CIRURGIA CARDIOVASCULAR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CIRURGIA CARDIOVASCULAR"

Transcrição

1 SELEÇÃO PARA COOPERAÇÃO DE MÉDICOS Edital n. 01/2007 CIRURGIA CARDIOVASCULAR Código 106 Conhecimentos Gerais CIRURGIA GERAL Questão 01 Considerando os sinais e sintomas que um paciente pode apresentar, assinale a afirmativa CORRETA. A) A dor abdominal de grande intensidade, por infecção e/ou inflamação, geralmente leva o paciente a ficar agitado, mudando constantemente de posição. B) No abdome agudo infeccioso, os vômitos geralmente precedem a dor. C) A eliminação de sangue vermelho-vivo pelo reto descarta a possibilidade de hemorragia digestiva alta. D) A presença de febre necessariamente não implica infecção. Questão 02 Em relação ao paciente em preparo pré-operatório, assinale a afirmativa FALSA. A) Perda de peso superior a 20% do peso corporal devido a doença consuptiva aumenta em cerca de três vezes o risco de infecção. B) O uso de corticosteróide em pacientes recebendo irradiação (radioterapia) aumenta o risco de infecção fúngica. C) Pacientes com retenção de CO 2 antes da cirurgia devem receber O 2 em altas doses no peroperatório. D) Fumo, deficiência de ácido ascórbico, desidratação e edema são fatores que influenciam negativamente na cicatrização de feridas no pós-operatório. Questão 03 Os seguintes fatores podem ser causas de edema pulmonar no período pós-operatório, EXCETO

2 A) insuficiência ventricular esquerda. B) aumento da pressão oncótica. C) sepse sistêmica. D) aumento da permeabilidade capilar. Questão 04 Em relação às complicações no período Pós-Operatório (PO), assinale a afirmativa FALSA. A) A principal causa de episódio febril no PO imediato é a atelectasia. B) A dilatação gástrica aguda é autolimitada, não havendo risco de necrose e perfuração. C) A parotidite PO geralmente tem relação com o uso prolongado de sonda nasogástrica. D) A colecistite PO, com freqüência, é alitiásica. Questão 05 Em relação à cicatrização, assinale a afirmativa FALSA. A) A angiogênese tem início tão logo aconteça o trauma tecidual. B) A epitelização ocorre mais rapidamente em feridas úmidas. C) A fase de fibroplasia é estimulada por fatores liberados, entre outros, pelas plaquetas. D) O colágeno é secretado pelos fibroblastos. Questão 06 Em relação às alterações metabólicas no trauma, assinale a afirmativa CORRETA. A) O catabolismo produz água endógena com alto teor de sódio. B) A hipotermia no período peroperatório diminui os efeitos deletérios do catabolismo. C) Ocorrem com balanço nitrogenado negativo. D) Ocorre uma gliconeogênese, ou seja: uma decomposição do glicogênio. Questão 07 Em relação ao uso profilático de antibióticos, assinale a afirmativa CORRETA. A) Deve-se utilizar preferencialmente um antibiótico de primeira linha. B) A escolha deve recair sobre drogas de amplo espectro, dando-se preferência por associações. C) Deve ser preconizado em situações em que é encontrada uma freqüência significativa de infecção sem o seu uso. D) O uso prolongado aumenta a proteção contra as infecções sem aumentar o risco de indução de resistência. 2

3 CLÍNICA MÉDICA Questão 08 Assinale o conceito que se refere ao percentual de pacientes com uma doença que apresenta o achado estudado anormal. A) Sensibilidade B) Especificidade C) Medida de precisão D) Verossimilhança Questão 09 Considere a estimativa de que uma paciente idosa que arrasta os pés ao deambular tem uma verossimilhança de 3,0 para a doença de Parkinson. Isso significa que pacientes idosos que arrastam os pés têm A) 3% de probabilidade de terem a doença de Parkinson. B) três vezes mais probabilidade de terem a doença de Parkinson do que aqueles que não arrastam os pés. C) 30% de probabilidade de terem a doença de Parkinson. D) 30 vezes mais probabilidade de terem a doença de Parkinson do que aqueles que não arrastam os pés. Questão 10 A probabilidade de se encontrar cardiomegalia à telerradiografia do tórax e Fração de Ejeção de Ventrículo Esquerdo (FEVE) inferior a 50%, quando o exame físico revela batimento apical do coração situado lateralmente à Linha Hemiclavicular Esquerda (LHCE), é A) inexistente. B) aumentada ou normal. C) aumentada de forma apreciável. D) achado que depende da experiência do médico. Questão 11 Em relação aos princípios do exame clínico, é CORRETO afirmar que A) a doença hepática costuma ser inicial quando aparecem sinais ao exame físico. B) a borda hepática palpável abaixo da margem costal aumenta muito a probabilidade de hepatomegalia. C) o baço é palpável em 30% dos adolescentes saudáveis. 3

4 D) a presença de sibilos ou de rebaixamento da laringe até 4 cm do esterno aumenta a probabilidade de doença pulmonar obstrutiva. Questão 12 Em relação às teorias do envelhecimento, é INCORRETO afirmar A) que o envelhecimento resulta da interferência gênica com a capacidade de reprodução das células. B) que, quanto mais elevada a taxa metabólica, menor o ciclo de vida. C) que a glicação faz com que as proteínas se separem, resultando em maleabilidade e diminuição da sua função. D) que, com o envelhecimento, ocorrem mutações nos genes que eventualmente fazem com que as células parem de funcionar. Questão 13 A maioria das interações farmacológicas clinicamente importantes envolvem drogas com as seguintes características, EXCETO A) baixo índice terapêutico e efeito farmacológico facilmente detectável. B) insusceptibilidade a mudanças de ph do estômago. C) uso do mesmo processo de transporte ativo para alcançar seus sítios de ação. D) propriedade de aceleração do metabolismo hepático de outras drogas. Questão 14 Em relação à responsabilidade profissional do médico, assinale a alternativa CORRETA. A) Sua compensação financeira está acima do bem-estar do paciente. B) Seu interesse pelo paciente não ultrapassa o ambiente da consulta. C) A confidência representa aspecto de menor importância quanto ao diagnóstico. D) Deve preservar a distribuição justa de recursos limitados. GINECOLOGIA/OBSTETRÍCIA Questão 15 Sobre o câncer de mama, assinale a afirmativa CORRETA. A) A incidência do câncer de mama diminui continuamente com a idade a partir de um platô de alta incidência entre 45 e 50 anos. B) A maioria das mulheres que desenvolvem câncer de mama têm história familiar da doença. C) A menarca precoce e a menopausa tardia protegem a mulher do câncer de mama. 4

5 D) Ocorre mais comumente no quadrante superior externo da mama. Questão 16 Sobre efeitos dos contraceptivos orais combinados de baixa dosagem, assinale a afirmativa CORRETA. A) Aumentam a incidência de infarto do miocárdio mesmo após ajuste dos principais fatores de risco e sociodemográficos. B) O risco de trombose é maior após o primeiro ano de uso. C) Protegem contra o câncer de mama, endométrio e colo uterino. D) Reduzem a incidência de doença inflamatória pélvica e gravidez ectópica. Questão 17 Sobre o câncer de colo uterino, assinale a afirmativa FALSA. A) O início precoce da atividade sexual e o tabagismo são considerados fatores de risco para seu desenvolvimento. B) O tipo histológico mais comum é o epidermóide. C) Os tumores exofíticos têm melhor prognóstico do que os infiltrativos e os ulcerados. D) Os vírus mais encontrados no câncer invasivo são o HPV- 6 e 11. Questão 18 Paciente de 25 anos apresenta leucorréia abundante com odor de peixe que aumenta após o coito e na fase pós-menstrual. Ao exame citológico, há células indicadoras e aumento de leucócitos. O tratamento recomendado por via oral é com A) aciclovir. B) azitromicina. C) fluconazol. D) metronidazol. Questão 19 Numa gravidez de evolução normal, ocorrem as seguintes modificações adaptativas no organismo materno, EXCETO A) aumento da fosfatase alcalina. B) aumento do tempo de coagulação C) aumento dos fatores de coagulação VII, VIII, IX e X. D) diminuição do tônus esfinctergastroesofágico. 5

