Tecnologia e Educação: como combinar os ingredientes?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tecnologia e Educação: como combinar os ingredientes?"

Transcrição

1 1 Tecnologia e Educação: como combinar os ingredientes? Cláudio de Moura Castro culinária?. Tecnologia e educação? Quem sabe começamos com outro assunto, por exemplo, Vou falar de culinária, porque os resultados muito mais tangíveis e tudo que se precisa saber sobre tecnologia podemos aprender pensando em exemplos tirados da cozinha. Imaginemos uma cozinha com os seguintes ingredientes: pão francês trazido da padaria Poulard em Paris, caviar Beluga, uma cebolinha roxa ralada, ovos de galinha caipíra, chocolate em pó belga, leite condensado Nestlé. Temos também os equipamentos convencionais: fogão, torradeira, caçarolas e tudo o mais. O que posso fazer com isso? Posso derramar leite condensado no caviar, botar cebola roxa no pão francês e adicionar chocolate aos ovos. Ninguém me impede. É uma alternativa possível. Mas por outro lado, também posso servir as torradas com caviar, cebola ralada bem fininha e ovos cozidos em fatias. E se misturo o leite condensado com pó de chocolate, termino com brigadeiros. Os ingredientes são exatamente os mesmos e os resultados são bastante diferentes. Que conclusões tiramos da nossa aula de culinária? Ficamos sabendo que com os mesmos ingredientes, posso ir do sublime ao execrável. Tudo depende de como se combinam. O certo é a combinação e não os ingredientes. No caso do exemplo citados são todos os melhores que existem. Esse é o cerne da questão.

2 2 O que interessa é como combino os ingrediente. Entendido isso, não há mais nada de novo ou diferente que precise saber sobre tecnologia educacional. Para começar não há tecnologia certa. Há, isso sim, uma escolha ou uma resposta certa para um determinado problema. Não há uma tecnologia que se possa dizer: essa tecnologia é melhor que aquela e ainda menos que seja a melhor de todas. O que há são boas combinações de ingredientes. É o caviar Beluga com a torradinha e a cebolinha ralada. Essa é a combinação feliz. Mas essa não é uma iguaria que agrade a todo mundo. Para um adolescente, um cachorro quente agradaria mais e custaria 1% do preço. Igualmente, no uso de tecnologia, o que interessa é encontrar a combinação feliz. Não podemos dizer que o ensino por Web é bom, ou que bom é o ensino por computador, ou vice-versa. O que decide é a boa combinação dos ingredientes, isto é, a resposta correta ao problema. A tecnologia não nem é boa nem ruim. Ela é boa quando ela é uma resposta apropriada a um problema existente. Essa é a questão fundamental. Grande parte dos fracassos tecnológicos resultam de uma tentativa dos fanáticos por tecnologia saírem brandindo a tecnologia e achar que é a resposta para todos os problemas. O cemitério das tecnologias educativas fracassadas, é quase todo feito por gente que pensou numa tecnologia e saiu a cata de um problema para essa tecnologia responder. É a chamada Lei do Martelo. Se você entregar um martelo para um menino, não tardará cinco minutos para ele descobrir que praticamente tudo que há na casa, precisa urgentemente ser martelado. Repetindo, essa é a questão fundamental. Se temos um problema, diante dele perguntamos: Qual a receita, qual a combinação de tecnologias que será uma resposta apropriada a esse problema?

3 3 Mais adiante, vou apressentar uma série de exemplos de tecnologias bem sucedidas. Mas, como veremos, sempre que funcionou tecnologia, ela não veio em primeiro lugar. A tecnologia veio como resposta a um problema. Veio como uma resposta correta a um problema e não uma resposta a procura de um problema, como é a situação clássica do computador. Aí estão os computadores, maquininhas maravilhosas. Ficamos entusiasmados e saímos a procura de um problema para ele resolver. Mas, falemos na equação da escolha tecnológica. Essencialmente, de que estamos falando? Antes de dizer qual a tecnologia, temos um conjunto de perguntas para responder. De acordo com a resposta a essas perguntas, as opções tecnológicas vão se estreitando, se estreitando, e terminamos com um número limitado de soluções que podem dar certo naquela situação. Vamos repassar, um por um, uma lista de fatores a ser sempre considerados. Quero mostrar o quadro amplo porque, na verdade, o que interessa é o marco geral, o conjunto de condicionantes da opção tecnológica. Os detalhes técnicos se resolvem com as pessoas que deles bem sabem cuidar em um país com a maturidade tecnológica do Brasil. A primeira pergunta é o que se quer ensinar? Há muitos assuntos diferentes, e cada um leva condiciona a solução. A segunda é quem sabe do assunto? Não posso pensar numa solução sem saber quem sabe do assunto que deve ser ensinado. A terceira é quanto tempo leva até aprender? Programas de duração diferente, geram respostas diferentes. A quarta pergunta é conceptual: O que é distância? É completamente à distância, é semi-presencial, é distância com monitor presente? Em quinto lugar, quem é a nossa clientela? A tecnologia boa é a tecnologia que serve para a nossa clientela. Ela não é boa em si. Ela é boa ou má para a nossa clientela - que vem antes, que tem precedência. Em sexto lugar, educação para quantos? Na área tecnológica essa resposta é vital. No ensino convencional a escala é bastante indiferente ou irrelevante. Já o ensino por tecnologia, é vitalmente condicionado à escala. Finalmente, quanto é que custa? Não dá para escolher tecnologia sem saber quanto custa. É puro devaneio. Mais cedo ou mais tarde, alguém vai dizer quanto custa e podemos haver perdido tempo com uma solução é inviável.

4 4 Sem saber isso tudo, não podemos escolher uma tecnologia. Essa é, digamos, a segunda conclusão importante desta aula. A primeira é que a tecnologia é boa quando ela é uma resposta ao problema, quando ela é a combinação certa. A segunda é que a escolha da tecnologia está condicionada às respostas à série de perguntas aqui listadas. Falemos um pouco de cada uma das perguntas que tem que ser respondidas antes de decidir que tecnologia usar. O que se quer ensinar (determina como ensinar) O que se quer ensinar condiciona fatalmente o como ensinar. Portanto, a primeira pergunta a ser respondida é acerca do conteúdo do ensino proposto, a fim de identificar condicionantes que possam vir daí. Alguns conteúdos pode ser ensinados de mil maneiras. Outros estão muito condicionados pela sua própria natureza. Em primeiro não nos esqueçamos de uma fórmula que vem de tempos imemoriais, que é aprender com quem está fazendo. Quem for fazer um estágio na Goldman Sachs, em Wall Street, uma das vinte maiores e mais prestigiosas empresas do mundo, o que vai receber como equipamento ao chegar? Um banquinho. Por que um banquinho? Para poder sentar, encostado no cangote de alguém que está operando no terminal de computador e ver como ele faz. Portanto, tecnologia educativa para estagiário da Goldman Sachs é um banquinho, para sentar a e ver como é que os outros fazem. Por que a Goldman Sachs não usa médodos mais modernos? Por que o que precisa ser aprendido não se presta a se reproduzido em sala de aula ou em programas de computador. É um conhecimento contextualizado naquele momento, são decisões tomadas em um ambiente muito especial.

5 5 Essa tecnologia do aprender vendo, já vem da pré-história, o filho aprende com o pai, vendo o pai fazendo. Esse método se estrutura no sistema medieval, do mestre com seu aprendiz. Até hoje, é um sistema que tem grandes méritos e, em certos casos, é superior a todos os outros. Não adianta falar em Web, em televisão, em satélite e ignorar o sistema mais velho de todos que é olhar os outros fazendo e aprender no local de trabalho com quem sabe. Esse método continua na equação das possíveis escolhas, continua sendo uma solução importante e não vai ser demolido pelos outros. O segundo método venerável é conversa, quadro negro e giz. Faz séculos, era o método peripatético, do tempos dos gregos. Hoje temos um quadro negro - aliás o quadro não é mais negro - e o giz não faz tanta poeira. Pode até ser que o quadro negro seja substituído pelo PowerPoint. Mas, no fundo é professor falando para aluno. Até a geografia da sala de aula é mais ou menos estável e muito pouco original. O professor se coloca num lugar onde os alunos possam vê-lo. Se o professor não vê os alunos não tem muita importância, a não ser que seja uma classe pequena. Mas enfim, essa é outra solução tradicional e que não vai ser liquidada por razões práticas, econômicas e de eficiência. Está aí competindo com as outras. Temos o ensino por correspondência, do velho Instituto Rádio Técnico Monitor e do Instituto Universal Brasileiro. O ensino por correspondência tem mais de um século de existência e faz quase o tanto tempo que existem pesquisas mostrando que funciona. Com muito orgulho, o único diploma que tenho no meu escritório, é de Rádio Técnico, pelo Técnico Monitor. Portanto, sou testemunha de que funciona. E digo com toda sinceridade, os meus folhetos do Instituto Monitor eram muito melhores que os livros de ciência de quando estava no ginásio e fiz o curso. E o método funciona até hoje. O Monitor e o Universal sobrevivem e até a gigantesca MacGraw-Hill continuam oferecendo cursos por correspondência, mesmo nos Estados Unidos. Funciona direitinho, é barato e tem suas vantagens.

