 0,8 2,1 0,5 1,3-35,0 Matérias têxteis 0,3 0,7 0,4 1,1 58,9 Alimentares 0,2 0,6 0,3 0,8 45,4 Madeira e cortiça 0,0 0,0 0,3 0,6 Minerais e minérios 0,1 0,3 0,1 0,3 15,4 Calçado 0,0 0,0 0,0 0,1 158,1 Agrícolas 0,0 0,0 0,0 0,1 178,1 Vestuário 0,0 0,0 0,0 0,1 49,5 Combustíveis minerais 0,0 0,0 0,0 0,0 585,7 Peles e couros 0,0 0,0 0,0 0,0-72,3 Outros produtos 1,0 2,6 0,8 1,9-22,5 Valores confidenciais Total 38,7 100,0 41,8 100,0 8,2 - Coeficiente de variação >= 1000% ou valor zero em 2014

5 Principais Produtos Exportados para a Suíça % Tot 14 14/ Vinhos de uvas frescas 24,2 26,1 6,1 7, Calçado c/ sola externa borracha, plástico, couro e parte superior couro nat. 23,4 22,0 5,1-5, Aquecedores elétricos água; aparelhos elét. p/ aquecimento ambientes, etc 21,1 19,5 4,5-7, Pneumáticos novos, de borracha 17,1 18,4 4,3 8, Partes dos veículos e aparelhos das posições 8801 ou ,6 18,0 4,2 8, Roupas de cama, mesa, toucador ou cozinha 15,6 18,0 4,2 15, Papel e cartão, n/ revestidos,tipo usados p/ escrita ou out. fins gráficos,etc 15,2 14,6 3,4-3, Medicamentos, em doses ou acondicionados para venda a retalho 18,6 14,1 3,3-23, Outros móveis e suas partes 12,0 13,3 3,1 11, Aparelhos elétricos para telefonia ou telegrafia, por fios etc; vídeofones 1,1 12,8 3,0 Amostra 164,9 177,0 41, Coeficiente de variação >= 1000% ou valor zero em 2013 Principais Produtos Importados Provenientes da Suíça % Tot 14 14/ Medicamentos, em doses ou acondicionados para venda a retalho 132,7 127,6 48,0-3, Sangue humano;anti-soro;vacinas,culturas de microorganismos e prod.semelhantes 22,8 25,6 9,6 12, Outros veículos aéreos; veículos espaciais e seus veículos de lançamento, etc 1,3 14,6 5, Relógios de pulso, bolso e semelhantes c/ caixa metais preciosos/folheados etc 19,2 7,9 3,0-58, Relógios de pulso, de bolso e relógios semelhantes, exceto os da pp ,6 7,7 2,9-64, Motores e geradores, elétricos, exceto os grupos eletrogéneos 4,9 6,6 2,5 35, Inseticidas, herbicidas, desinfetantes e produtos semelhantes 0,6 2,9 1,1 399, Diamantes, mesmo trabalhados, mas não montados nem engastados 2,5 2,5 0,9 0, Bombas de ar/vácuo, compressores etc; exaustores p/ extração/reciclagem, etc 1,0 2,0 0,8 95, Aparelhos p/ interrupção, seccionamento, proteção etc, p/ tensão >1000 volts 2,6 2,0 0,8-20,9 Amostra 209,1 199,4 75, Coeficiente de variação >= 1000% ou valor zero em 2013 Principais Produtos Exportados para a Suíça 2014 jan/fev 2015 jan/fev % Tot 15 15/ Calçado c/ sola externa borracha, plástico, couro e parte superior couro nat. 3,8 5,3 7,3 41, Vinhos de uvas frescas 3,8 4,2 5,8 10, Aquecedores elétricos água; aparelhos elét. p/ aquecimento ambientes, etc 3,2 3,2 4,5 0, Roupas de cama, mesa, toucador ou cozinha 3,1 3,1 4,3 0, Partes dos veículos e aparelhos das posições 8801 ou ,0 2,9 4,0 45, Medicamentos, em doses ou acondicionados para venda a retalho 3,1 2,7 3,7-13, Pneumáticos novos, de borracha 2,3 2,6 3,5 11, Aparelhos elétricos para telefonia ou telegrafia, por fios etc; vídeofones 0,1 2,4 3, Caixas fundição; placas fundo p/ moldes; modelos p/ moldes; moldes p/ metais 1,3 2,3 3,2 77, Cervejas de malte 1,9 2,3 3,1 18,4 Amostra 24,5 30,9 42, Coeficiente de variação >= 1000% ou valor zero em 2014