6 Questão 20 Assinale a alternativa que apresenta o medicamento isento do risco de teratogênese em humanos. A) Isotretinoína B) Misoprostol C) Morfina D) Warfarin Questão 21 Considerando gestantes portadoras de HIV, assinale a alternativa que apresenta o grupo de mulheres para o qual o Ministério da Saúde atualmente recomenda a cesárea eletiva. A) Nenhuma mulher, pois foi demonstrado que a cesariana eletiva não interfere na transmissão vertical do HIV. B) Todas as mulheres com carga viral inferior a cópias/ml a partir de 34 a semana gestacional. C) Todas as mulheres com carga viral superior a cópias/ml a partir de 34 a semana gestacional. D) Todas as mulheres independentemente da carga viral. PEDIATRIA Questão 22 É CORRETO afirmar que a amamentação ao seio é contra-indicada em casos de sorologia materna positiva para A) toxoplasmose. B) AIDS. C) sífilis. D) hepatite B. Questão 23 Quadros disentéricos na infância (febre, evacuações freqüentes, com muco, sangue, pus, cólicas e tenesmo, convulsões e acometimento do estado geral), particularmente acometendo recém-nascidos e lactentes jovens, têm como etiologia mais freqüente A) Escherichia coli. B) Salmonella. C) Shiguella. D) Yersínia enterocolítica. 6

7 Questão 24 Considera-se como sepse precoce no período neonatal o quadro de infecção multissistêmica com início antes do A) segundo dia de vida. B) quarto dia de vida. C) sexto dia de vida. D) oitavo dia de vida. Questão 25 O quadro clínico de insuficiência cardíaca na infância baseia-se na constatação dos sinais e sintomas abaixo, EXCETO A) cardiomegalia. B) taquidispnéia. C) hepatomegalia. D) bradicardia. Questão 26 Entre os critérios de Jones modificados (1992) para o diagnóstico de doença reumática, é INCORRETO chamar de sinal maior A) artralgia. B) cardite. C) eritema marginado. D) nódulo subcutâneo. Questão 27 Considere uma criança com cinco anos de idade, com febre e prostração há cinco dias, adenite cervical bilateral dolorosa, exsudato amigdaliano e ponta de baço palpável, respiração ruidosa e voz anasalada. Nesse caso, a conduta terapêutica mais indicada é A) observação clínica e controle em três dias. B) nimesulida VO. C) amoxicilina. D) corticosteróide VO. 7

8 Questão 28 Os dados clínicos mais comuns em crianças com rinossinusopatia são A) tosse noturna e coriza purulenta. B) tosse rouca e estridor noturno. C) cefaléia frontal e coriza hialina. D) febre e respiração ruidosa. SAÚDE PÚBLICA Questão 29 A prevenção em saúde pública é uma ação antecipada, com o objetivo de interceptar ou anular a evolução da doença (Rouquayrol, 2003). Partindo desse pressuposto, numere a COLUNA II de acordo com a COLUNA I, associando corretamente cada nível de prevenção à sua forma de ação. COLUNA I 1. Prevenção Primária 2. Prevenção Secundária 3. Prevenção Terciária COLUNA II ( ) Imunização ( ) Fisioterapia ( ) Evitar seqüelas ( ) Controle dos vetores ( ) Inquérito para descoberta de casos na comunidade Assinale a alternativa que apresenta a seqüência de números CORRETA. A) (1) (2) (3) (1) (1) B) (1) (3) (2) (1) (2) C) (1) (2) (3) (2) (2) D) (2) (3) (2) (1) (1) Questão 30 Com base em Rouquayrol (2003), assinale a alternativa que apresenta o coeficiente utilizado para avaliar a intensidade com que acontece uma determinada doença em uma população. A) Endemia B) Incidência C) Letalidade D) Prevalência 8

9 Questão 31 De acordo com Mendes (1996), é INCORRETO afirmar que Saúde da Família consiste em A) medicina familiar. B) larga utilização de tecnologias custo/efetivas. C) novo paradigma da produção social da saúde. D) estratégia de organização da atenção primária. Questão 32 Analise o gráfico abaixo. Assinale a expressão mais adequada para comunicar o conteúdo desse gráfico. A) Endemia B) Epidemia C) Surto epidêmico D) Epidemia progressiva Questão 33 Analise esta proposição e os itens que a complementam. Segundo Bonet (2005), os profissionais de saúde que buscam realizar os cuidados integrais de saúde e seu trabalho social de educadores imbuídos de uma ética da responsabilidade compreendem e lidam com I. a distância que os separa de seus pacientes de forma construtiva; II. a possibilidade de seus pacientes tomarem suas próprias decisões; 9

10 III. o sentimento de saberem melhor do que os seus pacientes ou as comunidades o que é mais adequado para eles; IV. a singularidade dos conhecimentos dos pacientes e das comunidades na implementação dos cuidados. A partir dessa análise, pode-se concluir que completam corretamente a proposição A) apenas os itens I e III. B) apenas os itens II e IV. C) apenas os itens I, II e IV. D) todos os itens. Questão 34 Na Medida Provisória n /2001, que trata dos planos e seguros privados de saúde para a assistência médica, hospitalar e odontológica, é obrigatória a cobertura do atendimento nos casos I. que implicarem risco imediato de vida; II. resultantes de acidentes pessoais; III. resultantes de complicações no processo gestacional; IV. que implicarem lesões irreparáveis para o paciente. Analisando os itens acima, pode-se concluir que A) apenas as afirmativas I e II estão corretas. B) apenas as afirmativas I e IV estão corretas. C) apenas as afirmativas III e IV estão corretas. D) todas as afirmativas estão corretas. Questão 35 Na atual transição demográfica brasileira, NÃO se inclui(em): A) elevadas taxas de natalidade e mortalidade. B) elevada taxa de natalidade e decréscimo das taxas de mortalidade. C) recrudescimento das mortes por doenças infecciosas e parasitárias. D) redução da taxa de natalidade em ritmo mais acelerado que a mortalidade. Conhecimentos Específicos Questão 36 10

11 Em relação à avaliação do pulso arterial, assinale a afirmativa INCORRETA. A) O pulso em martelo d água consiste em uma elevação abrupta seguida de um colapso rápido no final da sístole. B) O pulso parvus et tardus refere-se a um pulso pequeno com pico sistólico retardado. C) O endurecimento das paredes arteriais leva a uma elevação na velocidade da onda de pulso arterial. D) Na presença de uma obstrução na via de saída do ventrículo esquerdo, o pulso carotídeo se eleva rapidamente e é de curta duração. Questão 37 Considerando as células miocárdicas contráteis, assinale a afirmativa INCORRETA. A) Uma miofibrila é constituída por um grupo de miócitos agrupados e mantidos juntos por tecido conectivo e colágeno. B) O excesso de colágeno é uma das causas de disfunção do ventrículo esquerdo. C) O sarcolema do miocárdio se invagina para formar uma extensa rede tubular. D) O retículo sarcoplasmático responde à excitação elétrica do coração com a entrada de cálcio. Questão 38 Sobre a fisiologia cardiovascular, assinale a afirmativa INCORRETA. A) O aumento do volume do ventrículo esquerdo gera um aumento de sua contratilidade segundo a lei de Starling. B) A impedância aórtica é a pressão aórtica dividida pelo fluxo instantâneo na aorta, refletindo a pré-carga em cada estágio do ciclo contrátil. C) A pré-carga está relacionada ao grau de estiramento das fibras miocárdicas no final da diástole. D) A pós-carga está relacionada ao estresse gerado na parede ventricular pelas fibras miocárdicas durante a diástole. Questão 39 Em relação ao estudo radiológico do coração, assinale a afirmativa INCORRETA. A) A projeção oblíqua anterior esquerda é obtida com o paciente em posição oblíqua a 30 graus em relação ao chassi do filme radiológico. B) O aumento do ventrículo direito pode mostrar uma diminuição do espaço retroesternal em uma radiografia de tórax em perfil. C) A imagem de duplo contorno pode evidenciar um aumento do átrio esquerdo na radiografia de tórax em PA. 11

