Correspondência entre a CNAE e a CNAE 1.0 (sintética)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Correspondência entre a CNAE e a CNAE 1.0 (sintética)"

Transcrição

1 Correspondência entre a CNAE e a CNAE 1.0 (sintética) A tabela de correspondência, a seguir, indica apenas os códigos que sofreram alterações na CNAE 1.0. Todas as classes não listadas têm o mesmo conteúdo e código nas duas classificações. O asterisco (*) precedendo o código CNAE 1.0 (2ª coluna) indica que somente uma parte desta classe está envolvida nesta específica correspondência. Na coluna de observações é descrito o conteúdo desta parte. CNAE CNAE 1.0 OBSERVAÇÕES Seção A * Criação de rãs * Inspeção sanitária * Alojamento e cuidado de animais domésticos Seção B * Exceto criação de rãs Seção D * Edição de jornais * Edição de revistas * Edição de livros * Edição e impressão de partituras musicais * Exceto edição e impressão de partituras musicais * Reprodução de filmes * * * Agricultura, pecuária, silvicultura e exploração florestal Pesca Indústrias de transformação Manutenção e reparação de tanques, reservatórios metálicos e caldeiras para aquecimento central Manutenção e reparação de caldeiras geradoras de vapor - exceto para aquecimento central e para veículos Manutenção e reparação de motores estacionários de combustão interna, turbinas e outras máquinas motrizes não-elétricas - exceto para aviões e veículos rodoviários * Manutenção e reparação de bombas e carneiros hidráulicos * Manutenção e reparação de válvulas, torneiras e registros * Manutenção e reparação de compressores

2 * Manutenção e reparação de equipamentos de transmissão para fins industriais - inclusive rolamentos * Manutenção e reparação de fornos industriais, aparelhos e equipamentos nãoelétricos para instalações térmicas * Manutenção e reparação de estufas e fornos elétricos para fins industriais * Manutenção e reparação de máquinas, equipamentos e aparelhos para transporte e elevação de cargas e pessoas * Manutenção e reparação de máquinas e aparelhos de refrigeração e ventilação de usos industrial e comercial * Manutenção e reparação de outras máquinas e equipamentos de uso geral * Manutenção e reparação de máquinas e equipamentos para agricultura, avicultura e obtenção de produtos animais * Manutenção e reparação de tratores agrícolas * Manutenção e reparação de máquinas-ferramenta * Manutenção e reparação de máquinas e equipamentos para a prospecção e extração de petróleo * Manutenção e reparação de outras máquinas e equipamentos de uso na extração mineral e construção * Manutenção e reparação de tratores de esteira e tratores de uso na extração mineral e construção * Manutenção e reparação de máquinas e equipamentos de terraplenagem e pavimentação * Manutenção e reparação de máquinas para a indústria metalúrgica - exceto máquinas-ferramenta * Manutenção e reparação de máquinas e equipamentos para as indústrias alimentar, de bebida e fumo * Manutenção e reparação de máquinas e equipamentos para a indústria têxtil * * Manutenção e reparação de máquinas e equipamentos para as indústrias do vestuário e de couro e calçados Manutenção e reparação de máquinas e equipamentos para as indústrias de celulose, papel e papelão e artefatos

3 * Manutenção e reparação de outras máquinas e equipamentos de uso específico * Manutenção e reparação de geradores de corrente contínua ou alternada * Manutenção e reparação de transformadores, indutores, conversores, sincronizadores e semelhantes * Manutenção e reparação de motores elétricos * * Manutenção e reparação de baterias e acumuladores elétricos, exceto para veículos Manutenção e reparação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos não especificados anteriormente * Manutenção e reparação de aparelhos e equipamentos de telefonia e radiotelefonia e de transmissores de televisão e rádio - exceto telefone * Manutenção e reparação de sistemas de intercomunicação e semelhantes * * * Manutenção e reparação de equipamentos médico-hospitalares, odontológicos e de laboratório Manutenção e reparação de aparelhos e instrumentos de medida, teste e controle - exceto equipamentos de controle de processos industriais Manutenção e reparação de máquinas, aparelhos e equipamentos de sistemas eletrônicos dedicados à automação industrial e controle do processo produtivo * Manutenção e reparação de instrumentos ópticos e cinematográficos Seção E Seção F * Exceto partes de edificações * Obras viárias, exceto urbanização e paisagismo * Obras de urbanização e paisagismo * Partes de edificações * Construção de barragens e represas para geração de energia elétrica * Construção de estações e redes de distribuição de energia elétrica Não há correspondência. As atividades de construção para preservação e recuperação do meio ambiente são tratadas nas classes dos grupos 45.1, 45.2 e 45.3, em função do tipo de obra * Alvenaria e reboco * Impermeabilização e serviços de pintura em geral * Produção e distribuição de eletricidade, gás e água Construção Obras de acabamento, exceto alvenaria e reboco e impermeabilização e serviços de pintura em geral Seção G Comércio; reparação de veículos automotores, objetos pessoais e domésticos