6 6 Em seguida, vem uma solução de impacto gigantesco, que é a televisão e o vídeo. Curiosamente, a maior parte dos brasileiros não sabe que o Brasil e o México são campeões mundiais de televisão educativa de qualidade. A melhor televisão educativa do mundo está no Brasil e no México. Por que? Não estamos falando de televisão para pré-escola onde os americanos fizeram a Vila Sésamo que continua um grande sucesso. Falamos de usar a televisão para a escola mesmo. Nessa área, o Brasil e México estão à frente de todos os países no mundo e dão de dez a zero nos Estados Unidos. Por que? Porque nós somos um país grande e atrasado em matéria de educação. Um país que não dá conta de matricular todo mundo em escola boa. E ao mesmo tempo, somos suficientemente desenvolvidos e avançados para ter uma televisão de alta qualidade que até virou produto de exportação. Antes de aprender a educar pela TV, aprendemos a fazer telenovela. Então, esse volume de gente competente com todos os perfis requeridos criou a massa crítica de produção que é posta a serviço de muita gente precisando ser educada. Os Estados Unidos e a Coréia não tem um número suficiente de alunos potenciais fora da escola ou em escolas precárias que justifique o gigantesco investimento requerido para montar os cursos pela TV. A competência de padrão internacional na telenovela permitiu ao Brasil criar uma tradição de televisão educativa, inigualada por nenhum outro país, não só na Globo, mas em vários outros canais, inclusive no MEC. México se aproxima do Brasil, com o seu programa chamado de Telesecundária que tem 1 milhão de alunos. Então, quando nós examinamos o Telecurso, a Telescola, e as outras muitas tele..., não terminamos por ser o país mais competente do mundo em matéria de uso de televisão educativa. Mas, temos que entender que há muitos usos diferentes de televisão e que não podemos confundir um com o outro. Quando falamos de Telecurso, nós estamos nos referindo a alguma coisa que custa US$ o minuto. É preciso ter 1 milhão, 2 milhões, 10 milhões de alunos para justificar este custo. Quando falamos de outras ordens de magnitude de clientela - e de custos - podemos pensar nos super teachers que são professores absolutamente brilhantes, capazes de aulas inspiradas. Sem a superprodução do Telecurso, podemos fazer aulas bem montadas que são muito melhores do que qualquer aula que uma pessoa sozinha possa produzir.

7 7 Há também a teleconferência que é, na verdade, uma tecnologia de ensino presencial com a mesma estrutura de aula, conversa, quadro-negro e giz, só que lançada simultaneamente em outros locais. É uma tecnologia mista, a aula é como se fosse presencial, mas há um recurso técnico que a leva tão longe quanto quisermos com ou sem interatividade. Vale a pena falar alguma coisinha sobre computador. Este é, tradicionalmente, uma solução à procura de um problema. É uma máquina tão fabulosa que acreditamos que venha servir para tudo. Só que ainda não sabemos muito bem para quê realmente serve. Estamos patinando, há 30 anos, com o uso do computador. Uns acertam mais, outros acertam menos. Uns usos são mais nobres, outros usos são menos nobre. As tribos inimigas se guerreiam ferozmente umas com as outras, por problemas ideológicos de como usar o computador. Mas, não acredito que exista, hoje no mundo um país que possa dizer: estamos contentes com o nosso programa de computador no ensino. Na média a se considerar o desempenho presente - é o pior uso que se pode fazer de recursos disponíveis para a educação. Mas como não existe só o presente, e aí estão as promessas do futuro, é necessário que nos preparemos para ele. Dai ser inevitável que se ponha dinheiro em computação, ainda que os resultados não vão ser muito bons. E finalmente, temos a glória!: E-learning, Internet, essas coisas todas que se falam, às vezes, sem saber muito bem o que é. Tomemos essas duas tecnologias - menos óbvios - falemos um pouquinho sobre elas. O quê faz o computador? Pão pão, queijo queijo, computador começou tentando substituir o professor e a aula, ou seja, o computador começou fazendo aula. Todos os seus proponentes construiam uma aula para substituir o professor. Estaria no computador tudinho que o professor ia dizer. Isso foi, em grande medida, um uso fracassado. É muito caro. Produzir um programa tutorial que substitui o professor, revelou-se muito caro. Ademais, o programa fica logo obsoleto, a linguagem fica obsoleta, é um pesadelo. Por essas e outras razões, há uma tendência a abandonar esse caminho, exceto em matérias muito técnicas que têm a ver eventualmente com programação, com matemática, com geração de algoritmos, assuntos com muito conteúdo matemático-simbólico.

8 8 Em, seguida aparecem os execrados, drill and practice que são joguinhos que ensinam a fazer contas (se acertar tem direito a entrar em um outro joguinho que vai derrubar o foguete). Há muitos outros programinhas que ensinam se sabão é com c ou com s ou com ç, que palavras têm acento. Enfim, são os exercícios chatos para ensinar coisas mais chatas ainda. Há uma grande tendência dos puristas para execrar esse uso. Ora, pensemos no professor de sala de aula que tenta obrigar um menino fazer 30 contas durante uma aula. Por que não, se ele viu que, usando o computador, o menino faz contas com muito mais gosto, muito menos trabalho para ele, e aprende muito melhor a fazer contas se as fizer no computador. Ou seja, é um uso muito fácil para o professor, muito conveniente, muito barato. É bem verdade, é intelectualmente pobre. Não deixa de ser uma excelente maneira de começar a usar o computador. Mas é uma péssima idéia parar aí. Não podemos ser vítimas de patrulhas ideológicas (ou pedagógicas?) que acham que drill and practice é um crime, que vai para o inferno, que é uma coisa horrorosa, que é uma barbaridade, um uso quase que obsceno do computador. É bom, sobretudo para aprender coisas chatas. Mas é muito limitado. No dia que os professores de matemática decidirem que não é mais preciso saber tabuada, eu ficaria muito feliz, porque eu não aprendi até hoje. Nesse dia, esse tipo de joguinho para ensinar tabuada não terá mais usos. Mas enquanto for preciso ensinar tabuada, o computador ensina melhor do que o professor. Prosseguindo com os usos possíveis do computador, chegamos ao seu momento de glória: as simulações. Não há nada mais fascinante, mais, intelectualmente glorioso do que um jogo de simulação bem feito, seja para simular uma empresa, seja para simular o crescimento de bactérias, seja para simular expedições no Amazonas, com aventureiros perdidos na selva. É um conceito maravilhoso, é a grande oportunidade para a interdisciplinaridade e para a interação. Mas então, por que não vemos mais frequente uso dos programas de simulação? A interdisciplinaridade. A simulação falece exatamente pelo o que ela tem de melhor. Enquanto a escola foi disciplinar, a interdisciplinaridade atrapalha tudo, bagunça a aula e as rotinas escolares. O jogo tem física, tem química, tem biologia, tem matemática, tem leitura, tem resolução de problema, e ainda mais coisas.