6 Principais Produtos Importados Provenientes da Suíça 2014 jan/fev 2015 jan/fev % Tot 15 15/ Medicamentos, em doses ou acondicionados para venda a retalho 20,9 19,5 46,6-6, Máquinas de lavar louça; máquinas p/ limpar, encher, capsular etc, garrafas 0,2 4,3 10, Sangue humano;anti-soro;vacinas,culturas de microorganismos e prod.semelhantes 3,7 4,2 10,0 12, Relógios de pulso, bolso e semelhantes c/ caixa metais preciosos/folheados etc 1,8 1,4 3,2-23, Relógios de pulso, de bolso e relógios semelhantes, exceto os da pp ,3 1,2 2,8-7, Inseticidas, herbicidas, desinfetantes e produtos semelhantes 1,0 0,9 2,2-2, Aglutinantes preparados para moldes ou para núcleos de fundição; etc 0,2 0,7 1,7 336, Motores e geradores, elétricos, exceto os grupos eletrogéneos 0,8 0,7 1,6-17, Diamantes, mesmo trabalhados, mas não montados nem engastados 0,5 0,5 1,2 1, Obras de cortiça natural 0,3 0,6 Amostra 30,3 33,6 80, Coeficiente de variação >= 1000% ou valor zero em 2014 Comércio de Bens com a Suíça por Graus de Intensidade Tecnológica Exportação Alta 13,7 19,0 19,2 17,7 19,3 Média-Alta 18,4 16,8 15,1 16,5 15,1 Média-Baixa 15,5 14,4 15,2 14,9 13,3 Baixa 52,3 49,8 50,5 50,9 52,3 Export. Prod. Ind. Transformados / Exportações totais (%) 99,0 98,3 99,1 97,8 99,0 Exportações de Outros Produtos / Exportações totais (%) 1,0 1,7 0,9 2,2 1,0 Importação Alta 61,4 65,5 62,8 59,2 70,6 Média-Alta 18,6 12,7 13,2 18,1 19,5 Média-Baixa 4,2 5,2 4,7 4,0 3,9 Baixa 15,8 16,6 19,3 18,6 5,9 Import. Prod. Ind. Transformados / Importações totais (%) 99,5 98,7 99,8 99,7 99,6 Importações de Outros Produtos / Importações totais (%) 0,5 1,3 0,2 0,3 0,4 Fonte: GEE - Gabinete de Estratégia e Estudos (Ministério da Economia) Unidade: % exportações e importações totais de produtos industriais transformados Balança Comercial de Serviços de Portugal com a Suíça Exportações 752,8 705,2 703,2 773,4 834,0 2, ,5 Importações 391,9 367,5 348,0 352,6 378,3-0, ,4 Saldo 360,9 337,7 355,2 420,9 455, ,8 63,7 -- Coef. Cob. % 192,1 191,9 202,1 219,4 220, ,0 183,2 -- ; Unidade: Milhões de euros Notas: (a) Média aritmética das taxas de crescimento anuais no período ; (b) Taxa de variação homóloga Quota da Suíça no Comércio Internacional Português de Serviços 2015 jan/fev Suíça como cliente de Portugal Suíça como fornecedor de Portugal % Export. 4,4 3,7 3,5 3,5 3,7 4,6 % Import. 3,6 3,3 3,3 3,2 3,2 4,0

