A AÇÃO DO ESTADO E DO MERCADO IMOBILIÁRIO NO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SÓCIOESPACIAL EM BAIRROS DA ZONA LESTE DE TERESINA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A AÇÃO DO ESTADO E DO MERCADO IMOBILIÁRIO NO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SÓCIOESPACIAL EM BAIRROS DA ZONA LESTE DE TERESINA"

Transcrição

1 I UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Júlio de Mesquita Filho Instituto de Geociências e Ciências Exatas Campus de Rio Claro ANTONIO FREDERICO VILARINHO CASTELO BRANCO A AÇÃO DO ESTADO E DO MERCADO IMOBILIÁRIO NO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SÓCIOESPACIAL EM BAIRROS DA ZONA LESTE DE TERESINA Tese de Doutorado apresentada ao Instituto de Geociências e Ciências Exatas, do Campus de Rio Claro da Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, como parte dos requisitos para obtenção do título de Doutor em Geografia. Orientadora: Profª. Drª. Sílvia Aparecida Guarnieri Ortigoza Rio Claro SP 2012

2 II ANTONIO FREDERICO VILARINHO CASTELO BRANCO A AÇÃO DO ESTADO E DO MERCADO IMOBILIÁRIO NO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL EM BAIRROS DA ZONA LESTE DE TERESINA Tese de Doutorado apresentada ao Instituto de Geociências e Ciências Exatas do Campus de Rio Claro, da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, como parte dos requisitos para obtenção do título de Doutor em Geografia. Comissão Examinadora. Profª. Drª. Silvia Aparecida Guarnieri Ortigoza (Orientadora) Prof. Dr. Antonio Cardoso Façanha Profª. Drª. Claudete de Castro Silva Vitte Prof. Dr. José Gilberto de Souza Prof. Dr. Eduardo Alberto Manfredini Rio Claro SP, 31 de julho de 2012.

3 III DEDICATÓRIA A Ana, André e Bruno, família que é meu porto seguro. A minha mãe, por seu amor incondicional. À memória de meus Castelos que já se foram. E a você, Teresina!

4 IV AGRADECIMENTOS Primeiramente e, acima de tudo, a Deus, pelo dom da ciência. Pois a luz da ciência que eu derramo sobre todos é como a luz da manhã, e de longe eu a torno conhecida (Ecl 24,44) À profª. Drª Silvia Aparecida Guarnieri Ortigoza, minha orientadora, que me deu a mão e ajudou a salvar esse projeto de vida. À profª Drª Silvia Aparecida Guarnieri Ortigoza e ao prof. Dr. Tavares, como Coordenadores do Programa de Pós-Graduação em Geografia pela coragem de abraçar o convênio com o CEFET do Piauí. Ao CEFET/IFPI pela oportunidade desse processo de crescimento acadêmico. Aos professores Auro, Paulo Godoy, Rolando, Pião, Sérgio dos Anjos, Ana Tereza, Fadel, Darlene, Sandra Piton, Silvia e Isabel, por nos abrirem uma janela, possibilitando apreciação da bela paisagem geográfica. Ao Pe. Hilário Govonni S. J., meu professor de Geografia no Colégio Diocesano, em Teresina, por ter me mostrado, ainda pelos idos da década de 1970, que a Geografia era muito mais do que desenhar mapas e decorar capitais de estados e países Aos colegas de curso, todos, pela partilha das angústias; pela alegria das conquistas e pela vitória dos esforços. Aos amigos do mercado imobiliário de Teresina, sem exceção, mas em especial à Imobiliária Evaldo Matos, por ter disponibilizado todo seu arquivo de dados imobiliários, o que contribuiu muito para o enriquecimento deste trabalho. Ao SINDUSCON-PI, pela disponibilização dos arquivos referentes à série histórica do CUB. Ao escritório do IBGE-PI, pela atenção no fornecimento de alguns dados sobre os bairros de Teresina. Ao Major Joel Ribeiro, pela rica conversa sobre seu mandato como prefeito de Teresina. Ao Arquivo Público do Piauí, pela disponibilização dos periódicos pesquisados.

5 V Ao professor Antonio Cardoso Façanha, da Universidade Federal do Piauí, pelos oportunos e construtivos comentários por ocasião do exame geral de qualificação e, posteriormente, pelas ricas trocas de ideias. Às professoras Bartira Araujo e Iracilde Moura Fé, pelos documentos e informações fornecidas sobre as origens dos bairros de Fátima e Jóquei, e sobre o cadastro municipal de edificações. À Maria Julia, pela grande ajuda na reta final. Ao André Mendes, arquiteto e urbanista em formação, pelo incentivo e grande ajuda na preparação dos mapas e na montagem final do trabalho.

6 VI RESUMO As características da sociedade se refletem diretamente no arranjo espacial da cidade, na forma como as pessoas habitam, trabalham e se deslocam em seu cotidiano. Na cidade moderna, produto da economia de mercado, é comum a tentativa de aglutinação da população segundo estratos econômicos, com as pessoas buscando a proximidade com seus assemelhados. Especialmente, assemelhados econômicos, em um processo de autossegregação, que apenas se consolida, mas nunca finda, pois em função da constante necessidade de multiplicação do capital, novas necessidades são criadas e essa elite segregada se desloca em busca de novos bairros, novos serviços, novos vizinhos, em uma constante busca pelo novo, o diferenciado, o exclusivo. O entendimento dos processos de segregação socioespacial é importante para a compreensão da própria cidade e da sociedade que a molda. Este trabalho busca explicar o processo de segregação socioespacial existente em bairros da zona Leste de Teresina, em especial o Jóquei, Fátima, Horto e São Cristóvão, identificando as contribuições dos agentes do mercado imobiliário e do Poder Público, este último enquanto poder legitimador do processo. A pesquisa é feita segundo o arcabouço metodológico estabelecido por Henri Lefèbvre, estruturado em três momentos de análise. São estudados diversos marcos temporais que de alguma forma possam ter contribuído com a evolução da autossegregação, desde a fundação do Jockey Club e dos primeiros loteamentos de seu entorno, no início da década de 1950, até os dias atuais. Palavras-chave: Espaço Urbano. Segregação. Henri Lefèbvre. Teresina-PI.

7 VII ABSTRACT The characteristics of society are directly reflected in the spatial arrangement of the city, in the way people live, work and move within it in their everyday life. In the modern city, a product of the market economy, attempts to agglutinating the population based on the socio-economic group they belong to are common, with people seeking proximity to their counterparts. Especially their economic counterparts, in a process of self-segregation that only consolidates itself, but never ends, for because of the constant need of self-replication that capital has, new needs are created and this self-segregated economic elite moves away, seeking new neighborhoods, new services, new neighbors, in a constant search for the new, the unique, the exclusive. The understanding of the processes of socio-spatial segregation is important to understand the city itself and the society that shapes it. This thesis aims to explain the process of socio-spatial segregation that takes place on the East Side of Teresina, especially in the neighborhoods of Jóquei, Fátima, Horto and São Cristóvão, indentifying the contributions of the agents of the real estate market and of the government institutions, the latter as the legitimating power of this process. The research is carried out according to the theoretical framework established by Henri Lefèbvre, structured in three moments of analysis. Many temporal marks that may have contributed in any way to the evolution of selfsegregation were analyzed, from the foundation of the Jockey Club and the first subdivisions of land in its surroundings, in the beginning of the decade of 1950, to the present. Keywords: Urban Space. Segregation. Henri Lefèbvre. Teresina-PI.

8 VIII RESUMEN Las características de la sociedad se reflejan directamente en la manera como la ciudad se dispone en el espacio, en la manera como las personas la habitan, como trabajan y se desplazan en sus cotidianos. En la ciudad moderna, resultado de la economía de mercado, por lo usual la población se aglutina de acuerdo a los distintos niveles económicos, buscando aproximarse de sus iguales. Se aproximan, sobre todo, los asemejados económicos, en un proceso de auto apartamiento que apenas se consolida, pero que nunca tiene fin, pues la constante necesidad de multiplicación del capital crea necesidades nuevas, y la élite segregada se disloca, buscando barrios nuevos, nuevos proveedores de servicios, nuevo vecindario, en lo que se podría calificar como una busca constante por lo nuevo, lo distinto, lo exclusivo. La comprensión de los procesos de segregación social y espacial es importante para que se comprenda la ciudad y la sociedad que la moldea. En este trabajo, se busca explicar el proceso de segregación social y espacial en barrios de la región Este de Teresina, como en Jóquei, en Fatima, en Horto y en São Cristóvão, definiendo las contribuciones del mercado de inmuebles y aquellas del Poder Público, en el sentido que es éste el responsable por la legitimación de los procesos. Se conduce la pesquisa según las direcciones establecidas por Henri Lefèbvre, estructurada en tres momentos de análisis. Se estudian algunos marcos temporales que de alguna manera se imbrican con la evolución del proceso de auto segregación, desde la fundación del Jóckey Club y la venta de tierras em su entorno hasta la actualidad. Palabras clave: Espacio Urbano. Segregación. Henri Lefèbvre. Teresina-PI.