4 * Máquinas e equipamentos para o comércio * Máquinas e equipamentos para escritório Não há correspondência. O varejo via televisão, internet e outros meios de comunicação é tratado junto às classes correspondentes às mercadorias comercializadas (grupos 52.1 a 52.5), dado que a CNAE 1.0 não distingüe o modo de comercialização A venda por máquinas automáticas, estabelecimentos de vendas a domicílio e postos fixos, tratados junto às classes correspondentes às mercadorias comercializadas * Entrega de jornais e revistas em domicílio Seção H * Estabelecimentos hoteleiros com restaurante * Estabelecimentos hoteleiros, sem restaurante Seção I * Exceto entrega de jornais e revistas em domicílio * Seção J * Exceto BNDES * BNDES * Exceto transmissão e retransmissão (transporte) de programas de rádio e de televisão (aberta e por assinatura) Licenciamento, compra e venda e leasing de ativos intangíveis não financeiros exceto direitos autorais * Escritórios de representação de bancos estrangeiros * Exceto agenciamento de investimentos em aplicações financeiras * Exceto escritórios de representação de bancos estrangeiros e caixas eletrônicas * Agenciamento de investimentos em aplicações financeiras * Emissão de vales alimentação, transporte e similares Seção K * Exceto microfilmagem e filmagens de festas e eventos * Máquinas fotográficas acionadas por moedas * * Caixas eletrônicas * Microfilmagem Seção L * Exceto inspeção sanitária Seção M Alojamento e alimentação Transporte, armazenagem e comunicações Intermediação financeira, seguros, previdência complementar e serviços relacionados Atividades imobiliárias, aluguéis e serviços prestados às empresas Exceto medição de consumo de energia, gás e água; organização de festas e eventos - exceto culturais e desportivos; gestão de festas e eventos; emissão de vales alimentação, transporte e similares; e leiloeiros de veículos automotores Administração pública, defesa e seguridade social Educação * Exceto educação especial infantil pré-escola

5 * * Exceto educação especial, educação à distância e educação supletiva do ensino fundamental Educação média de formação geral, exceto educação especial, educação à distância e educação supletiva do ensino médio * Educação média de formação técnica e profissional exceto educação à distância * Escolas e cursos técnicos de nível médio * Exceto ensino à distância da educação superior-graduação * Exceto ensino à distância da educação superior-graduação e pós-graduação * Exceto ensino à distância da educação superior-pós-graduação e extensão * Educação profissional de nível tecnológico * Ensino em auto-escolas e cursos de pilotagem * Educação supletiva do ensino fundamental * Educação supletiva do ensino médio * Educação continuada ou permanente e aprendizagem profissional * Ensino à distância do ensino fundamental * Ensino à distância do ensino médio * Ensino à distância da educação superior-graduação * Ensino à distância da educação superior-graduação e pós-graduação * Ensino à distância da educação superior-pós-graduação e extensão * Educação especial da educação infantil-pré-escola * Educação especial do ensino fundamental * Educação especial do ensino médio Seção N Seção O * Exceto reprodução de filmes e estúdios de gravação de som * Gestão de direitos autorais de obras cinematográficas e audiovisuais * Transmissão e retransmissão (transporte) de programas de rádio * Transmissão e retransmissão (transporte) de programas de televisão (aberta e por assinatura) * Gestão de direitos autorais de obras artísticas, literárias e musicais * Estúdios de gravação de som * Filmagem de festas e eventos * * Saúde e serviços sociais Outros serviços coletivos, sociais e pessoais Exceto máquinas fotográficas acionadas por moedas e alojamento e cuidados de animais domésticos Gestão de casas de festas e eventos e a organização de festas e eventos - exceto culturais e desportivos

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 21 DE JANEIRO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 21 DE JANEIRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 21 DE JANEIRO DE 2014. REGULAMENTA O REQUERIMENTO DE ADESÃO AO PROGRAMA DE DOMICÍLIO FISCAL, QUE SE REFERE À LEI COMPLEMENTAR Nº 66, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2013. JOHN KENNEDY

Leia mais

1.1 Microempresa - ME A pessoa jurídica que tenha auferido, no ano-calendário, receita bruta igual ou inferior a R$ 240.000,00.

1.1 Microempresa - ME A pessoa jurídica que tenha auferido, no ano-calendário, receita bruta igual ou inferior a R$ 240.000,00. Índice 1 Conceitos básicos... 3 1.1 Microempresa - ME... 3 1.2 Empresa de Pequeno Porte - EPP... 3 1.3 Receita bruta... 3 2 Deduzidos da receita bruta:... 3 3 Definição... 4 4 TRIBUTOS NÃO ALCANÇADOS PELO

Leia mais

ANEXO V-D Usos e Atividades. Enquadramento das atividades nos usos do solo, obedecendo a Legislação Federal, Estadual e Municipal pertinente

ANEXO V-D Usos e Atividades. Enquadramento das atividades nos usos do solo, obedecendo a Legislação Federal, Estadual e Municipal pertinente ANEXO V-D Usos e Atividades Quadro Enquadramento das atividades nos usos do solo, obedecendo a Legislação Federal, Estadual e Municipal pertinente Usos CORRESPONDÊNCIA COM A CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE Instalações

Leia mais

Setor produtivo G10 - Produtos Químicos/ Atividades Extrativas/ Insumos Agropecuários. Contém 1254300 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0133-4/01

Setor produtivo G10 - Produtos Químicos/ Atividades Extrativas/ Insumos Agropecuários. Contém 1254300 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0133-4/01 Setor produtivo G10 - Produtos Químicos/ Atividades Extrativas/ Insumos Agropecuários. Contém 1254300 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0133-4/01 Cultivo de açaí 0133-4/02 Cultivo de banana 0133-4/03

Leia mais

Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca

Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca Franca Total da Indústria NA NA Indústria Extrativa 0,157899 0,018606 Indústria de Transformação 99,842101 99,981394