7 Exportações de Portugal para a Suíça por Tipo de Serviço 2010 % Tot % Tot % Tot 14 14/13 Viagens e turismo 172,5 22,9 232,4 30,0 262,6 31,5 13,0 Transportes 299,9 39,8 241,4 31,2 205,3 24,6-15,0 Telecom., informáticos e informação 24,4 3,2 37,1 4,8 46,6 5,6 25,6 Pessoais, culturais e recreativos 11,7 1,6 18,5 2,4 30,9 3,7 67,5 Financeiros 10,2 1,3 14,8 1,9 18,9 2,3 27,6 Construção 7,0 0,9 24,0 3,1 6,8 0,8-71,8 Seguros e pensões 4,8 0,6 3,0 0,4 5,6 0,7 85,5 Transf. recursos mat. de terceiros 2,4 0,3 3,2 0,4 1,9 0,2-40,9 Manutenção e reparação 9,6 1,3 14,1 1,8 1,6 0,2-88,6 Bens e serv. administração pública 1,2 0,2 1,5 0,2 1,2 0,1-15,1 Direitos utilização prop. Intelectual 6,2 0,8 1,2 0,2 0,9 0,1-24,4 Outros serviços forn. por empresas 202,9 27,0 182,1 23,5 251,5 30,2 38,1 Total 752,8 100,0 773,4 100,0 834,0 100,0 7,8 ; Unidade: Milhões de euros Importações de Portugal Provenientes da Suíça por Tipo de Serviço 2010 % Tot % Tot % Tot 14 14/13 Viagens e turismo 54,9 14,0 70,5 20,0 66,2 17,5-6,1 Transportes 75,9 19,4 108,1 30,6 65,3 17,3-39,6 Direitos utilização prop. Intelectual 72,3 18,5 42,6 12,1 41,1 10,9-3,5 Telecom., informáticos e informação 28,5 7,3 28,3 8,0 35,3 9,3 24,7 Seguros e pensões 12,7 3,2 8,7 2,5 34,7 9,2 298,4 Pessoais, culturais e recreativos 37,5 9,6 23,9 6,8 28,3 7,5 18,2 Manutenção e reparação 13,8 3,5 12,6 3,6 11,1 2,9-12,3 Financeiros 27,6 7,0 1,6 0,4 6,9 1,8 337,6 Bens e serv. administração pública 0,7 0,2 0,3 0,1 3,7 1,0 Construção 0,5 0,1 1,4 0,4 1,3 0,3-6,4 Transf. recursos mat. de terceiros 1,0 0,3 0,7 0,2 1,1 0,3 63,1 Outros serviços forn. por empresas 66,6 17,0 53,9 15,3 83,3 22,0 54,5 Total 391,9 100,0 352,6 100,0 378,3 100,0 7,3 ; Unidade: Milhões de euros Balança Comercial de Bens e Serviços de Portugal com a Suíça Exportações 523,9 478, , , ,0 34, ,7 Importações 751,8 710,9 663,5 618,2 650,7-3, ,1 Saldo -227,9-232,8 414,5 552,2 644, ,7 112,0 -- Coef. Cob. % 69,7 67,3 162,5 189,3 199, ,8 195,6 -- ; Unidade: Milhões de euros Notas: (a) Média aritmética das taxas de crescimento anuais no período ; (b) Taxa de variação homóloga Componente de Bens com base em informação do INE - Instituto Nacional de Estatística, ajustada para valores f.o.b. Quota de Suíça no Comércio Internacional Português de Bens e Serviços 2015 jan/fev Suíça como cliente de Portugal Suíça como fornecedor de Portugal % Export. 1,0 0,8 1,7 1,7 1,8 2,1 % Import. 1,1 1,0 1,0 0,9 1,0 1,1

8 Fluxos de Investimento Direto entre Portugal e Suíça Ativo 110,6-25,2 76,8 15,4 106,7 199, ,4 Passivo 88,6 815,4 132,9 122,7 152,0 188, ,0 Líquido 22,0-840,5-56,1-107,4-45, ,4-37,9 -- Unidade: Variações líquidas em Milhões de Euros Notas: (a) Média aritmética das taxas de crescimento anuais no período ; (b) Taxa de variação homóloga Coef. de variação >= 1000% ou valor zero no período (série ) e/ou 2014 (valores anual ) Ativo/Passivo: reflete os créditos (ativo) e obrigações (passivo) de residentes (Portugueses) perante não residentes (estrangeiros) Posição (stock) de Investimento Direto entre Portugal e Suíça 2010 dez 2011 dez 2012 dez 2013 dez 2014 dez 14/10 a 14/13 b Ativo 401,7 356,9 436,4 354,1 471,6 6,4 33,2 % Tot Portugal 0,6 0,6 0,6 0,5 0, Passivo 790, , , , ,8 28,1 9,8 % Tot Portugal 0,8 1,7 1,6 1,4 1,5 -- Líquido -388, , , , , Unidade: Posições em fim de período em Milhões de Euros Notas: (a) Média aritmética das taxas de crescimento anuais em 2010dez-2014dez; (b) Taxa de variação homóloga 2013 dez-2014 dez - Coef. variação >= 1000% ou valor zero no período (série 2010 dez-2014 dez) e/ou 2013 dez (2013 dez-2014 dez) Ativo/Passivo: reflete os créditos (ativo) e obrigações (passivo) de residentes (Portugueses) perante não residentes (estrangeiros) Indicadores de Turismo de Suíça em Portugal Receitas c 172,5 190,5 207,9 232,4 262,6 11, ,3 % Total d 2,3 2,3 2,4 2,5 2,5 -- 2,6 2,7 -- Unidade: Milhões de euros Notas: (a) Média aritmética das taxas de crescimento anuais no período ; (b) Taxa de variação homóloga (c) Inclui apenas a hotelaria global; (d) Refere-se ao total de estrangeiros Acordos Bilaterais Designação Convenção para Evitar a Dupla Tributação e Prevenir a Evasão Fiscal em Matéria de Impostos sobre o Rendimento e sobre o Capital e Protocolo Adicional Início Vigência / Atualizado em 06/maio/2015 Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, E.P.E. (AICEP) Contact Center: ;

Bélgica - Síntese País

Bélgica - Síntese País Informação Geral sobre a Bélgica Área (km 2 ): 30 528 Primeiro-Ministro: Charles Michel População (milhões hab.): 11,1 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Bruxelas Risco do país: A2 (AAA =

Leia mais

Alemanha - Síntese País

Alemanha - Síntese País Informação Geral sobre a Alemanha Área (km 2 ): 356 970 km 2 Chanceler Federal: Angela Merkel População (milhões hab.): 81 (estimativa 2014) Risco de crédito (*): Capital: Berlim Risco do país: A (AAA