9 IX LISTA DE FIGURAS FIGURA TÍTULO PÁG. Figura 01 Material publicitário do primeiro empreendimento imobiliário da 07 zona Leste de Teresina, publicado no jornal O DIA de 02 de março de 1952 Figura 02 Material publicitário do primeiro empreendimento imobiliário da 07 zona Leste de Teresina, publicado no jornal O DIA de 02 de março de 1952 (Croquis do Loteamento) Figura 03 Croquis da planta do loteamento Vila de Fátima, podendo-se 09 observar na parte superior da figura, as ruas do loteamento Parque Ceará e o terreno do Jockey Club, em Figura 04 Vista panorâmica da área de estudo. 34 Figura 05 Amostra de fotografias de revendas autorizadas de veículos 36 automotores ao longo do corredor da avenida João XXIII; Figura 06 Amostra de fotografias de Restaurantes e casas noturnas ao 37 longo da avenida Nossa Senhora de Fátima; Figura 07 Amostra de fotografias retratando a nova paisagem em formação 38 ao longo da avenida Dom Severino; Figura 08 Vista da ponte estaiada Mestre Isidoro França 39 Figura 09 Vista parcial do trecho inicial das avenidas Nossa Senhora de 39 Fátima e Senador Arêa Leão, com seu comércio popular; Figura 10 Vista do comércio popular da Praça São Cristóvão; 40 Figura 11 Rua Industrial José Camilo da Silveira, no bairro de Fátima; 41 Figura 12 Rua Demerval Lobão, no bairro de Fátima, ainda com 41 pavimentação poliédrica. Figura 13 Rua Ribamar Pacheco, no bairro de Fátima 42 Figura 14 Rua Ribamar Pacheco, no bairro de Fátima, também com 42 pavimentação poliédrica. Figura 15 Antigos pontos comerciais na série Sul da avenida Dom Severino, 43 no bairro de Fátima, vendo-se ao fundo o despontar de novos edifícios;

10 X Figura 16 Antigos pontos comerciais na série Sul da avenida Dom Severino, 44 no bairro São Cristóvão; desativados para serem requalificados para novos usos. Vendo-se ao fundo o despontar de novos edifícios; Figura 17 Antigas residências construídas nas décadas de sendo 44 demolidas para dar lugar a novos estabelecimentos comerciais; Figura 18 Antigas residências construídas nas décadas de sendo 45 disponibilizadas para venda; Figura 19 Fotografias de novos estabelecimentos de atenção à saúde e 48 comercialização de mobiliário ao longo da avenida Elias João Tajra, no bairro Jóquei; Figura 20 Amostra de edifícios de alto padrão no bairro Jóquei, com um 53 apartamento por andar; Figura 21 Amostra de edifícios de alto padrão nos bairros Jóquei, Horto e 54 São Cristóvão com dois apartamentos por andar; Figura 22 Vista do corredor da avenida Raul Lopes, com o parque 55 ambiental à esquerda e a ponte estaiada ao fundo. Figura 23 Amostra de edifícios de padrão normal-baixo nos bairros vizinhos 56 ao Jóquei. Figura 24 Material publicitário do Condomínio Horto Park 64 Figura 25 Ilustração do material publicitário do Condomínio Villa 66 Mediterrâneo Figura 26 Ilustração do material publicitário do Edifício Vintage 68 Figura 27 Imagem indicativa de parte das áreas que já foram ou são 70 ocupadas por clubes sociais. Pode-se observar também o sombreamento provocado pelos edifícios. Figura 28 Plano inicial da cidade de Teresina; 76 Figura 29 Fotografia do galpão onde funcionou a antiga Fábrica de fiação e 78 tecelagem Figura 30 Mosaico fotográfico mostrando a evolução da ocupação do 86 espaço urbano no entorno do Jockey Club.

11 XI Figura 31 Imagem aérea de parte da área de estudo, com a indicação do contorno do loteamento Vila de Fátima, parte do contorno do Parque Ceará e parte do contorno do terreno original do Jockey Club do Piauí no ano de Figura 32 Imagem aérea de parte da área de estudo, com a indicação do 88 contorno do loteamento Vila de Fátima, contorno do Parque Ceará e contorno do terreno original do Jockey Club do Piauí no ano de Figura 33 Imagem aérea de parte da área de estudo, com a indicação do 89 contorno do loteamento Vila de Fátima, parte do contorno do Parque Ceará, terreno atual do Jockey Club do Piauí no ano de Figura 34 Imagem aérea de parte da área de estudo, com a indicação do 89 contorno do loteamento Vila de Fátima, contorno do Parque Ceará, terreno atual do Jockey Club do Piauí e Loteamento Jóquei Clube, no ano de Figura 35 Vista da antiga ponte de madeira sobre o rio Poti 90 Figura 36 Vista da ponte Juscelino Kubitscheck em obras 91 Figura 36 Ponte Juscelino Kubitschek, inaugurada em 1957; 91 Figura 38 Indicação da densidade demográfica dos bairros de Teresina em e a localização da área de estudo. Figura 39 Indicação do alcance da rede de abastecimento d água de 100 Teresina em 1969 e a localização da área de estudo. Figura 40 Indicação do alcance do projeto da rede de esgoto de Teresina 101 em 1969 e a localização da área de estudo Figura 41 Indicação do alcance da rede elétrica de Teresina em 1969 e a 102 localização da área de estudo Figura 42 Indicação do alcance da rede de telefonia de Teresina em 1969 e 103 a localização da área de estudo Figura 43 Indicação da pavimentação das vias de Teresina em 1969 e a 104

12 XII localização da área de estudo. Figura 44 Planta de Valores de Teresina em 1969 e a localização da área de estudo. Figura 45 Indicação das densidades demográficas propostas para os bairros de Teresina até 1978 e a localização da área de estudo. Figura 46 Solenidade de instituição da Fundação Universidade Federal do Piauí Figura 47 Indicação do alcance da rede de abastecimento d água de Teresina em 1977 e a localização da área de estudo. Figura 48 Indicação do alcance da rede elétrica de Teresina em 1976 e a 123 localização da área de estudo. Figura 49 Indicação das densidades demográficas existentes em 1976 e 124 propostas até 1985 para Teresina e a localização da área de estudo. Figura 50 Planta de valores de terrenos de Teresina no ano de 1976 e a 125 localização da área de estudo Figura 51 Amostra de fotografias de edifícios construídos nas zonas ZR1, na vigência da legislação do PET, quando a quantidade máxima 130 de pavimentos permitida era 2; Figura 52 Zoneamento urbano proposto para Teresina no horizonte de 131 planejamento do PET I e a localização da área de estudo Figura 53 Amostra de fotografias de edifícios construídos nas zonas ZR-5 e ZR-6, na vigência da legislação do II PET 139 Figura 54 Amostra de fotografias de edifícios construídos nas zonas ZR-3, 145 ZR-4 e ZC-6, na vigência da legislação do II PET (Leis de 1993); Figura 55 Fotografias de áreas internas do Riverside Walk Shopping, no 147 bairro Jóquei; Figura 56 Material publicitário do Edifício Meridian; 149 Figura 58 Comportamento gráfico dos preços dos terrenos no Jóquei 158 Figura 59 Comportamento gráfico dos preços dos terrenos no bairro de 159 Fátima Figura 60 Comportamento gráfico dos preços dos terrenos no Horto 161 Figura 61 Comportamento gráfico dos preços dos terrenos no São 162 Cristóvão

13 XIII LISTA DE MAPAS MAPA TÍTULO PÁG. Mapa 01 Localização da área de estudo 05 Mapa 02 Zona Urbana de Teresina, indicando a área de estudo 17 Mapa 03 Área de estudo como forma aproximada de setor de círculo, 18 conforme o modelo teórico de Hoyt Mapa 04 Indicação dos conflitos urbanos na área de estudo 46 Mapa 05 Área de estudo, mostrando o zoneamento segundo a Lei 52 Complementar Nº 3560 de 20/10/206 (Uso do Solo) Mapa 06 Área de estudo mostrando a distribuição espacial dos 62 edifícios com mais de 04 pavimentos Mapa 07 Localização da implantação do Jockey Club do Piaui e dos 87 Loteamentos Parque Ceará e Vila de Fátima Mapa 08 Área de estudo mostrando o zoneamento segundo a Lei 138 Complementar nº 1.937, de 16 de agosto de 1988 Lei de Uso do Solo Mapa 09 Área de estudo mostrando o zoneamento segundo a Lei nº , de 23 de dezembro de 1993 Lei de Uso do Solo Mapa 10 Área de estudo mostrando o zoneamento segundo a Lei Complementar nº 3.560, de 20 de outubro de 2006 Lei de Uso do Solo 144

14 XIV LISTA DE QUADROS QUADRO TÍTULO PÁG. Quadro 01 Marcos espaço-temporais do processo de segregação 10 socioespacial em bairros da zona Leste Teresina-PI Quadro 02 Indicação das possibilidades de Uso e ocupação do solo urbano na área de estudo 49 Quadro 03 Identificação das produtoras de espaços verticalizados nos bairros estudados 59 Quadro 04 Identificação das imobiliárias com atuação destacada na comercialização de espaços verticalizados nos bairros estudados 60 Quadro 05 Caracterização das zonas residenciais e comerciais de acordo com as Leis e 1.937, de 16 de agosto de Quadro 06 Caracterização das zonas residenciais e comerciais de acordo com as Leis e 2.265, de 23 de dezembro de