12 D) A projeção oblíqua anterior esquerda é superior às demais projeções para evidenciar um aumento do ventrículo direito. Questão 40 Assinale a afirmativa INCORRETA em relação a alterações radiológicas. A) A maioria dos pacientes idosos portadores de estenose aórtica mostram calcificações valvares visíveis radiologicamente. B) A calcificação da aorta ascendente visível radiologicamente sugere a presença de um aneurisma de etiologia sifilítica ou resultante da Síndrome de Marfan. C) O átrio e o ventrículo esquerdos geralmente apresentam-se aumentados radiologicamente na presença de uma insuficiência mitral crônica. D) A radiografia de tórax geralmente mostra uma protuberância ao longo da parede ventricular próxima à ponta nos aneurismas do ventrículo esquerdo. Questão 41 Na avaliação eletrocardiográfica de pacientes adultos, assinale a afirmativa INCORRETA. A) O QRS tem uma duração inferior a 120 mseg. B) A configuração do QRS pode variar de acordo com o posicionamento da derivação. C) O intervalo PR tem uma duração inferior a 100 mseg. D) O eletrocardiograma normal é caracterizado por ritmo sinusal e freqüência entre 60 e 90 batimentos por minuto. Questão 42 Em relação ao emprego de diuréticos no tratamento da insuficiência cardíaca congestiva, é INCORRETO afirmar que A) a espirolactona retém potássio e pode causar ginecomastia. B) a clortalidona promove aumento do magnésio e redução do cálcio urinário. C) o triamtereno promove aumento da filtração glomerular. D) a furosemida promove aumento da perda de potássio. Questão 43 Entre os fatores abaixo relacionados, indique o que NÃO interfere no bom prognóstico de pacientes portadores de estenose aórtica que se submetem ao tratamento cirúrgico. A) Presença de fibrilação atrial B) Associação de hipertensão arterial crônica C) Associação com coronariopatia D) Presença de fração de ejeção do ventrículo esquerdo de 50% 12

13 Questão 44 Em relação a pacientes com infarto agudo do miocárdio, assinale a afirmativa INCORRE- TA. A) Os betabloqueadores promovem uma redução no consumo de oxigênio pelo miocárdio. B) A hiperventilação ocorre com freqüência em pacientes com infarto agudo do miocárdio e pode causar hipocapnia e alcalose respiratória. C) Existe uma relação direta entre a pressão diastólica da artéria pulmonar e a tensão de oxigênio arterial em pacientes com infarto agudo do miocárdio. D) A nitroglicerina pode estar indicada em pacientes com infarto agudo do miocárdio e insuficiência ventricular esquerda. Questão 45 Em relação a aspectos técnicos das operações cardíacas para a revascularização do miocárdio, é INCORRETO afirmar que A) a patência dos enxertos de veia safena em cinco anos é superior a 70%. B) a sobrevida de pacientes submetidos a revascularização miocárdica em cinco anos está em torno de 90% C) a patência dos enxertos de artéria torácica interna são muito superiores aos enxertos venosos após 15 anos. D) os enxertos de artéria epigástrica inferior também mostram um alto índice de patência em 15 anos. Questão 46 Em relação a drogas utilizadas por via parenteral no atendimento de crises hipertensivas, é INCORRETO afirmar que A) o esmolol apresenta como reações adversas cãibras musculares e vômitos. B) o início da ação da nitroglicerina ocorre em dois a cinco minutos C) a hidralazina é utilizada em doses de 10 a 20 mg por via venosa e, por via intramuscular, em doses de 10 a 50 mg. D) as reações colaterais do nitroprussiato incluem náuseas, vômitos e sudorese. Questão 47 Em relação ao teste ergométrico e às arritmias cardíacas, assinale a afirmativa INCOR- RETA. A) O teste ergométrico tem maior sensibilidade para avaliar as arritmias ventriculares que o Holter de 24 horas. 13

14 B) As ectopias cardíacas, em particular as extra-sístoles ventriculares, ocorrem com maior intensidade na presença de freqüências cardíacas mais elevadas. C) Aproximadamente 30% dos indivíduos normais desenvolvem extra-sístoles ventriculares durante o teste ergométrico. D) Cerca de 50% dos pacientes coronariopatas desenvolvem extra-sístoles ventriculares durante o teste ergométrico. Questão 48 Analise o seguinte enunciado e os itens que o complementam. Os derrames pericárdicos não ocorrem na região posterior ao átrio esquerdo porque I. o pericárdio está aderido e faz continuidade posteriormente com a pleura mediastinal. II. o pericárdio parietal se funde com o epicárdio na parede posterior do átrio esquerdo delimitando um retângulo na entrada das veias pulmonares. III. as reflexões pericárdicas em torno das veias pulmonares e da veia cava inferior delimitam um espaço denominado seio ou recesso pericárdico oblíquo. A análise permite concluir que A) o enunciado é verdadeiro e o complementa corretamente o item I. B) o enunciado é verdadeiro e o complementa corretamente o Item II. C) o enunciado é verdadeiro e o complementa corretamente o item III. D) o enunciado é falso. Questão 49 Em relação à pericardiectomia utilizada para o tratamento da pericardite constrictiva crônica, assinale a afirmativa CORRETA. A) Deve-se iniciar a pericardiectomia no ventrículo esquerdo para evitar o risco de uma congestão pulmonar e a possibilidade de um edema agudo de pulmão. B) Deve-se iniciar a pericardiectomia pelos átrios, onde ocorre maior constricção em virtude da menor pressão e da fragilidade de suas paredes. C) Deve-se iniciar a pericardiectomia pelo ventrículo direito para prevenir a hipóxia resultante da redução do fluxo sangüíneo para os pulmões. D) Deve-se utilizar, sempre que possível, uma toracotomia esquerda através do 5 o espaço intercostal e evitar o uso da esternotomia mediana. Questão 50 Indique o modo de estimulação cardíaca artificial, por meio de um marcapasso totalmente implantável, mais indicado para pacientes com hipersensibilidade do seio carotídeo. A) Modo de estimulação VDD 14

15 B) Modo de estimulação DDDR C) Modo de estimulação AAIR D) Modo de estimulação VVIR Questão 51 Indique o tipo de marcapasso e o modo de estimulação cardíaca mais indicado para pacientes com bloqueio atrioventricular total e fibrilação atrial crônica. A) Marcapasso VVIR B) Marcapasso VVI C) Marcapasso DDD D) Marcapasso DDDR Questão 52 Considerando os modos de estimulação cardíaca pelos marcapassos, assinale a afirmativa INCORRETA. A) No modo de estimulação AAI, o marcapasso estimula o átrio, sente o estímulo atrial intrínseco e se inibe quando sente o átrio. B) No modo de estimulação VVI, o marcapasso estimula o ventrículo, sente o estímulo ventricular intrínseco e se inibe quando sente o ventrículo. C) No modo de estimulação VDD, o marcapasso estimula e sente os átrios, estimula e sente os ventrículos e se inibe quando sente os ventrículos. D) No modo de estimulação DDD, o marcapasso estimula os ventrículos e os átrios, sente os estímulos intrínsecos atriais ventriculares e se inibe quando sente os átrios e /ou os ventrículos. Questão 53 Indique o achado por meio do qual a fratura do eletrodo ventricular de um marcapasso pode ser identificada pela telemetria. A) Resistência ou impedância elevada B) Resistência ou impedância diminuída C) Limiar ventricular aumentado D) Voltagem da Onda R diminuída Questão 54 Indique o achado por meio do qual a perda do isolamento do eletrodo ventricular de um marcapasso pode ser identificada pela telemetria. A) Resistência ou impedância elevada B) Resistência ou impedância diminuída 15

16 C) Limiar ventricular diminuído D) Voltagem da Onda R aumentada Questão 55 NÃO está indicado o implante de um cardioversor desfibrilador automático totalmente implantável para pacientes A) recuperados de morte súbita resultante de taquicardia ventricular. B) com Doença de Chagas e taquicardia ventricular sustentada. C) com episódios de taquicardia ventricular sustentada cujo estudo eletrofisiológico não determinou a eficácia da terapêutica farmacológica. D) com Síndrome de Wolf-Parkinson-White recuperados de morte súbita por fibrilação ventricular. Questão 56 A seguir, estão relacionadas algumas das principais características das biopróteses valvares cardíacas. Quando comparadas com as próteses valvares mecânicas de duplo folheto pivotante, tem-se como maior vantagem das biopróteses o fato de que A) são biocompatíveis e não provocam hemólise. B) proporcionam um fluxo laminar central. C) apresentam uma incidência menor de tromboembolismo. D) apresentam uma menor incidência de endocardite protética. Questão 57 O seio pericárdico transverso é delimitado pelas seguintes estruturas: A) superfície dos átrios e borda posterior da aorta ascendente e tronco da artéria pulmonar. B) reflexões pericárdicas que contornam as veias pulmonares e a veia cava inferior em seu segmento intrapericárdico. C) reflexões pericárdicas que contornam a aorta e o tronco da artéria pulmonar. D) reflexões pericárdicas que envolvem a veia cava superior e o ramo direito da artéria pulmonar. Questão 58 Entre as alternativas abaixo relacionadas, assinale a que deve ser levada em consideração no diagnóstico diferencial do infarto agudo do miocárdio. A) Pericardite aguda 16