Leia mais

França - Síntese País

França - Síntese País Informação Geral sobre França Área (km 2 ): 543 965 Primeiro-Ministro: Manuel Valls População (milhões hab.): 66,3 (estimativa janeiro ) - Insee Risco de crédito: (*) Capital: Paris Risco do país: A (AAA=risco

Leia mais

Espanha - Síntese País e Relacionamento Bilateral

Espanha - Síntese País e Relacionamento Bilateral Informação Geral sobre Espanha Área (km 2 ): 504 880 Primeiro-Ministro: Mariano Rajoy População (milhões hab.): 47,1 (estimativa ) Risco de crédito: (*) Capital: Madrid Risco do país: BBB (AAA = risco

Leia mais

120,0. Principais Produtos Exportados - 2014 Principais Produtos Importados - 2014

120,0. Principais Produtos Exportados - 2014 Principais Produtos Importados - 2014 Informação Geral sobre o Chile Área (km 2 ): 756 096 Risco de crédito (*): População (milhões hab.): 17,7 (estimativa ) Risco do país: A2 (A = risco menor; D = risco maior) Capital: Santiago do Chile Unidade

Leia mais

Austrália - Síntese País

Austrália - Síntese País Informação Geral sobre a Austrália Área (km 2 ): 7 682 400 Primeiro-Ministro: Tony Abbott População (milhões hab.): 23,6 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Camberra Risco do país: BBB (AAA

Leia mais

Brasil - Síntese País

Brasil - Síntese País Informação Geral sobre o Brasil Área (km 2 ): 8 547 400 Vice-Presidente: Michel Temer População (milhões hab.): 202,8 (estimativa 2014) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Brasília

Leia mais

Comércio Externo de Bens (10 9 USD) 8,0 15,0 2009a 2010a 2011a 2012a 2013a 2014b 6,0 10,0

Comércio Externo de Bens (10 9 USD) 8,0 15,0 2009a 2010a 2011a 2012a 2013a 2014b 6,0 10,0 Informação Geral sobre a Palestina População (milhões hab.): 4,5 (estimativa 2014) Unidade monetária: Shequel de Israel (ILS) e Língua oficial: Árabe Dinar Jordano (JOD) Chefe de Estado: Mahmoud Abbas

Leia mais

Risco do país: D (A1 = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Aqilah Salah Issa Tx. câmbio (fim do período): 1 EUR = 1,51778 LYD (abr.

Risco do país: D (A1 = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Aqilah Salah Issa Tx. câmbio (fim do período): 1 EUR = 1,51778 LYD (abr. Informação Geral sobre a Líbia Área (km 2 ): 1 759 540 Primeiro-Ministro: Abdullah al-thini População (milhões hab.): 6,3 (estimativas ) Risco de crédito: 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

África do Sul - Síntese País

África do Sul - Síntese País Informação Geral sobre a África do Sul Área (km 2 ): 1 219 090 Vice-Presidente: Cyril Ramaphosa População (milhões hab.): 53 (2013) Risco de crédito: 4 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Pretória

Leia mais

República da Guiné - Síntese País

República da Guiné - Síntese País Informação Geral sobre a Rep. da Guiné Área (km 2 ): 245 857 Primeiro-Ministro: Mohamed Said Fofana População (milhões hab.): 11,8 (estimativa 2013) Risco de crédito: 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior)

Leia mais

Nova Zelândia - Síntese País

Nova Zelândia - Síntese País Informação Geral sobre a Nova Zelândia Área (km 2 ): 270 534 Primeiro-Ministro: John Key População (milhões hab.): 4,6 () Risco de crédito: (*) Capital: Wellington Risco do país: AA (AAA = risco menor;

Leia mais

Haiti - Síntese País e Relacionamento Bilateral

Haiti - Síntese País e Relacionamento Bilateral Informação Geral sobre o Haiti Área (km 2 ): 27 750 Primeiro-Ministro: Laurent Lamothe População (milhões hab.): 10,3 () Risco de crédito : 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Port-au-Prince

Leia mais

Namíbia - Síntese País

Namíbia - Síntese País Informação Geral sobre a Namíbia Área (km 2 ): 824 269 Primeiro-Ministro: Saara Kuugongelwa-Amadhila População (milhões hab.): 2,2 (estimativa ) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A AUSTRÁLIA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A AUSTRÁLIA BALANÇA COMERCIAL 2005 2006 2007 2008 Exportações 82.213 65.434 62.538 53.583 44.990-13,8 39.853 62.848 57,7 Importações 23.679 28.230 38.501 16.980 14.662-3,5 14.187 11.454-19,3 Saldo 58.534 37.204 24.037

Leia mais

Chefe de Estado: Otto Pérez Molina Tx. Câmbio: 1 EUR = 8,654 GTQ (final janeiro 2015)

