Análise das características físicas do agregado reciclado de Resíduos da Construção Civil (RCC) para uso em pavimentação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise das características físicas do agregado reciclado de Resíduos da Construção Civil (RCC) para uso em pavimentação"

Transcrição

1 Análise das características físicas do agregado reciclado de Resíduos da Construção Civil (RCC) para uso em pavimentação Felipe Torres Tavares Cerveira Proença Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil Escola Politécnica de Pernambuco Universidade de Pernambuco, Recife, Brasil, Rebecca Carla França da Silva Graduada em Engenharia Civil, Escola Politécnica de Pernambuco Universidade de Pernambuco, Recife, Brasil Stela Paulino Fucale Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil Escola Politécnica de Pernambuco Universidade de Pernambuco, Recife, Brasil, Emilia Kohlman Rabbani Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil Escola Politécnica de Pernambuco Universidade de Pernambuco, Recife, Brasil, RESUMO: A elevada geração de Resíduos da Construção Civil (RCC) e a inconsciência da população nas cidades causam vários problemas ambientais, econômicos e sociais. Assim sendo, a busca por alternativas técnicas para reaproveitamento destes resíduos torna-se um dos focos para sua melhor destinação. Uma das soluções viáveis é a reciclagem, ou seja, produzir agregados reciclados, já que este mercado está numa fase crescente. Uma das aplicações possível que apresenta eficácia é a pavimentação em camadas de base e sub-base, utilizando bica corrida reciclada de RCC. O objetivo desta pesquisa é analisar em laboratório as características físicas e mecânicas de amostras de agregados reciclados de resíduos da construção civil da cidade de Recife- PE, para uso como agregados em vias de baixo volume de tráfego. A coleta de amostra dos resíduos foi realizada em uma unidade de beneficiamento localizada em Camaragibe, Pernambuco. A investigação laboratorial conteve ensaios de composição gravimétrica, granulometria inicial e após a compactação intermediária e modificada, massa específica dos grãos, absorção, forma dos grãos, compactação e Índice de Suporte Califórnia (ISC), sendo empregado nestes dois últimos ensaios energia intermediária e modificada, nas amostras de resíduos reciclados (bica corrida). Os resultados referentes à composição gravimétrica da amostra de resíduos reciclados indicaram que cerca de 97% dos materiais podem ser utilizados como agregados, sendo constituído principalmente de materiais cimentícios (concreto e argamassa), 46%, e de material cerâmico (tijolo), 34%. A granulometria dos resíduos reciclados, após o processo de compactação, apresentou uma melhora nas características físicas do material, quando comparada à granulometria original, pois se tornou bem graduado. O ISC indicou valores acima de 60% e expansão nula. Foi possível ainda verificar que os resíduos investigados atendem à norma NBR 15115/2004, para agregados reciclados de RCC no uso de pavimentação, de maneira que seu uso em obras de pavimentação de baixo volume de tráfego é viável. PALAVRAS-CHAVE: Resíduo da Construção Civil, Agregado Reciclado, Pavimentação. 1 INTRODUÇÃO O consumo excessivo dos recursos naturais pode esgotar as reservas na natureza. A construção civil, é a grande consumidora destes recursos, com taxas entre 15 a 50% (JOHN, 2000), sendo a aplicação em execução de obras de bens e serviços. Além deste elevado

2 consumo, há uma grande geração de resíduos pelo setor, seja pela construção, demolição ou reformas. Assim sendo, para evitar ou contornar a situação, deve-se procurar alternativas sustentáveis, tais como, minimizar a geração de resíduos ou realizar seu reaproveitamento a partir da reciclagem. A elaboração da Resolução CONAMA nº 307, em 2002 no Brasil, buscou uma maneira de gerenciar os Resíduos da Construção Civil (RCC), possibilitando minimizar os impactos ambientais, através do uso de diretrizes, critérios e metodologias. Portanto, a meta desta resolução é criar soluções para minimizar a geração de resíduos ou, pelo menos, reutilizálos. Angulo et al. (2003) buscaram identificar alternativas que reduzissem os impactos prejudiciais ao meio ambiente. Uma solução encontrada e viável, foi o reaproveitamento do agregado reciclado de RCC em substituição de agregados naturais. O impacto positivo gerado no uso de agregados reciclados foi verificado por Motta (2005), no Município de São Paulo, que obteve uma economia de 18% do valor da execução de 1,0 m 3 de camada de base em obra de pavimentação, em comparação ao uso do agregado convencional. Recentemente no Brasil estão sendo desenvolvidas várias pesquisas relativas à aplicação de RCC como, por exemplo, o uso de agregado reciclado de RCC em obras de pavimentação, como é verificado nas pesquisas de Siqueira et al. (2006), Hood (2006), Leite (2007), Grubba (2009), dentre outros. Contudo, para Hood (2006), ainda são poucas as pesquisas brasileiras para o uso em pavimentação, justificando desta maneira a continuidade destes estudos. 2 OBJETIVO Este artigo tem como objetivo analisar características física e mecânica de bica corrida reciclada de Resíduos da Construção Civil (RCC) para aplicação como agregado reciclado em obras de pavimentação de baixo volume de tráfego, em camadas de base e sub-base. 3 METODOLOGIA A coleta de agregados reciclados de RCC foi realizada em uma usina de beneficiamento de RCC situada no município de Camaragibe-PE, na Região Metropolitana do Recife, denominada Ciclo Ambiental. Foi utilizada para esta pesquisa uma amostra de RCC, a qual foi homogeneizada e distribuída em 11 partes iguais, cada uma com 11 kg, para a realização dos ensaios. 3.1 Caracterização Física Composição Gravimétrica Para a determinação da composição gravimétrica do agregado reciclado de RCC, tomou-se a amostra total coletada. A amostra foi peneirada inicialmente na malha de 4,8 mm e o material passante foi considerado como material miúdo. O material retido foi classificado, por meio de análise visual, separado e classificado por natureza: tijolo, argamassa, concreto, misto (alvenaria, ou seja, tijolo + argamassa) e materiais indesejáveis. Cada constituinte foi pesado, determinando-se posteriormente a correspondente porcentagem em massa Massa Específica das Partículas O ensaio para determinação de massa específica das partículas de agregado reciclado de RCC foi dividido em duas etapas, ou seja, uma para o material passante na peneira 4,8 mm e outra para o material retido na referida peneira. Partículas passantes na peneira 4,8 mm A realização deste ensaio foi de acordo com a NBR 6508 (ABNT, 1984). Da amostra passante na peneira 4,8 mm, tomou-se três partes iguais, cada uma com 60 g. O valor final da massa específica correspondeu à média dos valores das três amostragens. Partículas retidas na peneira 4,8 mm Foi realizado utilizando-se a NBR 6458 (ABNT, 1984).

3 3.1.3 Absorção Para este ensaio, passou-se o material na peneira 4,8 mm, para utilização apenas do material retido, seguindo a NBR 6458 (ABNT, 1984). O material retido foi então separado por natureza (concreto, argamassa, misto, tijolo, materiais indesejáveis). Em seguida, cada constituinte foi lavado na peneira 4,8 mm, para retirada de material fino aderido às partículas, sendo posteriormente imerso em água destilada por 24 horas, para posterior secagem e pesagem. Este ensaio foi realizado também considerando o material retido sem separação dos seus constituintes Análise Granulométrica A análise granulométrica foi realizada em duas etapas, antes do processo de compactação, para obter a granulometria original (inicial) e após a compactação, para verificação da influência deste efeito na distribuição das partículas. Para este ensaio foi tomada como base a NBR 7181 (ABNT, 1984) Forma dos Grãos Este ensaio foi conduzido com base na NBR 6954 (ABNT, 1989) e NBR (ABNT, 2004), sendo realizado antes da compactação (forma original) e após a compactação (para verificar sua influência na forma). O material foi passado nas peneiras 38, 25, 19, 9,5 mm, tendo sido cada fração retida separada por natureza. O processo de medição foi feito com paquímetro analógico, para analisar os percentuais de formas cúbica, alongada, lamelar e alongada-lamelar Ensaio de Compactação Para os ensaios de compactação utilizou-se a NBR 7182 (ABNT, 1984). Foram considerados dois tipos de energia de compactação: intermediária (26 golpes por camada) e modificada (55 golpes por camada). Foi usado o cilindro de 150 mm x 300 mm, com peso de g e volume de cm³. Neste ensaio utilizou-se 6 kg de cada amostra, para aplicação dos golpes em 05 camadas com 26 golpes cada. 3.2 Ensaio de Caracterização Mecânica Índice de Suporte Califórnia O ensaio para determinação do Índice de Suporte Califórnia (ISC) é bastante usual no meio rodoviário, pois serve para dimensionar empiricamente os pavimentos. Para estes ensaios, adotou-se a NBR 9895 (ABNT, 1987), sendo compactados 03 (três) corpos-de-prova, utilizado-se ambas energias de compactação, intermediária e modificada. 4 RESULTADOS 4.1 Composição Gravimétrica A composição gravimétrica dos materiais constituintes do resíduo da construção civil estudado está distribuída da seguinte maneira: 34% de tijolo, 16% concreto, 30% argamassa, 11% de misto (alvenaria), 5% de material miúdo ( 4,8mm) e 4% de materiais indesejáveis, conforme apresentado na Figura 1. Esta amostra apresenta tanto materiais cimentícios quanto materiais cerâmicos em sua composição, os quais podem ser utilizados em diferentes aplicações como agregado reciclado da construção civil. 11% Composição gravimétrica - Amostra 34% 4% 5% 30% 16% Argamassa Concreto Tijolo Misto Figura 1. Composição gravimétrica do RCC 4.2 Massa Específica das Partículas Materiais Indesejáveis Material miúdo A massa específica das partículas, passantes na peneira 4,8 mm, do agregado de RCC em estudo (agregado reciclado), apresentou valor médio de 2,59 kg/m 3. Este resultado indica que