17 B) Dissecção aórtica aguda C) Embolia pulmonar D) Todas as patologias acima mencionadas Questão 59 A mortalidade atual em nosso País resultante do infarto agudo do miocárdio é, aproximadamente, A) 20 mil óbitos por ano. B) 60 mil óbitos por ano. C) 150 mil óbitos por ano. D) 500 mil óbitos por ano. Questão 60 Entre os achados ecocardiográficos abaixo relacionados, indique o que evidencia um tamponamento cardíaco agudo. A) Sinais de compressão da parede posterior do átrio esquerdo no final da sístole B) Sinais de compressão da parede posterior do átrio esquerdo na diástole C) Sinais de compressão da via de saída do ventrículo direito D) Sinais de compressão da via de saída do ventrículo esquerdo Questão 61 Em relação ao aneurisma da aorta abdominal, é CORRETO afirmar A) que a correção cirúrgica está indicada desde que não exista uma contra-indicação. B) que a correção cirúrgica está indicada apenas para os aneurismas com diâmetro igual ou superior a 8 cm. C) que, se não forem operados, todos os aneurismas evoluem para a ruptura. D) que o aneurisma da aorta abdominal é muito mais freqüente em homens e seus principais fatores de risco são o tabagismo e a hipertensão arterial. Questão 62 Em relação às duas classificações utilizadas para definir as dissecções aórticas agudas, assinale a afirmativa CORRETA. A) O Tipo I da classificação de DeBakey corresponde ao Tipo A da classificação de Stanford. B) O Tipo II da classificação de DeBakey corresponde ao Tipo B da classificação de Stanford. 17

18 C) O Tipo I da classificação de DeBakey engloba as dissecções aórticas iniciadas e limitadas à aorta ascendente. D) O Tipo B da classificação de Stanford engloba as dissecções aórticas iniciadas e limitadas à aorta descendente. Questão 63 Assinale a afirmativa INCORRETA em relação a aspectos anatomopatológicos encontrados em pacientes portadores de Tetralogia de Fallot. A) A aorta origina-se de ambos os ventrículos. B) O tipo mais comum de comunicação interventricular (CIV) é o conoventricular perimembranoso. C) O nó sinusal e o nó AV têm localizações anatômicas normais. D) O feixe de Hiss está sempre localizado na margem póstero-inferior da CIV. Questão 64 Em relação à persistência do canal arterial, assinale a afirmativa INCORRETA. A) Quando a mãe contrai rubéola durante o primeiro trimestre da gestação existe risco de a criança ser portadora de canal arterial persistente. B) A persistência do canal arterial é duas vezes mais freqüente no sexo masculino que no sexo feminino. C) Aproximadamente 30% dos pacientes que nascem com persistência do canal arterial e não são tratados evoluem para o óbito no primeiro ano de vida. D) A persistência do canal arterial representa 5 a 10% das cardiopatias congênitas. Questão 65 Assinale a alternativa que apresenta a lesão cardíaca associada mais freqüente encontrada em pacientes portadores de atresia tricúspide. A) Coarctação da aorta B) Persistênca da veia cava superior esquerda C) Obstrução ao fluxo pulmonar D) Anomalia das artérias coronárias Questão 66 Entre as alternativas abaixo relacionadas, assinale a que NÃO está presente em portadores de miocardiopatia hipertrófica obstrutiva. A) Artérias coronárias com diâmetros normais B) Sintomas de dispnéia aos esforços físicos 18

19 C) Tonteira, síncope e angina D) Hipertrofia ventricular esquerda e disfunção diastólica Questão 67 Considerando a estenose mitral de etiologia reumática, assinale a afirmativa INCORRETA. A) Os aspectos anatômicos predominantes na estenose mitral são a fusão das comissuras e o espessamento de seus folhetos. B) O aumento do átrio esquerdo geralmente não é acentuado na estenose mitral. C) A resistência vascular pulmonar está sempre aumentada na estenose mitral. D) A progressão da fibrose valvar e da calcificação pode decorrer de episódios repetidos da doença reumática. Questão 68 Em relação à insuficiência aórtica, assinale a afirmativa INCORRETA. A) A insuficiência aórtica crônica compensada é bem tolerada pela maioria dos pacientes. B) O aumento do volume diastólico final do ventrículo esquerdo está diretamente relacionado com a magnitude da regurgitação aórtica C) A substituição da valva aórtica está indicada na presença de insuficiência aórtica moderada a severa, mesmo para pacientes assintomáticos. D) A substituição da valva aórtica está indicada para pacientes que apresentam sintomas de insuficiência cardíaca congestiva. Questão 69 A incidência de angina em pacientes portadores de estenose aórtica é de aproximadamente A) 5 a 10 por cento. B) 35 a 50 por cento. C) 70 a 80 por cento. D) 80 a 90 por cento. Questão 70 Em relação à estenose aórtica, assinale a afirmativa INCORRETA. A) A incidência de angina é muito maior em pacientes com estenose aórtica severa que naqueles com menor gradiente através da valva aórtica. B) A angina está presente em cerca de 50% dos portadores de estenose aórtica. 19

20 C) A associação de dispnéia, angina e síncope estão presentes em cerca de um terço dos pacientes com estenose aórtica. D) Na ausência de coronariopatia, a angina é atribuída à desproporção existente entre fluxo coronariano e a demanda de oxigênio pelo ventrículo esquerdo hipertrófico. 20

CIRURGIA PLÁSTICA Código 111

CIRURGIA PLÁSTICA Código 111 SELEÇÃO PARA COOPERAÇÃO DE MÉDICOS Edital n. 01/2007 Conhecimentos Gerais CIRURGIA GERAL Questão 01 CIRURGIA PLÁSTICA Código 111 Considerando os sinais e sintomas que um paciente pode apresentar, assinale

Leia mais

Imagem da Semana: Radiografia de tórax

Imagem da Semana: Radiografia de tórax Imagem da Semana: Radiografia de tórax Figura: Radiografia de tórax em PA. Enunciado Paciente masculino, 30 anos, natural e procedente de Belo Horizonte, foi internado no Pronto Atendimento do HC-UFMG

Leia mais

ELETROCARDIOGRAMA 13/06/2015 ANATOMIA E FISIOLOGIA CARDIOVASCULAR

ELETROCARDIOGRAMA 13/06/2015 ANATOMIA E FISIOLOGIA CARDIOVASCULAR ELETROCARDIOGRAMA Professor : Elton Chaves Do ponto de vista funcional, o coração pode ser descrito como duas bombas funcionando separadamente cada uma trabalhando de forma particular e gerando pressões

Leia mais

SEMIOLOGIA CARDIOVASCULAR

SEMIOLOGIA CARDIOVASCULAR SEMIOLOGIA CARDIOVASCULAR Yáskara Benevides Guenka Acadêmica do 4º ano de Medicina UFMS Liga de Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular Campo Grande MS 27/06/2012 SEMIOLOGIA CARDIOVASCULAR ALTERAÇÕES DAS

Leia mais

Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9

Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9 Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9 Tabela 01 - Principais Antecedentes e Fatores de Risco para Doença Cardiovascular à Internação na Unidade Todos os Pacientes Egressos da Unidade Hipertensão Arterial

Leia mais

PRINCÍPIOS BÁSICOS DO ELETROCARDIOGRAMA

PRINCÍPIOS BÁSICOS DO ELETROCARDIOGRAMA UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA da REGIÃO DE CHAPECÓ - UNOCHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE ENFERMAGEM PROFESSORA: TÂNIA MARIA ASCARI PRINCÍPIOS BÁSICOS DO ELETROCARDIOGRAMA O eletrocardiograma é o registro

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ANGIOLOGISTA

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ANGIOLOGISTA 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ANGIOLOGISTA QUESTÃO 21 Um paciente de 75 anos, ex-garçom, tem há três anos o diagnóstico já confirmado de síndrome isquêmica crônica dos membros inferiores.