Chefe de Estado: Otto Pérez Molina Tx. Câmbio: 1 EUR = 8,654 GTQ (final janeiro 2015) Informação Geral sobre a Guatemala Área (km 2 ): 108 889 Vice-Presidente: Roxana Baldetti População (milhões hab.): 14,6 (estimativa 2014) Risco de crédito: 4 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ALEMANHA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ALEMANHA Expedições 4.646.753 4.957.528 4.954.299 4.099.667 4.771.584 1,4 16,4 Chegadas 8.054.468 8.367.508 8.594.931 6.813.091 7.886.527 0,4 15,8 Saldo -3.407.716-3.409.980-3.640.632-2.713.423-3.114.943 -- --

Leia mais

Cabo Verde - Síntese País

Cabo Verde - Síntese País Informação Geral sobre Cabo Verde Área (km 2 ): 4 033 Primeiro-Ministro: José Maria Neves População: 504 000 (estimativa 2014) Risco de crédito: 6 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Praia Unidade

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011 Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 População a Milhares Hab. INE 10.563 10.586 10.604 10.623 10.638 10.636 10.643 2º Trimestre

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM OS EUA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM OS EUA Exportações 2.105.266 1.787.108 1.340.039 1.012.141 1.333.325-8,2 31,7 Importações 780.797 953.828 1.030.620 864.390 843.343 2,9-2,4 Saldo 1.324.469 833.280 309.419 147.751 489.982 -- -- Coef. Cob. 269,6%

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas 7 de Novembro de 2014 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora Enquadramento Evolução Recente Comércio

Leia mais

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015 Desafios da Internacionalização O papel da AICEP APAT 10 de Outubro, 2015 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora 38º PORTUGAL TEM MELHORADO A SUA COMPETITIVIDADE

Leia mais

Portugal Leaping forward

Portugal Leaping forward Portugal Leaping forward Dr. Pedro Reis Presidente da AICEP Lisboa, 16 de Março 2012 Enquadramento internacional Fonte: EIU (Fev 2012) Nota: PIB a preços de mercado Variação (%) Enquadramento internacional

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ARGÉLIA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ARGÉLIA 2006 2007 2008 Var % a 06/10 Exportações 72.858 79.841 181.189 197.445 216.674 38,8 9,7 Importações 896.599 577.541 706.684 274.938 269.391-19,1-2,0 Saldo -823.741-497.700-525.495-77.493-52.717 -- -- Coef.

Leia mais

PORTUGAL Comércio Exterior

PORTUGAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PORTUGAL Comércio Exterior Abril de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos).

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos). Nov-02 Nov-03 Nov-04 Nov-05 Nov-06 Nov-07 Nov-08 Nov-09 Nov-10 Nov-12 Análise de Conjuntura Dezembro 2012 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer

Leia mais

Mercados informação global

Mercados informação global Mercados informação global Relações Económicas Portugal - México Outubro Índice 1. Relações económicas Portugal México 3 1.1. Comércio 3 1.1.1. Importância do México nos fluxos comerciais de Portugal 3

Leia mais

ESPANHA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS

ESPANHA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS ESPANHA

Leia mais

Venezuela. Dossier de Mercado. Maio 2008

Venezuela. Dossier de Mercado. Maio 2008 Venezuela Dossier de Mercado Maio 2008 Venezuela Dossier de Mercado (Maio 2008) Índice 1. O País...3 1.1 Venezuela em Ficha...3 1.2 Organização Política e Administrativa...4 1.3 Situação Económica...5

Leia mais

Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União Europeia (+0.2 pontos) quer na Área Euro (+0.7 pontos).

Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União Europeia (+0.2 pontos) quer na Área Euro (+0.7 pontos). Mai-04 Mai-05 Mai-06 Mai-07 Mai-08 Mai-09 Mai-10 Mai-11 Mai-12 Análise de Conjuntura Junho 2014 Indicador de Sentimento Económico Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União

Leia mais

BANCO POPULAR. Parceiro na Internacionalização

BANCO POPULAR. Parceiro na Internacionalização BANCO POPULAR Parceiro na Internacionalização Um Banco Ibérico com Presença Internacional Escritórios de representação Banco Popular Genebra Milão Munique Santiago do Chile Xangai Banco Pastor Buenos Aires

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal fevereiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Enquadramento Enquadramento A importância da Internacionalização na vertente das exportações

Leia mais

Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos na União Europeia e diminuiu, 0.5 pontos, na Área Euro.

Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos na União Europeia e diminuiu, 0.5 pontos, na Área Euro. Abr-04 Abr-05 Abr-06 Abr-07 Abr-08 Abr-09 Abr-10 Abr-11 Abr-12 Análise de Conjuntura Maio 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos

Leia mais

Mercados informação global

Mercados informação global Mercados informação global Relações Económicas Portugal Cuba Novembro 2010 Relações Económicas Portugal Cuba (Novembro 2010) Índice 1. Relações Económicas Portugal Cuba 3 1.1 Comércio 3 1.1.1 Importância

Leia mais

de Investimento em Angola e Cabo Verde

de Investimento em Angola e Cabo Verde Conferência Client Perspectivas name appearse Oportunidades here de Investimento em Angola e Cabo Verde PwC Conferência Estruturas de Investimento: Cabo Verde Leendert Verschoor Agenda Introdução 1 Ficha

Leia mais

Angola Breve Caracterização. Julho 2007

Angola Breve Caracterização. Julho 2007 Breve Caracterização Julho 2007 I. Actividade e Preços. Após o final da guerra civil em 2002, e num contexto de relativa estabilidade política, tornou-se numa das economias de mais elevado crescimento

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 07 Julho 2015 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

Comércio Internacional dos Açores

Comércio Internacional dos Açores VII Jornadas Ibero-Atlânticas de Estatística Regional 09/10/2015 Cristina Neves INE- Departamento de Estatísticas Económicas Comércio Internacional dos Açores Estrutura da apresentação Estatísticas do

Leia mais

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1.

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1. Jan-04 Jan-05 Jan-06 Jan-07 Jan-08 Jan-09 Jan-10 Jan-11 Jan-12 Análise de Conjuntura Fevereiro 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9

Leia mais

A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO

A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO PARTE 03 - MERCADOS PRIORITÁRIOS Introdução Nas últimas semanas dedicamos a nossa atenção ao

Leia mais

BULGÁRIA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS

BULGÁRIA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS BULGÁRIA

Leia mais

Mercados informação global

Mercados informação global Mercados informação global Relações Económicas Portugal - Paraguai Novembro 2010 Índice 1. Relações Económicas Portugal Paraguai 3 1.1 Comércio 3 1.1.1 Importância do Paraguai nos fluxos comerciais para

Leia mais

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa.

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. Boletim Mensal de Economia Portuguesa Nº 4 Abril 2008 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e da Inovação GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais

Leia mais

Mercados informação global

Mercados informação global Mercados informação global Relações Económicas Portugal - Filipinas Fevereiro 2010 Relações Económicas Portugal Filipinas (Fevereiro 2010) Índice 1. Relações Económicas Portugal Filipinas 3 1.1. Comércio

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal janeiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

ÁFRICA DO SUL AERLIS - Oeiras 31.03.2011

ÁFRICA DO SUL AERLIS - Oeiras 31.03.2011 ÁFRICA DO SUL AERLIS - Oeiras 31.03.2011 Alguns factos históricos 1487 Bartolomeu Dias chega ao Cabo da Boa Esperança 1652 Holandeses, ao serviço da Dutch East India Company, instalam-se no Cabo. Colónia

Leia mais

Bahamas Comércio Exterior

Bahamas Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC Bahamas Comércio Exterior Novembro de 215 Tabela 1 Principais Indicadores

Leia mais

SURINAME Comércio Exterior

SURINAME Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC SURINAME Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transações comerciais de bens com o exterior (23,5% nas exportações e de 32,5% nas importações).

Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transações comerciais de bens com o exterior (23,5% nas exportações e de 32,5% nas importações). Estatísticas do Comércio Internacional 214 7 de julho de 215 Resultados preliminares do Comércio Internacional em 214: em termos nominais, as exportações aumentaram 1,8% e as importações aumentaram 3,2%

Leia mais

COREIA DO NORTE Comércio Exterior

COREIA DO NORTE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COREIA DO NORTE Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados

Leia mais

Mercados informação global

Mercados informação global Mercados informação global Suíça Ficha de Mercado Junho 2010 Índice 1. País em Ficha 3 2. Economia 4 2.1 Situação Económica e Perspectivas 4 2.2 Comércio Internacional 8 2.3 Investimento 12 2.4 Turismo

Leia mais

Em termos nominais, as exportações aumentaram 8,2% e as importações aumentaram 7,4%

Em termos nominais, as exportações aumentaram 8,2% e as importações aumentaram 7,4% Estatísticas do Comércio Internacional Abril 215 9 de junho de 215 Em termos nominais, as exportações aumentaram 8,2% e as importações aumentaram 7,4% As exportações de bens aumentaram 8,2% e as importações

Leia mais

As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores

As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores Margarida Brites Coordenadora da Área das Estatísticas da Balança de Pagamentos e da Posição de Investimento

Leia mais

PORTUGAL GREECE Trade Balance

PORTUGAL GREECE Trade Balance PORTUGAL GREECE Trade Balance March 2013 TRADE BALANCE PORTUGAL GREECE IMPORTS (CIF) Annual Variation % EXPORTS (FOB) Annual Variation % 10³ Euros BALANCE 2003 81.998 121.881 39.883 2004 76.487-6,72 126.685