15 XV LISTA DE TABELAS TABELA TÍTULO PÁG. Tabela 01 Evolução da população urbana, da população rural e da taxa de urbanização em Teresina, no período de 1872 a Tabela 02 Área, distância a Teresina e População nos anos de 2000 e 2010, dos municípios que compõem a RIDE Grande Teresina Tabela 03 Composição e variação do PIB e PIB Per Capita de 32 Teresina entre os anos de 1999 e 2009 Tabela 04 Variação do Índice de Desenvolvimento Humano das 33 capitais nordestinas entre os anos de 1970 e 2000 Tabela 05 Áreas, populações e densidades demográficas dos 35 bairros da área de estudo nos anos de 1991, 1996, 2000, 2007 e 2010 Tabela 06 Poder de compra de terra no bairro Jóquei nos anos de , 1976 e 2011, com base no salário mínimo vigente em cada ano Tabela 07 Terrenos vendidos no Jóquei entre janeiro/97 e 157 dezembro/09 Tabela 08 Terrenos vendidos em Fátima entre junho/01 e março/ Tabela 09 Terrenos vendidos no Horto entre junho/98 e março/ Tabela 10 Terrenos vendidos no São Cristóvão entre outubro/98 e 162 novembro/09 31

16 XVI LISTA DE SIGLAS AGESPISA Companhia de Água e Esgoto do Piauí S/A BNH Banco Nacional de Habitação BR 343 Rodovia com Jurisdição Federal COHAB Companhia de Habitação IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. PDDU Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano PDLI Plano Diretor Local Integrado PET Plano Estrutural de Teresina PI 113 Rodovia com Jurisdição do Estado do Piauí PMT Prefeitura Municipal de Teresina SERFHAU Serviço Federal de Habitação e Urbanismo SFH Sistema Financeiro de Habitação UESPI Universidade Estadual do Piauí UFPI Universidade Federal do Piauí ZC Zona Comercial ZE Zona Especial ZI Zona Industrial ZP Zona de Preservação ZR Zona Residencial ZS Zona de Serviços

17 XVII SUMÁRIO LISTA DE FIGURAS LISTA DE MAPAS LISTA DE QUADROS LISTA DE TABELAS LISTA DE SIGLAS IX XIII XIV XV XVI INTRODUÇÃO E FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 1 CAPÍTULO I 28 A ZONA LESTE QUE TEMOS: Um olhar sobre a realidade dos bairros Jóquei, Fátima, Horto e São Cristóvão CAPÍTULO II 71 TERESINA DO PLANO INICIAL À INFLUÊNCIA DO MERCADO MUNDIAL: Uma revisão histórica da construção do espaço da zona Leste Teresinense CAPÍTULO III 151 TERESINA SOB A INFLUÊNCIA DO MERCADO MUNDIAL: Uma análise da mudança na estrutura de produção do espaço da zona Leste Teresinense CONSIDERAÇÕES FINAIS O FUTURO DOS BAIRROS ESTUDADOS E ÁREAS VIZINHAS: Reflexões acerca de futuras pesquisas sobre processos urbanos na zona Leste de Teresina 165

18 1 INTRODUÇÃO E FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA O desenvolvimento da presente pesquisa foi motivado pelo conhecimento adquirido ao longo de mais de uma década de estudos do mercado imobiliário da cidade de Teresina, em especial nos bairros Jóquei, Fátima, Horto e São Cristóvão; inicialmente como engenheiro civil, lidando com avaliação de imóveis; posteriormente, como professor em cursos de formação de corretores de imóveis e engenheiros avaliadores; e mais recentemente, na condição de aluno do doutorado em Geografia, quando foi possível deitar um olhar crítico sobre a paisagem ali construída, e perceber que havia um rico processo espacial a ser entendido. Ao longo desse período foi possível observar as transformações ocorridas naquela área da cidade, como a melhoria da infraestrutura, com a regularização do greide de vias e melhoria de sua pavimentação; a construção do sistema de coleta e tratamento de esgotos sanitários; o início e fortalecimento do processo de verticalização; a implantação do shopping Center Riverside; a consolidação de vias como corredores de comércio de bens e serviços; a acentuada valorização da terra e do espaço construído e o fortalecimento do processo de segregação socioespacial que ali se desenvolve. O processo de segregação socioespacial naquela área de Teresina foi estudado inicialmente por ABREU (1983) abrangendo uma área de 06 (seis) bairros da zona Leste da cidade, à época, denominados respectivamente de: Jockey Club, Fátima, Campus Universitário, Planalto Ininga, Esplanada Florestal e São Cristóvão, onde concluiu que A área pesquisada apresenta-se subdividida em três sub-áreas: uma, onde é marcante o caráter de segregação elitista, constituída por Jockey Club, Esplanada Florestal e Campus Universitário; a segunda, constituída por Fátima e São Cristóvão, que ainda não pode ser definida, embora os dados indiquem uma tendência à elitização; e a terceira, representada pelo bairro Planalto Ininga, que

19 2 apresenta-se díspar das duas sub-áreas anteriores, cuja tendência de segregação não pode, no momento, ser estimada. (ABREU, 1983, p. 107 ) Outros pesquisadores, ao analisarem processos espaciais em Teresina, voltaram olhares para aquela área, destacando-se os trabalhos de Façanha (1998), para quem Os bairros Jóquei, Fátima e Ininga transformaram-se ao longo dos anos, em espaços privilegiados para a reprodução social da população elitizada de Teresina. A segregação residencial de alto status, até o ano de 1995, nesses espaços, pode se dizer, uma realidade, e não mais uma tendência. Essa afirmação deriva de uma leitura espacial que merece, em outro estudo, o devido aprofundamento. [...] Diante do exposto aqui, é mister reafirmar-se que as análises futuras sobre essa temática haverão, necessariamente, de passar pela produção do espaço urbano na Zona Leste, o que significará uma substancial contribuição para a compreensão da cidade como um todo. (FAÇANHA, 1998, p 169); Lima (2001), que ao estudar a Promoção Imobiliária em Teresina, assim se referiu àquela área: As modificações urbanas verificadas em Teresina se processam, de forma mais visível, através da produção de habitações destinadas às classes sociais mais abastadas, caracterizando-se como uma produção verticalizada e de forte conteúdo elitista, o que projeta no imaginário coletivo uma concepção de cidade moderna, ao mesmo tempo em que cria e/ou consolida áreas urbanas segregadas espacialmente. Os indicativos desse processo estão expressos nas alterações urbanísticas verificadas em algumas áreas da cidade, notadamente nos bairros Frei Serafim e área do Jóquei, formada pelos bairros Jóquei Clube, Fátima, São Cristóvão, Horto Florestal e, ainda, o bairro dos Noivos e Cabral. Essas alterações estão relacionadas com a produção de edifícios de apartamentos, configurando uma nova forma de ocupação dessas áreas, com profundas mudanças na paisagem urbana. (LIMA, 2001, p 14 ) ; E Araujo (2009), para quem:

20 3 O desenvolvimento tanto do bairro de Fátima como do Jóckey Clube foi selado com a instalação do Campus da UFPI, como já citamos, e, a partir daí, os promotores imobiliários iniciaram fortes investimentos na construção de condomínios destinados a uma classe de alto poder aquisitivo, na década de Os investimentos em moradias passaram a ser bem altos, não sendo poupados recursos para deslocar para ali uma nova classe social. (ARAUJO, 2009, p. 99). Indicando ainda outra vertente de ocupação da área, adiante Araujo (2009) complementa: A atuação da igreja foi elemento primordial para o início do povoamento da zona Leste, e especificamente do bairro de Fátima, já que a instituição se fez presente não só pela pequena igreja que foi edificada ali, como também pelo Centro Social de Fátima, que, por muito tempo prestou serviço aos moradores do bairro e da zona como um todo, especialmente depois que a pequena igreja foi elevada à condição de Paróquia, em 1969, pelo Arcebispo Dom Avelar Brandão Vilela. (ARAUJO, 2009, p. 105). Atualmente a área correspondente aos bairros estudados possui grande importância econômica para a cidade, quer pela intensa atividade da indústria da construção civil desenvolvida, quer pelos prestadores de serviços ali instalados nas mais diversas áreas de consumo como educação, gastronomia, saúde e comércio diversificado. Embora seja uma área cuja paisagem se transforma a cada dia, ainda é possível com um olhar mais atento, perceber traços dos primórdios de sua ocupação, no início da década de 1960, que contrastam e se conflitam com sua face atual. O objeto teórico da pesquisa é o processo de segregação socioespacial existente em parte da zona Leste da cidade de Teresina-PI, sendo mais acentuado nos bairros Jóquei 1, Fátima, Horto 2 e São Cristóvão, que correspondem aproximadamente à área onde Abreu (1983) detectou a existência e/ou tendência à segregação socioespacial, mas presente também, de forma mais discreta, em 1 Ao longo deste texto são utilizadas as grafias Jóquei, Jóquei Clube e Jockey Club. A primeira denominação sempre se referirá ao bairro Jóquei, e foi dada pela Lei nº 1.934, de 16 de agosto de 1988; a segunda, sempre se referirá à avenida que cruza o bairro na direção Leste-Oeste, e a terceira, sempre se referirá ao clube, que até os dias atuais preserva sua denominação de constituição. 2 Essa denominação, como todas as demais dos bairros de Teresina, foi dada pela Lei nº 1.934, de 16 de agosto de 1988, e se refere ao bairro anteriormente denominado de Horto Florestal, denominação originária de uma reserva florestal do IBAMA existente no bairro.