Leia mais

AS MELHORES OPORTUNIDADES DE EMPREGO NO SETOR DE SERVIÇOS

AS MELHORES OPORTUNIDADES DE EMPREGO NO SETOR DE SERVIÇOS AS MELHORES OPORTUNIDADES DE EMPREGO NO SETOR DE SERVIÇOS O setor de serviços é, tradicionalmente, a principal porta de entrada no mercado de trabalho. Responsável por aproximadamente 60% do produto interno

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul O emprego formal na Indústria sul-mato-grossense encerrou mais um mês com redução liquida de postos de trabalho. Em março, o conjunto

Leia mais

- 151 - Q.11.01 - Prédios transacionados, por Ilha e ano

- 151 - Q.11.01 - Prédios transacionados, por Ilha e ano Q.11.1 - Prédios transacionados, por Ilha e ano TOTAL AÇORES 6 522 7 26 6 911 7 1 7 16 7 615 6 66 6 719 6 795 6 774 6 61 1 19 868 149 617 155 257 164 769 234 346 267 938 33 49 351 873 4 137 432 143 36

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL 3 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo, no

Leia mais

CÓDIGO DE ATIVIDADE - PESQUISA PADRÕES DE VIDA -1996-1997. A relação dos Códigos de Atividade refere-se as seguintes seções:

CÓDIGO DE ATIVIDADE - PESQUISA PADRÕES DE VIDA -1996-1997. A relação dos Códigos de Atividade refere-se as seguintes seções: DE ATIVIDADE - PESQUISA PADRÕES DE VIDA -1996-1997 A relação dos Códigos de Atividade refere-se as seguintes seções: Seção 06 - Atividade Econômica Parte B: Trabalho Principal nos últimos 7 dias - Quesito

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e EMPREGO FORMAL Sorocaba 2 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Franca 4 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

Relação da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE, com correspondente agrupamento para dimensionamento de CIPA.

Relação da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE, com correspondente agrupamento para dimensionamento de CIPA. Página 1 de 14 Relação da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE, com correspondente agrupamento para dimensionamento de CIPA NR 5 Anexo III Descrição da Atividade Grupo Extração de carvão

Leia mais

Boletim Informativo Emprego em Guarulhos: Panorama de 2014. Análise de Dezembro de 2014

Boletim Informativo Emprego em Guarulhos: Panorama de 2014. Análise de Dezembro de 2014 Boletim Informativo Emprego em Guarulhos: Panorama de 2014. Análise de Dezembro de 2014 2 Boletim Informativo - Emprego em Dezembro de 2014 Janeiro de 201 Análise e Redação Dr. Devanido Damião Suporte

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998

RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998 RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998 Dispõe sobre as empresas industriais enquadráveis nos Artigos 59 e 60 da Lei n.º 5.194/66. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA, no uso das

Leia mais

Relação de (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) cujos contribuintes estão obrigados à Escrituração A partir desta competência, os contribuintes que iniciarem atividades ou que mudarem a atividade

Leia mais

ECONOMIA. Prof. João Artur Izzo

ECONOMIA. Prof. João Artur Izzo ECONOMIA Prof. João Artur Izzo Definição de Economia Economia é a ciência social que estuda a produção, a circulação e o consumo dos bens e serviços que são utilizados para satisfazer as necessidades humanas.

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL 3 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo, no

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul O emprego formal na Indústria sul-mato-grossense apresentou pequena recuperação em fevereiro de 2015 com a abertura de 350 vagas. No acumulado

Leia mais

Subclasse CNAE 2.0 DENOMINAÇÃO

Subclasse CNAE 2.0 DENOMINAÇÃO Anexo I da Resolução CGSN nº 6, de 18 de junho de 2007 - Códigos previstos na CNAE impeditivos ao Simples Nacional (Vigência a partir de 1º de dezembro de 2010) Subclasse CNAE 2.0 DENOMINAÇÃO 0910-6/00

Leia mais

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços Arroz em casca 15,72 30,25 Milho em grão 15,21 32,16 Trigo em grão e outros cereais 15,70 32,66 Cana-de-açúcar 15,47 32,68 Soja em grão 15,83 33,01 Outros produtos e serviços da lavoura 14,10 31,31 Mandioca

Leia mais

ATIVIDADES IMPEDITIVAS AO SIMPLES NACIONAL

ATIVIDADES IMPEDITIVAS AO SIMPLES NACIONAL CNAE ATIVIDADES IMPEDITIVAS AO Para verificar se a ME ou EPP atende aos requisitos pertinentes quando da opção ao Simples Nacional, serão utilizados os códigos de atividades econômicas previstos na Classificação

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS 1

PREFEITURA DE PALMAS 1 PREFEITURA DE PALMAS 1 ANEXO UNICO 31/12/2005 Secretaria Municipal de Finanças Relação de Atividades CNAE para Informação das faixas para lançamento da TLF e controle DMS INDUSTRIA 1.01 011 PRODUCAO DE

Leia mais

Paraná > Dezembro/2015

Paraná > Dezembro/2015 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Paraná > Dezembro/20

Leia mais

CENTRO LATINOAMERICANO Y CARIBEÑO DE DEMOGRAFÍA (CELADE) CÓDIGOS RAMA DE ACTIVIDADES BRASIL 1960

CENTRO LATINOAMERICANO Y CARIBEÑO DE DEMOGRAFÍA (CELADE) CÓDIGOS RAMA DE ACTIVIDADES BRASIL 1960 CENTRO LATINOAMERICANO Y CARIBEÑO DE DEMOGRAFÍA (CELADE) CÓDIGOS RAMA DE ACTIVIDADES BRASIL 1960 QUESITO X RAMO E CLASSE DE ATIVIDADE Antes de codificar êste quesito, o codificador deve observar as respostas