Leia mais

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

REINO UNIDO Comércio Exterior

REINO UNIDO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC REINO UNIDO Comércio Exterior Setembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

ARGENTINA Comércio Exterior

ARGENTINA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ARGENTINA Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Uma das maiores áreas territoriais de Portugal, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km

Uma das maiores áreas territoriais de Portugal, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km As Regiões de - Região O Território Porquê o? Uma das maiores áreas territoriais de, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km Area (km 2 ): 21.286

Leia mais

G PE AR I. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 08 Agosto 2014. Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia

G PE AR I. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 08 Agosto 2014. Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 08 Agosto 2014 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

BANGLADESH Comércio Exterior

BANGLADESH Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BANGLADESH Comércio Exterior Fevereiro de 2015 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal

POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal Visita da missão de PPP do Ministério da Economia da Polónia a Portugal Bogdan Zagrobelny Primeiro Conselheiro EMBAIXADA DA POLÓNIA DEPARTAMENTO DE PROMOÇÃO

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2013 INDICADOR SANTA CATARINA BR % % acumulado 2013/2012 % acumulado 2012/2011 acumulado 2013/2012 Produção Ind. (jan-ago)

Leia mais

RÚSSIA Comércio Exterior

RÚSSIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC RÚSSIA Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Tabelas anexas Capítulo 7

Tabelas anexas Capítulo 7 Tabelas anexas Capítulo 7 Tabela anexa 7.1 Indicadores selecionados de inovação tecnológica, segundo setores das indústrias extrativa e de transformação e setores de serviços selecionados e Estado de São

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 4 11 de maio de 2006

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 4 11 de maio de 2006 M A C R O C H I N A Ano Nº 11 de maio de 6 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês - Primeiro trimestre de 6. Para surpresa de muitos analistas, o Banco Central

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 03 março 2012 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais

Leia mais

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

COREIA DO SUL Comércio Exterior

COREIA DO SUL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COREIA DO SUL Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados

Leia mais

HAITI Comércio Exterior

HAITI Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC HAITI Comércio Exterior Outubro de 2015 Tabela 1 Principais Indicadores

Leia mais

Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5%

Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5% Estatísticas do Comércio Internacional Fevereiro 2015 09 de abril de 2015 Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5% As exportações de bens aumentaram 2,1% e as

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Maio/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

Mercados. informação global. Relações Económicas Portugal - Angola

Mercados. informação global. Relações Económicas Portugal - Angola Mercados informação global Relações Económicas Portugal - Angola Abril 2009 Índice Relações Económicas Portugal Angola 3 1 Comércio 3 1.1 Importância de Angola nos fluxos comerciais de Portugal 3 1.2 Balança

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Apesar do bom crescimento de Produtos Alimentícios e Máquinas e Equipamentos,

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

L I S B O A, 10 D E A B R I L D E 2 0 1 5 F I L PA R Q U E D A S N A Ç Õ E S - L I S B O A

L I S B O A, 10 D E A B R I L D E 2 0 1 5 F I L PA R Q U E D A S N A Ç Õ E S - L I S B O A L I S B O A, 10 D E A B R I L D E 2 0 1 5 F I L PA R Q U E D A S N A Ç Õ E S - L I S B O A QUEM SOMOS? Associação sem fins lucrativos / Entidade de Utilidade Pública, Fundada em 1977 Liga dos Estados Árabes,

Leia mais

BRASIL Comércio Exterior

BRASIL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BRASIL Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Mercados informação global

Mercados informação global Mercados informação global EUA Ficha de Mercado Outubro 2011 Índice 1. País em Ficha 3 2. Economia 4 2.1. Situação Económica e Perspectivas 4 2.2. Comércio Internacional 6 2.3. Investimento 10 2.4. Turismo

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 15 de maio de 2007

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 15 de maio de 2007 M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 1 de maio de 27 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês Primeiro trimestre de 27 No primeiro trimestre de 27, a economia chinesa

Leia mais

Mercados informação global

Mercados informação global Mercados informação global Brasil Ficha de Mercado Março 2012 Índice 1. País em Ficha 3 2. Economia 4 2.1 Situação Económica e Perspectivas 4 2.2 Comércio Internacional 7 2.3 Investimento 10 2.4 Turismo

Leia mais

Portugal - Ficha País

Portugal - Ficha País Portugal - Ficha País janeiro Abril 2013 2015 Índice Aspetos gerais 3 População e língua 3 Aspetos Políticos 3 Síntese 3 Infraestruturas 4 Economia 4 Estrutura de economia 4 Situação económica e perspetivas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria Análise de Conjuntura Maio 2011 Indicador de Sentimento Económico Os indicadores de sentimento económico da União Europeia e da Área

Leia mais

Comércio Internacional Português

Comércio Internacional Português Comércio Internacional Português Exportações Portuguesas de Bens Janeiro a agosto de 2013 Direção de Informação, outubro de 2013 CIP bens 2013 (janeiro a agosto) - principais resultados Em 2013 (janeiro