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Essencial para a utilização bem sucedida da prótese para o amputado da extremidade inferior:

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Essencial para a utilização bem sucedida da prótese para o amputado da extremidade inferior: 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CIRURGIA VASCULAR 21. Essencial para a utilização bem sucedida da prótese para o amputado da extremidade inferior: I. Reserva cardiopulmonar. II. Coto construído corretamente.

Leia mais

www.estrategiaconcursos.com.br

www.estrategiaconcursos.com.br Questão 01 No que se refere ao prontuário médico, é correto afirmar que A) o paciente, em caso de erro médico, só pode ter acesso ao seu prontuário sob ordem judicial. B) é permitido ao médico negar acesso

Leia mais

Índice Remissivo do Volume 91-2008

Índice Remissivo do Volume 91-2008 Por Assunto A Acidente cerebrovascular/complicações Acidente vascular na doença de Chagas, 306 Abscesso Opção para tratamento de abscesso aórtico, 72 Acesso radial Acesso ulnar Angioplastia primária pelo

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CIRURGIÃO TORÁCICO

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CIRURGIÃO TORÁCICO 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CIRURGIÃO TORÁCICO QUESTÃO 21 Paciente portador de miatenia gravis e timoma, submetido a tratamento cirúrgico. Durante o ato operatório, constatou-se que o

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS

CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS Complicações Cirúrgicas CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS 1. Complicações Circulatórias Hemorragias: é a perda de sangue

Leia mais

( ) A concentração intracelular de íons cálcio é o grande determinante da força de contração da musculatura cardíaca.

( ) A concentração intracelular de íons cálcio é o grande determinante da força de contração da musculatura cardíaca. Grupo de Fisiologia Geral da Universidade de Caxias do Sul Exercícios: Fisiologia do Sistema Cardiovascular (parte III) 1. Leia as afirmativas abaixo e julgue-as verdadeiras (V) ou falsas (F): ( ) A concentração

Leia mais

TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA CARDIOVASCULAR. Renato Sanchez Antonio Santa Casa RP

TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA CARDIOVASCULAR. Renato Sanchez Antonio Santa Casa RP TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA CARDIOVASCULAR Renato Sanchez Antonio Santa Casa RP Tomografia Técnica baseada em radiografia com uso colimadores para restringir feixes Realizada na mesma fase do ciclo cardíaco

Leia mais

PÔSTERES DIA 13/11/2015-08:00 ÀS 12:00 TÍTULO

PÔSTERES DIA 13/11/2015-08:00 ÀS 12:00 TÍTULO 1 PÔSTERES DIA 13/11/2015-08:00 ÀS 12:00 A CIRCULAÇÃO EXTRACORPOREA NA CIRURGIA CARDÍACA BRASILEIRA: HISTÓRICO, AVANÇOS E DESAFIOS. 2 A DISSECÇÃO AÓRTICA E O TRATAMENTO ENDOVASCULAR 3 A IMPORTÂNCIA DA

Leia mais

Portaria SAS/Nº 210 (publicada no Diário Oficial n 117, de 21 de junho de 2004, página 43, Seção 1) ANEXO III(*)

Portaria SAS/Nº 210 (publicada no Diário Oficial n 117, de 21 de junho de 2004, página 43, Seção 1) ANEXO III(*) Portaria SAS/Nº 210 (publicada no Diário Oficial n 117, de 21 de junho de 2004, página 43, Seção 1) ANEXO III(*) RELAÇÃO DE PROCEDIMENTOS INCLUÍDOS NAS TABELAS DO SIH E SIA/SUS PROCEDIMENTOS INCLUÍDOS

Leia mais

Sistema Circulatório

Sistema Circulatório Sistema Circulatório O coração Localização: O coração está situado na cavidade torácica, entre a 2ª e 5ª costelas, entre os pulmões, com 2/3 para a esquerda, ápice para baixo e para esquerda e base para

Leia mais

Enfermagem em Oncologia e Cuidados Paliativos

Enfermagem em Oncologia e Cuidados Paliativos Prof. Rivaldo Assuntos Enfermagem em Oncologia e Cuidados Paliativos Administração e Gerenciamento de Enfermagem Enfermagem na Atenção à Saúde da Mulher e da Criança Enfermagem nas Doenças Transmissíveis

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 51

PROVA ESPECÍFICA Cargo 51 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 51 QUESTÃO 26 A heparina administrada por via endovenosa necessita de um co-fator para interferir no mecanismo da coagulação. Identifique-o: a) antitrombina III. b) plaquetário

Leia mais

Como analisar um Rx RADIOGRAFIA. Como olhar um Rx. Técnica. Técnica. Análise TÓRAX

Como analisar um Rx RADIOGRAFIA. Como olhar um Rx. Técnica. Técnica. Análise TÓRAX Como analisar um Rx RADIOGRAFIA TÓRAX VISÃO PANORÂMICA VISÃO DETALHADA DA PERIFERIA PARA O CENTRO SEGUIR UMA SEQÜÊNCIA OBJETIVO Posicionamento Técnica Análise Como olhar um Rx Técnica Posicionamento -

Leia mais

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA (ICC)

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA (ICC) INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA (ICC) Categorias: - ICC aguda sem diagnóstico prévio - ICC crônica agudizada - ICC crônica refratária Apresentações clínicas: - Edema agudo de pulmão: rápido aumento da

Leia mais

Distúrbios do Coração e dos Vasos Sangüíneos Capítulo14 - Biologia do Coração e dos Vasos Sangüíneos (Manual Merck)

Distúrbios do Coração e dos Vasos Sangüíneos Capítulo14 - Biologia do Coração e dos Vasos Sangüíneos (Manual Merck) Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Distúrbios do Coração e dos Vasos Sangüíneos Capítulo14 - Biologia do Coração e dos Vasos Sangüíneos

Leia mais

TÓRAX Diagnóstico por Imagem nas Urgências. Leonardo Oliveira Moura

TÓRAX Diagnóstico por Imagem nas Urgências. Leonardo Oliveira Moura TÓRAX Diagnóstico por Imagem nas Urgências Leonardo Oliveira Moura Infecções pulmonares A radiografia simples é habitualmente o exame de imagem mais empregado, pelo seu menor custo e alta disponibilidade,

Leia mais

Prova de revalidação de diplomas de graduação em Medicina obtidos no exterior 2013 Resposta aos recursos da prova teórica de Pediatria

Prova de revalidação de diplomas de graduação em Medicina obtidos no exterior 2013 Resposta aos recursos da prova teórica de Pediatria Prova de revalidação de diplomas de graduação em Medicina obtidos no exterior 2013 Resposta aos recursos da prova teórica de Pediatria Questão 80 Um escolar de 7 anos chega ao ambulatório, pois precisa

Leia mais

Abordagem da Dor Torácica Aguda. Jeová Cordeiro de Morais Júnior

Abordagem da Dor Torácica Aguda. Jeová Cordeiro de Morais Júnior Abordagem da Dor Torácica Aguda Jeová Cordeiro de Morais Júnior Introdução Traumática x não-traumática Cerca de 8 milhões de atendimento nas emergências nos EUA Cerca de 10-12% são liberados com SCA Avaliar

Leia mais

TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016. Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda

TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016. Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016 Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda DENGUE O Brasil têm registrado grandes epidemias de dengue nos últimos 10 anos com aumento

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL Nº 05/2007 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL Nº 05/2007 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS FAURGS HCPA Edital 05/2007 1 HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL Nº 05/2007 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS PROCESSO SELETIVO 22 MÉDICO (Urologia) 01. A 11. B 02. C 12. A 03. B 13.