9 9 Em consequência, embaralha todo o sistema de funcionamento da escola com os professores por disciplina. Ninguém sabe quem vai fazer o que, é tudo muito difícil. A grandeza das simulações é a sua sentença de morte na operação do cotidiano. É muito difícil de usar. Em seguida, temos a pesquisa na Internet. Não deixa de ser uma atividade interessante e útil. As nossas bibliotecas são muito ruins, e a busca na Internet, em si, é um exercício interessante. Aprender a encontrar as coisas na Internet, acaba sendo um dos usos nobres, interessantes e ricos do computador. Mas tudo depende do professor. Se o professor manda buscar bobagem na Internet, pouco se ganha. Se o professor é ingênuo e se engole plágio, de coisa tirada da Internet que é apresentado como de autoria própria. Aí, temos um problema. E finalmente, chegamos ao uso mais frequentes dos computadores na escola. Na prática, é a tábua de salvação. Como ninguém sabe o que fazer com o computador a solução mais óbvia é ensinar processamento de texto, Excel, base de dados (Access). Depois vem o PowerPoint. No fundo, é um mal menor, pois isso tudo é útil e vai ser usado no trabalho. Mas infelizmente, perde-se a oportunidade de fazer com o que esses programas de produtividade sejam usados de forma mais incorporada nas disciplinas da escola. Deixamos de usar a possibilidade de escrever, reescrever, de usar processamento de textos para polir uma redação, a possibilidade de usar a base de dados para entender álgebra booleana, ao aprender a manipular uma base de dados. Perde-se a possibilidade de usar uma planilha para resolver problemas do cotidiano. Em outras palavras, existe uma grande riqueza de usos possíveis para os programas de produtividade e a própria Microsoft tem um livrinho muito interessante sobre isso. Mas, infelizmente é pouco usado. Creio que é um dos potenciais mais ricos e mais fáceis de explorar.

10 10 E o e-learning? O que será? Poder ser muita coisa diferente. No fundo, é enfiar algum material educativa na Internet, empacotá-lo em uma página de Web, em uma homepage. Mas tudo depende to que se põe no web. Pode ser aquela mesma apostila velha e horrível. Agora, ao invez manuseá-la, é preciso ligar o computador e discar o provedor (Não dá linha? Cai a linha? A telinha é ruim? A cor é mortiça?). No fundo, é ler aquela mesma porcaria de forma mais complicada e mais cara. Há um dito da computação absolutamente clássico e válido aqui, garbage in, garbage out. Se você puser porcaria no computador, só vai sair porcaria. O fato de um material estar na Internet é absolutamente independente ser bom ou mal esse material. Podemos ter uma produção interativa, com acesso via DSL, incluindo som, imagem primorosa e técnicas de ensino custando 300 vezes mais por hora de aula. Ou podemos ter a apostilha sebenta transcrita mediocremente para uma página web. Evitemos falar em usar a Internet, porque há mil maneiras de usar a Internet(com as correspondentes diferenças de custo). Internet é apenas um veículo e pode ser usado de muitas maneiras. Quais são as grandes tendências para o ensino usando a Internet? A primeira delas é a universalização da chamada aula virtual, que é um espaço na Internet, um portal,onde estão os materiais de ensino, um guia de como usa-lo, está também um roteiro bibliográfico, está a possibilidade de falar com o professor via , estão fóruns de discussão. Há um espaço onde são guardadas as notas dos alunos, onde estão propostos exercícios. haver simulações. Essa aula virtual é onde o curso roda, é a porta de entrada e o pivô de todas as atividades, presenciais ou não. Até os cursos presenciais hoje começam a vir acompanhados de uma aula virtual que é um coadjuvante do curso. No caso do Pitágoras, com o qual estou envolvido, o curso é 100% presencial e, ao mesmo tempo, tem uma forte utilização de uma aula virtual. Corre em paralelo a aula virtual e aula real. Repito, o Web é um meio de transmissão e não é uma forma de ensinar. Não existe pedagogia embutida dentro do Web. O Web é uma alternativa ao papel do mimeógrafo, à lata de tinta e à mão suja do professor, trabalhando no mimeógrafo de álcool. Não é mais do que a matéria prima. Podemos fazer qualquer coisa com o Web. Do brilhante ao execrável. A criatividade tem que vir de fora. Web não é pedagogia. Web não é estratégia de ensino.

11 11 E finalmente, as soluções que hoje, até certo ponto, estão democratizadas permitem um acesso a 10% ou 15% da população brasileira, na melhor das hipóteses. Com essa tecnologia, é a qualidade da imagem de vídeo é paupérrima. Em grande medida, não é uma solução de vídeo. É uma solução de palavra escrita na tela, ou seja, é o papel do mimeógrafo. Quando se introduz um alguma imagem de vídeo, é muito pobre. Essa é uma questão fundamental. Não temos ainda a fusão da imagem, com a palavra e com o som. Estamos longe disso, não do ponto de vista técnico mas do ponto de vista de acesso democratizado. O DSL é alguma coisa que vem aí. Ou pode ser outra coisa parecida. Mas nos próximos anos, não terá uma estrutura de custo que permita o uso generalizado. Insisto que o WEB não é uma pedagogia. Mas, por outro lado, há grandes avanços na pedagogia que merecem ser mencionados. De certa maneira, muito do que é, ao mesmo tempo, novo e importante tem a ver com o uso criativo do que sabemos sobre pedagogia. No meu entender, há grandes dois avanços: Um é a contextualização; e o outro é a estruturação do ensino (muito caudatária, em sua origem, com o ensino à distância). O que vem a ser a contextualização? Temos uma longa tradição de ensino abstrato. Algumas aulas magistrais podem ser brilhantes. Lembro-me de aulas de matemática, com deduções extraordinariamente elegantes. Mas, levam aonde? Metade dos alunos não aprendem nada, na melhor das hipóteses, decora alguma coisa. Permanece o conhecimento em um nível distante, incapaz de conectar-se com o mundo pessoal do aluno. O ponto de partida para a contextualização, é que metade dos alunos não aprende nada. Refiro-me aqui a pesquisas em americanas, onde a metade dos alunos não aprende no abstrato. Pelo contrário, só aprende quando essa abstração vem vestida de concreto. Quando vem no bojo de alguma coisa que ele sabe, que ele entende, que ele sente. A conclusão é que sem contextualização grande parte do ensino cai num denominador comum de um decoreba que não vira um repertório que o aluno usa na sua vida. A psicologia cognitiva nos diz que a contextualização é o que faz a diferença para o real aprendizado. Contextualizar é apresentar um material dentro de um pedaço do mundo ao qual o aluno pertence, ou seja, o que ele vai aprender tem que ser continuação, tem que estar contido alguma coisa que ele já sabe. Isso nos leva a ensinar por exemplos, começar tudo com exemplos, começar tudo com aplicações práticas e chegar à teoria como uma forma de resolver esse problema, de entender o que se está tentando entender.

12 12 Poderia entrar em teorias mais complicadas que dizem, mais ou menos, a mesma coisa com outros nomes, incluindo o sagradíssimo construtivismo. Mas prefiro ficar em um nível bem simples, bem próximo do mundo real: Ou ensinamos as coisas com exemplos que estão no mundo dos alunos ou o aluno só vai decorar e não vai aprender nada que sirva. Mas há problemas. Contextualizar significa quebrar a cabeça para achar um problema para o qual a teoria que se quer ensinar seja uma resposta. Portanto, a idéia de preparar novos parâmetros curriculares e dizer aos professores que contextualizem é uma tolice. É de um irrealismo total. Os exemplos eficazes de contextualização requerem um planejamento central. É preciso sair garimpando para encontrar aqueles exemplos que são os bons ganchos para ensinar o que a gente quer que os alunos aprendam. Admitimos que contextualizar é fundamental. Mas, contextualizar não é um assunto onde o Ministro passa um decreto e diz: agora todo mundo contextualiza. É difícil, requer preparação prévia e requer apoio externo ao professor. A resposta a esse desafio vem com a estruturação do ensino. Podemos pensar em um ensino onde chamamos o professor e dizemos: Aqui está a lista de chamada, sua sala é a terceira a esquerda. Você vai lá e dá aula da sua matéria. Ou, podemos pensar num ensino, em alguém já quebrou a cabeça com os detalhes de cada aula, com a melhor de maneira de conduzir cada passo difícil de descobrir os melhores exemplos. Isso é o que chamamos de estruturar a aula. Um ensino não estruturado está totalmente nas mãos dos professores. No ensino estruturado há uma parte do ensino que nas mãos dos professores e mais em uma retaguarda que vem apóia-lo, desde o esquema geral do curso até a sugestão de exemplos, exercícios e metáforas para serem utilizadas. Quanto mais fragilizado o professor, maior razão existe para que ele seja apoiado pela retaguarda, ou seja, para que alguém esteja atrás dele ajudando. Historicamente, a grande revolução na estruturação de ensino foi o livro, já foi considerado como um objeto execrável pois pensava-ser que vinha para dispensar o professor. Temias-se que com o livro, para que o professor? Na verdade não aconteceu, o livro é um elemento estruturador da aula. Na prática, acaba sendo muito mais decisivo do que os currículos oficiais que ninguém entende - aliás são todos escritos em aramaico.