4 há semelhança entre agregados reciclados de resíduos da construção civil e os naturais. Comparando-se a outras pesquisas, Leite (2001), Vieira (2003), Hood (2006) e Rodrigues (2011) encontraram para este parâmetro, respectivamente, os valores 2,53; 2,52 e 2,54 kg/m³. No que se refere à massa específica das partículas retidas na peneira 4,8 mm do RCC investigado, encontrou-se o valor de 2,51 kg/dm 3. Valores obtidos em outras pesquisas foram, por exemplo, Leite (2007) 2,69 kg/m³ e Silva (2009) 2,65 kg/m³. Observa-se que os materiais retidos na peneira 4,8mm, normalmente, possuem uma menor massa específica que o material passante, como é apresentado na Tabela 1. Tabela 1. Peso específico e umidade ótima em diferentes pesquisas. Granulometria Massa Fonte específica (kg/m³) Retida 2,7 Leite (2007) Passante 2,8 Retida 2,0 Carneiro (2005) Passante 2,3 Retida 1,1 Zordan (1997) Passante 1,4 4.3 Absorção Neste ensaio, os valores variaram entre 6,4 e 13,3% (concreto e tijolo), respectivamente, o que mostra que há uma capacidade de absorção de água variável dependendo do constituinte presente no RCC, como observado na Tabela 2. Tabela 2. Taxa de absorção dos Constituintes. Material Constituinte Absorção (%) Argamassa 10,4 Concreto 6,4 Tijolo 13,3 Misto (Tijolo + argamassa) 11,3 Já a amostra sem segregação, apresentou taxa de absorção de 13,0%. Comparada a outras pesquisa, Vieira et al. (2004) 6,0%, Motta (2005) 7,8%, Leite (2007) 12,2% e Leite e Lima (2009) 11,3%, apresentou um valor mais alto devido à presença de maior teor de material cerâmico. 4.4 Compactação Nos ensaios de compactação com energia intermediária, o teor de umidade ótima e o peso específico seco máximo foram, respectivamente, 21,50% e 16,98 kn/m³, enquanto para a energia modificada, os valores foram 19,75% e 18,10 kn/m³. Em algumas pesquisas realizadas no Brasil, os valores de umidade ótima e peso específico aparente seco máximo são apresentados na Tabela 3. Verifica-se que os valores obtidos neste trabalho apresentam-se dentro da faixa de valores de peso específico seco máximo dos dados da literatura. Tabela 3. Peso específico e umidade ótima em pesquisas realizadas. Energia Peso Umidade Fonte aplicada específico (kn/m³) ótima (%) Normal 15,8 17,5 Araújo Júnior (2010) Intermediária 17,6 14,6 Leite (2007) Modificada 18,2 13,5 Intermediária Modificada 19,8 20,5 9,3 9,1 Moreira et al. (2006) Intermediári 18,3 11,0 Motta (2005) Intermediária Modificada 18,3 18,5 13,8 12,5 Fernandes (2004) Modificada 19,6 9,5 Nataatmadja et al. (2001) Normal 18,7 5,0 Bennert et al (2000) 4.5 Análise Granulométrica Inicial e Após Compactação A granulometria inicial (original) da amostra de RCC reciclada, antes da compactação, revela homogeneidade no tamanho dos grãos (80% das partículas correspondem à fração de pedregulho). Tal característica implicaria em dificuldade de acomodação das partículas na condição de base de pavimentos. Entretanto, a situação melhora após o processo de compactação, pois torna a distribuição dos grãos (partículas) mais heterogênea.

5 A granulometria após o processo de compactação, na umidade ótima, tornou a amostra bem graduada, como é apresentado na Figura 2, que mostra a granulometria original e pós-compactação nas energias intermediária e modificada. 4.7 Índice de Suporte Califórnia Nos ensaios de ISC com energia intermediária e modificada, os valores obtidos foram, respectivamente, 95,18% e 205,89%, com expansão nula. Outras pesquisas realizadas no Brasil apresentaram os seguintes valores de ISC:energia intermediária 73% e modificada 117% (LEITE, 2007); energia intermediária 75% (MOTTA, 2005); energia intermediária 88% (MENDES et al., 2004). Logo, assim como nas pesquisas realizadas, estes valores atendem à NBR (ABNT, 2004). 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS Figura 2. Influência da compactação na granulometria. Observa-se ainda, que após o ensaio de compactação nas energias intermediária e modificada, o comportamento da curva granulométrica do material foi relativamente semelhante, uma vez que não houve quebra significativa dos grãos nas diferentes energias. 4.6 Forma dos grãos A Tabela 4 apresenta um resumo das formas dos grãos (partículas) e as respectivas porcentagens observadas na amostra analisada. Tabela 4. Índice de forma dos grãos. Forma (%) Original Pós-compactação Intermed. Modif. Cúbica 48,2 66,4 68,5 Lamelar 30,0 29,4 29,8 Alongada 18,3 4,2 1,7 Alongada-lamelar 3,3 0 0 Verifica-se que a amostra apresenta-se de acordo com a norma NBR (ABNT, 2004), pois o agregado reciclado deve apresentar até 30% de grãos com forma lamelar. O processo de compactação, em ambas as energias, provocou um aumento do percentual da forma cúbica. Além disso, observa-se a pouca presença de partículas alongadas e a ausência de partículas alongada-lamelares. A composição gravimétrica dos materiais constituintes da fração graúda ( 4,8mm) da amostra indicou a presença de materiais cimentícios 46% (concretos e argamassas), tijolos 34% e misto 11%. Além destes materiais, foi identificada a presença de 4% em massa de materiais indesejáveis, não estando de acordo com a NBR (ABNT, 2004). A análise da massa específica das partículas retidas e passantes na peneira 4,8 mm foram, respectivamente, 2,51 kg/dm³ e 2,59 kg/dm³, resultados que variam dependendo da natureza dos materiais. Assim a massa específica aumenta, em consequência da redução da dimensão das partículas pela britagem. As partículas apresentavam como forma, antes da compactação, 30,0% lamelar e 48,2% cúbica. Após a compactação com energia intermediária indicou 29,4% lamelar e 63,4% cúbica, e energia modificada, apresentou 29,8% lamelar e 68,5% cúbica. A compactação intermediária e modificada causou uma variação de cerca de 10% e 15% na curva granulométrica, isto é, apenas apresentou uma quebra das partículas de baixa intensidade. O valor do Índice de Suporte Califórnia obtido para energia intermediária (95,18%) e modificada (205,89%) foi acima de 60%, valor mínimo para o ISC da base para vias de baixo volume de tráfego. Com isso, pode-se afirmar que esse material poderia ser utilizado como base e sub-base de