Leia mais

Saúde Naval MANUAL DE SAÚDE

Saúde Naval MANUAL DE SAÚDE Saúde Naval MANUAL DE SAÚDE IDOSO DOENÇAS MAIS COMUNS Com a chegada da terceira idade, alguns problemas de saúde começam a aparecer, conheça alguns dos mais comuns e saiba como se prevenir: 1 2 DIABETES

Leia mais

MARCADORES CARDÍACOS

MARCADORES CARDÍACOS Maria Alice Vieira Willrich, MSc Farmacêutica Bioquímica Mestre em Análises Clínicas pela Universidade de São Paulo Diretora técnica do A Síndrome Coronariana Aguda MARCADORES CARDÍACOS A síndrome coronariana

Leia mais

EXAME CLÍNICO PARA INVESTIGAÇÃO DE UMA DOENÇA CARDIOVASCULAR

EXAME CLÍNICO PARA INVESTIGAÇÃO DE UMA DOENÇA CARDIOVASCULAR EXAME CLÍNICO PARA INVESTIGAÇÃO DE UMA DOENÇA CARDIOVASCULAR RESUMO Anamnese ID HPMA IDA Antecedentes Pessoais Antecedentes Familiais Exame Físico Geral Exame Físico Especial Cabeça / Face / Pescoço Aparelho

Leia mais

INFORMAÇÕES ESSENCIAIS COMPATÍVEIS COM O RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

INFORMAÇÕES ESSENCIAIS COMPATÍVEIS COM O RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO INFORMAÇÕES ESSENCIAIS COMPATÍVEIS COM O RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO i) DENOMINAÇÃO DO MEDICAMENTO Sevoflurano Baxter 100%, líquido para inalação por vaporização. ii) COMPOSIÇÃO QUALITATIVA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE ANEXO II- Edital n. 54, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2011 Temas dos Concursos, pontos para as Provas Escrita e Didática, critérios

Leia mais

Dengue. Febre hemorrágica Febre não diferenciada Síndrome de febre da dengue (síndrome viral) da dengue (efusão de plasma)

Dengue. Febre hemorrágica Febre não diferenciada Síndrome de febre da dengue (síndrome viral) da dengue (efusão de plasma) Dengue Manifestações clínicas As infecções pelos vírus da dengue podem ser assintomáticas ou produzir febre não diferenciada, febre de dengue ou febre de dengue hemorrágica (figura 1). Figura 1- Manifestações

Leia mais

TEMAS LIVRES PÔSTERS APROVADOS DO XII CONGRESSO SERGIPANO DE CARDIOLOGIA. Observação:

TEMAS LIVRES PÔSTERS APROVADOS DO XII CONGRESSO SERGIPANO DE CARDIOLOGIA. Observação: TEMAS LIVRES PÔSTERS APROVADOS DO XII CONGRESSO SERGIPANO DE CARDIOLOGIA Observação: Exposição dos temas livres TL 01 a TL 21 sexta de 08h as 12h, com apresentação 09:45h Exposição dos temas livres TL

Leia mais

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. Ortografia (escrita correta das palavras). Divisão silábica. Pontuação. Acentuação Gráfica. Flexão do substantivo

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. Ortografia (escrita correta das palavras). Divisão silábica. Pontuação. Acentuação Gráfica. Flexão do substantivo ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EMPREGO: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE Ortografia (escrita correta das palavras). Divisão silábica. Pontuação. Acentuação Gráfica. Flexão do substantivo (gênero masculino e

Leia mais

INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA CARDIOVASCULAR NO PÓS- OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO

INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA CARDIOVASCULAR NO PÓS- OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA CARDIOVASCULAR NO PÓS- OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO Michael Jaickson de Jesus Chaves* NOVAFAPI Gilderlene Alves Fernandes** NOVAFAPI INTRODUÇÃO O coração é um

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 81

PROVA ESPECÍFICA Cargo 81 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 81 QUESTÃO 26 Todas as estruturas descritas abaixo estão no Canal Anal, EXCETO: a) Criptas Anais. b) Linha Denteada. c) Colunas de Morgani. d) Valva inferior de Houston. QUESTÃO

Leia mais

Identificação do Risco de Morte Súbita

Identificação do Risco de Morte Súbita Texto de apoio ao curso de especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Identificação do Risco de Morte Súbita Resumo adaptado da referencia A identificação de indivíduos

Leia mais

vacina hepatite A (inativada)

vacina hepatite A (inativada) vacina hepatite A (inativada) Forma farmacêutica e apresentações: Suspensão injetável. Cartucho contendo uma seringa de uma dose de 0,5 ml. Cartucho contendo 5 seringas de uma dose de 0,5 ml. Cartucho

Leia mais

MODELO DE BULA PARA O PACIENTE. Cada ml contém: levosimendana... 2,5 mg Excipientes: polividona, ácido cítrico e etanol.

MODELO DE BULA PARA O PACIENTE. Cada ml contém: levosimendana... 2,5 mg Excipientes: polividona, ácido cítrico e etanol. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: SIMDAX levosimendana Formas Farmacêuticas, vias de administração e apresentações: SIMDAX (levosimendana) 2,5 mg/ml: embalagens com 1 frasco-ampola

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CIRURGIÃO VASCULAR

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CIRURGIÃO VASCULAR 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CIRURGIÃO VASCULAR QUESTÃO 21 Paciente com síndrome isquêmica crônica dos membros inferiores de longa data apresentando queixa de claudicação incapacitante

Leia mais

A situação do câncer no Brasil 1

A situação do câncer no Brasil 1 A situação do câncer no Brasil 1 Fisiopatologia do câncer 23 Introdução O câncer é responsável por cerca de 13% de todas as causas de óbito no mundo: mais de 7 milhões de pessoas morrem anualmente da

Leia mais

PARTE I SAE X PROCESSO DE ENFERMAGEM

PARTE I SAE X PROCESSO DE ENFERMAGEM PARTE I SAE X PROCESSO DE ENFERMAGEM - SAE é uma metodologia científica que vem sendo cada vez mais implementada na prática assistencial, conferindo maior segurança aos pacientes, melhora da qualidade

Leia mais

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA (TVP)

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA (TVP) TROMBOSE VENOSA PROFUNDA (TVP) José de Arimatea Barreto Os fenômenos tromboembólicos incidem em 0,2% a 1% durante o ciclo gravídico-puerperal. Metade das tromboses venosas é identificada antes do parto

Leia mais

ENDERMOTERAPIA INSTITUTO LONG TAO

ENDERMOTERAPIA INSTITUTO LONG TAO ENDERMOTERAPIA INSTITUTO LONG TAO Melissa Betel Tathiana Bombonatti A endermoterapia foi criada na França em 1970 por Louis Paul Guitay. Ele sofreu um grave acidente de carro que causou queimaduras de

Leia mais

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO... 2 SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...12 OUTROS HÁBITOS SAUDÁVEIS...14 ATIVIDADE FÍSICA...14 CUIDADOS

Leia mais

FISIOTERAPIA / TERAPIA INTENSIVA

FISIOTERAPIA / TERAPIA INTENSIVA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO Hospital Universitário FISIOTERAPIA / TERAPIA INTENSIVA PARTE I: MÚLTIPLA ESCOLHA 01 As doenças

Leia mais

Dissecção Aguda da Aorta

Dissecção Aguda da Aorta Dissecção Aguda da Aorta SD de Dissecção Aguda da Aorta PAM não invasiva, monitorização cardíaca, débito urinário, acesso IV com Gelco 14(02). Se choque / ICC ou hipotensão instalar Swan-Ganz para PCP,

Leia mais

Protocolo de Choque no Pósoperatório. Cardíaca

Protocolo de Choque no Pósoperatório. Cardíaca Protocolo de Choque no Pósoperatório de Cirurgia Cardíaca Acadêmico Lucas K. Krum Prof. Dr. Mário Augusto Cray da Costa Choque no pós operatório da CC Função miocárdica declina nas 6 a 8 horas iniciais

Leia mais

a. CONSIDERAÇÕES ESPECIAIS DE AVALIAÇÃO Objetivos do tratamento pré-hospitalar da síndrome coronariana aguda

a. CONSIDERAÇÕES ESPECIAIS DE AVALIAÇÃO Objetivos do tratamento pré-hospitalar da síndrome coronariana aguda Parte II P R O T O C O L O S D E D O E N Ç A S C A R D I O V A S C U L A R E S [111] 47. SÍNDROME CORONARIANA AGUDA a. CONSIDERAÇÕES ESPECIAIS DE AVALIAÇÃO A isquemia do miocárdio resulta do desequilíbrio

Leia mais

Seminário Metástases Pulmonares

Seminário Metástases Pulmonares Seminário Metástases Pulmonares Tatiane Cardoso Motta 09/02/2011 CASO CLÍNICO Paciente do sexo feminino, 52 anos, refere que realizou RX de tórax de rotina que evidenciou nódulos pulmonares bilaterais.