13 13 Então, aceita a idéia é de que o livro é um elemento estruturante, mas temos que entender que pode ser mais ou menos estruturante, dependendo da forma pela qual ele for organizado. É razoável supor que quanto mais precário for o professor, mais ele tem que ser apoiado e, portanto, maior a necessidade de estruturar o ensino. Um dos grandes esteios da estruturação são as novas tecnologias. E isso por duas razões: São esteios porque facilitam a vida do professor, podemos criar uma homepage onde o professor vai lá buscar sugestões, ajuda, soluções e exemplos de como montar a sua aula. E são também um esteio, na medida que o ensino a distância não tem professor, ele é todo apoiado na estruturação dos materiais usados. O ensino a distância, bem feito é a culminância da estruturação, porque o professor tem uma presença muito limitada no máximo, pode ser consultado por carta telefone ou . Portanto, há dois extremos: Em um, o professor que apenas recebe o livro de chamada. E no outro temos o bom ensino a distância, que como não tem professor, alguém teve que arrumar tudo, montar tudo e fechar toda a equação da seqüência do processo de aprendizado. Formar ou informar? Para pensar em tecnologia, primeira coisa que nós temos que perguntar é se estamos falando de transmitir informações (atualização, técnicas e etc.) ou estamos falando de uma formação de base? A diferença de tempo entre um e outro é brutal, dependendo de qual dessas categorias estamos falando. Portanto, temos que ter claro o que queremos ensinar. E o uso de tecnologia vai ser profundamente influenciado pelo objetivo que está sendo considerado. Se queremos informar, estamos falando de cursos curtos, talvez estejamos falando de pós-graduação lato sensu ou cursos de extensão. Se queremos formar, talvez estejamos falando de pós-graduação stricto sensu ou um curso de graduação. E quanto mais longo, maior o desafio de manter viva a motivação. Esse é o desafio fundamental de grande parte das tecnologias a distância: como manter a motivação?

14 14 Sabemos que a taxa de deserção em cursos à distância com duração de 4 anos (de graduação), nos países desenvolvidos, varia entre 50 e 95%. Portanto, esse é um problema realmente sério. Quem sabe do assunto? Será um professor-pesquisador? Ou será quem trabalha na área? E aqui caímos no colo do velho cacoete brasileiro de achar que PhD sabe de tudo. Qual é o PhD brasileiro que já administrou a escola de segundo grau e que, portanto, pode dar um curso ensinando como se administra uma tal escola? Jamais encontrei algum. A implicação deveria ser óbvia, não fora os vícios crônicos de contratar as pessoas com o perfil errado. E dependendo do assunto, quem sabe estará em lugares diferentes. E isso tem implicações sobre a tecnologia a ser usada. Se quem sabe está longe e não dá para trazer os alunos e nem levar o professor (pois os alunos podem estar esparramados em uma área geográfica grande), então, estamos no território do ensino à distância. O que é distância? Parece trivial mas temos que perguntar: o que é distância? Totalmente a distância? Semi-presencial? Presencial gerenciado por tecnologia (Telecurso e Telesecundária)? Presencial com materiais de ensino a distância (o caso do Pitágoras, mencionado adiante). Mas fundamentalmente, a distância é inimiga da motivação continuada. Para manter a motivação, temos que lutar contra a distância e contra o tempo. Quanto mais longo e quanto mais distante, mais difícil manter o aluno fazendo o curso e com bons resultados. Quem é o nosso aluno? Temos que saber que é o aluno. Temos que conhecer sua capacidade para operar com material escrito. Para quem não lê fluentemente, podemos esquecer as soluções via Web. Porque Web, no fundo, é leitura. O Web é a página de mimeógrafo em um computador.

15 15 É aqui que entra a competição do web com a riqueza visual da televisão num país de semi-analfabetos, como o nosso. Qual o nível de educação do aluno que queremos educar? Lê bem, entende bem o que lê? Sem saber isso, não podemos dizer se podemos pensar em e- learning. Qual a sua fidelidade ou persistência nos estudos? Com quanta motivação podemos contar? E a questão seguinte é o que ele perde se ele desistir? Se é empregado de uma empresa, sua sangue mas não pode largar o curso. Se faz o curso por hobby, na primeira chateação cai fora. Temos que entender, o aluno é um dado, a tecnologia é uma escolha. Não podemos inverter essa equação. Temos um aluno e a tecnologia tem que ser escolhida em função dele. Qual a escala de operações? Chegamos aqui em um forte determinante da escolha de tecnologia: a escala de operações. Se temos poucos alunos, temos que economizar em custo fixo e gastar o que for preciso com os custos variáveis. Em outras palavras, a solução praticamente já está dada: contratamos o professor e mandamos dar as aulas. Por outro lado, se temos a expectativa de uma matrícula alta, isto é uma alta escala nas operações, nesse caso, podemos investir nos custos fixos de preparação de material. E com isso, além de assegurar uma qualidade superior, podemos economizar nos custos variáveis, porque há recursos tecnológicos mais baratos do que a aula convencional. Podemos usar o Web, o computador. Podemos optar por professor menos dispendioso. Há também a possibilidade de uso de vídeo. Há muitas alternativas.

16 16 Mais ainda, quando estamos falando de escalas onde a educação a distância, via Web, é possível, ainda assim é vigente há decisões importantes que afetam custos e escolhas dentro das próprias soluções de e-learning. De acordo com o número de alunos, teremos que ter um tipo diferente de investimento em materiais. Se temos poucos alunos, o curso tem que ser muito mais tosco. Se teremos um milhão de alunos, podemos ter um materiais muito mais sofisticados. Tudo se resolve em uma equação simples de custo. Para aumentar o numerador (custos fixos de desenvolver o curso), ou aceitamos um curso mais caro ou temos que ter um denominador (matrícula) suficientemente grande. Quem paga? Quanto paga? Quem financia os que não podem pagar? Obviamente, não há decisão inteligente que seja só feita baseada nos custos. Mas igualmente óbvio é que não há decisão realísta que não leve os custos em consideração. É sempre bom lembrar isso. Custo sempre entra na equação da escolha. Mas custo nunca pode ser a única consideração, é apenas um dos lados da equação. A equação completa. O que se quer ensinar? Como ensinar? Quanto tempo leva para ensinar? O que é essa distância que separa o aluno? Para quem é o ensino, ou seja, quem é o aluno? Quantos alunos são? Quanto pode custar?

17 17 Se tivermos boas respostas para essas perguntas, temos bases para pensar em uma escolha inteligente de tecnologia educacional. Sem tais respostas, estamos ainda sem condições de falar de tecnologia. Ou, corremos o risco de cometer erros graves e dispendiosos. A equação da escolha de tecnologia no mundo real Adiante está um conjunto de exemplos mostrando diferentes usos de tecnologia, cada caso refletindo uma escolhas muito diferente, porque o problema era muito diferente. O que tem em comum entre si a escolha dos casos é que todos deram certo. Em outras palavras, foram usos bem sucedidos de uma tecnologia educativa, respondendo a um problema específico para o qual a tecnologia era uma resposta apropriada. Telecurso. Telecurso 2000: TV / vídeo Presencial gerenciado por tecnologia Altissimo custo fixo (financiado pela FIESP) Enorme clientela com baixa escolaridade Custo/aluno da TV é irrisório e Custo total variável é modesto Longa duração Diploma é fonte de motivação Esse é o caso clássico de uma solução via TV. Não é um curso à distância mas um curso apoiado por um monitor mas gerenciado pelo programa de vídeo. É um curso presencial apoiado fortemente por tecnologia.