6 pavimentação em vias de baixo volume de tráfego. AGRADECIMENTOS Os autores gostariam de agradecer a Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), incluindo a todos do Programa de Pós-Graduação da Escola Politécnica da Universidade de Pernambuco (PEC-POLI-UPE), ao Laboratório de Mecânica dos Solos e Materiais de Construção Civil da POLI/UPE e a empresa Ciclo Ambiental. REFERÊNCIAS ANGULO, S. C.; KAHN, H.; JOHN, V. M.; ULSEN, C. Metodologia de caracterização de resíduos de construção e demolição. In: SEMINÁRIO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A RECICLAGEM NA CONSTRUÇÃO CIVIL, 6., São Paulo, Anais. São Paulo: IBRACON, ARAÚJO JÚNIOR, E de L. Uso de Resíduos da Construção e Demolição (RCD) em estacas de compactação para melhoramento de solos. Recife: UPE, f. Dissertação (Mestrado). Escola Politécnica da Universidade de Pernambuco. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6457: Amostras de solo preparação para ensaios de compactação e ensaios de caracterização. Rio de Janeiro, NBR 6458: Grãos de pedregulho retidos na peneira de 4,8 mm determinação da massa específica, da massa específica aparente e da absorção de água. Rio de Janeiro, NBR 6508: Grãos de solo que passam na peneira de 4,8 mm determinação da massa específica. Rio de Janeiro, NBR 6954: Lastro Padrão: determinação da forma do material. Rio de Janeiro, NBR 7181: Solo análise granulométrica Método de ensaio. Rio de Janeiro, NBR 7182: Solo ensaio de compactação. Rio de Janeiro, NBR 9895: Solo - Índice de suporte Califórnia - Método de ensaio, Rio de Janeiro, NBR 15115: Agregados reciclados de resíduos sólidos da construção civil Execução de camadas de pavimentação Procedimentos. Rio de Janeiro, BENNERT, T.; PAPP JR., W. J.; MAHER, A.; GUCUNSKI, N. Utilization of construction and demolition debris under traffic-type loading in base and subbase applications. Transportation Research Record, Washington, n.1714, p.33-39, CARNEIRO, F. P. Diagnóstico e ação da atual situação dos resíduos da construção e demolição na cidade do Recife. João Pessoa:UFPB, f. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal da Paraíba. CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - CONAMA. Brasília Resolução CONAMA nº 307, de 5 de julho de Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res02/res html>. Acesso em: 14 abr FERNANDES, C. G. Caracterização mecanística de agregados reciclados de resíduos de construção e demolição dos municípios do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte para uso em pavimentação p. Dissertação (Mestrado) Coordenação dos Programas de Pós-graduação de Engenharia, Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPE-UFRJ). Rio de Janeiro, GRUBBA, D. C. R. P. Estudo do comportamento mecânico de um agregado reciclado de concreto para utilização na construção rodoviária f. Dissertação (Mestrado) - Escola de Engenharia Civil de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos. HOOD, R. S. S. Análise da viabilidade técnica da utilização de resíduos da construção e demolição com agregado miúdo reciclado na confecção de blocos de concreto para pavimentação f. Dissertação (mestrado) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. JOHN, V. M. Reciclagem de resíduos na construção civil: contribuição à metodologia de pesquisa e desenvolvimento. São Paulo, f. Tese (Livre-Docência em Engenharia Civil) Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, LEITE, F. da C. Comportamento mecânico de agregado reciclado de resíduos sólido da construção civil em camadas de base e sub-base de pavimentos f.. Dissertação (Mestrado) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, LEITE, M. B. Avaliação de propriedades mecânicas de concretos produzidos com agregados reciclados de resíduos da construção e demolição. Porto Alegre: UFRGS f. Tese (Doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. LEITE; M. B.; LIMA, P. R. L. Efeito da interação entre agregado graúdo, agregado miúdo e fator águacimento sobre a resistência à compressão do concreto reciclado. In: Congresso Brasileiro de Concreto, 51, Anais... Curitiba: IBRACON, 2009, 13p. CD- ROM. MENDES, T. A.; REZENDE, L. R.; OLIVEIRA, J. C.; GUIMARÃES, R. C., CARVALHO, J. C.; VEIGA, R. Parâmetros de uma pista experimental executada com entulho reciclado. In: REUNIÃO ANUAL DE PAVIMENTAÇÃO, 35., Rio de Janeiro, Anais... Rio de Janeiro: ABPv, CD-ROM. MOREIRA, J. F.; DIAS, J. F.; REZENDE, M. E. B. Utilização de resíduos de construção e demolição em base de pavimentos na cidade de Uberlândia-MG. In: REUNIÃO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA, 13., Maceió, Anais... Rio de Janeiro: ABPv,

7 CD-ROM. MOTTA, R. dos S. Estudo laboratorial de agregado reciclado de resíduos sólido da construção civil para aplicação em pavimentação de baixo volume de tráfego. São Paulo, f. Dissertação (Mestrado) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo. NATAATMADJA, A.; TAN, Y. L. Resilient response of recycled concrete Road aggregates. Journal of Transportation Engineering. Reston, Virginia, v.127, n.5, p , Disponível em: <http://ascelibrary.aip.org/getpdf/servlet/getpdfserv let?filetype=pdf&id=jtpedi &idtype=cvips>. Acesso em: 05 de nov RODRIGUES, C. R. de S. Avaliação de propriedades mecânicas de concretos produzidos com agregado miúdo reciclado de resíduo da construção civil. Recife: UPE, f. Dissertação (Mestrado). Escola Politécnica da Universidade de Pernambuco. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil. SILVA, C. A. R. da. Estudo do agregado reciclado de construção civil em misturas betuminosas para vias urbanas f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas. SIQUEIRA, M. S.; GUSMÃO, A. D.; SOUZA, P. C. M. Estudo Geotécnico sobre a Utilização de Resíduos de Construção e Demolição como Agregado Reciclado em Pavimentação. In: II Geojovem e a Mesa Redonda: Estabilização de Encostas na Região Serrana do Rio de Janeiro, 2006, Nova Friburgo. Estabilização de Encostas na Região Serrana do Rio de Janeiro, VIEIRA, G. L.; DAL MOLIN, D. C. C.; LIMA, F. B. Resistência e durabilidade de concretos produzidos com agregados reciclados provenientes de resíduos de construção e demolição. Revista Engenharia Civil. Universidade do Minho. Número 19, 2004, p VIEIRA, G. L. Estudo do processo de corrosão sob a ação de íons cloreto em concretos obtidos a partir de agregados reciclados de resíduos de construção e demolição. Porto Alegre: UFRGS, p. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. ZORDAN, S. E. A utilização do entulho como agregado, na confecção do concreto f. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Engenharia Civil, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Investigação Laboratorial do Uso de Resíduo da Construção Civil como Agregado Graúdo em Estaca de Compactação Argamassada

Investigação Laboratorial do Uso de Resíduo da Construção Civil como Agregado Graúdo em Estaca de Compactação Argamassada Investigação Laboratorial do Uso de Resíduo da Construção Civil como Agregado Graúdo em Estaca de Compactação Argamassada Ronaldo Alves de Medeiros Junior Universidade de Pernambuco-UPE, Recife, Brasil,

Leia mais

Estudo Geotécnico sobre a Utilização de Resíduos de Construção e Demolição como Agregado Reciclado em Pavimentação

Estudo Geotécnico sobre a Utilização de Resíduos de Construção e Demolição como Agregado Reciclado em Pavimentação Estudo Geotécnico sobre a Utilização de Resíduos de Construção e Demolição como Agregado Reciclado em Pavimentação Mariana Santos de Siqueira Departamento de Engenharia Civil, Universidade de Pernambuco,

Leia mais

ESTUDO DA RECICLAGEM DO RESÍDUO DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA USO EM ESTACA DE COMPACTAÇÃO

ESTUDO DA RECICLAGEM DO RESÍDUO DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA USO EM ESTACA DE COMPACTAÇÃO ESTUDO DA RECICLAGEM DO RESÍDUO DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA USO EM ESTACA DE COMPACTAÇÃO Ronaldo Alves de Medeiros Junior Escola Politécnica de Pernambuco Universidade de Pernambuco (POLI/UPE), Recife, Brasil,

Leia mais

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE INCORPORAÇÃO DE AGREGADOS RECICLADOS PROVENIENTES DO BENEFICIAMENTO DE RESÍDUO CLASSE A NA PRODUÇÃO DE CONCRETOS C20 E C30

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE INCORPORAÇÃO DE AGREGADOS RECICLADOS PROVENIENTES DO BENEFICIAMENTO DE RESÍDUO CLASSE A NA PRODUÇÃO DE CONCRETOS C20 E C30 ANÁLISE DA VIABILIDADE DE INCORPORAÇÃO DE AGREGADOS RECICLADOS PROVENIENTES DO BENEFICIAMENTO DE RESÍDUO CLASSE A NA PRODUÇÃO DE CONCRETOS C20 E C30 Samara Correa Gomes Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

Utilização de Material Proveniente de Fresagem na Composição de Base e Sub-base de Pavimentos Flexíveis

Utilização de Material Proveniente de Fresagem na Composição de Base e Sub-base de Pavimentos Flexíveis Utilização de Material Proveniente de Fresagem na Composição de Base e Sub-base de Pavimentos Flexíveis Garcês, A. Universidade Estadual de Goiás, Anápolis-GO, Brasil, alexandregarces@gmail.com Ribeiro,

Leia mais

Resistência de Interface entre Resíduo de Construção e Demolição Reciclado (RCD-R) e Geotêxtil Não Tecido

Resistência de Interface entre Resíduo de Construção e Demolição Reciclado (RCD-R) e Geotêxtil Não Tecido Resistência de Interface entre Resíduo de Construção e Demolição Reciclado (RCD-R) e Geotêxtil Não Tecido Débora Louyse Alpes de Melo Escola Politécnica da Universidade de Pernambuco, Departamento de Engenharia

Leia mais

Reciclagem e Reaproveitamento de resíduos sólidos da construção civil em São Luís MA: um processo sustentável 1

Reciclagem e Reaproveitamento de resíduos sólidos da construção civil em São Luís MA: um processo sustentável 1 REVISTA DO CEDS Periódico do Centro de Estudos em Desenvolvimento Sustentável da UNDB N. 1 agosto/dezembro 2014 Semestral Disponível em: http://www.undb.edu.br/ceds/revistadoceds Reciclagem e Reaproveitamento

Leia mais

AGREGADO RECICLADO DE RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO (RCD) EM PAVIMENTAÇÃO

AGREGADO RECICLADO DE RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO (RCD) EM PAVIMENTAÇÃO PAINEL: MATERIAIS ALTERNATIVOS AGREGADO RECICLADO DE RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO (RCD) EM PAVIMENTAÇÃO ROSÂNGELA MOTTA Laboratório de Tecnologia de Pavimentação Departamento de Engenharia de Transportes