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 7 7 de fevereiro de 2007

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 7 7 de fevereiro de 2007 M A C R O C H I N A Ano Nº 7 7 de fevereiro de 7 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês - Consolidado de. Em, a China registrou o maior crescimento anual

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Economia A 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 712/2.ª Fase 14 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

José Manuel Cerqueira

José Manuel Cerqueira José Manuel Cerqueira A Indústria cerâmica no contexto nacional A indústria portuguesa de cerâmica representou em 2013 um volume de negócios de 897,8 milhões de euros, um valor acrescentado bruto de 327,6

Leia mais

VANUATU Comércio Exterior

VANUATU Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC VANUATU Comércio Exterior Abril de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Portugal - Ficha País

Portugal - Ficha País Portugal - Ficha País Dezembro janeiro 2013 2014 Índice 1. Aspetos gerais 3 1.1 Geografia 3 1.2 População e língua 3 1.3 Síntese 3 2. Aspetos políticos 4 3. Infraestruturas 4 4. Economia 4 4.1 Estrutura

Leia mais

A AICEP e os Apoios à Internacionalização

A AICEP e os Apoios à Internacionalização A AICEP e os Apoios à Internacionalização Guimarães, 12 de junho de 2015 Índice 1. Enquadramento / Desafios 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP 4. O Processo de Internacionalização

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

Leia mais

Portugal - Ficha País

Portugal - Ficha País Portugal - Ficha País janeiro Março 2013 2013 Índice 1. Aspetos gerais 3 1.1 Geografia 3 1.2 População e língua 3 1.3 Síntese 3 2. Aspetos políticos 4 3. Infraestruturas 4 4. Economia 4 4.1 Estrutura económica

Leia mais

Serviços na Balança de Pagamentos Portuguesa

Serviços na Balança de Pagamentos Portuguesa Serviços na Balança de Pagamentos Portuguesa Margarida Brites Coordenadora da Área da Balança de Pagamentos e da Posição de Investimento Internacional 1 dezembro 2014 Lisboa Balança de Pagamentos Transações

Leia mais

1 ST PORTUGAL JAPAN BUSINESS SESSION. Dr. Gonçalo Gaspar Diretor Direção de Negócio Internacional da Caixa Geral de Depósitos

1 ST PORTUGAL JAPAN BUSINESS SESSION. Dr. Gonçalo Gaspar Diretor Direção de Negócio Internacional da Caixa Geral de Depósitos 1 ST PORTUGAL JAPAN BUSINESS SESSION Dr. Gonçalo Gaspar Diretor Direção de Negócio Internacional da Caixa Geral de Depósitos Apoio à Internacionalização das Empresas: 1st Portugal-Japan Business Session,

Leia mais

DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS R E P Ú B L I C A P O P U L A R D A C H I N A

DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS R E P Ú B L I C A P O P U L A R D A C H I N A MRE - Ministério das Relações Exteriores DPR - Departamento de Promoção Comercial DIC - Divisão de Informação Comercial DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES R E P Ú B L I C A P O P U L A R D A C H I

Leia mais

O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia e desceu 0.6 pontos na Área Euro.

O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia e desceu 0.6 pontos na Área Euro. Julho 2012 Jun-02 Jun-03 Jun-04 Jun-05 Jun-06 Jun-07 Jun-08 Jun-09 Jun-10 Jun-11 Jun-12 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia

Leia mais

Area (km 2 ): 31.604,9 Hab/Km 2 : 23,7 População (Nº): 749.055 (2010)

Area (km 2 ): 31.604,9 Hab/Km 2 : 23,7 População (Nº): 749.055 (2010) As Regiões de - Região O Território Porquê? Com a maior área territorial de Continental 31.605,2 km2 (1/3 do território nacional) a região do apresenta 179 km de perímetro de linha de costa e 432 km de

Leia mais

Monitor do Déficit Tecnológico. Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro

Monitor do Déficit Tecnológico. Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro Monitor do Déficit Tecnológico Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro de 2012 Monitor do Déficit Tecnológico de 2012 1. Apresentação

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas Porto, 28 de Janeiro de 2014 Índice 1. Enquadramento 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP Enquadramento Enquadramento

Leia mais

TÓPICO ESPECIAL Agosto

TÓPICO ESPECIAL Agosto Jan-94 Dec-94 Nov-95 Oct-96 Sep-97 Aug-98 Jul-99 Jun-00 May-01 Apr-02 Mar-03 Feb-04 Jan-05 Dec-05 Nov-06 Oct-07 Sep-08 Aug-09 Jul-10 Jun-11 May-12 Apr-13 Mar-14 Feb-15 Mar-10 Jul-10 Nov-10 Mar-11 Jul-11

Leia mais