18 18 Trata-se de um curso de altíssimo custo fixo, custou 30 milhões de dólares somenta a produção dos vídeos e livros. Atende a uma norme clientela, que anda próxima do milhão. Note-se que esses 30 milhões de dólares, devem ser divididos pelo número de alunos que passaram pelo curso, quando chegar ao fim da sua vida útil. Se supomos uma ordem de magnitude de 10 milhões de alunos, será de 3 dólares por aluno o custo da parte televisiva do programa. Mas obviamente, há o custo de operar a telesala, considerado tecnicamente como um custo variável. Este custo, na verdade, aproxima-se do custo de operar um escola pobre e de má qualidade, como é a média das escolas que atendem a clientelas pobres no Brasil. Ou seja, é uma escola bastante razoável com o custo de escola ruim. Trata-se de um curso de longa duração, mas há uma grande a motivação para não abandonar que é o diploma. Essa fórmula deu certo, e a matrícula não para de crescer, com a incorporação crescente de alunos cada vez mais jovens e ainda em escolas públicas regulares. Um MBA presencial. MBA presencial: Clientela sofisticada Escala reduzida (poucos alunos) Pouco uso de tecnologia Baixo custo fixo, alto custo variável, custo alto de deslocamento Alto grau de interação com professores, uso de casos

19 19 Quando se trata de uma clientela sofisticada, pouco numerosa, é inevitável o uso espartano ou quase nulo de tecnologia. É simples, não há escala que justifique o investimento fixo. Para poucos alunos, é necessário um custo fixo baixo. Ou seja, a montagem do curso tem que barata. Para isso, o que se pode fazer é chamar o professor que já sabe do assunto, ainda que seja um professor muito caro. Portanto, o custo variável é alto porque há que pagar muito para atrair quem já sabe, e já tem um curso mais ou menos preparado. Pode mesmo ser necessário trazer o professor de longe. Como há poucos alunos, há um altíssimo grau de interação com os professores. Pode haver um bom uso do método de casos que torna o ensino vivo, interessante e eficaz. Mas isso tudo é caro, é um ensino que poucos podem pagar, muitas vezes, somente os empregadores dos alunos podem faze-lo. Mas não há dúvidas de que funciona. Não há tecnologia de curso à distância que vá tirar essa modalidade de curso do mercado. A razão é simples, a pequena matrícula não permite amortizar os custos de um ensino que requeira fortes investimentos iniciais. Os cursos da engenharia de produção de Santa Catarina UFSC / Eng. Produção: Clientela empresarial Escala média Duração média Teleconferência, totalmente à distância Custos fixos modestos, variáveis altos Baixa deserção (empresa paga)

20 20 A UFSC / Engenharia de Produção criou uma linha de cursos de pós-graduação à distância, voltada para uma clientela empresarial. São cursos duração média, com uma matrícula bastante numerosa para cursos de pós-graduação. A escolha da tecnologia indicou que teleconferência era e melhor solução. Os cursos são totalmente a distância, dada a dispersão geográfica dos alunos. Mas, como a clientela não é tão grande assim, não se justificam os grandes investimentos de montar materiais autoinstrucionais para curso via correio ou web. Na teleconferência, os custos fixos são pequenos porque basta contratar excelentes professores e coloca-los diante da câmera. É como no ensino presencial convencional. Mas a contrapartida é que esse professor é caro e há que pagar o custo variável da transmissão da imagem e do som que para serem de qualidade, ainda custam bastante caro. A deserção é baixa porque o aluno é funcionário da empresa. Portanto, não pode desistir do curso sem passar vexame ou sem arranhões em sua imagem dentro da empresa Instituto Radio Técnico Monitor Instituto Monitor e IUB: Ensino por correspondência tradicional Custo fixo razoável, custo para o aluno baixíssimo Alta escala Requer capacidade de leitura média Baixa fidelidade (altíssima deserção)

Tecnologia e Educação: como combinar os ingredientes? Tecnologia e educação? Quem sabe começamos com outro assunto, por exemplo, culinária?.

Tecnologia e Educação: como combinar os ingredientes? Tecnologia e educação? Quem sabe começamos com outro assunto, por exemplo, culinária?. 1 Tecnologia e Educação: como combinar os ingredientes? Cláudio de Moura Castro Tecnologia e educação? Quem sabe começamos com outro assunto, por exemplo, culinária?. Falarei de culinária, porque os resultados

Leia mais

Como preparar os professores para nossas escolas

Como preparar os professores para nossas escolas Como preparar os professores para nossas escolas Claudio de Moura Castro Não há bom ensino sem bons professores. E, claramente, o Brasil sofre de uma severa escassez de bons professores para suas escolas

Leia mais

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD?

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD? Módulo 1. Introdução Cada vez mais o mundo social e do trabalho necessitam de sujeitos capazes de fazer a diferença através de suas ações e atitudes. A utilização do ambiente virtual, como meio de interação

Leia mais

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça?

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Caro amigo (a) Se sua empresa está sofrendo com a falta de clientes dispostos a comprar os

Leia mais

Page 1 of 13. http://www2.unifap.br/borges

Page 1 of 13. http://www2.unifap.br/borges Page 1 of 13 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Fundamentos da Filosofia Educador: João Nascimento Borges Filho Tecnologia

Leia mais

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança 03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança Render 5 Vezes Mais por Leandro Sierra Índice Apresentação...03 Introdução... 04 Passo 1...05 Passo 2... 08 Educação Financeira para a Segurança do seu Investimento...

Leia mais

Eu, Você, Todos Pela Educação

Eu, Você, Todos Pela Educação Eu, Você, Todos Pela Educação Um domingo de outono típico em casa: eu, meu marido, nosso filho e meus pais nos visitando para almoçar. Já no final da manhã estava na sala lendo um livro para tentar relaxar

Leia mais

Apropriação da Leitura e da Escrita. Elvira Souza Lima. (transcrição)

Apropriação da Leitura e da Escrita. Elvira Souza Lima. (transcrição) Apropriação da Leitura e da Escrita Elvira Souza Lima (transcrição) Nós estamos num momento de estatísticas não muito boas sobre a alfabetização no Brasil. Mas nós temos que pensar historicamente. Um fato

Leia mais

OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES

OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES BOLETIM TÉCNICO MAIO/2011 OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES Um empresário da indústria se assustou com os aumentos de custo e de impostos e reajustou proporcionalmente seus preços. No mês seguinte,

Leia mais

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 2 ISSO ESTÁ ME GERANDO R$7.278,05 - R$10.588,38 POR SEMANA E VOCÊ PODE FAZER

Leia mais

OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA

OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA BOLETIM TÉCNICO MAIO/2011 OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA Um empresário da indústria se assustou com os aumentos de custo e de impostos e reajustou proporcionalmente seus preços. No mês

Leia mais

Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem

Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem Temos literatura abundante sobre comunidades de aprendizagem, sobre a aprendizagem em rede, principalmente na aprendizagem informal. A sociedade conectada

Leia mais

Por Tiago Bastos 1. 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online

Por Tiago Bastos 1. 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online Por Tiago Bastos 1 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos 2 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar

Leia mais

Diagnosticando os problemas da sua empresa

Diagnosticando os problemas da sua empresa Diagnosticando os problemas da sua empresa O artigo que você vai começar a ler agora é a continuação da matéria de capa da edição de agosto de 2014 da revista VendaMais. O acesso é restrito a assinantes

Leia mais

Então resolvi listar e explicar os 10 principais erros mais comuns em projetos de CRM e como podemos evita-los.

Então resolvi listar e explicar os 10 principais erros mais comuns em projetos de CRM e como podemos evita-los. Ao longo de vários anos de trabalho com CRM e após a execução de dezenas de projetos, penso que conheci diversos tipos de empresas, culturas e apesar da grande maioria dos projetos darem certo, também

Leia mais

12 Dicas Para Montar Um Negócio De Sucesso

12 Dicas Para Montar Um Negócio De Sucesso Novo Negócio 12 Dicas Para Montar Um Negócio De Sucesso Vinícius Gonçalves Equipe Novo Negócio Espero sinceramente que você leia este PDF até o final, pois aqui tem informações muito importantes e que

Leia mais

Só que tem uma diferença...

Só que tem uma diferença... Só que tem uma diferença... Isso não vai ficar assim! Sei. Vai piorar. Vai piorar para o lado dela, isso é que vai! Por enquanto, só piorou para o seu, maninho. Pare de me chamar de maninho, Tadeu. Você

Leia mais

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR INTRODUÇÃO Você está cansado de falsas promessas uma atrás da outra, dizendo

Leia mais

EaD = O futuro é agora!

EaD = O futuro é agora! Objetivos EaD = O futuro é agora! Apresentar e discutir os princípios fundamentais da EaD; Mostrar a evolução desta tecnologia no Brasil; Apresentar a proposta de EaD para os Formadores do Saber. Prof.