Leia mais

08/02/2014 EDISON CAMBA JUNIOR. PROJETO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL II Orientador Professor Mestre Valter Prieto. Santos / SP

08/02/2014 EDISON CAMBA JUNIOR. PROJETO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL II Orientador Professor Mestre Valter Prieto. Santos / SP Santos / SP 1 EDISON CAMBA JUNIOR 2 Utilização de Resíduo da Construção e Demolição (RCD) como agregado na confecção do Pré - Misturados a Frio (PMF) Universidade para tapa-buraco Santa Cecília em Santos

Leia mais

SUSTENTABILIDADE E RECICLAGEM DE MATERIAIS EM PAVIMENTAÇÃO

SUSTENTABILIDADE E RECICLAGEM DE MATERIAIS EM PAVIMENTAÇÃO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE TRANSPORTES PTR 2388 TRANSPORTE E MEIO AMBIENTE SUSTENTABILIDADE E RECICLAGEM DE MATERIAIS EM PAVIMENTAÇÃO 14/ABR/2016 DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE TRANSPORTES RECICLAGEM

Leia mais

Curso (s) : Engenharia Civil - Joinville Nome do projeto: Estudo Comparativo da Granulometria do Agregado Miúdo para Uso em Argamassas de Revestimento

Curso (s) : Engenharia Civil - Joinville Nome do projeto: Estudo Comparativo da Granulometria do Agregado Miúdo para Uso em Argamassas de Revestimento FORMULÁRIO PARA INSCRIÇÃO DE PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Coordenação/Colegiado ao(s) qual(is) será vinculado: Curso (s) : Engenharia Civil - Joinville Nome do projeto: Estudo Comparativo da Granulometria

Leia mais

TÉCNICA CONSULTORIA A IMPORTÂNCIA DA COMBINAÇÃO GRANULOMÉTRICA PARA BLOCOS DE CONCRETO 2. CONCRETO SECO X CONCRETO PLÁSTICO. Paula Ikematsu (1)

TÉCNICA CONSULTORIA A IMPORTÂNCIA DA COMBINAÇÃO GRANULOMÉTRICA PARA BLOCOS DE CONCRETO 2. CONCRETO SECO X CONCRETO PLÁSTICO. Paula Ikematsu (1) A IMPORTÂNCIA DA COMBINAÇÃO GRANULOMÉTRICA PARA BLOCOS DE CONCRETO Paula Ikematsu (1) Gerente de área de Produto e Canais Técnicos da InterCement S/A Mestre em Engenharia Civil (Escola Politécnica da Universidade

Leia mais

DETERMINAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DE CONCRETO C40 E C50 EXECUTADO COM AGREGADOS RECICLADOS CINZA

DETERMINAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DE CONCRETO C40 E C50 EXECUTADO COM AGREGADOS RECICLADOS CINZA Anais do XX Encontro de Iniciação Científica ISSN 1982-0178 DETERMINAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DE CONCRETO C40 E C50 EXECUTADO COM AGREGADOS RECICLADOS CINZA Caio Henrique Tinós Provasi

Leia mais

DOSAGEM DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE UTILIZANDO LIGANTE ASFÁLTICO MODIFICADO COM BORRACHA

DOSAGEM DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE UTILIZANDO LIGANTE ASFÁLTICO MODIFICADO COM BORRACHA DOSAGEM DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE UTILIZANDO LIGANTE ASFÁLTICO MODIFICADO COM BORRACHA Jean Pier Vacheleski 1, Mauro Leandro Menegotto 2, RESUMO: Com o grande número de pneus descartados surge

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE COMPOSIÇÃO DE CONCRETO PERMEÁVEL COM AGREGADOS ORIUNDOS DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO DE CAMPINAS

DESENVOLVIMENTO DE COMPOSIÇÃO DE CONCRETO PERMEÁVEL COM AGREGADOS ORIUNDOS DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO DE CAMPINAS DESENVOLVIMENTO DE COMPOSIÇÃO DE CONCRETO PERMEÁVEL COM AGREGADOS ORIUNDOS DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO DE CAMPINAS Katrine Krislei Pereira Engenharia Civil CEATEC krisleigf@hotmail.com Resumo:

Leia mais

COMPARATIVO LABORATORIAL DE MISTURAS ASFÁLTICAS MOLDADAS NO CENTRO E LIMITES DAS FAIXAS B E C DO DNIT 1

COMPARATIVO LABORATORIAL DE MISTURAS ASFÁLTICAS MOLDADAS NO CENTRO E LIMITES DAS FAIXAS B E C DO DNIT 1 COMPARATIVO LABORATORIAL DE MISTURAS ASFÁLTICAS MOLDADAS NO CENTRO E LIMITES DAS FAIXAS B E C DO DNIT 1 Janaína Terhorst Pizutti 2, José Antônio Santana Echeverria 3, João Paulo Avrella 4, Ricardo Zardin

Leia mais

44ª REUNIÃO ANUAL DE PAVIMENTAÇÃO 18º ENCONTRO NACIONAL DE CONSERVAÇÃO RODOVIÁRIA 44ª RAPv / 18º ENACOR 4ª EXPOPAVIMENTAÇÃO

44ª REUNIÃO ANUAL DE PAVIMENTAÇÃO 18º ENCONTRO NACIONAL DE CONSERVAÇÃO RODOVIÁRIA 44ª RAPv / 18º ENACOR 4ª EXPOPAVIMENTAÇÃO 44ª REUNIÃO ANUAL DE PAVIMENTAÇÃO 18º ENCONTRO NACIONAL DE CONSERVAÇÃO RODOVIÁRIA 44ª RAPv / 18º ENACOR 4ª EXPOPAVIMENTAÇÃO FOZ DO IGUAÇU/PR BRASIL - 18 a 21 de Agosto de 215 Local: Hotel Bourbon A UTILIZAÇÃO

Leia mais

siltosos quando melhorados com aditivos químicos e orgânicos

siltosos quando melhorados com aditivos químicos e orgânicos COMPORTAMENTO DE SOLOS siltosos quando melhorados com aditivos químicos e orgânicos ALESSANDER C. MORALES KORMANN* BERNARDO P.J.C.N. PERNA** O presente trabalho traz um estudo do comportamento de um solo

Leia mais

TIJOLOS DE SOLO-CIMENTO PRODUZIDOS COM RESÍDUOS DE CONCRETO

TIJOLOS DE SOLO-CIMENTO PRODUZIDOS COM RESÍDUOS DE CONCRETO TIJOLOS DE SOLO-CIMENTO PRODUZIDOS COM RESÍDUOS DE CONCRETO Thaís Do Rosário 1 Carlos Eduardo Nunes Torrescasana 2 Resumo: Diante do contexto atual de preservação do meio ambiente e de reaproveitamento

Leia mais

Utilização de um rejeito de mineração como alternativa para estabilização de um solo tropical da região Centro-oeste

Utilização de um rejeito de mineração como alternativa para estabilização de um solo tropical da região Centro-oeste Utilização de um rejeito de mineração como alternativa para estabilização de um solo tropical da região Centro-oeste Leonardo Santos Gratão Bolsista PIBIC, Departamento de Engenharia Civil e Ambiental

Leia mais

Estudo da Viabilidade Técnica e Econômica do Calcário Britado na Substituição Parcial do Agregado Miúdo para Produção de Argamassas de Cimento

Estudo da Viabilidade Técnica e Econômica do Calcário Britado na Substituição Parcial do Agregado Miúdo para Produção de Argamassas de Cimento Estudo da Viabilidade Técnica e Econômica do Calcário Britado na Substituição Parcial do Agregado Miúdo para Produção de Argamassas de Cimento Rodrigo Cézar Kanning rckanning@yahoo.com.br Universidade

Leia mais

DER/PR ES-P 05/05 PAVIMENTAÇÃO: BRITA GRADUADA

DER/PR ES-P 05/05 PAVIMENTAÇÃO: BRITA GRADUADA PAVIMENTAÇÃO: BRITA GRADUADA Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná - DER/PR Avenida Iguaçu 420 CEP 80230 902 Curitiba Paraná Fone (41) 3304 8000 Fax (41) 3304 8130 www.pr.gov.br/transportes

Leia mais

PREFEITURA DO RECIFE ME-3

PREFEITURA DO RECIFE ME-3 ME-3 MÉTODOS DE ENSAIO GRÃOS DE PEDREGULHO RETIDOS NA PENEIRA DE 4,8 MM DETERMINAÇÃO DA MASSA ESPECÍFICA, DA MASSA ESPECÍFICA APARENTE DA ABSORÇÃO DE ÁGUA DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG.