Leia mais

Aplicações das Técnicas de Radiodiagnóstico em Patologias do Tórax Tr. André Luiz S. de Jesus

Aplicações das Técnicas de Radiodiagnóstico em Patologias do Tórax Tr. André Luiz S. de Jesus Radiologia Torácica Patológica Aplicações das Técnicas de Radiodiagnóstico em Patologias do Tórax Tr. André Luiz S. de Jesus Importância Diagnóstica É fundamental um exame satisfatório e de qualidade

Leia mais

Oferecemos uma ampla gama de tratamentos entre os que podemos destacar:

Oferecemos uma ampla gama de tratamentos entre os que podemos destacar: A cirurgia endovascular agrupa uma variedade de técnicas minimamente invasivas mediante as quais CIRURGIA ENDOVASCULAR = CIRURGIA SEM CORTES! Técnicas Minimamente Invasivas As técnicas de cirurgia endovascular

Leia mais

www.fisiofitsenior.com.br

www.fisiofitsenior.com.br www.fisiofitsenior.com.br Índice Definição... Dados estatísticos... pg 03 pg 06 Causas e fatores de risco... pg 09 Tratamentos... pg 14 Atividades físicas e osteoporose... pg 15 Nutrientes recomendados...

Leia mais

AULA 11: CRISE HIPERTENSIVA

AULA 11: CRISE HIPERTENSIVA AULA 11: CRISE HIPERTENSIVA 1- INTRODUÇÃO No Brasil a doença cardiovascular ocupa o primeiro lugar entre as causas de óbito, isto implica um enorme custo financeiro e social. Assim, a prevenção e o tratamento

Leia mais

Ficha de Controle das Alterações dos Pés de Pacientes Diabéticos. Texto Explicativo:

Ficha de Controle das Alterações dos Pés de Pacientes Diabéticos. Texto Explicativo: Texto Explicativo: A ficha da sala de curativo deve ser preenchida enquanto se faz a anamnese e o exame físico do paciente na sala de curativos. Se possível, deverão estar presentes e preenchendo-a em

Leia mais

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Osteomielite. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Osteomielite. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA PROTOCOLO MÉDICO Assunto: Osteomielite Especialidade: Infectologia Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA Data de Realização: 15/04/2009 Data de Revisão: Data da Última Atualização: 1.

Leia mais

Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9

Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9 Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9 Tabela 01 - Principais Antecedentes e Fatores de Risco para Doença Cardiovascular à Internação na Unidade Todos os Pacientes Egressos da Unidade Hipertensão Arterial

Leia mais

Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9

Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9 Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9 Tabela 01 - Principais Antecedentes e Fatores de Risco para Doença Cardiovascular à Internação na Unidade Todos os Pacientes Egressos da Unidade Hipertensão Arterial

Leia mais

Ivan da Costa Barros Pedro Gemal

Ivan da Costa Barros Pedro Gemal Semiologia Abordagem ao paciente cardiopata Ivan da Costa Barros Pedro Gemal DESAFIO!! 2011 Universidade Federal Fluminense 1. Paciente idoso procura PS à noite queixando- se de falta de ar, taquicárdico

Leia mais

Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012)

Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012) Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012) traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização para uso e divulgação sem

Leia mais

Cartilha. pela Saúde da Mulher

Cartilha. pela Saúde da Mulher Cartilha pela Saúde da Mulher Cólica Menstrual Excesso de Gorduras no Sangue A cólica menstrual ou dismenorreia é uma dor abdominal provocada pelas contrações uterinas que ocorrem durante a menstruação.

Leia mais

Avaliação da dor torácica no serviço de urgência. Carina Arantes Interna de formação específica de cardiologia

Avaliação da dor torácica no serviço de urgência. Carina Arantes Interna de formação específica de cardiologia Avaliação da dor torácica no serviço de urgência Carina Arantes Interna de formação específica de cardiologia Introdução Dor torácica constitui a 2ª causa mais comum de admissão no serviço de urgência

Leia mais

PROVA PARA A RESIDÊNCIA MÉDICA EM CARDIOLOGIA, GASTROENTEROLOGIA E MEDICINA INTENSIVA CONCURSO DE SELEÇÃO 2013 PROVA DE CLÍNICA MÉDICA

PROVA PARA A RESIDÊNCIA MÉDICA EM CARDIOLOGIA, GASTROENTEROLOGIA E MEDICINA INTENSIVA CONCURSO DE SELEÇÃO 2013 PROVA DE CLÍNICA MÉDICA PROVA PARA A RESIDÊNCIA MÉDICA EM CARDIOLOGIA, GASTROENTEROLOGIA E MEDICINA INTENSIVA CONCURSO DE SELEÇÃO 2013 PROVA DE CLÍNICA MÉDICA Nome: Dia: 20 de dezembro de 2012. 01 - A conduta inicial em embolia

Leia mais

VERIFICAÇÃO DE SINAIS VITAIS

VERIFICAÇÃO DE SINAIS VITAIS Página Responsáveis Preparado por: Enfermeiros Analisado por: Serviço de Enfermagem Aprovado por: DAS. Objetivos. Aplicação Padronizar as técnicas de avaliação dos Sinais Vitais a fim de otimizar o serviço

Leia mais

TES TE T S E ER GOMÉTRIC GOMÉTRIC (Te ( ste de esforço ç )

TES TE T S E ER GOMÉTRIC GOMÉTRIC (Te ( ste de esforço ç ) TESTE ERGOMÉTRICO (Teste de esforço) Definição - um dos exames mais importantes de diagnóstico, avaliação clínica e prognóstico dos pacientes com doença arterial coronariana (DAC). - método rápido, barato,

Leia mais

Eletrocardiograma. Como interpretar o ECG e fornecer um laudo?

Eletrocardiograma. Como interpretar o ECG e fornecer um laudo? Eletrocardiograma Como interpretar o ECG e fornecer um laudo? (Monitoria 20/05) O laudo é dividido em três partes principais: - medidas eletrocardiográficas (ou seja, analisar a duração e amplitude de

Leia mais

Em que situações se deve realizar um eco- doppler arterial dos membros inferiores.

Em que situações se deve realizar um eco- doppler arterial dos membros inferiores. O que é um eco- doppler? O eco- doppler, ultrassonografia vascular ou triplex- scan é um método de imagem que se baseia na emissão e reflecção de de ondas de som (ultra- sons). Através deste exame é possível

Leia mais

Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica. Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira

Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica. Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira O QUE É HIPERTENSÃO ARTERIAL? Condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados

Leia mais

COLÉGIO AMERICANO DE MEDICINA ESPORTIVA Posicionamento Oficial Exercício para Pacientes com Doença Arterial Coronariana

COLÉGIO AMERICANO DE MEDICINA ESPORTIVA Posicionamento Oficial Exercício para Pacientes com Doença Arterial Coronariana COLÉGIO AMERICANO DE MEDICINA ESPORTIVA Posicionamento Oficial Exercício para Pacientes com Doença Arterial Coronariana RESUMO Posicionamento Oficial do Colégio Americano de Medicina Esportiva: Exercise

Leia mais

sulfato de terbutalina

sulfato de terbutalina sulfato de terbutalina União Química Farmacêutica Nacional S.A. Solução injetável 0,5 mg/ml sulfato de terbutalina Medicamento genérico, Lei nº 9.787, de 1999 Solução injetável IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO

Leia mais

Uso do Dímero D na Exclusão Diagnóstica de Trombose Venosa Profunda e de Tromboembolismo Pulmonar

Uso do Dímero D na Exclusão Diagnóstica de Trombose Venosa Profunda e de Tromboembolismo Pulmonar Uso do Dímero D na Exclusão Diagnóstica de Trombose Venosa Profunda e de Tromboembolismo Pulmonar 1- Resumo O desequilíbrio das funções normais da hemostasia sangüínea resulta clinicamente em trombose

Leia mais

Pressão Intracraniana - PIC. Aula 10

Pressão Intracraniana - PIC. Aula 10 Pressão Intracraniana - PIC Aula 10 Definição É a pressão encontrada no interior da caixa craniana. Pressão exercida pelo líquor nas paredes dos ventrículos cerebrais. Quando essa pressão é alterada significa

Leia mais

VISKEN pindolol. APRESENTAÇÕES Comprimidos. Embalagens com 20 comprimidos de 5 mg ou 10 mg. VIA ORAL USO ADULTO

VISKEN pindolol. APRESENTAÇÕES Comprimidos. Embalagens com 20 comprimidos de 5 mg ou 10 mg. VIA ORAL USO ADULTO VISKEN pindolol APRESENTAÇÕES Comprimidos. Embalagens com 20 comprimidos de 5 mg ou 10 mg. VIA ORAL USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada comprimido de 5 ou 10 mg contém, respectivamente, 5 ou 10 mg de pindolol.