Leia mais

Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos 3D.ACDEMY.COM.BR COMO GERAR RENDA COM PROJETO VERSÃO 1.0

Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos 3D.ACDEMY.COM.BR COMO GERAR RENDA COM PROJETO VERSÃO 1.0 Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos CAIO HENRIQUE TEODORO DOS SANTOS Página 1 Versão 1.0 2013 Esforcei-me ao máximo para transmitir em poucas páginas algumas dicas

Leia mais

claro que o emprego existe enquanto houver trabalho para cada empregado.

claro que o emprego existe enquanto houver trabalho para cada empregado. Automotivação Antes de abordarmos a importância da motivação dentro do universo corporativo, vale a pena iniciarmos esta série de artigos com uma definição sobre esta palavra tão em voga nos dias atuais.

Leia mais

Atividade - Sequência Conrado Adolpho

Atividade - Sequência Conrado Adolpho Atividade - Sequência Conrado Adolpho Agora, eu quero lhe apresentar os 6 e-mails do conrado adolpho para vender o 8ps. Quero que você leia está sequência com muita atenção e, depois, responda às provocações

Leia mais

Ensino Médio e Técnico: enguiços e soluções. Claudio de Moura Castro

Ensino Médio e Técnico: enguiços e soluções. Claudio de Moura Castro Ensino Médio e Técnico: enguiços e soluções Claudio de Moura Castro Achados e perdidos no mundo das ideias? Dá para entender? Pais querem educação profissional (pesquisas mostram) Problemas crônicos de

Leia mais

De mãos dadas: RH e marketing

De mãos dadas: RH e marketing De mãos dadas: RH e marketing A união de RH e marketing é um dos melhores caminhos para a sobrevivência de uma empresa - e das próprias áreas Não é incomum, em tempos de turbulência e incertezas econômicas,

Leia mais

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online.

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online. Os segredos dos negócios online A Internet comercial está no Brasil há menos de 14 anos. É muito pouco tempo. Nesses poucos anos ela já mudou nossas vidas de muitas maneiras. Do programa de televisão que

Leia mais

OS 3 PASSOAS PARA O SUCESSO NA SEGURANÇA PATRIMONIAL

OS 3 PASSOAS PARA O SUCESSO NA SEGURANÇA PATRIMONIAL WWW.SUPERVISORPATRIMONIAL.COM.BR SUPERVISOR PATRIMONIAL ELITE 1 OS 3 PASSOS PARA O SUCESSO NA CARREIRA DA SEGURANÇA PATRIMONIAL Olá, companheiro(a) QAP TOTAL. Muito prazer, meu nome e Vinicius Balbino,

Leia mais

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas?????

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas????? Há 16 anos quando entrou na MK, a consagrada Diretora Nacional, Gloria Mayfield, não sabia como chegar ao topo, hoje ela dá o seguinte conselho. As lições que eu aprendi na Mary Kay para me tornar uma

Leia mais

Manual de Aplicação do Jogo da Escolha. Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas

Manual de Aplicação do Jogo da Escolha. Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas Manual de Aplicação do Jogo da Escolha Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas 1 1. Como o jogo foi elaborado O Jogo da Escolha foi elaborado em 1999 pelo Centro de Pesquisa em Álcool e Drogas

Leia mais

FAQ Estude Sem Dúvidas

FAQ Estude Sem Dúvidas FAQ Estude Sem Dúvidas Núcleo de Educação a Distância Faculdade Flamingo São Paulo Atualizado em: Outubro/2015 2 Estude sem dúvidas FAQ para os alunos de Pedagogia Presencial Caros alunos e alunas do curso

Leia mais

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões 8 Passos para o Recrutamento Eficaz Por Tiago Simões Uma das coisas que aprendi na indústria de marketing de rede é que se você não tem um sistema de trabalho que comprovadamente funcione, muito provavelmente

Leia mais

O Coração Sujo. Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse? Tuca Parece cheiro de gambá morto afogado no esgoto.

O Coração Sujo. Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse? Tuca Parece cheiro de gambá morto afogado no esgoto. O Coração Sujo Personagens - Tuca - Teco - Tatá - Tia Tuca e Tatá estão conversando. Teco chega. Teco Oi, meninas, sobre o que vocês estão falando? Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse?

Leia mais

Os 4 passos para ser aprovado no Exame de Certificação PMP

Os 4 passos para ser aprovado no Exame de Certificação PMP Os 4 passos para ser aprovado no Exame de Certificação PMP Andriele Ribeiro 1 Um passo de cada vez. Não consigo imaginar nenhuma outra maneira de realizar algo. Michael Jordan O alcance da certificação

Leia mais

O bom de educar desde cedo

O bom de educar desde cedo Sábado, Junho 10, 2009 Veja Entrevista: James Heckman O bom de educar desde cedo O prêmio Nobel de Economia explica por que deixar de fornecer estímulos às crianças nos primeiros anos de vida custa caro

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo

SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo Empreendedor Empresas Micro e Pequenas Empreender Empreendedorismo Cultural Ação

Leia mais

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan.

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. A Professora Rosa Trombetta, Coordenadora de Cursos da FIPECAFI aborda o assunto elearning para os ouvintes da Jovem Pan Online. Você sabe o que

Leia mais

A Hora do Mestrado Profissional

A Hora do Mestrado Profissional A Hora do Mestrado Profissional Claudio de Moura Castro Esta nota discute as linhas mestras que a CAPES poderá adotar para a implantação de uma nova linha de mestrados profissionais. Esta linha capitaliza

Leia mais

Rio de Janeiro, 2 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 2 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 2 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Ivo Barcelos Assumpção, nasci dia 13 do doze de 1954 em Rezende, Estado do Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu estudei engenharia química na UFRJ, entrei

Leia mais

Um exemplo prático. Como exemplo, suponha que você é um recémcontratado

Um exemplo prático. Como exemplo, suponha que você é um recémcontratado pessoas do grupo. Não basta simplesmente analisar cada interpretação possível, é preciso analisar quais as conseqüências de nossas possíveis respostas, e é isso que proponho que façamos de forma racional.

Leia mais

O feijão com arroz da educação. Claudio de Moura Castro

O feijão com arroz da educação. Claudio de Moura Castro O feijão com arroz da educação Claudio de Moura Castro De que falaremos? Nossos cacoetes intelectuais reaparecem com todo fulgor na educação Complicamos tudo, buscamos sempre soluções barrocas Nos países

Leia mais

Escrita Eficiente sem Plágio

Escrita Eficiente sem Plágio Escrita Eficiente sem Plágio Produza textos originais com qualidade e em tempo recorde Ana Lopes Revisão Rosana Rogeri Segunda Edição 2013 Direitos de cópia O conteúdo deste livro eletrônico tem direitos

Leia mais

Análise e Projeto de. Aula 01. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br

Análise e Projeto de. Aula 01. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Análise e Projeto de Sistemas I Aula 01 Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Análise e Projeto de Sistemas I Horário das Aulas: 2as feiras das 10h10 às 11h40 e 5as feiras das 08h25

Leia mais

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca Orientação ao mercado de trabalho para Jovens 1ª parte APRESENTAÇÃO Muitos dos jovens que estão perto de terminar o segundo grau estão lidando neste momento com duas questões muito importantes: a formação

Leia mais

6 Dinâmicas de Grupo para o Dia das Mães

6 Dinâmicas de Grupo para o Dia das Mães Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicasdiadasmaes 6 Dinâmicas de Grupo para o Dia das Mães Apresentamos uma seleção com 6 dinâmicas de grupo para o Dia das Mães, são atividades que podem

Leia mais

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR Nas contas do ex-reitor da USP, anteprojeto da reforma não atende ao acordo com os reitores REFORMA UNIVERSITÁRIA Gabriel Manzano Filho O aumento de recursos

Leia mais

Entrevistado: Data da Entrevista: Entrevista: 1- Como você percebe o processo de criação de marcas?

Entrevistado: Data da Entrevista: Entrevista: 1- Como você percebe o processo de criação de marcas? Entrevistado: Guto Lacaz Data da Entrevista: 19 de Julho de 2011 Entrevista: Pessoalmente Formado em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura de São José dos Campos, faculdade onde também realizou cursos

Leia mais

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual Por: Rosana Rodrigues Quando comecei a escrever esse artigo, inevitavelmente fiz uma viagem ao meu passado. Lembrei-me do meu processo de escolha de carreira e me dei conta de que minha trajetória foi

Leia mais

BLOCO 6. Alfabetizar e AVALIAR...