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ABSORÇÃO DE ÁGUA DE TIJOLOS DE CONCRETO PRODUZIDOS PARCIALMENTE COM AGREGADOS RECICLADOS

AVALIAÇÃO DA ABSORÇÃO DE ÁGUA DE TIJOLOS DE CONCRETO PRODUZIDOS PARCIALMENTE COM AGREGADOS RECICLADOS AVALIAÇÃO DA ABSORÇÃO DE ÁGUA DE TIJOLOS DE CONCRETO PRODUZIDOS PARCIALMENTE COM AGREGADOS RECICLADOS Júlia Chaves BORGES (1); Raquel Jucá de Moraes SALES (2); Maria Elane Dias de OLIVEIRA (3); Antonio

Leia mais

RECICLAGEM DE RESÍDUOS E CIDADANIA: PRODUÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES EM REGIME DE MUTIRÃO - PARTE II

RECICLAGEM DE RESÍDUOS E CIDADANIA: PRODUÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES EM REGIME DE MUTIRÃO - PARTE II RECICLAGEM DE RESÍDUOS E CIDADANIA: PRODUÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES EM REGIME DE MUTIRÃO - PARTE II Aline Gomes de Oliveira 1 ; Gustavo de Castro Xavier 2 ; Raphael dos

Leia mais

Utilização de Resíduos Oriundos do Corte de Rochas Graníticas Como Agregado Mineral Em Misturas de Concreto Asfáltico

Utilização de Resíduos Oriundos do Corte de Rochas Graníticas Como Agregado Mineral Em Misturas de Concreto Asfáltico Utilização de Resíduos Oriundos do Corte de Rochas Graníticas Como Agregado Mineral Em Misturas de Concreto Asfáltico Wilber Feliciano Chambi Tapahuasco Universidade Federal do Pampa, Alegrete-RS, Brasil,

Leia mais

Granulometria. Marcio Varela

Granulometria. Marcio Varela Granulometria Marcio Varela Granulometria Definição: É a distribuição, em porcentagem, dos diversos tamanhos de grãos. É a determinação das dimensões das partículas do agregado e de suas respectivas porcentagens

Leia mais

Normas Técnicas -RCD

Normas Técnicas -RCD Mestrado em Engenharia Civil NORMAS TÉCNICAS DE RCD Profa. Stela Fucale Normas Técnicas -RCD NBR15.112/04 Resíduosdeconstruçãoeresíduosvolumosos Áreasde transbordo e triagem Diretrizes para projeto, implantação

Leia mais

RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL: CLASSIFICAÇÃO, NORMAS E RECICLAGEM

RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL: CLASSIFICAÇÃO, NORMAS E RECICLAGEM RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL: CLASSIFICAÇÃO, NORMAS E RECICLAGEM 1 Régis Budke, 1 Jackson Rainério Cardoso & 2 Silvio Bispo do Vale 1 Graduandos em Engenharia de Minas e Meio Ambiente - UFPA. 2 Prof. da

Leia mais

NORMA BRASILEIRA ABNT NBR. 15116

NORMA BRASILEIRA ABNT NBR. 15116 ' ~ '" NORMA BRASLERA ABNT NBR. 15116 lj F CE.NTRAL Primeira edição 31.08.2004. '.., Válida a partir de 30.09.2004! Agregados reciclados de resíduos sólidos da construção civil - Utilização em pavimentação

Leia mais

Estudo da trabalhabilidade em argamassas e concretos com utilização de RCD

Estudo da trabalhabilidade em argamassas e concretos com utilização de RCD Estudo da trabalhabilidade em argamassas e concretos com utilização de RCD Patrícia Krüger (Universidade Estadual de Ponta Grossa) E-mail: pkruger@uepg.br Annelise Breus de Souza (Universidade Estadual

Leia mais

ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA BOA VISTA PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA URBANA

ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA BOA VISTA PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA URBANA 1 ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA BOA VISTA PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA URBANA LOCALIZAÇÃO: Avenida Jacob Wagner Sobrinho NOVA BOA VISTA / RS JUNHO DE 2013 1 2 1.0 INTRODUÇÃO

Leia mais

AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA EM CONCRETOS PRODUZIDOS COM AGREGADOS LEVES DE ARGILA CALCINADA. Bruno Carlos de Santis 1. João Adriano Rossignolo 2

AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA EM CONCRETOS PRODUZIDOS COM AGREGADOS LEVES DE ARGILA CALCINADA. Bruno Carlos de Santis 1. João Adriano Rossignolo 2 ENTECA 2013 IX Encontro Tecnológico da Engenharia Civil e Arquitetura 1 a 3 de outubro de 2013 AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA EM CONCRETOS PRODUZIDOS COM AGREGADOS LEVES DE ARGILA CALCINADA Bruno Carlos de Santis

Leia mais

Operação de usinas de reciclagem de RCD classe A

Operação de usinas de reciclagem de RCD classe A Operação de usinas de reciclagem de RCD classe A LEONARDO F. R. MIRANDA - PROF. DR. UFPR 8ª Edição, 28/08/14 1 Abertura de uma usina de reciclagem de RCD Desenvolvimento de um plano de negócios e pesquisa

Leia mais

(PPGEMA), pela Escola de Engenharia Civil (EEC); joaoluizmplopes@yahoo.com.br.

(PPGEMA), pela Escola de Engenharia Civil (EEC); joaoluizmplopes@yahoo.com.br. ESTUDO DO POTENCIAL DE UTILIZAÇÃO DO RESÍDUO DE BENEFICIAMENTO DE MÁRMORE E GRANITO (RBMG), COMO FÍLER, NA PRODUÇÃO DE CONCRETOS. LOPES, João Luiz Macedo Prudêncio¹; BACARJI, Edgar²; PAZINI FIGUEIREDO,

Leia mais

DOSAGEM DE CONCRETO PARA BLOCOS CONTENDO RESÍDUO DA INDÚSTRIA DE ARTEFATOS DE CIMENTO

DOSAGEM DE CONCRETO PARA BLOCOS CONTENDO RESÍDUO DA INDÚSTRIA DE ARTEFATOS DE CIMENTO DOSAGEM DE CONCRETO PARA BLOCOS CONTENDO RESÍDUO DA INDÚSTRIA DE ARTEFATOS DE CIMENTO Afonso Maria Araújo (1) (1) Mestrando, Programa de Pós-Graduação em Geotecnica e Construção Civil, Universidade Federal

Leia mais

REAPROVEITAMENTO DOS ENTULHOS DE CONCRETO NA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES

REAPROVEITAMENTO DOS ENTULHOS DE CONCRETO NA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES REAPROVEITAMENTO DOS ENTULHOS DE CONCRETO NA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES Maria Edelma Henrique de Carvalho Porto (ISECENSA) maria_edelma@hotmail.com Simone Vasconcelos Silva (ISECENSA) simonevsinfo@yahoo.com.br

Leia mais

COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. 2010 ABMS.

COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. 2010 ABMS. Análise da Influência do de Cura sobre o Comportamento Mecânico de um Agregado Reciclado de Concreto Compactado nas s e David Christian Regis Pereira Grubba USP EESC, São Carlos, Brasil, davidgrubbajf@yahoo.com.br

Leia mais

UMIDADE ÓTIMA DE COMPACTAÇÃO DE SOLO-CIMENTO PARA DIFERENTES TRAÇOS

UMIDADE ÓTIMA DE COMPACTAÇÃO DE SOLO-CIMENTO PARA DIFERENTES TRAÇOS UMIDADE ÓTIMA DE COMPACTAÇÃO DE SOLO-CIMENTO PARA DIFERENTES TRAÇOS Cristiane Zuffo da Silva(1); Evandro Marcos Kolling (2); Tobias Jun Shimosaka (3); Ney Lysandro Tabalipa (4); Caroline Angulski da Luz

Leia mais

16º. Encontro Técnico DER/PR A Importância da Reciclagem e das Soluções Sustentáveis em Pavimentação

16º. Encontro Técnico DER/PR A Importância da Reciclagem e das Soluções Sustentáveis em Pavimentação 16º. Encontro Técnico DER/PR A Importância da Reciclagem e das Soluções Sustentáveis em Pavimentação Profa. Dra. Liedi Bariani Bernucci Professora Titular Coordenadora do Laboratório de Tecnologia de Pavimentação

Leia mais

Figura 3.1 Curva de compactação

Figura 3.1 Curva de compactação 3. Compactação O estudo da técnica e controle da compactação é relativamente recente e tem sido desenvolvido principalmente para a construção de aterros. A compactação é um processo no qual se visa melhorar

Leia mais

OBTENÇÃO DE AREIA ARTIFICIAL A PARTIR DE FINOS DE PEDREIRA ANÁLISE DE ENSAIOS

OBTENÇÃO DE AREIA ARTIFICIAL A PARTIR DE FINOS DE PEDREIRA ANÁLISE DE ENSAIOS OBTENÇÃO DE AREIA ARTIFICIAL A PARTIR DE FINOS DE PEDREIRA ANÁLISE DE ENSAIOS Luiz Henrique de Oliveira Bispo Bolsista de Inic. Científica, Eng. Química, UFRJ Salvador Luiz Matos de Almeida Orientador,

Leia mais

Prof. Engº Pery C. G. de Castro. Revisado em outubro de 2009 PARTE - I INTRODUÇÃO