Leia mais

Energia e Desenvolvimento Humano

Energia e Desenvolvimento Humano Aula 19 A energia elétrica de cada dia Página 321 O consumo de energia aumentou gradativamente ao longo das etapas de desenvolvimento. Este aumento está relacionado com o crescimento populacional e o desenvolvimento

Leia mais

BOLETIM MENSAL Julho/2011

BOLETIM MENSAL Julho/2011 Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho BOLETIM MENSAL Julho/2011 DADOS: CAGED (MTE) Mês/Ano RAIS (MTE) 2010 Este número do Boletim do Observatório do Emprego e do Trabalho da Secretaria do Emprego

Leia mais

FINAME PSI Página 10 1. Para quem se destina o Finame PSI? 2. Qual a diferença entre o FINAME PSI MPME e o FINAME PSI BK?

FINAME PSI Página 10 1. Para quem se destina o Finame PSI? 2. Qual a diferença entre o FINAME PSI MPME e o FINAME PSI BK? 1 FINAME Agrícola PSI Página 3 1. Para quem se destina o Finame Agrícola PSI? 2. Existe algum limite de receita agropecuária para o cliente se enquadrar nesta linha? 3. Neste produto é cobrado flat e fundo

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL RM do Vale do Paraíba e Litoral Norte 2 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE CONSEMA CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE COMISSÃO PROCESSANTE E DE NORMATIZAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE CONSEMA CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE COMISSÃO PROCESSANTE E DE NORMATIZAÇÃO MINUTA de Deliberação CONSEMA Normativa 01/2014 De...de...de 2014... Reunião Ordinária do Plenário do CONSEMA Fixa tipologia para o exercício da competência municipal no âmbito do licenciamento ambiental

Leia mais

PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007

PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007 PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007 Para o ano de 2007, o Produto Interno Bruto PIB do Estado de Rondônia apresentou um crescimento de 5,2% em relação ao ano anterior, ficando assim com 16ª a colocação no ranking

Leia mais

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

Oficinas, serviços de reparação e manutenção, e similares com lavagem automotiva

Oficinas, serviços de reparação e manutenção, e similares com lavagem automotiva Oficinas, serviços de reparação e manutenção, e similares com lavagem automotiva 1. Identificação Empresa/Interessado: Endereço para correspondência: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: E-mail:

Leia mais

Contas Nacionais Trimestrais

Contas Nacionais Trimestrais Contas Nacionais Trimestrais Indicadores de Volume e Valores Correntes 1º Trimestre de 2015 Coordenação de Contas Nacionais 29 de maio de 2015 Tabela Resumo Principais resultados do PIB a preços de mercado

Leia mais

= igual + mais - menos parte CODIGO. = 0 1 relacionados + 81p

= igual + mais - menos parte CODIGO. = 0 1 relacionados + 81p - C O R R E S P. = igual + mais - menos p - Rev.1 OBSERVAÇÕES 0 1 Agricultura, produção a n i m a l, caça e actividades dos serviços = 0 1 relacionados + 81p Agricultura, produção a n i m a l, caça e actividades

Leia mais

ANEXO II TABELA DE TAXAS DE SERVIÇOS METROLÓGICOS. Seção 1. Verificação inicial e verificação subsequente

ANEXO II TABELA DE TAXAS DE SERVIÇOS METROLÓGICOS. Seção 1. Verificação inicial e verificação subsequente ANEXO II TABELA DE TAXAS DE SERVIÇOS METROLÓGICOS Seção 1 Verificação inicial e verificação subsequente Valor R$ da classe de exatidão M3 (peso comercial) 1 até 50 g 1,70 1,70 2 de 100 g até 1 kg 3,90

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Registro 2 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA A INDÚSTRIA DE BENS DE CAPITAL SOB ENCOMENDA

POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA A INDÚSTRIA DE BENS DE CAPITAL SOB ENCOMENDA POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA A INDÚSTRIA DE BENS DE CAPITAL SOB ENCOMENDA São Paulo, fevereiro de 2008 Sumário Sumário...2 1. ESTRUTURA E DINÂMICA DA INDÚSTRIA BRASILEIRA PRODUTORA DE BENS DE CAPITAL

Leia mais

C A L E N D Á R I O D E O B R I G A ÇÕES

C A L E N D Á R I O D E O B R I G A ÇÕES C A L E N D Á R I O D E O B R I G A ÇÕES DIA 04 QUARTA F E V E R E I ro/ 2 0 1 5 IMPOSTO /CONTRIBUIÇÃO IRRF (Fato Gerador 21/01/2015 a 31/01/2015) Juros sobre capital próprio e aplicações financeiras,

Leia mais

I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA e/ou INSTALAÇÃO LAVA-JATO E SIMILARES

I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA e/ou INSTALAÇÃO LAVA-JATO E SIMILARES I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA e/ou INSTALAÇÃO LAVA-JATO E SIMILARES ( ) Este documento Requerimento padrão do empreendedor ou representante legal; deve ser preenchido e assinado

Leia mais

Diária Imposto sobre a Exportação (IE) 0107 Exportação, cujo registro da declaração para despacho aduaneiro tenha se verificado 15 dias antes.