21 4 bairros situados à margem direita da avenida João XXIII trecho urbano da BR-343 e às margens da avenida Presidente Kennedy trecho urbano da Rodovia PI-112. A localização da área de estudo está indicada no mapa 01, com seu perímetro definido ao norte pela Avenida Universitária e pela rua Visconde da Parnaíba; ao leste pela avenida Presidente Kennedy (denominação do trecho urbano da rodovia PI-112); ao sul pela avenida João XXIII (denominação do trecho urbano da rodovia BR-343) e a oeste pela avenida Raul Lopes, que margeia o rio Poti. O recorte espacial da pesquisa contempla a área que contém a maior concentração de edifícios residenciais com mais de 04 (quatro) pavimentos da cidade e onde começa a ganhar importância a produção de empreendimentos que Caldeira (2003) denominou de Enclaves Fortificados. Esses empreendimentos, segundo a autora São propriedades privadas para uso coletivo e enfatizam o valor do que é privado e restrito, ao mesmo tempo que desvalorizam o que é público e aberto na cidade. São fisicamente demarcados e isolados por muros, grades, espaços vazios e detalhes arquitetônicos. São voltados para o interior e não em direção à rua, cuja vida pública rejeitam explicitamente. São controlados por guardas armados e sistemas de segurança que impõem as regras de inclusão e exclusão: devido ao seu tamanho, às novas tecnologias de comunicação, organização do trabalho e aos sistemas de segurança, eles são espaços autônomos, independentes do seu entorno, que podem ser situados praticamente em qualquer lugar. (CALDEIRA, 2003,p.258,259). O recorte temporal considerado tem como marco inicial o ano de 1952 Ano do Centenário de fundação de Teresina e quando ocorreram os lançamentos dos primeiros loteamentos de que se tem notícia na zona Leste da cidade, que foram: SOCOPO Cidade Jardim, Parque Ceará e Jardins de Fátima; além da fundação do Jockey Club do Piauí. O seu marco final é o ano de 2012, quando novas formas de morar despontam em bairros mais afastados, que são os loteamentos e condomínios horizontais fechados que ocorrem nos bairros Morros, Socopo, Tabajaras, Ininga, Planalto e Uruguai, demonstrando uma nova tendência no consumo do espaço, e ano da venda do imóvel da sede do Jockey Club do Piauí, encerrando assim seu

22

23 6 ciclo de existência que durou 60 (sessenta) anos, no bairro a que emprestou o nome. O SOCOPO Cidade Jardim, no ano de 1951, situado no local conhecido como Data Centro, atual bairro Socopo, com acesso pela rodovia PI-112, tinha como atrativos para seus compradores, além dos lotes, clube social com piscina e salão de jogos, energia elétrica, fonte de água mineral, praças esportivas, lagoa e vacaria 1. As figuras 1 e 2 apresentam material publicitário do empreendimento, sendo reproduzido também um trecho de matéria publicada em jornal da época, onde fica clara a natureza e a quem se destinava tal empreendimento. Nas palavras do cronista pode-se perceber certa dose de otimismo pela novidade, e o fato em si, que começa a construir para parte da zona Leste de Teresina, uma imagem de lugar de lazer e moradia para as classes de mais alta renda da cidade, invocando, principalmente, a possibilidade de tranqüilidade e fuga das altas temperaturas registradas, principalmente durante o segundo semestre do ano. Já àquela época, um lugar de possibilidades diferenciadas! Teresina, que é uma cidade onde a vida já se apresenta trepidante, não tinha até pouco tempo, lugares de refúgio para obreiros das riquezas públicas ou privadas. Algum ou outro ricaço possui a sua granja, a sua casa de campo para o descanso semanal, fora dos barulhos da cidade, embora que em estado empírico, sem o conforto completo para gozar remansosa paz.[...] Queremos ressaltar aqui o notável empreendimento que vêem de tomar alguns homens ricos do nosso meio social e comercial, os quais em sociedade, adquiriram a gleba Centro, no vale do Poty, para estabelecer ali verdadeira zona balneária. O poço artesiano que tem, com mais de 600 metros, jorrado água salubre e medicinal; as matas que circundam o local; boas casas já existentes e uma magnífica rodovia que nos leva de Teresina para lá, tudo isto leva a crer a transformação que teremos de uma vida insípida e cruenta de cidade tropical como a nossa, para termos dias, semanas e meses do mais puro ar atmosférico e erguerse uma verdadeira e suave vida rural, para as épocas quentes de nossa Capital. Fonte: Jornal O DIA, 29 de julho de Termo empregado regionalmente para designar o curral ou estábulo onde ficam as vacas em lactação.

TERESINA - DINÂMICA POPULACIONAL -

TERESINA - DINÂMICA POPULACIONAL - TERESINA - DINÂMICA POPULACIONAL - Teresina (PI), Setembro 2014 População Residente 1 - DINÂMICA POPULACIONAL 1.1 EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO Tabela 1: Teresina População residente por zona e a densidade demográfica

Leia mais

TERESINA: PROJETOS SOCIAIS

TERESINA: PROJETOS SOCIAIS TERESINA: PROJETOS SOCIAIS Teresina (PI), Março/2015 SANEAMENTO BÁSICO SANEAMENTO BÁSICO Abastecimento de Água MELHORIA DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA (SAA) Objetivo: Substituição e adequações das

Leia mais

ANEXO V BENS AFETOS À SUBDELEGAÇÃO

ANEXO V BENS AFETOS À SUBDELEGAÇÃO ANEXO V BENS AFETOS À SUBDELEGAÇÃO 1. SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA ESTAÇÃO ELEVATÓRIA DE ÁGUA JOCKEY CLUB EEAT p/ CR Planalto Uruguai (RAP R-7B PARA RAP RN-11) JOCKEY CLUB EEAT p/ CR Satelite (RAP

Leia mais

ENDEREÇOS, TELEFONES, DELEGADOS E ÁREAS DE CIRCUNSCRIÇÃO DOS DISTRITOS POLICIAIS DE TERESINA

ENDEREÇOS, TELEFONES, DELEGADOS E ÁREAS DE CIRCUNSCRIÇÃO DOS DISTRITOS POLICIAIS DE TERESINA 1 ENDEREÇOS, TELEFONES, DELEGADOS E ÁREAS DE CIRCUNSCRIÇÃO DOS DISTRITOS POLICIAIS DE TERESINA 1º DISTRITO POLICIAL ENDEREÇO: Rua 13 de Maio, 232-Sul/Centro, Teresina-PI TELEFONES: (86) 3216 5206 e (86)

Leia mais

Portaria de acesso social, vista interna. Fonte: SAMPAIO, 10/out/2009. Portaria de serviços, vista interna Fonte: SAMPAIO, 10/out/2009.

Portaria de acesso social, vista interna. Fonte: SAMPAIO, 10/out/2009. Portaria de serviços, vista interna Fonte: SAMPAIO, 10/out/2009. CONDOMÍNIOS VERTICAIS RESIDENCIAIS NA CIDADE DE SÃO PAULO (2000-2008): CONDOMÍNIOS - CLUBE O Condomínio Ilhas do Sul abrange uma área total de 30.178m² e tem 118.000m² de área construída. O acesso se faz

Leia mais

ENDEREÇOS, TELEFONES, DELEGADOS E ÁREAS DE CIRCUNSCRIÇÃO DAS DELEGACIAS DISTRITAIS DE TERESINA

ENDEREÇOS, TELEFONES, DELEGADOS E ÁREAS DE CIRCUNSCRIÇÃO DAS DELEGACIAS DISTRITAIS DE TERESINA 1/11 ENDEREÇOS, TELEFONES, DELEGADOS E ÁREAS DE CIRCUNSCRIÇÃO DAS DELEGACIAS DISTRITAIS DE TERESINA 1º DISTRITO POLICIAL ENDEREÇO: Rua 13 de Maio, 232-Sul/Centro, Teresina-PI TELEFONES: (86) 3216-5206

Leia mais

Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP)

Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP) Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP) Mariana Ferreira Cisotto maricisotto@yahoo.com.br IG/UNICAMP Antonio Carlos Vitte IG/UNICAMP Palavras-chave:

Leia mais

Análise da expansão urbana de Feira de Santana através de condomínios fechados

Análise da expansão urbana de Feira de Santana através de condomínios fechados Análise da expansão urbana de Feira de Santana através de condomínios fechados Bethsaide Souza Santos bethsaide@gmail.com Rosangela Leal Santos Resumo Feira de Santana é uma cidade importante no Estado

Leia mais

O programa de urbanização de favelas da prefeitura de São Paulo um estudo de caso da favela de Heliópolis

O programa de urbanização de favelas da prefeitura de São Paulo um estudo de caso da favela de Heliópolis O programa de urbanização de favelas da prefeitura de São Paulo um estudo de caso da favela de Heliópolis Fabiana Cristina da Luz luz.fabiana@yahoo.com.br Universidade Cruzeiro do Sul Palavras-chave: Urbanização

Leia mais

TERESINA CAMINHANDO PARA O FUTURO. Washington Luís de Sousa Bonfim Secretario Municipal de Planejamento e Coordenação Geral

TERESINA CAMINHANDO PARA O FUTURO. Washington Luís de Sousa Bonfim Secretario Municipal de Planejamento e Coordenação Geral TERESINA CAMINHANDO PARA O FUTURO Washington Luís de Sousa Bonfim Secretario Municipal de Planejamento e Coordenação Geral SUMÁRIO 1 INDICADORES 2 CIDADE PARA AS PESSOAS 3 MOBILIDADE URBANA 4 SANEAMENTO