Prof. Engº Pery C. G. de Castro. Revisado em outubro de 2009 PARTE - I INTRODUÇÃO Prof. Engº Pery C. G. de Castro Revisado em outubro de 2009 PARTE - I INTRODUÇÃO 1 CONCEITO DE RECICLAGEM DE PAVIMENTOS É um processo que visa a melhorar as características de rolamento e a estrutura do

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Processo de criação de fibrocimento com bagaço de cana M.Sc. Arq. Elena M. D. Oliveira Bagaço de cana vira matéria-prima para fibrocimento Na Escola de Engenharia de São Carlos

Leia mais

RECICLAGEM DE CAMADA BETUMINOSA COMO SUB-BASE ESTABILIZADA COM CIMENTO NA BR 381: UMA EXPERIENCIA

RECICLAGEM DE CAMADA BETUMINOSA COMO SUB-BASE ESTABILIZADA COM CIMENTO NA BR 381: UMA EXPERIENCIA RECICLAGEM DE CAMADA BETUMINOSA COMO SUB-BASE ESTABILIZADA COM CIMENTO NA BR 381: UMA EXPERIENCIA I. APRESENTAÇÃO César Augusto Rodrigues da Silva Juarez Miranda Jr. Este trabalho apresenta a experiência

Leia mais

PAVIMENTO ECOLÓGICO: UMA OPÇÃO PARA A PAVIMENTAÇÃO DE VIAS DAS GRANDES CIDADES

PAVIMENTO ECOLÓGICO: UMA OPÇÃO PARA A PAVIMENTAÇÃO DE VIAS DAS GRANDES CIDADES PAVIMENTO ECOLÓGICO: UMA OPÇÃO PARA A PAVIMENTAÇÃO DE VIAS DAS GRANDES CIDADES Moisés Ribeiro Abdou Liedi Légi Bariani Bernucci Resumo Os resíduos de construção e demolição (RCD) são gerados em grande

Leia mais

Dosagem de concretos produzidos com agregado miúdo reciclado de resíduo da construção civil

Dosagem de concretos produzidos com agregado miúdo reciclado de resíduo da construção civil Dosagem de concretos produzidos com agregado miúdo reciclado de resíduo da construção civil Experimental mix proportion of concrete made with recycled aggregate from civil construction waste Clarissa Ribeiro

Leia mais

ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO DE FACHADAS EXPOSTAS À. AMBIENTE MARINHO Avaliação da Aderência

ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO DE FACHADAS EXPOSTAS À. AMBIENTE MARINHO Avaliação da Aderência ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO DE FACHADAS EXPOSTAS À AMBIENTE MARINHO Avaliação da Aderência Por: Regina Helena Ferreira de Souza Professora Dra., Titular de Estruturas, Departamento de Engenharia Civil Universidade

Leia mais

Análise laboratorial da interação entre solo-pneu utilizada em estruturas de contenção de encostas

Análise laboratorial da interação entre solo-pneu utilizada em estruturas de contenção de encostas Análise laboratorial da interação entre solo-pneu utilizada em estruturas de contenção de encostas Sidney Fernandes de Andrade Moura Escola Politécnica de Pernambuco, Recife, Brasil, sidneyfam@hotmail.com

Leia mais

Pavimentação Sustentável: reaproveitamento do resíduo da construção civil e de material fresado com espuma de asfalto

Pavimentação Sustentável: reaproveitamento do resíduo da construção civil e de material fresado com espuma de asfalto Pavimentação Sustentável: reaproveitamento do resíduo da construção civil e de material fresado com espuma de asfalto Valmir Bonfim Diretor Técnico do Grupo ANE Fresagem de pavimentos Microfresagem para

Leia mais

ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO MATERIAIS BÁSICOS EMPREGADOS NA PRODUÇÃO DAS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTOS

ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO MATERIAIS BÁSICOS EMPREGADOS NA PRODUÇÃO DAS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTOS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO MATERIAIS BÁSICOS EMPREGADOS NA PRODUÇÃO DAS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTOS INTRODUÇÃO O empirismo durante a especificação dos materiais A complexidade do número de variáveis envolvidas

Leia mais

Aula: Resolução CONAMA 307 e Gerenciamento de Resíduos sólidos da Construção Civil

Aula: Resolução CONAMA 307 e Gerenciamento de Resíduos sólidos da Construção Civil UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Aula: Resolução CONAMA 307 e Gerenciamento de Resíduos sólidos da Construção Civil Disciplina: Gerenciamento

Leia mais

RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO. ANÁLISE DA VIABILIDADE DA SUA APLICAÇÃO EM MISTURAS BETUMINOSAS

RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO. ANÁLISE DA VIABILIDADE DA SUA APLICAÇÃO EM MISTURAS BETUMINOSAS RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO. ANÁLISE DA VIABILIDADE DA SUA APLICAÇÃO EM MISTURAS BETUMINOSAS Ana Duarte Conceição 1, Rosa Luzia 2 e Dinis Gardete 2 1 Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico

Leia mais

Fases do método de pesquisa

Fases do método de pesquisa UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO - UPE ESCOLA POLITÉCNICA DE PERNAMBUCO - POLI PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL - PEC DISCIPLINA: METODOLOGIA DO ENSINO E DA PESQUISA TECNOLÓGICA PROFESSORA: EMILIA

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO USO DE AREIA DE BRITAGEM EM CONCRETOS DE CIMENTO PORTLAND NA REGIÃO DE CHAPECÓ - SC

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO USO DE AREIA DE BRITAGEM EM CONCRETOS DE CIMENTO PORTLAND NA REGIÃO DE CHAPECÓ - SC VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO USO DE AREIA DE BRITAGEM EM CONCRETOS DE CIMENTO PORTLAND NA REGIÃO DE CHAPECÓ - SC LODI, Victor Hugo 1 ; PRUDÊNCIO JUNIOR, Luiz Roberto 2 RESUMO O esgotamento das jazidas

Leia mais

CARLOS HENRIQUE PALACIO

CARLOS HENRIQUE PALACIO i CARLOS HENRIQUE PALACIO ESTABILIZAÇÃO DE SOLOS COM RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO RECICLADO (RCD-R) PARA FINS RODOVIÁRIOS. Artigo apresentado ao curso de graduação em Engenharia Civil da Universidade

Leia mais

PUC CAMPINAS Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Disciplina Materiais de Construção Civil A

PUC CAMPINAS Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Disciplina Materiais de Construção Civil A PUC CAMPINAS Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Disciplina Materiais de Construção Civil A Agregados para concreto Profa. Lia Lorena Pimentel 1 1. AGREGADOS PARA ARGAMASSAS E CONCRETOS Uma vez que cerca

Leia mais

Recifes artificiais marinhos de concreto com adição de raspa de pneus.

Recifes artificiais marinhos de concreto com adição de raspa de pneus. Recifes artificiais marinhos de concreto com adição de raspa de pneus. Lídia Ineia Krefer 1, Laura Duda Lourenço 1, Regiani Cristina Menegheli 1, Wellington Mazer 2 (1) Tecnóloga em Construção Civil modalidade

Leia mais

cintiademarcosantos@gmail.com

cintiademarcosantos@gmail.com ECOEFICIÊNCIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMA DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA NA CONSTRUÇÃO DE UM CONJUNTO DE CASAS DE ALTO PADRÃO NA CIDADE DE PELOTAS/RS Cíntia de Marco Santos Instituto Federal Sul-rio-grandense,

Leia mais

4. ÍNDICE DE SUPORTE CALIFÓRNIA (ISC) OU CBR (CALIFÓRNIA)

4. ÍNDICE DE SUPORTE CALIFÓRNIA (ISC) OU CBR (CALIFÓRNIA) 4. ÍNDICE DE SUPORTE CALIFÓRNIA (ISC) OU CBR (CALIFÓRNIA) Esse ensaio foi concebido pelo Departamento de Estradas de Rodagem da California (USA) para avaliar a resistência dos solos. No ensaio de CBR,

Leia mais

Eixo Temático ET-06-003 - Recuperação de Áreas Degradadas CARACTERIZAÇÃO DOS SOLOS PARA IMPLANTAÇÃO DE UMA BIORRETENÇÃO EM LOTES RESIDENCIAIS

Eixo Temático ET-06-003 - Recuperação de Áreas Degradadas CARACTERIZAÇÃO DOS SOLOS PARA IMPLANTAÇÃO DE UMA BIORRETENÇÃO EM LOTES RESIDENCIAIS 318 Eixo Temático ET-06-003 - Recuperação de Áreas Degradadas CARACTERIZAÇÃO DOS SOLOS PARA IMPLANTAÇÃO DE UMA BIORRETENÇÃO EM LOTES RESIDENCIAIS Mayco Sullivan Araújo de Santana RESUMO Para implantar