Diária Imposto sobre a Exportação (IE) 0107 Exportação, cujo registro da declaração para despacho aduaneiro tenha se verificado 15 dias antes. AGENDA TRIBUTÁRIA informativo Dezembro Data de Diária Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) Rendimentos do Trabalho Tributação exclusiva sobre remuneração indireta 2063 FG ocorrido no mesmo dia Rendimentos

Leia mais

Qtd Ocupação Contratação Local de Trabalho Escolaridade

Qtd Ocupação Contratação Local de Trabalho Escolaridade Qtd Ocupação Contratação Local de Trabalho Escolaridade 3 Professor prático no ensino profissionalizante Freelancer Americana Curso Técnico 2 Agente de segurança C.L.T. Americana Ensino Médio 4 Trabalhador

Leia mais

ADEQUAÇÃO AO SISTEMA MUNICIPAL DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

ADEQUAÇÃO AO SISTEMA MUNICIPAL DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS ADEQUAÇÃO AO SISTEMA MUNICIPAL DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS Este documento. Requerimento padrão do empreendedor ou representante legal. Cadastro Descritivo da Atividade - Geral devidamente

Leia mais

AUXILIAR DOCENTE Atualizado em Março/2013

AUXILIAR DOCENTE Atualizado em Março/2013 AUXILIAR DOCENTE Atualizado em Março/2013 RELAÇÃO DE REQUISITOS MÍNIMOS PARA INGRESSO NO EMPREGO PÚBLICO PERMANENTE DE AUXILIAR DOCENTE I Este documento tem por finalidade apresentar os requisitos de titulação

Leia mais

BAURU. Ensino Fundamental Ensino Fundamental Outros 1 Eletricista de instalações C.L.T. Barra Bonita Curso Técnico 3

BAURU. Ensino Fundamental Ensino Fundamental Outros 1 Eletricista de instalações C.L.T. Barra Bonita Curso Técnico 3 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Agropecuária, Extrativa Vegetal, Regime de Contratação Local de Trabalho 2 Alimentador de linha de produção Bariri Comércio 1 Atendente de lanchonete Bariri Escolaridade

Leia mais

Instruções Gerais. Regras e convenções para o preenchimento:

Instruções Gerais. Regras e convenções para o preenchimento: Apresentação A PAEP (Pesquisa da Atividade Econômica Paulista) tem por objetivo obter informações sobre a atividade econômica do Estado de São Paulo. A PAEP está coletando dados de mais de 30.000 empresas

Leia mais

PURP 62 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO SETOR DE HABITAÇÕES COLETIVAS SUDOESTE - QUADRAS MISTAS QMSW E CENTRO COMERCIAL - CCSW

PURP 62 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO SETOR DE HABITAÇÕES COLETIVAS SUDOESTE - QUADRAS MISTAS QMSW E CENTRO COMERCIAL - CCSW Folha 1 / 19 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO Folha 2 / 19 DISPOSITIVOS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO VALOR PATRIMONIAL PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO A ATRIBUTOS

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral Contribuinte, Confira os dados de Identificação da Pessoa Jurídica e, se houver qualquer divergência, providencie junto à RFB a sua atualização cadastral.

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA PORTARIA N º 20, DE 27 DE JUNHO DE 2013. O SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

Quadro 1 - Intercâmbio Comercial de Serviços por Setor CNAE - Brasil e Argentina

Quadro 1 - Intercâmbio Comercial de Serviços por Setor CNAE - Brasil e Argentina Ficha 02 - Estatísticas de Comércio Exterior de - Argentina Quadro 1 - Intercâmbio Comercial de por Setor CNAE - e Argentina CORRENTE DE COMÉRCIO ENTRE O BRASIL E A ARGENTINA SALDO Argentina Argentina

Leia mais

Oportunidades de Negócios e Parcerias entre Santa Catarina e China

Oportunidades de Negócios e Parcerias entre Santa Catarina e China Oportunidades de Negócios e Parcerias entre Santa Catarina e China China Brazil Santa Catarina Santa Catarina Dados Gerais SANTA CATARINA Área: 95,442 Km² População: 6,38 Milhões (2012) Densidade: 67 habitantes/km²

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1 de 5 22/02/2016 15:31 Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral Contribuinte, Confira os dados de Identificação da Pessoa Jurídica e, se houver qualquer divergência, providencie junto à RFB a

Leia mais

Boletim Informativo Emprego em Guarulhos nos primeiros 7 meses de 2014

Boletim Informativo Emprego em Guarulhos nos primeiros 7 meses de 2014 Boletim Informativo Emprego em Guarulhos nos primeiros 7 meses de 2014 2 Boletim Informativo - Emprego Janeiro a Julho de 2014 Análise e Redação Dr. Devanido Damião Suporte Técnico Priscila Aguiar, Valdir

Leia mais

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Regime de Contratação Outros 1 Analista de desenvolvimento de sistemas C.L.T. Aparecida Graduação

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Regime de Contratação Outros 1 Analista de desenvolvimento de sistemas C.L.T. Aparecida Graduação Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Escolaridade Outros 1 Analista de desenvolvimento de sistemas Aparecida Graduação Pessoa física 1 Agenciador de propaganda

Leia mais

Nº DE EMPRESAS EM NOME INDIVIDUAL NOS AÇORES, POR ANO

Nº DE EMPRESAS EM NOME INDIVIDUAL NOS AÇORES, POR ANO Q.15.1 - Número de Empresas em nome individual nos Açores, segundo a CAE Rev. 3, por ano AÇORES TOTAL 19 276 2 51 21 238 22 46 23 332 22 335 21 335 21 341 Agricultura, produção animal, caça, floresta e