Leia mais

Criança de 3 anos, previamente saudável, frequentadora de creche, é trazida ao consultório do seu pediatra com história de quase 3 dias de febre.

Criança de 3 anos, previamente saudável, frequentadora de creche, é trazida ao consultório do seu pediatra com história de quase 3 dias de febre. 15 minutos de... D. Kawasaki Criança de 3 anos, previamente saudável, frequentadora de creche, é trazida ao consultório do seu pediatra com história de quase 3 dias de febre. A febre tem sido diária, com

Leia mais

Disfagia: Diagnóstico Diferencial

Disfagia: Diagnóstico Diferencial Disfagia: Diagnóstico Diferencial M.Sc. Prof.ª Viviane Marques Fonoaudióloga, Neurofisiologista e Mestre em Fonoaudiologia Coordenadora da Pós-graduação em Fonoaudiologia Hospitalar Chefe da Equipe de

Leia mais

Biologia. Sistema circulatório

Biologia. Sistema circulatório Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 10R Ensino Médio Equipe de Biologia Data: Biologia Sistema circulatório O coração e os vasos sanguíneos e o sangue formam o sistema cardiovascular ou circulatório.

Leia mais

DISTÚRBIOS DA CIRCULAÇÃO

DISTÚRBIOS DA CIRCULAÇÃO DISTÚRBIOS DA CIRCULAÇÃO Augusto Schneider Carlos Castilho de Barros Faculdade de Nutrição Universidade Federal de Pelotas TÓPICOS ABORDADOS Resumo das alterações já abordadas: Hemorragia Hiperemia Trombose

Leia mais

Fisiologia Geral. Biofísica da Circulação: artérias

Fisiologia Geral. Biofísica da Circulação: artérias Fisiologia Geral Biofísica da Circulação: O ciclo cardíaco; Interconversão de energias nas artérias SISTEMA CARDIOVASCULAR Sistema de ductos fechados com uma bomba hidráulica: O coração. Artérias: vasos

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS Descrição Doença que representa um dos maiores problemas de saúde da atualidade, em função de seu

Leia mais

Indicadores de Segurança do Paciente Prevenção e Controle de Infecção

Indicadores de Segurança do Paciente Prevenção e Controle de Infecção Indicadores de Segurança do Paciente Prevenção e Controle de Infecção Título Fonte Definição Nível Informação Dimensão da Qualidade Taxa de infecção de sítio cirúrgico incisional profunda/ órgão/ cavidade

Leia mais

BULA PACIENTE AMINOLEX HALEX ISTAR

BULA PACIENTE AMINOLEX HALEX ISTAR BULA PACIENTE AMINOLEX HALEX ISTAR SOLUÇÃO INJETÁVEL 24 mg/ml Aminolex IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Aminolex FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES Solução injetável 24mg/ml. Ampola de vidro de 10 ml Solução

Leia mais

Actilyse alteplase. APRESENTAÇÕES Pó liofilizado injetável frasco-ampola com 10 mg + diluente, ou 20 mg + diluente, ou 50 mg + diluente

Actilyse alteplase. APRESENTAÇÕES Pó liofilizado injetável frasco-ampola com 10 mg + diluente, ou 20 mg + diluente, ou 50 mg + diluente Actilyse alteplase APRESENTAÇÕES Pó liofilizado injetável frasco-ampola com 10 mg + diluente, ou 20 mg + diluente, ou 50 mg + diluente USO INTRAVENOSO USO ADULTO COMPOSIÇÃO ACTILYSE 10 mg/10 ml: cada frasco-ampola

Leia mais

PREVENÇÃO DAS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS PREVENIR É PRECISO MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS

PREVENÇÃO DAS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS PREVENIR É PRECISO MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS PREVENÇÃO DAS DOENÇAS MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS design ASCOM-PMMC PREVENIR É PRECISO DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS No

Leia mais

PROTOCOLOS DE REABILITAÇÃO CARDÍACA FASE II

PROTOCOLOS DE REABILITAÇÃO CARDÍACA FASE II PROTOCOLOS DE REABILITAÇÃO CARDÍACA FASE II III SIMPÓSIO DE FISIOTERAPIA EM CARDIOLOGIA 30 de Outubro a 02 de Novembro de 2004 DAIANA CRISTINE BÜNDCHEN INSTITUTO DE CARDIOLOGIA DE CRUZ ALTA-CT SERVIÇO

Leia mais

INTRODUÇÃO DE ENFERMAGEM I

INTRODUÇÃO DE ENFERMAGEM I INTRODUÇÃO DE ENFERMAGEM I A Sistematização da Assistência de Enfermagem SAE É uma atividade privativa do enfermeiro, utilizam método e estratégia de trabalho, baseados em princípios científicos, para

Leia mais

Pesquisa Etiológica. Exame específico

Pesquisa Etiológica. Exame específico Influenza A (H1N1) O vírus A Influenza A(H1 N1) é uma doença respiratória e a transmissão ocorre de pessoa a pessoa, principalmente por meio de tosse, espirro ou de contato com secreções respiratórias

Leia mais

Bicalutamida inibe o estímulo androgênico, resultando assim na regressão dos tumores prostáticos.

Bicalutamida inibe o estímulo androgênico, resultando assim na regressão dos tumores prostáticos. BICALUTAMIDA Medicamento genérico Lei n 9.787, de 1999 Oral Comprimido revestido USO ADULTO Forma Farmacêutica e Apresentação da Bicalutamida Embalagem com 30 comprimidos contendo 50 mg de bicalutamida.

Leia mais

Doenças do Sistema Circulatório

Doenças do Sistema Circulatório Doenças do Sistema Circulatório Dados Mundiais: Mortes por grupos de causas - 2000 Total de Mortes: 55.694.000 Causas Externas ( 9.1%) Doenças Não Transmissíveis (59.0%) Doenças transmissíveis, mortalidade

Leia mais

Sulfato de Terbutalina. Hipolabor Farmacêutica Ltda. Solução Injetável. 0,5mg/mL

Sulfato de Terbutalina. Hipolabor Farmacêutica Ltda. Solução Injetável. 0,5mg/mL Sulfato de Terbutalina Hipolabor Farmacêutica Ltda. Solução Injetável 0,5mg/mL 1 sulfato de terbutalina Medicamento genérico Lei 9.787, de 1999 NOME GENÉRICO: Sulfato de terbutalina FORMA FARMACÊUTICA:

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA 2014 PROVA OBJETIVA

RESIDÊNCIA MÉDICA 2014 PROVA OBJETIVA RESIDÊNCIA MÉDICA 2014 1 Questão 1 A confecção de acessos vasculares definitivos para hemodiálise (FAV) tornou-se um dos principais procedimentos realizados pelos cirurgiões vasculares em todo o mundo.

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS Como pode cair no enem? (UFC) A pílula do dia seguinte é composta de hormônios, os mesmos da pílula anticoncepcional comum, só que em doses mais elevadas.

Leia mais

Tratamento da Insuficiência Cardíaca. Profª Rosângela de Oliveira Alves

Tratamento da Insuficiência Cardíaca. Profª Rosângela de Oliveira Alves Tratamento da Insuficiência Cardíaca Profª Rosângela de Oliveira Alves Insuficiência Cardíaca Causas Insuficiência miocárdica Regurgitação valvular l Disfunção diastólica Sinaisi congestão e edema débito

Leia mais