Leia mais

A FORÇA DO MERCADO IMOBILIÁRIO E A SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL

A FORÇA DO MERCADO IMOBILIÁRIO E A SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL A FORÇA DO MERCADO IMOBILIÁRIO E A SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL 1. INSPIRAÇÕES: 1. A PALAVRA DO PRESIDENTE DE HONRA: A Engenharia de Avaliações, como a concebo, estrutura-se em três pilares do tirocínio do

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PRPPG

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PRPPG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PRPPG Coordenadoria Geral de Pesquisa CGP Campus Universitário Ministro Petrônio Portela,

Leia mais

PUBLICADO DOC 10/01/2012, p. 1 c. todas

PUBLICADO DOC 10/01/2012, p. 1 c. todas PUBLICADO DOC 10/01/2012, p. 1 c. todas LEI Nº 15.525, DE 9 DE JANEIRO DE 2012 (Projeto de Lei nº 470/11, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Institui o Projeto Estratégico

Leia mais

AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Marcia Heloisa P. S. Buccolo, consultora jurídica de Edgard Leite Advogados

Leia mais

Capítulo 3 CONDOMÍNIOS-CLUBE NA CIDADE DE SÃO PAULO

Capítulo 3 CONDOMÍNIOS-CLUBE NA CIDADE DE SÃO PAULO Capítulo 3 CONDOMÍNIOS-CLUBE NA CIDADE DE SÃO PAULO Vista da Rua Schilling, no ano de 1981 Fonte : Júnior Manuel Lobo Fonte:Vila Hamburguesa sub-distrito da Lapa município da capital de São Paulo Vila

Leia mais

Nº ALGUMAS DAS PROPOSTAS INDICAÇÃO DA ALTERAÇÃO 1 Aumento do tamanho dos lotes:

Nº ALGUMAS DAS PROPOSTAS INDICAÇÃO DA ALTERAÇÃO 1 Aumento do tamanho dos lotes: Instituto Defenda Sorocaba aponta contradição no Plano Diretor 2014: meta de projeção de uma cidade sustentável e a ampliação do parcelamento de lotes são incompatíveis O Instituto Defenda Sorocaba (entidade

Leia mais

Grupo WTB Experiência e solidez

Grupo WTB Experiência e solidez Grupo WTB Experiência e solidez Fundado em 1999, o Grupo WTB teve um crescimento sustentado e prosperou ao longo dos anos. Hoje, sua marca está presente em vários empreendimentos de sucesso, contando com

Leia mais

CURSOS OFERTADOS PELA FWF EM SETEMBRO

CURSOS OFERTADOS PELA FWF EM SETEMBRO ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA FUNDAÇÃO WALL FERRAZ GERÊNCIA PEDAGÒGICA E DE CAPACITAÇÂO CNPJ: 02.344.122/0001-20 CURSOS OFERTADOS PELA FWF EM SETEMBRO N INSTITUIÇÃO CURSO CARGA HORÁRIA

Leia mais

TERESINA - PERFIL DOS BAIRROS - REGIONAL SDU LESTE BAIRRO VALE QUEM TEM

TERESINA - PERFIL DOS BAIRROS - REGIONAL SDU LESTE BAIRRO VALE QUEM TEM TERESINA - PERFIL DOS BAIRROS - REGIONAL SDU LESTE BAIRRO VALE QUEM TEM Teresina (PI), Fevereiro/2014 VALE QUEM TEM 1 Fevereiro/2014 EXPEDIENTE PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA

Leia mais

O condomínio La Dolce VIta Vila Romana, está situado em um terreno de 10.153,29 m², situado entre as Ruas Espártaco, Camilo, Aurélia e Tito.

O condomínio La Dolce VIta Vila Romana, está situado em um terreno de 10.153,29 m², situado entre as Ruas Espártaco, Camilo, Aurélia e Tito. CONDOMÍNIOS VERTICAIS RESIDENCIAIS NA CIDADE DE SÃO PAULO (2000-2008): CONDOMÍNIOS - CLUBE O condomínio La Dolce VIta Vila Romana, está situado em um terreno de 10.153,29 m², situado entre as Ruas Espártaco,

Leia mais

Dispõe sobre o Sistema Viário Básico do Município de Nova Mutum e dá outras providências.

Dispõe sobre o Sistema Viário Básico do Município de Nova Mutum e dá outras providências. LEI COMPLENTAR Nº 136, DE 15 DE JULHO DE 2015 Dispõe sobre o Sistema Viário Básico do Município de Nova Mutum e dá outras providências. O Sr. Adriano Xavier Pivetta, Prefeito Municipal de Nova Mutum, Estado

Leia mais

MORFOLOGIA URBANA DAS ÁREAS DE FUNDO DE VALE DO CÓRREGO DO VEADO EM PRESIDENTE PRUDENTE, SP

MORFOLOGIA URBANA DAS ÁREAS DE FUNDO DE VALE DO CÓRREGO DO VEADO EM PRESIDENTE PRUDENTE, SP 361 MORFOLOGIA URBANA DAS ÁREAS DE FUNDO DE VALE DO CÓRREGO DO VEADO EM PRESIDENTE PRUDENTE, SP Andressa Mastroldi Ferrarezi, Arlete Maria Francisco Curso de Arquitetura e Urbanismo; Departamento de Planejamento,

Leia mais

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL E SEU CONTROLE POR MEIO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE 1996

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL E SEU CONTROLE POR MEIO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE 1996 229 HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL E SEU CONTROLE POR MEIO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE 1996 Jéssica Telles Zanateli¹; Lennon Gomes¹; Marcela do Carmo Vieira²; Sibila Corral de Arêa Leão Honda³ 1 Discente

Leia mais

O DIREITO À CIDADE APRISIONADO EM CONJUNTOS HABITACIONAIS POPULARES: A ANÁLISE DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA

O DIREITO À CIDADE APRISIONADO EM CONJUNTOS HABITACIONAIS POPULARES: A ANÁLISE DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA O DIREITO À CIDADE APRISIONADO EM CONJUNTOS HABITACIONAIS POPULARES: A ANÁLISE DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA RESUMO: O Direito apresenta-se para a sociedade, a partir de

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO E CUSTO DA TERRA: TENDÊNCIAS DE EXPANSÃO DA CIDADE DE CURITIBA

VERTICALIZAÇÃO E CUSTO DA TERRA: TENDÊNCIAS DE EXPANSÃO DA CIDADE DE CURITIBA VERTICALIZAÇÃO E CUSTO DA TERRA: TENDÊNCIAS DE EXPANSÃO DA CIDADE DE CURITIBA Gislene Pereira Universidade Federal do Paraná (UFPR) gislenepereira42@gmail.com Bruna Gregorini Universidade Federal do Paraná

Leia mais

TERESINA - PERFIL DOS BAIRROS - REGIONAL SDU SUDESTE BAIRRO GURUPI

TERESINA - PERFIL DOS BAIRROS - REGIONAL SDU SUDESTE BAIRRO GURUPI TERESINA - PERFIL DOS BAIRROS - REGIONAL SDU SUDESTE BAIRRO GURUPI Teresina (PI), Agosto/2014 GURUPI 0 Agosto/2014 EXPEDIENTE PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA Firmino da

Leia mais

Condomínios empresariais na Região Metropolitana de Campinas: intencionalidade e fatores locacionais

Condomínios empresariais na Região Metropolitana de Campinas: intencionalidade e fatores locacionais Condomínios empresariais na Região Metropolitana de Campinas: intencionalidade e fatores locacionais Rodolfo Finatti rodolfofinatti@yahoo.com.br FFLCH/USP Palavras-chave: condomínio empresarial, Região

Leia mais

A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA

A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA Ana Lia Ferreira Mendes de Carvalho liafmc@yahoo.com.br Geografia Bacharelado - UNIFAL-MG INTRODUÇÃO O presente

Leia mais

INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE

INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 244 INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE João Victor de Souza

Leia mais

ANÁLISE DA ORGANIZAÇÃO ESPACIAL DOS CONDOMÍNIOS FECHADOS HORIZONTAIS DE ALTO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE INDAIATUBA (SP)

ANÁLISE DA ORGANIZAÇÃO ESPACIAL DOS CONDOMÍNIOS FECHADOS HORIZONTAIS DE ALTO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE INDAIATUBA (SP) 105 ANÁLISE DA ORGANIZAÇÃO ESPACIAL DOS CONDOMÍNIOS FECHADOS HORIZONTAIS DE ALTO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE INDAIATUBA (SP) LETÍCIA BARBOSA RIBEIRO 1 e LINDON FONSECA MATIAS 2 leticia.b.ribeiro@hotmail.com,

Leia mais

As políticas habitacionais sociais como fomentadoras dos problemas urbanos. O caso do Conjunto Habitacional Ana Paula Eleotério em Sorocaba-SP.