Leia mais

TAXA DE CÂMBIO EFETIVA REAL Nota Metodológica

TAXA DE CÂMBIO EFETIVA REAL Nota Metodológica TAXA DE CÂMBIO EFETIVA REAL Nota Metodológica (Atualizada em março de 2015) Foram construídas quarenta e três taxas de câmbio efetivas reais, sendo trinta e seis taxas de exportação e sete taxas de importação.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS VIDA VIVA CLUBE IGUATEMI MEM - 02-08

MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS VIDA VIVA CLUBE IGUATEMI MEM - 02-08 MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS VIDA VIVA CLUBE IGUATEMI MEM - 02-08 PORTO ALEGRE - RS 10/04/2012 ÍNDICE 1 - ACABAMENTOS APARTAMENTOS TIPO 2- ÁREAS CONDOMINIAIS 2.1 - ÁREAS DE

Leia mais

Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado

Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado RESOLUÇÃO SEFA Nº 145/2015 Publicada no DOE 9428 de 09.04.2015 O SECRETÁRIO DE ESTADO DA FAZENDA, com fundamento nos Ajustes SINIEF 1/2013, 22/2013 e 5/2014; no inciso XIV do art. 45 da Lei n. 8.485, de

Leia mais

Região Zona da Mata. Regional Dezembro 2013

Região Zona da Mata. Regional Dezembro 2013 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Zona da Mata engloba a Fiemg Regional Zona da Mata. Região Zona da Mata GLOSSÁRIO Setores que fazem

Leia mais

http://www2.camara.gov.br/internet/homeagencia/materias.html?pk=95334

http://www2.camara.gov.br/internet/homeagencia/materias.html?pk=95334 http://www2.camara.gov.br/internet/homeagencia/materias.html?pk=95334 (Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara') Agência Câmara Tel. (61) 3216.1851/3216.1852 Fax. (61) 3216.1856

Leia mais

Anexo Técnico de Acreditação nº 00/OCF.06-1 Accreditation Annex nº

Anexo Técnico de Acreditação nº 00/OCF.06-1 Accreditation Annex nº Anexo Técnico de nº -1 Nº de Accreditation nr Acreditado de acordo com (Accredited to) NP EN 45012 Localização: TagusPark - Núcleo Central 237/239 2780-920 Oeiras Contacto (Contact) Ana Freire Tel: 214220640

Leia mais

Shares and other equity

Shares and other equity A CAE e os impactos no Banco de Portugal Margarida Brites Ramos 1 Função Estatística Lei Orgânica do Banco de Portugal Artigo 12.º Compete especialmente ao Banco, sem prejuízo dos condicionalismos decorrentes

Leia mais

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais - SIASG Sistema de Cadastramento Unificado de Fornecedores

Leia mais

EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS

EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS O Ministério do Trabalho e Emprego divulgou o saldo de empregos dos principais setores da economia, através

Leia mais

CONSELHO DO MEIO AMBIENTE DO DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº03/2014, DE 22 DE JULHO DE 2014

CONSELHO DO MEIO AMBIENTE DO DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº03/2014, DE 22 DE JULHO DE 2014 CONSELHO DO MEIO AMBIENTE DO DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº03/2014, DE 22 DE JULHO DE 2014 Dispõe sobre a dispensa de licenciamento ambiental para empreendimentos/atividades de baixo potencial poluidor/degradador

Leia mais

ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0

ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0 ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0 Código Descrição 1830-0/03-00 REPRODUCAO DE SOFTWARE EM QUALQUER SUPORTE 6190-6/01-00 PROVEDORES DE ACESSO AS REDES

Leia mais

Higiene e segurança no trabalho

Higiene e segurança no trabalho Higiene e segurança no trabalho Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com / Site: www.veniciopaulo.com ESPAÇOS CONFINADOS LIVRETO DO TRABALHADOR NR 33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados

Leia mais

Desoneração da Folha de Pagamentos

Desoneração da Folha de Pagamentos Desoneração da Folha de Pagamentos Legislação Constituição Federal Art. 195, 12 e 13 Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991 Art. 22, inciso I e III Lei nº 12.546, de 14 de dezembro de 2011 Como isso funciona

Leia mais

ANEXO 6 ENQUADRAMENTO DAS ATIVIDADES NOS USOS NÍVEL 1 USOS DE BAIXÍSSIMO IMPACTO E INCOMODIDADE

ANEXO 6 ENQUADRAMENTO DAS ATIVIDADES NOS USOS NÍVEL 1 USOS DE BAIXÍSSIMO IMPACTO E INCOMODIDADE ANEXO 6 ENQUADRAMENTO DAS ATIVIDADES NOS USOS NÍVEL 1 USOS DE BAIXÍSSIMO IMPACTO E INCOMODIDADE Serviços profissionais domiciliares: serviços profissionais liberais, técnicos ou universitários e outras

Leia mais

A identificação de empregos verdes, ou com potencial verde, sob as óticas ocupacional e setorial no Brasil

A identificação de empregos verdes, ou com potencial verde, sob as óticas ocupacional e setorial no Brasil A identificação de empregos verdes, ou com potencial verde, sob as óticas ocupacional e setorial no Brasil Fernanda J, A, P, Nonato* Aguinaldo Nogueira Maciente** *Assessora Técnica do Departamento de

Leia mais

ANEXO II Autorização para geração da NFS-e a partir de 05/01/2015. Descrição do Código CNAE 2.0