BLOCO 6. Alfabetizar e AVALIAR... BLOCO 6 Alfabetizar e AVALIAR... Texto 16: Por que e como saber o que sabem os alunos Fonte: Programa de Formação de Professores Alfabetizadores (PROFA), Módulo 1, Unidade 4, Texto 5. Brasília: MEC / SEF,

Leia mais

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE Por: Alexandre Maldonado Autor do site Marketing para E- commerce www.marketingparaecommerce.com.br TERMOS DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

Por Prof. Pedro Mandelli Filho*

Por Prof. Pedro Mandelli Filho* Por Prof. Pedro Mandelli Filho* Reunião às 8h00? Nem pensar. Ele só chega às 9h. Não fale com ele antes que ele tome um café, porque ele ainda está meio dormindo. Não, é melhor não marcar até às 11h00,

Leia mais

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II Capítulo II Mark Ford 11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo Dois Como uma nota de $10 me deixou mais rico do que todos os meus amigos Das centenas de estratégias de construção de riqueza que

Leia mais

CURSOS ONLINE DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL E ROBÓTICA INDUSTRIAL: RELATO DE VIAGEM. IVETE PALANGE SENAI/SP - ipalange@uol.com.br

CURSOS ONLINE DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL E ROBÓTICA INDUSTRIAL: RELATO DE VIAGEM. IVETE PALANGE SENAI/SP - ipalange@uol.com.br 1 CURSOS ONLINE DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL E ROBÓTICA INDUSTRIAL: RELATO DE VIAGEM IVETE PALANGE SENAI/SP - ipalange@uol.com.br 2 Resumo Relato de uma iniciativa desenvolvida pelo SENAI/SP, no âmbito da educação

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau , Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau Porto Velho-RO, 12 de março de 2009 Gente, uma palavra apenas, de agradecimento. Uma obra dessa envergadura não poderia

Leia mais

PESQUISA DIAGNÓSTICA - SISTEMATIZAÇÃO. - Sim, estou gostando dessa organização sim, porque a gente aprende mais com organização das aulas.

PESQUISA DIAGNÓSTICA - SISTEMATIZAÇÃO. - Sim, estou gostando dessa organização sim, porque a gente aprende mais com organização das aulas. ESCOLA MUNICIPAL BUENA VISTA Goiânia, 19 de junho de 2013. - Turma: Mestre de Obras e Operador de computador - 62 alunos 33 responderam ao questionário Orientador-formador: Marilurdes Santos de Oliveira

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

Educação inovadora na Sociedade da Informação. José Manuel Moran (*)

Educação inovadora na Sociedade da Informação. José Manuel Moran (*) Educação inovadora na Sociedade da Informação José Manuel Moran (*) Abstract: É um desafio aprender a gerenciar o processo de aprendizagem, presencial e a distância, na transição para a Sociedade da Informação.

Leia mais

Para Salman Khan ensino requer menos academia e mais prática

Para Salman Khan ensino requer menos academia e mais prática Para Salman Khan ensino requer menos academia e mais prática O americano Salman Khan, de 38 anos, é hoje a figura mais influente do mundo em tecnologia da educação. Ex-analista de fundo de hedge, ele criou,

Leia mais

EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CANADÁ

EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CANADÁ EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CANADÁ Se você tem pesquisado sobre imigração para o Canadá, certamente já leu ou ouviu em vários lugares que estudar no país é uma das melhores formas de aumentar as chances de sucesso

Leia mais

Marcelo Ivanir Peruzzo

Marcelo Ivanir Peruzzo 5 Web Marketing Marcelo Ivanir Peruzzo É comum as pessoas utilizarem o termo marketing nas mais variadas situações, como na política: Ele está fazendo uma jogada de marketing para conquistar o cargo de

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB!

O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB! O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB! A história da Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para Analista Tributário da Receita Federal do Brasil, é mais uma das histórias

Leia mais

Pra que serve tudo isso?

Pra que serve tudo isso? Capítulo 1 Pra que serve tudo isso? Parabéns! Você tem em mãos a base para o início de um bom planejamento financeiro. O conhecimento para começar a ver o dinheiro de outro ponto de vista, que nunca foi

Leia mais

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR Já pensou um bairro inteirinho se transformando em escola a

Leia mais

Caro Aluno, Seja bem-vindo!

Caro Aluno, Seja bem-vindo! Manual do Aluno Caro Aluno, Seja bem-vindo! Este manual é um guia que irá orientá-lo em sua vida acadêmica. Aqui, você encontrará informações sobre as atividades educacionais, documentação, matrícula,

Leia mais

InfoProduto Já. Qual Sua Marca? Você Sabe Vender Sua Imagem? *Sheila Souto

InfoProduto Já. Qual Sua Marca? Você Sabe Vender Sua Imagem? *Sheila Souto Qual Sua Marca? Você Sabe Vender Sua Imagem? *Sheila Souto Um Marketing Pessoal bem arquitetado pode alavancar de maneira decisiva seus negócios ou carreira, pois como dizem por aí: A primeira impressão

Leia mais

O futuro do YouTube - VEJA.com

O futuro do YouTube - VEJA.com Entrevista O futuro do YouTube 29/08/2009 10:49 Por Leo Branco Nesta semana, Chad Hurley, de 32 anos, um dos criadores do YouTube, esteve no Brasil e falou a VEJA sobre o futuro do maior site de vídeos

Leia mais

No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado. alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para

No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado. alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para QUAL NEGÓCIO DEVO COMEÇAR? No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para então definir seus objetivos e sonhos.

Leia mais

11 Segredos. Capítulo VIII. para a Construção de Riqueza !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

11 Segredos. Capítulo VIII. para a Construção de Riqueza !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Mark Ford 11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo VIII Capítulo Oito Cinco alternativas para ficar rico sem depender do mercado de ações No meu esforço de surpreendê-lo com verdades sobre a construção

Leia mais

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade...

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade... Entrevista com PEDRO MANDELLI Consultor na área de mudança organizacional, Pedro Mandelli é um dos maiores especialistas em desenho e condução de processos de mudança em organizações. É professor da Fundação

Leia mais

Dicas. do professor. Eliseu Gabriel. Como estudar? Incentivar a leitura e o estudo é um ato de amor e respeito ao ser humano

Dicas. do professor. Eliseu Gabriel. Como estudar? Incentivar a leitura e o estudo é um ato de amor e respeito ao ser humano Incentivar a leitura e o estudo é um ato de amor e respeito ao ser humano Eliseu Gabriel O vereador e professor Eliseu Gabriel conseguiu aprovar uma Lei para ajudar a despertar o gosto pelo estudo e a

Leia mais

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias Lucas Zanella Collin Carter & A Civilização Sem Memórias Sumário O primeiro aviso...5 Se você pensa que esse livro é uma obra de ficção como outra qualquer, você está enganado, isso não é uma ficção. Não

Leia mais

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br Esquemaria.com.br / Dicas de estudos / 4 mitos sobre estudos: saiba mais como evitar estes erros Talvez você conheça estes mitos sobre estudos, mas você sabe a verdade por trás deles? Hoje eu trago um

Leia mais

José Epifânio da Franca (entrevista)

José Epifânio da Franca (entrevista) (entrevista) Podemos alargar a questão até ao ensino secundário Eu diria: até à chegada à universidade. No fundo, em que os jovens já são maiores, têm 18 anos, estarão em condições de entrar de uma maneira,

Leia mais

Como ganhar dinheiro online no Youtube: Um guia sem frescuras. Duas formas básicas de ganhar dinheiro com Youtube

Como ganhar dinheiro online no Youtube: Um guia sem frescuras. Duas formas básicas de ganhar dinheiro com Youtube Como ganhar dinheiro online no Youtube: Um guia sem frescuras Se você está procurando por maneiras de ganhar dinheiro online, o Youtube por ser uma verdadeira mina de ouro. Apesar de muitos acharem que

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

Como Montar um Plano de Estudos Eficiente Para Concurso Público E-book gratuito do site www.concursosemsegredos.com

Como Montar um Plano de Estudos Eficiente Para Concurso Público E-book gratuito do site www.concursosemsegredos.com 1 Distribuição Gratuita. Este e-book em hipótese alguma deve ser comercializado ou ter seu conteúdo modificado. Nenhuma parte deste e-book pode ser reproduzida ou transmitida sem o consentimento prévio

Leia mais

1ª PERGUNTA: Na sua opinião, como deve ser a formação do trabalhador para o atual mercado de trabalho?