As políticas habitacionais sociais como fomentadoras dos problemas urbanos. O caso do Conjunto Habitacional Ana Paula Eleotério em Sorocaba-SP. Felipe Comitre Silvia Aparecida Guarniéri Ortigoza Universidade Estadual Paulista UNESP Rio Claro fcomitre@rc.unesp.br As políticas habitacionais sociais como fomentadoras dos problemas urbanos. O caso

Leia mais

Segurança e lazer são o destaque da publicidade deste imóvel. Fonte: Informe Publicitário distribuído em via pública

Segurança e lazer são o destaque da publicidade deste imóvel. Fonte: Informe Publicitário distribuído em via pública Capítulo 3 CONDOMÍNIOS-CLUBE NA CIDADE DE SÃO PAULO A área de lazer cada vez mais assume posição de destaque nos informes publicitários do mercado imobiliário residencial. O programa dos condomínios residenciais

Leia mais

A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL E A PERIFERIZAÇÃO DA MORADIA DAS CAMADAS POPULARES, NA ÁREA CONURBADA DE FLORIANÓPOLIS.

A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL E A PERIFERIZAÇÃO DA MORADIA DAS CAMADAS POPULARES, NA ÁREA CONURBADA DE FLORIANÓPOLIS. A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL E A PERIFERIZAÇÃO DA MORADIA DAS CAMADAS POPULARES, NA ÁREA CONURBADA DE FLORIANÓPOLIS. Eixo Temático: Políticas públicas, demandas sociais e a questão

Leia mais

RECOMENDAÇÃO GT/HIS Nº 02, de 26 de novembro de 2014

RECOMENDAÇÃO GT/HIS Nº 02, de 26 de novembro de 2014 RECOMENDAÇÃO GT/HIS Nº 02, de 26 de novembro de 2014 Inquérito Civil Público nº 1.22.000.002106/2010-13 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, por intermédio do Grupo de Trabalho Intercameral Habitação de Interesse,

Leia mais

CAMARA MUNICIPAL DE BRUMADINHO Praça da Paz Carmem de Oliveira Gonçalves, s/nº - São Conrado Brumadinho/MG CEP 35.460-000

CAMARA MUNICIPAL DE BRUMADINHO Praça da Paz Carmem de Oliveira Gonçalves, s/nº - São Conrado Brumadinho/MG CEP 35.460-000 PROPOSIÇAO DE LEI Nº 30/2004 O Presidente da Câmara Municipal de Brumadinho, no uso de suas atribuições e no termos do disposto nos 1º e 8º do Art. 89 da Lei Orgânica Municipal do município de Brumadinho,

Leia mais

ANÁLISE DE EMPREENDIMENTOS DE HABITAÇÃO SOCIAL EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP UMA VISÃO AMBIENTAL

ANÁLISE DE EMPREENDIMENTOS DE HABITAÇÃO SOCIAL EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP UMA VISÃO AMBIENTAL ANÁLISE DE EMPREENDIMENTOS DE HABITAÇÃO SOCIAL EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP UMA VISÃO AMBIENTAL Sibila Corral de Arêa Leão Honda Arquiteta e Urbanista pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Mestre e Doutora

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PODER JUDICIÁRIO

ESTADO DO PIAUÍ PODER JUDICIÁRIO ESTADO DO PIAUÍ PODER JUDICIÁRIO RESOLUÇÃO Nº 33/2008 Estabelece a organização e a competência territorial dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais das Comarcas de Teresina e Parnaíba, do Estado do Piauí.

Leia mais

PDDU/ SÃO BENEDITO LEGISLAÇÃO

PDDU/ SÃO BENEDITO LEGISLAÇÃO 1 TASSO RIBEIRO JEREISSATI GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ FRANCISCO DE QUEIROZ MAIA JÚNIOR SECRETÁRIO DA INFRAESTRUTURA DO ESTADO DO CEARÁ JOSÉ MARDÔNIO DA COSTA PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO BENEDITO LANA

Leia mais

BAIRRO PLANEJADO COMPLETO CONDOMÍNIO HORIZONTAL

BAIRRO PLANEJADO COMPLETO CONDOMÍNIO HORIZONTAL BAIRRO PLANEJADO COMPLETO CONDOMÍNIO HORIZONTAL CONDOMÍNIOS HORIZONTAIS EM UM BAIRRO PLANEJADO COMPLETO. O principal projeto imobiliário em desenvolvimento no stado do Pará; Um bairro planejado com mais

Leia mais

Figura 5 - Mapa no papel vegetal pronto Autor: PEREIRA, T. mar/2006.

Figura 5 - Mapa no papel vegetal pronto Autor: PEREIRA, T. mar/2006. 55 Figura 5 - Mapa no papel vegetal pronto Autor: PEREIRA, T. mar/2006. Depois desta etapa no módulo seguinte realizou-se um trabalho de campo na área localizada anteriormente, registraram-se as coordenadas

Leia mais

A Criação de Espaços Particulares. Condomínios horizontais: das vilas aos condomínios suburbanos

A Criação de Espaços Particulares. Condomínios horizontais: das vilas aos condomínios suburbanos A Criação de Espaços Particulares dos jardins aos espaços condominiais Condomínios horizontais: das vilas aos condomínios suburbanos Sílvio Soares MACEDO PAISAGISMO BRASILEIRO (São Paulo, 2012) EDUSP e

Leia mais

6. Leitura e Interpretação da Situação Urbana PLANO DE AÇÃO PARA REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA CENTRAL DE PIRACICABA 27

6. Leitura e Interpretação da Situação Urbana PLANO DE AÇÃO PARA REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA CENTRAL DE PIRACICABA 27 6. Leitura e Interpretação da Situação Urbana PLANO DE AÇÃO PARA REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA CENTRAL DE PIRACICABA 27 6. Leitura e Interpretação da Situação Urbana 6.1. A Dinâmica de Uso e Ocupação do

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Maio 2012 BAIRROS PLANEJADOS UMA REALIDADE NO BRASIL

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Maio 2012 BAIRROS PLANEJADOS UMA REALIDADE NO BRASIL Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Maio 2012 BAIRROS PLANEJADOS UMA REALIDADE NO BRASIL Ivo Szterling, Arquiteto Urbanista Diretor de Urbanismo da Cipasa Desenvolvimento

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Dezembro 2010

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Dezembro 2010 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Dezembro 2010 EMPREENDIMENTOS DE USO MISTO Profa.Dra.Eliane Monetti Prof. Dr. Sérgio Alfredo Rosa da Silva Empreendimentos de uso misto

Leia mais

TERESINA - PERFIL DOS BAIRROS - REGIONAL SDU SUL BAIRRO ANGELIM

TERESINA - PERFIL DOS BAIRROS - REGIONAL SDU SUL BAIRRO ANGELIM TERESINA - PERFIL DOS BAIRROS - REGIONAL SDU SUL BAIRRO ANGELIM Teresina (PI), Agosto/2014 ANGELIM 0 Agosto/2014 EXPEDIENTE PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA Firmino da Silveira

Leia mais

Mapa 09 Área Central de PiracicabaOcupação do Solo. Urbano

Mapa 09 Área Central de PiracicabaOcupação do Solo. Urbano L E I T U R A E I N T E R P R E T A Ç Ã O D A S I T U A Ç Ã O U R B A N A Mapa 09 de PiracicabaOcupação do Solo Urbano P L A N O D E A Ç Ã O P A R A R E A B I L I T A Ç Ã O U R B A N A D A Á R E A C E

Leia mais

O PROGRAMA CASA FÁCIL-UNIFIL: EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA E INSERÇÃO SOCIAL Gilson Jacob Bergoc 1, Ivan Prado Jr 2 e Ivanóe De Cunto 3

O PROGRAMA CASA FÁCIL-UNIFIL: EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA E INSERÇÃO SOCIAL Gilson Jacob Bergoc 1, Ivan Prado Jr 2 e Ivanóe De Cunto 3 O PROGRAMA CASA FÁCIL-UNIFIL: EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA E INSERÇÃO SOCIAL Gilson Jacob Bergoc 1, Ivan Prado Jr 2 e Ivanóe De Cunto 3 Pode-se dizer que a cidade contemporânea sofre de um mal crônico, senão

Leia mais

AlphaVille Urbanismo. Eficiência e qualidade, compromissos cumpridos. Sede - AlphaVille Urbanismo AlphaVille, São Paulo

AlphaVille Urbanismo. Eficiência e qualidade, compromissos cumpridos. Sede - AlphaVille Urbanismo AlphaVille, São Paulo AlphaVille Urbanismo Eficiência e qualidade, compromissos cumpridos Sede - AlphaVille Urbanismo AlphaVille, São Paulo História A história de um conceito de bem viver 1974 2008 História A história de um

Leia mais

Unidades de apartamentos

Unidades de apartamentos Unidades de apartamentos Os apartamentos são de 141,92 m² e de 178,38m². As plantas podem sofrer variações devido à opção pelo número de dormitórios, sendo que um dormitório pode se integrar à sala ou

Leia mais

Diretrizes para o Plano de Urbanização da ZEIS 3 C 016

Diretrizes para o Plano de Urbanização da ZEIS 3 C 016 Diretrizes para o Plano de Urbanização da ZEIS 3 C 016 Aprovadas pelo Conselho Gestor em 27 de julho de 2011 LEGENDA: Diretrizes propostas pela PMSP Diretrizes propostas pelos membros da sociedade civil

Leia mais

ECO SHOPPING LAGOA DO PERI

ECO SHOPPING LAGOA DO PERI Boletim do Investimento Urbano Sustentável ECO SHOPPING LAGOA DO PERI A agenda estratégica de desenvolvimento sustentável Floripa 2030, constitui um marco para a mudança das formas de uso e ocupação do

Leia mais

DISPARIDADES ENTRE A ZONA SUL E A ZONA NORTE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO/SP

DISPARIDADES ENTRE A ZONA SUL E A ZONA NORTE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO/SP DISPARIDADES ENTRE A ZONA SUL E A ZONA NORTE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO/SP Luiz Henrique Mateus Lima lugano_lima@yahoo.com.br Mestrado em Geografia FCT UNESP Campus de Presidente Prudente 1088 Resumo As

Leia mais

Planejamento Urbano Governança Fundiária

Planejamento Urbano Governança Fundiária Planejamento Urbano Governança Fundiária Instrumentos de Gestão, Conflitos Possibilidades de Inclusão Socioespacial Alexandre Pedrozo agosto. 2014 mobiliza Curitiba...... de antes de ontem...... de ontem......