ANEXO II Autorização para geração da NFS-e a partir de 05/01/2015. Descrição do Código CNAE 2.0 6201-5/00 Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda 01.01 6201-5/00 Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda 01.02 6190-6/01 Provedores de acesso às redes de comunicações

Leia mais

CONSUMO EFICIENTE DE. energia elétrica: uma agenda para o Brasil

CONSUMO EFICIENTE DE. energia elétrica: uma agenda para o Brasil CONSUMO EFICIENTE DE energia elétrica: uma agenda para o Brasil 2/14 Créditos Copyright Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) 2016 Conteúdo PSR Soluções e Consultoria

Leia mais

Energia sustentável SEÇÃO 3. 3.1 Energia e desenvolvimento SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Energia sustentável SEÇÃO 3. 3.1 Energia e desenvolvimento SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL SEÇÃO 3 Energia sustentável O desenvolvimento econômico baseado na queima de combustíveis fósseis está contribuindo enormemente para a mudança climática, pois a utilização destes resulta na emissão de

Leia mais

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Regime de Contratação Comércio 1 Gerente de restaurante C.L.T. Aparecida Ensino Médio 1

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Regime de Contratação Comércio 1 Gerente de restaurante C.L.T. Aparecida Ensino Médio 1 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Escolaridade Gerente de restaurante Aparecida Médio 1 Comércio 2 Supervisor de produção da indústria alimentícia Aparecida

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO LEI COMPLEMENTAR 123/2006 SIMPLES NACIONAL SUPERSIMPLES

BOLETIM INFORMATIVO LEI COMPLEMENTAR 123/2006 SIMPLES NACIONAL SUPERSIMPLES BOLETIM INFORMATIVO LEI COMPLEMENTAR 123/2006 SIMPLES NACIONAL SUPERSIMPLES O Simples Nacional é o regime de apuração instituído pela Lei Complementar nº 123 de 2006, destinado às empresas enquadradas

Leia mais

ANEXO 1 Regras aplicáveis aos modelos de documentos fiscais

ANEXO 1 Regras aplicáveis aos modelos de documentos fiscais Padrão Mínimo Tipo de Impresso Emissão Operação Série Subsérie Nota Fiscal, modelo 1 Bloco Manual *, 1 a N 4 3 Nota Fiscal, modelo 1 Jogo Solto Mecanizado *, 1 a N 4 3 Nota Fiscal, modelo 1 Jogo Solto

Leia mais

Setor Metal Mecânico

Setor Metal Mecânico Setor Metal Mecânico Desafios Junho de 0 Gerência de Pesquisas e Estatística stica Objetivo e metodologia Objetivo Analisar os desafios identificados no diagnóstico do Setor Metal Mecânico realizado em

Leia mais

O Investimento Direto Estrangeiro (IDE) e o Brasil. Daniela Freddo

O Investimento Direto Estrangeiro (IDE) e o Brasil. Daniela Freddo O Investimento Direto Estrangeiro (IDE) e o Brasil Daniela Freddo 1. O que é o IDE? Investimento de Portfólio X Investimento Direto Investimento de Portfólio: É baseado na percepção do ganho financeiro

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS PROPRIETÁRIO DATA: 04/12/2012 VERSÃO:

MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS PROPRIETÁRIO DATA: 04/12/2012 VERSÃO: MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS PROPRIETÁRIO DATA: 04/12/2012 VERSÃO: 17 EMPREENDIMENTO: Quartier Cabral Versão: V.17 Data: 04/12/2012 1- Descrição dos acabamentos das unidades;

Leia mais

Cogeração de energia: o desafio da sustentabilidade energética

Cogeração de energia: o desafio da sustentabilidade energética Cogeração de energia: o desafio da sustentabilidade energética Cesar Tofanetto Gerente de Projetos, Energias e Manutenção francisco.tofanetto@lanxess.com Fevereiro, 2013 Porto Feliz unidade importante

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA Nº 31, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA Nº 31, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2009 INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA Nº 31, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2009 O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA, nomeado pela Portaria nº 382, de 02 de junho

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 27 Ministério da Educação Nº 1612 - Terça feira, 2 de julho de 2013 PORTARIA Nº 576, DE 28 DE JUNHO DE 2013 - Dispõe sobre o Fórum de Avaliação do Financiamento da Educação Básica Nacional

Leia mais

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria;

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; CATEGORIAS E PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; 2.- Os atestados deverão: 2.1.- Ser apresentados rigorosamente de acordo com

Leia mais

Termelétrica de Ciclo Combinado

Termelétrica de Ciclo Combinado Termelétrica de Ciclo Combinado As usinas termelétricas são máquinas térmicas que têm como objetivo a conversão da energia de um combustível em energia elétrica. A eficiência térmica de conversão destas

Leia mais

ANEXO 02 Tabela de Atividades dos Usos do Solo.

ANEXO 02 Tabela de Atividades dos Usos do Solo. Residencial, Comercial, Serviços, Atividades Especiais e Atividades Primárias USO RESIDENCIAL R.1 Residencial Tipo I Residencial unifamiliar R.2 Residencial Tipo II Residencial multifamiliar horizontal

Leia mais

RESULTADOS DOS INDICADORES EMPRESARIAS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA PESQUISA DA ATIVIDADE ECONÔMICA PAULISTA PAEP/2001

RESULTADOS DOS INDICADORES EMPRESARIAS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA PESQUISA DA ATIVIDADE ECONÔMICA PAULISTA PAEP/2001 RESULTADOS DOS INDICADORES EMPRESARIAS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA PESQUISA DA ATIVIDADE ECONÔMICA PAULISTA PAEP/2001 Indicadores Setoriais de Inovação Indústria A Paep 2001 pesquisou um universo de 41

Leia mais

IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA

IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA TABELA XVI IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA LISTA DE SERVIÇOS 1. Médicos, inclusive análises clínicas, eletricidade médica, radioterapia, ultrasonografia, radiologia, tomografia e congéneres.