Leia mais

APROVEITAMENTO SUSTENTÁVEL DE RECURSOS NATURAIS E DE MATERIAIS RECICLÁVEIS NA INOVAÇÃO QUÍMICA DE COMPÓSITOS POLIMÉRICOS

APROVEITAMENTO SUSTENTÁVEL DE RECURSOS NATURAIS E DE MATERIAIS RECICLÁVEIS NA INOVAÇÃO QUÍMICA DE COMPÓSITOS POLIMÉRICOS APROVEITAMENTO SUSTENTÁVEL DE RECURSOS NATURAIS E DE MATERIAIS RECICLÁVEIS NA INOVAÇÃO QUÍMICA DE COMPÓSITOS POLIMÉRICOS Rebecca Manesco Paixão 1 ; Natália Cavalini Paganini 2 ;José Eduardo Gonçalves 3

Leia mais

Quando, no DER/RJ, decidimos investir em novas tecnologias rodoviárias, optamos pela implementação da pavimentação com

Quando, no DER/RJ, decidimos investir em novas tecnologias rodoviárias, optamos pela implementação da pavimentação com Quando, no DER/RJ, decidimos investir em novas tecnologias rodoviárias, optamos pela implementação da pavimentação com ASFALTO ADICIONADO COM GRANULADO DE BORRACHA IN SITU. Procuramos uma rodovia estadual

Leia mais

DESTINAÇÃO DO GESSO PÓS-USO DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PR

DESTINAÇÃO DO GESSO PÓS-USO DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PR DESTINAÇÃO DO GESSO PÓS-USO DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PR Myrian Sayuri Nakano 1 ; Berna V.Bruit Valderrama 2 ; RESUMO: O crescimento populacional e o acelerado processo de urbanização

Leia mais

Material Fresado: Uma Opção Sustentável

Material Fresado: Uma Opção Sustentável Material Fresado: Uma Opção Sustentável Autores: Thalita Ramalho de Carvalho Msc. Danilo Fernandes de Medeiros Instituição Centro Universitário Planalto do Distrito Federal - UNIPLAN 19 a 21 maio 2014

Leia mais

CUR SO TECNOLOG IA E M G EST AO AM BI ENT AL PROJ ET O D E I NICI AÇ AO CI ENTIFI CA - PIC

CUR SO TECNOLOG IA E M G EST AO AM BI ENT AL PROJ ET O D E I NICI AÇ AO CI ENTIFI CA - PIC CUR SO TECNOLOG IA E M G EST AO AM BI ENT AL PROJ ET O D E I NICI AÇ AO CI ENTIFI CA UM ESTUDO SOBRE O TRATAMENTO DOS RESIDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E DEMOLIÇÃO (RCD) NO DF - FATORES AMBIENTAIS E RECICLAGEM.

Leia mais

MATERIAIS PARA FUNDIÇÃO DETERMINAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO GRANULOMÉTRICA, MÓDULO DE FINURA E TEOR DE FINOS EM MATERIAIS GRANULARES

MATERIAIS PARA FUNDIÇÃO DETERMINAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO GRANULOMÉTRICA, MÓDULO DE FINURA E TEOR DE FINOS EM MATERIAIS GRANULARES Método de Ensaio Folha : 1 de 5 SUMÁRIO 1_ Objetivo 2_ Documento a consultar 3_ Princípio do método 4_ Definição 5_ Aparelhagem 6_ Execução do ensaio 7_ Resultados 8_ Anexo A 1_ OBJETIVO 1.1_ Esta recomendação

Leia mais

Agregados para Construção Civil

Agregados para Construção Civil Agregados para Construção Civil Agregados são fragmentos de rochas, popularmente denominados pedras e areias. É um material granular, sem forma nem volume definidos, geralmente inerte, com dimensões e

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 2004 AGREGADOS AGREGADOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 2004 AGREGADOS

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 2004 AGREGADOS AGREGADOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 2004 AGREGADOS 1 agregado aterial granular usado na construção. O agregado pode ser natural, artificial ou reciclado. : 70 a 80% do volume do betão 2 composição de 1 m 3 de betão : por exemplo cimento água agregados

Leia mais

ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina

ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina ANÁLISE DOS IMPACTOS AMBIENTAIS GERADOS POR RESÍDUOS DE

Leia mais

Prognóstico Ambiental dos Resíduos de Construção Civil do Município de Biritiba-Mirim, SP

Prognóstico Ambiental dos Resíduos de Construção Civil do Município de Biritiba-Mirim, SP Prognóstico Ambiental dos Resíduos de Construção Civil do Município de Biritiba-Mirim, SP Barbara Almeida Souza (Centro Universitário Senac SP) Graduanda de Engenharia Ambiental. basouza2@gmail.com Maurício

Leia mais

ANEXO 4 SONDAGEM (ORIGINAL)

ANEXO 4 SONDAGEM (ORIGINAL) ANEXO 4 SONDAGEM (ORIGINAL) 1. RELATÓRIO DE SONDAGEM 1.1 Objetivos O presente relatório tem por objetivo descrever os critérios e procedimentos adotados na execução dos serviços de sondagem geotécnica

Leia mais

Tijolos prensados de solo-cimento confeccionados com resíduos de concreto. Soil-cement pressed bricks made with concrete wastes

Tijolos prensados de solo-cimento confeccionados com resíduos de concreto. Soil-cement pressed bricks made with concrete wastes Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental v., n., p.5, Campina Grande, PB, UAEAg/UFCG http://www.agriambi.com.br Protocolo 5. 5/5/ Aprovado em // Tijolos prensados de solo-cimento confeccionados

Leia mais

Estudo para o aproveitamento econômico do resíduo de construção e demolição

Estudo para o aproveitamento econômico do resíduo de construção e demolição Estudo para o aproveitamento econômico do resíduo de construção e demolição Joel Martins dos Santos (SENAI) joel.martins@pr.senai.br Eliane Jorge dos Santos (SENAI) eliane.santos@pr.senai.br Thiago Henrique

Leia mais

Materiais e Processos Construtivos. Materiais e Processos Construtivos. Concreto. Frank Cabral de Freitas Amaral 1º º Ten.-Eng.º.

Materiais e Processos Construtivos. Materiais e Processos Construtivos. Concreto. Frank Cabral de Freitas Amaral 1º º Ten.-Eng.º. Concreto Frank Cabral de Freitas Amaral 1º º Ten.Eng.º Instrutor Abril / 2006 1 Programação SEMANA DATA TÓPICOS 1 2 3 4 5 6 7 8 06/mar 09/mar 13/mar 16/mar 20/mar 23/mar 27/mar 30/mar 3/abr 6/abr 10/abr

Leia mais

ESTUDO DA SUBSTITUIÇÃO DE AGREGADOS MIÚDOS NATURAIS POR AGREGADOS MIÚDOS BRITADOS EM CONCRETOS DE CIMENTO PORTLAND

ESTUDO DA SUBSTITUIÇÃO DE AGREGADOS MIÚDOS NATURAIS POR AGREGADOS MIÚDOS BRITADOS EM CONCRETOS DE CIMENTO PORTLAND GUILHERME TEODORO BUEST NETO ESTUDO DA SUBSTITUIÇÃO DE AGREGADOS MIÚDOS NATURAIS POR AGREGADOS MIÚDOS BRITADOS EM CONCRETOS DE CIMENTO PORTLAND Dissertação apresentada ao Programa de Pós - Graduação em

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO BASE DE SOLO-CIMENTO Grupo de Serviço PAVIMENTAÇÃO Código DERBA-ES-P-07/01 1. OBJETIVO Esta especificação de serviço define os critérios que orientam a execução de base de solo-cimento,

Leia mais

1. FUNDAMENTOS HISTÓRICOS

1. FUNDAMENTOS HISTÓRICOS 1. FUNDAMENTOS HISTÓRICOS Advento da agricultura: + 10.000 AC Terra, pedra e madeira: materiais que abrigaram a humanidade Desuso Produção industrial de materiais Novos padrões estéticos Grandes concentrações

Leia mais

Materiais de Construção. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

Materiais de Construção. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 Materiais de Construção de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 AGREGADOS AGREGADOS DEFINIÇÃO É o material particulado, incoesivo, de atividade química praticamente nula, constituído de misturas de partículas

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO ENTULHO VISANDO A SUA UTILIZAÇÃO COMO AGREGADO GRAÚDO PARA CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND

CARACTERIZAÇÃO DO ENTULHO VISANDO A SUA UTILIZAÇÃO COMO AGREGADO GRAÚDO PARA CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND CARACTERIZAÇÃO DO ENTULHO VISANDO A SUA UTILIZAÇÃO COMO AGREGADO GRAÚDO PARA CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND Adailton de O. Gomes; (2) Cleber M. R. Dias; (3) Alexandre T. Machado; (4) Roberto J. C. Cardoso;

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ESTUDO EXPERIMENTAL DE UM AGREGADO RECICLADO DE RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO (RCD) PARA UTILIZAÇÃO EM PAVIMENTAÇÃO

Leia mais

Quantificação e classificação dos resíduos da construção e demolição coletados no município de Passo Fundo, RS

Quantificação e classificação dos resíduos da construção e demolição coletados no município de Passo Fundo, RS Quantificação e classificação dos resíduos da construção e demolição coletados no município de Passo Fundo, RS Quantification and classification of construction and demolition waste collected in Passo