Leia mais

A QUESTÃO DA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NO BAIRRO SANGA FUNDA, PELOTAS, RS.

A QUESTÃO DA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NO BAIRRO SANGA FUNDA, PELOTAS, RS. A QUESTÃO DA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NO BAIRRO SANGA FUNDA, PELOTAS, RS. Carina da Silva UFPel, carinasg2013@gmail.com INTRODUÇÃO A atual sociedade capitalista tem como alicerce, que fundamenta sua manutenção,

Leia mais

O Caminho do Apartamento Moderno no Brasil

O Caminho do Apartamento Moderno no Brasil - SEPesq O Caminho do Apartamento Moderno no Brasil Vivian K.Levy Mestranda em Arquitetura e Urbanismo Unirriter Vivianklevy@gmail.com Resumo Este artigo trata da evolução, do caminho que a tipologia do

Leia mais

Urbanização Brasileira

Urbanização Brasileira Urbanização Brasileira O Brasil é um país com mais de 190 milhões de habitantes. A cada 100 pessoas que vivem no Brasil, 84 moram nas cidades e 16 no campo. A população urbana brasileira teve seu maior

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE URBANIZAÇÃO SUMÁRIO 1.0 - OBJETIVO 2 0 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3.0 - ESCOPO 3.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS

ESPECIFICAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE URBANIZAÇÃO SUMÁRIO 1.0 - OBJETIVO 2 0 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3.0 - ESCOPO 3.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS ESPECIFICAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE URBANIZAÇÃO SUMÁRIO 1.0 - OBJETIVO 2 0 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3.0 - ESCOPO 3.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS 3.2 - COMPONENTES ESPECÍFICOS 3.2.1 - Plano de Intervenção

Leia mais

Planejamento e gestão da expansão urbana

Planejamento e gestão da expansão urbana CURSO GESTÃO DA VALORIZAÇÃO IMOBILIÁRIA: Contribuição de Melhoria, Reajuste de Terrenos e Redesenvolvimento Belo Horizonte, 24 a 26 de outubro de 2012 Planejamento e gestão da expansão urbana Daniel Todtmann

Leia mais

Exercícios Processo de Urbanização no Brasil

Exercícios Processo de Urbanização no Brasil Exercícios Processo de Urbanização no Brasil 1. Nota intitulada Urbano ou rural? foi destaque na coluna Radar, na revista Veja. Ela apresenta o caso extremo de União da Serra (RS), município de 1900 habitantes,

Leia mais

Bercy - Paris França. Intervenção urbana. Prof. Ernani Maia

Bercy - Paris França. Intervenção urbana. Prof. Ernani Maia Bercy - Paris França Intervenção urbana Prof. Ernani Maia O SETOR LESTE O setor leste de Paris historicamente exerceu função industrial, tais como: Armazéns de vinho, Docas, entrepostos e espaços residuais

Leia mais

José Elias, 141. Conceito:

José Elias, 141. Conceito: Conceito: menu No meio do jardim tem um escritório. Na beira da janela, uma floreira. Na alma,inspiração. Nasce no ponto mais valorizado do Alto da Lapa o único projeto comercial que leva o verde para

Leia mais

Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife.

Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife. Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife. Data: dia 29 de abril de 2009 Local: sede da ONG Etapas no Recife PROGRAMA REABILITAÇÃO

Leia mais

A menor distância entre você mil consumidores

A menor distância entre você mil consumidores A menor distância entre você e 200 mil consumidores O privilégio de estar localizado no melhor pontode Cotia! Entrada da Cidade Av. Antônio Mathias de Camargo São Roque Itapevi Barueri Jandira Carapicuíba

Leia mais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais AS TRANSFORMAÇÕES ESPACIAIS NA ZONA OESTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO A PARTIR DOS INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA PARA COPA DO MUNDO EM 2014 E AS OLIMPÍADAS DE 2016 Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino

Leia mais

APLICAÇÃO DE MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS E MONITORAMENTO DA VARIAÇÃO DO VALOR DO SOLO.

APLICAÇÃO DE MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS E MONITORAMENTO DA VARIAÇÃO DO VALOR DO SOLO. APLICAÇÃO DE MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS E MONITORAMENTO DA VARIAÇÃO DO VALOR DO SOLO. Laura Pereira Aniceto Faculdade de Arquitetura e Urbanismo CEATEC Laura.aniceto@gmail.com Jonathas

Leia mais

SP-URBANISMO. Nova Luz Projeto Urbanístico Consolidado

SP-URBANISMO. Nova Luz Projeto Urbanístico Consolidado SP-URBANISMO Nova Luz Projeto Urbanístico Consolidado Setembro 2011 Perímetro da Nova Luz Sala São Paulo Parque da Luz Praça Princesa Isabel Largo do Arouche Igreja de Santa Ifigênia Praça da República

Leia mais

Danilo Munhoz Alves Corrêa Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio danilomunhoz@globo.com. 1 - Introdução

Danilo Munhoz Alves Corrêa Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio danilomunhoz@globo.com. 1 - Introdução Sistema Modal de Transportes no Município do Rio de Janeiro: a modernização dos eixos de circulação na cidade carioca para a Copa do Mundo de Futebol em 2014 e as Olimpíadas em 2016. 1 - Introdução Danilo

Leia mais

PROJETO LEI Nº Autoria do Projeto: Senador José Sarney

PROJETO LEI Nº Autoria do Projeto: Senador José Sarney PROJETO LEI Nº Autoria do Projeto: Senador José Sarney Dispõe sobre loteamento fechado de áreas consolidadas regularizadas ou em fase de regularização, altera em parte as Leis n 6.766/79 e n 6.015/73 e

Leia mais

Prezados Senhores, Itacir e Marlene Feltrin e filhos. Farroupilha - RS

Prezados Senhores, Itacir e Marlene Feltrin e filhos. Farroupilha - RS Prezados Senhores, Itacir e Marlene Feltrin e filhos. Farroupilha - RS Registramos com carinho a aproximação com a família Feltrin, iniciada em 1982. Foram mais de três décadas de respeito recíproco e

Leia mais

Levantamento Histórico

Levantamento Histórico Praça Roosevelt Levantamento Histórico Até o final do século XIX, o local onde se encontra a Praça Roosevelt era a chácara de Dona Veridiana Prado. Este local teve diversos usos durante este período, desde

Leia mais

Projeto Cidade da Copa : influência na mobilidade da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco

Projeto Cidade da Copa : influência na mobilidade da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco Danilo Corsino de Queiróz Albuquerque¹ Ana Regina Marinho Dantas Barboza da Rocha Serafim² ¹Graduando do 5º Período no Curso de Licenciatura em Geografia pela Universidade de Pernambuco (UPE), E-mail:

Leia mais

LAUDO DE CARACTERIZAÇÃO AMBIENTAL

LAUDO DE CARACTERIZAÇÃO AMBIENTAL LAUDO DE CARACTERIZAÇÃO AMBIENTAL INTERESSADO: IMOBILIÁRIA PARQUE BRASIL LTDA DENOMINAÇÃO: LOTEAMENTO RESIDENCIAL VILA REAL FINALIDADE: LAUDO TÉCNICO PARA CUMPRIMENTO DA LEI MUNICIPAL 4.123 DE 04/05/2007

Leia mais

I STRUME TOS DIGITAIS COMO SUPORTE DE A ÁLISE DO ESPAÇO URBA O. J. De ardin, R. A. Ribeiro e J. Francisco

I STRUME TOS DIGITAIS COMO SUPORTE DE A ÁLISE DO ESPAÇO URBA O. J. De ardin, R. A. Ribeiro e J. Francisco I STRUME TOS DIGITAIS COMO SUPORTE DE A ÁLISE DO ESPAÇO URBA O J. De ardin, R. A. Ribeiro e J. Francisco RESUMO O presente artigo trata de parte de metodologia adotada para o desenvolvimento da dissertação

Leia mais

Metodologia. Resultados

Metodologia. Resultados ENCONTRO INTERNACIONAL PARTICIPAÇÃO, DEMOCRACIA E POLÍTICAS PÚBLICAS: APROXIMANDO AGENDAS E AGENTES UNESP SP 23 a 25 de abril de 2013, UNESP, Araraquara (SP) AGENTES SOCIAIS E A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO

Leia mais

Prefeitura Municipal de Registro

Prefeitura Municipal de Registro Prefeitura Municipal de Registro Departamento Municipal de Administração Rua José Antônio de Campos, nº 250 Centro CEP: 11.900-000 Registro SP Fone: (13) 3828-1000 Fax: (13) 3821-2565 e-mail prefeitura@registro.sp.gov.br

Leia mais

limites definidos por barreiras físicas significativas como linha da TRENSURB, Av. Farrapos, Av.

limites definidos por barreiras físicas significativas como linha da TRENSURB, Av. Farrapos, Av. ÁREA 3-3 Limites e potencialidades limites definidos por barreiras físicas significativas como linha da TRENSURB, Av. Farrapos, Av. dos Estados e a free-way/ RS- 290. espaço adequado para novas atividades

Leia mais

Loteamentos Fechados & Segurança

Loteamentos Fechados & Segurança Mesa redonda 7: Espaço, território e conflitos urbanos Loteamentos Fechados & Segurança Thyana Farias Galvão de Barros Universidade Federal de Pernambuco Departamento de Expressão Gráfica Universidade

Leia mais

Lei Complementar Estadual do Maranhão nº 89, de 17 de novembro de 2005. Cria a Região Metropolitana do Sudoeste Maranhense, e dá outras providências.