Leia mais

Fontes de potência para acionamento de máquinas agrícolas

Fontes de potência para acionamento de máquinas agrícolas Universidade Estadual do Norte Fluminense Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias Laboratório de Engenharia Agrícola EAG 03204 Mecânica Aplicada * Fontes de potência para acionamento de máquinas

Leia mais

Custos Totais de Implantação do Empreendimento PLANILHA 01 AEROPORTO

Custos Totais de Implantação do Empreendimento PLANILHA 01 AEROPORTO Custos Totais de Implantação do PLANILHA 01 AEROPORTO 1. Custo de aquisição do terreno, reassentamentos (com toda infraestrutura) e outras ações de caráter indenizatório. 2. Estudos ambientais 3. Projetos

Leia mais

PROJETO DE LEI. Reajusta os valores da Taxa de Serviços Metrológicos, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

PROJETO DE LEI. Reajusta os valores da Taxa de Serviços Metrológicos, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: PROJETO DE LEI Reajusta os valores da Taxa de Serviços Metrológicos, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1 o A Taxa de Serviços Metrológicos, instituída pelo art. 11 da Lei n o

Leia mais

ANEXO XI CONTRIBUINTES E MERCADORIAS ENQUADRADOS NO PROGRAMA ICMS GARANTIDO INTEGRAL E RESPECTIVOS PERCENTUAIS DE MARGEM DE LUCRO

ANEXO XI CONTRIBUINTES E MERCADORIAS ENQUADRADOS NO PROGRAMA ICMS GARANTIDO INTEGRAL E RESPECTIVOS PERCENTUAIS DE MARGEM DE LUCRO 1 de 29 30/11/2012 10:22 Nota: " Os documentos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os textos publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais."

Leia mais

ESCLARECIMENTO VIII. Em resposta ao questionamento formulado por empresa interessada em participar da licitação em referência, informamos o que segue:

ESCLARECIMENTO VIII. Em resposta ao questionamento formulado por empresa interessada em participar da licitação em referência, informamos o que segue: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO ESPECIAL DE LICITAÇÃO CONCORRÊNCIA N 1/2011 ESCLARECIMENTO VIII Brasília, 20 de abril de 2011. AOS INTERESSADOS

Leia mais

PORTARIA SETEC/MEC N 01, DE 29 DE JANEIRO DE 2014

PORTARIA SETEC/MEC N 01, DE 29 DE JANEIRO DE 2014 PORTARIA SETEC/MEC N 01, DE 29 DE JANEIRO DE 2014 Altera a Portaria SETEC/MEC nº 20, de 27 de junho de 2013, que aprova a Tabela de Mapeamento de cursos técnicos para oferta no âmbito do Programa Nacional

Leia mais

A N E X O I. Carga Horária. Nomenclatura Descrição Sumária/Atribuições Escolaridade/Habilitação. Vencimento

A N E X O I. Carga Horária. Nomenclatura Descrição Sumária/Atribuições Escolaridade/Habilitação. Vencimento A N E X O I Nomenclatura Descrição Sumária/Atribuições Escolaridade/Habilitação Psicólogo Médico Dentista Avaliar e diagnosticar a existência de problemas na área psíquica; prestar atendimento psicológico

Leia mais

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Noroeste

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Noroeste Unidade de Gestão Estratégica Perfil Socioeconômico Regional Noroeste Sebrae em Goiás Conselho Deliberativo Pedro Alves de Oliveira Presidente Diretoria Executiva Igor Montenegro Diretor Superintendente

Leia mais

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX MN

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX MN CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre eles, de borracha sintética de elevada resistência a abrasão.

Leia mais

3.1. Empreendimentos e Atividades que necessitam do Licenciamento Ambiental. 3.2. EIA-RIMA como Instrumento do licenciamento Ambiental. Exercícios.

3.1. Empreendimentos e Atividades que necessitam do Licenciamento Ambiental. 3.2. EIA-RIMA como Instrumento do licenciamento Ambiental. Exercícios. Módulo 3 3.1. Empreendimentos e Atividades que necessitam do Licenciamento Ambiental. 3.2. EIA-RIMA como Instrumento do licenciamento Ambiental. Exercícios. 3.1 Empreendimentos e Atividades que necessitam

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO PARÁ - CREA-PA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO PARÁ - CREA-PA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E DO PARÁ - CREA-PA Relação entre os serviços da ART utilizado no antigo sitema e os serviços do Sistema Atual (serviços mais utilizados) Grupo Sistema

Leia mais

LEI 31/2009, DE 3 DE JULHO, NA REDACÇÃO DA LEI 40/2015, DE 1 DE JUNHO

LEI 31/2009, DE 3 DE JULHO, NA REDACÇÃO DA LEI 40/2015, DE 1 DE JUNHO LEI 31/2009, DE 3 DE JULHO, NA REDACÇÃO DA LEI 40/2015, DE 1 DE JUNHO COORDENADOR DE PROJECTO, DIRECTOR DE OBRA E DIRECTOR DE FISCALIZAÇÃO DE OBRA, ELABORAÇÃO DE PROJECTOS DE ENGENHARIA ESPECIFÍCOS, E

Leia mais