Leia mais

TIJOLOS CRUS COM SOLO ESTABILIZADO

TIJOLOS CRUS COM SOLO ESTABILIZADO TIJOLOS CRUS COM SOLO ESTABILIZADO João Maurício Fernandes Souza¹; José Dafico Alves² ¹ Bolsista PIBIC/CNPq, Engenheiro Agrícola, UnUCET - UEG 2 Orientador, docente do Curso de Engenharia Agrícola, UnUCET

Leia mais

AVALIAÇAO DA REUTILIZAÇÃO DE AGREGADOS RECICLADOS DE ARGAMASSA NA PRODUÇAO DE EMBOÇO

AVALIAÇAO DA REUTILIZAÇÃO DE AGREGADOS RECICLADOS DE ARGAMASSA NA PRODUÇAO DE EMBOÇO AVALIAÇAO DA REUTILIZAÇÃO DE AGREGADOS RECICLADOS DE ARGAMASSA NA PRODUÇAO DE EMBOÇO SERRA, J. H. F. (1); SANTANA, L.B. (2); CABRAL, A. E. B. (3) (1) UFC, jordana-ferraz@hotmail.com (2) UFC, lianadesantana@yahoo.com.br

Leia mais

ferraz@dec.feis.unesp.br Professor Assistente Doutor, FEIS, UNESP, Ilha Solteira-SP, anderson@dec.feis.unesp.br

ferraz@dec.feis.unesp.br Professor Assistente Doutor, FEIS, UNESP, Ilha Solteira-SP, anderson@dec.feis.unesp.br ENGENHARIA SUSTENTÁVEL: APROVEITAMENTO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO NA COMPOSIÇÃO DE TIJOLOS DE SOLO-CIMENTO André Luiz Nonato Ferraz 1 Antonio Anderson da Silva Segantini 2 1 Aluno de pós-graduação, FEC,

Leia mais

O fluxograma da Figura 4 apresenta, de forma resumida, a metodologia adotada no desenvolvimento neste trabalho.

O fluxograma da Figura 4 apresenta, de forma resumida, a metodologia adotada no desenvolvimento neste trabalho. 3. METODOLOGIA O fluxograma da Figura 4 apresenta, de forma resumida, a metodologia adotada no desenvolvimento neste trabalho. DEFINIÇÃO E OBTENÇÃO DAS MATÉRIAS PRIMAS CARACTERIZAÇÃO DAS MATÉRIAS PRIMAS

Leia mais

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS ES-P02 PREPARO DO SUBLEITO DO PAVIMENTO DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. OBJETO E OBJETIVO... 3 2. DESCRIÇÃO... 3 3. TERRAPLENAGEM... 3 4. COMPACTAÇÃO

Leia mais

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS ES-P23-REPARAÇÃO DE PAVIMENTOS DANIFICADOS POR ABERTURA DE VALAS DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. OBJETO E OBJETIVO...3 2. S...3 3. RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

Leia mais

BLOCOS DE CONCRETO PRODUZIDOS COM AGREGADOS DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO RCD: PROCESSO DE PRODUÇÃO.

BLOCOS DE CONCRETO PRODUZIDOS COM AGREGADOS DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO RCD: PROCESSO DE PRODUÇÃO. BLOCOS DE CONCRETO PRODUZIDOS COM AGREGADOS DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO RCD: PROCESSO DE PRODUÇÃO. Edson Antonio França Aluno do IFMT, Campus Cuiabá, bolsista PROEX Everton Gomes Queiroz Aluno

Leia mais

PRODUÇÃO DE BLOCOS DE CONCRETO E PAVERS UTILIZANDO AGREGADOS RECICLADOS RESUMO

PRODUÇÃO DE BLOCOS DE CONCRETO E PAVERS UTILIZANDO AGREGADOS RECICLADOS RESUMO PRODUÇÃO DE BLOCOS DE CONCRETO E PAVERS UTILIZANDO AGREGADOS RECICLADOS *Acadêmicos do Centro Universitário Filadélfia UniFil **Docente do Centro Universitário Filadélfia UniFil. faganello.adriana@unifil.br

Leia mais

Palavras-chave: Resíduos de construção e demolição, Habitação de interesse social, Desempenho estrutural.

Palavras-chave: Resíduos de construção e demolição, Habitação de interesse social, Desempenho estrutural. AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE HABITABILIDADE DE UM PROTÓTIPO DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL, CONSTRUIDA COM BLOCOS DE CONCRETOS RECICLADOS, ATRAVÉS DE CRITÉRIOS DE DESEMPENHO ESTRUTURAL. Rômulo da S. Farias

Leia mais

Análise das características físicas de bica corrida reciclada de Resíduos da Construção Civil (RCC) para uso em pavimentação

Análise das características físicas de bica corrida reciclada de Resíduos da Construção Civil (RCC) para uso em pavimentação Análise das características físicas de bica corrida reciclada de Resíduos da Construção Civil (RCC) para uso em pavimentação Rebecca Carla França da Silva (1), Felipe Torres Tavares Cerveira Proença (2),

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS O cimento é um dos materiais de construção mais utilizados em obras civis. Com relação a esse aglomerante, julgue os itens a seguir. 61 No recebimento em uma obra, os sacos devem

Leia mais

Caracterização dos resíduos de construção e demolição na unidade de recebimento de resíduos sólidos no município de Campo Mourão PR

Caracterização dos resíduos de construção e demolição na unidade de recebimento de resíduos sólidos no município de Campo Mourão PR Maria Cristina Rodrigues Halmeman 1 ; Paula Cristina de Souza 2 ; André Nascimento Casarin 3 1 Professora Mestre, Universidade Tecnológica Federal Campo Mourão, Departamento de Engenharia de Produção Civil.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA

MEMORIAL DESCRITIVO PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA MEMORIAL DESCRITIVO É OBRIGATÓRIO A EXECUÇÃO DOS ENSAIOS DE CONTROLE TECNOLÓGICO DAS OBRAS DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA, SENDO INDISPENSÁVEL À APRESENTAÇÃO DO LAUDO TÉCNICO DE CONTROLE TECNOLÓGICO E DOS RESULTADOS

Leia mais

PAVIMENTAÇÃO INTERTRAVADA: UTILIZAÇÃO DE RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO PARA FABRICAÇÃO E ASSENTAMENTO DE PAVERS

PAVIMENTAÇÃO INTERTRAVADA: UTILIZAÇÃO DE RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO PARA FABRICAÇÃO E ASSENTAMENTO DE PAVERS PAVIMENTAÇÃO INTERTRAVADA: UTILIZAÇÃO DE RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO PARA FABRICAÇÃO E ASSENTAMENTO DE PAVERS XV INIC / X EPG - UNIVAP 2011 Emerson Carlos Miranda Cavalcanti1, Rogério Penna Forte

Leia mais

ESTUDO PARA UTILIZAÇÃO E VIABILIDADE DE AREIA DE FUNDIÇÃO EM CONCRETO 1

ESTUDO PARA UTILIZAÇÃO E VIABILIDADE DE AREIA DE FUNDIÇÃO EM CONCRETO 1 ESTUDO PARA UTILIZAÇÃO E VIABILIDADE DE AREIA DE FUNDIÇÃO EM CONCRETO 1 Geannina Terezinha Dos Santos Lima 2, Pedro Goecks 3, Cristiane Dos Santos 4, Gabriela Blatt 5, Diorges Lopes 6, Cristina Pozzobon

Leia mais

ANÁLISE DO USO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO (RCD) EM MELHORAMENTO DE SOLOS

ANÁLISE DO USO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO (RCD) EM MELHORAMENTO DE SOLOS ANÁLISE DO USO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO (RCD) EM MELHORAMENTO DE SOLOS Andréa B. Farias (1); Stela P. Fucale (2); Alexandre D. Gusmão (3) (1) Departamento de Engenharia Civil Escola Politécnica

Leia mais

INSTITUTO NOVA ÁGORA DE CIDADANIA INAC Pça. Da Liberdade, 262 2º andar CEP: 01503-010 São Paulo-SP PROPOSTA COMERCIAL. Eng Rafael Clemente Filgueira

INSTITUTO NOVA ÁGORA DE CIDADANIA INAC Pça. Da Liberdade, 262 2º andar CEP: 01503-010 São Paulo-SP PROPOSTA COMERCIAL. Eng Rafael Clemente Filgueira PROPOSTA COMERCIAL Eng Rafael Clemente Filgueira Coordenador de Pesquisas CRCD O Instituto Nova Ágora de Cidadania, é uma instituição do terceiro setor, uma organização não governamental sem fins lucrativos,

Leia mais

PAVIMENTO ESTUDOS GEOTÉCNICOS. Prof. Dr. Ricardo Melo. Terreno natural. Seção transversal. Elementos constituintes do pavimento. Camadas do pavimento

PAVIMENTO ESTUDOS GEOTÉCNICOS. Prof. Dr. Ricardo Melo. Terreno natural. Seção transversal. Elementos constituintes do pavimento. Camadas do pavimento Universidade Federal da Paraíba Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia Civil Laboratório de Geotecnia e Pavimentação ESTUDOS GEOTÉCNICOS Prof. Dr. Ricardo Melo PAVIMENTO Estrutura construída após

Leia mais