Lei Complementar Estadual do Maranhão nº 89, de 17 de novembro de 2005. Cria a Região Metropolitana do Sudoeste Maranhense, e dá outras providências. Lei Complementar Estadual do Maranhão nº 89, de 17 de novembro de 2005 Cria a Região Metropolitana do Sudoeste Maranhense, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO MARANHÃO, Faço saber a todos

Leia mais

Em ritmo chinês A arquiteta Mariana Gerotto, de 26 anos, mudou-se para a Vila Andrade, na Zona Sul, em 2000, mas só recentemente descobriu ser esse o nome do bairro. Apesar de ele estar gravado nas placas

Leia mais

PROGRAMA PARAISÓPOLIS Regularização Fundiária

PROGRAMA PARAISÓPOLIS Regularização Fundiária PROGRAMA PARAISÓPOLIS Regularização Fundiária POLÍTICA HABITACIONAL DA CIDADE DE SÃO PAULO Plano Diretor Estratégico do Município (Lei 13.430/02, art. 79): Moradia digna é aquela que garante ao morador

Leia mais

COPA. Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo. José Roberto Bernasconi. Presidente Sinaenco São Paulo

COPA. Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo. José Roberto Bernasconi. Presidente Sinaenco São Paulo COPA Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo José Roberto Bernasconi Presidente Sinaenco São Paulo SP/Agosto/ 2010 1 1 Um histórico Os dois principais estádios

Leia mais

Novo Plano Diretor de SP 2014. Novas diretrizes e consequências para o mercado imobiliário

Novo Plano Diretor de SP 2014. Novas diretrizes e consequências para o mercado imobiliário Novo Plano Diretor de SP 2014 Novas diretrizes e consequências para o mercado imobiliário 1 Eixos de Estruturação de Transformação Urbana (4 x) O que é o Eixo? São áreas próximas à infraestrutura de transporte

Leia mais

Empreendimentos Imobiliários

Empreendimentos Imobiliários SINDUSCONPREMIUM 2013 ETAPA LITORAL NORTE 1ª EDIÇÃO Categoria Empreendimentos Imobiliários Edificação Residencial Unifamiliar - Black House 01 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA O escritório Torres & Bello Arquitetos

Leia mais

Rio de cara nova. Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos

Rio de cara nova. Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos Rio de cara nova Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos por Ernesto Neves 01 de Agosto de 2011 Fonte: Revista Veja Rio Cidade do Rock O terreno de 250 mil metros quadrados

Leia mais

INSTRUMENTOS DO PLANO DIRETOR CARTILHA LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO LUOS

INSTRUMENTOS DO PLANO DIRETOR CARTILHA LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO LUOS Secretaria Municipal de Urbanismo INSTRUMENTOS DO PLANO DIRETOR CARTILHA LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO LUOS Lei de Uso e Ocupação do Solo: Introdução Estamos construindo uma cidade cada vez melhor A Lei

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 006/2010

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 006/2010 PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 006/2010 INSTITUI A PLANTA GENÉRICA DE VALORES DO MUNICÍPIO DEFINE CRITÉRIOS PARA LANÇAMENTO DO IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito

Leia mais

PORTFÓLIO 2015. Imagem meramente ilustrativa.

PORTFÓLIO 2015. Imagem meramente ilustrativa. PORTFÓLIO 2015 Imagem meramente ilustrativa. Imobiliária e Loteamentos O grupo Azul Empreendimentos Imobiliários, fundado em 1992, pelo empresário Flavio Taek Keun Yoo, especializou-se ao longo de sua

Leia mais

Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A.

Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A. Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A. Será que nós podemos viver melhor nas cidades? Com mais tempo para nossas famílias; com menos stress, com menos doenças e mais saúde; com mais produtividade;

Leia mais

Grande Florianópolis: Os melhores negócios acontecem aqui.

Grande Florianópolis: Os melhores negócios acontecem aqui. Beira-Mar de São José kplatz.com.br Grande Florianópolis: Os melhores negócios acontecem aqui. Crescer e se desenvolver. Palavras-chave que destacam a Região Metropolitana da Grande Florianópolis. As mais

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano 2014 CONCEITOS GERAIS DOS SERVIÇOS E Lei nº 3401/06 ( Plano Diretor), Lei nº 3420/07 (Código

Leia mais

CENTRALIDADE POLINUCLEADA: UMA ANÁLISE DOS SUBCENTROS POPULARES DE GOIÂNIA O CASO DO SETOR CAMPINAS

CENTRALIDADE POLINUCLEADA: UMA ANÁLISE DOS SUBCENTROS POPULARES DE GOIÂNIA O CASO DO SETOR CAMPINAS CENTRALIDADE POLINUCLEADA: UMA ANÁLISE DOS SUBCENTROS POPULARES DE GOIÂNIA O CASO DO SETOR CAMPINAS Flavia Maria de Assis Paula 1,3 Elaine Alves Lobo Correa 2,3 José Vandério Cirqueira Pinto 2,3 RESUMO

Leia mais

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010.

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. Pág. 1 de 5 LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL FMHIS E INSTITUI O CONSELHO GESTOR DO FMHIS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL ACRE, EM EXERCÍCIO,

Leia mais

DIVISÃO GEOGRÁFICA DE CLASSES SOCIAIS

DIVISÃO GEOGRÁFICA DE CLASSES SOCIAIS CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE CURITIBA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO CURSO TÉCNICO DE... Tema do Pôster DIVISÃO GEOGRÁFICA DE CLASSES SOCIAIS ALUNO: EXEMPLO TURMA: XXXXXXXXXXX CURITIBA 2013 SUMÁRIO

Leia mais

Visita a Cortiços em São Paulo Uma Experiência Didática

Visita a Cortiços em São Paulo Uma Experiência Didática Visita a Cortiços em São Paulo Uma Experiência Didática Valéria Grace Costa ***, Antônio Cláudio Moreira Lima e Moreira, Suzana Pasternak, Maria de Lourdes Zuquim, Simone Cotic Clarissa Souza, Letícia

Leia mais

Urban View. Urban Reports. Os Centros Urbanos do Século XXI

Urban View. Urban Reports. Os Centros Urbanos do Século XXI Urban View Urban Reports Os Centros Urbanos do Século XXI Os centros urbanos do século XXI Hoje 19,4 milhões de pessoas vivem na região metropolitana de São Paulo. A quinta maior aglomeração humana do

Leia mais

ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA

ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA No Brasil, as capitais nordestinas são as que mais sofrem com a especulação imobiliária. Na foto, Maceió, capital do estado de Alagoas. Especulação imobiliária é a compra ou aquisição

Leia mais

MARÇO DE 2010 JORGE WILHEIM PLANOS URBANÍSTICOS

MARÇO DE 2010 JORGE WILHEIM PLANOS URBANÍSTICOS MARÇO DE 2010 QUADRO HABITACIONAL DAS METRÓ- POLES PAULISTAS São Paulo. Cliente: Emplasa - Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano SA 2009 Consultoria compreendendo a compartimentação espacial georeferenciada

Leia mais

Alexandre Brasil André Prado. Carlos A. Maciel Danilo Matoso. Revitalização do Centro de Goiânia Goiânia, GO projeto: 2000 concurso 1o lugar

Alexandre Brasil André Prado. Carlos A. Maciel Danilo Matoso. Revitalização do Centro de Goiânia Goiânia, GO projeto: 2000 concurso 1o lugar Alexandre Brasil André Prado Carlos A. Maciel Danilo Matoso projeto: 2000 concurso 1o lugar O conjunto objeto desta proposta se constitui de três partes de caráter notadamente diferenciadas: a primeira,

Leia mais

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES MINHA CASA, MINHA VIDA Ampliação das oportunidades de acesso das famílias

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO APLICADO AO PLANEJAMENTO URBANO UM OLHAR SOBRE AS TRANSFORMAÇÕES NA PAISAGEM URBANA OCORRIDAS NO BAIRRO JABOTIANA, ARACAJU/SE.

GEOPROCESSAMENTO APLICADO AO PLANEJAMENTO URBANO UM OLHAR SOBRE AS TRANSFORMAÇÕES NA PAISAGEM URBANA OCORRIDAS NO BAIRRO JABOTIANA, ARACAJU/SE. GEOPROCESSAMENTO APLICADO AO PLANEJAMENTO URBANO UM OLHAR SOBRE AS TRANSFORMAÇÕES NA PAISAGEM URBANA OCORRIDAS NO BAIRRO JABOTIANA, ARACAJU/SE. Rafael da Cruz 1, Anna Allice Souza Silva 2, Luana Pereira

Leia mais