1ª PERGUNTA: Na sua opinião, como deve ser a formação do trabalhador para o atual mercado de trabalho? ANÁLISE DE CONTEÚDO ALUNOS 681 1ª PERGUNTA: Na sua opinião, como deve ser a formação do trabalhador para o atual mercado de trabalho? ANEXO 4 - ANÁLISE DE CONTEÚDO ALUNOS SUJEITO UNIDADE DE CONTEXTO UNIDADE

Leia mais

PORQUE O PRIMEIRO EMPREGO É DIFÍCIL?

PORQUE O PRIMEIRO EMPREGO É DIFÍCIL? PORQUE O PRIMEIRO EMPREGO É DIFÍCIL? Em épocas de vestibular, cerca de 1,8 milhão de jovens vão escolher uma profissão e dar arrepios no mercado, ou ficarem arrepiados, dando assim o primeiro empurrão

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Usando o SI como vantagem competitiva Vimos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 62 Discurso na cerimónia de apresentação

Leia mais

Diversidade e Inclusão na Escola: Necessidades Especiais

Diversidade e Inclusão na Escola: Necessidades Especiais Diversidade e Inclusão na Escola: Necessidades Especiais Ex ore parvulorum veritas A A verdade sai da boca das crianças as. Ditado Latino Inclusão a qualquer custo? Má Inclusão Inferiorização + Aprendizado

Leia mais

Introdução do módulo 7: Faça uma introdução sobre as vantagens e necessidade de se vender Valor e não Preço.

Introdução do módulo 7: Faça uma introdução sobre as vantagens e necessidade de se vender Valor e não Preço. Preparação do Instrutor Trazer para a reunião/encontro de vendas: DVD : Módulo 7 Aparelho de DVD e monitor de TV Flip chart e canetas ( pincel atômico) Canetas/lápis apontados Manuais dos participantes

Leia mais

Dominando os Meios de Comunicação

Dominando os Meios de Comunicação Dominando os Meios de Comunicação CORTESIA DE Save the Children Young People s Press Prep. para os Meios de Comunicação Conhecendo os Meios de Comunicação Você deve saber que tipo de entrevista vai dar:

Leia mais

Certeza de um. grande negócio

Certeza de um. grande negócio ESPECIAL EAD Certeza de um grande negócio A educação a distância no ensino superior segue uma tendência irreversível de crescimento, puxada pelas instituições particulares, que investem cada vez mais pesadamente

Leia mais

MÓDULO 1. Psicoeducação, organização e planejamento

MÓDULO 1. Psicoeducação, organização e planejamento MÓDULO 1 Psicoeducação, organização e planejamento Psicoeducação e introdução a habilidades de organização e planejamento Sessão 1 (Corresponde aos Capítulos 1, 2 e 4 do Manual do paciente) MATERIAIS NECESSÁRIOS

Leia mais

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Entrevista com Ricardo de Paiva e Souza. Por Flávia Gomes. 2 Flávia Gomes Você acha importante o uso de meios de comunicação na escola? RICARDO

Leia mais

Curso: Marketing para Engenharia, Arquitetura e Agronomia Ênio Padilha 2006 Módulo 1: Introdução. Marketing, esse famoso Desconhecido!

Curso: Marketing para Engenharia, Arquitetura e Agronomia Ênio Padilha 2006 Módulo 1: Introdução. Marketing, esse famoso Desconhecido! Curso: Marketing para Engenharia, Arquitetura e Agronomia Ênio Padilha 2006 Módulo 1: Introdução. Marketing, esse famoso Desconhecido! 1.1. MIX DE MARKETING Você já deve ter feito o nosso Teste de Conhecimentos

Leia mais

> Folha Dirigida, 18/08/2011 Rio de Janeiro RJ Enem começa a mudar as escolas Thiago Lopes

> Folha Dirigida, 18/08/2011 Rio de Janeiro RJ Enem começa a mudar as escolas Thiago Lopes > Folha Dirigida, 18/08/2011 Rio de Janeiro RJ Enem começa a mudar as escolas Thiago Lopes Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), inicialmente, tinha como objetivo avaliar o desempenho

Leia mais

Como Ganhar Dinheiro Com Adsense: Um MEGA guia Passo a Passo

Como Ganhar Dinheiro Com Adsense: Um MEGA guia Passo a Passo Como Ganhar Dinheiro Com Adsense: Um MEGA guia Passo a Passo Se você quer aprender a como ganhar dinheiro com o Google Adsense, nesse guia super completo você encontrará passo a passo o que você precisa

Leia mais

Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] 1

Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] 1 Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] Categorias Apresentação do instrumento [-] Mobilidade/ portabilidade [,] 0 0 Transcrição Alguns

Leia mais

COMO APOSTAR DE MANEIRA INTELIGENTE E OBTER ÊXITO EM SEUS JOGOS

COMO APOSTAR DE MANEIRA INTELIGENTE E OBTER ÊXITO EM SEUS JOGOS Revelado o Segredo!!! COMO GANHAR NA LOTOMANIA!!! COMO APOSTAR DE MANEIRA INTELIGENTE E OBTER ÊXITO EM SEUS JOGOS A Loteria para quem tem mania de ganhar. Em um cartão você escolhe cinqüenta números, dos

Leia mais

A Melhor Empresa para se Trabalhar com Marketing de Rede

A Melhor Empresa para se Trabalhar com Marketing de Rede A Melhor Empresa para se Trabalhar com Marketing de Rede Galera do céu! Estou mesmo muito, muito, muito empolgado em escrever esse artigo, porque quero mostrar pra todo mundo o que eu descobri. Simplesmente

Leia mais

Manifeste Seus Sonhos

Manifeste Seus Sonhos Manifeste Seus Sonhos Índice Introdução... 2 Isso Funciona?... 3 A Força do Pensamento Positivo... 4 A Lei da Atração... 7 Elimine a Negatividade... 11 Afirmações... 13 Manifeste Seus Sonhos Pág. 1 Introdução

Leia mais

...E descubra quais são os

...E descubra quais são os 2...E descubra quais são os PASSOS FUNDAMENTAIS PARA FALAR INGLÊS, E DECIDA QUANDO VOCÊ ESTARÁ FALANDO INGLÊS! Como você deve imaginar, ninguém vai dormir sem falar inglês e acorda falando inglês como

Leia mais

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar CATEGORIAS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS S. C. Sim, porque vou para a beira de um amigo, o Y. P5/E1/UR1 Vou jogar à bola, vou aprender coisas. E,

Leia mais

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas?

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? 2 Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? É SOBRE ISSO QUE VOU FALAR NESTE TEXTO. A maioria das empresas e profissionais

Leia mais

Web 2.0: a nova internet é uma plataforma

Web 2.0: a nova internet é uma plataforma Página 1 de 5 Mídia interativa - Comportamento - Criação - Web 2.0 Web 2.0: a nova internet é uma plataforma 07/12/2005 0:00 Por: Gilberto Alves Jr. Os empreendimentos na internet que deram certo pensam

Leia mais

A modalidade de ensino que cresce a passos largos no Brasil, ainda provoca desconfiança em muita gente. VOCÊ ESTUDARIA A DISTÂNCIA?

A modalidade de ensino que cresce a passos largos no Brasil, ainda provoca desconfiança em muita gente. VOCÊ ESTUDARIA A DISTÂNCIA? O formato é bem antigo, mas ele voltou a ganhar notoriedade na década de 90, com o avanço da tecnologia e, principalmente, devido ao alcance da internet pela população. Ainda assim, ele está longe de ser

Leia mais

Questionário aplicado aos alunos concluintes do Curso de Ciências Contábeis. Final do Segundo Semestre de 2009

Questionário aplicado aos alunos concluintes do Curso de Ciências Contábeis. Final do Segundo Semestre de 2009 Questionário aplicado aos alunos concluintes do Curso de Ciências Contábeis Final do Segundo Semestre de 2009 1) O que esperava do Curso de Ciências Contábeis enquanto ingressante? - Estar mais preparada

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca Discurso na cerimónia de lançamento

Leia mais